Você está na página 1de 76

Toxicologia

dos
Domissanitário
Conceito:
Produtos Domissanitários são
substâncias ou preparações destinadas à
higienização, desinfecção ou desinfestação
domiciliar, em ambientes coletivos e/ou
públicos, em lugares de uso comum e no
tratamento de água.

Fonte: ANVISA
São Domissanitários:
• Produtos para limpeza geral: alvejantes,
branqueadores, detergentes e desincrustrantes;
• Finalizadores: amaciantes, lustradores, ceras para
pisos, facilitadores de passagem de roupas, polidores,
engomadores de roupas, acidulantes, neutralizadores
para lavagem de roupa;
• Neutralizadores de odores;
• Polidores de metais;
• Produtos para pré-lavagem e pós-lavagem;
São Domissanitários (continuação):
• Removedores.
• Sabões e saponáceos.
• Produtos com ação antimicrobiana: algicidas e
desinfetantes, desodorizantes de superfícies e ambientes,
esterilizantes, fungicidas, germicidas, sanitizantes
e potabilizadores.
• Produtos biológicos a base de microorganismos.
• Produtos desinfestantes: inseticidas domésticos,
inseticidas para empresas especializadas, produtos para
jardinagem amadora, moluscicidas, raticidas domésticos,
raticidas para empresas especializadas e repelentes.
Classificação dos Domissanitários
 Quanto a finalidade:
– Limpeza
– Desinfestação
– Desinfecção
– Jardinagem amadora
 Quanto a aplicação /manipulação:
– Uso profissional
– Uso não profissional
 Quanto a destinação:
– Domiciliar (embalagens até 5 kg ou l)
– Institucional (1 a 20 kg ou l)
– Industrial (5 a 200 kg ou l)
Peculiaridades dos Domissanitários
• 60 a 90% do tempo das pessoas é passado em ambientes
fechados
• Exposição cotidiana
• Diversidade de finalidades
• Mesma marca comercial com diferentes formulações e
concentrações
• Composição similar em produtos com aplicações diferentes
• Exposição concomitante
• Regionalidade de hábitos e de marcas
• Associação e uso inadequado de produtos
Armadilhas domésticas ... Remédios
Perfumes
Cosméticos
Talco
Inseticidas Desodorizantes de
anti-mofo ambiente
naftalina
remédios Plantas ornamentais
perfumes Aranhas
Escorpiões
Bebidas alcoólicas Cobras
inseticidas Insetos
plantas ornamentais Inseticidas
Raticidas
Desentupidores
sabões Saponáceos, solventes, tintas, vernizes,
desengordurantes de fogões alvejantes, inseticidas, raticidas,
desinfetantes álcool, gás de cozinha, sabões para
detergentes máquina de lavar, ceras, fertilizantes
Crianças
X
Embalagens
• Curiosidade
• Embalagens atraentes Foto: Afrânio G. Pinto Jr.
• Embalagens inseguras
• Falta de noção do perigo
• Odor por vezes agradável
• Armazenamento em locais inadequados
• Negligência dos responsáveis
Foto: Afrânio G. Pinto Jr.
Foto: Afrânio G. Pinto Jr.
Foto: Afrânio G. Pinto Jr.
Foto: Afrânio G. Pinto Jr.
Foto: Afrânio G. Pinto Jr.
Foto: Afrânio G. Pinto Jr.
Foto: Afrânio G. Pinto Jr.

Foto: Afrânio G. Pinto Jr.


Foto: Afrânio G. Pinto Jr.
Foto: Afrânio G. Pinto Jr.
Foto: Afrânio G. Pinto Jr.
Tópicos considerados na
Avaliação do Risco
RDC nº 184, de 22 de outubro de 2001

• A toxicidade das substâncias e suas concentrações no


produto
• A finalidade de uso dos produtos
• As condições de uso
• A ocorrência de problemas anteriores
• A população provavelmente exposta
• A freqüência de exposição e a sua duração
• As formas de apresentação
Quanto ao Risco, os domissanitários são
classificados em:

• Risco I: produtos que não contenham


• Substâncias teratogênicas
• Substâncias mutagênicas
• Substâncias carcinogênicas
– Formulações prontas para uso com Toxicidade Oral
Aguda:
• Sólidos: DL 50 Oral > 500 mg / kg
• Líquidos: DL 50 Oral > 2000 mg / kg
– Que tenham pH > 2 e < 11,5
Quanto ao Risco, os domissanitários são
classificados em:
• Risco II:
– Produtos que não contenham:
• Substâncias teratogênicas
• Substâncias mutagênicas
• Substâncias carcinogênicas
– Formulações prontas para uso com Toxicidade Oral
Aguda:
– Sólidos: DL 50 Oral > 500 mg / kg
– Líquidos: DL 50 Oral > 2000 mg / kg
– Que tenham pH < 2 (corrosivo) ou > 11,5 (cáustico)
– Com atividade antimicrobiana, os desinfestantes e
os produtos a base de microorganismos
Processo de Determinação da Categoria
Líquidos DL50 Oral
2000 mg/kg do Risco
?
Sim Determinação do pH da sol. a 1 %

Sólidos DL50 Oral


500 mg/kg
? Não Sim
Sim  11,5 ou  2 ?
Não
Teratogênico
? Antimicrobiano, Sim Risco II
Sim a base de microrganismos
Registro
Não desinfestante
Mutagênico ?
?
Não
Sim
Não Risco I
Carcinogênico Notificação
?
Classificação do Risco
RISCO I - Notificação RISCO II - Registro
 Detergentes: • Desinfetantes
• uso geral • Desodorizantes
• limpa vidros, lava louças, lava • Esterilizantes
roupas
 Sabões, saponáceos e congêneres • Algicidas para piscinas
 Amaciantes • Fungicidas para piscinas
 Facilitadores para passagem de • Desinfetante de água para consumo
roupa humano
 Ceras • Água sanitária
 Neutralizador de odores • Produtos biológicos
 Polidores de Metais • Inseticidas
 Removedores • Raticidas
 Alvejantes (exceto os à base de
hipoclorito de Na, Ca e Li) • Jardinagem amadora
• Repelentes
Notificação de produtos Risco I
• Documentos necessários:
– Peticionamento eletrônico
– Modelo de rótulo
– Desenho da embalagem
– Termo de responsabilidade técnica
– Teste de eficácia (limitado a neutralizadores
de odores)
Registro de produtos Risco II
• Documentos necessários:
– Peticionamento eletrônico
– Modelo de rótulo
– Desenho da embalagem
– Termo de responsabilidade técnica
– Relatório técnico
– Comprovante de porte da empresa
– Cópia da autorização de funcionamento
– Alvará sanitário
– Taxa sanitária
Produtos “artesanais”, sem registro de
composição, vendidos em comércio regular

Foto: Afrânio G. Pinto Jr.


Produtos “artesanais”, sem registro de
composição, vendidos em comércio regular

Foto: Afrânio G. Pinto Jr. Foto: Afrânio G. Pinto Jr.


Dermatite após manuseio de produto
domissanitário artesanal

Foto: Afrânio G. Pinto Jr.


Produtos “artesanais”, COM registro de
composição, vendidos em comércio regular

Foto: Afrânio G. Pinto Jr.


Produtos “artesanais”, COM registro de
composição, vendidos em comércio regular

Foto: Afrânio G. Pinto Jr.


Produtos “artesanais”, COM registro de
composição, vendidos em comércio regular,

Sem registro
de lote e
validade

Foto: Afrânio G. Pinto Jr.


Produtos irregularmente usados em
ambiente doméstico

Foto: Afrânio G. Pinto Jr.


Patogenia das lesões por
Domissanitários
• Na maioria das vezes, as lesões provocadas pelos
Domissanitários se dão por sua ação direta sobre o
sítio lesado, de modo geral pela diferença entre o seu
pH e o da pele ou mucosa expostos

• Também ocorrem lesões por hipersensibilização


desencadeada em exposição prévia

• Sua absorção normalmente não é relevante, e quando


existe, geralmente tem papel secundário na patogenia
Diretrizes do Atendimento
 Buscar sempre conhecer:
– Formulação do(s) produto(s) utilizados
– Concentração
– Estado físico: Sólidos provocam lesões localizadas
Líquidos provocam lesões difusas e,
freqüentemente, mais graves
– pH: Alcalinos  Lesões cáusticas
Ácidos  Lesões corrosivas
– Quantidade
– Tempo transcorrido desde a exposição até o atendimento
 Descontaminação precoce, ampla e cuidadosa
 Observação clínica rigorosa
 Bom senso
Produtos frequentemente
associados à Esofagite Química

Alcalinos Soda Cáustica: 76,2%


Amoníaco: 4,8%

Ácido Muriático: 14,2%


Ácidos
Ácido Sulfúrico: 4,8%
Foto: Afrânio G. Pinto Jr.

Serv. Emergência do Depto de Cirurgia da


Fac. Medicina da Sta Casa de SãoPaulo, S.P.
Fisiopatologia das lesões por
exposição direta

• BASES FORTES (pH > 11,5): promovem NECROSE POR


LIQUEFAÇÃO Permite rápida penetração do agente cáustico,
causando lesões profundas, não raro com perfurações

• ÁCIDOS FORTES (pH <2): promovem NECROSE POR


COAGULAÇÃO A camada coagulada, que normalmente tem o
aspecto de escara enegrecida, limita a profundidade mas não a
extensão do dano, que mais freqüentemente atinge o estômago
DOMISSANITÁRIOS ALCALINOS
Desentupidores hidróxidos de sódio e potássio
Detergentes para tripolifosfato, silicato, carbonato e
máquinas de lavar metassilicato de sódio
Baterias e pilhas hidróxido de sódio e potássio
Limpeza de fornos hidróxido de sódio
Limpeza de piscinas hipoclorito de sódio e cálcio
Remoção de tintas hidróxidos de sódio e potássio
Soluções de limpeza carbonatos e silicatos
Desengordurante hidróxido de amônia
Tratamento de água hipoclorito de sódio
Hipoclorito de Sódio
• Usos Domésticos: Água Sanitária, cloradores de piscinas e de
água de consumo. Soluções de Milton e de Dakin

• Associações com risco potencializado:


• HIPOCLORITO COM AMÔNIA: Produzem fumos de cloramina
e dicloramina, que em contato com mucosas formam ácido
hidrocloroso e oxigênio nascente, que são potentes agentes
oxidantes e causam lesão celular

• HIPOCLORITO COM SOLUÇÕES ÁCIDAS: Liberam cloro


gasoso e ácido hipocloroso que são absorvidos pelas mucosas,
determinando dano local e sistêmico
Hidróxido de Sódio ou Soda Cáustica
• USOS:
– Doméstico: Desentupimento de canos, limpeza de
fornos e limpeza sanitária
– Outros: Reagentes para glicosúria; alisante de
cabelos, baterias tipo disco.

• CARACTERÍSTICAS:
– Base forte. Tem marcada ação corrosiva em todos os
tecidos corporais.
– Reage violentamente - inclusive com potencial
explosivo - com inúmeras substâncias químicas
Surfactantes Aniônicos:

• USOS: detergentes, sabonetes, sabões


domésticos, xampus, pasta dental, produtos para limpeza de pele

• CARACTERÍSTICAS: compostos de cadeia linear (biodegradáveis)


mais freqüentemente utilizados são os ALQUIL SULFATOS e
COMPOSTOS SULFONATOS:
– Lauril sulfato de sódio
– Alquilbenzeno sulfonato de sódio
– Dodecil benzeno sulfonato de sódio
– Estearato de sódio
– Oleato de sódio
Lesões Digestivas agudas por Bases Fortes:
Ação Direta
• Eritema, edema, exudação e ulceração nas
áreas de contato
• Dor em queimação
• Sialorréia, disfagia, odinofagia
• Náusea, vômitos mucosos, que podem evoluir
para hematêmese por ulceração mucosa,
epigastralgia
• Cólicas, diarréia
• Perfuração visceral
• Baterias: impactação no esôfago, obstrução de
vias aéreas, ruptura com liberação de material
cáustico perfuração
INGESTÃO DE BASE FORTE
EFEITOS CLÍNICOS AGUDOS
POR AÇÃO SISTÊMICA
• Maiores volumes ingeridos podem resultar em
absorção, e provocar desordem sistêmica com
desequilíbrio hidro-eletrolítico e ácido- básico,
confusão, delírio, coma.
• Arritmia e choque circulatório estão associados
a necrose extensa e hemorragia.

ATENÇÃO:
– Ausência de lesões orais NÃO EXCLUI lesões esofágicas
– Nos casos graves, a dor referida pode não corresponder à
gravidade, devido a destruição das terminações nervosas
Ulcerações de lábio por Hipoclorito
de Sódio a 10%
Ulcerações de lábio por Hipoclorito
(fase de granulação)
Glossite por solução fraca de
Hipoclorito de Sódio
Necrose de liquefação, edema e
ulceração em vestíbulo oral
Lesão gástrica ulcerada por
Água Sanitária
Lesões ulceradas em região pré-
pilórica por Água Sanitária
Leucoma por Soda Cáustica
Leucoma com deformidade ocular
por Soda Cáustica

Foto: Afrânio G. Pinto Jr. Foto: Afrânio G. Pinto Jr.


Dermatite por Solução de Milton
(hipoclorito de sódio)
Dermatite de Contato por solução fraca de
Hidróxido de Sódio
Queimadura NaOH
Dermatite de Contato
em dona-de-casa: detergente

Foto: Afrânio G. Pinto Jr.


Dermatite de Contato
em dona-de-casa: detergente
Foto: Afrânio G. Pinto Jr.
DOMISSANITÁRIOS ÁCIDOS
Usos Ingredientes Ativos

Desentupidores Ácido Sulfúrico


Limpeza de Vasos Ácidos Sulfúrico, Oxálico e
Sanitários e Piscina Clorídrico
Polidores de Metais Ácidos Fluorídrico, Fosfórico,
Oxálico, Sulfúrico e Clorídrico
Solução de Bateria Ácido Sulfúrico

Outros: ácidos acético, bórico, bromídrico, nítrico, dióxido de


cloro, anidridos acético e sulfúrico.
Surfactantes Catiônicos
USOS: Desinfetante, amaciantes de roupas, lava-louças,
condicionadores de cabelos, xampus anti-caspa
CARACTERÍSTICAS: Detergentes tensoativos catiônicos
derivados do petróleo, derivados quaternários do amônio e
outras matérias orgânicas

Alguns ingredientes mais usados:


– Cloreto de benzalcônio
– Cloreto de benzetônio
– Cloreto de cetilpiridinio
– Cetrimida
– Cloreto de dequalínio
Lesões Cutâneas por Ácido Forte
Queimaduras caracterizadas por dor intensa, eritema,
vesículas, ulcerações e edema.

Queimadura de pele por Ácido Muriático (HCl)


Dermatite por Água Boricada 4% (?) em
substrato herpético
Queimadura por Ácido
Hiperceratose tardia em mão de Pedreiro
após exposição a Ácido Muriático

Foto: Afrânio G. Pinto Jr.


Lesões Oculares por Ácido Forte:
• Dor intensa
• Fotofobia
• Necrose de conjuntiva e
córnea, podendo haver
perfuração e amaurose

Úlcera de Córnea
por Ácido Sulfúrico
Reação alérgica a produto a base de formaldeído
em processo de alisamento de cabelo

Foto: Afrânio G. Pinto Jr.


Dermatose Ocupacional por Óleo Diesel:
Elaioconiose

Foto: Afrânio G. Pinto Jr.


Dermatose Ocupacional por Óleo
Repelente de Insetos
• Domissanitários:
– Citronela (Cympobogon sp.)
– Andiroba (Carapa guianensis)
– Piretróides
– Paradiclorobenzeno
– Naftalina

• Cosmético
– Dietiltoluamida (Autan®, Off ®,
Exposis®, Repelex®)
Ceras e
polidores de
móveis
Associações de
CERAS : Ésteres de ácidos graxos: naturais e
sintéticas T
o
ÓLEOS: minerais ou vegetais x
i
SOLVENTES: derivados do petróleo e álcoois c
i
superiores (butílico e amílico) d
a
ADITIVOS: inseticidas, aromatizantes d
e
Tintas e Vernizes:
- imobiliárias
- automotivas
- industriais
- gráficas

RESINA: não volátil, que aglomera o pigmento.


Acrílicas, alquídicas, epoxídicas ...
PIGMENTOS (exceto vernizes): naturais e sintéticos
SOLVENTES: água, derivados de petróleo
ADITIVOS: anti-mofo, secantes, niveladores
Intoxicações por Colas e Adesivos

 Colas brancas
• Emulsões de acetato de polivinil
• Essencialmente não-tóxicas

 Solventes adesivos
• Dicloreto de metileno ou etileno, metil-etil-cetona, tolueno
Dissolvem o estireno, fundindo as partes reunidas
• Toxicidade aguda por inalação; os sintomas envolvem o
sistema nervoso central e são semelhantes aos do álcool
• Também absorvidos pela pele onde podem causar
ressecamento e rachaduras. Caso haja irritação ocular,
lavar com água corrente por 15 minutos
Intoxicações por Inseticidas
de Uso Doméstico
Intoxicações por Inseticidas Piretróides
de Uso Doméstico
• Ditos Inseticidas “Naturais”
• Freqüentemente potencializados pela
associação com Butóxido de
Piperonila, organofosforados ou
carbamatos
• Aletrina, Bioresmetrina, Ciflutrina,
Cipermetrina, Cismetrina,
Deltametrina, d-fenotrina, Esbiotrina,
Fenvalerato, Permetrina, Resmetrina,
Tetrametrina
Intoxicações por Inseticidas Piretróides
de Uso Doméstico
PELE: Eritema, edema, queimação, parestesias, sensação de
fisgadas

OLHOS: Irritante local, podendo causar conjuntivite e lesões de


córnea

MANIFESTAÇÕES ALÉRGICAS: Usualmente leves devido a


inalação. Em indivíduos sensíveis, causa dermatite, cefaléia,
rinite, asma, pneumonite, podendo desenvolver REAÇÃO
ANAFILÁTICA com broncoespasmo grave, edema de
orofaringe, hipotensão e choque
Intoxicações por Inseticidas Piretróides
de Uso Doméstico

Foto: Afrânio G. Pinto Jr.


Intoxicações por Inseticidas Piretróides
de Uso Doméstico

Foto: Afrânio G. Pinto Jr.