Você está na página 1de 4

ROTEIRO PARA LEITURA DO ROMANCE “IRACEMA”, LENDA DO

CEARÁ (1865), JOSÉ DE ALENCAR.

BRASIL, SÉC. XVI, TERRAS DO CEARÁ, INTERIOR, SERTÃO DO


IPU / SERRA DA IBIAPABA:

TRIBO TABAJARA (senhores da aldeia): aliada dos franceses; inimiga


dos pitiguaras.

PODER GUERREIRO: chefe IRAPUÃ – tacape – força e comando na


guerra.

PODER RELIGIOSO: Pajé ARAQUÉM (sabedoria, meditação; ritual da


hospitalidade; é o senhor de um bosque onde se realiza o ritual dos sonhos
(para os guerreiros), em que se bebe o licor da jurema, o vinho de Tupã; os
índios acreditam que o pajé tenha o poder de invocar os poderes de Tupã).

IRACEMA: sacerdotisa de Tupã; prometida ao deus Tupã; guardiã do


segredo da jurema; vive sob uma profecia (se tiver contato carnal com um
mortal, morrerá); é amada pelo chefe Irapuã; vive em perfeita integração
com a natureza (o paraíso, o éden); sua grande amiga é a ará, a jandaia.

CAUBI: irmão de Iracema, um caçador, conhecedor de todos os caminhos


na mata; é o senhor dos caminhos.

ANDIRA: irmão do pajé; faz parte do conselho de guerra, é um experiente


guerreiro, revela prudências em suas posições.
BRASIL, SÉC. XVI, LITORAL DO CEARÁ:

TRIBO PITIGUARA / POTIGUARA (senhores do vale, das palmeiras):


tribo aliada aos portugueses; inimiga dos tabajaras.

PODER GUERREIRO: chefe JACAÚNA


POTI (irmão de Jacaúna)

DESCENDENTES do terrível guerreiro JATOBÁ e do velho sábio


BATUIRETÉ / MARANGUAB (o sabedor da guerra, que vive na serra do
Maranguape).

MARTIM SOARES MORENO: guerreiro português que vive na aldeira


pitiguara, onde goza de grande prestígio, além da amizade fraternal de
POTI.

ALÉM DO LITORAL, SENTIDO INTERIOR, FICAM AS TERRAS


DOS CAÇADORES, CUJO CHEFE É JAGUARAÇU E TAMBÉM AS
TERRAS DOS PESCADORES, LIDERADOS PELO CHEFE
CAMOROPIM. Esses chefes guerreiros serão aliados dos pitiguaras
contra os franceses e os tabajaras. Martim construirá uma cabana para
viver com Iracema além dessas terras.
 ENCONTRO NA MATA ENTRE MARTIM E IRACEMA: a queda
no jardim edênico; perda da pureza e do elo harmônico com a
natureza.

 MARTIM É RECEBIDO NA CABANA DO PAJÉ: o enviado de


Tupã e as vantagens do código de hospitalidade.

 AS TRANSGRESSÕES DE IRACEMA EM NOME DE SEU


AMOR POR MARTIM / A CONSTRUÇÃO DA HEROÍNA
TRÁGICA.

 O CONFRONTO ENTRE OS PODERES GUERREIRO E


RELIGIOSO EM NOME DA PROTEÇÃO DO HÓSPEDE
ESTRANGEIRO MARTIM.

 AS SITUAÇÕES DE PAIXÃO ENTRE MARTIM E IRACEMA: a


preservação do código cavalheiresco e do caráter heróico de Martim.

 IRACEMA ABANDONA A TRIBO TABAJARA E SUA


CONDIÇÃO DE SACERDOTISA E PARTE AO LADO DE
MARTIM, O ESPOSO BRANCO: as atitudes de Iracema lançaram-
no caminho da dor e do sofrimento.

 IRACEMA (grávida na cabana, distante dos tabajaras, solitária) X


MARTIM (em guerras constantes ao lado de Poti e Jacaúna, contra os
tabajaras).

 IRACEMA, SOZINHA, REENCONTRA-SE COM A NATUREZA


em banhos nas lagoas Mecejana e Porangaba e alegra-se com o
retorno da ará.
 NASCE MOACIR: o primeiro cearense, o fruto da miscigenação, o
filho da dor.

 VISITA DE CAUBI, IRMÃO DE IRACEMA.

 FRAGILIDADE FÍSICA E EMOCIONAL LEVA IRACEMA À


MORTE: solidão, ausência de Martim ou o cumprimento da profecia?

 MARTIM PARTE COM O FILHO MOACIR PARA OUTRAS


TERRAS.

 A PRESENÇA DA ARÁ NO GALHO DA PALMEIRA SOB A


QUAL IRACEMA FOI ENTERRADA ADQUIRE UMA
TONALIDADE LENDÁRIA.