Você está na página 1de 9

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA - Comissão Permanente do Vestibular

LÍNGUA PORTUGUESA, LITERATURA BRASILEIRA E LÍNGUA ESTRANGEIRA (ESPANHOL)


3ª QUESTÃO
LÍNGUA PORTUGUESA
1ª QUESTÃO

[MARÇO/2006] TERRA 53
Do quadro acima, pode-se inferir que
a) no poder político, as mulheres ainda são as protagonistas no
drama de desigualdade social, em relação aos homens.
b) uma liderança feminina pode melhorar as condições da vida, não
só de seu gênero, mas de toda a humanidade.
Com relação ao texto acima c) a afirmação “apenas 16,3% (...)” no enunciado do quadro mostra
que as mulheres não se interessam por política.
a) as palavras saudades e lembranças têm sentido unívoco, d) as mulheres não têm competência para exercer cargos nos
remetendo para seus referentes abstratos, através de suas bastidores do poder.
imagens conceituais. e) os movimentos feministas conseguiram ascender a mulher ao
b) os verbos, no imperativo, indicam ordem, do ponto de vista poder em todo o mundo.
semântico.
c) a palavra saudades remete, iconicamente, para o signo visual 4ª QUESTÃO
acima do enunciado verbal e a expressão lembranças para as Com relação ao texto ao
figuras abaixo do mesmo enunciado. lado, quanto ao aspecto
d) as palavras saudades e lembranças têm sentido exclusivamente verbal,
conotativo, devido a seus significados abstratos.
a) há um erro de
e) o fundo sobre o qual estão montados as imagens e o texto verbal
concordância, pois a
descaracteriza o texto como um todo, por nada acrescentar à
palavra Brasilprev está
mensagem veiculada.
no singular, em
desacordo com a
2ª QUESTÃO
palavra determinante,
60 NUM BAR. Planos, que está no
70 SAIR plural.
100 PAGAR; b) há o subentendido de
que, nos Planos
A polícia diz:
Brasilprev, havia, antes,
20 BUSCAR várias opções de
Esta é uma mensagem que se lê, com freqüência, em vidros de pára- tributação e outras
brisa de automóveis. Assinale a alternativa correta. vantagens, e o
veiculador do
a) Trata-se de um texto verbal, escrito, com sentido, porém subentendido é a
agramatical, pois não usa veiculadores de ligação para estabelecer palavra “uma”.
coesão e coerência. c) há o pressuposto de
b) Ela não se constitui como texto, pois nada significa: há números que, no Banco do Brasil,
ao lado de expressões da língua portuguesa sem qualquer relação. há mais de um Plano
c) Constitui-se como um texto não-verbal, escrito, com signos Brasilprev, bem como
lexicais e numéricos, mas sem qualquer aceitação, devido à mais de uma vantagem.
ambigüidade de sentido. d) há um erro no emprego da pontuação, pois entre frases nominais
d) Não se constitui como texto, pois o jogo arbitrário de números e não se deve usar ponto ( . ) e, sim, vírgula ( , ).
palavras a transforma num código sem acesso interpretativo. e) há o pressuposto de que, nos Planos Brasilprev, já havia, antes,
e) Trata-se de um texto verbal coerente, que se manifesta através opção de tributação, além de vantagem, e o veiculador da
de números e palavras, os quais, na escrita, provocam estranheza, pressuposição é a palavra “Mais”.
mas, lidos, cumprem sua função comunicativa.

Página 01 VESTIBULAR 2007


UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA - Comissão Permanente do Vestibular
LÍNGUA PORTUGUESA, LITERATURA BRASILEIRA E LÍNGUA ESTRANGEIRA (ESPANHOL)
5ª QUESTÃO 7ª QUESTÃO
“O Personagem sem dimensões
“A professora do Bocão está corrigindo o dever de casa.
Aí, balança a cabeça, olha para o Bocão e diz: Quando começa uma novela na TV, eu dou uma espiada no primeiro
– Não sei como uma pessoa só, consegue cometer tantos capítulo para reencontrá-los. E de vez em quando eles voltam. O
erros. Milionário de Bom Coração. A Jovenzinha Mimada. A Vizinha
E o Bocão explica: Fofoqueira (...). E assim por diante.”
– Não foi uma pessoa só, professora. Papai me ajudou.”
Assim inicia o texto de Braulio Tavares, no Jornal da Paraíba,
(ZIRALDO, Alves Pinto. Rolando de rir. O livro das gargalhadas do Menino 25/06/06. Nele,
Maluquinho. São Paulo: Melhoramentos, 2001. p. 20)
a) há uma inadequação na grafia de certas palavras, como Milionário,
Em relação ao texto acima, pode-se concluir que
Bom, Coração, e tantas outras que, não sendo nomes próprios,
I. há predominância da função metalingüística. não poderiam vir grafadas com letras iniciais maiúsculas.
b) há um processo de contradição, pelo uso lingüístico de expressão
II. as falas dos interlocutores se sucedem sem a presença do
narrador. de registros que se estranham, a exemplo de “espiada” (popular)
e do emprego de pronome oblíquo culto, como los.
III. a comicidade do texto se dá em razão da interpretação literal de
“Bocão”. c) há um erro no uso de expressões pronominais sem referência,
como os pronomes pessoais los e eles, que não têm antecedentes
Analise as proposições e marque a alternativa conveniente.
aos quais se relacionem.

a) I, II e III estão corretas. d) a progressão temática é mantida através de um processo chamado

b) Apenas I e II estão corretas. de catáfora, pelo qual certas palavras “sem conteúdo semântico”
se interpretam por meio de outras expressões posteriores.
c) Apenas II e III estão corretas.
e) a pontuação é viciosa, tendo em vista um certo número de
d) Apenas III está correta.
expressões que deveriam vir entre vírgulas ( , ) e foram colocadas
e) Apenas I e III estão corretas.
entre pontos ( . ) como se fossem frases.
6ª QUESTÃO
8ª QUESTÃO
Fala n laminha...
ontem eu tava em offf geral... A relação intertextual é um processo pelo qual um texto remete direta
sem poder nem comer... PASSEI O DIA E SOH COMI UMA MAÇA ou indiretamente a outro(s) texto(s), ou parte(s) dele(s) já
E UMA BANAA... FUI PRO PP
produzido(s), através de citação, paráfrase, etc. Existe um tipo de
e passei mal de fome... tu acredita... ai a gente foi comer arrumadinho
(q programão ir pro PP n beber)... intertextualidade do ponto de vista exclusivamente estrutural, em
Fosse ontem?? que se interpreta um texto ou uma frase pela semelhança de forma
bjux!!! entre ele(a) e outro(s) texto(s) conhecidos. Assinale o único item em
que há esse tipo de intertextualidade estrutural. (Obs: Todos os
O “Scrap” acima, retirado do ORKUT, revela um(a)
exemplos são transcritos do texto FUCK, de Braulio Tavares, Jornal

a) registro equivocado da norma culta, que empobrece o uso da da Paraíba, 07/07/06)

língua escrita.
a) “O mais proibido é o que mais se procura, o que provoca mais
b) forma de comunicação grafolingüística que aproxima os
emoção, o que desabafa mais, o que produz catarse mais intensa.”
interlocutores e apresenta características próprias da
b) “ ‘Fuck’ e ‘fucking’ estão se tornando cacoetes verbais
dinamicidade da língua.
insuportáveis dos norte-americanos.”
c) uso inaceitável de registro que apresenta uma forma ininteligível,
c) “Ah, Jaguar, vai pra asterisca que asterisquiu!”
pois privilegia uma escrita silábica.
d) “Quando um paulistano diz: ‘Tá fazendo um puta calor, ô meu’,
d) indução ao erro, tendo em vista o efeito causado à elaboração da ninguém acha que ele falou palavrão.”
sintaxe. e) “Na Bahia, um pai diz ao filho pequeno: ‘Se quer ver TV, primeiro
e) ameaça ao uso da língua escrita em virtude do excesso das marcas tem que estudar, fazer o dever de casa, a porra toda’ – e ninguém
de oralidade e da presença de registro formal. acha que isto é pornografia.”

Página 02 VESTIBULAR 2007


UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA - Comissão Permanente do Vestibular
LÍNGUA PORTUGUESA, LITERATURA BRASILEIRA E LÍNGUA ESTRANGEIRA (ESPANHOL)
9ª QUESTÃO 11ª QUESTÃO
Leia atentamente o texto abaixo: A ausência de conectivos no texto abaixo acarreta problemas de
coesão seqüencial.
“A estupidez racial (André Petry)
01 (...) Além de defender cotas raciais (nas universidades), Paulo “O futuro da Varig poderá ser decidido nesta semana
Paim é autor da proposta da instituição do Estatuto da Igualdade ________ o governo pague a conta.
Racial, uma idéia tão estapafúrdia que chega a uma classificação O Brasil que pode dar certo mostrou sua face na semana
oficial de raças (...) O projeto das cotas raciais e o tal estatuto passada. ________ toda a comoção que cercou o leilão da venda da
05 racial, a pretexto de combater as imensas desigualdades raciais Varig, o governo manteve prudente distância da confusão. (...) O
no país, não passam de uma calamidade. Nem se perca tempo destino da maior empresa aérea brasileira está entregue à lei de
dizendo que, ao privilegiar essa ou aquela ‘raça’, os projetos Recuperação judicial, o mecanismo institucional adequado. Longe,
ferem o ditame constitucional segundo o qual todos são iguais ________, do discurso nacionalista que durante muito tempo
perante a lei. (...) É obvio que o Brasil precisa reverter a premiou a incompetência local com favores desmedidos.
10 desvantagem de descendentes negros, que saíram da O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social
escravidão, e dos índios, que foram dizimados e aculturados. (BNDS) avisou que, ________ venha a financiar parte da aquisição,
Quanto a isso não há dúvida. (...) o Estado tem a missão de não abrirá mão de suas normas. Não se poderá, ________aconteceu
oferecer oportunidades iguais e bons serviços públicos - bons no passado, lançar mão do dinheiro público para fazer mais largo o
e universais. (...) Quando se naufraga no pântano de ficar criando sorriso privado”. (Veja, 14/06/06)
15 divisões raciais e étnicas, institui-se um Estado capaz apenas
de fazer politicazinhas que prevêem a ‘inclusão’ de uma ‘minoria’ Indique a alternativa na qual estão listados os conectivos que
aqui, outra ‘minoria’ ali. Não queremos uma federação de preenchem, respectivamente, as lacunas do texto.
18 minorias”. (Veja, 05/07/06)
a) sem que, Devido a, pois, desde que, porque
Assinale com (V) as proposições verdadeiras e com (F), as falsas: b) a menos que, Embora, logo, caso, conforme
c) sem que, Apesar de, portanto, caso, como
( ) Na terceira linha do texto, a informação de que a aprovação do d) embora, Devido a, então, assim que, já que
Estatuto da Igualdade Racial criará uma divisão oficial de raças e) embora, Apesar de, portanto, uma vez que, visto que
é expressa sob a forma de oração consecutiva introduzida
pelo “QUE”. 12ª QUESTÃO
( ) Ao utilizar os termos “estupidez”, “estapafúrdia” e No texto publicitário que segue, a estratégia escolhida pelo autor
“calamidade”, para se referir ao projeto do deputado Paulo para convencer o consumidor de que os proprietários dos carros
Paim, o autor do texto se revela racista. FORD estão satisfeitos é o uso de uma seqüência lingüística hipotética
( ) O termo “isso” na expressão “quanto a isso” (l. 12) remete às que deixa implícita uma proposição: e você está satisfeito.
informações anteriores de que os negros saíram da escravidão
e de que os índios foram dizimados e aculturados. “Se a nossa satisfação depende
( ) O uso das aspas em “inclusão” (l. 16) tem a finalidade de da sua, então hoje a Ford é a
destacar um termo que está na moda no momento em que o montadora mais satisfeita do Brasil.”
país tem o governo petista, o que não ocorreria se houvesse (Veja, 21/12/05)
outro partido no governo.
Indique, entre os textos abaixo, aquele que apresenta estratégia de
A seqüência correta é: convencimento semelhante ao do exemplo citado:
a) V F V F d) F F V V
a) “Não adianta falar para a visita ficar
b) V V F F e) V F F F
à vontade se nem você
c) F F F V
consegue isso.
10ª QUESTÃO CASA CLÁUDIA” (Veja, 19/04/06)

“Deus me deu um amor b) “Pra que gastar muito se é o Papai Noel que vai levar a fama?
no tempo da madureza Natal no submarino. As melhores ofertas (...)” (Veja, 14/12/05)
quando os frutos ou não são colhidos
ou sabem a verme”. c) “Se o seu anjinho usa boticário, melhor cortar as asinhas dele.
Neste Natal seja um anjo.
Nos versos de Carlos Drummond de Andrade, acima,
Dê o Boticário.” (Veja, 21/12/05)
a) o verbo saber foi empregado no sentido de “compreender”,
“perceber”, daí o emprego da preposição “a”. d) “A Basf faz parte do seu dia-a-dia.
b) há uma incorreção com relação ao emprego do verbo saber, que Mas se a gente não mostrar,
é exclusivamente transitivo direto. Você nem percebe.
c) há uma incorreção no emprego do verbo saber, que só pode ser BASF
usado ou como transitivo direto ou indireto, com a preposição The Chemical Company” (Veja, 05/07/06)
de.
d) o verbo saber está empregado corretamente, como transitivo e) “Se você pode ter um serviço especializado por um preço
indireto, num de seus sentidos legítimos: “ter o sabor de”. justo,por que entregar seu Chevrolet na mão de qualquer um?
e) o verbo saber é transitivo direto, tem seu objeto direto Entre hoje numa concessionária Chevrolet e comprove A
representado pelo substantivo verme, determinado pelo artigo diferença. Até os mais nervosinhos, ficam tranqüilos com os
“a”. nossos serviços.” (Veja, 05/07/06)

Página 03 VESTIBULAR 2007


UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA - Comissão Permanente do Vestibular
LÍNGUA PORTUGUESA, LITERATURA BRASILEIRA E LÍNGUA ESTRANGEIRA (ESPANHOL)
13ª QUESTÃO 14ª QUESTÃO
As placas, a seguir, apresentam diferentes registros de usos da língua Ao termo “COMO”, podemos atribuir diferentes classificações, de
em relação à regência verbal. Marque a alternativa correta, levando acordo com o contexto em que aparece; daí este poder ser: advérbio
em consideração a língua padrão. interrogativo, preposição e – a exemplo do excerto abaixo – conectivo:

“COMO é mais fácil o ex-astronauta Marcos Pontes viajar


para a lua do que o PMDB aceitar a oferta, Lula também prometeu
participação quercista no próximo e até mesmo no atual governo,
com direito a ocupar postos relevantes como o Ministério da Saúde.”
(Veja, 07/06/06).

Indique, dentre as opções abaixo, o excerto no qual este termo tem


valor semelhante ao ilustrado:

a) “(...) Para ter a experiência completa, o usuário se cadastra e,


COMO no onipresente Orkut, cria seu perfil e monta uma rede de
amigos.” (Veja, 07/06/06)
b) “Além disso, lá (nos Estados Unidos) mentir é um comportamento
possível de ser enquadrado COMO crime de perjúrio. Aqui, mente-
se com a maior desfaçatez.” (Veja, 07/06/06)
c) “(...) o You Tube (algo COMO ‘você no tubo’ – da TV ou do
computador) foi inaugurado em fevereiro do ano passado COMO
um serviço em que os usuários pudessem ver, compartilhar e
comentar vídeos facilmente e sem interferir na caixa de e-mails
alheia (...)”. (Veja, 07/06/06)
d) “(...) Conta uma liderança pefelista: ‘COMO antes de atender os
petistas Duda foi marqueteiro de vários políticos, considerou-se
melhor não ir fundo nesse assunto’ “. (Veja, 07/06/06)
e) “(...) O elefante da inflação virou uma formiguinha. (...) COMO
isso foi obtido? Num primeiro momento, com a engenhosidade
do real. Depois com vigilância permanente do Banco Central
(...)” (Veja, 12/07/06)

15ª QUESTÃO
“(...) Quero ver-te de novo, contemplar-te muito, muito; quero-te
bem unido a mim para, abraçados fortemente, eu te contar um
segredo que só teus ouvidos podem escutar. (...)”
(FARIA, Paula. Correspondência amorosa de Maria Lina. IN: Calendário,
São Paulo: USP, maio/2006. p. 3.)

Reescrevendo o enunciado acima e substituindo a 2ª pessoa do


discurso para a 3ª pessoa, considerando a pessoa com quem se fala,
a alternativa correta é:

a) Quero lhe ver de novo, contemplar você muito, muito; lhe quero
bem unido a mim para, abraçados fortemente, eu contar a ele um
segredo que só os ouvidos dele podem escutar.

b) Quero ver-lhe de novo, contemplar-lhe muito, muito; quero ele


bem unido a mim para abraçados fortemente eu contá-lo um
segredo que só os seus ouvidos podem escutar.

a) O exemplo “c” apresenta inadequação, porque o verbo “entregar” c) Quero ver você de novo, contemplar-lhe muito, muito; quero-lhe
não é regido pela preposição “em”. bem unido a mim para, abraçados fortemente, eu contar a você
b) O exemplo “b” apresenta adequação, em razão do acento grave um segredo que os ouvidos dele podem escutar.
no “a”.
c) O exemplo “c” apresenta adequação, pois utiliza a preposição d) Quero vê-lo de novo, contemplar ele muito, muito; quero-o bem
“em” para estabelecer a relação entre os termos. unido a mim para, abraçados fortemente, eu contar-lhe um segredo
d) O exemplo “a” tem uso inadequado, em razão do registro do que só seus ouvidos podem escutar.
termo “entregas”. e) Quero vê-lo de novo, contemplá-lo muito, muito; quero você
e) O exemplo “a” apresenta adequação, em razão do uso do artigo bem unido a mim para, abraçados fortemente, eu lhe contar um
“a” que liga o termo dependente ao termo principal. segredo que só seus ouvidos podem escutar.

Página 04 VESTIBULAR 2007


UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA - Comissão Permanente do Vestibular
LÍNGUA PORTUGUESA, LITERATURA BRASILEIRA E LÍNGUA ESTRANGEIRA (ESPANHOL)
18ª QUESTÃO
LITERATURA BRASILEIRA A respeito dO cachorro dos mortos, de Leandro Gomes de Barros,
NÃO é correto afirmar:
16ª QUESTÃO
De Assombros Urbanos, de Dionísio Jacob, pode-se afirmar: a) A heroína Angelita possui todas as características das heroínas
das narrativas tradicionais: honradez, bravura e um certo dom
I. Narrativa multi-textual em que diversos gêneros de escrita
místico de profecia e de missão ao incumbir o cachorro, a gameleira
formam uma espécie de mosaico da vida cotidiana
e as flores de denunciar o assassino, incluindo todo o universo
contemporânea.
vivo na busca pela justiça.
II. Narrativa caótica, sem unidade, que demonstra uma desilusão
total perante a realidade contemporânea, tendo como exemplo b) Poema narrativo recolhido na imaginação popular, que une
maior o personagem secundário Lima e sua incapacidade de elementos sobrenaturais e místicos a temas e sentimentos
compreender os problemas de seu tempo, refletida na própria próprios às narrativas orais, como o amor, a traição, a vingança,
falta de nexo entre os episódios da obra. a justiça e a verdade.
III. Texto literário que não pode ser chamado de “narrativa” por c) Apresenta a visão de mundo das “formas simples”, em que
não contar uma estória nem possuir um enredo, sendo antes um sobressai uma divisão bem demarcada entre o bem e o mal, a
aglomerado caótico de diversas formas textuais. honra e a falsidade, a covardia e a ação heróica, o divino e o
demoníaco.
a) Todas são corretas d) Apenas III é correta
b) Apenas I é correta e) Nenhuma é correta d) Trata-se de um “romance”, mas já com características da vida
c) Apenas II é correta moderna, com personagens problemáticos e dúbios, oscilantes
entre os valores da verdade e da justiça e o peso do dinheiro e do
17ª QUESTÃO autoritarismo.
Leia o fragmento abaixo e analise as proposições que seguem: e) O cachorro dos mortos põe em cena as relações sociais da época,
as primeiras décadas do século XIX, sobretudo através da
Esta narrativa se desenrola, em sua maior parte, na posição da voz narrativa com relação ao desempenho moralizador
longínqua década de oitenta do século passado. E como em busca da justiça do Bispo e do Coronel.
está sendo escrita nos primeiros anos do novo milênio,
pode parecer excessivo ao leitor minucioso caracterizar
como “longínquo” um recuo de duas décadas. A razão Com base nas estrofes abaixo, responda às questões 19 e 20, na
disso é que, além de o peso da década em questão estar página seguinte.
situado na moldura de um outro século – e de um outro
milênio -, a noção de tempo utilizada neste trabalho
Angelita declara ao cachorro Calar:
não é aquela que nos chega intuitivamente, por meio
dos ciclos naturais, das horas do dia e das folhinhas.
Embora que tu não fales,
Antes trata-se daquela noção mais recente, baseada na
Pois não te foi concedido,
obsolescência com que a informática nos tem
Mas um olhar bem lançado
acostumado a conviver e que faz com que um
Dá idéia de um sentido,
computador de alguns anos atrás pareça um objeto pré-
Um uivo e um teu olhar
histórico. (“Preâmbulo”, Assombros urbanos, p. 17).
Pode ser compreendido
I. Assombros urbanos está inserido na defesa do pós-modernismo
(Estrofe 43)
e de seu modelo de sociedade da informática, na qual as coisas
devem acontecer com a velocidade da luz elétrica, descartando
O Bispo diz a Valdivino:
tudo o que é obsoleto, ou seja, as formas e os modelos de vida
do passado e os desejos de emancipação coletiva próprios dos
Os olhos também se queixam
anos oitenta, em que se situa a narrativa. Vem daí a impressão
Um olhar diz o que se sente,
que o leitor tem de textos remotamente situados num espaço-
Ameaçam uma traição
tempo distante de nós e totalmente superados pelo nosso
Punição severamente,
presente.
Declara a mágoa ou a dor
II. O “Preâmbulo” busca logo de saída estabelecer um pacto com o
Porém um olhar não mente.
leitor, conscientizá-lo da dinâmica, importante para o sentido da
narrativa, entre o passado recente, a década de oitenta, “tempo
(Estrofe 101)
do enredo”, e os dias contemporâneos, as primeiras décadas do
novo século, “tempo do relato”.
A voz narrativa comenta:
III. A diferença entre um “tempo do enredo” e um “tempo do relato”
torna-se crucial para dar à narrativa sua natureza de mosaico
Só não fez foi dizer nada,
crítico, na medida em que um narrador onisciente, de 3ª pessoa,
Mas provou por sua vez,
intervém em pontos cruciais da obra para comentar, do ponto
Apontou com a vista
de vista do homem contemporâneo, as atitudes do protagonista
O monstro que o crime fez,
Lima e, por extensão, de toda a década de oitenta.
Seus olhos diziam ao público:
- Esse matou todos três.
a) Apenas III é correta d) Apenas II é correta
b) Todas são corretas e) Apenas II e III são corretas
(Estrofe 173)
c) Apenas I é correta

Página 05 VESTIBULAR 2007


UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA - Comissão Permanente do Vestibular
LÍNGUA PORTUGUESA, LITERATURA BRASILEIRA E LÍNGUA ESTRANGEIRA (ESPANHOL)

19ª QUESTÃO 21ª QUESTÃO


Sobre as três estrofes, pode-se afirmar: Mocidade independente
Pela primeira vez infringi a regra de ouro e voei pra cima sem medir as
conseqüências. Por que recusamos ser proféticas e que dialeto é
I. São sextilhas, medida tradicional predominante na obra de esse para a pequena audiência de serão? Voei pra cima: é agora,
Leandro Gomes de Barros, compostas por versos em sua maioria coração, no carro em fogo pelos ares, sem uma graça atravessando
de sete sílabas poéticas. o estado de São Paulo, de madrugada, por você, e furiosa: é agora,
nesta contramão. (in CÉSAR, Ana Cristina. A teus pés).
Sobre o excerto acima, analise as proposições que seguem:
II. São compostas de versos brancos, formando rimas
I. “O número de poetas é imenso [pós-1970]. Além dos já citados e
emparelhadas, com um ritmo análogo ao do verso livre e da
do tropicalista Torquato Neto [...] destacam-se, entre outros, Paulo
prosa. Leminski, Ana Cristina César [...] De modo geral, o que caracteriza
essa vasta produção poética é o experimentalismo, a recuperação
da oralidade, a preocupação ideológica e a irreverência” (in CEREJA,
III. Embora com características da poesia popular, são compostas
William Roberto; MAGALHÃES, Tereza Cochar. Português:
por versos decassílabos, tipo de verso bastante usado na linguagens volume único. São Paulo: Atual, 2003, p. 494-5).
Literatura de Cordel. II. A poesia de Ana Cristina César parece despida da linguagem
artística. Como muitos já falaram, esta linguagem é despida dos
“trapos acadêmicos” e vestida “de jeans desbotado, sem
a) Apenas I e II são corretas acessórios”, como se vê no texto supra Mocidade independente.
b) Apenas II e III são corretas III. “O uso da fala diária, simples, direta, sem retórica”, como se vê
no texto Mocidade independente, faz alusão à liberdade requerida
c) Apenas I é correta
pelos jovens poetas marginais das décadas de 1970 e 80, porque
d) Todas são corretas diferentes, porque influenciados pelo Tropicalismo de Caetano
e) Nenhuma é correta Veloso e Gilberto Gil, principalmente Ana Cristina César, adepta
da “linguagem dessa juventude que fala o que quer”.
Marque a alternativa correta:
20ª QUESTÃO a) Todas estão corretas d) Apenas a II está correta
Também é possível afirmar, sobre as três estrofes: b) Todas estão erradas e) Apenas a III está correta
c) Apenas a I está correta

I. Demonstram o caráter absurdo do poema de Leandro Gomes de 22ª QUESTÃO


Barros, dando a um cachorro importância maior do que aos É possível afirmar que a literatura de Ana Cristina César e a de Álvares
de Azevedo são marginais,
homens, que ficam diminuídos por não possuírem, como o
I. porque, assim como “O grupo ultra-romântico brasileiro, o poeta
cachorro possui, o dom de falar pelos olhos e de compreender a
simbolista francês Mallarmé e alguns grupos de rock da
importância do olhar para as relações humanas. atualidade são chamados de ‘malditos’, em virtude de sua
condição ‘marginal’, isto é, à margem dos valores vigentes da
sociedade”, os dois poetas (Ana Cristina César e Álvares de
II. Demonstram, dentro do imaginário que é próprio da Literatura Azevedo) especificamente abordam temas livres, sem se
de Cordel, a necessidade da verdade superar a falsidade e a prestarem a seguir os ‘valores’ literários admitidos à época em
que escreveram (os trechos em aspas duplas estão em CEREJA,
vileza, mesmo que para isso tenha que usar de seres não dotados William Roberto; MAGALHÃES, Tereza Cochar. Português:
da palavra para demonstrar o valor moral da retidão e da justiça. linguagens, volume único. São Paulo: Atual, 2003, p. 226).
II. porque “Todas as histórias narradas por ambos os autores são
fantásticas e envolvem acontecimentos trágicos, amor e morte,
III. Demonstram como em O cachorro dos mortos existe uma reflexão vícios e crimes” (in CEREJA, William Roberto; MAGALHÃES,
sobre as possibilidades do olhar e de outras linguagens como Tereza Cochar. Português: linguagens, volume único. São Paulo:
Atual, 2003, p.226).
forma de expressão humana e animal, pois “Calar”, aquele que III. porque “Nas décadas de 1950, 60 e 70, por exemplo, os jovens de
não fala mas está incumbido de “dizer”, transforma o olhar e o classe média de vários países se revoltaram contra a repressão
familiar, os tabus sexuais e a sociedade de consumo”, resultando
uivo na manifestação suprema da verdade e da fidelidade.
na escrita desses dois autores, na tematização da “violência física
e sexual, adultérios, assassinatos, incestos, necrofilia, antropofagia,
a) Apenas I e II são corretas corrupção e outros” (os trechos em aspas duplas estão em CEREJA,
William Roberto; MAGALHÃES, Tereza Cochar. Português:
b) Apenas I e III são corretas linguagens, volume único. São Paulo: Atual, 2003, p. 226).
c) Apenas II e III são corretas Marque a alternativa correta:
d) Todas são corretas a) Apenas a I está correta d) Apenas I e II estão corretas
e) Nenhuma é correta b) Apenas a II está correta e) Apenas I e III estão corretas
c) Apenas a III está correta

Página 06 VESTIBULAR 2007


UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA - Comissão Permanente do Vestibular
LÍNGUA PORTUGUESA, LITERATURA BRASILEIRA E LÍNGUA ESTRANGEIRA (ESPANHOL)

23ª QUESTÃO 24ª QUESTÃO


Analise as proposições que seguem:
“Sabeis-lo. Roma é a cidade do fanatismo e da perdição: na alcova
do sacerdote dorme a gosto a amásia, no leito da vendida se pendura I. Na primeira narrativa de Noite na taverna (Solfieri), é a imagem
o Crucifico lívido. É um requintar de gozo blasfemo que mescla o da “sombra de mulher [que] apareceu numa janela solitária e
sacrilégio à convulsão do amor, o beijo lascivo à embriaguez da escura. Era uma forma branca. – A face daquela mulher era como
a de uma estátua pálida à lua”. O narrador faz menção à morta
crença!” (início da narrativa II – Solfieri de Noite na taverna).
que fora desperta do sono, beijada e tornada a morrer, ou seja, a
concretização de uma relação a dois “mais amadurecida”
A partir do trecho citado, é possível afirmar: acontece no plano dos sonhos (“Não sei se adormeci: sei apenas
que quando amanheceu achei-me a sós no cemitério”).
I. Há uma espécie de paradoxo nas relações enunciadas: sacerdote/
II. Na segunda narrativa de Noite na taverna (Bertram), a imagem
amante, prostituta/crente, sacrilégio/amor, beijo lascivo/fé. Esse da mulher reaparece, mas sob a máscara da “messalina”: “–
paradoxo conduz o leitor a uma visão “amarga” de valores e Sabeis, uma mulher levou-me à perdição. Foi ela quem me
práticas sociais postos em vigor, mas não requeridos pela queimou a fronte nas orgias”. Mais adiante, o narrador revela
que “Quando acordei um dia desse sonho [...] Quando acordei
sociedade dos que os vivem.
desse pesadelo de homem desperto, estava a bordo de um
navio”.
II. As relações enunciadas não são paradoxais, uma vez que
remetem o leitor às experiências comportamentais dos que III. Em vários momentos de Noite na taverna, a alusão ao sonho se
faz presente (em Genaro lê-se: “Uma manhã [...] acordei – nos
habitam o mundo de Noite na taverna, que se pode interpretar
braços dela”), induzindo o leitor a concordar com o fato de que
como uma obra que representa a sociedade burguesa de 1900, “Álvares de Azevedo, (...) foi quem mais realmente [dentre os
em cujas estruturas morais se percebia um retorno à Roma pagã, românticos] sentiu e versou o amor e o medo [...] Minha
conhecida pela “falta de moral”. convicção é que o paulista não teve apenas temor, mas uma
verdadeira fobia do amor sexual”, no dizer de Mário de Andrade
(Amor e Medo, in Aspectos da literatura brasileira, 5. ed., São
III. Configura-se apenas como brincadeira de um adolescente, Paulo, Martins, 1974, p. 210).
Álvares de Azevedo, jovem poeta morto aos 21 anos de idade
em conseqüência de seu “estilo de vida” bem representado nas Marque a alternativa correta:
narrativas de Noite na taverna: boêmio, descrente do mundo,
a) Todas as proposições estão corretas
próximo de rituais satânicos, experimentador da prostituição, b) Apenas a proposição I está correta
do assassínio, da pedofilia e de outros comportamentos que c) Apenas a proposição II está correta
contou em seus textos. d) Apenas a proposição III está correta
e) Apenas as proposições I e II estão corretas

Marque a alternativa correta:


25ª QUESTÃO
Analise as proposições abaixo:
a) As proposições I e II estão corretas
b) Apenas a proposição II está correta I. As mulheres de Noite na taverna não têm vida própria, não se
sustentam “na carne”, porque são mais espectros do que matéria;
c) Apenas a proposição III está correta
daí a imagem delas ser pálida, branca, concretizando a relação
d) Apenas a proposição I está correta a dois através de expedientes não comuns, como a necrofilia, o
e) As proposições I e III estão corretas sonho.

II. É possível dizer que Mário de Andrade estava equivocado no


Leia os dados abaixo para responder às questões 24 e 25
ensaio “Amor e Medo” (referido na questão anterior), uma vez
que a representação da mulher não foi um dos temas centrais
Uma das temáticas de grande recorrência na literatura do Século dos românticos brasileiros.
XIX utilizadas pelo movimento romântico brasileiro foi a mulher,
III. A representação da mulher em Álvares de Azevedo não foi
especificamente a jovem, branca, pálida, virgem. No ensaio “Amor e negativa, como afirma Mário de Andrade, pois em Noite na
medo”, Mário de Andrade, analisando a obra dos poetas românticos taverna as mulheres são autônomas para decidir quem namorar,
quem beijar, com quem manter uma relação sexual.
brasileiros, afirma que o amor representado por eles não se sustenta
porque “adolescente” ou imaturo. O exemplo que usa como Marque a alternativa correta:
argumento para sustentar a sua tese é o de que as relações amorosas a) As três proposições são corretas
nestes poetas, principalmente em Álvares de Azevedo, não se b) Apenas a proposição II é correta
c) Apenas a proposição III é correta
concretiza nos textos literários porque faltou a eles a experiência do
d) Apenas a proposição I é correta
assunto para dele saberem tratar. e) As três proposições são incorretas

Página 07 VESTIBULAR 2007


UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA - Comissão Permanente do Vestibular
LÍNGUA PORTUGUESA, LITERATURA BRASILEIRA E LÍNGUA ESTRANGEIRA (ESPANHOL)
27ª QUESTÃO
LÍNGUA ESTRANGEIRA (ESPANHOL) El título del texto sugiere:

a) todas las mujeres son fumadoras


TEXTO
b) los niños pueden fumar a los once años
Un sólo cigarro en la niñez puede originar un fumador c) todos los hombres son fumadores
d) fumar en la niñez puede transformar el niño en un fumador
1. Los menores que han fumado alguna vez un sólo cigarrillo, e) los misioneros no pueden fumar
tienen más probabilidades de desarrollar el hábito de fumar en la
edad adulta que quienes no lo han hecho, aunque aquéllos hayan 28ª QUESTÃO
La experiencia de los científicos ingleses tuvo una duración de
pasado años sin probar un pitillo, según un estudio publicado hoy
en la revista “Tobacco Control”.
a) siete años.
b) alrededor de ochos años.
2. Para efectuar la investigación, los científicos del University
c) menos de seis años.
College de Londres analizaron durante cinco años el hábito de fumar
d) sólo cuatro años y medio.
de más de 2.000 niños de unos once años en treinta y seis colegios
e) cerca de unos diez años.
del sur de Londres.
29ª QUESTÃO
3. Según la directora del estudio, Jennifer Fidler, es la primera
Señale la alternativa que mejor traduce el hallazgo de los científicos
vez que se demuestra que una experiencia infantil tan breve con el ingleses:
tabaco puede llevar al hábito de fumar en la edad adulta, aunque no
se haya fumado varios años, fenómeno que la experta califica de a) A depressão e o estresse não ativam a experiência de quem fumou
“vulnerabilidad durmiente”. anteriormente.
b) Um só cigarro na infância não transforma a criança num fumante.
4. “Aquellos estudiantes que dijeron que habían fumado alguna c) A origem do efeito “durmiente” não transforma as crianças em
vez anteriormente, hay un riesgo mayor de volver a fumar a los fumantes.
catorce años, incluso si no habían probado el tabaco en un intervalo d) Os estudantes que fumaram quando crianças não correm o risco
de años”, explicó. de se tornarem fumantes em adultos.
e) A nicotina emite no centro de gratificação do cérebro uma
5. De hecho, de los 260 menores de once años que confesaron substância química que comanda o corpo quando está sendo
haber probado alguna vez, el 18 por ciento se convirtieron en desenvolvida uma atividade agradável.
fumadores a los catorce años, que sólo el 7 por ciento de los que
nunca habían fumado a los once años, con hacerlo más tarde. 30ª QUESTÃO
En “Los menores .... han fumado...”, el término subrayado está
6. Los científicos descubrieron la existencia de un “efecto conjugado en el:
durmiente” a lo largo que les hacía volver a fumar.
a) futuro simple del indicativo
7. A pesar de que se desconoce el origen de ese efecto, se sabe b) pretérito perfecto
que la nicotina “centros de gratificación” del cerebelo que emiten c) pretérito indefinido
sustancias químicas que comandan el cuerpo cuando se está d) imperfecto del indicativo
desarrollando una actividad agradable. e) pluscuamperfecto

8. Para Fidler, es plausible que esa modificación en esas zonas 31ª QUESTÃO
cerebrales hagan disfrute más con la experiencia de fumar en el futuro. “...aunque aquéllos han pasado años, sin probar un pitillo,...”. ,
morfológicamente, se clasifican como:
9. Ese cambio podría ser activado años más tarde por ciertas
a) conjunción – adjetivo demostrativo – sustantivo
experiencias en el escolar o bien por el estrés o la depresión.
b) interyeción – pronombre demostrativo – sustantivo
(Fuente EFE. Salud Infantil. http://www.salud.com/interna) c) conjunción – pronombre demostrativo – sustantivo
d) adverbio – adjetivo demostrativo – adjetivo
e) conjunción – pronombre demostrativo – adjetivo
Contesta según el texto:
32ª QUESTÃO
26ª QUESTÃO “...a lo largo que les hacía volver a fumar “. El pronombre señalado
La senõra Jennifer Fidler es se refiere a:

a) directora del University College. a) los menores de once años


b) directora de la investigación sobre cigarro en la niñez. b) los científicos
c) profesora de la Universidad de São Paulo. c) la directora Jennifer Fidler
d) una fumadora durmiente. d) todos los estudiantes de Londres
e) directora de la Revista “Tobacco Control”. e) todos los que leen este texto

Página 08 VESTIBULAR 2007


UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA - Comissão Permanente do Vestibular
LÍNGUA PORTUGUESA, LITERATURA BRASILEIRA E LÍNGUA ESTRANGEIRA (ESPANHOL)
33ª QUESTÃO 40ª QUESTÃO
“Ese cambio podría ser activado años más tarde...”. La expresión El título que se adecua al texto es:
verbal subrayada en el nono párrafo, refleja una:
a) Fumar es fenomenal para la salud.
a) hipótesis muy remota de ocurrencia b) El tabaco no hace daño a la salud.
b) convicción de parte de los científicos c) Transfórmate en un fumante.
c) probabilidad de realización d) No te arrisques a probar un pitillo.
d) negativa e) Entérate de lo bien que hace el cigarro.
e) causa provocada por el fumo en la niñez.

34ª QUESTÃO
“...un sólo cigarillo...”, en el primer párrafo, expresa idea de:

a) conclusión
b) inclusión
c) relactividad
d) exclusión
e) proporcionalidad

35ª QUESTÃO
El término “... la experta”..., en el tercer párrafo, se refiere:

a) a los estudiantes del University College de Londres


b) a Jennifer Fidler
c) a quienes leen el texto
d) a los científicos ingleses de una forma general
e) solamente a los fumadores.

36ª QUESTÃO
Señale la opción adecuada sobre conjugación verbal:

a) analizaron – pretérito imperfecto del indicativo


b) desconoce – presente del indicativo
c) demuestra – presente del subjuntivo
d) hacía – pluscuamperfecto
e) hagan – futuro del indicativo

37ª QUESTÃO
Señala la opción correcta respecto a la lectura de los numerales:

a) dos mil seis


b) doscientos y sesenta
c) dos mil y seis
d) un millón trescientos y cuarenta y siete
e) quinientos y cincuenta y tres

38ª QUESTÃO
La énclisis en “...hacerlo...”, en el quinto párrafo, es:

a) de uso facultativo
b) aconsejable cambiarla por próclisis
c) de uso coloquial
d) obligatoria
e) es opción de parte de quien escribió el texto

39ª QUESTÃO
Las palabras: científicos , hábitos, fenómeno, reciben la tilde porque
son:

a) lllanas o graves
b) esdrújulas
c) agudas
d) hiatos
e) sobreesdrújulas

Página 09 VESTIBULAR 2007

Interesses relacionados