Você está na página 1de 204

Inglês Técnico

Prof.ª Denise Voltolini

2014
Copyright © UNIASSELVI 2014

Elaboração:
Prof.ª Denise Voltolini

Revisão, Diagramação e Produção:


Centro Universitário Leonardo da Vinci – UNIASSELVI

Ficha catalográfica elaborada na fonte pela Biblioteca Dante Alighieri


UNIASSELVI – Indaial.

428.24
V938i

Voltolini, Denise
Inglês técnico / Denise Voltolini. Indaial : Uniasselvi, 2014.

194 p. : il

ISBN 978-85-7830-849-0
1. Inglês – Linguística aplicada.
I. Centro Universitário Leonardo da Vinci.

Impresso por:
Apresentação
Caro acadêmico!

A importância da língua inglesa, seja ela no aspecto cultural, social


ou econômico, é um fato conhecido por todos nós. O avanço da tecnologia
proporciona cada vez mais o acesso a diferentes tipos de informações, textos
ou vídeos diariamente. Muitos destes conteúdos são escritos em inglês, e em
muitos momentos não podemos esperar por uma tradução, então, a leitura
na língua inglesa se faz necessária.

O profissional da área de informática está cercado por programas,


manuais e dispositivos eletrônicos que, na maioria dos casos, estão disponíveis
apenas na língua estrangeira. Para baixar programas ou solucionar problemas.
O mercado de trabalho está cada vez mais competitivo e o domínio do idioma
se torna imprescindível para fazer parte deste mundo globalizado.

Por isso é de extrema importância que o profissional da área de


informática tenha conhecimento da língua inglesa. Esse conhecimento não
se faz necessariamente na fala, mas principalmente na leitura de textos
utilizados especificamente nesta área.

Sendo assim, este Caderno de Estudos visa guiar o estudante na


leitura de textos em inglês, proporcionando técnicas de leitura que facilitarão
a compreensão dos mesmos. Além disso, apresentaremos algumas estruturas
gramaticais essenciais no aprendizado da língua inglesa, bem como alguns
conceitos de letramento digital.

O presente Caderno de Estudos será o instrumento-guia para orientar


os seus estudos dentro da disciplina de Inglês Técnico. Desejo que você, Caro
acadêmico, possa aproveitar e extrair o máximo de conhecimento no que diz
respeito à prática de leitura de textos na língua inglesa e os seus principais
pontos gramaticais. Bons estudos!

Profª. Denise Voltolini

III
NOTA

Você já me conhece das outras disciplinas? Não? É calouro? Enfim, tanto


para você que está chegando agora à UNIASSELVI quanto para você que já é veterano, há
novidades em nosso material.

Na Educação a Distância, o livro impresso, entregue a todos os acadêmicos desde 2005, é


o material base da disciplina. A partir de 2017, nossos livros estão de visual novo, com um
formato mais prático, que cabe na bolsa e facilita a leitura.

O conteúdo continua na íntegra, mas a estrutura interna foi aperfeiçoada com nova
diagramação no texto, aproveitando ao máximo o espaço da página, o que também
contribui para diminuir a extração de árvores para produção de folhas de papel, por exemplo.

Assim, a UNIASSELVI, preocupando-se com o impacto de nossas ações sobre o ambiente,


apresenta também este livro no formato digital. Assim, você, acadêmico, tem a possibilidade
de estudá-lo com versatilidade nas telas do celular, tablet ou computador.
 
Eu mesmo, UNI, ganhei um novo layout, você me verá frequentemente e surgirei para
apresentar dicas de vídeos e outras fontes de conhecimento que complementam o assunto
em questão.

Todos esses ajustes foram pensados a partir de relatos que recebemos nas pesquisas
institucionais sobre os materiais impressos, para que você, nossa maior prioridade, possa
continuar seus estudos com um material de qualidade.

Aproveito o momento para convidá-lo para um bate-papo sobre o Exame Nacional de


Desempenho de Estudantes – ENADE.
 
Bons estudos!

IV
V
VI
Sumário
UNIDADE 1 – INGLÊS NO MUNDO CONTEMPORÂNEO.......................................................... 1

TÓPICO 1 – ENSINO E APRENDIZAGEM DE LÍNGUA ESTRANGEIRA................................ 3


1 INTRODUÇÃO...................................................................................................................................... 3
2 O INGLÊS COMO LÍNGUA FRANCA............................................................................................. 3
2.1 LETRAMENTO DIGITAL................................................................................................................ 4
2.2 O ENSINO DE INGLÊS NO BRASIL............................................................................................. 8
2.3 INGLÊS TÉCNICO........................................................................................................................... 10
2.3.1 O Teclado do Computador..................................................................................................... 12
2.3.2 O computador.......................................................................................................................... 15
2.3.3 Reading Strategy........................................................................................................................ 17
LEITURA COMPLEMENTAR................................................................................................................ 20
RESUMO DO TÓPICO 1........................................................................................................................ 22
AUTOATIVIDADE.................................................................................................................................. 24

TÓPICO 2 – VERBOS NO PRESENTE................................................................................................. 27


1 INTRODUÇÃO...................................................................................................................................... 27
2 O USO DOS VERBOS NO PRESENTE............................................................................................. 27
2.1 VERBO TO BE................................................................................................................................... 27
2.2 PRESENT CONTINUOUS............................................................................................................... 32
2.2.1 Present Continuous – Forma Afirmativa................................................................................ 32
2.2.2 Present Continuous – Forma negativa.................................................................................... 32
2.2.3 Present Continuous – Forma interrogativa............................................................................ 32
2.3 SIMPLE PRESENT............................................................................................................................ 33
2.3.1 Presente Simples – Forma Afirmativa.................................................................................. 34
2.3.2 Presente Simples – Forma negativa....................................................................................... 35
2.3.3 Presente Simples – Forma interrogativa............................................................................... 35
3 WH QUESTIONS.................................................................................................................................... 36
4 PLURAL OF NOUNS............................................................................................................................. 38
LEITURA COMPLEMENTAR................................................................................................................ 42
RESUMO DO TÓPICO 2........................................................................................................................ 44
AUTOATIVIDADE.................................................................................................................................. 46

TÓPICO 3 – VERBOS NO PASSADO.................................................................................................. 49


1 INTRODUÇÃO...................................................................................................................................... 49
2 VERBOS NO PASSADO...................................................................................................................... 49
2.1 VERB TO BE – PAST TENSE........................................................................................................... 49
2.2 PAST CONTINUOUS....................................................................................................................... 51
2.3 SIMPLE PAST.................................................................................................................................... 51
3 PRONOUNS............................................................................................................................................ 57
3.1 REFLEXIVE AND EMPHASIZING PRONOUNS......................................................................... 59
3.2 DEMONSTRATIVE PRONOUNS................................................................................................... 60
3.3 INDEFINITE PRONOUNS AND ADJECTIVES............................................................................ 61
LEITURA COMPLEMENTAR................................................................................................................ 63

VII
RESUMO DO TÓPICO 3......................................................................................................................64
AUTOATIVIDADE................................................................................................................................66

UNIDADE 2 – LEITURA TÉCNICA...................................................................................................69

TÓPICO 1 – COMPREENSÃO TEXTUAL TÉCNICA.....................................................................71


1 INTRODUÇÃO....................................................................................................................................71
2 TÉCNICAS DE LEITURA..................................................................................................................71
2.1 SKIMMING......................................................................................................................................71
2.2 SCANNING......................................................................................................................................74
2.3 PREDICTION...................................................................................................................................75
2.4 COGNATOS.....................................................................................................................................76
2.5 FALSOS COGNATOS.....................................................................................................................78
3 DIFICULDADES ESPECIAIS...........................................................................................................79
4 INGLÊS AMERICANO X INGLÊS BRITÂNICO ........................................................................83
LEITURA COMPLEMENTAR..............................................................................................................85
RESUMO DO TÓPICO 1......................................................................................................................86
AUTOATIVIDADE................................................................................................................................87

TÓPICO 2 – GRAU DOS ADJETIVOS


1 INTRODUÇÃO....................................................................................................................................91
2 GRAU DOS ADJETIVOS...................................................................................................................91
2.1 COMPARATIVO DE IGUALDADE.............................................................................................91
2.2 COMPARATIVO DE INFERIORIDADE.....................................................................................92
2.3 COMPARATIVO DE SUPERIORIDADE.....................................................................................93
2.4 SUPERLATIVO................................................................................................................................94
3 ADVÉRBIOS.........................................................................................................................................97
3.1 ADVÉRBIOS DE FREQUÊNCIA (FREQUENCY)......................................................................97
3.2 ADVÉRBIOS DE MODO (MANNER)..........................................................................................98
3.3 ADVÉRBIOS DE TEMPO (TIME) . ..............................................................................................98
3.4 ADVÉRBIOS DE LUGAR (PLACE)..............................................................................................99
3.5 ADVÉRBIOS DE INTENSIDADE (DEGREE OR INTENSITY)................................................99
3.6 ADVÉRBIOS DE DÚVIDA (DOUBT)..........................................................................................99
4 PREPOSIÇÕES.....................................................................................................................................100
4.1 AT......................................................................................................................................................100
4.2 IN.......................................................................................................................................................101
4.3 ON.....................................................................................................................................................102
4.4 OUTRAS PREPOSIÇÕES...............................................................................................................103
5 CONJUNÇÕES.....................................................................................................................................104
5.1 COORDINATING CONJUNCTIONS............................................................................................104
5.2 CORRELATIVE CONJUNCTIONS................................................................................................106
5.3 SUBORDINATING CONJUCTIONS.............................................................................................106
LEITURA COMPLEMENTAR..............................................................................................................108
RESUMO DO TÓPICO 2......................................................................................................................110
AUTOATIVIDADE................................................................................................................................111

TÓPICO 3 – VERBOS NO FUTURO..................................................................................................113


1 INTRODUÇÃO....................................................................................................................................113
2 VERBOS NO FUTURO.......................................................................................................................113
2.1 FUTURO WILL................................................................................................................................113
2.2 FUTURO GOING TO......................................................................................................................115
3 IMPERATIVO.......................................................................................................................................116

VIII
4 VERBOS MODAIS..............................................................................................................................117
5 QUESTION TAGS.................................................................................................................................118
LEITURA COMPLEMENTAR..............................................................................................................120
RESUMO DO TÓPICO 3......................................................................................................................121
AUTOATIVIDADE................................................................................................................................123

UNIDADE 3 – VOCABULÁRIO TÉCNICO......................................................................................125

TÓPICO 1 – TERMOS TÉCNICOS NA ÁREA DA INFORMÁTICA..........................................127


1 INTRODUÇÃO....................................................................................................................................127
2 TERMOS TÉCNICOS.........................................................................................................................127
2.1 USO DO DICIONÁRIO.................................................................................................................128
2.2 LISTA DE VOCABULÁRIOS........................................................................................................130
3 PRESENTE E PASSADO PERFEITO...............................................................................................132
3.1 PRESENTE PERFEITO...................................................................................................................132
3.2 PASSADO PERFEITO....................................................................................................................137
3.3 PRESENTE PERFEITO CONTÍNUO...........................................................................................139
3.4 PASSADO PERFEITO CONTÍNUO.............................................................................................140
LEITURA COMPLEMENTAR..............................................................................................................142
RESUMO DO TÓPICO 1......................................................................................................................144
AUTOATIVIDADE................................................................................................................................146

TÓPICO 2 – AFIXOS..............................................................................................................................149
1 INTRODUÇÃO....................................................................................................................................149
2 AFIXOS..................................................................................................................................................149
2.1 PREFIXOS........................................................................................................................................149
2.2 SUFIXOS...........................................................................................................................................151
3 ARTIGOS..............................................................................................................................................154
3.1 ARTIGO DEFINIDO.......................................................................................................................154
3.2 ARTIGO INDEFINIDO..................................................................................................................155
4 THERE + TO BE.....................................................................................................................................156
4.1 THERE IS..........................................................................................................................................156
4.2 THERE ARE.....................................................................................................................................157
5 CONECTIVOS......................................................................................................................................159
LEITURA COMPLEMENTAR..............................................................................................................164
RESUMO DO TÓPICO 2......................................................................................................................165
AUTOATIVIDADE................................................................................................................................167

TÓPICO 3 – CONDICIONAL..............................................................................................................169
1 INTRODUÇÃO....................................................................................................................................169
2 ORAÇÕES CONDICIONAIS...........................................................................................................169
2.1 ZERO CONDICIONAL (CONDITIONAL ZERO):.....................................................................170
2.2 PRIMEIRA CONDICIONAL (FIRST CONDITIONAL) ...........................................................171
2.3 SEGUNDA CONDICIONAL (SECOND CONDITIONAL)......................................................172
2.4 TERCEIRA CONDICIONAL (THIRD CONDITIONAL) . .......................................................172
3 PHRASAL VERBS................................................................................................................................173
4 NUMERAIS...........................................................................................................................................178
LEITURA COMPLEMENTAR..............................................................................................................181
RESUMO DO TÓPICO 3......................................................................................................................184
AUTOATIVIDADE................................................................................................................................185

REFERÊNCIAS........................................................................................................................................187

IX
X
UNIDADE 1

INGLÊS NO MUNDO
CONTEMPORÂNEO

OBJETIVOS DE APRENDIZAGEM
A partir do estudo desta unidade, você estará apto a:

• conhecer o inglês como língua franca e o ensino da língua inglesa no Brasil;

• comprender o conceito de letramento e letramento digital;

• reconhecer vocabulários específicos do inglês técnico;

• utilizar estratégias de leitura na compreensão de textos;

• empregar os verbos no presente e no passado nas formas afirmativa,


negativa e interrogativa;

• aplicar o plural dos substantivos;

• reconhecer os vários tipos de pronomes e utilizá-los corretamente.

PLANO DE ESTUDOS
Esta unidade está dividida em três tópicos. Ao final de cada um deles você
poderá dispor de atividades que o auxiliarão na fixação do conteúdo.

TÓPICO 1 – ENSINO E APRENDIZAGEM DE LÍNGUA ESTRANGEIRA

TÓPICO 2 – VERBOS NO PRESENTE

TÓPICO 3 – VERBOS NO PASSADO

1
2
UNIDADE 1
TÓPICO 1

ENSINO E APRENDIZAGEM DE LÍNGUA ESTRANGEIRA

1 INTRODUÇÃO
Aprender uma língua estrangeira não é uma atividade recente. A necessidade
de aprender uma segunda língua já ocorria no início da civilização humana.

Naquela época, civilizações falantes de diferentes línguas, a fim de


comercializarem seus produtos, se comunicarem com civilizações ou até mesmo
conquistá-las, precisavam aprender o seu idioma.

Atualmente, a necessidade de aprender um idioma estrangeiro continua. Os


motivos que levam alguém a procurar pelo aprendizado de uma língua estrangeira
são variados. Dentre tantos idiomas, o mais procurado ainda é o inglês, pois ele
é considerado língua franca, por ser uma língua de interação para os falantes de
línguas diferentes no comércio internacional ou em outras situações distintas.

2 O INGLÊS COMO LÍNGUA FRANCA


A língua inglesa é, atualmente, a língua mais utilizada quando se trata de
comunicação entre pessoas falantes de línguas diferentes. É a língua de interação
entre a comercialização de produtos ao redor do mundo e, principalmente,
quando o assunto é tecnologia.

Quando o indivíduo aprende um idioma estrangeiro, ele não aprende


apenas a estrutura, o vocabulário ou o som das palavras, mas também toda a
cultura presente que rodeia essa língua.

O inglês se tornou uma língua global, fazendo com que pessoas de várias
partes do mundo procurem aprender este idioma. Segundo Erling (2005):

[...] o número de falantes de inglês como L2 supera o de falantes de


inglês como L1 na proporção de três para um. O inglês está sendo
cada vez mais usado para a comunicação através das fronteiras
internacionais, não estando, portanto, mais ligado a lugar, cultura ou
povo (ERLING, 2005, p. 42-43).

3
UNIDADE 1 | INGLÊS NO MUNDO CONTEMPORÂNEO

Segundo o autor, o número de falantes do inglês como segunda língua


(L2) aumentou com o passar dos anos e chega a superar o número de falantes
nativos da língua (L1). O autor também aponta para a identidade da língua, que
já não pertence mais a um determinado povo, pois o inglês se tornou global.

Provavelmente você já ouviu alguém dizer que estava aprendendo o inglês


britânico ou inglês americano. Alguns autores acreditam que com a globalização
da língua inglesa, essa diferenciação já não ocorre mais. Para Leffa (2003):

Ao se globalizar, o inglês perdeu sua uniformidade e teve que
incorporar a diversidade, não só no seu léxico, com as inúmeras
palavras estrangeiras que emigraram para o seu sistema, mas também a
diversidade fonológica e mesmo sintática. A diversidade linguística com
a existência não apenas do inglês canadense, australiano, nigeriano ou
indiano – mas também do inglês coreano, japonês ou brasileiro – reflete
a diversidade cultural. O inglês deixa de transmitir uma única cultura
para transmitir várias culturas, produzindo o fenômeno estranho de
uma língua multilíngue e multicultural. (LEFFA, 2003, p. 239)

Através dessa língua multilíngue, fica difícil caracterizar o inglês do


aprendiz. É possível tentar falar como um britânico, australiano ou americano,
mas o sotaque que pertence ao falante irá prevalecer. É preciso refletir que com a
globalização do inglês, temos também o inglês brasileiro, aprendido no Brasil. O
inglês francês, aprendido na França, e assim por diante.

O importante é compreender que, numa era de globalização em que


vivemos, a preocupação deve estar em conseguir se comunicar com outros
falantes da língua estrangeira, sem dar importância ao fato de falar igual a um
falante nativo da língua.

2.1 LETRAMENTO DIGITAL


Para compreendermos o significado de Letramento Digital,
primeiramente precisamos compreender o que é o Letramento.

Por muito tempo, a iniciação da criança no ambiente escolar era
marcada por salas de aula decoradas com o alfabeto, versos com rimas e elas
eram apresentadas a sílabas abertas como (ba, be, bi), encontros consonantais
(bra, bre), sílabas fechadas (bar, ber). Segundo Kleiman (2007), o aluno precisa
usar e reconhecer o código, as regras ortográficas, mas nada disso é relevante
se ele não relacionar sentido ao que está lendo ou escrevendo.

Para a autora, o conhecimento prévio do aluno, a sua cultura ou a sua


vivência nos locais fora de sala de aula nem sempre eram levados em conta.
Porém, com a globalização do mundo moderno, houve uma grande necessidade
de mudança. Passou-se a perceber que o modelo de ensino que muitas escolas
adotavam não era eficaz porque não abordava as práticas sociais do aluno

4
TÓPICO 1 | ENSINO E APRENDIZAGEM DE LÍNGUA ESTRANGEIRA

relacionadas à leitura e à escrita. Surgiu, assim, a necessidade de estudos mais


avançados referentes à aquisição da leitura e da escrita.

Segundo Soares (2003), no Brasil, nos anos oitenta, surgiu a denominação


Letramento para distinguir essa nova fase de estudos da alfabetização. Esse
movimento, de acordo com a autora, surgiu simultaneamente em vários países,
como França e Portugal, e embora a palavra literacy já estivesse no vocabulário
inglês, foi também nessa mesma época que o movimento ganhou força nos
Estados Unidos e na Inglaterra e deu início a várias discussões sobre linguagem
e educação em várias partes do mundo.

Vários autores vêm discutindo conceitos e práticas de letramento


digital (LÉVY, 1999); (ALMEIDA, 2005); (BUZATO, 2006); (BARBOSA, 2005);
(COSCARELLI, 2007). Para Barbosa (2005), o uso do conceito de letramento
para a escrita e leitura digital foi bem empregado, já que não basta dominar
tecnicamente a ferramenta e sim participar de práticas letradas no mundo
digital. Buzato traz a seguinte definição:

Letramentos digitais (LDs) são conjuntos de letramentos (práticas


sociais) que se apoiam, entrelaçam, e apropriam mútua e
continuamente por meio de dispositivos digitais para finalidades
específicas, tanto em contextos socioculturais geograficamente
e temporalmente limitados, quanto naqueles construídos pela
interação mediada eletronicamente. (BUZATO, 2006, p. 7)

O letramento não é único e sim um conjunto de práticas sociais


através de modos diferentes de ler e escrever. Kleiman (2007) usa o termo
“múltiplos letramentos da vida social”, e um desses “múltiplos letramentos”
é o letramento digital. Nesse tipo de prática, a escrita e a leitura são usadas de
modos diferentes. Em vez de livros e cadernos, o que guia o leitor é a tela do
computador. O letramento digital assume mudanças tanto na leitura quanto
na escrita dos códigos, sinais verbais e não verbais, como gráficos ou imagens.

Com essas alterações, quando anteriormente tínhamos o lápis, a


borracha e o papel como suporte para a nossa produção ou leituras, agora
essas práticas passam a acontecer através da tela do computador, do celular, do
caixa eletrônico do banco e assim por diante. A tecnologia está ao nosso redor.
É necessário fazer uso dela em nosso benefício. Essa nova ferramenta precisa
servir de apoio para novos aprendizados e oportunidades. Para Almeida:
[...] Propiciar às pessoas a fluência tecnológica significa utilizar
criticamente a tecnologia de informação e comunicação com os
objetivos de alavancar a aprendizagem [...] autônoma e contínua,
mobilizar o exercício da cidadania, oportunizar a produção de
conhecimentos à melhoria das condições de vida das pessoas e da
sociedade. (ALMEIDA, 2005, p. 173-174)

5
UNIDADE 1 | INGLÊS NO MUNDO CONTEMPORÂNEO

A interação digital através do computador e fazendo o uso da leitura


e da escrita proporciona ao indivíduo uma nova forma de ler e escrever. Essas
práticas estão cada vez mais frequentes. O uso de textos digitais faz com que o
leitor se depare com uma maneira diferente de ler. Antes o foco estava nos livros
e cadernos, agora está na tela de um computador.
A fluência tecnológica se aproxima do conceito de letramento como
prática social e não como simplesmente aprendizagem de um código
ou tecnologia; implica a atribuição de significados às informações
provenientes de textos construídos com palavras, gráficos, sons
e imagens dispostos em um mesmo plano, bem como localizar,
selecionar e avaliar criticamente a informação, dominando as
regras que regem a prática social da comunicação e empregando‐
as na leitura do mundo, na escrita da palavra usada na produção e
representação de conhecimentos. (ALMEIDA, 2005, p. 174)

Quando o indivíduo usa o computador como uma prática social, ele


não usa apenas a tecnologia, mas ele constrói significados para tudo o que lê
e vê na tela do computador, na leitura ou escrita de textos ou na consulta de
diferentes gêneros textuais on-line.

Nos dias atuais é inevitável pensar nas várias formas de escrever e ler
através do uso do computador conectado à internet. O uso de redes sociais como
Facebook, Orkut, MSN ou e-mail proporciona trocas de mensagem através de
novos gêneros textuais. Para Coscarelli (2007), letramento digital é um leque
de possibilidades para o contato tanto com a escrita quanto com a leitura
no ambiente digital. O contato diário com esse ambiente digital possibilita a
comunicação entre determinados grupos de pessoas que podem ter acesso a
vários tipos de informações através da comunicação em tempo real.
[...] o chat é diferente de uma conversa face a face ou telefônica. [...]
O e‐mail não é uma carta, nem um fax, nem uma chamada telefônica
[...] Ele é mais rápido que a correspondência postal comum, menos
caro que o telefone, fácil de ser utilizado. Seu tom é coloquial e
direto, não há perda de tempo, nem fórmulas convencionais. Esse
tipo de dispositivo permite ainda que pessoas interessadas em um
mesmo assunto possam fazer uma discussão coletiva on‐line, como
nos fóruns. (COSTA, 2005, p. 107‐108).

Com o uso de e-mails ou qualquer outro tipo de troca de mensagens


eletrônicas, a comunicação ficou muito mais rápida. Nas conversas on-line, as
pessoas tornam-se mais objetivas. Os e-mails tornam-se mais curtos do que as
cartas costumavam ser. As mensagens trocadas por e-mail são chamadas de
“comunicação assíncrona”, porque pode haver um intervalo de tempo entre o
envio e o recebimento/leitura desse e-mail. Já as conversas através de chat são
chamadas de “comunicação sincrônica”, pois acontecem em tempo real.
FONTE: Adaptado de: <http://www.celsul.org.br/Encontros/10/completos/xcelsul_artigo%20
(59).pdf>. Acesso em: 26 fev. 2014.

6
TÓPICO 1 | ENSINO E APRENDIZAGEM DE LÍNGUA ESTRANGEIRA

Quando pensamos em letramento digital e língua inglesa, fica quase


impossível não relacioná-lo a toda tecnologia que está ao nosso redor. Softwares,
celulares e muitos dispositivos eletrônicos têm o seu manual totalmente escrito
em inglês. Além disso, programas e dispositivos para downloads também têm
instruções apenas nessa língua estrangeira.

Muitos profissionais da área de tecnologia da informação nem sempre


são fluentes na língua inglesa, porém são capazes de ler manuais sem muita
dificuldade. Eles dominam o que nomeamos de “inglês técnico”, pelo fato de
dominarem o vocabulário que se restringe à sua área de atuação.

Com o avanço da tecnologia, muitas palavras em inglês foram adotadas


no nosso vocabulário. A importação desses vocabulários se deve à influência da
televisão, internet e outros meios de comunicação.

Para se ter uma ideia desse estrangeirismo, segue um texto como exemplo
desses vocabulários empregados no nosso dia a dia.

Stela acordou atrasada, pois mal ouviu o despertador do seu celular que
estava no vibracall. Correu para o banho, usou o seu shampoo head & shoulders
e se vestiu rapidamente, colocando o seu sneaker. Pegou o seu Ipod e sua bike e
foi para o trabalho. Chegando lá, ligou o seu notebook e acessou a internet para
abrir o seu e-mail. Como estava atarefada, não teve muito tempo para almoçar,
por isso decidiu ir a um fast-food e comer um cheeseburger. Na volta para o
trabalho, passou por um outdoor que lhe chamou a atenção. Stela trabalha com
fashion e lembrou que tinha uma reunião com o departamento de marketing. De
volta ao escritório, ela não conseguia encontrar o seu pen-drive no qual estava a
sua apresentação para a campanha da nova coleção de jeans. Ela então lembrou
que tinha salvo a apresentação em um CD–ROM. Primeiramente ela estava com
problemas em abri-lo, pois o mouse não estava funcionando corretamente. A
apresentação ainda não estava completa e então ela usou o scanner para algumas
figuras adicionais. Depois de tantos contratempos, Stela conseguiu realizar a
apresentação e ir para casa. No caminho decidiu passar no shopping, comprar
um CD de rock n’ roll e comer um hamburger acompanhado de um refrigerante
light. Convidou um amigo para acompanhá-la, porém ele estava ocupado
jogando Playstation. Stela então foi para casa, ligou a TV e assistiu ao programa
The Voice. Entrou no Facebook para verificar se alguns de seus amigos estavam
on-line. Com o fim do programa, colocou o seu baby doll e foi dormir.

A descrição do dia a dia de Stela foi apenas uma maneira de ilustrar como
é comum utilizarmos vocabulários estrangeiros durante a nossa rotina diária.

7
UNIDADE 1 | INGLÊS NO MUNDO CONTEMPORÂNEO

DICAS

Querconhecermaispalavrasestrangeirasqueforamadotadasnonossovocabulário?
O Portal da Língua Portuguesa disponibiliza um dicionário de estrangeirismo. Disponível em:
<http://www.portaldalinguaportuguesa.org/index.php?action=loanwords&&page=present>.
Acesso em: 26 fev. 2014.

2.2 O ENSINO DE INGLÊS NO BRASIL


Ao longo dos anos, muitos métodos para se aprender uma língua
estrangeira foram adotados e discutidos em todo o mundo. Embora não se tenha
chegado a uma conclusão sobre a melhor forma de se ensinar e/ou aprender uma
língua estrangeira, não se pode negar que o computador tenha grande influência
na aquisição de novos vocabulários. Isso porque muitas expressões utilizadas no
mundo on-line fazem parte do vocabulário da língua inglesa.

O ensino de inglês por meio do computador, com aulas on-line, tem


crescido nos últimos anos. Porém, não é de hoje que o computador é utilizado
nas aulas de língua estrangeira. Na década de 60 já se usava esse mecanismo para
o ensino de línguas.

A inserção das Novas Tecnologias de Informação em Comunicação


(NTIC) no ensino de línguas evoluiu ao longo dos anos. Primeiramente o
Computer Assisted Language Learning (CALL – Aprendizagem de Línguas Assistida
por Computador) atribuía ao computador o trabalho de tutor, com atividades
mecânicas e também a repetição de estruturas gramaticais feita pelos alunos.
Essa primeira fase é chamada de CALL behaviorista. Na segunda fase, a CALL
comunicativa, o computador é visto como uma ferramenta que proporciona ao
aluno a oportunidade de utilizar a língua-alvo de forma legítima, dentro do seu
contexto social. Por fim, temos a CALL integrativa, que com o surgimento da
internet faz com que o aluno possa interagir com várias pessoas ao mesmo tempo
e o computador passou a ambientar o uso de várias ferramentas tecnológicas,
dando autonomia no processo de aprendizagem (MOREIRA, 2003).

Com esse avanço da tecnologia, atualmente podemos encontrar cursos on-


line, sites que possibilitam que o aluno pratique a língua estrangeira via computador
ou aplicativos para o celular.

Com a abrangência das redes sociais, a comunicação com pessoas de


outros países se tornou muito mais fácil, possibilitando a interação entre falantes
de outros idiomas.

8
TÓPICO 1 | ENSINO E APRENDIZAGEM DE LÍNGUA ESTRANGEIRA

UNI

Diversos materiais foram criados para a aquisição do inglês. Para se ter uma
ideia, em 1930, Walt Disney criou desenhos para o ensino do inglês básico. Em 1943 a rede
BBC transmitiu, através do rádio, aulas de inglês de curta duração.

DICAS

Que tal baixar aplicativos no celular para aprender inglês?

Busuu – esse aplicativo conta com mais de três mil palavras e frases em inglês.
Speak English – com esse aplicativo você pode praticar a pronúncia. Depois de selecionar o
nível de inglês e o tópico, você ouvirá palavras e frases relacionadas a esse tópico e também
pode repeti-las e gravá-las.
Sounds Pronunciation – É outro aplicativo para a prática da pronúncia.
LeTroca – Jogo de palavras. Você deve formar palavras com as letras disponíveis. Quanto
mais palavras você fizer, mais pontos ganha.
Vocabulário Inglês Avançado – Aqui você ouve a palavra e deve relacioná-la com a imagem.

No Brasil, o ensino de inglês passou a ser uma disciplina obrigatória


na esfera escolar em 1809. Dom João VI implantou o ensino de duas línguas
estrangeiras: inglesa e francesa. A escolha dessas línguas não foi por acaso, já
que Portugal tinha relações comerciais com a Inglaterra e com a França. Porém, a
língua inglesa chegou a ser excluída do currículo escolar entre 1961 e 1971.

Atualmente, segundo os Parâmetros Curriculares Nacionais (1998), o
inglês é obrigatório a partir da quinta série ou sexto ano.

Embora obrigatório, não quer dizer que o inglês ensinado na escola seja o
suficiente para que o estudante passe a usar fluentemente a língua.

Você se lembra de quantas aulas de inglês teve durante o tempo que


passou na escola? O quanto você aprendeu? Já é fluente no idioma? Vale lembrar
que para ser fluente não é necessário falar ou escrever corretamente, e sim,
conseguir se comunicar e compreender o que os falantes da língua estrangeira
estão dizendo.

9
UNIDADE 1 | INGLÊS NO MUNDO CONTEMPORÂNEO

O ensino do inglês no Brasil voltou a ser discutido e ganhar destaque


após o país ser o escolhido para sediar a Copa do Mundo de Futebol em 2014 e
os Jogos Olímpicos em 2016. O número de interessados em aprender o idioma
aumentou, assim como o número de cursos de inglês. Alguns desses cursos foram
desenvolvidos especialmente para vocabulários que possibilitem a comunicação
com os turistas que visitam o Brasil.

DICAS

Quer testar o nível do seu inglês? Faça o teste on-line: <http://www.meuingles.


com/teste-ingles-gratis/>. Acesso em: 26 fev. 2014.

2.3 INGLÊS TÉCNICO


Depois de discutirmos um pouco sobre a importância e a evolução do ensino
da língua inglesa, vamos abordar o ponto principal deste caderno, o inglês técnico.

Vimos anteriormente que o termo “inglês técnico” é utilizado para ilustrar


que o aprendiz da língua está focado no vocabulário de uma determinada área de
atuação. No nosso caso, a informática.

Provavelmente, no seu dia a dia, você se depara com muitos textos escritos
na língua inglesa. Para compreendê-lo, você não precisa saber o significado de
cada palavra, mas sim compreender o contexto, a ideia central do texto. Deve-se
evitar o uso exagerado do dicionário e sempre preferir dicionários “inglês-inglês”
para melhorar o seu desempenho na língua.

O inglês técnico na área de informática conta com muitas palavras e


expressões estrangeiras que se repetem diariamente. Selecionamos alguns
vocabulários e expressões que estão presentes diariamente em textos, manuais e
programas do computador.

Backup – copiar dados ou programas. Salvá-los para evitar a sua perda.


BIOS – Abreviação para Basic Input and Output System (sistema básico de entrada e
saída). Através da sua configuração é possível administrar todas as configurações
de hardware da máquina.
Browser – Navegador. Você usa o aplicativo para navegar na internet.
Bug – Se você procurar pela tradução no dicionário, encontrará a palavra inseto.
Porém, na área da informática, essa palavra é usada para designar uma falha no
sistema.

10
TÓPICO 1 | ENSINO E APRENDIZAGEM DE LÍNGUA ESTRANGEIRA

Copyright – Registrado. Isso significa que o documento tem direitos autorais.


Crack – Decifrar. Na área da informática, crack é um programa criado para violar
outros programas.
Download – Baixar dados da internet.
Data – Informações, dados.
Database – Banco de dados.
Full Screen – Tela cheia.
Freeware – Programa gratuito para baixar da internet.
Features – Características.
Home Page – Página principal.
Input – Entrada.
Join – Unir-se.
Keyboard – Teclado do computador.
Keyword – Palavra-chave.
Log in/on – Iniciar sessão, conectar-se.
Log off/out – Encerrar sessão, desconectar-se.
Load – Carregar.
Link – Ligação entre documentos da internet.
Membership – Associação.
Network – Rede de computadores.
Nickname – Apelido.
Output – Saída.
On-line – Conectado à internet.
Password – Senha.
Password Cracking – Quebra de senha.
Shareware – Programa de computador disponibilizado gratuitamente.
Set-up – Preparação.
Settings – Configuração.
Sing in/out – registrar entrada/saída.
To past – colar.
To cut – Recortar.
To reboot – Reiniciar.
To search – Pesquisar.
To develop – Desenvolver.
To print – Imprimir.
Trojan Horse – (Cavalo de Troia) programa malicioso que entra no computador e
abre uma porta para possível invasão.
USB – Abreviação para Universal Serial Bus (porta serial universal). Permite a
conexão com aparelho e placas sem a necessidade de desligar o computador.
User – Usuário.
Upload – Carregar dados para a internet.
Update – Atualizar.
Upgrade – Melhorar, atualizar.
Zoom in – Ampliar o tamanho da tela.
Zoom out – Reduzir o tamanho da tela.

11
UNIDADE 1 | INGLÊS NO MUNDO CONTEMPORÂNEO

Você já conhecia o significado de todas essas expressões? Você pensa na


tradução dessas palavras quando faz o uso delas? Provavelmente não!

Como falamos anteriormente, muitos vocabulários, principalmente da


área da informática, foram incorporados à língua portuguesa, sem ser feita a
tradução.

Na rotina do dia a dia, não falamos “o cabo da porta serial universal”.


Usamos a expressão “cabo da USB”. Ou “eu estou conectado à internet” ao invés
de “estou on-line”.

É imprescindível que o profissional da área de informática domine a língua


inglesa, pelo menos as expressões técnicas, ou terá dificuldade em realizar o seu
trabalho. Para ajudar na memorização desses vocabulários, você pode criar, no seu
computador mesmo, um dicionário virtual com as palavras estrangeiras que você
encontra diariamente, mas tem dificuldade de memorizar. Consultar o seu próprio
dicionário ou anotações ajuda na memorização, até chegar o momento em que você
não precisará mais de consultas para compreender determinado vocabulário.

DICAS

Quer um dicionário que oferece mais de 10.000 verbetes? O Dicionário de


eletrônica contém quase toda a terminologia de computadores.

GARDINI, Giacomo; LIMA, Norberto de Paula. Dicionário de eletrônica: inglês/português,


São Paulo: Hemus, 2003.

2.3.1 O Teclado do Computador


Atualmente encontramos muitos softwares em inglês, assim como
componentes de hardware. Se você observar o teclado do seu computador, por
exemplo, irá perceber que a inserção da língua inglesa começa ali. A tecla DELETE
deleta o arquivo; a tecla ENTER serve para entrar no local que você clicar. A tecla
END te levará para o final da linha, e assim por diante.

Embora já seja possível encontrar alguns computadores no qual o teclado


venha com algumas das suas teclas escritas em português, a maioria ainda
preserva o vocabulário em língua inglesa. Verifique a imagem abaixo:

12
TÓPICO 1 | ENSINO E APRENDIZAGEM DE LÍNGUA ESTRANGEIRA

FIGURA 1 – TECLADO DO COMPUTADOR

FONTE: Disponível em: <http://www.bristol.ac.uk/it-services/learning/documentation/


keyboard-1/keyboard-r1-6.gif>. Acesso em: 27 fev. 2014.

O keyboard, ou teclado, tem muitas teclas com abreviações de palavras em


inglês. Vamos compreender todas elas? Começaremos pelas mais fáceis.

A tecla DELETE (ou DEL), parecida com o vocabulário da língua


portuguesa, como descrevemos anteriormente, tem a função de deletar.

A tecla acima de DEL, INSERT (ou INS), de inserir. Essa tecla permite
que você escreva algo por cima do texto, sem a necessidade de deletar e, sim,
substituir à medida que vai escrevendo.

Neste conjunto de teclas ainda temos a tecla HOME, que, traduzindo-a,


temos a palavra casa. Essa tecla te leva para o topo da página, ou, se você estiver
escrevendo uma frase, ela te leva para o início dela. A tecla END, que significa
fim, exerce a função contrária a home, e te levará para o final da frase.

A tecla PAGE DOWN, muitas vezes abreviada como PgDn, leva o cursor
para o início da página seguinte. A tecla PAGE UP ou PgUp leva o cursor para o
início da página anterior.

A primeira tecla do computador, ESC, é a abreviação de “escape”, ou seja,


escapar. Esta tecla serve para sair de uma tela ou cancelar uma ação.

Ao lado da tecla ESC temos as teclas que vão de F1 até F12. A letra F é a
abreviação de Function, ou, função. Essas teclas têm várias funções que dependem
de programa a programa. Apenas a tecla F1 tem a mesma função em todos os
teclados, que é a de solicitar ajuda.

13
UNIDADE 1 | INGLÊS NO MUNDO CONTEMPORÂNEO

A tecla NUM LOCK é a abreviação de “number lock” e serve para habilitar


o teclado numérico do computador (number = número). Quando a luz de LED
está acesa, significa que essa tecla está ativada.

A seguir temos o CAPS LOCK, que significa caixa alta. Quando essa tecla
é acionada, você passa a usar as letras do teclado em caixa alta.

E falando ainda de habilitar, por fim, temos o SCROLL LOCK. Scroll significa
rolagem da tela, enquanto “lock” significa trava/travar. Assim como “num lock” e
“caps lock”, a tecla “scroll lock” serve para habilitar uma função secundária para um
grupo de teclas. A função dessa tecla depende exclusivamente do programa que
você está usando. O programa mais famoso em que podemos utilizar essa função
é no Microsoft Excel. Quando a tecla “scroll lock” está ativada, é possível “rolar”
a tela sem mover a célula ativa. Abra uma planilha qualquer e experimente essa
tecla. Assim você entenderá exatamente a função dela.

Na imagem do teclado, podemos ver que em seguida temos a tecla PRINT


SCREEN ou muitas vezes abreviada como “Prt Sc” e “Sys Rq”. Print Screen
(imprimir a tela) exerce a função de capturar a imagem da tecla do computador
como se fosse uma foto. Assim você pode ter a imagem de toda a tela (exceto o
cursor do mouse) e armazená-la.

A tecla “Sys Rq” é a abreviação de system request (solicitação do sistema)


e em alguns teclados está escrita abaixo da palavra print screen. Essa tecla nasceu
para ser utilizada em computadores pessoais para solicitar serviços do sistema
operacional dentro de um programa.

No topo do teclado ainda temos a tecla PAUSE BREAK. A função desta


tecla é de pausar. Por exemplo: quando você iniciar o computador e aparecer
aquela tela preta, se você pressionar a tecla PAUSE BREAK, a tela vai pausar, lhe
dando tempo para ler todas as informações na tela do seu computador.

A tecla BACK SPACE, geralmente acompanhada com uma seta voltada


para a esquerda do teclado, significa retrocesso e tem a função de apagar alguma
letra ou palavra e ainda retroceder uma página.

Geralmente acompanhada de setas para a esquerda e direita, a tecla TAB,


abreviação de tabular, faz com que o cursor salte para uma posição com espaços à
direita ou passa de um objeto para o outro na tela do computador.

A tecla ENTER (entrar) envia um comando a ser executado pelo


computador e SPACEBAR (barra de espaço) para dar um espaço entre as palavras,
por exemplo.

14
TÓPICO 1 | ENSINO E APRENDIZAGEM DE LÍNGUA ESTRANGEIRA

Por fim, deixamos três teclas que exercem várias funções: Alt, que é a
abreviação de alternate, ou seja, alternar. Essa tecla combinada com outra desenvolve
diferentes funções. Ao pressionar Alt + A, por exemplo, abrirá um menu chamado
arquivo. Já a tecla Alt Gr, Alternate Graphics (gráficos alternados), serve para usar
símbolos de teclas que contenham numerais ou letras com esse símbolo.

Ctlr, abreviação de control (controle), também exerce diferentes funções,


dependendo da tecla que é pressionada juntamente com ela. Por exemplo, se você
está digitando algum documento no programa WORD e deseja mudar a fonte, para
selecionar o texto basta pressionar Ctrl + T e, assim, todo o texto será selecionado.

Por fim, temos a tecla Shift (mudança, troca), que desenvolve várias
funções, como sinais de pontuação, acentuações, entre outras. A tecla Shift também
possibilita que você utilize a letra em caixa alta, pressionando-a enquanto escreve,
sem precisar utilizar a tecla Caps Lock.

2.3.2 O computador
Agora que já compreendemos o significado das teclas do computador,
veremos as partes que o compõem.

FIGURA 2 – COMPUTADOR

Monitor
Disk drive

Floppy disk Memory

Laser printer Speaker

CD-ROM
Modem
CD-ROM drive Keyboard mouse
FONTE: Disponível em: <http://www.way2science.com/wp-content/uploads/2012/03/
computer-parts.gif>. Acesso em: 27 fev. 2014.

15
UNIDADE 1 | INGLÊS NO MUNDO CONTEMPORÂNEO

Como já vimos (colocar em itálico palavras estrangeiras acima),


KEYBOARD significa teclado. A palavra MONITOR não precisa ser traduzida,
já que temos a mesma escrita dessa palavra na língua portuguesa, e MODEM
também foi incorporado no nosso vocabulário da mesma forma.

A palavra MODEM é uma junção da palavra MOdulador e DEModulador.


Ele modula o sinal digital numa onda analógica, pronta para ser transmitida pela
linha telefônica, e que demodula o sinal analógico, reconvertendo-o para o formato
digital original. O MODEM serve para conectar-se à internet ou a outro computador.

LASER PRINTER, ou apenas PRINTER, é a impressora, que serve para


imprimir documentos, fotos, entre outros. Muitas vezes a impressora também tem
a função de SCANNER (escâner), que serve para digitalizar algum documento,
foto, imagem etc.

Na imagem ainda podemos ver a palavra FLOPPY DISK, traduzido como


disquete. Se você mostrar um disquete para uma criança, ela provavelmente não
saberá o que é ou qual a função dele. Isso porque o disquete tinha a função de
arquivar documentos. Hoje essa função é desenvolvida pelo CD-ROM (Compact
Disc Read-Only Memory – Disco Compacto – Memória Somente Leitura), que
pode armazenar vários tipos de conteúdos. O CD-ROM driver é o local onde se
insere o CD-ROM para que se possa fazer a leitura dele.

O SPEAKER é o alto-falante do computador para a transmissão do som.


Atualmente é possível encontrá-los nas mais diferentes formas e capacidade de
reprodução, e MEMORY, que significa memória, permite a um computador o
armazenamento de dados.

A última parte externa do computador presente na imagem acima é o


MOUSE. Ao traduzir essa palavra, temos RATO. Esse componente de hardware
muito importante para o computador é utilizado para movimentar o cursor na
tela do computador. O mouse foi criado por Douglas Englebart por volta de 1964.
A patente do mouse lhe rendeu dez mil dólares e alguns prêmios. No início da
sua criação, o mouse não foi considerado uma peça muito importante. A empresa
Xerox, por exemplo, não deu muita importância a essa invenção. Um dos seus
diretores disse que ninguém iria comprar uma peça com o nome de rato (mouse).
A Microsoflt lançou o primeiro mouse em 1983 e o primeiro computador lançado
por Steve Jobs, o Apple Macintosh, já vinha com mouse. O primeiro mouse era feito
de madeira e tinha apenas um botão, evoluindo ao longo dos anos.

Até aqui já vimos o significado de vários vocabulários utilizados na área


da informática. Compreender uma palavra em inglês não é muito complicado,
já que através do computador conectado à internet é possível traduzir a maioria
das palavras. O maior problema na compreensão do inglês técnico está quando
o profissional não se depara apenas com palavras, mas com textos em diferentes
formatos, principalmente manuais. Para facilitar essa compreensão, veremos
algumas técnicas que podem facilitar a leitura de textos técnicos.

16
TÓPICO 1 | ENSINO E APRENDIZAGEM DE LÍNGUA ESTRANGEIRA

2.3.3 Reading Strategy


As estratégias de leitura servem para desenvolver habilidades de leitura.
Ler é fundamental para adquirir conhecimento, informação, enriquecendo o
vocabulário e facilitando a interpretação. A leitura não se baseia apenas na
decodificação de códigos e símbolos, por isso, utilizar o dicionário a todo o
momento, quando não se sabe o significado de uma palavra, se torna cansativo e
improdutivo.

Ler significa extrair conhecimento de determinado texto. Para isso, quando


se faz a leitura de um texto em inglês, não é necessário saber o significado de
todas as palavras, e sim, compreender a ideia que aquele texto está transmitindo.

Agora veremos algumas estratégias que podem lhe auxiliar no momento


da leitura de um texto técnico:

SKIMMING – A estratégia de leitura Skimming é uma leitura rápida de


um texto. Seria o “passar dos olhos” para identificar a ideia ou tema central de
determinado texto. Por exemplo, quando você abre o jornal e confere a manchete
da notícia e “passa os olhos” por cima da matéria, você está aplicando a estratégia
de leitura Skimming. Se o texto lhe interessar, aí então você fará uma leitura com
mais atenção. Ao aplicar essa estratégia, você percorre o texto sem parar em
nenhuma palavra específica que você não tenha entendido. Você já aplica essa
estratégia em textos da língua portuguesa, principalmente virtualmente, quando o
número de informações e opções de leitura é muito maior. Agora é a vez de fazê-lo
na língua inglesa também, quando houver a necessidade de saber do que se trata
determinado texto. Veja o texto abaixo:

FIGURA 3 – TEXTO INFORMATIVO


WhatsApp Messenger
By WhatsApp Inc.
Open iTunes to buy and download apps.

Description
WhatsApp Messenger is a smartphone messenger available
for iPhone and other smartphones. WhatsApp uses your
3G or WiFi (when available) to message with friends and
family. Switch from SMS to WhatsApp to send and receive
messages, pictures, audio notes, and video messages. First
year FREE! ($0.99 USD/year after)
FONTE: Disponível em: <https://itunes.apple.com/us/app/whatsapp-messenger/
id310633997?mt=8>. Acesso em: 26 fev. 2014.

17
UNIDADE 1 | INGLÊS NO MUNDO CONTEMPORÂNEO

Passando os olhos rapidamente pelo texto informativo acima, você


provavelmente já deve ter ideia do tema central dele. Se você fosse questionado
sobre a ideia geral desse texto, qual seria a sua resposta? Aplicativo Whatsapp?
Isso mesmo. Não foi necessário saber o significado de cada palavra para responder
ao questionamento.

SCANNING – Após aplicar a estratégia Skimming, chega o momento de


fazer o uso da estratégia de leitura Scanning. Scanning é um tipo de leitura feita
com mais atenção e detalhamento para encontrar informações específicas em
determinado texto. Vamos continuar utilizando o texto anterior. Você já sabe
que ele se trata do aplicativo Whatsapp. Se você se deparasse com os seguintes
questionamentos: Além de mensagens, o que mais podemos enviar e receber
através do aplicativo Whatsapp? Qual o valor para baixar o aplicativo?

FIGURA 4 – APLICANDO A ESTRATÉGIA SCANNING


WhatsApp Messenger
By WhatsApp Inc.
Open iTunes to buy and download apps.

Description
WhatsApp Messenger is a smartphone messenger available
for iPhone and other smartphones. WhatsApp uses your
3G or WiFi (when available) to message with friends and
family. Switch from SMS to WhatsApp to send and receive
messages, pictures, audio notes, and video messages. First
year FREE! ($0.99 USD/year after)
FONTE: Disponível em: <https://itunes.apple.com/us/app/whatsapp-messenger/
id310633997?mt=8>. Acesso em: 26 fev. 2014.

Ao ser questionado, você precisa voltar ao texto e procurar por informações


específicas para responder as questões. Fazer a leitura para procurar informações
específicas é o que chamamos de scanning.

MARCAS TIPOGRÁFICAS – São marcas que chamam a atenção do leitor


e podem estar em forma de números, símbolos, desenhos, tabelas etc. No texto
informativo que vimos acima, que descreve o aplicativo Whatsapp, podemos
ver o símbolo do aplicativo, que é um balão de fala com um telefone dentro.
Quem já utiliza o aplicativo, ao olhar para o texto, já imagina sobre o que ele está
falando devido ao desenho. Por isso é importante, além de ler o texto, procurar
por adicionais que possam ajudar na compreensão.

18
TÓPICO 1 | ENSINO E APRENDIZAGEM DE LÍNGUA ESTRANGEIRA

COGNATOS – Palavras cognatas, também chamadas de friends (amigas),


são palavras semelhantes às palavras na língua portuguesa. Muitas palavras,
principalmente na área da informática, são cognatas e ajudam na compreensão do
texto. Porém, precisamos cuidar com os falsos cognatos, ou false friends, que são
palavras com a escrita semelhante à língua portuguesa, mas têm um significado
totalmente diferente.

PALAVRAS REPETIDAS – Como o nome já diz, são palavras que se repetem


com frequência no texto. Quando há uma palavra que se repete bastante, é muito
importante saber o significado dela, pois isso facilitará a compreensão do texto.

Nas unidades seguintes exploraremos um pouco mais cada uma das


estratégias citadas acima.

19
UNIDADE 1 | INGLÊS NO MUNDO CONTEMPORÂNEO

LEITURA COMPLEMENTAR

ELABORAÇÃO DO CURRÍCULO EM INGLÊS

Atualmente as oportunidades de trabalhar no exterior são cada vez mais


acessíveis aos brasileiros, sejam elas em multinacionais, trabalho de férias em
estações de esqui ou parques de diversões, entre outros. Quando há interesse
em se candidatar a uma dessas vagas, não basta apenas traduzir o currículo do
português para o inglês. Confira algumas dicas para elaborar o seu currículo.

Assim como no currículo brasileiro, ao criar o seu currículo na língua


estrangeira, não insira informações falsas. Utilize folha de papel comum, com
fonte no mínimo 10 e no máximo 12 e não ultrapasse duas folhas.

Personal Information/ Dados Pessoais:

No padrão de currículo americano, por exemplo, você não deve colocar


informações pessoais como data de nascimento, estado civil ou número de filhos,
número de documentos ou religião. Além do nome, sobrenome, utilize essa parte
do currículo para acrescentar informações sobre contato, como telefone ou Skype,
e-mail e endereço.

Objective/ Objetivo:

Os recrutadores têm o interesse em saber o que o candidato está buscando,


por isso é de extrema importância que você coloque quais são os seus objetivos
em relação à vaga que você está interessado.

Qualifications Summary/ Resumo das Qualificações:

Aqui você deve expor as suas qualidades, qualificações, o que você sabe
fazer. Não confunda com a sua experiência profissional. Exemplo: Profissional
com mais de dez anos de experiência na criação de softwares para empresas têxteis.

Professional Background/ Histórico Profissional:

Você deve citar as empresas onde trabalhou, o período e a função que


desempenhou. Lembre-se de fazer isso em ordem decrescente, do emprego mais
recente ao mais antigo.

Academic Background/ Formação Acadêmica:

Seja objetivo e coloque apenas a graduação obtida, o nome da instituição


e o ano em que ocorreu a conclusão.

20
TÓPICO 1 | ENSINO E APRENDIZAGEM DE LÍNGUA ESTRANGEIRA

Language and Computer skills/ Idiomas e computação:

Coloque o idioma e o nível de fluência: basic, intermidiate, advanced,


fluent. Em relação ao computador, cite as suas áreas de conhecimento.

Extracurricular Courses/ Cursos extracurriculares:

Liste aqui apenas os cursos extras que estão relacionados à vaga na qual
você está se candidatando.

21
RESUMO DO TÓPICO 1
No presente tópico, Caro acadêmico, estudamos vários aspectos
relacionados ao ensino de língua inglesa, os quais apresentamos a seguir,
resumidamente:

• O inglês é considerado uma língua franca, pois é a língua de interação entre a


comercialização de produtos ao redor do mundo.

• Compreendemos o Letramento Digital, no qual a escrita e a leitura, antes


realizadas através de papel, caneta e livros, agora é feita através da tela do
computador.

• O aprendizado da língua estrangeira através do computador evoluiu ao longo


dos anos, fazendo com que os cursos de idiomas on-line crescessem cada vez
mais.

• O ensino de língua inglesa nas escolas é obrigatório a partir da quinta série ou


sexto ano, de acordo com os Parâmetros Curriculares Nacionais.

• O termo “inglês técnico” é utilizado para ilustrar que o aprendiz da língua está
focado no vocabulário de uma determinada área de atuação.

• O inglês técnico na área de informática conta com vocabulários e expressões


específicas para essa área e você pode conferir as expressões mais utilizadas.

• Exploramos o teclado do computador para compreender as abreviações e os


significados das suas teclas para melhorar o desempenho das suas funções.

• As estratégias de leitura ajudam na hora de compreender um texto no qual não


dominamos todos os vocabulários.

• Skimming é a estratégia de leitura que permite ao aprendiz compreender a ideia


geral do texto, sem se preocupar com a tradução do vocabulário. É uma leitura
rápida.

• Scanning é o tipo de leitura que o leitor faz para buscar informações específicas
no texto.

• Marcas tipográficas são os símbolos, tabelas, desenhos etc., que nos ajudam na
compreensão do texto.

22
• Cognatos são palavras que têm a mesma escrita ou a escrita parecida com a
língua portuguesa, facilitando a leitura de determinado texto.

• Palavras repetidas ajudam a compreender o texto e por isso é necessário saber


o significado de uma palavra que se repete diversas vezes.

• Para causar uma boa impressão ao se candidatar a uma vaga no exterior, é


preciso seguir alguns passos para elaborar um bom currículo em inglês.

23
AUTOATIVIDADE

Caro acadêmico, para melhor fixar o conteúdo apresentado neste tópico,


sugerimos que você resolva as questões abaixo:

1 Veja a imagem abaixo, sem se preocupar com a tradução do vocabulário. Aplique


aqui a estratégia de leitura SKIMMING. Leia rapidamente apenas para ter ideia
do que se trata.

FONTE: Disponível em: <www.visualeconomics.com>. Acesso em: 26 fev. 2014.

24
2 Leia cada questão e volte ao texto, agora aplicando a estratégia de leitura
SCANNING para encontrar as respostas.

1 22% of Japaneses spend their time on-line on social networking sites.

a) true
b) false
c) the text doesn’t say

2 People in Germany spend more time on social networking sites than people
in Greece.

a) true
b) false
c) the text doesn’t say

3 What was the most popular brand used by on-line visitors in the survey?

a) Facebook
b) Youtube
c) Google

4 People go on-line more often to watch vídeos than to get news.

a) true
b) false
c) the text doesn’t say

5 Social network is more popular in Brazil than in the United States.

a) true
b) false
c) the text doesn’t say

6 In a month, a person who uses the internet at all has visited more than 2.000
web pages.

a) true
b) false
c) the text doesn’t say

25
26
UNIDADE 1
TÓPICO 2

VERBOS NO PRESENTE

1 INTRODUÇÃO
Para compreender textos, além de vocabulários e expressões, também
é necessário entender a estrutura gramatical da língua inglesa. Nesta unidade,
exploraremos os verbos no presente e suas estruturas nas frases afirmativas,
negativas e interrogativas.

2 O USO DOS VERBOS NO PRESENTE


Assim como na língua portuguesa, na língua inglesa também temos
estruturas gramaticais para falar do passado, presente ou futuro. Enquanto no
português basta flexionar o verbo, no inglês, em muitos casos, contamos com a
ajuda de auxiliares.

2.1 VERBO TO BE
O verbo to be é um velho conhecido de todos nós, pois geralmente ele
aparece como uma das primeiras classes gramaticais ensinadas na escola. É
comum ouvir de estudantes que não aguentam mais aprender o verbo to be,
porém, muitos deles ainda não conseguem se expressar fazendo uso dele.

Em português, to be significa ser ou estar. Quem não se lembra da famosa


frase de Shakespeare, “To be or not to be, that is the question” (ser ou não ser,
eis a questão)? Porém, o significado de to be vai além do ser ou estar. Há muitas
expressões em que a tradução de to be passa a ser o verbo “ter”:

Quantos anos você tem? Forma correta: How old are you? Porém, é
comum encontrar “How old do you have?”, o que é totalmente incorreto. Ao
serem questionadas acerca da idade, muitas pessoas também respondem usando
o verbo to have: I have thirty years old. Sendo que a maneira correta de responder
a este questionamento é “I’m thirty years old”.

Os verbos to be são: am, is e are e o uso de cada um deles depende da sua


combinação com o pronome pessoal.
27
UNIDADE 1 | INGLÊS NO MUNDO CONTEMPORÂNEO

FIGURA 5 – EXEMPLOS DE USO DOS VERBOS TO BE

FONTE: A autora.

QUADRO 1 – VERBO TO BE – FORMA AFIRMATIVA

I am / I’m Eu sou/ Eu estou


You are/ You’re Você é/ Você está
He is/ He’s Ele é/ Ele está
She is/ She’s Ela é/ Ela está
It is/ It’s Ele é, Ela é/ Ele está, Ela está
We are/ We’re Nós Somos/ Nós Estamos
You are/ You’re Vocês são/ Vocês estão
Eles são, Elas são/
They are/ They’re
Eles estão, Elas estão

FONTE: A autora.

O verbo to be am é usado apenas para a primeira pessoa do singular (eu).


O verbo to be is é usado na terceira pessoa do singurar (ele ou ela). Já o verbo to be
are é usado para o plural, exceto quando usado com o pronome você. Perceba que
a escrita do você e vocês é igual e para saber se o texto está se referindo a você ou
vocês, é necessário compreender todo o contexto. A mesma coisa acontece com o
pronome they. Para saber se ele está sendo usado para se referir a eles ou a elas, é
preciso compreender o contexto. Veja o exemplo a seguir:

Google attracts employees around the world to work at the forefront of technology
and innovation. Although you don’t have to be an I.T. Professional to work there. Google’s
careers site lists opportunities in business strategy, finance and marketing, among others.
Joshua and Mark finished college last year and now they are trying to get a job at Google.

No exemplo acima, o pronome they se refere ao Joshua e ao Mark, mas ele


também pode ser usado para se referir ao gênero feminino ou a pessoas em geral,
sem definir o gênero.

28
TÓPICO 2 | VERBOS NO PRESENTE

Outro pronome que muitas vezes causa confusão é o it. Isso porque não
temos o uso desse pronome na língua portuguesa. It é usado para se referir a
lugares, coisas, objetos, animais etc. Porém, quando nos referimos aos nossos
animais ou animais de amigos, por exemplo, é preferível que se use he ou she.

Quando falamos de lugares, coisas, objetos ou animais no plural, deixamos


de usar it e passamos a usar they.

Apple computers are great. They are sophisticated and technological.


Repare que they está se referindo aos computadores.

This applicative allows you to meet new people. It is perfect to find dates.
Aqui o pronome it está se referindo ao aplicativo, pois é apenas um.

No quadro acima você também pode conferir a forma contraída dos verbos.
Não há diferença em dizer “He is a programmer” ou “He’s a programmer”. O
sentido da frase é o mesmo, apenas a forma de escrever é que muda um pouco.

ATENCAO

Em inglês, o pronome I (eu) é sempre escrito com letra maiúscula,


independente da sua posição na frase.

Observe a seguinte afirmação dada pelo Presidente Barack Obama sobre


a morte de Steve Jobs:

“Michelle and I are saddened to learn of the passing of Steve Jobs. Steve was
among the greatest of American innovators - brave enough to think differently, bold
enough to believe he could change the world, and talented enough to do it.[...]”

FONTE: Disponível em: <http://www.whitehouse.gov/blog/2011/10/05/president-obama-


passing-steve-jobs-he-changed-way-each-us-sees-world>. Acesso em: 26 fev. 2014.

Perceba que no início da afirmação temos “Michelle and I”. Este I é escrito
com letra maiúscula, mesmo que não esteja iniciando a frase. Ainda podemos
perceber que o verbo to be utilizado após I é o verbo are. Por que neste caso o
verbo to be am não foi utilizado? Porque o verbo to be am é utilizado apenas com o
pronome EU. Porém, a afirmação acima é de “Michelle and I” (Michelle e eu), que
significa we (nós). Por isso, o verbo to be empregado corretamente é o are e não am.

29
UNIDADE 1 | INGLÊS NO MUNDO CONTEMPORÂNEO

QUADRO 2 – VERBO TO BE – FORMA NEGATIVA

I am not/ I’m not Eu não sou/ Eu não estou


You are not/ You aren’t Você não é/ Você não está
He is not/ He isn’t Ele não é/ Ele não está
She is not/ She isn’t Ela não é/ Ela não está
It is not/ It isn’t Ele, Ela não é/ Ele, Ela não está
We are not/ We aren’t Nós não somos/ Nós não estamos
You are not/ You aren’t Vocês não são/ Vocês não estão
They are not/ They aren’t Eles, Elas não são/ Eles, Elas não estão

FONTE: A autora

A forma negativa do verbo to be é muito simples, basta colocar o not (não)


após o verbo to be. Por exemplo: Inglês não é difícil – English is not difficult, ou você
ainda pode optar pela forma contraída English isn’t difficult.

QUADRO 3 – VERBO TO BE – FORMA INTERROGATIVA


Am I? Eu sou? Eu estou?
Are you? Você é? Você está?
Is he? Ele é? Ele está?
Is she? Ela é? Ela está?
Is it? Ele é, Ela é? Ele está, Ela está?
Are we? Nós Somos? Nós Estamos?
Are you? Vocês são? Vocês estão?
Are they? Eles, Elas são? Eles, Elas estão?

FONTE: A autora

Para finalizar o verbo to be, temos a forma interrogativa do verbo.


Enquanto na estrutura da forma afirmativa temos Sujeito + Verbo to be, para fazer
questionamentos no presente com o verbo to be, invertemos a ordem: Verbo to be
+ Sujeito.

Na língua portuguesa, quando fazemos questionamentos, além do ponto


de interrogação no fim da frase, mudamos a entonação da voz. Na língua inglesa,
além do ponto de interrogação, da entonação da voz, também temos alterações na
estrutura da frase para mostrar que aquela frase será um questionamento.

Para responder a questionamentos, temos duas opções. Podemos fazer a


resposta de forma completa.

Are you single? Yes, I’m single.

30
TÓPICO 2 | VERBOS NO PRESENTE

Ou então você pode responder apenas com respostas curtas, formadas


pelo Sujeito + Verbo to be.

Are you married? Yes, I’m. ou No, I’m not.

QUADRO 4 – RESPOSTAS CURTAS

Yes, I’m No, I’m not


Yes, you’re No, you aren’t
Yes, he’s No, he isn’t
Yes, she’s No, she isn’t
Yes, it’s No, it isn’t
Yes, we’re No, we aren’t
Yes, you’re No, you aren’t
Yes, they’re No, they aren’t

FONTE: A autora

Vimos até aqui a construção das frases usando o verbo to be nas formas
afirmativa, negativa e interrogativa. Veja alguns exemplos para fixar essa estrutura.

Verbo to be – forma afirmativa – Sujeito + Verbo to be + complemento


A bridge is a hardware and software combination used to connect the same type of networks.
I’m a great professional.
CD-Rs are recordable.

Verbo to be – Forma negativa – Sujeito + verbo to be + NOT + complemento


A router is not an interface that enables dissimilar networks to communicate.
CD-ROMs aren’t expensive.
I’m not a web designer.

Verbo to be – Forma interrogativa – Verbo to be + sujeito + complemento


Is a backbone is the main transmission path?
Are floppy disks cheap?
Am I late for work?

31
UNIDADE 1 | INGLÊS NO MUNDO CONTEMPORÂNEO

2.2 PRESENT CONTINUOUS


O presente contínuo é usado para expressar uma ação em progresso, que
está acontecendo no momento da fala ou que está acontecendo no presente, mas
não necessariamente enquanto falamos. As terminações dos verbos na língua
portuguesa com “ando”, “endo” e “indo” em inglês são trocadas por “ing”.

2.2.1 Present Continuous – Forma Afirmativa


Estrutura: Sujeito + Verbo to be + Verbo com ING + Complemento

I’m taking a course in Computer Science. Eu estou fazendo um curso de


Ciência da Computação.
He is working at Yahoo. Ele está trabalhando na Yahoo.
We’re studying for our test. Nós estamos estudando para o nosso teste.

2.2.2 Present Continuous – Forma negativa


Para formar a estrutura negativa do presente contínuo, basta acrescentar
o not após o verbo to be.

Estrutura: Sujeito + Verbo to be + NOT + Verbo com ING + Complemento

They aren’t interested in buying new computers. Eles não estão interessados
em comprar novos computadores.

She isn’t playing on-line games. Ela não está jogando jogos on-line.
I’m not working at night. Eu não estou trabalhando à noite.

2.2.3 Present Continuous – Forma interrogativa


Assim como no presente to be, na estrutura do presente contínuo, para
construirmos a frase na forma interrogativa, invertemos a posição do sujeito e do
verbo to be.

Estrutura: Verbo to be + Sujeito + Verbo com ING + Complemento

Are they learning the Java Language? Eles estão aprendendo a linguagem
Java?

Is the computer working properly? O computador está funcionando


corretamente?

32
TÓPICO 2 | VERBOS NO PRESENTE

As regras do presente contínuo são simples. Na maioria dos verbos, você


deve apenas acrescentar o ING. Porém, há algumas exceções. Na maioria dos
verbos terminados em consoante+vogal+consoante, dobra-se a última consoante
e então, adiciona-se o ING:

Cut (cortar) – cutting – He’s cutting the apples.


Swim (nadar) – swimming – They’re swimming in the pool.
Stop (parar) – stopping – He’s stopping the traffic.

Na maioria dos verbos terminados com a letra E, tira-se a letra E e, então,


acrescenta-se ING.

Dance (dançar) – dancing – She’s dancing her favorite song.


Come (vir) – coming – He’s coming for dinner.
Live (morar) – living – I’m not living with my parents.

ATENCAO

O verbo have (ter) não pode ser usado com o ing quando se indica posse.
Exemplo: I’m having a headache. ERRADO. O correto é I have a headache. Porém, em
expressões como “have fun” (se divertir) ou “have dinner” (jantar) você pode usar o present
contínuous: I’m having fun. She’s having dinner with her boyfriend.

2.3 SIMPLE PRESENT


O presente simples é o tempo verbal utilizado para expressar ações de
rotina, que realizamos sempre. Exemplos:

- I work from 8:00 a.m. to 6 p.m. – Eu trabalho das oito da manhã às seis da tarde.
- She eats pizza once a week – Ela come pizza uma vez por semana.
- We change our smartphone every year – Nós trocamos nosso smartphone todo ano.

Quando fazemos uso do Presente Simples, não fazemos mais uso do verbo
to be. Isso porque o verbo to be se refere aos verbos “ser” e “estar”, porém agora não
estamos mais fazendo uso desses verbos, e sim dos demais verbos no tempo presente.

33
UNIDADE 1 | INGLÊS NO MUNDO CONTEMPORÂNEO

2.3.1 Presente Simples – Forma Afirmativa


Na forma afirmativa, a estrutura utilizada é a do Sujeito + Verbo no
infinitivo (sem o to), ou seja, aquela forma do verbo encontrada no dicionário.
Porém, na forma afirmativa, os verbos sofrem algumas alterações quando usados
com a terceira pessoa do singular (he, she, it). Na regra geral, acrescentamos o S no
verbo para essas pessoas. Exemplos:

She writes an email to her mom every week. Ela escreve um e-mail para a mãe dela
uma vez por semana.
He wants to create a new software. Ele quer criar um novo software.
It works without battery. Funciona sem bateria.

Na maioria dos verbos que utilizamos na terceira pessoa do singular,


basta acrescentar a letra S. Porém, há algumas exceções.

Quando o verbo terminar em Y precedido de consoante, tira-se o Y e


acrescenta-se IES:

Study – studies Jeff studies math every day.

Mas, quando um verbo é terminado em Y precedido de vogal, apenas


acrescentamos o S:

Play – plays He plays videogame almost every weekend.

Quando os verbos terminarem em SH, CH, SS, X, e O, acrescenta-se ES:

Watch – watches He watches TV at night.


Kiss – kisses His mom kisses him before living home.

ATENCAO

Acrescentamos o S no verbo quando ele é usado na terceira pessoa do


singular. Isso acontece apenas na forma afirmativa.

Porém, quando utilizamos verbos com a primeira pessoa do singular (I) e


com os demais pronomes (We, You, They), o verbo não sofre nenhuma alteração.
Deixamos o verbo na forma do infinitivo sem o to, com a mesma forma escrita no
dicionário. Exemplos:

I give my password to my son when he wants to play on my computer.

34
TÓPICO 2 | VERBOS NO PRESENTE

Eu dou a minha senha para o meu filho quando ele quer jogar no meu
computador.

We look at some websites for business, education, entertainment or information.


Nós olhamos alguns sites para negócios, educação, entretenimento ou
informação.

They hate those silly boxes in Web pages.


Eles odeiam aquelas caixas bobas em páginas da web.

You have to use the horizontal scroll bar.


Você tem que usar a barra de rolagem horizontal.

2.3.2 Presente Simples – Forma negativa


Para a construção das frases na forma negativa, contamos com dois
auxiliares: don’t e doesn’t. Usamos o auxiliar don’t para I, you, we e they. O auxiliar
doesn’t para he, she e it. Porém, na forma negativa, não acrescentamos S no verbo
quando usamos a terceira pessoa do singular. O verbo fica na forma do infinitivo.

She doesn’t write an email to her mom every week.


He doesn’t want to create a new software.
It doesn’t work without battery.

Perceba que para as três pessoas do singular, she, he e it, usamos o auxiliar
doesn’t para fazer a negação da frase e os verbos não sofreram nenhuma alteração.

Para os demais pronomes, I, you, we e they, utilizaremos o auxiliar don’t.

I don’t give my password to my son when he wants to play on my computer.


We don’t look at some websites for business, education, entertainment or information.
They don’t hate those silly boxes in Web pages.
You don’t have to use the horizontal scroll bar.

2.3.3 Presente Simples – Forma interrogativa


Na forma interrogativa do presente simples, também usamos dois
auxiliares: DO e DOES. O auxiliar Do usamos antes dos pronomes I, You, We e
They. Já o auxiliar Does, utilizamos antes dos pronomes He, She e It. Lembre-se
de que na forma interrogativa, com todos os pronomes, o verbo fica na forma
interrogativa, sem acrescentar a letra S.

Observe a forma interrogativa dos pronomes na terceira pessoa do singular:

Does she write an email to her mom every week?


Does he want to create a new software?
Does It work without battery?

35
UNIDADE 1 | INGLÊS NO MUNDO CONTEMPORÂNEO

Agora, observe como ficará a estrutura dos questionamentos com os


demais pronomes:

Do I need to give my password to you?


Do we have to look at some websites for business and education?
Do they hate those silly boxes in Web pages?
Do you have to use the horizontal scroll bar?

DICAS

Você quer aprofundar o seu conhecimento sobre os verbos no presente? Faça


uso de uma gramática de inglês: TORRES, Nelson. Gramática prática da Língua Inglesa: o
inglês descomplicado. 9. ed. Saraiva, 2007.

3 WH QUESTIONS

FIGURA 6 – WH QUESTIONS

FONTE: A autora

As perguntas que são introduzidas por meio de pronomes interrogativos


são chamadas de Wh questions. Elas são usadas para fazer algum tipo de
questionamento. As Wh question são:

36
TÓPICO 2 | VERBOS NO PRESENTE

QUADRO 5 – WH QUESTIONS

What o que, qual, quais


Where onde, aonde
Why por que
When quando
Who quem
Whose de quem, cujo, cuja
Which qual, quais
How como

FONTE: A autora

Veja alguns exemplos no diálogo abaixo:

- Do you download music from the internet? (Você faz download de músicas da
internet?)
- Yes, I do. (Sim, eu faço)
- What site do you use? (Que site você usa?)
- There are many sites you can use, why? (Há muitos sites que você pode usar, por
quê?)
- Because I want to download some rock songs. (Porque eu quero baixar algumas
músicas de rock).
- I know some artists whose songs you should listen to. (Eu conheço alguns artistas
cujas músicas você deve ouvir).
- What artists? (Quais artistas).
- Let’s see. Which artist do you prefer: Elvis Presley or Bob Dylan? (Deixe-me ver. Qual
artista você prefere: Elvis Presley ou Bob Dylan?).
- I don’t know. Where are they from? (Eu não sei. De onde eles são?).
- Both of them are from the United States. Elvis Presley died years ago. (Ambos são dos
Estados Unidos. Elvis Presley morreu anos atrás).
- When did he die? (Quando ele morreu?).
- He died in 1977. It was a long time ago, but he’s still one of the most famous artists.
(Ele morreu em 1977. Foi há muito tempo, mas ele ainda é um dos artistas mais
famosos).
- How did he die? (Como ele morreu?)
- I don’t remember. (Eu não lembro).
- And Bob Dallas? (E Bob Dallas?)
- Who??? (Quem???).
- The other one you said. (O outro que você disse).
- Oh, Bob Dylan. He’s also great. Come on, you have to decide. I don’t have all day. (Ah,
Bob Dylan. Ele também é ótimo. Vamos lá, você precisa decidir. Eu não tenho o
dia todo).
- OK! I choose Elvis Presley. (OK! Eu escolhi Elvis Presley).
- Great choice! (Ótima escolha!).

37
UNIDADE 1 | INGLÊS NO MUNDO CONTEMPORÂNEO

DICAS

Which é usado quando se dá opções. Exemplo: Which programming language


do you prefer: VB or Java?

Apesar de How não iniciar com WH, ele também é incluído nas Wh questions.

4 PLURAL OF NOUNS
O Plural dos substantivos em inglês, no geral, é similar ao da língua
portuguesa. Basta acrescentar a letra S:

notebook (caderno) – notebooks


meeting (reunião) – meetings
professional (profissional) – professionals

Agora, veja a forma do plural em determinados casos:

Para os substantivos terminados com as letras SH, CH, SS, X, Z e O


recebem o ES para fazer o plural:

brush (escova) – brushes


watch (relógio de pulso) – watches
kiss (beijo) – kisses
fox (raposa) – foxes
buzz (zumbido) – buzzes
potato (batata) – potatoes

ATENCAO

Para os substantivos terminados em CH com o som de /k/, acrescenta-se


apenas a letra S:

stomach (estômago) – stomachs


monarch (monarca) – monarchs
Nas palavras de origem estrangeira terminadas em O ou palavras abreviadas, o plural é feito
acrescentando apenas a letra S:
piano (piano) – pianos
zoo (zoológico) – zoos
photo (foto) – photos
kilo (quilos) – kilos

38
TÓPICO 2 | VERBOS NO PRESENTE

Para os substantivos terminados com a letra Y precedidos de consoante,


troca-se o Y por IES:

country (país) – countries


dictionary (dicionário) – dictionaries
city (cidade) – cities

Para os demais substantivos que terminam com a letra Y, mas são


precedidos de vogal, aplica-se a regra geral, acrescentando apenas a letra S:

day (dia) – days


key (chave) – keys
guy (sujeito) – guys

Palavras terminadas em F ou FE seguem a regra geral, acrescentando


apenas a letra S:

chief (chefe) – chiefs


safe (cofre) – safes
proof (prova) – proofs

Porém, há 13 substantivos terminados em F ou FE que não seguem a


regra geral. Para passar esses 13 substantivos para o plural, retira-se o F ou FE e
acrescenta-se o VES:

loaf (bisnaga de pão) – loaves


life (vida) – lives
leaf (folha) – leaves
knife (faca) – knives
half (metade) – halves
elf (elfo) – elves
calf (bezerro) – calves
self (si mesmo) – selves
sheaf (feixe) – sheaves
shelf (prateleira) – shelves
thief (ladrão) – thieves
wife (esposa) – wives
wolf (lobo) – wolves

39
UNIDADE 1 | INGLÊS NO MUNDO CONTEMPORÂNEO

ATENCAO

Alguns substantivos terminados em F ou FE aceitam a forma do plural tanto


com a letra S ou trocando F ou FE por VES:

dwarf (anão) – dwarfs / dwarves


hoof (casco) – hoofs / hooves
scarf (cachecol) – scarfs / scarves
staff (equipe) – staffs / staves
wharf (cais) – wharfs/ wharves

Para letras, numerais, siglas e abreviaturas o plural é feito com ‘s ou


apenas a letra s:

in the 70’s (nos anos 70)


I have four CDs (Eu tenho quatro CDs)

Algumas palavras de origem latina ou grega têm regras diferenciadas


para a sua formação no plural.

Para os substantivos com final ON (grego) fazem o plural trocando a sua


terminação ON pela letra A:

criterion (critério) – criteria


phenomenon (fenômeno) – phenomena

Porém, há algumas exceções. Veja as principais:

demon (demônio) – demons


electron (elétron) – electrons
neutron (nêutron) – nêutrons
proton (próton) – prótons

Para os substantivos que terminam em IS (origem grega) o plural é feito


substituindo a sua terminação por ES:

analysis (análise) – analyses


basis (base) – bases
crisis (crise) – crises
hypothesis (hipótese) – hypotheses

Principal exceção: metropolis (metrópole) – metropolises

40
TÓPICO 2 | VERBOS NO PRESENTE

Para o plural de palavras de origem latina terminadas em UM, o plural é


feito substituindo a sua terminação por ES:

bacterium (bactéria) – bacteria


currículum (currículo) – curricula

Principais exceções:

album (álbum) – albums


forum (fórum) – forums
museum (museu) – museums

Algumas palavras possuem a mesma forma no singular e no plural:

sheep (ovelha, ovelhas)


fish (peixe, peixes)
fruit (fruta, frutas)
means (meio, meios)
species (espécie, espécies)
series (série, séries)

Por fim, temos alguns substantivos irregulares. Isso quer dizer que eles
não seguem nenhuma regra.

foot (pé) – feet


mouse (camundongo) – mice
tooth (dente) – teeth
child (criança) – children
man (homem) – men
woman (mulher) – women

41
UNIDADE 1 | INGLÊS NO MUNDO CONTEMPORÂNEO

LEITURA COMPLEMENTAR

ESCREVER UM E-MAIL EM INGLÊS

Por mais que e-mails, mesmo no mundo dos negócios, são menos
informais, você deve seguir alguns padrões para que a linguagem utilizada não
fique informal demais.

Assunto

Assim como na língua portuguesa, o título usado no assunto deve ser claro
e objetivo. Ele deve especificar a finalidade daquele e-mail. Uma dica é escrever o
assunto apenas após você concluir a escrita do e-mail, pois assim será mais fácil
escolher palavras-chave que melhor descrevem o assunto abordado.

Início do e-mail

Comece o seu e-mail com uma saudação. Dependendo da sua relação com
o destinatário, você pode iniciar com “Dear John” (Querido John) ou, ao invés de
utilizar o primeiro nome do destinatário, utilize o sobrenome. “Dear Mr. Presley”.

Atenção para alguns pronomes de tratamento:

- Mr. é a abreviação de “mister” usado para o sexo masculino. Você pode utilizar
tanto para homens casados ou solteiros.
- Mrs. é usado apenas para mulheres casadas.
- Miss: é usado para mulheres solteiras.

Ainda há a forma Ms. – que pode ser utilizada para mulheres solteiras ou
casadas. Ele foi criado por um movimento feminista que questionava o motivo do
uso de um mesmo pronome de tratamento para homens, casados ou não, porém,
para as mulheres, havia a necessidade de especificar o seu estado civil. Porém,
algumas mulheres ainda preferem as formas tradicionais.

Outros dois pronomes de tratamento conhecidos são Sir, usado para


homens, e Ma’am, usado para mulheres. Esses pronomes não devem ser utilizados
na escrita. Eles são usados para chamar ou conversar com alguém que você não
sabe o nome. Se você está enviando um e-mail para uma empresa, a sugestão é
que se use “To whom it may concern” (a quem possa interessar).

Corpo da mensagem

Para introduzir o assunto do e-mail, novamente você deve ser objetivo.


Utilize expressões como “I’m writing with regard to...” (Estou escrevendo em
relação a...), “Your name was given me by...” (O seu nome me foi dado por...) ou
ainda “I’m writing to enquire about...” (Eu estou escrevendo para informar sobre...).

42
TÓPICO 2 | VERBOS NO PRESENTE

Se você estiver respondendo um e-mail, pode iniciar o e-mail com “Thank you for
your answer” (obrigado pela sua resposta).

Concluir um e-mail

Dependendo da natureza da sua mensagem, há várias maneiras de se


encerrar um e-mail. Aqui estão algumas sugestões:

“If you have any questions or concerns, don’t hesitate to let me know”. (Se você
tiver alguma dúvida ou preocupação, não hesite em me avisar).

“I look forward to hearing from you soon”. (Eu estou ansioso para ouvir de
você em breve).

“Thank you for your consideration”. (Obrigado pela sua consideração).

Por fim, utilize um fechamento com o seu nome:

“Thank you, Jack Peppers”. (Obrigado, Jack Peppers).


“Best Regards, Michelle Silva”. (Cumprimentos, Michelle Silva)
“Sincerely, Marcos Santos”. (Sinceramente, Marcos Santos).

Anexos

Se você estiver encaminhando algum anexo, pode utilizar expressões


como “Please find attached” (Segue em anexo) ou “Please find below” (Veja abaixo),
caso você esteja encaminhando algum e-mail.

DICAS

Quer conhecer mais expressões para utilizar na composição de um e-mail


em inglês? Acesse o dicionário on-line com esse tipo de expressões. Disponível em: <http://
en.bab.la/phrases/business/email/english-portuguese/>. Acesso em: 27 fev. 2014.

43
RESUMO DO TÓPICO 2
Caro acadêmico, no presente tópico estudamos vários aspectos
relacionados à estrutura gramatical dos tempos verbais no presente:

• O verbo to be é composto por AM, IS e ARE e o seu uso depende do pronome


utilizado.

• O verbo to be AM é utilizado com a primeira pessoa do singular, I. Na forma


negativa, basta acrescentar o NOT, formando I am not ou a forma contraída,
I’m not. Para fazermos questionamentos usando o pronome Eu, basta colocar o
verbo to be na frente do sujeito. Am I?

• Em seguida vimos o uso do verbo to be IS, utilizado com a terceira pessoa do


singular, he (ele), she (ela) e it (ele ou ela usado para coisas, lugares, animais
etc. no singular). Na negação, acrescenta-se o NOT, exemplo: he is not. Ou ainda
pode-se usar a forma abreviada: isn’t. Para a forma interrogativa, o verbo to be IS
passa para a frente do sujeito: Is he? Is she? Is it?

• O verbo to be ARE é utilizado com os pronomes You (você, vocês), We (nós), They
(eles ou elas, usado tanto para pessoas quanto para lugares, animais, coisas
etc.). Na forma negativa usamos o not: You are not, We are not e They are not ou a
forma contraída: aren’t. You aren’t, We aren’t e They aren’t. Para questionamentos,
usamos o verbo to be na frente do sujeito. Are you? Are we? Are they?

• O Present Contínuos é formado pelo sujeito, o verbo to be e o verbo acrescido de


ING. Essa estrutura serve para mostrar que uma ação está em progresso.

• Na regra geral, basta acrescentar o ING no verbo para flexioná-lo, porém, há


algumas regras que modificam alguns verbos, dependendo da sua terminação.

• A forma negativa e interrogativa segue a regra apresentada no verbo to be. Na


negação basta acrescentar o NOT ou usar a forma contraída, e na interrogação
o verbo to be fica na frente do sujeito.

• A última estrutura gramatical dos verbos no presente apresentada foi o Presente


Simples. Essa estrutura é utilizada para falarmos de situações rotineiras.

• Na forma afirmativa, para os sujeitos na terceira pessoa do singular (he, she, it),
basta acrescentar o S no verbo.

44
• Alguns verbos, dependendo da sua terminação, são acrescidos de ES ou têm a
sua terminação em Y substituída por IES.

• Para os demais sujeitos (I, you, we e they), usamos o verbo no infinitivo, sem o to.

• Na forma negativa, contamos com dois auxiliares: don’t e doesn’t. Utilizamos o


auxiliar don’t para I, you, we e they, enquanto doesn’t é utilizado com he, she e it.

• Já na forma interrogativa, os auxiliares usados são: Do e Does antes do sujeito.


Tanto na forma negativa quanto na forma interrogativa, o verbo utilizado deve
estar no infinitivo sem o to.

• As Wh Questions são pronomes interrogativos utilizados em perguntas. São


eles: What, Where, When, Who, Whose, Which, Why e How.

• Conhecemos as diferentes regras para o plural dos substantivos.

• Por fim, conferimos algumas dicas para compor um e-mail em inglês.

45
AUTOATIVIDADE

Caro acadêmico, para melhor fixar o conteúdo apresentado neste


tópico, sugerimos que você resolva a seguinte atividade:

Leia o texto abaixo e responda às questões:

Social Networking Sites by Kenneth Beare

Social Networks

Do the names MySpace, Facebook, Orkut, etc. ring a bell? They probably
do because they are some of the most popular sites on the internet today.
These sites are all called ‘social networking’ sites because they help people
meet and discuss things online. Each of these social networking sites has its
own strengths: MySpace is especially popular among teenagers, Facebook
is popular with college age people, Orkut is especially loved in Brazil, and
CyWorld is the site to visit in South Korea. The common thread between all of
these social networks is that they provide a place for people to interact, rather
than a place to go to read or listen to ‘content’.

Web 2.0

Social networks are considered to be web 2.0. What does this mean?
To understand this, it’s important to understand what the original web did
(often called web 1.0). Back in the nineties, the internet - or web - was a place
to go to read articles, listen to music, get information, etc. Most people didn’t
contribute to the sites. They just ‘browsed’ the sites and took advantage of
the information or resources provided. Of course, some people did create
their own sites. However, creating a site was difficult. You needed to know
basic HTML coding (the original language the internet uses to ‘code’ pages).
It certainly wasn’t something most people wanted to do as it could take hours
to get a basic page just right. Things began to get easier when blogs (from web
log) were introduced. With blogs, many more people began writing ‘posts’, as
well as commenting on other people’s blogs.

MySpace Surprises Everybody

In 2003 a site named MySpace took the internet by storm. It was trying
to mimic the most popular features of Friendster, the first social networking
site. It quickly became popular among young users and the rest was history.
Soon everyone was trying to develop a social networking site. The sites didn’t
provide ‘content’ to people, they helped people create, communicate and

46
share what they loved including music, images and videos. They key to the
success of these sites is that they provide a platform on which users create
the content. This is very different from the beginning of the internet which
focused on providing ‘content’ for people to enjoy.

Key to Success

Relying on users to create content is the key to the success of web 2.0
companies. Besides the social networking sites discussed here, other huge
success stories include: Wikipedia, Digg.com and the latest success - Twitter.
All of these companies rely on the desire of users to communicate with each
other, thereby creating the ‘content’ that others want to consume.
FONTE: Disponível em: <http://esl.about.com/od/readingintermediate/a/r_social.htm>.
Acesso em: 10 dez. 2013.

No texto acima podemos conferir várias estruturas gramaticais


utilizadas no presente, como vimos no Tópico 2, que facilitam na compreensão
do texto.

A seguir, resolva as questões de acordo com o texto “Social


Networking Sites”:

1 Qual site de rede social não foi mencionado no texto?

a) My Space
b) Linkedln
c) Facebook

2 O que é o Facebook?

a) Um blog
b) Um site de conteúdo
c) Um site de rede social

3 Onde o Orkut é muito popular?

a) In Japan
b) In South Korea
c) In Brazil

4 Que frase melhor descreve o que as pessoas fazem nas redes sociais?

a) Elas interagem com outras pessoas


b) Elas procuram artigos e outros conteúdos
c) Elas codificam páginas em HTML

47
5 Redes sociais são consideradas:

a) 1.0 sites
b) 2.0 sites
c) blogs

6 A internet original foi criada para:

a) interagir com as pessoas


b) criar páginas em HTML
c) acessar diferentes conteúdos

7 Por que muitas pessoas não criavam páginas na internet?

a) Elas não gostavam de se comunicar com outras pessoas


b) Elas não se sentiam confortáveis em codificar páginas HTML
c) Elas não sabiam que podiam criar páginas na internet

8 Qual a melhor descrição de sites de web 2.0?

a) Eles são sites de conteúdos dirigidos


b) Eles são plataformas de interação
c) Eles são como blogs, mas melhores

9 Do que dependem os sites de web 2.0?

a) Artigos escritos por jornalistas profissionais


b) Usuários que criam conteúdos
c) Conexões rápidas de internet

10 O que é mais importante para estes novos sites?

a) O desejo dos usuários de se comunicarem uns com os outros


b) O desejo dos usuários de lerem conteúdos interessantes escritos por
profissionais
c) O desejo dos usuários de aprenderem codificação

48
UNIDADE 1
TÓPICO 3

VERBOS NO PASSADO

1 INTRODUÇÃO
Outro tempo verbal fundamental para a compreensão de texto ou
comunicação é o passado. Nesta unidade veremos a estrutura do Passado Simples
e do Passado Contínuo. Agora que você já está familiarizado com o Presente
Simples e o Passado Contínuo, a fixação do Passado será uma atividade fácil,
uma vez que eles têm estruturas similares.

2 VERBOS NO PASSADO
O passado contínuo e o passado simples têm funções específicas para o
seu uso no passado. A seguir exploraremos cada um deles.

2.1 VERB TO BE – PAST TENSE


No Tópico 2 vimos que o verbo to be corresponde aos verbos “ser” e
“estar” da língua portuguesa. No passado, o verbo to be é traduzido como “era”
e “estava”.

Utilizar o verbo to be no passado também é muito simples. Para os verbos


AM e IS usados no presente, usamos WAS no passado. E o verbo to be ARE no
passado fica WERE. Acompanhe o quadro abaixo:

49
UNIDADE 1 | INGLÊS NO MUNDO CONTEMPORÂNEO

QUADRO 6 – VERDO TO BE PRESENTE/PASSADO

Verbo to be – Presente Verbo to be - Passado

I am I was (Eu era, estava)


You are You were (Você era, estava)
He is He was (Ele era, estava)
She is She was (Ela era, estava)
It is It was (Ele, Ela era, estava)
We are We were (Nós éramos, estávamos)
You are You were (Vocês eram, estavam)
They are They were (Eles, Elas eram, estavam)

FONTE: A autora.

Veja alguns exemplos:

When I was a kid, I was afraid of dogs. (Quando eu era criança, eu tinha medo de
cachorros).

These shoes were expensive. (Esses sapatos eram caros).

Para usarmos o verbo to be no passado nas formas negativas e interrogativas,


usamos a mesma estrutura do verbo to be no presente:

QUADRO 7 – VERBO TO BE FORMA NEGATIVA E INTERROGATIVA


Forma negativa Forma interrogativa
I was not Was I?
You were not Were you?
He was not Was he?
She was not Was she?
It was not Was it?
We we not Were we?
You were not Were you?
They were not Were they?

FONTE: A autora.

Para a forma negativa, você também pode utilizar a forma contraída.


Neste caso, was not passa a ser wasn’t e were not, weren’t.

Acompanhe os exemplos abaixo:

Presente: What is the effect of a vírus patching the operating system?


Passado: What was the effect of a vírus patching the operating system?

50
TÓPICO 3 | VERBOS NO PASSADO

Presente: Downloading music is great.


Past: Downloading music was great.

Presente: The satelites are 17,000 kms. Above the earth.


Past: The satelites were 17,000 kms. Above the earth.

Presente: Why are some viruses designed to be loaded into memory?


Past: Why were some viruses designed to be loaded into memory?

Alguns advérbios de tempo são frequentemente utilizados com as


estruturas no passado, como yesterday (ontem), last week (semana passada), last
month (mês passado), one hour ago (uma hora atrás), entre outros.

2.2 PAST CONTINUOUS


O passado contínuo serve para indicar que uma ação estava em andamento
em determinado momento no passado. O passado contínuo é formado pelo
sujeito + verbo to be no passado (was/were) + verbo com ing + complemento.

Veja como fica a estrutura das frases afirmativas, negativas e interrogativas
no passado contínuo usando como exemplo o verbo “to download”:

QUADRO 8 – FORMA AFIRMATIVA/NEGATIVA/INTERROGATICA DO VERBO TO DOWNLOAD

Forma afirmativa Forma negativa Forma interrogativa


I was downloading I wasn’t downloading Was I downloading?
You were downloading You weren’t downloading Were you downloading?
He was downloading He wasn’t downloading Was he downloading?
She was downloading She wasn’t downloading Was she downloading?
It was downloading It wasn’t downloading Was it downloading?
We were downloading We weren’t downloading Were we downloading?
You were downloading You weren’t downloading Were we downloading?
They were downloading They weren’t downloading Were they downloading?

FONTE: A autora

2.3 SIMPLE PAST


O passado simples é o tempo verbal utilizado para indicar uma ação
já concluída em determinado tempo no passado. Na forma afirmativa, para os
verbos regulares basta acrescentar ED aos verbos:

Start (começar) – started (começou)


Finish (terminar) – finished (terminou)

51
UNIDADE 1 | INGLÊS NO MUNDO CONTEMPORÂNEO

Para os verbos regulares que terminam com a letra E, basta acrescentar o D:

Dance (dançar) – danced (dançou)


Love (amar) – loved (amou)

Para os verbos regulares que terminam com a letra Y e são precedidos de


consoante, tira-se o Y e acrescenta-se o IED:

Cry (chorar) – cried (chorou)


Study (estudar) – studied (estudou)

Porém, nos verbos regulares que terminam em Y, mas são precedidos de


vogal, apenas acrescenta-se o ED:

Play (jogar) – played (jogou)

Para os verbos terminados em consoante+vogal+consoante, dobra-se a


última consoante para então acrescentar o ED:

Stop (parar) – stopped (parou)


Slip (escorregar) – slipped (escorregou)

Porém, assim como na língua portuguesa há exceções, na língua inglesa


não é diferente. Há verbos que não seguem nenhuma regra e têm a sua forma
própria no passado. Veja alguns exemplos:

see (ver) – saw (viu)


eat (comer) – ate (comeu)
drink (beber) – drank (bebeu)

Como não há regra para os verbos irregulares do passado, a única maneira


é decorá-los e a melhor maneira de fazer isso é praticando, ou seja, usando os
verbos no seu dia a dia.

Veja a lista com outros verbos irregulares:

QUADRO 9 – VERBOS IRREGULARES

Infinitive Simple Past  Translation


(infinitivo) (Passado) (Tradução)
to arise arose surgir, erguer-se
to awake awoke despertar
to be was, were ser, estar
to bear bore nascer
to beat beat bater
to become became tornar-se

52
TÓPICO 3 | VERBOS NO PASSADO

to begin began começar


to bet bet apostar
to bite bit morder
to bleed bled sangrar
to blow blew soprar
to break broke quebrar
to bring brought trazer
to build built construir
to burn burnt (burned) queimar
to buy bought comprar
to catch caught caçar
to choose chose escolher
to come came vir
to cost cost custar
to cut cut cortar
to dig dug cavar
to do did fazer
to draw drew desenhar
to drink drank beber
to drive drove dirigir
to eat ate comer
to fall fell cair
to feed fed  dar de comer
to feel felt sentir
to fight fought lutar
to find found encontrar
to fly flew voar
to forbid forbade proibir
to forget forgot esquecer
to forgive forgave esquecer
to forsake forsook abandonar
to freeze froze congelar
to get got receber; conseguir; obter; adquirir...
to give gave dar
to go went ir
to grow grew crescer
to have had ter
to hear heard ouvir, escutar
to hide hid esconder, ocultar
to hit hit bater, ferir

53
UNIDADE 1 | INGLÊS NO MUNDO CONTEMPORÂNEO

to hold held segurar


to hurt hurt machucar
to keep kept manter
to know knew saber, conhecer
to lead led conduzir, comandar
to lend lent emprestar
to lose lost perder
to make made fazer, criar
to meet met encontrar
to pay paid pagar
to put put colocar
to read read ler
to ride rode andar, passear
to ring rang tocar (sino, campainha)
to rise rose levantar, erguer
to run ran correr
to say said dizer
to see saw ver
to sell sold vender
to send sent enviar
to shut shut fechar
to sleep slept dormir
to speak spoke falar, dizer
to swim swam nadar
to take took pegar
to teach taught ensinar
to tell told dizer
to think thought pensar, acreditar
to throw threw jogar, arremessar
to win won ganhar
to write wrote escrever

FONTE: A autora.

Talvez você ache que são muitos verbos, mas à medida que você os utiliza,
acaba fixando a escrita deles. Apesar de o verbo “ler” ter a mesma escrita no
presente e no passado, “read”, a pronúncia deste verbo no passado é diferente.

54
TÓPICO 3 | VERBOS NO PASSADO

ATENCAO

Tanto os verbos regulares com ED quanto os verbos irregulares, no passado


simples, são utilizados apenas na forma afirmativa.

A forma negativa do presente simples é feita através do uso do auxiliar did


not ou didn’t. O verbo, neste caso, fica na forma do infinitivo, sem o to. Exemplo:

Forma afirmativa: I saw Jessica yesterday.


Forma negativa: I didn’t see Jessica yesterday.

Forma afirmativa: We ate popcorn at the movies.


Forma negativa: We didn’t eat popcorn at the movies.

Quando fazemos a negação no passado, usamos o auxiliar didn’t para


todas as pessoas, tanto no singular quando no plural.

Acompanhe no quadro abaixo o exemplo com o verbo work:

QUADRO 10 – FORMA NEGATIVA – VERBO WORK


I didn’t work
You didn’t work
He didn’t work
She didn’t work
He didn’t work
It didn’t work
We didn’t work
You didn’t work
They didn’t work

FONTE: A autora

Na forma interrogativa do passado simples, usamos o auxiliar Did antes


do sujeito, e assim como na forma negativa, o Did também é usado para todas as
pessoas do singular e do plural.

Forma afirmativa: You studied math yesterday


Forma interrogativa: Did you study math yesterday?

55
UNIDADE 1 | INGLÊS NO MUNDO CONTEMPORÂNEO

Forma afirmativa: She understood the lesson


Forma interrogativa: Did she understand the lesson?

Veja o exemplo da estrutura da forma interrogativa no passado simples


com o verbo write:

QUADRO 11 – FORMA INTERROGATIVA – VERBO WRITE


Forma interrogativa
Did I write?
Did you write?
Did he write?
Did she write?
Did it write?
Did we write?
Did you write?
Did they write?

FONTE: A autora.

ATENCAO

O verbo to be nunca é utilizado com o auxiliar didn’t ou did. Quando temos


was e were na frase afirmativa, na forma negativa usamos wasn’t ou weren’t e na forma
interrogativa Was? ou Were?

Observe o parágrafo abaixo:

Paul is a programmer. He works at a big company. He leaves home at 7:30 am.


and arrives at work at 8:00 am., but Paul doesn’t like to wake up early. He prefers to
work at night. Do you know Paul?

A estrutura do parágrafo acima está no presente. Veja como ficaria no passado:

Paul was a programmer. He worked at a big company. He left home at 7:30 am.
and arrived at work at 8:00 am., but Paul didn’t like to wake up early. He prefered to
work at night. Did you know Paul?

Na língua inglesa não há conjugações. Você não precisa se preocupar em


assimilar as conjugações para cada pessoa. Basta compreender a regra e fazer o
uso dos auxiliares.

56
TÓPICO 3 | VERBOS NO PASSADO

3 PRONOUNS
Até o momento, vimos os pronomes pessoais que são: I(eu), he(ele),
she(ela), it(ele ou ela usado para coisas, lugares, animais etc.), you(você ou vocês),
we(nós) e they (eles ou elas usado para pessoas e também para coisas, lugares,
animais etc.).

Os pronomes pessoais funcionam como sujeito da frase e por isso eles são
usados antes do verbo:

He loves pizza.
They started an English Course.
It was an amazing show.

Além dos pronomes pessoais, ou subject pronouns, temos também os object


pronouns (pronomes oblíquos) que funcionam como objetos e são utilizados após
uma preposição ou verbo.

Confira o quadro abaixo:

QUADRO 12 – OBJECT PRONOUNS


Subject Object
I me
You you
He him
She her
It it
We us
You you
They them

FONTE: A autora.

Veja alguns exemplos:

I need to talk to you. (Eu preciso falar com você).


She is dating him. (Ela está saindo com ele).
They are going to live with us. (Eles vão morar conosco).
He wasn’t looking at them. (Ele não estava olhando para elas).
We are studying with her. (Nós estamos estudando com ela).
I didn’t like it. (Eu não gostei disso).
Do you need to speak with me? (Você precisa falar comigo?).

57
UNIDADE 1 | INGLÊS NO MUNDO CONTEMPORÂNEO

Há também os Possessive Adjectives e Possessive Pronouns usados para


indicar posse.

QUADRO 13 – POSSESSIVE ADJECTIVES / POSSESSIVE PRONOUNS


Possessive Adjectives Possessive Pronouns Tradução
my mine meu, minha, meus, minhas
your yours teu, tua, teus, tuas
his his seu, sua, seus, suas (dele)
her hers seu, sua, seus, suas (dela)
its -- seu, sua, seus, suas (dele, dela)
our ours nosso, nossa, nossos, nossas
your yours vosso, vossa, vossos, vossas
their theirs seu, sua, seus, suas (deles, delas)

FONTE: A autora.

Os pronomes possessivos adjetivos (adjectives pronouns) indicam posse e


são sempre seguidos de um substantivo. Exemplos:

I can’t find my keys. (Eu não consigo encontrar as minhas chaves).


He broke his computer. (Ele quebrou o computador dele).
They went to her house. (Eles foram à casa dela).

Apesar dos pronomes substantivos (possessive pronouns) também


indicarem posse, eles nunca são seguidos de um substantivo. Exemplos:

Whose cellphone is this? It’s mine. (mine = my cellphone) – (De quem é este
celular? É meu).

O questionamento acima pode ser respondido de duas formas: utilizar


apenas o pronome “mine” (meu) ou então “my cellphone” (meu celular). Na primeira
forma, quando usamos o pronome “mine”, não podemos usar o substantivo
“cellphone”. Porém, na segunda forma, usando o pronome “my” somos obrigados
a fazer uso do substantivo “cellphone”.

Veja outros exemplos:

I did my homework, but Joana didn’t do hers. (Eu fiz a minha tarefa, mas Joana
não fez a dela).

She couldn’t find her books and Erick also couldn’t find his. (Ela não conseguiu
encontrar os seus livros e Erick também não conseguiu encontrar os dele).

58
TÓPICO 3 | VERBOS NO PASSADO

3.1 REFLEXIVE AND EMPHASIZING PRONOUNS


Os pronomes reflexivos são utilizados para indicar uma ação reflexiva,
que recai sobre o sujeito. Nesta situação eles são sempre utilizados após o verbo.
Quando usados para dar ênfase, são usados após o sujeito ou no final da frase.
Veja quais são esses pronomes:

QUADRO 14 – REFLEXIVE AND EMPHASIZING PRONOUNS


Reflexive and Emphasizing Pronouns
myself
yourself
himself
herself
itself
ourselves
yourselves
themselves

FONTE: A autora.

Indicação de uma ação reflexiva:

I hurt myself playing basketball last week. (Eu me machuquei jogando


basquete na semana passada).
He cut himself cooking dinner. (Ele se cortou fazendo o jantar).
Perceba que nos dois exemplos o pronome foi usado logo após o verbo.

Indicação de ênfase:

We solve the problem ourselves. (Nós mesmos resolvemos o problema)


I myself drive my car. (Eu mesma dirigi o meu carro)

Neste caso, o pronome foi usado para enfatizar que alguém realizou
determinada ação.

DICAS

Quando acompanhados da preposição by, os pronomes possuem o


significado de sozinho ou por si só. Exemplo: I travel by myself (Eu viajei sozinho).

59
UNIDADE 1 | INGLÊS NO MUNDO CONTEMPORÂNEO

3.2 DEMONSTRATIVE PRONOUNS


Os pronomes demonstrativos podem ser usados no singular ou no plural
e para se referir a alguém ou alguma coisa que esteja próximo ou distante da
pessoa que está falando.

QUADRO 15 - PRONOMES DEMONSTRATIVOS NO SINGULAR

This este, esta, isto


That aquele, aquilo, aquela

FONTE: A autora.

O pronome This é usado para se referir a algo ou alguém que está próximo
daquele que está falando. Exemplo:

This Iphone is very expensive. (Este Iphone é muito caro).

Já o pronome That é usado para se referir a algo ou alguém que está


distante daquele que está falando. Exemplo:

That pen was a gift from my parents. (Aquela caneta foi um presente dos
meus pais).

QUADRO 16 – PRONOMES DEMONSTRATIVOS NO PLURAL

These estes, estas


Those aqueles, aquelas

FONTE: A autora.

O pronome These é o plural de This e é usado para se referir a coisas ou


pessoas que estão próximas de quem está falando. Exemplo:

These CD-ROMs aren’t working. (Estes CD-ROMs não estão funcionando).

O pronome Those faz o plural do pronome That e é usado para se referir a


coisas ou pessoas que estão distante de quem está falando. Exemplo:

Those people work at Google. (Aquelas pessoas trabalham na Google).

60
TÓPICO 3 | VERBOS NO PASSADO

3.3 INDEFINITE PRONOUNS AND ADJECTIVES


Os pronomes indefinidos podem ser substantivos (indefinite pronouns)
quando os substituem ou adjetivos (adjective pronouns), quando qualificam os
substantivos.

QUADRO 17 – PRONOMES INDEFINIDOS

Pronomes Indefinidos Tradução


algum, algo, alguns, alguma, algumas, um, uns,
Some
uma, umas, um pouco de
Somebody/Someone alguém
Something algo, alguma coisa
Somewhere algum lugar
Somehow de alguma maneira
algum, alguns, alguma, algumas, nenhum,
Any
nenhuma, um, uns, uma, umas, qualquer
Anybody/anyone alguém, qualquer um, alguém
Anything alguma coisa, qualquer coisa, nada
Anywhere em algum lugar, em qualquer lugar
Anyway de alguma maneira, de qualquer jeito
Nobody/ No one ninguém
Nothing nada
Nowhere nenhum lugar
FONTE: A autora.

Veja alguns exemplos:

I bought some things at the supermarket. (Eu comprei algumas coisas no


supermercado).
Someone is waiting for you. (Alguém está esperando por você).
Something isn’t right. (Alguma coisa não está certa).
He has to be somewhere. (Ele tem que estar em algum lugar).
I need money. Somehow I’ll get it. (Eu preciso de dinheiro. De alguma maneira eu
conseguirei).
He didn’t have any chance. (Ele não teve nenhuma chance).
There isn’t anybody home. (Não tem ninguém em casa).
I didn’t eat anything this morning. (Eu não comi nada esta manhã).
Did you see her anywhere? (Você a viu em algum lugar?)
I will buy the car anyway. (Eu comprarei o carro de qualquer jeito).
Nobody knows what I saw. (Ninguém sabe o que vi).
She has nothing to say. (Ela não tem nada a dizer).
They were nowhere in the mall. (Eles não estavam em nenhum lugar do shopping).

61
UNIDADE 1 | INGLÊS NO MUNDO CONTEMPORÂNEO

ATENCAO

Some e seus compostos são usados em frases afirmativas. Eles também


podem ser usados em frases interrogativas quando se faz um oferecimento. Exemplo:
Would you like some water? Você gostaria de um pouco de água?

Any é usado em frases negativas e interrogativas. Quando usado em frases afirmativas, o seu
significado muda para “qualquer”. Exemplo. I don’t want any help. (Eu não quero nenhuma
ajuda). Agora, se usado numa frase afirmativa: I want any kind of help. (Eu quero qualquer
tipo de ajuda).

Na língua inglesa não há dupla negativa. Por exemplo, nothing significa nada, que já é uma
negação. Por isso ele só pode ser usado numa frase afirmativa: I have nothing to say. (Eu não
tenho nada a dizer). Se a frase fosse negativa, teríamos que usar anything. I don’t have anything
to say. (Eu não tenha nada a dizer).

62
TÓPICO 3 | VERBOS NO PASSADO

LEITURA COMPLEMENTAR

CHAMADA DE NEGÓCIOS

Se você não tem muita experiência em fazer ligações em inglês, fazer uma
ligação de negócios pode ser uma experiência aterrorizante. Se você precisa ligar
para alguém que já conhece, você talvez aprecie fazer a ligação, mas lembre-se de
que ligações a longa distância são caras.

Ou talvez você tenha que fazer uma primeira ligação de negócios para
um cliente em perspectiva e isso não é fácil em inglês. Fazer uma ligação para um
estranho pode ser estressante, especialmente se eles falam inglês melhor que você.

No mundo dos negócios a maioria das pessoas se prepara para realizar


uma ligação importante na língua estrangeira. Elas geralmente fazem anotações
com antecedência. E ainda, durante a ligação, fazem anotações para se lembrarem
do que foi dito.

Embora possa ser rápido e conveniente ligar para alguém e passar


informações ou fazer questionamentos, a desvantagem é que não tem nada
escrito, como um e-mail, por exemplo, para fazer você lembrar do diálogo. É
essencial fazer anotações e, geralmente, quando um acordo é feito pelo telefone,
um dos sujeitos irá enviar um fax ou e-mail para confirmar os detalhes do acordo
que foi feito.

Não é difícil que desentendimentos aconteçam quando se está falando


com uma pessoa no telefone e não se está usando a língua materna. Uma boa ideia
é repetir as informações importantes, como números e nomes, para ter certeza de
que a compreensão das informações foi correta. Tenha certeza de que você se
lembra do nome da pessoa com quem você está conversando e, se necessário,
peça para que a pessoa soletre, já que os nomes estrangeiros, muitas vezes, têm
a escrita muito diferente da língua portuguesa. E, claro, tenha certeza de que a
pessoa com quem você está falando também saiba o seu nome corretamente.

É muito importante se mostrar interessado, útil, compreensivo e alerta ao


atender ao telefone. Talvez você precise fazer ou receber ligações de clientes fixos
ou clientes em prospecção, então, um ótimo atendimento ao telefone não apenas
causa uma boa impressão no mundo dos negócios, como também ajuda a manter
e conquistar clientes e fazer dinheiro.

63
RESUMO DO TÓPICO 3
Caro acadêmico, no presente tópico estudamos vários aspectos
relacionados à estrutura gramatical dos tempos verbais no passado:

• O passado do verbo to be “is” é “was”, enquanto o verbo to be “are”, no passado,


passa a ser “were”.

• As regras para a forma negativa e interrogativa utilizando o verbo to be no


passado são as mesmas do presente. Na negação basta acrescentar o not ou
utilizar as formas contraídas wasn’t e weren’t. Para a forma interrogativa, basta
colocar o verbo to be was ou were em frente ao sujeito.

• O uso do passado contínuo é muito semelhante ao presente contínuo. Usamos


o sujeito com o verbo to be no passado (was/were) e o verbo no ing.

• Para usarmos o passado contínuo na forma negativa, usamos wasn’t ou weren’t.


Enquanto na forma interrogativa o verbo to be was ou were fica em frente
ao sujeito. Tanto na forma afirmativa, negativa e interrogativa do passado
contínuo, o verbo continua com ing.

• No passado simples, na forma afirmativa, para os verbos regulares, basta


acrescentar o ED. Para os verbos irregulares é necessário consultar a tabela de
verbos irregulares e fixar a sua escrita.

• Na forma negativa do passado simples, utilizamos o auxiliar DIDN’T e o verbo


fica no infinitivo, sem o to. Para a forma interrogativa, usa-se o auxiliar DID em
frente ao sujeito e o verbo também fica no infinitivo, sem o to.

• Os pronomes pessoais são os mais utilizados na língua inglesa, pois exercem


a função de sujeito e se encontram antes do verbo, mas há outros tipos de
pronomes muito importantes que exercem diferentes funções numa oração.

• O pronome oblíquo funciona como objeto e é utilizado apenas após um verbo


ou uma preposição.

• Os pronomes possessivos, como o próprio nome já diz, se referem a posse.

• Os pronomes reflexivos podem indicar uma ação reflexiva ou enfatizar uma ação.

64
• Os pronomes demonstrativos têm um pronome específico para o singular e
outro para o plural, assim como um pronome para indicar que o falante está
próximo a coisas ou pessoas das quais ele está falando e outro para indicar que
ele está longe.

• Por fim, há os pronomes indefinidos que apresentam várias formas e


significados, dependendo da estrutura gramatical em que se encontram.

• Na leitura complementar você pôde conferir dicas para ter um melhor


desempenho em uma ligação de negócios.

65
AUTOATIVIDADE

Caro acadêmico, para melhor fixar o conteúdo apresentado neste


tópico, sugerimos que você resolva a seguinte atividade:

Leia o texto abaixo e responda aos questionamentos que o seguem:

FAQ

This is a short list of our most frequently asked questions. For


more information about Instagram, or if you need support, please visit
our support center.

1.1.1 What is Instagram?


Instagram is a fun and quirky way to share your life with friends through a
series of pictures. Snap a photo with your mobile phone, then choose a filter
to transform the image into a memory to keep around forever. We’re building
Instagram to allow you to experience moments in your friends’ lives through
pictures as they happen. We imagine a world more connected through photos.

1.1.2 How much is your app?


$0.00 - available for free in the Apple App Store and Google Play store.

1.1.3 Where does the name come from?


When we were kids we loved playing around with cameras. We loved how
different types of old cameras marketed themselves as “instant” - something
we take for granted today. We also felt that the snapshots people were taking
were kind of like telegrams in that they got sent over the wire to others - so we
figured why not combine the two?

1.1.4 How did the idea come about?


We love taking photos. We always assumed taking interesting photos required
a big bulky camera and a couple years of art school. But as mobile phone
cameras got better and better, we decided to challenge that assumption. We
created Instagram to solve three simple problems:

1. Mobile photos always come out looking mediocre. Our awesome looking
filters transform your photos into professional-looking snapshots.
2. Sharing on multiple platforms is a pain - we help you take a picture once,
then share it (instantly) on multiple services.
3. Most uploading experiences are clumsy and take forever - we’ve optimized
the experience to be fast and efficient.

66
1.1.5 What other services are you compatible with?
Currently, you can share your photos on a photo-by-photo basis on Flickr,
Facebook, and Twitter. Additionally, if you specify a location with your photo,
you can opt to have us check you in on Foursquare. Going forward, we plan on
supporting additional services but have nothing else to announce at this time.

FONTE: Disponível em: <http://instagram.com/about/faq/>. Acesso em: 14 dez. 2013.

1 Em muitos sites encontramos a abreviação FAQ. Qual o significado dela?

2 No terceiro parágrafo, “Where does the name come from?”, quantos verbos
regulares no passado você encontrou? Quais são eles?

3 Ainda no terceiro parágrafo, há verbos irregulares no passado que estão


sublinhados. Escreva a forma deles no presente.

4 Quais foram os três motivos que levaram à criação do Instagram?

67
68
UNIDADE 2

LEITURA TÉCNICA

OBJETIVOS DE APRENDIZAGEM
A partir do estudo desta unidade, você estará apto a:

• compreender técnicas variadas para realizar a leitura de textos em inglês;

• reconhecer palavras cognatas da língua inglesa;

• abranger casos especiais da língua inglesa que causam dificuldades;

• reconhecer as diferenças entre o inglês americano e o inglês britânico;

• realizar comparativos de igualdade, inferioridade ou superioridade entre


coisas, pessoas ou lugares;

• usar advérbios, preposições e conjunções corretamente;

• empregar de forma correta os verbos no futuro;

• distinguir o uso dos verbos modais;

• fazer o uso de question tags e do imperativo.

PLANO DE ESTUDOS
Esta unidade está dividida em três tópicos. Ao final de cada um deles, você
poderá dispor de atividades que o auxiliarão na fixação do conteúdo.

TÓPICO 1 – COMPREENSÃO TEXTUAL TÉCNICA

TÓPICO 2 – GRAU DOS ADJETIVOS

TÓPICO 3 – VERBOS NO FUTURO

69
70
UNIDADE 2
TÓPICO 1

COMPREENSÃO TEXTUAL TÉCNICA

1 INTRODUÇÃO
Compreender cem por cento de um texto em língua inglesa é uma tarefa
difícil, porém, como vimos na unidade anterior, é possível compreender o
significado de um texto sem precisar saber a tradução de cada palavra.

Ao realizar a leitura de um manual, por exemplo, para o leitor apenas


interessa compreender a função de determinado programa, como ele funciona e
para isso, não precisa fazer a tradução de todas as palavras.

2 TÉCNICAS DE LEITURA
Como vimos na unidade anterior, há algumas técnicas de leitura que
ajudam na compreensão de texto, tudo depende da informação que o leitor está
buscando. A primeira delas é o Skimming. Mas afinal, o que é Skimming?

2.1 SKIMMING
A estratégia de leitura Skimming consiste em fazer uma leitura rápida de
determinado texto para saber do que se trata. Você provavelmente faz esse tipo
de leitura no seu dia a dia, ao abrir um jornal e ler uma matéria ou artigo. Você
faz a leitura rapidamente para saber do que se trata aquela notícia.

Skimming serve para você ler o texto e decidir se determinada informação
é interessante ou não para você. Isso faz com que você otimize o seu tempo e não
o desperdice lendo algum texto que não lhe servirá para o seu trabalho ou lazer.

Veja o texto a seguir:

71
UNIDADE 2 | LEITURA TÉCNICA

PROGRAMMING LANGUAGES

Are used to add interactivity and functionality to websites. Each


technology has its pros and cons, and it is often useful to use more than one.

Programming languages are divided into two main categories,  clients


side programming languages (which are run on the users computer) and server
side programming languages (which are run on the server that hosts the website)

Client Side

Good: Faster than server side programming as no server round-trip is


required.

Bad: One serious downside is lack of control. For example, the


developer does not know what type of browsers, systems or features are
available on the users computer - so may not always work due to user system
differences. It is important to create a fallback state if the functions do not
work properly.

Client side programs include:

Helpers: Generally run outside the browser window. E.g. WinZip


or Word. Can be problematic due to communication problems between the
browser and the helper program.

Plug-ins: Addresses communication problems of helper programs


(because they are run as part of the browser). Not all users will have the correct
plug-ins installed - often need to be downloaded and installed before they can
run. Popular Plug-ins include: Flash, Shockwave, Acrobat, and RealVideo.

ActiveX:  Internet portion of the Component Object Model (COM) is


Microsoft's component technology for creating small components, or controls,
within web page. For Internet Explorer only - you will need an alternative for
Netscape users. Components are downloaded and installed automatically.
Security is a big problem. ActiveX controls could potentially have full access to
a users system.

Java: The main downside of component technologies like Netscapeplug-


ins and ActiveX is that they are platform specific (i.e. Mac Vs PC, or Netscape
vs Internet Explorer). Java is platform independent. Though this is becoming a
myth, as programs often need to be rewritten for different Java Virtual Machines.
The major benefit just isn't there. Good in intranet's, or on the server side in the
form of Java servlets. Web pages use small Java programs, called Applets that
are downloaded and run directly within a browser to provide new functionality.
Java can be slow.

72
TÓPICO 1 | COMPREENSÃO TEXTUAL TÉCNICA

JavaScript: Has no relation to Java. Easy to use, non-compiled (execute


one line of code at a time(which can be slower)) and useful in small chunks.
Many versions exist that different browsers may or may not support - therefore
JavaScript Should be done in a very conservative manner.

Server Side

Good: The developer has a lot of control. Bad: Major downside is speed
because interactivity takes place on the server. Can falter under large user
usage due to bandwidth. Used by most high traffic sites.

Server side programs include:

CGI scripts and programs: CGI (Common Gateway Interface) is the


oldest version of server-side programming. Can be slow (esp. interpreted
languages like PERL). A CGI program is a program written to conform to a
standard way of passing data into an external program through the use of
HTTP methods (GET and POST) and environmental variables. Can be written
in any language that can be used on the server executing the program. PERL
is the most common. Always incurs some performance hit because they are
generally run in a separate memory space from a web server. Most CGI scripts
are relatively simple to build.

Server API's: API's (Application programming interface) Avoids CGI


performance bottlenecks by writing programs that are tightly bound to the
actual web server via a server API. Netscape API called NSAPI, Microsoft called
ISAPI. Apache servers provide modules. Often to complex or expensive for
many projects. Code may need to be rewritten for a different server platforms.

Server-Side Scripting: Contains a mixture of HTML and Script that is read


be the server when requested. Includes Coldfusion, PHP and ASP. Many exist but
the main difference is in syntax. The actual benefits of one technology over another
are minor, choice is personal preference.

All suffer from relatively slow execution speeds vs. more advanced
server-side programming like APIs. The advantage is that the technology is
relatively simple. Many designers like ColdFusion for its simple syntax, while
programmers prefer other technologies.
FONTE: Disponível em: <http://www.diamondclear.com.au/>. Acesso em: 28 fev. 2014.

Qual é o assunto do texto? Uma resposta mais simples seria Linguagens
de Programação, e para isso, bastaria traduzir o título do texto. Mas podemos ir
além. Sobre qual tipo de Linguagens de Programação este texto está falando?

73
UNIDADE 2 | LEITURA TÉCNICA

Além do título nos ajudar na compreensão, outra parte do texto que


facilita na busca por informações é o subtítulo. Neste caso temos dois: Client Side
(lado do cliente) e Server Side (lado do servidor). Então sabemos que o texto fala
sobre a linguagem de programação da parte do cliente, usada no seu computador
e também da parte do servidor, que é a linguagem utilizada no host do website.

A partir desse ponto você já saberá se esse texto será ou não válido para
você. Por isso que a técnica de leitura Skimming é importante, pois assim você não
desperdiçará o seu precioso tempo lendo algo que não lhe é interessante e não
terá uso no seu trabalho.

Agora que você já percebeu que o texto que buscou é interessante e útil
para o seu trabalho, é hora de colocar em prática a técnica de Scanning. Você está
lembrado dela?

2.2 SCANNING
Scanning é a estratégia de leitura usada para buscar informações específicas
dentro de um texto na língua inglesa. Depois de avaliar se um determinado texto
é do seu interesse, você agora buscará detalhes que realmente lhe interessam,
como números, datas, uso de programas, especificidades em geral.

No texto anterior, vimos que se trata de linguagem de programação, mas
quais programas o texto está descrevendo?

Outra ajuda que temos neste texto são as palavras destacadas, neste caso,
usadas em negrito, como: Helpers, Plug-ins, ActiveX, Java, JavaScript, Server API’s e
Server-Side Scripting. Logo, se algum destes programas são do seu interesse, você
aprofundará sua leitura para compreender a sua função e uso.

Como conversamos anteriormente, não há a necessidade em realizar a


leitura e tradução de cada palavra, pois o profissional da área da informática
não está fazendo a leitura de um livro de literatura, por exemplo, mas sim de
algum texto de uso para o seu trabalho. Não saber o que uma palavra significa,
geralmente, não irá lhe atrapalhar na compreensão de determinado assunto. Já
num livro de literatura, não compreender determinada parte de um texto pode
interferir na compreensão do final do livro.

74
TÓPICO 1 | COMPREENSÃO TEXTUAL TÉCNICA

2.3 PREDICTION
Outra estratégia muito utilizada por leitores é a estratégia de leitura
prediction, que nada mais é do que predizer o significado do texto. Você faz o uso
do seu conhecimento prévio (background knowledge) para lhe auxiliar na predição
do texto que está lendo.

FIGURA 7 – APLICATIVO WHATSAPP


WhatsApp Messenger
By WhatsApp Inc.
Open iTunes to buy and download apps.

Description
WhatsApp Messenger is a smartphone messenger available
for iPhone and other smartphones. WhatsApp uses your
3G or WiFi (when available) to message with friends and
family. Switch from SMS to WhatsApp to send and receive
messages, pictures, audio notes, and video messages. First
year FREE! ($0.99 USD/year after)
FONTE: Disponível em: <https://itunes.apple.com/us/app/whatsapp-messenger/
id310633997?mt=8>. Acesso em: 1 dez. 2013.

Por exemplo. Ao realizar o download do aplicativo WhatsApp, você verá


uma pequena descrição dele. Se você já tem o conhecimento sobre a função desse
aplicativo, estará utilizando o seu conhecimento prévio para predizer do que a
informação se trata.

Porém, digamos que você não saiba nada sobre esse aplicativo. Algumas
palavras no texto já lhe auxiliarão na compreensão. Muitas palavras da língua inglesa
já são utilizadas na língua portuguesa sem tradução ou têm a escrita semelhante.

Ao ler a pequena descrição sobre o aplicativo WhatsApp podemos


identificar algumas palavras semelhantes a língua portuguesa como audio (áudio)
ou video (vídeo) ou que já são utilizadas na nossa língua sem tradução, como
iPhone e Smartphone.

DICAS

Você sabia que Whatsapp é um trocadilho com a expressão em inglês


What’s up (E aí?)

75
UNIDADE 2 | LEITURA TÉCNICA

2.4 COGNATOS
Palavras cognatas são aquelas palavras que apresentam a escrita
semelhante e em alguns casos idênticas à língua portuguesa. Elas também são
conhecidas como “friends” (amigos). Você sabia que geralmente um texto autêntico
na língua inglesa é composto por 20% de palavras cognatas? Isso quer dizer que o
seu conhecimento prévio, da língua portuguesa, já lhe ajuda a compreender 20%
das palavras do texto. Veja o exemplo a seguir:

Multimedia refers to content that uses a combination of different content forms.


This contrasts with media that use only rudimentary computer displays such as text-
only or traditional forms of printed or hand-produced material. Multimedia includes a
combination of text, audio, still images, animation, video, or interactivity content forms.

Multimedia is usually recorded and played, displayed, or accessed by information


content processing devices, such as computerized and electronic devices, but can also
be part of a live performance. Multimedia devices are  electronic media  devices used
to store and experience multimedia content. Multimedia is distinguished from mixed
media  in  fine art; by including audio, for example, it has a broader scope. The term
"rich media" is synonymous for interactive multimedia. Hypermedia can be considered
one particular multimedia application.
FONTE: Disponível em: <http://en.wikipedia.org/wiki/Multimedia>. Acesso em: 5 jan. 2014.

O texto acima explica o significado de Multimídia, cuja palavra é um


cognato, pois ela é semelhante à língua portuguesa. Além de multimídia, podemos
encontrar várias palavras cognatas neste texto. Veja alguns exemplos:

uses – uso
different – diferente
contrasts – contraste
media – mídia
computer – computador
text – texto
traditional – tradicional
forms – forma
produced – produzido
combination – combinação
audio – áudio
animation – animação
interactivity – interatividade
includes – inclui
eletronic – eletrônico
part – parte
performance – performance
experience – experiência
art – arte

76
TÓPICO 1 | COMPREENSÃO TEXTUAL TÉCNICA

example – exemplo
term – termo
synonymous – sinônimos
considered – considerado
application – aplicação

Você percebeu quantas palavras neste pequeno texto são cognatas e


o quanto elas facilitam na compreensão do texto? Veja mais algumas palavras
cognatas que são facilmente encontradas em textos:

accidental – acidental
creation – criação
comedy – comédia
comic – cômico
competition – competição
composition – composição
connect – conectar
disconnect – desconectar
economy – economia
emotion – emoção
future – futuro
human – humano
Idea – ideia
important – importante
material – material
minute – minuto
mission – missão
music – música
persistent – persistente
positive – positivo
potential – potencial
offensive – ofensivo
other – outro
reaction - reação
regular – regular
television – televisão
video – vídeo

As palavras cognatas servem para nos auxiliarem na leitura de um texto,


porém, assim como há palavras que nos ajudam na compreensão, há também
aquelas que podem facilmente nos enganar.

77
UNIDADE 2 | LEITURA TÉCNICA

DICAS

Quer saber mais sobre as palavras cognatas? Utilize o Dicionário de Termos


Técnicos e o Dicionário de Eletrônica:

FRAENKEL, Benjamim B. Dicionário de termos técnicos: inglês-português/ português-


inglês. Rio de Janeiro: Ao Livro Técnico, 1978.

GARDINI, Giacomo; LIMA, Norberto de Paula. Dicionário de eletrônica: inglês/português.


São Paulo: Hemus, 2003.

2.5 FALSOS COGNATOS


Os cognatos, também conhecidos como “false friends” (falsos amigos) são
as palavras em inglês que embora tenham a mesma origem latina, não têm o
mesmo significado na língua portuguesa.

Durante a leitura de textos, frases ou palavras, o profissional da área da


informática frequentemente encontra a palavra em inglês “data”. Provavelmente
você já sabe que quando se depara com essa palavra em língua inglesa, não se
trata de dia, mês ou ano, mas sim de dados, informações. Essa palavra é um
exemplo de falso cognato, pois a escrita dela é idêntica ao da língua portuguesa,
mas o significado é totalmente diferente. Veja alguns exemplos:

actual – real, verdadeiro enquanto current – atual


agenda – pauta do dia enquanto organizer – agenda
alms – esmola enquanto souls – almas
beef – carne bovina enquanto steak – bife
camp – acampamento enquanto field – campo
chef – chefe de cozinha enquanto boss – chefe
confident – confiante enquanto confidant – confidente
costume – fantasia enquanto habit – costume
curse – maldição enquanto course – curso
devolve – transferir enquanto return – devolver
divert – desviar enquanto entertain – divertir
effective – eficaz enquanto permanent – efetivo
estrange – separar enquanto strange – estranho
expert – especialista enquanto smart – esperto
genial – afável enquanto brilliant – genial
injury – ferimento enquanto offense – injúria
intend – pretender enquanto understand – entender
lamp – luminária enquanto light bulb – lâmpada
lunch – almoço enquanto snack – lanche
novel – novela enquanto soap opera – novela
pasta – massa enquanto folder – pasta
parent – pai ou mãe enquanto relative – parente
78
TÓPICO 1 | COMPREENSÃO TEXTUAL TÉCNICA

DICAS

Quer conferir uma lista completa de falsos cognatos? Acesse: <http://www.


solinguainglesa.com.br/conteudo/falsos_cognatos1.php> e amplie o seu conhecimento.

FIGURA 8 – EXEMPLO DE FALSO COGNATO

FONTE: A autora

A palavra em inglês brave também é um falso cognato. Ela não significa


bravo, e sim, corajoso(a).

3 DIFICULDADES ESPECIAIS
Há algumas palavras ou expressões facilmente confundidas pelos
estudantes da língua inglesa. Essa confusão acontece pela proximidade na
pronúcia ou escrita e também devido à palavra ter o mesmo significado, mas
cada uma delas tem o seu uso em determinada situação.

as – como (na função de)


how – como (de que maneira)
like – como (parecido, semelhante). Like também é o verbo gostar.

79
UNIDADE 2 | LEITURA TÉCNICA

Exemplos:

He is working as a computer programmer. (Ele está trabalhando como programador).


He works as a machine. (Ele trabalha como uma máquina).
How can we solve this problem? (Como nós podemos resolver este problema?).

effect – efeito
affect – afetar

Exemplos:

This virus has a strong effect. (Este vírus tem um forte efeito).
Spending too much time on-line can affect your social life. (Passar muito tempo on-line
pode afetar a sua vida social).

already – já
all ready – todos prontos

Exemplos:

I have already gone to Europe. (Eu já fui para a Europa).


The workers were all ready to start. (Os trabalhadores estavam todos prontos para
começar).

beside – ao lado de
besides – além de

Exemplos:

She sat beside him (Ela se sentou ao lado dele).


Besides being a teacher, she is also a writer. (Além de ser professora, ela também é
uma escritora).

also – também (antes do verbo principal ou depois do verbo to be)


either – também (ao final de frases negativas)
too – também (ao final de frases afirmativas e interrogativas)

Exemplos:

He is also a player (Ele também é um jogador).


I don’t like lettuce either (Eu também não gosto de alface).
They are my friends too (Eles também são meus amigos).

fewer – menos (usados antes de substantivos contáveis no plural).


less – menos (usado antes de substantivos incontáveis e para formar o comparativo
de inferioridade)

80
TÓPICO 1 | COMPREENSÃO TEXTUAL TÉCNICA

Exemplos:

She has fewer friends at school (Ela tem menos amigos na escola).
I have less money than you (Eu tenho menos dinheiro que você).

lend – emprestar
borrow – tomar emprestado

Exemplos:

Can you lend me a pen? (Você pode me emprestar uma caneta?)


Can I borrow your car? (Posso pegar o seu carro emprestado?)

rob – roubar (pessoa ou lugar)


steal – roubar (coisa)

Exemplos:

The thief robbed her. He stole her purse. (O ladrão a roubou. Ele roubou a sua bolsa).

say – dizer (dizer algo)


tell – dizer (dizer algo a alguém)

Exemplos:

I said it wasn’t going to work (Eu disse que não iria funcionar).
He told me he was going to the party (Ele me disse que iria à festa).

tall – alto (pessoas, prédios, árvores)


high – alto (coisas em geral)
loud – alto (som)

Exemplos:

My son is tall (Meu filho é alto).


I don’t like high places (Eu não gosto de lugares altos).
The music is too loud (A música está muito alta).

very – muito (usado com advérbios e adjetivos)


much – muito (usado com substantivos incontáveis e adjetivos no comparativo)

Exemplos:

I don’t have much money (Eu não tenho muito dinheiro).


This car is very fast (Este carro é muito rápido).

81
UNIDADE 2 | LEITURA TÉCNICA

use – usar (fazer uso de coisas em geral)


wear – usar (vestir, usar roupas)

Exemplos:

Can I use your phone? (Posso usar o seu telefone?)


What should I wear tonight? (O que eu deveria usar (vestir) hoje à noite?)

do – fazer (realizar alguma atividade, fazer algo abstrato)


make – fazer (fabricar, criar alguma coisa, fazer algo concreto)

Exemplos:

What are you going to do today? (O que você vai fazer hoje?)
I’m going to make a cake. (Eu vou fazer um bolo)

Além da diferença entre realizar uma atividade e fabricar alguma coisa, do e make
são usados em várias expressões idiomáticas. Veja algumas delas:

FIGURA 9 – DO / MAKE

FONTE: Disponível em: <http://inglessa.blogspot.com.br/2012/09/do-or-make.html>.


Acesso em: 28 fev. 2014.

82
TÓPICO 1 | COMPREENSÃO TEXTUAL TÉCNICA

4 INGLÊS AMERICANO X INGLÊS BRITÂNICO


As diferenças entre o inglês americano e o inglês britânico não são muito
significativas. A maior diferença está entre a pronúncia. Porém, há algumas
diferenças no vocabulário e também na ortografia de algumas palavras. Veja o
quadro a seguir:

QUADRO 18 – DIFERENÇAS DE VOCABULÁRIO


Português Inglês americano Inglês britânico

advogado lawyer solicitor, barrister


aluga-se for rent to let
armário closet wardrobe
apartamento apartment flat
aspas quotation Mark speech Mark
avião airplane aeroplane
balas candy sweets
caminhão truck lorry
carona ride lift
carteiro mailman postman
currículo resume curriculum vitae
farmácia drugstore chemist’s
metrô subway underground, tube
outono fall autumn
porta-malas trunk boot
pós-graduação graduate studies posgraduate course
recepção front desk reception
telefone celular cell phone mobile phone
térreo first floor ground floor

FONTE: A autora

Apesar das diferenças no vocabulário, não há problema algum você se


referir ao celular usando cell phone ou mobile phone. Porém, se você está conversando
com algum cliente ou fornecedor dos Estados Unidos ou Inglaterra, é importante
cuidar no vocabulário utilizado, pois usando o vocábulo correto, você mostra que
é um conhecedor da língua.

Além da diferença de vocabulário, há também uma diferença na escrita de


algumas palavras entre o inglês britânico e o americano. Confira algumas delas:

83
UNIDADE 2 | LEITURA TÉCNICA

QUADRO 19 – DIFERENÇAS NA ESCRITA

Inglês britânico
Português Inglês americano

centro center centre


teatro theater theatre
perceber realize realise
analisar analyze analyse
cor color colour
catálogo catalog catalogue
diálogo dialog dialogue
viajante traveler traveller
joia jewelry jewellry
programa program programme
pijama pajamas pyjamas
licença license licence
inquérito inquiry enquiry
cético skeptical sceptical

FONTE: A autora

FIGURA 10 – GATO

FONTE: A autora

DICAS

Que tal contar algumas piadas em inglês? Confira algumas piadas sobre
animais e teste o seu conhecimento de novos vocabulários em inglês: <http://www.
funology.com/animal-jokes/>.

84
TÓPICO 1 | COMPREENSÃO TEXTUAL TÉCNICA

LEITURA COMPLEMENTAR

A IMPORTÂNCIA DE DOCUMENTAR

O profissional da área da informática está sempre muito ocupado


escrevendo, testando programas ou atendendo a clientes que acabam se
esquecendo de documentar algum processo que eles realizaram e como o fizeram.
Mas documentar, escrever como um processo foi desenvolvido, é essencial na
vida de um profissional dessa área. O profissional precisa desenvolver, através
de suas anotações, um tipo de manual para que quando ele realizar novamente
aquela tarefa, não perca tempo fazendo pesquisas. No momento você pode pensar
que se lembrará de como fazer aquilo, mas embora o nosso cérebro seja muito
eficiente, não podemos confiar que ele se lembrará de cada detalhe realizado,
afinal, estamos na era da informação, onde somos bombardeados de novos
conhecimentos a cada dia.

Você pode criar arquivos no seu computador, pode imprimi-los ou mesmo


criar um caderno com anotações, desde que essas anotações sejam fáceis de serem
encontradas, que estejam organizadas. Afinal, tempo é dinheiro, e quanto mais
rápido você terminar a instalação de um programa ou solucionar um erro, mais
tempo terá para se dedicar a outras tarefas.

Suponhamos que um cliente entre em contato questionando sobre


determinado comportamento do sistema em que ele atua como PO. Se o contato
for feito via telefone, você provavelmente lhe responderá que irá verificar e dará
um retorno. Porém, se você já tem as anotações no seu computador ou próximas
a você, poderá responder à dúvida do seu cliente no ato, sem precisar acessar
o código-fonte, ler algoritmos, sqls etc. E assim, além de solucionar a dúvida
do cliente, também mostrará que é responsável e organizado, algo que todos
procuram na prestação de serviços.

85
RESUMO DO TÓPICO 1
No presente tópico, Caro acadêmico, estudamos vários aspectos
relacionados ao ensino de língua inglesa, os quais apresentamos a seguir,
resumidamente:

• As técnicas de leitura mostradas neste tópico são usadas no nosso dia a dia, até
mesmo na língua portuguesa.

• Aplicar técnicas de leitura em textos na língua inglesa otimizam o nosso tempo.

• Skimming, a leitura rápida, ajuda você a decidir se determinado texto é ou não


interessante para você.

• Scanning, a leitura por busca de informações, lhe ajudará a procurar


especifidades dentro de um texto.

• Prediction, que significa predição, é a técnica que ajuda o leitor a predizer sobre
o que determinado texto está falando, pois conta com o conhecimento prévio
do leitor.

• As palavras cognatas ajudam na leitura do texto em inglês, pois a escrita das


palavras é semelhante à da língua portuguesa.

• É preciso ter cuidado com os falsos cognatos, que também têm a escrita parecida
com o português, porém, o significado é totalmente diferente.

• Você pôde conferir uma lista dos cognatos e falsos cognatos mais utilizados na
língua inglesa.

• Embora a maioria das diferenças entre o inglês americano e o britânico esteja


na pronúncia, também encontramos diferenças no vocabulário e também na
escrita.

• Documentar um processo que você realizou lhe ajudará no momento em que


você precisar repeti-lo ou mostrar a alguém qual o caminho percorrido para
resolver determinado problema.

86
AUTOATIVIDADE

Caro acadêmico, para melhor fixar o conteúdo apresentado neste


tópico, sugerimos que você resolva a seguinte atividade:

1 Realize a leitura do texto a seguir utilizando a técnica de skimming. Do que


se trata esse texto? Você já possui algum conhecimento prévio (prediction)
sobre esse assunto?

1.1 WHAT ARE COMPUTERS?

Computers are machines that perform tasks or calculations according


to a set of instructions, or  programs. The first fully electronic computers,
introduced in the 1940s, were huge machines that required teams of people to
operate. Compared to those early machines, today's computers are amazing.
Not only are they thousands of times faster, they can fit on your desk, on your
lap, or even in your pocket.

Computers work through an interaction of hardware and


software.  Hardware  refers to the parts of a computer that you can see and
touch, including the case and everything inside it. The most important piece
of hardware is a tiny rectangular chip inside your computer called the central
processing unit (CPU), or microprocessor. It's the "brain" of your computer—
the part that translates instructions and performs calculations. Hardware
items such as your monitor, keyboard, mouse, printer, and other components
are often called hardware devices, or devices.

Software refers to the instructions, or programs, that tell the hardware


what to do. A word-processing program that you can use to write letters on
your computer is a type of software. The operating system (OS) is software
that manages your computer and the devices connected to it. Windows is a
well-known operating system.

1.2 ENIAC

Introduced in 1946, ENIAC (Electronic Numerical Integrator and


Computer) was the first general-purpose electronic computer. It was built for
the United States military to calculate the paths of artillery shells. Physically,
ENIAC was enormous, weighing more than 27,000 kilograms (60,000 pounds)
and filling a large room. To process data, ENIAC used about 18,000 vacuum
tubes, each the size of a small light bulb. The tubes burned out easily and had
to be constantly replaced.

87
1.3 TYPES OF COMPUTERS

Computers range in size and capability. At one end of the scale


are supercomputers, very large computers with thousands of linked
microprocessors that perform extremely complex calculations. At the other
end are tiny computers embedded in cars, TVs, stereo systems, calculators, and
appliances. These computers are built to perform a limited number of tasks.

The personal computer, or PC, is designed to be used by one person


at a time. This section describes the various kinds of personal computers:
desktops, laptops, handheld computers, and Tablet PCs.

1.3.1 Desktop computers

Desktop computers are designed for use at a desk or table. They are


typically larger and more powerful than other types of personal computers.
Desktop computers are made up of separate components. The main component,
called the system unit, is usually a rectangular case that sits on or underneath
a desk. Other components, such as the monitor, mouse, and keyboard, connect
to the system unit.

Desktop computer

1.3.2 Laptops and netbooks

Laptops  are lightweight mobile PCs with a thin screen. Laptops can
operate on batteries, so you can take them anywhere. Unlike desktops, laptops
combine the CPU, screen, and keyboard in a single case. The screen folds down
onto the keyboard when not in use.

88
Netbooks  (also referred to as  mini notebooks), are small, affordable
laptops that are designed to perform a limited number of tasks. They're
usually less powerful than laptops, so they're used mainly to browse the web
and check e‑mail.

A laptop and a netbook


1.3.3 Smartphones

Smartphones are mobile phones that have some of the same capabilities


as a computer. You can use a smartphone to make telephone calls, access the
Internet, organize contact information, send e‑mail and text messages, play games,
and take pictures. Smartphones usually have a keyboard and a large screen.

Smartphone
1.3.4 Handheld computers

Handheld computers, also called personal digital assistants (PDAs),


are battery-powered computers small enough to carry almost anywhere.
Although not as powerful as desktops or laptops, handheld computers are
useful for scheduling appointments, storing addresses and phone numbers,
and playing games. Some have more advanced capabilities, such as making
telephone calls or accessing the Internet. Instead of keyboards, handheld
computers have touch screens that you use with your finger or a stylus (a pen-
shaped pointing tool).

89
Handheld computer

1.3.5 Tablet PCs

Tablet PCs  are mobile PCs that combine features of laptops and
handheld computers. Like laptops, they're powerful and have a built-in screen.
Like handheld computers, they allow you to write notes or draw pictures on
the screen, usually with a tablet pen instead of a stylus. They can also convert
your handwriting into typed text. Some Tablet PCs are “convertibles” with a
screen that swivels and unfolds to reveal a keyboard underneath.

Tablet PC

FONTE: Disponível em: <http://windows.microsoft.com/en-us/windows/introduction-to-


computers#1TC=windows-7>. Acesso em: 6 jan. 2014.

2 Utilizando a técnica de scanning, encontre as respostas para os seguintes


questionamentos:

a) De acordo com o texto, qual foi o primeiro computador criado para uso
geral e qual foi o seu propósito?

b) Sabemos que a abreviação de PC significa Personal Computers. Quais são os


computadores para uso pessoal citados no texto?

c) Ainda segundo o texto, qual a diferença entre Desktops e Laptops?

3 Leia o parágrafo 1.1 e 1.2. Quais as palavras cognatas encontradas? Você


encontrou algum falso cognato? Qual?

90
UNIDADE 2 TÓPICO 2

GRAU DOS ADJETIVOS

1 INTRODUÇÃO
No nosso dia a dia fazemos comparações entre diversas coisas, países,
pessoas etc. O profissional da área da informática também está acostumado a
fazer comparações, seja na hora de escolher um programa ou até fazer alguma
recomendação para alguém.

Na língua inglesa, quando se faz um comparativo, seja ele de igualdade,


superioridade ou inferioridade, o adjetivo irá se flexionar apenas em grau e não
sofrerá alterações de gênero ou número.

2 GRAU DOS ADJETIVOS


Assim como os tempos verbais, ao fazer comparativos no inglês, também
temos que seguir algumas regras. Acompanhe quais são elas.

2.1 COMPARATIVO DE IGUALDADE


Como o título mesmo diz, comparativo de igualdade é aquele utilizado
para dizer que alguma coisa ou pessoa é ou não igual.

A estrutura deste tipo de comparação é muito simples. Observe:

as + adjetivo + as

91
UNIDADE 2 | LEITURA TÉCNICA

Neste caso, a tradução de as...as é tão...quanto. Por exemplo, você quer dizer
que um iPhone é tão bom quanto um smartphone. A estrutura da frase ficaria assim:

iPhone is as good as a Smartphone

Perceba que para formar um comparativo de igualdade, é necessário


apenas colocar o adjetivo que fará a comparação entre as...as.

O mesmo acontece se você quiser fazer um comparativo de igualdade na


forma negativa, dizendo que algo não é tão bom quanto o outro. Teremos então
a seguinte estrutura:

not as + adjetivo + as

Então, se você quiser dizer que um iPhone não é tão bom quanto um
Smartphone, a frase, no inglês, ficará da seguinte maneira:

iPhone is not as good as a Smartphone

DICAS

Ao realizar o comparativo de igualdade na forma negativa, pode-se substituir


o primeiro “as” por “so”. Veja o exemplo:

iPhone is not so good as a Smartphone.

2.2 COMPARATIVO DE INFERIORIDADE


O comparativo de inferioridade é usado para dizer que alguém ou algo é
menos que outro. Para fazer este comparativo, usamos a seguinte estrutura:

less + adjective + than

92
TÓPICO 2 | GRAU DOS ADJETIVOS

Esta regra é utilizada para qualquer adjetivo, sem exceção. Less significa
menos e than, do que. Veja alguns exemplos:

English is less difficult than Portuguese (Inglês é menos difícil do que português).
Watching television is less interesting than reading a book (Assistir televisão é menos
interessante do que ler um livro).

2.3 COMPARATIVO DE SUPERIORIDADE


O comparativo de superioridade, como o próprio nome já diz, significa que
você está fazendo uma comparação e dizendo que alguém ou algo é superior a outro.

Tanto no comparativo de igualdade e inferioridade, a regra é a mesma,


não há exceções. Porém, no comparativo de superioridade é necessário observar
algumas regras.

Quando o adjetivo utilizado é de uma sílaba:

adjetivo + er + than

Para adjetivos curtos, de apenas uma sílaba, basta acrescentar ER. Observe:
fast (rápido) – faster (mais rápido)

This car is faster than that one (Este carro é mais rápido do que aquele).

old (velho) – older (mais velho)


John is older than Jack (John é mais velho do que Jack).

Quando o adjetivo utilizado tem duas sílabas:

- Para adjetivos de duas sílabas terminados em Y, ER, LE e OW:

adjetivo + er + than

sunny (ensolarado) – sunnier (mais ensolarado)


Today is sunnier than yesterday (Hoje está mais ensolarado do que ontem).

tender (carinhoso) – tenderer (mais carinhoso)


My mom is tenderer than my dad (Minha mãe é mais carinhosa do que meu pai).

93
UNIDADE 2 | LEITURA TÉCNICA

humble (humilde) – humbler (mais humilde)


The president is humbler than that businessman (O presidente é mais humilde do que
aquele empresário).

narrow (estreito) – narrower (mais estreito)


This river is narrower than that one (Este rio é mais estreito do que aquele).

- Para adjetivos de duas sílabas com outras terminações:

more + adjetivo + than

boring (chato) – more boring (mais chato)


This TV show is more boring than the other one (Este programa de TV é mais chato do
que aquele)

- Para adjetivos com três sílabas ou mais:

more + adjetivo + than

expensive (caro) – more expensive (mais caro)


A car can be more expensive than a house (Um carro pode ser mais caro do que uma
casa)

modern (moderno) – more modern (mais moderno)


This computer is more modern than that one (Este computador é mais moderno do
que aquele).

2.4 SUPERLATIVO
O superlativo é usado para destacar algo ou alguém dentro de um grupo.
Este destaque pode ser positivo ou negativo. Vamos a sua estrutura:

- Para adjetivos de uma sílaba:

the + adjetivo + est

Ao fazer o superlativo de adjetivos curtos, usamos antes do adjetivo o “the” e


acrescentamos neste adjetivo o “est”. Veja alguns exemplos:

94
TÓPICO 2 | GRAU DOS ADJETIVOS

small (pequeno) – the smallest (o menor)


My piece of cake is the smallest (O meu pedaço de bolo é o menor)

tall (alto) – tallest (o mais alto)


This building is the tallest in the city (Este prédio é o mais alto na cidade).

- Para adjetivos de duas sílabas terminados em Y, ER, LE e OW:

the + adjetivo + est

easy (fácil) – the easiest (o mais fácil)


This is the easiest program I have already used (Este é o programa mais fácil que eu
já usei).

clever (inteligente) – the cleverest (o mais inteligente)


He is the cleverest guy I have met (Ele é o cara mais inteligente que eu conheci).

- Para adjetivos de duas sílabas com outras terminações:

the most + adjetivo

complex (complexo) – the most complex (o mais complexo)


This program is the most complex I have ever seen (Este programa é o mais complexo que
eu já vi).

- Para adjetivos de três ou mais sílabas:

the most + adjetivo

interesting (interessante) – the most interesting (o mais interessante)


This is the most interesting magazine I have read (Esta é a revista mais interessante
que eu li).

popular (popular) – the most popular (o mais popular)


She is the most popular girl in school (Ela é a garota mais popular na escola).

95
UNIDADE 2 | LEITURA TÉCNICA

ATENCAO

Na formação de um comparativo você nunca encontra more seguido de um


adjetivo com er. Assim como você nunca encontrará the most seguido de um adjetivo com est.

ATENCAO

Adjetivos terminados em “e” recebem apenas o –r ou –st. Exemplos:


nice (legal) – nicer (mais legal), the nicest (o mais legal)
Adjetivos de uma sílaba terminados em consoante, vogal, consoante dobram a última
consoante antes de receberem –er ou –est. Exemplos:
hot (quente) – hotter (mais quente), the hottest (o mais quente)
Os adjetivos terminados em –y precedidos de consoante perdem o –y e recebem –ier ou
–iest. Exemplos:
pretty (bonita) – prettier (mais bonita), the prettiest (a mais bonita)

Casos especiais

Ao formar o comparativo de superioridade encontramos algumas exceções,


ou seja, não seguem a regra apresentada acima. Veja quais são algumas delas:

good (bom) – better (melhor) – the best (o melhor)


He is the best brother I could have (Ele é o melhor irmão que eu poderia ter).
I’m better than you (Eu sou melhor do que você).

bad (mau) – worse (pior) – the worst (o pior)


The weather is worse than last week (O clima está pior do que semana passada).
This is the worst movie I have ever seen (Este é o pior filme que eu já vi).

far (longe) – farther/further (mais longe) – the farthest/the furthest (o mais longe)
This path is further than the other one (Este caminho é mais longe do que aquele).
This is the farthest way to go to the beach (Esta é a maneira mais longa de ir para a praia).

ATENCAO

Observe que no superlativo, em inglês, há duas maneiras de escrever mais


longe e o mais longe. Você pode usar qualquer uma delas.

96
TÓPICO 2 | GRAU DOS ADJETIVOS

DICAS

Quer saber quais os outros casos especiais que não seguem a regra do
comparativo? Utilize a gramática: TORRES, Nelson. Gramática prática da língua inglesa: o
inglês descomplicado. 9. ed. Saraiva, 2007.

3 ADVÉRBIOS
Assim como na língua portuguesa, os advérbios em inglês são muito
importantes, pois eles têm a função de alterarem o verbo ou adjetivo, como
completar ideias.

Em inglês, os advérbios são geralmente divididos em seis categorias:


advérbios de frequência, modo, tempo, lugar, intensidade e dúvida.

3.1 ADVÉRBIOS DE FREQUÊNCIA (FREQUENCY)


Os advérbios de frequência são utilizados antes do verbo ou depois do
verbo to be.

QUADRO 20 – ADVÉRBIOS DE FREQUÊNCIA

always sempre
never nunca
sometimes às vezes
often frequentemente
seldom raramente
usually geralmente

FONTE: A autora

Veja alguns exemplos:

They usually go to the movie theater on Saturday (Eles geralmente vão ao cinema no
sábado).

She is always late for work (Ela sempre está atrasada para o trabalho).

97
UNIDADE 2 | LEITURA TÉCNICA

3.2 ADVÉRBIOS DE MODO (MANNER)


Os advérbios de modo derivam do adjetivo e geralmente são seguidos por
“ly”, em português, “mente”.

QUADRO 21 – ADVÉRBIOS DE MODO

kindly gentilmente
quickly rapidamente
slowly lentamente
carefully cuidadosamente
really realmente
fluently fluentemente

FONTE: A autora

Exemplos:

They speak English fluently (Elas falam inglês fluentemente).


I’m really going to the lecture (Eu realmente irei à palestra).

3.3 ADVÉRBIOS DE TEMPO (TIME)


Como o nome mesmo diz, estes advérbios representam o tempo.

QUADRO 22 – ADVÉRBIOS DE TEMPO

now agora
soon logo
tomorrow amanhã
tonight hoje à noite
yesterday ontem
early cedo

FONTE: A autora

Exemplos:

I woke up early because there was too much noise (Eu acordei cedo porque havia
muito barulho).
Yesterday it was raining a lot (Ontem estava chovendo muito).

98
TÓPICO 2 | GRAU DOS ADJETIVOS

3.4 ADVÉRBIOS DE LUGAR (PLACE)


Os advérbios de lugar fazem relação com lugares ou distâncias.

QUADRO 23 – ADVÉRBIOS DE LUGAR

here aqui
there lá
everywhere todo o lugar
upstairs andar de cima
downstairs andar de baixo

FONTE: A autora

Veja alguns exemplos:

- Where is your sister? – She’s upstairs (Onde está a sua irmã? – Ela está no andar
de cima).
- I see flowers everywhere (Eu vejo flores em todo o lugar).
- Are you coming here? (Você está vindo aqui?).

3.5 ADVÉRBIOS DE INTENSIDADE (DEGREE OR INTENSITY)

QUADRO 24 – ADVÉRBIOS DE INTENSIDADE


very muito

too muito, demais

more mais

almost quase

FONTE: A autora

They almost got married in Las Vegas (Eles quase se casaram em Las Vegas).
He loves too much her (Ele a ama demais).

3.6 ADVÉRBIOS DE DÚVIDA (DOUBT)


Estes advérbios são utilizados para expressar incertezas, dúvidas.

99
UNIDADE 2 | LEITURA TÉCNICA

QUADRO 25 – ADVÉRBIOS DE DÚVIDA

maybe talvez

perhaps talvez

possibly possivelmente

probably provavelmente

FONTE: A autora

- Are you going to Miami? – I don’t know, maybe (Você vai para Miami? – Eu não
sei, talvez).
- He is probably going to be the next president (Ele provavelmente será o próximo
presidente).

DICAS

Que tal aprender 400 palavras em um minuto? Veja o vídeo no link: <http://
www.youtube.com/watch?v=48pqa-dTxls>. Muitas dessas palavras são advérbios.

4 PREPOSIÇÕES
Como na língua portuguesa, em inglês, há várias preposições. Nesta seção
veremos as mais usadas: in, on e at. Elas podem causar certa dificuldade no seu
uso, pois em geral, estas três preposições signifcam “em”:

4.1 AT
A preposição at é usada:

- Em horas e significa “às”:

My class starts at 8 o’clock (Minha aula começas às 8 horas).

- Em datas comemorativas:

I will see you at Christmas (Eu verei você no natal)


She wasn’t there at Easter (Ela não estava lá na páscoa)

100
TÓPICO 2 | GRAU DOS ADJETIVOS

ATENCAO

Quando há a palavra day (dia) após a data comemorativa, não usamos AT e sim, ON:

My brother will arrive on Christmas Day (O meu irmão chegará no dia de natal).

- Também utilizamos At com as palavras: noon (meio-dia), night (noite), midnight


(meia-noite) e dawn (madrugada):

She arrived at dawn (Ela chegou de madrugada).


See you at night (Te vejo à noite).

- Em endereços completos:

Joshua lives at 74 Lincon Street (Joshua mora na rua Lincon, 74).

- Com cidades pequenas:

Ana was born at Pomerode (Ana nasceu em Pomerode).

- Com lugares, mas sem especificar que se está dentro:

I’m at the movie theater waiting for you (Eu estou no cinema esperando por você).

4.2 IN
Assim como at, in também significa em e é utilizada nas seguintes
situações:

- Com meses ou estações do ano:

My birthday is in April (Meu aniversário é em abril).


It’s very cold in winter (É muito frio no inverno).

- Em períodos do dia (exceto para os períodos que vimos anteriormente: noon


(meio-dia), night (noite), midnight (meia-noite) e dawn (madrugada).
I like to work out in the morning (Eu gosto de me exercitar de manhã).

- Com anos, séculos ou expressões de tempo:

Brazil is going to win the World Cup in 2014 (Brasil ganhará a copa do mundo de 2014).

101
UNIDADE 2 | LEITURA TÉCNICA

I like the 19th century art (Eu gosto da arte do século 19).
She will come to the city in a few weeks (Ela virá para a cidade em algumas semanas).

- Com expressões de lugar que indicam que se está dentro:

The students are in the classroom (Os alunos estão na sala de aula).

- Com cidades grandes:

She lives in New York (Ela mora em Nova Iorque).

- Com estados, países e continentes:

There are beautiful beaches in Santa Catarina (Há praias bonitas em Santa Catarina).
The 2016 Olympics will be held in Brazil (A olimpíada de 2016 será realizada no Brasil).
I would like no live in Europe (Eu gostaria de morar na Europa).

4.3 ON
Outra preposição muito utilizada na língua inglesa é ON. Veja o seu uso:

- Com dias da semana:

I don’t work on Saturday (Eu não trabalho no sábado).

- Quando se quer dizer “sobre” ou “em cima de”:

The book is on the table (O livro está sobre a mesa).

- Com datas:

I started a diet on February, 4th (Eu comecei uma dieta dia 4 de fevereiro).

- Com meios de transporte coletivos:

It’s my first time on the plane (É a minha primeira vez num avião).
There were too many people on the bus (Havia muitas pessoas no ônibus).

ATENCAO

A preposição on é utilizada com transportes coletivos, mas ao se referir a


carro ou táxi, utilize a preposição in: in the car, in the taxi.

102
TÓPICO 2 | GRAU DOS ADJETIVOS

- Também utilizamos ON com nomes de avenidas ou ruas:

I’m on Bush Street (Eu estou na rua Bush).

- Para se referir a fazenda ou ilha:

I would like to spend my vacation on an island. (Eu gostaria de passar as minhas férias
numa ilha).
The horses live on the farm (Os cavalos moram na fazenda).

4.4 OUTRAS PREPOSIÇÕES


Há muitas outras preposições na língua inglesa. Verificamos acima as mais
utilizadas e que geram muitas dúvidas devido à semelhança na sua tradução.
Outras preposições muito utilizadas são as preposições de lugares, utilizadas
para indicar a posição de objetos, pessoas etc. Veja a figura a seguir:

FIGURA 11 – PREPOSIÇÕES DE LUGAR

above behind between in in front of

next to on on the left on the right under


FONTE: Disponível em: <http://recursostic.educacion.es/secundaria/
edad/3esoingles/3quincena7/imagenes7/3f_prepositions.gif>. Acesso em: 28 fev. 2014.

above: acima
behind: atrás
between: entre, no meio
in: dentro
in front of: na frente
next to: próximo
on: em cima
on the left: na esquerda
on the right: na direita
under: embaixo

103
UNIDADE 2 | LEITURA TÉCNICA

DICAS

Quer saber quais são as outras preposições e exemplos do seu uso? Acesse:
<http://www.solinguainglesa.com.br/conteudo/prepositions.php>.

5 CONJUNÇÕES
Conjunções são termos que ligam palavras ou frases e estabelecem
uma relação de coordenação ou subordinação entre elas. Existem dois tipos de
conjunções:

5.1 COORDINATING CONJUNCTIONS


As coordinating conjunctions podem ligar frases, palavras e até grupos
de palavras coordenadas entre si. Veja algumas das principais coordinating
conjunctions:

QUADRO 26 – COORDINATING CONJUNCTIONS

CONJUNÇÃO FUNÇÃO
and adição
but oposição, contraste
nor faz a ligação de duas alternativas negativas
or alternância
yet ressalva
so mostra o resultado da primeira ideia

FONTE: A autora

Veja alguns exemplos com cada uma das coordinating conjuctions citadas
acima:

He lives in Rio de Janeiro and studies at Uniasselvi (Ele mora em Rio de Janeiro e
estuda na Uniasselvi).

104
TÓPICO 2 | GRAU DOS ADJETIVOS

DICAS

Geralmente não utilizamos vírgula com and porém, quando esta conjunção
for utilizada para adicionar um último item de uma lista, podemos usar a vírgula diante de
and exemplo: I spent my day listening to music, playing poker, and talking to a friend (eu
passei o meu dia ouvindo música, jogando pôquer e conversando com um amigo).

They tried, but they didn’t win the game (Eles tentaram, mas não venceram o jogo).

ATENCAO

Além de significar mas ou porém, but também pode significar exceto.


Exemplo: everybody but john went to the party (todos, exceto john, foram a festa).

She was neither sad nor worried (Ela não estava nem triste nem preocupada).

I could cook or we could go out for dinner (Eu poderia cozinhar ou nós podemos
jantar fora).

He earns lots of money, yet he never has money to go out (Ele ganha muito dinheiro,
apesar disso nunca tem dinheiro para sair).

ATENCAO

Quando yet exerce a função de conjunção, ele sempre aparecerá no início


da oração.

My boyfriend was sick, so we stayed home (Meu namorado estava doente,


então, ficamos em casa).

105
UNIDADE 2 | LEITURA TÉCNICA

5.2 CORRELATIVE CONJUNCTIONS


As correlative conjunctions nunca aparecem sozinhas, elas são sempre usadas
em pares. Porém, elas nunca aparecerão lado a lado. Veja o quadro a seguir:

QUADRO 27 – CORRELATIVE CONJUNCTIONS

Correlative Conjunctions Exemplo Tradução


I like to study both math and Eu gosto de estudar tanto
both...and
English. matemática quanto inglês.
We can go either to the Nós podemos ir ao cinema ou
either...or
movies or to the museum. ao museu.
You should neither smoke Você não deveria fumar ou
neither...nor
nor drink. beber.
My stepmom is not only Minha madrasta não é apenas
not only...but also
beautiful but also nice. bonita, mas também legal.
Independente se formos de
Whether we go by car or taxi,
whether...or carro ou táxi, vai levar um longo
it’s going to take a long time.
tempo.

FONTE: A autora

5.3 SUBORDINATING CONJUCTIONS


As subordinating conjuctions são utilizadas para introduzirem as orações
subordinadas, isso é, elas estabelecem relações entre uma oração dependente e
uma oração independente. Veja o quadro a seguir:

QUADRO 28 – SUBORDINATING CONJUNCTIONS

Subordinating
Exemplo Tradução
Conjuctions

after I will go after you. Eu irei depois de você.


Although it was cold, we went Embora estivesse frio, nós
although
for a walk. saímos para caminhar.
As you know, I’m going to leave Como você sabe, eu deixarei a
as
the city. cidade.
I went home because I was Eu fui para casa porque estava
because
tired. cansada.
Antes de tomar o café da
Before I take breakfast, I need to
before manhã, eu preciso tomar o meu
take my medicine.
remédio.

106
TÓPICO 2 | GRAU DOS ADJETIVOS

Despite my efforts, I couldn’t Apesar dos meus esforços, eu


despite
convince him. não consegui convencê-lo.
Can you ask him if he is going Você pode perguntar a ele se ele
if
to do the test? fará o teste?
Since you are here, help me, Já que você está aqui, me ajude,
since
please. por favor.
He worked hard so that his Ele trabalhou duro para que os
so that children could go to a good seus filhos pudessem ir para
university. uma boa univesidade.
You can go with him unless Você pode ir com ele a não ser
unless
your mother says no. que a sua mãe diga não.

FONTE: A autora

107
UNIDADE 2 | LEITURA TÉCNICA

LEITURA COMPLEMENTAR

COMO ESCREVER RELATÓRIOS

No mundo dos negócios, fazer sumários, escrever relatórios, planejamentos


e realizar anotações são tarefas importantes. Porém, as pessoas tendem a escrever
relatórios apenas quando são solicitadas e geralmente são os seus superiores que
fazem esse tipo de pedido. Muitas pessoas têm medo ou não gostam de escrever
relatórios. Escrever não é uma tarefa fácil, e em muitas vezes, escrever numa
língua estrangeira que você não domina muito bem pode ser mais difícil ainda.
Mas não se preocupe. O que você tem a fazer é parar, pensar no que você tem que
fazer e colocar no papel. É uma questão de prática.

Há muitos tipos de relatórios. Eles podem ser longos, curtos, formais ou


informais e tudo depende do propósito do relatório que você está escrevendo e
para quem você está escrevendo. Alguns relatórios podem ser: cartas, conversas,
memorandos, documentos etc.

Os relatórios servem para informar, fazer indicações, recomendações ou


até lembretes. Ao criar um relatório, você deve seguir alguns passos:

- montar o material;
- fazer um planejamento sobre o conteúdo do relatório;
- elaborar o relatório;
- editar o relatório.

Revisar o que você escreveu é fundamental para uma boa apresentação. Se


você ainda estiver inseguro sobre o seu relatório, pode pedir para algum colega
de trabalho fazer a leitura antes que você o entregue para o seu supervisor.

Qualquer tipo de relatório é composto por três partes essenciais:

a) Introdução, que além de conter uma introdução sobre o tópico, também deve
trazer os objetivos do relatório.

b) Corpo do relatório, que serve para mostrar os resultados.

c) Seção final, que deve conter uma breve conclusão, recomendações e até mesmo
apêndices. Em inglês, essas três seções geralmente são divididas em: Introduction,
Facts, Conclusions. Veja um exemplo de um relatório completo em inglês:

108
TÓPICO 2 | GRAU DOS ADJETIVOS

TITLE PAGE (folha de rosto) report title (título do relatório)


your name (seu nome)
submission date (data de submissão)

EXECUTIVE SUMMARY (sumário overview of subject matter (visão geral do assunto)


executivo) methods of analysis (métodos de análise)
findings (resultados)
recommendations (recomendações)
TABLE OF CONTENTS (índice) list of numbered sections in report and their page
numbers (lista de seções numeradas no relatório e o
número das suas páginas)
INTRODUCTION (introdução) terms of reference (termos de referência)
outline of report’s structure (esboço da estrutura do
relatório)
BODY (corpo) headings and sub-headings which reflect the contents
of each section. Includes information on method of data
collection (if applicable), the findings of the report and
discussion of findings in light of theory (títulos e sub-
títulos que refletem o conteúdo de cada seção. Inclui
informações sobre o método da coleta de dados (se
aplicável), as conclusões do relatório e discussão dos
resultados com base em teorias.
CONCLUSION (conclusão) states the major inferences that can be drawn from the
discussion (afirma as principais infefências que podem
ser extraídas a partir da discussão)
makes recommendations (faz recomendações)
REFERENCE LIST (lista de list of reference material consulted during research for
referência) report (lista de referência dos materiais consultados
durante a pesquisa para elaborar o relatório)
APPENDIX (apêndice) information that supports your analysis but is not
essential to its explanation (informação que dê suporte
à sua análise, mas não é essencial para sua explicação)

FONTE: Disponível em: <http://unilearning.uow.edu.au/report/4b.html>.


Acesso em: 10 jan. 2014.

109
RESUMO DO TÓPICO 2
No presente tópico, Caro acadêmico, estudamos vários aspectos
relacionados ao ensino de língua inglesa, os quais apresentamos a seguir,
resumidamente:

• Há vários tipos de comparativos: igualdade, inferioridade e superioridade.

• No comparativo de igualdade usamos as + adjetivo + as, que significa tanto...


quanto.

• No comparativo de inferioridade usamos a estrutura less + adjetivo + than, que


significa menos ... que.

• No comparativo de superioridade, para adjetivos curtos, basta acrescentar er


no adjetivo, formando assim a estrutura adjetivo + er + than.

• Para adjetivos longos, no comparativo de superioridade, usamos more na frente


do adjetivo, formando a estrutura more + adjetivo + than.

• Para formarmos o superlativo de adjetivos curtos, precisamos acrescentar est no


adjetivo e antes dele utilizar o artigo the, formando a estrutura the + adjetivo + est.

• No superlativo com adjetivos curtos utilizamos the most antes do adjetivo,


formando assim a estrutura the most + adjetivo.

• Há alguns adjetivos que não seguem nenhuma regra e são irregulares como good,
bad e far.

• Advérbios alteram a função do verbo ou adjetivo e eles podem ser classificados


como advérbio de frequência, modo, tempo, lugar, intensidade e dúvida.

• As preposições mais utilizadas em inglês e que podem gerar mais dúvidas são
at, on e in e elas geralmente significam talvez.

• As preposições também servem para indicar a localização de alguém ou alguma


coisa, conhecidas como preposições de lugares.

• Em inglês as conjunções são classificadas como: coordinating conjunctions,


correlative conjunctions e subordinating conjunctions e cada uma delas exercem
uma determinada função na frase.

• Há vários tipos de relatórios e alguns passos a serem seguidos para elaborá-los.

110
AUTOATIVIDADE

Caro acadêmico, para melhor fixar o conteúdo apresentado neste


tópico, sugerimos que você resolva as seguinte atividades:

1 Faça o comparativo entre as coisas/pessoas abaixo, utilizando as regras que


você aprendeu até agora. Veja o primeiro exemplo:

a)  b) 
­The desert is drier than the beach. ­


(desert, beach, dry) (bus, car, slow)

c)  d) 
­


(plane, train, fast) (city, town, big)

e)  f) 


(cat, dog, cute) (concert, play, nice)

111
g)  h) 
­


(this house, that house, new) (baby, woman, young)

2 Complete com a forma correta dos adjetivos entre parênteses usando o


comparativo ou o superlativo:

a) Joe is _______________________than Ed. (short)


b) Al is the _____________________. (short)
c) Ed is the _____________________. (thin)
d) Joe is ________________________than Al. (thin)
e) Al is _________________________than Joe. (heavy)
f) Ed is the ______________________. (tall)
g) Joe is ________________________than Ed. (happy)
h) Ed is the ______________________. (angry)
i) Joe is _________________________than Ed. (energetic)

112
UNIDADE 2 TÓPICO 3

VERBOS NO FUTURO

1 INTRODUÇÃO
Até agora vimos as estruturas dos verbos no presente e no passado. Neste
tópico abordaremos as estruturas dos verbos em inglês no futuro. Apresentaremos
dois tempos verbais no futuro: will e going to.

2 VERBOS NO FUTURO
Há dois tipos de verbos no futuro usados frequentemente na língua
inglesa: Will e Be going to. Embora semelhantes, em alguns casos eles são usados
em situações diferentes.

2.1 FUTURO WILL


A estrutura para utilizar o verbo no futuro é muito simples. Observe o
quadro a seguir com um exemplo com o verbo “work”:

QUADRO 29 – FUTURO WILL

Forma afirmativa Forma negativa Forma interrogativa


I will work I will not work Will I work?
You will work You will not work Will you work?
He will work He will not work Will he work?
She will work She will not work Will she work?
It wiill work It will not work Will it work?
We will work We will not work Will we work?
You will work You will not work Will we work?
They will work They will not work Will they work?

FONTE: A autora

113
UNIDADE 2 | LEITURA TÉCNICA

A estrutura do futuro will é similar a de alguns verbos que já vimos


anteriormente. Na forma afirmativa, basta utilizar o auxiliar “will” antes do verbo
e o verbo não sofre nenhuma alteração, permanecendo no infinitivo sem o to. Na
forma afirmativa ainda é possível usar a forma contraída. Ao invés de “I will”,
você pode optar por “I’ll”, “You will” por “You’ll” e assim por diante.

Na forma negativa não é diferente. Para fazer a negação no futuro basta


acrescentar o “not” após o auxiliar “will”. Se você preferir, também pode utilizar
a forma contraída, na qual “will not” passa a ser “won’t”.

Para a forma interrogativa, o auxiliar “will” passa para a frente do sujeito.


Não se esqueça do ponto de interrogação ao final da frase.

Perceba que a regra é a mesma para todas as pessoas, tanto do singular


quanto do plural. Neste caso, não há exceção. Quanto ao uso, veja alguns exemplos:

- O futuro will é usado para ações no futuro de um modo geral:

Will you help me with my homework? (Você irá me ajudar com a minha tarefa?)
He will travel to London next winter. (Ele viajará para Londres no próximo inverno.)
My brother won’t take the test. (O meu irmão não fará o teste.)

- O futuro will também é utilizado para ações futuras que não foram planejadas:

My cellphone broke. I will buy a new one. (Meu celular quebrou. Eu comprarei um novo)
Jenny called. She won’t go to the party. (Jenny ligou. Ela não irá para a festa).

Para responder a um questionamento, você pode utilizar a forma contraída


para respostas curtas. Por exemplo: Will you go to Santos? Yes, I will (Você irá para
Santos? Sim, eu irei). Observe a forma contraída do futuro will para respostas curtas
na forma afirmativa e negativa:

QUADRO 30 – FORMA CONTRAÍDA DO FUTURO WILL

Respostas Curtas (Short Answers) Respostas Curtas (Short Answers)


Afirmativa Negativa
Yes, I will No, I won’t
Yes, he will No, he won’t
Yes, she will No, she won’t
Yes, it will No, it won’t
Yes, we will No, we won’t
Yes, you will No, you won’t
Yes, they will No, they won’t

FONTE: A autora

114
TÓPICO 3 | VERBOS NO FUTURO

2.2 FUTURO GOING TO


A estrutura do futuro going to conta com o verbo to be. Na Unidade 1 você
aprendeu a utilizar o verbo to be adequado para as pessoas do singular e do plural.
Ele aparecerá novamente neste caso seguido de going to. Para comparar com a
estrutura do futuro will, também utilizaremos o verbo “work” como exemplo:

QUADRO 31 – FUTURO GOING TO

Afirmativa Negativa Interrogativa

I am going to work I am not going to work Am I going to work?


He is going to work He is not going to work Is he going to work?
She is going to work She is not going to work Is she going to work?
It is going to work It is not going to work Is it going to work?
We are going to work We are not going to work Are we going to work?
You are going to work You are not going to work Are you going to work?
They are going to work They are not going to work Are they going to work?

FONTE: A autora

Perceba que quando utilizamos o futuro will a regra é a mesma para


todas as pessoas, tanto do singular quanto do plural. No caso do futuro going to é
necessário utilizar o verbo to be adequado para formá-lo.

Na forma afirmativa temos o sujeito + verbo to be + going to + verbo no


infinitivo sem o to. Há também a possibilidade de utilizar a forma contraída como
I’m going to, She’s going to, They’re going to etc.

Para fazer a negação no futuro going to devemos apenas acrescentar o not


após o verbo to be. Aqui também podemos usar a forma contraída do verbo to be
para is not, que ficará isn’t e are not, aren’t.

Por fim, na estrutura interrogativa, o verbo to be passa para frente do


sujeito. Agora veremos alguns exemplos quanto ao uso do futuro going to:

- O futuro going to é utilizado para indicar ações planejadas no futuro:

He is going to get married tomorrow (Ele vai se casar amanhã)


Are you going to leave your job? (Você vai deixar o seu emprego?)
She isn’t going to move to Orlando (Ela não vai se mudar para Orlando)

115
UNIDADE 2 | LEITURA TÉCNICA

DICAS

No geral, para a maioria das ações futuras, podemos usar tanto o futuro will
quanto o going to.

3 IMPERATIVO
A forma imperativa é formada pelo imperativo do verbo sem a partícula
to e é utilizado para expressar um pedido ou uma ordem tanto no singular como
no plural.

Open your books (Abram os seus livros)


Be quiet (Fique quieto)
Close the door, please (Feche a porta, por favor)

Você também pode utilizar o imperativo para expressar um pedido ou


uma ordem na forma negativa. Para isso basta utilizar “don’t” antes do verbo.

Don’t go now (Não vá agora)


Don’t draw on the floor (Não escreva no chão)
Don’t open the window (Não abra a janela)

Há ainda a forma imperativa com “let’s”, quando o locutor se inclui na ação.

Let’s go to the theater (Vamos ao teatro)


Let’s watch a movie (Vamos assistir a um filme)
Let’s work out (Vamos nos exercitar)

DICAS

Lembre-se de que sempre que você tiver dúvidas, a melhor solução é


consultar um dicionário. Você pode optar por um dicionário para aprendizes de inglês ou
um dicionário específico para a área de informática:

PARKER, J. & STAHEL, M. Password: English dictionary for speakers of Portuguese. São
Paulo: Martins Fontes, 2000.

TUCK, Michael. Oxford dictionary for computing learner English. Oxford: Oxford, 2002.

116
TÓPICO 3 | VERBOS NO FUTURO

4 VERBOS MODAIS
Os verbos modais são utilizados para expressar uma possibilidade,
obrigação, permissão etc. Eles não são usados em todos os tempos verbais. O
verbo está sempre no infinitivo sem a partícula to. Possuem a mesma forma para
todas as pessoas, tanto no singular quanto no plural. Para a forma interrogativa,
basta colocar o verbo modal na frente do sujeito e para a forma negativa, inserir o
not após o verbo modal. Veja os verbos modais mais utilizados:

- Can (conseguir, poder)

Erick can speak three languages (Erick consegue falar três línguas)
I can’t drive (Eu não posso dirigir)
She can win the race (Ela pode vencer a corrida)

- Para indicar capacidade, permissão ou possibilidade no passado, usamos o


could I couldn’t help her (Eu não consegui ajudá-la)

Could she come with us? (Ela podia vir conosco?)


They could be new members of the team (Eles poderiam ser os novos membros do time)

- Quando você está falando sobre uma capacidade, o verbo modal can pode ser
substituído por “be able to”. “Be” é o verbo to be e deve ser flexionado. Veja:

I can ride a bike (Eu consigo andar de bicicleta) ou I am able to ride a bike.
She can speak Japanese (Ela consegue falar japonês) ou She is able to speak Japanese.
They can’t understand me (Eles não conseguem me entender) ou They aren’t able to
understand me.

- O mesmo serve para “could” quando se quer expressar capacidade. Neste caso,
o verbo to be deve estar no passado (was/were):

He could swim well (Ele conseguia nadar bem) ou He was able to swim well.
We couldn’t run fast (Nós não conseguíamos correr rápido) ou We weren’t able to
run fast.

- May (poder

May I enter the room? (Posso entrar no quarto?)


It may snow today (Pode nevar hoje)

- Para indicar uma possibilidade no passado, usa-se might:

She said he might be sick (Ela disse que ele poderia estar doente)

117
UNIDADE 2 | LEITURA TÉCNICA

DICAS

O verbo modal can é informal enquanto may é formal. O mesmo ocorre com
could (informal) e might (formal).

- Must (dever)

You must go home now (Você deve ir para casa agora)


She is sick. She must take her medicine. (Ela está doente. Ela deve tomar o remédio dela)

- Usamos “had to” para indiciar uma obrigação no passado.

I had to stay home yesterday. I had to study. (Eu tive que ficar em casa ontem. Eu tive
que estudar).

- Should (deve), indica um conselho.

Should I stay or should I go? (Eu devo ir ou devo ficar?)


She should study more. (Ela deve estudar mais).
You shouldn’t complain about this (Você não deveria reclamar disso).

DICAS

Embora seja dificilmente utilizado, “ought to” tem o mesmo significado que
should e também indica conselho. Você pode utilizar tanto um quanto o outro. Exemplo:
children ought to obey their parents (crianças devem obedecer aos seus pais).

Na forma negativa, você pode apenas acrescentar o not ou usar a forma contraída: can’t,
couldn’t, mustn’t, shouldn’t. Porém, não use a forma contraída para may e might.

5 QUESTION TAGS
As question tags são pequenas perguntas no final da frase. Podemos
compará-las ao nosso “né?” ou “não é?” para se obter algum tipo de afirmação.
Elas são sempre separadas por vírgulas. Quando se trata de uma frase afirmativa,
a question tag ao final dela será negativa. Quando temos uma frase negativa, a
question tag ao final dela será afirmativa.

118
TÓPICO 3 | VERBOS NO FUTURO

frase afirmativa question tag negativa


frase negativa question tag afirmativa

Para saber como se formará a question tag, primeiramente, é necessário


saber qual o tempo verbal da oração principal. Se ela está no presente simples, a
question tag também terá que ser utilizada no presente simples. Se a frase está no
passado contínuo, a question tag estará no passado contínuo e assim por diante.

Jen is happy with the good news, isn’t she? (Jen está feliz com a boa notícia, não está?)
Your dad doesn’t like sports, does he? (O seu pai não gosta de esportes, gosta?)
They are going to live in Boston, aren’t they? (Eles vão morar em Boston, não vão?)
We have to go to school, don’t we? (Nós temos que ir para a escola, não é?)
She will study two more years, won’t she? (Ela estudará mais dois anos, não é?)
He broke his arm, didn’t he? (Ele quebrou o braço, não é?)
We can’t play outside, can we? (Nós não podemos brincar lá fora, podemos?)
They should invite him, shouldn’t they? (Elas deveriam convidar ele, não deveriam?)

ATENCAO

Se a frase iniciar com “I am”, a question tag utilizada deve ser “aren’t I”. Exemplo: I
am smart, aren’t I? (Eu sou esperta, não sou?).

Quando se sugere algo iniciando com “let’s”, a question tag será formada por “shall we”.
Exemplo: Let’s go to the movies, shall we? (Vamos ao cinema?).

119
UNIDADE 2 | LEITURA TÉCNICA

LEITURA COMPLEMENTAR

COMPUTADORES NA SOCIEDADE

Já vimos que os primeiros computadores foram utilizados pelo governo


para auxiliar em pesquisas, guerras ou solucionar problemas na engenharia.

Os computadores tinham como propósito reduzir custos e resolver


problemas no mundo dos negócios. Porém, nos últimos anos, o computador tem
afetado direta ou indiretamente a vida de todos nós.

O computador pode facilitar a nossa vida de várias maneiras, como auxiliar


na previsão do tempo, prevendo moradores de alguma catástrofe. Auxiliam-nos
a chegar a algum lugar. Nos conectam com pessoas do outro lado do mundo.
Possibilita que tenhamos acesso rápido a vários tipos de informação e também
têm a função de nos entreter.

Além de passar muito tempo em frente ao computador assistindo a filmes,


ouvindo músicas, jogando, as pessoas passam cada vez mais tempo conectadas a
várias redes sociais.

As redes sociais possibilitam ao usuário conhecer novas pessoas, conversar


em tempo real com amigos, postar fotos ou até mesmo bisbilhotar a vida alheia.
Mas atenção, não são apenas amigos que estão interessados na sua vida.

Atualmente, muitas empresas, antes de contratar um funcionário, fazem


uma busca on-line por informações além daquelas fornecidas no currículo. As
empresas procuram por informações variadas, desde opiniões e até mesmo fotos.

Por isso devem-se evitar comentários muito radicais ou fotos inadequadas.


Há pessoas que contam tudo, exatamente tudo na rede social e é importante
lembrar que a rede social não é um diário e que várias pessoas têm acesso às suas
informações. Não basta criar apenas uma boa impressão na entrevista. Cause
também uma boa impressão no seu perfil social.

E não é apenas um candidato a uma vaga de emprego que deve se preocupar


com as suas postagens on-line. As empresas também estão atentas às postagens
dos seus funcionários. É comum encontrarmos notícias sobre funcionários que
foram demitidos por reclamarem do seu emprego, da empresa, do coordenador
ou colegas de trabalho.

Você não deve ficar com medo de usar a rede social, porém, assim como
tudo na vida, deve-ser ter bom senso na hora de utilizá-la.

120
RESUMO DO TÓPICO 3
No presente tópico, Caro acadêmico, estudamos vários aspectos
relacionados ao ensino de língua inglesa, os quais apresentamos a seguir,
resumidamente:

• No inglês, o futuro está dividido em duas maneiras: Will e Going to.

• Na regra geral, ao falar de uma ação futura, tanto faz usar will ou going to.

• Usa-se o futuro will para ações que não foram planejadas.

• Usa-se o futuro going to para expressar uma ação futura planejada.

• O imperativo serve para expressar um pedido ou uma ordem.

• O verbo, quando utilizado no imperativo, é utilizado sem a partícula to.

• A negação do imperativo é feita com o auxiliar don’t antes do verbo.

• Ainda no imperativo, quando nos incluímos na ação, fazemos o uso de Let’s.

• Vimos que os verbos modais têm várias funções como pedidos, permissões ou
proibições.

• O verbo, quando utilizado com um modal, estará sempre no infinitivo, sem a


partícula to.

• A regra dos verbos modais é a mesma tanto para as pessoas do singular quando
as do plural.

• Can significa poder e indica capacidade, possibilidade e permissão e é um verbo


modal informal.

• Para indicar capacidade, possibilidade e permissão no passado, usa-se o verbo


modal could.

• Can e could podem ser substituídos por be able to quando se quer expressar uma
capacidade.

• May indica permissão ou possibilidade e é uma maneira formal de se expressar.

121
• Might também indica permissão ou possibilidade, porém, é usada no passado.

• Must indica uma obrigação e pode ser substituído por have to. Para indicar uma
obrigação no passado, usa-se had to.

• Para aconselhar, usa-se o verbo modal should e ele pode ser substituído pelo
modal ought to.

• Para frases com os verbos modais na forma negativa, basta acrescentar o not
após o modal.

• Para realizar questionamentos com os verbos modais, basta colocá-los em


frente ao sujeito.

• Question tags são pequenos questionamentos ao final da frase e servem para


confirmar alguma informação.

• Se a oração principal é afirmativa, a question tag será negativa. Se a oração


principal é negativa, a question tag será afirmativa.

• Para elaborar a question tag ao final da frase é importante identificar o tempo


verbal da oração. Se a frase está no presente, a question tag terá que ser no
presente. Se a oração principal está no passado, a question tag estará no passado,
e assim por diante.

• O uso dos computadores afetaram direta ou indiretamente a vida das pessoas,


mas é necessário sabedoria na hora de utilizar redes sociais para não se expor
demais.

122
AUTOATIVIDADE

Caro acadêmico, para melhor fixar o conteúdo apresentado neste


tópico, sugerimos que você resolva a seguinte atividade:

1 Ana está falando sobre os seus planos para o final de semana. Lembre-se de
que quando falamos sobre alguma ação planejada sobre o futuro, usamos
o going to. Observe as figuras e escreva sobre o que Ana fará ou não no seu
final de semana. Utilize as palavras no quadro a seguir:

drive to Italy – learn some Italian – read English newspaper – stay in a nice hotel –
swim a lot – take photos – visit museums – write postcards - fly

Exemplo:
Ana is not going to fly.
__________________________________________
__________________________________________
__________________________________________
__________________________________________
__________________________________________
__________________________________________
__________________________________________

123
2 Observe as regras do museu a seguir. Você constatará algumas regras e
algumas recomendações. Complete as frases a seguir com should/ shouldn’t
ou must/ mustn’t:

a) You_____________ eat or drink in the museum.


b) You _____________ buy a guidebook.
c) You _____________ take large bags with you.
d) You _____________ take pictures.
e) You _____________ only look at the furniture.
f) You _____________ ask questions.

3 Observe agumas regras de um acampamento e de um avião. Há algumas


proibições, e para isso, devemos utilizar o verbo modal mustn’t. Junto com o
verbo modal, utilize um dos verbos da caixa para completar as regras a seguir:

light – make – smoke – use - wash

At a campsite a) You ____________________ fires.


b) You ____________________ dishes in the showers.
c) You ____________________ noise after 10 pm.

On a plane d) You ____________________ a mobile phone.


e) You ____________________ in the toilets.

124
UNIDADE 3

VOCABULÁRIO TÉCNICO

OBJETIVOS DE APRENDIZAGEM
A partir do estudo desta unidade, você estará apto a:

• conhecer termos técnicos em inglês;

• fazer uso do dicionário em inglês tornando-se mais fluente e proficiente


na língua;

• compreender a estrutura e uso do presente e passado perfeito, bem como


o presente e passado perfeito contínuo;

• entender a morfologia das palavras em inglês por meio de afixos;

• usar corretamente os artigos definidos e indefinidos;

• conhecer palavras e expressões que são usadas para estabelecer uma cone-
xão lógica entre frases ou ideias;

• reconhecer a oração principal e a oração condicional;

• utilizar as condicionais para situações verdadeiras, possíveis, improváveis


e impossíveis;

• empregar corretamente os phrasal verbs;

• diferenciar os numerais ordinais dos numerais cardinais.

PLANO DE ESTUDOS
Esta unidade está dividida em três tópicos. Ao final de cada um deles, você
poderá dispor de atividades que o auxiliarão na fixação do conteúdo.

TÓPICO 1 – TERMOS TÉCNICOS NA ÁREA DA INFORMÁTICA

TÓPICO 2 – AFIXOS

TÓPICO 3 – CONDICIONAIS

125
126
UNIDADE 3
TÓPICO 1

TERMOS TÉCNICOS NA ÁREA DA INFORMÁTICA

1 INTRODUÇÃO
Na área da informática existem muitos termos usados na língua inglesa.
Alguns já não são mais traduzidos para a língua portuguesa, porém, o profissional
dessa área precisa compreender o significado de muitos deles para desempenhar
melhor o seu trabalho.

2 TERMOS TÉCNICOS
Saber o significado dos termos técnicos principais utilizados no seu dia a
dia ajudará no desempenho das suas tarefas e lhe economizará bastante tempo
na execução delas. Como vimos anteriormente, você pode criar um glossário para
consulta e você perceberá que logo não será mais necessário fazer a consulta,
pois já saberá o significado de determinada palavra. Quando fazemos o uso de
palavras estrangeiras, devemos sempre utilizar a escrita em itálico ou entre aspas.
Por exemplo: A imagem possui 50 pixels de largura e 50 pixels de altura. A palavra
pixels é um estrangeirismo, portanto, devemos escrevê-la usando itálico ou aspas.
Claro que estamos falando de uma escrita formal, quando se escreve um relatório
ou qualquer outro tipo de documento.

ATENCAO

Online ou on-line? Email ou e-mail? Segundo o Vocabulário Ortográfico da


Língua Portuguesa que foi produzido pela Academia Brasileira de Letras, nos dois casos o
uso do hífen é obrigatório. Portanto, ao utilizar as palavras na língua portuguesa, o correto
é on-line e e-mail. Quer consultar outras palavras? Acesse: <http://www.academia.org.br/>.

127
UNIDADE 3 | VOCABULÁRIO TÉCNICO

2.1 USO DO DICIONÁRIO


Como já falamos anteriormente, quando se faz a leitura de textos em
inglês, é importante tentar compreender as palavras pelo contexto, pois consultar
um dicionário a todo o momento pode tornar a leitura cansativa e fazer com que
você desista de concluí-la.

Isso não quer dizer que você não possa consultar um dicionário, pelo
contrário, se você não conseguiu entender uma passagem do texto por causa de
uma palavra, deve sim procurar um dicionário para ajudá-lo.

Ao consultar o dicionário, você verá que uma só palavra pode ter mais de
um significado e você deve selecionar a tradução que faz sentido dentro daquele
contexto, ou a frase pode ficar confusa.

Certa vez, em uma aula, ao corrigir uma tarefa, foi possível observar um
exemplo em que a palavra usada para se expressar não foi a correta. O exercício
era simples. O aluno precisava escrever um pequeno parágrafo sobre a sua rotina:

I wake up at 7 a.m., brush my teeth and use a thong. (Eu acordo às 7 da manhã,
escovo os dentes e uso fio dental).

Provavelmente o aluno utilizou a primeira palavra que encontrou ao


fazer a tradução de fio dental. Na língua portuguesa, a palavra fio dental tem a
mesma escrita para o fio dental utilizado para a limpeza dos dentes quanto para
expressar o modelo de uma peça íntima. Já na língua inglesa, a palavra fio dental
tem traduções diferentes. O fio dental utilizado para limpar os dentes é dental
floss, já thong significa um modelo de peça íntima.

Por isso a frase elaborada pelo aluno estava incorreta, porque ele não
estava se referindo a roupa e sim que, após escovar os dentes, fazia o uso de fio
dental para limpar os dentes.

Há vários tipos de dicionários. Quando se trata ainda do dicionário


de papel, ao procurar por alguma palavra, ela geralmente é acompanhada da
tradução, uso e símbolos fonéticos.

Veja o exemplo ao consultar uma palavra em inglês no dicionário:

128
TÓPICO 1 | TERMOS TÉCNICOS NA ÁREA DA INFORMÁTICA

Palavra em inglês

símbolo fonético (forma de pronúncia)

high-tech (tb hi-tech) /, hai'tek/ adj (coloq) de alta tecnologia → significado

adjetivo, forma coloquial

Outra forma que a palavra também pode ser escrita

Observe que o dicionário não traz apenas a tradução da palavra, mas também
fornece outras informações sobre ela. Primeiramente ele nos diz que existe outra
forma de escrever a palavra high-tech. Ele também nos diz que se trata de um adjetivo
de uso coloquial e além de apresentar o significado, ele traz a fonética da palavra.
Você sabe para que serve o símbolo fonético?

O alfabeto fonético mostra o som da palavra, como ela deve ser


pronunciada. Assim, se você conhece os sons dos símbolos fonéticos, conseguirá
pronunciar corretamente determinada palavra. Em inglês esse alfabeto fonético é
conhecido como IPA (International Phonetic Alphabet) e ele serve para representar
os sons de uma letra.

Quando consultamos no dicionário uma palavra em português para


saber a sua escrita na língua inglesa, o dicionário informará se há diferenças no
uso da palavra.

Primeira tradução

substantivo masculino

verso 1 sm back: no - do cartão onde the back of the card

tradução para o inglês exemplo

verso 2 sm 1 (linha de um poema) line 2 (poema) verse 3 (gênero literário) poetry

segunda tradução com demais opções de uso

129
UNIDADE 3 | VOCABULÁRIO TÉCNICO

No exemplo acima, o dicionário mostra mais de uma tradução para a


palavra verso. Isso depende do que você precisa. Por exemplo, verso de um cartão,
livro, usa-se a palavra back, mas se o verso que você quer se referir trata-se de um
verso poético, aí então você deve verificar se quer se referir à linha do poema, ao
poema ou ao gênero literário, pois dependendo do uso, a tradução muda.

DICAS

Quando realizamos alguma leitura em inglês é sempre bom ter acesso a um


dicionário. Como profissional da área de informática, prefira um dicionário específico: TUCK,
Michael. Oxford Dictionary for computing learner English. Oxford: Oxford, 2002.

2.2 LISTA DE VOCABULÁRIOS


Há alguns termos técnicos encontrados frequentemente em manuais ou
demais textos sobre computação. Elaboramos um glossário para ajudá-lo(a) na
compreensão dessas palavras.

ABEND – encerramento de execução de um programa devido a um erro de


programação ou do computador.
ALGOL – Algorithmic Language – linguagem de alto nível usada para solucionar
problemas gerais ou específicos que é montada num formato de blocos.
ARRAY – é uma matriz. Arranjo de elementos em uma ou mais dimensões.
ASSEMBLER – programa de computador que aceita instruções escritas por um
programador em linguagem que não seja de máquina e as converte em códigos
ou linguagem aceita pela máquina na qual o programa deve ser usado.
AUXILIARY STORAGE – extensão da memória principal de um computador.
Essa extensão é armazenada temporariamente em discos magnéticos.
ACKNOWLEDGE – confirmar, enviar uma confirmação de que a mensagem foi
recebida.
ADP (Automatic Data Processing) – processamento de dados automático.
ARROW KEYS – teclas do cursor ou setas.
AutoCAD (Computer Aided Design) – Programa de projeto auxiliado por computador
usado na área da engenharia, mecânica etc.
BACK-UP – é o suporte que se tem para usar outros equipamentos de igual
similaridade na execução dos trabalhos, caso o equipamento em uso sofra
paralisação.
BACKING STORE – memória de grande capacidade usada para suplementar a
capacidade da memória principal de um processador central.
BASE – o mesmo que raiz, um número básico ao qual se aplica incremento para
achar ou localizar um endereço de memória ou setor de disco.

130
TÓPICO 1 | TERMOS TÉCNICOS NA ÁREA DA INFORMÁTICA

BATCH PROCESSING – agrupamento de um certo número de itens de entrada


similares, a serem processados em uma mesma rodada.
BINARY CODE – código que faz uso de exatamente dois caracteres distintos,
normalmente 0 e 1.
BIT – abreviação de “binary digit” (dígito binário).
BROADCAST – transmissão de uma mensagem para todos os terminais conectados
ao canal de comunicação.
BUSINESS DATA PROCESSING – uso do processamento automático de dados
em contabilidade ou gerenciamento.
BASIC (Beginners All-purpose Symbolic Instruction Code): Código de Instrução
Simbólica de propósito Geral para Iniciantes. Linguagem de programação de alto
nível usada para desenvolver programas que oferecem uma introdução fácil à
programação de computadores.
BAT file extension – Extensão do arquivo BAT (três letras padrões usadas como
extensão de arquivo nos sistemas MS-DOS para significar arquivo em lote).
BOF (Beginning of file) – símbolo que mostra o início de uma seção válida de dados.
BOS (Basic Operating System): Sistema operacional básico.
BIOS Basic Input/Output System: Sistema básico de entrada e saída. Controla a
entrada e saída para vários dispositivos padrões.
BPI (Bits Per Inch) – Bits por polegada
BPP (Bits Per Pixel) – Bits por pixel
BPS (Bits Per Second) – Bits por segundo
CATHODE RAY TUBE DISPLAY – Dispositivo que apresenta os dados em forma
visual por meio de raios luminosos controlados. É também chamado de vídeo ou
display.
CENTRAL PROCESSING UNIT – Unidade central de processamento. Unidade
de um computador constituída dos circuitos que controlam a interpretação e
execução das instruções.
CONVERSATIONAL MODE – maneira de usar computadores quando o usuário
se comunica com a máquina na base de perguntas e recebe imediatamente a
resposta.
CORE STORAGE – Núcleo de memória.
CRITICAL PATH – Caminho através de uma rede PERT que mostra o menor
tempo em que um projeto pode ser completado.
DATA PROCESSING SYSTEM – Conjunto de máquinas capazes de aceitar
informação, processá-la de acordo com um plano e produzir resultados desejados.
DEBUG – Detectar, localizar e corrigir erros em um programa.
DROP – uma conexão disponível para um terminal em uma linha de transmissão.
EXTERNAL STORAGE – dispositivo para armazenamento externo ao computador.
FLOWCHART – Representação gráfica das etapas envolvidas na solução de um
problema.
FORTRAN (Formula Translation) – Linguagem de programação destinada a
resolver problemas que envolvem fórmulas algébricas.
HARDWARE – Refere-se às características mecânicas e eletrônicas de um sistema
de processamento de dados.
INPUT – Dados transferidos de um meio externo para a memória interna.
JOB MIX – Seleção de programas a serem rodados simultaneamente.

131
UNIDADE 3 | VOCABULÁRIO TÉCNICO

KEY – Um ou mais caracteres num item de dados que são usados para identificá-
lo ou controlar seu uso.
LIVEWARE – Termo usado para designar as pessoas que trabalham em um centro
de processamento de dados.
MAIN FRAME – O mesmo que Unidade Central de Processamento.
OUTPUT – Resultado ou informação transmitida para um dispositivo de saída.
PACKAGE – Programa Genérico de grande aplicação, escrito de forma que o
usuário somente complete os dados que tornem o programa específico para seu
sistema.
RAW DATA – Dados que não foram processados ou que podem não estar em
condições de serem interpretados pela máquina.
RETRIEVAL – Recuperação.
SHANNON – Unidade de medida de quantidade de informação igual àquela
contida em uma mensagem.
SOFTWARE – Conjunto de programas, procedimentos, regras e documentação
referentes à operação de um sistema.

3 PRESENTE E PASSADO PERFEITO


O presente e o passado perfeito, na língua inglesa, são formados pelo
verbo “to have” que neste caso funcionará como um auxiliar. Quando usamos e
como são usados os “Perfect Tenses” é o que veremos a seguir.

3.1 PRESENTE PERFEITO


O presente perfeito é usado para falar de uma ação que não aconteceu
no presente, e sim no passado. Esse tempo verbal é usado para mostrar que uma
ação ocorrida no passado continua até o presente ou ela aconteceu em um tempo
indefinido no passado. Exemplo:

I have studied English since 2010. (Eu estudo inglês desde 2010).

Perceba que a ação começou no passado e continua até os dias atuais.


Diferentemente de “I studied English in 2010” (Eu estudei inglês em 2010). Perceba
que neste segundo exemplo, usando o passado simples, a pessoa quis dizer que
estudou inglês em 2010 e não estuda mais. Mas quando se quer dizer que começou
a estudar e continua estudando, se usa o presente perfeito.

Como dissemos anteriormente, o presente perfeito utiliza o verbo “to


have” como auxiliar. Observe a estrutura a seguir:

Sujeito + have/has + verbo no particípio + complemento

132
TÓPICO 1 | TERMOS TÉCNICOS NA ÁREA DA INFORMÁTICA

No presente perfeito utilizamos o verbo “to have” como auxiliar de duas


maneiras: have ou has. Para a terceira pessoa do singular, “he, she, it” (ele, ela), usa-
se has, para os demais sujeitos, usa-se have. Na forma negativa, usamos haven’t (ou
have not) e hasn’t (has not). Já na forma interrogativa, o auxiliar have e has passa
para a frente do sujeito. Observe o exemplo com o verbo “to play”:

QUADRO 32 – PRESENTE PERFEITO DO VERBO TO PLAY

Forma afirmativa Forma negativa Forma interrogativa


I have played I haven’t played Have I played?
You have played You haven’t played Have you played?
He has played He hasn’t played Has he played?
She has played She hasn’t played Has she played?
It has played It hasn’t played Has it played?
We have played We haven’t played Have we played?
You have played You haven’t played Have you played?
They have played They haven’t played Have they played?

FONTE: A autora

Tanto na forma afirmativa, quanto negativa e interrogativa, usamos o


verbo no particípio. Para os verbos regulares, o verbo no particípio fica da mesma
forma que no passado, acrescentando apenas ED.

She has worked at that company for a long time. (Ela trabalha naquela empresa há
bastante tempo).

They have loved each other since they were kids. (Eles se amam desde quando eram
crianças).
We haven’t talked for five years. (Nós não nos falamos há cinco anos).

Para os verbos irregulares, é necessário consultar a tabela de verbos


irregulares.

QUADRO 33 – VERBOS IRREGULARES

Infinitive Simple Past  Past Participle Translation


(infinitivo) (Passado) (Particípio) (Tradução)
to arise arose arisen surgir, erguer-se
to awake awoke awoken despertar
to be was, were been ser, estar
to bear bore born nascer
to beat beat beaten bater

133
UNIDADE 3 | VOCABULÁRIO TÉCNICO

to become became become tornar-se


to begin began begun começar
to bet bet bet apostar
to bite bit bitten morder
to bleed bled bled sangrar
to blow blew blown soprar
to break broke broken quebrar
to bring brought brought trazer
to build built built construir
to burn burnt (burned) burnt (burned) queimar
to buy bought bought comprar
to catch caught caught caçar
to choose chose chosen escolher
to come came come vir
to cost cost cost custar
to cut cut cut cortar
to dig dug dug cavar
to do did done fazer
to draw drew drawn desenhar
to drink drank drunk beber
to drive drove driven dirigir
to eat ate eaten comer
to fall fell fallen cair
to feed fed fed  dar de comer
to feel felt felt sentir
to fight fought fought lutar
to find found found encontrar
to fly flew flown voar
to forbid forbade forbidden proibir
to forget forgot forgotten esquecer
to forgive forgave forgiven esquecer
to forsake forsook forsaken abandonar
to freeze froze frozen congelar
to get got got / gotten receber; conseguir; obter...
to give gave given dar
to go went gone ir
to grow grew grown crescer
to have had had ter
to hear heard heard ouvir, escutar
to hide hid hid / hidden esconder, ocultar
to hit hit hit bater, ferir

134
TÓPICO 1 | TERMOS TÉCNICOS NA ÁREA DA INFORMÁTICA

to hold held held segurar


to hurt hurt hurt machucar
to keep kept kept manter
to know knew known saber, conhecer
to lead led led conduzir, comandar
to lend lent lent emprestar
to lose lost lost perder
to make made made fazer, criar
to meet met met encontrar
to pay paid paid pagar
to put put put colocar
to read read read ler
to ride rode ridden andar, passear
to ring rang rung tocar (sino, campainha)
to rise rose risen levantar, erguer
to run ran run correr
to say said said dizer
to see saw seen ver
to sell sold sold vender
to send sent sent enviar
to shut shut shut fechar
to sleep slept slept dormir
to speak spoke spoken falar, dizer
to swim swam swum nadar
to take took taken pegar
to teach taught taught ensinar
to tell told told dizer
to think thought thought pensar, acreditar
to throw threw thrown jogar, arremessar
to win won won ganhar
to write wrote written escrever
FONTE: A autora

Anteriormente, quando vimos a estrutura do passado simples, usamos a


segunda coluna, do passado. No presente perfeito, usamos a terceira coluna, do
particípio.

I haven’t eaten meat since I was twelve years old. (Eu não como carne desde os doze anos).
Have you already gone to Disney? (Você já foi a Disney?)
She has had the same car for years. (Ela tem o mesmo carro há anos).

Nesta estrutura, também podemos usar a forma contraída:


135
UNIDADE 3 | VOCABULÁRIO TÉCNICO

QUADRO 34 – FORMA CONTRAÍDA

I have I’ve
You have You’ve
He has He’s
She has She’s
It has It’s
We have We’ve
You have You’ve
They have They’ve

FONTE: A autora

Há alguns advérbios de tempo frequentemente utilizados com o presente


perfeito:

- just – indica que a ação aconteceu num passado bem recente:

I have just met her. (Eu acabei de conhecê-la).


He hasn’t just woken up. (Ele não acabou de acordar).

- already (já) – indica que a ação já aconteceu. É utilizado apenas em frases


afirmativas e negativas:

Jossua has already gone to the movies. (Jossua já foi ao cinema)


Have you already worked at Microsoft? (Você já trabalhou na Microsoft?)

- yet (já; ainda) – Quando usado em frases interrogativas, yet significa já, e
quando utilizado em frases negativas tem o sentido de ainda. Yet é utilizado
no final da frase.

Has she talked to her dad yet? (Ela já falou com o pai dela?)
I haven’t seen this movie yet. (Eu não vi este filme ainda).

- never (nunca) – é utilizado para dizer que alguma coisa não aconteceu:

We have never been there. (Eu nunca estive lá).


I have never got married. (Eu nunca me casei).

- ever (alguma vez; já) – Usa-se para saber se alguma ação já aconteceu alguma
vez. É frequentemente utilizado em perguntas:

Has Jenny ever travelled abroad? (Jenny já viajou para o exterior?).


Have you ever gone to a rock concert? (Você já foi a um show de rock?).

136
TÓPICO 1 | TERMOS TÉCNICOS NA ÁREA DA INFORMÁTICA

- lately (ultimamente) – É utilizado no final da frase.

I haven’t eaten sea food lately. (Eu não tenho comido frutos do mar ultimamente).
This computer hasn’t worked lately. (Este computador não tem funcionado
ultimamente).

- since (desde) – mostra que determinada ação iniciou no passado e continua até
o presente.

Jack has been sick since last year. (Jack está doente desde o ano passado).
They have played this game since 2 o’clock. (Eles estão jogando esse jogo desde às
duas horas).

- for (há) – também mostra que determinada ação iniciou no passado e continua
até o presente.

My parents have lived in this house for ten years. (Meus pais moram nesta casa há
dez anos).
Our dog has been with us for a long time. (Nosso cachorro está conosco há muito tempo).

3.2 PASSADO PERFEITO


O passado perfeito é utilizado para descrever uma ação que aconteceu no
passado antes de outra ação que também aconteceu no passado.

O passado perfeito é formado pelo auxiliar had e o particípio do verbo


principal. Observe:

Sujeito + had + verbo no particípio + complemento

Lembre-se de que o verbo no particípio é o mesmo utilizado no presente


perfeito. Se o verbo for regular, acrescenta-se ED. Se ele for irregular, você deve
consultar a lista de verbos irregulares que mostramos anteriormente. Veja o exemplo:

Primeira ação ocorrida no passado. Segunda ação que ocorreu no passado.

My favorite TV show had already started when I got home.

(O meu programa de TV favorito já tinha começado quando eu cheguei em casa)

137
UNIDADE 3 | VOCABULÁRIO TÉCNICO

No exemplo acima temos duas ações que ocorreram no passado. E o passado


perfeito é utlizado justamente para destacar qual foi a ação que ocorreu primeiro.
Na segunda ação ocorrida no passado, foi empregado o passado simples.

Na forma negativa, usa-se o hadn’t (had not) e na forma interrogativa, o


auxiliar passa para a frente do sujeito. Veja o exemplo com o verbo “to eat”:

QUADRO 35 – PASSADO PERFEITO


Forma afirmativa Forma negativa Forma interrogativa
I had eaten I hadn’t eaten Had I eaten?
You had eaten You hadn’t eaten Had you eaten?
He had eaten He hadn’t eaten Had he eaten?
She had eaten She had eaten Had she eaten?
It had eaten It hadn’t eaten Had it eaten?
We had eaten We hadn’t eaten Had we eaten?
You had eaten You hadn’t eaten Had you eaten?
They had eaten They hadn’t eaten Had they eaten?

FONTE: A autora

Veja alguns exemplos:

I hadn’t heard you because I was listening to music. (Eu não ouvi você porque eu
estava ouvindo música).
Had she gone to the store before coming home? (Ela foi à loja antes de ir para casa?)
The train had already left whe I arrived at the bus station. (O trem já tinha partido
quando eu cheguei ao ponto de ônibus).
We had had a serious conversation when she got home. (Nós tivemos uma conversa
séria quando ela chegou em casa).

ATENCAO

Embora possa parecer um pouco estranho, o último exemplo citado “we had
had a serious conversation” está correto. Isso porque o primeiro had funciona como auxiliar
e o segundo had é o verbo principal da oração (passado do verbo ter).

138
TÓPICO 1 | TERMOS TÉCNICOS NA ÁREA DA INFORMÁTICA

3.3 PRESENTE PERFEITO CONTÍNUO


O presente perfeito contínuo é usado para relatar uma ação que começou
no passado e se prolonga até o presente ou alguma ação que acabou de ser
concluída na qual a consequência é evidente no presente. Observe a estrutura:

Sujeito + auxiliar “to have” + been + verbo no gerúndio

O uso do auxiliar “to have” segue a mesma regra do presente perfeito. Para
a terceira pessoa do singular “he, she, it” usa-se has, para os demais sujeitos “I, you,
we, they”, usa-se o auxiliar have. Veja alguns exemplos:

She has been studying geography for five years. (Ela estuda geografia há dez anos).
He has been driving for hours. (Ele está dirigindo há horas).
They have been playing soccer for a few minutes. (Eles estão jogando futebol há alguns
minutos).
My mom has been taking karate lessons. (Minha mãe está fazendo aulas de caratê).

Na forma negativa, apenas acrescentamos o not ao auxiliar have ou has.


Também pode-se usar a forma contraída hasn’t ou haven’t.

I haven’t been sleeping well for a few nights. (Eu não estou dormindo bem há algumas
noites).
John hasn’t been going out with that girl. (John não está saindo com aquela garota).
The kids haven’t been riding their bike at night. It’s too dangerous. (As crianças não
estão andando de bicicleta à noite. É muito perigoso).

Na forma interrogativa, o auxiliar “to have” é posicionado em frente ao sujeito:

Have you been working since 10 a.m.? (Você está trabalhando desde às dez horas?)
Has she been seeing him without permission? (Ela o está vendo sem permissão?)
Have you been living here for a long time? (Você está morando aqui há muito tempo?)

Observe a estrutura do presente perfeito contínuo nas formas afirmativa,


negativa e interrogativa usando o verbo “to work”:

139
UNIDADE 3 | VOCABULÁRIO TÉCNICO

QUADRO 36 – PRESENTE PERFEITO CONTÍNUO – VERBO TO WORK

Forma afirmativa Forma negativa Forma interrogativa

I have been working I haven’t been working Have I been working?


You have been working You haven’t been working Have you been working?
He has been working He hasn’t been working Has he been working?
She has been working She hasn’t been working Has she been working?
It has been working It hasn’t been working Has it been working?
We have been working We haven’t been working Have we been working?
You have been working You haven’t been working Have you been working?
They have been working They haven’t been working Have they been working?

FONTE: A autora

ATENCAO

Não confunda o presente contínuo x presente perfeito x presente perfeito contínuo.


O presente contínuo é usado para expressar uma ação que está acontecendo neste
momento, agora:

I’m eating cake (eu estou comendo bolo).

O presente perfeito é usado para expressar uma ação que ocorreu no passado em um
tempo indeterminado ou ainda tenha alguma conexão com o presente.
He has talked to her (Ele conversou com ela).

O presente perfeito contínuo é usado para expressar uma ação que ocorreu no passado e
continua até o presente:

I have been going out with him (eu estou saindo com ele).

3.4 PASSADO PERFEITO CONTÍNUO


O passado perfeito contínuo é usado para expressar a duração de uma
ação no passado que ocorreu anterior a outra ação também do passado.

Sujeito + auxiliar “had” + been + verbo no gerúndio

140
TÓPICO 1 | TERMOS TÉCNICOS NA ÁREA DA INFORMÁTICA

O auxiliar do passado perfeito contínuo usa o mesmo auxiliar do passado


perfeito “had” para todos os sujeitos. Veja alguns exemplos:

I was tired because I had been studying for several hours. (Eu estava cansada porque
eu tinha estudado há muitas horas)
We didn’t go to the party because It had been raining all the afternoon. (Nós não fomos
para a festa porque tinha chovido a tarde toda).

Na forma negativa usa-se apenas o “not” após o auxiliar “had” ou também


é possível usar a forma contraída “hadn’t”:

I didn’t know why I had a stomachache. I hadn’t been eating too much. (Eu não sei
porque tive dor de barriga. Eu não tinha comido muito)
She didn’t come but I hadn’t been waiting for her for a long time. (Ela não veio mas eu
não tinha esperado muito por ela).

Na forma interrogativa o auxiliar “had” é posicionado antes do sujeito:

Had you been running? (Você estava correndo?)


Had he been watching TV before I came in? (Ele estava assistindo TV antes de eu entrar?)

Veja a estrutura do passado perfeito contínuo no presente, passado e


futuro com o verbo “to start”:

QUADRO 37 – PASSADO PERFEITO CONTÍNUO – VERBO TO START

Forma afirmativa Forma negativa Forma interrogativa

I had been starting I hadn’t been starting Had I been starting?


You had been starting You hadn’t been starting Had you been starting?
He had been starting He hadn’t been starting Had he been starting?
She had been starting She hadn’t been starting Had she been starting?
It had been starting It hadn’t been starting Had it been starting?
We had been starting We hadn’t been starting Had we been starting?
You had been starting You hadn’t been starting Had you been starting?
They had been starting They hadn’t been starting Had they been starting?

FONTE: A autora

141
UNIDADE 3 | VOCABULÁRIO TÉCNICO

LEITURA COMPLEMENTAR

DUOLINGO É O MELHOR CURSO DE INGLÊS PORTÁTIL

O título já resume tudo: o  Duolingo é um aplicativo para aprender e


reforçar  idiomas, disponível de graça e sem propagandas para iOs e Android.
Por enquanto tem disponível apenas o inglês a partir do português – mas é
possível aprender outros idiomas, como francês, espanhol e italiano a partir do
inglês.  Diferente dos sites que oferecem cursos com “professores americanos”,
ele usa como método de ensino a gameficação  ao transformar as questões em
desafios e os acertos em recompensas.

142
TÓPICO 1 | TERMOS TÉCNICOS NA ÁREA DA INFORMÁTICA

O objetivo do Duolingo é ensinar a ler, escrever, ouvir e falar, com base


em uma árvore de idioma dividida em níveis: básico, médio e avançado. Cada
um deles tem vários módulos, como saudações, comidas, animais, entre outros.
E cada uma dessas categorias tem um conjunto de questões, onde o usuário deve
traduzir palavras escrevendo, selecionando opções e até mesmo falando, pois o
aplicativo usa o fone dos aparelhos para captar a voz e testar a pronúncia. Há
também alguns atalhos, testes de aptidão para avançar etapas, caso já se tenha
um bom conhecimento.

A característica mais interessante é que durante cada lição há  corações


(como as vidas de jogos de videogame). Se forem perdidos todos os corações, a
lição falha e é preciso repetir para reforçar. Caso a lição seja concluída com todos
os corações há um bônus de pontos e de “Lingots”, uma espécie de moeda virtual
que pode ser trocada por outros bônus e lições extras no site <www.duolingo.
com> ligado ao aplicativo.

O Duolingo usa ainda as conexões com amigos dos perfis sociais (Facebook


e Google+), para criar uma tabela de pontos. E a ideia de competição incentiva ainda
mais a usar o aplicativo e praticar o idioma. Além disso, há bônus para quem realiza
grandes “ofensivas”, que são dias seguidos de aprendizado. Se precisar também é
possível programar lembretes das aulas.  Tudo restrito ao próprio aplicado, sem
aqueles pedidos chatos de jogos sociais que infestam o Facebook.

Todas estas características contribuem para o Duolingo ser um


aplicativo fácil e útil de usar. Tanto que ele foi pelos usuários um dos melhores
aplicativos de 2013 do iTunes e do Google Play. Também por ser portátil é ótimo
para enfrentar filas ou aproveitar alguns minutos do intervalo do almoço, pois
cada lição pode ser feita facilmente em 10 ou 15 minutos. E segundo os próprios
desenvolvedores, 34 horas de prática no Duolingo equivalem a um semestre em
um curso normal. Ou seja, quem começar agora vai conseguir uma boa base para
conversar com os visitantes que vierem para a Copa do Mundo.
FONTE: Disponível em: <http://wp.clicrbs.com.br/impressaodigital/2014/01/15/duolingo-e-o-
melhor-curso-de-ingles-portatil/?topo=98,2,18,,,67>. Acesso em: 5 fev. 2014.

143
RESUMO DO TÓPICO 1

No presente tópico, Caro acadêmico, estudamos vários aspectos


relacionados ao ensino de língua inglesa, os quais apresentamos a seguir,
resumidamente:

• O dicionário pode auxiliá-lo tanto na tradução quanto no uso de determinada


palavra.

• Os símbolos fonéticos encontrados no dicionário são a forma da pronúncia


correta do vocabulário.

• Montar o próprio glossário de palavras utilizadas no seu dia a dia na língua


inglesa otimizam o tempo do seu trabalho.

• O presente perfeito, apesar de ter a palavra “presente” na sua terminologia,


fala de uma ação ocorrida no passado.

• O verbo “to have” funciona como auxiliar e é acompanhado do verbo principal.

• Para a terceira pessoa do singular, o auxiliar utilizado é has. Já para os demais


sujeitos, utiliza-se have.

• Para a forma negativa, basta acrescentar o not, ou utilizar as formas contraídas


hasn’t e haven’t.

• Na forma interrogativa a regra é a mesma das demais estruturas vistas. Coloca-


se o auxiliar has ou have antes do sujeito.

• A forma contraída de has é ‘s enquanto a forma contraída de have é ‘ve.

• O verbo principal utilizado no presente perfeito deve estar no particípio.

• Para os verbos regulares, no particípio, basta acrescentar ED. Para os verbos


irregulares, é necessário consultar a lista de verbos que está disponível neste
tópico.

• O passado perfeito é utilizado para descrever uma ação que aconteceu no


passado antes de uma outra ação também ocorrida no passado.

• No passado perfeito, usamos o auxiliar had para todas as pessoas e assim como
o presente perfeito, também empregamos o verbo principal no particípio.

144
• Na forma negativa, acrescenta-se o not ou usa-se a forma contraída hadnt’t.
Para a forma interrogativa colocamos o auxiliar had em frente ao sujeito.

• O presente perfeito contínuo é usado para expressar uma ação que ocorreu no
passado e continua até o presente.

• Na forma afirmativa utilizamos o verbo auxiliar “has” para “he, she, it” e “have”
para “I, you, we, they” acompanhado de “been” e do verbo principal no gerúndio.

• Na forma negativa acrescenta-se o “not” ou usa-se a forma contraída “hasn’t”


ou “haven’t”.

• O passado perfeito contínuo enfatiza a duração de uma ação no passado que


ocorreu anteriormente a outra ação também no passado.

• Na forma afirmativa usa-se o auxiliar “had” acompanhado de “been” e o verbo


principal no gerúndo.

• Na forma negativa acrescenta-se o “not” ou usa-se a forma contraída “hadn’t”.


No interrogativo o auxiliar “had” é posicionado em frente ao sujeito.

• O Duolingo foi considerado o melhor aplicativo pelos usuários do iTunes e do


Google Play.

145
AUTOATIVIDADE

Leia o texto a seguir e responda aos questionamentos:

MICROPROCESSOR

This device is a small integrated circuit on a ‘chip’, designed and


manufactured with computer help. It was introduced as a natural step in
the movement to putting more and more components – resistors, capacitors,
transistors – on to a single chip, by eletronic component manufactures. Each
chip can perform the function of a simple central processor, i.e. obey a series of
instructions, fetch and send data from and to a memory, test for interrupts and
soon, but usually relatively slowly. It takes for example a hundred millionths
rather than one millionth of a second to add two numbers, and these numbers
have to be of limited size. Nevertheless, the miniature programs which control
the operation can carry out quite complicated operations on bigger numbers
by tackling them a piece at a time.

Another use for microprocessors is in managing a ‘memory’, i.e.


decoding demands for data from another central processor, and interrogating
the core storage, checking for errors etc.

There are two ways in which microprocessors may make a big impact.
One is in the Field of process control at the small end of the range: bus engines
or petrol pumps or even washing machines controlled economically by
microprocessors. Secondly, the microprocessor may be used in large numbers
as a substitute for a single, big processor, to do certain kinds of computation
where calculations can proceed in parallel, as in weather forecasting. In essence
each microprocessor has acess to its own memory for holding the results of
intermediate calculations, and also can send and obtain values from other
microprocessors. All the microprocessors operate at once, so the ‘ripples’ of
computation travel across an array of them.
(Extract from the book ‘Computer-based Systems’ by John Race).

1 Determine a sequência em que as ideias gerais a seguir aparecem no texto:

a) ( ) Algumas das funções do microprocessador.


b) ( ) Um dos usos do microprocessador.
c) ( ) A velocidade na qual uma operação é executada.
d) ( ) O que é microprocessador.
e) ( ) Duas áreas de aplicação do microprocessador.

146
2 Verifique o vocabulário a seguir e relacione as colunas:

(a) device ( ) leva


(b) designed ( ) entretanto
(c) step ( ) executar
(d) quite ( ) passo, avanço
(e) takes ( ) bem
(f) nevertheless ( ) dispositivo
(g) carry out ( ) projetado
(h) fetch ( ) buscar

3 Escreva em inglês as palavras escritas em português:

Each chip can _______________ (desempenhar) the function of a simple


central processor, that is, ______________(obedecer) a series of instructions,
________________ (buscar) and _______________ (enviar) data from and to
the memory and test for __________________ (interrupções).

FONTE: Adaptado de: GALANTE, Terezinha Prado; POW, Elizabeth. Inglês para
processamento de dados: textos sobre computação, exercícios de compreensão, siglas,
abreviações e glossário. São Paulo: Editora Atlas, 1996.

147
148
UNIDADE 3
TÓPICO 2

AFIXOS

1 INTRODUÇÃO
Compreender a morfologia das palavras proporciona ao estudante
conhecer a flexibilidade da língua, permitindo ao falante transferir palavras de
uma categoria para outra.

E ao conhecer a formação das palavras faz com que o estudante de inglês


tenha familiaridade em identificar uma palavra devido à provável categoria
gramatical dela, mesmo não sabendo o seu significado.

2 AFIXOS
Afixos são elementos linguísticos que, acrescentados a uma palavra,
produzem uma forma flexionada ou derivada. Muitas palavras são acrescidas
de uma partícula ou sílaba antes, que são chamadas de prefixo e outras têm essa
adição ao final da palavra e são chamadas de sufixos.

2.1 PREFIXOS
Prefixo é o elemento que vem antes da raiz, ou seja, da palavra e altera o
significado dela. A partícula ou a sílaba a ser adicionada sempre será no início
da palavra.

Prefixos negativos:

UN – significa o oposto de, a falta de ou não. É adicionada a adjetivos e particípios.


Veja alguns exemplos:

able (capaz) unable (incapaz)


attainable (atingível) unattainable (inatingível)
attended (acompanhado) unattended (desacompanhado)
authorized (autorizado) unauthorized (não autorizado)
available (disponível) unavailable (indisponível)
149
UNIDADE 3 | VOCABULÁRIO TÉCNICO

bearable (suportável) unbearable (insuportável)


believable (acreditável) unbelievable (inacreditável)
born (nascido) unborn (por nascer)
employed (empregado) unemployed (desempregado)
expected (esperado) unexpected (inesperado)
fair (justo) unfair (injusto)
happy (feliz) unhappy (infeliz)
friendly (amigável) unfriendly (hostil)

UN também é utilizado para reverter uma ação ou privar de algo. Pode ser usado
em verbos ou substantivos. Exemplos:

cover (cobrir) uncover (descobrir)


do (fazer) undo (desfazer)
load (carregar) unload (descarregar)
lock (travar) unlock (destravar)
mask (mascarar) unmask (desmascarar)

NON – significa não e é adicionado a adjetivos, substantivos e advérbios.


Exemplos:

smoker (fumante) non-smoker (não fumante)


politician (político) non-politician (não político)
perishable (perecível) non-perishable (não perecível)

IN, IL, IM, IR – dá o significado de oposição, não. É adicionado a adjetivos.


Exemplos:

logical (lógico) illogical (ilógico)


mature (maduro) immature (imaturo)
patient (paciente) impatient (impaciente)
polite (educado) impolite (mal educado)
possible (possível) impossible (impossível)
correct (correto) incorrect (incorreto)
responsible (responsável) irresponsible (irresponsável)

DIS – também dá o sentido de oposição, não. É utilizado com substantivos


abstratos, adjetivos e verbos. Exemplos:

connect (conectar) disconnect (desconectar)


like (gostar) dislike (antipatia)
loyal (leal) disloyal (desleal)
obedience (obediência) disobedience (desobediência)
order (ordem) disorder (desordem)

DIS – também pode ser usado para reverter uma ação ou privar de algo. Pode ser
usado em verbos ou adjetivos. Exemplos:

150
TÓPICO 2 | AFIXOS

infect (infetar) disinfect (desinfetar)


colored (colorido) descolored (descolorido)
interested (interessado) desisterested (desinteressado)

A – dá o significado de carência ou falta de alguma coisa. É usado com adjetivos


e substantivos. Exemplos:

moral (moral) amoral (amoral)


sexual (sexual) asexual (assexuado)
symmetry (simetria) asymmetry (assimetria)

Existem muitos outros prefixos. Veja mais alguns deles:

behave (comportar-se) misbehave (portar-se mal)


function (funcionar) malfunction (não funcionar)
intellectual (intelectual) pseudo-intellectual (pseudo-intelectual)
enemy (inimigo) arch-enemy (arqui-inimigo)
computer (computador) supercomputer (supercomputador)
grow (crescer) outgrow (superar)
charge (taxa) surcharge (sobretaxa)
atomic (atômico) subatomic (subatômico)
dress (vestir-se) overdress (vestir-se demais)
estimate (estimar) underestimate (subestimar)
active (ativo) hyperactive (hiperativo)
conscious (consciente) subconscious (subconsciente)
build (construir) rebuild (reconstruir)

2.2 SUFIXOS
São chamados sufixos as palavras em que são acrescentadas partículas ou
sílabas ao final delas, modificando o seu sentido.

FUL – Dá sentido de cheio. Ao adicionar FUL no substantivo, a palavra passa a


ser um adjetivo.
LESS – Dá o sentido de ausência. Sem algo ou falta de. Ao acresentar LESS em um
substantivo, ele também passa a ser um adjetivo.

care (cuidado) careful (cuidadoso) careless (descuidado)


color (cor) colorful (colorido) colorless (que não tem cor)
faith (fé) faithful (fiel) faithless (infiel)
hope (esperança) hopeful (esperançoso) hopeless (sem esperança)
pain (dor) painful (dolorido) painless (indolor)
shame (vergonha) shameful (vergonhoso) shameless (sem-vergonha)
use (útil) useful (útil) useless (inútil)

151
UNIDADE 3 | VOCABULÁRIO TÉCNICO

HOOD – Quando adicionamos a partícula HOOD em um substantivo contável,


ele passa a ser incontável e tem o sentido do estado de ser.

adult (adulto) adulthood (maturidade)


brother (irmão) brotherhood (fraternidade)
child (criança) childhood (infância)
mother (mãe) motherhood (maternidade)
neighbor (vizinho) neighborhood (vizinhança)
sister (irmã) sisterhood (irmandade)

SHIP – Assim como o sufixo hood, quando adicionamos o sufixo ship, o substantivo
contável passa a ser incontável, produzindo o sentido do estado de ser.

citizen (cidadão) citizenship (cidadania)


dictator (ditador) dictatorship (ditadura)
member (membro) membership (sócio)
relation (relação) relationship (relacionamento)
sponsor (patrocinador) sponsorship (patrocínio)

NESS – Este sufixo produz o sentido de estado ou qualidade de alguém ou alguma


coisa.

clever (esperto) cleverness (esperteza)


hard (duro) hardness (dureza)
kind (gentil) kindness (gentileza)
serious (sério) seriousness (seriedade)
soft (macio) softness (maciez)
weak (fraco) weakness (fraqueza)

ITY – Quando adicionamos o sufixo ity em um adjetivo, o tornamos um substantivo


abstrato. É equivalente ao sufixo “idade” na língua portuguesa. Veja:

active (ativo) activity (atividade)


available (disponível) available (disponibilidade)
personal (pessoal) personality (personalidade)
possible (possível) possibility (possibilidade)
responsible (responsável) responsibility (responsabilidade)
sincere (sincero) sincerity (sinceridade)

TION – Ao adicionar a terminação “tion” no verbo, o transformamos em


substantivo. É equivalente ao sufixo “ção” no português. Veja:

act (atuar) action (ação)


collect (colecionar) collection (coleção)
coordinate (coordernar) coordination (coordenação)
declare (declarar) declaration (declaração)

152
TÓPICO 2 | AFIXOS

form (formar) formation (formação)


immigrate (imigrar) immigration (imigração)

ER – Adicionado “er” a um verbo, o tornamos um substantivo, significando o


agente da ação.

analyze (analisar) analyzer (analisador)


help (ajudar) helper (ajudante)
manage (gerenciar) manager (gerente)
sing (cantar) singer (cantor)
work (trabalhar) worker (trabalhador)
write (escrever) writer (escritor)

ABLE ou IBLE – Ao adicionar able/ible em um verbo, o tornamos um adjetivo com


o mesmo sentido do sufixo em português ável ou ível. Veja:

acess (acesso) acessible (acessível)


collect (cobrar) collectible (cobrável)
convert (converter) convertible (conversível)
adore (adorar) adorable (adorável)
desire (desejar) desirable (desejável)
eat (comer) eatable (comestível)

IVE ou ATIVE –Tem o mesmo significado que o sufixo em português “tivo” ou


“ível” e torna o verbo um adjetivo.

attract (atrair) attractive (atrativo)


construct (construir) constructive (construtivo)
effect (efetuar) effective (efetivo)
affirm (afirmar) affirmative (afirmativo)
communicate (comunicar) communicative (comunicativo)
inform (informar) informative (informativo)

LY – E finalmente temos a terminação “ly” que equivale a terminação “mente” da


língua portuguesa e torna o adjetivo num advérbio.

bad (mau) badly (maldosamente)


desperate (desesperado) desperately (desesperadamente)
final (final) finally (finalmente)
high (alto) highly (altamente)
original (original) originally (originalmente)
quick (ligeiro) quickly (ligeiramente)
verbal (verbal) verbally (verbalmente)

Você percebeu que, mesmo não sabendo o significado de determinado


prefixo ou sufixo, se você já conhece a raiz (palavra) dele, fica muito mais fácil
compreender a palavra? Além disso, compreender o uso de sufixos e prefixos
também ampliará o seu vocabulário.

153
UNIDADE 3 | VOCABULÁRIO TÉCNICO

3 ARTIGOS
Assim como na língua portuguesa, na língua inglesa também classificamos
os artigos (o, a, os, as, um, uma) em definidos e indefinidos.

3.1 ARTIGO DEFINIDO


O artigo definido “the” (o, a, os, as) é usado com a maioria dos substantivos,
tanto no masculino quanto no feminino, e também no singular e plural. Exemplos:

the girl (a garota) – the girls (as garotas)


the pencil (o lápis) – the pencils (os lápis)

Observe outros casos em que o artigo definido “the” é empregado:

- Antes de substantivos especificados numa frase:

The meat we ate was very good. (A carne que comemos estava muito boa)

- Antes de substantivos que são únicos:

The moon is beautiful. (A lua é linda)


The sun is shining. (O sol está brilhando)

- Antes de instrumentos musicais ou nomes de famílias:

I want to play the guitar. (Eu quero tocar violão)


We talked to the Kennedys. (Nós falamos com os Kennedys)

- Antes de números ordinais:

She was the first in her class. (Ela foi a primeira da sala)
He got the third place. (Ele ficou em terceiro lugar)

- Antes da palavra “only” quando ela representa o sentido de único (a):

She was the only woman I loved. (Ela foi a única mulher que eu amei)
He is the only one I trust. (Ele é o único que confio)

- Antes de nomes de regiões, grupo de ilhas, desertos, lagos, montanhas, rios,


mares e oceanos:

The Pacific is the biggest ocean. (O Pacífico é o maior oceano).


The Sahara is the world’s hottest desert. (O Saara é o deserto mais quente do mundo).
Have you ever visited the Rocky Mountains? (Você já visitou as Rocky Mountains?)

154
TÓPICO 2 | AFIXOS

- Antes de países no plural ou que são compostos de adjetivo + substantivo:

The United States are a big country. (Os Estados Unidos é um grande país).
The Netherlands is in Europe. (A Holanda fica na Europa).

ATENCAO

Nunca usamos “the” antes de países no singular como: Brazil, Germany, Italy,
Turkey etc. e também não utilizamos o artigo definido antes de nomes de continentes,
cidades, ruas, avenidas, praças e parques.

3.2 ARTIGO INDEFINIDO


Na língua inglesa há dois artigos indefinidos: a, an (um, uma). E eles são
utilizados em situações diferentes.

Alguns estudantes da língua inglesa acreditam que o artigo “a” é usado


antes de palavras que iniciam com consoante enquanto o artigo “an” é usado com
palavras que iniciam com vogais. Porém, não é bem assim.

Na regra geral, podemos dizer que se usa o artigo “a” antes de palavras
que são iniciadas por consoantes como:

A boy enter the room. (Um menino entrou na sala)


I need a book. (Eu preciso de um livro)

Mas há algumas vogais que têm o som de consoante e com elas também
precisamos usar o artigo “a”. Exemplos:

A university (Uma universidade) – Neste caso, o início da palavra university tem o


som de consoante (som de /y/), então, mesmo que a palavra começa com a vogal
u, usa-se a.

A one-dollar bill (Uma nota de um dólar) – Aqui o início da palavra one-dollar


também tem som de consoante (som de /w/) e por isso usa-se “a one-dollar” e não
“an one-dollar”.

Na regra geral, podemos dizer que se usa o artigo “an” antes de palavras
que são iniciadas por vogais como:

She is an intelligent girl. (Ela é uma garota inteligente)


He is an old man. (Ele é um homem velho)

155
UNIDADE 3 | VOCABULÁRIO TÉCNICO

Mas há algumas palavras que começam com vogais, mas têm o som de
consoantes e com elas também precisamos usar o artigo “an”. Exemplos:

I want to buy an MP3. (Eu quero comprar um MP3). – Perceba que a palavra MP3, ao
pronunciar a letra M, temos os som de uma vogal e por isso utilizamos o artigo “an”.

Algumas palavras na língua inglesa que iniciam com a letra H apresentam


o som dessa letra mudo como honor (honra), hour (hora) ou honest (honesto) e por
isso, antes delas, também usamos o artigo indefinido “an”.

ATENCAO

Nunca utilizamos o artigo “a” ou “an” antes de substantivos incontáveis ou


substantivos contáveis no plural.

4 THERE + TO BE
There + o verbo to be (is ou are) equivalem ao nosso há, existe ou existem.
Veja a seguir quando utilizamos o There is e o There are.

4.1 THERE IS
Usamos there is quando queremos nos referir a uma coisa, uma pessoa,
um lugar ou uma situação. É sempre utilizado no singular.

There is a car in front of my house. (Há um carro em frente à minha casa).

Podemos utilizar o There is para fazer afirmações, negações e até


questionamentos. Observe o quadro a seguir:

QUADRO 38 – THERE IS
Forma afirmativa Forma negativa Forma interrogativa
There is There is not ou There isn’t Is there?
(Há ou Existe) (Não há ou Não existe) (Há? ou Existe?)

FONTE: A autora

156
TÓPICO 2 | AFIXOS

There is one new girl in my English class. (Há uma garota nova na minha aula de
inglês)
There isn’t a movie playing now. (Não há um filme passando agora)
Is there any way I can help you? (Há alguma maneira que eu possa te ajudar?)
There is a bus coming. (Há um ônibus vindo)
There isn’t a book here. (Não há um livro aqui)
Is there a person who I can talk? (Há uma pessoa com quem eu posso conversar?)

4.2 THERE ARE


Usamos o There are para nos referir à existência de coisas, pessoas, lugares
ou situações, sempre no plural.

There are two cars in front of my house. (Há dois carros em frente da minha casa)

O There are também é utilizado em afirmações, negações e interrogações:

QUADRO 39 – THERE ARE


Forma afirmativa Forma negativa Forma interrogativa
There are There are not ou There aren’t Are there?
(Há ou Existem) (Não há ou Não existem) (Há? ou Existem?)

FONTE: A autora

There are five students in class. (Há cinco alunos na sala de aula)
There aren’t opened stores today. (Não há lojas abertas hoje)
Are there many people at the party? (Há muitas pessoas na festa?)
There are tigers and monkeys at the zoo. (Há tigres e macacos no zoológico)
There aren’t any apples on the table. (Não há nenhuma maçã na mesa)

DICAS

Pode-se usar a forma contraída there’s e there’re informalmente.

157
UNIDADE 3 | VOCABULÁRIO TÉCNICO

Também usamos there + verbo to be no passado e no futuro. Quando


usamos there + verbo to be no passado, também temos uma forma para o singular
(there was) e uma forma para o plural (there were). Veja:

QUADRO 40 – THERE WAS

Passado - Forma afirmativa Passado - Forma negativa Passado - Forma interrogativa


There was not ou There
There was Was there?
wasn’t
(Havia ou Existia) (Havia? ou Existia?)
(Não havia ou Não existia)

FONTE: A autora

There was a woman standing in the doorway. (Havia uma mulher parada na porta)
There wasn’t a big dog in that house. (Não havia um cachorro grande naquela casa)
Was there a cake in the refrigerator? (Havia um bolo na geladeira?)

QUADRO 41 – THERE WERE

Passado - Forma
Passado - Forma afirmativa Passado - Forma negativa
interrogativa
There were not ou There
There were Were there?
weren’t
(Havia ou Existia) (Havia? ou Existia?)
(Não havia ou Não existia)

FONTE: A autora

There were ten birds singing this morning. (Havia dez pássaros cantando esta manhã)
There weren’t people crossing the street. (Não havia pessoas atravessando a rua)
Were there many candies at the party? (Havia muitos doces na festa?)

DICAS

Lembre-se que na língua portuguesa o verbo “haver” é impessoal quando tem


o sentido de “existir”. Por isso ele não é flexionado e é incorreto, por exemplo, dizer que
“haviam dez pássaros cantando esta manhã”.

Também podemos utilizar “there + verbo to be” no futuro. Para dizer que
algo, alguém existirá ou haverá usamos “there will be” tanto para as pessoas do
singular quanto do plural. Veja:

158
TÓPICO 2 | AFIXOS

QUADRO 42 – THERE WILL BE

Futuro - Forma afirmativa Futuro - Forma negativa Futuro - Forma interrogativa


There will not be ou There
There will be Will there be?
won’t be (Não haverá ou Não
(Haverá ou Existirá) (Haverá? ou Existirá?)
existirá)

FONTE: A autora

There will be a flight in a few minutes. (Haverá um voo em alguns minutos)


There will not be a new chance. (Não haverá uma nova chance)
Will there be a car waiting for me? (Haverá um carro esperando por mim?)

5 CONECTIVOS
Ao redigir um texto, há palavras ou expressões que são usadas para
estabelecer uma conexão lógica entre frases ou ideias. Essas palavras ou expressões
são chamadas de conectivos ou linking words e transitional words.

Os conectivos geralmente são compostos por locuções adjetivas ou


conjunções como também preposições, advérbios e assim por diante.

É muito importante compreender o uso dos conectivos para que o seu texto
tenha coesão entre frases e parágrafos, melhorando a apresentação do seu trabalho.

Os conectivos podem dar exemplos, resumir uma ideia, adicionar, mostrar


uma causa ou resultado.

Os conectivos podem ser usados:

- Para introduzir um assunto ou tópico:

First of all (Em primeiro lugar);


In the first place (Antes de tudo);
To begin with (Para início de conversa).

- Referenciar:

Regarding (Com relação a);


With regard to (No que diz respeito a)
Consedering (No que tange a)

- Para introduzir um assunto relacionado:

By the way (A propósito)


Speaking of that (Por falar nisso)

159
UNIDADE 3 | VOCABULÁRIO TÉCNICO

- Para reforçar uma ideia ou comentário:

As a matter of fact (Por sinal; aliás)


In fact (Inclusive)
On the contrary (Pelo contrário)
Actually (Na verdade)

- Para dar ideia de conformidade

According to (De acordo com)


In accordance with (Conforme; Segundo)

- Para dar ênfase:

Especially (Principalmente)
Mainly (Sobretudo)
In particular (Especialmente)
More important (Ainda mais)

- Para mostrar uma causa ou um motivo:

Because (Porque)
Since (Uma vez que)
As a result of (Em razão de)
Due to (Devido a)

- Para demonstrar um resultado ou consequência:

With this in mind (Levando isto em consideração)


For this reason (Por este motivo)
That’s why (Por isso)
This way (Desta forma)
In doing so (Sendo assim)
As a result (Como consequência)
In face of (Diante do exposto)

- Para demonstrar uma conclusão lógica:

Therefore (Portanto)
So (Então)
- Para mostrar um propósito:

In order to (Com o objetivo de)


In order that (A fim de)
So that (Para que)

160
TÓPICO 2 | AFIXOS

- Para dermarcar tempo:

From now on (De agora em diante)


Henceforth (Daqui para a frente)
So far (Até agora)
Up till now (Até hoje)
Still (Ainda)
For the time being (Por enquanto)

- Para indicar simultaneidade:

In the meantime (Nesse meio tempo)


Meanwhile (Enquanto isso)
While (Enquanto)

- Para indicar uma circunstância:

In the midst of (Em meio a)

- Para generalizar:

In general (Em geral)


As a rule (Via de regra)

- Para indicar o destinatário:

To whom it may concern (A quem possa interessar)


For your information (Para sua informação)

- Enfraquecedores:

As far as I know (Que eu saiba)


As far as I can tell (Pelo que eu sei)
To my knowledge (Pelo que me consta)
If I’m not wrong (Se não me engano)
In my opinion (Na minha opinião)
As far as I’m concerned (No que se refere a mim)

- Para demonstrar o ponto de vista:

From the standpoint of (Do ponto de vista de)


From my point of view (Do meu ponto de vista)
Based on the assumption that (Partindo do pressuposto que)

161
UNIDADE 3 | VOCABULÁRIO TÉCNICO

- Para expressar certeza:

Of course (Sem dúvida)


Definitely (Certamente)
Certainly (Com certeza)
Without a doubt (Evidentemente)

- Intermediação:

Through (Através de)


By means of (Por meio de)
Hereby (Por intermédio de)

- Para demonstrar condição ou contraste:

If (Se)
As long as (Desde que)
On condition that (Contanto que)
While (Enquanto que)
But (Mas)
However (Entretanto)
Even so (Mesmo assim)
Nevertheless (Ainda assim)
In spite of (Apesar de)
Although (Embora)
Even though (Ainda que)
On one hand (Por um lado)
On the other hand (Por outro lado)
Unlike (Ao contrário de)

- Para detalhar:

In other words (Em outras palavras)


What I’m trying to say (O que eu quero dizer)

- Para exemplificar:

For example (Por exemplo)


For instance (Por exemplo)

- Para acrescentar:

Not only... but (also) - (Não apenas... mas (também))


Besides that (Além disso)
Moreover (Além do mais)

162
TÓPICO 2 | AFIXOS

- Para mostrar uma ideia de consequência:

Otherwise (Senão)

- Para finalizar o texto, ideia ou parágrafo:

Finally (Finalmente)
At last (Por fim)
All in all (Levando tudo isso em consideração)
In summary (Em resumo)

Agora veja alguns exemplos usando os conectivos:

He went home by himself, although he knew it was dangerous. (Ele foi para casa sozinho,
embora ele sabia que era perigoso).

Neste exemplo, “although” mostra uma ideia de contraste. Poderíamos


trocar “although” por “even though”.

The TV show wasn’t good. Moreover, it was inappropriate. (O programa de TV não era
bom. Além disso era inapropriado).

“Moreover” mostra o sentido de adição e aqui poderia ter sido substituído


por “besides that”.

He has been a doctor for fifteen years, so he is very knowledgeable. (Ele é médico há
quinze anos, então ele é bem informado).

Para dar a ideia de causa ou consequência, no exemplo acima usamos


“so”, mas também poderíamos ter utilizado o conectivo “therefore”.

First of all, this project can help our work in the company. (Em primeiro lugar, este
projeto pode ajudar no nosso trabalho aqui na empresa).

Para introduzir um assunto ou tópico, usamos “first of all”. Outra opção de


uso é “in the first place” que significa “antes de tudo”.

This program is better than the other one. For example, it can download videos faster.
(Este programa é melhor do que o outro. Por exemplo, ele pode fazer download de
vídeos mais rápido).

Para exemplificar é muito comum utilizar o conectivo “for example”, mas


“for instance” tem o mesmo significado.

Finally, the students must study harder for the tests. (Resumindo, os alunos devem
estudar mais para os testes).

Para finalizar uma ideia ou parágrafo usa-se “finally”, “at last”, “all in all”
ou “in summary”.

163
UNIDADE 3 | VOCABULÁRIO TÉCNICO

LEITURA COMPLEMENTAR

PROGRAMAS DE INTERCÂMBIO

Os programas de intercâmbio para o exterior estão cada vez mais


frequentes na vida dos brasileiros. Isso porque a facilidade em ir para outro país
aumentou bastante nos últimos anos.

Quando pensamos no ensino e aprendizagem de língua inglesa, alguns


países são campeões em receber brasileiros interessados em estudar. Entre os
destinos procurados estão Estados Unidos, Austrália, Inglaterra e Canadá.

Os cursos de idiomas mais procurados têm duração aproximada de um


mês e geralmente são realizados nos meses de janeiro e julho, mesmo período das
férias escolares aqui no Brasil. Porém, há programas que podem durar mais tempo.
Mas não pense que são apenas adolescentes que buscam por esse tipo de programa.

As escolas de inglês para estrangeiros localizadas no exterior contam


com cursos de idiomas para adolescentes e adultos. Além das aulas de inglês
durante o dia, essas escolas também contam com atividades culturais pela cidade
ou região para entrosar o aluno com o restante do grupo. Isso porque muitos
dos estudantes chegam ao país estrangeiro sozinhos e a escola, sabendo disso,
procura orientar e fazer com que os seus alunos se sintam “em casa”.

A maioria dos estudantes que escolhe fazer um intercâmbio no exterior


hospeda-se em casas de famílias estrangeiras credenciadas e contratadas
pela escola. Essas famílias são responsáveis por algumas refeições durante
o dia, providenciar um quarto individual e auxiliar o estudante em algumas
atividades diárias como lavar roupa ou chegar até a escola. É verdade que para
algumas famílias receber um estudante é apenas um negócio, ou seja, querem
que o estudante se sinta bem, pois precisam de boas referências para continuar
credenciadas às escolas e assim podem receber mais estudantes e pagamento por
isso. Mas também há famílias que se divertem e apreciam receber estrangeiros,
considerando-os parte da sua família.

Segundo a Associação Brasileira de Organizadores de Viagens


Educacionais e Culturais (Belta), no ano de 2013 cerca de 202 mil brasileiros
fizeram intercâmbio de idioma, apresentando um crescimento de 15% no setor.

E você? Já pensou em fazer um intercâmbio durante as suas férias para


aprimorar a língua? Há também a disponibilidade de bolsas de estudos para
programas de intercâmbios gratuitos criados pelo Ministério da Educação através
do Ciências sem Fronteiras que contam com cursos de graduação e pós-graduação.

Como uma maneira de praticar o idioma, o programa de intercâmbio


ainda propicia ao aluno conhecer novos lugares, pessoas e diferentes culturas.
Além das empresas valorizarem esse diferencial no momento da contratação dos
seus funcionários.

164
RESUMO DO TÓPICO 2

No presente tópico, Caro acadêmico, estudamos vários aspectos


relacionados ao ensino de língua inglesa, os quais apresentamos a seguir,
resumidamente:

• Os afixos são elementos linguísticos que são acrescentados antes ou depois de


uma palavra, alterando o seu significado.

• Os afixos podem ser adicionados a adjetivos, verbos ou substantivos.

• Assim como na língua portuguesa, em inglês também temos os artigos


definidos e indefinidos.

• O artigo definido “the”, que significa “o, a, os, as”, pode ser empregado com
substantivos masculinos e femininos, e também no plural e singular.

• O artigo definido pode ser “a” ou “an” e os dois têm o mesmo significado: um, uma.

• O artigo “a” geralmente é utilizado antes de palavras que iniciam com consoante
ou que iniciam com vogal, mas esta vogal tem o som de consoante.

• O artigo “an” geralmente é utilizado antes de palavras que iniciam com vogal
ou que iniciam com consoante, mas esta consoante tem o som de vogal.

• There to be equivale ao existe ou existem da língua portuguesa. Ele pode


ser usado no presente, passado e futuro e também nas formas afirmativas,
negativas e interrogativas.

• There is (há, existe) é utilizado no presente para se referir a existência de uma


coisa, pessoa ou lugar e é sempre utilizado no singular.

• Na forma negativa basta acrescentar o “not” ou utilizar a forma contraída


“there isn’t”. Para questionamentos o verbo to be passa para a frente do “there”:
Is there?

• There are (há, existem) é utilizado no presente para se referir a existência de


coisas, pessoas ou lugares e é sempre utilizado no plural.

• Para a forma negativa, acrescentamos o “not” e na forma interrogativa o verbo


to be também vai para a frente do “there”: Are there?

165
• Para sinalizar que havia ou existia algo, alguém etc. no passado, basta colocar
o verbo to be no passado.

• Se no presente usávamos “there is”, no passado, usamos “there was”. Para a


forma negativa usa-se “there wasn’t” e na forma interrogativa “Was there?”.

• Para o plural, no presente, usamos “there are”. No passado passamos a utilizar


“there were”. Na forma negativa “there weren’t” e para questionamentos “Were
there?”.

• No futuro usa-se a mesma forma “there will be” para todas as situações, plural
e singular. Na forma negativa temos “there won’t be” e para questionamentos
“Will there be?”.

• Os conectivos são palavras ou expressões usadas para estabelecer uma conexão


lógica entre frases ou ideias.

• Os conectivos podem ser usados para introduzir, referenciar, reforçar uma ideia,
para dar ênfase, mostrar uma causa ou motivo, assim como um resultado ou
consequência, entre outros.

• Os programas de intercâmbio para aprender ou aperfeiçoar um idioma são


cada vez mais procurados por brasileiros e os principais destinos são Estados
Unidos, Canadá, Inglaterra e Austrália.

166
AUTOATIVIDADE

Caro acadêmico, para melhor fixar o conteúdo apresentado neste


tópico, sugerimos que você resolva a seguinte atividade:

Leia o texto a seguir e responda aos questionamentos:

Types of Programming Errors

There are two general types of errors that programmers make: syntax
or coding errors and logic errors.

A syntax or coding error occurs when the programmer fails to follow


the rules on how a particular instruction is to be written. For example, if a
programmer misspelled the word WRITE in an instruction, the computer
would print out a diagnostic message to inform the programmer that a coding
error had been made, the statement in which it occured, and the nature of
the error. As a result of the severity of these errors, the computer was unable
to completely understand the program and consequently the program was
not executed. Compilers level of sophistication that allows them to make
corrective assumptions concerning common coding errors. For example, if a
programmer omitted a required comma in an instruction, the compiler would
print out an appropriate diagnostic message and proceed with the compilation
as if the comma had been present.

Once the programmer has removed all the coding errors, the compiler
is able to understand and translate the programmer’s instructions. However,
when executed, the translated instructions may not be appropriate to solve the
problem. Errors resulting from an incorrect sequence of instructions are referred
to as logic errors. If the programmer added when he should have subtracted,
for example, he would have made an error in the program logic – a logic error.
There are no fixed rules on how debugging a program containing logic errors
should be accomplished because the kinds of bugs that can occur are so varied.
(Taken from “Introduction to the Computer” by Willian Fuori)

1 Escolha T (true) para as afirmações verdadeiras e F (false) para as falsas de


acordo com o texto:

a) ( ) Há somente dois tipos de erros em programação.


b) ( ) Quando uma certa instrução não é bem escrita, pode ocorrer um erro de
codificação.
c) ( ) Uma mensagem diagnóstica informa somente a natureza do erro.
d) ( ) A execução do programa independe desses erros.
e) ( ) Não há nada que possa corrigir esses erros.
f) ( ) Alguns compiladores são muito sofisticados.

167
2 Complete as frases a seguir:

a) Quando o programador não segue as regras segundo as quais uma certa


instrução deve ser escrita, ele comete um erro __________________________
___________.

b) Mas quando a sequência de instruções é incorreta, aparece um erro


_____________________.

3 Relacione as frases:

a) There are two general types of errors...


b) A syntax error occurs when the programmer fails...
c) The computer would print out a diagnostic message...
d) As a result of the severity of these errors...
e) Compilers allow computers to make corrective assumptions...

( ) ... to inform the programmer that a coding error had been made.
( ) ... concerning common coding errors.
( ) ... to follow the rules on how a particular instruction is to be writen.
( ) ... that programmers make.
( ) ... the computer was unable to completely understand the program.

4 Relacione as colunas:

(1) to fail to ( ) detectar e corrigir


(2) to follow ( ) permitir, deixar
(3) to print out ( ) alcançar
(4) to reach ( ) deixar de
(5) to allow ( ) executar, realizar
(6) to debug ( ) seguir, acompanhar
(7) to accomplish ( ) imprimir

FONTE: Adaptado de: GALANTE, Terezinha Prado; POW, Elizabeth. Inglês para
processamento de dados: textos sobre computação, exercícios de compreensão, siglas,
abreviações e glossário. São Paulo: Editora Atlas, 1996.

168
UNIDADE 3
TÓPICO 3

CONDICIONAL

1 INTRODUÇÃO
Agora que você já conhece as estruturas do presente, passado e futuro,
apresentaremos as orações condicionais. Uma condição pode acontecer em
qualquer período do tempo, por isso é necessário que o usuário da língua inglesa
saiba a estrutura correta do presente, passado e futuro para que assim ele entenda
o uso correto das orações condicionais.

2 ORAÇÕES CONDICIONAIS
As orações condicionais servem para demonstrar a dependência entre
uma circunstância ou uma condição e um fato ou resultado. Estas circunstâncias,
condições, fatos ou resultados podem acontecer no presente, passado e futuro.

Quando se usam as orações condicionais é importante lembrar que elas


são compostas por uma oração principal e uma condição dependente, chamada
de oração subordinada condicional.

A oração principal, também chamada de “main clause” apresenta uma


consequência enquanto a oração condicional exprime uma condição e geralmente
é introduzida por “when” ou “if”. Observe o exemplo a seguir:

Oração condicional

If she wants to win, she has to work harder.

Uso do "if" para introduzir a oração condicional Oração principal

169
UNIDADE 3 | VOCABULÁRIO TÉCNICO

No exemplo acima, a frase foi iniciada pela oração condicional. Sempre


que isso acontecer é necessário usar uma vírgula para separar a condição da
oração principal. Mas se iniciássemos a frase com a oração principal, a vírgula
não deve ser usada.

She has to work harder if she wants to win.


(Ela precisa trabalhar mais se ela quiser vencer).

Tanto o “if” quanto o “when” podem ser utilizados um no lugar do outro


quando o significado for “toda vez que” ou “sempre que”:

If you heat ice, it turns to water. (Se você aquecer o gelo, ele vira água).
ou
When you heat ice, it turns to water. (Quando você aquecer o gelo, ele vira água).

Porém, se o significado for “caso”, deve-se usar “if”:

If it rains today, I won’t go to the movies. (Caso chova hoje, eu não irei ao cinema).

Há quatro tipos de condicionais, dependendo do tempo verbal em que


você precisa se expressar.

2.1 ZERO CONDICIONAL (CONDITIONAL ZERO):


Na “condicional zero” teremos duas orações no presente. Uma oração
será a principal e a outra será a condicional. Veja a estrutura:

If + presente simples + presente simples

Essa estrutura pode expressar ações naturais, situações gerais que são
afirmações verdadeiras, dar ordens ou instruções:

170
TÓPICO 3 | CONDICIONAL

If you want to be healthy, you need to eat some salad. (Se você quer ser saudável, você
precisa comer um pouco de salada).

Dogs die if they don’t have food and water. (Cachorros morrem se eles não têm comida
e água).
Call me if you need help. (Ligue-me se você precisar de ajuda).

2.2 PRIMEIRA CONDICIONAL (FIRST CONDITIONAL)


A primeira condicional é utilizada para expressar condições possíveis ou
prováveis de acontecerem ou não no futuro. Para isso utilizamos a seguinte estrutura:

If + presente simples + futuro simples

If I have money, I will buy a pair of shoes. (Se eu tiver dinheiro, eu comprarei um par
de sapatos).
He will go to Europe if his passport gets ready. (Ele irá para a Europa se o seu
passaporte ficar pronto).
If it is a sunny day, I will go to the beach. (Se o dia estiver ensolarado, eu irei para a praia).

ATENCAO

Nunca usa-se “if” na mesma frase com “will”. Forma correta: if I get sick, I will
call you e não if I will call you, I get sick.

Para dar instruções, aconselhar ou então falar sobre alguma possibilidade


no futuro, também se pode fazer o uso do imperativo ou do verbo modal.

if + presente simples + modal ou imperativo

If you want to go to the museums, change your clothes. (Se você quer ir ao museu, troque
de roupa).
Call me if you need a ride. (Ligue-me se você precisar de carona).
If you want to eat pizza, we can go to the restaurant today. (Se você quiser comer pizza,
nós podemos ir ao restaurante hoje).

171
UNIDADE 3 | VOCABULÁRIO TÉCNICO

2.3 SEGUNDA CONDICIONAL (SECOND CONDITIONAL)


Para expressar situações hipotéticas, imaginárias ou improváveis, tanto no
presente quanto no futuro, usamos a segunda condicional com a seguinte estrutura:

if + passado simples + would, could, might, should + verbo no infinivo (sem o to)

If I won on the lottery, I would buy a house at the beach. (Se eu ganhar na loteria, eu
compraria uma casa na praia).
If I lost my job, I would be very sad. (Se eu perdesse o meu emprego, eu ficaria muito triste).
If the students studied more, they might pass the tests. (Se os estudantes estudassem
mais, eles poderiam passar nos testes).
If I were a boy, I would understand you. (Se eu fosse um garoto, eu entenderia você).

ATENCAO

Nas frases condicionais, quando se usa o verbo to be no passado, a forma


“were” é utilizada para todos os sujeitos: if I were, if he were, if she were, if it were, if you
were, if they were e if we were. Porém, na linguagem informal é possível utilizar “was” para
I, he, she e it.

2.4 TERCEIRA CONDICIONAL (THIRD CONDITIONAL)


Para expressar uma ação que não foi realizada no passado, isto é, algo
que poderia ter acontecido se outro fato tivesse acontecido, usamos a terceira
condicional.

If + passado perfeito + would have, could have, might have + verbo no


particípio

If she had woken up earlier, she wouldn’t have lost the bus. (Se ela tivesse acordado
cedo, ela não teria perdido o ônibus).

If he had called me, I could have come to help. (Se ele tivesse me ligado, eu poderia ter
vindo ajudar).

172
TÓPICO 3 | CONDICIONAL

DICAS

Lembre-se de que no verbo regular no particípio acrescenta-se “ed”. Para os


verbos irregulares é necessário consultar a lista de verbos apresentada nesta unidade.

Observe agora a estrutura e os tempos verbais de cada condicional:

QUADRO 43 – ORAÇÕES CONDICIONAIS

TEMPO VERBAL NA
ZERO CONDICIONAL CONDIÇÃO
ORAÇÃO PRINCIPAL

If + presente simples + presente simples Sempre verdadeira

TEMPO VERBAL NA
PRIMEIRA CONDICIONAL CONDIÇÃO
ORAÇÃO PRINCIPAL

+ futuro simples
+ imperativo
If + presente simples Possível ou provável
+ verbo modal + verbo no
infinitivo (sem o to)

TEMPO VERBAL NA
SEGUNDA CONDICIONAL CONDIÇÃO
ORAÇÃO PRINCIPAL
+ would, might, could, Imaginária, improvável ou
If + passado simples
should + verbo no particípio hipotética

TEMPO VERBAL NA
TERCEIRA CONDICIONAL CONDIÇÃO
ORAÇÃO PRINCIPAL

+ would, might, could + have


If + passado perfeito Impossível
+ verbo no particípio

FONTE: A autora

3 PHRASAL VERBS
Na língua inglesa, alguns verbos são formados por duas ou três palavras e
são chamados de phrasal verbs. Há três possibilidades para a formação desses verbos:

173
UNIDADE 3 | VOCABULÁRIO TÉCNICO

verbo + advérbio
verbo + preposição
verbo + advérbio + preposição

Veja alguns dos phrasal verbs mais utilizados e alguns exemplos:

QUADRO 44 – PHRASAL VERBS

Verbo: Significado: Exemplo:


convidar alguém para um He asked me out to go to the movies. (Ele
ask someone out
encontro me convidou para ir ao cinema).
perguntar a mesma The police officer asked around about the
ask around pergunta para várias incident. (O policial perguntou ao redor
pessoas. sobre o incidente). 
Your purchases add up to $100.00 (As
add up to something totalizar suas compras totalizaram em 100.00
dólares).
My parents backed me up when I lost my
back someone up dar apoio para alguém job. (Meus pais me apoiaram quando eu
perdi meu emprego).
Those guys blew up a bomb. (Aqueles
blow up explodir
caras explodiram uma bomba).
My computer broke down last week.
(Meu computador quebrou semana
parar de funcionar
passada).
(máquinas ou automóveis)
break down
That man broke down when his son was
ficar chateado (a)
sick. (Aquele homem ficou chateado
quando o filho dele ficou doente).
forçar a entrada em algum A thief broke in and stole my bike. (Um
break in
lugar ladrão entrou e roubou minha bicicleta).
The TV station broke in to report the
news of the president's death. (A TV
break in interrupt
interrompeu a reportagem sobre notícias
da morte do presidente).
terminar um They broke up last week. (Eles
break up
relacionamento terminaram semana passada).
They broke out of prison. (Eles escaparam
break out escapar
da prisão).
This attitude brings me down. (Essa
bring someone down fazer infeliz
atitude me deixa triste).
I will bring my son up on a farm. (Eu
bring someone up criar uma criança
criarei o meu filho numa fazenda).
I didn’t like when you brought up this
iniciar uma conversar
bring something up matter. (Eu não gostei quando você trouxe
sobre algum assunto
esse assunto).

174
TÓPICO 3 | CONDICIONAL

You need to call your dad back. (Você


call someone back retornar uma ligação
precisa retornar para seu pai).
He called the party off. (Ele cancelou a
call something off cancelar
festa).
I will call you up if there is a vacancy.
call someone up ligar
(Vou ligar para você se tiver uma vaga).
relaxar depois de estar You need to calm down. (Você precisa
calm down
nervoso relaxar).
chegar e se registar num I will call you when I check in. (Eu te
check in
hotel ou aeroporto ligarei quando eu me registrar).
check out partir
We will check out of the hotel at 10 a.m.
(Nós partiremos do hotel às 10 da manhã).
check someone/ investigar
They were checking that company out.
something out
(Eles estavam investigando aquela
empresa).

Check out the new girl in town. (Olha a


check out someone/ olhar para alguém, algo
garota nova da cidade).
something (uso informal)
He gave her a ring to cheer her up. (Ele
cheer someone up fazer alguém feliz
deu um anel a ela para fazê-la feliz).
Everybody chiped in to buy her a present.
chip in ajudar (Todos ajudaram para comprar um
presente para ela).
Our kids need to clean up their bedrooms.
clean something up limpar (Nossos filhos precisam limpar os seus
quartos).
The family came apart when she died. (A
come apart separar
família se separou quando ela morreu).
You have to do your homework over.
do something over fazer novamente (Você tem que fazer a sua tarefa
novamente).
She dressed up to go to a fancy party. (Ela
dress up vestir-se bem
se vestiu bem para ir a uma festa chique).
drop someone/ levar algo ou alguém a I will drop you off at work. (Eu a deixarei
something off algum lugar e deixá-lo lá no trabalho).
We ended up going to the restaurant.
end up decidir
(Nós decidimos ir ao restaurante).
compreender, encontrar They figured out how to do this task. (Eles
figure something out
uma resposta compreenderam como fazer esta tarefa).
preencher informações
fill something in
(inglês britânico)
You need to fill in this form to do your
passport. (Você precisa preencher este
formulário para fazer o seu passaporte).
preencher informações
fill something out
(inglês americano)
He found out where I live. (Ele descobriu
find out descobrir
onde moro).

175
UNIDADE 3 | VOCABULÁRIO TÉCNICO

Our kids really get along. (Nossas


get along gostar um do outro
crianças realmente se gostam).
He got back your suit. (Ele retornou o seu
get back retornar
terno).
She got back at him because he lied to her.
get back at someone vingar-se (Ela se vingou dele porque ele mentiu
para ela).
You should get over this breakup. (Você
get over something superar um problema
deveria superar este término).
I had to get up early this morning. (Eu
get up levantar
tive que levantar cedo esta manhã).
desistir ou parar um He finally gave up smoking. (Ele
give something up
hábito finalmente parou de fumar).
His exgirlfriend was going after him. (A
go after someone seguir alguém
ex-namorada dele o estava seguindo).
Please go ahead, I will eat later. (Por favor
go ahead iniciar, começar
vá em frente, eu comerei mais tarde).
I need to go back home and get my bag.
go back retornar a algum lugar (Eu preciso voltar para casa e pegar a
minha bolsa).
John went out with Melissa. (John saiu
go out with someone ir a um encontro
com a Melissa).
The teacher is going over the essay. (O
go over something revisar
professor está revisando a redação).
It’s been a long time I don’t see you. You
tornar-se um adulto,
grow up have grown up. (Faz um longo tempo que
crescer
não vejo você. Você cresceu).
aguardar por um período Hang on. She is coming. (Aguarde. Ela
hang on
curto de tempo está vindo).
Let’s hang out at the bar. (Vamos relaxar
hang out passar tempo relaxando
no bar).
She didn’t say bye before hanging up. (Ela
hang up finalizar uma ligação
não diz tchau antes de desligar).
Keep on doing exercises because you
keep on doing
continuar fazendo algo look great. (Continue fazendo exercícios
something
porque você está ótima).
You can’t login in to Facebook at this time.
se cadastrar, entrar (em
log in (ou on) (Você não pode entrar no Facebook neste
um site, por exemplo)
horário).
It’s safer to log out from your online bank
sair (de um site, por
log out (ou off) account. (É mais seguro sair da sua conta
exemplo).
bancária on-line).
I have to look after the kids tonight. (Eu
look after tomar conta, cuidar tenho que cuidar das crianças hoje à
noite).
I was looking for my car keys. (Eu estava
look for tentar encontrar
procurando as chaves do meu carro).

176
TÓPICO 3 | CONDICIONAL

It’s snowing a lot. Look out! (Está


look out ser cuidadoso
nevando. Cuidado!)
Can you look up the meaning of this word
procurar por uma
look  up in the dictionary? (Você pode consultar o
informação, consultar
significado desta palavra no dicionário?).
inventar, mentir She made up a story about last night.
make  up
(Ela inventou uma história sobre ontem à
noite).

perdoar alguém, fazer as We made up this morning. (Nós fizemos


make up
pazes as pazes esta manhã).
pass away falecer My uncle passed away. (Meu tio faleceu).
She passed out on her wedding day. (Ela
pass out desmaiar
desmaiou no dia do casamento dela).
Can you lend me ten dollars? I will pay
you back tomorrow. (Você pode me
pay back devolver o dinheiro
emprestar dez dólares? Eu pagarei você
amanhã).
She is paying for what she did in the
pay for  ser punido past. (Ela está pagando o que ela fez no
passado).
encontrar I ran out into Ryan yesterday. (Eu
run into
inesperadamente encontrei o Ryan ontem).
The thief ran away with the money. (O
run away partir, escapar
ladrão escapou com o dinheiro).
dormir fora, passar a noite Can you sleep over at my house? (Você
sleep over
fora pode dormir na minha casa?)
Please turn down the TV. (Por favor,
turn down baixar, diminuir
diminua o volume da TV).
Don’t forget to turn off the computer.
turn off desligar
(Não esqueça de desligar o computador).
Can you turn on the lights please? Você
turn on ligar
pode ligar as luzes por favor?
aumentar Turn up! I love this song! (Aumenta. Eu
turn up
amo essa música).
I would like to try on these pair of shoes.
try on experimentar (Eu gostaria de experimentar esse par de
sapatos).
He works out at the gym five times a
work out exercitar-se week. (Ele se exercita na academia cinco
vezes por semana).
Do you think our plan is going to work
ser bem sucedido,
work out out? (Você acha que o nosso plano vai
funcionar bem
funcionar?)
My boss yelled at me. (Meu chefe gritou
yell at gritar
comigo).

FvONTE: A autora

177
UNIDADE 3 | VOCABULÁRIO TÉCNICO

4 NUMERAIS
Numerais em inglês é um dos primeiros tópicos ensinados na escola. Você
se lembra de todos eles?

Os números cardinais, do treze ao dezenove, têm a terminação “teen” e para


formarmos os números superiores a vinte, primeiramente colocamos a dezena, o
hífen e a unidade. A regra é praticamente a mesma na língua portuguesa, porém, ao
invés de utilizarmos o hífen, usamos a letra “e”. Veja os números cardinais a seguir:

FIGURA 12 – NÚMEROS CARDINAIS

Table of Cardinal Numbers

Carcinal numbers from 1 through 1,000,000

1 one 11 eleven 21 twenty-one 31 thirty-one

2 two 12 twelve 22 twenty-two 40 forty

3 three 13 thirteen 23 twenty-three 50 fifty

4 four 14 fourteen 24 twenty-four 60 sixty

5 five 15 fifteen 25 twenty-five 70 seventy

6 six 16 sixteen 26 twenty-six 80 eighty

7 seven 17 seventeen 27 twenty-seven 90 ninety

8 eight 18 eighteen 28 twenty-eight 100 a/one hundred

9 nine 19 nineteen 29 twenty-nine 1,000 a/one thousand

10 ten 20 twenty 30 thirty 1,000,000 a/one million

FONTE: A autora

Atenção para o número zero. No inglês americano, o número 0 é conhecido


como zero (sim, é a mesma escrita que a nossa, porém, a pronúncia é diferente).
Porém, no inglês britânico, o número zero, utilizado para se referir ao número em
si, se escreve “nought”.

Para representar a pontuação de jogos ou partidas, no inglês britânico, o


número zero passa a ser “nil”, enquanto no inglês americano ele continua sendo “zero”.

178
TÓPICO 3 | CONDICIONAL

Quando se dita números telefônicos, “zero” também pode ser substituído


por “oh” (o mesmo som da letra o em inglês). Exemplo: 05511 (oh five five one one).

Você sabia que a palavra “love” traduzida como “amor” também pode
significar zero? É isso mesmo. Porém, isso só vale para partidas de tênis, quando
a pontuação for igual a zero.

Observe agora os números ordinais em inglês:

FIGURA 13 – NÚMEROS ORDINAIS

Table of Ordinal Numbers

Ordinal numbers from 1 through 1,000,000

1 st first 11 th eleventh 21 st twenty-first 31 st thirty-first

2 nd second 12 th twelfth 22 nd twenty-second 40 th fortieth

3 rd third 13 th thirteenth 23 rd twenty-third 50 th fiftieth

4 th fourth 14 th fourteenth 24 th twenty-fourth 60 th sixtieth

5 th fifth 15 th fifteenth 25 th twenty-fifth 70 th seventieth

6 th sixth 16 th sixteenth 26 th twenty-sixth 80 th eightieth

7 th seventh 17 th seventeenth 27 th twenty-seventh 90 th ninetieth

8 th eighth 18 th eighteenth 28 twenty-eighth 100 th one hundred

9 th ninth 19 th nineteenth 29 twenty-ninth 1,000 th one thousandth

10 th tenth 20 th twentyth 30 th thirtieth 1,000,000 th one millionth

FONTE: A autora

Na língua portuguesa, quando escrevemos um número ordinal por extenso,


tanto a dezena quanto a centena e o milhar são escritos na forma ordinal, mas no
inglês somente o último algarismo é escrito na forma ordinal. Veja o exemplo:

Vigésimo – Twentieth
Vigésimo primeiro – Twenty – first

179
UNIDADE 3 | VOCABULÁRIO TÉCNICO

Perceba que no segundo exemplo, a palavra vigésimo em inglês é escrita


de forma cardinal e apenas a palavra “primeiro” é escrita da maneira ordinal.

Quando fazemos a abreviação dos numerais ordinais em inglês, as duas


últimas letras são colocadas com o número:

13° (décimo terceiro) – 13th (thirteenth)


1° (primeiro) – 1st (first)

180
TÓPICO 3 | CONDICIONAL

LEITURA COMPLEMENTAR

CRIADO PARA SER UMA UNIDADE DE MEDIDA, O ARROBA VIROU


SÍMBOLO DOS TEMPOS MODERNOS

O “@” GANHOU STATUS DE DESIGN E PASSOU A FAZER PARTE DO


ACERVO DO MUSEU DE ARTE MODERNA DE NOVA YORK

O que é? O que é? É redondinho e perfeitinho. Você o usa várias vezes ao


dia, mas não dá a mínima atenção para a sua existência. Tem o mesmo significado
no mundo inteiro. Só começou a ser usado intensamente há pouco mais de 10
anos. E, recentemente, virou peça de museu? Acertou quem respondeu o arroba.
É isso mesmo, o símbolo @. Depois de mais de décadas escondido nos endereços
dos nossos e-mails, foi apenas em 2010 que o arroba virou tendência. Para isso,
bastou a curadora do Museu de Arte Moderna de Nova York (MoMA), Paola
Antonelli, decretar.

Tudo começou quando Antonelli se reuniu com os 25 membros do comitê


do Departamento de Arquitetura e Design do MoMa, o qual preside. Eles avaliaram
a importância do arroba para o design e decidiram acrescentar o ícone às 175 mil
peças do acervo do museu, sem nenhum custo para a instituição. Afinal, o arroba
não tem dono e não tinha de quem comprar. A justificativa da escolha é simples:
é o marco da geração da tecnologia do século 21.

– É um design de extraordinária elegância e economia – justificou Paola


no blog do museu. Isso foi o suficiente para criar o mito em torno do símbolo
internacionalmente conhecido.

181
UNIDADE 3 | VOCABULÁRIO TÉCNICO

A mística em volta do arroba não é recente. As mais diversas áreas


já o estudaram. Em cada uma delas, o símbolo tinha significados diferentes.
O pessoal da tecnologia foi quem elevou o status do arroba, ao usá-lo para
constituir o primeiro endereço de e-mail. Já os linguistas acham fascinante a sua
transformação em símbolo universal. Independentemente da língua que se fala,
ele tem pelo menos uma função: identificar o provedor do seu e-mail. Mas após
esse renascimento do sinal, os designers se apropriaram dele como um ícone
graficamente elegante, simples e funcional.

A decisão de Paola de acrescentar o arroba ao acervo do MoMA despertou


uma interessante discussão sobre o que pode ser design. Em texto divulgado no
blog oficial do museu, a curadora defende que, assim como a arte contemporânea
e a arquitetura, o design também pode ter manifestações inesperadas.

– A aquisição do @ vai um passo à frente. Eu acredito que não é mais


necessário ter a possessão física de objetos para adquiri-los – diz.

Para tomar tal decisão, ela e o comitê avaliaram a forma, o significado, a


função, a inovação, os aspectos culturais, o processo e a necessidade do produto.
O arroba pode até não ter sido desenvolvido com a intenção de ser um símbolo
de design, mas ele é tão funcional que acabou sendo adotado pelos profissionais
da área. As razões são as mais diversas. Primeiro, ele ressurgiu para resolver um
problema: simplificar uma complicada linguagem de programação de e-mail.
Segundo, ele já era um ícone existente no alfabeto. Por isso, foi adicionado aos
teclados e reutilizado sem custos para os fabricantes de máquinas de escrever e,
mais tarde, computadores. E, finalmente, ele continuou a ter a função original de
estabelecer conexões.

Ele nasceu assim….

Quando o latim ainda era língua corrente, a contração da preposição ad


(que tem o sentido de lugar e movimento) se parecia com o @. Mas o arroba,
tal como o conhecemos hoje, nasceu no século 16, em Florença. Na época, o
marchante Francesco Lapi o usou para simbolizar uma unidade de medida. Ela
era baseada na ânfora (um vaso de terracota) usada nos mercados italianos para
medir grãos e outros bens de consumo. Com o tempo, foi caindo em desuso
e, hoje, o símbolo ainda tem o nome de uma unidade de medida somente em
português e em espanhol.

182
TÓPICO 3 | CONDICIONAL

Na era moderna, o arroba virou propriedade dos contadores. Por isso,


o sinal entrou para o teclado básico das máquinas de escrever em 1885. Mas foi
apenas no fim do século 20 que ele virou o ícone da era digital. O arroba estava
quase morto até o engenheiro elétrico norte-americano Ray Tomlinson inventar
o e-mail, em 1971. Ele escolheu o símbolo para ser a liga dos endereços de e-mail.

As razões? Primeiro por ser um ícone que já existia nos teclados e não tinha
nenhuma função para a maioria da população. Segundo, porque os norte-americanos
chamam o sinal de "at", abreviação da expressão at the rate of (à medida que). At tem a
função de lugar: onde, está. Traduzindo um endereço de e-mail, a escolha fica óbvia.
O usuário fulano de tal está no provedor X: fulanodetal@provedorX.

Em cada língua, um nome

Nas mais diversas línguas, o @ tem significados diferentes. Confira os


mais interessantes:
- Alemão: rabo de macaco.
- Chinês: pequeno rato.
- Italiano e francês: caracol.
- Filandês: gato dormindo.
- Russo: cachorro.
- Espanhol e português: unidade de medida.
MEIRELES, Olívia. Disponível em: <http://zerohora.clicrbs.com.br/rs/vida-e-estilo/donna/
noticia/2010/07/criado-para-ser-uma-unidade-de-medida-o-arroba-virou-simbolo-dos-tempos-
modernos-2972200.html>. Acesso em: 10 fev. 2014.

183
RESUMO DO TÓPICO 3

No presente tópico, Caro acadêmico, estudamos vários aspectos


relacionados ao ensino de língua inglesa, os quais apresentamos a seguir,
resumidamente:

• As orações condicionais servem para demonstrar a dependência entre uma


circunstância ou uma condição e um fato ou resultado.

• Estas circunstâncias, condições, fatos ou resultados podem acontecer no


presente, passado e futuro.

• A condicional é formada pela oração principal e pela oração condicional.

• Na “condicional zero” teremos duas orações no presente. Uma oração será a


principal e a outra será a condicional.

• A primeira condicional é utilizada para expressar condições possíveis ou


prováveis de acontecerem ou não no futuro.

• É importante lembrar que nunca se usa “if” e “will” na mesma oração.

• Para expressar situações hipotéticas, imaginárias ou improváveis, tanto no


presente quanto no futuro, usamos a segunda condicional.

• Nas frases condicionais, quando o verbo “to be” é utilizado no passado, a forma
“were” é utilizada para todos os sujeitos.

• Para expressar uma ação que não foi realizada no passado, isto é, algo que
poderia ter acontecido se outro fato tivesse acontecido, usamos a terceira
condicional.

• Alguns verbos são formados por duas ou três palavras e são chamados de
phrasal verbs.

• Eles são formados pelo verbo com uma preposição, advérbio ou advérbio e
preposição, expressando significados diferentes.

• Nos numerais cardinais o número zero apresenta diferentes escritas e usos.

• Nos numerais ordinais somente o último algarismo é escrito na forma ordinal.

• Inicialmente criado para ser uma unidade de medida, o arroba virou símbolo
dos tempos modernos.

184
AUTOATIVIDADE

Leia o texto a seguir e responda aos questionamentos a seguir:

DATA BASE

The term “data base” has yet to achieve a widely accepted standard
meaning. However, it is to some extent accepted as conveying a more
sophisticated concept than the older term “file”, which was carried over into
data processing terminology from the precomputer era. Unfortunately, it is
all too frequently used when all that is implied is a conventional file. The
difference between a data base and a file, in terms used prior to the advent of
data processing, is perhaps analogous to the difference between a thoroughly
cross-referenced set of files in cabinets in a library or in an Office and a single
file in one cabinet which is not cross-referenced in any way.

The important difference is that the “data base” must be stored


in the computer on direct-acess storage (such as disks) in order for the
computer’s central processing unit to be able to utilize the cross-references
within a reasonable time. By contrast, a set of cross-referenced files could
be theoretically stored on magnetic tape. However, the computer would
then spend unacceptable amounts of time searching the tapes because it is
not possible to Access a specific data record on tape without passing over
all other data preceding it on the tape. Despite this disadvantage, however,
magnetic tape is likely to remain the principal storage médium for archival
computer files for many years to come, in view of its relatively low cost and
high retention qualities.

The term “cross-reference” is not usually used when talking about a data
base, the most usual term being “relation”. One speaks of a relationship existing
between types of records in a data base. A record type is analogous to a color-
coded folder in a filing cabinet where different record types are segregated by
varied colors. An individual folder may contain a reference to one or more other
individual folders elsewhere in a set of cabinets. A referenced folder may have
the same or a different color code as the folder that references it. In the data base,
such relationships are stored in such a way that searching for records can be
done directly without extensive cross-checking. Thus, the user has considerably
more flexibility in the way in which he precesses the data.

Taken from ‘Encyclopedia of Computer Science” by Relston and Mek

185
1 Use T (true) para as frases verdadeiras e F (false) para as falsas de acordo com
o texto:

a) ( ) There is no difference between a data-base and a file.


b) ( ) Data base must be stored in the computer on direct-access storage.
c) ( ) Disks are used for direct-access storage.
d) ( ) We cannot use magnetic tape to store a set of cross-referenced files.
e) ( ) It is possible to access a specific data record on tape without passing
over all other data preceding it on the tape.

2 Leia o primeiro parágrafo e escolha a alternativa CORRETA:

O termo “banco de dados”:

a) ( ) É menos exato que “arquivo”.


b) ( ) Não utiliza o sistema de referências correlativas.
c) ( ) É mais usado em bibliotecas.
d) ( ) É mais exato que “arquivo”.

O termo “arquivo”:

a) ( ) Tem o mesmo significado que “banco de dados”.


b) ( ) Não contém referências correlativas.
c) ( ) Foi adaptado à terminologia de processamento de dados antes da era
dos computadores.
d) ( ) Era usado somente antes do advento dos computadores.

3 Leia o terceiro parágrafo e escolha a alternativa CORRETA:

O termo “relações” quer dizer:

a) ( ) Registros contidos num fichário.


b) ( ) A relação entre tipos de registros num banco de dados.
c) ( ) Registros contidos em vários fichários.
d) ( ) A relação entre estes fichários no banco de dados.

186
REFERÊNCIAS
ACADEMIA BRASILEIRA DE LETRAS. Disponível em: <http://www.academia.
org.br/>. Acesso em: 7 fev. 2014

ALMEIDA, Maria Elizabeth B. Educação, ambientes virtuais e interatividade. In:


SILVA, Marcos (Org.). Educação on-line.  São Paulo: Loyola, 2005.

______. Letramento digital e hipertexto: contribuições à educação. In:


SCHLÜNZEN JUNIOR, Klaus (Org.). Inclusão digital: tecendo redes afetivas/
cognitivas. Rio de Janeiro: DP&A, 2005.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ORGANIZADORES DE VIAGENS


EDUCACIONAIS E CULTURAIS (BELTA). Disponível em: <http://www.belta.
org.br/>. Acesso em: 6 mar. 2014.

BAB.LA PHRASES. Disponível em: <http://en.bab.la/phrases/business/email/


english-portuguese/>. Acesso em: 12 dez. 2013.

BARBOSA, J. P. Outras Mídias e Linguagens na Escola. In: BRASIL. Materiais


didáticos: escolha e uso. Brasília, DF: MEC, 2005. p. 50-62. (Boletim, 14).

BRASIL. Ministério da Educação. Parâmetros Curriculares Nacionais, 1998.


Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/pcn_estrangeira.
pdf>. Acesso em: 5 jul. 2013.

BUSUU. Disponível em: <http://www.busuu.com/pt/user/register?b_


source=adwords&b_campaign=ob_pt&b_group=busuu&b_subnetwork=SN&b_
term=%2Bbusuu&b_placement=&utm_nooverride=1&gclid=CNCYs_
XnnLwCFWRk7Aod_EcAog>. Acesso em: 10 dez. 2013.

BUZATO, M. Letramentos digitais e formação de professores. São Paulo: Portal


Educare.
2006. Disponível em: <http://www.educarede.org.br/educa/img_conteudo/
marcelobuzato.pdf>. Acesso em: 8 mar. 2010.

COSCARELLI, C. V. Alfabetização e Letramento Digital. In: COSCARELLI,


Carla Viana; RIBEIRO, A. E. Letramento digital: aspectos sociais e
possibilidades pedagógicas. 2. ed. Belo Horizonte: UFMG - Centro de
Alfabetização, Leitura e Escrita: Autêntica, 2007.

187
COSTA, Roberto S. (Hiper)textos ciberespaciais: mutações do/no ler‐escrever.
Disponível em: <http://www.cedes.unicamp.br>. Cad. Cedes, Campinas, v. 25,
n. 65, p. 102‐116, jan./abr. 2005.

DEMETRIADES, Dinos. Information technology. Oxford: Oxford University


Press, 2003.

DIAMONDCLEAR. Disponível em: <http://www.diamondclear.com.au/>. Acesso


em: 8 jan. 2014.

DUOLINGO. Disponível em: <http://wp.clicrbs.com.br/


impressaodigital/2014/01/15/duolingo-e-o-melhor-curso-de-ingles-
portatil/?topo=98,2,18,,,67>. Acesso em: 5 fev. 2014.

ERLING, E. J. The many names of English. English today, n. 81, v. 21, p. 40-44,
2005.

ESL ABOUT. Disponível em: <http://esl.about.com/od/readingintermediate/a/r_


social.htm>. Acesso em: 10 dez. 2013.

FRAENKEL, Benjamim B. Dicionário de termos técnicos: inglês-português/


português-inglês. Rio de Janeiro: Ao Livro Técnico, 1978.

FRANÇA, Milton Brito. Inglês no vestibular. São Paulo: FTD, 1994.

FUNOLOGY. Disponível em: <http://www.funology.com/animal-jokes/>.


Acesso em: 11 jan. 2014.

GALANTE, Terezinha Prado; LÁZARO, Svetlana Ponomarenko. Inglês básico


para informática. São Paulo: Editora Atlas, 1996.

GALANTE, Terezinha Prado; POW, Elizabeth. Inglês para processamento de


dados: textos sobre computação, exercícios de compreensão, siglas, abreviações
e glossário. São Paulo: Editora Atlas, 1996.

GARDINI, Giacomo; LIMA, Norberto de Paula. Dicionário de eletrônica:


inglês/ português. São Paulo: Hemus, 2003.

GLENDINNING, Eric H.; McEWAN, John. Oxford English for information


technology. Oxford: Oxford University Press, 2002.

INSTAGRAM. Disponível em: <http://instagram.com/about/faq/>. Acesso em: 14


dez. 2013.

188
JONES, Leo; ALEXANDER, Richard. New international business English.
Cambridge: Cambridge University Press, 1989.

MURPHY, Raymond. Essential grammar in use. Cambridge: Cambridge


University Press, 1997.

KLEIMAN, A. B. (Org). Os significados do letramento. Campinas, SP: Mercado


de Letras, 1995.

_____. Letramento e suas implicações para o estudo de língua materna. Signo,


v. 32, n. 53, p. 1-25, 2007.

LE TROCA. Disponível em: <http://www.letroca-game.com/>. Acesso em: 10


dez. 2013.

LEFFA, V. J. A aprendizagem de línguas mediada por computador. In: Vilson


J. Leffa (Org.). Pesquisa em linguística Aplicada: temas e métodos. Pelotas:
Educat, 2006, p. 11- 36. Disponível em: <www.leffa.pro.br/textos/trabalhos/B_
Leffa_CALL_HP.pdf>. Acesso em: 15 maio 2010.

_____. O ensino do inglês no futuro: da dicotomia para a convergência. In:


STEVENS, Cristina Maria Teixeira; CUNHA, Maria Jandyra Cavalcanti.
Caminhos e colheita: ensino e pesquisa na área de inglês no Brasil. Brasília:
Editora UnB, 2003. p. 225-250.

LÉVY, Pierre. As tecnologias da inteligência: o futuro do pensamento na era


da informática. Tradução de Carlos Irineu da Costa. 13. ed. São Paulo: 34, 1993,
208p.

_____. Cibercultura. Tradução de Carlos Irineu da Costa. São Paulo: 34, 1999,
269p.

MEIRELES, Olívia. Disponível em: <http://zerohora.clicrbs.com.br/rs/vida-e-


estilo/donna/noticia/2010/07/criado-para-ser-uma-unidade-de-medida-o-arroba-
virou-simbolo-dos-tempos-modernos-2972200.html>. Acesso em: 10 fev. 2014.

MOREIRA, F. H. S. A evolução do uso do computador no ensino de


línguas. Revista Letras, Curitiba, n. 59, p. 281-290, jan./jun. 2003. Editora
UFPR. Disponível em: <http://ojs.c3sl.ufpr.br/ojs2/index.php/letras/article/
download/2854/2336>. Acesso em: 3 jul. 2013.

189
MEU INGLÊS. Disponível em: <http://www.meuingles.com/teste-ingles-gratis/>.
Acesso em: 10 dez. 2013.

PARKER, J.; STAHEL, M. Password: English dictionary for speakers of


portuguese. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

PORTAL DA LÍNGUA PORTUGUESA. Disponível em: <http://www.


portaldalinguaportuguesa.org/index.php?action=loanwords&&page=present>.
Acesso em: 7 dez. 2013.

SCHUTZ, Ricardo. “Words of Connection (Conectivos)”. English Made in


Brazil. Disponível em: <http://www.sk.com.br/sk-conn.html>. Acesso em: 2 fev.
2014.

SOARES, Magda. Letramento: um tema em três gêneros. Belo Horizonte:


Autêntica, 1999.

_____. Letramento e alfabetização: as muitas facetas. Anais da 26ª Reunião


Anual da ANPEd. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rbedu/n25/n25a01.
pdf/>. Acesso em: 12 maio 2012.

SOUNDS PRONUCIATION. Disponível em: <http://www.soundspronapp.


com/>. Acesso em: 10 dez. 2013.

SPEAK ENGLISH. Disponível em: <https://play.google.com/store/apps/


details?id=com.bluedroiddev.speakenglish>. Acesso em: 10 dez. 2013.

SÓ LÍNGUA INGLESA. Disponível em: <http://www.solinguainglesa.com.br/


conteudo/falsos_cognatos1.php>. Acesso em: 10 jan. 2014.

TORRES, Décio; SILVA, Alba Valéria; ROSAS, Marta. Inglês com textos para
informática. São Paulo: Disal Editora, 2003.

TORRES, Nelson. Gramática prática da língua inglesa: o inglês descomplicado.


9. ed. Saraiva, 2007.

TUCK, Michael. Oxford dictionary for computing learner English. Oxford:


Oxford, 2002.

UNILEARNING. Disponível em: <http://unilearning.uow.edu.au/report/4b.


html>. Acesso em: 10 jan. 2014.

190
VISUAL ECONOMICS. Disponível em: <http://visualeconomics.creditloan.
com/>. Acesso em: 12 dez. 2013.

VOCABULÁRIO INGLÊS AVANÇADO. Disponível em: <https://play.google.


com/store/apps/details?id=com.oman.ln4kids&hl=pt_BR>. Acesso em: 10 dez.
2013.

VOLTOLINI, Denise. Práticas de letramento digital na aprendizagem de


língua inglesa: a voz de professores em formação inicial, 2013. Dissertação
(Mestrado em Educação) – Pós-Graduação em Educação da Universidade
Regional de Blumenau – FURB, Blumenau, 2013.

WHATSAPP. Disponível em: <https://itunes.apple.com/us/app/whatsapp-


messenger/id310633997?mt=8>. Acesso em: 1 dez. 2013.

WHITE HOUSE. Disponível em: <http://www.whitehouse.gov/blog/2011/10/05/


president-obama-passing-steve-jobs-he-changed-way-each-us-sees-world>.
Acesso em: 8 dez. 2013.

WIKIPEDIA. Disponível em: <http://en.wikipedia.org/wiki/Multimedia>. Acesso


em: 5 jan. 2014.

WINDOWS MICROSOFT. Disponível em: <http://windows.microsoft.com/en-


us/windows/introduction-to-computers#1TC=windows-7>. Acesso em: 6 jan.
2014.

YOUTUBE. Disponível em: <http://www.youtube.com/watch?v=48pqa-dTxls>.


Acesso em: 14 jan. 2014.

191
192
ANOTAÇÕES

____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________

193
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________
____________________________________________________________
194