Você está na página 1de 14

Como

analisar
um desfile
de moda?
A análise de um desfile de moda é um dos principais métodos para se entender muito
mais do que apenas a roupa que está sendo apresentada. Nesse momento, o gosto pessoal
deve ficar de lado e o que deve prevalecer é o entendimento sobre o contexto e a imagem
que a marca está passando. Por isso, a análise de um desfile de moda é um processo que
exige muita observação e atenção aos detalhes.

As perguntas que você deve fazer agora são:


// Como eu faço para entender um desfile?
// O que é importante observar?
// Como é feita a composição dos elementos de um desfile e como eu os identifico?

Nós da UseFashion fazemos essas análises há anos. Com um método próprio, analisamos
cada um dos desfiles das principais Semanas de Moda do mundo.

E, agora, vamos explicar para você o passo a passo de como todas essas análises
acontecem na prática.

Quer entender? Então continue acompanhando esse material.


Com o intuito de exemplificar esse conteúdo, elegemos
para análise o desfile da Maison Margiela, que está sendo
comandado por John Galliano e foi apresentado na temporada
de Verão 2017/18 de Alta-Costura em Paris.
Sabemos que nas Semanas de Moda são apresentados tanto
desfiles conceituais quanto comerciais, assim como aqueles
que são híbridos – mas normalmente todos eles trazem uma
história que é contada na passarela.

Para que você possa fazer uma boa análise de cada


desfile, o primeiro passo é pesquisar um pouco sobre:
// O histórico da marca;
// O que ela já fez;
// Qual o seu DNA e seu público-alvo;
// Qual a identidade do estilista por trás da coleção*
*Isso é importante principalmente se ele já está no comando da marca há
tempo ou se é sua primeira coleção produzida para a marca.

Essas informações farão toda a diferença na hora de


analisar o desfile, sobretudo para entender se a proposta está
coerente com o DNA da marca e conhecer o
que ela está trazendo de novidade.
O segundo passo é analisar as
informações conceituais, como o tema e a
inspiração da coleção, o conceito do desfile
e a imagem de moda que a marca está
passando.

Fique atento a todos os detalhes, desde a


cenografia, o styling, a beleza e até mesmo
a trilha sonora, pois é por meio desse
conjunto de elementos que a marca conta
a sua história nas passarelas.

Vamos, então, exemplificar esse passo com


o desfile da Maison Margiela.
A coleção de John Galliano, nomeada “Artisanal”, tem como temas questões sobre beleza e a
realidade da tecnologia. Em uma era em que tudo deve ser perfeito para ser mostrado pela
cultura da selfie e dos filtros que alteram a realidade, Galliano desfigura seus desenhos, em que a
essência se torna o foco.

Por isso, apostou na verdade das roupas, revelando partes que normalmente não são
mostradas, desestruturando ideias e propostas. As peças parecem escorrer pelos corpos das
modelos.
O cenário e a música também nos situam e nos fazem entender melhor a proposta da coleção.
Com muita criatividade, o estilista
se apropriou do conceito de
filtros para criar uma nova imagem,
explorada ora com arte, ora com
desconstruções e sobreposições.
Os dois looks ao lado se destacam,
fazendo uma relação direta com
essa abordagem do desfile.

O primeiro look lembra o filtro do


Snapchat, já o segundo explora o
trabalho de retrato feito de tule
sobre a alfaiataria (realizado em
parceria com o artista Benjamin
Shine, que considera a ideia de
“pintura com tecidos” a fim de criar
esculturas que se movem para
longe do corpo).
Agora que você já entendeu o conceito de toda a coleção da Maison Margiela, o terceiro passo
é analisar a parte técnica, que inclui silhuetas, materiais, acabamentos e cores – elementos que
também estão alinhados com o tema do desfile e a inspiração da coleção.
Observe, então, os materiais e as estampas utilizados.

No caso da coleção “Artisanal”, tules, materiais transparentes, tecidos de alfaiataria, crochê, entre
outros, exploram a ideia de revelar e esconder, assim como veiculam um certo ar de mistério.
Além dos tecidos, a cartela de cores também é responsável por transmitir a ideia principal do
desfile, aqui dando destaque para preto, bege, vermelho e branco.
As silhuetas e as modelagens são os próximos elementos a ganhar nosso olhar. Observe:
// A maioria das peças é ajustada ou ampla?
// As peças possuem a cintura marcada?
// São volumosas ou longilíneas?

Olhar para tudo isso é essencial para fazer uma boa análise. No desfile da Margiela, podemos
perceber que a silhueta é ora reta e longilínea, ora ampla e volumosa, e, em relação às modelagens,
podemos destacar o trabalho de desconstrução, os comprimentos alongados, as sobreposições de
diversas camadas e os volumes localizados.
E é claro que as peças-chave não podem ficar de fora da análise. Quais são elas? Aqui, casacos
alongados, casacos curtos, vestidos longos, tops e saias integram o mix de produtos.
Depois de ter analisado tudo isso, precisamos observar os detalhamentos, pois muitas
vezes são eles que revelam aspectos substanciais da coleção.
Recortes, bordados, aviamentos, babados, detalhes de costura e até mesmo o viés devem
ser pontuados. Alguns exemplos de detalhamentos desse desfile são recortes, desfiados,
costuras por fazer, mix de materiais e recortes a laser.
Calçados, bolsas e acessórios também fazem parte da narrativa criada pela marca,
principalmente em um desfile poético como o da Maison Margiela, que nos faz pensar nos
padrões e na solidão trazidos pelas redes sociais.

Aqui, Galliano apostou em botas de cano alto com amarrações, tules transparentes sobre
a face com outro rosto bordado, chapéus com recortes e abas grandes, bem como em
corações com pedrarias (que apareceram nos brincos ou foram aplicados nas peças).
Por fim, a beleza - que engloba a maquiagem e o cabelo - completa a composição dos
looks desfilados.
Nessa coleção, a make foi assinada pela renomada Pat McGrath, que entrou em sintonia
com as ideias do estilista. Com um visual surrealista, a marca, de um lado, se apropriou
de fios e cores vibrantes, e, de outro, abordou um visual glossy, com sardas e referências
Ficar atento a todas essas informações não é tarefa
fácil.
Imagine que esse é somente um dos mais de 690
desfiles que acontecem em uma temporada - sendo
que existem duas temporadas por ano!

Além de tempo e conhecimento, um olhar treinado é


essencial na hora de analisar essas coleções, pois é a
partir delas que podem surgir muitas tendências de
moda.
aqui

EU QUERO CRIAR COLEÇÕES ASSERTIVAS E LUCRAR MAIS