Você está na página 1de 1

(Fonte: Rodrigo Gasparetto e Renato Mange)

como se processA A recuperAção de umA empresA

Por Mario Kanno

se processA A recuperAção de umA empresA Por Mario Kanno Um dos avanços trazidos pela Lei

Um dos avanços trazidos pela Lei 11.101/2005, que disciplina a recuperação

judicial, extrajudicial e a falência do empresário e da sociedade empresária,

é dar margem à preservação da empresa como fonte produtora, do emprego dos trabalhadores e dos interesses dos credores.

Na busca dessa recuperação, vale a criatividade na negociação entre empresário e os credores, com a conversão da dívida em ações, participação no capital, fusão, incorporação. Tudo feito com

transparência, num trabalho em equipe para fazer a empresa gerar receita

e produzir riqueza. Veja o passo-a-passo de uma recuperação judicial.

riqueza. Veja o passo-a-passo de uma recuperação judicial. 3 O juiz pode ou não deferir o

3 O juiz pode ou não deferir o pedido. Caso o juiz defira o pedido (um prazo de respiro), o faz com vistas a permitir a manutenção da fonte produtora de emprego dos trabalhadores, promovendo assim a preservação da empresa e sua função social. Nomeia um administrador judicial como gestor incumbido de fiscalizar a elaboração e o cumprimento do plano de recuperação.

1

A empresa entra em uma situação de crise econômico- financeira, não tendo como, momentaneamente, pagar seus débitos em dia.

2

A empresa ingressa no Judiciário com um pedido de recuperação judicial.

4

ENTRETANTO, CASO:

O pedido de recuperação judicial não seja deferido pelo juiz,

A partir desse momento, todas as ações dos credores que estavam cobrando dívidas ficam suspensas por 180 dias, prazo que a empresa tem para aprovar em conjunto com os credores um plano de recuperação judicial.

O plano não seja aprovado pelos credores A empresa não cumpra o plano aprovado A
O
plano não seja aprovado
pelos credores
A
empresa não cumpra o
plano aprovado
A falência da empresa será decretada,
sendo a empresa extinta e seus bens
reunidos em “comunhão universal” para
satisfazer os créditos dos credores.
6

5

Nesses 180 dias, vários atos são realizados, o mais importante deles é a assembléia geral de credores. Nela os credores e a empresa se reúnem para revisar as propostas, fazer sugestões e colocar em votação o plano.

Com o plano aprovado, a empresa ganha novo fôlego e se cumprir todas as etapas previstas poderá se recuperar e voltar a funcionar normalmente.

OS PRAZOS DA RECUPERAÇÃO JUDICIAL

Publicação do deferimento e do edital com relação de credores (art. 52§1º) Apresentação do plano
Publicação do
deferimento e do edital
com relação de credores
(art. 52§1º)
Apresentação do plano
(art. 53) e publicação do
edital com a nova relação de
credores (art. 7º§2º)
Prazo para
impugnação de
crédito (art. 8º)
Prazo para apresentar
objeções ao plano
(art. 55 caput)
Prazo para realização
de assembléia geral de
credores (art. 56 § 1º)
Final do prazo de 180 dias.
Suspensão de todas as ações
ou execuções contra o devedor
(art.6º § 4º e art.52, III)
15 dias
+45 dias
+10 dias
+30 dias
+60 dias
Apresentação de
divergências ao (art. 7º§1º)
Total 60 dias
Total 90 dias
Total 180 dias
Total 150 dias
julho
getulio
29
2009

Interesses relacionados