Você está na página 1de 36

Missões

APOSTILA
PARA CULTO INFANTIL

Apostila: Marina Schulli dos Santos


Programação____ / _____/ __________
Tema: Missão Esperança
Cronograma
Oração Inicial Louvor
Abertura História Missionária
Versículo Vídeo
Louvor Oficina
Oferta Brincadeiras
História Bíblica Atividades
Oração Lanche / Oração Final

Oração Inicial
Orar pausadamente, para que as crianças repitam.

Abertura
O chefe de missão deverá usar sua criatividade e cativar as
crianças logo no início de cada dia. Deve entrar vestido com
agente secreto (estilo James Bond) ao som de uma música de suspense e convidá-las a se tornar
agentes missionárias e participar de uma missão especial.
Convidar as crianças a participar de uma missão especial. Deverão prestar saudação à Bandeira
Nacional e à Bíblia, o símbolo da Agência de Inteligência: a igreja.
Explique que através desta cerimônia estamos reconhecendo a liberdade religiosa de que
desfrutamos em nosso país e comprometendo-nos a tudo fazer para que o nosso Brasil seja uma
nação que teme ao Senhor.
Entra um participante carregando a Bandeira Nacional e instruirá as crianças a saudarem-na:
“Prometo pela minha honra, proceder em todas as circunstâncias, como cidadão consciente dos
meus deveres, amar a minha pátria e defendê-la na paz e na guerra”.
Em seguida canta-se o Hino Nacional.
Entra outro participante carregando uma Bíblia bem grande e instruirá as crianças a saudarem-na:
“Prometo ser fiel, ao meu Senhor e Salvador Jesus Cristo, e à Bíblia, a palavra de Deus. Farei dela
uma lâmpada para os meus pés, e uma luz para os meus caminhos. Guardarei as suas palavras no
meu coração, para não pecar contra Deus”.
Cantar o Cântico eu quero ler a Bíblia
Reafirme que cada atividade será parte do treinamento para que ao final do Congresso todos
estejam prontos para participarem de uma missão especial.
Peça que as crianças observem as figuras ou bandeiras e diga que elas representam as pessoas de
todo o mundo. Leia João 3.16 na Bíblia e diga que Deus
ama todos, mas que nem todos no mundo sabem que Deus
lhes têm amor. É por isso que Deus chama pessoas
especiais e lhes dá a missão de serem missionários.
Vocês sabem o que é ser missionário? É uma pessoa
enviada ou mandada a realizar um trabalho.
Pergunte: Qual é a missão do professor? (ensinar) Qual é a
missão do médico? (tratar os doentes) E qual é o trabalho
do missionário? (É contar do amor de Deus e contribuir
para a evangelização do mundo).
Peça que todas as crianças recitem João 3.16.
Versículo
Mostre o versículo de João 3.16 escrito de trás para frente. Diga que é uma mensagem secreta que
elas devem descobrir qual é.

Louvores (sugestões)
- Eu li na Bíblia (Aline Barros)
- Eu quero ler a Bíblia (Cristina Mel)
- Crianças do mundo inteiro (Diante do Trono)
- Brasil, Brasil, Brasil
- Posso ser um missionariozinho
- Meu coração era sujo
- Que abraço bom
- Lá vem o trem
- Jesus é bom
- Missões Infantil Todas as nações (Mara Lima)
- Missões está no meu coração (Tia Jô)
- Missões (tia Vanda)
- Sonda-me Senhor (Aline Barros)

Oferta
“Deus ama ao que dá com alegria”. 2 Co 9:7.
O rei Davi tinha um grande sonho: construir um templo bem bonito para Deus.
Mas para construir esse templo, eles gastariam muito dinheiro.
Davi não desistiu e resolveu dar uma grande oferta.
Ele doou ouro, prata, pedras preciosas e muitas outras coisas de
grande valor.
Depois, Davi convidou o povo para ofertar também.
E as pessoas começaram a trazer suas doações.
Cada um dava o que podia.
E toda oferta era especial porque todos ofertavam com alegria no
coração.
No final, havia tanta coisa, tantas ofertas, que Davi ficou muito
feliz.
Agora, sim, seria possível construir um lindo templo para Deus!
Davi, então convidou o povo para juntos louvarem e agradecerem
ao Senhor.
E foi um dia de muito louvor e adoração pelas ofertas recebidas.
Base Bíblica: I Crônicas 29.1-30
História Bíblica
Quando Deus criou as pessoas, ele gostou muito do que
havia feito. Qual era o nome do primeiro homem e da
primeira mulher? (Adão e Eva).
Deus os amou e amou todos os seres humanos que vieram
depois deles. Ele desejou ser amigo de todas as pessoas,
poder conversar e estar conosco assim como ele conversava
todos os dias com Adão e Eva no Jardim onde moravam.
Qual era o nome do Jardim? (Éden).
Deus deixou que Adão e Eva morassem no jardim do Éden,
convivessem com os animais e se alimentassem de todas as
árvores que existiam lá, estou certo? Não, havia uma árvore
que eles não podiam comer a fruta, era chamada de árvore do bem e do mal.
Mas no jardim havia uma cobra esperta que aproveitou um momento em que Eva passeava para
conversar com ela e fazê-la duvidar do amor e cuidado de Deus. A cobra disse:
- Você sabe, Eva, por que é que Deus não quer que vocês comam daquela árvore? Porque no dia em
que comerem ficarão sabendo tudo quanto Deus sabe.
Eva começou a pensar nessas coisas, depois foi até a árvore e ficou olhando as suas frutas. Então fez
de conta que esqueceu daquilo que Deus havia dito, pegou uma fruta e comeu. E também levou uma
fruta para Adão e ele comeu. Depois de terem feito isso, aconteceu como sempre acontece quando
desobedecemos: eles sentiram medo e se esconderam de Deus.
Naquela tarde, quando Deus foi conversar com eles, estavam envergonhados. Porém, em vez de admitir
seu erro Adão acusou Eva e Eva acusou a cobra. Cada um procurou lançar sua culpa sobre o outro, mas
não havia desculpas; todos desobedeceram a Deus e pecaram. Como o pecado tem um preço, Deus os
mandou sair do lindo jardim. A cobra também foi castigada, dali em diante teria que andar arrastando-se
pelo chão.
Deus estava triste com Adão e Eva. Era como se algo tivesse acabado entre Deus e eles. Estavam
separados, pois tinham pecado. O pecado separa a pessoa de Deus, pois Deus é puro e santo e não
pode conviver com o pecado. Mas, naquele mesmo dia, por causa do grande amor que Deus tem pelo
ser humano, fez uma promessa maravilhosa: ele enviaria um Salvador; alguém que ensinaria as pessoas
a amarem a Deus acima de todas as coisas e os traria de volta para bem pertinho dele.
Muitos anos se passaram. Adão e Eva morreram e tantas outras pessoas nasceram. O mundo foi se
enchendo de gente, muita gente! Mas da mesma forma que Adão e Eva pecaram, todas as pessoas do
mundo também desobedeceram a Deus, inclusive eu e você.
Por causa do amor que Deus tem por suas criaturas, ele escolheu pessoas e as enviou para anunciar
que ele não havia esquecido de ninguém e que ele ama muito a todos. Diversas pessoas cujas histórias
estão na Bíblia, como Abraão, Moisés, Jonas, Isaías e tantas outras foram agentes especiais de Deus,
foram missionários. Eles foram enviados para uma missão especial: contar sobre a promessa de Deus e
seu grande amor.
Até que um dia Deus cumpriu sua promessa. Ele enviou seu melhor agente especial, seu próprio filho:
Jesus, o Salvador, que veio ao mundo com a missão de salvar todos aqueles que estão afastados de
Deus e trazê-los de volta para ele. É o que diz o versículo que lemos no começo.
Não sei se todos vocês conheciam essa história, mas muita gente não a conhece. Muitas pessoas não
sabem como aproximar-se de Deus e ter seus pecados
perdoados. Tem muita gente que não tem a menor ideia do
que fazer para ser salvo.
É por isso que a igreja de Jesus faz o que nós chamamos
de missões, que é contar a todos sobre Deus. E como tem
muita gente espalhada em terras distantes as igrejas
recolhem ofertas e enviam missionários a outros países
anunciando a ricos e pobres, negros, brancos, amarelos e
pardos que Jesus cumpriu a promessa de deus e que ele
tem o poder de fazer com que as pessoas e Deus sejam
amigas novamente.
Oração
Peça a cada criança que diga o que acha que vai ser quando crescer, isso é, a
profissão que pretende exercer. Fale que o futuro de cada uma vai ser, se médico,
professor ou qualquer outra profissão, só Deus sabe.
Porém, independente da profissão ou qualquer atividade nossa, podemos ser
missionários, como os amigos de Jesus foram. Nem precisam esperar crescer para
falar de Deus aos outros, podem ser missionários com qualquer idade.
Peça para as crianças expressarem a Deus alguma dificuldade que tenham em
falar de Jesus aos seus conhecidos e pedir ajuda dele para superarem essa
dificuldade.

História Missionária
Entra alguém caracterizado de chinês para representar a China.
Olá crianças, vocês sabem que país eu represento? (deixe as crianças tentarem descobrir). Pois
bem, é a China, um dos países do continente asiático. Lá as pessoas têm a pele amarela e os olhos
puxados. Meu país é o maior e mais desafiador campo missionário.
Em meu país não se pode falar de Jesus abertamente. Os cristãos têm de se reunir escondidos para
ler a Bíblia e orar. São proibidos de andar com suas Bíblias, de evangelizar nas ruas e até mesmo
falar de Jesus para pessoas próximas.
Quem vai a China como agente de missões, ou seja, como missionário, corre muitos riscos. Os
agentes têm de estar prontos para sofrer e pagar o preço. Eles não podem entrar na China como
missionários, então vão para lá como professores, médicos, empresários e atletas.
Assim os missionários conseguem fazer amizades e mostrar que são diferentes porque vivem a vida
cristã. Muitos se interessam e podem ouvir a mensagem de Jesus.
A seguir vocês ouvirão a história de Lottie Moon, uma cristã que recebeu uma missão especial de
Deus e se tornou agente de missões na China.

Lottie Moon
Eu vou contar a você a história de uma adorável menina
que nasceu em uma fazenda no Estado da Virgínia, nos
Estados Unidos. Seu nome era Charlotte Diggs Moon,
mas todos a chamavam de Lottie Moon.
Eram seis crianças que moravam na fazenda. Lottie era
a mais bagunceira, porém a que tinha mais facilidade em
fazer amigos. Ela amava a natureza e vivia a correr pela
fazenda.
Mas tinha algo que Lottie não gostava: ler a Bíblia. Seus
pais eram cristãos, mas Lottie preferia ler qualquer outro livro a ler a Bíblia.
Conforme crescia, o comportamento de Lottie continuava a piorar. Ao ponto de sua mãe te que
coloca-la em um internato. Embora fosse assim, Lottie era muito inteligente. Logo aprendeu a falar
outros idiomas e tinha as melhores notas do internato. Mas no comportamento nada mudou e ela
continuou a entristecer a sua mãe.
Certa vez, já bem tarde da noite, ela subiu na torre do internato e envolveu o sino com lençóis e
toalhas. Na manhã seguinte o sino não tocou para acordar os alunos para as aulas. Assim era Lottie.
Ela chefiava as colegas e sendo muito corajosa, era a mais ousada nas travessuras.
Em uma ocasião, o Dr. João A. Brodus dirigiu uma série de conferências na escola em que Lottie
estudava. Suas colegas começaram a orar em favor de Lottie, para que ela se tornasse uma cristã
verdadeira.
Quando ela soube disso, ficou muito brava, porque não sentia necessidade de orações e muito
menos de ir a uma conferência para ouvir falar de Jesus.
Então, Lottie resolveu ir à conferência para criticar, mas não conseguiu faze-lo. Ela sentou-se e
prestou atenção ao culto e durante toda a reunião não conseguiu falar mais nada a não ser orar.
E, daquele dia em diante ela se comprometeu a ser uma verdadeira cristã e começou a sentir
vontade de ir a terras distantes pregar para pessoas que não conhecessem a Jesus. O tempo
passou e Lottie se tornou adulta e começou a atuar como professora. Depois como diretora de uma
escola para moças.
Um dia, um pregador leu um texto da Bíblia que dizia: “levantai os vossos olhos e vede as terras que
já estão brancas para a ceifa.” Naquele momento, Lottie entendeu que deveria ir à China como
missionária. E enviou uma carta a sua irmã caçula Edmônia, que já era missionária na China,
dizendo que estava indo ajuda-la.
Lottie Moon embarcou em um navio em setembro de 1873, e em dezembro, chegou à China. Lá ela
começou a estudar intensivamente o idioma enquanto ajudava sua irmã em uma escola e também
viajava pelas vilas próximas, conversando com as mulheres sobre Jesus.
Os meios de transporte eram péssimos, as hospedarias onde ela dormia eram sujas, mas nada
desanimava a agente de missões Lottie, pois, principalmente, as mulheres e as crianças a ouviam
com interesse.
Ela era incansável em seu trabalho missionário e passou a ensinar o evangelho aos que sabiam ler
e ensinou a ler os que queriam aprender. Visitou lugares distantes no interior da China, locais onde
nenhum estrangeiro havia ainda pisado, onde pessoas como ela não eram desejadas. Mas ela fazia
isso por amor de Cristo e para cumprir fielmente a sua missão.
Para ajudar em seu trabalho, ela começou a viver como os chineses,
alimentando-se da mesma maneira que eles e ajudando a construir
escolas, templos e hospitais. Muitas vezes oferecia todo o dinheiro que
tinha para ajudar os chineses que passavam fome e outras
necessidades. Por isso, logo precisou de mais recursos financeiros e
escreveu aos cristãos dos Estados Unidos apelando que enviassem
ofertas e mais missionários para a China.
Lottie trabalhou na China até ficar bem velhinha. Ela estava doente e
recebeu ordens para voltar para sua casa nos Estados Unidos para fazer
tratamento médico. Porém, na viagem de volta Lottie Moon partiu para o
lar celestial. Foi encontrar-se com Jesus.
No mundo toda a influência de Lottie Moon é sentida, pois muitos
cristãos, inspirados em seu exemplo, passaram a amar, orar e contribuir
mais para a obra missionária.

Vídeo
Crianças Diante do Trono Missionariozinho

Oficina (Plano de Salvação)


Os cinco dedos da mão
Material
Caneta hidrocolor, papel pardo, lápis de cor, tesouras, glitter e
tiras com versículos bíblicos e figuras.
Como confeccionar
As crianças deverão fazer um molde usando a própria mão em
cima do papel pardo e contornando com o hidrocolor. Depois,
deverão recortar o molde da mão, fazer os desenhos
relacionados ao significado de cada dedo e colar as tiras com
os versículos e as figuras. Poderão usar o glitter para enfeitar
o trabalho.
Aplicação
Compartilhe e ensine o plano de salvação neste momento.
(mostre o polegar)
Ele é o dedo mais afastado. Vamos dizer uma verdade apontando este dedo para si: “Eu pequei”. A Bíblia
diz que “Todos pecaram e separados estão da glória de Deus” (Romanos 3.23).
Agora veja o indicador. Para onde ele aponta? (para cima)
Este dedo aponta para cima e nos lembra que Deus nos ama. A Bíblia diz “Porque Deus amou o mundo
de tal maneira que deu seu filho único, para que todo aquele que nele crê, não morra, mas tenha a vida
eterna” (João 3.16)
Vejamos agora o dedo do meio, o médio (Você pode segurar seu dedo menor com o polegar e deixar os
três do meio ficarem em pé, firmes e altos).
Olhe para eles. Estes dedos nos fazem lembrar da crucificação de Cristo. O dedo do meio faz lembrar a
cruz mais alta, aquela em que Cristo morreu pelos meus pecados. Os outros dois dedos representam as
cruzes em que os ladrões morreram.
Olhe novamente o dedo do meio. Pense no fato de que na cruz Cristo morreu por mim e por você. Este
dedo nos faz lembrar que “Cristo morreu por mim”. A Bíblia diz que “Cristo morreu por nós quando ainda
éramos pecadores”. (Romanos 5.8).
Agora, vamos ao dedo anular. Ele nos faz lembrar de um dos dois ladrões na cruz. Saibam que um
rejeitou a Jesus. Ele zombou do Salvador quando ele estava morrendo por nós. Porém, o outro disse:
“Jesus, lembra-te de mim quando entrardes no teu reino” – este recebeu Jesus como Salvador.
Qualquer um de nós pode fazer o mesmo. Pela fé você pode dizer: “Eu o aceito, Jesus, como meu
Salvador”. A palavra de Deus afirma: “Mas a todos quantos o receberam, aos que creem no seu nome,
deu-lhes o poder de serem feitos filhos de deus” (João 1.12).
Este dedinho é chamado mínimo. Poderíamos
chamá-lo de bebê, de tão pequeno que ele é.
Sabem de algo interessante? Logo que
aceitamos Jesus como nosso Salvador, somos
bebês na família de Deus. A Bíblia diz que nós
nascemos de novo e precisamos crescer. A
palavra de Deus e a oração serão o “leite”, ou
seja, o alimento que ajudará o nosso
crescimento e nos ensinará como devemos
viver. Se você entregou sua vida a Jesus, viva
para ele e será muito feliz. “Antes crescei na
graça e no conhecimento de nosso Senhor
Jesus Cristo” (2 Pedro 3.18)

Brincadeiras
CHINA – DRAGÃO CHINÊS
Informação: Esse jogo é típico durante o Ano
Novo chinês. Os chineses recebem o novo ano com desfiles de dragões coloridos. o dragão é um
símbolo importante para eles.
Orientação: Para essa brincadeira limite o número de participantes. Se houver muitas crianças, faça mais
dragões.
O “dragão” deverá ser formado por uma fila de jogadores que manterão suas mãos sobre os ombros do
participante a sua frente. o primeiro da fila Será a “cabeça de fogo” (cabeça do dragão) e o último, “o
rabo”, que estará pronto para fugir. Até que seja dado o sinal, o “dragão” deverá manter-se em linha reta.
Ao sinal de partida, a cabeça correrá em direção ao rabo, tentando pegá-lo.
O “rabo do dragão”, sem soltar as mãos dos ombros do participante a sua frente, tentará não ser
apanhado pela “cabeça de fogo”. O “corpo” todo deverá acompanhar a cabeça e continuar em fila.
Se conseguir pegar o “rabo do dragão”, a “cabeça” continuará sendo “cabeça”, caso contrário, passará a
ser o “rabo”.
Se um dos participantes soltar as mãos dos ombros daquele que estiver a sua frente, terá quebrado o
corpo do “dragão” e ele morrerá. Nesse caso, formar-se-á um novo dragão. A brincadeira continuará até
que todos tenham a sua vez de ser a “cabeça de fogo” ou o “rabo do dragão”.
Nível de dificuldade: FÁCIL.
Atividades - Colorir
Programação____ / _____/ __________

Tema: Missão Esperança

Cronograma
Oração Inicial Louvor
Abertura História Missionária
Versículo Vídeo
Louvor Oficina
Oferta Brincadeiras
História Bíblica Atividades
Oração Lanche / Oração Final

Oração Inicial
Orar pausadamente, para que as crianças repitam.

Abertura
O chefe de missão deverá usar sua criatividade e
cativar as crianças logo no início de cada dia. Deve
entrar vestido com agente secreto (estilo James Bond) ao som de uma música de suspense e
convidá-las a se tornar agentes missionárias e participar de uma missão especial.
Convidar as crianças a participar de uma missão especial. Deverão prestar saudação à Bandeira
Nacional e à Bíblia, o símbolo da Agência de Inteligência: a igreja.
Explique que através desta cerimônia estamos reconhecendo a liberdade religiosa de que
desfrutamos em nosso país e comprometendo-nos a tudo fazer para que o nosso Brasil seja uma
nação que teme ao Senhor.
Entra um participante carregando a Bandeira Nacional e instruirá as crianças a saudarem-na:
“Prometo pela minha honra, proceder em todas as circunstâncias, como cidadão consciente dos
meus deveres, amar a minha pátria e defendê-la na paz e na guerra”.
Em seguida canta-se o Hino Nacional.
Entra outro participante carregando uma Bíblia bem grande e instruirá as crianças a saudarem-na:
“Prometo ser fiel, ao meu Senhor e Salvador Jesus Cristo, e à Bíblia, a palavra de Deus. Farei dela
uma lâmpada para os meus pés, e uma luz para os meus caminhos. Guardarei as suas palavras no
meu coração, para não pecar contra Deus”.
Cantar o Cântico eu quero ler a Bíblia
Reafirme que cada atividade será parte do treinamento para que ao final do Congresso todos
estejam prontos para participarem de uma missão especial.
Peça que as crianças observem as figuras ou bandeiras e diga que elas
representam as pessoas de todo o mundo. Leia João 3.16 na Bíblia e
diga que Deus ama todos, mas que nem todos no mundo sabem que
Deus lhes têm amor. É por isso que Deus chama pessoas especiais e
lhes dá a missão de serem missionários.
Vocês sabem o que é ser missionário? É uma pessoa enviada ou
mandada a realizar um trabalho.
Pergunte: Qual é a missão do professor? (ensinar) Qual é a missão do
médico? (tratar os doentes) E qual é o trabalho do missionário? (É contar
do amor de Deus e contribuir para a evangelização do mundo).
Peça que todas as crianças recitem João 3.16.
Versículo
Fazer o chapéu chinês e escrever o versículo do dia:
Mt 28.20

Chapéu chinês
Material
· Círculo de cartolina medindo 4o cm de diâmetro
para cada criança.
· Caneta hidrocolor, lápis de cor, glitter, retalhos de
papel e de tecido e cola.
Como confeccionar
1. Deixe a criança pintar e enfeitar seu círculo com
flores, com bolas, com riscas etc. (como quiser).
2. Depois, corte ate o meio do diâmetro e puxe cada
pedaço para dentro para fazer o chapéu chinês.
3. Com fio de lã ou barbante, a criança poderá fazer
uma cordinha para prender o chapéu na cabeça.
Aplicação – Diga que na China as crianças nunca
ouvem falar de Jesus. Elas não tem uma igreja para ir, nem uma Bíblia para ler. Mesmo assim,
chegam notícias de que milhares de pessoas aceitam a Jesus todos os dias. Devemos orar pela
igreja escondida na China.

Louvores (sugestões)
- Eu li na Bíblia (Aline Barros)
- Eu quero ler a Bíblia (Cristina Mel)
- Crianças do mundo inteiro (Diante do Trono)
- Brasil, Brasil, Brasil
- Posso ser um missionariozinho
- Meu coração era sujo
- Que abraço bom (Força e Vitória)
- Lá vem o trem (Cristina Mel)
- Jesus é bom (Cristina Mel)
- Missões Infantil Todas as nações (Mara Lima)
- Missões está no meu coração (Tia Jô)
- Missões (tia Vanda)
- Sonda-me Senhor (Aline Barros)

Oferta
“Deus ama ao que dá com alegria”. 2 Co 9:7.
Dinâmica Missionária: Conscientizando o contribuinte
“Deus chama pessoas para descerem até o fundo do poço; e a outras, Ele
convoca para ficarem em cima segurando as cordas”. William Carey passou
pelo mundo consertando sapatos – contemplando o mapa-mundi e
contribuindo com a Obra Missionária. Desta maneira escrevei páginas de uma
história que acançou gente em todo mundo.
Objetivo: Dinâmica para demonstrar como ficam os missionários no campo e
os outros contribuintes quando alguém desiste de contribuir.
Obs.: Não diga aos participantes o nome e objetivo desta dinâmica.
Material: Uma bexiga para cada participante.
Desenvolvimento:
1 – Distribua um balão para cada participante e dê a ordem de que deverão
rebater as bexiagas sem deixá-las cair no chão.
2 – Vá aos poucos cochichando no ouvido de um por um para sair e ficar fora da sala ou a um canto
esperando o jogo acabar.
3 – Conforme as pessoas vão saindo os que estão rebatendo deverão ir dobrando seus esforços para
rebater mais bexigas de maneira a que nenhuma fique ao chão. Estimule-os dizendo: Vamos! Esforça-te!
Não deixe cair! Estão caindo! Cuidado! Cuidado! Atenção!!!
4- Chegará um momento em que a maioria estará ou fora da sala ou a um canto apenas observando e
uns três ou quatro rebatendo as bexigas enquanto muitas bexigas estarão pelo chão.
5 – Agora aos pouco vá dando a ordem, ainda cochichando ao ouvido, que entre e recomece a rebater,
recolocando uma das bexigas do chão para o ar.
6 – Quando não houver mais bexigas no chão é o momento de parar e refletir.
7 - Faça uma roda e conversem. Deixe todos respoderem, um de cada vez. Vá memorizando as
respostas, se quiser peça para alguém resumí-las por escrito. Estimule todos a falar seja ele quem saiu
ou quem permaneceu até o final.
a) O que você sentiu quando as pessoas foram saindo?
b) O que você sentiu quando mandaram você sair?
c) O que você sentiu quando viu um monte de bexigas no chão?
d) O que você sentiu quando as pessoas foram entrando novamente?
e) O que você sentiu quando as bexigas foram todas resgatadas?

Agora imaginem vocês que as bexigas sejam os MISSIONÁRIOS DO CAMPO e as pessoas sejam os
contribuintes.
f) O que acontece com os missionários quando um deixa de contribuir?
g) O que acontece com os outros contribuintes quando alguns abandonam o sustento que vinham dando
aos missionários?
h) O que acontece com a secretaria de missões quando os contribuintes vão deixando de contribuir?
i) Agora faça a pergunta final: O que você fará daqui para frente? O que você vai fazer para levar mais
pessoas a contribuir com a obra missionária e não desistirem?
Http//semap.com.br

História Bíblica
Incentive as crianças a contarem do amor de Deus a seus familiares.
Mostre uma caixa forrada de papel de presente. Dentro coloque figuras ou objetos que
lembram a páscoa, o Natal, o templo, a Bíblia, a harpa, a oração, a cruz e pessoas em
comunhão.
Diga para as crianças que você está muito feliz porque dentro da caixa tem objetos que lembram
atividades que você gosta de fazer e festas das quais gosta de participar. E tudo isso só é possível
porque Deus sempre cumpre o que promete.
Vá retirando os objetos da caixa, pergunte o que é, para que serve, e relacione com a vinda de
Jesus ao mundo, pois em Jesus nada disso teria sentido. Pergunte o que mais elas podem lembrar
que só é possível acontecer porque Deus enviou Jesus ao mundo. E pergunte se alguém sabe dizer
como isso aconteceu. Deixe as crianças contarem sobre o nascimento de Jesus e faça as
interferências necessárias.

Numa noite em Belém, Jesus, o Filho de Deus nasceu numa estrebaria.


Jesus deixou o céu e veio ao mundo viver como um ser humano. Fazendo
assim, ele obedeceu a vontade do Pai, de Deus.
Aqui na terra, ele ensinou, curou e andou por toda parte fazendo o bem e
ensinando como viver e agradar a Deus. Mas não
era suficiente mostrar ao povo como viver. Ser
bonzinho não desfaz o pecado em nosso
coração. Havia somente um meio para fazer isso:
pagar o preço do pecado.
A Bíblia diz que o preço que o pecado cobra é a morte. Assim, Jesus que
nunca pecou, morreu na cruz para salvar cada um de nós dos nossos
pecados. Jesus foi castigado em nosso lugar.
A Bíblia ensina que por meio de um homem, chamado Adão, o pecado entrou no mundo. E por meio
de Jesus a salvação e o perdão do Deus também poderiam alcançar todas as pessoas que
quisessem se aproximar de Deus e viver com ele.
Jesus morreu na cruz, mas sendo o Filho de Deus, era poderoso e
não ficou morto. Jesus viveu outra vez e está vivo até hoje.
Seus amigos ficaram alegres com isso e nós devemos nos alegrar
também. Porque tudo que Jesus fez não vale somente para aquelas
pessoas que viveram em sua época. Mas, esta mensagem é para
cada um de nós.
Antes de voltar ao céu, Jesus chamou seus amigos
para uma reunião importante. Nessa reunião, teve com
eles uma conversa muito séria. Disse-lhes:
– Estou dependendo de vocês para continuarem o trabalho que iniciei aqui na terra.
Vocês precisam ir a todas as nações para falar do meu amor e assim fazer discípulos.
Seus amigos ficaram espantados com a ordem. Sentiam que não poderiam fazer tal
coisa, se Jesus não estivesse com eles, como tinha estado até então. Jesus
compreendeu e olhando para eles, disse-lhes:
– Ide, meus amigos, ensinem as pessoas a obedecerem todas as coisas que eu
tenho mandado. E eis que eu estarei com vocês todos os dias.
Eles se alegraram com aquelas palavras e acreditaram que seriam capazes de
cumprir qualquer ordem de Jesus, contanto que sentissem sua presença ao
lado deles para ajudá-los.
Quando Jesus voltou ao céu, seus amigos saíram para pregar e ensinar como
Jesus ordenara, pois só assim poderiam fazer discípulos de Jesus em todas as
nações, em todos os lugares, e Jesus estava com eles. Eles podiam senti-lo
sempre presente em suas vidas e em seus corações.

Oração
Incentive as crianças a orarem agradecendo a Deus o seu amor por elas.

História Missionária
Entra uma menina caracterizada de indiana para representar a Índia. Faça isso
prendendo o pano na cintura, passando o pano em volta do corpo, depois pelo
ombro (de trás para frente) e prendendo o pano no ombro com um broche.
“Olá, crianças, vocês sabem que país eu represento? (deixe as crianças
tentarem descobrir). Pois bem, é a Índia.
No meu país existem pessoas que não conhecem Jesus e também muitas que
sabem quem ele é, mas não gostam dele. Quem crê em Jesus pode sofrer por
isso. Embora não seja contra a lei ser cristão, as pessoas não gostam dos
cristãos e os tratam muito mal. Os prédios das igrejas são queimados e
derrubados.
É que os indianos seguem uma religião chamada Hinduísmo e adoram a
muitos deuses. Tantos que passam de mil, dois mil, três mil… São tantos que
eles nem sabem o nome deles. Seus templos são cheios de estátuas e as
paredes cheias de pinturas de pessoas e animais.
Alguns animais, como ratos e vacas, também são adorados porque meu povo pensa que quando as
pessoas morrem, elas podem nascer de novo como se fossem animais. Dá tristeza de ver o povo
tão enganado assim.
A seguir, vocês ouvirão a história de Guilherme Carey, um cristão que recebeu uma missão especial
de Deus e se tornou agente de missões na Índia.
Guilherme Carey
Lá na Inglaterra, há muitos e muitos anos viveu um garoto que
gostava de contar histórias a respeito dos países.
Seu nome era Guilherme Carey, mas seus amigos o chamavam de
“Colombo”, porque ele amava mapas e gostava muito de aprender a
respeito das pessoas de outras terras.
Quando cresceu, Guilherme tornou-se um sapateiro. A parede de
seu local de trabalho era enfeitada com um mapa do mundo e sobre
a mesa encontrava-se um globo, ambos feitos por ele. Ao lado do
banco onde se assentava para fazer ou remendar sapatos havia uma Bíblia que estava sempre
aberta. Enquanto trabalhava, Guilherme Carey pensava em Deus e nas muitas pessoas que não
conheciam Jesus. Ele amava a Jesus e a sua maior alegria era contar aos outros a história de
Jesus. Por isso, além de sapateiro, era também pregador do evangelho.
Todos os dias, lendo a Bíblia e olhando o globo e o mapa, Guilherme pensava nas pessoas ao redor
do mundo que não conheciam Deus só porque ninguém nunca lhes havia contado a respeito de
Deus e Jesus. Um versículo ficava sempre em sua mente: “Ide por todo o mundo e pregai o
evangelho a toda a criatura”. Até que começou a pensar em ir para outro país, certo dia, quando quis
falar a respeito disso numa grande reunião, o dirigente disso:
- Moço, sente-se!
Se não podia fazer nada naquele momento Guilherme decidiu orar. Até que um dia, finalmente,
aqueles cristãos compreenderam a necessidade de enviar missionários para anunciar a mensagem
de Jesus a outros povos. Eles organizaram uma sociedade, levantaram dinheiro e mandaram
Guilherme Carey para a Índia, um país muito distante do nosso Brasil.
Guilherme levou muito tempo para fazer a longa viagem, e quando chegou à Índia, não havia
ninguém esperando por ele. Mas Guilherme não desanimou. A primeira coisa que fez foi estudar o
idioma que o povo falava. Mas como era difícil! Pois o povo falava muitos idiomas diferentes.
Guilherme Carey trabalhou na Índia durante 40 anos e aprendeu a falar mais ou menos 30 idiomas.
Com isso, fez algo muito importante: começou a traduzir a Bíblia para o idioma do povo. Assim,
todos os indianos que quisessem poderiam ler a Bíblia e aprender mais sobre Deus e Jesus.
Durante toda sua vida, escreveu e imprimiu muitos livros, sendo muito úteis no trabalho de Deus.
Os cristãos em todo o mundo souberam da história desse sapateiro, que deixou seu lar e foi à Índia
como missionário. Muitos começaram a pensar mais a respeito do mandamento de Jesus e
começaram a sentir que esse mandamento não era só para Carey.
Então outros cristãos deixaram os seus lares e foram a outros países, esses agentes de missões
aprendiam a língua do povo e da mesma forma que Guilherme, traduziam a Bíblia.
Atualmente, Guilherme Carey é conhecido como o “Pai das missões modernas”, porque foi ele quem
despertou os cristãos a ouvirem e obedecerem ao mandamento de Jesus: “Ide por todo o mundo e
pregai o evangelho a toda criatura”.
E, ainda hoje, muitos estão
indo. E ao redor do mundo há
missionários ensinando a
história de Jesus em muitos
idiomas.
Vídeo
Crianças Diante do Trono No mundo Inteiro

Oficina
(Plano da Salvação)

Ovos flutuantes
Material
Copo, colher, sal, ovo e pires.
Aplicação
Fale que o mundo sem Jesus está perdido e cada vez mais tem caído no abismo, ou seja,
tem feito o que só lhe traz sofrimento por não obedecer a Deus. Compare o mundo com o
ovo. Enquanto estiver falando sobre a situação pecaminosa no mundo, coloque o ovo dentro
do copo com água e chame a atenção para o fato de o ovo afundar rapidamente.
Retire com uma colher o ovo de dentro do copo, colocando-o nem lugar à parte. Fale sobre
a importância do sal nos alimentos, conservando-os e dando-lhes sabor. Pegue o sal do
pires e coloque-o dentro da água. Mexa com a colher por alguns instantes para que se
dissolva.
Enquanto isso, comente que os alimentos sem sal ficam ruins, sem gosto. Coloque o ovo dentro da
água salgada (desta vez, ele irá flutuar!). Diga que deve ser essa a influência do cristão no mundo,
quando vive e fala aos outros do que Cristo fez em sua vida.
Assim é o missionário: no início, ele chega a um lugar em que todos estão como o ovo que
inicialmente estava afundando. Não em água, mas no pecado, guerras, feitiçarias, engano.
Quando o agente de missões, ou seja, o missionário, testemunha de Jesus ele faz a diferença no
local, ele tempera. A vida com Jesus é diferente dos erros do mundo. Quem aceita a Jesus não vive
pecando, mas vive para Deus. Deus ergue as pessoas para uma vida nova cheia de amor. Só Deus
tem o poder de transformar a vida de quem deseja tê-lo como Senhor.

Brincadeiras
ÍNDIA – A PICADA DO ESCORPIÃO
Informação: As crianças brincarão com a dura realidade da vida na Índia. O escorpião é venenoso e sua
picada pode ser fatal para qualquer pessoa.
O jogo surgiu a partir desse perigo enfrentado pelas crianças indianas.
Orientação: Um participante Será o escorpião, que andará de quatro. Quando ele quiser picar levantará
uma perna e tentará acertar alguém, sem violência.
Os outros participantes deverão provocar o escorpião. Eles chamarão sua atenção, tocarão a cabeça, os
ombros etc., mas sempre evitando a picada dele. Se um jogador for picado pelo escorpião, ele “morrerá”
e ficará fora do jogo.
O último jogador a permanecer “vivo” virará o escorpião para o novo jogo.
Nível de dificuldade: FÁCIL.
Atividades - Colorir
Programação____ / _____/ __________

Tema: Missão Esperança


Cronograma
Oração Inicial Louvor
Abertura História Missionária
Versículo Vídeo
Louvor Oficina
Oferta Brincadeiras
História Bíblica Atividades
Oração Lanche / Oração Final

Oração Inicial
Orar pausadamente, para que as crianças repitam.

Abertura
O chefe de missão deverá usar sua criatividade e cativar as crianças logo no início de cada dia.
Deve entrar vestido com agente secreto (estilo James Bond) ao som de uma música de suspense e
convidá-las a se tornar agentes missionárias e participar de uma missão especial.
Convidar as crianças a participar de uma missão especial. Deverão prestar saudação à Bandeira
Nacional e à Bíblia, o símbolo da Agência de Inteligência: a igreja.
Explique que através desta cerimônia estamos reconhecendo a liberdade religiosa de que
desfrutamos em nosso país e comprometendo-nos a tudo fazer para que o nosso Brasil seja uma
nação que teme ao Senhor.
Entra um participante carregando a Bandeira Nacional e instruirá as crianças a saudarem-na:
“Prometo pela minha honra, proceder em todas as circunstâncias, como cidadão consciente dos
meus deveres, amar a minha pátria e defendê-la na paz e na guerra”.
Em seguida canta-se o Hino Nacional.
Entra outro participante carregando uma Bíblia bem grande e instruirá as crianças a saudarem-na:
“Prometo ser fiel, ao meu Senhor e Salvador Jesus Cristo, e à Bíblia, a palavra de Deus. Farei dela
uma lâmpada para os meus pés, e uma luz para os meus caminhos. Guardarei as suas palavras no
meu coração, para não pecar contra Deus”.
Cantar o Cântico eu quero ler a Bíblia
Reafirme que cada atividade será parte do treinamento para que ao final do Congresso todos
estejam prontos para participarem de uma missão especial.
Peça que as crianças observem as figuras ou bandeiras e diga que
elas representam as pessoas de todo o mundo. Leia João 3.16 na
Bíblia e diga que Deus ama todos, mas que nem todos no mundo
sabem que Deus lhes têm amor. É por isso que Deus chama
pessoas especiais e lhes dá a missão de serem missionários.
Vocês sabem o que é ser missionário? É uma pessoa enviada ou
mandada a realizar um trabalho.
Pergunte: Qual é a missão do professor? (ensinar) Qual é a missão
do médico? (tratar os doentes) E qual é o trabalho do missionário?
(É contar do amor de Deus e contribuir para a evangelização do
mundo).
Peça que todas as crianças recitem João 3.16.
Versículo

Louvores (sugestões)
- Eu li na Bíblia (Aline Barros)
- Eu quero ler a Bíblia (Cristina Mel)
- Crianças do mundo inteiro (Diante do Trono)
- Brasil, Brasil, Brasil
- Posso ser um missionariozinho
- Meu coração era sujo
- Que abraço bom
- Lá vem o trem
- Jesus é bom
- Missões Infantil Todas as nações (Mara Lima)
- Missões está no meu coração (Tia Jô)
- Missões (tia Vanda)
- Sonda-me Senhor (Aline Barros)

Oferta
“Deus ama ao que dá com alegria”. 2 Co 9:7.

Construir um templo ao Deus de Israel era uma ideia que sempre ocupou o pensamento de Davi e,
por isso, tratou, logo no princípio de seu reinado, de armazenar os materiais necessários à
realização de seu plano. Segundo a Bíblia, este desejo lhe foi negado por Deus em virtude de ter
derramado muito sangue em guerras. No entanto, isso seria permitido ao seu filho Salomão, cujo
nome significa “paz”. Isto enfatizava a vontade divina de que casa de Deus fosse edificada em paz,
por um homem de paz (2 Samuel 7.1-16; 1Reis 5.3-5; 8.17; 1Crônicas 17.1-17; 22.6-10).

Como Salomão era muito novo, Davi, antes de morrer, começou os preparativo para a construção do
templo, juntou muito ouro, prata, ferro e bronze e deixou madeira e homens experientes para
trabalhar. Entregou a Salomão o desenho (planta) do templo, juntamente com os pesos e medidas
de cada objetivo, também, deixou especificadas as instruções sobre o trabalho dos sacerdotes e dos
levitas (encarregados de cuidar do templo e do louvor), tudo isso foi feito seguindo à risca as
instruções que Deus havia deixado. O rei Davi, também deu conselhos para que Salomão
guardasse os mandamentos de Deus. Restava, agora, Salomão seguir os planos de Davi e construir
o templo. O templo seria o local que guardaria a arca da aliança e os objetos sagrados. Também,
era importante, pois simbolizava a unidade nacional, o povo hebreu precisava estar unido e a melhor
forma de uní-lo era por meio da religião. O templo congregaria pessoas de várias partes e
simbolizaria a presença do Deus de Israel no meio do seu povo. O povo de Israel ficaria ao redor do
templo adorando, bendizendo, fazendo petições e holocaustos a Deus.
História Bíblica
Muitas pessoas sentiram prazer especial em serem agentes missionários. Essas pessoas eram amigas
de Jesus, elas o amavam e queriam obedecer a sua ordem. Hoje vocês vão conhecer algumas dessas
pessoas.
Paulo foi um agente especial de Deus, um missionário. A igreja de Antioquia ajudou muito a Paulo, se
não fosse a igreja de Antioquia Paulo teria tido mais dificuldades. A igreja orou muito por ele, os membros
entendiam que Deus tinha dado uma tarefa especial a Paulo e que eles deveriam juntar esforços para
que ele pudesse cumpri-la. Então, eles ajudaram com orações e ofertas.
Paulo viajou por muitos lugares falando de Jesus. Algumas vezes ficou em risco de vida, mas sempre se
lembrava dos irmãos que estavam orando por ele. E assim ele não tinha a vida como mais importante, o
medo ia embora e ele continuava pregando sobre Jesus.
Quando voltava de viagem, os irmãos da igreja reuniam-se para ouvi-lo contar o que ele havia passado
durante a viagem. Mas, sabe o que eles mais gostavam? Era de saber que tantas pessoas, em tantos
lugares diferentes amavam também a Jesus.
Outros agentes missionários era o casal Áquila e Priscila, servos de Deus chamados por ele para serem
missionários na área do ensino.
Um dia eles ouviram falar de Apolo, um pregador do evangelho. Ele era um homem muito bom, que
falava e ensinava muito bem. Mas lhe faltava um conhecimento maior do reino de Deus.
E o casal Áquila e Priscila sentiram que deveriam conversar com ele. Apolo aceitou
que eles o preparassem melhor para fazer o trabalho de Deus. Assim Apolo pôde
ajudar muitas pessoas em seu ministério.
É importante que a pessoa que deseja ser um missionário receba um preparo
especial sobre assuntos bíblicos e missionários; como lidar com diferentes tipos de
pessoas, como iniciar igrejas e usar os diversos recursos para ensinar a Palavra de
Deus.
História da Assembléia de Deus no Brasil
Gunnar Vingren participava de uma convenção de igrejas batistas, em Chicago,
onde conheceu outro jovem que se chamava Daniel Berg que também fora batizado com o Espírito
Santo. Daniel Berg nasceu na aldeia de Vargón, na Suécia, onde viveu até a idade de dezessete anos.
Os dois jovens trocaram ideias e chegaram à feliz conclusão de que Deus os guiava para a obra
missionária; restava saber onde.
Algum tempo depois, Daniel Berg foi visitar Gunnar Vingren. Nessa ocasião, em uma
reunião de oração na casa de um irmão de nome Adolpho Ulldin, através de uma
mensagem profética, Deus falou ao coração de Gunnar Vingren e Daniel Berg, que
partissem a pregar o Evangelho em terras distantes. O lugar para onde deviam seguir foi
mencionado na profecia, como sendo o Pará. Eles não sabiam onde ficava essa região,
mas após consultarem mapas, verificaram que se tratava do Brasil.
Partiram a 5 de novembro de 1910, da cidade de Nova York, para Belém do Pará.
Quatorze dias depois, isto é, a 19 de novembro do mesmo ano, os dois missionários
desembarcaram na cidade de Belém. Não possuíam eles amigos ou conhecidos nessa
cidade. Não traziam endereço de alguém que os encaminhasse a algum lugar. Vinham
encomendados unicamente à graça de Deus, e tinham a protegê-los o Deus de Abraão. Sentados num
banco da atual Praça da República, em Belém, fizeram a primeira oração em terras brasileiras.
No mês de maio de 1911, mais ou menos seis meses após a chegada de Vingren e Berg ao Brasil,
falando um português de nível regular, Vingren teve a sua primeira oportunidade de dirigir um culto a
pedido dos diáconos da Igreja Batista. Vingren leu alguns versículos
que tratavam da obra do Espírito Santo no crente, enquanto que os
diáconos abriam suas Bíblias para conferir se o que Vingren lia estava
correto. Aparentemente eles ficaram contentes com o que Vingren
dizia, de sorte que convidaram-no a continuar dirigindo os cultos das
noites seguintes, durante uma semana. Pela maneira extraordinária
com que Deus operou, ao longo daquela semana, batizando com o
Espírito Santo e curando enfermos, Vingren foi advertido.
Consumada a exclusão, o pequeno grupo de dezoito irmãos, convidou
os missionários Gunnar Vingren e Daniel Berg para dar-lhes a
necessária orientação espiritual naqueles momentos decisivos da vida.
Foi assim que, juntos, no dia 18 de junho de 1911, à rua Siqueira Mendes, 67, na
cidade de Belém, deu-se a fundação da Igreja Evangélica Assembleia de Deus, no Brasil.
Oração
Incentive a criança salva a orar:
• Pelas almas perdidas que elas conhecem ou não (I Tm 2: 1-4)
• Pelos missionários nos campos (Rm 15:30)
• Orar pelos planos e realização das atividades missionárias da igreja
(Dê a cada criança um cartão com motivos de oração para que leve para casa a fim de orarem fora da classe.)

História Missionária
Entra alguém caracterizado de sertanejo para representar o Brasil.
“Olá, crianças, vocês sabem que país eu represento? (deixe as crianças tentarem descobrir). Pois bem, é o
Brasil. Eu venho do sertão do nosso país.
No sertão existem muitas pessoas que não conhecem o amor de Deus. Muitos acreditam apenas em suas
imagens. É muito comum as pessoas acreditarem que têm que trabalhar fazendo coisas boas para entrar no
céu. E, que falar com Jesus só é possível com a ajuda dos “santos”.
Alguns lugares são muito pobres, há secas e falta água. Tem muita gente doente e passando fome. Há muitas
pessoas desempregadas, o que acaba fazendo com que muitos sertanejos abandonem sua região para
procurar emprego em outros locais do país.
O sertão é um local onde muita gente não gostaria de ir passear, mas foi o local que Deus enviou Marcolina
como agente de missões. Vamos ouvir a sua história.

Marcolina Figueira de Magalhães


Marcolina nasceu em Palmeira dos Índios, no Estado de Alagoas, em 1909, seus pais eram católicos e
ensinaram seus filhos a serem muito religiosos. Eles eram pobres e lutavam com muita dificuldade para criar
os filhos.
Quando o pai de Marcolina faleceu, ela foi morar com uma família de amigos na cidade de Maceió. Ali era
muito querida pelas freiras, que lhe presenteavam com “santinhos”, que são figurinhas dos “santos” da Igreja
Católica. Marcolina acreditava nos santos e adorava suas imagens. Ela não se aproximava dos crentes, pelo
contrário, evitava passar até mesmo pela calçada onde houvesse um templo evangélico.
Algo começou a mudar quando Marcolina viu um bispo brigando e rogando pragas para outras pessoas. Ela
ficou triste com a cena, pois ficou pensando que Jesus jamais agiria daquela forma.
Alguns dias depois, um cristão chegou a Maceió e foi morar próximo à casa de Marcolina e falou-lhe sobre
Deus e seu grande amor. Ao vê-lo, Marcolina fugia para não ouvi-lo.

Sabendo que a menina tinha uma fé profunda em “Nossa Senhora dos Navegantes”, o cristão a desafiou a
fazer uma experiência: tocar fogo no “santinho” da imagem. Se a santa fosse mesmo poderosa, a figurinha
resistiria ao fogo.
Marcolina confiava tanto no poder de sua santa que não hesitou em provar àquele homem que ele não tinha
razão. Mas ao fazer a prova, o fogo envolveu o “santinho” completamente. Tentou outra vez, e mais outra, até
que todas as suas figurinhas foram queimadas. Ela entendeu que os santinhos não puderam se defender do
fogo, também não poderiam proteger alguém. Então, não podia mais crer nos santos e em suas imagens.
Marcolina sentia-se confusa. Ela ouvia as verdades da Bíblia por meio de seu vizinho cristão e por meio da
filha mais velha da família com a qual morava, que era cristã e até possuía uma Bíblia, mas precisava ler
escondido da família.
Aos nove anos de idade Marcolina entregou sua vida a Jesus. Ela pouco sabia, mas o que sabia era suficiente
para não crer mais em imagens e crer só em Jesus. A família com a qual morava não gostou de saber que ela
tornara-se cristã e passou a persegui-la. Levou tempo para ela ter permissão de frequentar o templo e só com
13 anos realizou o sonho de ser batizada. Mas tudo isso só fazia fortalecer a sua fé em Deus e aumentar o
seu desejo de se preparar melhor para servi-lo
Ao concluir seus estudos regulares e com o apoio de alguns irmãos da igreja, Marcolina foi estudar na Escola
de Trabalhadoras Cristãs, atual Seminário de Educação Cristã. Para ganhar seu sustento ela trabalhava no
Colégio Americano Batista cuidando das meninas pequenas.
Nas oportunidades que tinha fazia visitas evangelísticas. Quando chegava das caminhadas seus pés estavam
tão doloridos que até chorava. Um dia, ao aquecer água para Marcolina banhar os pés, a diretora do internato
perguntou:
– Como pode você pensar em fazer trabalho missionário, Marcolina, senão aguenta caminhar algumas horas
sem chorar por causa dos pés?
– Não sei, D. Essie, mas o Senhor me chamou para sua obra e conto que Ele providenciará tudo que for
preciso – respondeu ela.
O coração de Marcolina batia forte ao ouvir falar dos sertanejos e dos indígenas, pois sentia que era em meio
a eles que Deus a queria trabalhando.
Ao ouvir o Pr. Zacarias Campelo falar sobre o trabalho entre os índios no sertão, Marcolina teve certeza do
que o Senhor já colocava em seu coração e ficou aguardando uma oportunidade para realizar o seu grande
sonho.
Marcolina formou-se e foi convidada para uma conversa com o Secretário-Executivo da Junta de Missões
Nacionais. Ele perguntou se ela aceitaria partir para o sertão como missionária, com o desafio de ajudar uma
igreja e abri uma escola. Àquela época não se imaginava em mandar uma moça para o sertão, muito menos
para as aldeias dos índios. Por isso Marcolina entendeu que aquela oportunidade estava vindo de Deus.
Arrumou seus poucos pertences e partiu para o sertão, sem ter ideia exata do que a esperava, mas confiando
que Deus a chamara e iria em sua companhia.
Ela viajou por 10 dias em estradas e mais 20 dias em um pequeno barco subindo o rio Tocantins. Sem
ninguém conhecido por perto, sentia medo, mas orava e entregava sua vida a Deus.
Finalmente chegou em Porto Franco e começou a trabalhar. Organizou um trabalho com mulheres e junto com
as irmãs realizava cultos de oração e visitas evangelísticas nas grandes fazendas, nos sítios pequenos, nas
casas dos sertanejos, em outras vilas e cidades e também em aldeias dos índios apinajés.
Eram longas as caminhadas, debaixo de chuva, de lama e sol. Mas que milagre! Seus pés não doíam nenhum
tiquinho. Às vezes viajava montada em burro, outras vezes em carroceria de caminhão, ou de barco ou canoa,
abastecida apenas com carne de sol com farinha e rapadura.
A maioria do povo sertanejo e dos índios aceitou a moça da cidade, porém o padre não gostou nada disso e
moveu uma campanha para os pais não matricularem os filhos na escola que Marcolina abrira, preferindo que
seus filhos não tivessem estudo.
Às vezes, pessoas batiam a sua porta, para dizer-lhe desaforos e chamar-lhe de “diabo do sertão”. No entanto,
Marcolina não desanimava. E, na escola, todos os dias, seus alunos ouviam a mensagem do evangelho.
Marcolina passou 20 anos trabalhando em Porto Franco e mais tantos outros trabalhando em cidades, como
Carolina, Tocantinópolis, Araguatins, Marabá, Colina de Goiás, São João do Araguaia e São Domingos do
Araguaia. Trabalhou como evangelista, professora de crianças, professora no Instituto Teológico, preparando
novos obreiros e até como enfermeira, num ambulatório que abriu e que os sertanejos carinhosamente
chamavam de “hospital”.
Em seu trabalho como agente de missões encontrou muita gente que não sabia quem era Jesus, muita gente
que pedia que falasse mais sobre a Bíblia, que não fosse embora ou que voltasse outras vezes para contar do
amor de Deus. Marcolina dizia a todos que desejava ser dez, a fim de aproveitar todas as oportunidades de
servir a Deus.
Quando idosa e seus pés e pernas voltaram a doer muito, impedindo-a de andar, ficava sentada à porta de
sua casa, falando de Cristo a quem passava e distribuindo folhetos.
Marcolina foi a primeira jovem solteira a partir para os sertões distantes como missionária nomeada pela Junta
de Missões Nacionais. Foi a
primeira professora a abrir e
dirigir uma escola batista no
sertão. Foi a primeira
missionária batista brasileira a
atuar como enfermeira, a
primeira jovem solteira a
evangelizar índios e em tantas
outras tarefas difíceis,
Marcolina foi a primeira a abrir
caminhos.
Ela tinha orgulho de ser
agente de Deus e cumpriu
com êxito a sua missão. Ela
merece nossa consideração e
nosso respeito por tudo que
fez, e é um exemplo para
aqueles que Deus chama para
serem seus missionários.
Vídeo
Missionariozinho – 3 palavrinhas – volume1

Oficina (Plano da Salvação)


Por trás das cores da pulseira
Material
Tira de couro ou lã e contas nas cores azul, marrom, vermelho, branco e verde.
Como confeccionar
As crianças deverão inserir as contas na tira de couro e dar um nó no início e no final para que não
saiam, fazendo uma pulseira.
Aplicação
Compartilhe e ensine o plano de salvação nesse momento.
Azul (cor do céu)
Lembra-nos o lugar que Deus, em seu grande amor, preparou para nós. Um lugar de alegria onde
não ha pecado.
Marrom (cor da terra)
Quando brincamos na terra, ficamos sujos. Assim também acontece com nosso coração por causa
do pecado. Todos somos pecadores e o pecado nos impede de entrar no céu.
Vermelho (cor de sangue)
Deus elaborou um plano especial para nos aproximar dele. Mandou seu filho Jesus aqui na terra
para morrer numa cruz em nosso lugar. Na cruz, ele derramou o seu sangue.
Branco (limpeza)
Jesus morreu e viveu novamente porque ele é o Filho de Deus e tem poder sobre a morte, sobre o
mal, para mudar a nossa vida e também para tirar toda a sujeira do pecado e tornar limpa a nossa
vida. Basta que o aceitemos como único Salvador e Senhor de nossa vida.
Verde (plantas)
Lembra-nos o crescimento. Quando aceitamos Jesus é como se nascêssemos de novo para uma
nova vida: a vida cristã. Precisamos aprender a falar com Deus e conhecer a bíblia para sabermos o
que ele deseja que façamos. Vamos
crescendo a cada dia no conhecimento e
na amizade com Deus.

Brincadeiras
PREGADORES EM TODOS OS
CONTINENTES
Selecione cinco adultos para
representarem os continentes: África, Ásia,
América, Europa e Oceania. Divida as
crianças em cinco grupos correspondentes
aos continentes.
Ao sinal dado, esvazie no ar uma sacola
cheia de pregadores. As crianças deverão
recolher os pregadores e fixá-los na roupa
do seu respectivo continente durante um
minuto. Ganhara o grupo que conseguir
fixar mais pregadores. Os adultos não
poderão ajudá-las, por isso, durante todo o
tempo, deverão manter as mãos na
cabeça.
Nível de dificuldade: FÁCIL.
Atividades - Colorir
Programação____ / _____/ __________

Tema: Missão Esperança

Cronograma
Oração Inicial Louvor
Abertura História Missionária
Versículo Vídeo
Louvor Oficina
Oferta Brincadeiras
História Bíblica Atividades
Oração Lanche / Oração Final

Oração Inicial
Orar pausadamente, para que as crianças repitam.

Abertura
O chefe de missão deverá usar sua criatividade e cativar as crianças logo no início de cada dia.
Deve entrar vestido com agente secreto (estilo James Bond) ao som de uma música de suspense e
convidá-las a se tornar agentes missionárias e participar de uma missão especial.
Convidar as crianças a participar de uma missão especial. Deverão prestar saudação à Bandeira
Nacional e à Bíblia, o símbolo da Agência de Inteligência: a igreja.
Explique que através desta cerimônia estamos reconhecendo a liberdade religiosa de que
desfrutamos em nosso país e comprometendo-nos a tudo fazer para que o nosso Brasil seja uma
nação que teme ao Senhor.
Entra um participante carregando a Bandeira Nacional e instruirá as crianças a saudarem-na:
“Prometo pela minha honra, proceder em todas as circunstâncias, como cidadão consciente dos
meus deveres, amar a minha pátria e defendê-la na paz e na guerra”.
Em seguida canta-se o Hino Nacional.
Entra outro participante carregando uma Bíblia bem grande e instruirá as crianças a saudarem-na:
“Prometo ser fiel, ao meu Senhor e Salvador Jesus Cristo, e à Bíblia, a palavra de Deus. Farei dela
uma lâmpada para os meus pés, e uma luz para os meus caminhos. Guardarei as suas palavras no
meu coração, para não pecar contra Deus”.
Cantar o Cântico eu quero ler a Bíblia
Reafirme que cada atividade será parte do treinamento para que ao final do Congresso todos
estejam prontos para participarem de uma missão especial.
Peça que as crianças observem as figuras ou bandeiras e diga que elas representam as pessoas de
todo o mundo. Leia João 3.16 na Bíblia e diga que Deus ama todos, mas que nem todos no mundo
sabem que Deus lhes têm amor. É por isso que Deus chama pessoas especiais e lhes dá a missão
de serem missionários.
Vocês sabem o que é ser missionário? É uma pessoa enviada ou
mandada a realizar um trabalho.
Pergunte: Qual é a missão do professor? (ensinar) Qual é a missão
do médico? (tratar os doentes) E qual é o trabalho do missionário?
(É contar do amor de Deus e contribuir para a evangelização do
mundo).
Peça que todas as crianças recitem João 3.16.
Versículo
Um fantoche deve dizer o verso com alguns erros e
perguntar as crianças "Acertei?". As crianças o corrigem
e dizem o verso correto; o fantoche tenta novamente e
erra em outro trecho; sendo novamente corrigido. Repita
algumas vezes, mas pare antes que as crianças enjoem
da brincadeira.

Louvores (sugestões)
- Eu li na Bíblia (Aline Barros)
- Eu quero ler a Bíblia (Cristina Mel)
- Crianças do mundo inteiro (Diante do Trono)
- Brasil, Brasil, Brasil
- Posso ser um missionariozinho
- Meu coração era sujo
- Que abraço bom
- Lá vem o trem
- Jesus é bom
- Missões Infantil Todas as nações (Mara Lima)
- Missões está no meu coração (Tia Jô)
- Missões (tia Vanda)
- Sonda-me Senhor (Aline Barros)

Oferta
TORRE MISSIONÁRIA

Materiais: Três folhas de papel


cartão em cores contrastantes, fita crepe, fotos do campo missionário, um mapinha
mundial, um mapa do país onde o missionário trabalha, bandeira do país, gravuras de
comida, pessoas, costumes do país.

Orientação
Da 1ª folha de papel cartão corte quatro (4) quadrados de 24 cm cada. Una-os em
fila com fita crepe. Una 1º com o último formando um cubo com as fitas do lado de
dentro. Decore cada quadrado com o seguinte:
Lado 1 – QUEM? (figuras de homens e mulheres).
Lado 2 – ONDE? (mapa do mundo)
Lado 3 – O QUE? (figura de várias coisas que os missionários fazem. Use uma Bíblia
aberta como fundo).
Lado 4 – POR QUÊ? (escreva Marcos 16.15)
Da 2ª folha de papel cartão corte quatro (4) quadrados de 20 cm cada. Siga a
orientação acima para fazer o 2º bloco. Decore-o assim:
Lado 1 – QUEM É O NOSSO MISSIONÁRIO? (foto ou cartão de oração).
Lado 2 – ONDE NOSSO MISSIONÁRIO TRABALHA? (mapa do país)
Lado 3 – O QUE O NOSSO MISSIONÁRIO FAZ? (figuras representando as suas
atividades).
Lado 4 – O QUE O NOSSO MISSIONÁRIO PRECISA? (figuras representando pedidos de oração).
Da 3ª folha de papel cartão faça um outro cubo com quatro (4) quadrados de 16 cm cada. Use
figuras relacionadas ao campo missionário, pessoas do país, bandeiras do país, casas ou cidades,
comida, esportes, etc.
Use o 1º cubo para representar Missões em geral para sua classe
Use o 2º cubo para apresentar o seu missionário. Coloque-o em cima do 1º cubo, começando sua torre.
O 3º cubo pode ser acrescentado e discutido mais tarde para ajudar as crianças a se identificarem
mais com o missionário.
Deixe os cubos empilhados para uma exposição permanente ou desmonte-os e guarde-os de uma
aula para outra.
História Bíblica
A escravazinha Missionária

Esta é uma menininha muito linda e graciosa. Seu nome


ninguém sabe, pois ela foi roubada.
Roubada?!
Sim, roubada.
Um dia, quando brincava no quintal de sua casa, em um país
distante chamado Israel, os soldados sírios, que estavam guerreando contra a
nação dela, chegaram montados em seus cavalos e a levaram como escrava.
Ao chegar naquela terra, tão longe de sua casa, a menininha, coitada, foi
entregue na casa de seu senhor. Longe de sua família, em um país distante e pagão e
onde não se falava no nome de Deus, tudo era muito triste.
Enquanto secava as lágrimas que de seus olhos caíam, ela examinava a casa. Oh!
Como era bonita! Parecia um palácio!
Lindos vasos, muitas flores, tudo muito bem cuidado.
A menininha parou, o coraçãozinho batendo depressa. Tuc, tuc, tuc.
Quem seria, afinal, o seu senhor?
O que faria agora?
Para seu alívio, a espera não foi longa.
Logo chegou a notícia de que seria a serva da senhora dona da casa.
Depois de haver descansado da longa viagem pelo deserto, foi
conhecer a sua senhora e ficou muito contente ao ver que era
bondosa. Era tão linda, tão meiga, mas o seu sorriso era triste!
Os dias foram passando, e a escravazinha ficou sabendo que seu patrão estava
doente e que a esposa dele sofria muito com isso.
Seu nome era Naamã. Ele era o general do exército do rei. Um homem
importante, mas com uma grave doença. A escravazinha israelita sentiu
pena, ficou triste, mas lembrou que em Israel havia um homem chamado
Eliseu. Ele era profeta de Deus, e poderia ajudá-los.
Sem perder tempo e com firmeza, contou para a senhora o que o Deus de
Israel poderia fazer pelo seu amo. A senhora animou-se e foi depressa contar a
boa nova ao general.
Rápido, Naamã corru, pegou seu cava e… trot, trot, trot.
Foi galopando para Israel, à procura de Eliseu.
Ao chegar em Israel, o profeta do Deus vivo mandou que o general sírio mergulhasse sete
vezes nas águas escuras do rio Jordão. Naamã era orgulhoso e disse não.
Afinal, havia rios melhores em sua terra.
Mais tarde, porém, pensando melhor,
resolver fazer o que o profeta lhe dissera.
Foi até as margens do Jordão e então
mergulhou.
Uma,
duas,
três,
quatro vezes… nada!
Finalmente sete vezes… Pronto!
O milagre aconteceu. A doença sarou, e sua carne ficou
firme e sã.
Alegre, voltou para casa, e todos ficaram
felizes.
O sorriso voltou aos lábios da senhora, e tudo
isso aconteceu porque uma menininha escrava
falou sobre o poder do Deus verdadeiro
naquela terra estranha.
E nisso fica a lição. Não importa aonde
estamos, seja aqui, seja acolá, devemos
sempre lembrar de pregar o Evangelho.
Oração
Os missionários precisam das nossas orações para que Deus lhes dê coragem, proteção, sabedoria,
amor, paciência, saúde, força e fidelidade, compreensão e tolerância com o povo com quem está
trabalhando, para saberem esperar o tempo de Deus para que este povo aceite a Jesus como seu
Salvador.
Por vezes é muito difícil explicar para povos que nunca ouviram falar de Jesus, que Ele veio ao mundo,
viveu aqui entre os homens e morreu para salvá-los dos seus pecados. Isto pode levar anos e anos e os
missionários não podem desistir, nem se cansarem de ensiná-los sobre o grande amor de Jesus.
Alguns missionários adoecem, contraem malária, febre tifoide e muitas outras doenças graves através da
falta de condições mínimas para pessoas sobreviverem nestes campos missionários, através da falta de
saneamento básico, da presença de mosquitos ou ainda devido a falta de alimentação adequada para
eles.
Um missionário necessita de orações pela sua família:
* para que Deus possa livrá-los de acidentes, ataques de cobras e animais perigosos/venenosos
* para que Deus os livre de perseguições
* pelo suprimento de alimentos necessários para eles e seus filhos
* pela saúde, por livramento de doenças.
* para que Deus salve o povo com quem estão trabalhando
* para que Deus os ajude a permanecer firmes, até o fim
* para que pessoas colaborem com eles, dando-lhes o dinheiro que vão necessitar para pagar suas
passagens para chegar nos campos missionários e sobreviver nestes lugares.

História Missionária
A MENINA DOS OLHOS CASTANHOS
AMY CARMICHAEL
Amy era uma linda menina de 3 aninhos de idade. Ela morava em algum
lugar da Irlanda, em frente ao mar.
Sua família era cristã. Eles iam todos os domingos à igreja e realizavam o
culto doméstico... Amy era muito feliz! Ela amava sua família e admirava os
olhos azuis de sua mãe e seus irmãos... Todos na casa de Amy tinham olhos
azuis... Todos...MENOS.... Amy!!! O sonho dela era ter olhos azuis como o
mar... Ah! como desejava isso!!!!
Um dia, na escola dominical, ouviu a "tia" dizer: "DEUS RESPONDE A
TODAS AS ORAÇÕES!" Amy passou o dia todo pensando nisso... À noite, na hora de dormir, ajoelhou ao lado
da sua cama e orou: "Papai do Céu, muito obrigada porque você criou o mar que é tão bonito! Muito obrigada
pela minha família. Muito obrigada pela minha vida! Gosto muito de todas as coisas que você fez e faz! Mas...
gostaria de pedir... por favor... quando eu acordar amanhã, quero ter olhos azuis como os da mamãe! Em
nome de Jesus, amém." Ela teve fé. A fé pura e verdadeira de uma criança. E, ao acordar, no dia seguinte,
correu para o espelho. Olhou... e qual era a cor de seus olhos?... CONTINUAVAM CASTANHOS!
Por que Deus não ouviu Amy? Por que não atendeu ao seu pedido? Isso teria fortalecido sua fé? Bem...
naquele dia, Amy aprendeu que um NÃO também era resposta! A menininha agradeceu a Deus do mesmo
modo... mas... não entendia... só confiava.
Anos depois, Amy foi ser missionária na Índia. Lá "comprava crianças para Deus" (as crianças eram vendidas
por suas famílias - que passavam fome - para serem sacrificadas no templo, e Amy as "comprava" para libertá-
las desse sacrifício). Mas, para poder entrar nos "templos" da Índia, sem ser
reconhecida como estrangeira, precisou se disfarçar de indiana: passou pó de café
na pele, cobriu os cabelos, vestiu-se como as mulheres do local e entrava livremente
nos locais de venda de crianças. Emy podia caminhar tranquila em todo "mercado
infantil", pois aparentava ser uma indiana.
Um dia, uma amiga missionária olhou para ela disfarçada e disse: "Puxa, Amy! Você
já pensou como você faria para se disfarçar se tivesse olhos claros como os de
todos da sua família?

Que Deus inteligente nós servimos... Ele lhe deu olhos bem escuros, pois sabia que
isso seria essencial para a missão que lhe confiaria depois!!!" Essa amiga não sabia
o quanto Emy havia chorado na infância por não ter olhos azuis... Mas Amy pôde,
enfim, entender o porquê daquele não de Deus há tantos anos!
Bem... o que eu quer dizer essa longa e bonita história? Apenas dizer que DEUS ESTÁ NO CONTROLE DE
TUDO!!! Ele conhece cada lágrima que já rolou do canto dos seus olhos... Ele sabe que, talvez, você quisesse
''olhos de outra cor''... Ele ouve, sim, TODAS as orações... mas Ele as responde de modo sábio! Não precisa
chorar se seus olhos continuam castanhos... ou se você ainda não foi atendida(o) como gostaria.

Vídeo
Pare – 3 palavrinhas – volume2

Oficina (Plano da Salvação)


Dobradura de cruz Material
Material
Folha de papel branco.
Aplicação
Mostre a folha de papel branco e vá dobrando-a enquanto fala, conforme descrito.
Quando Deus criou o mundo o fez puro e perfeito. (dobra n° 1).
Deus criou o homem e uma companheira para ele. Assim foi formado o primeiro lar (dobra n° 2).
Porém, nem tudo aconteceu como Deus planejou. O homem e a mulher pecaram e interromperam o plano de
Deus (dobra n° 3, representando a quebra).
As pessoas foram povoando todo o mundo. Elas se afastaram mais e mais de Deus. Durante centenas de
anos Deus deu várias oportunidades para as pessoas se aproximarem dele.
Deus fez uma grande promessa: a de trazer as pessoas de volta para conviverem com ele.
(Enquanto continua falando, recorte a folha como indica a figura n° 4.)
O amor de Deus era tão grande, tão grande que ele enviou Jesus. Jesus ensinou como viver em paz com
Deus e com todas as pessoas. E Jesus morreu na cruz em meu lugar, em seu lugar, no lugar de todas as
pessoas do mundo. (Mostre a cruz que foi recortada no papel como mostra a figura n° 5.)
Mas Jesus não continuou morto, ele voltou a viver. Ele também nos fará viver para sempre no céu, junto com
Deus e sem sofrimento, separação e morte.

Brincadeiras
PESCARIA
Escreva diversos nomes de missionários e fixe-os em caixas de areia. Prepare "anzóis" apropriados para pescar os nomes.
Cada participante pescara nomes de missionários para orar por eles.

Nível de dificuldade: FÁCIL.


Atividades - Colorir
Sugestões de Jograis e Teatros
MISSÕES
As crianças entram marchando e falam…

(PARTE DAS CRIANÇAS)

Nós somos os missionários da última hora, ouvimos o clamor das almas.

Trevas cobrem a terra, guerra, fome, terremoto, mare moto, (obs.: tudo com gestos)
Tudo isso tem deixado a humanidade em pânico.
Não podemos ficar indiferentes, a humanidade está em desespero, milhares de almas perecem sem
a salvação.
Deus está convocando valentes, guerreiros que aceitem o desafio de resgatar essas almas.
Quem irá a povos tribos e nações que nunca ouviram falar de Jesus.

(OUTRA PARTE ENTRA)


Eis me aqui senhor eu irei.
Sou apenas uma criança, mas aceite-me Senhor, aceite-me Senhor

Você, Você, Você é a escolha de Deus para esta última hora.


Essa foi a tarefa que Cristo confiou a nós
Missões, Missões, Missões
Fazer missões é doar-se completamente para salvação das almas
Quem faz missões esta colhendo frutos para a eternidade
Devemos fazer missões hoje por que estamos esperando Jesus voltar agora.
MISSÕES, MISSÕES

Hino missões ….. COREOGRAFIA

TEATRO – Flor (Missões)


CENÁRIO - JARDIM
PERSONAGENS – CINCO FLORES. ALGUMAS FLORES PARA ENFEITAR O JARDIM. UM JARDINEIRO

Flor 1 – Vejam, uma flor diferente em nosso jardim!


Flor 2 – Será que está perdida?
Flor 3 – Ei! Chega mais perto. Queremos conhecer você!
Flor 4 – Quem sabe ela gostaria de cantar conosco?
Flor triste – Não, obrigada. Não tenho alegria nem vontade de cantar. Sou uma flor feia e murcha. (a
flor caminha de um
lado para o outro).
Flor 5 – De onde você vem?
Flor triste – Venho de muito longe. De um lugar seco, onde não chove e a terra morre sem água. Se
nem as árvores
resistem, imagine as flores! Gostaria de ser linda e ter o perfume de vocês.
Flor 4 – Nós podemos ajudar você. Fique conosco! Todos os dias, um bondoso jardineiro vem nos
visitar.
Flor 2 – Ele não traz apenas água, mas carinho e cuidados especiais.
Flor 3 – Daqui a poucos minutos você vai conhecê-lo!
Flor triste – Não acredito que ele se importe comigo. Acho que nem vai notar a minha presença.
(interrompe a cena com
o jardineiro chegando ao jardim e cantando).
Jardineiro – Olhem só o que vejo aqui! Uma nova flor! É muito linda, mas precisa de cuidados. Deus
ama toda a criação
e ele quer cuidar de cada flor, onde ela estiver. Todos somos importantes para Deus e ele nos ama e
deseja nos ver felizes
e saudáveis! Eu vou fazer a minha parte, florzinha, mas você precisa querer crescer linda e perfumar
nosso jardim.
(o jardineiro começa a cuidar da flor. Ele tira folhas secas e queimadas, molha a raiz e remove a
terra… E enquanto isso
acontece, as flores cantam. Usar um cântico que fale sobre o amor de Deus e o seu cuidado para
conosco. O jardineiro vai
terminando o seu serviço, enquanto as flores estão acabando de cantar, e sai de cena.)
Flor triste – Se mexendo... Alegre, ela diz: como é bom saber que existe alguém que nos ama e
cuida de nós! Agora sou
uma nova flor... Vou correndo voltar para o lugar de onde eu vim… Muitas flores precisam saber que
são especiais! Adeus e
muito obrigado por tudo o que me ensinaram.
Jardineiro - (volta ao palco): Todas as crianças são flores no grande jardim de Deus. Mas existem
crianças espalhadas
em muitos lugares de Minas Gerais, que nunca ouviram falar do Criador. Elas não sabem como
Deus nos ama e deseja
fazê-las felizes. Existem pessoas indo aos lugares mais distantes do nosso Estado, celebrar Cristo,
o Senhor de Missões.
São os missionários! Muitas crianças poderão se alegrar; é preciso ajudar com a nossa oferta e
oração. Vamos fazer isto,
celebrando Cristo, o Senhor de Missões.

(EXPLICAR O TEATRO PARA AS CRIANÇAS PRESENTES)

CHAMADA DE DEUS
Missionário: Querida!
Esposa: Querido a esta hora?
Obs.: A filha quando ver o pai corre para abraçá-lo.
Missionário: Tenho uma notícia para contar a você!
Esposa: Conta logo querido!
Filha: Conta! Conta!
Missionário: Eu fui promovido, Deus me deu esta oportunidade de ser gerente da empresa.
Missionário: Vamos agradecer a Deus por esta oportunidade de ser gerente da empresa.
Esposa: Vamos agradecer a Deus por esta oportunidade.
Obs.: Quando termina a oração sai conversando.
Narrador: Na madrugada do outro dia Deus falou com seu servo.
Obs.: Colocar uma mesa com um copo de água e uma garrafa com água, e missionário entra para
tomar água.
Voz oculta: Manasses!
Missionário: quem está me chamando?
Voz oculta: Sou Eu o Senhor teu Deus
Missionário: Senhor!
Voz oculta: Manasses, tenho uma obra para você em outra nação.
Missionário: Senhor e o meu emprego? E a minha família?
Voz oculta: Manasses Meu servo. Eu preciso de ti na minha obra. Muitas pessoas estão morrendo
sem ouvir a minha palavra, mas, como ouvirão se não há quem pregue?
Obs.: E o missionário cai de joelho e começa a chorar e a se lamentar.
Missionário: Senhor! Eu não Senhor! Por que eu? A minha família não vai entender e o meu
emprego; logo agora que eu recebi uma promoção.
Voz oculta: Manasses Eu te escolhi para fazer a minha obra. Eu preciso de ti.
Obs.: Apagam-se as luzes, e o missionário sai. Logo após, entram em cena a esposa e a filha
tomando café e conta o que ouviu da parte do Senhor.
Missionário: Mirian, querida, Ruth minha filha, tenho algo para contar-lhes.
Esposa: O que é?
Missionário: Durante a madrugada Deus falou comigo.
Esposa: E ai?
Missionário: E ai é que Deus mim chamou para fazer missão em outros países.
Filha: O que? Não! Não vou papai! Não aceito!
Esposa: Querido!
Missionário: é querida. É melhor nós obedecemos à voz do Senhor, por que eu não vou conseguir
viver em paz, sabemos que muita gente está morrendo sem Deus. Por minha culpa.
Esposa: é verdade querido!
Filha: Ta certo pai vou obedecer.
Obs.: Apagam-se a luzes e sai à família missionária e depois da narração entra a família missionária
com algumas pessoas se despedindo.
Narração: Aquela família aceitou a missão que o Senhor Deus havia colocado em suas mãos, e, se
despedindo dos amigos e dos irmãos, se colocaram na disposição de verdadeiros soldados de
Cristo, em nada tendo as suas vidas por preciosas.
Obs.: Entra a família missionária com algumas pessoas se despedindo e em seguida da entrada um
irmão correndo (entra pela porta lateral).
Irmão: Eu tinha convicção de que ainda iria encontra-los aqui”
Missionário: Que bom, amado, que você veio já estávamos indo embora! Achamos que você não
viria…
Irmão: Meus queridos, Deus será convosco! Grandes são as surpresas, mas vocês são vitoriosos!
Enquanto viveres ganhará almas para o Reino de Deus, mas ainda que seja necessário morrerem
por amor a Jesus saibam que até a morte será para a glória de Deus! Aconteça o que acontecer,
não neguem o nome de Jesus!
Missionário: Mas irmão, o que você estar querendo dizer com isso? Que surpresa serão essas:
Irmão: Não temas! Já lhes disse: aconteça o que acontecer, não neguem o nome de Jesus!
Missionário: Não negaremos! Estamos firmes no propósito para qual Deus nos chamou!
Obs.: Despedem-se
Narrador: “Aconteça o que acontecer não negue o nome de Jesus!”.
O que será que aquele irmão quis dizer com isso: que surpresa será essa que pelos missionários
espera? Qual fundamento dessas palavras: será que elas foram proféticas:
Obs.: Quando a narração termina entra o vocal cantando o hino missionário e depois tem a
conclusão.
Narração: Querida igreja, tudo isso que acabamos de presenciar foi extraído de fatos reais e nos
conta a vida de mais alguns servos que morreram para não negar o nome daquele que é eterno.
Que com isso irmãos possamos amar mais os missionários, contribuir melhor e é claro, orar muito
mais pela obra missionária! Engrandecer a Cristo estando vivo é fácil de entender, porém
engrandece-lo pela morte é difícil para todos entender e aceitar. Oremos para que o Senhor escolha
homens e mulheres para esta obra, pessoas que possam dizer com coragem eu sou um soldado de
Cristo! Os nossos irmãos dessa história morreram, mais uma coisa é certa: Eles não morreram em
vão!

TEATRO - A CORDA DA MISSÃO


10 PERSONAGENS :
Igreja1 - Igreja2 - Jovem1 - Jovem2 - Problema1 - Problema2 - Oração1 - Oração2 - JESUS - DÍZIMO

Jesus: Igreja minha, escolhi dois jovens dentro de você, q irão pregar o meu evangelho ao mundo
todo. E eis q dou a vocês esta corda, onde vocês sempre estarão segurando do lado de cá, assim
eles terão segurança para irem
(Chega os jovens)
Igreja 1: Senhor, sabemos q isto é um dos compromissos que temos com o seu evangelho
Igreja 2: É Senhor, estaremos sempre segurando firme
Jesus: Estes são os jovens... eu voltarei para ver se vocês cumpriram a minha ordem.
Igreja 1: Sim Pai
Igreja 2 (enrolando o Jovem): Meu jovem querido, estou feliz em saber q Deus o escolheu para a
sua seara e você está cumprindo o desejo do Senhor
Igreja 1: É verdade, estarei aqui segurando a sua corda, toma a sua ponta e vai com Deus
Jovem 1: Vou porque Deus colocou este propósito na minha vida.
Jovem 2: E sei que você estará orando por mim, me ajudando neste tempo, estou seguro
Igreja 2: Vai meu jovem, estarei aqui sim, estaremos orando, intercedendo por você, e Jesus é por
nós... (jovem sai)
Jovem 1: Eu vou igreja minha, fique com Deus

Igreja 1: vai com Ele querido (jovem sai) (e adormece)


Igreja 2 se ajoelha e levantando a sua ponta diz: Senhor, sei q através de Ti conseguiremos ajudá-lo
naquele país, neste momento envia seus anjos em sua caminhada.
Entra PROBLEMA 1
Problema: Igreja, igreja! Me ajuda estou com problemas
Igreja1 soltando a ponta: O q houve?
Problema pega aponta e fica brincando
Problema: Ah igreja o de sempre
(e ficam conversando)
Entra PROBLEMA 2 disfarçando e corta a corda
Problema: Igreja, igreja!
Igreja 2: Venha eu sei q você está com problemas
Entra ORAÇÃO
Oração: Igreja, eu vi o Problema entrar aqui, como sempre não pede permissão. Vamos Orar
Igreja 2: Oi Oração, vamos Orar sim
Problema2: Eu só trago problema
Oração: Você sempre existirá, mas quando eu estiver presente Deus sempre será por nós...
Igreja 2: Amém
Jesus entra e amarra a corda (nesta hora coloca uma música sobre a oração)
(no meio da próxima cena, o problema 2 vai saindo)
Problema1: Tchau... daqui a pouco eu volto....
(E joga aponta)
Igreja 1: Ai, cadê a minha ponta? Eu não posso perder, o Problema chegou e eu me distraí...
Oração chegando: O q foi igreja?
Igreja1: Q bom q você chegou, vamos orar, preciso achar a ponta da corda do nosso missionário
Oração: Atchim! Eu tô muito fraca, não consigo orar...
Igreja1: Você tá doente é? Eu preciso de vc...
Oração: Tá, tá... vamos então orar Atchim!
Oração abrindo os olhos: Igreja! o Problema foi embora.
DÍZIMO entra
Igreja: Dízimo, q bom q você está aqui.
Dízimo: Pois é Igreja, eu vim pra ajudar a segurar a corda da missão
Oração: Venha DÍZIMO então vamos todos orar
Igreja : COM A ORAÇÃO E O DÍZIMO ESTÁ CORDA ESTARÁ BEM SEGURA
(os três segurando a corda ajoelham e oram)
Oração: Estou muito fraca, tenho q me recuperar, Igreja fique aqui q eu já volto (e vai saindo)
Igreja: Como é q eu vou fazer? Preciso achar a ponta, antes q Jesus volte... O Problema me distraiu
e a Oração está muito fraca, e o Dízimo nem apareceu... vou continuar procurando
(e olha para o chão como se tivesse visto alguma coisa) Achei! achei! ai q bom...
Jesus entra
Jesus: Igrejas, vejo q vocês estão segurando as pontas da Corda da Missão
Igreja1: sim Senhor
Jesus para Igreja 2
Jesus: Igreja, vejo q não estava sozinha, a sua corda estava muito bem segura...
Igreja2: Eles vieram me ajudar e me deram força para não largar a corda
Jesus: Quero q agora vocês puxem a corda
(começam a puxar)
Igreja 2: Nossa como ela tá mais pesada, quando ela foi não estava tão pesada
Jovem 2: Oi amada Igreja, q saudades, tenho tantas bênçãos pra contar...
(se abraçam)
Igreja 2: Então foram as bênçãos q fizeram você ficar mais pesado?
Jovem 2: Eu creio q sim.. olhe só, eis aqui: foram 256 vidas q aceitaram Jesus, destes, muitos hoje
tem o chamado para pastor e outros para missões e através destas vidas eu sei q cada uma dela
poderá alcançar mais vidas. E q Deus as abençoes para q tenham uma igreja como a minha, q
segura firme a corda da missão.

Jesus: Igreja, você alegrou meu coração, pois fez cumprir o meu propósito.
Igreja abraça Jesus: Sim Senhor, eis me aqui, envia-me a mim...
(e eles sai)
Jesus vai até a Igreja 1
Jesus: Igreja minha, vejo q estais segurando a corda
Igreja1 : Sim meu Jesus, passei dificuldades para segurar mas estou segurando
Jesus: Puxe a sua corda
Igreja: Como está leve...
(Igreja se envergonha)
Pega a carta e começa a ler
Jesus: O q está escrito?
Igreja: Não Senhor, o Senhor não pode saber... q vergonha
Jesus: Leia Igreja, todos querem saber:
Jovem fala em OFF: "Igreja, você disse que estaria segurando a corda e eu acreditei e confiei. E
pude sentir quando você soltou, e eu perdi minha segurança, a obra de Deus só seria concluída se
você tivesse segurado firme aí do outro lado. Por causa disso 500 vidas não puderam ser salvas e
nós teremos q dar conta disto".
Jesus fala para todos na Igreja: qual destes dois exemplos tem sido a nossa Igreja?

PEÇAS E JOGRAIS EVANGELICOS


A OUTRA FACE DA CHINA
NARRAÇÃO: Milhares de chineses nunca ouviram a mensagem da cruz, vivem sem saber que
existe um Deus verdadeiro, que os ama e morreu por eles. Por outro lado, vem nascendo na China
uma igreja forte, corajosa e cheia do Espírito Santo. Em tudo são atribulados mas não angustiados,
perplexos mas não desanimados, perseguidos mas não desamparados, abatidos mas não
destruídos. Mesmo diante de toda perseguição e dificuldade, diariamente milhares de chineses
aceitam Jesus Cristo como Senhor e Salvador. Muitos são batizados nos rios gelados, durante a
noite se reúnem secretamente nas casas ou em lugares afastados, em comunhão e sinceridade de
coração, comemorando a volta do Senhor até que Ele venha. Alguns cultos são realizados em
barcos e em alto mar, nossos irmãos chineses cantam e glorificam a Deus com alegria. Outros
enfrentam o frio e a neve para buscar um momento de intimidade com o Pai e adorá-lo em secreto.
Muitos cultos são realizados antes do sol nascer, em algumas casas um pequeno banheiro se
transforma num altar de adoração, um refúgio secreto para exaltar ao Senhor dos Exércitos. Ainda
que o único lugar disponível para orar seja junto aos animais, um estábulo, essa será sempre a
imagem da igreja chinesa. Uma igreja que caminha de joelho, uma igreja que caminha aos pés de
Jesus recebendo graça e poder para permanecer firme diante das mais terríveis dificuldades.
Mesmo quando são perseguidos, encerrados na prisão e tratados como criminosos, eles não se
dobram, ao contrário do que se imagina, eles se encontram fortalecidos e felizes por serem achados
dignos de sofrer por amor a Cristo.
OBS.: Entra alguns irmãos que se comunicam com folhetos, que mostram aonde vão se
encontrar.

IRMÃO: Quero falar com você hoje à noite. Vamos nos encontrar? Nesse pedaço de papel está o
endereço.
OBS.: Entram algumas pessoas e depois a polícia chinesa.
PASTOR: Vamos embora, porque tem pessoas nos observando.
OBS.: Sai todo rapidamente e se espalha na igreja. Uma das pessoas mostra aos policiais os
irmãos evangelizando e a polícia sai para a perseguição.
NARRAÇÃO: Na noite marcada os irmãos foram no lugar marcado, na casa da irmã Maria.
OBS.: Entram todos desconfiados e ficam orando enquanto entram outros irmãos.
PASTOR: Irmã Maria!
MARIA: Qual é o seu nome?
PASTOR: Por que pergunta o meu nome se sabe que sou um cidadão do céu!?
MARIA: É o pastor!
OBS.: Entra o pastor e dá uns abraços em todos e mostra que achou uma página da Bíblia (Ler
salmos 7.1)
PASTOR: Olha o que eu achei! Eu achei uma página da Bíblia. Vamos adorar a Deus por esta
página da Bíblia. Se coloquem de joelhos igreja, adore com a gente por esta página, porque Ele teve
misericórdia de nós. Será que vocês podem se colocar de joelhos?
OBS.: Canta o hino (sara esta nação)
OBS.: Aparece a polícia chinesa.
SOLDADO 1: O que vocês estão fazendo? Parem de cantar, nós vamos entrar!
SOLDADO 2: Parem com isso! Iremos entrar agora!
SOLDADO 1: Prendam todos! Onde está o pastor?
OBS.: Todos ficam calados, mas o soldado aponta a arma para a cabeça de uma pessoa e
pergunta, quem é o pastor e o pastor se levantar.
SOLDADO 1: Quem é o pastor?
PASTOR: Sou eu!
SOLDADO 2: É você mesmo que nós estávamos procurando. Soldados levem todos e leve o pastor
para a sala de interrogatório.

NARRAÇÃO: Segundo os membros da igreja domiciliar da irmã Maria e informações enviadas da


prisão, dezenas de membros de várias igrejas foram aprisionados naquela mesma noite e
espancados com cassetetes, agredidos com cassetetes elétricos e queimados com cigarros.
Se desmaiavam, eram reanimados com baldes de água fria. Os interrogadores pisavam os dedos
dos homens e tiravam as roupas das mulheres choques mais jovens e abusavam delas. “Eles deram
choques com cassetetes elétricos no meu corpo inteiro.” Disse uma das jovens tentando conter as
lágrimas. “a intenção deles era nos humilhar”. Ela foi torturada com surras mas resistiu com bravura.
O pastor, mesmo quando esteve perto de ser morto, ele não revelou os nomes dos membros da sua
congregação, nem assinou a declaração renunciando a fé cristã.
A tortura física foi quase insuportável, mas a tortura mental foi ainda pior. Então levaram-no ao seu
comandante.

OBS.: O pastor entra na igreja, sendo levado com as mãos machucadas e o rosto manchado
de sangue.
COMANDANTE: Quem é o homem que está indo contra o estado!?
SOLDADO 1: Olha ele aqui!
COMANDANTE: Fizeram o que eu mandei!?
SOLDADO 1: Olha para as mãos dele e para o rosto.
COMANDANTE: Então ele não negou e nem disse quem são os membros? Nós não vamos te
machucar, só queremos conversar.
OBS.: O pastor fica calado e não olha pra ninguém.
COMANDANTE: olha pra mim seu miserável!
OBS.: o comandante começa a bater no pastor.
COMANDANTE: Aqui na China, nós preservamos a dignidade do nosso estado.
OBS.: O comandante manda trazer a Bíblia.
COMANDANTE: tolerância é garantida no nosso país. Peguem o livro.
PASTOR: Não, não! A Bíblia não!
COMANDANTE: Você ainda acredita em Deus? Você ainda acredita em Jesus?
OBS.: Os soldados puxam os cabelos do pastor, bate no seu rosto, o empurra no chão, pisa
em suas mãos e o pastor canta um hino (Rude Cruz HC nº 191)
PASTOR: Rude cruz se eregiu...
COMANDANTE: Cale a boca, cale a boca, então não tem acordo. Eu te declaro culpado!
OBS.: O pastor faz uma oração
PASTOR: Eu te seguirei até o mais longe que eu puder chegar, eu sou o teu servo, eu sou teu filho,
me ajude!
COMANDANTE: Levem-no daqui!

NARRAÇÃO: O crescimento do movimento cristão começou a acelerar a partir do massacre da


Praça Tiananmen (da Paz Celestial), em 4 de junho de 1989. Na área de Nantchang, por exemplo,
um jornal comunista noticiou quem em certo município chamado Tchincsien havia vinte crentes em
1984, mas este número cresceu para mais de seis mil em 1991. Porque o cristianismo cresceu tão
rapidamente na China? Um dos pioneiros do atual movimento das igrejas-domiciliares, pastor
Samuel Lamb, passou vinte anos em vários presídios chineses por causa das suas atividades
evangelísticas clandestinas. Ele explicou aos representantes da VDM que, enquanto o governo tenta
destruir a igreja não registrada intensificando os seus esforços para suprimi-la, o resultado é
exatamente o contrário: a igreja continua a crescer rapidamente na medida em que o governo
comunista intensifica a perseguição contra os cristãos. A perseguição é o combustível que alimenta
as chamas do avivamento. “Antes de eu ser preso, a minha igreja tinha só 200 membros. A primeira
vez que sai da cadeia, descobri que a igreja tinha crescido para 900 membros! Antes do confisco,
éramos 900. Depois do confisco, a igreja cresceu para 2 mil membros!” o velho pastor abriu um
largo sorriso, piscou o olho, olhou nos olhos do nosso representante e exclamou: “perseguição bom
para igreja!”

NÃO NEGUE O NOME DE JESUS POR NADA - (Uma História real)


Observação: O pregador vai ficar no meio da igreja e entra o oficial com seus soldados pela lateral.
Narrador: Um certo servo do Senhor, foi procurado pelas autoridades de Cuba, para que eles
parasse de pregar o evangelho. E então…
Oficial: Eu, como oficial de cuba não quero esta religião aqui. Ordeno que pare de pregar este
evangelho, ou então morrerá!
Missionário: Ó Deus, bem sei que está escrito na tua palavra, que por amor de ti Senhor, somos
entregues a morte todos os dias, fomos considerados como ovelhas para o matadouro. Mas Senhor,
em todas estas coisas somos mais que vencedores, por Aquele que nos amou.
Observação: O missionário levanta da oração e começa a louvar a Deus.
Missionário: Cantando: Estou seguindo a Jesus Cristo, deste caminho eu não desisto, estou
seguindo a Jesus Cristo, atrás não volto, não volto mais. Se me deixarem os pais e amigos, se me
cercarem muitos perigos, se deixarem os pais e amigos, atrás não volto, não volto mais.
Observação: O missionário junto com a família sai pela lateral da igreja.
Narrador: O missionário continua pregando o evangelho de Jesus Cristo, nas ruas de Cuba e na
Igreja. Assim é o servo fiel, não teme coisa alguma, mas tudo faz para cumprir a vontade de Deus. É
quando é abordado pelos soldados cubanos, que o martirizam com grande ira e os levam a força à
presença das autoridades cubanas.
Oficial: Eu já não disse que não aceito este tipo de religião em meu país. Se você não parara vai
morrer agora.
Missionário: Ainda que custe a minha vida, não vou parar de pregar o evangelho de Jesus Cristo,
por que só através dEle encontraremos a salvação; mas em nada tenho minha vida por preciosa.
Observação: O oficial ouvindo isto fica irado e fala:
Oficial: Se sua vida não lhe é preciosa, eu sei de umas que lhe irá fazer negar a este Jesus que
você tanto prega.
Observação: O oficial faz sinal para os soldados entrarem com a esposa.
Oficial: Soldados!
Oficial: Agora negue a Jesus ou então, mato sua esposa, aquela que você escolheu para viver para
sempre.
Observação: O missionário fica espantado e calado, enquanto o oficial insiste.
Oficial: Vamos! Negue, estou esperando.
Esposa: Não, não negue a Jesus por nada, mesmo que eu morra.
Observação: O missionário cai de joelho chorando e louvando ao Senhor.
Missionário: Canta: Estou seguindo a Jesus Cristo...
Observação: E o oficial manda que mate a esposa.
Oficial: Matem-na!
Observação: Os soldados retiram a esposa da presença do missionário e matam-na (levar a esposa
para a lateral da igreja). Em seguida entraram com seu filho.
Oficial: Já que a vida de sua esposa não valia nada, o que me diz de seu filho? Nega ou não nega?
Vai preferir que ele morra também?
Observação: E quando o missionário ouviu aquilo, começou a chorar e a clamar.
Missionário: Senhor, não deixem que eles matem o meu filho, não deixe que eu negue o teu nome.
Oh Senhor está sendo muito difícil para mim. Eles vão também matar o meu filho, não agüento mais,
mim ajude.
Observação: O filho vendo que o pai fazia gestos para negar a Jesus soltou-se das mãos dos
soldados e disse:
Filho: Papai, não negue o nome de Jesus, mesmo que eu morra agora, nós um dia nos
encontraremos no céu. Não negue o nome de Jesus por nada.
Observação: O oficial irado, manda matar o menino.
Oficial: Matem-no!
Observação: O soldado retira o menino da presença do pai. (Leva-o para a lateral da igreja) e o
missionário cai de joelho chorando. Oficial olhando para missionário espera que o mesmo negue a
Jesus.
Oficial: Tem algo a dizer?
Missionários: Canta: Estou seguindo a Jesus Cristo...
Observação: O oficial irado manda que os soldados matem o missionário.
Oficial: Mate-o!
Narrador: Pensavam os governantes daquele país, que com a morte daquela família de missionário,
o evangelho deixaria de ser pregado naquele lugar, porem a semente foi semeada por aquele
missionário, brotou e deu origem a outros missionários, continuando assim, a obra do Senhor. E o
que devemos fazer para ajudar os nossos missionários é orar e ofertar.
Orem pelos missionários.

Apostila de Missões - 2016

Fonte:

Caitano, Maheli. A Escravazinha Missionária. CPAD.

Diversos. [Consulta: 18 Ago./16] Disponível em: http://flaviagregio.webnode.com.br/missoes-como


falar as criancas,

Escola Bíblica de Férias. Uma Missão Especial. UFMBB

História Assembleia de Deus. [Consulta: 18 Ago./16] Disponível em: http://pequeninos-de-


jesus.blogspot.com.br/2011/05/historia-da-assembleia-de-deus-no.html

Torre Missionária. [Consulta: 19 Ago./16] Disponível em:


http://evangelizenossascriancas.blogspot.com.br/2013/09/torre-missionaria.html