Você está na página 1de 2

Chico Mineiro (canção)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.


"Chico Mineiro" é uma conhecida canção brasileira à moda de viola de autoria de Tonico e Francisco Ribeiro. Foi a
canção responsável por lançar a dupla Tonico & Tinoco a nível nacional.

Composição
Diversas fontes na rede[1][2] atribuem a composição da música apenas a Tonico e Tinoco, que ouviam desde criança a
lenda de um certo Chico Mineiro, um boiadeiro, que só descobre ser irmão de seu melhor amigo no dia que este é
assassinado, quando vai ver seus documentos. Cita-se a modesta participação de um porteiro da Rádio Tupi, Francisco
Ribeiro, que perguntou a Tonico se ele conhecia a história do Chico Mineiro, fato que o levou a relembrar a história
contada por seu pai e o inspirou a compor, sozinho, a canção. À dupla Tonico e Tinoco, então, é atribuída, de forma
errônea, a generosidade de "ceder" a parceria na música a Francisco Ribeiro.

Fato é que essa informação não condiz com a realidade e é mera distorção do ocorrido. Conforme trecho do livro
"Enciclopédia das Músicas Sertanejas", de autoria de Ayrton Mugnaini Jr,[3] referenciado por diversos acadêmicos da
área de Literatura e Contemporaneidade, a canção foi na verdade "uma poesia formada por 25 versos, apresentada ao
Tonico (João Salvador Pérez, da dupla Tonico e Tinoco), pelo porteiro das rádios associadas, Francisco Ribeiro". Nas
palavras de Tonico, citadas na referida obra, "enquanto a poesia era lida, eu me lembrava que meu pai contava essa
história e que também já a tinha ouvido em muitos lugares: se era em São Paulo, chamava-se Chico Paulista; se era em
Goiás, era Chico Goiano - mas a história era sempre a mesma".
As variadas fontes da Internet que atribuem a autoria da música apenas a Tonico também deixam de citar o lapso
temporal entre o tempo de lançamento da canção (década de 40) e o reconhecimento de Francisco Ribeiro como seu
co-criador, ocorrido décadas depois. Isso porque foi uma decisão judicial, em processo intentado por Francisco
Ribeiro, que reconheceu sua participação na composição da música, dando direito à sua família (pois Francisco, à
época do veredicto, já havia falecido) receber parte dos valores obtidos com a canção.

"Sobre o Chico Mineiro, ele é natural de São Gotardo - MG, confirmado por uma de suas tias que esteve em São
Gotardo em meados de 2016 procurando parentes. Ela relatou serem da família dos Vieiras dessa cidade mineira e
tudo foi confirmado pela tradicional cidadã Maria de Fátima Vieira, conhecida como Fatinha Vieira. O corpo de Chico
Mineiro foi sepultado no Estado de Goiás e desde então seus familiares mudaram para Belo Horizonte - MG."

Curiosidade
A gravadora chegou a informar a que aquele seria seu último disco, já que os ouvintes reclamavam de não entender a
pronúncia caipira do interior de São Paulo usada na canção.

Referências
1. http://drzem.blogspot.com/2009/12/como-surgiu-musica-chico-mineiro.html
2. http://www.avozdaserra.com.br/colunas3.php?id_coluna=5471&id_colunista=37
3. MUNAIGNI JR., Ayrton. Enciclopédia das Músicas Sertanejas. São Paulo: Letras & Letras, 2001

Obtida de "https://pt.wikipedia.org/w/index.php?title=Chico_Mineiro_(canção)&oldid=52567016"
Esta página foi editada pela última vez às 03h37min de 5 de julho de 2018.

Este texto é disponibilizado nos termos da licença Atribuição-CompartilhaIgual 3.0 Não Adaptada (CC BY-SA 3.0) da
Creative Commons; pode estar sujeito a condições adicionais. Para mais detalhes, consulte as condições de
utilização.