Você está na página 1de 8

No post de hoje faremos uma releitura de um estilo que gosto bastante, que brassei muito e que, inclusive,

inaugurou o blog. Depois de muito brassar, encontrei uma receita que trouxe um up para o que esperava para
uma cerveja de trigo. Bem, vamos lá!

RECEITA
OBJETIVOS
Quando projetei esta receita buscava trazer à tona coisas que não obtive na primeira: espuma
mais cremosa ainda e viscosidade mais presente. Para isto, abracei a ideia de incrementar aveia
na receita e seguir os demais passos da receita passada, assim agregando o que esperava.
Também mudei o malte pilsen por malte pale ale, pois quis muito experimentar e ver se geraria
alguma diferença. Reduzi a carbonatação para melhor se apreciar os demais toques da cerveja e
facilitar servir e também inseri outro lúpulo, para quebrar um pouco do verde do Perle e trazer
alguma picância amadeirada.

CARACTERÍSTICAS
Tomando como base o guia de estilos BJCP, tem-se as seguintes características da cerveja:
OG: 1.046 (1.044 - 1.052);
FG: 1.012 (1.010 - 1.014);
IBU's: 12.6 (8.0 - 15.0);
EBC: 7.5 (3.9 - 11.8);
ABV: 4.5% (4.30 - 5.60%);
BU/GU: 0.275 (0.182 - 0.288);
Carbontação: 3.0 vols CO2 (2.90 - 4.50 volumes);

PERFIL DA ÁGUA

Perfil base: água de Curitiba, fornecimento Sanepar - ETA Iguaçu;


pH mostura: 5.3
pH lavagem: 6.0
Ca: 36.9 ppm
Mg: < 5 ppm (não ajustado);
Na: 38.6 ppm
SO4: < 5.0 ppm (não ajustado);
Cl: 53.4 ppm
HCO3: 49.3 ppm

INGREDIENTES
onde pode planejar sua receita rápida e intuitivamente. Para acessar, clique aqui.

GRÃOS
49.2% - malte de trigo claro;
49.2% - malte pale ale;
1.6% - aveia em flocos (aquela que tem no mercado mesmo);

LÚPULOS
80% - lúpulo Perle [8.20%] - ;
20% - lúpulo Tettnang (Tettnang Tettnager) [2.20%] - ;

LEVEDURA
LevTeck #Teckbrew 68 - Weizen Ale (200bi de células/sachê);

ADJUNTOS
Whirfloc-T - (15');

PRODUÇÃO
MOSTURAÇÃO
42°C - 15' - parada fenólica;
68°C - 60' (ou até conversão) - sacarificação - a subida entre a parada fenólica e a rampa de
sacarificação foi mais lenta, devido à aveia utilizada (mesmo que em pequenas quantidades),
permitindo uma "parada" proteica;
76°C - 10' - mash-out;
75°C - lavagem dos grãos - até atingir a OG pré-fervura;

FERVURA
60' de fervura intensa com adição de toda a carga de lúpulo em first wort;
15' - adição da pastilha Whirfloc;

FERMENTAÇÃO
16°C - 2d - propiciando aromas de cravo;
20°C - 2d - propiciando aromas de banana;
23°C - até atenuar (ou 2d) - para expelir aromas de enxofre característicos das leveduras
Weizen;
24oC - 2d - para auxiliar no consumo de subprodutos (aqui se inicia a maturação);

MATURAÇÃO
24°C - 2d - para auxiliar o consumo de subprodutos;
10°C - 3d - decantar sólidos;

CARBONATAÇÃO/MATURAÇÃO SECUNDÁRIA NA GARRAFA


20°C - 10d - permite carbonatação completa e geração de mais aromas e seu arredondamento;
RESULTADOS

Após cerca de 20 dias a breja foi tomada. A viscosidade aumentou como queria e a espuma ficou muito mais
cremosa e passou a durar muito mais (efeito da aveia). O verde do Perle ficou bem neutralizado e nada do
Tettnang é aparente. A coloração adquiriu um dourado profundo e ficou muito mais bonita.
Outro ponto que notei é que os aromas de cravo desapareceram. Conforme passar o tempo, editarei este post
para relatar se surgiu na garrafa.
Ainda não cheguei na tão esperada hefe-weizen que imagino, acredito que a mescla de ambos as versões
possa ser a chave. Espero, em breve, trazer mais uma releitura da receita e que atinja o que desejo. Quero
tentar a próxima com outra levedura. Mas ainda vamos dizer veremos e, até lá, cheers!

Abraço a todos! Boas brejas e boas brassagens!


Comentar como:

Publicar