Você está na página 1de 54

Elementos de Máquinas

Mancais de deslizamento

Disciplina: Elementos de Máquinas


Professor: Anaí M. Santos e Paulo Boccasius
Mancais

• São elementos de máquinas que tem como função assegurar o


eixo , sua flutuação numa camada de lubrificante (quando for de
deslizamento) temperatura adequada e proteção contra partículas
abrasivas que possam danificá-lo.
Aplicações

• Os mancais de deslizamento são usados em situações


em que:
• 1.A geometria obriga (questão de dimensões);
• 2.Há problemas de vibração e/ou oscilação;
• 3.Diâmetros muito grandes;
• 4.O mancal tem de ser bipartido;
• 5.A rotação é baixa.
Mancais

• De acordo com o movimento podemos classificá-


los em:

• Deslizamento (movimento) Radiais


Axiais
Mistos
Mancais

Radiais Axiais Mistos


Impedem o deslocamento na Impedem o deslocamento Tem,simultaneamente, os
direção do raio, isto é, na direção do eixo, isto é, efeitos dos mancais axiais
absorvem esforços absorvem esforços e radiais.
transversais. longitudinais.
Vantagens e desvantagens dos
mancais de deslizamento
Nomenclatura
Nomenclatura
Mancais de deslizamento

Geralmente, os mancais de deslizamento são constituídos de uma bucha fixada num


suporte. Esses mancais são usados em máquinas pesadas ou em equipamentos de
baixa rotação, porque a baixa velocidade evita superaquecimento dos componentes
expostos ao atrito.
Bucha

• As buchas são elementos de máquinas de forma cilíndrica ou


cônica.
• Servem para apoiar eixos e guiar brocas e alargadores. Nos
casos em que o eixo desliza dentro da bucha, deve haver
lubrificação.
• Podem ser fabricadas de metal antifricção ou de materiais
plásticos.
• Normalmente, a bucha deve ser fabricada com material menos
duro que o material do eixo.
Bucha

As buchas são, em geral,


corpos cilíndricos ocos que
envolvem os eixos, permitindo-
lhes uma melhor rotação. São
feitas de materiais macios,
como o bronze e ligas de
metais leves.
Bucha Bipartida

• No caso do mancal ilustrado ao lado,


tem-se um mancal bipartido no qual
se pode aplicar buchas inteiriças ou
partidas.

• Nesse tipo de mancal, é comum a


presença de uma folga entre a capa
e a base para facilitar o ajuste do
conjunto.
Formas construtivas das buchas

Bucha de um espaço Bucha com vários Bucha flexível,o espaço é obtido


cuneiforme dado pela espaços cuneiformes por meio de montantes de
folga entre eixo e bucha feitos em forma de pressão deformados na secção
– é aplicada em casos de ranhura – é aplicada transversal do furo – é usada em
baixa velocidade para grandes esforços. máquinas-ferramentas para
mecânica fina onde a rotação é
elevada e o esforço baixo.
Materiais para buchas
Materiais para buchas

• Prefere-se os materiais macios, pois quando o atrito


ocorre estes metais geram pequena quantidade de
calor, evitando a soldagem e, consequentemente o
engripamento.
• Por outro lado o material das "buchas" devem
apresentar desgaste antes do que o eixo ou os
apoios, assim, pode-se trocá-los por várias vezes até
que tenha que se usinar o eixo ou dos apoios.
Materiais para buchas

• Os materiais para buchas devem ter as seguintes propriedades:


• baixo módulo de elasticidade, para facilitar a acomodação à forma
do eixo;
• baixa resistência ao cisalhamento, para facilitar o alisamento da
superfície;
• baixa soldabilidade ao aço, para evitar defeitos e cortes na
superfície;
• boa capacidade de absorver corpos estranhos, para efeito de
limpar a película lubrificante;
• resistência à compressão, à fadiga, à temperatura de trabalho e à
corrosão;
• boa condutibilidade térmica;
• coeficiente de dilatação semelhante ao do aço.
Materiais para buchas

• Os materiais mais usados são:


• bronze fosforoso,
• bronze ao chumbo,
• latão,
• ligas de alumínio,
• metal antifricção,
• ligas de cobre sinterizado com adição de chumbo ou estanho ou
grafite em pó,
• materiais plásticos como o náilon e o politetrafluretileno (teflon).
• Os sinterizados são autolubrificantes por serem mergulhados em
óleo quente após sua fabricação. Este processo faz com que o
óleo fique retido na porosidade do material e com o calor do
trabalho venha à superfície cumprir sua função.
Materiais dos Mancais
Materiais dos Mancais

• O mancal de escorregamento deve ser fabricado com


material mais mole que o material do eixo e da carcaça
entre os quais ele se coloca. Isto protege tanto o eixo
quanto a carcaça de maior desgaste, o que diminui o
custo da manutenção.
• É muito mais barato se trocar um mancal que o eixo
inteiro, ou pior, uma carcaça toda.
• Além desta característica, o material do mancal deve
apresentar facilidade de lubrificação e tanto quanto
possível baixo coeficiente de atrito e alta resistência à
abrasão.
Materiais dos Mancais

• Podemos fabricar buchas usinadas com menor custo o


indicado é fundi-las com sobremetal com o material
indicado (liga). Porém, comercialmente, existem tubos
de bronze próprios para este fim, basta verificar a bitola
mais indicada. Este tubo é denominado " TM - 23".
• 3.Outro processo muito usado na confecção destes
mancais é a deposição do metal fundido sobre um
"casquilho". Este processo é denominado metalização
com metais Babbit ou metais patente ou ainda metais
brancos.
Materiais não metálicos
Considerações de projeto

• Variáveis necessárias para o dimensionamento do


mancal de deslizamento:

• Viscosidade μ
• Carga por unidade de área projetada do mancal P
• Velocidade N
• Dimensões do mancal

Essas variáveis são em geral do conhecimento do


projetista.
Considerações de projeto

• Nesse segundo caso estão as chamadas variáveis


dependentes das primeiras. São elas:
• Coeficiente de fricção f
• Aumento de temperatura Δt
• Fluxo de óleo Q
• Espessura mínima de filme de óleo h0

Essas variáveis descritas acima podem ser descritas


como controle de desempenho do mancal de
deslizamento
Superfície dos mancais

• As superfícies lisas nos mancais são vantajosas. Os


mancais comerciais são acabados em alargador ou
usinagem sem retifica e poderão apresentar rugosidade
elevada.
• Quanto mais lisas as superfícies menor é a
possibilidade de romper o filme de óleo lubrificante.
Lubrificação dos mancais de
deslizamento
Lubrificação

• Lubrificação consiste na interposição de uma


substância fluida entre duas superfícies evitando o
contato sólido e produzindo assim o atrito fluido com
menor resistência ao movimento.
Funções dos Lubrificantes

E ainda :
•transmitir forças
•absorver choques
•isolar eletricamente
•reduzir ruído
•proteger as
superfícies
Lubrificação

• Lubrificação em si, quer dizer menos esforço, menor atrito, menos


desgaste, enfim, diminuição no consumo de energia. Entre os
diferentes tipos de produtos usados na lubrificação, a partir de
agora vamos concentrar nossas atenções nos óleos lubrificantes.
Estes circundam as atividades do ser humano, pois são aplicados
nos mais variados segmentos de indústrias tais como:
• Automotiva ( carros, ônibus, caminhões)
• Marítima ( navios)
• Ferrovia ( locomotivas)
• Agrícolas ( tratores, colheitadeiras)
• Indústria em geral ( metalúrgica, usina, mineração, etc.)
Tipos de Lubrificantes
Lubrificação/Óleo

• Intermitente: usa pouco lubrificante a lubrificação


depende da camada Limítrofe. Camada Limítrofe é a
camada de óleo que aderiu diretamente no metal.
• A lubrificação hidrodinâmica ocorre quando o eixo a
bucha ou casquilho são separados por uma espessa
película de lubrificante impedindo o contato metálico.
• O movimento das partes moveis da origem a cunha
lubrificante que provoca uma pressão na película de
lubrificante.
Mancal de Deslizamento
Hidrodinâmico

Tem seu funcionamento baseado no movimento relativo entre as


superfícies dos elementos que compõem o mancal, com isso, forma-
se uma película fluida que mantém a distância entre as duas partes.
Posição do Eixo em relação ao Mancal
em função da Velocidade

Mecanismo em Mecanismo em
alta rotação altíssima rotação
Cunha Lubrificante

O movimento das partes moveis da origem a cunha lubrificante


que provoca uma pressão na película de lubrificante.
Lubrificação de mancais de
deslizamento

• Mancais de deslizamento com pinos graxeiros


Antes de aplicar a graxa nos pinos graxeiros, os mesmos deverão
estar bem limpos, a fim de evitar a entrada de partículas
abrasivas que danificam o mancal. Diariamente deve-se lubrificar
os pinos.
• Mancais de deslizamento com copos graxeiros
Periodicamente abastecer com graxa nova até sentir uma
resistência maior ao girar pressor. Não colocar graxa em demasia,
pois pode danificar os elementos de vedação. A seguir, retirar
novamente o pressor e encher de graxa. Diariamente dar uma a
duas voltas no pressor.
Pinos graxeiros
Ponto de aplicação do óleo
Lubrificação de mancais de
deslizamento

• Mancais de deslizamento • Copo com mecha


lubrificados a óleo Mantê-lo cheio de óleo.
Os métodos encontrados para • Copo conta gotas
lubrificação a óleo dos mancais Mantê-lo cheio de óleo.
planos são: • Lubrificação por anel ou colar
• Furo de óleo Verificar o nível semanalmente.
Lubrificar com almotolia, Em geral, o óleo deve ser
drenado semestralmente.
diariamente.
• Lubrificação por estopa
• Pino de óleo Manter a estopa embebida de óleo.
Lubrificar com pistola para óleo, • Lubrificação por circulação
diariamente. Verificar o óleo semanalmente. Em
• Copo com agulha ou vareta geral, o óleo deve ser drenado
Mantê-lo cheio de óleo. anualmente.
Almotolia
Ranhuras

Para permitir a rápida distribuição do óleo lubrificante ao longo do mancal, nele


são feitas as ranhuras. A eficiência da distribuição depende do formato e da
localização das ranhuras. As ranhuras jamais devem ser colocadas nas áreas de
pressão As ranhuras não devem atingir as extremidades do mancal, para evitar o
vazamento.
Lubrificação por Anel ou Colar

por Anel ou Colar


Mancais auto lubrificantes

• A partir dos processos da M/P é possível a fabricação de buchas


de bronze, pelos métodos convencionais, mas também de buchas
auto lubrificantes, onde são misturados elementos como o ferro, o
grafite, o bronze e o cobre. Alguns tipos de ligas utilizadas estão
relacionadas a seguir:
• Bronze – BcB
• Ferro-Cobre-Grafitado – BcFCG
• Ferro-Cobre – BcFC
• Ferro-Bronze – BcFB
• Ferro-Grafitado – BcFG
Mancais auto lubrificantes

• Uma das características da sinterização é possibilitar o controle


da porosidade do produto final. Esta característica é
particularmente importante na produção de mancais auto
lubrificantes. A porosidade existente no mancal pode ser
preenchida com óleo, para garantir uma lubrificação permanente
entre o eixo e o mancal.
As buchas auto lubrificantes
obtidas por M/P são
divididas em dois grupos.
Buchas com lubrificantes
sólidos, como por exemplo o
grafite e buchas de
porosidade controlada
impregnadas com óleo.
Dimensionamento
Cálculo de resistência (pressão
superficial)

Mancal radial

Onde:
F - Força exercida no mancal;
d - Diâmetro interno do mancal;
l - Comprimento
Cálculo de resistência (pressão
superficial)

Mancal axial

Onde:
F - Força exercida no mancal;
D - Diâmetro do eixo;
d - diâmetro do mancal.
Tabela para Pressão Superficial
Admissível
Exemplo de cálculo

Um mancal com casquilho (munhão) de aço não temperado, l = 75


mm e d = 50 mm suporta F = 3000 kgf. Bucha de bronze,
retificada, boa lubrificação. Determinar o valor da pressão máxima
no mancal.
Solução
Mancal Radial

Ps= 3000 kgf/7,5cm x 5,0cm

Ps= 80 kgf/cm2

De acordo com a tabela de pressão


especifica 60 kgf/cm 2 o material não resiste.
Deve ser aumentado as dimensões do
mancal ou substituir o material por outro
mais resistente.
Exemplo de cálculo

Um mancal de escora suporta uma carga de 1000 kgf. A


extremidade do eixo apresenta d = 40 mm. O eixo é de aço
temperado, bucha de bronze retificada e boa lubrificação. Calcular
o diâmetro interno do anel “d” afim de que a pressão não
ultrapasse o valor admissível.
Solução

Mancal axial 90 = 1000 kgf/ ¶(D2 –d 2)


4

70,65 (4 2 –d 2) = 1000

1130 – 70,65 d 2 = 1000

d = 1,35 cm
Relação b/d
Folga do Mancal
Folga do Mancal