Você está na página 1de 71

REFORMA PROTESTANTE

PLANO DE AULA

1) O Fim da Idade Média

2) O Declínio do Papado

3) A Reforma

4) O movimento Puritano

5) As tradições da Reforma
O fim da
Idade Média
OS ESTADOS DA EUROPA NO FIM DA IDADE MÉDIA
CONSTANTINO XI PALEÓLOGO

CERCO DE CONSTANTINOPLA MAOMÉ II


O FIM DA IDADE MÉDIA

• SITUAÇÃO DA EUROPA

• Decadência do poder feudal

• Fortalecimento do poder nacional: Reis

• Florescimento urbano e econômico: Capitalismo


GRANDES NAVEGAÇÕES
1570
1689
O FIM DA IDADE MÉDIA

• CRISE DE SALVAÇÃO

• ou efeitos da Idade Média na vida do homem

• Ansiedade quanto ao destino e a morte

• Ansiedade da culpa e da condenação

• Ansiedade espiritual do vazio e da falta de sentido


HOMEM
VITRUVIANO
RENASCIMENTO
O FIM DA IDADE MÉDIA

• RENASCIMENTO

• O "novo nascimento" da Antiguidade Clássica

• Filosofia grega, Direito Romano

• Humanismo: o homem enquanto investigador da criação

• Grandes nomes: Michelangelo, Da Vinci, Sanzio, Copérnico


Que o teu trabalho seja perfeito para que, mesmo depois da tua morte, ele permaneça

"Que o teu trabalho


seja perfeito para
que, mesmo depois
da tua morte, ele
permaneça”
ARTE NO RENASCIMENTO

ARTE NA IDADE MÉDIA


O declínio
do papado
O DECLÍNIO DO PAPADO
• O DECLÍNIO DO PAPADO

• Crises que prepararam o caminho para a Reforma

• A crise da autoridade eclesiástica: Papas e Concílios

• Papa Bonifácio VIII: Todo poder espiritual e temporal pertence ao


Papa

• O foco do papado para o poder político, corrupção

• Práticas como nepotismo, adultério, filhos ilegítimos


O DECLÍNIO DO PAPADO

• O DECLÍNIO DO PAPADO

• Grande Cisma do Ocidente

• John Huss e John Wycliffe: Condenava a corrupção do


clero, o ensino sacramental medieval e a infalibilidade
papal;

• Jeronimo Savonarola: Pregava contra 



o papa Alexandre VI;
GRANDE CISMA DO OCIDENTE
JOHN HUSS JOHN WYCLIFFE J. SAVONAROLA
A Reforma
A REFORMA

• ANTECESSORES

• “Ad fontes”: Retorno às fontes; Retorno ao texto grego/


hebraico;

• Teologia Escolástica: Perspectiva aristotélica da teologia;

• Index Proibiturum: Livros proibidos pela igreja;


A REFORMA
• CONTRIBUIÇÕES

• Erasmo de Roterdã: Edição crítica do NT em Grego;

• Guttenberg e a Imprensa (cópia e divulgação)

• Reforma Magisterial: Apoio mútuo entre reformadores,


magistrados, conselheiros;

• Reforma Radical: Rejeição da gerência secular nos


assuntos da igreja;
BASÍLICA DE SÃO PEDRO
A REFORMA

• MARTINHO LUTERO

• 95 teses de Lutero: “Debate para o esclarecimento do


valor das indulgências” (31 de outubro de 1517)
"(62)O verdadeiro tesouro da Igreja é o
santíssimo Evangelho da glória e da
graça de Deus.

(63) Mas este tesouro é certamente o


mais odiado, pois faz com que os
primeiros sejam os últimos."

95 TESES
A REFORMA

• MARTINHO LUTERO

• Conversão: Do direito para ao Magistério

• Pregação sobre Salmos, Romanos, Galátas e Hebreus

• As 97 teses de Lutero: Crítica a forma de pensar


“Minha situação era que, apesar
de ser um monge impecável, eu
me punha diante de Deus como
um pecador perturbado por
minha consciência e não tinha
confiança de que meus méritos
poderiam satisfazê-lo”.

MARTINHO LUTERO
A REFORMA

• MARTINHO LUTERO

• Teologia: “O justo viverá pela fé”

• “[A justificação pela fé] é o artigo pelo qual a igreja se


mantém ou cai!”

• Romanos 1.17
“Noite e dia eu ponderei até que vi a
conexão entre a justiça de Deus e a
afirmação de que o ‘justo viverá pela fé’.
Então eu compreendi que a justiça de
Deus era aquela pela qual, pela graça e
pura misericórdia, Deus nos justifica
através da fé. Em razão desta descoberta,
senti que renascera e entrara pelas portas
abertas do paraíso. Toda a Escritura
passou a ter um novo significado [...] esta
passagem de Paulo tornou-se para mim, o
portão para o céu.”

MARTINHO LUTERO
Teologia da Glória (Escolásticos) vs teologia da Cruz (Lutero)

Afirma o que é bom ser mau e o que é mau ser bom vs A realidade do que elas são

A chave para "reformar a igreja": Os erros na prática são frutos de um entendimento errado. 

QUARTO DE LUTERO NO
CASTELO DE WARTBURG,
ONDE ELE TRADUZIU A
BÍBLIA PARA O ALEMÃO
A REFORMA

• MARTINHO LUTERO

• Dieta de Worms (1521)

• “Lutero, você renega o que escreveu?"


DIETA DE WORMS
“Já que me pede uma resposta simples,
darei uma que não deixa margem para
dúvidas: A menos que eu seja convencido
pelas Escrituras e pela razão pura e já que
não aceito a autoridade do papa e dos
concílios, pois eles se contradizem
mutuamente, minha consciência é cativa
da Palavra de Deus. Eu não posso e não
vou me retratar de nada, pois não é
seguro nem certo ir contra a consciência.
Deus me ajude. Amém.””

MARTINHO LUTERO
LUTHERBIBEL (1534)

BÍBLIA DE
GUTENBERG
A REFORMA

• JOÃO CALVINO

• A segunda geração da Reforma

• Formação: Humanismo, Direito

• “O organizador do
protestantismo"
“Deus amaldiçoe teu descanso
e a tranquilidade que buscas
para estudar, se diante de uma
necessidade tão grande te
retiras e te negas a prestar
socorro e ajuda"
GUILHERME FAREL
PARA JOÃO C A LV I N O
A REFORMA

• JOÃO CALVINO

• “A Instituição da Religião Cristã”

• Escreveu aos 26 anos

• Para o monarca Francisco

• “Genebra é a mais perfeita escola


de Cristo” John Knox
A REFORMA

• JOÃO CALVINO

• Teologia: Soberania de Deus

• Um retorno à Bíblia e da Bíblia para Agostinho e outros


A REFORMA
• JOÃO CALVINO

• Ênfase a autoridade e à primazia das Escrituras

• Método histórico-gramatical de interpretação bíblica

• Estrutura da igreja visível (pregação das Escrituras e


administração correta dos sacramentos)

• Transformação em Genebra

• Vasta contribuição literária


DEPRAVAÇÃO TOTAL

ELEIÇÃO INCONDICIONAL

EXPIAÇÃO LIMITADA

GRAÇA IRRESISTÍVEL

PERSEVERANÇA DOS SANTOS


A REFORMA

• JOÃO CALVINO

• Calvino e a Evangelização no Brasil

• “Confissão de Fé da Guanabara” A primeira confissão de fé


das Américas (1557)
BAÍA DE GUANABARA
A REFORMA
• JOÃO CALVINO

• "O pensamento social e econômico de Calvino” A. Bielér

• Calvino e sua influência no mundo ocidental

• Estado Laico

• Estados modernos

• Desenvolvimento econômico
A REFORMA

• JOÃO CALVINO

• "A ética protestante e o espírito do Capitalismo” Max


Weber

• Existe alguma relação entre o protestantismo calvinista



e o desenvolvimento do Capitalismo?
MAX WEBER
A REFORMA
• REFORMA RADICAL

Anglicanos

Socinianos
Luteranos Reformados Anabatistas Menonitas

Reforma Magisterial Reforma Radical


A REFORMA MENNO SIMONS

• REFORMA RADICAL

• Uma crítica a "cristandade católica"

• Controvérsia quanto ao batismo infantil

• Não existe uma homogeneidade doutrinária

• Foram severamente reprimidos por protestantes e


católicos
A REFORMA THOMAS CRANMER

• REFORMA ANGLICANA

• Confusões amorosas de Henrique VIII

• Liderança de Thomas Cranmer: “Livro de


Oração Comum”

• Reforma litúrgica: Interna

• Ascensão de Maria Tudor e a volta com


Elizabeth I
A REFORMA

• REFORMA ANGLICANA

• Elizabeth I faz a "via media"

• Versão moderada da teologia reformada

• Eclesiologia episcopal luterana

• Liturgia católica
ELIZABETH I ABADIA DE WESTMINSTER
A REFORMA

• REFORMA ANGLICANA

• O anglicanismo é a “mãe" das denominações


O movimento
puritano
O MOVIMENTO PURITANO

• OS PURITANOS

• Uma reação ao anglicanismo

• Movimento de purificação da Igreja da Inglaterra de


vestígios de rituais e costumes católicos
O MOVIMENTO PURITANO
• OS PURITANOS

• Características:

• Ensino e pregação com base nas Escrituras somente

• Devoção pessoal com ênfase na conversão e no viver


experimental

• Adorar ao Deus trino segundo as Escrituras (“princípio


regulador do culto "
WILLIAM PERKINS JOHN OWEN
SÍNODO DE DORT (1619)
O MOVIMENTO PURITANO

• SÍNODO DE DORT

• Tensão política entre a Espanha e as províncias dos Países


Baixos

• Independência da Holanda: Casa de Orange-Nassau

• Igreja Reformada Holandesa: Catecismo de Heidelberg e


Confissão Belga
O MOVIMENTO PURITANO

• SÍNODO DE DORT

• Tensão política-teológica

• Seguidores de Jacob Arminius: Defendiam a intervenção do


Estado na Igreja e eram simpatizantes da Espanha;

• Reformados: Defendiam a liberdade eclesiástica e política;


O MOVIMENTO PURITANO

• SÍNODO DE DORT

• Resposta teológica reformada aos 5 pontos do arminianismo

• 154 reuniões durante 2 anos

• Representantes de 8 países estrangeiros

• Rejeição das ideias arminianas


Arminianismo Calvinismo
Todos os homens embora sejam pecadores, ainda são Todos os homens nascem totalmente depravados,
livres para aceitar ou recusar a salvação que Deus incapazes de se salvar ou de escolher o bem em
oferece (por meio da graça preveniente). questões espirituais.

Deus elegeu os homens que ele previu que teriam fé Deus escolheu dentre todos os seres humanos decaídos
em Cristo. um grande número de pecadores por graça pura, sem
levar em conta qualquer mérito, obra ou fé prevista
neles.
Cristo morreu por todos os homens e não somente pelos Jesus Cristo morreu na cruz para pagar o preço do
eleitos. resgate somente dos eleitos.
Os homens podem resistir à graça de Deus para não A graça de Deus é irresistível para os eleitos, isto é, o
serem salvos. Espírito Santo acaba convencendo e infundindo a fé
salvadora neles.
Homens salvos podem perder a salvação caso não Todos os eleitos vão perseverar na fé até o fim e
perseverem na fé até o fim. chegar ao céu. Nenhum perderá a salvação.
O MOVIMENTO PURITANO
• TRIUNFO E DECLÍNIO DO PURITANISMO

• Assembleia de Westminster: governo, liturgia e pureza;

• Confissão de Fé de Westminster: última das confissões


reformadas;

• Declaração de Savoy: Congregacionais;

• Batistas particulares: 2ª Confissão de Fé Batista de Londres (1689);

• Batistas gerais: Teologia arminiana, batismo de adultos por


aspersão;
JOHN BUNYAN RICHARD BAXTER
O MOVIMENTO PURITANO

• TRIUNFO E DECLÍNIO DO PURITANISMO

• Origem do termo: Denominação

• Guerra Civil na Inglaterra

• Volta da Monarquia e do sistema episcopal

• Movimento não-conformista