Você está na página 1de 6

AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA

Escola Estadual:
Disciplina: Língua Portuguesa
Professor(a): PIP II/ CBC - FEV 2013

Aluno(a): Nota:
Ano de escolaridade: 6º ano do E.F. Turma: Data:___/___/______

Instruções: Leia atentamente as questões da avaliação e assinale, em cada uma, a resposta correta.
PIP II - CBC

Questão 01 (D0). Leia o texto e responda.


Atraso nos aeroportos
Não chegou a ser um teste para a Copa 2014, mas quem viajou para curtir o Rock in Rio confirma: os aeroportos são
mesmo o calcanhar de Aquiles da infraestrutura brasileira. Antes de encarar as mais de 10 horas diárias de shows,
quem foi para o Rio de Janeiro no fim de semana teve de enfrentar filas e atrasos nos terminais do país. O grande
fluxo para o megaevento repetiu cenas comuns nos feriados de fins de ano. De acordo com a Infraero, o fluxo de
pessoas no saguão dos dois aeroportos da capital fluminense – Galeão e Santos Dumont – teve aumento considerável,
refletindo também nos demais terminais do país. Hoje, o órgão e as companhias aéreas divulgam balanço com o
número total de passageiros que voaram para o Rio de Janeiro desde sexta-feira.
Pedro R. Franco – Estado 26 set.2011.de Minas. P. 7

O que querem dizer os termos destacados em “... número total de passageiros que voaram para o Rio de
Janeiro...”?
A) Pessoas que viajaram para o Rio de Janeiro.
B) Pessoas que viajaram de avião para o Rio de Janeiro.
C) Pessoas que foram para o Rio de Janeiro.
D) Viajantes que foram para o Rio de Janeiro.

Questão 02 (D1). Leia atentamente.

Seus medos parecem reais ou imaginários? Um sinal de alerta


“Sentir medo é um horror profundo, uma coisa que não dá para explicar. Pode ser imaginação ou realidade.”
Assim, o garoto Guilherme Galvão, 8 anos, define o sentimento.
Muitos medos são imaginários, principalmente na infância. “É comum as crianças mais novas terem medo de
monstros, fantasmas e assombrações. À medida que crescem, esses medos somem”, explica a psicoterapeuta Maria
José Moreira, 52 anos.
Camila Possolo, 8 anos, diz que já superou muitos medos. “Quando era menor, eu sentia medo de tantas coisas
de que hoje até dou risada”. (...)
O medo é um sinal de alerta que o cérebro manda para o corpo em situações de perigo. “Esse sentimento está
ligado à preservação da vida. Sua ausência indica falta de cuidado consigo mesmo”, explica a psicóloga Leila Tardivo,
47 anos.
Qual o limite do medo? “O medo passa a ser prejudicial quando atrapalha o desenvolvimento da criança. Aí
requer tratamento”, diz ela.
Paloma Varón da Redação e KátiaCalsavara. Free-Lance para a Folhinha(Folhinha/Folha de São Paulo, 22/09/2001.)

De acordo com esse texto


A) as crianças têm medo de monstros e de fantasmas.
B) ter medo é prejudicial para as crianças mais novas.
C) jovens e adultos não sentem medo de nada.
D) o medo serve para nos ajudar a preservar a vida.
Questão 03 (D2). Leia o texto abaixo.

Paixão Nacional
O futebol é sem dúvida alguma o esporte mais popular do planeta. Não há nenhum outro esporte que esteja tão
divulgado e que seja praticado da mesma maneira ao redor do mundo. O futebol é praticado em todos os países, nos
cinco continentes do globo.
No Brasil, os registros oficiais mostram que o futebol começou a ser praticado em 1894, no estado de São
Paulo, trazido por Charles Miller que, ao retornar da Inglaterra, onde fora estudar, trouxe as primeiras bolas,
uniformes e chuteiras. Em poucos anos, nasceu entre o povo brasileiro a paixão pela bola e a difusão do futebol
ocorreu de forma ampla.
Inicialmente, esse esporte só era praticado por pessoas de classes abastadas, mas a popularização rápida do
futebol em várias regiões fez com que esse esporte começasse a ser praticado pelas camadas mais pobres da
população. Assim, o futebol começou a ser jogado de forma aberta em todas as localidades do Brasil.
Disponível em:http:///recanto das letras.uol.com.br.

O futebol é o esporte mais popular do planeta porque


A) é praticado somente pelas camadas mais pobres da população.
B) é um esporte praticado em todos os continentes do globo.
C) todos os brasileiros gostam de futebol.
D) o futebol foi criado por um inglês de nome Charles Miller.

Questão 04 (D3). Leia.

As campanhas de prevenção contra a dengue promovidas pelo governo nem sempre têm uma resposta positiva por
parte da população. Muitas pessoas são resistentes quanto a tomar atitudes que impeçam a proliferação do mosquito.
Outras há que se acham imunes: depositam lixo em lugares impróprios, armazenam garrafas e materiais que facilitam
o acúmulo de água, mantêm pratinhos com água debaixo de vasos de plantas, não tampam as caixas de água e assim
por diante. O resultado disso, todos nós já sabemos. Só que alguns deixam para tomar uma atitude depois de ficarem
de molho em casa, com fortes dores de cabeça, nos olhos, no estômago, além de poderem até morrer se contraírem a
dengue hemorrágica. Aí será tarde.
Trecho extraído de uma entrevista de rádio.

Pode-se deduzir do texto que


A) a população ignora o perigo que corre com a proliferação da dengue.
B) as campanhas de prevenção promovidas pelo governo são insuficientes para conter a dengue.
C) o combate à dengue deve ser uma preocupação permanente de todos.
D) a dengue hemorrágica resulta em morte se não for tratada em tempo.

Questão 05 (D5). Leia o trecho a seguir.

A garotada sub-20, comandada pelo competente técnico mineiro, Ney Franco, não tomou conhecimento de Portugal,
venceu por 3 a 2 e faturou o Mundial da categoria. Eu não tenho a menor dúvida. Ney Franco é dos melhores
treinadores do país, que só não foi valorizado aqui em Minas.
CARVALHO, Jaeci, jornal Estado de Minas, p.3, 22 de ago. 2011.

Com a expressão “não tomou conhecimento de Portugal”, o autor quis dizer que a garotada sub-20
A) venceu com facilidade o jogo contra Portugal.
B) desconhece onde fica Portugal.
C) foi superior ao time português.
D) venceu o jogo contra o time de Portugal.
Questão 06 (D10). Leia e responda.

Bar será punido por deixar menor consumir álcool


Novo pacote prevê que comércio poderá ser até interditado caso descumpra a lei; projeto ainda vai à
Assembleia. O governador Geraldo Alckmin (PSDB) anuncia hoje um projeto de lei que pretende aumentar a
fiscalização e as sanções a quem vende bebidas alcoólicas para menores de 18 anos.
A iniciativa, que já havia sido adiantada pela Folha em abril, faz parte de um pacote de medidas para combater
o consumo de álcool e drogas em São Paulo – que nos bastidores vem sendo comparado `a lei antifumo implantada
pelo ex-governador José Serra (PSDB).
O projeto de lei, que ainda seguirá para a Assembleia Legislativa, trará uma mudança importante: o dono do
estabelecimento será punido não só pela venda de bebidas alcoólicas para menores, mas também quando o adolescente
estiver consumindo bebida no local.
O estabelecimento poderá, inclusive, ser interditado. Isso facilita a fiscalização. Hoje, para que o dono seja
punido, é preciso que o fiscal flagre o momento da venda. Como o período de consumo é maior, o flagrante acaba
sendo mais fácil.
A fiscalização também será intensificada: ela ficará a cargo dos fiscais da lei antifumo (técnicos do Procon e
da Vigilância Sanitária), que aumentarão de número.
Atualmente, cada município do Estado tem sua legislação específica sobre o assunto. Mas, de acordo com
especialistas, não há fiscalização efetiva dos locais.
TALITA BEDINELLI, de São Paulo

Observado o texto, a opção que apresenta uma frase opinativa é


A) “Mas, de acordo com especialistas, não há fiscalização efetiva nos locais.”
B) ”Hoje, para que o dono seja punido, é preciso que o fiscal flagre o momento da venda.”
C) “A iniciativa, que já havia sido adiantada pela Folha em abril (...).”
D) “O estabelecimento poderá, inclusive, ser interditado. Isso facilita a fiscalização.”

Questão 07 (D6). Leia o texto.

Receita de olhar
Nas primeiras horas da manhã
desamarre o olhar
deixe que se derrame
sobre todas as coisas belas
o mundo é sempre novo
e a terra dança e acorda
em acordes de sol
faça do seu olhar imensa caravela.
(MURRAY, Roseana. Receitas de olhar. São Paulo: FTD,1997.p.44)

O texto acima pertence ao gênero


A) receita poética.
B) receita culinária.
C) receita médica.
D) receita caseira.
Questão 08 (D7). Leia o texto.

A Enchente
As enchentes em São Paulo provocam muitos estragos em casas, pontes e trazem doenças. Muitas famílias ficam sem
casa para morar e a prefeitura é obrigada a oferecer abrigos provisórios, inclusive em escolas, para as famílias
desabrigadas. Em consequência, as aulas são suspensas. As autoridades são acusadas de negligentes porque não
cuidam do saneamento básico: limpeza dos rios, córregos, além da construção de esgotos e sua conservação. Elas
preferem pintar guias de sarjetas, construir praças para agradar o povo e conseguir votos. O povo também tem sua
culpa, pois joga lixo nos rios e esgotos, e espera-se que a educação ajude-as a compreender e a agir sobre esse
problema. As nossas autoridades, no entanto, precisam ser mais responsáveis.Enfim, a enchente é um fenômeno da
natureza, mas é também provocada pelo homem. Não é castigo divino e, portanto, pode ser controlada.
(Antenor A. Gonçalves Filho. Língua Portuguesa e Literatura Brasileira.São Paulo: Cortez, 1990. p.122)

O objetivo desse texto é


A) alertar a população quanto ao perigo das enchentes.
B) questionar a postura das autoridades diante de calamidades públicas.
C) defender a ideia de que enchente não é castigo divino.
D) discorrer sobre as enchentes, e a postura das autoridades e do povo diante delas.

Questão 09 (D8). Observe a tirinha.

www.tirinhasdatina.blogspot.com.br
A respeito da tirinha, é correto afirmar que Tina
A) não entendeu o que a mãe dela quis dizer.
B) ficou em dúvida se obedecia ou não à mãe.
C) atendeu a ordem da mãe e saiu na chuva.
D) deixou o cavalinho tomar chuva e se molhar.

Questão 10 (D11). Leia as frases a seguir.

Realizada uma enquete, alguns jovens assim se expressaram a respeito da pergunta: “Qual a importância do voto
na adolescência?”
Eu já tenho idade para votar. Acho que entendo bem a realidade do Brasil, conheço um pouco de política e já sei o que
todo mundo diz: que meu voto faria diferença. (Josias D’Marco, 16 anos).
Não gosto de política nem de políticos. Eles estão sempre tirando vantagem do povo. Isso é uma vergonha. Então, tirar
o título pra quê? Votar pra quê? (Marilu Silveira, 15 anos).
Político não pensa em jovem. Só faz proposta para atender adulto. Então não faz sentido jovem votar. É melhor
esperar ficar adulto e, então, se tiver candidato, ótimo; se não tiver, anula o voto.
(Ítalo Fortes, 14 anos)

Na frase “Isso é uma vergonha”, a expressão em negrito faz referência


A) à política.
B) aos políticos.
C) à enquete.
D) ao voto.
Questão 11 (D12). Leia o texto.
Dona formiga era boa costureira. Tinha uma filha que não gostava de trabalhar. Mal via a mãe sair, fugia. Seguia para
o mato e, ali, cortava as folhas das árvores. Certo dia, a mãe teve de sair e quis evitar que a filha fugisse. Pegou uma
corda e amarrou-lhe uma ponta na cintura. A outra, prendeu-a ao pé da mesa.
A formiguinha mexeu-se tanto. Pulou e saltou tanto que quase ficou partida ao meio.
A mãe, ao chegar, espantou-se. Viu a filha com a cintura muito fina. Soltou-a cheia de dó. Mal se viu solta, fugiu.
Correu para o mato. Voltou a carregar folhas.
Até hoje, a formiga tem a cintura fina e só vive cortando folhas das árvores. Tudo porque não quis obedecer à mamãe.
Cardoso, Nazir: Leitura intermediária, Conquista, Rio de Janeiro, 1963 ( 4 ed.)

A formiguinha ficou com a cintura fina porque


A) ficou presa ao pé da mesa.
B) cortava folhas das árvores.
C) desobedecia a mãe e fugia de casa.
D)mexeu-se, pulou e saltou muito.

Questão 12 (D15). Leia o texto a seguir.


No começo, a Terra era uma planície nua. Tudo era escuro. Não havia vida nem morte. O sol, a lua e as estrelas
dormiam embaixo da terra. Todos os ancestrais eternos também dormiam, até que eles acordaram de sua própria
eternidade e saíram à superfície.
Quando os ancestrais eternos se levantaram, vagaram pela terra, às vezes sob a forma de animais – como cangurus,
emas, ou lagartos - às vezes com forma humana, às vezes meio animal e meio humano, às vezes meio humano e meio
planta. Gomes, Adilton: Oficinas de Redação, Novo Rumo)
Em “...até que eles acordaram de sua própria eternidade ...” (linha 2), a expressão destacada refere-se
A) ao sol, a lua e as estrelas.
B) aos cangurus, emas, ou lagartos.
C) aos ancestrais eternos.
D) à Terra que era uma planície nua.

Questão 13 (D19). Leia a fábula.

A Fábula do Lobo Traficante


A sociedade dos cordeiros condenou aquele lobo a 20 anos de prisão. Era terrível o seu crime: tráfico de
entorpecentes. Por sua causa, milhares de cordeirinhos destruíram suas vidas. O lobo era o inimigo público n° 1. Vinte
anos depois, apesar desse e de outros lobos traficantes terem sido presos, a sociedade dos cordeiros estava mergulhada
no vício. Era um problema de segurança nacional. Talvez por isso, um repórter resolveu entrevistar aquele lobo, à
saída da penitenciária. Estaria ele arrependido? Teria consciência do que provocara? Sentia-se injustiçado? Afinal, a
sociedade dos cordeiros cumprira, rigorosamente, a Lei. Só que alguma coisa estava errada. Lobos-traficantes eram
presos todos os dias, enquanto aumentava o consumo de tóxico. Qual a opinião de um lobo que pagou 20 anos por um
dos piores crimes contra a humanidade?
- Você quer mesmo saber? - foi logo falando o lobo.
- O problema não se restringe a mim, nem aos que me seguiram nessa profissão. Eu cometi parte do crime, reconheço,
comercializando um produto proibido... - E quem cometeu a outra parte? Indagou o repórter, ele próprio irritado com a
desfaçatez do lobo.
- Ora, a sociedade dos cordeiros! — afirmou o lobo. — Acaso fui eu que provoquei a corrida ao tóxico? Como seria
possível eu me tornar um traficante, se não houvesse procura do meu produto ?
"Isso faz sentido ", pensou o repórter. E arriscou uma outra pergunta:
- Como a sociedade dos cordeiros poderia ter evitado tudo isso ?
- Ora, pergunte a ela, respondeu o lobo. — Mas dificilmente a sociedade dos cordeiros concordará que tem parte dessa
culpa. Para isso, seria necessário que cada cordeiro, em particular, meditasse sobre sua própria vida e o que considera
melhor para o seu rebanho. Mas, você sabe que meditar, refletir, ponderar e se auto-analisar é muito difícil, há tantos
lobos à disposição para assumir todas as culpas.
Quando a entrevista com o lobo-traficante foi publicada, a sociedade dos cordeiros reagiu: os lobos são criminosos
irrecuperáveis, cínicos, arrogantes e diversionistas. Para eles, só mesmo a pena de morte...
(Fernando Portela, in Gazeta do Povo, Curitiba, 1984)
O fato que motiva a história é
A) o tráfico de entorpecentes feito pelo lobo.
B) a corrida ao tóxico pela sociedade dos cordeiros.
C) a entrevista com o lobo-traficante.
D) a pena de morte para o lobo.
Questão 14 (D23). Leia a piada a seguir.

Três moças conversando.


- O idioma francês é o mais interessante e útil – diz uma.
A outra: - Qual nada! Acho que é o idioma inglês.
Uma outra: - Mas o que vem a ser idioma?
- Idioma quer dizer língua.
- É?! Então fiquem sabendo que eu gosto muito é de idioma de vaca com cebolas e batatas.
(Donald Buchweitz, org. Piadas para você morrer de rir. Belo Horizonte: Leitura, 2001. P.180)

Esse texto é engraçado porque uma das interlocutoras


A) gosta do idioma de vaca com cebolas e batatas.
B) não sabe o que é língua.
C) não sabe o que é idioma.
D) confunde língua/idioma com língua/órgão da deglutição e da fala.
Questão 15 (D21). Leia a tirinha.

(Fernando Gonsales, Folha de S. Paulo, 26/9/99)


Os pontos de exclamação em “Pobrezinho!! Meu canário morreu!”, exprimem
A) Espanto.
B) Decepção.
C) Tristeza.
D) Saudade.
Questão 16 (D13). Leia o trecho a seguir.
1

Cadê o meu dono?

”Olá! Fui encontrado nas proximidades do condomínio Jd. Europa, na


estrada Riquiu Suenaga em Mogi das Cruzes. Estou muito carente e
gostaria de encontrar meus verdadeiros donos. Qualquer notícia ligue
para Izildinha ou Geraldo no tel 8665-8603. Obrigado!

(20/09/2011, por adote ja)

“Já fui vermifugado e vacinado!”

O texto relata um apelo e apresenta como locutor e interlocutor, respectivamente


A) Izildinha e leitor do site.
B) cão e o leitor do site.
C) donos do cão e o Geraldo.
D) Riquiu Suenaga e o cão.