Você está na página 1de 40

Unidade III

METODOLOGIA CIENTÍFICA

Profa. Cristiane Aragão


Tipos de texto

Resenha crítica
 Descrição minuciosa –
apresenta uma síntese do conteúdo de uma obra (texto/livro).
 Comenta o valor e o alcance da obra apresentada.
Pode ser dividida em:
 cabeçalho – dados bibliográficos completos da obra;
 breve informação sobre o autor;
 síntese do conteúdo
(objetiva – assunto, pontos principais, ideia central);
 comentário crítico (avaliação – aspectos positivos e negativos).
(SEVERINO, p. 205)
Tipos de texto

Fichamento
 Segundo Severino, a “documentação de tudo o que for
julgado importante e útil em função dos estudos e do trabalho
profissional deve ser feita em fichas” (SEVERINO, p. 68).
 Ouvir aulas e ler livros só trazem resultados positivos
quando há uma documentação pessoal.
 Atualmente: podem ser digitadas no computador e impressas
quando o estudante precisar de uma cópia.
 Severino: documentação temática,
documentação bibliográfica.
(SEVERINO, p. 68-71)
 Marconi: fichas bibliográficas, fichas de citações,
fichas de resumo, fichas de esboço, fichas de comentário.
(MARCONI, p. 61-63)
Estrutura das fichas – três partes principais:
 Cabeçalho;
 referência bibliográfica (normas da ABNT);
 corpo ou texto.
Opcionais:
 indicação da obra (a quem se destina);
 local onde encontrá-la (biblioteca).
 Ficha temática – tema. Exemplo: ficha sobre o significado
do termo “pesquisa” – definições de vários autores.
 Transcrição de citação literal – entre aspas e indicação
abreviada da fonte logo após a citação.
 Transcrição – síntese das ideias – sem aspas,
com indicação da fonte.
 Transcrição de ideias pessoais – sem aspas e sem indicação.
(SEVERINO, p. 69)
Ficha bibliográfica

 Não somente de livros, mas de artigos, resenhas,


capítulos de livros etc.
 Cabeçalho: pelo menos o título (assunto pesquisado – pode
ser dividido em tópicos: título genérico remoto, título genérico
próximo, título específico), número de classificação da ficha,
sequência indicada por uma letra (A, B, C etc.) – mais de
uma ficha.
 Referência bibliográfica.
 Corpo ou texto (ficha bibliográfica de citações, de resumo,
de esboço, de comentário).
(MARCONI e LAKATOS, p. 52-72)
Exemplo de ficha bibliográfica

Cabeçalho Metodologia científica


Fichamento 1
Referência SEVERINO, A. J. Metodologia do trabalho
bibliográfica científico. 23. ed. São Paulo: Cortez, 2007,
p. 67-77.
Corpo ou texto O autor aborda a importância da
documentação pessoal e apresenta o
fichamento com a utilização de fichas
para...
Indicação da obra Estudantes universitários
Local Biblioteca da Unip (Campus...)
Características da redação acadêmica

Segundo Spina:
 construção correta (respeito às normas gramaticais) –
uso de dicionários, gramáticas – regências;
 propriedade (emprego correto dos termos);
 riqueza (variação no vocabulário);
 clareza – linguagem inteligível;
 concisão
(utilizar o mínimo de palavras, sem prejudicar a clareza);
 medida (naturalidade – uso espontâneo da linguagem);
 seriedade (objetividade).
(SPINA, p. 53-57)
Linguagem científica

Segundo Cervo, Bervian e da Silva:


 impessoalidade (verbo na terceira pessoa) –
o presente trabalho (e não meu trabalho);
 objetividade (não há lugar para impressões subjetivas –
exemplo: “eu penso”);
 precisão (sem ambiguidades) – escolha das palavras;
 cortesia (resultados de outros trabalhos) e modéstia – “sua
finalidade é expressar, e não impressionar” (CERVO, p. 110);
 linguagem informativa (transmissão de conhecimentos)
e técnica (ou seja, nem coloquial, nem literária).
 Clareza – característica primordial – “Para haver clareza de
expressão, é necessário que haja primeiramente clareza de
ideias.” (CERVO, p. 111) – escrever para os leitores.
 Uso do vocabulário comum – sentido próprio, concreto
e objetivo (não usar sentido figurado).
 Uso do vocabulário técnico.
 Frases simples e curtas (exprimir melhor as ideias, facilitar
a compreensão). (CERVO, p. 109 – 113)

 Além disso: coesão textual (estruturas gramaticais – ligar uma


sentença a outra) e coerência (o texto como um todo deve
“fazer sentido” – ser coerente, sem contradições de ideias).
 “Pegue três maçãs, coloque-as sobre a mesa.”
Interatividade

Analise as afirmações.
I. A resenha crítica corresponde apenas ao resumo da obra.
II. A estrutura das fichas é dividida em cinco partes
obrigatórias: cabeçalho, referência bibliográfica,
corpo ou texto, indicação da obra e local.
III. Segundo Spina, a redação acadêmica precisa ter, entre
outras, as seguintes características: respeito às normas
gramaticais, clareza e concisão.
IV. Segundo Cervo, Bervian e da Silva, a linguagem científica
deve ser impessoal, objetiva, precisa, clara, cortês
e modesta.
V. Coesão textual e coerência são características
de um texto científico.
Interatividade

Estão corretas:
a) III e V.
b) I, III e V.
c) I, II e V.
d) III, IV e V.
e) Todas as afirmações.
Estrutura formal de um trabalho científico/acadêmico

 Trabalho científico – “totalidade de inteligibilidade” – estrutura


orgânica – “unidade com sentido intrínseco e autônomo”
– sequência lógica.
(SEVERINO, p. 148)
 Estrutura em três partes: introdução (começo),
desenvolvimento (meio), e conclusão (fim).
 Introdução.
 Atrair a atenção do leitor – importância do trabalho.
 Apresenta as intenções do autor e os objetivos do trabalho.
 Anuncia o tema/assunto (ideia geral), do que se trata.
 Indica o problema, a tese e os procedimentos adotados
(metodologia utilizada – trabalhos extensos: capítulo).
Introdução (continuação)

 Justificação do trabalho (alcance, limites e implicações).


 Esclarecer o leitor – teor da problematização do tema,
como o trabalho será desenvolvido.
 Características: deve ser breve, sintética,
tratar apenas da temática do trabalho.
 Delimitar o tema – problema ou pergunta.
Situá-lo (tempo e espaço).
 Apresenta a estrutura do trabalho, suas divisões e sequência.
 É a última parte a ser escrita.
(SEVERINO, p. 149)
(CERVO, p. 115)
Desenvolvimento

 Corpo do trabalho – parte mais extensa.


 Dividido em partes – equilíbrio das partes – harmonia –
compreensão e clareza.
 Subdivisões do trabalho (não é necessário usar todas):
partes/capítulos/seções/subseções/alíneas/subalíneas.
(CERVO, p. 119)
 Capítulos, seções e subseções – títulos temáticos e
expressivos (relacionados com o conteúdo correspondente).
Não utilizar o termo “desenvolvimento”.
 Não há normas – limites mínimos e máximos de páginas.
Qualidade x quantidade.
Conclusão

 Assim como a introdução, é breve.


 Apresenta uma síntese do trabalho.
 Revê os resultados obtidos que foram apresentados
no desenvolvimento.
 Ponto de vista do autor sobre os resultados obtidos
e seu alcance.
(SEVERINO, p. 150)
 Fecha o trabalho – ponto de chegada.
 Deve ser breve, firme e exata.
 Questões: problema (resolvido?), hipótese (confirmada ou
refutada?), objetivos (alcançados?), metodologia, bibliografia.
(CERVO, p. 124)
Ingressando na pesquisa científica/acadêmica

 Projeto de pesquisa – iniciação científica,


mestrado, doutorado.
Modalidades de trabalhos científicos apresentadas por Severino:
 trabalho científico e monografia;
 trabalhos didáticos;
 TCC – Trabalho de Conclusão de Curso;
 relatório da pesquisa de iniciação científica;
 resenhas e resumos;
 ensaio teórico;
 relatórios técnicos de pesquisa;
 artigos científicos;
 resumos técnicos de trabalhos científicos.
Além disso, na pós-graduação:
 dissertação de mestrado;
 tese de doutorado.
Interatividade

Analise as afirmações.
I. Todo trabalho científico é dividido em três partes:
introdução, desenvolvimento e conclusão,
sendo que a introdução é a parte mais extensa.
II. Na introdução o autor deve despertar o interesse do leitor,
apresentando de forma sintética a temática do trabalho,
seus objetivos e sua estrutura.
III. O desenvolvimento não pode ser dividido em partes
e é obrigatório o uso do termo “desenvolvimento”.
IV. Na conclusão o autor apresenta seu ponto de vista
sobre os resultados obtidos e seu alcance.
V. Entre as várias modalidades de trabalhos científicos,
podemos citar a monografia e os artigos científicos.
Interatividade

Estão corretas:
a) I, II e III.
b) II, IV e V.
c) I, II e V.
d) I, III, IV e V.
e) Todas as afirmações.
Projeto de Pesquisa

 Antecede o trabalho de pesquisa – planejamento, disciplina,


ordem da pesquisa, organização e distribuição do tempo.
(SEVERINO, p. 129)
Estrutura do projeto de pesquisa proposta por Marconi e Lakatos:
 “Apresentação (quem?)
 Objetivo (para quê? para quem?)
 Justificativa (por quê?)
 Objeto (o quê?)
 Metodologia (como? com quê? onde? quando?)
 Embasamento teórico (como?)”
Projeto de Pesquisa – Apresentação

 “Cronograma (quando?)
 Orçamento (com quanto?)
 Instrumentos de pesquisa (como?)
 Bibliografia”
(MARCONI e LAKATOS, p. 103-105)
Apresentação (quem?)
 Capa (nome da instituição; título – mesmo provisório,
sintetiza a pesquisa, expressa o conteúdo temático;
subtítulo – especifica e delimita; responsável – coordenador
da pesquisa/orientador; local – cidade onde se encontra
a instituição; data – ano de apresentação do projeto).
(MARCONI e LAKATOS, p. 105)
Projeto de Pesquisa – Objetivo

Objetivo (para quê? para quem?)


 Tema – assunto específico que será desenvolvido. A partir
de uma dificuldade de trabalho, das preferências, sugestão
do professor/orientador, TCC etc. É o objeto de estudo.
Indicar as motivações.
 Delimitação do tema – estabelecer limites (geográfico – onde,
temporal – quando). Permite o aprofundamento da parte a ser
estudada. Indicar a abordagem (ponto de vista).
 Objetivo geral – propósito da realização da pesquisa.
 Objetivos específicos – aplicar o objetivo geral a situações
particulares. Etapas intermediárias para alcançar o geral.
 Verbos de ação: analisar, demonstrar, identificar etc.
(MARCONI, p. 43 – 44)
Projeto de Pesquisa – Justificativa

Justificativa (por quê?)


 Responde à pergunta “por quê?” – apresenta as razões
para a realização da pesquisa.
Destacar:
 estágio atual da teoria relacionada ao tema – o que já foi feito;
 contribuições teóricas;
 importância do tema (geral e casos particulares);
 sugerir modificações (contexto do tema proposto);
 descoberta de soluções.
 Ressalta a importância da pesquisa –
capacidade de convencer.
(MARCONI e LAKATOS, p. 107)
Projeto de Pesquisa – Objeto

Objeto (o quê?)
 O que será pesquisado? Qual será o objeto da pesquisa?
 Formular o problema de pesquisa.
 Transformar o tema em problema.
 Problema – questão que envolve uma dificuldade
prática ou teórica para a qual buscamos uma solução.
 “A elaboração clara do problema é fruto da revisão
da literatura e da reflexão pessoal.” (CERVO, p. 76)
 Nem sempre o pesquisador chega a uma solução –
possibilita novas pesquisas.
 “[...] é mais importante para o desenvolvimento da ciência
saber formular problemas do que encontrar soluções.”
(CERVO, p. 76)
Problema – questão científica:
expressa uma relação entre duas ou mais variáveis.
Hipóteses
 Resposta provável ao problema de pesquisa.
 Hipótese básica – é a principal.
 Hipóteses secundárias – complementares.
 Características: não contradizer verdades já aceitas; ser
simples; elaborada a partir dos fatos e verificável por eles.
 Hipótese – relaciona duas ou mais variáveis. Comprovação.
 Variáveis – variável é “um valor que pode ser dado a uma
quantidade, qualidade, característica [...] que pode oscilar
em cada caso particular” (FERRARI apud CERVO, p. 78).
Projeto de Pesquisa – Metodologia

Metodologia (como? com quê? onde? quando?)


Método de abordagem (veremos mais adiante):
 método indutivo;
 método dedutivo;
 método hipotético-dedutivo;
 método dialético.
 Método de procedimento: empírico/experimental; histórico –
influência do passado; comparativo – “diferenças e
semelhanças entre diferentes fatos”; monográfico – estudo
profundo – todos os aspectos; funcionalista – funcionalidade
do fato; estruturalista – do fenômeno concreto para o nível
abstrato; estatístico; genealógico – estudo do parentesco.
Técnicas (coleta de dados):
 documentação indireta (pesquisa bibliográfica e documental);
 documentação direta (intensiva ou extensiva).
 Documentação direta intensiva – observação (examinar fatos
que serão estudados); entrevista (conversação face a face).
Documentação direta extensiva:
 “[...] questionário, formulário, testes, medidas de opinião
e de atitudes, análise de conteúdo etc.” (MARCONI, p. 49)
 Delimitar o universo da pesquisa – restringir o grupo
(de pessoas, coisas, fenômenos) que será pesquisado.
(MARCONI e LAKATOS, p. 112)
Interatividade

Analise as afirmações.
I. A estrutura de um projeto de pesquisa é composta
por justificativa, metodologia, fundamentação teórica,
cronograma, bibliografia, entre outros.
II. O tema corresponde ao assunto específico que será
desenvolvido. É preciso delimitá-lo para que haja um
aprofundamento da parte estudada.
III. Na justificativa são apresentadas as razões para
a realização da pesquisa, sendo destacada sua importância.
IV. O pesquisador sempre chegará à solução do problema
de pesquisa proposto.
V. Os métodos indutivo e dedutivo são exemplos
de métodos de procedimento.
Interatividade

Estão corretas:
a) I, II e III.
b) I, II e IV.
c) I, III e V.
d) III, IV e V.
e) Todas as afirmações.
Métodos de abordagem

Método indutivo – verdades particulares para verdades gerais.


Generalização de propriedades comuns a um grupo de casos
estudados. Observar, descobrir a relação, generalizar.
Exemplo:
“Os corpos A, B, C, D atraem o ferro.
Ora, os corpos A, B, C, D são todos ímãs.
Logo, os ímãs atraem o ferro.”
(CERVO, p. 45)
Método dedutivo – Raciocínio do geral para o particular,
do universal para o singular. Exemplo:
 Todo número par é divisível por dois. Ora, o número 100 é par.
Logo, o número 100 é divisível por dois.
Método hipotético-dedutivo – proposto por Popper. Conjecturas
(hipóteses provisórias) são submetidas a testes – eliminar
o erro. Esquema:
P1 (problema) TT (teoria tentativa – solução provisória)
EE (eliminação do erro – testes) P2 (novo problema)
(MARCONI, p. 20)
 Problema – a partir de conflitos entre expectativas e teorias
que já existem.
 Solução provisória – conjectura (nova teoria) –
sujeita a testes.
 Falseamento – refutar. Se a teoria passa pelos testes:
confirmada provisoriamente. Há variações (p. ex. de Bunge).
(MARCONI, p. 20 – 21)
 Método dialético – origem: Grécia antiga (filósofos).
 Dialética = “[...] conflito originado pela contradição
entre princípios teóricos ou fenômenos empíricos.”
 (HOUAISS versão online)
Hegel (filósofo alemão) – três momentos da dialética:
 tese (afirmação considerada verdadeira);
 antítese (negação da tese);
 síntese (resultado da confrontação – nova tese).
Projeto de Pesquisa – Embasamento teórico

Embasamento teórico (como?) – ou Fundamentação teórica


 Antes de elaborar o projeto: pesquisa bibliográfica – textos
teóricos que serão utilizados (outros podem ser
acrescentados no decorrer da pesquisa).
 Contribuem para a justificativa da pesquisa.
 Bases teóricas da pesquisa. Contextualizar a pesquisa.
 Evitar o uso de teorias contraditórias entre si.
 Procurar pesquisas iguais ou semelhantes já feitas.
Citar as suas conclusões.
 Definir os termos/categorias/conceitos que serão utilizados na
análise do objeto da pesquisa (fenômeno estudado). Mesmo
termo pode ter significados diferentes em outras áreas.
Projeto de Pesquisa – Cronograma

Cronograma (quando?)
 Pesquisa dividida em partes – previsão de tempo necessário
para cada uma delas.
 Indicar as várias etapas, inclusive a redação final do trabalho.
 Algumas partes dependem das anteriores. Por exemplo,
a análise dos dados só ocorre depois da sua coleta
e da tabulação (organização dos dados).
 Levar em conta o tempo disponível para a pesquisa.
Administrar bem o tempo.
Projeto de Pesquisa – Orçamento e Instrumentos

Orçamento (com quanto?)


 Por vezes, a pesquisa envolve pesquisadores de campo,
programadores e outras equipes. Além disso, há gastos
com material, especialmente se a pesquisa for realizada
em laboratório ou envolver grande quantidade de
participantes para tratamentos estatísticos.

Instrumentos de pesquisa (como?)


 Indicar os instrumentos relacionados às técnicas
utilizadas para a coleta de dados.
Projeto de Pesquisa – Bibliografia

Bibliografia
 Indicar a bibliografia respeitando as normas da ABNT.
 Esta é uma bibliografia preliminar, que pode ser ampliada
ao longo da pesquisa.
 Livros, artigos, periódicos, anais, publicações,
documentos etc.
Interatividade

Analise as afirmações.
I. Segundo o método hipotético-dedutivo de Popper,
as conjecturas (ou hipóteses) têm de ser submetidas
a testes que buscam refutá-las. Se a teoria passa pelos
testes, ela é confirmada provisoriamente.
II. Na fundamentação teórica são apresentadas
as bases teóricas que serão utilizadas na pesquisa.
III. Todas as partes apresentadas no cronograma
podem ser realizadas ao mesmo tempo.
IV. Todos os projetos de pesquisa devem indicar o orçamento.
V. A bibliografia é indicada segundo as normas da ABNT
e pode ser ampliada no decorrer da pesquisa.
Interatividade

Está(ão) correta(s):
a) I, II e III.
b) I, II e IV.
c) I, II e V.
d) III, IV e V.
e) Todas as afirmações.
ATÉ A PRÓXIMA!