Você está na página 1de 5

(falta começo, cheguei atrasada)

TU CAVIDADE ORAL

CAVIDADE ORAL, LARINGE, FARINGE = CARCINOMAS EPIDERMOIDES (celulas


escamosas)

GLANDULAS SALIVARES = HISTOLOGIA VARIAVEIS

Etiologia: tabagismo, etilismo, traumatismos crônicos (ex: dentaduras mal adaptadas, má


dentição – dentes que machucam)

Sinais e sintomas: mancha (leucoplasia e eritroplasia); úlcera; dor (odinofagia (dor para
deglutir), otalgia); disfagia (dificuldade ) , sangramento; alteração da fala; nódulos no
pescoço.

Nem sempre haverá úlceras evidentes, ptt é imptt fazer EF da cavidade oral, avaliando
motricidade, por ex (acometimento dos músc extrínsecos e intrínsecos, nervo hipoglosso –
XII par).

Nervo lingual é ramo do trigêmio (V par).

Trismo é uma alt da motricidade (não conseguir abrir a boca, por causas infecc ou tumorais).
Músc da mastigação: masseter, temporal, pterigoides – trismo pode levar à hipotrofia desses
músc

Demoram a aparecer (uns 3m). Acomete camada social bx

DD: lesão com mesmo aspecto (verrucosa e vegetante) e agressividade de um TU =>


blastomicose (tb chamada de paracoccidioidomicose) (infecc)

TU de dorso ( parte de cima ) de lg são raros: geralmente são benignos


Pode haver melanomas na cavidade oral (qq melan em mucosas é mt agressivo)

7 par de nervo - motor

5 par (trigemio) sensibilidade

Diagn e estadiam:
⦁ EF: mobilidade da lingua , endurecimento (palpar a lg para sentir), nód cerv
⦁ Biópsia por punch (não é necessário retirar a lesão inteira, apenas 2 a 3mm, sem
necessidade de suturar): diferenciar CA de proc inflam/infecc
⦁ Ex complem: TC, RM, PetCT, US cervical, fibrolaringoscopia

Tto: são pouco sensíveis à rdt, o tto + recomendado é CIRURGIA


⦁ Cirurgia todos (T1, T2, T3, T4)

⦁ Radiot (T1, T2...?) – estadiam > não se beneficiam pois precisam de dose > de rdt
que causa mts complicações de cabeça e pescoço
(ex: xerostomia; necrose de tec, inclusive ósseos)

Cg + radiot/qmt

1
⦁ Rdt + qmt: casos selecionados
⦁ Qmt: basicamente para paliação

Rabdomiossarcoma: TU de cab e pesc comum em cças e adolescentes (acomete músc


estriados)

Art carót externa irriga pescoço. Carót interna irriga face (não há ramos para pesc)

Reabilitação TU cab e pesc: fisiot, fonoaud, dentista, psicól

TU FARINGE
Rinofaringe (ou nasofar) (proximal) / orofaringe / hipofaringe (distal – transição entre esôfago
e laringe/traquéia?)
Sint conf obstrução das cavidades: sensação de nariz entupido, epistaxe, ↓ acuidade auditiva

CA RINOFARINGE
⦁ < 1/100.000 hab; asiát. > 10/100.000 hab (devido à alimentação)
⦁ Epstein-Barr vírus (EBV)
⦁ SintOMAS : metástase cervical ; obstru nasal; epistaxe; hipoacusia; zumbido; tontura;
otalgia; acometimento de pares cran (III, IV, VI, IX, X, XI, XII)
⦁ Tto baseado em rdt e qmt;
⦁ cg é exceção

TU orofaringe:
Respondem bem à rdt (qdo peq); cg para TU >, mas deixa seq (ex: voz anasalada – “fanho”)
⦁ Etiol, sinais e sint semelhantes a TU cav oral
⦁ > importância para HPV

2
⦁ Tto
⦁ T1, T2: cg ou rdt
⦁ T3, T4: geralmente rdt + qmt; cg em casos de T4
⦁ Escolha de tto não depende apeas das caract do TU, mas tb da preferência
do pac (explicar sequelas)

TU hipofaringe
⦁ Etiol: semelhante orofar e cav oral (tabag e etil)
⦁ Sint: odinofagia, disfagia, otalgia, disfonia, dispneia (em TU avançados, por oclusão)
⦁ Tto: operáveis se peq
⦁ T1, T2: cg endoscóp (com laser); rdt
⦁ T3, T4: rdt + qmt; cg em alguns casos de T4
TU gdes: faz-se laringectomia

CA LARINGE

Anatomia da laringe:

GLOTE É UMA REGIÃO


supraglote (acima da corda vocal – existe verdadeira ( CORDAS VOCAIS ) e falsa
( PREGAS VESTIBULARES) /
glote /
subglote

Supraglote:
Diagn tardio
Sint: odinofagia, disfagia
Cursam com + mtX

TU glote fazem pouca mtt por ter pouca irrig linfát

3
Subglote: dispneia ( ENTRADA DA TRAQUEIA)

CA laringe é 8º + freq entre H no Br...


Sint – dependem do subsítio: disfonia, disfagia, odinofagia, otalgia, dispneia, tosse,
hemoptise, nód cerv

Etiol: tabaco, álcool, HPV, DRGE (em ordem decresc de importância)


D
iagn e estad: fibrolaringoscopia; bps (anestesia local ou geral – conf região pode provocar
vômito, por isso faz-se anest geral); TC/RM/US cerv/PetCT

EF: mobilidade da cartil cricoide (palpação no pescoço) – imóvel

TU GLÂNDULAS SALIVARES

Classificadas em maiores (parótidas, submandib, sublinguais) e menores (distribuídas


Parótidas (70% dos TU); submandibulares; sublinguais

Parót inervada pelo VII par: facial (motor; n trigêmeo é de sensibilidade)

Ducto de Stensen (da parót: libera saliva na boca)


Ducto de Warthon (da submand)

Etiol: desconhecido
Incid: 1/100.000 indiv (parót); média de 45a (aumentando para 6ª a 7ª déc); H/M
Sint: ausentes; dor
Sinais: nód (DD: caxumba); paralisia facial

Paralisia de Bell: INFLAMAÇÃO DO NERVO FACIAL . causa súbita, sem fator causal –
para DD com TU: na PB não há nód. PB acomete METADO DO ROSTO.

4
Paralisia por AVC faz desvio de boca ( no rosto ) e pode afetar metade do corpo.

Diagn: clínico, PAAF, agulha grossa

Tipos histol: adenoma pleomórfico (benignos?),

TU de Warthin (assoc a tabag),


CA mucoepidermoide,
CA adenoide cístico –
TU glând salivares tem variabilidade histol, os demais de cab e pesc são todos carcinomas
epidermoides
Tto: cg; qmt/rdt (adjuv)
Progn: tipo histol; TNM; margens cirúrg; invasão perineural

Não fazer bps incisional em tumores de


clandulas salivares : pode semear TU
TU de cab e pec estão entre os + incid na pop brasil
Cg: pp modalidade de tto
Br: TU são diagnosticados em estágio avançado
Devido à complexidade...