Você está na página 1de 8

THM

TRANSMISSÃO TRASEIRA

6.1 - FUNÇÃO DE TRANSMISSÃO TRASEIRA

6.2 - TRANSMISSÃO HORIZONTAL


6.2.1. ELEMENTOS DO EIXO DIANTEIRO
6.2.2. BLOCO DE ROLAMENTOS INTERMEDIÁRIO
6.2.3. EIXOS INTERMEDIÁRIOS
6.2.4. EIXO TRASEIRO
6.2.5. EIXO INCLINADO

6.3 - CAIXA DE TRANSMISSÃO INTERMEDIÁRIA (CTI)


6.3.1. DESCRIÇÃO
6.3.2. CONTROLES DA CTI

6.1
THM

6.1- FUNÇÃO DE TRANSMISSÃO TRASEIRA


A transmissão traseira transmite a potência da caixa
de transmissão principal para a cabeça do rotor tra- Cabeça do rotor traseiro
seiro. (CRT)
Caixa de transmissão
Ela compreende: traseira (CTT)
- a transmissão horizontal (7 eixos de transmissão, 1
bloco de rolamentos intermediário).
- a caixa de transmissão intermediária
- o eixo de inclinado
- a caixa de transmissão traseira. Caixa de transmissão intermediária
(CTI)

Eixo inclinado

Bloco de rolamentos
intermediário

Caixa de transmissão principal (CTP)

Eixos da transmissão
horizontal (7 elementos)

6.2 - TRANSMISSÃO HORIZONTAL


A transmissão horizontal assegura a ligação entre a
CTP e a CTI. ixo
O primeiro segmento do eixo liga a CTP ao bloco de imo e ixo)
t e
rolamentos intermediário. O resto da transmissão ho- Sé ente CTI
m
rizontal é composto por 5 eixos de mesma concep- (so
os
ção (o rolamento é parte integrante do eixo) e um to eix
sex o)
eixo simples que chega até a CTI.
o ao ment
eir la
Os elementos são unidos por flectores e sustentados terc + ro
por rolamentos e suportes estruturais. Os eixos são Do (eixo
balanceados na fábrica. )
nto
lame
ro
o+
o (eix
Bloco de rolamentos eix
intermediário do
egun Aço
S
Liga leve
o
o eix
ir
me
Pri

Suportes dos rolamentos

Os elementos dos eixos em aço são resistentes


ao fogo por 5 minutos.

Suporte do bloco de Nota: Nas primeiras versões do helicóptero, o


rolamentos intermediário eixo número 2 era feito de liga leve protegida por
CTP duas meia-conchas de aço.

6.3
THM

6.2.1. ELEMENTOS DO EIXO DIANTEIRO


O primeiro segmento do eixo liga a saída da CTP ao
bloco de rolamentos intermediário através de flecto-
res que absorvem, por deformação, os pequenos de-
feitos de alinhamento.

Arruelas de
balanceamento

Flanges de
balanceamento

6.2.2. BLOCO DE ROLAMENTOS INTERMEDIÁRIO


O flange de entrada do bloco de rolamen-
tos intermediário é fixo axialmente. Os
deslocamentos longitudinais da CTP são
assimilados pelo flange estriado de saída 1
da CTP.
Os deslocamentos horizontais, acumula-
dos da transmissão traseira horizontal,
são assimilados pelo flange deslizante de
saída do bloco de rolamentos intermedi-
ário.
6
4
5
4
Suporte de 3
acelerômetro

4 4 6

2
3

1 - Suporte estrutural do rolamento


2 - Flectores
3 - Eixo do bloco de rolamentos interm.
4 - Rolamentos de esferas reengraxáveis
5 - Cárter do bloco de rolamentos interm.
Porca de
6 - Flange deslizante
Bico de lubrificação fixação

6.4
THM

6.2.3. EIXOS INTERMEDIÁRIOS


Este conjunto é composto por uma série de 5 eixos de
concepção idêntica mas de metais diferentes (2 a 6)
ligados entre si por flectores que permitem absorver
os desalinhamentos angulares devido à deformação
do cone de cauda. 6
Os suportes de rolamento absorvem os deslocamen-
tos axiais da transmissão. 5

11

ACOPLAMENTO DOS EIXOS

1 2 3 4 5 1
1 - Eixo intermediário
2 - Arruelas de balanceamento rebitadas
3 - Suporte do acelerômetro e do
bico de lubrificação
4 - Rolamento de esferas
5 - Flector
6 - Porca castelada
7 - Arruela
8 - Flange de acoplamento
9 - Suporte do bloco de rolamentos
10 - Amortecedor
11 - Suporte do eixo intermediário

10

8 7 6
9

FACE TRASEIRA

FURO

6.5
THM

6.2.4. EIXO TRASEIRO


O eixo traseiro, em liga leve, é fixado na CTI.

1 2 3 4 5 6

1 - Arruelas de balanceam. rebitadas


2 - Eixo traseiro (liga leve)
3 - Flector
4 - Flange de acoplamento
5 - Arruela
7
6 - Eixo estriado
7 - Porca castelada

6.2.5. EIXO INCLINADO


O eixo inclinado (3) assegura a ligação entre a CTI e a
CTT.

Ele é ligado por flectores (2) ao flange de saída (1) da


CTI e ao flange de entrada (4) da CTT.

- Velocidade de rotação do eixo: 3751 rpm.

1 - Flange de saída da CTI


2 - Flector
3 - Eixo inclinado (liga leve)
4 - Flange de entrada na CTT

6.6
THM

6.3 - CAIXA DE TRANSMISSÃO INTERMEDIÁRIA


Flange de saída Anel de içamento
6.3.1. DESCRIÇÃO
A CTI muda a direção do movimento em 140º. Ela re-
cebe movimento da transmissão horizontal e o trans-
Bujão de abastecimento de óleo
mite, após redução da velocidade de rotação, ao eixo
inclinado.

- Velocidade de entrada da CTI: 4888 rpm


- Velocidade de saída da CTI: 3751 rpm

A lubrificação da CTI é assegurada por salpico e por Cárter


rosca de Arquimedes para os rolamentos "altos" do
pinhão de saída.

Visor do nível de óleo

Bujão magnético e de dreno


Sonda de temperatura Flange de entrada

Ponto de fixação na estrutura

Rosca de
Arquimedes

Canais de circulação do óleo

Pinhão de saída

Pinhão de entrada

6.7
THM

6.3.2. CONTROLES DA CTI


Uma sonda de temperatura (4) transmite a tempera- - Temperatura máxima: .......................... 120 ºC
tura do óleo da CTI a um indicador (5) localizado no - Controle do nível de óleo: por indicação visual (2).
painel de instrumentos. - Controle de desgaste dos mancais e rolamentos:
detector de limalha (3).
- Controle do pinhão cônico: orifício (1) por boroscó-
pio.

6.8