Você está na página 1de 38

INSTITUTO TÉCNICO DE EDUCAÇÃO DE BRASÍLIA

PLANO DE CURSO TÉCNICO DE NÍVEL MÉDIO

TÉCNICO EM SAÚDE BUCAL

1
Brasília-DF/2018
SUMÁRIO

I – APRESENTAÇÃO....................................................................................................3
II – JUSTIFICATIVA PARA OFERTA DO CURSO.........................................................4
III – OBJETIVOS DO CURSO E METODOLOGIA ADOTADA.....................................5
IV – REQUISITOS PARA INGRESSO NO CURSO......................................................7
V – PERFIL PROFISSIONAL DE CONCLUSÃO DO CURSO.....................................9
VI – ORGANIZAÇÃO CURRICULAR E RESPECTIVA MATRIZ, COM DURAÇÃO E
CARGA HORÁRIA DO CURSO..................................................................................12
VII – CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO..............................................................................22
VIII – PROCESSO DE ACOMPANHAMENTO, CONTROLE E AVALIAÇÃO DO
ENSINO E DA APRENDIZAGEM E DO CURSO........................................................24
IX – ESPECIFICAÇÃO DA INFRAESTRUTURA ADEQUADA AO CURSO:
INSTALAÇÕES FÍSICAS, EQUIPAMENTOS, MOBILIÁRIO, RECURSOS
DIDÁTICO-PEDAGÓGICOS, LABORATÓRIO...........................................................26
X – CRITÉRIOS DE CERTIFICAÇÃO DE ESTUDOS E DIPLOMAÇÃO...................28
XI – RELAÇÃO DE PROFESSORES E ESPECIALISTAS, INCLUINDO O DIRETOR,
COM AS RESPECTIVAS HABILITAÇÕES E FUNÇÕES, CONTRATADOS OU A
SEREM CONTRATADOS, ANTES DO INÍCIO DE FUNCIONAMENTO DO CURSO
.....................................................................................................................................29
XII – RELAÇÃO DE PESSOAL TÉCNICO, ADMINISTRATIVO E DE APOIO, COM AS
RESPECTIVAS QUALIFICAÇÕES E FUNÇÕES, CONTRATADOS OU A SEREM
CONTRATADOS, ANTES DO INÍCIO DE FUNCIONAMENTO DO CURSO.............30
XIII – PLANO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO.............................31
XIV – CRITÉRIOS DE APROVEITAMENTO DE ESTUDOS, DE CONHECIMENTO E
DE EXPERIÊNCIAS ANTERIORES...........................................................................35
XV – REFERÊNCIA BIBLIOGRAFICA........................................................................37

2
I – APRESENTAÇÃO

O ITEB-INSTITUTO TÉCNICO DE EDUCACÃO DE BRASÍLIA - EIRELI - ME


foi criado em 05 de dezembro de 2003. Endereço Virtual www.itebdf.com.br.
O ITEB apresenta unidades de ensino que compõem a sua rede educacional
e estão localizadas nos seguintes endereços:
1. ITEB Instituto Técnico de Educação de Brasília – Asa Sul – SHIGS QD 702
CONJUNTO C PARTE, S/N, SALAS 303 A 307, CEP 70330-730, Brasília-DF.
Telefone: 3032-1625 e CGC/CNPJ 06.094.967/0001-66.
2. ITEB Instituto Técnico de Educação de Brasília – Sobradinho II – AR 19
CONJUNTO 02 LOTE 08 LOJA 01, S/N, Térreo, CEP 73063-002. Telefone: 3485-
1515 e CGC/CNPJ 06.094.967/0003-28.
3. ITEB Instituto Técnico de Educação de Brasília – Ceilândia Norte – QNN 31 Lotes
I/J, CEP 72225-310. Telefone: 3032-1625 e CGC/CNPJ 06.094.967/0005-90.
As atividades pedagógicas do ITEB Instituto Técnico de Educação de Brasília,
tiveram início em 31 de janeiro de 2006, estando apto a atender aos estudantes da
educação profissional técnica de nível médio, área de saúde, habilitação profissional
de Técnico em Saúde Bucal.
A rede educacional do ITEB Instituto Técnico de Educação de Brasília
pretende oferecer a formação e o desenvolvimento dos recursos humanos a partir de
atividades desenvolvidas para educação profissional técnica de nível médio,
valorizando os princípios de humanização, contribuindo para o desenvolvimento da
cidadania, da ética, do respeito e da preocupação com a sua comunidade. Além
disso, na área da saúde, considerando o eixo tecnológico: ambiente e saúde
funcionam como mecanismos que permitam a efetiva qualificação, valorização,
satisfação e integração do estudante durante o seu relacionamento com os
profissionais e instituições no processo do estágio, e quando vão ao mercado de
trabalho.
O ITEB Instituto Técnico de Educação de Brasília até a presente data já
formou cerca de 1.116 estudantes.
O plano de curso de técnico de nível médio de Técnico em Saúde Bucal
atenderá a unidade Ceilândia Norte, acima referenciada.

3
II – JUSTIFICATIVA PARA OFERTA DO CURSO

O ITEB Instituto Técnico de Educação de Brasília ofertará um ensino de


qualidade, para atender às necessidades de um mercado cada vez mais exigente de
profissionais qualificados para o desempenho de suas funções.
O ITEB Instituto Técnico de Educação de Brasília vem se integrar a rede de
Educação Profissional Técnica, buscando atender a diversidade desta oferta nas
Regiões Administrativas do Distrito Federal, com uma proposta educativa de alta
qualidade.
Certamente há muitas escolas que oferecem o curso de Técnico em Saúde
Bucal, mas hoje a população brasileira tem uma grande consciência sobre a escolha
da qualidade de produtos e serviços que deseja adquirir. A concorrência hoje, em
qualquer setor do mercado, é muito benéfica para os clientes e ela não se dá apenas
por uma nova oferta do produto ou do serviço, mas pela apresentação de um
diferencial que venha contribuir para a melhoria da qualidade, da modernização
tecnológica e das facilidades de acesso da população.
Portanto, a grande demanda por técnicos em Saúde Bucal no Distrito Federal
e Entorno justifica a oferta do curso na Região Administrativa de Ceilândia Norte e
impulsiona cada vez mais a procura pelo Curso de Técnico em Saúde Bucal do ITEB
Instituto Técnico de Educação de Brasília.

4
III – OBJETIVOS DO CURSO E METODOLOGIA ADOTADA

1. Objetivo Geral:

Oferecer ensino de qualidade, que promova a integração do conhecimento


teórico com o conhecimento prático, sempre preocupado com a realidade
sociocultural dos usuários, mantendo um atendimento humanizado e profissional.

2. Objetivos Específicos:

2.1. Implantar metodologicamente uma abordagem multidisciplinar como forma de


desenvolver o conhecimento;
2.2. Desenvolver ações de participação dos estudantes nos processos de ensino e
aprendizagem;
2.3. Promover a integração das atividades escolares com estabelecimentos públicos
e privados de atendimento à saúde;
2.4. Intercambiar experiências com outras instituições educativas;
2.5. Incentivar a discussão e análise crítica tanto na teoria quanto na prática;
2.6. Relacionar-se com a comunidade para atualização das necessidades na área de
saúde, trabalhando aspectos evidenciados e dar retorno em forma de serviços como
contribuição social;
2.7. Promover ações de orientação e preparo do paciente para exames;
2.8. Colaborar com o atendimento das necessidades de saúde dos pacientes e
comunidade, em todas as faixas etárias;
2.9. Prestar assistência de saúde bucal a pacientes clínicos e cirúrgicos.

3. Metodologia

Para atingir os objetivos propostos, será adotado os seguintes métodos:


3.1. Método de exposição pelo professor: o professor utilizará recurso audiovisual
(datashow) para ilustrar suas apresentações e favorecer a otimização do tempo,
tendo em vista que os estudantes não precisarão copiar conteúdos durante todo o
tempo de aula, podendo se ater em anotações de dúvidas sobre o conteúdo

5
abordado. A utilização de televisores e computadores será empregada como meio
atualizado para favorecer o conhecimento.
3.2. Método de trabalho independente: os estudantes desenvolverão tarefas dirigidas
e orientadas pelo professor ex: estudo dirigido ou leitura orientada, investigação e
solução de problemas, sínteses preparatórias ou de elaboração posterior à aula.
3.3. Método de elaboração conjunta: durante as aulas, o professor favorecerá
momento de análise de conteúdo por meio de conversação didática sobre o tema,
perguntas instigadoras de discussão e de buscas de novos olhares para a questão
em estudo.
3.4. Método de trabalho em grupo: os estudantes em cooperação desenvolverão
tarefas propostas pelo professor, os resultados serão apresentados em sala de aula
e por meio de material impresso.

6
IV – REQUISITOS PARA INGRESSO NO CURSO

Para o ingresso nos cursos técnicos da rede educacional do ITEB Instituto


Técnico de Educação de Brasília são requisitos mínimos e necessários:
1. Pedido de matrícula feito em formulário de requerimento próprio, assinado pelo
estudante, quando maior de idade ou seu responsável, quando menor;
2. Documento comprobatório do término do curso do ensino médio (diploma ou
certificado de conclusão);
3. Declaração de estar cursando o ensino médio (2ª série), quando for o caso e ter
no mínimo 16 anos completo;
4. Cópia da carteira de identidade;
5. Cópia do CPF;
6. Cópia do título de eleitor, quando for o caso;
7. Cópia do documento militar para o sexo masculino;
8. Cópia do histórico escolar;
9. 3 (três) fotos, 3X4 recente.
No ato da matrícula, a apresentação dos documentos originais juntamente
com as cópias, se faz necessário, para simples conferência.
No ato da matrícula o estudante ou o seu responsável legal responsabiliza-se
pela aceitação das normas regimentais após conhecimento das mesmas, respeitada
a legislação em vigor.
O estudante egresso do curso de qualificação profissional de Auxiliar de
Saúde Bucal com o respectivo ensino médio, bem como os profissionais que
concluíram os cursos de graduação deste itinerário formativo que obteve o
aproveitamento de estudos autorizado pelo ITEB Instituto Técnico de Educação de
Brasília deverá apresentar a seguinte documentação para a matrícula no curso
técnico:
1. Comprovante de idade mínima para ingresso no curso: 18 (dezoito) anos;
2. Documento comprobatório de conclusão do ensino médio ou do curso superior,
conforme o caso.
3. Cópia da carteira de identidade;
4. Cópia do CPF;
5. Cópia do título de eleitor;
6. Cópia do documento militar para o sexo masculino;
7
7. Cópia do diploma do curso superior com o respectivo histórico escolar;
8. 3 (três) fotos, 3X4 recente.
9. Cópia do Certificado e do Histórico de conclusão do curso de Auxiliar de Saúde
Bucal;

8
V – PERFIL PROFISSIONAL DE CONCLUSÃO DO CURSO

Para atender às exigências educacionais demandadas pelo mercado de


trabalho, os profissionais do curso de técnico de nível médio de Técnico em Saúde
Bucal deverão receber uma formação ampla, constituída de competências gerais e
específicas que lhes permitam acompanhar as mudanças e progressos na área da
saúde e considerando o eixo tecnológico: Ambiente e saúde.
O profissional formado na rede educacional do ITEB Instituto Técnico de
Educação de Brasília deverá apresentar habilidades e competências para
desenvolver ações de prevenção, recuperação e reabilitação referenciadas nas
necessidades de saúde individuais e coletivas determinadas pelo processo de saúde
e doença.
Além dos aspectos técnicos, o curso oferecerá ao estudante oportunidades de
aprendizagem para o desenvolvimento de um perfil profissional adequado, tais
como: relacionamento interpessoal, iniciativa, flexibilidade, senso de observação
acurada, capacidade autogestão, abstração e raciocínio lógico.
Haverá uma etapa com terminalidade de qualificação profissional técnica –
saída intermediária, com a certificação de Auxiliar em Saúde Bucal, conforme
definida na Classificação Brasileira de Ocupações – CBO, sob o código CBO-3224-
15. Ao concluir com aproveitamento esta etapa, o estudante será capaz de: Planejar
o trabalho técnico-odontológico em consultórios, clínicas, laboratórios de prótese e
em órgãos públicos de saúde. Prevenir doença bucal participando de programas de
promoção à saúde, projetos educativos e de orientação de higiene bucal.
Confeccionar e reparar próteses dentárias humanas, animais e artísticas. Executar
procedimentos odontológicos sob supervisão do cirurgião dentista. Administrar
pessoal e recursos financeiros e materiais. Mobilizar capacidades de comunicação
em palestras, orientações e discussões técnicas. As atividades são exercidas
conforme normas e procedimentos técnicos e de biossegurança.
Conforme previsto no Catálogo Nacional de Cursos Técnicos, ao concluir com
aproveitamento o curso de técnico de nível médio de Técnico em Saúde Bucal do
eixo tecnológico Ambiente e Saúde, o estudante será capaz de: Promover a
prevenção e o controle de doenças bucais. Desenvolver programas educativos e de
saúde bucal. Realizar estudos epidemiológicos em saúde bucal. Desenvolver
atividades clínicas voltadas para o restabelecimento da saúde, estética e função
9
mastigatória do indivíduo. Realizar, sob supervisão do Cirurgião-Dentista, tomadas
radiográficas de uso odontológico. Processar filme radiográfico. Controlar estoques.
Supervisionar a manutenção dos equipamentos. Instrumentar o cirurgião-dentista.

As competências gerais do Técnico em Saúde Bucal, dentre outras, são:

1. Reconhecer, como paradigma que respalda o planejamento da ação profissional,


o ser humano integral, os condicionantes e determinantes do processo saúde e
doença, os princípios éticos, as normas do exercício profissional, a qualidade no
atendimento, a preservação do meio ambiente e o compromisso social com a
comunidade;
2. Conhecer a estrutura e a organização do sistema de saúde do Distrito Federal, de
modo a identificar as diversas formas de trabalho e suas possibilidades de atuação
profissional;
3. Colocar em prática a legislação referente aos direitos do usuário dos serviços de
saúde, utilizando-a como um dos balizadores na realização do seu trabalho;
4. Registrar ocorrências e serviços realizados, inclusive utilizando ferramentas de
informática, com a finalidade de facilitar a prestação de informações ao
cliente/paciente, a outros profissionais e ao sistema de saúde;
5. Identificar os riscos físicos, químicos, biológicos e psicológicos que caracterizam o
trabalho nesta área, com vistas à sua própria saúde e segurança.

As competências específicas do Técnico em Saúde Bucal, dentre outras, são:

1. Participar do treinamento e capacitação de auxiliar de saúde bucal e de agentes


multiplicadores das ações de promoção à saúde;
2. Participar das ações educativas atuando na promoção da saúde e na prevenção
das doenças bucais;
3. Participar na realização de levantamentos e estudos epidemiológicos exceto na
categoria de examinador;
4. Ensinar técnicas de higiene bucal e realizar prevenção das doenças bucais por
meio da aplicação tópica do flúor, conforme orientação do cirurgião dentista;
5. Fazer a remoção do biofilme, de acordo com a indicação técnica definida pelo
cirurgião dentista;
10
6. Supervisionar sob delegação do cirurgião dentista, o trabalho dos auxiliares de
saúde bucal;
7. Realizar fotografias e tomadas de uso odontológicos exclusivamente em
consultórios ou clínicas odontológicas;
8. Inserir e distribuir no preparo cavitário materiais odontológicos na restauração
dentária direta, vedado o uso de materiais e instrumentos não indicados pelos
cirurgiões dentistas;
9. Proceder a limpeza e a antissepsia do campo operatório, antes e após ato
cirúrgicos, inclusive em ambientes hospitalares;
10. Remover suturas;
11. Aplicar medidas de biossegurança no armazenamento, manuseio e descarte de
produtos e resíduos odontológicos;
12. Realizar isolamento do campo operatório e exercer todas as competências no
âmbito hospitalar, bem como instrumentar o cirurgião dentista em âmbitos clínicos e
hospitalares.

11
VI – ORGANIZAÇÃO CURRICULAR E RESPECTIVA MATRIZ, COM DURAÇÃO E
CARGA HORÁRIA DO CURSO

O ITEB Instituto Técnico de Educação de Brasília em consonância com sua


Proposta Pedagógica ofertará o curso técnico de nível médio de Técnico em Saúde
Bucal do eixo tecnológico Ambiente e Saúde, na modalidade presencial, nas formas
concomitante e subsequente, nos turnos diurno e noturno, de segunda-feira à sexta-
feira e com turmas específicas para o final de semana (sábado e domingo),
estruturado em 3 (três) módulos semestrais, contendo uma etapa com terminalidade
de qualificação profissional técnica – saída intermediária, com certificação de Auxiliar
em Saúde Bucal, acrescido do Estágio Profissional Supervisionado, conforme as
orientações dispostas na legislação que rege a educação profissional técnica de
nível médio.
O curso técnico de nível médio de Técnico em Saúde Bucal tem a carga
horária total de 1.440 (mil quatrocentas e quarenta) horas, sendo 1.200 (mil e
duzentas) horas referentes aos componentes curriculares teórico-práticos e 240
(duzentas e quarenta) horas relativas às práticas profissionais na forma de Estágio
Profissional Supervisionado, de caráter obrigatório, distribuídas ao final do primeiro
módulo 80 (oitenta) horas, visando a certificação de auxiliar, e do terceiro módulo
160 (cento e sessenta) horas, visando a diplomação de técnico. Os módulos estão
assim organizados:

Módulo I - Componentes Curriculares teórico-práticos:

Este módulo tem carga horária de 480 (quatrocentas e oitenta) horas.


Composto de 7 (sete) componentes curriculares teórico-práticos, dedicados à
formação inicial do estudante. Os componentes curriculares estão organizados de
forma a propiciar ao estudante os conhecimentos básicos introdutórios para a sua
profissionalização: Anatomia Facial e Bucal, Biossegurança Aplicada à Odontologia I,
Introdução à Odontologia, Materiais Dentários, Noções de Anatomia e Fisiologia
Humana, Promoção de Saúde Bucal I e Relações Humanas e Administração.
Neste módulo haverá uma etapa com terminalidade de qualificação
profissional técnica – saída intermediária, com a certificação de Auxiliar em Saúde

12
Bucal, conforme definida na Classificação Brasileira de Ocupações – CBO, sob o
código CBO-3224-15.
A carga horária mínima a ser cumprida na etapa com terminalidade de
qualificação profissional – saída intermediária, para a certificação de Auxiliar em
Saúde Bucal é de 480 (quatrocentas e oitenta) horas, sendo 400 (quatrocentas)
horas referentes aos componentes curriculares teóricos e 80 (oitenta) horas
referentes ao Estágio Profissional Supervisionado I. O estudante que não integralizar
a carga horária descrita em razão de dependência em algum componente curricular
ou não execução do Estágio Profissional Supervisionado I, não terá sua certificação
enquanto não cumprir a dependência.

Módulo II - Componentes Curriculares teórico-práticos/estágio:

Este módulo tem carga horária de 400 (quatrocentas) horas. Composto de 5


(cinco) componentes curriculares voltados para a formação do estudante. Os
componentes curriculares estão organizados de forma a propiciar ao estudante os
conhecimentos em: Biossegurança Aplicada à Odontologia II, Fundamentos em
Odontologia I, Português Instrumental, Promoção de Saúde Bucal II e Radiologia na
Odontologia.

Módulo III - Componentes curriculares profissionais/estágio:

Composto de 3 (três) componentes curriculares profissionais, com carga


horária de 400 (quatrocentas) horas, dedicadas à formação profissional do estudante
e o Estágio Profissional Supervisionado II de 160 (cento e sessenta) horas, a ser
executado a partir do término do Módulo I. Os componentes curriculares estão
organizados de forma a propiciar ao estudante os conhecimentos em: Fundamentos
em Odontologia II, Metodologia Científica e Saúde Bucal Coletiva.
O horário de funcionamento do ITEB Instituto Técnico de Educação de
Brasília é de 8h às 22:40h, de segunda-feira à sexta-feira e em cada turno haverá 4
(quatro) horas-aula de 60 (sessenta) minutos, excluídos os 10 (dez) minutos de
intervalo em cada turno. O horário do turno matutino é de 8h às 12:10h, do turno
vespertino de 13:50h às 18:00h e do turno noturno é de 18:30h às 22:40h.

13
Haverá ainda, a oferta de turmas nos finais de semana (sábado e domingo),
com oito horas diárias por turma, onde em cada turno haverá 4 (quatro) horas-aula
de 60 (sessenta) minutos, excluído o intervalo de 10 (dez) minutos. O horário do
turno matutino é de 8h às 12:10h e do turno vespertino é de 13:10h às 17:20h.
O curso técnico de nível médio de Técnico em Saúde Bucal apresenta
organização curricular observando as diretrizes curriculares nacionais, os
referenciais teóricos das áreas profissionais, as normas existentes para os cursos
referentes ao perfil profissional de conclusão do curso definido no Catálogo Nacional
de Cursos Técnicos, as descrições constantes na Classificação Brasileira de
Ocupações – CBO, a consolidação das normas para procedimento de registro
profissional nos seus respectivos conselhos profissionais, bem como, as resoluções
e pareceres do Conselho Nacional de Educação e do Conselho de Educação do
Distrito Federal.
O período letivo e a duração do curso técnico de nível médio de Técnico em
Saúde Bucal estão definidos na sua respectiva matriz curricular, sendo executada ao
longo do ano civil. Os módulos possuem periodicidade própria, conforme durações
previstas. O módulo de estudo é concluído quando cumprida na sua totalidade a
carga horária prevista na matriz curricular.
Para a Diplomação de técnico de nível médio de Técnico em Saúde Bucal,
será exigida a integralização da CARGA HORÁRIA TOTAL DO CURSO de 1.440 (mil
quatrocentas e quarenta) horas, conforme consta na matriz curricular.
Para a organização curricular na prática do ensino, o agrupamento de
estudantes será feito por turmas, de acordo com os módulos, a relação adequada
entre o número de estudantes e o Professor, a carga horária e as condições físicas
da escola, considerando as normatizações previstas na legislação vigente.

14
Mantenedora: ITEB-INSTITUTO TECNICO DE EDUCACAO DE BRASILIA - EIRELI – ME
Instituição Educacional: ITEB Instituto Técnico de Educação de Brasília – Ceilândia Norte
Modalidade: Educação Profissional Técnica de Nível Médio, presencial.
Curso: Técnico de nível médio de TÉCNICO EM SAÚDE BUCAL Eixo Tecnológico: Ambiente e Saúde
Forma da oferta: Concomitante e Subsequente Regime de Matrícula: Modular Semestral

15
MÓDULOS COMPONENTES CURRICULARES HORAS

Anatomia Facial e Bucal 120

Biossegurança Aplicada à Odontologia I 32

Introdução à Odontologia 28

Materiais Dentários 80

Noções de Anatomia e Fisiologia Humana 60


I Promoção de Saúde Bucal I 48

Relações Humanas e Administração 32

Estágio Profissional Supervisionado I 80

CARGA HORÁRIA DO MÓDULO I


480
Qualificação Profissional de Auxiliar em Saúde Bucal

Biossegurança Aplicada à Odontologia II 100

Fundamentos em Odontologia I 116

Português Instrumental 32
II
Promoção de Saúde Bucal II 120

Radiologia na Odontologia 32

CARGA HORÁRIA DO MÓDULO II 400

Fundamentos em Odontologia II 180

Metodologia Científica 100

III Saúde Bucal Coletiva 120

Estágio Profissional Supervisionado II 160

CARGA HORÁRIA DO MÓDULO III 560

CARGA HORÁRIA DOS COMPONENTES CURRICULARES DOS MÓDULOS (I+II+III) 1.200

ESTÁGIO PROFISSIONAL SUPERVISIONADO (Auxiliar 80h +160h = Técnico) 240

CARGA HORÁRIA TOTAL DO CURSO 1.440


1. Ao concluir com aproveitamento a CARGA HORÁRIA TOTAL DO CURSO (1.440h), e comprovada a conclusão do Ensino
Médio, o estudante fará jus ao diploma de técnico de nível médio de TÉCNICO EM SAÚDE BUCAL. Haverá uma etapa com
terminalidade de qualificação profissional técnica – saída intermediária, ao concluir o Módulo I (400h) e o Estágio Profissional
Supervisionado I (80h), com certificação de Auxiliar em Saúde Bucal. 2. Funcionamento: Matutino, Vespertino e Noturno (4
aulas de 60 minutos, respectivamente, 8h às 12:10H, 13:50h às 18h e 18:30h às 22:40h) excluído o intervalo de 10 minutos.
3. Aulas para as turmas de final de semana, sábado e domingo: 4 horas-aula de 60 min., respectivamente, 8h às 12:10h;
13:10h às 17:20h, excluído o intervalo de 10 min.

Ementa:

Anatomia Facial e Bucal (120h)

16
Conteúdo Programático: Noção da anatomia humana; Noções de Fisiologia;
Noções de embriologia; Noção Microbiologia; Ontogênese e cronologia de erupção
dentária; Anatomia externa dos dentes; Anatomia interna dos dentes;
Características grupos dentários; Classificação de Black e nova classificação de
cavidades; Escultura (cera).
Referências Bibliográficas:
ROBINSON, DS. BIRD, DL. Fundamentos em Odontologia para TSB e ASB. 10ª Ed.
Rio de Janeiro: Elsevier. 2013. 864 p.
LOBAS, CFS. RITA, MM. DUARTE, S. ROMERO, M. ORTEGA, KL. Técnico em Saúde
Bucal e Auxiliar em Saúde Bucal. Odontologia de Qualidade. 2ª Ed. São Paulo: Santos,
2006. 440 p.
BORGES, LC. ASB e TSB: Formação e Prática da Equipe Auxiliar. 1ª Ed. Rio de
Janeiro: Elsevier. 2014. 496 p.

Biossegurança Aplicada à Odontologia I (32h)


Conteúdo Programático: Uso de EPI; Esterilização\Desinfecção\ assepsia; Limpeza
dos equipamentos e do ambiente de trabalho; Biossegurança no armazenamento,
transporte, manuseio e descarte de produtos e serviço de saúde bucal; Lavagem
das mãos; Noções de como proceder em caso de acidentes com contaminação;
Calçar as luvas corretamente; Descontaminação dos materiais.
Referências Bibliográficas:
ROBINSON, DS. BIRD, DL. Fundamentos em Odontologia para TSB e ASB. 10ª Ed.
Rio de Janeiro: Elsevier. 2013. 864 p.
LOBAS, CFS. RITA, MM. DUARTE, S. ROMERO, M. ORTEGA, KL. Técnico em Saúde
Bucal e Auxiliar em Saúde Bucal. Odontologia de Qualidade. 2ª Ed. São Paulo: Santos,
2006. 440 p.
BORGES, LC. ASB e TSB: Formação e Prática da Equipe Auxiliar. 1ª Ed. Rio de
Janeiro: Elsevier. 2014. 496 p.

Introdução à Odontologia (28)


Conteúdo programático: História da odontologia e seu desenvolvimento;
Características da profissão; Legislação; Noção de direito do trabalho; Código de
ética; Especialidades dos cirurgiões dentistas; Atribuições legais aos auxiliares de
saúde bucal e técnico de saúde bucal.
Referências Bibliográficas:
ROBINSON, DS. BIRD, DL. Fundamentos em Odontologia para TSB e ASB. 10ª Ed.
Rio de Janeiro: Elsevier. 2013. 864 p.
LOBAS, CFS. RITA, MM. DUARTE, S. ROMERO, M. ORTEGA, KL. Técnico em Saúde
Bucal e Auxiliar em Saúde Bucal. Odontologia de Qualidade. 2ª Ed. São Paulo: Santos,
2006. 440 p.
BORGES, LC. ASB e TSB: Formação e Prática da Equipe Auxiliar. 1ª Ed. Rio de
Janeiro: Elsevier. 2014. 496 p.

Materiais Dentários (80h)


Conteúdo Programático: Conceito dos materiais, características, propriedades,
formas utilizações, formas de apresentação comercial e etc; Resina; Amalgama;
17
Gesso; Adesivo; Ácidos; Bicarbonato; Brocas; Gluconato de clorhexidina; Ionômero
de vidro; Hidróxido de cálcio; Alginato; IRM; Moldeiras; Resinas acrílicas;
Paramonoclorofenol canorado; Formocresol; MTA; Silicone de condensação;
Anestésico; Pasta zinco enólica; Cimentos (cimentação / endodôntico); Fixador /
revelador; Flúor; Peroxido de hidrogênio.
Referências Bibliográficas:
ROBINSON, DS. BIRD, DL. Fundamentos em Odontologia para TSB e ASB. 10ª Ed.
Rio de Janeiro: Elsevier. 2013. 864 p.
LOBAS, CFS. RITA, MM. DUARTE, S. ROMERO, M. ORTEGA, KL. Técnico em Saúde
Bucal e Auxiliar em Saúde Bucal. Odontologia de Qualidade. 2ª Ed. São Paulo: Santos,
2006. 440 p.
BORGES, LC. ASB e TSB: Formação e Prática da Equipe Auxiliar. 1ª Ed. Rio de
Janeiro: Elsevier. 2014. 496 p.

Noções de Anatomia e Fisiologia Humana (60h)


Conteúdo Programático: História da odontologia e seu desenvolvimento; Anatomia
e fisiologia da cavidade bucal; Músculos da face; Ossos do crânio e da face;
Nervos; Glândulas
Referências Bibliográficas:
ROBINSON, DS. BIRD, DL. Fundamentos em Odontologia para TSB e ASB. 10ª Ed.
Rio de Janeiro: Elsevier. 2013. 864 p.
LOBAS, CFS. RITA, MM. DUARTE, S. ROMERO, M. ORTEGA, KL. Técnico em Saúde
Bucal e Auxiliar em Saúde Bucal. Odontologia de Qualidade. 2ª Ed. São Paulo: Santos,
2006. 440 p.
BORGES, LC. ASB e TSB: Formação e Prática da Equipe Auxiliar. 1ª Ed. Rio de
Janeiro: Elsevier. 2014. 496 p.

Promoção de Saúde Bucal I (48h)


Conteúdo Programático: Noção de cárie; Noção de gengivite; Noção de
periodontite; Noção de edentulismo; Noção de mau hálito; Noção de fluorose;
Higiene dental métodos e técnicas; Métodos e técnicas de escovação bucal;
Prevenção e controle das doenças bucais.
Referências Bibliográficas:
ROBINSON, DS. BIRD, DL. Fundamentos em Odontologia para TSB e ASB. 10ª Ed.
Rio de Janeiro: Elsevier. 2013. 864 p.
LOBAS, CFS. RITA, MM. DUARTE, S. ROMERO, M. ORTEGA, KL. Técnico em Saúde
Bucal e Auxiliar em Saúde Bucal. Odontologia de Qualidade. 2ª Ed. São Paulo:
Santos, 2006. 440 p.
BORGES, LC. ASB e TSB: Formação e Prática da Equipe Auxiliar. 1ª Ed. Rio de
Janeiro: Elsevier. 2014. 496 p.

Relações Humanas e Administração (32h)


Conteúdo Programático: Noções de boas maneiras e apresentação pessoal;

18
Marketing e relações interpessoais; Recepção do paciente; Prepara o paciente
para o atendimento; Agendamento de consultas; Atendimento ao telefone; Controle
do material (compra, reposição, validade); Preenchimento e organização de fichas
clínicas, guias e arquivos; Ergonomia; Otimizar o tempo; Auxiliar e instrumentar os
profissionais nas intervenções clínicas, inclusive em ambientes hospitalares;
Odontograma; Relação com o paciente – acolhimento; Noção de psicologia;
Anamnese e exames clínicos.
Referências Bibliográficas:
ROBINSON, DS. BIRD, DL. Fundamentos em Odontologia para TSB e ASB. 10ª Ed.
Rio de Janeiro: Elsevier. 2013. 864 p.
LOBAS, CFS. RITA, MM. DUARTE, S. ROMERO, M. ORTEGA, KL. Técnico em Saúde
Bucal e Auxiliar em Saúde Bucal. Odontologia de Qualidade. 2ª Ed. São Paulo: Santos,
2006. 440 p.
BORGES, LC. ASB e TSB: Formação e Prática da Equipe Auxiliar. 1ª Ed. Rio de
Janeiro: Elsevier. 2014. 496 p.

Biossegurança Aplicada à Odontologia II (100h)


Conteúdo Programático: Noções de doenças comuns (crônicas ou
infectocontagiosas) sua prevenção e influencia na odontologia; Doenças
sexualmente transmitidas; Tuberculose; Gripe; Hanseníase; HIV; Hepatites (A, B, C
e D); Hipertensão; Diabetes; Câncer; Controle de infecção; Vacinas; Patologias
bucais.
Referências Bibliográficas:
ROBINSON, DS. BIRD, DL. Fundamentos em Odontologia para TSB e ASB. 10ª Ed.
Rio de Janeiro: Elsevier. 2013. 864 p.
LOBAS, CFS. RITA, MM. DUARTE, S. ROMERO, M. ORTEGA, KL. Técnico em Saúde
Bucal e Auxiliar em Saúde Bucal. Odontologia de Qualidade. 2ª Ed. São Paulo: Santos,
2006. 440 p.
BORGES, LC. ASB e TSB: Formação e Prática da Equipe Auxiliar. 1ª Ed. Rio de
Janeiro: Elsevier. 2014. 496 p.

Fundamentos em Odontologia I (116h)


Conteúdo Programático: Noção de ortodontia: Montagem de bandejas,
instrumentais; Noção de implantodontia: Montagem de bandejas, instrumentais;
Noção de endodontia: Montagem de bandejas, instrumentais; Noção de
odontopediatria: Montagem de bandejas, instrumentais; Noção de odontogeriatria:
Montagem de bandejas, instrumentais; Noção de prótese: Montagem de bandejas,
instrumentais; Noção de dentística: Montagem de bandejas, instrumentais; Noção
de buco maxilio facial: Montagem de bandejas, instrumentais.
Referências Bibliográficas:
ROBINSON, DS. BIRD, DL. Fundamentos em Odontologia para TSB e ASB. 10ª Ed.
Rio de Janeiro: Elsevier. 2013. 864 p.
LOBAS, CFS. RITA, MM. DUARTE, S. ROMERO, M. ORTEGA, KL. Técnico em Saúde
Bucal e Auxiliar em Saúde Bucal. Odontologia de Qualidade. 2ª Ed. São Paulo: Santos,
2006. 440 p.
BORGES, LC. ASB e TSB: Formação e Prática da Equipe Auxiliar. 1ª Ed. Rio de
Janeiro: Elsevier. 2014. 496 p.

19
Português Instrumental (32h)
Conteúdo Programático: Ortografia; Concordância nominal e verbal; Acentuação
gráfica; Compreensão e interpretação de textos; Redação.
Referências Bibliográficas:
AZEREDO, José C. de. Iniciação à sintaxe do português. 9 ed. Rio de Janeiro:
Zahar. 2000. 172 p.
BECHARA, Evanildo. Moderna gramática portuguesa. 38 ed. Rio de Janeiro:
Lucerna. 2015. 674 p.
CINTRA, L. Felipe Lindley. Nova gramática do português contemporâneo. 6 ed.
Rio de Janeiro: Nova Fronteira. 2013. 800 p.

Promoção de Saúde Bucal II (120h)


Conteúdo Programático: Cárie: Causa, tratamento e prevenção; Gengivite: Causa,
tratamento e prevenção; Periodontite: Causa, tratamento e prevenção;
Edentulismo: Causa, tratamento e prevenção; Mau hálito: Causa, tratamento e
prevenção; Fluorose: Causa, tratamento, prevenção; Higiene dental métodos e
técnicas; Métodos e técnicas de escovação bucal; Prevenção e controle das
doenças bucais; Ortodontia; Periodontia; Implantodontia; Endodontia;
Odontopediatria; Odontogeriatria; Prótese; Dentística; Buco maxilio facial; Facetas;
Coroas; Pinos (fibra de vidro ou metálico fundido); Inlay / Onlay; Extrações;
Restaurações; Confecção de prótese total, prótese parcial pelo cirurgião dentista;
Classificação das más formações dentárias; Clareamento caseiro e de consultório.
Referências Bibliográficas:
ROBINSON, DS. BIRD, DL. Fundamentos em Odontologia para TSB e ASB. 10ª Ed.
Rio de Janeiro: Elsevier. 2013. 864 p.
LOBAS, CFS. RITA, MM. DUARTE, S. ROMERO, M. ORTEGA, KL. Técnico em Saúde
Bucal e Auxiliar em Saúde Bucal. Odontologia de Qualidade. 2ª Ed. São Paulo: Santos,
2006. 440 p.
BORGES, LC. ASB e TSB: Formação e Prática da Equipe Auxiliar. 1ª Ed. Rio de
Janeiro: Elsevier. 2014. 496 p.

Radiologia na Odontologia (32h)


Conteúdo Programático: Importância da radiologia e conceito da radiologia; Física
das radiações e efeitos biológicos das radiações; Aparelho de raios-X;
Processamento radiográfico e imagem radiográfica; Normas de rádio-proteção;
Técnica radiográfica interproximal; Técnica periapical (técnica radiográfica intra-
bucal); Técnica do paralelismo (técnica do cone-longo); Vantagens e desvantagens
da técnica do paralelismo e da técnica Bissetriz; Técnica Bitewing e erros comuns;
Técnica da Bissetriz.
Referências Bibliográficas:
ROBINSON, DS. BIRD, DL. Fundamentos em Odontologia para TSB e ASB. 10ª Ed.
Rio de Janeiro: Elsevier. 2013. 864 p.
LOBAS, CFS. RITA, MM. DUARTE, S. ROMERO, M. ORTEGA, KL. Técnico em Saúde
Bucal e Auxiliar em Saúde Bucal. Odontologia de Qualidade. 2ª Ed. São Paulo: Santos,
2006. 440 p.

20
BORGES, LC. ASB e TSB: Formação e Prática da Equipe Auxiliar. 1ª Ed. Rio de
Janeiro: Elsevier. 2014. 496 p.

Fundamentos em Odontologia II (180h)


Conteúdo Programático: Técnicas de primeiros socorros; Técnicas de aplicação
tópica de flúor; Técnica de realização do isolamento absoluto; Técnicas de
moldagem; Técnicas de vazamentos de moldes e troqueis; Técnicas de remoção
de suturas; Técnicas de aplicação de selantes de cicatrículas e fissuras; Técnicas
de inserção e condensação de materiais restauradores; Técnicas de
fotopolimerização de materiais resinosos; Técnica de cimentação de elementos
protéticos e confecção de provisórios; Técnica de raspagem e polimento supra
gengival.
Referências Bibliográficas:
ROBINSON, DS. BIRD, DL. Fundamentos em Odontologia para TSB e ASB. 10ª Ed.
Rio de Janeiro: Elsevier. 2013. 864 p.
LOBAS, CFS. RITA, MM. DUARTE, S. ROMERO, M. ORTEGA, KL. Técnico em Saúde
Bucal e Auxiliar em Saúde Bucal. Odontologia de Qualidade. 2ª Ed. São Paulo: Santos,
2006. 440 p.
BORGES, LC. ASB e TSB: Formação e Prática da Equipe Auxiliar. 1ª Ed. Rio de
Janeiro: Elsevier. 2014. 496 p.

Metodologia Científica (100h)


Conteúdo Programático: Método científico; Texto científico; Título, introdução,
material e métodos, resultados e discussão; Exercício e escolha dos trabalhos;
Como preparar trabalho escrito, planejamento, estrutura, conteúdo, texto,
ilustrações, disposição, conclusão, o que deve e não deve ser feito; Como preparar
power point slides para apresentações científicas; tipos básicos, fontes, estrutura,
cores, gráficos, figuras, tabelas e exemplos de slides bem elaborados e erros
comumente realizados;
Preparação de apresentações orais e em painel; Como preparar apresentações
orais em encontros científicos; planejamento, definindo objetivos, estrutura,
organização, visual, conclusões; atitude e postura perante a platéia; procedimentos
didáticos mais relevantes e exemplos e erros comumente realizados;
Apresentações orais.
Referências Bibliográficas:
VIEIRA, SONIA / HOSNNE, WILLIAN SAAD ELSEVIER – Campus Metodologia
Científica Para A Área de Saúde - 2ª Ed. 2015
ISKANDAR, JAMIL IBRAHIM, Normas da ABNT comentadas para Trabalhos
Científicos. Revista e Atualizada 6ª Ed.
ROBINSON, DS. BIRD, DL. Fundamentos em Odontologia para TSB e ASB. 10ª Ed.
Rio de Janeiro: Elsevier. 2013. 864 p.
LOBAS, CFS. RITA, MM. DUARTE, S. ROMERO, M. ORTEGA, KL. Técnico em Saúde
Bucal e Auxiliar em Saúde Bucal. Odontologia de Qualidade. 2ª Ed. São Paulo: Santos,
2006. 440 p.
BORGES, LC. ASB e TSB: Formação e Prática da Equipe Auxiliar. 1ª Ed. Rio de
Janeiro: Elsevier. 2014. 496 p.

21
Saúde Bucal Coletiva (120h)
Conteúdo Programático: Conceito de saúde; Níveis de prevenção; Sistema único
de saúde; Situação sanitária brasileira; Educação em saúde; Programa saúde
odontológica; Problemas de saneamento básico e sua importância na promoção de
saúde básica.
Referências Bibliográficas:
ROBINSON, DS. BIRD, DL. Fundamentos em Odontologia para TSB e ASB. 10ª Ed.
Rio de Janeiro: Elsevier. 2013. 864 p.
LOBAS, CFS. RITA, MM. DUARTE, S. ROMERO, M. ORTEGA, KL. Técnico em Saúde
Bucal e Auxiliar em Saúde Bucal. Odontologia de Qualidade. 2ª Ed. São Paulo: Santos,
2006. 440 p.
BORGES, LC. ASB e TSB: Formação e Prática da Equipe Auxiliar. 1ª Ed. Rio de
Janeiro: Elsevier. 2014. 496 p.

VII – CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

22
Na Educação Profissional Técnica de Nível médio, as avaliações do
aproveitamento escolar são realizadas pelo professor, mediante exercícios, testes,
trabalhos individuais, em grupos e demais atividades de cunho pedagógico. Para fins
de uniformidade, as avaliações dos componentes curriculares serão feitas em dois
momentos. Primeiro, na metade do conteúdo trabalhado e o segundo ao final de
cada componente curricular, respeitando a duração de cada componente curricular
dentro do calendário do curso.
As avaliações serão realizadas a critério do (s) professor (es), devendo
ocorrer 2 (duas) avaliações por semestre em cada componente curricular, expressas
por meio de notas, segundo a escala de 0,0 (zero) a 10,0 (dez), sem
arredondamento. A nota final será a média aritmética simples do somatório das notas
obtidas nas duas avaliações mencionadas.
Será considerado APROVADO o estudante que obtiver nota igual ou superior
a 6,0 (seis) no respectivo componente curricular.
Será considerado REPROVADO o estudante que NÃO obtiver nota igual ou
superior a 6,0 (seis) no respectivo componente curricular.
Será considerado APROVADO COM DEPENDÊNCIA o estudante que, após a
recuperação, NÃO obtiver nota igual ou superior a 6,0 (seis) em até 2 (dois)
componentes curriculares.
Somente terá direito a recuperação mediante prova, o estudante que não
obtiver nota mínima em até 3 (três) componentes curriculares por módulo.
A progressão parcial com dependência não se aplica ao estudante retido em
um módulo, em razão da frequência inferior a 75% (setenta e cinco) por cento,
conforme legislação vigente.
A progressão parcial em regime de dependência será desenvolvida nesta
unidade de ensino, na forma da legislação específica. A dependência deve ser
registrada em ata própria e na ficha individual do estudante.
O estudante só será encaminhado ao Estágio Profissional Supervisionado I e
II, mediante a aprovação em todas os componentes curriculares do respectivo
módulo.
A certificação e a diplomação previstas neste plano de curso só poderão ser
efetivadas mediante o cumprimento de todos os componentes curriculares exigidos.
Tem-se como aprovado quanto à assiduidade o estudante com frequência
igual ou superior a 75% do total de horas letivas, de cada módulo.
23
Os resultados da verificação do rendimento escolar e frequência, são
registrados no diário de classe pelo professor, supervisionado pela secretaria e
comunicado ao estudante, se maior, ou seu responsável, mediante instrumento
próprio.

VIII – PROCESSO DE ACOMPANHAMENTO, CONTROLE E AVALIAÇÃO DO


ENSINO E DA APRENDIZAGEM E DO CURSO

24
A comunidade escolar fará avaliação da Instituição de Ensino ao final de cada
módulo, mediante a oferta de formulário pela própria instituição. Após o
preenchimento do formulário, a coordenação pedagógica/ Responsável Técnico fará
a compilação das informações coletadas e enviará à direção pedagógica e direção
executiva para ser tomadas as providências cabíveis, caso sejam identificadas. Essa
avaliação contará com a participação de estudantes (representantes das turmas),
professores e funcionários, que poderão sugerir questões a serem pesquisadas,
bem como conferir as estatísticas apuradas na compilação dos formulários.
A avaliação do rendimento escolar na rede educacional do ITEB Instituto
Técnico de Educação de Brasília para os cursos técnicos caracteriza-se por um
processo de avaliação contínua e cumulativa do desempenho do estudante nas
diversas atividades educativas, prevalecendo os aspectos qualitativos sobre os
quantitativos, levando-se em consideração as diferentes experiências de
aprendizagem, de acordo com os objetivos da instituição.
Considerando a avaliação como um processo amplo e abrangente, resultado
do trabalho pedagógico desenvolvido, tem-se como objetivos:
Diagnosticar a situação de aprendizagem do estudante em relação à
programação curricular prevista e desenvolvida em cada componente curricular e em
cada módulo;
Registrar os progressos do estudante e suas dificuldades;
Possibilitar a auto-avaliação;
Orientar o professor quanto à sua prática educativa;
Subsidiar e fundamentar as decisões e ações da coordenação técnico-
pedagógica;
Orientar as atividades de planejamento e replanejamento dos conteúdos
curriculares.
A avaliação será realizada tendo em vista a construção de competências e
habilidades profissionais, definidas como produto desejável em cada componente
curricular.
Os instrumentos de avaliação serão elaborados pelos professores, sob a
supervisão da coordenação técnico-pedagógica.
As avaliações das atividades realizadas nos laboratórios e estágios terão
critérios específicos.

25
A recuperação final é supervisionada pelo coordenador técnico-pedagógico e
realizada mediante aplicação de prova (s) que são elaboradas pelos professores.
Os critérios de registro de notas, de promoção, de recuperação final e do
aproveitamento e adaptação de estudos seguem as orientações contidas no
regimento escolar da rede educacional do ITEB Instituto Técnico de Educação de
Brasília.

IX – ESPECIFICAÇÃO DA INFRAESTRUTURA ADEQUADA AO CURSO:


INSTALAÇÕES FÍSICAS, EQUIPAMENTOS, MOBILIÁRIO, RECURSOS
DIDÁTICO-PEDAGÓGICOS, LABORATÓRIO

26
A rede educacional do ITEB Instituto Técnico de Educação de Brasília
apresenta o seguinte, em suas unidades:
INSTALAÇÕES:
CEILÂNDIA NORTE
01(uma) sala para secretaria; 01(uma) recepção; 01(uma) sala de direção
pedagógica; 01(uma) sala de coordenação-técnico pedagógica; 01(uma) sala de
professores; 01(um) laboratório (anatomia humana); 01(um) laboratório (bucal);
04(quatro) salas de aula; 01(uma) sala de leitura (acervo específico e atualizado) e
computadores com acesso a internet (programas específicos) e reprografia; 01(um)
WC, com 02(dois) box em cada, feminino e masculino; 01(um) WC para o portador
de necessidades especiais; 01(uma) cantina.

EQUIPAMENTOS:
CEILÂNDIA NORTE
12(doze) computadores; 03(três) impressoras; 03(três) televisores; 02(dois) DvDs;
01(um) telão; 03(três)) datas shows; 02(duas) máquinas copiadoras; 01(uma) central
telefônica; 02(duas) linhas de telefônicas; 05(cinco) aparelhos telefônicos.

MATERIAIS DIDÁTICO-PEDAGÓGICOS:
CEILÂNDIA NORTE
Mapas; Dvds; Livros didáticos; Livros pedagógicos;

SALAS DE LEITURA:
CEILÂNDIA NORTE
Livros para-didáticos; Enciclopédias; Dicionários; Dicionários técnicos; Acesso à
internet; Mesas com cadeiras; Baias de estudos individuais, com cadeiras; Baias de
estudos individuais com computadores.

LABORATÓRIOS:
CEILÂNDIA NORTE
Mapas; Balcão com banquetas; Pia; Cama hospitalar; Cadeira de roda; Carinho de
medicamentos; Material de uso permanente; Material descartável para técnicas em
saúde bucal;Boneco anatômico; Dorso anatômico.

LABORATÓRIO VOLTADO ÀS PRÁTICAS COMUNS (ENFERMAGEM E SAÚDE


BUCAL):
CEILÂNDIA NORTE
Espelhos; Câmara Escura para revelação Raio X; Macromodelos; Vibradores para

27
gesso; Mini incubadora; Amalgamadores; Fotopolimerizadores; Articulador semi-
ajustável; Negatoscópio; Cadeira Odontológica; Aquecedor de água; simuladores
pacientes; Modelos para estudo.

PESSOAL DOCENTE E EQUIPE DA REDE EDUCACIONAL


CEILÂNDIA NORTE
Professores; Diretor (a) pedagógico (a); Secretário (a) escolar; Auxiliar de secretaria;
Coordenador técnico-pedagógico; Diretor (a) administrativo (a); Responsável
financeiro; Serviços especializados e de apoio; Serviço de apoio; Serviço de
contabilidade.

X – CRITÉRIOS DE CERTIFICAÇÃO DE ESTUDOS E DIPLOMAÇÃO

No plano de curso técnico de nível médio de Técnico em Saúde Bucal, haverá


uma etapa com terminalidade de qualificação profissional – saída intermediária.

28
Ao concluir com aproveitamento os componentes curriculares do MÓDULO I,
e o Estágio Profissional Supervisionado I, conforme descrito na ORGANIZAÇÃO
CURRICULAR, o estudante fará jus ao CERTIFICADO de AUXILIAR EM SAÚDE
BUCAL do eixo tecnológico Ambiente e Saúde, conforme definida na Classificação
Brasileira de Ocupações – CBO, sob o código CBO-3224-15.
Ao concluir com aproveitamento a CARGA HORÁRIA TOTAL DO CURSO,
representada por todos os componentes curriculares e o Estágio Profissional
Supervisionado descritos neste Plano de Curso, e comprovada a conclusão do
Ensino Médio, o estudante fará jus ao DIPLOMA de técnico de nível médio de
TÉCNICO EM SAÚDE BUCAL do eixo tecnológico Ambiente e Saúde.
Constará no verso do certificado e do diploma o respectivo histórico escolar.

29
XI – RELAÇÃO DE PROFESSORES E ESPECIALISTAS, INCLUINDO O DIRETOR,
COM AS RESPECTIVAS HABILITAÇÕES E FUNÇÕES, CONTRATADOS OU A
SEREM CONTRATADOS, ANTES DO INÍCIO DE FUNCIONAMENTO DO CURSO

QUADRO DEMONSTRATIVO DE DOCENTES E ESPECIALISTAS – ITEB Instituto Técnico de


Educação de Brasília CEILÂNDIA NORTE
Certificados de Nº de
Estudos (assinalar um Registro,
Formação Instituição X conforme o SIGLA da
Serviço pelo
NOME (CONFORME O Educacional documento Instituição Componentes Curriculares
qual é Observações
COMPLETO DIPLOMA / na qual se apresentado) de Ensino pelos quais é responsável
responsável
CERTIFICADO) formou e DATA
Diploma Certificado que
registrou
Curso de
Pedagogia – Faculdade de Pós-
Givanildo Licenciatura Administraçã Graduação
017/2011 Diretoria
Elias Plena – o, Ciências, x x Diretoria Pedagógica em Gestão e
Facel Pedagógica Orientação
Gonçalves Habilitação em Educação e
Gestão Letras Educacional
Educacional
Curso de
246/2011-
Lucas Odontologia – Universidade
UCB – Coordenador
Barbosa da Título de Católica de x x Coordenador Técnico
09/08/2011 Técnico
Silva Cirurgião Brasília
Dentista
Introdução a Odontologia,
Noções de Anatomia e
Fisiologia Humana,
Biossegurança aplicada à
Odontologia I, Relações
Humanas e Administração,
Promoção de Saúde Bucal
I, Materiais Dentários,
Anatomia Facial e Bucal,
Curso de
Vanessa 965/2013- Português Instrumental,
Odontologia –
Reinaldo Universidade UNB- Radiologia na Odontologia,
Título de x x Professor
Carvalho de de Brasília 20/03/2013 Promoção de Saúde Bucal
Cirurgião
Castro II, Fundamentos em
Dentista
Odontologia I,
Biossegurança aplicada à
Odontologia II,
Fundamentos em
Odontologia II, Saúde
Bucal Coletiva,
Metodologia Científica e o
Estágio Profissional
Supervisionado II.
Introdução a Odontologia,
Noções de Anatomia e
Fisiologia Humana,
Biossegurança aplicada à
Odontologia I, Relações
Humanas e Administração,
Promoção de Saúde Bucal
I, Materiais Dentários,
Anatomia Facial e Bucal,
Curso de 003158-
Português Instrumental,
Julianne Odontologia – Centro 2013
Radiologia na Odontologia,
Castro de Título de Universitário - x x UNIRG- Professor
Promoção de Saúde Bucal
Souza Cirurgião UNIRG 20/02/2013
II, Fundamentos em
Dentista
Odontologia I,
Biossegurança aplicada à
Odontologia II,
Fundamentos em
Odontologia II, Saúde
Bucal Coletiva,
Metodologia Científica e o
Estágio Profissional
Supervisionado II.

30
XII – RELAÇÃO DE PESSOAL TÉCNICO, ADMINISTRATIVO E DE APOIO, COM AS
RESPECTIVAS QUALIFICAÇÕES E FUNÇÕES, CONTRATADOS OU A SEREM
CONTRATADOS, ANTES DO INÍCIO DE FUNCIONAMENTO DO CURSO
QUADRO DEMONSTRATIVO DE PESSOAL TÉCNICO, ADMINISTRATIVO E DE APOIO – ITEB
Instituto Técnico de Educação de Brasília CEILÂNDIA NORTE
Certificados de Estudos Nº de Registro,
Formação
Instituição (assinalar um X conforme o SIGLA da Serviço pelo
NOME (CONFORME O
Educacional na documento apresentado) Instituição de qual é Observações
COMPLETO DIPLOMA /
qual se formou Ensino e DATA responsável
CERTIFICADO) Diploma Certificado
que registrou
Lindimar
Martins de Ensino Técnico em Centro
Secretaria
Almeida Secretariado Integrado X 1782- CIPE
Escolar
Escolar Polivalente

José Pedro dos Centro de


Santos Filho Bacharel no curso Educação 927- IESB –
X Financeiro
de Administração Superior de 16/09/2005
Brasília
Gabrielle
Auxiliar de
Candido Ensino médio EDUCESC X
Coordenação
Amorim
SERVIÇOS GERAIS
Luiz Carlos Ensino médio Serviços
X Serviços Gerais
Silveira Mariani incompleto Gerais

31
XIII – PLANO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO

Conceito de Estágio Profissional Supervisionado:

O Estágio Profissional Supervisionado deste itinerário formativo, de caráter


obrigatório, é a ação prática que tem por objetivo fazer com que o estudante
desenvolva em ambiente real de trabalho as atividades técnico-práticas aprendidas
ao longo do seu curso.
Considera-se Estágio Profissional Supervisionado as atividades programadas,
orientadas e avaliadas, que propiciem ao estudante aprendizagem social,
profissional ou cultural, em atividades vinculadas a sua área de formação.
Justificativa do Estágio Profissional Supervisionado:
O Estágio Profissional Supervisionado é de suma importância ao estudante da
educação profissional, principalmente em se tratando de curso do Eixo Tecnológico
Ambiente e Saúde, pois proporciona ao estudante a oportunidade de atuar em
problemas concretos de sua futura vida profissional.
É in loco onde o estudante tem a oportunidade de refletir, sistematizar e
aplicar os conhecimentos adquiridos em sala de aula.
Objetivo geral do Estágio Profissional Supervisionado:
Consolidar, pela observação e prática exercidas nas unidades de saúde, os
conhecimentos adquiridos no curso.
Objetivos específicos do Estágio Profissional Supervisionado:
Praticar, a teoria aprendida em sala de aula, de forma que haja maior
assimilação dos conteúdos programáticos ministrados;
Proporcionar ao estudante oportunidades de desenvolver suas habilidades,
tornando-o mais seguro na prática profissional;
Avaliar o acerto da escolha profissional e/ou suprir eventuais deficiências na
sua formação;
Antecipar o desenvolvimento de atitude e postura profissional do estudante,
com estímulo ao senso crítico e à criatividade;
Possibilitar ao estudante o desenvolvimento de comportamento ético e
compromisso profissional.

32
Formas de atuação do Estágio Profissional Supervisionado:
O estagiário não deverá executar suas atividades sem o acompanhamento do
supervisor de estágio, função exercida por um dentista, profissional graduado e
habilitado, além de ser inscrito no CRO/DF.
O Dentista supervisor deve acompanhar os estagiários durante toda sua
permanência nas instituições de saúde.
Caso o Dentista supervisor seja funcionário da instituição de saúde onde se
realiza o estágio, a supervisão será exercida fora do seu horário de trabalho.
Cada Dentista supervisor de estágio deverá acompanhar um número máximo
de estudantes, em caso de unidades de atendimento ao paciente em estado grave e
de emergência, o número será reduzido.
O Dentista supervisor deverá garantir o rodízio dos estudantes nas diversas
clínicas.
A carga horária do Estágio Profissional Supervisionado para o técnico de nível
médio de Técnico em Saúde Bucal é de 240 (duzentas e quarenta) horas. O estágio
acontece após a conclusão dos Módulos I e III. O Estágio Profissional
Supervisionado I de 80 (oitenta) horas será feito ao final do módulo I e o Estágio
Profissional Supervisionado II de 160 (cento e sessenta) horas será feito ao final do
módulo III.
A carga horária do Estágio Profissional Supervisionado a ser cumprida na etapa com
terminalidade de qualificação profissional – saída intermediária, para a certificação
de Auxiliar em Saúde Bucal é de 80 (oitenta) horas. A certificação somente será
conferida ao estudante que tenha tido aprovação em todos os componentes
curriculares previstos no Módulo I, não podendo haver certificação caso o estudante
esteja cursando o módulo com dependência de componente curricular.
O Estágio Profissional Supervisionado proporciona ao Técnico em Saúde
Bucal a participação no planejamento e assistência ao indivíduo que necessita de
cuidados especiais para a recuperação da sua saúde, como também, realiza ações
de prevenção e educação na comunidade, vivencia as técnicas e procedimentos
ambulatoriais e hospitalares, assim como desenvolve as habilidades necessárias à
prática efetiva da profissão.

33
AVALIAÇÃO DO ESTÁGIO PROFISSIONAL SUPERVISIONADO:

Avaliação do Estágio Profissional Supervisionado para o Auxiliar em Saúde


Bucal:
A avaliação será realizada com base no desempenho das atividades
desenvolvidas pelo estudante, tomando-se os seguintes aspectos como critérios
para mensuração:
Realização das atividades em consonância com as normas;
Entrega dos trabalhos solicitados nos prazos fixados;
Cumprimento das atividades com assiduidade e pontualidade;
Demonstração de interesse pelas atividades realizadas;
Apresentação do planejamento ao professor orientador;
Domínio do conteúdo;
Aplicação de técnicas e recursos adequados às situações;
Demonstração de equilíbrio no desempenho da função;
Apresentação pessoal adequada.
Para efeito de conclusão do Estágio Profissional Supervisionado é exigida a
frequência às atividades propostas.
A avaliação do estágio será registrada por meio de fichas onde constará a
aprovação ou reprovação do estudante de acordo com a pontuação alcançada, que
pode variar de 0,0 (zero) a 10,0 (dez), considerando todos os aspectos acima
citados.
Será APROVADO no Estágio Profissional Supervisionado o estudante que
atingir a média mínima 6,0 (seis).
Será REPROVADO no Estágio Profissional Supervisionado o estudante que
NÃO atingir a média mínima 6,0 (seis).
O estudante que for reprovado no Estágio Profissional Supervisionado poderá
refazê-lo uma única vez.
O estudante poderá matricular-se no Estágio Profissional Supervisionado até
2 (dois) anos após a conclusão de todos os componentes curriculares expressos
neste plano de curso.
Ao término do estágio, tanto o supervisor como o estudante poderão, caso
queiram, na ficha (nos campos de parecer final e comentários), apresentar suas
observações de análise críticas construtivas do estágio.
34
Local(s) do(s) Estágio(s) Profissional Supervisionado(s):

O ITEB Instituto Técnico de Educação de Brasília ofertará campos de estágio


aos estudantes em instituições de saúde públicas e/ou privadas, com as quais o
ITEB Instituto Técnico de Educação de Brasília possui convênios. Podendo ampliar
seus campos de estágio para sempre oferecer mais opções aos estudantes.
Equipe de supervisão do Estágio Profissional Supervisionado:
A supervisão do estágio é função exercida por um Dentista, profissional
graduado e habilitado, além de ser inscrito no CRO/DF, conforme determina a
legislação vigente.
A coordenação técnica-pedagógica deve acompanhar e avaliar a atuação dos
supervisores do estágio com vistas à contínua melhoria da qualidade do ensino
proposto.

35
XIV – CRITÉRIOS DE APROVEITAMENTO DE ESTUDOS, DE CONHECIMENTO E
DE EXPERIÊNCIAS ANTERIORES

Será admitido o aproveitamento de estudos para profissionais que desejarem


se tornar Técnicos em saúde bucal, que tenham concluído o curso de qualificação
profissional de Auxiliar de Saúde Bucal com o respectivo ensino médio, bem como
aos profissionais que concluíram o curso de graduação.
O estudante que desejar solicitar o aproveitamento de estudos referenciado
deverá fazê-lo mediante requerimento. Após análise do aproveitamento pelo ITEB
Instituto Técnico de Educação de Brasília é que o estudante poderá solicitar a
matrícula nos termos do aproveitamento deferido.
É vedado o aproveitamento de estudos, parcial ou total, para o Estágio Profissional
Supervisionado em qualquer nível.
O aproveitamento de estudos não poderá exceder a carga horária exigida
para a certificação do Auxiliar de Saúde Bucal, prevista na matriz curricular deste
Plano de Curso.
O estudante proveniente de outra escola tem seus estudos aproveitados,
após análise pela coordenação técnica-pedagógica, quando os componentes
curriculares tiverem, em conteúdo e duração, desenvolvimentos idênticos,
equivalentes ou superiores aos dos estudos pretendidos.
O estudante procedente do exterior recebe tratamento especial, conforme
legislação específica, quanto ao aproveitamento e adaptação de estudos.
O estudante que, por experiência profissional ou vivência prática, considerar-
se capacitado em um determinado conteúdo, exceto no Estágio Profissional
Supervisionado, pode requerer aproveitamento de estudos e será submetido a
exame de capacitação no qual deve obter nota igual ou superior a 8,0 (oito) na
escala de notas adotada pela rede Educacional do ITEB Instituto Técnico de
Educação de Brasília.
Cabe à coordenação técnico-pedagógica da rede Educacional do ITEB
Instituto Técnico de Educação de Brasília, analisar os casos específicos de
aproveitamento e de adaptação de estudos, e decidir sobre os mesmos.
O estudante proveniente de outra escola é submetido à adaptação de
estudos, quando a carga horária e os conteúdos programáticos são ausentes ou
insuficientes, propiciando-se, então, os ajustamentos necessários e o
36
acompanhamento do novo currículo, sob a orientação da rede educacional do ITEB
Instituto Técnico de Educação de Brasília.
A adaptação de estudos faz-se em forma de complementação de estudos,
quando se verifica ausência de componentes curriculares que compõem a matriz
curricular aprovada ou quando a carga horária for considerada insuficiente para o
cumprimento da mesma.
A adaptação de estudos é feita mediante aulas regulares e/ou trabalhos,
pesquisas, projetos, conforme cada caso, sendo obedecidos os critérios de
avaliação fixados no regimento escolar da rede educacional do ITEB Instituto
Técnico de Educação de Brasília.
Os pedidos deverão anteceder a matrícula ou início do módulo propiciando
tempo para análise e avaliação, com indicações de eventuais complementações,
cujos resultados serão registrados em livro próprio e arquivados na ficha do
estudante juntamente com a documentação comprobatória do processo.
A Direção designará comissão de professores destinada a avaliar as
competências e emitir parecer conclusivo sobre a dispensa parcial ou total de
componentes curriculares do módulo, valendo-se, para tanto, a análise de
documentos, entrevistas, provas escritas ou práticas ou de outros instrumentos de
avaliação compatíveis.
O aproveitamento de estudos obtidos por meio da qualificação profissional
concluídos, resulta na dispensa parcial ou total de componentes curriculares,
mediante a apresentação do respectivo certificado.
A coordenação técnica/pedagógica elaborará uma grade específica de
componentes curriculares a ser cursados, de acordo com a disponibilidade de
turmas e turnos da instituição de ensino. Os componentes curriculares necessários
para o aproveitamento integral são todos os da matriz curricular.

37
XV – REFERÊNCIA BIBLIOGRAFICA

Lei nº. 9394 de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da


Educação Nacional. Brasília, 1996.
Brasil. Educação Básica. Diretrizes Curriculares. Brasília: MEC, SEB, DICEI, 2013.
FREIRE, Paulo. Educação como prática da liberdade. Rio de Janeiro, Paz e Terra,
2006.
Ministério da Educação. Referenciais Curriculares Nacionais da Educação
Profissional de Nível Técnico. Brasília: MEC, 2000.
PERRENOUD, Philippe. Novas Competências para Ensinar. Porto Alegre: Artes
Médicas, 2000.
Resolução CNE/CEB Nº 4/2012 de 06 de junho de 2012. Nova Versão do Catálogo
Nacional de Cursos Técnicos de Nível Médio.
Resolução CNE/CEB Nº 6/2012 de 20 de setembro de 2012. Define Diretrizes
Curriculares Nacionais para a Educação Profissional Técnica de Nível Médio.
Resolução nº 1/2012 – CEDF (alterada em seus dispositivos pela Resolução nº
1/2014-CEDF).
VASCONCELOS, Celso dos Santos. Planejamento: plano de ensino – aprendizagem
e projeto educativo – elementos metodológicos para elaboração e realização. São
PAULO, 1996.

Brasília – DF, _______/ _____/ _______

___________________________ ___________________________
Diretor Pedagógico Coordenador/ Responsável Técnico
ITEB – Ceilândia Norte ITEB – Ceilândia Norte

38