Você está na página 1de 8

LEIA o texto a seguir e RESPONDA à questão 01.

“No século XII, em Portugal e na Galiza, floresceu uma importante poesia de inspiração provençal,
que se tornou uma das mais expressivas manifestações literárias europeias do período, composta
não exatamente em português, mas em galego-português. Apenas alguns séculos depois esses
idiomas se separariam, formando as modernas línguas de Portugal e da Galiza.
Na verdade, não se tratava de poesia como a conhecemos hoje. Os versos eram todos musicados.”
(Revista Discutindo Língua Portuguesa. Ano 1. nº 2 – fev. 2006 – p. 13)

01. Analise a(s) afirmação(ões) correta(s) a seguir:


I-O texto se refere ao período literário conhecido por Trovadorismo. II-O marco inicial
desse movimento citado no texto é a nomeação de Fernão Lopes para o cargo de cronista-
mor da Torre do Tombo em 1434.
III- No Trovadorismo encontramos as cantigas medievais (divididas em líricas e satíricas) e as
novelas de cavalaria.

A)Apenas I.
B)Apenas II.
C)Apenas I e III.
D)Apenas II e III.
E)I, II e III.

GABARITO: C

Leia os textos abaixo e responda às questões de 02 a 07.

TEXTO I

Ondas do mar de Vigo,


acaso vistes meu amigo?
Queira Deus que ele venha cedo!

Ondas do mar agitado,


acaso vistes meu amado?
Queira Deus que ele venha cedo!

Acaso vistes meu amigo,


aquele por quem suspiro?
Queira Deus que ele venha cedo!

Acaso vistes meu amado,


por quem tenho grande cuidado(preocupação)?
Queira Deus que ele venha cedo!

*Martim Codax: trovador-jogral da época de Afonso III (meados do século XIII).

* “Dele só nos restam sete cantigas d’amigo, que se caracterizam por um delicioso primitivismo
poético e pelo fato de serem seis destas composições as únicas cantigas trovadorescas
acompanhadas da respectiva notação musical” (S. Spina)
TEXTO II

Sobre vós, senhora, eu quero dizer verdade


e não já sobre o amor que tenho por vós:
senhora, bem maior é vossa estupidez
do que a de quantas outras conheço no mundo;
tanto na feiúra quanto na maldade
não vos vence hoje senão a filha de um rei.
Eu não vos amo nem me perderei
de saudades por vós, quando não vos vir.

02.De acordo com o texto I, ANALISE as afirmações abaixo:

I- O eu lírico do texto é masculino.


II- O paralelismo encontrado no texto é uma característica encontrada na cantiga de Amigo.
III- Ocorrem no texto a vassalagem amorosa e o desejo da moça que o namorado volte brevemente.

ASSINALE a alternativa correta:

A)Apenas I é verdadeira.
B)Apenas II é verdadeira.
C)I e II são verdadeiras.
D)II e III são verdadeiras.
E)I, II e III são verdadeiras.

GABARITO: B

03. Com relação ao texto I, é INCORRETO dizer que:

A)Justifica a presença de recursos estilísticos que contribuem para o caráter musical do poema o
fato de, no contexto em que foi produzido, a literatura ser veiculada oralmente.
B)A musicalidade do texto é adequada, estilisticamente, à expressão de conteúdos emotivos.
C)Sua musicalidade advém apenas da regularidade das rimas emparelhadas e da presença de refrão.
D)Pertence ao gênero lírico.
E)Pertence a um estilo de época vinculado, ideologicamente, ao Teocentrismo.

GABARITO: C

04.ASSINALE a alternativa correta sobre o texto I.


A)A estrutura paralelística é, neste poema, particularmente expressiva, pois reflete, no plano formal,
o movimento de vai-e-vem das ondas.
B)Nesse texto, os versos livres e brancos são indispensáveis para assegurar o efeito musical da
canção.
C)As repetições que marcam o desenvolvimento do texto opõem-se ao tom emotivo do poema.
D)No refrão, a voz das ondas do mar faz-se presente como contraponto irônico ao desejo do eu
lírico.
E)É um típico soneto de tradição popular, com versos em redondilha maior e estrofação alostrófica.

GABARITO: A
5. Após a leitura atenta do texto I, ANALISE as afirmações que se seguem considerando os
aspectos morfológicos e semânticos do texto.

I.Uma das características evidentes do texto é o seu caráter amoroso. Parece haver, por parte do eu
lírico feminino, um sentimento de sofrimento provocado pela ausência do ser amado.
II.No texto, em busca de seu amado, o eu lírico interpela dois elementos: Deus (elemento religioso)
e o mar (elemento natural) representado pelas ondas.
III.A forma verbal venha, que no texto indica uma ordem expressa, tem como vogal temática a letra
a. IV.Nesse texto, cujo tema gira em torno da saudade, a donzela trata as ondas do mar como
confidentes do seu amor e da preocupação pela demora do amigo.

Portanto, ela se revela preocupada, ansiosa, angustiada, sofrendo muito; a fórmula "ai Deus",
reforçada pela interjeição revela o sofrer da donzela e reflete a sua espiritualidade.

Está(ão) verdadeiro(s) somente o(s) item(ns):

A)I
B)II
C)I, II e III
D)II, III e IV
E)I, II e IV

GABARITO: E

06. Sobre o texto II, analise as afirmações abaixo:

I.O texto é uma cantiga de Amor.


II.O texto é uma cantiga de Escárnio, pois seu conteúdo é irônico e indireto.
III.Nesta cantiga de Maldizer encontramos também a zombaria e a ambiguidade.

ASSINALE a alternativa correta:

A)Apenas I é verdadeira.
B)Apenas II é verdadeira.
C)I e II são verdadeiras.
D)II e III são verdadeiras.
E)I, II e III são verdadeiras.

GABARITO: B

7. Considerando seus aspectos formais, contexto de produção, bem como os aspectos semânticos
e morfológicos do texto II, marque alternativa que contém a resposta adequada à analise realizada.

A)Pode-se afirmar que o texto enquadra-se como uma cantiga satírica de escárnio. Esse tipo de
cantiga apresenta interesse, sobretudo, histórico, pois os dados nele contidos constituem verdadeiros
documentos da vida social, principalmente da corte.
B)No texto, são revelados detalhes da vida íntima do eu lírico, que pela análise do contexto,
desgostou-se em relação ao ser amado.
C)Essa cantiga de escárnio lança mão da ironia e do equívoco para realizar mais indiretamente essas
zombarias. Daí, o uso de uma linguagem menos agressiva e da abordagem que, embora crítica,
torna-se mais branda, inclusive por não revelar o nome do ser criticado.
D)A forma verbal amo, penúltimo verso, apresenta os seguintes morfemas: radical, vogal temática e
desinência modo-temporal.
E)Todas as palavras a seguir, retiradas do texto, possuem vogal temática: dizer, mundo, maldade,
perderei.

GABARITO: D

8. O Renascimento é a expressão artística e cultural de uma época marcada por fatos decisivos,
que acentuaram o declínio da Idade Média e deram origem à Idade Moderna. Sobre esse período,
pode-se afirmar que:
A)Em Portugal, os textos eram escritos em galego-português, já que havia integração cultural e
artística entre Portugal e Galícia.
B)Dante Alighieri e Petrarca são os escritores que, em Portugal, melhor representam esse momento
cultural vivido pela pátria.
C)O homem dessa época se volta para a realidade concreta e acredita em sua capacidade de
dominar e transformar o mundo.
D)As influências da cultura greco-latina e o olhar do homem voltado essencialmente para as coisas
do espírito nortearam a cultura do período.
E)Nesse período, os poetas cultivaram a poesia épica, deixando de lado a poesia lírica, já que esta
propõe a realização física do amor.

GABARITO: C

09. Sobre o Humanismo, assinale a alternativa INCORRETA:

A) Houve a separação entre poesia e música.


B) Encontra-se a poesia palaciana que é declamada e ganha em expressão.
C) Gil Vicente é o fundador do teatro português.
D) Fernão Lopes é nomeado cronista-mor da Torre do Tombo e este fato é considerado o marco
inicial do Humanismo.
E)O caráter humanista da Idade Média está relacionado ao Teocentrismo, onde Deus é o centro das
atenções.

GABARITO: E

10. Sobre Gil Vicente e sua obra, assinale a alternativa correta.

A)Respeita apenas o poder da Igreja.


B)Centra suas críticas nos membros das classes baixas.
C)Conserva a lei das três unidades básicas do teatro clássico.
D)Identifica suas personagens pela ocupação ou pelo tipo social de cada uma delas.
E)Evita fazer um confronto entre a Idade Média e o Renascimento Medievalista
(Teocentrismo versus Antropocentrismo).

GABARITO: D

LEIA o texto de Camões RESPONDA às questões de 11 a 16.


SONETO 45

Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades;


Muda-se o ser, muda a confiança;
Todo o mundo é composto de mudança;
Tomando sempre novas qualidades.

Continuamente vemos novidades


Diferentes em tudo da esperança;
Do mal ficam as mágoas na lembrança,
E do bem, se algum houve, as saudades.

O tempo cobre o chão de verde manto,


Que já coberto foi de neve fria,
E em mim converte em choro o doce canto.

E, afora este mudar-se cada dia,


Outra mudança faz de mor espanto, * mor = maior
Que não se muda já como soía. * soía = costumava

11. O soneto camoniano é a principal forma literária do Classicismo. APONTE UMA ÚNICA
característica que NÃO se ajusta ao Classicismo português.

A)Universalismo.
B)Recuperação de temas da Antiguidade Clássica (cultura greco-romana).
C)Antropocentrismo.
D)Formalismo (principalmente no uso da Medida Nova)
E)Religiosidade cristã.

GABARITO: E

12. ASSINALE a alternativa INCORRETA sobre CAMÕES, o espetáculo poético do


Renascimento português:

A)Sua obra compreende os gêneros épico, lírico e dramático.


B)A lírica de Camões permaneceu praticamente inédita. Sua primeira compilação é póstuma, datada
de 1595, e organizada sob o título de Rimas.
C)Sua lírica compõe-se exclusivamente de redondilhas e sonetos, vez que a epopéia e a elegia são
modalidades da “medida velha”.
D)Apesar de localizada no período clássico-renascentista, a obra de Camões tem resíduos medievais
e momentos maneiristas.
E)Representa o amadurecimento da língua portuguesa (foi o responsável pela modernização do
idioma), sua estabilização e a maior manifestação de sua excelência literária, influenciando poetas
da nossa língua, até os nossos dias.

GABARITO:C

13. Sobre o soneto é INCORRETO dizer que:

A)verifica-se um questionamento filosófico do mundo;


B)ocorre uma visão pessimista sobre o homem e o seu confronto com a realidade;
C)o poeta vive uma crise, um desconcerto, e os seus valores fundamentais se perdem em nome das
mudanças, que nem sempre vêm para melhor;
D)os versos acima, deste soneto, de origem inglesa, são exemplos máximos da sua influência
trovadoresca, haja vista o sofrimento contido no interior deles;
E)são decassílabos, fazendo parte da medida nova, característica do Renascimento.

GABARITO: D

14. ANALISE as afirmações sobre o texto:


1)São versos isométricos contidos num texto que pertence ao gênero lírico.
2)As rimas do 1º quarteto são classificadas quanto ao som e intensidade, respectivamente em:
interpoladas e graves.
3)No 1º verso encontramos destacado um exemplo da figura de linguagem denominada anáfora.
4)Na 3ª estrofe encontramos destacados exemplos das figuras de linguagem denominadas
pleonasmo e sinestesia, respectivamente.
Está(ão) correta(s):

A)1 e 3 apenas.
B)1, 2 e 4 apenas.
C)1, 2 e 3 apenas.
D)2, 3 e 4 apenas.
E)1, 2, 3 e 4.

GABARITO: B

15. Neste texto, Camões exprime sublimemente a amargura do homem em processo de


envelhecimento e que sente a transformação da sua própria personalidade, em face das coisas que
mudam sem cessar. Sobre a análise dos aspectos morfológicos e semânticos do texto, julgue os itens
seguintes como verdadeiros ou falsos e, em seguida, marque a alternativa que contém a sequência
correta da análise, de cima para baixo.

( ) O sentido do último verso __ que não se muda já como soía __ é controverso, pois, segundo o
eu lírico, podemos entender que tudo muda, menos o rigor da mulher amada.
( ) Segundo o eu lírico, nem tudo está sujeito a mudanças no tempo; consequentemente,
não há possibilidade de surpresa ou de perplexidade para quem vive.
( ) Logo no primeiro verso, __ Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades __ nota-se um
impecável pensamento dialético, isto é, o eu lírico procura manter uma espécie de diálogo cujo
foco é a contraposição e contradição de ideias que leva a outras ideias, como por exemplo, a de que
tudo se transforma, sempre; e que, além disso, as formas de mudar também se modificam.
( ) Pode-se afirmar que as palavras mudam-se, muda-se, muda e mudança (1ª estrofe) são da mesma
família por possuírem um morfema em comum: o radical.

A)V F V V
B)V V F F
C)V F V F
D)F V F V
E)F F V F

GABARITO: A
16. A ideia contidas nos versos “Um não-sei-quê, que nasce não sei onde, / Vem não sei como, e
dói não sei por quê.” se repete em:
A)“Em sonhos aquela alma me aparece / Que para mim foi sonho
nesta vida.” B)“Amor, coa esperança já perdida, / Teu soberano tempo
visitei.”
C)“E, se inda não estás de mim vingado, / Contenta-te coas lágrimas que
choro.” D)“Amor é fogo que arde sem se ver / É ferida que dói e não
sente.”
E)“Jura Amor que brandura de vontade / Causa o primeiro efeito; o pensamento.”

GABARITO: D

17. Sobre a obra camoniana e o Renascimento português é certo afirmar que:

A)“A ilha dos amores” é um soneto sobre viajantes e aventureiros portugueses inserido em Os
Lusíadas. B)O desenvolvimento da tipografia, do comércio e das atividades industriais favoreceu
o humanismo português.
C)A lírica de Camões é longa e pouco musical, porque geralmente aborda os feitos políticos e
históricos de Portugal.
D)Diversas correntes artísticas e ideológicas do século XVII, época em que viveu Camões,
manifestam na lírica do poeta.
E)Camões une as inovações renascentistas, que rejeitavam as antíteses, os paradoxos e as
comparações, à tradição literária portuguesa.

GABARITO: B

18. Leia-se o poema de Camões; em seguida, assinale-se a alternativa correta;

O céu, a terra, o vento sossegado...


As ondas, que se estendem pela areia...
Os peixes, que no mar o sono enfreia...
O nocturno silêncio repousado...

O pescador Aônio, que, deitado


onde co’o vento a água se meneia,
chorando, o nome amado em vão nomeia,
que não pode ser mais que nomeado:

Ondas (dizia), antes que Amor me mate,


tornai-me a minha Ninfa, que tão cedo
me fizestes à morte estar sujeita.

Ninguém responde; o mar de longe bate;


move-se brandamente o arvoredo;
leva-lhe o vento a voz, que ao vento deita

A)Trata-se de um poema escrito na medida nova.


B)É um conjunto de redondilhas maiores.
C)Trata-se de uma poesia em que não se encontra a presença de rimas.
D)Não há métrica, por isso caracteriza-se o verso livre.
E)Há métrica e rima, mas não há uma preocupação com o conteúdo.
GABARITO: A

Leia o texto e responda às questões 19 e 20.

Tanto de meu estado me acho incerto,


Que em vivo ardor tremendo estou de frio;
Sem causa, juntamente choro e rio,
O Mundo todo abarco e nada aperto.

É tudo quanto sinto um desconcerto;


Da alma um fogo me sai, da vista um rio;
Agora espero, agora desconfio,
Agora desvario, agora acerto.

Estando em terra, chego ao céu voando,


Numa hora acho mil anos, e é de jeito
Que em mil anos não posso achar uma hora.

Se me pergunta alguém porque assim ando,


Respondo que não sei; porém suspeito
Que só porque vos vi, minha Senhora.

19. O soneto acima descrito é de Luís Camões. Nele se acha uma característica da poesia
clássica renascentista. Assinale essa característica, em uma das alternativas:

A)A suspeita de amor que o poeta declara na conclusão.


B)O jogo de contradições e perplexidades que atormentam o poeta.
C)O fato de todos perguntarem ao poeta por que assim anda.
D)O fato de o poeta não saber responder a quem o interroga.
E)A utilização de um soneto para relato das suas amarguras.

GABARITO:B

20. Leia as afirmações abaixo sobre o texto:

1)Encontramos no 4º verso “O Mundo todo abarco e nada aperto.”, uma figura de linguagem
conhecida paradoxo.
2)As expressões sublinhadas no 7º e 8º versos constituem uma anáfora.
3)As rimas do 1º quarteto quanto ao valor são classificadas como ricas.
4)Temos uma gradação nos versos 7 e 8.

Está (ão) correta(s):

A)1 e 3 apenas.
B)3 e 4 apenas.
C)1, 2 e 3 apenas.
D)2, 3 e 4 apenas.
E)1, 2, 3 e 4.

GABARITO: E