Você está na página 1de 10

COMO LIDAR COM A RAIVA

(Psicoterapia ou tratamento para a raiva)


A raiva é uma sensação composta de 3 componentes que interagem um com o
outro.
1. Ela interpreta o que ocorreu como uma afronta,
ameaça ou injustiça pessoal (pensamento avaliativo);
2. O funcionamento do seu corpo sofre mudanças: o
coração bate rápido, os músculos ficam tensos e há a
sensação de sufoco;
3. O comportamento agressivo ocorre (ou raiva para
dentro ou para fora).

Todo mundo tem o direito de sentir raiva. O


que pode ser errado é o modo como a expressamos, o
que fazermos com ela.
Raiva dá energia e vigor e, portanto, pode ser útil para nos proteger de
injustiças e abusos, porém ela deve ser mantida sob controle e usado de modo
construtivo. A raiva passa a ser um problema quando ela é frequente demais, intensa
demais, quando dura muito, quando leva a agressão e violência e quando interfere nas
relações interpessoais.
FORMAS NEGATIVAS DE LIDAR COM A RAIVA

Por exemplo explodir e perder o controle e magoar alguém. Quem perdeu o


controle normalmente perde a razão, mesmo que a razão esteja toda com ele na hora
da explosão pode ficar mais difícil se colocar de forma clara. Ou abaixar a cabeça. Engolir
sapo pode não ser saudável. É possível que a pessoa que engole seja aquela que traz
dentro de si uma educação onde aprendeu a sempre atender às expectativas dos outros.
Quando você tem a crença que as necessidades dos outros são mais importantes que as
suas pode se tornar uma pessoa incapaz de responder às expectativas dos outros.
Quando você tem a crença que as
necessidades dos outros são mais
importantes que as suas pode se
tornar uma pessoa incapaz de
responder e se impor quando
precisa. Saber dizer “Não” da forma
adequada é saber cuidar de si
mesmo e enfrentar o problema.
Não ter raiva nenhuma pode ser tão perigoso quanto explodir de raiva. É
preciso aprender a externar os sentimentos na hora certa, do jeito certo, na medida
certa e com a pessoa certa.
Uma das piores coisas a fazer seria disfarçar a raiva. Tem gente que diz “Eu me
controlo” quando na realidade ele disfarçou, engoliu. Isso pode ser péssimo. Controlar
a raiva é aprender a lidar com ela. Raiva está diretamente ligada ao stress pois passar
raiva dia após dia pose debilitar.
O estresse causado por raiva
“engolida” pode causar:
 Irritação
 Sono perturbado – dormindo demais ou de
menos
 Perder a capacidade de sentir prazer com a
vida
 Comendo demais (ou menos que deveria)
 Problemas de relacionamentos
Existem pessoas que sentem raiva com muita facilidade, que estão sempre sob
o domínio deste sentimento. Suas ações, muitas vezes, fogem do seu controle.
As consequências são graves para sua saúde e se manifestam em termos de
hipertensão, úlceras, depressão, obesidade, perda de emprego, abuso físico ou
psicológico de familiares e amigos.
FORMAS POSITIVAS DE LIDAR COM A RAIVA

Raiva é um sentimento que faz parte do ser humano. É importante entender


porque reagimos daquela forma, entender as situações que nos fizeram sentir
frustrados ou desvalorizados para começar a superar estas situações.
Ela pode ser expressada de forma
adequada quando a pessoa procura resolver os
conflitos de forma elegante, ou desproporcional
quando danifica o ambiente ou agride outra
pessoa.
COMO O PACIENTE PODE IDENTIFICAR QUE A RAIVA ESTÁ ACIMA DO NÍVEL NORMAL
E ELE PRECISA DE TRATAMENTO?

Quando houver prejuízos em qualquer esfera de sua


vida, seja ela profissional, pessoal, financeira, etc. Ou seja,
quando a pessoa perceber que perdeu amigo, emprego,
gastou dinheiro inutilmente por ter de pagar algo que
danificou em seus acessos de raiva, ela já tem um bom
indicador de que a raiva já passou do limite da autodefesa e
merece ser controlada.
O QUE COSTUMA DESENCADEAR O SENTIMENTO DE RAIVA

Acontecimentos que toquem pontos sensíveis àquela pessoa em particular. Dá


raiva quando surge alguma situação que, de alguma forma, pode ser associada a
situações passadas nas quais ele se sentiu muito inferiorizado e sem condições de
reclamar por seus direitos. Em algum momento a
pessoa já se sentiu desamparada e não quer mais
ter este sentimento, e para se preservar desta
sensação tão aversiva ele ataca com raiva, muitas
vezes desproporcionalmente, a quem possa
insinuar que aquela situação passada irá se
repetir.
ESTRATÉGIAS PARA LIDAR COM A RAIVA

1. Reconheça que está com raiva;


2. Aprenda a reconhecer os eventos desencadeadores da raiva em você;
3. Aprenda a reconhecer os 3 componentes da
raiva: avaliação, reações físicas e
comportamento de raiva;
4. Entenda que algo só se torna um “evento
desencadeador” (uma provocação) pela
interpretação que você dá a ele;
5. Entenda que as reações físicas da raiva têm
o poder de aumenta-la;
6. Compreenda que o comportamento da
raiva é o último a ocorrer e que, portanto, dá
tempo de controlar seu comportamento de
raiva;
7. Sempre tente quebrar o processo de reação
da raiva na sua fase inicial, verifique se o seu modo de avaliar a situação
desencadeadora da raiva (aquilo que você acha uma provocação) pode ser
mudado.
8. Quando perceber que a raiva está caminhando para as reações físicas, que seu
coração já começou a bater muito rápido, que seu corpo e mente estão ficando
tensos, que está desenvolvendo uma sensação de sufoco, tente relaxar para ver se
elimina essas reações. Experimente dizer para si mesmo: “Cal...ma, cal...ma”,
“Preciso tomar cuidado para não deixar a raiva correr todo seu processo”, “Vai ver
que a minha visão do que ocorreu pode ser aliviada:
a respiração ofegante”, “Vou deixar para reagir
manhã, quando tiver avaliado a situação sem
raiva”, “Sempre posso reagir amanhã se quiser”,
“Não vou correr o risco de ficar doente por causa
da minha raiva”, “Estou aborrecido, mas isto não
é o fim do mundo”, “Quem mantem a calma
mantém o controle”, “Posso assumir o controle
das minhas emoções”,
9. Ao mesmo tempo que vai dialogando
consigo mesmo, respire profundamente pelo nariz e expire devagarzinho pela
boca;
10. Tente encontrar modos construtivos de uso da raiva: faça ginástica, caminhe,
dance, cante, ria, seja positivo e converse sobre ela;
11. Quando já tiver em controle da sua raiva, tente resolver a situação que o fez ficar
tão aborrecido.
______________________________________________________________________________________________

Referencias: Vicente E. Caballo. Tratamento cognitivo comportamental os transtornos


psicológicos da atualidade. Autor- Fonte Marilda Novaes Lipp- Instituto de Psicologia e
Controle do Stress. www.estresse.com.br