Você está na página 1de 10

Trabalho científico é uma expressão genérica para

trabalhos acadêmico-científicos.

Prof. Alessandra Alvissus Prof. Alessandra Alvissus

ARTIGOS CIENTÍFICOS
ARTIGOS CIENTÍFICOS

 Apresentam o resultado de estudos  Estrutura do artigo científico


ou pesquisas
1. Preliminares
Prof. Alessandra Alvissus

Prof. Alessandra Alvissus

 Distinguem-se dos diferentes tipos de


trabalhos científicos pela sua reduzida a) Cabeçalho: título (e subtítulo) do trabalho.
dimensão e conteúdo. b) Autor(es).
 São publicados em revistas ou c) Credenciais do(s) autor(es).
periódicos especializados, impressos d) Local de atividades.
ou eletrônicos, e formam a seção
principal deles. 2. Sinopse - resumo analítico do trabalho
ARTIGOS CIENTÍFICOS ARTIGOS CIENTÍFICOS

 3. Corpo do artigo  3. Corpo do artigo (CONT.)


a) Introdução: apresentação do assunto, objetivo,

Prof. Alessandra Alvissus

Prof. Alessandra Alvissus


metodologia, limitações e proposição.
A divisão do corpo do artigo pode sofrer
b) Texto: exposição, explicação e demonstração do alterações, de acordo com o texto, e ser
material; avaliação dos resultados e comparação com subdividido em mais seções. Por exemplo:
obras anteriores. a) Introdução.
c) Comentários e conclusões: dedução lógica, baseada b) Material e método.
e fundamentada no texto, de forma resumida.
c) Resultados.
d) Discussão.
e) Conclusão.

ARTIGOS CIENTÍFICOS

 4. Parte referencial  Comunicação é uma palavra de origem latina:


a) Bibliografia (referências). comunicare, que tem o significado de tornar
Prof. Alessandra Alvissus

b) Apêndices ou anexos (quando houver comum, partilhar, repartir, trocar opiniões


necessidade).
c) Agradecimentos.  Comunicação científica - refere-se à
d) Data (importante para salvaguardar a informação apresentada em congressos,
responsabilidade de quem escreve um simpósios, semanais, reuniões, academias,
artigo científico, em face da rápida sociedades científicas etc. a ser
evolução da ciência e da tecnologia e posteriormente publicada em anais e
demora na publicação de trabalhos). revistas,
revistas impressas ou eletrônicas.

Prof. Alessandra Alvissus


 Sinopse: resumo analítico do trabalho redigido pelo próprio autor
 Folha de rosto ou editor e publicado ao mesmo tempo que a obra.
• Designação do congresso, simpósio etc.  Pode ser colocada após o título do texto ou ao final da publicação.
 Deve ser escrita em português, inglês ou outra língua de difusão
• Local de realização. internacional.
 É mera apresentação condensada do texto de uma publicação ou suas
• Data do evento. principais ideias, sem emissão de juízo de valor (SALVADOR, 1980, p. 16).
• Patrocinadores.
A redação da Sinopse deve:
• Título do trabalho. • Facilitar a consulta do periódico que a publicou e tornar o trabalho menos
• Nome do autor. oneroso e mais rápido.
• Conter, de forma sucinta, os fatos encontrados no trabalho e suas conclusões,
• Credenciais do autor. sem emitir juízo de valor.
• Dar ao leitor uma visão global do conteúdo.
• Indicar a maneira como o tema foi abordado.
• Apontar os fatos novos e as conclusões tiradas.
• Ser a mais concisa possível.

Prof. Alessandra Alvissus Prof. Alessandra Alvissus

Exemplo de comunicação
 Conteúdo B 17 Sociologia 407
• Introdução. Crianças em situação de rua: trabalho e estratégias de sobrevivência. Liliane
Capilé Charbel Novais. Mestrado em Serviço Social – UFBP. Professora Auxiliar
• Texto (desenvolvimento). UFMT – CAPES/PICD.
• Conclusão e recomendações. Esta pesquisa se propõe analisar as estratégias de sobrevivência das crianças
em situação de rua. Dentro deste recorde, pretende enfocar a questão da
exclusão social, marginalidade urbana e a dualidade do trabalho
infantil/criança abandonada, buscando identificar a contribuição das
 Referências bibliográficas. ocupações desenvolvidas pelas crianças em situação de rua no orçamento da
família trabalhadora, como também identificar as representações sociais das
diversas formas de ocupação. O questionamento principal se situa na
compulsoriedade das estratégias de sobrevivência para as crianças pobres, e a
condição de criança abandonada enquanto mascaramento do trabalho infantil.
O locus desta pesquisa será o trabalho infantil desenvolvido “informalmente”
em um bairro da cidade de Cuiabá – MT. Será adotada a metodologia da
pesquisa qualitativa; serão utilizados como instrumento: observação
sistemática e participante, entrevistas semiestruturadas com objetivo de
levantar a história de vida desses atores sociais.
[47ª Reunião Anual da SBPC. Universidade Federal do Maranhão, São Luís, 9 a
14 de julho. Anais, v. 2: Comunicações, 1995.]
Prof. Alessandra Alvissus Prof. Alessandra Alvissus
Prof. Alessandra Alvissus

FICHAMENTO (AUXÍLIO À PESQUISA)


RESENHA CRÍTICA
FICHAMENTO - a ficha de leitura é uma das formas
mais eficientes de consulta às fontes.

•Com ela o pesquisador consegue ter disponível um maior  Resenha é uma descrição minuciosa do conteúdo de
número de informações quando da redação dos textos, sem uma obra.
que precise a todo momento recorrer a livros, códigos,
repertórios de jurisprudência etc.
 Consiste na leitura, resumo, crítica e formulação de um
•vantagem adicional  de ter como fonte para redação de conceito de valor da obra.
seu texto final um texto que já foi redigido pelo próprio autor,
desde que a ficha não se limite a transcrever ipsis litteris o
 Em geral, é elaborada por um especialista que, além
conteúdo da fonte.
do conhecimento sobre o assunto, tem capacidade de
juízo crítico. Também pode ser realizada por
•NÃO ESQUECER de fazer a referência bibliográfica do estudantes; nesse caso, como um exercício de
material consultado, CASO CONTRÁRIO, terá que compreensão e crítica.
consultar e reler todas as fontes novamente.
Prof. Alessandra Alvissus

RESENHA CRÍTICA RESENHA CRÍTICA


Estrutura da resenha

1. Referência bibliográfica
Autor(es)
 O resenhista deve: resumir o assunto e apontar falhas Título (subtítulo)
Elementos de imprensa (local da edição, editora, data)
de informação encontradas, sem entrar em muitos Número de páginas
pormenores e, ao mesmo tempo, tecer elogios aos Ilustração (tabelas, gráficos, fotos etc.)
méritos da obra, desde que sinceros e ponderados.
2. Credenciais do autor
Informações gerais sobre o autor
Autoridade no campo científico
 O resenhista não deve: Quem fez o estudo?
Quando? Por quê? Onde?
o deturpar o pensamento do autor.
3. Conhecimento
o tentar dizer que poderia ter produzido obra melhor; Resumo detalhado das ideias principais
De que trata a obra? O que diz?
o não deve procurar ressaltar suas próprias qualidades às Possui alguma característica especial?
custas de quem escreveu o livro comentado; não deve Como foi abordado o assunto?
fazer perguntas retóricas ou para sarcasmo Exige conhecimentos prévios para entendê-lo?
Prof. Alessandra Alvissus Prof. Alessandra Alvissus
RESENHA CRÍTICA RESENHA CRÍTICA
Estrutura da resenha Estrutura da resenha

6. Apreciação
4. Conclusão do autor a) Julgamento da obra. Como se situa o autor em relação:
∗ O autor apresenta conclusões? (ou não?) • Às escolas ou correntes científicas, filosóficas, culturais?
• Às circunstâncias culturais, sociais, econômicas, históricas etc.?
∗ Onde foram colocadas? (final do livro ou dos capítulos?) b) Mérito da obra:
∗ Quais foram? • Qual a contribuição dada?
• Ideias verdadeiras, originais, criativas?
• Conhecimentos novos, amplos, abordagem diferente?
5. Quadro de referências do autor c) Estilo:
∗ Modelo teórico • Conciso, objetivo, simples?
• Claro, preciso, coerente?
∗ Que teoria serviu de embasamento? • Linguagem gramatical (norma padrão)?
∗ Qual o método utilizado? • Ou o contrário?
d) Forma:
• Lógica, sistematizada?
• Há originalidade e equilíbrio na disposição das partes?
e) Indicação da obra:
• A quem é dirigida: grande público, especialistas, estudantes?
Prof. Alessandra Alvissus Prof. Alessandra Alvissus

1 MONOGRAFIAS (GRADUÇÃO)
TIPOS:
Monografia (ex: trabalho de conclusão de Estudo sobre um tema específico ou particular, com
curso) – Graduação suficiente valor representativo e que obedece a
Dissertação de mestrado - trabalhos rigorosa metodologia.
científicos apresentados ao final do curso de
mestrado, com o propósito de obter o título de
Características:
mestre.
a) Trabalho escrito, sistemático e completo.
Tese – apresentado para obtenção de título de b) Tema específico ou particular de uma ciência ou parte dela.
doutor ou livre –docência c) Estudo pormenorizado e exaustivo, abordando vários aspectos e ângulos
do caso.
 obedecem a ordem ascendente, em relação à d) Tratamento extenso em profundidade, mas não em alcance (nesse caso, é
originalidade, à profundidade e à extensão limitado).
e) Metodologia específica.
f) Contribuição importante, original e pessoal para a ciência.
Prof. Alessandra Alvissus
Prof. Alessandra Alvissus
MONOGRAFIA MONOGRAFIA

Estrutura da monografia: REDAÇÃO DA MONOGRAFIA:

a) Introdução: é a apresentação sintética da questão, importância da metodologia e utilização da norma padrão ortográfica;
rápida referência a trabalhos anteriores, realizados sobre o mesmo assunto.

b) Desenvolvimento: fundamentação lógica do trabalho de pesquisa, cuja finalidade Observância das normas da Associação Brasileira de
é expor e demonstrar. No desenvolvimento, podem-se levar em consideração três fases
ou estágios: explicação, discussão e demonstração: Normas Técnicas (ABNT), relativamente a citações,
diretas e indiretas, organização do texto
c) Conclusão: fase final do trabalho de pesquisa, mas não somente um fim. (particularmente em relação à ordem de exposição
 Consiste numa síntese da argumentação dos dados e dos das partes do texto), referências bibliográficas.
exemplos constantes das duas primeiras partes do trabalho.
 Dela deve constar a relação existente entre as diferentes
partes da argumentação, bem como deve estar de acordo com Uso da pessoa gramatical: Regra – terceira pessoa
o que se expôs na introdução;
do singular;
 Observar se tudo o que foi prometido foi realizado.
 Se o objetivo foi atingido.
Prof. Alessandra Alvissus Prof. Alessandra Alvissus

 É um tipo de trabalho científico apresentado


ao final do curso de pós-graduação, visando
obter o título de mestre.
 Requer defesa de tese.
 Tem caráter didático, pois se constitui em um
treinamento ou iniciação à investigação.
 Por ser um estudo formal, exige metodologia
própria do trabalho científico.
 Situa-se entre a monografia e a tese - POIS
aborda temas em maior extensão e
profundidade do que a primeira e é fruto de
reflexão e de rigor científico, próprio da tese.
Prof. Alessandra Alvissus Prof. Alessandra Alvissus
Estrutura do Trabalho Científico
Trabalho Científico (monografia, dissertação e tese)
 A estrutura da tese é semelhante à da monografia e à da dissertação, só
que o tema deve ser mais amplo e aprofundado.

A. Preliminares
ESTRUTURA B. Corpo do trabalho
a) Introdução
b) Desenvolvimento
c) Conclusões e recomendações
C. Parte referencial

Prof. Alessandra Alvissus Prof. Alessandra Alvissus

A Introduç
Introdução Introdução

A - Introdução (Corpo do trabalho) A - Introdução (Corpo do trabalho)


a)Definição do tema a) Definição do objeto da pesquisa - a ideia central do
b)Delimitação do tema trabalho deve ser exposta de modo claro e preciso.
c)Localização no tempo e no espaço
d)Justificativa da escolha b) Delimitação do tema
e)Objetivos Nos casos em que o tema é apresentado como problema
f)Definição dos termos
ou indagação, pode-se, na introdução, levantar uma ou mais
questões, cuja resposta será explicitada no decorrer da
g)Indicação da metodologia
exposição.
Estabelecem-se limites em relação ao assunto, à extensão,
ao prazo etc.
Prof. Alessandra Alvissus Prof. Alessandra Alvissus
Introdução Introdução
A - Introdução (Corpo do trabalho) – cont.

A - Introdução (Corpo do trabalho) – cont. e) Objetivos - a formulação dos objetivos significa definir com precisão o que se
visa com o trabalho sob dois aspectos: geral e específico.
c) Localização no tempo e no espaço • Objetivo Geral - relacionado à ideia central que serve de fio
 Tanto nos trabalhos teóricos quanto nos que se voltam para atividades condutor no estudo proposto; relaciona-se com a compreensão
práticas, é importante que o pesquisador estabeleça limites no geral do todo, vinculando-se diretamente à própria significação da
tempo e no espaço. Isto porque se torna impossível conhecer e tese que se propôs defender e explanar;
analisar dados referentes a um período muito longo ou área muita
extensa. O espaço físico precisa ser decididamente considerado.
• Objetivo Específico- em âmbito mais restrito, compreende
etapas intermediárias, que, sob aspectos instrumentais, permitem o
d) Justificativa da escolha do objeto da pesquisa - a justificativa objetivo geral.
deve enfocar um ou mais dos seguintes aspectos:
• Relevância do estudo para a ciência.
f) Definição dos termos - esclarecimento dos termos ou conceito utilizados, ou o
• Esclarecimentos de aspectos obscuros. ponto de vista adotado.
• Complementação de estudos anteriores.
• Contribuição para a solução de problemas. g) Indicação da metodologia - exposição dos métodos de abordagem e de
• Originalidade, importância, viabilidade e disponibilidade. procedimentos, assim como das técnicas de pesquisa utilizadas.

Prof. Alessandra Alvissus Prof. Alessandra Alvissus

B DESENVOLVIMENTO Desenvolvimento

a) Revisão da literatura - consiste em uma


síntese, a mais completa possível, referente ao
a) Revisão da literatura trabalho e aos dados pertinentes ao tema, dentro
b) Metodologia ou procedimentos de uma sequência lógica.
metodológicos
b) Metodologia ou procedimentos
c) Construção dos argumentos metodológicos - procedimentos metodológicos
d) Apresentação, análise e interpretação dos incluem:
dados  formulação do problema,
 enunciado de hipóteses,
 determinação das variáveis
 indicação dos tipos de relação entre os diversos
elementos.
Prof. Alessandra Alvissus Prof. Alessandra Alvissus
Desenvolvimento Desenvolvimento

b) Metodologia ou procedimentos c) Construção dos argumentos


Para Galliano (1977, p. 130-131), há três tipos de técnicas de
metodológicos - procedimentos argumentação:
metodológicos incluem: 1. Oposição: apresentação de duas oposições
fundamentais no enfoque do assunto, para o
 Explicitação dos procedimentos desenvolvimento do tema.
metodológicos, incluindo a descrição dos
instrumentos de pesquisa (observação, 2. Progressão: relacionamento de diferentes
questionário, formulário, testes, escalas etc.). elementos, mas encadeados em sequência
 Indicação do tratamento e inferência lógica, havendo sempre relação entre um
elemento e seu antecedente.
estatística.
 Seleção do sujeito (universo ou amostra). 3. Cronologia: técnica baseada na sequência
 Informações sobre a coleta dos dados. temporal dos acontecimentos.
Prof. Alessandra Alvissus Prof. Alessandra Alvissus

Desenvolvimento Desenvolvimento

c) Construção dos argumentos d) Apresentação, análise e


Fiorin (2015, p. 242 s) considera a existência dos interpretação dos dados
seguintes tipos de desenvolvimento da argumentação:
1.Dialético: argumento a favor da tese, argumentos • Apresentação e discussão dos resultados
a favor da antítese e síntese. alcançados, correlacionados com sentido
2.Causas e soluções. intrínseco da(s) hipótese(s) da pesquisa.
3.Comparações: semelhanças em que se fundam a
comparação e diferenças entre elas. • Demonstração das relações existentes entre
4. Ilustração e explicitação de uma afirmação. fato ou fenômeno estudados e outros fatores.
5.Combinação de diferentes planos de
desenvolvimento argumentativo. • Interpretação crítica dos dados, verificando se
os mesmos comprovam ou refutam a(s)
hipótese(s), por meio dos testes de hipóteses.
Prof. Alessandra Alvissus Prof. Alessandra Alvissus
Parte referencial
REDAÇ
REDAÇÃO do TRABALHO
A. Apêndice e/ou anexos A redação do trabalho científico consiste na expressão,
- apêndice (material elaborado pelo autor) por escrito, dos resultados da investigação.
- anexo (dados complementares de outra autoria) Trata-se de uma exposição bem fundamentada do
material coletado, estruturado, analisado e elaborado de forma
 somente o que é essencial à compreensão do desenvolvimento do objetiva, clara e precisa.
raciocínio e seu fundamento deve ser apresentado.

O trabalho científico utiliza linguagem técnica


B. Glossário – OPCIONAL - dispensável, quando, na
definição dos termos, o autor explicou todos os conceitos (acadêmica e didática), cuja finalidade é transmitir conhecimento.
adotados.
 OBSERVÂNCIA às regras gramaticais, evitando não só o
vocabulário popular, vulgar, mas também o pomposo.
C. Bibliografia (referências)
 Se uma das finalidades é a objetividade, o trabalho científico deve ter
caráter impessoal.
D. Índice remissivo de assuntos e/ou autores –
OPCIONAL
Prof. Alessandra Alvissus Prof. Alessandra Alvissus

Regras para redação Regras para redação


a) Saber o que vai escrever, para que ou quem.
Estilo
b) Escrever sobre o que conhece.
c) Concatenar as ideias e informar de maneira a) Clareza e objetividade.
lógica. b) Linguagem direta, precisa e
d) Respeitar as regras gramaticais.
e) Evitar argumentação demasiadamente abstrata.
acessível.
f) Usar vocabulário técnico quando estritamente c) Frases curtas e concisas.
necessário.
g) Evitar a repetição de detalhes supérfluos.
d) Simplicidade, evitando-se estilo
h) Manter a unidade e o equilíbrio das partes. prolixo, retórico ou confuso.
i) Rever o que escreveu.
Prof. Alessandra Alvissus Prof. Alessandra Alvissus