Você está na página 1de 5

1.

«Algumas bicicletas não são veículos com duas rodas» é expressão canónica de

(A) Algumas bicicletas têm mais do que duas rodas.

(B) As bicicletas não têm duas rodas.

(C) Pelo menos algumas bicicletas têm duas rodas.

(D) Nem todas as bicicletas têm duas rodas. Opção (D)

2. Se as premissas de um silogismo válido forem «Alguns bailarinos são acrobatas»


e «Os acrobatas não

têm vertigens», então a sua conclusão é

(A) os bailarinos não são pessoas com vertigens.

(B) alguns bailarinos têm vertigens.

(C) alguns bailarinos não têm vertigens.

(D) as pessoas com vertigens não são bailarinas. Opção (C)

3. Considere o argumento seguinte. A China tem mais habitantes do que a Índia. A


Índia, por sua vez, tem mais habitantes do que o Brasil. Logo, a China é o país com
mais habitantes do mundo.

O facto de este argumento ter premissas e conclusão verdadeiras torna-o sólido?


Justifique.

A resposta integra os aspetos seguintes, ou outros igualmente relevantes.


Apresentação da resposta: ‒ o facto de o argumento ter premissas e conclusão
verdadeiras não o torna sólido.

Justificação: ‒ para ser sólido, o argumento apresentado, além de ter premissas e


conclusão verdadeiras, teria de ser válido (e não é); ‒ o argumento é inválido,
porque a sua conclusão não é uma consequência lógica das suas premissas (OU
existe a possibilidade de as premissas serem verdadeiras e a conclusão ser falsa,
OU ainda que as suas premissas sejam verdadeiras, delas não se segue que a
China tenha mais habitantes do que qualquer outro país, pois as premissas apenas
permitem concluir que a China tem mais habitantes do que a Índia e do que o
Brasil).

4. Nas últimas décadas, os carros tornaram-se maiores e é mais difícil estacioná-


los. Por isso, os lugares de estacionamento devem passar a ser maiores. É um facto
que precisamos de cidades com mais espaços verdes e menor área de
estacionamento, mas seria absurdo as pessoas não terem onde deixar os seus
carros. A conclusão deste argumento é

(A) «seria absurdo as pessoas não terem onde deixar os seus carros.»

(B) «nas últimas décadas, os carros tornaram-se maiores e é mais difícil estacioná-
los.»

(C) «os lugares de estacionamento devem passar a ser maiores.»

(D) «precisamos de cidades com mais espaços verdes e menor área de


estacionamento.»
Opção (C)

5. Atente no argumento seguinte.

As pessoas desonestas são ambiciosas. E os atletas de alta competição são pessoas

ambiciosas. Isso mostra que há atletas de alta competição desonestos.

O argumento é inválido. Porquê?

Explicação da invalidade do silogismo:

‒ de acordo com as premissas do silogismo, tanto as pessoas desonestas como os


atletas de alta competição são pessoas ambiciosas (OU tanto a classe das pessoas
desonestas como a classe dos atletas de alta competição estão incluídas na classe
das pessoas ambiciosas); mas isso não implica que haja uma pessoa ambiciosa que
seja simultaneamente um atleta de alta competição e uma pessoa desonesta (de
modo análogo, todos os gafanhotos são insetos e todas as pulgas são insetos; mas
isso não implica que haja um inseto que seja simultaneamente um gafanhoto e
uma pulga);

‒ assim, ainda que seja verdade que «todas as pessoas desonestas são pessoas
ambiciosas» e que «todos os atletas de alta competição são pessoas ambiciosas»,
não é certo que alguns atletas de alta competição sejam pessoas desonestas (OU é
possível que nenhum atleta de alta competição seja uma pessoa desonesta);

‒ por conseguinte, a conclusão do silogismo apresentado não é uma consequência


lógica das suas premissas (OU o silogismo é inválido).

6. A. Atente na proposição expressa pela frase seguinte.

Quem é artista é criativo. Identifique a quantidade e a qualidade da proposição


expressa.

Cenário de resposta Identificação da quantidade e da qualidade da proposição:

– (quantidade) universal (e) (qualidade) afirmativa.

7. A. Indique os termos maior, menor e médio do silogismo seguinte.

Sem dúvida que algumas estrelas de cinema são vaidosas, pois é óbvio que as
pessoas excêntricas são vaidosas e que algumas estrelas de cinema são pessoas
excêntricas.

A resposta integra os aspetos seguintes, ou outros equivalentes. Indicação dos


termos maior, menor e médio do silogismo:

– termo maior: (pessoas) vaidosas; – termo menor: estrelas de cinema; – termo


médio: (pessoas) excêntricas.
8. A. Identifique a falácia presente no silogismo seguinte. Justifique a sua resposta.

Todas as flores são bonitas e todas as flores atraem insetos. Por conseguinte, o que
é bonito atrai insetos.

A resposta integra os aspetos seguintes, ou outros equivalentes. Identificação da


falácia: ‒ ilícita menor. Justificação da resposta: ‒ o termo «bonito» («coisas
bonitas») está distribuído na conclusão, pois é o sujeito de uma universal
(afirmativa); ‒ o termo «bonito» («coisas bonitas») não está distribuído na
premissa em que ocorre (premissa menor), pois é o predicado de uma (universal)
afirmativa; ‒ o termo «bonito» («coisas bonitas»), estando distribuído na
conclusão, deveria estar distribuído na premissa em que ocorre.

9. O argumento «Alguns minhotos são portugueses; portanto, alguns portugueses


são minhotos» é

(A) válido, porque a conclusão se segue da premissa.

(B) válido, porque a conclusão é verdadeira.

(C) inválido, porque a premissa é falsa.

(D) inválido, porque a premissa não apoia a conclusão. Opção (A)

10. A proposição «os gatos têm asas» não pode fazer parte de um argumento

(A) não sólido.

(B) inválido.

(C) sólido.

(D) válido. Opção (C)

11. Num bom argumento indutivo,

(A) as premissas são verdadeiras e a conclusão não pode ser falsa.

(B) as premissas são verdadeiras e é improvável que a conclusão seja falsa.

(C) as premissas não têm de ser verdadeiras, bastando que sejam prováveis.

(D) uma das premissas, pelo menos, tem de ser verdadeira. Opção (B)

12. Num argumento indutivamente forte, se as premissas forem verdadeiras, a


conclusão tem

(A) uma grande probabilidade de ser verdadeira.

(B) a garantia de ser verdadeira.

(C) de ser uma verdade completamente evidente.

(D) de ser aceite como verdadeira. Opção (A)


13. A. Construa um silogismo válido da 3.ª figura com os termos seguintes.

Termo maior: pessoas com capacidade crítica.

Termo médio: cidadãos maiores de 18 anos.

Termo menor: eleitores.

A resposta integra os aspetos seguintes. Apresentação de um silogismo válido da


3.ª figura com os termos dados.

Exemplo de resposta:

Nem todos os cidadãos maiores de 18 anos são pessoas com capacidade crítica.
Todos os cidadãos maiores de 18 anos são eleitores.
Logo, nem todos os eleitores são pessoas com capacidade crítica.

14. A. Considere o silogismo seguinte.

Todos os corvos são aves.

Nenhum tigre é um corvo.

Logo, nenhum tigre é uma ave.

Identifique a falácia que nele ocorre, explicando o erro de raciocínio cometido.

A resposta integra os aspetos seguintes, ou outros equivalentes. Identificação da


falácia: – falácia da ilícita maior. Explicação do erro de raciocínio cometido:

– o termo maior, «ave», é predicado de uma (universal) negativa na conclusão e é


predicado de uma (universal) afirmativa na premissa maior;

– o termo maior, «ave», está distribuído na conclusão, mas não está distribuído na
premissa em que ocorre.

15. A. Considere a proposição seguinte.

«Alguns seres vivos são animais».

Construa um silogismo categórico válido da primeira figura em que a proposição


apresentada seja a conclusão e o termo médio seja «vertebrados». Indique o modo
do silogismo construído.

A resposta integra os seguintes aspetos, ou outros equivalentes.

– Construção correta de um silogismo categórico válido da primeira figura, com a


conclusão proposta e com o termo médio «vertebrados».

Exemplo: Todos os vertebrados são animais. Alguns seres vivos são vertebrados.
Alguns seres vivos são animais.

– Indicação do modo do silogismo construído. No exemplo dado, o modo é AII.


16. A. Considere o argumento seguinte.

Todos os filósofos são sábios.

Nenhum sofista é filósofo.

Logo, nenhum sofista é sábio.

Identifique o tipo de falácia formal presente no argumento.

Justifique a sua resposta, mediante a enunciação da regra infringida e a


explicitação da respetiva infração.

A resposta integra os seguintes aspetos, ou outros equivalentes.

– Identificação correta da falácia formal: falácia da ilícita maior.

– Justificação:

• Enunciação da regra – o termo maior não pode ter maior extensão na conclusão
do que na premissa,

ou seja, não pode estar distribuído na conclusão sem estar distribuído na premissa;

• Explicitação da infração da regra – o termo maior «sábio» está distribuído na


conclusão e não está distribuído na premissa maior.