Você está na página 1de 8

Cópia não autorizada

ANODO DE LIGA DE A@+#klO PARA


PROTECAO CATdOICA

SUMARIO

1 Objetivo
2 Normas complementares
3 Condi@es gerais
4 Condifles especificas
6 Inspeqab e amostragem
6 Aceitago e reiei#o

I OBJETIVO

Esta Norma fixa as condicoes exigiveis para aceitacao e/au recebimento de anodo
de I’iga de aluminio, adequado para uso em sistema de protecao catodica por COC
_
rente galvanica.

2 NORMAS COMPLEMENTARES

Na aplicacao desta Norma 6 necessario consultar:


NBR 5426 - Planos de amostragem e proced mentosna inspecao por atrlbutos -
P raced i mento
NBR 5429 - Planos de amost ragem e proced mentos na inspecao por variiveis -
Praced i mento
NBR 734,8 - Limpeza de superficies de aco corn jato abrasivo - Procedimento
NBR 8734 - Anodo galvsnico e inerte para protecao catodica - Classificacao
NBR 10388 - Anodo de liga de aluminio para protecao cetodica - Formatos e di
mensoes - Padronizasao
NBR lo389 - Anodo de liga de alumlnio paTa protetao cat6dlca - Ensaio de de
sempenho - Mgtodo de ensafo

Origem: ABNT - 7: 02.01-003/88 (EB-1871)


CB-7 - Comiti! Brasilairo de Construflo Naval
-CE-7: 02.01 - Comisdo de Estudo de Prote@o Cat&&a em Estruturas Offshore
NBR 10387 - Aluminum alloy anode for cathodic protection - Specification
Descriptors: cathodic protection. anode.

SiSTEMa N4CIONAL bE ABNT - ASSOClACAO BRASlLElRA


METROLOGIA, NORMAUEA\CAo DE IUORMAS T&JWXS
E Qt!ALIDADE INDUSTRIAL 0

prlrv,er-chp.ae: proteC%o cat6dica. anodo. NBR 3 NORMA BRASILEIRA REGISTRAOA

CDU: 629.12-620: 197.5 To&s OS dlrritoa rwwmda 8 p&l-s


Cópia não autorizada

2 NBR 103lI7/10e,

3 CONDlCdES OERAIS

3.1 Formatos e dtiena6es


OS formatos e ‘dimensoes dos anodos devem ser conforme NBR 10388.

3,2 F’ropriedades e letroqu6nicas


OS anodos devem atender aos seguintes requiritos:
a) capacidade de corrente maior ou igual .,a 2500 Ah/kg NBR 10389;
b) potential eletroqurmico menor ou igual a -1,Os I/- Ag/AgCI an cargo bar
NBR 10389).

3.3 Construpio

3. 3.1 0 forno para fundiGs da liga deve ter wna capocidade lgual ou superior
a massa do anodo a ser fabricado.

3.3.2 0 vazamento deve ser contlnuo, nso se admltindo interrupes na allrnenta-

cao .

3. 3.3 Do process0 de fundicgo dos anodos deve resultar uma liga corn perfei ta
homogene i zaGa dos componentes em toda a extensso de seu corpo.

3.3.4 A alma deve ter boa ader6ncia ao corpo do anodo, n& apresentando vazios
entre as superfrcies de contato.

3.3.5 0 material da alma do anodo de+e ser ew ou Jatgo.

3.3.5.1 0 aCo deve ter balxo teor de carbon0 (C 0,22x) e ser pkqrio pars sold?
gem ‘a estrutura a ser protegida.

3.3.5.2 0 latao 6 usado quando se exlgem proprledades ngo magnhicas.

3.3.6 A alma de aGo-carbon0 deve ter sua superficie limpa atravbs de um jatea-
mento de areia at6 atingir o grau SA 2 l/2, conforme NBR 7348.

3.4 Acahamento

3.4-l As superficies dos anodos nao devem apresentar vestlglos de arc/a, marcz
G&es a tinta em locais nao previstos, inclusso de es&ria, fissuras, grstas, ca-
vidades ou porosidades, trincas ou rebarbas.

3.4.2 OS rechupes, se existentes na superficie dos anodes, nao podem exceder


aos limites indicados na Tabela 1.

ITABELA 1
Cópia não autorizada

TABlELAl -Lhkadoanalnmr
unid.: mnl

Hixitna prof und i dade de


Espessura do anodo
rechupe ace i t bve 1

6 20 2

.21., a 58. 5

59 a 100 8

> 100 12

Nota: OS rechupes n6o podem ser pree nchi des corn es&la do metal fundido.

3.5 Designaccio'
OS anodos devem ser deslgnados da segufnte forma:
a) liga de aluninio;
b) tipo
da anodo;
a.
c) dimensoes prlncipafs na ordem decrescente;
d) numero desta Norma/ano.

3.6 Mamacab

3.6.1 Todos OS anodos devem ter marca ou logot ipo do fabrlcante.

3.6.2 OS anodos de massa superior a 40 kg , aldm da marca ou logotipo, devem


ter marcados na almadoanodo OS seguintes dados:
a) numero de ordem cronologica de fabricasgo, fornecido pelo fabrican
te;
b) nhnero.da cot-r ida-de fundi&o ou late, baseado em grupos def ini-
dos por acordo corn o comprador .

Nota' A ordem acima.dexe ser obedecida.

3.7 Documentac~o

3.7.1 Registm de controZe de quaZidade


0 fabricante deve manter em seu poder, registro de controle de qua1 idade
que permi ta identificar em qualquer tempo a proceddncia e qualidade.

3.7.2 Certificado de qualidade

3.7.2.1 0 fabricante, quando solicitado, deve fornecer o cert i f icado de qua

--..--
’ Exemplo: llga de aluminio, tipo AES-4. 300 x I50 x 40, NBR 10387/88.
Cópia não autorizada

.4 NBR1038711988
-

lidade por late, contendo, no minima, as seguintes informacGes:


a) desi’qnac;jo do anodo (ver 3.5) ;
b) an5.i ise quimica da 1 iga;
c)capac-i&de de corrente e potenciai eietroquimico, conforme N@R 10389.
3.7.2.2 0 .fabricante, quando sol icitado, deve fornecer o certificado de qualld;
de das mati!riais-primas utiiizadas na fabricacao dos anodos, contendo, no mfnimo,
as seguintes informaC6es:
a) piocedhcia;
b) composicso;
c) identificaC3.o dos anodos aos quais se refetie o certificado (ver 3..6).

3 .a’ Condic6es de encomenda

3.8.1 No pedido devem constar OS seguintes dados:


a) quant i dade;
b) designaC;o do anodo (ver 3.5);
c) soiicitaC;o do.certlficado de quaiidade, quando for o case;
d) material da alma do anodo, quando nso for de ace-carbono.

Nota: Para o tipo AQS (ver NBR 10388) indicar o format0 da alma do anodo.

3.8.1.1 hemplo de pedido


150 anodos, liga de aiuminio, tipo AES-4,300 x I50 x 40, NBR 10387, fornecido corn
certificado de qua1 idade.

3.8.2 A unidade de compra 6 uma peGa.

3.9 CondicSes de fornecimen to

3.9.1 OS anodos corn massa inferior a 6 kg devem ser acondicionados em caixas’ ou


atados em grupos, a criteria do comprador, considerando OS meios c disthcia para
transporte at6 o local de armazenamento ou montagem.

3.9.1.1 Quando forem usadas embaiagens fechadps, estas devem davem ser maccadas
de maneira iegivei e indeievei, no minima, corn OS seguintes direres:
a) designaC;o do anodo (ver 3.5);
b) quantidade de anodes na calxa;
c) nome do fabricante.

3.9.2 OS anodos corn massa superior a 6 kg nao necessitam ser acondlcionados.

4 CONDl@ES ESPECI-FICAS

4.1 ComposicGo quihica


OS anodos devem apresentar composiCao quimica conforme indicado na Tabela 2.
Cópia não autorizada

NBR’ 10367/1988; 6

TABELA 2 - cOmphdo qufmim

Percentagem em massa
Element0
Liga

cu 0,010mix.
0,lO rnsx.
Si 0,25 tix.
7
Ti 0,so mix.

2,20 4x.

In 0,Ol a 0,OS

Zn LO a 5,O

Outros elementos (cada urn) 0,005 miix.

A\ Res tante

5. IMSPECAO E AMOSTRAGEM

5.1 Lote de inspep


Quantidade de anodos fabricados consecutivamente e correspondente ao processamen
to de insp&$so, caracterlzado por uma das segulntes condi$es:
a) quantidade produzida diarlamente;
b) quantidade de anodos cuja massa total 6 1000 kg;
c) quantidade estabelecida mediante acordo entre comprador c fabrIcante.

5.2 Carat teria t&m a’ hwpecionar


OS seguintes caracteristicos devem ser ver lficados na inspe$o do late:
a) composi+o qufmica;
b) massa;
c) dimensoes;
d) acabamento;
k) ade‘rhc ia da Alma a’ massa anod ica;
f) pro’priedades ele’troquimicas.

Not-as: a) 0 caracteristico aderhcia da alma 5 massa anodica deve ser verifica


do somente quando solicitado pelo compradop.
Cópia não autorizada

6 NBR 10367f1.666

b) Outros careoterlsticos podem ser verfffcados, desde que ertabelccidos


medi.ante acordo ent’re comprador e fabricante.

S ..3 Ptanc! de mostrqpn

5.3;1 Para‘o~caractcr~stico sdere’ncia da alma i massa do anode, devan ser se&


cionados D,S%‘dos anodos do Iote, corn un mfnimo de 1 anodo por lote.

5.3.2 Para o caracterrqtico propriedade eletroquimica, o piano de m\o$tragem


deve ser par varia’veis, cotiforme NBR 5423.

5.3.3 Para OS demais caracteristicos, o piano de &tostragem deve ser par atri-
butos, conforme N8R 5426.

5.4 Andlise qu&nica

5.4.1 Retirada do corpo-de,proua (CPl

5.4.1.1 De. ~:adq anode selec!slwdo para ana^llse qufmicr, devem ser rat I rados
&is CP’scomdimens6es suficientes pera posterior coleta de 5 grmas de limalha
e usinagem de cilindros da 16 mm de diknetro par30 mm de comprimento, destinado
ao ensaio de desemoenho.

5.4.1.2 A reti rada dos CP’S deve ser fei ta pelo fabricante corn seus pr6prfos rz
curses.

5.4.1.3 0 comorador pode, a seu cri tbrio, presenciar a retirada dos CPs e mar-
ci-10s corn seu sinete.

5.4.1.4 0 fabricante deve guardar un dosCPk em lugar aproprlado, por um psrl-


odo de 2 anos, e deve ser apresentado sempre qud, o comprador sollcItar, Oo ou-
tro CP devem ser retiradas limalhas mefalicjas para anijlise qulmlca a, a& usi-
nado, deve ser usado para o ensaio de desempenho.

5.4.2 Retirada da l&nai!ha metbt~ca

5.4.2.1 A limalha metSl,ica deve ser retirada utilizando-se brcjca nio fermsa
(tungstikioj isenta de sujeira, gordura ou material e.stranho.

5.4,2.2 Antes de cada uso, a.broca deve ser lmersa em solvente e scca corn pano
apropr iado. Quando fora de uso, a broca deve ser guardada irnersa em 61~0 IubrL
ficante inibido.

5.4.3 Determinuc6o da conposi&a quiinica


A compos ic& qulmi ca deve ser determinada pelo titodo de anil ise e.specf;rofo.t~~
trica.
Cópia não autorizada

5.5 Determina&o do desempenho


A capacidade de corrente e potential dos anodos,devem scr ile’t‘ermlnados conforme
NBk n,ma 9

Nota: Outros metodos podem set- usados mediante acordo’entre cdnprddor’e fabricac
te .

5 6: Qeteqinacxib
l . da, mass4 do anodo

5,6.1 A niassa do antido deve‘ser determlnadi em balan& tom capacidade e men0 r


divlsgo da escals conkrme igbela 3.

TABELA 3 - Capacidade e mmor divhb da muh da bhnp


lMJ.:ktJ
Menor diviszo
Massa do anodo Capac i dade da ba 1ansa de escala
I

14 a 450 I 500 I O,l


451 a 900 I- 1000 0.2

5.6.2 Para efeltoda Inspe&o, a determina$o da massa do anodo deve scr !fei ta
no conjunto alma-massa anodica.

5.6.3 Medi ante acordo entre comprador e fabricante, pode ser fei ta inspe& da
massa da alma e do conjunto alma-massa anGdica. Neste case devem scr determina-
das a massa da alma e do conjunto alma-massa anodlca.

5.7 Ensaio de ade&noia

5.7.1 0 anodo devesercortado em tr& pianos, sendo um longltudlnsl e dols


transversais. Nos tortes efetuados deve ser verlficada visuglmente, a linha de
yniso entre a alma e a massa anodica.

5.7.2 Quando for constatada uma falta de adere”ncla entre a alma e a massa an6di
ca deve ser determinada a area afetada, fazendo-se tantos tortes quantos fo rem
necessaries.

5.7.3 Caso pelo menos sm. urn anodo seja constatada uma falta de aderkcia, em

cmla a’rea superior a 5% da a’rea de contato entre a alma e a massa anGdica, o IO.
te 6 rejeitado.
Cópia não autorizada

8 NW? 1038711988

6 ACElTACAO E REJEICAO

6.1 OS anodos defeituosos encontrados durante a Inspt@o devem rer sepsrada$ e


rejeltados, ~60 wdendo firer parte dos lotes de entrega ao comprador. Nio se ad
ml te reparo na massa anGd f ca do anodo.

6.2 Quando urn lote for rejeftado por qualquer urn dos caracterFstlcos de qua11
dade, o fabrlcante pode, a seu critdrio, real izar InspeCGo em 100% dos anodes,
separando OS defeituosos e reapresentando o late p&ra inspe&io.. Caso esse lote
seja novamente yeJei tado, nso se admi te n&a apresenta& .do. late.