Você está na página 1de 4

Classe: insecta

Ordem: diptera
Subordem: brachycera
Família: muscidae, oestridae, calliphoridae, sarcophagidae

Características gerais

 Apresentam um par de asas, 3 pares de pernas e 1 par


de antenas trisegmentadas;
 1 ocelo (receptor de luz) e 1 par de olhos compostos
(omatídeos);
 Podem apresentar diversos aparelhos bucais (picador,
lambedor, etc.)
 Podem se alimentar de tecido vivo e necrosado, de seivas
(plantas e frutas) e de matéria orgânica (lixo e fezes);
 São um fácil mecanismo de transmissão de patógenos,
haja vista a maneira que alimentam (Regurgitação), a
limpeza de suas pernas, hematofagia.

Ciclo Biológico

Holometábolo: metamorfose incompleta.


MUSCIDAE
Musca domestica
 Mosca de casa;
 Diurnas;
 Mosca sinantrópica e endofílica;
 Alimenta-se de matéria orgânica, seus ovos também são
depositados sobre ela.
 Hábito de regurgitação alimentar, o qual muitas vezes transmite
patógenos;

Stomoxys calcitrans

 Mosca do estábulo;
 Ataca bois e equinos;
 Hematofagia (picador sugador);
 Não invade residências domésticas;
 Sua ovoposição é feita nas fezes, esterco e nas palhas;
 Transmite patógenos aos equinos como tripasonomíases, além
de provocar anemias, espoliações e um estresse no animal que
causa uma perda de sua produtividade.

Miíases
 Infestação de larvas de moscas nos tecidos e órgãos do
hospedeiro;
 Podem ser: Miíase furuncular= as larvas perfuram o tecido da
epiderme.
Miíase traumática= as larvas não conseguem
invadir e perfurar os tecidos, se limitando a lesões abertas e a
mucosa.
 Podem ser classificadas quanto a biologia:
 Obrigatórias: se alimentam obrigatoriamente de tecidos
vivos (biontófogas).
 Facultativas: se alimentam de matéria orgânica viva ou
morta (necrobiontófogas).
 Pseudomiíase: miíase acidental, ex: larvas da goiaba.
 Terapia larval.
OESTRIDAE
Dermatobia hominis
 Mosca do berne;
 Miíase furuncular;
 Na fase adulta se alimenta de seivas, mas consegue ficar sem
se alimentar;
 No seu ciclo biológico, a fêmea transpõe a ovoposição a outro
inseto (foréticos), ou seja, seus ovos são colocados no corpo
de um outro animal, esse terá a função de disseminá-los em
algum hospedeiro, assim se dá a continuidade do ciclo. Após o
reconhecimento do hospedeiro, as larvas saem dos ovos e
migram para o corpo de seu futuro abrigo, com o auxílio da
picada do inseto, elas entram nos tecidos epiteliais e lá
começam a se desenvolver até progredirem ao estágio de
pupa, nesse período as larvas se alimentam do exsudato
(líquido liberado na defesa do organismo);
 A larva do berne não causa doença, entretanto após sua saída
do corpo do hospedeiro, há possibilidade de desenvolver uma
infecção secundária, por isso a ferida deve ser bem tratada.
Calliphoridae
Cochiliomya hominivorax
 Mosca varejeira;
 Miíase traumática;
 Larvas: biontófogas obrigatórias, adultos: tecido morto, néctar e
seivas;
 Sinantropia.
Chrysomya sp
 Mosca varejeira;
 Miíase facultativa necrobiontófogas;
 Alta capacidade reprodutiva.

Sarcophagidae

 Miíase traumática facultativa (Necrobiontófogas);


 Usada na entomologia forense para datação do cadáver;
 Fêmeas larvíparas.