Você está na página 1de 23

PARADIGMAS E PRÁTICAS DE

AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM NA
EDUCAÇÃO BÁSICA

Profa. Esp. Ilanna Brenda Mendes Batista


Especialista em História e Cultura Afro
Brasileira e Africana
Mestranda em Educação/UFPI
Vamos problematizar...
O que sabemos
O que são paradigmas?
sobre práticas de
avaliação?
Quais instrumentos
avaliativos são utilizados
pelos professores no
processo de ensino e Quais práticas avaliativas são
aprendizagem? vivenciadas na sala de aula?
Avaliar:
- Característica intrínseca do ser humano.
Pode significar:

Verificar, julgar, estimar, Dar notas...


situar, representar, Atribuir uma classificação
mensurar, emitir um juízo numa escala – MEDIDA.
de valor ...
Conceituando
Avaliação
Segundo Luckesi (2010), o que costumamos chamar de avaliação, na realidade, são instrumentos de coleta
de dados para a avaliação. Ou seja, aplicar provas, testes e realizar tarefas não é avaliar, e sim coletar
informações que podem subsidiar a avaliação. O ato de avaliar importa coleta, análise e síntese dos dados
que configuram o objeto da avaliação, acrescido de uma atribuição de valor ou qualidade.

Para Libâneo (1994), a avaliação sempre deve ter caráter diagnóstico e processual, pois precisa ajudar os
professores a identificarem os aspectos em que os alunos apresentam dificuldades. A partir daí, os
professores poderão refletir sobre sua prática e buscar formas de solucionar problemas de aprendizagem.

Hoffmann (1995), por sua vez, denominará de avaliação mediadora o paradigma que se opõe ao paradigma
sentencioso, classificatório; é a perspectiva da ação avaliativa pela qual se encorajaria a reorganização do
saber. Ação, movimento, provocação, na tentativa de reciprocidade intelectual entre os elementos da ação
educativa. Professor e aluno buscando coordenar seus pontos de vista, trocando ideias, reorganizando-as.

A avaliação, para Demo (2008), tem sua razão de ser como processo de sustentação do bom desempenho do
aluno. Se este não aprender bem, ou seja, com qualidade formal e política, nada feito. Daí depreende-se que
a avaliação é um processo permanente e diário, não uma intervenção ocasional, extemporânea, intempestiva,
ameaçadora.
Tendências Pedagógicas X Avaliação

Tradicional Não mobiliza as capacidades intelectuais do aluno.

Escolanovista Estímulo à atividade global do aluno.

Tecnicista Aplicação de técnicas e modos de ensino.

Valorização da autonomia do educando, participação


Progressista
democrática.

(LIBÂNEO, 1994)
Como se apresentam na escola
os rituais de avaliação?
Todos os
assuntos
estarão
na prova. Nem todos
O teste tem que
ser difícil. devem ser
aprovados.

“Rituais Alunos
escolares” indisciplinados
No fim de cada
unidade vem a nota. devem ser
reprovados.
No dia do
Caráter teste o
discriminató professor
rio. não explica
nada.
FUNÇÕES
DA
AVALIAÇÃO
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA
Verificar a presença ou Permite observar e
ausência de verificar causas de
O diagnóstico é uma conhecimentos e repetidas dificuldades de
“radiografia” dos habilidades. aprendizagem.
conhecimentos prévios.
Trata-se de explorar ou
identificar algumas
Verificar se os alunos características de um
dominam pré-requisitos Avaliação aluno, com vistas a
necessários para novas escolher a sequência de
aprendizagens.
diagnóstica formação mais bem
adaptada às suas
características.
Determinar as
Auxilia o professor a
características da situação Faz-se: elaborar o seu plano de
inicial de um determinado -No início do ano ou do aula, tendo por base
processo didático. semestre letivos; aprimorar o conhecimento
-No início de uma do aluno diante das
unidade de ensino. atividades propostas.
Por que a avaliação diagnóstica
é importante?
AVALIAÇÃO FORMATIVA
Informa tanto o aluno Permite identificar onde e
Visa a ajuda pedagógica quanto o professor sobre o quem é o aluno com
imediata ao aluno. grau de aprendizagem do dificuldades para lhe sugerir
aluno. ou ajudá-lo a descobrir
Utiliza diversos instrumentos, formas de melhorar.
como: Permite fazer diagnósticos, se
- Questionários; necessário. Inicialmente,
- Observação; Avaliação pode assumir uma avaliação
- Escalas de apreciação; formativa prévia das aprendizagens,
- Fichas de autoavaliação; como base para o
- Técnicas de avaliação de sala planejamento adequado às
de aula, etc. necessidades de
aprendizagem.
Faz-se:
Feedback: dar, o mais - No início; Ajuda a tomar decisões de
rápido possível, uma - Durante; natureza pedagógica.
informação útil sobre as - No fim de uma ou várias Modificação:
etapas vencidas e as atividades de - do planejamento;
dificuldades encontradas. aprendizagem. - das estratégias;
- das atitudes;
- do ambiente.
AVALIAÇÃO SOMATIVA
Muitas vezes, os alunos
são classificados uns em
relação aos outros.

Classificar os resultados de Muitas vezes, ela é


aprendizagem alcançados pontual, efetuada em um
pelos alunos, de acordo com determinado momento do
os níveis de aprendizagem Avaliação processo.
estabelecidos. Somativa

É usada para tomar


decisões sobre a
Propõe-se a fazer um Faz-se: aprovação ou reprovação
balanço (soma) depois de -Ao final de um ano ou dos alunos ao final do ano
uma ou várias sequências semestre letivos; letivo.
de atividades. -Ao final de uma unidade
de ensino.
Funções da avaliação
Antes da ação Durante a ação Depois da ação
de formação de formação de formação
Avaliação: Avaliação: Avaliação:
- Diagnóstica - Formativa - Somativa
Função: Função: Função:
- Orientar e adaptar - Pedagógica. - Verificar e certificar a
a sequência de
- Regular e facilitar a aprendizagem.
formação mais
adequada. aprendizagem. Centrada:
Centrada: Centrada: - Nos produtos
- Nos processos e nas apresentados pelos
- No aluno como forma
atividades de produção. alunos.
de identificar as suas
características.
PRESSUPOSTOS BÁSICOS DA
AVALIAÇÃO
 SELEÇÃO DOS OBJETIVOS/CONTEÚDOS: voltados a ajudar o
aluno a compreender efetivamente a vida e o mundo que o cerca –
PADRÃO DE QUALIFICAÇÃO;
 SELEÇÃO DOS INSTRUMENTOS
 DIAGNÓSTICO:
 CONSTATAÇÃO: retrata o estado de aprendizagem em que o
aluno se encontra;
 QUALIFICAÇÃO DO OBJETO: atribuir uma qualidade – certo ou
errado – a partir de um determinado padrão;
 TOMADA DE DECISÃO: o ato de avaliar, para se completar,
necessita da tomada de decisão.
◉ PROVAS OBJETIVAS
INSTRUMENTOS ◉ PROVAS
DISSERTATIVAS
◉ SEMINÁRIOS
◉ TRABALHO EM
GRUPO
◉ DEBATE
◉ RELATÓRIO
◉ OBSERVAÇÃO
◉ CONSELHO DE
CLASSE
◉ PORTFÓLIO
TEXTOS APRESENTAR O CONTEXTO

NÃO DEVEM SER

• ISOLADAS;
• FRAGMENTADAS;
• SUBTRAÍDAS DO
CONTEXTO.
Algumas Considerações...

Para Luckesi, “A prática da avaliação da aprendizagem, para


manifestar-se como tal, deve apontar para a busca do melhor de
todos os educandos, por isso é diagnóstica, e, não voltada para a
seleção de uns poucos. Por si, a avaliação é inclusiva e, por isso
mesmo democrática. Por ela, por onde quer que se passe, não há
exclusão, mas sim diagnóstico e construção. Não há submissão, mas
sim liberdade. Não há medo, mas sim espontaneidade e busca, não
há chegada definitiva, mas sim travessia permanente, em busca do
melhor. Sempre!”
REFERÊNCIAS
DEMO, Pedro. Avaliação qualitativa. 9. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2008.

HOFFMANN, Jussara M.L. Avaliação Mito & Desafio: uma perspectiva construtivista.
Educação e Realidade. Porto Alegre, 1995.

__________. Avaliar para promover: as setas do caminho. 10. ed. Porto Alegre:
Mediação, 2001.

LIBÂNEO, José Carlos. Didática. São Paulo: Cortez, 1994.

LUCKESI, Cipriano Carlos. Avaliação da aprendizagem escolar. 21. ed. São Paulo:
Cortez, 2010.
Obrigada!
Você pode me encontrar:
◉ ilannabrenda@hotmail.com