Você está na página 1de 7

Avaliação Preliminar da Eficiência de Sondagens à Percussão

(SPT) em Fortaleza-CE
Alfran Sampaio Moura
Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, Brasil, alfransampaio@ufc.br

Andressa de Araujo Carneiro


Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, Brasil, andressa.deac@gmail.com

Gleiber da Silva Chagas


Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, Brasil, gleiberbook@hotmail.com

RESUMO: A sondagem à percussão (SPT) é o mais conhecido e utilizado método de investigação


de campo existente. O índice de resistência à penetração (NSPT) do ensaio é comumente empregado
em projetos de fundações de obras civis. No entanto, o NSPT do ensaio é influenciado pela energia
proveniente do impacto do martelo do equipamento e que é transmitida ao barrilete amostrador
através das hastes. De uma região para outra, e até mesmo dentro de uma mesma região, há uma
grande diversidade de equipamentos fazendo com que haja uma grande variabilidade na energia
transferida por cada equipamento.O objetivo do artigo proposto é apresentar uma avaliação
preliminar da magnitude da eficiência de sondagens à percussão (SPT) de empresas típicas que
prestam esse tipo de atividade em Fortaleza-CE. Inicialmente, neste artigo, foi realizada uma
revisão bibliográfica abordando os principais aspectos relacionados com o assunto, destacando–se
os principais fatores que influem na eficiência das sondagens à percussão (SPT). Este levantamento
bibliográfico foi realizado de modo a estabelecer uma base teórica relacionada ao escopo do
trabalho. Após o levantamento bibliográfico, em algumas empresas locais, foi realizado um
levantamento de suas principais características com relação aos equipamentos utilizados,
componentes das equipes e procedimentos adotados. Com isso, foi possível a estimativa preliminar
da eficiência de cada uma das mencionadas empresas com relação à energia transferida durante a
execução das sondagens. Para uma das empresas mencionadas, foram ainda realizadas medições de
energia com um equipamento denominado SPT ANALYZER. Os valores estimados e medidos da
eficiência das sondagens foram, então, analisados e comparados. Observaram-se variações
consideráveis entre as eficiências das sondagens das empresas avaliadas. Para uma dessas empresas,
comparando-se a eficiência estimada por expressões e a medida pelo SPT ANALYZER, verifica-se
que as estimativas por expressões apresentaram valores superestimados. Foi observado
preliminarmente que a realização de sondagens em empresas diferentes em Fortaleza, pode alterar
significativamente um projeto geotécnico devido a variação da eficiência entre as empresas de
sondagens.

PALAVRAS-CHAVE: Sondagens à Percussão, Investigação de Campo, Fortaleza.

1 INTRODUÇÃO ensaio é influenciado pela energia proveniente


do impacto do martelo do equipamento e que é
A sondagem à percussão (SPT) é o mais transmitida ao barrilete amostrador através das
conhecido e utilizado método de investigação hastes.
de campo existente. Os valores do índice de De uma região para outra, e até mesmo
resistência à penetração (NSPT) do ensaio é dentro de uma mesma região, há uma grande
comumente empregado em projetos de diversidade de equipamentos fazendo com que
fundações de obras civis. No entanto, o NSPT do haja uma grande variabilidade na energia
transferida por cada equipamento. devida à compressão do próprio material e, ii)
É importante destacar que em métodos que outra cinética, devida ao movimento de agitação
visem à estimativa de parâmetros geotécnicos a das partículas animadas pela passagem do
partir de sondagens à percussão (SPT), devem pulso.
ser fornecidas recomendações quanto à Dessa forma, a energia transferida à haste
necessidade de correção dos valores do índice (Wt) desde o início da propagação da onda (t=0)
de resistência medidos durante o ensaio. até um tempo t qualquer pode ser calculada por:
O objetivo do artigo proposto é apresentar
uma avaliação preliminar da magnitude da t
Wt = ∫ F .v.dt (1)
eficiência de sondagens à percussão (SPT) de t =0

empresas típicas que prestam esse tipo de


atividade em Fortaleza-CE. onde F é o registro de força em função do
tempo e v o registro de velocidade de partícula,
que corresponde à velocidade com que
2 EFICIÊNCIA DAS SONDAGENS À determinada partícula está animada, quando
PERCUSSÃO (SPT). sujeita às tensões provenientes da passagem de
um determinado pulso de tensão.
O valor do NSPT é influenciado pela energia Assim, a partir de medições de força e
proveniente do impacto do martelo, que é velocidade numa seção no topo das hastes do
transmitida ao amostrador através das hastes. equipamento de sondagem à percussão (SPT),
Entre países, entre regiões ou mesmo numa pode-se determinar a energia transferida ao
mesma região, há uma diversidade muito grande sistema haste-amostrador, integrando-se o sinal
de equipamentos, de forma que parece natural da força vezes o de velocidade em relação ao
ocorrer variabilidades na energia transferida por tempo nesta seção.
cada equipamento numa mesma profundidade A energia contida num pulso de compressão
de um mesmo tipo de solo. pode ser determinada pelas seguintes equações:
No Brasil, vários pesquisadores têm buscado
t = max
a bastante tempo uma efetiva compreensão do EFV = ∫ F .v.dt (2)
ensaio. De Mello (1971), já naquela época, se t =0

preocupava com a energia transferida às hastes c t ( F =0 ) 2


E.a ∫t =0
EF 2 = F .dt (3)
da composição do equipamento no primeiro
impacto do martelo, cujo cálculo foi c t = 2l / c 2
E.a ∫t = 0
E 2F = F .dt (4)
inicialmente feito a partir da teoria newtoniana
para impacto de corpos rígidos com coeficientes
de restituição. As Equações 2 a 4 representam,
A partir daí, diversas formulações foram respectivamente, os métodos EFV, EF2 e E2F.
propostas objetivando a determinação da A literatura apresenta algumas expressões
energia transferida durante o ensaio, e, segundo propostas para a previsão da energia transmitida
Belincanta et al. (1994), foi essa própria (Ei), entre as quais pode-se citar as expressões
evolução do ensaio que tem garantido ao longo de Fairhurst (1961), da teoria Newtoniana
do tempo a sua permanência. aplicada ao SPT (De Mello, 1971) e de Yokel
Ao contrário do que pressupõe a teoria (1982).
newtoniana do impacto de corpos rígidos, o A teoria Newtoniana baseia-se no fenômeno
amostrador só percebe o impacto do martelo a do impacto entre corpos rígidos. Por ela, a
partir do instante da chegada da onda fração da energia total transmitida (Ei) é função
longitudinal de compressão incidente, quando é da massa do martelo (W) e da sua altura de
iniciada a sua penetração. queda (H), da massa das hastes e do amostrador
Segundo Belincanta et al. (1994) a energia (Wp), da eficiência do martelo (e’) e do
contida num pulso de compressão é composta coeficiente de restituição (λ), de forma que:
de duas parcelas: i) uma de deformação, que é
2 W .W p comprimento da haste e da resistência do solo.
Ei = (e′.W .H )(
. 1+ λ) . (5) Dessa forma, torna-se evidente a necessidade de
(W + W )p
2

correção dos valores do NSPT medido para que,


somente depois, possam ser usados em projetos
De acordo com Yokel (1982), a eficiência da de engenharia.
energia transferida às hastes (η) em relação à
energia disponível no instante do impacto, é
função da massa das hastes (Mh) e do martelo 3 MATERIAIS E MÉTODOS
(Mm) e é dada por:
Neste trabalho, as medições de energia foram
 4.M h  realizadas utilizando-se um equipamento
η = 1 − exp −  (6)
 Mm  denominado SPT ANALYZER. Esse
equipamento é compacto e de fácil transporte,
constituído de uma haste instrumentada com
Segundo Cavalcante (2002), a teoria
medidores de deformação (strain-gauges) e de
Newtoniana é capaz de fornecer resultados
aceleração (os acelerômetros), conforme
concordantes quando comparada com as
mostrado na Figura 1, conectados a um sistema
formulações de Schmertman e Palacios (1979) e
automático de aquisição de dados (Figura 2).
Yokel (1982).
O sistema de aquisição de dados possui um
Os fatores que contribuem na variabilidade
pequeno monitor, contendo uma bateria interna
da energia transferida às hastes e, portanto, nos
e um carregador bi-volt (100-250). Na seção
resultados do SPT podem ser agrupados em três
instrumentada (segmento de haste com 1m de
grupos: i) humano, ii) de equipamento e iii) de
comprimento) existem dois furos, entre os dois
procedimento. Cada um desses, por si só,
strain-gauges, nos quais podem ser
poderá influenciar fortemente nos resultados do
aparafusados dois acelerômetros. Dos sinais de
ensaio.
deformação, obtém-se a força, enquanto dos
Em decorrência das perdas citadas, podem
sinais de aceleração, obtém-se a velocidade.
surgir reduções consideráveis na velocidade de
impacto do martelo do SPT com a cabeça de
bater, de forma que se pode definir um índice,
denominado de eficiência (e), o qual relaciona a
energia teórica (Et) à energia medida (Emedida) cabo de conexão
do strain-gauge
imediatamente antes do impacto através da
seguinte equação:
strain-gauge 1
E
e = medida (7) 10 cm
Et 3 cm
furo para fixação
do acelerômetro

Nos Estados Unidos a maioria das 10 cm


correlações empíricas foram estabelecidas sob
strain-gauge 2
um nível de eficiência de 60% e o cálculo do
índice de resistência à penetração
haste SCH 80,
correspondente e um nível de eficiência igual a 25,4 mm de
60% (N60) é feito a partir da seguinte equação: diâmetro interno

N 60 .E60 = N medido .Emedido (8) Figura 1. Haste instrumentada do SPT ANALYZER


(Cavalcante, 2002).

No Brasil, segundo Cavalcante (2002), os A partir dos registros de deformação em


valores medidos até o presente indicam uma função do tempo, e dos dados da calibração, o
eficiência em torno de 83%, independente do
SPT ANALYZER fornece o registro de força ou componentes dos equipamentos utilizados e dos
de tensão em função do tempo nas duas procedimentos adotados nas sondagens de cada
posições dos sensores. A cada golpe, a tela do uma.
analisador apresenta em tempo real a energia As informações coletadas sobre os
transmitida às hastes segundo os métodos EF2 e equipamentos das empresas foram as seguintes:
EFV. peso do martelo, peso das hastes, da cabeça de
bater e do amostrador, tipo de martelo e tipo de
corda/cabo. Já com relação ao procedimento, as
informações colatadas foram: altura de queda,
Unidade de
aquisição como o peso é solto, diâmetro do furo,
utilização de revestimento, utilização de coxim
e comprimento da haste no momento das
medidas.
A Tabela 3 mostra as informações coletadas
sobre os equipamentos das empresas
pesquisadas, bem como dos procedimentos
adotados na realização das sondagens.
Drive para cartão
de memória Tabela 3. Características das sondagens das empresas.
Figura 2. Sistema de aquisição de dados do SPT Característica Empresa
ANALYZER. A B C
Amostrador padrão padrão padrão
A Tabela 1 mostra as constantes de Tipo de martelo maciço maciço maciço
Cabo ou corda corda corda corda
calibração de cada sensor utilizado e na Tabela
Peso do martelo 625 703 639
2 apresentam-se as características das hastes (N)
empregadas. Peso do 58 63,4 59
amostrador (N)
Tabela 1. Constantes de calibração de cada sensor Peso das hastes 33,7 25,0 29,67
utilizado. (N/m)
Acelerômetro Strain-gauge Peso da cabeça 40,7 16,2 24,0
de bater (N)
no de K1 (G/V) Haste Ponte me/V Altura de queda 78 70 65
série (cm)
Como o peso é queda livre queda queda
52202 1048 65BR 1 221,04 solto livre livre
52204 1053 2 223,38 Diâmetro do furo 16 18 12
(cm)
52205 1054 66BR 1 218,15 Revestim. não não não
52207 1048 2 216,81 Coxim não não não
Comprimento da 3,0 3,0 3,0
haste (m)
Tabela 2. Características das hastes empregadas.
Haste Comprimento Área E (MPa) Objetivando identificar se haveria diferenças
(m) (cm2) nas eficiências das sondagens realizadas pelas
65BR 1,0 4,2 207000 empresas pesquisadas, foram realizadas
estimativas de caráter preliminar, e apenas
66BR 1,0 4,4 207000
aproximado, da fração da energia total
transmitida (Ei) a partir da expressão da teoria
Para as estimativas da eficiência das Newtoniana aplicada ao SPT (De Mello, 1971)
sondagens realizadas em três diferentes e da expressão de Yokel (1982), cujos
empresas da cidade de Fortaleza, aqui resultados são apresentados no item seguinte.
denominadas de A, B e C, foram obtidas
informações para a caracterização dos
4 RESULTADOS E ANÁLISES Dessa forma estima-se que a eficiência do
sistema utilizado seja da ordem de 64%. Este
As medidas da energia adquiridas através do valor foi estimado a partir da integral do
SPT ANALYZER foram analisados com o registro de força ao quadrado. Segundo
auxílio do programa PDA-Win (Pile Driving Cavalcante (2002), para hastes longas, ou seja,
Analyzer) na versão Windows. A Figura 3 com comprimentos superiores a 10m, o valor da
mostra a tela capturada no PDA-Win referente energia obtido pelo método EF2 se aproxima do
ao golpe de número 16 da sondagem, de uma valor obtido segundo o método EFV.
seqüência de 55 na profundidade de 10m, de A eficiência estimada de 64% situa-se abaixo
uma sondagem, realizada pela empresa C dos valores indicados pela literatura
(Tabela 3), em um perfil de solo bastante (Cavalcante, 2002; Schnaid, 2000). Isso pode
homogêneo composto por uma areia de duna, ter ocorrido pela associação de uma série de
em São Gonçalo do Amarante - CE, cujos sinais fatores, dentre eles estão a utilização de cordas
de força (linha azul e vermelha) estão velhas, atitude dos operadores, além da
sobrepostos, indicando a excelente qualidade utilização de métodos diferentes na estimativa
desses sensores. Vale destacar que o da energia por cada autor.
comprimento total da composição de hastes no Para essa mesma sondagem, e mesma
momento das medidas foi de 10,7m. profundidade, ou seja 10,7 m, estimou-se, agora
Cabe destacar que devido a problemas de forma preliminar e apenas aproximada, a
ocorridos com os acelerômetros, foram eficiência por meio da expressão da teoria
considerados apenas os registros de força Newtoniana aplicada ao SPT (De Mello, 1971).
adquiridos durantes os ensaios. Dessa forma, utilizando a citada expressão e
Utilizando o método EF2, método cuja considerando a eficiência do martelo (e’) de
integral do registro de força ao quadrado 100% e o coeficiente de restituição (λ) igual a
atingirá o tempo para o qual a força (F) zera 1, a eficência foi estimada em 82,7%.
pela primeira vez, observa-se, na própria tela Utilizando a expressão de Yokel (1982), a
capturada, que o programa indica diretamente o eficiência da energia transferida às hastes, em
valor da energia transferida às hastes do relação à energia disponível no instante do
equipamento de sondagem, que no caso impacto, foi estimada em 91,9%.
apresenta um comprimento total de 10,7m. Comparando os valores estimados pelas
Dessa forma, a energia medida (Emedida) atingiu expressões da teoria Newtoniana e Yokel
o valor de 306J. (1982) com o valor obtido com a utilização do
Para esse caso, a energia teórica (Et) coincide ANALYZER, observa-se que as estimativas das
com a energia potencial do martelo, que é de expressões apresentaram valores, em média,
478,2 J. 23% superior.
Visando observar se as diferenças de
equipamentos e procedimentos entre as
empresas pesquisadas refletem na eficiência de
suas sondagens, estimou-se, para as empresas
A, B e C (Tabela 3), por meio da expressão da
teoria Newtoniana aplicada ao SPT (De Mello,
1971) e de Yokel (1982) a eficiência, à mesma
profundidade (3m), de três sondagens realizadas
por cada uma.
O perfil de solo sondado pela empresa A é
composto, predominantemente, por uma areia
Figura 3. Tela capturada no PDA-Win referente golpe de fina até 2,05m de profundidade seguido de um
número 16, de uma seqüência de 55 golpes, de uma silte argiloso. Na sondagem da empresa B o
sondagem realizada em solo de areia de duna. solo apresenta até a profundidade de 0,75m uma
areia siltosa seguida de uma areia argilosa e na
empresa C tem-se um perfil de solo bastante eficiência de duas sondagens, pode alterar
homogêneo composto por uma areia fina. Em significativamente um projeto geotécnico. A
todas as sondagens não foi encontrado nível variação é proporcional a magnitude do NSPT.
d’água (NA) até a profundidade em que foram Adotando os valores das eficiências estimadas
obtidas as medidas, ou seja 3m. Não houve pela teoria newtoniana e considerando-se a
também utilização de revestimento nas situação hipotética em que o NSPT medido fosse
sondagens. de 3 golpes, o N60 da empresa A seria de 4
A Tabela 4 mostra os resultados das golpes, já o N60 da empresa C não teria
estimativas realizadas para as sondagens das alteração de valor com relação ao NSPT medido.
empresas A, B e C, na profundidade de 3m. Por outro lado, para um caso em que o NSPT
Nesta mesma tabela foram adicionadas as medido fosse de 30 golpes, a empresa A teria o
estimativas realizadas para a profundidade de N60 cerca de 8 golpes superior ao valor do N60
10,7m, além de estimativas efetuadas para uma da empresa C.
empresa hipotética, aqui denominada de
“padrão ideal”, que supostamente utilizaria
equipamentos e procedimentos rigorosamente 5 CONCLUSÕES
de acordo com o a NBR 6484/01 (ABNT, 2001)
A realização de artigo permitiu estabelecer as
Tabela 4. Estimativas realizadas para as sondagens das seguintes conclusões:
empresas A, B e C, nas profundidades de 3m e 10,7m. - A eficiência obtida a partir da utilização do
Empresa Método
Analyzer foi estimada em 64%. Este valor situa-
T. Newton. Yokel (1982) Analyzer
A (3m) 74,8 72,2 - se abaixo dos valores indicados pela literatura;
B (3m) 60,8 58,5 - - As estimativas da eficiência obtidas
C (3m) 58,1 65,9 - preliminarmente pelas expressões utilizadas
Padrão ideal 72,2 69,7 - apresentaram valores, em média, 23% superior
(3m)
ao valor obtido pela utilização do Analyzer;
C (10,7m) 82,3 91,9 64
- Comparando as estimativas entre as empresas,
para um mesmo método, observa-se variações
Comparando as estimativas realizadas pelas
máximas de 16,8%;
expressões da teoria Newtoniana aplicada ao
- A empresa A apresentou a eficiência mais
SPT (De Mello, 1971) e de Yokel (1982)
próxima da eficiência que se obteria com uma
observa-se que, para as empresas A e B, as
sondagem realizada pela empresa “padrão
estimativas efetuadas foram bastante
ideal”;
concordantes. No caso da empresa C a diferença
- A realização de sondagens em empresas
de eficiência máxima, na profundidade de
diferentes em Fortaleza, pode alterar
10,7m, foi de 9,6%.
significativamente um projeto geotécnico
Comparando agora os resultados entre as
devido a variação da eficiência entre elas, sendo
empresas, fixando o método utilizado, observa-
que a diferença de projeto será tanto maior
se variações de até 16,8%. Dessa forma pela
quanto maior a magnitude do NSPT.
teoria Newtoniana, um NSPT medido de 5
golpes, considerando uma eficiência padrão de
60%, seria corrigido para 6, caso a sondagem
AGRADECIMENTOS
tivesse sido executada pela empresa A, e
permaneceria com 5 golpes, se a sondagem
Os autores do artigo agradecem à Universidade
tivesse sido realizada pela empresa C.
Federal do Ceará (UFC), à CAPES e ao CNPQ
Vale observar que a empresa A foi a que
pelo apoio, a COPPE/UFRJ pela utilização do
apresentou a eficiência mais próxima da
Analyzer, ao Professor Erinaldo Hilário
eficiência que se obteria com uma sondagem
Cavalcante (UFS) pela realização dos ensaios
realizada pela empresa “padrão ideal”.
de medida de energia e as empresas que
Para fins práticos, uma variação de 16,8% na
gentilmente cooperaram para a realização do
presente trabalho.

REFERÊNCIAS

Associação Brasileira de Normas Técnicas (2001). NBR


6484/01 - Execução de Sondagens de Simples
Reconhecimento dos Solos. Rio de Janeiro.
Belicanta, A.; Alvin, F. M.; Navajas, S. e Sobrinho, R. R.
(1994). Métodos para Medida de Energia Dinâmica
no SPT. Revista Solos e Rochas. São Paulo. vol. 17,
no 2. p. 93-110.
Cavalcante, E.H. 2002. Investigação Teórico-
Experimental sobre o SPT. Tese de Doutorado,
COPPE/UFRJ, 410 p.
De Melo, V. F. B. (1971). The Standart Penetration Test.
In: Panamerican Conference on Soil Mechanics and
Foundation Engineering, 4, ASCE, Porto Rico, v. 1,
p. 1-86.
Fairhurst, C. (1961). Wave Mechanics of Percussive
Drilling. Mine & Quarry Engineering. Vol. 27, n. 3,
March, pp. 122-130; vol. 27, n. 4, April, p. 169-178;
vol. 27, n. 7, July, p. 327-328.
Schmertman, J. H. e Palacios, A. (1979). Energy
Dynamics of SPT. Journal of the Soil Mechanics and
Foudation Division ASCE. Vol. 105, n. GT8, p. 909-
926.
Schnaid, F. (2000). Ensaios de Campo e Suas Aplicações
à Engenharia de Fundações. Oficina de Textos. São
Paulo, 208 p.
Yokel, F. Y. (1982). Energy Transfer Mechanism in SPT.
Journal of Geotechnical Engineering – ASCE – vol.
115, n. 9, p. 1331-1336.