Você está na página 1de 12

BRASIL AIC

DIRETORIA DE ELETRÔNICA E PROTEÇÃO AO VÔO N


DIVISÃO DE INFORMAÇÕES AERONÁUTICAS 09/01
AV. GENERAL JUSTO, 370 – 2º ANDAR
20021-130-RIO DE JANEIRO – RJ 09 AGO 2001
TEL: (21)585-3202 R.363 AFTN: SBRJYNYI FAX: (21)585-3202 R.362 TELEX: 2137113 COMAER BR

RESISTÊNCIA DE PAVIMENTOS DOS AERÓDROMOS

1 DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

1.1 FINALIDADE
Esta Circular de Informação Aeronáutica (AIC) tem por
finalidade divulgar o Método ACN – PCN adotado pelo Anexo 14 –
Aeródromos, da Organização de Aviação Civil Internacional (OACI).

1.2 ÂMBITO
Esta AIC se aplica a todos aqueles que, no desempenho de suas
funções, necessitam conhecer a resistência dos pavimentos dos
aeródromos destinados as aeronaves pesadas.

2 INTRODUÇÃO

2.1 CONCEITUAÇÃO DO MÉTODO


O Anexo 14 especifica que a resistência de um pavimento
destinado as aeronaves de massa superior a 5.700 Kg, seja notificada
mediante o método do número de classificação de aeronaves – número
de classificação de pavimentos (ACN-PCN).
ACN - É um número que exprime o efeito relativo de uma aeronave
sobre um pavimento, para determinada resistência normalizada do
terreno de fundação.
PCN - É um número que indica a resistência de um pavimento para
operações sem restrições.

NOTA: Para as aeronaves com massa de até 5.700 Kg essa


resistência será notificada mediante informação do peso
máximo admissível da aeronave e da pressão máxima
admissível dos pneus.

O objetivo do método ACN-PCN é a difusão de dados sobre


resistência dos pavimentos nas publicações aeronáuticas; como
parâmetro para os usuários avaliarem se é possível ou não a
utilização de uma determinada pista por um determinado tipo de
aeronave.
09 AGO 2001 AIC N09/01

3 DEFINIÇÕES
3.1 CALIFÓRNIA BEARING RATIO (CBR) - ÍNDICE DE RESISTÊNCIA OU
PENETRAÇÃO DE TERRENO)
Relação de resistência do solo determinada mediante comparação
da carga de penetração do solo com material padronizado.

3.2 K (módulo de reação do terreno de fundação de Westergaard, em MN/m3)


Valores determinados numa placa de 75 cm de diâmetro.

3.3 PAVIMENTO
Estrutura aplicada à superfície de ruas, rodovias, aeroportos
etc., constituída de uma ou várias camadas de material capaz de
resistir às tensões pelo rodar dos veículos e melhorar as condições
de rolamento destes.

3.4 PAVIMENTO COMPOSTO


Pavimento que é composto de camadas flexíveis e camadas
rígidas, com ou sem camadas granulares de separação.

3.5 PAVIMENTO FLEXÍVEL


Pavimento não rígido, constituído de material pétreo ou de solo
estabilizado ou selecionado, e cujo revestimento é, em geral, de
asfalto.

3.6 PAVIMENTO RÍGIDO


Pavimento pouco deformável, em geral constituído de placas de
concreto.

3.7 Resistência
Capacidade do pavimento resistir sem deformações às cargas
aplicadas.

3.8 Revestimento (camada de rolagem)


A camada superior de uma estrutura de pavimento.

3.9 Terreno de fundação (formação de fundação)


Parte superior do solo, natural ou construído, que suporta as
cargas transmitidas pelo pavimento.

4 MODO DE DETERMINAR O ACN - PCN


O Método ACN-PCN prevê a notificação das seguintes informações
sobre o pavimento:

a) número de classificação do pavimento (PCN);


b) tipo de pavimento;
c) resistência do subleito;
d) pressão máxima admissível dos pneus; e
e) método de avaliação.

NOTA: Poderão ser autorizadas operações de aeronaves com ACN


superior notificado para o pavimento desde que obedecidos os
critérios estabelecidos no Capítulo 5 – Operações com
Sobrecarga.

2
09 AGO 2001 AIC N09/01

4.1 O número de classificação do pavimento (PCN) notificado indica


que as aeronaves com ACN igual ou inferior ao PCN notificado, podem
operar sem restrições sobre o pavimento, obedecidas as limitações
relativas à pressão dos pneus.

NOTA: Poderão ser notificados diferentes PCN, se a resistência de um


pavimento estiver sujeita a variações climáticas de
importância.

4.2 A informação do tipo de pavimento, da resistência do terreno de


fundação, da pressão máxima admissível dos pneus e do método de
avaliação do PCN de um pavimento será notificada, utilizando-se os
seguintes códigos:

a) Tipos de Pavimento: Código

- Pavimento Rígido (concreto cimento).....................R

- Pavimento Flexível (asfalto)............................F

NOTA:Se a construção é composta e não se ajusta às normas,


inclui-se uma nota a respeito (ver exemplo 2).

b) Categorias de Resistência do Subleito Código

- Resistência Alta........................................A
Para os pavimentos rígidos, o valor tipo é K= 150 MN/m3
e compreende todos os valores de K superiores a 120
MN/ m3; para os pavimentos flexíveis, o valor tipo é
CBR=15 e compreende todos os valores superiores a 13.

- Resistência Média........................................B
Para os pavimentos rígidos, o valor tipo é K= 80 MN/m3
e compreende todos os valores K entre 60 e 120 MN/m3;
para os pavimentos flexíveis, o valor tipo é CBR=10 e
compreende todos os valores CBR entre 8 e 13.

- Resistência Baixa........................................C
Para os pavimentos rígidos, o valor tipo é K= 40
MN/m3 e compreende todos os valores K entre 25 e
60 MN/m3; para os pavimentos flexíveis, o valor
tipo é CBR=6 e compreende de todos os valores CBR
entre 4 e 8.

3
09 AGO 2001 AIC N09/01

- Resistência Ultra-baixa..................................D
Para os pavimentos rígidos, o valor tipo é K= 20
MN/m3 e compreende todos os valores K inferiores a
25 MN/m3; para os pavimentos flexíveis, o valor
tipo é CBR=3 e compreende todos os valores CBR
inferiores a 4.

c) Categorias de Pressão Máxima Admissível dos Pneus: Código


- Alta: sem limite de pressão.. ...........................W

- Média: pressão máxima 1,50 MPa (217 psi).................X

- Baixa: pressão máxima 1,00 Mpa (145 psi).................Y

- Muito baixa: pressão máxima 0,50 Mpa (72 psi)............Z

NOTA: 1Mpa = 145 psi(lb/pol2)

d) Métodos de Avaliação: Código

- Técnica: ................................................T
consiste no estudo específico das características do
pavimento e na aplicação da tecnologia do
comportamento dos pavimentos.

- Prática: ................................................U
consiste na utilização do conhecimento do tipo e peso
de aeronaves que, em condições normais de emprego, o
pavimento resiste satisfatoriamente.

4.3 INTERPRETAÇÃO DE NOTIFICAÇÃO


Nos exemplos seguintes mostra-se como interpretar as
notificações de resistência de pavimento, publicadas segundo o
Método ACN – PCN.
a) exemplo 1:

Notificação publicada – PCN 80/R/B/W/T

Interpretação:

- resistência do pavimento.............................PCN 80

- tipo de pavimento....................................Rígido

- resistência do terreno de fundação....................Média

- pressão máxima dos pneus..............Sem limite de pressão

- método de avaliação.................................Técnica

4
09 AGO 2001 AIC N09/01

b) exemplo 2:

Notificação publicada – PCN 50/F/A/Y/U


NOTA: Construção Composta

Interpretação:

- resistência do pavimento.............................PCN 50

- tipo de pavimento...Composto com comportamento de pavimento flexível

- resistência da fundação do terreno.....................Alta

- pressão máxima dos pneus...........................1,00 MPa

- método de avaliação.................................Prática

5 OPERAÇÃO COM SOBRECARGA

Para as operações cujo valor de sobrecarga e/ou freqüência de


utilização não justifiquem uma análise detalhada, são os seguintes
os critérios recomendados pelo Anexo 14:

a) para pavimentos flexíveis (asfalto), os movimentos ocasionais


de aeronave, cujo ACN não exceda 10% do PCN notificado, não
são prejudiciais ao pavimento, desde que não ultrapassem a,
aproximadamente, 5% do número de movimentos anuais de
aeronaves;
b) Para pavimentos rígidos (concreto cimento) ou compostos nos
quais o pavimento rígido constitui o elemento primordial da
estrutura do pavimento, os movimentos ocasionais de aeronave
cujo ACN não excede de 5% o PCN notificado, não são
prejudiciais ao pavimento, desde que não ultrapassem a,
aproximadamente, 5% do número de movimentos anuais de
aeronaves; e
c) se a estrutura do pavimento é desconhecida a limitação a ser
aplicada é a correspondente aos pavimentos rígidos.
d)

6 CÁLCULO DO ACN DAS AERONAVES:

a) o ACN das aeronaves deverá ser determinado segundo o método


ACN – PCN, utilizando-se a tabela de ACN de aeronaves em
anexo.

NOTA 1: Esta tabela, apresenta uma listagem do ACN de vários


tipos de aeronaves atuais para pavimentos rígidos e
flexíveis, nas quatro categorias de resistência do
terreno de fundação.
NOTA 2: As duas cargas totais que figuram na coluna 2 da tabela
de ACN, para cada tipo de aeronave, são,
respectivamente, o peso máximo de decolagem e o peso
operacional vazio.
5
09 AGO 2001 AIC N09/01

NOTA 3: Para calcular o ACN correspondente a um valor de carga


intermediário, considera-se o ACN como variando
linearmente, entre o peso de operação vazio e o peso
máximo de decolagem, fazendo-se uma interpolação.

NOTA 4: A Pressão dos pneus informada na Tabela do documento da


OACI, não contempla a unidade de medida em psi, sendo a
informação acrescida na tabela, visando facilitar o
usuário.

b) Exemplos de cálculo de ACN

- Exemplo 1
Uma AIP contém as seguintes informações relativas ao
pavimento de uma pista PCN 80/R/B/W/T.
Determinar se o pavimento pode aceitar as seguintes
aeronaves, com as cargas operacionais e pressões de pneus
indicados a seguir:

PESO PRESSÃO
- Airbus A300 Mod.B2.....142.000 Kg 1,23 MPa
- B 747–100B.............334.749 Kg 1,56 MPa
- Concorde...............185.066 Kg 1,26 MPa
- DC 10–40...............253.105 Kg 1,17 MPa

Solução:
Os ACN dessas aeronaves, de acordo com a coluna 6 da Tabela
de ACN, são respectivamente, 45, 50, 71 e 53; Como o
pavimento em questão tem um PCN 80 e não tem limitação de
pressão de pneus, pode suportar todas essas aeronaves.

6
09 AGO 2001 AIC N09/01

- Exemplo 2:
Achar o ACN do DC 10–10 com 157.400 Kg sobre um pavimento
flexível apoiado em fundação do terreno de resistência média
(CBR=10). A pressão dos pneus do trem de pouso principal é
de 185 psi.

Solução:
185 psi = 1,28 Mpa.
O ACN da aeronave é obtido por interpolação dos valores da
coluna 10 da Tabela de ACN.

CARGA ACN PARA TERRENOS DE ACN PARA TERRENOS DE


CARGA
TOTAL SOBRE UMA FUNDAÇÃO DE FUNDAÇÃO DE
MÁXIMA PRESSÃO
DAS RODAS PAVIMENTOS RÍGIDO PAVIMENTOS FLEXÍVEIS
TIPO DE DECOLAGEM DOS
DO TREM DE K em MN/m3 CBR
AERONAVE ATERRISSAGEM PNEUS
OPERAÇÃO Alta Média Baixa Ultra Alta Média Baixa Ultra
PRINCIPAL MPa/psi
VAZIO
(%) Baixa Baixa
KG 150 80 40 20 15 10 6 3
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12
196406 45 52 63 73 52 57 68 93
DC-10-10 47,2 1,28/185
108940 23 25 28 33 26 27 30 38

ACN = ACN MÁXIMO – (CARGA TOTAL – CARGA PRETENDIDA) x (ACN MÁXIMO – ACN MÍNIMO)
(CARGA TOTAL – OPERAÇÃO VAZIA)

ACN: 57 – (196.406 – 157.400) x (57–27)


(196.406 – 108.940)

ACN: 57 – 39.006 x 30
87.466
ACN: 57 – 13

ACN: 44

- Exemplo 3
Encontrar o ACN do B 727 – 200 Normal com 78.500 Kg sobre um
pavimento rígido apoiado em fundação de resistência média
(K=80 MN/m3). A pressão dos pneus das rodas principais é de
1,15 Mpa.

Solução:
O ACN da aeronave, de acordo com da Tabela de ACN em anexo é
48.

7 DISPOSIÇÕES FINAIS

7.1 Esta AIC foi aprovada pelo Boletim Interno da DEPV n.º 115,de
20 de junho de 2001 e cancela a AIC N05/83, de 09 de junho de 1983.

7
09 AGO 2001 AIC N09/01
ANEXO
TABELA DE ACN

CARGA ACN PARA TERRENOS


ACN PARA TERRENOS DE
TOTAL CARGA SOBRE DE FUNDAÇÃO DE
MÁXIMA PRESSÃO FUNDAÇÃO DE PAVIMENTOS
UMA DAS RODAS PAVIMENTOS
TIPO DE DECOLAGEM DOS RÍGIDOS – K em MN/m3
DO TREM DE FLEXÍVEIS –CBR
AERONAVE ATERRISSAGEM PNEUS
OPERAÇÃO PRINCIPAL (%) Mpa/psi Alta Média Baixa Ultra Alta Média Baixa Ultra
VAZIO KG Baixa Baixa
150 80 40 20 15 10 6 3
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12
A300 B2 137000 35 42 50 58 39 43 53 68
47,0 1,20/174
Airbus 85910 18 21 25 29 20 22 24 34
A300 B2 142000 35 45 53 61 40 45 55 71
47,0 1,29/187
Airbus 85910 19 22 26 30 21 22 25 34
A300 B4 150000 41 49 57 65 43 49 59 76
47,0 1,39/201
Airbus 88180 20 22 26 31 21 22 25 35
A300 B4 157000 45 53 62 70 46 52 63 80
47,0 1,48/215
Airbus 88330 20 22 26 31 21 22 25 36
A300 B4 165000 46 55 64 73 49 56 68 84
47,0 1,29/187
Airbus 88505 17 20 25 29 20 21 25 36
A300-600 165000 46 55 64 73 49 56 68 84
47,0 1,29/187
Airbus 87100 17 19 24 28 19 21 24 35
A300-600R 170000 49 58 68 78 52 58 71 89
47,4 1,35/196
Airbus 85033 17 19 23 28 19 20 23 34
A300-600R 171700 50 59 69 79 52 59 72 90
Airbus 47,4 1,35/196
85033 17 19 23 28 19 20 23 34
A310-200 132000 33 39 46 54 36 40 48 64
46,7 1,23/178
Airbus 76616 15 18 21 24 18 19 20 27
A310-200 138600 35 42 51 58 39 43 52 68
46,7 1,30/189
Airbus 76747 16 18 21 25 18 19 20 28
A310-200 142000 37 44 52 60 40 44 54 70
46,7 1,33/193
Airbus 75961 15 17 20 23 17 18 20 27
A310-300 150000 42 49 58 66 44 49 59 76
47,0 1,42/207
Airbus 77037 13 14 17 20 15 15 16 24
A310-300 157000 45 54 63 71 47 53 64 81
47,4 1,49/216
Airbus 78900 14 15 18 22 15 15 16 25
A320-100
66000 37 40 42 44 33 34 38 44
Airbus 47,1 1,28/185
Gemelas 37203 19 20 21 23 18 18 19 22
A320-100
68000 39 41 43 45 35 36 40 46
Airbus 47,1 1,34/194
Gemelas 39700 20 22 23 24 19 19 20 23
A320-100
68000 18 21 24 28 18 19 23 32
Airbus 47,1 1,12/162
Bogie 40243 9 10 12 14 9 10 11 14
A320-200
73500 44 46 48 50 38 40 44 50
Airbus 47,0 1,45/210
Gemelas 39748 20 22 23 25 19 19 20 24
A320-100
73500 18 22 26 30 19 21 26 35
Airbus 47,0 1,21/175
Bogie 40291 9 10 11 13 9 10 11 14
BAC 1-11 39690 25 26 28 29 22 24 27 29
47,5 0,93/135
Série 400 22498 13 13 14 15 11 12 13 15
BAC 1-11 44679 22 25 27 28 19 24 28 31
47,5 0,57/82,0
Série 475 23451 10 11 12 13 9 10 12 15
BAC 1-11 47400 32 34 35 36 29 30 33 35
47,5 1,08/156
Série 500 24757 15 16 16 17 13 13 15 17
BAe 146 37308 18 20 22 23 17 18 20 24
Série 100
46,0 0,80/116
23000 10 11 12 13 10 10 11 13
BAe 146 37308 16 18 19 21 13 16 19 23
Série 100
46,0 0,52/75,0
23000 9 10 11 12 8 9 11 13
BAe 146 40600 22 23 25 26 19 21 23 27
Séries 200
47,1 0,88/127
23000 11 12 13 14 10 10 11 13
BAe 146 40600 19 21 23 24 16 20 22 27
Séries 200
47,1 0,61/88,0
23000 10 11 12 12 8 10 11 13
117027 28 33 39 46 31 34 41 54
B707-120B 46,7 1,17/169
57833 12 12 15 17 13 14 15 20
09 AGO 2001 ANEXO 1A AIC N09/01
CONTINUAÇÃO DA TABELA DE ACN

CARGA ACN PARA TERRENOS


ACN PARA TERRENOS DE
TOTAL CARGA SOBRE DE FUNDAÇÃO DE
MÁXIMA PRESSÃO FUNDAÇÃO DE PAVIMENTOS
UMA DAS RODAS PAVIMENTOS
TIPO DE DECOLAGEM DOS RÍGIDOS – K em MN/m3
DO TREM DE FLEXÍVEIS –CBR
AERONAVE ATERRISSAGEM PNEUS
OPERAÇÃO PRINCIPAL (%) Mpa/psi Alta Média Baixa Ultra Alta Média Baixa Ultra
VAZIO KG Baixa Baixa
150 80 40 20 15 10 6 3
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12
148778 38 46 54 62 42 47 57 72
B707-320B 46,0 1,24/179
64764 13 14 17 20 15 15 17 22
B707-320C 152407 40 48 57 66 44 49 60 76
(Carga)
46,7 1,24/179
61463 13 14 16 19 14 15 17 21
B707-320C 152407 40 48 57 66 44 49 60 76
(Convertíble)
46,7 1,24/179
67269 14 15 18 21 16 17 19 24
143335 36 43 52 59 40 44 54 69
B707-320/420 46,0 1,24/179
64682 13 14 17 20 15 15 17 22
104326 25 30 37 42 29 31 39 51
B720 47,4 1,00/145
50258 10 11 13 16 11 12 14 18
106594 25 30 37 42 29 31 39 51
B720 B 46,4 1,00/145
52163 10 11 13 16 11 12 14 18
77110 46 48 51 53 41 43 49 54
B727-100 47,6 1,14/165
41322 22 23 25 26 20 20 22 26
73028 43 45 48 50 39 40 46 51
B727-100C 47,8 1,09/158
41322 22 23 25 26 20 21 22 26
B727-200 78471 48 50 53 56 43 45 51 56
(Estándar)
48,5 1,15/166
44293 24 26 27 29 22 23 25 29
B727-200 84005 49 52 55 58 45 48 55 60
(Avanzado)
48,0 1,02/147
44270 23 24 26 28 21 22 24 29
B727-200 86636 51 54 58 60 47 50 56 61
(Avanzado)
47,7 1,06/153
44347 23 25 26 28 22 22 24 28
B727-200 89675 54 57 60 62 49 51 58 63
(Avanzado)
46,9 1,15/166
44470 23 25 27 28 21 22 24 28
B727-200 95254 58 61 64 67 52 55 62 66
(Avanzado)
46,5 1,19/172
45677 24 25 27 29 22 22 25 29
44361 23 24 26 27 20 22 24 28
B737-100 46,2 0,95/137
26581 12 13 14 15 12 12 13 15
45722 24 25 27 29 22 23 26 30
B737-200 46,4 0,97/140
27170 13 14 15 16 12 12 14 16
52616 29 31 32 34 26 27 30 34
B737-200 45,5 1,14/165
27125 13 14 15 16 12 12 13 15
52616 24 26 28 30 21 25 29 34
B737-200 45,5 0,66/95,0
27125 11 12 13 14 10 11 13 15
B737-200/200C 53297 30 32 34 35 27 28 31 36
(Avanzado)
46,4 1,16/168
29257 15 16 17 18 14 14 15 17
B737-200/200C 56699 33 34 36 38 29 30 34 38
(Avanzado)
46,3 1,23/178
28985 15 16 17 18 14 14 15 17
B737-200 58332 34 36 38 39 30 31 35 39
46,0 1,25/181
(Avanzado) 29620 15 16 17 18 14 14 15 17
B737-300 61462 37 39 41 42 32 33 37 41
45,9 1,34/194
32904 18 18 20 21 16 16 17 20
61462 35 37 39 41 31 33 37 41
B737-300 45,9 1,14/165
32904 17 18 19 20 15 16 17 20
66864 41 43 45 47 35 37 41 45
B737-400 46,9 1,44/208
33643 19 20 21 22 16 17 18 21
60781 37 38 40 42 32 33 37 41
B737-500 * 46,1 1,34/194
31312 17 17 19 19 15 15 16 19
323410 41 48 57 65 44 48 58 77
B747-100 23,4 1,50/217
162385 17 19 22 25 19 20 22 28
334749 43 50 59 68 46 50 60 80
B747-100B 23,1 1,56/226
173036 18 20 24 28 20 21 24 30
341553 41 49 58 68 46 51 62 82
B747-100B 23,1 1,32/191
171870 17 19 22 26 20 21 23 30
B747-100B 260362 27 32 40 47 33 36 43 59
SR
24,1 1,04/150
164543 16 17 21 25 19 20 23 30
* DADOS PRELIMINARES
09 AGO 2001 ANEXO 1B AIC N09/01
CONTINUAÇÃO DA TABELA DE ACN

CARGA ACN PARA TERRENOS


ACN PARA TERRENOS DE
TOTAL CARGA SOBRE DE FUNDAÇÃO DE
MÁXIMA PRESSÃO FUNDAÇÃO DE PAVIMENTOS
UMA DAS RODAS PAVIMENTOS
TIPO DE DECOLAGEM DOS RÍGIDOS – K em MN/m3
DO TREM DE FLEXÍVEIS –CBR
AERONAVE ATERRISSAGEM PNEUS
OPERAÇÃO PRINCIPAL (%) Mpa/psi Alta Média Baixa Ultra Alta Média Baixa Ultra
VAZIO KG Baixa Baixa
150 80 40 20 15 10 6 3
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12
302093 35 42 51 59 40 44 52 71
B747SP 22,9 1,30/188
147716 14 16 19 22 17 17 19 25
318881 37 44 52 60 41 45 54 72
B747SP 21,9 1,40/203
147996 14 15 18 21 16 17 18 23
352893 45 53 64 73 50 55 67 88
B747-200B 23,6 1,37/198
172886 18 20 24 28 21 22 24 31
373305 46 55 66 76 52 57 70 92
B747-200C 23,1 1,30/189
166749 16 18 21 25 19 20 22 29
379201 47 57 68 78 53 59 73 94
B747-200F/300 23,2 1,39/201
156642 16 17 20 24 18 19 21 26
395987 53 63 75 85 57 64 79 101
B747-400 23,4 1,41/204
178459 19 21 25 29 21 22 25 32
109316 27 32 38 44 29 32 39 52
B757-200 45,2 1,17/169
60260 12 14 17 19 14 14 17 22
143789 33 38 46 54 37 40 47 65
B767-200 46,2 1,31/189
78976 15 17 20 24 18 19 21 26
159755 37 44 54 63 43 47 57 77
B767-200-ER 46,9 1,21/175
80853 16 18 21 25 19 19 22 28
159665 38 45 54 63 43 48 58 78
B767-300 47,5 1,21/175
86070 17 19 23 27 20 21 24 32
172819 43 51 61 71 48 53 65 86
B767-300-ER 46,9 1,31/189
87926 18 20 24 28 21 22 24 32
185520 47 56 66 76 51 57 70 92
B767-300-ER 46,0 1,38/200
88470 18 20 24 28 21 22 24 31
Caravelle 52000 15 17 20 22 15 17 19 23
46,1 0,75/108
Series 10 29034 7 8 9 10 7 7 9 11
Caravelle 55960 16 19 22 25 17 19 21 26
46,0 0,88/127
Series 12 31800 8 9 10 12 8 9 10 12
185066 61 71 82 91 65 72 81 98
Concorde 48,0 1,26/182
78698 21 22 25 29 21 22 26 32
Canadair 95708 25 30 35 40 27 30 36 47
47,5 1,12/162
CL 44 40370 9 10 11 13 9 10 11 14
Convair 87770 26 31 36 41 27 31 36 44
46,6 1,03/149
880M 40195 9 10 12 14 10 10 12 15
Convair 115666 41 48 54 60 40 45 53 64
48,5 1,28/185
990 54685 15 17 19 22 15 16 19 24
11430 6 7 7 7 4 6 8 9
DC-3 46,8 0,31/44,0
7767 4 5 5 5 3 4 5 6
33113 13 15 17 18 11 14 16 20
DC-4 46,8 0,53/76,0
22075 8 9 10 11 7 9 10 12
144242 41 49 57 65 43 49 59 74
DC-8-43 46,5 1,22/176
61919 15 16 18 21 15 16 18 23
148778 45 53 62 69 46 53 63 78
DC-8-55 47,0 1,30/188
62716 15 16 19 22 15 16 18 24
148778 46 54 63 71 48 54 64 80
DC-8-61/71 48,0 1,30/188
68992 17 19 22 25 18 19 21 28
160121 47 56 65 73 49 56 67 83
DC-8-62/72 46,5 1,29/187
65025 15 16 19 22 16 16 18 24
162386 50 60 69 78 52 59 71 87
DC-8-63/73 47,6 1,34/194
72002 17 19 23 26 18 19 22 29
41504 23 25 26 28 21 22 26 28
DC-9-15 46,2 0,90/130
22300 11 12 13 14 10 11 12 14
45813 27 29 30 32 24 26 29 32
DC-9-21 47,2 0,98/142
23879 12 13 14 15 11 12 13 15
49442 29 31 33 34 26 28 31 34
DC-9-32 46,2 1,07/155
25789 14 15 15 16 12 13 14 16
09 AGO 2001 ANEXO 1C AIC N09/01
CONTINUAÇÃO DA TABELA DE ACN

CARGA ACN PARA TERRENOS


ACN PARA TERRENOS DE
TOTAL CARGA SOBRE DE FUNDAÇÃO DE
MÁXIMA PRESSÃO FUNDAÇÃO DE PAVIMENTOS
UMA DAS RODAS PAVIMENTOS
TIPO DE DECOLAGEM DOS RÍGIDOS – K em MN/m3
DO TREM DE FLEXÍVEIS –CBR
AERONAVE ATERRISSAGEM PNEUS
OPERAÇÃO PRINCIPAL (%) Mpa/psi Alta Média Baixa Ultra Alta Média Baixa Ultra
VAZIO KG Baixa Baixa
150 80 40 20 15 10 6 3
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12
52163 32 34 35 37 28 30 33 37
DC-9-41 46,7 1,10/159
27821 15 16 17 18 13 14 15 18
55338 35 37 39 40 31 32 36 39
DC-9-51 47,0 1,17/169
29336 17 17 18 19 15 15 16 19
63957 41 43 45 46 36 38 43 46
MD-81 47,8 1,17/169
35571 20 21 23 24 18 19 21 24
68266 45 47 49 50 39 42 46 50
MD-82/88 47,6 1,27/184
35629 21 22 24 25 18 19 20 24
73023 49 51 53 55 42 46 50 54
MD-83 47,4 1,34/194
36230 21 22 24 25 18 19 21 24
68266 45 47 49 50 39 42 46 50
MD-87 47,4 1,27/184
33965 19 21 22 23 17 18 19 22
196406 45 52 63 73 52 57 68 93
DC-10-10 47,2 1,28/185
108940 23 25 28 33 26 27 30 38
200942 46 54 64 75 54 58 69 96
DC-10-10 46,9 1,31/189
105279 22 24 27 31 24 25 28 36
207746 48 56 67 74 55 61 72 100
DC-10-15 46,7 1,34/194
105279 22 24 27 31 24 25 28 36
253105 44 53 64 75 53 59 70 97
DC-10-30/40 37,7 1,17/169
120742 20 21 24 28 22 23 25 32
260816 46 55 67 78 56 61 74 101
DC-10-30/40 37,6 1,21/175
124058 20 21 25 29 23 23 26 33
268981 49 59 71 83 59 64 78 106
DC-10-30/40 37,9 1,24/179
124058 20 21 25 29 23 23 26 33
274650 56 66 79 92 64 70 85 114
MD-11 39,2 1,41/204
127000 23 25 28 32 25 26 29 37
DCH 7 19867 11 12 13 13 10 11 12 14
46,8 0,74/107
DASH 7 11793 6 6 7 7 5 6 6 8
FOKKER 27 19777 10 11 12 12 8 10 12 13
47,5 0,54/78,0
MK500 11879 5 6 6 7 4 5 6 7
FOKKER 50 20820 0,59(85,0)/ 10 11 12 13 8 10 12 14
47,8
HTP 12649 0,55(79,0) 6 6 7 7 5 5 6 8
FOKKER 50 20820 9 10 11 12 6 9 11 14
47,8 0,41/59,0
LTP 12649 5 5 6 7 4 5 6 8
FOKKER 28 29484 14 15 17 18 11 14 16 19
46,3 0,58/84,0
Mk1000LTP 15650 6 7 8 9 5 6 7 9
FOKKER 28 29484 15 16 18 18 13 15 17 20
46,3 0,69/100
Mk1000LTP 16550 8 8 9 10 6 7 8 10
44680 28 29 31 32 25 27 30 32
FOKKER 100 47,8 0,98/142
24375 13 14 15 16 12 13 14 16
HS125-400A 10600 6 6 7 7 5 5 6 7
400B 45,5 0,77/111
5683 3 3 6 3 2 3 3 3
HS125-600A 11340 7 7 7 8 5 6 7 8
600B 45,5 0,83/120
5683 3 3 3 3 2 3 3 3
21092 10 11 11 12 8 9 11 13
HS748 43,6 0,59/85,0
12183 5 5 6 6 4 5 6 7
162600 42 50 60 69 47 54 64 79
IL-62 47,0 1,08/156
66400 14 15 18 20 16 17 18 24
168000 43 52 62 71 50 57 67 83
IL-62M 47,0 1,08/156
71400 16 17 19 22 17 18 20 26
171000 38 38 38 39 37 40 45 53
IL-76T 23,5 0,64/92,0
83800 11 14 16 16 15 16 18 22
209500 25 31 38 46 34 36 43 61
IL-86 31,2 0,88/127
111000 13 14 16 19 16 17 19 23
70670 30 33 36 38 27 31 33 38
L-100-20 48,2 0,72/104
34205 14 15 16 17 12 14 15 16
09 AGO 2001 ANEXO 1D AIC N09/01
CONTINUAÇÃO DA TABELA DE ACN

CARGA ACN PARA TERRENOS


ACN PARA TERRENOS DE
TOTAL CARGA SOBRE DE FUNDAÇÃO DE
MÁXIMA PRESSÃO FUNDAÇÃO DE PAVIMENTOS
UMA DAS RODAS PAVIMENTOS
TIPO DE DECOLAGEM DOS RÍGIDOS – K em MN/m3
DO TREM DE FLEXÍVEIS –CBR
AERONAVE ATERRISSAGEM PNEUS
OPERAÇÃO PRINCIPAL (%) Mpa/psi Alta Média Baixa Ultra Alta Média Baixa Ultra
VAZIO KG Baixa Baixa
150 80 40 20 15 10 6 3
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12
70670 30 33 36 38 27 31 33 39
L-100-30 48,4 0,72/104
34701 14 15 16 17 12 14 15 17
195952 45 52 62 73 52 56 66 91
L-1011-1 47,4 1,33/192
108862 24 25 28 33 25 27 29 38
212281 46 55 66 78 56 61 73 100
L-1011-100/200 46,8 1,21/175
110986 23 24 28 32 25 26 30 38
225889 50 59 72 84 60 65 79 107
L-1011-500 46,2 1,27/184
108924 23 24 27 31 25 26 28 36
61160 32 34 37 39 23 24 27 32
Trident 1E 46,0 1,03/149
33203 15 16 17 18 10 11 12 15
65998 37 39 42 44 26 28 31 36
Trident 2E 47,0 1,07/155
33980 16 17 18 19 11 12 13 16
68266 37 40 42 44 26 28 31 36
Trident 3 45,5 1,14/165
39060 18 19 21 22 13 14 15 18
47600 11 13 16 19 12 13 16 21
TU134A 45,6 0,83/120
29350 7 8 9 10 7 8 9 12
98000 19 25 32 38 20 24 30 38
TU154B 45,1 0,93/134
53500 8 10 13 17 10 11 13 18
151953 38 46 56 65 44 50 61 77
VC10-1150 48,3 1,01/146
71940 16 17 20 23 17 18 21 27