Você está na página 1de 88

SUMÁRIO

Por que ler o guia? ........................................................................................................................................................ 43

Obras Disciplinares ........................................................................................................................................................ 65

Princípios e critérios ...................................................................................................................................................1413

Coleções aprovadas ...................................................................................................................................................1817

Ficha de avaliação .................................................................................................................................................... 2524

Referências .................................................................................................................................................................4645

Equipe .......................................................................................................................................................................... 4746

Resenhas .................................................................................................................................................................... 4948

Aprendendo com Projetos.................................................................................................................................... 5049

AR – Aprender e Relacionar: Projetos Integradores...................................................................................... 5756

Da Escola para o Mundo: Projetos Integradores ............................................................................................6463

Nosso Livro de Projetos Integradores ................................................................................................................. 7271

Projeto Integrador Cidadania em Ação ............................................................................................................ 8079

Por que ler o guia? .......................................................................................................................................................... 3

Obras Disciplinares .......................................................................................................................................................... 5

Princípios e critérios ....................................................................................................................................................... 13

Coleções aprovadas ....................................................................................................................................................... 17

Ficha de avaliação ......................................................................................................................................................... 24

Referências ...................................................................................................................................................................... 45
Equipe .............................................................................................................................................................................. 46

Resenhas ......................................................................................................................................................................... 48

Aprendendo com Projetos......................................................................................................................................... 49

AR – Aprender e Relacionar: Projetos Integradores........................................................................................... 56

Da Escola para o Mundo: Projetos Integradores ................................................................................................. 63

Nosso Livro de Projetos Integradores ..................................................................................................................... 71

Projeto Integrador Cidadania em Ação .................................................................................................................. 79


PNLD 2019

Por que ler o guia?

Prezado(a) Professor(a),

O Guia do PNLD 2019 - Projetos Integradores tem como objetivo auxiliar no processo de escolha dos
livros didáticos que subsidiam o trabalho do(a) professor(a) nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental.
Possibilita contato inicial com as coleções de Projetos Integradores, disponibilizadas pelo PNLD 2019
para que, a partir da leitura e análise das resenhas, você e seus colegas possam definir suas escolhas.

Destaca-se, pela primeira vez, a oferta dos Livros de Projetos Integradores. Entendemos a
importância desse material para o desenvolvimento de propostas que favoreçam a investigação e
mobilizem a curiosidade dos estudantes. As coleções propostas visam auxiliar o planejamento das
ações pedagógicas que incluem a perspectiva de projetos em articulação com a Base Nacional
Comum Curricular. Elas oferecem detalhamento da proposta de trabalho com projetos, tanto em
relação a orientações ao professor, no Manual do Professor, quanto os encaminhamentos para o
trabalho dos estudantes do 1º ao 5º ano do Ensino Fundamental, nos Livros do Estudante.

O Guia contém as obras avaliadas por profissionais, escolhidos entre aqueles inscritos no Banco de
Avaliadores do MEC. São professores com experiências em espaços pedagógicos que articulam
interdisciplinarmente conhecimentos de diferentes componentes curriculares. Alguns inclusive,
docentes da escola básica com vivências em atividades com projetos.

Para orientar as decisões, o Guia traz um importante documento: a resenha. Ela informa sobre as
características de cada coleção. No caso dos Projetos Integradores, as resenhas, uma para cada
coleção, esclarecem sobre as possibilidades e limites das coleções. Seu texto informa sobre
concepções, abordagens metodológicas, conteúdos e práticas. Representam as alternativas
propostas pelas coleções ofertadas a você, professor(a). A leitura atenta das resenhas permite que
os(as) professores(as) possam optar por aquela que melhor se adéqua ao seu trabalho pedagógico,
considerando o Projeto Político Pedagógico de sua escola.

Nesse sentido, as resenhas de cada coleção, exibem quatro itens que auxiliam na escolha dos Livros
Didáticos. No item Visão Geral são descritas as características gerais da coleção; o
item Descrição informa sobre o conteúdo, com base nos sumários do Livro do Estudante e do
Manual do Professor; a Análise reflete sobre a proposta pedagógica da coleção, os temas comuns
4
PNLD 2019

e/ou contemporâneos, a articulação dos conteúdos entre si, bem como os componentes curriculares,
em relação com BNCC. Em Sala de Aula, orienta o professor sobre a necessidade de aprofundar ou
incluir temas, conteúdos ou abordagens em seu planejamento, caso opte por aquela coleção.

Assim, espera-se que as resenhas possam contribuir para debates e reflexões nas escolas e
privilegiem escolhas que considerem os contextos, as singularidades e os sujeitos do processo.

Nosso convite, professor(a), é também, para que as resenhas, se constituam em espaços para estudo,
compartilhamento, tomadas de decisão e reflexão sobre o processo de ensino e aprendizagem dos
estudantes dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental.

Boa leitura!

5
PNLD 2019

Obras Disciplinares

Ensinar e aprender, no século XXI, tem sido cada vez mais complexo dada a quantidade de fatores
intervenientes nesses processos. Talvez essa complexidade não seja privilégio deste tempo, porque
ensinar não é uma tarefa fácil, independentemente do nível de escolarização em que se encontram
os(as) alunos(as). Ser professor(a), ainda que em outros tempos e espaços, sempre foi uma tarefa
extenuante e, por isso, exige um movimento que expresse compromisso social e competência
profissional. Há que desenvolver práticas que possibilitem a autoprodução dos sujeitos e que tornem
a sala de aula o lugar onde se promove a cidadania e a compreensão do mundo.

Em tempo de novas tecnologias da informação, de sofisticação dos equipamentos e de rapidez de


contatos e disseminação de conhecimentos, as transformações são muito mais velozes. Afinal, que
escola é essa que ignora o movimento do mundo, o surgimento das novas teorias científicas, as
rápidas transformações e variedade e quantidade de meios que produzem informações, bem como
as novas formas de considerar os processos identitários dos sujeitos? A complexidade e a
imprevisibilidade se tornam características mais perceptíveis.

Ainda hoje, o descompasso entre aquilo que a escola ensina e as condições necessárias para
compreensão do mundo em que se vive permanece. É significativo perceber alunos(as)
desmotivados(as), professores(as) frustrados(as), gestores(as) desanimados(as), pais descontentes
com a aprendizagem de seus filhos, indisciplina, violência, enfim, a sociedade criticando fortemente
essa instituição. Estamos formando sujeitos cada vez menos conscientes de seu papel social, sujeitos
que repetem as informações sem entender os seus contextos e, por isso, pouco conhecem do mundo
em que vivem.

A escola deste tempo precisa focar-se na formação integral dos(as) estudantes da educação básica
e, por isso, repensar seu papel de repassadora de informações. Sua preocupação precisa ir além disso,
porque essas informações estão disponíveis em diferentes meios e com acesso facilitado, tanto pela
internet quanto pelas mídias. Isto significa que os currículos que veiculam conteúdos isolados pouco
ajudam na formação das crianças e jovens.

A formação cidadã proposta nos documentos legais exige posicionamento frente à complexidade
dos contextos contemporâneos. Isto remete a situações que valorizem as práticas pedagógicas que

6
PNLD 2019

contextualizem as informações, dando sentido às aprendizagens escolares. Pensar um ensino básico


que considere outras dinâmicas do universo escolar que não parecem ligadas às especificidades da
disciplina, mas que interferem muito naquilo que é produzido como prática escolar. Daí a importância
de produzir materiais afinados com essa concepção, àqueles que evidenciem currículos como
temáticas integradas.

Os princípios que produzem cidadãos deste espaço-tempo, o século XXI, são aqueles que promovem
a articulação de informações na perspectiva integradora, contemplando a investigação, o interesse e
a participação, aspectos privilegiados no trabalho com projetos integradores. Tal perspectiva
pedagógica rompe com visões lineares e contribui para formação integral do(a) estudante. Ao
mobilizar saberes, favorecer o desenvolvimento de habilidades e competências produz sujeitos que
compreendem a complexidade das sociedades, para nelas se movimentarem. A escola os prepara
para enfrentar os desafios da contemporaneidade. Propõe a criação de espaço onde ensinar e
aprender favoreçam a construção de conhecimentos integrados, valorizando as temáticas e práticas
pedagógicas das diferentes áreas do conhecimento.

Os Projetos Integradores surgem, no âmbito do PNLD, pela primeira vez, como importante
contribuição para superação da fragmentação disciplinar, quase sempre proposta nos currículos
escolares. Também quer auxiliar o(a) professor(a) na construção de propostas de ensino e
aprendizagem que foquem no conhecimento contextualizado, na busca do sentido dos conteúdos
escolares e no protagonismo dos(as) estudantes. Tal orientação visa encaminhar um ensino que
privilegie a igualdade, diversidade e equidade e considere as singularidades tanto dos sujeitos quanto
dos espaços em que estão inseridos.

As obras de Projetos Integradores, disponibilizadas aos(às) professores(as), constituem uma


novidade no PNLD 2019 e apresentam-se como alternativa de trabalho que orienta o currículo na
perspectiva globalizadora. A finalidade dessas obras, portanto, é apoiar o trabalho pedagógico que
privilegie o olhar integrador. Para tanto, orientam o processo de planejamento, execução e avaliação
das ações, devendo, sobretudo, ter papel significativo na proposição de práticas inovadoras,
estimulantes e eficazes na consecução desse objetivo.

Os Projetos Integradores criam espaços para que os direitos de aprendizagem e desenvolvimento


sejam assegurados, com vista a uma formação humana e integral dos alunos da Educação Básica.
Eles valorizam conhecimentos prévios, experiências em diferentes contextos e vivências cotidianas.
Tais características, ainda que presentes na maioria dos textos teóricos que refletem sobre educação,
como práticas efetivas no cotidiano das salas de aula do país, continuam escassas.
7
PNLD 2019

Enquanto proposta, os projetos integradores representam outra possibilidade de promover


situações de aprendizagem que instiguem a efetiva apropriação dos conhecimentos e aproximem
o(a) professor(a) dos interesses e curiosidades dos(as) estudantes, dando sentido aos conteúdos
curriculares e contribuam na formação integral.

Trabalhar com temáticas que valorizam os interesses dos(as) estudantes, privilegiando suas
curiosidades, interesses e cotidianos dando sentido ao estudar, a escola resgata sua principal função:
o lugar da aprendizagem. Assim interessados(as), os(as) estudantes buscam novas informações,
conhecimentos e aprendizagens. As possibilidades de aprender se ampliam criando condições ao
desenvolvimento de conceitos e habilidades ainda mais complexos, tendo em vista as situações
desafiadoras vivenciadas.

A perspectiva que respeita necessidades e interesses dos(as) alunos(as) remete aos assuntos
variados, talvez até contemplados pelas propostas mais tradicionais. O que se destaca é a concepção
proposta para ensinar e aprender. Nos projetos, as temáticas emergem de questionamentos
vinculados aos lugares em que vivem, as transformações do seu corpo, as brincadeiras que
participam, aos animais com os quais interagem, as relações com as outras pessoas, as mudanças da
natureza, aos valores culturais da comunidade, entre tantas outras possibilidades de construir
aprendizados com sentido e que efetivamente contribuam para a formação cidadã.

Na sala de aula, o trabalho com projetos desencadeia animação, envolvimento, elementos


indispensáveis para a aprendizagem, a qual é potencializada se o(a) professor(a) consegue
transformar as curiosidades e interesses em questões de investigação. As propostas pedagógicas
que reconhecem as curiosidades genuínas das crianças qualificam o ensino. Elas aproximam os
interesses dos(as) estudantes daquilo que se pretende ensinar e com isto entusiasmam, encantam e
mobilizam para o desafio proposto.

Ensinar tendo como horizonte balizador o envolvimento é caminho para o êxito da aprendizagem.
Os projetos, na medida em que partem de indagações, podem “entreter” os(as) estudantes
aproximando-os(as) da escola e do conhecimento. Para além da perspectiva integradora, a palavra
projeto remete a projetar, a planejar, a movimentar-se em direção a um objetivo estabelecendo
conexões e ligações para compreender os contextos. Carrega a ideia de dinamicidade e movimento,
remete a multiplicidades de situações e ao desafio. Possui um forte componente de abertura ao
desconhecido, à novidade, ao inesperado. Demanda envolvimento e ação para enfrentar o desafio
do projeto.

8
PNLD 2019

A complexidade do mundo contemporâneo exige indivíduos preparados para lidar com o fortuito, o
imprevisível, mas também com o planejamento, com a organização das ações e com os obstáculos.
Precisam ser posicionados e atuantes, sujeitos que saibam expressar suas ideias e exercitem sua
curiosidade frente às questões das diferentes realidades, locais ou distantes. Os projetos, na medida
em que propõem o trabalho em torno de uma questão desafio, criam as condições para que o espírito
investigativo se desenvolva e as atitudes relacionadas à busca de informações, reflexão,
argumentação e, fundamentalmente, a autonomia tornem-se efetivas.

O trabalho com projetos mostra-se como alternativa para que a escola exerça sua função, o lugar da
sistematização do conhecimento. O esforço para atingir os objetivos, mobilizados na efetivação do
projeto, de cada um ou do grupo, elimina a passividade da maioria das salas de aula e promove algo
que revoluciona, inova, perturba e provoca. Nesse sentido, há possibilidade para desenvolver
atitudes que promovem a autonomia, a interação, a cooperação e a colaboração, mas também
habilidades relacionadas à argumentação, ao posicionamento e ao confronto de ideias.

Os projetos produzem conhecimentos significativos porque articulam informações, favorecem a


compreensão dos contextos e valorizam os processos de pensamento como a atenção e a
antecipação, impulsionando a aprendizagens. As estratégias que caracterizam os projetos partem de
situações-problema que exigem a tomada de decisão, estranhamento e resistência, qualidades
indispensáveis para a formação dos sujeitos desse espaço-tempo, o século XXI.

As aprendizagens no trabalho com projetos são inúmeras e acontecem no movimento investigativo.


São aprendizagens que envolvem conhecimentos vinculados a conceitos das Ciências Humanas, das
Ciências da Natureza, Matemática e Linguagens. Tudo isso associado a conhecimentos que
consideram não só os aspectos cognitivos, mas também a sensibilização para convivência respeitosa,
a solidariedade, o compartilhamento e a justiça social, os quais contribuem para a formação integral
dos sujeitos. Contemplam-se, assim, aspectos como a inclusão, a representação, o reconhecimento
das contribuições das culturas presentes em diferentes sociedades do contexto brasileiro. Os
resultados, ainda que esperados, constituem-se muito mais em elementos de socialização daquilo
que foi aprendido do que na solução/produto alcançado.

Os produtos, muito valorizados nas metodologias que remetem a concepção de trabalho com
projetos, são muito mais um objetivo dos(as) alunos(as) do que o foco do(a) professor(a). O que se
avalia não é o produto, mas o processo, pois é nele que se configuram as aprendizagens.

9
PNLD 2019

Os projetos promovem outra forma de organização curricular e se estruturam a partir eixos


norteadores que contribuem para um aprender com significado. Destacam-se: a curiosidade e o
interesse como propulsores da aprendizagem; a investigação como metodologia; o envolvimento
dos(as) alunos(as), dos(as) professores(as) e da comunidade na solução dos desafios propostos; e a
visão integradora como articuladora na compreensão daquilo que é investigado.

Na concepção de aprendizagem por projetos, os conteúdos ganham significado porque congregam


as experiências de diversos contextos e os conteúdos das disciplinas. Essa outra orientação, em que
as temáticas são estabelecidas a partir do interesse genuíno do grupo, provoca um processo efetivo
de apropriação dos conceitos. Isto significa que a aprendizagem emerge do cotidiano, tem relação
com a vida dos(as) alunos(as), quer por proximidade física, quer porque estabelece relação com
situações, pessoas e lugares de vivência. A lista de conteúdos proposta pelo(a) professor(a) é uma
referência e não um roteiro a ser seguido, ainda que se garantam fundamentos básicos do pleno
domínio da leitura, da escrita e do raciocínio lógico-matemático, sem desconsiderar sua cultura de
origem; o desenvolvimento do raciocínio espaço-temporal, compreensão das manifestações culturais
e artísticas e das diferentes cosmovisões religiosas, buscando a apropriação dos conceitos ligados à
espacialidade e à temporalidade; desenvolvimento da capacidade de atuação no e sobre o mundo,
pautado nos princípios da sustentabilidade.

Ainda cabe salientar as questões pedagógicas implicadas nos projetos. Acolhem dinâmicas de
trabalho fundadas no movimento, nas idas e vindas a conceitos e temáticas buscando um
aprofundamento que considere as singularidades dos sujeitos, seus conhecimentos, seus saberes e
vivências empíricas para desenvolver as práticas pedagógicas. Não se propõe uma sequência dos
conteúdos, com ordenamento e definição de pré-requisitos, mas um ensino guiado pelas
aprendizagens que se constroem na própria sequência das aulas. A dinâmica das práticas
pedagógicas contempla uma produção de conhecimento intencional, mas flexível, incluindo
diferentes possibilidades de diálogo com os saberes.

Diferentemente daquilo que é prática nas salas de aula que utilizam outras formas de trabalho, os
projetos requerem a participação efetiva do(a) professor(a) em todas as etapas do processo. Ele tem
papel fundamental na mediação, intervindo sempre que observe necessidade de orientar, de
provocar e de incentivar os(as) alunos(as) para enfrentarem os desafios que cada nova etapa
apresenta. Professores(as) no movimento do aprender acolhem os diferentes estilos de
aprendizagem, bem como apoiam as diversidades individuais manifestas nos ritmos de trabalho. São

10
PNLD 2019

parceiros que compartilham a aventura da investigação, incitando novas descobertas articuladas às


novas informações, produzindo e contextualizando os conhecimentos.

O(a) professor(a) é mediador(a) do processo de aprendizagem, pois cria as condições para o


florescimento de ambientes de confiança, encorajamento, colaboração e cooperação, troca, reflexão
e descoberta. É o(a) responsável por fomentar uma aprendizagem de compartilhamento e
valorização das vivências, experiências e pontos de vista diversos, buscando orientar o
desenvolvimento das potencialidades individuais e coletivas.

Os projetos também redimensionam o papel dos(as) estudantes, antes espectadores passivos


daquilo que lhe era proposto. Agora sujeitos ativos, atentos e evolvidos com a proposta. À medida
que atuam buscando respostas às problematizações dos projetos, desempenham papéis que
favorecem a autonomia, a participação e o protagonismo nas diferentes situações a que são
expostos. Frente a esse outro contexto, o dos projetos, atitudes como a cooperação, a organização e
a mobilização para o trabalho coletivo representam uma necessidade.

A sala de aula precisa manter-se como um lugar aberto onde todos estão envolvidos e interessados
em aprender. É o lugar da descoberta, da criatividade, em que todos participam, tomam decisões,
discutem e argumentam, envolvendo-se com as tarefas e aprendem. Professores(as) oportunizam
que os(as) alunos(as), ao decidirem, opinarem e debaterem construam sua autonomia e seu
compromisso social, formando-se como sujeitos culturais.

Nos projetos integradores, as relações de professores(as) e alunos(as) se redefinem em função das


necessidades de constante interação. São consideradas as diversidades e singularidades de cada um
e do grupo, bem como as contribuições individuais. Todos são responsáveis pela aprendizagem de
todos. Há cumplicidade e negociação permanente.

Destaca-se, na proposta de projetos, a perspectiva integradora, pois promove a conexão das


informações, dos achados, das descobertas produzidas no processo de pesquisa durante a execução
do projeto. A integração permite que os conhecimentos se tornem significativos e a aprendizagem
consolide-se. Os conteúdos são conectados e passam a fazer sentido. As diferentes disciplinas não
estão mais isoladas, mas vinculadas a contextos e, por isso, independentemente de seu papel social,
despertam interesse. Ao perceberem o sentido das informações contextualizadas, os estudantes
conseguem responder suas questões de pesquisa e ampliam sua compreensão sobre a temática
investigada.

11
PNLD 2019

No que diz respeito à integração das informações produzidas nos projetos, cabe salientar o papel da
internet como articuladora por meio da hipertextualidade. Ao desenvolverem suas pesquisas
utilizando buscadores em meios digitais, os(as) estudantes começam a perceber a conexão das
temáticas e as ligações possíveis também nas disciplinas/conteúdos, antes vistos como estanques.
Com isso, eles estabelecem novos sentidos, o que permite outras leituras de mundo.

A utilização da tecnologia na educação precisa ir além do uso de software e o domínio da linguagem,


dos conhecimentos e das habilidades digitais básicas. É fundamental que se oportunize a
alfabetização digital como possibilidades de ampliar os saberes e valores, contribuindo para que
os(as) estudantes tenham uma formação integral. Nos projetos, caracterizam-se não apenas como
mais do que um instrumento para coletar informações e comunicação de resultados. Seu uso está
vinculado às formas de produzir conhecimentos a elas associados. Auxiliam na democratização das
informações porque permitem as trocas, o compartilhamento e facilidade de acesso aos
conhecimentos, por meio da internet.

A busca pelas informações, por ser pontual e dispersa em diferentes materiais, precisa ser associada
à apreensão dos mecanismos de seleção, interpretação, pertinência e confiabilidade para que sua
integração se realize e produza sentido na pesquisa. Há necessidade de um trabalho consistente, em
relação ao desenvolvimento dos instrumentais, que ajude nessa integração. A proposta de trabalho
cria espaços para a busca autônoma de materiais que respondam as indagações iniciais propostas
pelos(as) alunos(as).

O(a) professor(a) desempenha um significativo papel para que isso se efetive, porque é ele(a) quem
procura indagar e encaminhar sugestões e reflexões sobre as informações que os(as) estudantes
recolhem nas diferentes fontes consultadas.

A avaliação é um elemento diferenciador no processo de construção do ensino por projetos. Ao


contrário daquilo que pode refletir a exigência de um produto, enfatizado em muitas propostas, o
que se quer destacar é o movimento que ações como essas promovem. A cada etapa é possível
avaliar, por meio de reflexões individuais ou coletivas, redefinindo trajetórias, estabelecendo novas
metas, corrigindo percursos e aproveitando para revisar o planejamento de professores(as) e
alunos(as). Cabe destacar que a avaliação processual proposta caracteriza-se por uma importante
aproximação professor-aluno e valorização de suas aprendizagens e saberes empíricos, bem como
oportunizar o desenvolvimento de habilidades necessárias ao encaminhamento das ações propostas
no projeto.

12
PNLD 2019

Avaliar o processo significa considerar os instrumentos como meios para entender as singularidades
de cada um(a) dos(as) estudantes, estabelecendo seus avanços e impedimentos para ajudar na
construção das aprendizagens esperadas, valorizando as observações, os relatórios, os portfólios, e
demais materiais. A socialização das aprendizagens, bem como a autoavaliação são elementos
fundamentais.

Os projetos de trabalho representam um olhar interessante para o processo de ensino e


aprendizagem, tendo em vista aproximar a escola da comunidade em que está inserida. Os(as)
estudantes, ao buscarem a solução para as indagações produzidas nos projetos, ampliam seus
contatos com pessoas para além da sala de aula. A solução para suas questões, muitas vezes, requer
contato para entrevista, conversas, coleta de dados com os funcionários da escola, colegas de outras
turmas, pessoas da família e da comunidade onde vivem, bem como de outras comunidades
distantes. Tal contexto remete a novas aprendizagens, situações que promovem interação e
vivências, inserindo os estudantes em ambientes diversos e ampliando suas experiências culturais.
Tal proposta está explicita na BNCC quando refere ao seu compromisso com a educação Integral,
preocupada com a formação e o desenvolvimento humano global destacando a

[...] visão plural, singular e integral da criança do adolescente, do jovem e do adulto


– considerando-os como sujeitos de aprendizagem – e promover uma educação
voltada ao seu acolhimento, reconhecimento e desenvolvimento pleno, nas suas
singularidades e diversidades. (BRASIL, 2017,p.14)

Daí a importância de práticas pedagógicas que valorizem a aprendizagem centrada nos(as)


alunos(as) e considerem suas necessidades, interesses, experiências e conhecimentos culturais e
sociais, como o são os projetos Integradores.

13
PNLD 2019

Princípios e critérios

A avaliação pedagógica das obras didáticas é realizada de acordo com o Decreto n° 9.099/2017,
orientações e diretrizes estabelecidas pelo MEC e com base em critérios comuns e específicos
constantes no Anexo III do Edital de Convocação 01/2017 – CGPLI Programa Nacional do Livro e do
Material Didático PNLD 2019.

CRITÉRIOS

A avaliação das obras didáticas submetidas à inscrição no PNLD 2019 busca garantir a qualidade do
material a ser encaminhado à escola, incentivando uma produção cada vez mais adequada às
necessidades da educação pública brasileira, em conformidade com os objetivos da legislação da
Educação Básica.

A avaliação, sobretudo, destina-se a garantir que os materiais contribuam para efetivar os objetivos
de aprendizagem e o desenvolvimento das competências e habilidades envolvidas no processo de
aprendizagem nos anos inicias do ensino fundamental, conforme definidas na versão da Base
Nacional Comum Curricular (BNCC) enviada ao Conselho Nacional de Educação pelo MEC em abril de
2017. A avaliação do PNLD2019 utilizou esta versão como referência, tendo em vista a última versão
ainda não estar homologada, na época de lançamento do edital.

Para alcançar esses objetivos, a obra didática deve veicular informação correta, precisa, adequada e
atualizada. Além disso, a obra didática, como mediador pedagógico, deve proporcionar, ao lado de
outros materiais educativos, condições propícias à busca pela formação cidadã, favorecendo que
os(as) estudantes possam estabelecer julgamentos, tomar decisões e atuar criticamente frente às
questões colocadas pela sociedade, ciência, tecnologia, cultura e economia.

Como parte integrante de suas propostas pedagógicas, as obras didáticas devem contribuir
efetivamente para a construção de conceitos, posturas frente ao mundo e à realidade, favorecendo,
em todos os sentidos, a compreensão de processos sociais, científicos, culturais e ambientais.

A avaliação das obras inscritas no PNLD 2019 foi feita por meio de um conjunto de critérios
eliminatórios comuns, de critérios eliminatórios específicos para as obras direcionadas à educação
infantil e aos iniciais do ensino fundamental. Na medida em que se constituem como requisitos

14
PNLD 2019

indispensáveis de qualidade didático-pedagógica, sua não observância implica na exclusão da obra


no PNLD 2019.

CRITÉRIOS ELIMINATÓRIOS COMUNS

Os critérios eliminatórios comuns a serem observados nas obras inscritas no PNLD 2019, submetidas
à avaliação, são os seguintes:

1. Respeito à legislação, às diretrizes e às normas oficiais relativas à Educação Infantil e ao Ensino


Fundamental;

2. Observância de princípios éticos e democráticos necessários à construção da cidadania, ao respeito


à diversidade e ao convívio social republicano;

3. Coerência e adequação da abordagem teórico-metodológica assumida pela obra, no que diz


respeito à proposta didático-pedagógica explicitada e aos objetivos visados;

4. Correção e atualização de conceitos, informações e procedimentos;

5. Adequação da estrutura editorial e do projeto gráfico aos objetivos didático-pedagógicos da obra;

6. Observância dos temas contemporâneos no conjunto dos conteúdos da obra;

7. Outros critérios comuns.

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS

As Obras de Projetos Integradores têm como objetivo tornar a aprendizagem dos alunos mais
concreta ao explicitar a ligação entre diferentes componentes curriculares e áreas de conhecimento
conectando-os a situações vivenciadas pelos(as) alunos(as) em suas comunidades. O projeto
integrador proposto deve contribuir para contextualizar a aprendizagem e para que o conhecimento
construído ao longo de seu desenvolvimento faça sentido para o aluno, podendo contemplar
contextos locais e abordagens regionais.

Os livros de projetos integradores devem:

15
PNLD 2019

i. Integrar objetos de conhecimento de diferentes componentes curriculares visando ao


desenvolvimento de pelo menos uma das dez competências gerais, descritas na BNCC;

ii. Propor situações que exijam o uso de diferentes habilidades;

iii. Partir de algum problema ou questão desafiador que exija dos(as) alunos(as) o uso da criatividade;

iv. Ter um produto final, preferencialmente coletivo e de relevância para a comunidade local, que
possa ser apresentado a um público real, preferencialmente externo à escola;

v. Ter como produto final uma apresentação, uma intervenção artística, um livro, uma carta, um
relatório de pesquisa/entrevista, um cartaz, um evento, a construção de algo, a elaboração de uma
proposta de intervenção em algum contexto, dentre outros;

vi. Possibilitar diferentes percursos a serem desenvolvidos para se chegar ao produto final;

vii. Apresentar título, justificativa, objetivos e habilidades da BNCC a serem desenvolvidas, informar
os materiais que serão utilizados no desenvolvimento do projeto, proposta de avaliação das
aprendizagens (incluindo autoavaliação), cronograma, produtos a serem desenvolvidos e referências
bibliográficas complementares para pesquisa ou consulta (sites, vídeos, livros etc.);

viii. Ser organizados em torno de práticas contextualizadas de forma a preservar o sentido social e
os propósitos didáticos e comunicativos;

ix. Preservar as práticas concernentes a cada componente curricular que favoreçam oportunidades
de troca de opiniões, reflexão, produção de registro em diferentes linguagens;

x. Apresentar de 4 a 10 projetos por livro, cada um a ser trabalhado ao longo de uma sequência de
aulas, sendo a proposta de duração máxima de cada projeto de um bimestre para o 1º, 2º e 3º anos
e máxima de um trimestre para o 4º e 5º anos;

xi. Garantir a progressão das aprendizagens entre um projeto e outro e entre um livro e outro de
uma mesma coleção;

xii. Articular atividades em grupo, coletivas e individuais;

xiii. Privilegiar o uso de tecnologias da informação.

16
PNLD 2019

Serão eliminadas as obras de projetos integradores que:

a. Não seguirem os critérios eliminatórios comuns descritos neste edital;

b. Não seguirem as orientações listadas acima;

c. Conjugarem componentes curriculares que desconsiderem as especificidades teórico


metodológicas dos diferentes componentes;

d. Não apresentarem correspondência entre a justificativa e o objetivo do projeto às atividades


propostas.

O Livro do Estudante deve apresentar os projetos integradores com título, justificativa, objetivos a
serem desenvolvidos e atividades propostas, para servirem como um guia prático para a execução
do projeto. Ele deve trazer conteúdos como textos e imagens que apresentem os temas dos projetos
ao(à) aluno(a) de forma atrativa.

O Manual do Professor deve apoiá-lo no planejamento e desenvolvimento dos projetos junto aos(às)
alunos(as), explicitando as habilidades e competências a serem desenvolvidas pelos(as) alunos(as)
ao longo e ao final de cada projeto. O Manual do Professor deve ser voltado para professores(as)
que trabalham habitualmente com aprendizagem baseada em projetos, mas também para aqueles
que nunca trabalharam com essa metodologia.

17
PNLD 2019

Coleções aprovadas

As coleções de projetos integradores guardam características especiais em relação aos componentes


curriculares porque não estão focadas nas especificidades de conteúdo, mas na abordagem
metodológica. Isto pressupõe analisar os conteúdos e as interfaces com as áreas de conhecimentos
buscando a aprendizagem significativa.

Do universo de coleções de projetos integradores avaliados, destacam-se características relacionadas


à abordagem e as concepções sobre integração. Percebe-se preocupação em aproximar os
conteúdos das diferentes áreas e componentes curriculares, em diferentes momentos da explicitação
da proposta apresentada. Isto, entretanto, nem sempre significou integração.

A avaliação das obras nessa perspectiva mostra-se complexa tanto em relação à formação dos
pesquisadores que efetivam a avaliação, quanto à compreensão do significado da integração. Por
isso essa análise privilegia, além daquilo que está no edital e é foco do PNLD, as temáticas
selecionadas para compor a proposta das coleções e suas aproximações, umas com as outras, no
interior dos livros e/ou coleções. Destacando, também, sua contribuição na formação dos(as)
estudantes.

O elemento central das propostas de projetos integradores nem sempre evidencia a concepção de
educação integral, a partir do tema central que articula os assuntos no interior dos livros e das
coleções. Apoiados nas unidades temáticas ou projetos, os assuntos abordados são desenvolvidos
por meio da metodologia de projetos, lançando mão de diferentes tipos de conhecimento e utilizando
atividades que visam trabalhar o tema e desenvolver competências gerais e específicas dos
componentes curriculares que integram cada proposta. A perspectiva integradora da proposta pode
ser identificada nas características das atividades, que buscam trabalhar com situações
contextualizadas, de modo que os diferentes conteúdos disciplinares se tornem instrumentos para
debater as questões propostas. Entretanto, aquilo que preconizam os projetos integradores nem
sempre está claro porque os assuntos não se articulam para permitir visão de conjunto e
compreensão mais ampla dos contextos.

Também ficam evidentes as preferências por temáticas e áreas de conhecimentos. O exame mais
detalhado dos materiais ofertados para seleção permite distinguir alguns assuntos interessantes e

18
PNLD 2019

salientar a importância de serem tratados na educação dos(as) estudantes dessa etapa de


escolarização. Mesmo assim, suas abordagens nem sempre contemplam aspectos mais dinâmicos e
recorrem a perspectivas mais conservadoras. Há elementos a melhorar e particularidades que
carecem de mais cuidado.

As coleções analisadas, em sua maioria, optam por apresentar projetos relativos a temáticas
emergentes na sociedade contemporânea, tais como: o idoso, a mulher, a natureza, o preconceito,
entre outras. Merece destaque a atenção ao universo infantil com temáticas que tratam das
brincadeiras e dos brinquedos. Também valorizam os assuntos tradicionais com o lugar, a escola, a
cidade, a sustentabilidade, o lixo, a alimentação, o trânsito e o corpo.

As temáticas desdobradas em questões, quase sempre, abordadas de forma criativa, original e


envolvente tornam a aprendizagem prazerosa, aspecto especialmente importante em se tratando de
estudantes dessa etapa de escolarização.

Os projetos propostos nas coleções, quatro para cada ano de escolarização, contemplam temáticas
em que é possível identificar diretamente os componentes curriculares, porque os assuntos atendem,
em parte, os conteúdos propostos nos planejamentos tradicionais. No Manual do Professor, há
referência aos componentes curriculares, chamados a contribuir na execução dos projetos, bem como
as habilidades e competências da BNCC propostas.

Ao optar pela definição de dois ou três componentes curriculares por projetos, as coleções limitam
as possibilidades de integração. Um olhar mais acurado permite identificar inúmeras oportunidades
de articular informações oriundas de outros componentes curriculares. A maioria dos projetos
envolve, também, componentes curriculares não evidentes, mas pertinentes porque favorecem
outras articulações, diferentes daquelas evidenciadas pela coleção. Constata-se, então, uma
demarcação, um enquadramento das temáticas, o que pode restringir a compreensão e a
contextualização das aprendizagens, ao contrário do que se espera dos projetos. Destaca-se que as
múltiplas articulações produzidas pelas temáticas, precisam ser consideradas e outros componentes
chamados a contribuir nesse processo. A apropriação de conhecimento, destacada nos documentos
oficiais de que trata a educação brasileira, realça a ampliação das relações entre informações,
conteúdos e saberes dos estudantes para promover outras/novas aprendizagens.

A questão de investigação ou a problematização do tema, proposto pelas coleções, nem sempre se


expressa em pergunta oriunda de um interesse genuíno das crianças, ainda que possa interessar
aos(às) estudantes. Quase sempre é focada em possibilidades de trabalhar determinados conteúdos,

19
PNLD 2019

previamente definidos pelos(as) professores(as). O processo de aprendizagem pode ficar


prejudicado, caso o movimento em direção à solução de problemas seja preterido, em relação à
atenção ao conteúdo. Quando crianças e jovens são envolvidos na investigação realizam incursões
por múltiplos caminhos e têm oportunidades de experimentar situações que promovem
aprendizagens.

Assim, o trabalho centrado apenas na elaboração do produto, o fazer algo, implica encolhimento do
processo em detrimento do produto. Estar mobilizado pelo produto é importante, desde que tal
produto guarde relações íntimas com o processo e, no seu desenvolvimento, carregue aprendizagens
relativas a conhecimentos de diferentes ordens, expressas nas aprendizagens dos componentes
curriculares e nas competências gerais da Base Nacional Comum Curricular. No texto sobre as
competências gerais da BNCC há uma preocupação explicita com o desenvolvimento dos estudantes
com vistas à formação integral.

Ao longo da Educação Básica, as aprendizagens essenciais definidas na BNCC devem concorrer para
assegurar aos estudantes o desenvolvimento de dez competências gerais, que consubstanciam, no
âmbito pedagógico, os direitos de aprendizagem e desenvolvimento.

As competências gerais são indicadas como fundamentais na educação básica e, para tanto, precisam
ser ressaltadas no trabalho com projetos. Se os estudantes estiverem mobilizados, marcadamente
pelos produtos a serem construídos, como aparece em muitos projetos, já nas etapas iniciais e
explicitado nos objetivos, talvez as aprendizagens essenciais, entendidas com aquelas que
asseguram os direitos de aprendizagem e desenvolvimento preconizados no Plano Nacional de
Educação (PNE) fiquem prejudicadas e a formação humana e integral afetada.

Ainda que o edital expresse a necessidade de existir um produto final que marque a conclusão do
projeto, “um produto final, preferencialmente coletivo e de relevância para a comunidade
local” (EDITAL DE CONVOCAÇÃO 01/2017), é importante destacar que ele não pode ser um fim em
si mesmo. Espera-se que tenha papel importante na trajetória de aprendizagem dos(as) estudantes.
Espera-se que a finalização dos projetos represente uma caminhada marcada pela apropriação de
conceitos, experiências e saberes, bem como desenvolva habilidades, atitudes e valores, nos termos
da LDB.

Algumas coleções acreditam que o produto seja o objetivo máximo do trabalho e, nem sempre,
valorizam as trajetórias aproveitando as oportunidades de aprendizagem criadas, de forma mais
ampla. O destaque para o processo de aprender raramente é observado nos projetos propostos,

20
PNLD 2019

inclusive evidenciando o deslocamento de suas finalidades. Preocupar-se mais com a efetivação de


um produto final, em detrimento da construção de aprendizagens ao longo do processo, pouco
contribui para o desenvolvimento de competências gerais. O que se quer salientar é a importância
de entender “o como” está sendo produzido, o aporte de informação, o contato com colegas e
professores(as), a necessidades de leituras, a coleta de dados em diferentes materiais, e como tudo
isto gerou o produto final. Nesse caminho, constroem-se muitas aprendizagens e são elas que
precisam ser socializadas com os(as) colegas e/ou pessoas da comunidade, incluindo os produtos.

Os títulos dos projetos apresentados nas coleções são muito criativos e chamam atenção. Isto
representa um convite interessante de aproximação dos(as) estudantes aos livros, afim de que
possam descobrir o seu conteúdo. Esse chamamento, muitas vezes, não é expresso na proposta da
coleção. A ludicidade e o entretenimento anunciados como disparadores do trabalho, quase sempre,
são convertidos em práticas diretivas e pouco convidativas à investigação, uma importante
característica dos projetos integradores. Os conteúdos se tornam protagonistas, deixando em
segundo plano a curiosidade natural, tão significativa nessa etapa de escolarização. Em algumas
coleções o cuidado excessivo em apresentar os conteúdos didatizam boas propostas. Todo o
investimento feito para convidar o(a) estudante ao trabalho pode se perder nas atividades rotineiras
e convencionais.

A importância de extrapolar os limites da sala da aula, em especial com estudantes dos anos iniciais,
é fundamental. Saídas que oportunizam o contato com elementos da realidade, relacionando-os às
experiências e vivências favorecem sua compreensão e ampliam os contatos que produzem
questionamentos. Enquanto fonte de pesquisa, por meio da coleta de informações em entrevistas,
observações e conversar guiadas, as atividades fora da sala de aula possibilitam o alargamento do
mundo e a construção de conhecimentos. O contexto produzido a partir dos trabalhos de campo
suscita indagações, confirma hipóteses e encaminha atitudes de reflexão e estranhamento frente às
coisas da vida. Isto é fundamental em propostas que visam a formação integral. Os projetos de
trabalho, enquanto ações que valorizam a investigação e a articulação entre as informações, os
conteúdos, os conceitos e saberes empíricos dos estudantes, têm nas atividades fora do espaço da
sala de aula importante aliado para efetivar a proposta. Entretanto as coleções apresentadas pouco
valorizam essa ação. Os trabalhos de campo propostos foram insuficientes, dado sua relevância na
construção de conhecimentos, em especial, na concepção que preconiza os projetos como
mobilizadores de aprendizagens com sentido.

21
PNLD 2019

O papel dos trabalhos de campo, das saídas de estudos, das visitas a museus, entre outras atividades
fora do ambiente da sala de aula, em propostas de trabalho com projetos integradores, é marcante.
Eles auxiliam a integração das informações, conectando aquilo que foi discutido em aula às
observações e vivências promovidas em contatos diversos: com objetos, pessoas, lugares, animais
ou outros contextos. São situações de convívio que implicam em colaboração, cooperação,
solidariedade, comprometimento, habilidades que contribuem para a construção de conhecimentos
e a formação integral dos(as) estudantes. Todos esses aspectos são preconizados pelos documentos
legais orientadores da educação brasileira.

Em relação à formação cidadã, importante elemento valorizado na avaliação do PNLD, percebe-se


que houve preocupação das coleções em evidenciar as temáticas a ela associadas. O privilégio das
relações étnico-raciais, de gênero e geracionais, se expressa na materialização nas escolhas de
algumas coleções, destinando um dos livros para tratar a temática e aprofundá-la. Em outras
coleções a atenção sobre a temática está presente na escolha dos assuntos tratados nos projetos.
Ainda que fique marcada a visibilidade dessa temática, isto não aconteceu em todas as obras com
expressividade necessária.

O cotidiano e as experiências dos estudantes, seu saberes e conhecimentos empíricos são


considerados em todas as coleções. Em muitos momentos os são chamados a compartilhar
experiências vividas, associando-as a novas situações de aprendizagem, com o intuito de aprofundar
e qualificar tais saberes. É fundamental se destacar experiências por meio de propostas que
considerem a diversidade, as histórias, as memórias, as trajetórias e as sensibilidades dos grupos e
sujeitos. Trata-se de incluir elementos para promover a formação integral e a participação efetiva no
mundo.

As coleções que se destinam aos(às) estudantes do ensino fundamental, especialmente aqueles dos
anos iniciais, precisam ser atrativas, dinâmicas e, em seu conjunto, agradáveis aos olhos daqueles
que as leem. Isto significa um projeto editorial que atente para isto. Assim, observa-se que as obras
contemplaram as determinações propostas no edital, em relação ao projeto editorial, construindo
material de qualidade, com ilustrações e imagens que mobilizam para as temáticas porque refletem
interesses e curiosidades. Tudo isto cativa os estudantes para a leitura e provocando-lhes
aprendizagens.

As propostas de trabalho com projetos evidenciam ações com o propósito de realizar tarefas que
promovam a interação e o convívio, significando a valorização do trabalho em grupo. As ações
coletivas, apesar de constituírem prática regular na escola, são vistas como pouco aprofundadas,
22
PNLD 2019

frágeis e sem consistência, o que se traduz na valorização das atividades de aprendizagem de forma
individual. As coleções de projetos integradores utilizam trabalhos em grupo em quase todas as
propostas desenvolvidas, daí seu significado. Suas características tendem a repercutir, de forma
positiva, no processo de aprendizagem, deixando marcas significativas nos participantes. Conviver
em grupo fomenta a interação, a colaboração, a convivência democrática, a autonomia, a auto-
organização entre outras competências que marcam a formação integral dos(as) estudantes.

O Manual do Professor das coleções orienta com qualidade o trabalho com projetos apresentando
vasto material com textos informativos, sugestões de sites para aprofundar a temática e sugerir
atividades para desenvolver o trabalho. O professor tem elementos para desenvolver seu trabalho,
ainda que não possua familiaridade com a metodologia.

As orientações para que as atividades sejam desenvolvidas em diferentes linguagens, verbais e não
verbais, tais como a arte, a música, a dança, dentre outros, aparecem em quase todas as coleções.
No Manual do Professor, há também informações sobre quais as habilidades trabalhadas, em
referência às propostas na BNCC.

As etapas que envolvem a construção dos projetos são descritas e há orientações sobre sua execução
em todas as coleções, destaca-se nesse processo a avaliação, referida como fundamental. No Manual
do Professor, há um conjunto informações que propõe avaliação formativa e instruem sobre práticas
de avaliação por meio de textos, modelos, quadro, fichas e referências. Tais instrumentos são
subsídios relevantes para auxiliar o desenvolvimento dos projetos, o acompanhamento da trajetória
dos(as) estudantes. Também se revelam importantes auxiliares no desenvolvimento dos projetos e
na organização e reorganização do planejamento do(a) professor(a).

Em relação à avaliação de projetos, percebe-se um cuidado especial para o processo centrado na


aprendizagem individual, mas também na observação do trabalho em equipe e mobilização do grupo.
Ao final de cada projeto, observa-se um espaço para a autoavaliação, estimulando o(a) estudante a
perceber-se em seu protagonismo discente, nas atividades individuais e de grupo.

Mesmo reservando espaço tão significativo para tratar da avaliação, as coleções, em alguns casos,
trazem um enfoque que prioriza as rubricas, critérios específicos que descrevem os níveis do
desempenho dos(as) estudantes. Cabe salientar o cuidado com tais níveis, pois podem ser tomados
como elemento decisivo para promoção dos(as) estudantes.

23
PNLD 2019

A avaliação é destacada na coleção com sendo o fio condutor das ações a serem desenvolvidas nos
projetos e importante elemento para acompanhar o trabalho do(a) professor(a) e dos(as) estudantes.
Para tanto, orienta a construção de rubricas, critérios específicos que descrevem os níveis do
desempenho dos(as) estudantes. Cabe salientar o cuidado para que tais níveis não sejam tomados
como elemento decisivo para promoção dos(as) estudantes.

A BNCC quando se refe ao ensino fundamental salienta a importância de mobilizar a curiosidade


dos(as) estudantes para desencadear aprendizagens.

As experiências das crianças em seu contexto familiar, social e cultural, suas memórias, seu
pertencimento a um grupo e sua interação com as mais diversas tecnologias de informação e
comunicação são fontes que estimulam sua curiosidade e a formulação de perguntas. (BNCC, 2017,
p.56)

No que se refere a propostas de projetos integradores, estimular a formulação de perguntas pode


ser ainda mais significativo. A utilização das tecnologias de informação e comunicação ganha
destaque porque se mostra provocativa e atrativa ao olhar dos(as) estudantes dos anos iniciais.
Observa-se que essa foi uma preocupação geral das coleções. Mesmo que não diretamente, indica-
se o uso da internet, orienta-se a consulta a blogs, a assistir e produzir filmes, e consultar sites e
revistas eletrônicas. Cabe mencionar que nem sempre se preconizou o cuidado para não expor os
estudantes às propagandas.

As propostas Integradoras mostram-se como alternativa promissora, ainda que não a única, para
desenvolver práticas pedagógicas que aproximem os(as) estudantes dos seus contextos e que lhes
possibilitem uma leitura de mundo que encaminhe a formação humana integral.

Boa leitura!

24
PNLD 2019

Ficha de avaliação

1. CRITÉRIOS ELIMINATÓRIOS COMUNS


1.1 Respeito à legislação, às diretrizes e às normas oficiais relativas à Educação Infantil e ao Ensino
Fundamental
Parte 1: Legislação
1.1.1 A obra respeita a Constituição Federal de 1988?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

1.1.2 A obra respeita a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional - LDB (Lei 9.394/1996)?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

1.1.3 A obra respeita o Estatuto da Criança e do Adolescente - ECA (Lei 8.069/1990)?


Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

1.1.4 A obra respeita o Plano Nacional de Educação PNE - 2014-2024 (Lei 13.005/2014)?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

1.1.5 A obra respeita o Estatuto da Pessoa com Deficiência (Lei 13.146/2015)?


Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

25
PNLD 2019

1.1.6 A obra respeita o Código de Trânsito Brasileiro (Lei 9.503/1997)?


Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

1.1.7 A obra respeita a Política Nacional de Educação Ambiental (Lei 9.795/1999)?


Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

1.1.8 A obra respeita o Estatuto do Idoso (Lei 10.741/2003)?


Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

1.1.9 A obra respeita o Programa Nacional de Direitos Humanos PNDH-3 (Decreto 7.037/2009)?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

1.1.10 A obra respeita os objetivos e diretrizes do Programa Nacional do Livro e do Material Didático,
dispostas no decreto nº 9.099/2017?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

1.1.11 A obra respeita o decreto nº 7.611/2011, que dispõe sobre o Atendimento Educacional
Especializado (AEE)?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

1.1.12 A obra respeita o Marco Legal pela Primeira Infância (Lei nº 13.257/2016)?

26
PNLD 2019

Sim | Não | Não se aplica


Caso marque a(s) opção(ões) "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

1.1.13 A obra respeita a Lei de Alimentação Escolar (Lei 11.947/2009)?


Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

Parte 2: Diretrizes

1.1.14 A obra atende as Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais para a Educação Básica (Parecer
CNE/CEB nº7/2010 e Resolução CNE/CEB nº 4/2010)?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

1.1.15 A obra atende as Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Fundamental de Nove Anos
(Resolução CNE/CEB nº 7/2010)?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

1.1.16 A obra atende as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil (Resolução CNE/CEB
nº 5/2009 e Parecer CNE/CEB nº 20/2009)?
Sim | Não | Não se aplica
Caso marque a(s) opção(ões) "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

1.1.17 A obra atende as Diretrizes Operacionais para a Educação Básica nas Escolas do Campo (Parecer
CNE/CEB nº 36/2001, Resolução CNE/CEB nº 1/2002, Parecer CNE/CEB nº 3/2008 e Resolução
CNE/CEB nº 2/2008)?
Sim | Não

27
PNLD 2019

Caso marque a(s) opção(ões) "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

1.1.18 A obra atende as Diretrizes Operacionais para o Atendimento Educacional Especializado na


Educação Básica (Resolução CNE/CEB nº 4/2009 e Parecer CNE/CEB nº 13/2009)?
Sim | Não | Não se aplica
Caso marque a(s) opção(ões) "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

1.1.19 A obra atende as Diretrizes Nacionais para a Educação Escolar Quilombola (Resolução CNE/CEB
nº 8/2012)?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

1.1.20 A obra atende as Diretrizes Nacionais para a Educação em Direitos Humanos (Resolucão
CNE/CEB nº 1/2012)?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

1.1.21 A obra atende as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Ambiental (Resolucão
CNE/CEB nº 2/2012)?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

1.1.22 A obra atende as Diretrizes Operacionais para a Educação de Jovens e Adultos - EJA (Parecer
CNE/CEB nº 23/2008)?
Sim | Não | Não se aplica
Caso marque a(s) opção(ões) "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

28
PNLD 2019

1.1.23 A obra atende a resolução relativa à pertinência do uso de imagens comerciais nos livros
didáticos? (Parecer CNE/CEB nº 15/2000)?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

1.1.24 A obra atende as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais
e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana (Parecer CNE/CP nº 3/2004 e
Resolução CNE/CP nº 01/2004)?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

1.1.25 Observações gerais

1.2 Observância de princípios éticos e democráticos necessários à construção da cidadania, ao


respeito à diversidade e ao convívio social republicano

1.2.1 A obra está livre de estereótipos ou preconceitos de condição socioeconômica, regional, étnico-
racial, de gênero, de orientação sexual, de idade, de linguagem, religioso, de condição de deficiência,
assim como de qualquer outra forma de discriminação ou violação de direitos humanos?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

1.2.2 A obra está livre de doutrinação religiosa, política ou ideológica, respeitando o caráter laico e
autônomo do ensino público?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

29
PNLD 2019

1.2.3 A obra representa a pluralidade cultural, social, histórica e econômica do Brasil nos textos,
enfoques e exemplos utilizados, assim como apresenta e discute as diferenças políticas, econômicas,
sociais e culturais de povos e países?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Sim" ou "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

1.2.4 A obra aborda a a temática das relações étnico-raciais de forma solidária e justa? A obra
considera a participação dos afrodescendentes, descendentes das etnias indígenas brasileiras e dos
povos do campo em diferentes trabalhos, profissões e espaços de poder, valorizando sua visibilidade
e protagonismo social? A obra promove a cultura e história afro-brasileira e dos povos indígenas
brasileiros, valorizando seus valores, tradições, organizações, conhecimentos, formas de participação
social e saberes sociocientíficos, considerando seus direitos e sua participação em diferentes
processos históricos que marcaram a construção do Brasil, valorizando as diferenças culturais?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Sim" ou "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

1.2.5 A obra aborda a temática de gênero segundo uma perspectiva igualitária e não sexista, inclusive
no que diz respeito à homo e à transfobia? A obra considera a participação da mulher em diferentes
trabalhos, profissões e espaços de poder, valorizando sua visibilidade e protagonismo social? A obra
condiz com os compromissos contemporâneos de superação de toda forma de violência, em especial
com a agenda da não-violência contra a mulher?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Sim" ou "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

1.2.6 A obra aborda a diversidade da experiência humana e a pluralidade social, com respeito,
reconhecimento, valorização?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

30
PNLD 2019

1.2.7 Observações gerais

1.3 Coerência e adequação da abordagem teórico-metodológica assumida pela obra, no que diz
respeito à proposta didático-pedagógica explicitada e aos objetivos visados

1.3.1 A obra apresenta uma abordagem metodológica capaz de contribuir para o alcance dos objetivos
de aprendizagem e desenvolvimento na Educação Infantil ou dos objetos de conhecimento e
respectivas habilidades no Ensino Fundamental previstos na BNCC (V3), visando o desenvolvimento
integral dos estudantes?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Sim" ou "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

1.3.2 A obra é coerente com a abordagem por ela proposta, do ponto de vista dos conhecimentos,
recursos e organização geral? A obra compatibiliza a opção teórico-metodológica adotada com o
modo como são desenvolvidas as atividades, evitando paradoxos de interpretações?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Sim" ou "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

1.3.3 Caso a obra recorra a mais de um modelo didático-metodológico, é clara e coerente a articulação
proposta entre os modelos?
Sim | Não | Não se aplica
Caso marque a(s) opção(ões) "Sim" ou "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

1.3.4 A obra é organizada de forma a garantir a progressão das aprendizagens?


Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

31
PNLD 2019

1.3.5 A obra contribui para a apreensão das relações que se estabelecem entre os conhecimentos
propostos e suas funções socioculturais?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

1.3.6 Observações gerais

1.4 Correção e atualização de conceitos, informações e procedimentos

1.4.1 A obra apresenta conceitos, informações e procedimentos corretos e atualizados? A obra utiliza
conceitos e informações corretos e atualizados em exercícios, atividades, ilustrações e imagens?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

1.4.2 A obra apresenta conceitos, informações e procedimentos com clareza e precisão? (A obra não
deve induzir ao erro, apresentar contradições ou ideias equivocadas que possam gerar dificuldades
na aprendizagem.)
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

1.4.3 A obra indica de forma clara e completa as fontes de cada texto ou fragmento apresentado?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

1.4.4 A obra insere leituras complementares de fontes reconhecidas e atualizadas, que ampliem
conceitos e informações e sejam, de fato, coerentes com o texto principal?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Sim" ou "Não" : Exemplifique, e insira as páginas que ocorreram

32
PNLD 2019

Exemplifique:

1.4.5 Observações gerais

1.5 Adequação da estrutura editorial e do projeto gráfico aos objetivos didático-pedagógicos da obra

Parte 1: Estrutura Editorial

1.5.1 A obra apresenta organização clara, coerente e funcional, do ponto de vista da proposta
didático-pedagógica?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

1.5.2 A obra possui títulos e subtítulos claramente hierarquizados por meio de recursos gráficos
compatíveis?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

1.5.3 A obra possui sumário que reflete claramente a organização dos conteúdos e atividades
propostos, além de permitir a rápida localização das informações?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

1.5.4 A obra possui legendas sintéticas, com cores definidas, sem informações em excesso?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

33
PNLD 2019

1.5.5 A obra apresenta fontes fidedignas na citação de textos e mapas? (A obra não deve utilizar
representações já conhecidas de outros autores sem a citação correta.)
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

1.5.6 A obra possui linguagem e terminologia corretas e adequadas ao estágio de desenvolvimento


cognitivo dos estudantes, ao desenvolvimento do vocabulário e dos conhecimentos linguísticos?
Sim | Não | Não se aplica
Caso marque a(s) opção(ões) "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

1.5.7 A obra apresenta dimensionamento adequado, sem repetição excessiva de conhecimentos já


abordados que possam gerar ampliação desnecessária no total de páginas das obras?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

1.5.8 A obra está isenta de erros de revisão ou impressão?


Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

Parte 2: Ilustrações

1.5.9 As ilustrações contribuem para a compreensão de textos e atividades?


Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

1.5.10 As ilustrações são claras, precisas e adequadas às finalidades para as quais foram elaboradas?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram

34
PNLD 2019

Justifique:

1.5.11 As ilustrações exploram as múltiplas funções (como desenhos, figuras, gráficos, fotografias,
reproduções de pinturas, mapas e tabelas) e são significativas no contexto de ensino e de
aprendizagem?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

1.5.12 As ilustrações retratam adequadamente a diversidade étnica da população brasileira como ela
existe na realidade, a pluralidade social e cultural do país?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

1.5.13 As ilustrações são apresentadas em escala adequada e estão distribuídas equilibradamente na


página?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

1.5.14 As ilustrações estão acompanhadas dos respectivos créditos e da clara identificação da


localização das fontes ou acervos de onde foram reproduzidas?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

1.5.15 Para ilustrações de caráter científico, são respeitadas as proporções entre objetos ou seres
representados?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

35
PNLD 2019

1.5.16 Para gráficos, tabelas e imagens artísticas, as ilustrações apresentam títulos, legendas, fontes
e datas?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

1.5.17 Para mapas e outras representações gráficas do espaço, as ilustrações apresentam legendas,
escala, coordenadas e orientação em conformidade com as convenções cartográficas?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

1.5.18 Observações gerais

1.6 Observância de temas contemporâneos no conjunto dos conteúdos da obra

A obra aborda sob uma perspectiva transversal e integradora e de maneira não artificial e arbitrária
os seguintes temas:

1.6.1 direitos das crianças e adolescentes


Sim | Não

1.6.2 educação para o trânsito


Sim | Não

1.6.3 preservação do meio ambiente


Sim | Não

1.6.4 educação alimentar e nutricional


Sim | Não

1.6.5 saúde, sexualidade, vida familiar e social

36
PNLD 2019

Sim | Não

1.6.6 processo de envelhecimento, respeito e valorização do idoso


Sim | Não

1.6.7 educação em direitos humanos


Sim | Não

1.6.8 educação para o consumo, educação financeira e fiscal


Sim | Não

1.6.9 trabalho, ciência e tecnologia


Sim | Não

1.6.10 diversidade cultural


Sim | Não

1.6.11 Observações gerais

1.7 Outros critérios

Parte 1: Autonomia e Investigação

1.7.1 A obra contribui para o desenvolvimento da autonomia de pensamento, do raciocínio crítico e


da capacidade de argumentar do estudante?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Sim" ou "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

1.7.2 A obra propõe situações problema que estimulem a busca de reflexão do estudante?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Sim" ou "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram

37
PNLD 2019

Justifique:

1.7.3 A obra aproxima gradativamente os principais processos, práticas e procedimentos de análise e


investigação, por meio de propostas de atividades que estimulem observação, curiosidade,
experimentação, interpretação, análise, discussões de resultados, criatividade, síntese, registros e
comunicação?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Sim" ou "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

Parte 2: Interações e Riscos

1.7.4 A obra estimula a manifestação do conhecimento que o estudante já detém ao chegar à sala de
aula e estabelecer nexos entre esse conhecimento e o conhecimento novo?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Sim" ou "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

1.7.5 A obra propõe atividades que estimulem a interação entre os estudantes, o convívio social, o
reconhecimento da diferença junto a comunidade escolar, as famílias e a população?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Sim" ou "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

1.7.6 A obra oferece orientações claras e precisas sobre eventuais riscos na realização dos
experimentos e atividades propostos visando a garantir a integridade física de estudantes,
professores e demais pessoas envolvidas no processo educacional?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Sim" ou "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

Parte 3: Extraclasse

38
PNLD 2019

1.7.7 A obra apresenta, de forma contextualizada, propostas e sugestões para que professores e
alunos acessem outras fontes de informações (rádio, TV, internet etc.), fora dos limites do próprio
livro didático?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Sim" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

1.7.8 A obra propõe uso de laboratórios virtuais, simuladores, vídeos, filmes e demais tecnologias da
informação e comunicação?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Sim" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

1.7.9 A obra propõe atividades de campo e de visitas a museus, centros de ciências, parques zoo-
botânicos, universidades, laboratórios e a outros espaços que favoreçam o processo educacional?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Sim" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

1.7.10 Observações gerais

2. CRITÉRIOS ELIMINATÓRIOS ESPECÍFICOS PROJETOS INTEGRADORES

2.1 Obras de Projetos Integradores

2.1.1 São apresentados de 4 a 10 projetos por livro?


Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

39
PNLD 2019

2.1.2 Todos os Projetos Integradores são apresentados para serem trabalhados ao longo de uma
sequência de aulas, sendo a proposta de duração máxima de cada projeto de um bimestre para o 1º,
2º e 3º anos e máxima de um trimestre para o 4º e 5º anos?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

2.1.3 Todos os Projetos Integradores integram os objetos de conhecimento e habilidades da BNCC


(V3) de pelo menos dois componentes curriculares?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Sim" ou "Não" : Exemplifique, e insira as páginas que ocorreram
Exemplifique:

2.1.4 Todos os Projetos Integradores favorecem o desenvolvimento de pelo menos uma das dez
competências gerais constantes na BNCC (V3)?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Sim" ou "Não" : Exemplifique, e insira as páginas que ocorreram
Exemplifique:

2.1.5 Todos os Projetos Integradores propõem situações que exijam o uso de diferentes habilidades?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Sim" ou "Não" : Exemplifique, e insira as páginas que ocorreram
Exemplifique:

2.1.6 Todos os Projetos Integradores partem de algum problema ou questão desafiadores que exijam
dos alunos o uso da criatividade?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Sim" ou "Não" : Exemplifique, e insira as páginas que ocorreram
Exemplifique:

2.1.7 Todos os Projetos Integradores têm um produto final, preferencialmente coletivo e de


relevância para a comunidade local, que possa ser apresentado a um público real, preferencialmente
externo à escola?

40
PNLD 2019

Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Sim" ou "Não" : Exemplifique, e insira as páginas que ocorreram
Exemplifique:

2.1.8 Todos os Projetos Integradores têm como produto final uma apresentação, uma intervenção
artística, um livro, uma carta, um relatório de pesquisa/entrevista, um cartaz, um evento, a
construção de algo, a elaboração de uma proposta de intervenção em algum contexto, dentre
outros?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Sim" ou "Não" : Exemplifique, e insira as páginas que ocorreram
Exemplifique:

2.1.9 Todos os Projetos Integradores possibilitam diferentes percursos a serem desenvolvidos para
se chegar ao produto final?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Sim" ou "Não" : Exemplifique, e insira as páginas que ocorreram
Exemplifique:

2.1.10 Todos os Projetos Integradores apresentam título, justificativa, objetivos, habilidades da BNCC
(V3) a serem desenvolvidas?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Sim" ou "Não" : Exemplifique, e insira as páginas que ocorreram
Exemplifique:

2.1.11 Todos os Projetos Integradores apresentam a informação dos materiais que serão utilizados no
desenvolvimento do projeto?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Sim" ou "Não" : Exemplifique, e insira as páginas que ocorreram
Exemplifique:

2.1.12 Todos os Projetos Integradores apresentam proposta de avaliação das aprendizagens


(incluindo autoavaliação), cronograma, produtos a serem desenvolvidos e referências bibliográficas
complementares para pesquisa ou consulta (sites, vídeos, livros etc.)?

41
PNLD 2019

Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Sim" ou "Não" : Exemplifique, e insira as páginas que ocorreram
Exemplifique:

2.1.13 Todos os Projetos Integradores são organizados em torno de práticas contextualizadas de


forma a preservar o sentido social e os propósitos didáticos e comunicativos?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Sim" ou "Não" : Exemplifique, e insira as páginas que ocorreram
Exemplifique:

2.1.14 Todos os Projetos Integradores preservam as práticas concernentes a cada componente


curricular de modo a favorecer oportunidades de troca de opiniões, reflexão, produção de registro
em diferentes linguagens?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Sim" ou "Não" : Exemplifique, e insira as páginas que ocorreram
Exemplifique:

2.1.15 Os Projetos Integradores de uma mesma coleção apresentam progressão das aprendizagens
entre um projeto e outro e entre um livro e outro?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Sim" ou "Não" : Exemplifique, e insira as páginas que ocorreram
Exemplifique:

2.1.16 Todos os Projetos Integradores articulam atividades em grupo e individuais?


Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Sim" ou "Não" : Exemplifique, e insira as páginas que ocorreram
Exemplifique:

2.1.17 A obra de Projetos Integradores privilegia o uso de tecnologias da informação?


Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Sim" ou "Não" : Exemplifique, e insira as páginas que ocorreram
Exemplifique:

42
PNLD 2019

2.1.18 Todos os Projetos Integradores apresentam correspondência entre a justificativa e o objetivo


do projeto às atividades propostas?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

2.1.19 A obra de de Projetos Integradores leva em consideração as especificidades


teóricometodológicas dos diferentes componentes?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Não" : Justifique, e insira as páginas que ocorreram
Justifique:

2.1.20 Observações gerais

2.2 Livro do Aluno de Projetos Integradores

2.2.1 O livro do aluno apresenta os projetos integradores com título, justificativa, objetivos a serem
desenvolvidos e atividades propostas, para servirem como um guia prático para a execução do
projeto?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Sim" ou "Não" : Exemplifique, e insira as páginas que ocorreram
Exemplifique:

2.2.2 O livro do aluno traz conteúdos como textos e imagens que apresentam os temas dos projetos
ao aluno de forma atrativa?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Sim" ou "Não" : Exemplifique, e insira as páginas que ocorreram
Exemplifique:

2.2.3 Observações gerais

43
PNLD 2019

2.3 Manual do Professor de Projetos Integradores

2.3.1 O manual do professor oferece suporte ao professor no planejamento e desenvolvimento dos


projetos junto aos alunos, explicitando as habilidades e competências a serem desenvolvidas pelos
alunos ao longo e ao final de cada projeto?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Sim" ou "Não" : Exemplifique, e insira as páginas que ocorreram
Exemplifique:

2.3.2 O manual do professor atende tanto os professores que trabalham habitualmente com
aprendizagem baseada em projetos, assim como aqueles que nunca trabalharam com essa
metodologia?
Sim | Não
Caso marque a(s) opção(ões) "Sim" ou "Não" : Exemplifique, e insira as páginas que ocorreram
Exemplifique:

2.3.3 Observações gerais

3. FALHAS PONTUAIS

4. RESENHA

4.1 Visão geral

4.1.1

4.2 Descrição da obra

4.2.1

44
PNLD 2019

4.3 Análise da obra

4.3.1

4.4 Em sala de aula

4.4.1

5. RECOMENDAÇÃO

5.1 RECOMENDAÇÃO

5.1.1 Pelo exposto, a obra deve ser:


APROVADA no PNLD 2019. | REPROVADA no PNLD 2019. | APROVADA no PNLD 2019, desde que
corrigidas as falhas pontuais apontadas.
Caso marque a(s) opção(ões) "APROVADA no PNLD "REPROVADA no PNLD 2019."019." ou
"REPROVADA no PNLD 2019." ou "APROVADA no PNLD 2019, desde que corrigidas as falhas
pontuais apontadas." : , e insira as páginas que ocorreram
:

45
PNLD 2019

Referências

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação: Lei nº 9.394/1996 e demais alterações.

Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional.

BRASIL. MEC. Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Básica. Brasília:


MEC/SEB/DICEI, 2013.

BRASIL. Presidência da República. Constituição da República Federativa do Brasil de


1988. Brasília: MEC, 2015.

BRASIL, MEC. Edital de convocação 01/2017 – Processo de Inscrição e Avaliação de


Obras Didáticas para o Programa Nacional do Livro e do Material Didático,
PNLD 2019.

BRASIL. MEC. Base Nacional Comum Curricular. 2017, v.3.

46
PNLD 2019

Equipe

Comissão Técnica Vilma Reche Côrrea (UNB) - Doutora em Linguística

Viviane Maria Alessi (SME – PMC) - Doutora em Educação


Manoel Martins de Santana Filho (UERJ) – Doutor em Geografia

Katia Lerner (FIOCRUZ - RJ) - Doutora em Sociologia e Coordenação Pedagógica


Antropologia
Ligia Goulart (UFRS) - Doutora em Geografia
Hamilton Richard Alexandrino Ferreira dos Santos (UFSB) –
Doutor em Ciências Sociais
Coordenação Adjunta
Equipe Responsável pela Avaliação de Débora Cristina Araújo (UFES) – Doutora em Educação
Recursos
Luciene Maciel Stumbo Morais (CPII – RJ) – Doutora em
Ana Heloísa Molina (UEL) - Doutora em História Educação

Camila Louly Correa (SEDF) - Doutora em Biologia Molecular Juliana Alves de Araújo Bottechia (UEG – Formosa) – Doutora
em Educação
Cristiane Azevedo dos Santos Pessoa (UFPE) - Doutora em
Educação Avaliadores
Eneila Almeida dos santos (UEA) - Doutora em Educação Daniel Fernandes Da Silva (SEEDUC SP) – Mestre em Ciências

Ermelinda Maria Barricelli (FAMESP) - Doutora em Linguística Maria Cristina Ribeiro Cohen (UFTM) - Doutora em Educação
em Ciências e Saúde
Guy Grebot (UNB) - Doutor em Relatividade Geral
Angela Cristina Fortes Iório (CEE RJ) - Doutora em Ciências
Jaime Duarte Júnior (Fundação Liceu Pasteur) - Doutor em Física Humanas - Educação

Jairo Pinheiro da Silva (UFRRJ) - Doutor em Ciências Biológicas Aroldo Alcantara De Paula Souza (REME MS) – Mestre em
Educação
Janaina de Aquino Ferraz (UNB) - Doutora em Linguística
Evonir Albrecht (UFABC) - Doutor em Ensino de Ciências e
Lúcia Helena Pereira Teixeira (UNIPAMPA) – Doutora em Matemática
Educação Musical
Tamna Dos Santos Sales (FAPAF) - Mestra em Estudos em
Mafalda Nesi Francischett (UNIOESTE) - Doutora em Geografia Cultura, Territorio

Núbia Silva dos Santos (UFT) - Mestre em Linguística Erica De Cassia Modesto Coutrim (UNIME) - Doutora em
Pedagogia

Orlando Ednei Ferretti (UFSC) - Doutor em Geografia


Érick Roberto Freire De Araújo da Silva (PMS - Sertãozinho) -
Mestre em Educação Sexual
Raquel Aparecida Soares Reis Franco (IFMG) - Doutora em
Educação
Claudia Melatti (SEED - PR) - Mestra em Geografia Dinâmica
Espaço Ambiental
Rúbia Emmel (IFFAR) - Doutora em Educação
Paloma Vanderlei da Silva (SEC – BA) - Mestra em Estudos
Rui Seimetz (UNB) - PHD em Matemática Étnicos e Africanos

Sérgio Henrique Carvalho Vilaça (URCA) – Doutor em artes Marcio Fenili Antunes (FACOS) - Mestre em Geografia

Thérèse Hofmann Gatti rodrigues da costa (UNB) - Doutora em


Desenvolvimento Sustentável

47
PNLD 2019

Maria Cristina Ferreira dos Santos (UERJ) – Doutora em Samanta Guimaraes Natalino Castro (SEEDUC RJ) - Mestra em
Educação Educação, Contextos Contemporâneos e Demandas Populares

Henrique Gerson Kohl (UFPE) - Doutor em Educação José Antonio Carneiro Leão (UNEB) - Doutor em Educação

Niuana Kullmann (PMCS Caxias do Sul) - Mestra em Educação Vanessa Regina Eleutério Miranda (UEMG) - Doutora em
Educação
Ana Carolina de Oliveira Salgueiro de Moura (UNIPAMPA) -
Doutora em Educação em Ciências Denise Aquino Alves Martins (UFT) - Doutora em Educação

Leonardo Pinto dos Santos (EESF) - Mestre em Geografia Marcia Adriana de Faria Ribeiro (IFTO) - Mestra em Educação
Agrícola

48
PNLD 2019

RESENHAS

49
PNLD 2019

APRENDENDO COM PROJETOS

TÍTULO
APRENDENDO COM PROJETOS

AUTORIA
ANIKE LAURITA, VANESSA MACHADO

CÓDIGO DO LIVRO
0275P19500

EDITORIAL
EVOLUIR 1 / 2017

Visão Geral

A coleção é composta por dez volumes, sendo cinco para os estudantes e cinco para os professores.
Os livros estão direcionados ao trabalho do 1º ao 5º Ano de Escolaridade do Ensino Fundamental.
Sua estrutura está organizada em torno de cinco temáticas que servem de apoio para o processo de
articulação dos projetos integradores nos diferentes volumes: Corpo e movimento, Amizade e
convivência, O mundo ao redor, Nosso planeta e Viver em sociedade. Assim, a obra avaliada
apresenta, em todos os volumes do Livro do Estudante, uma sequência de projetos organizados em
torno de temas, que trazem no início, o objetivo de aprendizagem pretendido, a justificativa do
projeto e a sugestão de um produto final.

50
PNLD 2019

A coleção foi concebida a partir da abordagem metodológica de Aprendizagem Baseada em Projetos.


Ela tem como princípio pensar o aluno como sujeito que traz ideias e vivências importantes no
processo de ensino e aprendizagem, sendo ele percebido, portanto, como sujeito autônomo e parte
essencial deste processo. Tal perspectiva é explicitada e conceituada no Manual do Professor,
momento em que é enfatizada a sua importância no cenário educativo e são abordas as
possibilidades que o professor dispõe nas suas escolhas pedagógicas.

Os projetos propostos em cada volume da obra são apresentados de forma integrada aos diversos
campos de conhecimento da BNCC (Base Nacional Comum Curricular). Em todos os volumes
do Manual do Professor é explicitada a proposta pedagógica que articula a coleção. É detalhado o
processo de construção teórico-metodológico, inserindo as temáticas, as habilidades, a divisão do
trabalho pedagógico, o uso de tecnologias de informação, as relações entre a coleção e a BNCC, a
relação completa dos projetos e informações resumidas de cada um, bem como referências teóricas
para compreensão do material didático. Na construção destas temáticas, evidencia-se a orientação
baseada nas competências gerais e específicas de acordo com a BNCC nas diversas áreas de
conhecimento, com ênfase na Arte, História, Geografia e Língua Portuguesa, presentes em todos os
projetos. O projeto gráfico-editorial apresenta imagens no início de cada projeto como elemento
impulsionador dos questionamentos das temáticas propostas.

Descrição

A coleção é composta por dez volumes (cinco do estudante e cinco do professor), cada um dividido
em quatro projetos. Cada livro do Manual do Professor possui 100 páginas e cada Livro do
Estudante possui o total de 68 páginas, acrescidas de anexos com materiais que podem ser
recortados e utilizados na execução dos projetos. O professor poderá ter uma visão geral de cada
volume e da sequência esperada a partir dos títulos dos projetos no sumário.

No volume I, os títulos são Corpo e movimento: corpo dançante, Ok doutor, Meu corpo, meus
direitos, Criança brinca, não trabalha. Neste volume os componentes curriculares apresentados são:
Arte, Ciências, Educação Física, Geografia, História e Língua Portuguesa.

51
PNLD 2019

No volume II, aparecem os projetos Amizade e convivência: Meu amigo do coração, Velhas
memórias, Diferentes e iguais, Descobrindo valores. Neste volume os componentes curriculares
trabalhados são: Arte, Educação física, Geografia, História, Língua Portuguesa e Matemática.

Já no volume III, os títulos são O mundo ao redor: Tempo de repensar, Batucada nossa, Olhar
fotográfico, Escrevendo minha história, com destaque para os seguintes componentes curriculares:
Arte, Ciências, Geografia, História, Língua Portuguesa e Matemática.

O volume IV traz os projetos Nosso planeta: Como vivem as plantas, Bicho solto, Meio ambiente
e saúde, Cinco peles. Os componentes curriculares desenvolvidos são: Arte, Ciências, Geografia,
História, Língua Portuguesa, e Matemática.

O volume V, por sua vez, apresenta os títulos Viver em sociedade: O que é política?, Mulheres
incríveis, Brincar e preservar e Revelando profissões, trazendo como componentes curriculares:
Arte, Educação física, Ciências, Geografia, História, e Língua Portuguesa.

O Manual do Professor dos diferentes anos de escolaridade está dividido em duas partes, sendo a
primeira comum a todos os volumes, na qual é apresentada a proposta metodológica, os projetos de
toda coleção, o referencial teórico que orienta a Aprendizagem Baseada em Projetos, e a segunda
dedicada aos projetos específicos daquele volume. Os projetos possuem seções didáticas
organizadas da seguinte forma: Iniciar, Conhecer, Planejar, Pesquisar, Realizar, Apresentar e
Avaliar. No primeiro momento (Iniciar) são apresentadas as ideias do projeto a partir da
compreensão prévia de cada estudante, privilegiando a expressão oral, leitura de imagem e pontos
de vistas das crianças. O diálogo e a escuta são incentivados. No segundo momento (Conhecer) são
aprofundados os temas e sugeridas atividades, estimulando as crianças a querer saber mais. As
informações da seção seguinte (Planejar) envolvem o planejamento de ações do projeto, explicadas
passo a passo, de modo a dar continuidade às próximas atividades, por meio de um cronograma.

A execução e a finalização do projeto (Realizar e Apresentar) requerem a participação da família, da


escola e comunidade em geral, o que envolve o acolhimento do produto resultante do trabalho
elaborado pelos estudantes. Destacam-se produtos que incorporam elementos da linguagem
artística como coreografia, criação de adereços, instalações, cartazes, construção de instrumentos de
percussão, acervo fotográfico, cordel, painel, arte postal.

Da área de Ciências, destaca-se um plano de ação para redução do uso de papel e geração de resíduos
na escola, com a confecção de cartazes identificando as principais partes do corpo humano, contendo
52
PNLD 2019

orientações para o cuidado e a garantia de direitos, a confecção de um boneco ecológico, de animais


de folhas, e elaboração de cordel de peleja contra o Aedes Egypti. A área da Educação Física também
é bem privilegiada nos projetos, visto que compõe o campo de linguagens na BNCC juntamente com
Arte e Língua Portuguesa, resultando em confecção de um jogo de percurso em tabuleiro gigante,
construído pelos próprios educandos sobre o tema trabalho infantil, de um circuito de atividades
paraolímpicas com práticas corporais, de jogos tradicionais africanos e indígenas, entre outros. Os
projetos que destacam a presença da História na produção final se referem à construção de um
dossiê com registros de um amigo constituído com base em investigação das características do
colega, livro sanfonado com história pessoal, campanha de divulgação de histórias de mulheres, entre
outros.

Ao final de cada projeto, os estudantes se auto avaliam, avaliam os trabalhos dos colegas e expõem
suas opiniões sobre aprendizagens e novos conhecimentos adquiridos. Há, ainda, uma seção de
avaliação dos trabalhos: Vamos recordar como este projeto aconteceu?. Nela é apresentada uma
ficha avaliativa e este se constitui o momento de compartilhar as aprendizagens com o grupo. O
diferencial nesta mediação seria a capacidade de negociação, percepções de etapas, fluxo de
aprendizagem que o professor poderia participar com sua experiência e maturidade profissional para
a concretização e materialização dos projetos.

Análise

A coleção, em diferentes projetos e anos de escolaridade, aborda valores defendidos pela


Constituição Brasileira como, por exemplo, o projeto número 1 do Volume V (Manual do Professor e
Livro do Estudante) que trata diretamente dos direitos fundamentais para o exercício da cidadania.
O livro voltado para o segundo ano de escolaridade, no Projeto 1, traz uma fértil discussão sobre as
pessoas com deficiência, abordando temas como acessibilidade, paraolimpíadas, e necessidade de
defesa de direitos. Neste mesmo livro, a partir do Projeto 3, Velhas memórias, é realizada uma
discussão a respeito da valorização do idoso e trabalhada a relação entre memória e oralidade em
diferentes contextos espaço-temporais. Destaca-se, ainda, o incentivo à convivência com a diferença
nos projetos Meu Amigo do Coração e Descobrindo Valores. Os livros que compõem a coleção
poderiam abordar a temática do trânsito com mais profundidade, visto que este aparece de modo
muito superficial a partir de outras discussões, entretanto, a obra não desrespeita o Código de

53
PNLD 2019

Trânsito Brasileiro. Os projetos dos livros são apresentados de modo conectado com o contexto
brasileiro. As temáticas propostas nos projetos são instigantes porque trazem à discussão o contexto
contemporâneo da violência, do abuso e dos direitos dos idosos e das crianças. Visibilizam
importantes assuntos, nem sempre muito analisados, como a mulher, a política e o trabalho infantil.

A coleção é qualificada para o trabalho com Projetos Integradores junto a estudantes dos Anos
Iniciais porque privilegia o cotidiano e valoriza as vivências e experiências dos alunos, nesta
perspectiva (Aprendizagem Baseada em Projetos), percebidos como parte essencial do processo. A
obra orienta o trabalho a partir das competências gerais e específicas da BNCC e, explicitado no
Manual do Professor de cada um dos volumes, as habilidades da BNCC envolvidas, ainda que em
alguns projetos não se indique a competência geral associada a eles.

Os projetos da coleção privilegiam os aspectos formais e os produtos finais, sendo em alguns


momentos menos cuidadosos com conteúdos, conceitos, ou ainda o desenvolvimento do processo
cognitivo, requerendo uma maior intervenção do professor nesse sentido. Do mesmo modo, as
sequências didáticas sugeridas para os três primeiros volumes dos estudantes se beneficiariam de
uma maior diversidade de tipos de textos, visando facilitar a pesquisa dos estudantes em processo
de alfabetização e letramento e aproximar o leitor a signos diversos, tais como desenhos, tirinhas,
propaganda, textos jornalísticos, receitas etc. Recomenda-se, ainda, a oferta de leituras
complementares e indicações de obras para ajudar a produção de textos e escrita.

Observa-se, também, pouco espaço para escrita da criança no livro didático. Na organização da
coleção, as relações entre os volumes e a sequência de aprendizagem estão presentes, mas são
prejudicadas pela repetição das habilidades, que avançam pouco na complexidade exigida pelo
desenvolvimento cognitivo dos estudantes. Também há pouca inter-relação entre um projeto e
outro, e com o produto e as habilidades destacadas. Nos projetos as etapas têm a preocupação de
produzir materialidades com poucas situações problema, diferente do que é esperado na
metodologia de Aprendizagem Baseada em Projetos. Em geral os volumes são frágeis em propostas
de atividades-campo, deixando para o aluno a responsabilidade de buscar informações.

Cabe ressaltar que existe um excesso de termos estrangeiros nos projetos, o que não contribui para
a construção identitária da cultura nacional, bem como as indicações de leituras também
citam sites em inglês e, de certa forma, desconsideram as importantes contribuições de sites
nacionais com pesquisas na área educacional.

54
PNLD 2019

A maioria dos projetos é pensada para comunidade interna, sendo que apenas um projeto é
desenvolvido com a comunidade externa da escola, o projeto “Velhas memórias” (Volume II) que
propõe a construção de Vídeo memória com relato de idosos sobre suas lembranças, brincadeiras e
jogos de infância, etc. (Manual do Professor, Volume II, p. 27).

Sala De Aula

A utilização dos livros será potencializada mediante uma atuação mais expressiva do professor na
promoção de maior articulação entre os projetos, valorizando conceitos e conteúdos que
estabeleçam ligações entre suas temáticas ampliando, nesse sentido, o desenvolvimento cognitivo
dos alunos.

Como foi apontado, o privilégio da obra frente aos aspectos formais e os produtos finais trouxe
prejuízo ao desenvolvimento dos conteúdos, conceitos e do desenvolvimento do processo cognitivo,
requerendo uma maior intervenção do professor, nesse sentido. Do mesmo modo, as sequências
didáticas sugeridas para os três primeiros volumes dos estudantes se beneficiariam de uma maior
diversidade de tipos de textos, visando facilitar a pesquisa dos estudantes em processo de
alfabetização e letramento e aproximar o leitor a signos diversos, tais como desenhos, tirinhas,
propaganda, textos jornalísticos, receitas, entre outros. Recomenda-se, ainda, a oferta de leituras
complementares e indicações de obras para ajudar a produção de textos e escrita.

O reduzido campo destinado à escrita, especialmente nos livros dos três primeiros anos, requer
orientação do professor para que o aluno lance mão de outros recursos, tendo em vista as
necessidades de expressão, especialmente nos três primeiros anos. Sugere-se, ainda, a valorização e
o estímulo a propostas que promovam visitas orientadas a museus, centros de ciência, parques zoo-
botânicos, universidades, laboratórios e a outros espaços.

Em relação às ilustrações, recomenda-se a atuação do professor para orientar e auxiliar o uso e


entendimento das imagens. Discussões sobre alguns textos, como a poesia de Manuel de Barros,
demandam complementos por parte do professor, uma vez que, na página 25 do volume IV do Livro
do Estudante, a obra faz menção apenas a um fragmento da poesia do autor.

55
PNLD 2019

Para o desenvolvimento dos projetos, na etapa Pesquisa, é necessário um maior detalhamento


quanto ao que é preciso informar aos alunos para que consigam buscar novas informações e
ultrapassem os conhecimentos prévios, garantindo repertórios investigativos variados: conversas
com familiares, na escola, entrevistas, fotografias, tecnologias digitais, observações, anotações.

56
PNLD 2019

AR – APRENDER E RELACIONAR: PROJETOS INTEGRADORES

TÍTULO
AR - APRENDER E RELACIONAR: PROJETOS
INTEGRADORES

AUTORIA
LILIAN BACICH

CÓDIGO DO LIVRO
0151P19500

EDITORIAL
MODERNA 1 / 2017

Visão Geral

Esta obra apresenta projetos cujo fio condutor envolve temáticas articuladas ao componente
curricular Ciências. As competências gerais propostas pela BNCC (Base Nacional Comum Curricular)
surgem como plano de fundo e são exploradas em cada projeto relacionando os objetos de
conhecimento e as habilidades dos componentes curriculares Ciências, Língua Portuguesa e
Matemática. O Livro do Estudante traz projetos que abordam temáticas tradicionais e
contemporâneas, utilizando dinâmicas interativas, as quais possibilitam a execução propositiva e
prazerosa das atividades e exercícios. O Manual do Professor está organizado de forma clara e
intuitiva, oferecendo ao professor recursos para desenvolvimento dos projetos e avaliação dos
estudantes. Nele o docente encontra informações, bem como leituras complementares que
permitem desenvolver o trabalho de forma propositiva. A coleção privilegia a Aprendizagem Baseada

57
PNLD 2019

em Projetos (ABP) para o planejamento das intervenções pedagógicas, com vistas a potencializar as
ações de ensino e aprendizagem e elaborar um produto final.

As práticas pedagógicas da Aprendizagem Baseada em Projetos, para a coleção, valorizam o trabalho


em equipe, a criatividade, a criticidade e a colaboração. Em linhas gerais, cada projeto desenvolve um
percurso investigativo orientado para responder a um desafio. Nessa trajetória, há uma questão
norteadora e sugestões de etapas para o encaminhamento do trabalho, com ênfase para as
atividades práticas, a avaliação e o comunicado do produto final.

A proposta assume que a aprendizagem está centrada nos estudantes e o professor é apresentado
como mediador de uma ação pedagógica efetiva. Destaca, ainda, que os percursos pedagógicos
podem ser reestruturados de acordo com demandas específicas da prática de sala de aula. Propõe,
também, que a execução das etapas dos projetos seja estabelecida pelo professor a partir das
indicações sugeridas no Manual do Professor, ainda que evidencie a possibilidade de sua
flexibilização, por meio da adequação à realidade dos estudantes.

O projeto gráfico editorial possui qualidade e funcionalidade adequadas à obra de Projetos


Integradores. Os componentes curriculares privilegiados na coleção são Ciências, Língua Portuguesa
e Matemática.

A organização pedagógica de cada volume do Manual do Professor traz orientações gerais sobre a
metodologia da Aprendizagem Baseada em Projetos, a avaliação nos projetos, a estrutura e o
planejamento dos projetos e, também, uma parte diversificada com orientações de como
desenvolver os projetos em cada ano de escolarização.

Descrição

O Livro do Estudante possui 84 páginas e organização semelhante, em todos os volumes. Nas


primeiras páginas a seção Conheça seu Livro apresenta o livro aos estudantes explicando seu
conteúdo. O Sumário, diferente para cada volume, traz os quatro projetos a serem estudados com
as respectivas etapas de execução. O Livro do Estudante do 1º ano possui os seguintes projetos:
Projeto 1 – Uma mão lava a outra? Estimula a reflexão sobre hábitos de higiene; Projeto 2 – A
máquina do tempo. Incentiva a reflexão sobre a organização do tempo por meio do estudo do

58
PNLD 2019

calendário e da elaboração de agenda que indica atividades cotidianas; Projeto 3 – Objetos e mais
objetos. Propõe relacionar objetos às propriedades de alguns materiais usados para fabricá-los, bem
como as possibilidades de outras aplicações desses materiais; Projeto 4 – Todos somos do mesmo
jeito? Discute as diferenças e as semelhanças entre as pessoas, características individuais e o respeito
ao outro.

No 2º ano o Livro do Estudante apresenta os projetos: Projeto1 – Cadê o Sol? Com proposta de
observação das sombras produzidas pelo Sol, suas mudanças e associação ao movimento aparente
do Sol; Projeto 2 - As plantas bebem água? Destaca a necessidade de água na vida das plantas;
Projeto 3 - Segurança em nossa moradia. Destaca a prevenção à acidentes domésticos e as
situações potencialmente perigosas em casa; Projeto 4 - Super-heróis da natureza. Trata da
preservação do meio ambiente, em especial das relações entre os seres vivos.

No 3º ano os projetos do Livro do Estudante são: Projeto 1 - Organizando coisas! Conhecimento


acerca dos animais, especialmente no que se refere à identificação das principais características e dos
critérios utilizados para classificá-los; Projeto 2 - Vamos fazer uma horta? Papel do solo na
produção, produtos da horta e alimentação saudável; Projeto 3 - Criando sons. Propriedades do som,
seu uso como forma de manifestação cultural e saúde auditiva; Projeto 4 - De mudança para Marte.
Modo de vida, necessidades e hábitos de consumo e descarte do lixo.

No 4º ano os projetos do Livro do Estudante são: Projeto 1 - Onde estou? Para onde vou?
Familiarização com os pontos cardeais, identificação das direções por métodos diversos, registro das
posições relativas do Sol, construção de um gnômon e de uma bússola; Projeto 2 - Os
microrganismos e nós! O papel dos microrganismos para o planeta; Projeto 3 - Quem come o quê?
Alimentação humana, características gerais da alimentação dos seres vivos e seu impacto no
ambiente; Projeto 4 - Construindo um filtro de água. Destaca o processo do tratamento da água e
sua importância para os seres humanos.

No 5º ano são propostos no Livro do Estudante: Projeto 1 - Somos o que comemos? Analisa
alimentos consumidos diariamente, alimentação saudável e balanceada; Projeto 2 - Para onde vai o
lixo? Geração e tratamento do lixo destacando comportamentos de consumo; Projeto 3 -
Exploradores do Universo. Observação do céu noturno e compreensão da Terra como parte do
Universo; Projeto 4 - Uso consciente da água. Disponibilidade da água na natureza, principais usos
e importância, e estudo do ciclo hidrológico.

59
PNLD 2019

O Livro do Estudante apresenta seções especiais com objetivos complementares como: Fique por
dentro, com textos explicativos e informações relacionadas aos temas dos projetos; Conhecendo
mais, sugestão de livros, de vídeos e de sites para que o estudante amplie os conhecimentos sobre
o tema do projeto; Sugestões de Visitação, com indicação de museus e de centros de Ciências em
todo o país para que o estudante possa explorar os assuntos tratados nos projetos. A obra traz
alertas na seção Atenção, sobre cuidados importantes para a segurança do estudante.

O Manual do Professor contém 132 páginas em cada um dos volumes. Nele há uma parte comum a
todos os volumes, orientações gerais, com detalhes da metodologia Aprendizagem Baseada em
Projetos (ABP), da estrutura dos projetos e da avaliação. A parte específica, diferente em cada
volume, traz informações sobre os projetos propostos para cada ano de escolarização. Essas
orientações informam sobre a escolha de cada tema, a indicação dos objetivos de aprendizagem, a
planilha com estrutura discriminada do projeto e quadro no qual é detalhada a avaliação,
caracterizada a partir do que é denominado rubricas (listas de critérios específicos que descrevem os
níveis de desempenho do estudante associando-os a conceitos).

As orientações comuns apresentam as seções: Introdução; Aprendizagem Baseada em Projetos


(ABP) em que é descrita a metodologia e suas características; Os elementos fundamentais da ABP,
destacando a mediação, as tecnologias digitais, a gestão do espaço e as competências gerais da
BNCC em sua relação com os projetos. Há ainda a seção O papel da avaliação nos projetos,
explicitando a proposta de trabalho com rubricas e, a seção Estrutura dos projetos, que descreve
detalhadamente como a coleção propõe o planejamento dos projetos.

A parte diversificada do Manual do Professor, isto é, aquela específica para cada ano, descreve os
quatro projetos que serão trabalhados em cada ano. No Manual do Professor, há também a
seção Bibliografia e Orientações específicas em que se detalha o planejamento de cada projeto.

Análise

A obra destaca a preocupação com a orientação didática para o professor, a caracterização da


proposta pedagógica e a formação cidadã. Enfatiza a mediação como fator importante para o
processo de aprendizagem e o papel do professor como fundamental na relação com os estudantes,
especialmente em propostas que valorizem a construção de conhecimentos.
60
PNLD 2019

Destaca-se a importância da participação do estudante no processo de ensino e aprendizagem, uma


vez que é chamado a refletir sobre os elementos apresentados e as descobertas realizadas, quando
da execução dos projetos.

A obra apresenta articulação entre os volumes e é clara a sequência progressiva entre os capítulos,
assim como entre os anos atendidos pelo material didático. Tal coerência sequencial é fomentada
pela abordagem das habilidades e competências de Ciências, Língua Portuguesa e Matemática. O
Manual do Professor explica detalhadamente, para cada atividade proposta, as habilidades da BNCC
presentes na coleção. Também orienta o professor em relação à Aprendizagem Baseada em Projetos
(ABP), por isso, mesmo que esteja pouco habituado à metodologia da Aprendizagem Baseada em
Projetos, estará apto a aplicá-la.

A coleção apresenta projetos sustentados por temáticas e problemas provenientes de contextos


autênticos. Dessa forma, os estudantes são confrontados com questões interdisciplinares, devendo
tomar decisões e trabalhar em equipe em busca da superação do desafio. Nesse processo, são
incitados ao pensamento crítico, à criatividade e à colaboração. Salienta-se, entretanto, que há um
nítido predomínio de temáticas que conduzem à conteúdos tradicionais do componente curricular
Ciências, como hábitos de higiene, alimentos e alimentação, lixo, água na natureza e ciclo hidrológico,
entre outros.

O percurso a ser desenvolvido pelos estudantes na direção dos objetivos de cada projeto é orientado
no material didático, podendo ser complementado ou expandido, de acordo com a necessidade.
Desse modo, os estudantes podem solicitar, junto ao professor, a possibilidade de se manter por
mais tempo em determinada etapa e/ou adicionar uma etapa não prevista inicialmente. A obra
informa, no quadro De olho na Base, do Manual do Professor, as competências e habilidades
propostas para cada projeto desenvolvido.

A coleção privilegia o envolvimento dos profissionais da escola e pessoas da comunidade na execução


das diferentes etapas do projeto. Para tanto, são mobilizados em consulta a materiais, em entrevistas
e/ou na apresentação dos resultados dos projetos. Destaca-se que a comunicação dos resultados,
produto final, é realçada como fundamental para que os objetivos sejam contemplados.

Os projetos trazem uma página de abertura com o objetivo de sensibilizar os estudantes sobre o
tema proposto instigando sua curiosidade. Nesse momento, a situação-desafio começa a tomar
forma por meio da leitura, discussão e análise de texto e/ou imagem os quais mobilizam o estudante
para o início do trabalho.

61
PNLD 2019

Outro ponto a salientar é a avaliação, que nesta coleção é vista como fio condutor das ações que
serão desenvolvidas em cada projeto. Isso demanda atenção constante do professor, pois ao
direcionar a ação pedagógica constitui-se em instrumento de análise do percurso de aprendizagem
dos estudantes e reflexão do trabalho docente. Recomenda, na conclusão de cada projeto, a
autoavaliação, por meio de troféus, e o uso de rubricas (lista de critérios e conceitos que descrevem
diferentes níveis de desempenho do estudante) propostas em quadro ao final de cada projeto.

Sala De Aula

A obra oferece possibilidades pedagógicas que favorecem a aprendizagem na sala de aula em todos
os volumes da coleção. Destaca-se a articulação entre as temáticas propostas nos projetos e as
competências previstas na BNCC.

Os princípios éticos fundamentais para a construção da cidadania, com destaque para o cuidado com
o ambiente, a valorização do trabalho em equipe e a atuação na realidade criam oportunidades para
que o estudante tenha uma visão de si como sujeito histórico, que se reconhece e interage na
sociedade em que vive.

A coleção contempla a diversidade da cultura brasileira e permite que o professor articule o saber
escolar às práticas políticas e sociais, proporcionando uma ponte entre a escola e a vida em
sociedade.

Os projetos têm como foco assuntos tradicionalmente tratados pelo componente curricular Ciências,
por isso considere a possibilidade de propor questões que mobilizem conhecimentos de outras áreas
na perspectiva interdisciplinar. Procure discutir os conceitos das ciências da natureza articulados a
outras áreas do conhecimento para que se ampliem e aprofundem as temáticas propostas nos
projetos.

Alguns temas contemporâneos são tratados a partir das discussões propostas nos projetos. No
projeto Segurança em nossa moradia, no Livro do Estudante do 2º ano, há uma tabela sobre
número de crianças hospitalizadas por tipo de acidente. Ela tem como objetivo sensibilizar os
estudantes para a temática. Nesse sentido, seria oportuno destacar as hospitalizações por acidentes

62
PNLD 2019

de trânsito, já que a temática não é abordada em outros projetos e merece atenção especial,
considerando sua relevância no contexto da sociedade brasileira.

A avaliação é destacada na coleção como sendo o fio condutor das ações a serem desenvolvidas nos
projetos e importante elemento para acompanhar o trabalho do professor e dos estudantes. Para
tanto, orienta a construção de rubricas, critérios específicos que descrevem os níveis do desempenho
dos estudantes. Cabe salientar o cuidado para que tais níveis não sejam tomados como elemento
decisivo para a promoção dos estudantes.

63
PNLD 2019

DA ESCOLA PARA O MUNDO: PROJETOS INTEGRADORES

TÍTULO
DA ESCOLA PARA O MUNDO: PROJETOS
INTEGRADORES

AUTORIA
GIULIANNY RUSSO, THAIS OGEDA, ANA CLARA
BIN; VALQUÍRIA PEREIRA; VIVIANE VILLELA;
RENATA FRAUENDORF; MARIA CLARA
GALVÃO; BÁRBARA PASSOS; LAÍS OLIVEIRA

CÓDIGO DO LIVRO
0092P19500

EDITORIAL
EDITORA ÁTICA1 / 2017

Visão Geral

A obra tem o objetivo de oferecer suporte ao processo de ensino e de aprendizagem, a partir do


desenvolvimento de projetos interdisciplinares como um apoio às ações pedagógicas do professor
em sala de aula.

A proposta da coleção é desenvolver ao longo do ano letivo projetos que ampliem e articulem os
conhecimentos das diferentes áreas e componentes curriculares, a fim de favorecer o debate de
temas contemporâneos de forma contextualizada, estabelecendo relação com a vida cotidiana, as
experiências sociais e a pluralidade sociocultural. Nesta perspectiva, a obra expressa, a partir de suas
temáticas, a valorização do repertório artístico e cultural da humanidade, apresentado nos textos dos
projetos e nas ilustrações o compromisso com a diversidade da experiência humana e a pluralidade

64
PNLD 2019

artística e cultural nas distintas regiões do Brasil, assim como do continente africano, tendo em vista
a importância da população negra na constituição sociocultural do nosso país.

Observa-se, ainda, a proposta de refletir sobre outros temas como a questão de gênero, a educação
para uma infância sem racismo e livre de preconceitos, a introdução de uma alimentação saudável, o
respeito ao meio ambiente, a construção de uma sociedade com sustentabilidade, consumo
consciente e qualidade de vida.

A obra privilegia a perspectiva interdisciplinar em que as temáticas dos projetos e as atividades


articulam-se às competências gerais a serem desenvolvidas, em conformidade com a Base Nacional
Comum Curricular (BNCC). A proposta didático-metodológica apresentada em toda a coleção nos
conteúdos, exercícios, ilustrações, sugestões de leituras e atividades complementares visa promover
a compreensão dos processos de construção social, cultural e histórica a partir da contribuição dos
diferentes grupos étnico-raciais. A coleção apresenta a participação da mulher em diferentes
sociedades e culturas, no âmbito do trabalho, das profissões e espaços de poder, com o objetivo de
reforçar seu protagonismo.

As atividades que compõem os projetos têm o objetivo de desenvolver aspectos cognitivos e


sensoriais, por meio de experiências e brincadeiras. A aprendizagem é estabelecida de forma
progressiva, ampliando a complexidade das atividades ao longo do desenvolvimento dos projetos e
dos anos de escolaridade.

As atividades e as instruções sobre o trabalho com as temáticas apresentam clareza e organização


didático-metodológica, para favorecer o desenvolvimento de habilidades e competências. Nos
exercícios são utilizados textos de diversos autores e diferentes gêneros textuais incentivando a
autonomia intelectual, com o objetivo de desenvolver as habilidades de compreensão,
argumentação, análise e síntese.

O projeto gráfico-editorial é adequado à faixa etária das crianças do primeiro segmento do Ensino
Fundamental e as diversas ilustrações e imagens atuam com o objetivo de enriquecer visualmente
as temáticas desenvolvidas nos projetos. Os elementos iconográficos e os infográficos fortalecem a
apresentação e a fixação dos conteúdos de forma funcional e prática, promovendo a articulação com
os textos de forma leve e contextualizada. As ilustrações apresentam-se inseridas ao contexto das
temáticas, de forma a despertar o interesse do aluno, estimulando a criatividade e o gosto pela leitura
do texto. A estética da obra torna-a funcional e estimula a leitura.

65
PNLD 2019

No Manual do Professor, o docente é orientado a empreender debates e reflexões para o exercício


da tolerância e do respeito à diversidade em prol da formação cidadã e da construção de uma
sociedade antirracista, solidária, justa e igualitária, nos moldes do convívio democrático de uma
sociedade republicana.

Descrição

Em todos os projetos dos livros desta coleção, são desenvolvidas atividades integradas aos
componentes curriculares de Língua Portuguesa, Arte, História, Geografia, Matemática e Ciências.
Não há cronograma definido para as atividades, mas a realização de um Projeto Integrador por
bimestre letivo pode ser considerada viável, ficando o andamento a cargo do professor.

O Livro do Estudante apresenta seções fixas organizadas em um sumário sintético. Cada volume é
composto por quatro projetos, desenvolvidos em quatro etapas, denominados como Momentos.
Para cada ano do Ensino Fundamental é proposta uma temática específica: no livro do 1º ano a
temática gira em torno dos brinquedos; no segundo ano o tema é a alimentação saudável; no livro
do terceiro ano é apresentada a cultura indígena a partir da expedição ao Parque Indígena do Xingu;
no livro do quarto ano o tema é a África e sua importância cultural; e no quinto ano é discutida a
questão do lixo e seu impacto no meio ambiente. A apresentação do Livro do Estudante possui uma
parte introdutória, dividida em: apresentação da obra; roda de conversa; apresentação da temática;
e os objetivos do trabalho. No livro do 1º ano, composto de 88 páginas, os projetos relacionam-se
aos brinquedos. No Projeto 1- Era meu, agora é seu!, discute-se a importância da feira de trocas de
objetos, mais especificamente a troca de brinquedos usados em boas condições de uso e a
culminância do projeto é a realização de uma feira de trocas. O Projeto 2: Brinquedos que
voam propõe a investigação, do ponto de vista científico, das condições necessárias para que os
brinquedos voem e tem como produção final a confecção de aviões de papel e a observação de suas
trajetórias. O Projeto 3: Brinquedos para todos os gostos estimula o debate sobre questões de
gênero por meio de uma reflexão acerca da existência ou não de brinquedos, objetos e profissões
especificamente femininas e masculinas. A culminância do projeto é a intervenção no espaço da
escola através de bilhetes expostos em murais com mensagens que instigam e provocam a reflexão
sobre o tema. No Projeto 4: Museu do brinquedo é apresentado o conceito de museu, a forma de
organização desse espaço e os tipos de exposições. Propõe-se, como conclusão, a organização do

66
PNLD 2019

Museu do Brinquedo a partir da contribuição de toda a comunidade escolar. No livro do 2º ano, com
80 páginas, os projetos relacionam-se com o tema da alimentação saudável. No Projeto 1: Comidas
e alimentos são apresentados os tipos de alimentos que são consumidos no dia a dia. Ao término é
proposta a elaboração de um cardápio com alimentação saudável. No Projeto 2: Conhecendo os
alimentos são demonstrados diversos tipos de alimentos naturais e industrializados e propõe-se a
interpretação de informações dos rótulos dos produtos comercializados. A culminância do projeto é
a confecção de um Livro de Receitas Saudáveis. No Projeto 3: Por que comemos? são estudados os
nutrientes que entram na composição dos alimentos e a função de cada um deles para a boa saúde.
Propõe, ao final do projeto, a releitura de uma obra de arte, a partir das obras de pintores como Ivan
Cruz, Pieter Brüegel e Giuseppe Arcimboldo. O Projeto 4: Alimentos e comidas têm história estimula
o estudo das comidas brasileiras a partir da contribuição cultural de diferentes povos e tem como
culminância a produção de um Folheto Informativo. O livro do 3º ano, com 72 páginas, contém
projetos relacionados à cultura indígena. No Projeto 1: Expedição ao Parque Indígena do Xingu é
proposta uma expedição imaginária a este parque e, ao final, a realização de uma exposição itinerante
sobre o tema. No Projeto 2: Arte em toda parte o desafio é conhecer histórias e entender as formas
de arte dos povos indígenas do Xingu. Tal projeto encerra propondo a organização de um cantinho
de leitura com livros sobre os mitos indígenas escolhidos pela turma na biblioteca e/ou sala de leitura
da escola, e a confecção de tapetes inspirados nos grafismos indígenas. No Projeto 3: Do Xingu à
nossa mesa a proposta é de investigar a contribuição dos hábitos alimentares indígenas na nossa
alimentação e, para tanto, como finalização, indica a produção de um livro de receitas. O Projeto
4: Todo dia é dia do Índio!, estimula a organização de informações sobre tudo que os estudantes
descobriram sobre os povos indígenas do Xingu para apresentarem à comunidade escolar. A
culminância do projeto é a organização de uma Mostra Cultural reunindo as produções da turma. No
livro do 4º ano, que contém 80 páginas, o tema é o continente africano com destaque para
Moçambique. No Projeto 1: África, tecendo novos olhares!, os alunos são apresentados aos objetos
e às referências da cultura moçambicana. O projeto encerra propondo a criação de uma Capulana. No
Projeto 2: Meu corpo, minha história os estudantes são levados a conhecer o corpo humano de uma
forma divertida, lendo sobre as danças e os dançarinos de origem africana. E, ao fim, o projeto
estimula a realização de um espetáculo de dança. No Projeto 3: Uma África, muitas faces! são
apresentados costumes, histórias e os traços fenotípicos de populações africanas, promovendo uma
discussão sobre diversidade e respeito. Tem como culminância a produção de uma obra de arte. No
Projeto 4: África: sou plural! são construídas e compartilhadas informações sobre o continente
africano e seus povos e tem como produto a criação de uma exposição do espaço de memórias do
estudo para apresentar à comunidade escolar. O livro do 5º ano, também com 80 páginas, discute a
67
PNLD 2019

produção e descarte do lixo. No Projeto 1: Como produzimos lixo? é discutido o impacto da produção
de resíduos sólidos para o meio ambiente e a manutenção da vida no planeta Terra. O projeto encerra
propondo a criação de uma exposição oral. O Projeto 2: Resíduos: para onde vão? propõe aos
estudantes conhecerem as formas de tratamento dos resíduos sólidos e conclui a ação estimulando
a realização de uma campanha de conscientização, com a participação da comunidade escolar. No
Projeto 3: Consumo consciente, os alunos e alunas, sob a supervisão do professor, aprenderão a
fazer compostagem orgânica. A proposta final é a criação de um canteiro de compostagem orgânica.
O Projeto 4: ReutilizArte!, tem a proposta de reutilizar e transformar resíduos sólidos em Obras de
arte, além de refletir sobre o impacto do acúmulo de lixo. A culminância do projeto é a confecção de
Obras de arte com resíduos sólidos, com a finalidade de fazer uma intervenção artística na escola e
discutir a questão do acúmulo de lixo e da reutilização. No projeto gráfico-editorial há um sistema de
legendas em todos os volumes na forma de ícones, indicando os modos para a realização dos
projetos. Tais ícones contemplam alguns comandos como: trabalho individual, em dupla, em coletivo,
para conversar, registro coletivo, para pensar, faça no caderno, roda de leitura e avisos. São figuras
coloridas com as cores base da obra: verde e vermelho e em tamanho adequado. Os textos das
atividades são curtos e com linguagem clara e, em especial para o 1º e 2º anos, adéquam-se para
leitura em voz alta feita pelo professor, um procedimento bastante comum e adequado para o ensino
desses anos letivos. O Manual do Professor é composto por uma parte geral e uma introdutória com
esclarecimentos sobre o trabalho com projetos. Nessa perspectiva, o Manual apresenta a BNCC para
o Ensino Fundamental, analisa a importância da interdisciplinaridade no contexto da escola do século
XXI e estimula o trabalho coletivo, além de discutir o desenvolvimento de habilidades e competências.
Composto de 63 páginas para cada um dos anos, na primeira parte do Manual são apresentados os
seguintes tópicos: A coleção no contexto atual; A base curricular; O trabalho com projetos; A
proposta de projetos da coleção; Situação-problema: possibilidade de desenvolver
competências; Os projetos na BNCC: uma conquista; Avaliação formativa; O desenvolvimento de
trabalhos em grupo; O produto final de um projeto (a culminância); As áreas do conhecimento e
os componentes curriculares; Como estão organizados os livros da coleção; Bibliografia. Na
segunda parte do Manual do Professor é reproduzido o Livro do Estudante em sua integralidade,
com sugestões e propostas para orientar o desenvolvimento dos projetos até a culminância,
abordando as estratégias a serem utilizadas, os objetivos das atividades, as habilidades a serem
desenvolvidas em cada conteúdo disciplinar e as competências gerais alinhadas à BNCC.

Análise
68
PNLD 2019

A obra estabelece o trabalho com projetos de forma processual, ampliando a complexidade ao longo
dos anos de escolaridade para que haja o desenvolvimento de competências a partir das
aprendizagens construídas em atividades individuais e coletivas. A escola na contemporaneidade
precisa estar aberta à diversidade, à equidade, à pluralidade, atendendo aos ideais democráticos e
republicanos. Nesta perspectiva, as temáticas são evidenciadas cumprindo as exigências das
legislações vigentes e de documentos oficiais. Os temas desenvolvidos nos distintos projetos são
contemporâneos, abordando especialmente: direitos da criança e do adolescente; preservação do
meio ambiente; educação alimentar e nutricional; processos de envelhecimento, respeito e
valorização ao idoso; educação em direitos humanos, bem como saúde, sexualidade, vida familiar e
social; educação para o consumo; educação financeira e fiscal, trabalho, ciência e tecnologia;
diversidade e pluralidade culturais. Os volumes da obra abordam tais temáticas de forma instigante
e problematizadora, estabelecendo o desenvolvimento do trabalho em equipe e integrando a
comunidade escolar na culminância do(s) projeto(s), considerando que o sentido da escola é a
construção da cidadania para que a pessoa atue e interaja socialmente de forma crítica e consciente.

A coleção tem uma proposta interdisciplinar em que os Projetos Integradores dialogam com os
conteúdos dos componentes curriculares do primeiro segmento do Ensino Fundamental sob uma
perspectiva crítica, abordando aspectos sociais e culturais em sua amplitude, no contexto local,
regional e global. Tais aspectos compõem potencialidade da coleção. No Manual do Professor há
orientação para que as atividades sejam desenvolvidas em diferentes linguagens, verbais e não
verbais, tais como a arte, a música, a dança, dentre outros.

Em termos teórico-metodológicos, os Projetos Integradores se apoiam numa perspectiva


construtivista, a partir da construção do conhecimento de forma processual e interativa, em que a
aprendizagem se estabelece em diálogo com a realidade circundante e na prática, de forma empírica
e contextualizada. Também propõe uma avaliação formativa, que deve ocorrer durante todo o
processo de desenvolvimento do projeto, de modo contínuo e centrado na aprendizagem individual
do aluno, na observação do trabalho em equipe e na mobilização do grupo. Ao final de cada projeto,
observa-se um espaço para a autoavaliação, estimulando o estudante a perceber-se em seu
protagonismo discente, nas atividades individuais e de grupo.

Sala De Aula

69
PNLD 2019

Professor, esta coleção apresenta a possibilidade de sua turma realizar no ensino fundamental uma
prática pedagógica inovadora e que pode oportunizar a construção dos conhecimentos para cada
estudante mediados por você. A proposta pedagógica da obra estimula o pensamento crítico, com o
objetivo de desenvolver no estudante o reconhecimento de seus direitos e deveres, de forma
responsável e cidadã, respeitando a diversidade étnico-racial, a pluralidade cultural, a diferença em
termos etários e de gênero, discutindo o preconceito, a ética e a contribuição de diferentes povos na
constituição do povo brasileiro, a partir da valorização dos conhecimentos históricos construídos.

A coleção desenvolve, ainda, o exercício da curiosidade intelectual, o senso estético, a


responsabilidade socioambiental, a importância do trabalho coletivo e do envolvimento da
comunidade em ações coletivas. A prática de pesquisa é incentivada tanto por meio de leitura e de
acesso a dados contidos em textos, quanto por meio de entrevistas e levantamento dos seus
próprios conhecimentos prévios. Ao longo da obra, há uma gama de atividades propostas a fim de
estimular a interação, o convívio social e o reconhecimento de diferenças: muitos trabalhos coletivos
e dialogados, propostas de resolução de problemas, realização de experimentos com apoio,
entrevistas, tabulações, informes, pesquisas, organização de exposição, visitas, escrita coletiva,
mostras culturais, exposição oral, dentre outras. Também aproxima os processos, práticas e
procedimentos de análise e de investigação por meio de atividades que estimulam observação,
curiosidade, experimentação, interpretação, discussões de resultados, criatividade, síntese, registros
e comunicação quando propõe situações em que as crianças são estimuladas a extrair de textos,
gráficos, mapas e imagens informações explícitas e implícitas.

O procedimento para que as crianças sejam mobilizadas para a investigação é bem interessante, pois
primeiro as subsidia com informações e depois as estimula a também buscarem informações/dados
em casa ou com outras pessoas da escola, além de formular hipóteses e sempre socializar as
elaborações coletivamente. A tônica da obra são as atividades em grupo. Isso nota-se na análise dos
enunciados da questão, com a maioria dos verbos no plural (ditem, desenhem, respondam,
conversem, observem, combinem, contem, pintem, listem, escrevam, dentre outros) ou denotando
socialização de informações, dados ou impressões (compartilhe, converse e outros). As atividades
propostas na obra favorecem a autonomia, a criticidade e a oralidade, não se furtando, nem mesmo
em relação aos anos mais iniciais, de mostrar processos tecnológicos/científicos complexos. As
situações-problema apresentam todos os graus em nível de desafio, permitindo que uma turma
heterogênea participe a contento destas atividades escolares. Os conhecimentos prévios são sempre
acionados para a construção de novos conhecimentos, sem recorrer à memorização ou abordagem
conteudista.

70
PNLD 2019

O início de cada conversa traz perguntas que mobilizam os conhecimentos prévios da turma.
Complementando umas as outras, as respostas de cada estudante comporão um quadro de
conhecimentos prévios. A coleção não se apresenta ao leitor de modo fechado ou impositor, de
verdade ou método, mas sim como um importante complemento ao processo de ensino-
aprendizagem pretendido nos anos iniciais do Ensino Fundamental. Isso, somado ao elevado grau de
autonomia e à tendência à inovação do professor, os objetivos pretendidos pela obra podem ser
extrapolados para caminhos alternativos e até mais eficientes. Em relação ao uso de Tecnologias da
Informação e da Comunicação (TIC) é importante que você, professor, pesquise softwares, links e
páginas que valorizem os conteúdos e os projetos propostos na coleção, os quais tornem o processo
pedagógico mais atrativo e vinculado ao mundo atual, que é permeado por conteúdos informacionais
e multimidiáticos.

Por fim, é importante sinalizar que a coleção, nos livros do 1º ao 5º ano do Ensino Fundamental, tem
o compromisso de oportunizar aos estudantes e professores que reflitam sobre temáticas de
relevância social e cultural, de forma a problematizar e envolver a comunidade escolar. São temáticas
que promovem e instigam a reflexão, a responsabilidade social, a valorização cultural e artística da
humanidade; também estimulam a tolerância, o respeito à diversidade, o respeito ao meio ambiente
e o compromisso político-social. Do ponto de vista do processo de ensino e aprendizagem, a obra
valoriza o conhecimento prévio do aluno, estimulando sua capacidade de argumentação, o
autoconhecimento, a cooperação e o trabalho em equipe, bem como o pensamento crítico-reflexivo
e o compromisso cidadão em prol de uma sociedade mais ética, tolerante, solidária e humana.

71
PNLD 2019

NOSSO LIVRO DE PROJETOS INTEGRADORES

TÍTULO
NOSSO LIVRO DE PROJETOS INTEGRADORES

AUTORIA
MÁRCIA CRISTINA HIPÓLIDE

CÓDIGO DO LIVRO
0095P19500

EDITORIAL
ZÉ - ZAPT EDITORA LTDA 1 / 2017

Visão Geral

A coleção propõe um conjunto de projetos com temáticas relevantes, as quais favorecem a reflexão
individual e coletiva contribuindo para a aprendizagem dos estudantes. A socialização das
aprendizagens, produzidas nos projetos, é destacada no produto final, valorizando a participação da
comunidade escolar e local. Essa prática coloca a possibilidade de estender a troca de conhecimento
entre os sujeitos, o que também pode contribuir com a formação integral dos estudantes de forma
crítica e participativa.

As temáticas propostas nos projetos têm como foco as regiões Norte do Brasil, mas os projetos
pretendem estender-se às distintas realidades brasileiras. Mesmo que os estudantes sejam de outras

72
PNLD 2019

regiões é possível que professor construa propostas contextualizadas em relação aos espaços de
vivência dos estudantes.

As práticas interdisciplinares são estimuladas ao longo de todo o material, aspecto que favorece a
integração entre os diferentes componentes curriculares. A cada volume, observa-se o
aprofundamento conceitual em relação às diferentes temáticas conforme as respectivas dos anos de
escolarização.

As orientações aos docentes no Manual do Professor de cada volume ressaltam a importância de


preparar o estudante integralmente, visando formar um cidadão participativo, crítico e atuante na
sociedade, que saiba relacionar-se com seus pares de forma respeitosa. Para tanto busca integrar as
habilidades cognitivas, comunicativas e socioemocionais.

O Manual do Professor oferece suporte para o professor que queira trabalhar com a metodologia de
projetos, pois contém orientações teóricas e práticas. Salienta a importância dos estudantes
vivenciarem a experiência com projetos para que possam articular conceitos escolares aos contextos
do cotidiano e ampliar a compreensão de diferentes realidades.

As habilidades e competências propostas na BNCC (Base Nacional Comum Curricular) são destacadas
em quadro síntese e explicitadas para cada um dos projetos dos diferentes anos de escolarização. Tal
sistematização contribui para o planejamento das ações pedagógicas dos professores

Observa-se, ao longo de toda a coleção, explícita preocupação com o indivíduo e o intuito de instituir
uma cultura de paz, de formação integral do estudante.

Descrição

A obra contém cinco Livros do Estudante com 68 páginas em cada volume e cinco Manuais do
Professor com 132 páginas, em cada um dos volumes. O Livro do Estudante está organizado
inicialmente com uma Apresentação, em que o autor explica a importância dos projetos e chama
atenção para uma convivência respeitosa para os estudantes efetivar as aprendizagens.

Cada volume é composto de quatro projetos. No volume do 1º ano são propostos os projetos Álbum
do meu lugar; Minha família é uma pintura; Juntando os espaços da minha escola e Os

73
PNLD 2019

trabalhadores da minha escola. Já o volume do 2º ano apresenta os projetos: A lista dos nossos
combinados; Carteira de vacinação: toda criança deve ter; No tempo dos meus avós e Os
trabalhadores da minha comunidade. No volume 3º ano os projetos são: A rua da minha escola; As
cores da minha cultura; A cidade ideal e Comunidade em ação. O volume do 4º ano traz os projetos
Daqui para lá, de lá para cá; Nosso campo; Riquezas em trânsito e Comunicação, conhecimento
e cultura. Ainda há, no volume do 5º ano os projetos O meu lugar no mundo; Cidadania e
sustentabilidade; Nem tudo é lixo e Desperdiçar alimentos: não!

Os projetos partem, inicialmente, do contexto do estudante, evidenciando sua realidade e,


posteriormente articula às realidades desconhecidas ou distantes, valorizando a relação do micro ao
macro. Os conhecimentos do estudante são valorizados e enfatizados nas atividades orais ou
escritas, especialmente no 1º volume. Trabalhos individuais e em grupo são destacados e o respeito
à opinião do outro evidenciado em todos os projetos da coleção.

Cada um dos volumes apresenta uma sequência de atividades propostas para cada projeto nos itens
a Abertura, Desafio, Meus conhecimentos, O que mais eu sei, Conviver, organizar e planejar. Há,
ainda, ao final, indicação de livros para leitura complementar que é intitulada Fique Ligado.

O Manual do Professor está dividido em duas partes. A primeira com 62 páginas, denominada Parte
Comum, traz aspectos teóricos metodológicos e as concepções sobre o trabalho com Projetos
proposto na coleção. Destacam-se os seguintes itens: Apresentação, convite à leitura do Manual; O
que é a coleção, explicita as características gerais da coleção de Projetos Integradores; A
aprendizagem por meio de Projetos, comenta a importância do trabalho com projetos tendo em
vista a aprendizagem significativa e a formação cidadã; Organização da obra, evidencia as seções
do Livro do Estudante e as comenta; Integração entre habilidades cognitivas, comunicativas e
socioemocionais, salienta a importância de desenvolver habilidades cognitivas, comunicativas e
socioemocionais para fortalecem os conceitos de ética e cidadania; A coleção e a BNCC, destaca a as
competência gerais, habilidade específicas e objetos de conhecimentos da BNCC para os anos Iniciais;
A avaliação, discute o papel da avaliação processual; Autoavaliação, informa sobre seu papel na
aprendizagem; Quadro de Conteúdos/Projetos e Progressão, apresenta todos os temas/assuntos
dos projetos integradores dos cinco volumes; Os projetos e a progressão, orientações sobre como
trabalhar em cada seção da coleção, sugestões de sites sobre aprendizagem; Referências
bibliográficas; Bibliografia digital e Projetos integradores, habilidades socioemocionais na busca

74
PNLD 2019

da promoção da cultura de Paz, motivos, intencionalidades e os objetivos para criação dos projetos
integradores.

Na Parte Específica, do Manual do Professor, com 68 páginas, há a reprodução do Livro do


Estudante comentado página a página. Nela estão as orientações, objetivos, metodologias,
atividades e leituras complementares para cada um dos projetos indicados para os diferentes anos
de escolarização. Os manuais de cada ano de escolarização trazem um resumo dos projetos o que
favorece uma visão geral do que já foi ou está sendo trabalhado nos Anos Iniciais do Ensino
Fundamental. Também há resumo sobre a progressão ano a ano, com aprofundamento de cada
temática. Ao final das orientações são apresentadas as referências bibliográficas utilizadas pela
coleção.

Um aspecto importante e que necessita ser destacado são as recomendações para o trabalho
interdisciplinar ao longo de toda a obra, incluindo-se as orientações iniciais ao professor.

Análise

A proposta didático-pedagógica da coleção preconiza a construção da aprendizagem significativa por


meio de projetos que articulam diversos componentes curriculares, conceitos, objetos de
conhecimento e/ou observações da realidade. Dentre os fundamentos teóricos, tem como principais
conceitos os de sociedade, cultura e trabalho os quais perpassam os conhecimentos e vinculam os
conceitos das disciplinas. Ao longo do manual faz indicação ao docente de ferramentas que
possibilitam refletir e dinamizar as estratégias de ensino aprendizagem.

Nota-se o destaque à temática da formação cidadã, em projetos que valorizam as relações de gênero,
o trabalho, o consumo e a pluralidade cultural. O trabalho proposto visa um ensino dinâmico que
contribua na construção do conhecimento científico por meio de desafios e com protagonismo do
estudante. Os conhecimentos prévios dos estudantes são considerados e utilizados a cada abertura
de projetos, e por fim, retomados ao final do estudo das temáticas dos projetos. São aspectos que
conduzem o estudante a refletir sobre suas aprendizagens.

Com o uso de diferentes gêneros textuais, a obra sugere um leque de possibilidades metodológicas:
observação e identificação de elementos na paisagem, reflexão sobre processos históricos e

75
PNLD 2019

construção de conceitos. Favorece, ainda, o desenvolvimento de habilidades mais instrumentais


como a ordenação, a organização e a associação de ideias, bem como de uma diversidade de recursos
que contribuem no desenvolvimento da argumentação, síntese e seleção de informações. Destaca-
se, também o desenvolvimento de projetos com atividades que exigem debates e posicionamentos,
o que potencializa a participação social do estudante.

Para sensibilidade em relação aos questionamentos em torno dos princípios éticos, como elemento
principal para a estruturação da cidadania, são propostas nos textos, imagens, ilustrações e
atividades, nos quais se destacam o respeito às diferenças, a boa convivência, o cuidado com o
ambiente e a valorização do lugar de vivência do estudante.

A Formação Cidadã articula-se ao tratamento dos conteúdos interdisciplinares e reforça-se o


exercício individual e, posteriormente, o debate entre duplas e grupos. Tais atitudes valorizam a
reflexão e a participação do estudante ao explorar temas importantes para a sua realidade. Temáticas
como a diversidade cultural, as questões sobre temáticas contemporâneas, como sustentabilidade,
papel da imagem/mídia, consumo, direitos humanos entre outras, são exploradas no decorrer da
coleção, com abordagens que estabelecem relações entre o conteúdo e a realidade do estudante.

A proposta pedagógica evidencia um ensino dinâmico que reconheça o protagonismo do estudante


e contribua para a construção do conhecimento, por meio de desafios, da coleta de informações, da
análise, do confronto e de interpretação de dados. Há provocação do desenvolvimento do
pensamento crítico e da formação cidadã, um estudante capaz de reconhecer direitos e deveres,
respeitar as diversidades e questionar sua realidade.

O projeto gráfico editorial é funcional e agradável. Os recursos visuais são aplicados com igualdade
nos capítulos, como a cor da abertura e fechamento das unidades. Os boxes também recebem um
tratamento gráfico que os diferenciam. Os textos estão compostos com letras de tamanho e
espaçamento que proporciona boa leitura. Os títulos e os subtítulos são hierarquizados pelo tamanho
da fonte e pelo espaçamento entre as linhas. Apresenta uma organização clara, coerente e prática,
através de seus quatro capítulos, considerando a proposta didático-pedagógica e a adequação à faixa
etária dos estudantes. O sumário possui informações concentradas em fonte de tamanho adequado
e diferenciado pelas cores.

O Manual do Professor propõe um estudo interdisciplinar a partir do desenvolvimento de quatro


projetos ao longo do ano letivo. Isto é feito estabelecendo conceitos fundamentais e oportunizando
situações de aprendizagem que favoreçam a compreensão do contexto dos estudantes. Busca

76
PNLD 2019

reforçar o compromisso com o ensino voltado à formação de cidadãos críticos e participativos. Há


orientações metodológicas para o trabalho pedagógico com as linguagens verbais e não verbais e
noções conceituais do projeto integrador. Fornece um amplo e rico trabalho com documentos
imagéticos, com sugestões de atividades, indicação de leituras e de textos de aprofundamento para
o professor. A avaliação da aprendizagem, bem como o trabalho com a interdisciplinaridade, constitui
uma preocupação no conjunto das orientações. Sugestões de roteiros e de atividades com esse
propósito acompanham todos os projetos e constituem um aspecto qualificador da coleção.

Sala De Aula

Professor, esta coleção é voltada à formação cidadã, em diversos aspectos, fornecendo oportunidade
para trabalhos nesse sentido, quer nas atividades de maneira geral, quer nas temáticas referentes
aos produtos de cada projeto desenvolvido. Você pode considerar as orientações gerais sobre as
etapas dos projetos, assim como, as observações sobre as habilidades a serem desenvolvidas em
cada etapa dos projetos, além das orientações voltadas para a avaliação da aprendizagem no Manual
do Professor, tomando-as como base para estabelecer as formas e os recursos de avaliação da
aprendizagem nas situações diárias de ensino.

Na coleção, a ideia de projeto integrador é pontuada através de várias propostas de trabalhos


interdisciplinares. Para executá-las com mais eficiência, será importante o diálogo com os estudantes,
visto que a coleção chama a sua realidade. O planejamento, a organização, a realização e a avaliação
exigem discussões e decisões, considerando as especificidades das disciplinas envolvidas. O uso da
coleção pode significar a oportunidade de valorizar as atividades construídas a partir do
conhecimento prévio dos estudantes, além de promover a prática da investigação individual e em
grupo.

Há uma contextualização no que diz respeito aos documentos balizadores da coleção utilizados.
Procura-se fornecer orientação didática para o professor quanto à proposta pedagógica e formação
cidadã, a relação estudante-professor como mediação e a atitude de investigação. Os direitos
humanos estão no foco de cada volume e cada projeto, logo, respeitar a diversidade, reconhecer-se
no outro como a si mesmo são alguns dos aspectos que devem marcar o desenvolvimento das
atividades com a coleção. Desta forma, posturas como exercitar a empatia, o diálogo, a resolução de
conflitos e a cooperação, fazendo-se respeitar e promovendo o respeito ao outro, com acolhimento

77
PNLD 2019

e valorização da diversidade de indivíduos e de grupos sociais, seus saberes, identidades, culturas e


potencialidades, sem preconceitos de origem, etnia, gênero, orientação sexual, idade, habilidade,
convicção religiosa ou de qualquer outra natureza podem ser uma experiência rica. Igualmente,
permitir que os estudantes desenvolvam-se se reconhecendo como parte de uma coletividade com
a qual deve se comprometer.

Outra marca no uso da coleção se deve à proposta didático-pedagógica concebida pela inserção do
elemento lúdico, pela indicação de eixos temáticos e pelo destaque ao uso escolar da fonte histórica
para construção do conhecimento e articulação dos conceitos. Ao longo dos projetos com as
atividades da coleção, o trabalho permitirá problematizar os conceitos de sociedade, cultura e
trabalho, pois eles perpassam os conhecimentos e articulam os conceitos das disciplinas
contempladas a cada ano. As práticas interdisciplinares são favorecidas ao longo de todo o material
e este aspecto favorece a integração dos componentes curriculares apontadas nos diferentes
projetos.

Os volumes propõem aprofundamento teórico de diversas temáticas em cada um dos diferentes


anos. Outro aspecto a destacar são as sugestões fichas avaliativas e de autoavaliação, subsídios
relevantes para auxiliar o desenvolvimento dos projetos, o acompanhamento da trajetória dos
estudantes e a reorganização do planejamento do professor. Assim, as leituras e as orientações para
o planejamento e a execução das práticas pedagógicas podem encaminhar ações que qualificam o
trabalho docente e as aprendizagens dos estudantes.

A interdisciplinaridade é um elemento forte ao longo da obra, fato relevante que dá significado a


proposta de projetos integradores e a progressão das aprendizagens. Sugestões de roteiros e de
atividades com esse propósito acompanham todos os projetos e constituem um aspecto qualificador
da coleção.

Os conhecimentos prévios dos estudantes precisam ser considerados e utilizados a cada abertura de
projetos, e retomados ao final do estudo da temática.

Cabe ressaltar que, em relação às imagens presentes em alguns projetos, apenas três regiões
brasileiras estão efetivamente contempladas, ainda que a coleção deixe claro que seu foco é a região
Norte do Brasil. Isto exigirá atenção do professor para ampliar as pesquisas buscando atender todas
as regiões brasileiras, em qualquer que seja a temática abordada no projeto. Por exemplo,
aprofundando a pesquisa a partir de informações sobre as regiões Sul e Centro-Oeste pouco
consideradas nos projetos da coleção.

78
PNLD 2019

Em sala de aula, o papel fundamental do Professor será fazer a diferença para aqueles aspectos
parcialmente explicitados ou contemplados na coleção. Neste caso, pode tornar-se necessária uma
complementação por parte do professor, por exemplo, para incluir manifestações culturais de outras
regiões e locais do Brasil, quando estiver desenvolvendo algumas das propostas de projeto, como As
Cores da Minha da Minha Cultura.

O uso da coleção apresenta-se como um desafio para desenvolver uma perspectiva de ensino e
aprendizagem integradora associada à resolução de problemas do cotidiano e mediação de
diferentes conflitos em sala de aula. Espera-se que nesse sentido, a troca, o compartilhamento, a
colaboração e cooperação sejam atitudes valorizadas para a formação cidadã.

79
PNLD 2019

PROJETO INTEGRADOR CIDADANIA EM AÇÃO

TÍTULO
PROJETO INTEGRADOR CIDADANIA EM AÇÃO

AUTORIA
ROSALY BRAGA CHIANCA, SILVIA HELENA
MATTEI DE A. CAMPOS, LÍLIA DE AZEVEDO
COSTA NOGARA

CÓDIGO DO LIVRO
0272P19500

EDITORIAL
EDITORA VERA CRUZ 1 / 2017

Visão Geral

A obra trabalha prioritariamente os componentes curriculares de Ciências e Geografia nos livros do


1º ao 5º ano do Ensino Fundamental. São desenvolvidos quatro projetos por volume para as
atividades: Ponto de Partida, Vamos conversar, Hora da pesquisa, Leituras e
descobertas, Desafio e Mão na massa. As habilidades desenvolvidas juntamente aos componentes
curriculares citados, de acordo com a introdução no Manual do Professor, relacionam-se com Língua
Portuguesa, Matemática, Arte e Educação Física. Cada um dos volumes é organizado em quatro
projetos independentes com seus subtemas, mas que partem de uma mesma questão-desafio que
os conecta. Essa questão-desafio acaba por facilitar o desenvolvimento de outras questões-desafio
presentes nos subtemas trabalhados ao longo dos cinco volumes.

80
PNLD 2019

O Volume do 1º ano é dedicado ao processo de construção da identidade da criança, sua relação com
a formação cultural e da sociedade brasileira; o Volume do 2º ano destina-se a tratar questões do
meio ambiente e da valorização dos diversos biomas, bem como dos seres que nele vivem e
contribuem para seu desenvolvimento; o Volume do 3º ano trata das questões da Terra e do Sol e
de que maneira um é influenciado pelo outro, desde sua observação até como os ciclos influem nas
atividades dos seres vivos; o Volume do 4º ano dedica-se a abordar a tragédia ocorrida em
Mariana/MG e como este desastre influencia o meio ambiente; já no volume do 5º ano, são
apresentadas propostas de desenvolvimento sustentável e o estímulo a atitudes para preservação
do Planeta Terra.

A coleção apresenta tanto nos conteúdos trabalhados como nas atividades propostas a preocupação
em se respeitar a diversidade étnico-cultural que forma a sociedade, bem como busca estimular um
comportamento responsável e reflexivo frente às questões socioambientais, dando ênfase à questão
da utilização e do respeito aos recursos naturais utilizados e aos elementos que formam os
ecossistemas. Para isso, fundamenta-se em uma metodologia de projetos inspirada no
Construtivismo, baseando-se principalmente na teoria psicogenética de Jean Piaget.

Nessa metodologia, o aluno é levado a uma postura experimental em que deve levantar e testar
hipóteses que são postas em prova a partir de atividades individuais e em grupo a serem realizadas
na própria escola, bem como em espaços fora dela. A metodologia didático-pedagógica apresentada
pelos volumes também se baseia, de acordo com descrição proposta no Manual do Professor, nas
perspectivas teóricas de Dewey, Kilpatrick, Freinet e Decroly, dando ênfase à importância da prática
na construção de conhecimentos, tendo o processo como agente na busca de autonomia da criança
para lhe dar subsídios para atuar de maneira crítica e investigativa.

Descrição

Cada livro da coleção contém quatro projetos, que são independentes nos temas abordados, mas
encontram-se ligados por uma questão-desafio que os estruturam. Essas questões-desafio são
direcionadas ao ensino de Geografia e de Ciências nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental, e
também mobilizam outras áreas de conhecimento.

81
PNLD 2019

Todos os cinco volumes de Livros do Estudante apresentam 80 páginas, já no Manual do Professor


há uma parte inicial que é paginada utilizando números romanos, tendo ainda no final de cada
Manual do Professor alguns espaços destinados às anotações. Na primeira parte do Manual do
Professor há a apresentação de quatro pontos fundamentais da coleção, a saber: Proposta teórico-
metodológica da coleção; Estrutura e organização da obra; Bibliografia e Informações
complementares aos conteúdos trabalhados.

A questão-desafio do Livro do Estudante, Volume do 1º ano é “Em que eu e as outras crianças somos
diferentes? No que somos iguais?”, esta se desdobra em outras quatro questões-desafios, uma para
cada um dos quatro projetos presentes no livro, sendo elas: Você é igual a mim? Isso importa? Em
que somos iguais?; Crianças brasileiras: como é viver em contato com a natureza?; Por que
crianças de diversos países têm vindo para o Brasil?; Criança quer brincar, mas brincar de quê? No
Livro do Estudante, Volume do 2º ano, a questão estruturante é: “O ser humano pode modificar o
ambiente? E o que pode acontecer?”, essa pergunta se distende em outras quatro: Por que motivo
eu preciso cuidar dos ambientes que frequento?; Por que as minhocas são tão importantes para
os ambientes onde vivem?; Aves e ambientes urbanos: há equilíbrio nessa relação?; Como
podemos utilizar a água de maneira mais adequada?. No Livro do Estudante, Volume do 3º ano, a
questão-desafio é: “O que podemos descobrir ao olhar o céu?”. Ela acaba definindo outras quatro
questões: O que gira: A Terra ou o Sol?; Por que o Sol é importante para os seres vivos? Como
ele interfere no planeta?; Diversos corpos celestes e objetos orbitam em torno da Terra. Qual é
a importância deles para os seres humanos?; Para que serve a observação do céu feita pelos
povos indígenas?. No Livro do Estudante, Volume do 4º ano, o ponto inicial é: “Salve o Rio Doce?”
em que há quatro projetos com as seguintes questões: O que foi a tragédia de Mariana?; Por que
dizem que o Rio Doce é amargo agora?; Por que a lama que atingiu o Rio Doce causou tantos
problemas à população?; A tragédia ambiental de Mariana: por que a população protesta?. No
Livro do Estudante, Volume do 5º ano, os temas se estruturam com a questão “Jeitos de Mudar o
Mundo”, a partir de quatro projetos: Por que precisamos pensar em desenvolvimento
sustentável? O que podemos fazer pela nossa comunidade?; Consumo sustentável. De que
jeito?; A qualidade de vida está relacionada com o direito ao acesso à água potável. Como
garanti-lo a todos?; Como obter energia de forma sustentável? Vamos pensar em novas
soluções?

No início de cada Livro do Estudante existe a apresentação do tema geral dos quatro projetos por
meio de imagens e de um pequeno texto introdutório, que expõe as ideias do que vai ser trabalhado.

82
PNLD 2019

Em seguida, uma obra de arte (uma pintura, uma fotografia, uma ilustração, um cartaz) introduz e
convida o aluno a observar o tema a ser desenvolvido. Esta seção denominada A arte sensibiliza?,
apresenta obras de artistas brasileiros e estrangeiros que representam em seu trabalho temas
relacionados com cada Livro do Estudante, e traz questões que procuram introduzir o que irá ser
desenvolvido, além de iniciar um trabalho de sensibilização a partir de leitura de imagens.

Outra seção é chamada de Ponto de Partida, em que o uso de imagens traduz uma ideia do que será
trabalhado em cada um dos projetos, objetivando levantar os conhecimentos prévios dos alunos
sobre os assuntos que serão tratados.

Já a seção Vamos conversar se baseia em uma atividade oral coletiva que permite a socialização dos
conhecimentos prévios entre os alunos, com a mediação do professor, suscitando uma reflexão inicial
sobre o assunto a ser trabalhado.

A seção Hora da pesquisa permite que o aluno levante novas informações sobre o trabalho a partir
de entrevistas e pesquisas em livros, revistas e na internet, o que decorrerá geralmente em uma
atividade a ser realizada fora da sala de aula, com auxílio de um adulto.

Encontra-se também a parte Compartilhando a pesquisa, espaço para socializar as informações


obtidas nas investigações realizadas bem como a seção Ampliando a pesquisa, momento para
sistematizar o que foi descoberto e, também, aprofundar o que o aluno já sabe.

Na seção Leituras e descobertas, o professor pode ampliar algum tópico que foi tratado nas
investigações realizadas pelos próprios alunos e relacionar com os conteúdos de cada projeto, a fim
de responder a questão-desafio.

Já a Hora do experimento aproxima a metodologia das Ciências à realidade dos alunos, explorando
experimentos simples que buscam testar hipóteses levantadas pelos mesmos, além de comprovar e
compreender os fenômenos estudados.

A atividade Desafio objetiva a reflexão sobre determinado assunto, ao propor a sua aplicação para
solucionar um problema indiretamente relacionado. Em “Você sabia?” é apresentado um texto
informativo simples sobre uma curiosidade ligada a determinado assunto que está sendo explorado.

Ao final de cada projeto existem duas seções, Mãos na Massa e Vamos Ler. A primeira é uma
atividade prática em que o aluno deve produzir de forma individual ou coletiva um material

83
PNLD 2019

diretamente relacionado aos conteúdos trabalhados em cada projeto; a segunda sugere livros
infantis com histórias relacionadas ao que foi trabalhado. Para finalizar, há um roteiro de perguntas
para que o aluno explique o que aprendeu ou faça uma autoavaliação do próprio projeto
desenvolvido na seção Avaliação.

Análise

A coleção apresenta proposta integrada de Geografia e Ciências, por meio de uma organização
curricular por projetos. Evidencia interação com o aluno por meio da prática da pesquisa, da
experimentação, do questionamento em grupo e da leitura de imagens e textos, considerando a
vivência do estudante e a diversidade dos recursos visuais e textuais. Está presente na obra o diálogo
entre o social e a natureza, como pressuposto para a superação da fragmentação dos conhecimentos
escolares.

A obra propõe atividades que estimulam a investigação científica, por meio da observação,
experimentação, interpretação, comparação, análise, discussões dos resultados, síntese e alguns
registros em diferentes linguagens, além da produção de materiais que podem ser expostos não
somente dentro da sala de aula, mas para outros estudantes da escola e para amigos, familiares e
comunidade escolar em geral.

Constituem um aspecto qualificativo do Livro do Estudante as sugestões de propostas pedagógicas


e projetos, com foco na valorização da diversidade entre povos, do respeito às diferenças,
preocupação com a sustentabilidade ambiental, cuidados com os ecossistemas do planeta e a
preocupação de se buscar os conhecimentos prévios dos estudantes a cada tema trabalhado.

Assuntos relativos aos povos indígenas, afro-brasileiros e pessoas com algum tipo de deficiência
delineiam práticas pedagógicas que permitem ao aluno observar as diferenças e contribuições destes
grupos para a formação e atuação nas sociedades. O ponto a se ter ressalva é para aquelas escolas
que se encontram fora dos centros urbanos e atendam um público de estudantes indígenas ou

84
PNLD 2019

quilombolas, uma vez que, o ponto de vista tomado para iniciar parte das atividades é de uma criança
urbana que deve analisar sua vivência com a de crianças em outros contextos.

Em relação às perspectivas em torno da formação cidadã, a inclusão de temas importantes sobre a


problemática da preservação ambiental, consumo consciente e o trabalho pedagógico voltado à
valorização do convívio social e ao respeito às diferenças físicas, culturais e étnicas são pontos
realçados na proposta dos projetos presentes em cada Livro do Estudante que compõe a coleção.
Estimula-se o convívio social e o reconhecimento da diferença, abordando a diversidade da
experiência humana e a pluralidade social, proporcionando ao aluno diferentes situações em que
precisa atuar de forma autônoma e ativa na busca pelo conhecimento, indicando a necessidade do
auxílio de um adulto responsável quando a atividade exige.

O projeto gráfico da coleção é intuitivo e bem sinalizado para professores e alunos, tendo um
conjunto de cores, imagens e outros tipos de ilustração que se tornam visualmente atrativos. Há uma
diversidade de recursos visuais, para o trabalho com o Livro do Estudante, na medida em que
contempla no conjunto das ilustrações e atividades, importantes aspectos do universo da criança
como brincadeiras e espaços de vivências das mesmas. A adequação das imagens em termos de
tamanho, legibilidade e disposição nas páginas do Livro do Estudante representa um aspecto
favorável da obra, que conta ainda com indicação de vídeos, documentários e sites que podem ser
utilizados pelo professor para complementar a preparação de suas aulas, bem como àqueles
indicados para os alunos realizarem as atividades de pesquisa.

No Manual do Professor são destacadas as habilidades trabalhadas da BNCC, os temas abordados


em cada um dos cinco volumes do Livro do Estudante, além de textos de aprofundamento para o
professor sobre os conteúdos propostos em cada um dos projetos dos diferentes volumes da coleção,
sugestão de sites e vídeos, e a proposta de avaliação, bem como espaços para anotações para o
professor e orientações para o trabalho com o Livro do Estudante.

Como aspecto positivo, é possível citar o conjunto das informações complementares ao Livro do
Estudante. Nesse aspecto, incluem-se também as orientações em forma de resposta ou de indicação
de outras atividades que podem ser realizadas pelo professor, na maior parte das vezes,
resguardando o papel do professor como mediador dos diálogos decorrentes das experimentações
e descobertas realizadas pelos alunos nas atividades propostas.

Em diferentes projetos e anos de escolaridade, a coleção acaba por abordar, ainda que não cite
diretamente, valores defendidos pela legislação brasileira. No Volume do 1º ano de escolaridade, a

85
PNLD 2019

obra aborda diferentes contextos culturais e históricos brasileiros, trazendo um pouco da história e
cultura indígena e quilombola. Neste livro, também, é abordada a questão da miscigenação das
pessoas e da presença de imigrantes no Brasil, com destaque para a chegada dos refugiados de
guerra nos últimos tempos. Traz para discussão as questões relacionadas às dificuldades de
adaptação e de recomeço dessas pessoas no novo lugar, fazendo referência as tentativas de
reorganizar a vida no novo país. Percebe-se uma necessidade de maior coerência na abordagem
teórico-metodológica, sobretudo no volume do 1º ano, observa-se que o estudante desta faixa etária
estará no período introdutório, sendo impossível para ele desenvolver resenha como proposto na
obra. De uma forma geral, a obra faz uso de palavras muito específicas para o vocabulário dos alunos,
o que o entendimento e o desenvolvimento das atividades.

Sala De Aula

O conjunto de projetos presentes consegue abarcar uma variedade de temas tanto da Geografia
como de Ciências, com algumas possibilidades de trabalho interdisciplinares com outros
componentes curriculares, o que em parte é indicado no próprio Manual do Professor. Além de os
conjuntos de projetos nos Livros do Estudante apresentarem uma continuidade entre eles, há,
também, uma ligação que dá a ideia de progressão de um ano para o outro, possibilitando um
aprofundamento sobre os conteúdos trabalhados.

A coleção disponibiliza um variado acervo de imagens como meio de sensibilizar o aluno, a fim de
desenvolver a reflexão e o debate, dando ênfase às questões étnico-raciais e aos temas voltados
para as relações entre a sociedade e a natureza. A obra apresenta indicações de leituras, sites e
vídeos no Manual do Professor. Tais materiais podem ser disponibilizados aos alunos quando da
solicitação de pesquisas propostas nas atividades e práticas pedagógicas, fora do ambiente escolar.
É importante atentar para que os alunos utilizem as fontes da internet com cuidado, já que as
mesmas precisam ser validadas buscando sua confiabilidade.

Observaram-se poucas propostas de desenvolvimento de atividades com outras linguagens como


músicas, poesias e quadrinhos, aparecendo de forma superficial no Livro do Estudante e com
indicações no Manual do Professor, elas podem ser ampliadas a partir de busca de materiais em

86
PNLD 2019

outras fontes, a fim de enriquecer o processo de construção do conhecimento. Também não há, na
obra, um cronograma para realização dos projetos e os livros não apresentam uma possibilidade de
desenvolvimento de outras formas de condução dos trabalhos para orientar professores de turmas
com estudantes especiais ou em situações adversas de especificidades escolares com dificuldades de
acesso a materiais ou internet. Faz-se necessário que o professor dê atenção a esta questão quando
em sala de aula.

87
PNLD 2019

88