Você está na página 1de 14

PLANO DE ENSINO

CURSO: Engenharia Mecânica


SÉRIE: 4º/5º Semestre
TURNO: Noturno
DISCIPLINA: Estática nas Estruturas
CARGA HORÁRIA SEMANAL: 04 Horas-aula (teoria)
CARGA HORÁRIA SEMESTRAL : 80 Horas-aula

I - EMENTA
Esforços. Esforços solicitantes. Deslocamentos. Tensões. Tensão normal e de
cisalhamento, Torção. Dimensionamentos.

II - OBJETIVOS GERAIS
Determinação dos esforços que atuam em uma estrutura e verificar suas relações com
as tensões atuantes.

III - OBJETIVOS ESPECÍFICOS


Permitir, ao futuro engenheiro, conhecer os esforços atuantes em uma estrutura, a
solução econômica para aplicação de materiais e para sua geometria, de modo a
conseguir o funcionamento esperado.

IV - CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
 Revisão de estática
 Esforços; forças e momentos; ação de esforços
 Equilíbrio de esforços – Teorema de Varignon
 Estruturas
o Classificação
o Elementos de uma estrutura
 Equilíbrio das estruturas
o Cálculo de reações de apoio
 Esforços solicitantes – Classificação e determinação
o Diagramas de esforços solicitantes
 Tensões Normais e de Cisalhamento
o Definições , Tração e compressão; Lei de Hooke, Deformações
Longitudinais, Coeficiente de Poisson
o Ligações
 Torção
o Tensões de cisalhamento e ângulo de deformação na torção de barras
circulares e não circulares de seção maciça.

V - ESTRATÉGIA DE TRABALHO
Aulas expositivas sobre a teoria e sobre suas aplicações. (exercícios). Atividades
domésticas semanais

VI - AVALIAÇÃO
De acordo com o Regimento da Universidade.

VII - BIBLIOGRAFIA
Bibliografia Básica
Gere, J. M. , “MECANICA DOS MATERIAIS” – LTC ( Livros Técnicos e Científicos
Editora S/A), 2010;
NELSON, E. W. et al. ENGENHARIA MECÂNICA – ESTÁTICA – Porto Alegre:
Bookman, 2013;
Hibbeler, R.C., “ RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS” – Pearson Education do Brasil,
2010;
Bibliografia Complementar
Beer & Johnston, “RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS” – Mc Graw Hill,1996
Craig, R.R., “ MECANICA DOS MATERIAIS” - LTC ( Livros Técnicos e Científicos
Editora S/A), 2003;
França, L.N.F., Matsumura, A Z., “ MECÂNICA GERAL” – 2º Edição Ed. Edgard
Blucher – 2004;
Hibbeler, R.C.. Estática: Mecânica para Engenharia, 10a. edição, Pearson, 2008.
MERIAM; James L.; “ESTÁTICA” - RiO de Janeiro LTC ( Livros Técnicos e
Científicos Editora S/A), 2010;
PLANO DE ENSINO

CURSO : Engenharia Mecânica


SÉRIE : 4º/5º Semestres
TURNO : NOTURNO
DISCIPLINA : Termodinâmica Básica
CARGA HORÁRIA SEMANAL : 02 Horas-aula (teoria)
CARGA HORÁRIA SEMESTRAL : 40 Horas-aula

I – EMENTA
Conceitos de Energia Mecânica, Trabalho e Calor. Primeira Lei da Termodinâmica e
Conceito de Ciclo Termodinâmica (Reservatórios Térmicos). Substâncias Puras,
Relação PVT e Diagrama de Fases, Mudança de Fases e Cálculo de Título, Tabelas
Termodinâmicas e Equações de Estado. Primeira Lei da Termodinâmica para
Sistemas Fechados e Volume de Controle. Desigualdade de Clausius. Entropia.
Balanço de Entropia para Sistemas Fechados e Volume de Controle. Processos
Isentrópicos.

II - OBJETIVOS GERAIS
Transmitir aos alunos conhecimentos da Termodinâmica Clássica, a fim de que os
mesmos possam examinar equacionar e resolver, os problemas que surgem no
cotidiano do campo da Engenharia Térmica.

III - OBJETIVOS ESPECÍFICOS


Desenvolver no aluno o raciocínio dedutivo para entender o relacionamento entre os
conceitos da termodinâmica e suas aplicações.

IV - CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
 Conceitos de Energia Mecânica (Cinética e Potencial). Temperatura e Lei Zero
da Termodinâmica. Trabalho e Calor. Primeira Lei da Termodinâmica.
 Propriedades de Substâncias Puras: Relações P-V-T e Diagramas P-V, P-T e
T-V, Título e Equações de Estado. Propriedades Termodinâmicas: Tabelas
Termodinâmicas. Entalpia, Calor Específico.
 Conservação da Massa. Balanço de Energia Primeira Lei da Termodinâmica
Aplicada para Sistemas Fechado e Volume de Controle, em Regime
Permanente e Transiente.
 Conceitos de Reservatórios Térmicos e Ciclos Termodinâmicos Desigualdade
de Clausius e Entropia. Variação da Entropia em Substâncias Puras, Relações
Termodinâmicas (Tds), Diagramas T-s e h-s, Processos Internamente
Reversíveis.
 Segunda Lei da Termodinâmica para Sistemas Fechados e Aplicada a Volume
de Controle. Processos Isentrópicos.

V - ESTRATÉGIA DE TRABALHO
Aulas expositivas desenvolvendo os principais conceitos e execução de exercícios
para verificar a compreensão dos mesmos.

VI - AVALIAÇÃO
De acordo com o Regimento da Universidade.

VII - BIBLIOGRAFIA
Bibliografia Básica
Borgnakke, C. e Sonntag, R.E., “Fundamentos da Termodinâmica”, 7ª Ed., Editora
Edgard Blucher, 2010.
Moran, M.J. e Shapiro, H.N., “Princípios de Termodinâmica para Engenharia”, 6ª
Ed., Editora LTC, 2009.
Çengel, Y.A. e Boles, M.A., “Termodinâmica”, 5ª Ed., Editora McGraw-Hill, 2007.
Bibliografia Complementar
Wylen, G.J.; Sonntag,R.E. e Borgnakke, C., “Fundamentos da Termodinâmica
Clássica”, 4ª Ed., Editora Edgard Blucher, 1997.
Luiz, A.M., “Termodinâmica – Teoria e Problemas Resolvidos”, 1ª Ed., Editora LTC,
2007.
Potter, M.C. e Scott, E.P., “Termodinâmica” 1a Ed. ; Ed. Thomson Learning, 2006.
Smith, J.M.; Van Ness, H.C. e Abbott, M.M., “Introdução à Termodinâmica da
Engenharia Química”, 7ª Ed., Editora LTC, 2007.
Bistafa, Sylvio R. .Mecânica Dos Fluidos Noções E Aplicações, Ed. Edgard Blucher,
2010.
PLANO DE ENSINO

CURSO: Engenharia Mecânica


SÉRIE: 4/5º Semestres
TURNO: NOTURNO
DISCIPLINA: Ciências dos Materiais
CARGA HORÁRIA SEMANAL: 02 Horas-aula (teoria)
CARGA HORÁRIA SEMESTRAL : 40 Horas-aula

I – EMENTA
Características gerais exigidas nos materiais em engenharia. Ligação química.
Estrutura cristalina. Planos e direções cristalinas. Propriedades mecânicas dos
materiais metálicos. Propriedades elétricas e magnéticas dos materiais. Deformação
dos metais. Ruptura dos metais. Ligas metálicas. Diagrama de equilíbrio Fe-C.
Curva temperatura-tempo transformação. Noções de tratamentos térmicos e
termoquímicos. Propriedades e classificação dos aços. Ferros fundidos. Metais e ligas
não ferrosas.

II - OBJETIVOS GERAIS
Proporcionar aos alunos conhecer os diversos tipos de materiais, suas características,
propriedades e aplicações.

III - OBJETIVOS ESPECÍFICOS


Correlacionar as microestruturas com as propriedades dos materiais metálicos.
Capacitar o aluno quanto aos procedimentos e metodologias de ensaios para medição
de propriedades mecânicas de materiais metálicos
Desenvolver no aluno conhecimento sobre processos de tratamento térmicos
objetivando determinadas propriedades. Estudos de normas e materiais envolvidos.

IV - CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
Características gerais exigidas nos materiais de engenharia. Comparação entre
materiais metálicos, poliméricos e cerâmicos.
Ligação química, estrutura cristalinas. Sistemas cristalinos, fator de empacotamento
atômico, imperfeições estruturas e movimentos atômicos.
Propriedades mecânicas dos metais. Deformação elástica, módulo de elasticidade,
limite de escoamento, limite de resistência, limite de ruptura, alongamento estricção e
tenacidade. Deformação dos metais, deformação elástica, deformação plástica,
propriedades dos materiais deformados plasticamente.
Ruptura dos metais, fratura frágil, fratura dutil, fadiga, fluência.
Diagrama de equilíbrio binário, reação eutética, e eutetóide, lei Gibbs.
Diagrama de equilíbrio Fe-C, estruturas que se formam no resfriamento lento de aço
eutetóide.
Curva temperatura-tempo-transformação, fatores que influem na posição das curvas
TTT. Produtos de transformação da austenita.
Noções de tratamentos térmicos: recozimento, normalização, têmpera e revenido,
esferoidização, temperabilidade, austempera e martempera. Têmpera superficial.
Tratamentos termoquímicos: cementação, nitretação e carbonitretação.
Propriedades dos aços, normas ABTN, ASTM E DIN, classificação dos aços.
Ferros fundidos – introdução, ferros fundidos brancos, ferros fundidos cinzentos,
ferros fundidos nodulares.
Metais e ligas não ferrosas. Alumínio e cobre e suas ligas. Introdução, propriedades
aplicações, classificação e suas ligas.

V - ESTRATÉGIA DE TRABALHO
As estratégias de trabalho são:
- Aulas expositivas com utilização de recursos de multimídia:
Retro projetor, “Data Show”, Vídeo, projetor de Slides, etc.
- Exercícios extra classe.

VI- AVALIAÇÃO
De acordo com o Regimento da Universidade.

VII – BIBLIOGRAFIA
Bibliografia Básica
CALLISTER Jr, W. D. FUNDAMENTOS DA CIÊNCIA E ENGENHARIA DE
MATERIAIS. Rio de Janeiro: LTC, 2006-2011.
CHIAVERINI, V. AÇOS E FERROS FUNDIDOS. São Paulo: Associação Brasileira de
Metalurgia e Materiais, 1996-2002.
CHIAVERINI, V. TRATAMENTO TERMICO DAS LIGAS METALICAS. São Paulo:
Associação Brasileira de Metalurgia e Materiais, 2003-2008.

Bibliografia Complementar
Chiaverini, V. METALURGIA DO PÓ. São Paulo: Associação Brasileira de Metalurgia
e Metais, 1988-2001.
Van Vlack, L. H. Princípios de Ciência dos Materiais. São Paulo: Edgard Blucher,
1970.
PARETO, L. Formulário técnico: resistência e ciência dos materiais. São Paulo:
Hemus, 2003.
BROPHY, J. K.; ROSE, R. M.; WULFF, J. Ciência dos materiais: propriedades
termodinâmicas. Rio de Janeiro: LTC, 1972. v.2
COLPAERT, H. Metalografia dos produtos siderúrgicos comuns. 4ª Edição. São
Paulo: Edgard Blucher, 2008.
GARCIA, A; SPIM, J. A; SANTOS, C. A. Ensaios dos Materiais. 2ª Edição. Rio de
Janeiro, LTC Editora, 2012.
PLANO DE ENSINO

CURSO: Engenharia Mecânica


SÉRIE: 4º/5ª Semestres
TURNO: NOTURNO
DISCIPLINA: Fabricação Mecânica
CARGA HORÁRIA SEMANAL: 02 Horas-aula (teoria)
CARGA HORÁRIA SEMESTRAL : 40 Horas-aula

I - EMENTA
A disciplina aborda a forma como são manufaturados os produtos na indústria metal-
mecânica, mostrando, quais são as vantagens, as desvantagens e as principais
características dos processos de fabricação mais utilizados.

II - OBJETIVOS GERAIS
Transmitir conhecimento sobre os vários processos de fabricação mecânica.

III - OBJETIVOS ESPECÍFICOS


Possibilitar ao aluno a escolha da opção adequada para a execução de determinada
peça, através de parâmetros técnicos e econômicos.

IV - CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
TEORIA
 Noções sobre as áreas que compõem uma indústria e suas funções;
 O que vem a ser um Processo de Fabricação;
 Normas Técnicas; Formação da documentação para produção em um produto:
Desenho, lista de materiais, folha de processos;
 Processos de fundição;
 Fundição em areia.
 Fundição em casca.
 Fundição em coquilha.
 Fundição sob pressão.
 Fundição centrífuga.
 Fundição de precisão pelo processo da cera perdida.
 Fundamentos sobre o processos de fabricação por conformação.
 Classificação dos processos de conformação mecânica dos metais.
 Processos de conformação mecânica
 Laminação
 Trefilação
 Forjamento
 Extrusão
 Metalurgia do Pó

V - ESTRATÉGIA DE TRABALHO
A apresentação das aulas será feita por projetor digital, Poderão ser apresentados
filmes mostrando as máquinas em ação. Os alunos serão incentivados a realizar
pesquisas sobre os tópicos expostos em aula, formalizando-as através da
apresentação de um seminário onde será mostrado o processo de fabricação de uma
peça. Fabricação de peças e uso de máquinas nas atividades práticas.
VI - AVALIAÇÃO
De acordo com o regimento da Universidade.

VII - BIBLIOGRAFIA
Bibliografia Básica
CHIAVERINI, V.Tecnologia Mecânica. Vol1 Ed. Makron Books, São Paulo, 2008.
NOVASKI, O. Introdução à Engenharia de Fabricação Mecânica. São Paulo:
Edgard Blucher, 1994-2008.
HELMAN, H.; CETLIN, P. R. Fundamentos da Conformação Mecânica dos Metais.
São Paulo: Artlieber, 1993-2010.
Bibliografia Complementar
DOYLE, L. E. Processos de fabricação e materiais para engenheiros. São Paulo:
Edgard Blucher, 1978.
CHIAVERINI, V.Tecnologia Mecânica. Vol 2 Ed. Makron Books, São Paulo, 2008.
RUFINO, R. T. Tolerâncias, ajustes, desvios e análise de dimensões. São Paulo:
Edgard Blucher, 1995.
DIETER, G. E. Metalurgia Mecânica. Rio de Janeiro: Guanabara Dois, 1981.
MEYERS, M. A.; CHAWLA, K. K. Princípios de metalurgia mecânica. Rio de
Janeiro: Edgard Blucher, 1982.
PLANO DE ENSINO

CURSO: Engenharia Mecânica


SÉRIE: 4º/5º Semestres
TURNO: NOTURNO
DISCIPLINA: Química Aplicada
CARGA HORÁRIA SEMANAL: 01 Hora-aula (prática)
CARGA HORÁRIA SEMESTRAL : 20 Horas-aula

I - EMENTA
Abordagem dos processos de conservação de energia do âmbito da Química.

II - OBJETIVOS GERAIS
Dar condições ao futuro engenheiro de interagir com os principais processos
envolvidos nas suas atribuições no exercício da engenharia como a Lubrificação, a
Corrosão e a Proteção Contra a Corrosão.

III - OBJETIVOS ESPECÍFICOS


Capacitar os estudantes de engenharia para a seleção, formas de uso e aplicação dos
lubrificantes, seleção e formas de uso. Alertar os mesmos quanto às causas da
corrosão, seus tipos, e as forma de proteção.

IV - CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
Lubrificantes industriais. Classificação, origem, composição, principais características
dos mais comuns. Critérios de seleção características e propriedades.
Viscosidade, Índice de viscosidade, Ponto de gota das Graxas. . Noções gerais sobre
corrosão eletroquímica e sobre a proteção contra a corrosão.
Ensaios práticos
Os ensaios práticos que serão realizados no curso são:
1 – Determinação da viscosidade de óleos lubrificantes;
2 – Determinação do Índice de Viscosidade, Grau SAE de viscosidade, Viscosidade
ISO VG de óleos lubrificantes automotivos;
3 – Constatação da diferença de potencial em uma pilha galvânica;
4 – Inversão da polaridade de uma pilha galvânica por mudança do meio;
5 – Heterogeneidades que determinam o surgimento da diferença de potencial
(temperaturas, concentrações, meios diferentes, aeração diferencial, ativo-passivo);
6 – Constatação da ação de inibidores da corrosão, de revestimentos anódicos e de
revestimentos catódicos;
7 – Proteção por anodo de sacrifício;
8 – Proteção por corrente imposta.

V - ESTRATÉGIA DE TRABALHO
Aulas práticas com desenvolvimento experimental de ensaios, análises,
determinações de características e propriedades de lubrificantes. Ensaios e
demonstrações sobre a corrosão e a proteção contra a corrosão.

VI - AVALIAÇÃO
De acordo com o Regimento da Universidade.

VII. BIBLIOGRAFIA
Bibliografia Básica
GENTIL, V. Corrosão. 5ª ed. Rio de Janeiro: LTC, 2007. ISBN 9788521615569.
TASSINARI C.A. et al. Química tecnológica. Pioneira Learning Thomsom, 2003.
ROSENBERG, J. L.; EPSTEIN, L. M. Teoria e problemas de química Geral. 8.ed.
Porto Alegre: Bookman, 2007.
Bibliografia Complementar
DUTRA, A. C. Proteção catódica: técnica de combate à corrosão. 4ª ed.
Interciência, 2006. ISBN: 8571931550.
DUARTE, D. J. Tribologia, Lubrificação e Mancais de Deslizamento. Brasil
Ciência Moderna 2005 ISBN: 8573933283
CARRETEIRO, R. P. BELMIRO, P. N. A. Lubrificantes & lubrificação industrial.
Interciência, 2006. ISBN: 8571931585
CALLISTER Jr, W. D. Fundamentos da Ciência e Engenharia de Materiais. Rio de
Janeiro: LTC, 2006-2011.
RAMANATHAN, L.V. Corrosão e seu Controle. Brasil . HEMUS 2007.
NUNES, L.P, Fundamentos de Resistência à Corrosão. Brasil. Interciência 2007.

PLANO DE ENSINO
CURSO: Engenharia Mecânica
SÉRIE: 4º/5º Semestres
TURNO: NOTURNO
DISCIPLINA: Mecânica dos Fluidos
CARGA HORÁRIA SEMANAL: 02 Horas-aula (teoria) / 01 Hora-aula (prática)
CARGA HORÁRIA SEMESTRAL : 60 Horas-aula

I – EMENTA
Compreender e saber equacionar os fenômenos de fluido dinâmica acrescentando a
estes conceitos com aulas experimentais em laboratório.

II – OBJETIVOS GERAIS
Desenvolver a habilidade de utilizar as equações fundamentais que regem o
comportamento dos fluidos em condição de escoamento capacitando o estudante de
engenharia a entender devidamente os princípios básicos e as leis fundamentais.

III – OBJETIVOS ESPECÍFICOS


Analisar as propriedades dos fluidos e seu comportamento. Complementar os
conceitos da equação da continuidade e da equação de energia. Apresentar os
modelos de cálculo de perda de carga distribuída e singular.

IV – CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
Teoria
 Regime de escoamento e Teorema de Transporte de Reynolds.
 Equação da continuidade
 Equação de Bernoulli
 Equação da Bernoulli modificada com a presença uma Máquina
 Perda de Carga Singular e Distribuída.
 Problemas interno em escoamento de tubos

Laboratório
1 Apresentação do Laboratório e das Bancadas
2 Experimento para determinação da vazão
3 Experimento com medidores de vazão por obstrução: Bocal e Placa de Orifício
e/ou Venturi.
4 Experimento com medidor de velocidade por Sonda de Pitot.
5 Rotâmetro

V – ESTRATÉGIA DE TRABALHO
O aluno terá aulas teóricas semanais e aulas de laboratório quinzenais versando
sobre o conteúdo ministrado em sala. A aula de teoria apresentará o conteúdo
programático a ser desenvolvido, incluindo exemplos e exercícios a serem resolvidos
em aula e tarefas a serem propostas para os alunos. Os exercícios têm as seguintes
finalidades: definir os objetivos operacionais do curso, estabelecendo de forma
objetiva o que se espera como aprendizado do aluno, orientar os professores nas
aulas de exercícios e fornecer um roteiro de estudo para o aluno. Na aula de
laboratório inicialmente é explicado o procedimento experimental que deve ser feito
para a quantificação do fenômeno proposto. Em seguida, com os materiais
necessários disponibilizados ao grupo de alunos, o experimento é realizado. Ao final
é solicitado ao aluno um relatório detalhado da aula e experimento realizado.
.
VI – AVALIAÇÃO
A avaliação do aluno será de acordo com o regimento da UNIP – Universidade
Paulista. A média do aluno será composta pela nota de Provas, exercícios e relatórios.

VII – BIBLIOGRAFIA
Bibliografia Básica
Bunetti, F., Mecânica dos Fluidos , São Paulo, Prentice Hall, 2ª ed. 2009.
Fox, R.W., Pritchard, P.J; McDonald, A.T., Introdução à Mecânica dos Fluidos, LTC,
2010.
Potter, M.C., Wiggert, D.C., Ramadan, B.H. Mecânica dos Fluidos, CENGAGE
Learning, 4ª ed., 2012.

Bibliografia Complementar
White, F.M., Mecânica Dos Fluidos, McGraw-Hill, 4ª ed. 2010.
Munson, B.R., Young, D.F., Okiishi, T.H., Fundamentos da Mecânica dos Fluidos,
Edgard Blucher, . 2004
Schiozer, D., Mecânica dos Fluidos. Ed. LTC, 2006.
Bistafa, Sylvio R. .Mecânica Dos Fluidos Noções E Aplicações, Ed. Edgard Blucher,
2010.
Çengel, Y.A. e Cimbala, J.M., Mecânica dos Fluidos – Fundamentos e Aplicações,
McGraw-Hill, 2008.

PLANO DE ENSINO
CURSO: Engenharia Mecânica
SÉRIE: 4º/5º Semestres
TURNO: NOTURNO
DISCIPLINA: Fabricação Mecânica e Metrologia Aplicada
CARGA HORÁRIA SEMANAL: 02 Horas-aula (prática)
CARGA HORÁRIA SEMESTRAL : 40 Horas-aula

I – EMENTA
Tolerâncias dimensionais, desvios macro e microgeométricos, rugosidade,
instrumentos de medição e alguns conceitos básicos sobre Confiabilidade de
Sistemas de Medidas. Utilização de máquinas ferramentas na elaboração de uma
peça, com a utilização de diversos processos de usinagem com abordagem
ecologicamente sustentável.

II – OBJETIVOS GERAIS
A disciplina objetiva atender aos requisitos ligados às tolerâncias dimensionais com
ênfase especial às normas da ABNT para leitura e interpretação de desenhos e
especificações da área de mecânica. Faz parte também dos objetivos utilizar
instrumentos de medição para realização de leituras dimensionais e avaliação do
sistema de medição com suas fontes de variações e erros. Além disso a mesma ainda
aborda a forma como são produzidos os produtos industriais na indústria metal-
mecânica, mostrando quais são as vantagens e desvantagens e as principais
características dos processos de fabricação de usinagem mais usados.

III – OBJETIVOS ESPECÍFICOS


 Leitura e Interpretação de tolerâncias e Ajustes utilizados em desenhos
mecânicos e roteiros de fabricação.
 Apresentação e definição da terminologia básica e normas utilizadas na
indústria.
 Tolerâncias de Forma e posição - rugosidade
 Utilização de instrumentos básicos de medição (paquímetros, micrômetros,
relógios comparadores, blocos padrões, rugosímetros e projetores de perfil
para obtenção das medidas
 Conceitos e aplicações práticas utilizados em confiabilidade de Sistemas de
Medição.
 Estudo dos processos de usinagem
 Estudo dos processos de soldagem

IV – CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
1. Sistema de Tolerâncias e Ajustes
1.1 Terminologia de Tolerâncias
1.2 Escolha de Ajustes
1.3. Sistema eixo-base. Exemplos e Aplicações
1.4 Sistema Furo-base. Exemplos e Aplicações
2. Tolerâncias geométricas
2.1 Tolerâncias de Forma e Posição
2.2 Rugosidade das Superfícies
2.3 Parâmetros de Avaliação da Rugosidade
3.Conceitos Básicos de Confiabilidade de Medidas
3.1. Erros de localização (exatidão) x Erros de Precisão (dispersão).
3.2 Análise de Tendência x Análise de Linearidade
3.3 Análise de Repetibilidade e Reprodutibilidade por variáveis
4.Estudo dos mecanismos de formação de cavaco e parâmetros de corte através de
exercícios práticos no laboratório de máquinas operatrizes
5.Estudo dos parâmetros dos processos de soldagem através de exercícios práticos

V – ESTRATÉGIA DE TRABALHO
- Aulas expositivas com exercícios práticos
- Utilização de instrumentos para obtenção das medidas que serão utilizadas nos
roteiros das aulas
- Utilização de máquinas ferramentas
- Utilização de equipamentos de soldagem
- Tarefas em grupos.

VI – AVALIAÇÃO
De acordo com o Regimento da Universidade.

VII – BIBLIOGRAFIA
Bibliografia Básica
Novaski, O. INTRODUÇÃO À ENGENHARIA DE FABRICAÇÃO. São Paulo: Edgard
Blucher, 1994-2008.
DINIZ, A. E.; MARCONDES, F. C.; COPPINI, N. L. Tecnologia da Usinagem dos
Materiais. São Paulo: Artliber, 2006-2008.
Eugênio Kahn Epprecht, Antonio Fernando Branco Costa e Luiz Cesar Ribeiro
Carpinetti. CONTROLE ESTATÍSTICO DE QUALIDADE. São Paulo: Atlas, 2003-
2010.
Bibliografia Complementar
Antonio Robles Jr. CUSTOS DA QUALIDADE. São Paulo: Atlas, 1994.
Alexandre Luzzi Las Casas. QUALIDADE TOTAL EM SERVICOS: Conceitos,
Exercícios, Casos práticos. São Paulo: Atlas, 1999-2008.
Vicente Falconi Campos. GERENCIAMENTO DA ROTINA DO TRABALHO DO DIA
- A - DIA . 8a Edição. Indg Tecnologia e Serviços Ltda. 1994-2004.
RUFINO, R. T. Tolerâncias, ajustes, desvios e análise de dimensões. São Paulo:
Edgard Blucher, 1995.
FIGLIOLA, R.; BEASLEY, D. E. Teoria e projeto para medições mecânicas. 4.ed.
São Paulo: LTC, 2007.