Você está na página 1de 4

RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA

QUÍMICA GERAL
CURSO Engenharia
TURMA 3060 DATA 27/03/18
Celso da
Aluno/ João Rômulo Pereira Gomes
Grupo

TÍTULO POLARIDADE MOLECULAR: SOLUBILIDADE E MISCIBILIDADE


Estudar a polaridade de diferentes substâncias a partir da solubilidade e da
OBJETIVOS
miscibilidade das mesmas.

INTRODUÇÃO
Forças intermoleculares:

São responsáveis por manter a união entre as moléculas. Essas forças se fazem presente
em todos os tipos de átomos e moléculas, mas se diferenciam de acordo com o tipo de
composto. Quando duas moléculas se aproximam havendo uma inter-relação de seus
campos magnéticos, surgindo assim uma força entre elas, essas forças variam de
intensidade, dependendo do tipo da molécula (polar ou apolar) e, no caso das polares, de
quão polares elas são. Existem três principais forças intermoleculares, a Dipolo-dipolo, a
Dispersão de London e a Ligação de Hidrogênio. A primeira é uma das propriedades de Van
der Waals, que é basicamente a força de atração que ocorre entre duas moléculas polares,
ligando-as pelos seus respectivos polos, ou seja, o polo positivo de uma molécula se liga ao
polo negativo da outra molécula. Já a segunda, está diretamente ligada com a intensidade
da força, uma vez que esta aumenta por acréscimo do número de elétrons e da massa
molar, e diminui com o aumento da ramificação da cadeia. E por fim, a terceira é um tipo
especial de atração intermolecular, uma vez que é muito intensa. Ela ocorre entre o átomo
de hidrogênio em uma ligação polar (particularmente uma ligação H-F, H-O ou H-N) e um par
de elétrons não compartilhado em um íon ou átomo pequeno e eletronegativo que esteja
próximo.

Solubilidade:

Solubilidade identifica a capacidade de uma substancia, chamado de soluto, para


dissolver completamente na outra substancia, referido como um solvente. Ao contrário de
miscibilidade, refere-se a uma mudança física como as moléculas de dissolver e separar da
solução. O grau de solubilidade de um soluto é afetado por vários fatores, incluindo, mas não
limitado as propriedades de temperatura, preção e químicas do solvente.

Miscibilidade:

Miscibilidade descreve a mistura de duas substancias em conjunto. Nenhuma


transformação física ou química ocorre entre as duas substancias em questão, e que retêm
tanto a sua respectiva propriedade química e física. Embora não haja nenhuma mudança, as
substancias fazem formar uma mistura homogênea, o que significa que elas são
visivelmente indistinguíveis uns dos outros.
REAGENTES, MATERIAIS E EQUIPAMENTOS

Tubo de ensaio
Estante (suporte) para tubos de ensaio
Pipetas Pasteur
Bécheres de 50ml
Espátulas
Água destilada
Iodo
Cloreto de Sódio
Álcool Etílico
Acetona
Óleo Mineral
Gasolina
Sacarose

PROCEDIMENTO EXPERIMENTAL
 Solubilidade
Experimento 1: Variação da solubilidade de diferentes solutos em diferentes solventes.
A) Enumerou-se 2 tubos de ensaio. Colocou-se uma ponta de espátula de cloreto de sódio
em cada um e adicionou-se 2ml de água destilada e etanol, respectivamente. Agitou-se e
observou-se a solubilidade e anotou-se o resultado na tabela.
B) Repetiu-se o procedimento descrito no item A, utilizando sacarose e iodo no lugar do
cloreto de sódio.

 Miscibilidade
Experimento 2:
Preparou-se 8 tubos de ensaio com as misturas abaixo, agitou-se e depois deixou-se em
repouso. Anotou-se as observações.
A) 5ml de água + 2ml de etanol
B) 5ml de água + 2ml de acetona
C) 5ml de água + 2ml de gasolina
D) 5ml de água + 2ml de óleo mineral
E) 5ml de etanol + 2ml de acetona
F) 5ml de etanol + 2ml de óleo mineral
G) 5ml de acetona + 2ml de gasolina
H) 5ml de acetona + 2ml de óleo mineral

RESULTADOS e DISCUSSÃO

Solubilidade:
Soluto/Solvente NaCl Sacarose Iodo
Água Solúvel Solúvel Pouco Solúvel
Álcool Etílico Pouco Solúvel Pouco Solúvel Solúvel

A) NaCl na água:
A água dissolve o NaCl porque as moléculas de água são capazes de interagir com as
partículas formadoras do mesmo, denominadas íons. Quando a água interage com os íons
formadores dele, a estrutura sólida do cristal sofre desagregação, até que os íons estejam
completamente rodeados por moléculas de água.

B) NaCl no álcool:
O etanol é um solvente que tem uma polaridade bem menor do que a da água, por isso que
o cloreto de sódio é pouco solúvel neste solvente.

C) Sacarose na água:
O açúcar não é uma substância iônica - é molecular. Mas, mesmo assim, dissolve-se em
água. Isto ocorre porque, tal como a água, a sacarose é uma molécula polar, isto é, com
regiões "carregadas" negativa e positivamente. Neste caso, a interação com a água é do tipo
dipolo-dipolo; como a sacarose contém grupos -OH, também ocorre ligação hidrogênio entre
as moléculas de sacarose e de água. Isto promove a sua solubilização na fase aquosa.

D) Sacarose no álcool:
Assim como no caso do NaCl o etano tem polaridade mais fraca do que a água, logo a
sacarose é pouco solúvel também em etanol.

E) Iodo na água:
O iodo não dissolve na água pura, porque a água é um composto polar, enquanto que o iodo
é apolar. Portanto, não ocorrem interações entre as moléculas de água e de iodo para que
elas possam se atrair e dissolver.

F) Iodo no álcool:
O iodo tem afinidade maior com o álcool que com a água porque o mesmo é parte polar e
parte apolar.

4.2. Miscibilidade:
Etanol Acetona Gasolina Óleo Mineral
Água Miscível Miscível Imiscível Imiscível
Etanol Miscível Miscível Imiscível
Acetona Miscível Imiscível

A) Água e Etanol:
A molécula de água, por ser polar, interage com a parte polar do etanol (-OH) formando
ligações de hidrogênio com as moléculas de água. Estas ligações são tão fortes quanto as
forças intermoleculares da substância pura. Dessa maneira, as duas substâncias são
miscíveis.

B) Água e Acetona:
A carga negativa no oxigênio da acetona interage com a parte positiva da água, formando
uma ligação dipolo-dipolo. Logo a solução é miscível.

C) Água e Gasolina:
A gasolina por se formada por hidrocarbonetos é apolar, enquanto a água é polar. Baseando-
se no fato de que semelhante dissolve semelhante podemos dizer que a água e a gasolina
são imiscíveis.

D) Água e Óleo mineral:


O óleo mineral com sua extensa cadeia de hidrocarbonetos é apolar, enquanto a água é
polar, logo acorre a mesma situação do item C, onde apenas semelhante dissolve
semelhante. Logo a mistura água e Óleo mineral é imiscível.
E) Etanol e Acetona:
Ocorre interação de Hidrogênio com a parte polar do álcool e o oxigênio da acetona. Logo a
solução Etanol e Acetona é miscível devido a afinidade entre os compostos.

F) Etanol e Gasolina:
A parte apolar do etanol tem forte afinidade com a gasolina que é apolar. Logo ambas os
compostos são miscíveis.

G) Etanol e Óleo mineral:


O óleo mineral possui uma extensa cadeia de carbono tornando-o muito mais apolar que o
etanol. Logo a solução Etanol e Óleo mineral é imiscível.

H) Acetona e Gasolina:
A acetona é parte apolar e a gasolina é apolar. Portanto a solução é miscível.

I) Acetona e Óleo:
O óleo é uma substância apolar (suas "cargas" - dipolos - se anulam) enquanto a acetona é
polar, logo são imiscíveis.
CONCLUSÃO

REFERÊNCIAS
FORÇAS INTERMOLECULARES (VAN DER WAALS E LIGAÇÃO DE HIDROGENIO) / INFO
ESCOLA. Sem data de modificação. Disponível em: http://www.infoescola.com/quimica/forcas-
intermoleculares-van-der-waals-e-ponte-de-hidrogenio/. Acessado em: 29/03/2016.
MISCIBILIDADE E SOLUBILIDADE. / BLOG DO MESTRE. Abril de 2012. Disponível em:
http://www.oblogdomestre.com.br/2012/04/miscibilidade.html. Acessado em: 29/03/2016.