Você está na página 1de 7

Breve história do vidro - Parte 1

Origens do vidro

O vidro em seu estado natural existe desde o começo dos tempos, sendo
formado em certos tipos de rocha derretidas como resultado de processos de
alta temperatura tais como erupções vulcânicas, raios ou impacto de
meteoritos e então resfriados e solidificados rapidamente.

http://www.whoi.edu/cms/images/volcanic_glass_78430.jpg

Acredita-se que o homem pré -histórico já utilizava ferramentas feitas de


obsidiana, que era uma espécie de vidro em sua forma primitiva de origem
vulcânica.
http://archaeology.jp/sites/shirataki/sirataki45s.jp
g

De acordo com o historiador Pliny (AD 23-79), mercadores Phoenician ao


transportar pedras, acabaram por descobrir o vidro na região da syria por
volta de 5000 AC.
Pliny conta que os mercadores após acamparem cozinhavam com potes
sobre em blocos de nitrate colocados sobre o fogo. Com o intenso calor do
fogo, os blocos acabaram derretendo e misturando-se com a areia da praia
formando um líquido opaco.
Surgimento do
artesanato
Os primeiros objetos de vidro feitos pelo homem data de 3500AC e
era objetos de vidro não transparente, sendo encontrados no Egito e na
Mesopotâmia, onde os materiais de vidro bruto eram utilizados para produzir
revestimentos em vasos e potes.
A descoberta pode ter sido por coincidência, quando areia calcífera super
aquecida e combinada com carbonato de sódio formou uma cobertura
vítrea colorida sobre a cerâmica.
Mas foram os marinheiros fenícios que espalharam essa nova arte
ao longo das costas do Mediterrâneo. Entretanto, os mais antigos
fragmentos de vasos de vidro datam do século 16 AC, e foram
encontrados na mesopotâmia.
A produção de vidro oco também nessa época estava acontecendo no
Egito e existem evidências de outras atividades com vidro sendo também
desenvolvidas de forma independe na Grécia e na China.
Utilização do vidro na
antiguidade
Depois de 1500AC, artesões egípcios começaram a desenvolver um
método de produção de potes de vidro despejando uma moldura de areia
compactada dentro do vidro fundido de tal forma que a areia aderisse a ele.
Quando ainda mole, o molde coberto por vidro era rolado sobre uma mesa
de laje de pedra, a fim de ser amaciado e decorado.

http://www.egyptiancollectibles.com/acatalog/

Os exemplos mais antigos de trabalhos egípcios em vidro foram 3 vasos que


levaram o nome de faraó Thoutmosis III (1504 -1450 AC), que trouxe artesões
de vidro como prisioneiros para o Egito.

Existe pouca evidência de maiores evoluções na produção do vidro até o


século IX AC, quando o artesanato em vidro reviveu na mesopotâmia.

Nos 500 anos seguintes, a produção de vidro ficou centralizada na


Alexandria de onde depois parece ter se espalhado para a Itália.

Fabricação do vidro

Os primeiros relatos de fabricação manual do vidro datam de 650 AC.


Antes disso o vidro utilizado era obtido apenas em sua forma natural.

Existiam instruções escritas de como produzir vidro na biblioteca do rei


assírio Assurbanipal (669-626 AC).
Processo de sopragem
Um dos maiores avanços na fabricação do vidro surgiu com sopragem,
onde homens sopravam em tubos.
http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/7/7e /Blowpipe_%28PSF%29.jpg/400px -Blowpipe_%28PSF

A técnica de sopragem foi descoberta em alguma época entre 27 AC and


14DC. Um fino e longo tubo de metal usado no processo de sopragem mudou
muito pouco desde então. No último século AC, os romanos antigos
começaram soprar vidro dentro de moldes e aumentaram em muito a
variedade de formas disponíveis para o vidro oco.
Os romanos e o vidro
Os romanos também fizeram muito para difundir a tecnologia de
fabricação de vidro. Com suas conquistas, relações comerciais, construção
de estradas, e uma política efetiva e administrações econômicas, o
império romano criou condições para a expansão da arte do vidro pela
Europa ocidental e o mediterrâneo.
Objeto de vidro Romano, datado de aproximadamente 100AC a 100DC
http://www.metmuseum.org/toah/im ages/ht/ht_81.10.39.jp g

Durante o reinado do imperador Augusto, objetos de vidro começaram a


aparecer pela Itália, França, Alemanha e Suíça. O vidro romano foi
encontrado em locais tão distantes como a China, enviados para aquele país
através da rota seda.

Foram também os romanos que passaram a utilizar o vidro com


propósitos de arquitetura com a descoberta do vidro transparente com a
introdução do óxido de magnésio na Alexandria por volta do ano 100 DC.
Começaram então a surgir janelas de vidro embora de baixa qualidade
ótica nos mais importantes edifícios romanos e nas vilas mais luxuosas de
Herculano e Pompéia.

Com a divisão geográfica dos impérios, os artesões do vidro passaram a


migrar menos, e a arte da vidraçaria nos lados ocidentais e orientais
adquiriam características mai s distintas. A Alexandria continuou sendo o
mais importante pólo de fabricação de vidro no oriente, produzindo luxuosos
itens de vidro, principalmente para a exportação.
O vidro na Idade Média
Escavações arqueológicas na ilha de Torcello perto de Veneza na Itália,
encontrou-se objetos dos séculos VII e VIII.
Por volta do ano 1000, ocorreu uma significante mudança nas técnicas de
vidro. Devido as dificuldades de se importar matéria prima, o vidro a base
de carbonato de sódio foi gradativamente sendo substituído pelo vidro
fabricado com potassa obtido de árvores queimadas. Nesse ponto o vidro
fabricado no norte dos Alpes, começou a ficar diferente do vidro fabricado
no Mediterrâneo, como a Itália por exemplo.
As primeiras lâminas de vidro
No século XI também ocorreu o desenvolvimento de técnicas de vidro
pelos artesãos alemães e também venezianos no século XII na produção
de lâminas de vidro. Ao soprar esferas de vidro oco e balança-las
verticalmente a própria gravidade colocava o vidro em uma espécie de
vagem cilíndrica medindo cerca de 3 metros de comprimento, com largura
de até 45cm. Enquanto ainda quente, o final dessa vagem era cortada e o
cilindro resultante cortado longitudinalmente, resultando em uma lâmina.
Um outro tipo de lâmina de vidro produzido era o vidro coroa, ou
lingote,relativamente comum pela Europa ocidental. Com essa técnica uma
esfera de vidro era soprada e então aberta para fora no lado oposto do tubo
soprador.

Lingote de vidro ou vidro coroa


http://www.londoncrownglass.co.uk/Twirl.jp
g

Ao girar o lado da bola semi fundida, fazia a mesma ficar plana e aumentar
de tamanho, más apenas até um determinado diâmetro.

Os painéis assim criados eram juntados com tiras de chumbo e juntados os


pedaços para criar janelas.

Mas a vidraçaria ainda continuava sendo um artigo de luxo na idade média,


restringindo-se a palácios e igrejas. Os vitrais alcançaram seu pico quando a
idade média chegou ao fim, com um crescente número de prédios públicos,
pousadas e residências dos ricos utilizando vidros coloridos decorados com
cenas históricas e brasões .