Você está na página 1de 3

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA

ESCOLA POLITÉCNICA
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA QUÍMICA
ENG436 T02– MODELAGEM E SIMULAÇÃO DE PROCESSOS
QUÍMICOS

MODELAGEM E SIMULAÇÃO DE UM REATOR CSTR NÃO-


ISOTÉRMICO EM REGIME DINÂMICO

FERREIRA C1, REIS J1, CARVALHO L1 e BITENCOURT T1


1
Universidade Federal da Bahia, Departamento de Engenharia Química
E-mail para contato: tsbitencourt@gmail.com

RESUMO – O presente trabalho tem como objetivo desenvolver um modelo dinâmico


genérico para reatores com uma reação do tipo A  B exotérmica em leito fixo com
uma camisa de resfriamento. O modelo tem como saída a concentração de reagente na
corrente de saída, bem como as temperaturas de reação e da camisa. Foram feitas
análises de um modelo linearizado, um modelo não linearizado e a estimativa de
parâmetros utilizando-se os softwares MATLAB e SIMULINK.. O modelo tal
apresentou melhor ajuste devido a isso e àquilo outro.

1. INTRODUÇÃO
Os modelos para processos químicos podem ser desenvolvidos em estado estacionário ou
dinâmico. O modelo estacionário é eficaz na predição de diferentes cenários de operação, o que é
útil no projeto e no aperfeiçoamento de custos. No entanto ele é limitado no estudo de operações de
rotina já que, na prática, a desconsideração do acúmulo deixa o modelo estacionário pouco
representativo da realidade, conforme foi explicado por Nunes (2014). Portanto, para que se possa
compreender o comportamento de um processo com modificações frequentes em variáveis, é
necessário realizar um estudo da dinâmica do sistema.

A operação unitária mais importante de um processo químico é geralmente o reator, já que ele
é responsável pela transformação química. A reação química pode liberar ou consumir energia,
sendo necessário possuir uma camisa para manter a temperatura da reação constante. (BEQUETTE.
1998). As reações exotérmicas são mais frequentemente estudadas devido a potenciais problemas
de segurança que podem ser causados, devido ao aumento rápido de temperatura que pode causar
ignição, e devido a possibilidade de formação de múltiplos estados estacionários.

O reator estudado é do tipo CSTR perfeitamente misturado com uma corrente de entrada e
uma de saída. Ocorre uma única reação exotérmica de primeira ordem irreversível do tipo A  B.
O reator é envolvido por uma camisa, que também possui uma corrente de entrada e de saída.
Considerou-se que a camisa é perfeitamente misturada e possui uma temperatura inferior à do reator.
Para simplificar o problema, considerou-se que a temperatura da camisa pode ser manipulada
diretamente, portanto não é necessário fazer o balanço de energia em torno da camisa.

O sistema estudado possui três pontos de operação. Para simplificação, apenas o


comportamento em torno do primeiro ponto de operação será avaliado. As variáveis de entrada do
UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA
ESCOLA POLITÉCNICA
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA QUÍMICA
ENG436 T02– MODELAGEM E SIMULAÇÃO DE PROCESSOS
QUÍMICOS

sistema são: a concentração de A na corrente de alimentação (CAf), a temperatura da corrente de


alimentação (Tf) e a temperatura da camisa (Tj). As variáveis de saída do sistema são: a concentração
de A na corrente de saída (CA) e a temperatura da corrente de saída (T).

2. METODOLOGIA

2.1. Estado estacionário


Inicialmente realizou-se a simulação no estado estacionário, para realizar a linearização em
torno deste ponto. Para tal, foram determinadas as equações do balanço de massa do componente
A, considerando o volume do reator constante, e o balanço de energia, considerando o que a
densidade e a capacidade calorífica são nulas. A solução do estado estacionário é obtida quando os
balanços de massa e energia são iguais a zero

Para resolver essas equações, todos os parâmetros e variáveis, exceto Ca e T foram


determinados, utilizando os valores encontrados em Bequette, 1998. Utilizou-se a função fsolve do
software MATLAB.

2.2. Linearização
Esse sistema de equações não-lineares foi representado no formato de espaço de estados. Os
elementos da matriz A foram determinados derivando as equações dos balanços de massa e energia
em função das variáveis de saída, resultando em uma matriz 2x2. Para encontrar os elementos da
matriz B as equações 4 e 5 foram derivadas em função das variáveis de entrada, resultando em uma
matriz 2x3. A matriz C é uma matriz identidade de ordem 2 e a matriz D é uma matriz nula 2x3.
Com a determinação das matrizes, utilizou-se a função ff2tf do MATLAB para encontrar as 6
funções de transferência que representam o problema.

O sistema foi simulado utilizando o Simulink. Foram inseridos os valores iniciais das
variáveis de entrada, assim como uma sequência de degraus unitários com ganhos positivos e
negativos em diferentes tempos para observar o comportamento das variáveis de saída. Os ganhos
da temperatura da camisa, da concentração de saída e temperatura de saída foram respectivamente
3, 0.5 e 2. Esses valores foram escolhidos para evitar que o sistema chegasse a um novo ponto de
operação. Por fim, os valores das variáveis de saída no estado estacionário foram somados e
plotaram-se os gráficos dos valores das variáveis de saída em função do tempo usando o scope para
avaliar seus comportamentos.

2.3. Modelo não linear


A simulação não linear foi feita utilizando unicamente a função s function do Simulink. As
variáveis de entrada foram inseridas em suas condições iniciais, inseridos degraus unitários com os
mesmos ganhos e mesmos tempos utilizados no modelo linearizado, para possibilitar a comparação.
Utilizou-se a função mux para unir os sinais das variáveis de entrada e enviar o sinal unificado para
o s function.

Os parâmetros do s function foram inseridos de uma maneira muito inteligente. Por fim,
utilizou-se a função demux para separar os sinais das variáveis de saída, somaram-se a eles seus
valores no estado estacionário e utilizou-se a função scope para plotar os gráficos das variáveis de
UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA
ESCOLA POLITÉCNICA
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA QUÍMICA
ENG436 T02– MODELAGEM E SIMULAÇÃO DE PROCESSOS
QUÍMICOS

saída em função do tempo para avaliar seus comportamentos.

2.4. Estimativa de parâmetros

3. RESULTADOS E DISCUSSÃO

3.1. Linearização
O valor encontrado para a concentração de A na corrente de saída foi 8,564 kmol/m³ e para
a temperatura da corrente de saída foi 311,2 ºC.

3.2 Modelo não-linear

3.3 Estimativa de parâmetros

4. CONCLUSÃO

5. REFERÊNCIAS
BEQUETTE, B. Process Dynamics Modeling Analysis and Simulation. 3 ed. Upper Saddle
River, N.J. : Prentice Hall PTR, 1998.

ERTHAL R, Modelagem e simulação dinâmica de um conversor de craqueamento catalítico.


Tese (Mestrado em Engenharia Mecânica) – Departamento Acadêmico de mecânica,
Universidade de Curitiba. Curitiba, 2003.

GAMBETTA R, Modelagem e simulação de reatores de polimerização em leito fluidizado.


Tese (Mestrado em Engenharia Química) – Departamento de Engenharia Química,
Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 2001.

NUNES P, Simulação dinâmica de uma unidade de destilação atmosférica de petróleo usando


o software UniSim – Estudo de caso. Tese (Mestrado em Engenharia Química) – Departamento
de Engenharia Química, Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Natal, 2014.