Você está na página 1de 25

Biotoscana IPO GBIO33

REL ATÓRIO IPO

TESE DE INVES TIMENTO

JULHO DE 2017

1
Biotoscana (BGIO33) Call introdutório
Após nos debruçarmos sobre os aspectos qualitativos e quantitativos da BIOTOSCANA (BGIO33), gostamos do que vimos.
Confesso que nos consumiu um bom tempo.
E valeu a pena.
Contando uma longa história em poucas palavras, a companhia é o resultado da combinação de duas empresas, LKM e United Medical, que foram adquiridas nos últimos anos, entre 2014 e 2015. A aquisição foi financiada principalmente via
dívida de longo prazo (empréstimo com o Bancolombia e emissão de certificados “preferred”). Os recursos levantados na oferta serão destinados para sanar essa dívida parcialmente.
A companhia é líder (e a primeira) em especialidade farmacêutica na América Latina, e está majoritariamente exposta a Brasil, Argentina e Colômbia, nessa ordem. Suas principais instalações (parque fabril, centro de pesquisa e
desenvolvimento, etc.) ficam na Argentina, seu hub central de acesso. A empresa é verticalmente integrada, atuando desde o P&D até a divulgação, comercialização e distribuição dos seus produtos.
Portanto, suas vendas são denominadas em diferentes moedas latino-americanas, e grande parte de sua base de custos é em dólares americanos, dada a sua posição de importadora.
Somos fãs de empresas expostas a tendências seculares de demanda, caso da Biotoscana.
Fenômenos demográficos, explosão mundial do número de casos de doenças infecciosas, raras e crônicas, proatividade por parte dos órgãos reguladores e aspectos aspiracionais (e de necessidade) se configuram entre as tendências.
Os últimos anos foram marcados pelo forte crescimento da empresa, em grande parte advindo de aquisições. Entretanto, de agora em diante, enxergamos um robusto crescimento orgânico sustentável, aliado a boa rentabilidade.
Tal modelo de crescimento se deu via:

1) Investimentos em P&D proprietários;


2) Investimentos em P&D via parcerias com empresas globais;
3) Aquisições;
4) Vendas de medicinas do portfólio existente;

Crescimento expressivo, aliado a altos níveis de rentabilidade (retorno sobre o capital investido – ROIC – atingiu 36,6% no fim de 2016), soa como música para os nossos ouvidos.

Para dar uma cor, as estimativas para o setor entre 2016 – 2020 apontam para um crescimento médio composto (CAGR) em Latam da ordem de 9% ao ano, de acordo com a Business Monitor International.
Da parcela de custos, vemos uma boa disciplina na alocação de capital e efeitos não recorrentes – impactados, por exemplo, pela aquisição da LKM – deverão se normalizar gradualmente.
Além do mais, itens como melhoria no mix de vendas e escala já começam a refletir em sua margem bruta, que atingiu 52,2% no primeiro trimestre de 2017 (contra 49,2% no mesmo período do ano anterior).

Fonte: Empiricus Research

2
Biotoscana (BGIO33) Call introdutório (continuação)
Na ponta vendedora das ações (oferta secundária), destaca-se um dos mais respeitados fundos de private equity, Advent International (https://www.adventinternational.com/investments/?
region=Latin+America&country=Brazil&sector=&keywords=&col_order=), cujo histórico é marcado por inúmeros casos de investimentos emblemáticos no mercado brasileiro, como Grupo Fleury (FLRY3), Cetip (CTIP3), Duty
Free (DAGB33) e CSU Cardsystem (CARD3), para citar alguns.
Nossa admiração pelo fundo vem de longa data.
Você pode estar se perguntando: "Se eles são tão bons, por que estão vendendo?"
A resposta é: fundos de private equitiy são "asset managers", e seus investimentos têm data de maturação, normalmente de 5 a 10 anos.
Adivinhem?
A data de investimento do Advent foi em meados de 2011, quase seis anos atrás (https://www.adventinternational.com/investments/?region=Latin+America&country=&sector=&keywords=biotoscana&order=).
Após a oferta (e desconsiderando lotes adicionais e suplementares), o Advent reduzirá sua participação, dos atuais 53,05% para 33%, ou seja, continuará "skin in the game". Vale ressaltar também que o CEO da companhia
é ex-sócio operacional do própria Advent, dessa forma fica claro que o fundo continuará com objetivos de resultados crescentes.
Olhando para a performance das ações das empresas inseridas na indústria de saúde, ficamos ainda mais animados.
O momento do setor está aquecido e deverá ficar cada vez mais quente.
Faixas de preço
Portanto, recomendamos aos investidores aptos participarem da oferta, enviando ordens de compra das ações na abertura.
R$ 24,50 R$ 26,50 R$ 28,50
Nos próximos slides, embasaremos fundamental e tecnicamente o call.
Afinal, superficialidade não faz parte do DNA da Empiricus.
Recomendação: Compra até a banda
Compre Biotoscana!
superior (R$ 28,50)

Fonte: Empiricus Research

3
Biotoscana (BGIO33) Overview do mercado

Com o avanço da expectativa de vida média ao longo das últimas décadas – um fenômeno global (que teve início nos anos 60) e bastante agudo nos países
latino-americanos – aliado a uma explosão no número absoluto de doenças crônicas, a melhoria da qualidade no mercado de saúde vem ficando para trás, não
acompanhando este avanço.
O ambiente tem sido significativamente mutável.
Novas epidemias infecciosas, novos tipos de vírus resistentes a antibióticos, diferentes tipos de reação a cada medicamento por usuário (um dos desafios mais
complexos, já que as imunidades são heterogêneas), aumento do número de casos, custos elevados, extensa e complexa cadeia de valor, etc.
Tal ambiente se traduz em novos desafios, assim como vastas oportunidades.
Tendo isso em vista, as companhias bem posicionadas – leia-se qualidade, produtividade, expertise, escala e distribuição, agilidade e reputação – devem e
podem oferecer contribuição decisiva no endereçamento da questão, trazendo novas moléculas e medicinas ao mercado.
As mesmas devem estar sempre com o olhar no futuro, investindo em pesquisa (P&D) e inovação.

População na América Latina Doenças raras

625 milhões 37~50 milhões de habitantes

Fontes: Empiricus, Biotoscana e OMS

4
Biotoscana (BGIO33) Drivers de demanda

Aumento explosivo do número de Penetração Planos de Saúde / Aumento da renda per capita
casos de doenças crônicas População Aumento de renda contribui para
Um aspecto chave para o mercado de um maior acesso da população a
saúde, em geral, é o grau de medicamentos, exames, etc.
penetração dos planos de saúde.

Fonte: FMI

5
Biotoscana (BGIO33) Drivers de demanda Gastos com saúde x PIB (%)

Envelhecimento é o fenômeno do milênio


Uma nova classe social vem sendo formada no Brasil (e em vários países do mundo). São os chamados "novos
idosos". Eles são conectados, sabem das notícias e gostam de viver bem. O "novo idoso" desenhado pela PNAD
(Pesquisa Nacional de Amostras de Domicílios) está vivendo cada vez mais e representa uma parcela cada vez maior
da população. As pessoas com 60 anos ou mais são hoje 12,6% da população, ou 24,8 milhões de indivíduos (em 2002
eram 9,3%). Desses total, a maior parte é formada por mulheres (13,8 milhões) e vive em cidades (20,9 milhões).
O fenômeno vem sendo acompanhado pelo aumento da expectativa de vida ao nascer, hoje em 74 anos (69 em 2000),
o que é explicado por avanços de tratamento médico, aspectos culturais/sociais e diminuição da fecundidade.
Neste cenário, tomamos como exemplo os gastos do governo em serviços públicos de saúde em âmbito federal. Com
base nesses dados, vemos uma crescente constante

Fontes: Relatório de Referência Biotoscana e OMS

6
Biotoscana (BGIO33) Drivers de demanda
O número de remédios e insumos pharmas registrados pela Anvisa dobrou nos últimos três anos.
Número de medicamentos registrados pela
Anvisa dobra em 3 anos. Em 2014, a agência governamental concedeu 366 registros; em 2015, foram 773 novos produtos. Já em
2016, o número saltou para 882.

O crescimento foi suportado pelo ritmo das vibrações e obviamente o número de caso de doenças
Novos medicamentos em 2016 também contribuiu, entre elas as doenças crônicas e raras. Dos registros, os medicamentos genéricos
lideraram a fila, seguidos por similares e novas moléculas - mercado ao qual a Biotoscana está exposta.

Em genéricos especificamente a empresa é dona da BGx, do Grupo Biotoscana.

A BGx é utilizada para capturar mercados de moléculas cujas patentes estão em seu vencimento, assim a
companhia protege e expande seu mercado endereçado.

Crescimento de
141%

Fonte: Anvisa

7
Biotoscana (BGIO33) Aspectos gerais da oferta
Novas ações
Faixas de preço
Oferta Primária 16 milhões de BDRs
40,5 milhões de BDRs R$ 24,50 R$ 26,50 R$ 28,50
Oferta Secundária 24,5 milhões de BDRs 38,3% do capital social
Recursos serão integralmente repassados aos acionistas vendedores

Cronograma da Oferta Data


Acionistas Vendedores % acionária antes % acionária depois

Advent Cartagena 53,5% 33% Início do período de reserva 06 / 07

Biotoscana Secondary Invest 19,3% 11,9%


Encerramento do período de reserva 17 / 07
Esses W. Health V. Fund 13,4% 8,2%

Robert Friedlander 6,9% 4,3% Início das negociações 20 / 07

Roberto Luiz Guttmann 6,9% 4,3%

Free Float 0% 38,3% Data de liquidação da oferta 24 / 07

Fontes: Empiricus e Biotoscana

8
Biotoscana (BGIO33) Aspectos gerais da oferta

O que é uma BDR ?

Brazilian Depositary Receipt (BDR) é o nome que o mercado dá para as


ações de empresas sediadas fora do país que desejam abrir seu capital
no Brasil. Este é exatamente o caso de de Biotoscana (GBIO33).

A companhia é sediada fora do país e está abrindo seu capital na Bolsa


de Valores de São Paulo (Bovespa) com o objetivo de captar recursos
para a empresa. Mais à frente falaremos a respeito do core business
dela e também sobre qual será a finalidade dos recursos captados.

Fonte: Biotoscana

9
Biotoscana A empresa

O GBT é o resultado da integração de três companhias farmacêuticas especializadas,


consolidadas, e complementares da América Latina: Biotoscana, LKM e United Medical.
Por meio de um processo de transformação de quatro anos, que começou com a aquisição
da Biotoscana em 2011, a companhia construiu seu portfólio de produtos farmacêuticos
especiais de alta tecnologia, que evoluiu de 143 produtos em 2011 para 191 produtos
comercializados na América Latina.

O GBT é uma das poucas companhias farmacêuticas


latino-americanas integradas que se dedica
principalmente ao desenvolvimento, fabricação e
15,5% da receita
comercialização de produtos farmacêuticos especiais de Receita em outros países
marca na região. Seu modelo de negócios está centrado
36,2% da receita
em áreas terapêuticas especiais, que abrangem doenças
infecciosas, raras, oncologia e onco-hematologia, Fabricação e P&D
tratamentos especiais, imunologia, etc. A companhia 36,7% da receita
enfatiza as vendas a canais privados, tais como hospitais
particulares e HMOs (Health Maintenance Organizations).

Fonte: Relatório de Referência Biotoscana

10
Biotoscana Linhas terapêuticas Mercados da Companhia
Clientes
3,40%
O GBT acredita contar com uma ampla base de receitas Atualmente, a companhia tem operações nos
de marcas confiáveis e estabelecidas, com um alto nível seguintes países latino-americanos: Brasil, Argentina,
23,70%
de visibilidade entre médicos e pacientes (em suas Colômbia, Bolívia, Chile, Equador, México, Peru, 46,20%

respectivas categorias terapêuticas), e com várias marcas Paraguai, Panamá e Uruguai. Além disso, o grupo tem
um distribuidor exclusivo na Venezuela. A companhia
líderes nas principais áreas terapêuticas. As terapias
opera duas unidades de fabricação na Argentina, com
oferecidas pela companhia são aquelas consideradas 26,40%
outra em construção, e detém, opera ou terceiriza
complexas (ticket médio alto) e que precisam do auxílio de
centros de distribuição em todos os países onde tem
um profissional de saúde. Distribuidores Hospitais
operações. Além disso, tem uma unidade dedicada a HMO e similares Varejo / Farmácia
pesquisa e desenvolvimento (P&D) na Argentina.
Doenças infecciosas 37,7%
Oncologia 28,3%
Tratamentos especiais 15,6% Principais produtos
Doenças raras 13,0%
Total 94,6%

19,9% da receita 5,3% da receita Outros

Fonte: Relatório de Referência Biotoscana

Notas:
11
Biotoscana A empresa

Dados operacionais Múltiplos por preço

1T17 2016 2015 2014


Receita Líquida 187.818 794.503 559.081 406.402 R$24,50 R$26,50 R$28,50
Lucro Bruto 98.691 397.612 277.540 195.847 Preço/Lucro 22,1x* 23,9x* 25,6x*
Margem Bruta 52,5% 50,0% 49,6% 48,2%
EV/Ebitda 16,2x 17,4x 18,7x
Ebitda 42.615 163.265 78.767 52.842
Ebitda Ajustado 44.463 174.305 114.154 77.068 Market Cap (shrs out +
R$ 2,59 bi R$ 2,8 bi R$ 3,01 bi
float)
EBIT 38.579 148.909 68.485 45.725
Lucro (prejuízo) Líquido 2.607 47.225 -12.098 18.127 *ajustado pelas recentes aquisições

ROIC - 36,6% 43,7% -

Fonte: Relatório de Referência Biotoscana

12
Biotoscana (BGIO33) Custos e Despesas

Apesar de as informações divulgadas até o momento pela companhia em seu


prospecto oficial serem limitadas, o peso da parcela de custos variáveis de
produtos vendidos é significativa, dada a posição de importadora e/ou itens
precificados (e reajustados) em dólares americanos. A companhia depende
CPV de terceiros para a obtenção de matérias-primas e não possui contrato de
longo prazo com os mesmos. No entanto, tamanho e escala são fatores
importantes de negociação.

Entre as despesas, esta é a mais representativa. A Biotoscana conta com uma


Despesas de ampla equipe de marketing, que é determinante na execução das estratégias
comerciais, de serviço e atendimento. Boa promoção dos produtos junto aos
Vendas e Mkt stakeholders é peça-chave para o sucesso do seu negócio.

Com a gradual integração das empresas resultantes da Biotoscana


Despesas G&A (LKM e UM) vemos espaço para otimização nesta linha. Alavancagem
operacional tende a auxiliar na diluição do G&A.

Fontes: Relatório de Referência Biotoscana

Notas:
13
Biotoscana (BGIO33) Modelo de negócio
Modelo de negócio verticalizado
Companhia se concentra em medicamentos em áreas
terapêuticas chave que atendem a um ou mais dos Comercialização
seguintes critérios:

1. Alto valor agregado Fabricação


Produtos com preço entre US$ 500˜1000
2. Alta complexidade
Desenvolvimento
Difícil de fabricar
3. Alta interação
A infraestrutura pan-regional própria da companhia – desde equipe
Interação com o paciente medica, cientista e farmacêutica, força de vendas, produção e
(necessidade do profissional)
4. Disponibilidade limitada comercialização, centro de pesquisa, desenvolvimento, entre outras, cria
uma plataforma única com capacidade de desenvolver, fabricar, registrar e
Requerer procedimentos especiais comercializar seus produtos.
5. Tratar doenças raras e condições Isso dá flexibilidade e agilidade em seu operacional, aspectos
médicas complexas considerados chaves, dado o ambiente altamente dinâmico do seu
mercado.

Fontes: Relatório de Referência Biotoscana

14
Biotoscana (BGIO33) Cadeia de valor

A companhia atua em
todas as etapas da
cadeia descrita

Fonte: Relatório de Referência Biotoscana

15
Biotoscana Market Share e Crescimento de receita
O mercado em que a Biotoscana atua na América Latina é bastante pulverizado, sendo dominado pelas "big pharma”,
companhias globais, como Pfizer, Sanofi e Bayer, e algumas locais, como Hypermarcas (HYPE3), outra empresa que
admiramos e analisamos de perto recorrentemente.

Enquanto na década passada a inovação se limitava aos gigantes globais com estruturas próprias, agora a inovação vem em
grande parte de pequenas empresas e startups biofarmaceuticas, dinamizando o sistema, com o aumento de colaboração
mútuo – via parcerias – visando a oferta de produtos cada vez mais inovadores.

Somadas as participações dos principais players atingem somente 21% de acordo com a IMS.

Lemos tal pulverização como uma enorme oportunidade para os players bem posicionados (vantagem competitiva), com escala,
reputação e expertise, para citar algumas.

Estes, tendem a consolidar cada vez o papel de protagonistas. Trata-se de uma necessidade social e governamental.

Um growing market que, em nossa visão, acentuará seu crescimento nos próximos capítulos.

5,7% 4,4% 4% 3,6% 3% 0,6%

Fontes: Relatórios da Companhia, Supermercado Moderno, PlanetRetail, Relatório de Referência Carrefour e Grupo Carrefour

16
Biotoscana Rentabilidade ROIC e Margem

Margem E.: vemos espaço para melhoria de


margens da cia nos próximos exercícios,
média 29,46%
fruto da melhora de mix de vendas,
consolidação das integrações e otimização
no controle de custos e despesas.

Retorno sobre o capital investido (ROIC):


quando olhamos para o ROIC – indicador de
extrema relevância para avaliarmos, já que a
cia está se financiando no mercado – vemos
um retorno significativamente acima do
custo de capital – e acima da média do setor
– confirmando a capacidade de geração de
valor da empresa. O modelo híbrido de
média 14,25% investimentos em P&D da Biotoscana
(proprietário x parcerias) é um dos fatores
chaves para a solidez dos níveis de ROIC.

Fontes: Relatório de Referência Biotoscana e Bloomberg

Notas:
17
Biotoscana Objetivos do IPO / Dívida A empresa possui a atual dívida por conta das aquisições
realizadas recentemente.
De forma resumida a companhia está pegando dinheiro com o
mercado para reduzir seu grau de endividamento. Da oferta
secundária nada entrará no caixa da empresa, por isso focamos
Redução do endividamento nos valores referente a oferta primária.

Objetivo da captação 183,2 mi Um ponto que vale ressaltar nas dívidas, são os covenants de
3,5x Ebitda. Os covenants são como barreiras que não podem
204,5 mi ser atingidas, caso seja a conta das dividas são refeitas já que a
Pagamento de PEC
empresa está mostrando uma piora operacional e
consequentemente se tornando um risco maior.

Vemos a forte redução nesse sentido abaixo:


Valor total da dívida em 2016 496,7 milhões
-
Valor estimado da oferta primária 387,6 milhões
+
Caixa e equivalentes em 2016 61,3 milhões

=
Dívida Líquida 47,9 milhões

Fontes: Prospecto preliminar; Bloomberg

18
Biotoscana (BGIO33) Management

CEO COO CFO

Mariano Garcia-Valiño é o Chief Executive Officer do GBT. Jorge Ramos Manso se uniu ao GBT em março de 2017 Raquel Balsa é a Chief Financial Officer para o GBT. Ela contribui
Mariano foi o arquiteto chefe na concepção e contrução do Jorge ingressou no GBT vindo da Adium Pharma (Grupo para a equipe com mais de 20 anos de experiência em
GBT, estabelecendo seu modelo estratégico e orientado a Tecnofarma), na qual ele foi CEO para a América Latina por contabilidade, finanças e impostos internacionais.
companhia por meio de suas aquisições e transformações duas décadas e membro do Conselho de Administração.
sucessivas, inicialmente enquanto trabalhava como sócio Nascida no Uruguai, Raquel desenvolveu uma carreira ampla de
operacional para a Advent International, a principal Em seus 30 anos de experiência na região e na indústria duas décadas na PricewaterhouseCoopers, participando de áreas
investidora do GBT, e posteriormente assumindo como biofarmacêutica, Jorge também teve responsabilidades como auditoria, contabilidade, comércio internacional,
CEO da companhia. como Gerente Geral, Diretor Financeiro e diversas funções determinação de preços e impostos de transferências, consultoria
de vendas e marketing, tanto no grupo Tecnofarma quanto com alguns dos principais atuantes na região.
Anteriormente ele passou oito anos com a Pfizer, a maior nos Laboratórios Beta.
companhia farmacêutica com base em pesquisa do mundo A Sra. Balsa é uma Contadora Pública Certificada pela Universidade
O Sr. Ramos Manso tem um diploma de contador público da República no Uruguai.
O Sr. Garcia-Valiño tem um diploma de Engenharia da da Universidade de Buenos Aires e pós-graduação em
Universidade de Buenos Aires e MBA da Harvard Business administração e estratégia empresarial na Universidade
School Adolfo Ibáñez no Chile, e na IAE na Argentina

Fontes: www.biotoscana.com

19
Biotoscana (BGIO33) Regulatório

Regulamentação
Enquanto autoridades do governo regulam extensivamente a indústria farmacêutica, o grau de
regulamento e de ônus e riscos regulatórios relacionados variam significativamente entre países.
Portanto, expertise regulatória entre mercados é uma vantagem competitiva principal
na medida em que ela aumenta eficiência operacional. Na maioria dos países, o governo regula
pesquisa, desenvolvimento, testes, aprovação, fabricação, rotulagem, monitoramento e relatório
pós-aprovação, embalagem, promoção, armazenagem, publicidade, distribuição, comercialização,
precificação, reembolso e exportação e importação de produtos farmacêuticos. O processo para
obter aprovações regulatórias e subsequente conformidade com regulamentos adequados pode
exigir o gasto de tempo e de recursos financeiros substanciais.

A companhia tem uma equipe regulatória especializada que é responsável pela verificação
de conformidade com todas as leis e regulamentos, assim como uma equipe de
farmacovigilância dedicada, que desempenha como papel central verificar a segurança de
medicamentos em suas operações.

Fontes: Prospecto Biotoscana

20
Biotoscana Vantagens competitivas e Riscos
• Dependência de sua capacidade de desenvolver, licenciar, comercializar e
• Plataforma verticalizada de produtos farmacêuticos de vender produtos farmacêuticos.
especialidades na América Latina com verdadeira presença regional

• Maior concorrência por conta dos produtos genéricos.


• Boa reputação frente a comunidade médica

• Manutenção de seus contratos de licenciamento, alianças estratégicas e


• Carteira de produtos diversificada e em expansão com sólido outras colaborações
posicionamento de mercado.

• Processo de fabricação altamente complexo e uma interrupção em suas


• Parcerias mútuas estabelecidas com principais players globais fábricas ou em sua cadeia de suprimento poderá afetar o negócio

• Histórico comprovado e expertise de execução, transformação e • Alta dependência do time de gestão


integração com um registro de crescimento rentável na América
Latina.
• Exposição cambial e soberana

• Equipe de administração experiente e forte patrocínio privado do


capital. • Estrutura societária complexa

• Marca • Liquidez das ações

• Escala que funciona como barreira de entrada • Indenizações

• Agenda de expiração de patentes

Fontes: Empiricus e Biotoscana

21
Biotoscana (BGIO33) Valuation Últimos 12 meses

Preço / Lucro

25x

21x

22,9x

19,5x

30,7x

21,5x

18,2x

Fontes: Bloomberg

22
Biotoscana Valuation

EV/Ebitda
Nasdaq x S&P x Índices Biotech

18,7x

14x

11,4x

9,2x

16,7x

12,4x

12,7x

Fontes: Bloomberg

23
Biotoscana Conclusão Valuation
Recomendamos compra de GBIO33, seguem detalhes:

Olhando superficialmente, as ações da Biotoscana, parecem relativamente caras em termos de múltiplos Preço Lucro e/ou EV/Ebitda.
No entanto, vamos um pouco além.
Importante mencionar que estamos considerando a banda superior de preço, R$ 28,50 por ação. Se a precificação sair abaixo do topo, melhor ainda.
Como contraponto ao argumento que GBIO33 negociará acima de 25x Preço/Lucro, gosto de mencionar o crescimento expressivo do denominador, Lucro.
Por exemplo, se a ação negocia a 30x, mas o lucro aumenta em 50% no ano – exemplo hipotético – a relação P/L se contrai para 20x, conforme figura abaixo.

Lucro 1 Lucro 1,5


Preço 30 Preço 30
Lucro 1 Lucro 1,5
PL 30 PL 20

Em nossa visão, uma boa forma de analisar o múltiplo PE seria olhar o PEG Ratio (Price Earnings Growth), onde se divide o P/E pela média de crescimento composto de lucro para os próximos
anos.
Um ratio "1" seria próximo de um valor justo.
Dado o perfil de crescimento de lucro da BGIO33 reportado nos últimos anos, e a perspectiva de manutenção e aceleração do mesmo - acima dos seus pares -, consideramos realista uma taxa
de crescimento anual composto (CAGR) ao redor de 15%.
Se olharmos o crescimento do lucro de 2015 para 2016 já vemos o tamanho do aumento, refletindo a consolidação da integração do LKM.
Nesse cenário, as ações estariam negociando a um PEG RATIO de ~1,6, abaixo da média do setor de 2,66, justificando nosso call.
No entanto, dada a "poluição" da última linha – reflexo de aquisições – preferimos utilizar paralelamente o múltiplo EV/Ebitda, que consideramos mais confiável no momento, já que este
(Ebitda) está acima nas linhas do balanço.
O mesmo está acima da média do setor, porém com um crescimento relevantemente mais expressivo. O exemplo de contração citado acima da mesma forma para o múltiplo.

Fontes: Empiricus

24
Biotoscana Disclosure

Elaborado por analistas independentes da Empiricus, este relatório é de uso exclusivo de seu destinatário, não pode ser reproduzido ou
distribuído, no todo ou em parte, a qualquer terceiro sem autorização expressa. O estudo é baseado em informações disponíveis ao público,
consideradas confiáveis na data de publicação. Posto que as opiniões nascem de julgamentos e estimativas, estão sujeitas a mudanças.

Este relatório não representa oferta de negociação de valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros.

As análises, informações e estratégias de investimento têm como único propósito fomentar o debate entre os analistas da Empiricus e os
destinatários. Os destinatários devem, portanto, desenvolver as próprias análises e estratégias.

Informações adicionais sobre quaisquer sociedades, valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros aqui abordados podem ser obtidas
mediante solicitação.

Os analistas responsáveis pela elaboração deste relatório declaram, nos termos do artigo 17º da Instrução CVM nº 483/10, que as
recomendações do relatório de análise refletem única e exclusivamente as suas opiniões pessoais e foram elaboradas de forma independente.

* O analista Bruce Barbosa é o responsável principal pelo conteúdo do relatório e pelo cumprimento do disposto no Art. 16, parágrafo único
da Instrução ICVM 483/10.

* (*) A reprodução indevida, não autorizada, deste relatório ou de qualquer parte dele sujeitará o infrator a multa de até 3 mil vezes o valor
do relatório, à apreensão das cópias ilegais, à responsabilidade reparatória civil e persecução criminal, nos termos dos artigos 102 e
seguintes da Lei 9.610/98

25