Você está na página 1de 19

ESCOLA SUPERIOR DE CRICIÚMA - ESUCRI

CURSO DE ENGENHARIA CIVIL

GABRIELA DOLZAN DA SILVA

RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO EM ENGENHARIA


CIVIL

CRICIÚMA, 2018.
0
GABRIELA DOLZAN DA SILVA

RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO EM ENGENHARIA


CIVIL

Relatório de estágio curricular supervisionado II


apresentado ao Curso de Engenharia Civil da Escola
Superior de Criciúma – ESUCRI.

Local de estágio: Içara – SC.

Supervisor no local de estágio: Eng. Marcelo


Santa Helena Gomes.

Supervisor na ESUCRI: Professor César Alexandre


Bratti Paixão.

CRICIÚMA, 2018.

1
SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO ...................................................................................................... 4
2 CONTEXTUALIZAÇÃO DA INSTITUIÇÃO ........................................................... 5
3 REFERENCIAL TEÓRICO ..................................................................................... 6
4 ATIVIDADES DESENVOLVIDAS .......................................................................... 7
4.1 HOSPITAL SÃO DONATO ............................................................................... 7
4.2 EEB PROF. JAKOB ARNS ................................................................................ 9
4.3 EEB EGÍDIO DE BONA ................................................................................. 12
4.4 PAVILHÃO ................................................................................................... 13
5 CONCLUSÕES.................................................................................................... 17
REFERÊNCIAL BIBLIOGRÁFICO ........................................................................... 18

2
LISTA DE FIGURAS

Figura 1 - Gesso no teto ........................................................................................................................ 7


Figura 2 - Patologias encontradas e retiradas ................................................................................... 8
Figura 3 - Concerto feito e piso nivelado ............................................................................................ 8
Figura 4 - Piso de concreto ................................................................................................................... 9
Figura 5 - Piso aguardado a cura ...................................................................................................... 10
Figura 6 - Substituição de telhado (uma água)................................................................................ 10
Figura 7 - Colocação das novas telhas (uma água) ....................................................................... 11
Figura 8 - Telhado finalizado (uma água) ......................................................................................... 11
Figura 9 – Passeio EEB Egídio de Bona .......................................................................................... 12
Figura 10 – O pavilhão ........................................................................................................................ 13
Figura 11 – Laje do pavilhão .............................................................................................................. 14
Figura 12 – Escoras da laje ................................................................................................................ 14
Figura 13 – Caminhões usados na concretagem ............................................................................ 15
Figura 14 - Concretagem da laje........................................................................................................ 15
Figura 15 - Paredes ............................................................................................................................. 16
Figura 16 – Pavilhão após concretagem .......................................................................................... 16

3
1 INTRODUÇÃO

O relatório de estágio tem como objetivo apresentar as atividades prestadas


pela acadêmica Gabriela Dolzan da Silva, durante o estágio realizado de acordo com
a disciplica de estágio supervisionado II, no curso de Engenharia Civil da Faculdades
Esucri.

O presente estágio foi realizado na empresa Casa do Contrutor e


Construções EIRELI ME, localizada no município de Içara – SC. Onde permitiu a
acadêmica a união da prática com a teoria já vista durante o curso, ampliando assim
o conhecimento.

4
2 CONTEXTUALIZAÇÃO DA INSTITUIÇÃO

O estágio supervisionado II, proposto pelo curso de Engenharia Civil das


Faculdades ESUCRI – Escola Superior de Criciúma, localizada na rua Gonçalves
Lêdo, Nº 98, no Centro de Criciúma – SC, foi realizado entre os dias 15 de outubro
a 23 de outubro de 2018, com um total de 64 horas de estágio divididos em 7 dias
com 8h/dia.

O estágio foi realizado na empresa Casa do Construtor e Construções Eireli


ME, localizada na Rua Nagelo Sartor, N° 555, Içara – SC, sendo o estágio
supervisionado pelo engenheiro Marcelo Santa Helena Gomes, CREA/SC 118769-0.

As atividades propostas pelo planejamento de estágio foram:

• Obra Hospital São Donata – Içara: Observar aplicação de gesso no teto,


medição de toda a área da obra, análise de patologias na laje, remoção e
conserto das mesmas, regularização do piso para aplicação do piso
laminado.

• Obra EEB Prof. Jakob Arns – Forquilhinha: Concretagem de piso para


apliação do pátio da escola e troca de todo o telhado da mesma;

• Obra EEB Egídio de Bona – Forquilhinha: Análise do serviço a ser


realizado, para entrada de papeis para a licitação do mesmo;

• Obra pavilhão para a própria construtora – Içara: Execução da laje,


incluindo a concretagem e levantamento das paredes externas.

5
3 REFERENCIAL TEÓRICO

A grande responsabilidade do engenheiro que se propõe a atuar no setor da


Construção Civil é aprofundar-se sempre, e cada vez mais, no conhecimento das
características particulares desse setor da engenharia. Sendo preparado para
qualquer tipo de obra e problema decorrentes na mesma.

A criatividade para superar dificuldades técnicas e administrativas que se nos


apresentam no trabalho diário é um desafio a ser vencido e a administração dos
grupos de trabalho.

Devido à grande oferta imobiliária do mercado, a maior exigência por parte dos
clientes e em alguns casos a escassez de recursos para construir, as empresas do
ramo da construção civil tem com objetivo serem mais competitivas, tencionando
gerenciar melhor seu sistema produtivo e investir em tecnologia a fim de ampliar a
produção e qualificar seus lucros (FORMOSO, 2001).

Nesse contexto o planejamento é visto por vários autores como um fator capaz
de integrar diversas entidades que participam de um empreendimento de construção,
assumindo uma função gerencial básica. (BERNARDES, 1996)

Desta forma, nota-se a importância do engenheiro civil presente nas obras,


para organização dos grupos de trabalho, do canteiro de obra, cobrança na mão-de-
obra contratada, orientação sobre cumprimento do cronograma inicial, organização
com fornocedores de matéria prima e serviços tercerizados e soluções de problemas
inesperados.

6
4 ATIVIDADES DESENVOLVIDAS

4.1 HOSPITAL SÃO DONATO

A obra no Hospital São Donato está sendo realizada em uma área que já
passou por diversas reformas, nessa que está sendo feita no local será implatada a
UTI do hospital, sua entrega que seria em fevereiro foi adiantada para novembro.

Inicialmente foi acompanhado a colocação do gesso no teto, que está sendo


feita por uma empresa tercerizada, em seguida foi aplicado massa corrida e fita para
união de placas e alinhamento e disfarçar imperfeições, para finalizar o gesso foi
lixado e pintado de branco para acabamento.

Figura 1 - Gesso no teto

Após ser feito toda a medição dos 600 m² da obra, foram analisadas
patologias como trincas e desnivel no contrapiso existente, as quais foram retiradas e
novamente concretadas.

Após isso o piso todo foi nivelado com massa para que sobre ele fosse
aplicado o piso laminado que foi escolhido pela arquiteta para dar o acabamento da
obra, o qual será aplicado por uma empresa terceirizada.

7
Figura 2 - Patologias encontradas e retiradas

Figura 3 - Concerto feito e piso nivelado


8
4.2 EEB PROF. JAKOB ARNS

Na escola Prof. Jakob Arns, foi realizada a ampliação do pátio da escola em


piso de concreto, onde foi usada areia compactada para nivelar com o piso já
existente, em seguida a armadura e finalizado com concreto feito na própria obra,
onde foi aguardado a cura do mesmo para após isso o pátio ser liberado para os
estudantes.

Figura 4 - Piso de concreto

9
Figura 5 - Piso aguardado a cura

Ainda na escola, a construtora efetuou a troca de todo o telhado da mesma,


composto por 4 águas e a reforma de uma platibanda, onde foram encontrados
problemas em relação a fiação elétrica, pois a mesma havia sido feita à muitos anos
e estava pregada nos caibros existentes, o problema foi passado para a engenheira
da prefeitura da cidade de Forquilhinha, local da escola, e a prefeitura optou por
manter a instalação elétrica existente.

Figura 6 - Substituição de telhado (uma água)


10
Figura 7 - Colocação das novas telhas (uma água)

Figura 8 - Telhado finalizado (uma água)

11
4.3 EEB EGÍDIO DE BONA

Para a escola Egídio de Bona, também na cidade de Forquilhinha, foi feito a


análise obra, na qual seria a construção do passeio em torno de toda a delimitação
da escola, após a visita ao local, onde foram tiradas fotos e anotações, foi feita a
planilha orçamentária da mesma para que fosse enviada a prefeitura, onde a
construtora aguarda o resultado final para saber se conseguiu a licitação da obra.

Figura 9 – Passeio EEB Egídio de Bona

12
4.4 PAVILHÃO

O pavilhão é uma obra para a própria construtora, localizada no terreno ao


lado da sede, onde está sendo realizada em ritmo intenso e acelerado, os pilares que
compõe a estrutura foram realizados por uma empresa terceirizada de pré-moldado,
assim como a estrutura metálica.

Figura 10 – O pavilhão

A laje foi feita pela construtora, optando por não usar o pré-moldado, a mesma foi
feita usando vigotas, tijolo e seu escoramento foi feito com madeira roliça, já o concreto,
foi usado o usinado que para o cobrimento de toda a laje foram necessários 4
caminhões.

13
Figura 11 – Laje do pavilhão
avilhão

Figura 12 – Escoras da laje

14
Figura 13 – Caminhões usados na concretagem

Figura 14 - Concretagem da laje

15
Para as paredes, a construtora também optou por não utilizar o pré-moldado,
sendo feito assim da forma convencional em tijolos.

Figura 15 - Paredes

Figura 16 – Pavilhão após concretagem

16
5 CONCLUSÕES

A experiência com diversificadas obras mostrou a grande diferença da teoria


para a prática, na qual enfrentamos problema cotidianos que em sala de aula não
são possíveis ser apresentados, mostrou o quanto nosso trabalho precisa ser correto
e o grau da importância do engenheiro estar presente nas obras todos os dias.

A oportunidade de visualizar obras públicas, com suas rigosas fiscalizações,


tanto quanto obras privadas, de afirmar a importância dos EPI’s e EPC’s no dia a dia
do trabalhador e acima de tudo o comprometimento com todas áreas, tanto quanto
funcionários, coordenadores, fornecedores, engenheiros e cliente finais.

A equipe de trabalho foi bastante receptiva, o responsável que sempre


esteve disposto a responder todos os questionamento feitos e o dono da empresa
que sempre presente nas obras e disponível para ensinar.

Um estágio onde tive a oportunidade de além dos conhecimentos na


engenharia, aprender a liderar, organizar funcionários e enfrentar as dificuldades que
surgem de forma inesperadas no dia a dia de uma obra na construção civil.

17
REFERÊNCIAL BIBLIOGRÁFICO

FORMOSO, C. T. Lean Construction – Princípios básicos e exemplos. Universidade


Federal do Rio Grande do Sul, 2003.

BERNARDES, M. M. E. S. Método de análise do processo de planejamento da produção


de empresas construtoras, através do estudo de seu fluxo de informações: proposta
baseada em estudo de caso. Universidade Ferderal do Rio Grande do Sul, 2003.

18