Você está na página 1de 44

8

UNIVERSIDADE FEDERAL DE RORAIMA


PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO
CENTRO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL
CURSO DE BACHARELADO EM ENGENHARIA CIVIL

MECÂNICA DOS SOLOS

Lista de exercícios
Braja M. Das – 7ª Edição
Capítulo X
Tesões em uma massa de solo

Professora Doutora Gioconda Santos e Souza Martinez

Nelson Poerschke
UFRR- Boa Vista – RR
2016
1) Tensão normal (𝜎𝑛 )

𝜎𝑦 + 𝜎𝑥 𝜎𝑦 − 𝜎𝑥
𝜎𝑛 = + cos 2𝜃 + 𝜏𝑥𝑦 𝑠𝑒𝑛 2𝜃
2 2

2) Tensão de cisalhamento (𝜏𝑛 )


𝜎𝑦 − 𝜎𝑥
𝜏𝑛 = 𝑠𝑒𝑛 2𝜃 − 𝜏𝑥𝑦 𝑐𝑜𝑠 2𝜃
2

3) Tensão principal maior (𝜎1 )


2
𝜎𝑦 + 𝜎𝑥 (𝜎𝑦 − 𝜎𝑥 )
𝜎𝑛 = 𝜎1 = + √[ 2
] + 𝜏𝑥𝑦
2 2

4) Tensão principal menor (𝜎3 )


2
𝜎𝑦 + 𝜎𝑥 (𝜎𝑦 − 𝜎𝑥 )
𝜎𝑛 = 𝜎3 = − √[ 2
] + 𝜏𝑥𝑦
2 2

5) Aumento da tensão vertical causada por carga pontual (∆𝜎𝑧 )

3𝑃 𝑧 3 3𝑃 𝑧3
∆𝜎𝑧 = × 5= × 2
2𝜋 𝐿 2𝜋 (𝑟 + 𝑧 2 )5⁄2
Onde:
 𝑟 = √𝑥 2 + 𝑦 2

 𝐿 = √𝑥 2 + 𝑦 2 + 𝑧 2 = √𝑟 2 + 𝑧 2
 𝜇 = coeficiente de Poisson.

Fundamentos de Engenharia Geotécnica – 7ª Edição – Braja M. Das – Cap. X


Disciplina: Mecânica dos Solos – Curso de Engenharia Civil – UFRR
Mestre: Professora Doutora Gioconda Santos e Souza Martinez 2
Acadêmico: Nelson Poerschke
𝑃 3 1 𝑃
∆𝜎𝑧 = ×{ × } = 2 𝐼1
𝑧2 2𝜋 [(𝑟/𝑧)2 + 1]5⁄2 𝑧

Onde:
 𝐼1 =
3
2𝜋
×
1
[(𝑟/𝑧)2 +1]5⁄2

Tabela de variação de 𝐼1 em função de 𝑟/𝑧.

6) Aumento da tensão vertical causada por uma linha de carga vertical (∆𝜎𝑧 )

2𝑞𝑧 3
∆𝜎𝑧 =
𝜋(𝑥 2 + 𝑧 2 )2
ou
2𝑞
∆𝜎𝑧 = 2
𝑥 2
𝜋𝑧 [( ) + 1]
2
ou
∆𝜎𝑧 2
= 2
𝑞/𝑧 𝑥 2
𝜋 [( ) + 1]
2

Fundamentos de Engenharia Geotécnica – 7ª Edição – Braja M. Das – Cap. X


Disciplina: Mecânica dos Solos – Curso de Engenharia Civil – UFRR
Mestre: Professora Doutora Gioconda Santos e Souza Martinez 3
Acadêmico: Nelson Poerschke
∆𝜎
Tabela de variação de 𝑞/𝑧𝑧 em função de 𝑥/𝑧.

7) Aumento da tensão vertical causada por uma linha de carga horizontal (∆𝜎𝑧 )

2𝑞 𝑥𝑧 2
∆𝜎𝑧 =
𝜋 (𝑥 + 𝑧 2 )2
2

∆𝜎
Tabela de variação de 𝑞/𝑧𝑧 em função de 𝑥/𝑧.

Fundamentos de Engenharia Geotécnica – 7ª Edição – Braja M. Das – Cap. X


Disciplina: Mecânica dos Solos – Curso de Engenharia Civil – UFRR
Mestre: Professora Doutora Gioconda Santos e Souza Martinez 4
Acadêmico: Nelson Poerschke
8) Aumento da tensão vertical causada por uma faixa de carga vertical (∆𝜎𝑧 )

𝐵2
𝑞 𝑧 𝑧 𝐵𝑧 [𝑥 2 − 𝑧 2 − ( )]
4
∆𝜎𝑧 = 𝑡𝑔−1 [ ] − 𝑡𝑔−1 [ ]−
𝜋 𝐵 𝐵 𝐵 2 2
𝑥−( ) 𝑥+( ) [𝑥 2 − 𝑧 2 − ( )] + 𝐵2 𝑧 2 }
{ 2 2 4

9) Aumento da tensão vertical devida ao carregamento de um aterro (∆𝜎𝑧 )

𝑞0 𝐵1 + 𝐵2 𝐵1
∆𝜎𝑧 = [( ) (𝛼1 + 𝛼2 ) − (𝛼2 )]
𝜋 𝐵2 𝐵2
ou
∆𝜎𝑧 = 𝑞0 𝐼2
Onde:
 𝐼2 é uma função de 𝐵𝑧1 𝑒 𝐵𝑧2 no gráfico de Osterberg.

10) Aumento da tensão vertical abaixo do centro de uma área circular uniformemente carregada (∆𝜎𝑧 )

1
∆𝜎𝑧 = 𝑞 1 − 3⁄2
𝑅 2
[( ) + 1]
{ 𝑧 }

A equação ∆𝜎𝑞 𝑧 em função de 𝑅𝑧 é obtida na tabela:

Fundamentos de Engenharia Geotécnica – 7ª Edição – Braja M. Das – Cap. X


Disciplina: Mecânica dos Solos – Curso de Engenharia Civil – UFRR
Mestre: Professora Doutora Gioconda Santos e Souza Martinez 5
Acadêmico: Nelson Poerschke
11) Aumento da tensão vertical em qualquer ponto abaixo de uma área circular uniformemente carregada
(∆𝜎𝑧 )

∆𝜎𝑧 = 𝑞(𝐴′ + 𝐵′ )

𝑧 𝑟
Onde 𝐴’ e 𝐵′ são funções de 𝑅 e 𝑅 nas Tabelas 10.6 e 10.7,

respectivamente

12) Aumento da tensão vertical abaixo do centro de uma área retangular uniformemente carregada
(∆𝜎𝑧 ).

∆𝜎𝑧 = 𝑞𝐼4
𝐵
𝑚1 =
𝑧
𝐿
𝑛1 =
𝑧

Onde:
𝐵 = lado menor do retângulo;
𝐿 = lado maior do retângulo; e
𝑧 = profundidade do ponto.

Fundamentos de Engenharia Geotécnica – 7ª Edição – Braja M. Das – Cap. X


Disciplina: Mecânica dos Solos – Curso de Engenharia Civil – UFRR
Mestre: Professora Doutora Gioconda Santos e Souza Martinez 6
Acadêmico: Nelson Poerschke
13) Aumento da tensão vertical abaixo do canto de uma área retangular uniformemente carregada (∆𝜎𝑧 ).

∆𝜎𝑧 = 𝑞𝐼3
𝐵
𝑚=
𝑧
𝐿
𝑛=
𝑧

Onde:
𝐵 = lado menor do retângulo;
𝐿 = lado maior do retângulo; e
𝑧 = profundidade do ponto.

14) Aumento da tensão vertical utilizando o gráfico de influência de Newmark. (∆𝜎𝑧 ).

Valor da influência = 𝑛° 𝑑𝑒 𝑒𝑙𝑒𝑚𝑒𝑛𝑡𝑜𝑠1 𝑑𝑒𝑠𝑡𝑒 𝑔𝑟á𝑓𝑖𝑐𝑜 = 200


1
= 0,005

̅̅̅̅ = escala igual ao valor de 𝑧.


𝐴𝐵

∆𝜎𝑧 = (𝐼𝑉)𝑞𝑀
Onde:
𝐼𝑉 = valor de influência;
𝑞 = pressão na área carregada; e
𝑀 = nº de elementos dentro do perímetro da planta da área
carregada.

Fundamentos de Engenharia Geotécnica – 7ª Edição – Braja M. Das – Cap. X


Disciplina: Mecânica dos Solos – Curso de Engenharia Civil – UFRR
Mestre: Professora Doutora Gioconda Santos e Souza Martinez 7
Acadêmico: Nelson Poerschke
Um elemento de solo é mostrado na figura. As magnitudes das tensões são:
𝜎𝑥 = 96 𝑘𝑁/𝑚2
𝜏 = 38 𝑘𝑁/𝑚2
𝜎𝑦 = 120 𝑘𝑁/𝑚2
𝜃 = 20°

Determine:
a) As magnitudes das tensões principais.
b) As tensões normais e de cisalhamento no plano AB. Utilize as equações:

𝜎𝑦 + 𝜎𝑥 𝜎𝑦 − 𝜎𝑥
𝜎𝑛 = + cos 2𝜃 + 𝜏𝑥𝑦 𝑠𝑒𝑛 2𝜃
2 2

𝜎𝑦 − 𝜎𝑥
𝜏𝑛 = 𝑠𝑒𝑛 2𝜃 − 𝜏𝑥𝑦 𝑐𝑜𝑠 2𝜃
2

2
𝜎𝑦 + 𝜎𝑥 (𝜎𝑦 − 𝜎𝑥 )
𝜎𝑛 = 𝜎1 = + √[ 2
] + 𝜏𝑥𝑦
2 2

2
𝜎𝑦 + 𝜎𝑥 (𝜎𝑦 − 𝜎𝑥 )
𝜎𝑛 = 𝜎3 = − √[ 2
] + 𝜏𝑥𝑦
2 2

a) Tensões principais:

2
𝜎𝑦 + 𝜎𝑥 (𝜎𝑦 − 𝜎𝑥 )
𝜎𝑛 = 𝜎1 = + √[ 2
] + 𝜏𝑥𝑦
2 2

2
120 + 96 (120 − 96)
𝜎𝑛 = 𝝈𝟏 = + √[ ] + (−38)2 = 108 + 39,85 = 𝟏𝟒𝟕, 𝟖𝟓 𝒌𝑵/𝒎𝟐
2 2

Fundamentos de Engenharia Geotécnica – 7ª Edição – Braja M. Das – Cap. X


Disciplina: Mecânica dos Solos – Curso de Engenharia Civil – UFRR
Mestre: Professora Doutora Gioconda Santos e Souza Martinez 8
Acadêmico: Nelson Poerschke
2
𝜎𝑦 + 𝜎𝑥 (𝜎𝑦 − 𝜎𝑥 )
𝜎𝑛 = 𝜎3 = − √[ 2
] + 𝜏𝑥𝑦
2 2

2
120 + 96 (120 − 96)
𝜎𝑛 = 𝝈𝟑 = − √[ ] + (−38)2 = 108 − 39,85 = 𝟔𝟖, 𝟏𝟓 𝒌𝑵/𝒎𝟐
2 2

b) As tensões normais e de cisalhamento no plano AB.

Tensão normal:

𝜎𝑦 + 𝜎𝑥 𝜎𝑦 − 𝜎𝑥
𝜎𝑛 = + cos 2𝜃 + 𝜏𝑥𝑦 𝑠𝑒𝑛 2𝜃
2 2

120 + 96 120 − 96
𝜎𝑛 = + cos(2 × 20) + (−38) 𝑠𝑒𝑛 (2 × 20)
2 2

𝝈𝒏 = 𝟗𝟐, 𝟕𝟔 𝒌𝑵/𝒎𝟐

Tensão de cisalhamento:
𝜎𝑦 − 𝜎𝑥
𝜏𝑛 = 𝑠𝑒𝑛 2𝜃 − 𝜏𝑥𝑦 𝑐𝑜𝑠 2𝜃
2

120 − 96
𝜏𝑛 = 𝑠𝑒𝑛 (2 × 20) − (−38) 𝑐𝑜𝑠 (2 × 20)
2

𝝉𝒏 = 𝟑𝟔, 𝟖𝟐 𝒌𝑵/𝒎𝟐

Para o elemento de solo sob tensão mostrado na figura, determine:


a) A tensão principal maior;
b) A tensão principal menor; e
c) As tensões normal e de cisalhamento no plano AE.

Use o método do polo.

Fundamentos de Engenharia Geotécnica – 7ª Edição – Braja M. Das – Cap. X


Disciplina: Mecânica dos Solos – Curso de Engenharia Civil – UFRR
Mestre: Professora Doutora Gioconda Santos e Souza Martinez 9
Acadêmico: Nelson Poerschke
Tensões no plano AD (inspeção na figura)

𝑇𝑒𝑛𝑠ã𝑜 𝑛𝑜𝑟𝑚𝑎𝑙 = 𝜎 = 621 𝑘𝑁/𝑚3

𝑇𝑒𝑛𝑠ã𝑜 𝑑𝑒 𝑐𝑖𝑠𝑎𝑙ℎ𝑎𝑚𝑒𝑛𝑡𝑜 = 𝜏 = −414 𝑘𝑁/𝑚3

Tensões no plano AB (inspeção na figura)

𝑇𝑒𝑛𝑠ã𝑜 𝑛𝑜𝑟𝑚𝑎𝑙 = 𝜎 = 1035 𝑘𝑁/𝑚3

𝑇𝑒𝑛𝑠ã𝑜 𝑑𝑒 𝑐𝑖𝑠𝑎𝑙ℎ𝑎𝑚𝑒𝑛𝑡𝑜 = 𝜏 = 414 𝑘𝑁/𝑚3

Traçado do círculo de Mohr:

a) Tensão principal maior (𝜎1 )

𝜎1 = 1291 𝑘𝑁/𝑚2

b) Tensão principal menor (𝜎3 )

𝜎3 = 365 𝑘𝑁/𝑚2

c) Tensões normal e de cisalhamento no plano AE.

𝜎 = 414 𝑘𝑁/𝑚2

𝜏 = 207 𝑘𝑁/𝑚2

Fundamentos de Engenharia Geotécnica – 7ª Edição – Braja M. Das – Cap. X


Disciplina: Mecânica dos Solos – Curso de Engenharia Civil – UFRR
Mestre: Professora Doutora Gioconda Santos e Souza Martinez 10
Acadêmico: Nelson Poerschke
Considere uma carga pontual 𝑃 = 5 𝑘𝑁, conforme mostra a figura. Calcule o aumento da tensão
vertical ∆𝜎𝑧 para 𝑧 = 0; 𝑧 = 4𝑚; 𝑧 = 6𝑚; 𝑧 = 10𝑚; e 𝑧 = 20𝑚.
Dados:
 𝑥 = 3 𝑚; e
 𝑦 = 4 𝑚.

𝑟 = √𝑥 2 + 𝑦 2 = √32 + 42 = 5 𝑚

𝑃
∆𝜎𝑧 = 𝐼
𝑧2 1

Usar a tabela de variação de 𝐼1 e função de 𝑟/𝑧.

Para 𝑧 = 0; 𝑟/𝑧 = ∞; 𝐼1 = 0 :

Para 𝑧 = 2:
𝑟 5
= = 2,5
𝑧 2

Consultando a tabela e interpolando:

2,40 − 2,60 0,0040 − 0,0029


=
0,10 𝑥

−0,20𝑥 = (0,0011)(0,10)

0,00011
𝑥= = −0,00055
−0,20

𝐼1 = 0,0040 − 0,00055 = 0,00345

Seguindo os cálculos para as outras profundidades, podemos montar a seguinte tabela:

Fundamentos de Engenharia Geotécnica – 7ª Edição – Braja M. Das – Cap. X


Disciplina: Mecânica dos Solos – Curso de Engenharia Civil – UFRR
Mestre: Professora Doutora Gioconda Santos e Souza Martinez 11
Acadêmico: Nelson Poerschke
𝑷
𝒓 𝒛 𝒓 ∆𝝈𝒛 = 𝑰
𝑰𝟏 𝒛𝟐 𝟏
(𝒎) (𝒎) 𝒛
𝒌𝑵/𝒎𝟑

5 0 ∞ 0 0
2 2,5 0,0035 0,0044
4 1,25 0,0424 0,0133
6 0,83 0,1295 0,0180
10 0,5 0,2733 0,0137
20 0,25 0,4103 0,0051

A figura mostra duas linhas de carga na superfície do solo. Determine o aumento de tensão no
ponto A.

2𝑞𝑧 3
∆𝜎𝑧 =
𝜋(𝑥 2 + 𝑧 2 )2

∆𝜎𝑧 = ∆𝜎𝑧(1) + ∆𝜎𝑧(2)

2(14,6 )(1,2)3 50,46


∆𝜎𝑧(1) = 2 2 2
= = 0,147 𝑘𝑁/𝑚2
𝜋[(3,0) + (1,2) ] 𝜋(108,99)

2(7,3 )(1,2)3 25,23


∆𝜎𝑧(2) = 2 2 2
= = 0,590 𝑘𝑁/𝑚2
𝜋[(1,5) + (1,2) ] 𝜋(13,62)

∆𝜎𝑧 = 0,147 𝑘𝑁⁄𝑚2 + 0,590 𝑘𝑁⁄𝑚2 = 𝟎, 𝟕𝟑𝟕 𝒌𝑵/𝒎𝟐

Fundamentos de Engenharia Geotécnica – 7ª Edição – Braja M. Das – Cap. X


Disciplina: Mecânica dos Solos – Curso de Engenharia Civil – UFRR
Mestre: Professora Doutora Gioconda Santos e Souza Martinez 12
Acadêmico: Nelson Poerschke
Uma linha de carga inclinada com magnitude de 14,6 kN/m é mostrada na figura. Determine o
aumento da tensão vertical ∆𝜎𝑧 no ponto A, decorrente da linha de carga.

𝑞𝑉 = 14,6 cos 20 = 13,72 𝑘𝑁/𝑚

𝑞𝐻 = 14,6 sen 20 = 4,99 𝑘𝑁/𝑚

𝑥 1,5
= = 1,25
𝑧 1,2

De posse de x/z, consulta-se as tabelas de variação ∆𝜎𝑧 ⁄𝑞 ⁄𝑧, para carga vertical e para carga horizontal.

Tabela para carga vertical (interpolando os valores entre 1,2 e 1,3.

∆𝜎𝑧 (𝑉)
𝑞 = 0,098
𝑧

𝑞 13,72 𝑘𝑁/𝑚
∆𝜎𝑧 (𝑉) = 0,098 × = 0,098 × = 1,12 𝑘𝑁/𝑚2
𝑧 1,2 𝑚

Tabela para carga horizontal (interpolando os valores entre 1,0 e 1,5.

∆𝜎𝑧 (𝐻)
𝑞 = 0,1245
𝑧

𝑞 4,99 𝑘𝑁/𝑚
∆𝜎𝑧 (𝑉) = 0,245 × = 0,1245 × = 0,518 𝑘𝑁/𝑚2
𝑧 1,2 𝑚

Aumento de tensão vertical

∆𝜎𝑧 = ∆𝜎𝑧 (𝑉) + ∆𝜎𝑧 (𝐻) = 1,12 𝑘𝑁⁄𝑚2 + 0,518 𝑘𝑁⁄𝑚2 = 𝟏, 𝟔𝟑𝟖 𝒌𝑵⁄𝒎𝟐

Fundamentos de Engenharia Geotécnica – 7ª Edição – Braja M. Das – Cap. X


Disciplina: Mecânica dos Solos – Curso de Engenharia Civil – UFRR
Mestre: Professora Doutora Gioconda Santos e Souza Martinez 13
Acadêmico: Nelson Poerschke
Em caso de as tabelas não estarem disponíveis:

2𝑞𝑧 3
∆𝜎𝑧 (𝑉) =
𝜋(𝑥 2 + 𝑧 2 )2

2(14,60 cos 20) 1,23 47,41


∆𝜎𝑧 (𝑉) = = = 1,108 𝑘𝑁/𝑚2
𝜋(1,52 + 1,22 )2 42,78

2𝑞𝑥𝑧 2
∆𝜎𝑧 (𝐻) =
𝜋(𝑥 2 + 𝑧 2 )2

2(14,60 sen 20) (1,5)(1,2)2 21,57


∆𝜎𝑧 (𝐻) = = = 0,504 𝑘𝑁/𝑚2
𝜋(1,52 + 1,22 )2 42,78

Aumento de tensão vertical

∆𝜎𝑧 = ∆𝜎𝑧 (𝑉) + ∆𝜎𝑧 (𝐻) = 1,108 𝑘𝑁⁄𝑚2 + 0,504 𝑘𝑁⁄𝑚2 = 𝟏, 𝟔𝟏𝟐 𝒌𝑵⁄𝒎𝟐

Com referência à figura, são dados:


 𝑞 = 200 𝑘𝑁/𝑚2
 𝐵 = 6𝑚
 𝑧 = 3𝑚
Determine o aumento da tensão vertical em 𝑥 = ±9; 𝑥 = ±6; 𝑥 = ±3 e 𝑥 = 0. Trace o gráfico
∆𝜎𝑧 em relação a 𝑥.

Usar a tabela de variação ∆𝜎𝑞 𝑧 em função de 2𝑥


𝐵
2𝑧
e .
𝐵

Pode-se elaborar a seguinte tabela.

Fundamentos de Engenharia Geotécnica – 7ª Edição – Braja M. Das – Cap. X


Disciplina: Mecânica dos Solos – Curso de Engenharia Civil – UFRR
Mestre: Professora Doutora Gioconda Santos e Souza Martinez 14
Acadêmico: Nelson Poerschke
𝟐𝒛/𝑩
𝟐𝒙/𝑩 ∆𝝈𝒛 ∆𝝈𝒛 (𝒌𝑵⁄𝒎𝟐 )
𝒙 (𝒎) (𝑩 = 𝟔 𝒎) 𝒒
(da tabela)
(𝑩 = 𝟔 𝒎) (× 𝟐𝟎𝟎)
(𝒛 = 𝟑 𝒎)
±9 ±3 1 0,017 3,40
±6 ±2 1 0,084 16,80
±3 ±1 1 0,480 96,00
±0 0 1 0,818 163,60

Obs.: Na coluna 1, quando 2𝑥/𝐵 é maior que 2, temos que extrapolar.

Gráfico de ∆𝜎𝑧 em relação a 𝑥:

O aterro é mostrado na figura. Determine o aumento da tensão sob o aterro no ponto A.

Fundamentos de Engenharia Geotécnica – 7ª Edição – Braja M. Das – Cap. X


Disciplina: Mecânica dos Solos – Curso de Engenharia Civil – UFRR
Mestre: Professora Doutora Gioconda Santos e Souza Martinez 15
Acadêmico: Nelson Poerschke
No ponto A:
𝜎𝑧 = 𝜎𝑧 (1) − 𝜎𝑧 (2)

𝑞0 (1) = 𝑞0 (2) = 10 𝑚 × 18 𝑘𝑁⁄𝑚3 = 180 𝑘𝑁/𝑚2

Ver figura (b) (𝐵1 = 15𝑚 + 6𝑚) e 𝐵2 = 20 𝑚)


𝐵1 15𝑚 + 6𝑚
= = 3,5
𝑧 6𝑚

𝐵2 20 𝑚
= = 3,33
𝑧 6𝑚

Com 𝐵𝑧1 e 𝐵𝑧2 entramos no gráfico de Osterberg e extraímos 𝐼2 (1) .

𝐼2 (1) = 0,495

Ver figura (c) (𝐵1 = 0) e 𝐵2 = 15 𝑚)

𝐵1 0
= =0
𝑧 6𝑚

𝐵2 15 𝑚
= = 2,5
𝑧 6𝑚

Novamente, com 𝐵𝑧1 e 𝐵𝑧2 entramos no gráfico de Osterberg e extraímos 𝐼2 (2).

𝐼2 (2) = 0,390

De posse de 𝐼2 (1) e 𝐼2 (2), usamos a equação 𝜎𝑧 = 𝑞0 𝐼, assim:

𝜎𝑧 = 𝜎𝑧 (1) − 𝜎𝑧 (2) = 𝑞0 𝐼2 (1) − 𝑞0 𝐼2 (2)

𝜎𝑧 = 180 𝑘𝑁⁄𝑚2 (0,495) − 180 𝑘𝑁⁄𝑚2 (0,390)

𝜎𝑧 = 18,9 𝑘𝑁/𝑚2

Fundamentos de Engenharia Geotécnica – 7ª Edição – Braja M. Das – Cap. X


Disciplina: Mecânica dos Solos – Curso de Engenharia Civil – UFRR
Mestre: Professora Doutora Gioconda Santos e Souza Martinez 16
Acadêmico: Nelson Poerschke
Considere uma área circular flexível uniformemente carregada as superfície do solo, como
mostra a figura.
Dados:
 𝑅 =3𝑚
 𝑞 = 100 𝑘𝑁/𝑚2

Calcule o aumento da tensão vertical nas profundidades


de 1,5 𝑚; 3,0 𝑚; 4,5 𝑚; 6,0 𝑚; e 12,0 𝑚 abaixo da superfície do
solo para os pontos 𝑟 = 0 e 𝑟 = 4,5 𝑚.

Usaremos a equação ∆𝜎𝑧 = 𝑞(𝐴′ + 𝐵 ′ ) onde 𝐴′ 𝑒 𝐵 ′ são


dados extraídos das Tabela 10.6 e 10.7, respectivamente
(interpolar se necessário).

Para 𝒓 = 𝟎, nas profundidades solicitadas:


Pode-se elaborar a seguinte tabela:

𝑟 0
= =0
𝑅 3

Profundidade 𝒛 𝑨′ 𝑩′ ∆𝝈𝒛 = 𝒒(𝑨′ + 𝑩′ )


𝒛(𝒎) 𝑹 (Tabela 10.6) (Tabela 10.7) (𝒌𝑵⁄𝒎𝟐 )
1,5 0,5 0,553 0,358 100(0,553 + 0,358) = 91,1
3,0 1,0 0,293 0,354 64,7
4,5 1,5 0,168 0,256 42,4
6,0 2,0 0,106 0,179 28,5
12,0 4,0 0,030 0,057 8,7

Fundamentos de Engenharia Geotécnica – 7ª Edição – Braja M. Das – Cap. X


Disciplina: Mecânica dos Solos – Curso de Engenharia Civil – UFRR
Mestre: Professora Doutora Gioconda Santos e Souza Martinez 17
Acadêmico: Nelson Poerschke
Para 𝒓 = 𝟒, 𝟓 𝒎, nas profundidades solicitadas:
Pode-se elaborar a seguinte tabela:
𝑟 4,5
= = 1,5
𝑅 3
Profundidade 𝒛 𝑨′ 𝑩′ ∆𝝈𝒛 = 𝒒(𝑨′ + 𝑩′ )
𝒛(𝒎) 𝑹 (Tabela 10.6) (Tabela 10.7) (𝒌𝑵⁄𝒎𝟐 )
1,5 0,5 0,095 - 0,035 100(0,095 − 0,035) = 6,00
3,0 1,0 0,098 0,028 100(0,098 + 0,028) = 12,60
4,5 1,5 0,080 0,057 13,70
6,0 2,0 0,063 0,064 12,70
12,0 4,0 0,025 0,040 6,50

O plano de uma área retangular uniformemente carregada é mostrado na figura. Determine o


aumento da tensão vertical ∆𝜎𝑧 abaixo do ponto 𝐴’, a uma profundidade 𝑧 = 4 𝑚.

Expande-se a área retangular até que o ponto 𝐴’ fique sob um dos cantos

Calcula-se a tensão para todo o retângulo:

𝐵 2
𝑚= = = 0,5
𝑧 4

𝐿 4
𝑛= = =1
𝑧 4

Com os valores de 𝑚 e 𝑛, extrai-se do ábaco ou da tabela 10.8 o valor de 𝐼3 .

𝐼3 = 0,1225

∆𝜎𝑧(1) = 𝑞𝐼3 = 150 𝑘𝑁⁄𝑚2 × 0,1225 = 18,38 𝑘𝑁⁄𝑚2

Fundamentos de Engenharia Geotécnica – 7ª Edição – Braja M. Das – Cap. X


Disciplina: Mecânica dos Solos – Curso de Engenharia Civil – UFRR
Mestre: Professora Doutora Gioconda Santos e Souza Martinez 18
Acadêmico: Nelson Poerschke
Calcula-se a tensão para a área expandida:

𝐵 1
𝑚= = = 0,25
𝑧 4

𝐿 2
𝑛= = = 0,5
𝑧 4

Com os valores de 𝑚 e 𝑛, extrai-se do ábaco ou da tabela 10.8 o valor de 𝐼3 .

𝐼3 = 0,0473

∆𝜎𝑧(2) = 𝑞𝐼3 = 150 𝑘𝑁⁄𝑚2 × 0,0473 = 7,1 𝑘𝑁⁄𝑚2

∆𝜎𝑧 = ∆𝜎𝑧(1) − ∆𝜎𝑧(2)

∆𝜎𝑧 = 18,38 𝑘𝑁⁄𝑚2 − 7,1 𝑘𝑁⁄𝑚2 = 𝟏𝟎, 𝟐𝟖 𝒌𝑵⁄𝒎𝟐

A seção transversal e a planta de uma sapata de um pilar são mostrados na figura. Encontre o
aumento de tensão vertical produzido pela sapata do pilar no ponto 𝐴.

Transformar a carga pontual de 660 kN em carga distribuída


pela área da sapata.
660 𝑘𝑁 660 𝑘𝑁
𝑞= = = 73,333 𝑘𝑁/𝑚2
3𝑚 × 3𝑚 9 𝑚2

O ponto A está localizado a uma profundidade de 3m abaixo


da base da sapata. A planta da sapata quadrada foi desenhada
̅̅̅̅ = 3 𝑚 e inserida no gráfico de
novamente com uma escala 𝐴𝐵
influência, como mostra a figura a seguir, de tal forma que o ponto A
na planta fique posicionado exatamente sobre o centro do gráfico. O
número de elementos dentro do perímetro é cerca de 48,5.

Fundamentos de Engenharia Geotécnica – 7ª Edição – Braja M. Das – Cap. X


Disciplina: Mecânica dos Solos – Curso de Engenharia Civil – UFRR
Mestre: Professora Doutora Gioconda Santos e Souza Martinez 19
Acadêmico: Nelson Poerschke
Portanto
∆𝜎𝑧 = (𝐼𝑉)𝑞𝑀

∆𝜎𝑧 = 0,005 × 73,333𝑘𝑁⁄𝑚2 × 48,5

∆𝝈𝒛 = 𝟏𝟕, 𝟕𝟖 𝒌𝑵/𝒎𝟐

Fundamentos de Engenharia Geotécnica – 7ª Edição – Braja M. Das – Cap. X


Disciplina: Mecânica dos Solos – Curso de Engenharia Civil – UFRR
Mestre: Professora Doutora Gioconda Santos e Souza Martinez 20
Acadêmico: Nelson Poerschke
10.1

a) Tensões principais

Máxima
2
𝜎𝑦 + 𝜎𝑥 (𝜎𝑦 − 𝜎𝑥 )
𝜎1 = + √[ 2
] + 𝜏𝑥𝑦
2 2

2
100 + 60 (100 − 60)
𝜎1 = + √[ ] + (−45)2 = 𝟏𝟐𝟗, 𝟐𝟒 𝒌𝑵/𝒎𝟐
2 2

Mínima
2
𝜎𝑦 + 𝜎𝑥 (𝜎𝑦 − 𝜎𝑥 )
𝜎1 = − √[ 2
] + 𝜏𝑥𝑦
2 2

2
100 + 60 (100 − 60)
𝜎1 = − √[ ] + (−45)2 = 𝟑𝟎, 𝟕𝟔 𝒌𝑵/𝒎𝟐
2 2

b) Tensões normal e de cisalhamento no plano AB.


Tensão normal
𝜎𝑦 + 𝜎𝑥 𝜎𝑦 − 𝜎𝑥
𝜎𝑛 = + cos 2𝜃 + 𝜏𝑥𝑦 𝑠𝑒𝑛 2𝜃
2 2

100 + 60 100 − 60
𝜎𝑛 = + cos 2(30) + (−45 𝑠𝑒𝑛 2(30)
2 2
Fundamentos de Engenharia Geotécnica – 7ª Edição – Braja M. Das – Cap. X
Disciplina: Mecânica dos Solos – Curso de Engenharia Civil – UFRR
Mestre: Professora Doutora Gioconda Santos e Souza Martinez 21
Acadêmico: Nelson Poerschke
100 + 60 100 − 60
𝜎𝑛 = + cos 60 − 45 𝑠𝑒𝑛 60
2 2

𝝈𝒏 = 𝟓𝟏, 𝟎𝟑 𝒌𝑵/𝒎𝟐

Tensão de cisalhamento
𝜎𝑦 − 𝜎𝑥
𝜏𝑛 = 𝑠𝑒𝑛 2𝜃 − 𝜏𝑥𝑦 𝑐𝑜𝑠 2𝜃
2

100 − 60
𝜏𝑛 = 𝑠𝑒𝑛 2(30) − (−45 𝑐𝑜𝑠 2(30)
2

100 − 60
𝜏𝑛 = 𝑠𝑒𝑛 60 + 45 cos 60
2

𝝉𝒏 = 𝟑𝟗, 𝟖𝟐 𝒌𝑵/𝒎𝟐

10.2

a) Tensões principais

Máxima
2
𝜎𝑦 + 𝜎𝑥 (𝜎𝑦 − 𝜎𝑥 )
𝜎1 = + √[ 2
] + 𝜏𝑥𝑦
2 2

2
19 + 36 (19 − 36)
𝜎1 = + √[ ] + (14)2 = 𝟒𝟑, 𝟖𝟖 𝒌𝑵/𝒎𝟐
2 2

Fundamentos de Engenharia Geotécnica – 7ª Edição – Braja M. Das – Cap. X


Disciplina: Mecânica dos Solos – Curso de Engenharia Civil – UFRR
Mestre: Professora Doutora Gioconda Santos e Souza Martinez 22
Acadêmico: Nelson Poerschke
Mínima
2
𝜎𝑦 + 𝜎𝑥 (𝜎𝑦 − 𝜎𝑥 )
𝜎1 = − √[ 2
] + 𝜏𝑥𝑦
2 2

2
19 + 36 (19 − 36)
𝜎1 = − √[ ] + (14)2 = 𝟏𝟏, 𝟏𝟐 𝒌𝑵/𝒎𝟐
2 2

b) Tensões normal e de cisalhamento no plano AB.


Tensão normal
𝜎𝑦 + 𝜎𝑥 𝜎𝑦 − 𝜎𝑥
𝜎𝑛 = + cos 2𝜃 + 𝜏𝑥𝑦 𝑠𝑒𝑛 2𝜃
2 2

19 + 36 19 − 36
𝜎𝑛 = + cos 2(45) + 14 𝑠𝑒𝑛 2(45)
2 2

19 + 36 19 − 36
𝜎𝑛 = + cos 90 + 14 𝑠𝑒𝑛 90
2 2

𝝈𝒏 = 𝟒𝟏, 𝟓𝟎 𝒌𝑵/𝒎𝟐

Tensão de cisalhamento
𝜎𝑦 − 𝜎𝑥
𝜏𝑛 = 𝑠𝑒𝑛 2𝜃 − 𝜏𝑥𝑦 𝑐𝑜𝑠 2𝜃
2

19 − 36
𝜏𝑛 = 𝑠𝑒𝑛 2(45) − 14 𝑐𝑜𝑠 2(45)
2

100 − 60
𝜏𝑛 = 𝑠𝑒𝑛 90 + 45 cos 90
2

𝝉𝒏 = − 𝟖, 𝟓 𝒌𝑵/𝒎𝟐

Fundamentos de Engenharia Geotécnica – 7ª Edição – Braja M. Das – Cap. X


Disciplina: Mecânica dos Solos – Curso de Engenharia Civil – UFRR
Mestre: Professora Doutora Gioconda Santos e Souza Martinez 23
Acadêmico: Nelson Poerschke
10.7

Posicionaremos o eixo 𝑥 𝑝𝑜𝑠𝑖𝑡𝑖𝑣𝑜 na direção BA e o eixo


𝑦 𝑛𝑒𝑔𝑎𝑡𝑖𝑣𝑜 na direção CB.

Aumento de tensão em D, causado pela carga aplicada em A:


Dados:
 𝑃𝐴 = 8,9 𝑘𝑁; 𝑥 = 1,5 𝑚; 𝑦 = 3 𝑚

𝑟 = √𝑥 2 + 𝑦 2 = √1,52 + 32 = 3,35 𝑚

𝑟
Com o valor de 𝑧 entramos na tabela 10.1 e encontramos o valor de 𝐼1 .

𝑟 3,35
= = 1,12
𝑧 3

1,12 se encontra entre 1,00 e 1,20 encontrados na tabela. Interpolar.

1,00 − 1,20 0,0844 − 0,0513


=
0,12 𝑥

−0,20𝑥 = 0,12 × 0,0331

0,003972
𝑥= = −0,01986
−0,20

𝐼1 = 0,0844 − 0,01986 = 0,0645

𝑃
∆𝜎𝑍 (1) = 𝐼
𝑧2 1

Fundamentos de Engenharia Geotécnica – 7ª Edição – Braja M. Das – Cap. X


Disciplina: Mecânica dos Solos – Curso de Engenharia Civil – UFRR
Mestre: Professora Doutora Gioconda Santos e Souza Martinez 24
Acadêmico: Nelson Poerschke
8,9 𝑘𝑁
∆𝜎𝑍 (1) = 0,0645 = 𝟎, 𝟎𝟔𝟑𝟖 𝒌𝑵
32

Aumento de tensão em D, causado pela carga aplicada em B:


Dados:
 𝑃𝐴 = 17,8 𝑘𝑁 ; 𝑥 = −1,5 𝑚; 𝑦 = 3 𝑚

𝑟 = √𝑥 2 + 𝑦 2 = √(−1,5)2 + 32 = 3,35 𝑚

𝑟
Com o valor de 𝑧 entramos na tabela 10.1 e encontramos o valor de 𝐼1 .

𝑟 3,35
= = 1,12
𝑧 3

1,12 se encontra entre 1,00 e 1,20 encontrados na tabela. Interpolar.

1,00 − 1,20 0,0844 − 0,0513


=
0,12 𝑥

−0,20𝑥 = 0,12 × 0,0331

0,003972
𝑥= = −0,01986
−0,20

𝐼1 = 0,0844 − 0,01986 = 0,0645

𝑃
∆𝜎𝑍 (2) = 𝐼
𝑧2 1

17,8 𝑘𝑁
∆𝜎𝑍 (2) = 0,0645 = 𝟎, 𝟏𝟐𝟕𝟔 𝒌𝑵
32

Aumento de tensão em D, causado pela carga aplicada em C:


Dados:
 𝑃𝐴 = 26,7 𝑘𝑁 ; 𝑥 = 1,5 𝑚; 𝑦 = 0

𝑟 = √𝑥 2 + 𝑦 2 = √(1,5)2 + 0 = 1,5 𝑚

Fundamentos de Engenharia Geotécnica – 7ª Edição – Braja M. Das – Cap. X


Disciplina: Mecânica dos Solos – Curso de Engenharia Civil – UFRR
Mestre: Professora Doutora Gioconda Santos e Souza Martinez 25
Acadêmico: Nelson Poerschke
𝑟
Com o valor de 𝑧 entramos na tabela 10.1 e encontramos o valor de 𝐼1 .

𝑟 1,50
= = 0,50
𝑧 3

0,50 se encontra diretamente na tabela.

𝐼1 = 0,2733

𝑃
∆𝜎𝑍 (3) = 𝐼
𝑧2 1

26,7 𝑘𝑁
∆𝜎𝑍 (3) = 0,2733 = 𝟎, 𝟖𝟏𝟎𝟖 𝒌𝑵
32

∆𝜎𝑍 = ∆𝜎𝑍 (1) + ∆𝜎𝑍 (2) + ∆𝜎𝑍 (3)

∆𝜎𝑍 = 0,0638 𝑘𝑁 + 0,1276 𝑘𝑁 + 0,8108 𝑘𝑁 = 1,0022 𝑘𝑁

∆𝝈𝒁 = 𝟏, 𝟎𝟎 𝒌𝑵

10.8
 𝑞1 = 75 𝑘𝑁/𝑚
 𝑞2 = 300 𝑘𝑁/𝑚
 𝑧 = 2,00 𝑚
 𝑥1 = 2,00 𝑚
 𝑥2 = 3,00 𝑚

2𝑞𝑧 3
∆𝜎𝑧 =
𝜋(𝑥 2 + 𝑧 2 )2

Fundamentos de Engenharia Geotécnica – 7ª Edição – Braja M. Das – Cap. X


Disciplina: Mecânica dos Solos – Curso de Engenharia Civil – UFRR
Mestre: Professora Doutora Gioconda Santos e Souza Martinez 26
Acadêmico: Nelson Poerschke
2𝑞1 𝑧 3 2𝑞2 𝑧 3
∆𝜎𝑧 = +
𝜋[(𝑥1 + 𝑥2 )2 + 𝑧 2 ]2 𝜋(𝑥22 + 𝑧 2 )2

2 × 75 𝑘𝑁/𝑚 × (2,00𝑚)3 2 × 300 𝑘𝑁/𝑚 × (2,00𝑚)3


∆𝜎𝑧 = +
𝜋[(2,00 𝑚 + 3,00 𝑚)2 + (2,00 𝑚)2 ]2 𝜋[(3,00 𝑚)2 + (2,00 𝑚)2 ]2

∆𝜎𝑧 = 0,4542 𝑘𝑁⁄𝑚 + 9,0408 𝑘𝑁⁄𝑚 = 𝟗, 𝟒𝟗𝟓 𝒌𝑵/𝒎

10.9
Dados:
 𝑞1 = 300 𝑘𝑁/𝑚
 𝑞2 = 260 𝑘𝑁/𝑚
 𝑧 = 3,00 𝑚
 𝑥1 = 4,00 𝑚
 𝑥2 = 3,00 𝑚

2𝑞𝑧 3
∆𝜎𝑧 =
𝜋(𝑥 2 + 𝑧 2 )2

2𝑞1 𝑧 3 2𝑞2 𝑧 3
∆𝜎𝑧 = +
𝜋[(𝑥1 + 𝑥2 )2 + 𝑧 2 ]2 𝜋(𝑥22 + 𝑧 2 )2

2 × 300 𝑘𝑁/𝑚 × (3,00𝑚)3 2 × 260 𝑘𝑁/𝑚 × (3,00𝑚)3


∆𝜎𝑧 = 2 2 2
+
𝜋[(4,00 𝑚 + 3,00 𝑚) + (3,00 𝑚) ] 𝜋[(3,00 𝑚)2 + (3,00 𝑚)2 ]2

∆𝜎𝑧 = 1,5329 𝑘𝑁⁄𝑚 + 13,7934 𝑘𝑁⁄𝑚 = 𝟏𝟓, 𝟑𝟐𝟔 𝒌𝑵/𝒎

Fundamentos de Engenharia Geotécnica – 7ª Edição – Braja M. Das – Cap. X


Disciplina: Mecânica dos Solos – Curso de Engenharia Civil – UFRR
Mestre: Professora Doutora Gioconda Santos e Souza Martinez 27
Acadêmico: Nelson Poerschke
10.10
Dados:
 𝑞1 = 10,9 𝑘𝑁/𝑚
 𝑞2 =?
 𝑧 = 0,9 𝑚
 𝑥1 = 2,45 𝑚
 𝑥2 = 1,22 𝑚

2𝑞𝑧 3
∆𝜎𝑧 =
𝜋(𝑥 2 + 𝑧 2 )2

2𝑞1 𝑧 3 2𝑞2 𝑧 3
∆𝜎𝑧 = +
𝜋[(𝑥1 + 𝑥2 )2 + 𝑧 2 ]2 𝜋(𝑥22 + 𝑧 2 )2

2 × 10,9 𝑘𝑁/𝑚 × (0,90 𝑚)3 2 × (0,90𝑚)3 × 𝑞2


1,7 𝑘𝑁/𝑚 = 2 2 2
+
𝜋[(2,45 𝑚 + 1,22 𝑚) + (0,90 𝑚) ] 𝜋[(1,22 𝑚)2 + (0,90 𝑚)2 ]2

1,458 𝑞2
1,7 𝑘𝑁/𝑚 = 0,0248 +
16,596

(1,7 𝑘𝑁⁄𝑚 − 0,0248)16,596


= 𝑞2
1,458

𝑞𝑧 = 𝟏𝟗, 𝟎𝟔𝟖 𝒌𝑵/𝒎

Fundamentos de Engenharia Geotécnica – 7ª Edição – Braja M. Das – Cap. X


Disciplina: Mecânica dos Solos – Curso de Engenharia Civil – UFRR
Mestre: Professora Doutora Gioconda Santos e Souza Martinez 28
Acadêmico: Nelson Poerschke
10.11

Acréscimo de tensão devido à carga 𝑞1 (∆𝜎𝑧(1) )

2𝑞1 𝑧 3
∆𝜎𝑧(1) =
𝜋(𝑥 2 + 𝑧 2 )2

2 × 250 𝑘𝑁⁄𝑚 × (2,00 𝑚)3


∆𝜎𝑧(1) =
𝜋[(2,00 𝑚)2 + (2,00 𝑚)2 ]2

∆𝜎𝑧(1) = 𝟏𝟗, 𝟖𝟗 𝒌𝑵/𝒎𝟐

Acréscimo de tensão devido à carga 𝑞2 (∆𝜎𝑧(2) )

Componente vertical: ∆𝜎𝑧(2) 𝑞2 = 𝑞2 𝑠𝑒𝑛 45°

2𝑞2 𝑧 3
∆𝜎𝑧(2) =
𝜋(𝑥 2 + 𝑧 2 )2

2 × (2,00 𝑚)3 𝑞2 𝑠𝑒𝑛 45 11,31371 𝑞2


∆𝜎𝑧(2) = 2 2 2
=
𝜋[(5,00 𝑚) + (2,00 𝑚) ) 2642,079

∆𝜎𝑧(2) = 𝟎, 𝟎𝟎𝟒𝟐𝟖 𝒒𝟐 𝒌𝑵/𝒎𝟐

Componente horizontal: ∆𝜎𝑧(3) 𝑞2 = 𝑞2 𝑐𝑜𝑠 45°

2𝑥𝑞2 𝑧 2
∆𝜎𝑧(3) =
𝜋(𝑥 2 + 𝑧 2 )2

Fundamentos de Engenharia Geotécnica – 7ª Edição – Braja M. Das – Cap. X


Disciplina: Mecânica dos Solos – Curso de Engenharia Civil – UFRR
Mestre: Professora Doutora Gioconda Santos e Souza Martinez 29
Acadêmico: Nelson Poerschke
2 × (5,00 𝑚)(2,00 𝑚)2 𝑞2 𝑐𝑜𝑠 45 28,2843 𝑞2
∆𝜎𝑧(3) = =
𝜋[(5,00 𝑚)2 + (2,00 𝑚)2 )2 2642,079

∆𝜎𝑧(3) = 𝟎, 𝟎𝟏𝟎𝟕𝟏 𝒒𝟐 𝒌𝑵/𝒎𝟐

∆𝜎𝑧 = ∆𝜎𝑧(1) + ∆𝜎𝑧(2) + ∆𝜎𝑧(3)

∆𝜎𝑧 = 19,89 + 0,00428 𝑞2 + 0,01071 𝑞2

30 = 19,89 + 0,01499 𝑞2

30 − 19,89
= 𝑞2
0,01499

𝒒𝟐 = 𝟔𝟕𝟒, 𝟒𝟓 𝒌𝑵/𝒎

10.12

2𝑥 2 × 2,7 𝑚
= = 1,4595
𝐵 3,7 𝑚

2𝑧 2 × 1,5 𝑚
= = 0,81081
𝐵 3,7 𝑚

2𝑥 2𝑧
Com os valores de e , entramos na Tabela 10.4 e interpolamos.
𝐵 𝐵

Fundamentos de Engenharia Geotécnica – 7ª Edição – Braja M. Das – Cap. X


Disciplina: Mecânica dos Solos – Curso de Engenharia Civil – UFRR
Mestre: Professora Doutora Gioconda Santos e Souza Martinez 30
Acadêmico: Nelson Poerschke
∆𝜎𝑧
= 0,196
𝑞

∆𝜎𝑧 = 0,196 𝑞 = 0,196 × 16,8 𝑘𝑁/𝑚2

∆𝝈𝒛 = 𝟑, 𝟐𝟗 𝒌𝑵/𝒎𝟐

10.13

2𝑥 2 × 1,5 𝑚
= = 1,00
𝐵 3𝑚

2𝑧 2 × 3 𝑚
= = 2,00
𝐵 3𝑚

2𝑥 2𝑧
Com os valores de e , entramos na Tabela 10.4.
𝐵 𝐵

∆𝜎𝑧
= 0,409
𝑞

∆𝜎𝑧 = 0,409 𝑞 = 0,409 × 60 𝑘𝑁/𝑚2

∆𝝈𝒛 = 𝟐𝟒, 𝟓𝟒 𝒌𝑵/𝒎𝟐

Fundamentos de Engenharia Geotécnica – 7ª Edição – Braja M. Das – Cap. X


Disciplina: Mecânica dos Solos – Curso de Engenharia Civil – UFRR
Mestre: Professora Doutora Gioconda Santos e Souza Martinez 31
Acadêmico: Nelson Poerschke
10.14

O aumento de tensão no ponto A é ∆𝜎𝑧 = 𝑞𝑜 (𝐼2 (1) + 𝐼2 (2)

Cálculo de 𝐵𝑧1 e 𝐵𝑧2 à esquerda de A.


𝐵1 0
= =0
𝑧 6𝑚

𝐵2 12 𝑚
= =2
𝑧 6𝑚

De posse dos valores de 𝐵𝑧1 e 𝐵𝑧2 inserimo-los no gráfico de Osterberg, obtendo o valor de 𝐼2 .

Obtém-se 𝐼2 (1) = 0,354

𝑞 = 𝛾 × 8 = 16,5 𝑘𝑁 ⁄𝑚2 × 8 𝑚 = 132 𝑘𝑁/𝑚2

∆𝜎𝑧 (1) = 𝑞𝐼2 (1)

∆𝜎𝑧 (1) = 132 𝑘𝑁⁄𝑚2 × 0,354 = 𝟒𝟔, 𝟕𝟑 𝒌𝑵⁄𝒎𝟐

Fundamentos de Engenharia Geotécnica – 7ª Edição – Braja M. Das – Cap. X


Disciplina: Mecânica dos Solos – Curso de Engenharia Civil – UFRR
Mestre: Professora Doutora Gioconda Santos e Souza Martinez 32
Acadêmico: Nelson Poerschke
Cálculo de 𝐵𝑧1 e 𝐵𝑧2 à direita de A.

𝐵1 9
= = 1,5
𝑧 6𝑚

𝐵2 12 𝑚
= =2
𝑧 6𝑚

De posse dos valores de 𝐵𝑧1 e 𝐵𝑧2 inserimo-los no gráfico de Osterberg, obtendo o valor de 𝐼2 .

Obtém-se 𝐼2 (2) = 0,487

𝑞 = 𝛾 × 8 = 16,5 𝑘𝑁 ⁄𝑚2 × 8 𝑚 = 132 𝑘𝑁/𝑚2

∆𝜎𝑧 (2) = 𝑞𝐼2 (2)

∆𝜎𝑧 (2) = 132 𝑘𝑁⁄𝑚2 × 0,487 = 𝟔𝟒, 𝟐𝟖 𝒌𝑵⁄𝒎𝟐

∆𝜎𝑧 = ∆𝜎𝑧 (1) + ∆𝜎𝑧 (2)

∆𝜎𝑧 = 46,73 + 64,28 = 𝟏𝟏𝟏, 𝟎𝟏 𝒌𝑵/𝒎𝟐

Fundamentos de Engenharia Geotécnica – 7ª Edição – Braja M. Das – Cap. X


Disciplina: Mecânica dos Solos – Curso de Engenharia Civil – UFRR
Mestre: Professora Doutora Gioconda Santos e Souza Martinez 33
Acadêmico: Nelson Poerschke
10.15

Aumento de tensão vertical no ponto A:

Pelo lado esquerdo Pelo lado direito


𝐵1 3 𝐵1 3
= = 0,5 = = 0,5
𝑧 6 𝑧 6
𝐵2 24 𝐵2 24
= =4 = =4
𝑧 6 𝑧 6
𝐼2 = 0,469 𝐼2 = 0,468

∆𝜎𝑧 (𝐴) = (12 𝑚)(18,87 𝑘𝑁⁄𝑚3 )(0,468 + 0,468) = 𝟐𝟏𝟏, 𝟗𝟓 𝒌𝑵/𝒎𝟐

Aumento de tensão vertical no ponto B:

Pelo lado esquerdo Pelo lado direito


𝐵1 0 𝐵1 6
= =0 = =1
𝑧 6 𝑧 6
𝐵2 24 𝐵2 24
= =4 = =4
𝑧 6 𝑧 6
𝐼2 = 0,42 𝐼2 = 0,48

∆𝜎𝑧 (𝐵) = (12 𝑚)(18,87 𝑘𝑁⁄𝑚3 )(0,420 + 0,48) = 𝟐𝟎𝟑, 𝟖𝟎 𝒌𝑵/𝒎𝟐

Fundamentos de Engenharia Geotécnica – 7ª Edição – Braja M. Das – Cap. X


Disciplina: Mecânica dos Solos – Curso de Engenharia Civil – UFRR
Mestre: Professora Doutora Gioconda Santos e Souza Martinez 34
Acadêmico: Nelson Poerschke
Aumento de tensão vertical no ponto C:

Pelo lado esquerdo (-) Pelo lado direito


𝐵1 0 𝐵1 30
= =0 = =5
𝑧 6 𝑧 6
𝐵2 24 𝐵2 24
= =4 = =4
𝑧 6 𝑧 6
𝐼2 = 0,42 𝐼2 = 0,50

∆𝜎𝑧 (𝐶) = (12 𝑚)(18,87 𝑘𝑁⁄𝑚3 )(−0,420 + 0,50) = 𝟏𝟖, 𝟏𝟐 𝒌𝑵/𝒎𝟐

10.16

Exatamente abaixo do centro da área circular, 𝑟 = 0.


Para a profundidade de 𝑧 = 1,5 𝑚

𝑧 1,5 𝑚 𝑟 0
= = 0,375 𝑒 = =0
𝑅 4𝑚 𝑅 4𝑚

Consultando as Tabelas 10.6 e 10.7 e interpolando, encontramos:

𝐴′ : 0,1𝑥 = (0,71265 − 0,62861)0,075


0,008404
𝐴′ : 𝑥= = 0,06303
0,1
𝐴′ = 0,71265 − 0,06303 = 0,64962

𝐵′ : 0,1𝑥 = (0,26362 − 0,32016)0,075


0,004241
𝐵′ : 𝑥= = 0,04241
0,1
𝐵′ = 0,26362 + 0,04241 = 0,30603

Fundamentos de Engenharia Geotécnica – 7ª Edição – Braja M. Das – Cap. X


Disciplina: Mecânica dos Solos – Curso de Engenharia Civil – UFRR
Mestre: Professora Doutora Gioconda Santos e Souza Martinez 35
Acadêmico: Nelson Poerschke
𝐴′ = 0,64962 𝑒 𝐵′ = 0,30603

∆𝜎𝑧 = 𝑞(𝐴′ + 𝐵′ )

∆𝜎𝑧 (1,5 𝑚) = 200 𝑘𝑁⁄𝑚2 (0,64962 + 0,30603) = 𝟏𝟗𝟏, 𝟏𝟑 𝒌𝑵/𝒎𝟐

Para a profundidade de 𝑧 = 3,0 𝑚

𝑧 3𝑚 𝑟 0
= = 0,75 𝑒 = =0
𝑅 4𝑚 𝑅 4𝑚

Consultando as Tabelas 10.6 e 10.7 e interpolando, encontramos:

𝐴′ = 0,400925 𝑒 𝐵′ = 0,38289

∆𝜎𝑧 = 𝑞(𝐴′ + 𝐵′ )

∆𝜎𝑧 (3 𝑚) = 200 𝑘𝑁⁄𝑚2 (0,400925 + 0,38289) = 𝟏𝟓𝟔, 𝟕𝟔 𝒌𝑵/𝒎𝟐

Para a profundidade de 𝑧 = 6,0 𝑚

𝑧 6𝑚 𝑟 0
= = 1,5 𝑒 = =0
𝑅 4𝑚 𝑅 4𝑚

Consultando as Tabelas 10.6 e 10.7, encontramos:

𝐴′ = 0,16795 𝑒 𝐵′ = 0,25602

∆𝜎𝑧 = 𝑞(𝐴′ + 𝐵′ )

∆𝜎𝑧 (6 𝑚) = 200 𝑘𝑁⁄𝑚2 (0,16795 + 0,25602) = 𝟖𝟒, 𝟕𝟗 𝒌𝑵/𝒎𝟐

Para a profundidade de 𝑧 = 9,0 𝑚

𝑧 9𝑚 𝑟 0
= = 2,25 𝑒 = =0
𝑅 4𝑚 𝑅 4𝑚

Fundamentos de Engenharia Geotécnica – 7ª Edição – Braja M. Das – Cap. X


Disciplina: Mecânica dos Solos – Curso de Engenharia Civil – UFRR
Mestre: Professora Doutora Gioconda Santos e Souza Martinez 36
Acadêmico: Nelson Poerschke
Consultando as Tabelas 10.6 e 10.7 e interpolando, encontramos:

𝐴′ = 0,088545 𝑒 𝐵′ = 0,15348

∆𝜎𝑧 = 𝑞(𝐴′ + 𝐵′ )

∆𝜎𝑧 (9 𝑚) = 200 𝑘𝑁⁄𝑚2 (0,088545 + 0,15348) = 𝟒𝟖, 𝟒𝟏 𝒌𝑵/𝒎𝟐

Para a profundidade de 𝑧 = 12,0 𝑚

𝑧 12 𝑚 𝑟 0
= =3 𝑒 = =0
𝑅 4𝑚 𝑅 4𝑚

Consultando as Tabelas 10.6 e 10.7, encontramos:

𝐴′ = 0,05132 𝑒 𝐵′ = 0,09487

∆𝜎𝑧 = 𝑞(𝐴′ + 𝐵′ )

∆𝜎𝑧 (12 𝑚) = 200 𝑘𝑁⁄𝑚2 (0,05132 + 0,09487) = 𝟐𝟗, 𝟐𝟒 𝒌𝑵/𝒎𝟐

Estes cálculos podem, ainda, ser simplificados com a confecção de uma tabela:

z 𝑧 𝑧 𝑟 0 𝐴′ 𝐵′ ∆𝜎𝑧 = 𝑞(𝐴′ + 𝐵′ )
= = 2
(m) 𝑅 4 𝑅 4 (Tabela 10.6) (Tabela 10.7) (𝑘𝑁⁄𝑚 )

1,50 0,375 0 0,64962 0,30603 191,13 𝑘𝑁/𝑚2


3,00 0,75 0 0,400925 0,38289 156,76 𝑘𝑁/𝑚2
6,00 1,5 0 0,16795 0,25602 84,79 𝑘𝑁/𝑚2
9,00 2,25 0 0,088545 0,15348 48,41 𝑘𝑁/𝑚2
12,0 3 0 0,05132 0,09487 29,24 𝑘𝑁/𝑚2

Fundamentos de Engenharia Geotécnica – 7ª Edição – Braja M. Das – Cap. X


Disciplina: Mecânica dos Solos – Curso de Engenharia Civil – UFRR
Mestre: Professora Doutora Gioconda Santos e Souza Martinez 37
Acadêmico: Nelson Poerschke
10.17

𝑞 = 96 𝑘𝑁⁄𝑚2 ; 𝑅 = 3 𝑚; 𝑧 = 1,5 𝑚

r 𝑧 1,5 𝑟 𝑟 𝐴′ 𝐵′ ∆𝜎𝑧 = 𝑞(𝐴′ + 𝐵′ )


= = 2
(m) 𝑅 3 𝑅 3 (Tabela 10.6) (Tabela 10.7) (𝑘𝑁⁄𝑚 )

0 0,5 0 0,55279 0,35777 87,41


0,6 0,5 0,2 0,54403 0,35752 86,55
1,2 0,5 0,4 0,51622 0,35323 83,47
2,4 0,5 0,8 0,38390 0,26236 62,04
3,6 0,5 1,2 0,18556 0,02165 19,89

10.18

Fundamentos de Engenharia Geotécnica – 7ª Edição – Braja M. Das – Cap. X


Disciplina: Mecânica dos Solos – Curso de Engenharia Civil – UFRR
Mestre: Professora Doutora Gioconda Santos e Souza Martinez 38
Acadêmico: Nelson Poerschke
𝑀 = 66 𝑒𝑙𝑒𝑚𝑒𝑛𝑡𝑜𝑠

∆𝜎𝑧 = (𝐼𝑉)𝑞𝑀

∆𝜎𝑧 (𝐴) = (0,005)(300 𝑘𝑁⁄𝑚2 )(66)

∆𝝈𝒛(𝑨) = 𝟗𝟗 𝒌𝑵⁄𝒎𝟐

10.19

a) Ponto A:
𝐵 2𝑚 𝐿 4𝑚
𝑚= = =1 𝑒 𝑛= = =2
𝑧 2𝑚 𝑧 2𝑚
Onde:
𝐵 = lado menor e 𝐿 = lado maior.

De posse dos valores de 𝑚 e 𝑛, encontramos 𝐼3 na Tabela 10.8

𝐼3 = 0,1999

∆𝜎𝑧(𝐴) = 𝑞𝐼3 = 100 𝑘𝑁⁄𝑚2 × 0,1999 = 𝟏𝟗, 𝟗𝟗 𝒌𝑵⁄𝒎𝟐

Fundamentos de Engenharia Geotécnica – 7ª Edição – Braja M. Das – Cap. X


Disciplina: Mecânica dos Solos – Curso de Engenharia Civil – UFRR
Mestre: Professora Doutora Gioconda Santos e Souza Martinez 39
Acadêmico: Nelson Poerschke
Fundamentos de Engenharia Geotécnica – 7ª Edição – Braja M. Das – Cap. X
Disciplina: Mecânica dos Solos – Curso de Engenharia Civil – UFRR
Mestre: Professora Doutora Gioconda Santos e Souza Martinez 40
Acadêmico: Nelson Poerschke
b) Ponto B:

Retângulo 1

𝐵 1,2 𝑚 𝐿 2,4 𝑚
𝑚= = = 0,6 𝑒 𝑛= = = 1,2
𝑧 2𝑚 𝑧 2𝑚

𝐼3(1) = 0,1431

Retângulo 2

𝐵 0,8 𝑚 𝐿 2,4 𝑚
𝑚= = = 0,4 𝑒 𝑛= = = 1,2
𝑧 2𝑚 𝑧 2𝑚

𝐼3(2) = 0,1063

Retângulo 3

𝐵 1,2 𝑚 𝐿 1,6 𝑚
𝑚= = = 0,6 𝑒 𝑛= = = 0,8
𝑧 2𝑚 𝑧 2𝑚

𝐼3(3) = 0,1247

Retângulo

𝐵 0,8 𝑚 𝐿 1,6 𝑚
𝑚= = = 0,4 𝑒 𝑛= = = 0,8
𝑧 2𝑚 𝑧 2𝑚

𝐼3(4) = 0,0931

∆𝜎𝑧(𝐵) = 𝑞(𝐼3(1) + 𝐼3(2) + 𝐼3(3) + 𝐼3(4)

∆𝜎𝑧(𝐵) = 100 𝑘𝑁⁄𝑚2 ( 0,1431 + 0,1063 + 0,1247 + 0,0931) = 𝟒𝟔, 𝟕𝟐 𝒌𝑵⁄𝒎𝟐

Fundamentos de Engenharia Geotécnica – 7ª Edição – Braja M. Das – Cap. X


Disciplina: Mecânica dos Solos – Curso de Engenharia Civil – UFRR
Mestre: Professora Doutora Gioconda Santos e Souza Martinez 41
Acadêmico: Nelson Poerschke
c) Ponto C:

Retângulo + acréscimo

𝐵 2𝑚 𝐿 5,2 𝑚
𝑚= = =1 𝑒 𝑛= = = 2,6
𝑧 2𝑚 𝑧 2𝑚

𝐼3(1) = 0,2026

Acréscimo

𝐵 1,2 𝑚 𝐿 2𝑚
𝑚= = = 0,6 𝑒 𝑛= = =1
𝑧 2𝑚 𝑧 2𝑚

𝐼3(2) = 0,1361

∆𝜎𝑧(𝐶) = 𝑞(𝐼3(1) + 𝐼3(2) ) = 100 𝑘𝑁⁄𝑚2 (0,2026 − 0,1361) = 𝟔, 𝟔𝟓 𝒌𝑵⁄𝒎𝟐

Fundamentos de Engenharia Geotécnica – 7ª Edição – Braja M. Das – Cap. X


Disciplina: Mecânica dos Solos – Curso de Engenharia Civil – UFRR
Mestre: Professora Doutora Gioconda Santos e Souza Martinez 42
Acadêmico: Nelson Poerschke
10.20

𝐵 = 2 𝑚;
𝐵
𝑏= =1𝑚
2

𝐿 =4𝑚
𝐿 4 𝑧 3,5
𝑚1 = = =2 𝑒 𝑛1 = = = 3,5
𝐵 2 𝑏 1

De posse de 𝑚1 𝑒 𝑛1 extrai-se da Tabela10.9 o valor de 𝐼4 .

𝐼4 = 0,1435

∆𝜎𝑧 = 𝑞𝐼4

∆𝜎𝑧 = 100 𝑘𝑁/𝑚2 (0,1435)

∆𝝈𝒛 = 𝟏𝟒, 𝟑𝟓 𝒌𝑵/𝒎𝟐

Fundamentos de Engenharia Geotécnica – 7ª Edição – Braja M. Das – Cap. X


Disciplina: Mecânica dos Solos – Curso de Engenharia Civil – UFRR
Mestre: Professora Doutora Gioconda Santos e Souza Martinez 43
Acadêmico: Nelson Poerschke
Fundamentos de Engenharia Geotécnica – 7ª Edição – Braja M. Das – Cap. X
Disciplina: Mecânica dos Solos – Curso de Engenharia Civil – UFRR
Mestre: Professora Doutora Gioconda Santos e Souza Martinez 44
Acadêmico: Nelson Poerschke