Você está na página 1de 30

N. Gregory Mankiw

Introdução à Economia
Introdução à
Economia

Tradução da 6a. edição norte-americana

36
36

Seis debates sobre a

política macroeconômica

© 2013 Cengage Learning. All Rights Reserved. May not be copied, scanned, or duplicated, in whole or in part, except for use as permitted in a license distributed with a certain product or service or otherwise on a password-protected website for classroom use.

Depois de ler este capítulo, responda às

seguintes questões:

Quais são os argumentos de ambos os lados de cada

debate?

Os formuladores de políticas devem tentar estabilizar a economia?

Deveria a política fiscal combater recessões com aumentos de gastos ou cortes de imposto?

Deve a política monetária ser feita por regra ou critério?

Deve o objetivo do banco central ser a inflação zero?

O governo deveria equilibrar seu orçamento?

Devem as leis fiscais serem reformadas para incentivar a

poupança?

© 2013 Cengage Learning. Todos os direitos reservados. Não pode ser copiado, escaneado, ou duplicado, no todo ou em parte, exceto para uso como permitido em uma licença distribuída com um certo produto ou serviço ou de outra forma em um website l

id

h

11

Introdução

Este curso introduziu você aos instrumentos que

os economistas usam para analisar o

comportamento da economia como um todo e o impacto das políticas públicas na economia.

Este capítulo final apresenta ambos os lados em

seis debates clássicos sobre a política macroeconômica.

© 2013 Cengage Learning. Todos os direitos reservados. Não pode ser copiado, escaneado, ou duplicado, no todo ou em parte, exceto para uso como permitido em uma licença distribuída com um certo produto ou serviço ou de outra forma em um website h

id

l

22

1.

Os formuladores de políticas monetária e fiscal

deveriam tentar estabilizar a economia?

Argumentos para estabilização ativa:

Deixadas por conta própria, as economias tendem a flutuar. Por exemplo, o pessimismo das famílias e empresas

provoca uma queda na demanda agregada, o que

provoca uma recessão.

Os formuladores de políticas podem “se inclinar contra o vento”, ou seja, usar a política monetária e fiscal

para estabilizar a demanda agregada, a produção e o

emprego.

Uma economia mais estável beneficia a todos.

© 2013 Cengage Learning. Todos os direitos reservados. Não pode ser copiado, escaneado, ou duplicado, no todo ou em parte, exceto para uso como permitido em uma licença distribuída com um certo produto ou serviço ou de outra forma em um website l

id

h

33

1. Os formuladores de políticas monetária e fiscal deveriam tentar estabilizar a economia?

Argumentos contra estabilização ativa:

Trabalho de política monetária e fiscal, com longos atrasos, para a política deve agir com antecedência de mudanças econômicas.

Mas os choques que causam flutuações são imprevisíveis, e a previsão é altamente impreciso.

Se a política tem efeito muito tardio, vão piorar as flutuações.

Deve-se, então, deixar a economia para seus próprios dispositivos.

© 2013 Cengage Learning. Todos os direitos reservados. Não pode ser copiado, escaneado, ou duplicado, no todo ou em parte, exceto para uso como permitido em uma licença distribuída com um certo produto ou serviço ou de outra forma em um website l

id

h

44

APRENDIZAGEM ATIVA 1 Política de estabilização ativa
APRENDIZAGEM ATIVA 1
Política de estabilização ativa

Você seria mais propenso a apoiar a política de

estabilização ativa se os salários, preços e

expectativas ajustarem rapidamente em resposta a mudanças econômicas, ou se

ajustarem lentamente?

© 2013 Cengage Learning. Todos os direitos reservados. Não pode ser copiado, escaneado, ou duplicado, no todo ou em parte, exceto para uso como permitido em uma licença distribuída com um certo produto ou serviço ou de outra forma em um website id

h

l

APRENDIZAGEM ATIVA 1 Respostas
APRENDIZAGEM ATIVA 1
Respostas

Se os salários, preços e expectativas ajustarem

lentamente, levará mais tempo para que a

economia volte a suas taxas naturais de produção e emprego.

Nesse caso, há uma melhor chance de que a

política expansionista agirá a tempo para aliviar a recessão, em vez de empurrar a economia

para um boom inflacionário.

© 2013 Cengage Learning. Todos os direitos reservados. Não pode ser copiado, escaneado, ou duplicado, no todo ou em parte, exceto para uso como permitido em uma licença distribuída com um certo produto ou serviço ou de outra forma em um website h

id

l

2. O Governo Deveria Combater as Recessões Mediante o Aumento dos Gastos em vez do corte dos Impostos?

Argumentos para combater recessões com gastos:

Cada $ do governo gasto acrescenta diretamente a demanda agregada mas apenas parte de cada $ de

um corte de impostos faz os consumidores

economizarem parte disso.

Como a maioria dos estados deve conservar

orçamentos equilibrados, gastos federais que dão

aos estados podem prevenir os mesmos de demitir funcionários públicos, salvando empregos.

© 2013 Cengage Learning. Todos os direitos reservados. Não pode ser copiado, escaneado, ou duplicado, no todo ou em parte, exceto para uso como permitido em uma licença distribuída com um certo produto ou serviço ou de outra forma em um website l

id

h

77

2. O Governo Deveria Combater as Recessões Mediante o Aumento dos Gastos em vez do corte dos Impostos?

Argumentos para combater recessões com cortes de impostos:

Cortes de impostos aumentam a renda disponível das famílias e, portanto, aumentam os gastos de consumo.

Cortes de impostos podem aumentar a demanda agregada

com incentivos - como o crédito fiscal ao investimento.

Cortes de impostos podem aumentar oferta agregada, aumentando o incentivo para trabalhar e produzir serviços e

bens.

Rápidos aumentos de gastos podem ser um desperdício ("pontes para lugar nenhum") e exigirão futuros aumentos de impostos.

© 2013 Cengage Learning. Todos os direitos reservados. Não pode ser copiado, escaneado, ou duplicado, no todo ou em parte, exceto para uso como permitido em uma licença distribuída com um certo produto ou serviço ou de outra forma em um website l

id

h

88

3. A política monetária deveria ser feita por regras, e não

discricionariamente?

A Reserva Federal tem quase completa

discrição sobre a política monetária.

Alguns argumentam que o Fed deve ser forçado a seguir uma regra, como:

Taxa de crescimento da moeda constante.

Metas de inflação:

aumento da taxa de crescimento da moeda se a inflação está abaixo da meta;

diminuição da taxa de crescimento da

moeda se a inflação está acima da meta.

© 2013 Cengage Learning. Todos os direitos reservados. Não pode ser copiado, escaneado, ou duplicado, no todo ou em parte, exceto para uso como permitido em uma licença distribuída com um certo produto ou serviço ou de outra forma em um website l

id

h

99

3. A política monetária deveria ser feita por regras, e não discricionariamente?

Argumentos contra discrição:

Permitindo poder discricionário aos banqueiros centrais poderia causar um grande dano se eles forem incompetentes.

Discrição permite a possibilidade de abuso.

Por exemplo, usar a política monetária para influenciar os resultados eleitorais, causando flutuações chamadas

ciclo de negócios políticos”.

Os banqueiros centrais que prometem estabilidade de preços podem voltar atrás se uma recessão ocorrer.

Tempo inconsistente: a discrepância entre a

política real e política anunciada.

© 2013 Cengage Learning. Todos os direitos reservados. Não pode ser copiado, escaneado, ou duplicado, no todo ou em parte, exceto para uso como permitido em uma licença distribuída com um certo produto ou serviço ou de outra forma em um website l

id

h

1010

3. A política monetária deveria ser feita por regras, e não discricionariamente?

Argumentos pela discrição:

Discrição permite flexibilidade para reagir a

acontecimentos imprevistos.

Ciclos de negócios políticos e tempo inconsistente são possibilidades teóricas, mas não são tão importantes na prática.

É difícil especificar regras de precisão e determinar qual seria a melhor regra.

© 2013 Cengage Learning. Todos os direitos reservados. Não pode ser copiado, escaneado, ou duplicado, no todo ou em parte, exceto para uso como permitido em uma licença distribuída com um certo produto ou serviço ou de outra forma em um website l

id

h

1111

4. O banco central deveria buscar a inflação zero?

Lembre-se de dois dos Dez Princípios de

Economia do Capítulo 1:

Os preços sobem quando o governo emite moeda demais.

A sociedade enfrenta um tradeoff de curto

prazo entre inflação e desemprego.

Quanto de inflação deve o banco central aceitar? É a inflação zero o alvo certo?

© 2013 Cengage Learning. Todos os direitos reservados. Não pode ser copiado, escaneado, ou duplicado, no todo ou em parte, exceto para uso como permitido em uma licença distribuída com um certo produto ou serviço ou de outra forma em um website l

id

h

1212

4. O banco central deveria buscar a inflação zero?

Argumentos a favor:

Os custos da inflação (sola de sapato, menu etc.)

pode ser substancial, mesmo para inflação baixa. Alcançar inflação zero teria custos temporários (aumento do desemprego), mas os benefícios permanentes.

E esses custos poderiam ser reduzidos se o compromisso de inflação zero é plausível (redução da taxa de inflação esperada).

© 2013 Cengage Learning. Todos os direitos reservados. Não pode ser copiado, escaneado, ou duplicado, no todo ou em parte, exceto para uso como permitido em uma licença distribuída com um certo produto ou serviço ou de outra forma em um website l

id

h

1313

4. O banco central deveria buscar a inflação zero?

Argumentos contra o objetivo da inflação zero:

Os benefícios da mudança de inflação moderada para zero são pequenos, mas os custos são grandes:

Estimativas: devemos sacrificar 5% do PIB de um ano para cada redução de 1% na inflação.

A deflação deixaria cicatrizes permanentes:

quedas de investimento, diminuindo o futuro do

capital social;

qualificações dos trabalhadores diminui como desempregado.

Alguns dos custos da inflação poderiam ser reduzidos por meio de indexação mais difundida.

© 2013 Cengage Learning. Todos os direitos reservados. Não pode ser copiado, escaneado, ou duplicado, no todo ou em parte, exceto para uso como permitido em uma licença distribuída com um certo produto ou serviço ou de outra forma em um website l

id

h

1414

APRENDIZAGEM ATIVA 2 Outra questão no debate de inflação zero
APRENDIZAGEM ATIVA 2
Outra questão no debate de inflação zero

Suponha que uma mudança estrutural reduz a

demanda por administradores universitários,

diminuindo o seu equilíbrio real dos salários em

3%.

A. Se o salário real atual pago aos administradores

universitários permanece constante, quais seriam as consequências?

B. Seria mais fácil alcançar a redução de 3% do

salário real, se a taxa de inflação é de 0%, ou se ela é de 4%? Por quê?

© 2013 Cengage Learning. Todos os direitos reservados. Não pode ser copiado, escaneado, ou duplicado, no todo ou em parte, exceto para uso como permitido em uma licença distribuída com um certo produto ou serviço ou de outra forma em um website h

id

l

APRENDIZAGEM ATIVA 2 Respostas
APRENDIZAGEM ATIVA 2
Respostas

A. Se o salário real atual pago aos administradores universitários permanece constante, quais seriam

as consequências?

Sempre que o salário real atual excede o salário real de equilíbrio, há um excedente de mão de obra, o que representa desperdício de recursos.

A queda no salário aliviaria o excedente:

Encorajaria alguns administradores a mudar para o emprego no ensino universitário ou setor privado.

Aumentaria a quantidade exigida de administradores.

© 2013 Cengage Learning. Todos os direitos reservados. Não pode ser copiado, escaneado, ou duplicado, no todo ou em parte, exceto para uso como permitido em uma licença distribuída com um certo produto ou serviço ou de outra forma em um website l

id

h

APRENDIZAGEM ATIVA 2 Respostas
APRENDIZAGEM ATIVA 2
Respostas

B. Seria mais fácil alcançar a redução de 3% do

salário real, se a taxa de inflação é de 0%, ou se

ela é de 4%? Por quê?

Para restaurar o equilíbrio do mercado de trabalho

sob a inflação de 0%, os administradores teriam

de aceitar um corte de 3% do salário nominal.

De acordo com a inflação de 4%, eles teriam de

aceitar um aumento de 1% do salário nominal.

O segundo cenário é o mais provável, como muitas pessoas sofrem de "ilusão monetária" e se

concentrar em variáveis nominais em vez de reais.

© 2013 Cengage Learning. Todos os direitos reservados. Não pode ser copiado, escaneado, ou duplicado, no todo ou em parte, exceto para uso como permitido em uma licença distribuída com um certo produto ou serviço ou de outra forma em um website l

id

h

5. O governo deveria equilibrar seu orçamento?

Argumentos a favor do equilíbrio do orçamento:

Dívida do governo coloca um fardo para as gerações futuras.

Os déficits orçamentários lotam os investimentos,

reduzindo o crescimento e futuros padrões de

vida.

Os déficits podem ser justificados durante as

recessões ou as guerras, a dívida crescente em

tempos de paz das últimas décadas é insustentável e prejudicial.

© 2013 Cengage Learning. Todos os direitos reservados. Não pode ser copiado, escaneado, ou duplicado, no todo ou em parte, exceto para uso como permitido em uma licença distribuída com um certo produto ou serviço ou de outra forma em um website l

id

h

1818

5. O governo deveria equilibrar seu orçamento?

Argumentos contra o equilíbrio do orçamento:

O peso da dívida do Governo é exagerado,

é apenas uma pequena % do lucro da vida de uma

pessoa.

Cortar o déficit poderia fazer mais mal que bem:

Cortando educação reduziria a acumulação de capital

humano e futuros padrões de vida.

Aumento de impostos reduz os incentivos para trabalhar e poupar.

Centrando-se no déficit desvia-se a atenção de outros

programas que redistribuir renda pelas gerações, como a

Segurança Social.

Relação dívida / renda mais relevante que a própria dívida.

© 2013 Cengage Learning. Todos os direitos reservados. Não pode ser copiado, escaneado, ou duplicado, no todo ou em parte, exceto para uso como permitido em uma licença distribuída com um certo produto ou serviço ou de outra forma em um website l

id

h

1919

6. A Legislação Tributária deveria ser reformada para estimular a

poupança?

Argumentos pela reforma fiscal para incentivar a

poupança:

Um dos Dez Princípios da Economia:

Um padrão de vida de uma nação depende

da capacidade de produzir serviços e bens.

Economia maior oferece mais recursos para a

acumulação de capital, o que aumenta os padrões

de produtividade e de vida.

© 2013 Cengage Learning. Todos os direitos reservados. Não pode ser copiado, escaneado, ou duplicado, no todo ou em parte, exceto para uso como permitido em uma licença distribuída com um certo produto ou serviço ou de outra forma em um website l

id

h

2020

6. A Legislação Tributária deveria ser reformada para estimular a poupança?

Argumentos pela reforma fiscal para incentivar a poupança:

Outro dos Dez Princípios de Economia:

Pessoas respondem a incentivos.

O atual sistema tributário dos EUA desencoraja poupança:

Taxas marginais de imposto elevadas reduzem retorno

sobre a poupança.

Algumas poupanças são tributadas duas vezes (como renda e, novamente, como a renda pessoal).

Impostos altos sobre heranças (até 55%!).

Sugestão: substituir o imposto de renda com um imposto

sobre o consumo para aumentar o incentivo para poupar.

© 2013 Cengage Learning. Todos os direitos reservados. Não pode ser copiado, escaneado, ou duplicado, no todo ou em parte, exceto para uso como permitido em uma licença distribuída com um certo produto ou serviço ou de outra forma em um website l

id

h

2121

APRENDIZAGEM ATIVA 3

Mudar para um imposto sobre o consumo
Mudar para um imposto sobre o
consumo

Suponha que o imposto de renda fosse trocado

por um imposto sobre o consumo, e a taxa de

imposto foi escolhida cuidadosamente para garantir que a carga tributária média da pessoa

permaneça inalterada.

Quem seria beneficiado? Quem seria pior?

© 2013 Cengage Learning. Todos os direitos reservados. Não pode ser copiado, escaneado, ou duplicado, no todo ou em parte, exceto para uso como permitido em uma licença distribuída com um certo produto ou serviço ou de outra forma em um website h

id

l

APRENDIZAGEM ATIVA 3 Respostas
APRENDIZAGEM ATIVA 3
Respostas

As pessoas com rendimentos mais elevados

poupariam uma maior percentagem de seus

rendimentos, assim se beneficiariam mais com esta mudança.

Pessoas com baixa renda usariam a maioria ou todos os seus rendimentos para consumo e seria pior.

(É por isso que a maioria das propostas de

consumo inclui isenções fiscais para as necessidades, como mantimentos, que compõem uma parcela maior dos orçamentos das pessoas de

baixa renda.)

© 2013 Cengage Learning. Todos os direitos reservados. Não pode ser copiado, escaneado, ou duplicado, no todo ou em parte, exceto para uso como permitido em uma licença distribuída com um certo produto ou serviço ou de outra forma em um website l

id

h

6. A Legislação Tributária deveria ser reformada para estimular a poupança?

Argumentos contra a reforma fiscal para incentivar a

poupança:

Tal reforma tributária beneficiaria principalmente os ricos, que precisam de menos alívio fiscal.

As estimativas da elasticidade da taxa de juros da

poupança são baixos, então os incentivos fiscais não

podem aumentar economizando muito.

Reduzir os impostos sobre os rendimentos de capital pode

aumentar o déficit orçamentário do Governo, negando os

altos benefícios da poupança privada.

Sugestão: aumentar a poupança nacional diretamente pela redução do déficit orçamentário.

© 2013 Cengage Learning. Todos os direitos reservados. Não pode ser copiado, escaneado, ou duplicado, no todo ou em parte, exceto para uso como permitido em uma licença distribuída com um certo produto ou serviço ou de outra forma em um website l

id

h

2424

CONCLUSÃO

Economia nos ensina que não há nada melhor

que um almoço grátis”. Há poucas respostas

fáceis e muitas questões não resolvidas.

Elaborar a melhor política exige saber os prós e

contras de cada alternativa.

Ser um eleitor informado requer a capacidade de avaliar as propostas políticas dos candidatos.

Conhecer os princípios da economia ajuda nesses

empreendimentos.

© 2013 Cengage Learning. Todos os direitos reservados. Não pode ser copiado, escaneado, ou duplicado, no todo ou em parte, exceto para uso como permitido em uma licença distribuída com um certo produto ou serviço ou de outra forma em um website l

id

h

2525

R E S UMO

Os defensores da política ativa argumentam que a

economia é inerentemente instável e acreditam que

a política pode gerenciar a demanda agregada para ajudar a estabilizar a produção e o emprego. Críticos da política ativa observam que as políticas

agem com longos atrasos e pode acabar

desestabilizando a economia em vez de ajudá-la.

Os defensores de regras da política monetária argumentam que a política discricionária pode ser

afetada por incompetência, abuso e inconsistência

temporal. Críticos das regras argumentam que a flexibilidade do critério é importante para responder à evolução das circunstâncias econômicas.

© 2013 Cengage Learning. Todos os direitos reservados. Não pode ser copiado, escaneado, ou duplicado, no todo ou em parte, exceto para uso como permitido em uma licença distribuída com um certo produto ou serviço ou de outra forma em um website l

id

h

R E S UMO

Defensores da luta contra a recessão com

aumentos de gastos, em vez de cortes de

impostos argumentam que o gasto tem um efeito

maior sobre a demanda agregada, uma vez que as famílias não podem gastar tudo de uma

redução de impostos. Defensores da luta contra a recessão com cortes fiscais alegam que os aumentos de gastos implementados

apressadamente podem ser um desperdício, e

que os cortes de impostos têm efeitos benéficos sobre o incentivo tanto para a demanda quanto

para a oferta.

© 2013 Cengage Learning. Todos os direitos reservados. Não pode ser copiado, escaneado, ou duplicado, no todo ou em parte, exceto para uso como permitido em uma licença distribuída com um certo produto ou serviço ou de outra forma em um website l

id

h

R E S UMO

Os defensores da inflação zero argumentam que a

inflação tem muitos custos e nenhum benefício. Os

custos de atingir inflação zero são temporários, enquanto os benefícios são permanentes. Críticos afirmam que os custos de inflação baixa são

pequenos, enquanto a recessão necessária para

reduzir a inflação é muito cara.

Defensores do equilíbrio do orçamento nota que os déficits põe a carga de gerações futuras

aumentando os impostos e reduzindo os seus

rendimentos. Os críticos argumentam que o déficit é apenas uma parte da política fiscal e deve ser considerado em um contexto mais amplo.

© 2013 Cengage Learning. Todos os direitos reservados. Não pode ser copiado, escaneado, ou duplicado, no todo ou em parte, exceto para uso como permitido em uma licença distribuída com um certo produto ou serviço ou de outra forma em um website l

id

h

R E S UMO

Os defensores da reforma das leis fiscais para

incentivar a poupança, note que as leis tributárias

atuais desencorajam a poupança. Economia maior seria aumentar o investimento, o crescimento da produtividade e futuros padrões de vida. Os críticos argumentam que tais reformas beneficiariam principalmente os ricos, e que tais mudanças podem ter apenas um pequeno efeito

sobre a poupança. Eles sentem que a redução do

déficit orçamental seria uma maneira mais eficaz e mais equitativa para aumentar a poupança nacional.

© 2013 Cengage Learning. Todos os direitos reservados. Não pode ser copiado, escaneado, ou duplicado, no todo ou em parte, exceto para uso como permitido em uma licença distribuída com um certo produto ou serviço ou de outra forma em um website l

id

h