Você está na página 1de 142

ACUPUNTURA

AURICULAR II
ESCOLA FRANCESA
Prof ª. RAYSA COSTA
O QUE É AURICULOTERAPIA?
• Técnica terapêutica que faz a utilização do pavilhão auricular
com fins terapêuticos através do SNC.
• Através de propriedades reflexas do pavilhão auricular
• Explicado pela inervação muito rica e pelas múltiplas
conexões que ela apresenta com o SNC
• Técnica terapêutica para o diagnostico e tratamento de
doenças que afetam o organismo

• MICROSSISTEMA  MTC
ETIMOLOGIA
Auriculoterapia
Origem → Latina
Auris – Orelha
Aurícula – Pequena Orelha
Origem → Grega
Therapien – tratamento

A terapêutica feita através de estímulos provocados nos


pontos auriculares
MICROSSISTEMAS
A base do diagnóstico da Medicina tradicional Chinesa, está na
observação dos sinais e sintomas do paciente, uma vez que eles
refletem a condição dos Sistemas Internos.

Uma boa observação desses elementos proporciona ao terapeuta


uma valiosa ferramenta de trabalho.

“observando o exterior é possível auscultar o interior”


MICROSSISTEMAS
São pequenas partes do corpo que correspondem a uma
totalidade.

O conceito imutável taoísta diz:


“O todo está em cada parte e cada parte contém o todo”.
São compostos por:
• Áreas
• Pontos (micropontos)
Os pontos dos microssistemas não regulam as energias.
MICROSSISTEMAS
Os microssistemas tem correspondências com funções/estruturas
corporais e também auxiliam O diagnóstico e tratamento.

Os mais conhecidos estão relacionados com os órgãos dos sentidos

1. Na extremidade cefálica (Crâniopuntura)


2. Orelha (Auriculopuntura)
3. Mão (Quiroacupuntura)
4. Pé (Podopuntura)
5. Nariz (Nasopuntura)
6. Olho, Íris (Iridologia)
7. Boca:
7.1- Língua
7.2- Dentes
8. Face
MICROSSISTEMA DA LÍNGUA
A parte revelando como um todo (microssistema). Serve como diagnóstico,
não se utilizam os pontos da língua para terapêutica.

Segundo a MTC, a língua é o broto do


coração.
MICROSSISTEMA DA LÍNGUA E DOS
DENTES
MICROSSISTEMA DA ÍRIS
No microssistema da íris encontramos as estruturas de todo o
corpo e reflete a vitalidade energética e emocional.
Os olhos estão ligados ao meridiano do FÍGADO.
MICROSSISTEMA ABDOMINAL
MICROSSISTEMA DO CRÂNIO
MICROSSISTEMA DA FACE E NARIZ
MICROSSISTEMA AURICULAR
MICROSSISTEMA DO CORPO
INTRODUÇÃO
• Aplica-se o estímulo em pontos que tem relação direta com o
cérebro.
• Na auriculoterapia Francesa não há idéia de energia
• A terapia é obtida pela ação reflexa sobre os órgãos e funções.
• Emprego da aurícula é explicado pela rica inervação múltiplas
conexões com o SNC.
• Fácil aplicação e aprendizagem
• Resultados Rápidos - Casos Agudos
• Métodos terapêuticos e de analgesia
O PASSADO

A tradição vem do Egito, da Pérsia ou


da China?
HISTÓRICO
A auriculoterapia como forma de tratamento reporta-se a
antiguidade.

• 2.500 a.C → Escritos relatavam que pontos utilizados no homem


produziam ejaculação escassa, inativa e infecunda.

• Escritosensinavam também pontos para cura da impotência,


descreviam que esses pontos ao serem puncionados provocavam
sono do qual o paciente acordava curado.
HISTÓRICO
• Egito - 1555 a.C. – Papiro
 Tratado Médico Egípcios – Meridianos de Acupuntura
 Mulheres usavam pontos como forma anticoncepcional – Picava-
se partes da orelha.
Analgesia, uso de brincos para fins terapêuticos

• Índia – 6000 a.C. - pedras-relevo – trajetos e acupontos


HISTÓRICO
Na Dinastia Yuan (1280 – 1368) China imperial

“Tesouro da Saúde”
Pressão do Lóbulo – epilepsia infantil

Dinastia Ming (1602 d.C.)

Cauterização do Lóbulo para tratamento oftalmológico


Da Cheng – Compêndio de acupuntura e moxa
Hung Ti Nei Ching - Nei Jing ou TRATADO DE
MEDICINA INTERNA
Clássico livro do imperador amarelo
Um dos mais antigos escritos – mais de 5.000 anos
Dividido em dois livros de 81 capítulos cada um
Su Wen – Tratado de medicina interna
Ling Shu – Filosofia
Recompilado em 400a.C – Relação orelha e Zang – FU
A orelha é uma estrutura isolada do corpo (microssistema)
que mantém relações com os demais órgãos (Zang Fu) e
regiões do corpo (meridianos) → Reflexo cerebral
AURÍCULITERAPIA NO OCIDENTE
Grécia – IV a . C – Hipócrates
Sangria de pontos auriculares para
tratamento de doenças sistêmicas.

Relatos de médicos que realizavam


cauterizações como método contraceptivo
masculino;
Pequenos cortes (Incisões) nos vasos
sanguíneos de trás da orelha para impotência
masculina;
HISTÓRICO

• Turquia- séc. III


Auriculoterapia
Cauterização – para tratamento
de diversas doenças
AURÍCULOTERAPIA NO BRASIL
• Período anterior ao descobrimento – Aborígenes

• Índios (Pajé) – estilete de madeira, cactus – ponto


da agressividade

• Museu – Manaus – acervo de acupuntura.

• Folclore – Santo São Sebastião – flecha –


acupontos
ANTIGOS MÍSTICOS
Hipertrofia do Lóbulo
• Relação com área cerebral
• Budistas, tibetanos e hinduístas

Bodshatvas e divindades

 Estímulos cerebrais e meditação


Relacionado a inteligência
Relatos de haver ilustrações antigas de Buda
recebendo cauterização das orelhas
OCIDENTE
A existência de um ponto específico, que quando cauterizado
aliviava a dor do nervo ciático, já era conhecido por alguns médicos
na Europa.

• ZACUTUS LUZITANUS (Médico Português – Século XVII) usou


cauterização Auricular para tratar dor ciática.
• Dr. Ralken Curicimati (1850) sem conhecer a acupuntura
realizou cauterização no Helix para tratamento da dor ciática.
• Dr. Luciciani de Batista (1850) publicou o trabalho sobre a
cauterização da Hélix na cura da dor ciática.
JARDIM DAS DELÍCIAS

1480 – Obra do pintor holandês


Jeronimus Bosch

“Jardim das Delícias”


JARDIM DAS DELÍCIAS
• Dr. Paul Nogier ao descobrir este quadro,
juntamente com seu amigo e seus discípulos
testar os pontos perfurados pelo diabinho.

• A localização e a nomenclatura dos pontos


foram introduzidos gradativamente, à medida
que eram intensificados os estudos.

• Os mesmos contribuíram para o


desenvolvimento científico da aurículo
JARDIM DAS DELÍCIAS
Em detalhes apresenta:
1. Duas aurículas unidas pelas faces
posteriores
2. Entre ambas – Longa faca → Genital
masculino
3. Região superior da concha inferior →
diabete enceta uma lança – Ponto
Libido
Centro da Fossa triangular → lança
penetrada no ponto para cura do
ciático
A AURÍCULOTERAPIA FRANCESA:
O INÍCIO
E foi assim que tudo começou...

Em um dia corriqueiro no ano de 1951, o médico


francês Dr. Paul Nogier, vê adentrar em seu consultório um
paciente que apresentava uma cauterização em uma
determinada região auricular.

Quando o mesmo pergunta ao doente sobre o que se


tratava a tal cauterização, o doente refere ter sido realizada
por Madame Barrim, para cessação de uma ciatalgia.
CAUTÉRIOS
HISTÓRIA DA AURICULOTERAPIA
FRANCESA
• Passado uns tempos, um novo paciente se apresenta em seu
consultório com a mesma cauterização. E quando indagado sobre o que
se tratava, o doente refere que sofria de uma terrível ciatalgia, e desde
que Madame Barrim havia cauterizado, nunca mais este mal o
assombrou...

• Pensou então Dr. Nogier, na possibilidade de iniciar estudos para


verificar se havia na orelha outras regiões que pudessem ter relações
com outras partes do corpo.

• Em 1954 inicia-se então seus estudos somatotópicos.


• 1973 → Dr. Nogier inicia trabalhos experimentais em a animais e
publica os pontos auriculares do coelho.

• O ponto cauterizado localiza-se no terço central do ramo inferior da


anti-hélice, no ponto hoje denominado ciático.

• O fato de observar a existência da relação entre um ponto na orelha e


uma parte do corpo levou Nogier a elaborar o surgimento de novos
pontos na orelha, submetendo, para tanto, qualquer parte do corpo a
algum sofrimento.
HISTÓRIA DA AURICULOTERAPIA FRANCESA
 Apesar de usar nos seus pacientes o mesmo procedimento e obter
um resultado favorável, só após anos de estudos o Dr. Nogier
associou este ponto à quinta vértebra lombar (onde começa o nervo
ciático).

 O fato de observar a existência da relação entre um ponto na orelha


e uma parte do corpo levou Nogier a elaborar o surgimento de novos
pontos na orelha, submetendo, para tanto, qualquer parte do corpo a
algum sofrimento.
HISTÓRIA DA AURICULOTERAPIA
FRANCESA
• Enquanto os chineses aprimoravam a auriculoacupuntura
com as novas descobertas e os estudos do Dr. Paul Nogier,
o mesmo experimentava tratar seus pacientes através da
reflexoterapia.

• A reflexoterapia utiliza ferramentas do tipo laser e elétrica


para proporcionar estímulos na orelha.
Dr. Paul Nogier – França 1951
• 1958 (Dezembro) - Estabeleceu a
correlação entre o pavilhão da orelha e o
feto na posição invertida (intra-útero).
• Lóbulo → Cabeça do feto
• Anti – hélix → Coluna vertebral
• Concha inferior → Sistema
cardiopulmonar
• Concha superior → Sistemas digestivo
e genito- urinário.
ESCOLA FRANCESA - DR. PAUL NOGIER
• Novo Enfoque Auriculoterapia.
• Data marco científico.
• Redução ou eliminação álgica pelo estímulo doloroso
no ponto.
• Reflexo vaso - neural na orelha
• Reflexo aurículo – cardíaco  Alteração na corrente
sanguínea a nível da artéria do punho.
DR. PAUL NOGIER – Lyon, FRANÇA – 1951
Com suas pesquisas através do Reflexo Vásculo
Neural e Reflexo Aurículo Cardíaco

Nogier foi construindo seu trabalho e criou a


Auriculoterapia, com bases neurofisiológicas e
reflexas de somatotopia com pavilhão auricular
representando o feto em posição invertida.
HISTÓRIA DA AURICULOTERAPIA
FRANCESA
• 1956:
Dr. Nogier faz sua primeira publicação em um boletim de Acupuntura na
França.
1956-1967 - Nogier tem suas primeiras publicações em jornais de
acupuntura na França e Alemanha;
1958:
Época de Revolução Cultural na China: Mao solicita aos acupuntores
chineses a elaboração de técnicas mais simples, que pudessem ser mais
amplamente difundidas.
• 1966:
Dr. Paul Nogier evidencia o reflexo aurículo cardíaco.
HISTÓRIA DA AURICULOTERAPIA
FRANCESA
• 1972:
Unidade de Pesquisas do Exército do Povo com sede
em Nanquim: Publicou o primeiro livro especializado, com
mais de 200 pontos auriculares.
Na China é criado o mapa padronizado dos pontos
auriculares.
• 1970 - 1990:
Paul Nogier e sua equipe procuram gravar em gráficos o
fenômeno V.A.S.
HISTÓRICO
 1986: Raphael Nogier: a fotopercepção cutânea.

 1980: Terry Oleson em estudo duplo cego na The University of


California, Los Angeles - UCLA, conseguiu diagnósticar problemas
de dor musculoesquelética com exatidão de 75% no pavilhão
auricular.
• 1990: Um grupo de trabalho
reunido pela OMS reconhece a
aucupuntura e normatizou a
nomenclatura de 43 pontos
auriculares.
• 1999: A Dra. Huang Li Chun
publica na Conferência Mundial de
Auriculoterapia um novo mapa dos
pontos auriculares, modernizando
a Auriculopuntura.
REFLEXO VÁSCULO – NEURAL
1966 - Evidenciou o “Reflexo Aurículo–Cardíaco” -
R.A.C ou “Vascular Autonomic Signal” – VAS

• Nogier descreveu que ao palpar pontos das orelhas


de seus pacientes e os pulsos ao mesmo tempo,
os pulsos se alteravam
REFLEXO VÁSCULO – NEURAL
Realização de um estímulo periférico → Polegar – Constrição
local

Promove vasodilatação em área específica somatotópica no


pavilão auricular
FUNDAMENTOS DA AURICULOTERAPIA
• Embora pesquisas científicas não nos forneçam
respostas completas para entendermos os
mecanismos de ação da Acupuntura e Auriculoterapia
através da neurofisiologia, e a teoria neuro-humoral
forneça dados pobres ao citar a ação de endorfinas
ou portal da dor, já está clinicamente comprovado a
riqueza dos resultados dessa terapia.
VAS (Inglês) ou RAC
(Francês/Portugês)
Modificação passageira no pulso que
varia com estímulos realizados na orelha

POSITIVO: Forte, tenso ou rápido


NEGATIVO: Fraco, suave ou lento
RELAÇÃO DA ORELHA COM OS CANAIS DE
ACUPUNTURA
Segundo a medicina tradicional a orelha é o lugar de
chegada e reunião de energia (ativa). Ela se comunica com os
doze meridianos da seguinte forma:

1) Diretamente com V.B, T.R, I.D, I.G, B , E e Yang


2) Indiretamente com R, C.S, P, BP, C, F e Yin

As funções auditivas e cerebral recebem nutrição


metabólica e energética do rim, segundo a concepção Zàng
Fu.

“O rim se comunica com o exterior através da orelha”


(Da cheng).
SOMATOTOPIA FRANCESA
Baseia-se em 3 tecidos (capas) embrionários e dali se
deduzem as diversas localizações.
• Os pontos mestres, são pontos que sintetizam várias
funções e em algumas ocasiões vários órgãos. É muito
importante conhece-los bem.

• Eles são utilizados em 40% de toda as patologias.

• Se foi cada vez chegando a uma maior especificidade


definindo cada componente do sistema nervoso e da orelha.
ACUPUNTURA AURICULAR E
AURICULOTERAPIA
DIFERENÇA ENTRE AS ESCOLAS
Escola Chinesa
Acupuntura Auricular
Medicina Tradicional Chinesa

Escola Francesa
Auriculoterapia
Reflexologico e
Neurofisiológico
ESCOLA FRANCESA (OCIDENTAL)
AURICULOTERAPIA
• Reflexológico e Neurofisiológico

• Pontos Fisiológicos e patológicos e o sistema nervoso.

• Sistema flutuante → Pontos fluidos e só se projetam ou se


refletem na orelha quando há um distúrbio correspondente

• Fundamentação Fisiológica e embriológica


ANATOMIA DA ORELHA

• Morfologicamente é caracterizada pelo aspecto ovóide triangular,


côncavo, com extremidade superior mais larga que a inferior.

• Composta por um conjunto de sulcos e eminências, que é a primeira


referência para a localização dos pontos auriculares.

• Cada estrutura do relevo auricular representa uma região do corpo,


presente nas duas orelhas.
ANATONIA DA ORELHA
ANATOMIA DA ORELHA – FACE POSTERIOR
FOLHETOS EMBRIONÁRIOS
• No Pavilhão Auricular encontram-se os 3 folhetos embrionários que foram
responsáveis pelo desenvolvimento de todos os tecidos e órgãos do corpo;

• Os pontos referentes aos diferentessistemas e órgãos se encontram em


áreas que correspondem aos folhetos embrionários que os desenvolveram;

Associação com os três folhetos embrionários:


 Endoderme - Metabolismo
 Mesoderme – Sistema motor
 Ectoderme – Sistema nervoso central
A ORELHA TEM TRÊS ORIGENS
EMBRIOLÓGICAS DISTINTAS
• Orelha interna: forma-se graças a um espessamento do
ectoderma que cobre as laterais da cabeça do embrião;

• Orelha Externa: Tem origem a partir do primeiro sulco


faríngeo, que se aprofunda e adquire forma de funil
revestido por epitélio de origem ectodérmica;

• Orelha média: é originada da bolsa faríngea, portanto de


origem endodérmica.
ENDODERME
• Segundo Dr. Nogier estes pontos
reflexos estão localizados na concha
cimba e concha cava.

• Vias aéreas superiores, pulmões,


diafragma, estômago, vesícula biliar,
pâncreas, fígado, intestino e bexiga.
ENDODERME

Origina:

 Revestimento interno de todo o tubo digestivo e porções


intra-abdominais.
 Revestimento epitelial do sistema respiratório
 Revestimento epitelial do tímpano e trompas de Eustáquio
e ainda de parte da bexiga e uretra
 Parênquima das tonsilas, tireóide, paratireóide, timo,
fígado e pâncreas.
Vesícula
Estômago Biliar Pâncreas
Fígado
Diafragma

Pulmões
Intestinos

VAS Endoderme
Bexiga
MESODERME

• Segundo Dr. Nogier, estes pontos estão na


raiz ou ramo da hélice, na antélice e no
antítrago.

• Derme, músculos incluindo o coração,


esqueleto, crânio, órgãos genitais e rins.

• O coração de acordo com Nogier está


localizado sobre a antélice, por ser um
músculo e originário da mesoderme.
MESODERME

Origina:

 Sistema Cardiovascular e linfático (células)


Tecido Conjuntivo, Cartilagens, ossos e artilucações
 Tecido muscular estriado
 Serosas – Peritônio, pleura e pericárdio
 Rins, gônadas e ductos correspondentes
 Córtex e supra-renal
 Baço
 Derme
Esqueleto Crânio

Músculo Órgãos
esquelético e
cardíaco Genitais

Derme Mesoderme Rins


ECTODERME
• Os pontos reflexos estão localizados,
segundo Nogier, na parte inferior da
hélice (do tubérculo de Darwin até o
final da hélice), no lóbulo e no trago.

• Sistema nervoso central encéfalo,


tronco cerebral e medula e a epiderme
e seus anexos: pêlos, unhas,
glândulas.
ECTODERME

Origina:

 S. N. Central e Periférico (Glandula pineal, neuro e


adeno hipófise, cérebro e cerebelo)
 Epitélio sensorial dos órgãos sensitivos
 Epiderme e seus anexos (pêlo, unhas, glândulas
sudoríparas)
 Esmaltes dos dentes
 Mucosa da boca, nariz e ânus.
Sistema Nervoso
Periférico

Sistema Nervoso
Central Epiderme e seus anexos
(encéfalo,tronco (pelos,unhas,glândulas)
cerebral e medula)

Ectoderma
BASES CIENTÍFICAS
 Cada ponto auricular é uma terminação nervosa, o estímulo
exercido sobre ele percorre os ramos nervosos até tronco
cerebral, que em seguida é encaminhado ao córtex cerebral e
identificado (área onde queremos tratar)

 O córtex envia uma mensagem para glândula pituitária e em


seguida são liberadas as substâncias para ocorre a ação no ponto.
Ponto do Olho
Ação principal: Olhos
Terminação Ação secundária: equilíbrio
Nervosa vagossimpático, sono, tônus

Corre

Estimulo

Ramos Nervosos

Corre
Troncos Cerebrais
Substâncias

Libera

Córtex Cerebrais

Envia uma Mensagem


INERVAÇÃO
 A orelha possui dois tipos de inervações, uma cranial e outra espinhal.

 Essa rede nervosa está entrelaçada por praticamente todo o pavilhão


auricular.

 Os nervos de origem craniana predominam na região central ou interna


da orelha, os nervos espinhais nas regiões externas ou periféricas.

 O Pavilhão auricular conta com inervação tríplice, formada pelos Nervos


Trigêmio, Vago e Plexo Cervical superficial. Há indícios de pequenas áreas
relacionadas aos nervos Facial e Glossofaríngeo;
NERVOS ESPINHAIS
 Originam-se no segundo e terceiro pares do plexo cervical

 São constituídos pelo nervo auricular maior e nervo occipital menor.

 Chegam até a orelha através da face posterior, onde possuem maiores


ramificações.

 Na face anterior do pavilhão, abrangem a região externa ou periférica.


Possuem polaridade simpática e abrangem todas as estruturas musculo
esqueléticas representadas no pavilhão auricular.
NERVOS CRANIANOS
 Nervo auriculotemporal:
Provém de um ramo sensitivo do trigêmeo, chega até a borda em que a
orelha se une à face e ramifica-se internamente pelo conduto auditivo. Por seu
trajeto na face e abrangência auricular, esse nervo pode estar relacionado com
as sensações de zumbido e obstrução do ouvido, dor e ardor na garganta,
língua, ATM, face e sensação de obstrução nasal.

 Ramo auricular do vago:


Originário de um segmento do nervo vago, também chamado de
pneumogástrico, que acompanha as veias cervicais, penetra na orelha após se
ramificar com o nervo glossofaríngeo e com algumas fibras do nervo facial,
abrangendo a face central e interna da orelha. É responsável pela inervação
parassimpática de praticamente todos os órgãos abaixo do pescoço, exceto
parte do intestino grosso(colo transverso e descendente) e órgãos sexuais.
INERVAÇÃO DO PAVILHÃO AURICULAR
Face Anterior Face Posterior

Sensitivo Motora
O pavilhão auricular em suas faces posterior e anterior,
recebe inúmeros nervos e uma circulação sanguínea com
extensa malha de capilares.

 Capilares → Mais numerosos na superfície

 Filetes nervosos → mais profundos

Assim, para obtenção do efeito sedativo de algum


ponto é necessário aprofundar a agulha.
VASCULARIZAÇÃO DA ORELHA - ARTÉRIAS
• O sistema sanguíneo da orelha é
abundante;

• O suprimento parte, principalmente, da


artéria temporal superficial, da carótida
externa e da auricular posterior;

• Apesar da abundância dos vasos, a


cartilagem é nutrida basicamente por
contiguidade (os vasos sanguíneos se
tocam formando uma espécie de
circuito fechado);
Essa contiguidade torna a
orelha relativamente sem
defesas contra infecções, pois
uma vez instalada, a infecção
não tem por onde ser
eliminada, tornando a
recuperação mais demorada.

Atenção:
Todo o cuidado
com a assepsia dos
instrumentos!
VASCULARIZAÇÃO DA ORELHA
VEIAS E VASOS LINFÁTICOS
 As veias acompanham as artérias e
têm a mesma denominação, à exceção
da auricular posterior, (que drena a
área irrigada pela carótida).

 Os vasos linfáticos da face anterior


desembocam nos gânglios linfáticos da
parótida, enquanto que muitos dos
linfáticos da posterior desembocam em
linfonodos retroauriculares (dorso
auricular).
REDE LINFÁTICA
FREQUÊNCIAS DE NOGIER
• Reflexo Auriculocardíaco  Sinal Vascular Autônomo
• Determinou com exatidão as frequências para estimular
Pontos e áreas do corpo.
• Essas frequências são interessantes pois provocam
fenômenos de ressonância, de forma que ocorre um aumento
dos efeitos terapêuticos.
• Um Laser estimulador de baixa potência consegue alcançar
resultados equivalentes aos aparelhos 10 vezes mais
potentes.
RELAÇÃO DAS FREQUÊNCIAS DE
NOGIER COM AS ÁREAS CORPORAIS
• A = 2,5 Hz
• B = 5 Hz
• C = 10 Hz
• D = 20 Hz
• E = 40Hz
• F = 80 Hz
• G = 160Hz
RELAÇÃO DAS FREQUÊNCIAS DE NOGIER COM AS
ÁREAS CORPORAIS E AURICULARES
CORRESPONÊNCIAS ENTRE FREQUÊNCIAS –
INERVAÇÕES E ÁRES SOMATOTÓPICAS
AURICULOTERAPIA FRANCESA

• Restringe-se a 30 pontos; 15 pontos de órgãos e


15 pontos guias, que podem corrigir varias
desarmonias.

• Cada um dos 30 pontos está relacionado ao folheto


embrionário de onde se originou o tecido
correspondente à zona corpórea em questão.
CONTRA INDICAÇÕES
• Mulheres antes do quinto mês de gestação ou histórico de abortos;

• Do quinto ao nono mês não usar: Ponto do ovário, Ponto do útero,


Ponto endócrino glandular, Ponto abdômen e pelve.
• Em casos de inflamação no pavilhão auricular;

• Em casos de esgotamentos excessivos: jejum prolongado,


caquexia, anemias – devem ser tratados deitados e evitar estímulos
muito fortes.
• Cardiopatas severos.

• Pacientes idosos ou debilitados.


Escolha dos pontos
Classificação dos pontos é feita em duas etapas:

• A primeira representa os pontos de Comando –


Possuem importância direta do tratamento, tem relação
direta com a queixa principal do paciente.

• A segunda representa os pontos Mestres -


Tem papel de potencializar a ação dos primeiros
Pontos de comando DE ÓRGÃO e Pontos
Guia/MESTRE
Pontos Guia/MESTRE:
Pontos de Comando de órgãos:
Do 1 ao 15 Do 16 ao 30
• Sua ação principal é local e liga- • Sua ação é vasta
se a um órgão dos sentidos, uma • Interfere em uma parte do corpo
víscera ou um músculo.
do paciente

• Pontos chave isolados. • Interfere em uma função ou


reação do paciente
• São pontos que completam a ação
dos pontos de comando
PONTOS MESTRES
Um ponto de órgão pode reunir vários órgãos.

Exemplo: Ponto Biliar - reúne F, VB, e Duodeno.

 Através da palpação devemos encontrar o ponto mais doloroso


dessa área, comparando-o com o R. A. N.

O ponto de comando representa a doença, enquanto o ponto guia


representa o terreno onde ela se encontra.
Pontos de comando e Pontos Guia

• Conclui-se que, cada ponto é o centro de uma área que lhe


dá o nome.
• Exemplo: Ponto Coração, Ponto Pulmão

• O ponto pode ainda ser uma linha onde todos os pontos


recebem o mesmo numero.
• Exemplo: Ponto trigêmeo
0S 07 PONTOS DE COMANDO
ESCOLA FRANCESA
(NOGIER)
PONTOS DE COMANDO

1) Ponto Zero/Diafragma (Ponto Mestre 21)


Centro anátomo fisiológico do pavilhão, situa-se no
sulco da raiz do hélix.
Ação: Psicossomática, pavilhão da orelha/
Calibragem da sensibilidade
3 2
2) Ponto Shen Men (Porta da Alma)
Vértice da fossa triangular no encontro das raízes
1 superiores e inferior do ante-hélix.
Ação: ponto de ação geral somático e
6
psicofisiológico, ansiolítico, sedativo, analgésico,
7 imune, quadril e joelho.
4
5 3) Ponto SNV (Ponto Simpático)
Ponto de intersecção da raiz inferior do ante-hélix
com a face interior do hélix.
Ação: sistema nervoso autonômico. Efeitos:
analgésico, relaxante, equilíbrio
neurovegetativo.
4) Ponto Hipotálamo
Ponto de intersecção da parede interna do antitragus
com a concha inferior, na sua região medial (a partir
do ápice do tragus).
Ação: hipotalâmica hemilateral, mecanismos
psicoflsiológicos, imunitária, antiinflamatória,
analgésica.
3 2
5) Ponto Endócrino
Ponto de união do meio da incisura intertragus com
1 concha.
Ação: sistema endócrino, principalmente tireóide e
6 paratireóide; distúrbios do crescimento ósseo,
articular e dental; distúrbios de erupção dental:
7
atraso da dentição e do crescimento
4
5
6) Ponto Maravilhoso/Metabolismo
Ponto de encontro do ante-hélix com raiz do hélix.
Ação: hepato-biliar, digestiva.
2 7) Ponto Adrenal
3
Tubérculo inferior do bordo do tragos

1 Ação: neuro-hormonal (corticóides),


6 analgésica coagulante e imunológica,
antiinfecciosa, antiinflamatória,
7
4
ansiolítica.
5
0S 30 PONTOS MESTRES
ESCOLA FRANCESA
(NOGIER)
24

25

15 14
12
13
23 10
8 9
22 11
7 6
21 20
5
18 19 4
28
30
27
3
17 29
26
2 1
16
30 Pontos auriculares
Número Nome Número Nome

1 Olho 16 Trigêmeo

2 Olfativo 17 Agressividade

3 Maxilar 18 Trago/O’

4 Pulmões 19 Pele

5 Auditivo 20 Ombro

6 Estomago 21 Zero

7 Garganta 22 MMII

8 Gônadas 23 MMSS

9 Pâncreas-Baço 24 Alergia

10 Coração 25 Darwin

11 Biliar 26 Síntese

12 Retal 27 Tálamo

13 Ciático 28 Occipital

14 Joelho 29 Genital

15 Rim 30 Medular
1 – PONTO DO OLHO
• Localização: No centro do lóbulo. (anterior/posterior)
O nome olho não se refere só ao orgão sensorial,
como tambem ao olho da mente.
Nogier considera esse ponto Mestre do psiquismo
• Ação principal: Olhos.
• Ação secundária: Equilíbrio vagossimpático, sono,
tônus, Fígado, músculos e tendões.

INDICAÇÕES  Trata alterações oculares como conjuntivite,


estrabismo, claustrobolia, hidrofobia, ansiedade,
angustia, sonhos (excessivos), vertigem de
montanha (das alturas), síndrome do balanço do
carro, medos, tiques, fobias em geral, distúrbios
de Aprendizagem.
2- PONTO OLFATIVO
• Localização: Na porção anterior do lóbulo, a 1mm
aprox. da linha de inserção do pavilhão sobre a face
(anterior/posterior).
• Abaixo do sulco pré-lobular, na metade do lóbulo
• Ações principais: nariz e afetividade.
• Ações secundárias: fígado, alergia, asma e vias
aéreas.

Agressividade e alteração da
INDICAÇÕES sexualidade.
Distúrbios do Olfato,
emoções/Sensibilidade, obstrução nasal,
sinusite, rinite, vias respiratórias em
geral, tratamento de tabagismo,
problemas hepáticos.
3- PONTO DOS MAXILAR/MANDÍBULA OU DENTÁRIO

• Localização: Um pouco atrás do anti trago, no


limite entre porção inferior da escafa com o
lóbulo (Anterior e posterior).
• Ação principal: Dentes
• Ação secundária: Membro superior, bexiga,
libido e extremidades.

• Analgesia dentária, extremidades,


INDICAÇÕES gengivite, peritonite, analgésico para
região maxilar, trata problemas
relacionados aos dentes, da ATM e da
região escapulo umeral.
 Libido “harmoniza”, cefaléias em geral,
dores articulares do joelho e ombros,
bexiga “Disfunções”, MMSS em geral.
4- PONTO PULMÃO
• Localização: Concha Cava, no centro, na
porção mais profunda sobre um pequeno orifício
– Centro da Hemiconcha inferior
(anterior/posterior).
• Ação principal: Aparelho respiratório.
• Ação secundária: Sistema nervoso.

 Distúrbios Emotivos: Angustia,


INDICAÇÕES
Depressão e Tristeza
 Fadiga.
 Distúrbios Pulmonares.
 Afecções respiratórias, digestivas.
 Problemas de Pele, mucosas.
 Sistema nervoso.
5- PONTO AUDITIVO
• Localização: No ápice da formação da crista
inferior na região trageana. Exatamente na
espessura e na metade da altura, ou seja no
bordo do tragus e no meio da cista .
• Ação principal: nervo auditivo.
• Ação secundária: afetividade, metabolismo
celular.

Indicações:
 Afetividade: equilibra, tanto no excesso como na falta.
 Distúrbios auditivos: zumbidos, tinidos, labirintite.
 Dist. De Equilíbrios: Vertigens.
 Metabolismo Celular.
6- PONTO DO ESTÔMAGO
• Localização: Na raíz da hélice entre a incisura do
hélice e a parede medial do anti hélice. Sobre a raiz
da hélice, a meio caminho entre o ponto zero (21) e a
parece da anti hélice (anterior/posterior)
• Ação principal: Estômago.
• Ação secundária: Vísceras abdominais, a
emotividade.
Distúrbios digestivos: fome, refluxos,
eructação, gastrites, ulceras, harmoniza o
INDICAÇÕES apetite, quando picado com o estômago vazio
há mais de 4 horas provoca contração
estomacal, diminui a sensação de fome –
contrai o estômago (posterior), tratamento de
obesidade, digere os “sapos”, emoções:
ansiedade e indecisão, individuo contrariado,
cristalização de pensamentos: ruminando
situações, batendo na mesma tecla.
7- PONTO DA GARGANTA– VITALIDADE
• Localização: Na incisura que separa as estruturas:
raiz da helix e tragus – incisura supra tragiana
(anterior).
• Ação principal: Garganta.
• Ação secundária: Órgão genitais, energia,
afetividade.

Indicações:
 Ponto que aumenta a libido e a potência
sexual, trata distúrbios da garganta, processos
inflamatórios, tabagismo, impotência sexual e
frigidez, genitais externos, alergias, afetividade
 Ação na orofaringe e vias aéreas superiores.
7- PONTO DA GARGANTA– VITALIDADE
8- PONTO GÔNODAS: “VIAGRA”
PONTO BOSH
• Localização: Fica escondido sob o ramo ascendente
da hélix, na junção do 1/3 inferior e médio de uma
reta traçada entreo ponto Zero e extremidade anterior
da hemi concha superior (extero-interno)
• Ação principal: Órgãos genitais.
• Ação secundária: Tônus e afetividade.

Indicações:
Age como precursor de
testosterona, distúrbios do testículo:
varicocele, azoospermia, orquite
(inflamação), disturbios de Ereção: fundo
psíquico, Libido (baixa), Ejaculação
precoce, Afetividade.
9 - PONTO PÂNCREAS/BAÇO
• Localização: Na concha cimba, ao nivel do
prolongamento da borda superior da raiz da helix
(anterior) ou no centro do um terço posterior ca comcha
superior
• Ação principal: Pâncreas (exócrino) e baço.

• Ação secundária: Equilíbrio parassimpático,


neurovegetativo, afetividade.

Indicações:
 Sistema imunológico, intolerância alimentar, sistema
digestivo e muscular, diabetes, tosse seca frequente,
pancreatite(aguda e crônica), distúrbios nas crianças por
ingestão excessiva de açúcar (transtornos de conduta –
desatenção), ansiedade, tosse crônica, asma,
obesidade por má alimentação.
10 - PONTO DO CORAÇÃO
• Localização: No antélice, projeção do
ponto do baço, passando pela linha
imaginária que passa pela vértebra T4
(antero-posterior).

• Ação principal: Coração (problemas


cardiacos cronicos, tratar o emocional.

• Ação secundária: Pneumogástrico

Chines
Indicações:
Ansiolítico, perturbações circulatórias,
vasculares, digestivas, calmante, relaxante
muscular, sedativo age sobre o “shen”.
11 - PONTO BILIAR OU FÍGADO
• Localização: Na concha cimba, no limite entre
a parte média, e a superior desta a meia
distância entre a raiz do hélix e o rebordo do
ante-hélix.
• Ações principais: Fígado, bile, vesícula.
• Ação secundária: Estado psíquico.

INDICAÇÕES
Problemas alimentares, hipofunção
vesicular, fadiga matutina (problemas emocionais),
fadiga vespertina (problemas orgânicos), problemas
Ovulares, problemas musculares (dores em
geral)alergias em geral, constipação intestinal,
estado psíquico, impotência masculina. Pelo fato de
contrair a vesícula, deve se evitar usar em presença
de cálculos biliares.
12 - PONTO RETAL
• Localização: Na concha cimba, no angulo
formado pela junção da raiz inferior da helix com
a raiz da ante-hélix, no fundo cego da concha
(Interno).
• Ações principais: Veias hemorroidárias.
• Ação secundária: Garganta, intestino, bexiga,
psiquismo.

Indicações:
Hemorróidas (agulhar por 1
hora), psiquismo (problemas
mentais), intestino, bexiga, orofaringe,
conflitos infantis.
13 - PONTO CIÁTICO
• Localização: abaixo da fosseta triangular, sobre o
ramo inferior do anti hélix, no seu cruzamento com
o ramo ascendente à nível do ponto do joelho
(externo-interno).

• Ações principais: nervo ciático, região lombar,


rim.

• Ação secundária: Olhos.

Indicações:
Ciatalgias, lombalgias, distúrbios
oculares
14 - PONTO DO JOELHO
• Localização: No centro da fosseta
triangular (Anterior e posterior)
• Ações principais: Joelho.
• Ação secundária: Audição, tônus.

Indicações:
Problemas ligados ao joelho, disfunção
de ATM, atua sobre a libido, distúrbio de
crescimento, flexibilizar situações, rim.
15 - PONTO DO RIM
• Localização: No hélix, nível do eixo da bissetriz
que parte do vértice da fosseta triangular, se
estende linearmente até nível do ponto de
Darwin. (Interno)
• Ações principais: Rim
• Ação secundária: Sistema Vagossimpático,
psiquismo, metabolismo.

Indicações:
Problemas ligados ao rim (patologias –
deficiências energéticas ou físicas), medula óssea,
ossos, dentes, age sobre o SNV, sistema
geniturinário, conflitos da infância.
Potencializa a ação do Rim Chinês!
16 - PONTO MESTRE DO TRIGÊMIO (Bordo)
• Localização: A localização é linear, sobre a borda do
lóbulo, no ângulo hélico lobular até o ponto de projeção de
reta do ponto zero(21) ao ponto nº 29.

• Ações: sistema nervoso, mesoderme, comportamento,


nervo trigêmeo, SNV, importante em todos os vícios.
• Alguns autores colocam que deve ser o 1⁰ ponto de
qualquer tratamento, é chamado de ponto pós-motel.
21

INDICAÇÕES
Relaxamento musculoesquelético e 28 27

mental, disfunções de ATM, odontalgias, dores


trigeminais, distúrbios de comportamento, 21 – Mestre ZERO 29
agressividade, anti tóxico (vícios) problemas 27 – Mestre CEREBRAL
afetivos, trata cicatrizes psíquicas, distúrbios 28 – Mestre occipital

hormonais nas mulheres, acnes, paralisia facial 29 – Mestre Genital

periférica.
17 - PONTO MESTRE DA AGRESSIVIDADE
• Localização: Está situado no terço superior do
lóbulo a cima do sulco pré lobular, 3 – 4 mm da
inserção do lóbulo na face (Anterior e posterior).
• Ações: Comportamento, tônus, órgãos
genitais, fígado, nervos da calda equinea.

Indicações:
Bruxismo, distúrbios mandibulares, tiques
nervoso, gagueira, nervosismo, agressividade,
impotência sexual, frigidez, tabagismo,
agressividade, irritabilidade e cólera, infecções
repetidas.
18 – PONTO MESTRE DO TRAGUS OU ZERO
LINHA (0’)
• Localização: No centro do pré trago, no
meio do sulco que forma ao pressionar o
trago no sentido da face.

• Ações principais: Problemas de


lateralidade, tônus e controle muscular,
audição e memória

Indicações:
Distúrbio do sono, genitália externa,
incontinência urinaria leve, impotência
sexual, audição.
19 – PONTO MESTRE DA PELE
• Localização: Esse ponto se encontra sob o trago, a
aproximadamente ½ de seu rebordo posterior, equidistante
a superfície inferior do orificio auricular (êxtero-interno).
• Ações: Pele, Sistema reticular (sono), equilíbrio
vagossimpático, comportamento.
• Pode levar a hipotermia.

Indicações:
 Problemas de Pele, problemas no couro cabeludo, problema
alérgico de fundo emocional, vias respiratórias, agitação,
angústia, ansiedade, alergias, pulmão, intestino grosso,
ação comportamental, sistema reticular (Ciclos de sono).
20 – PONTO MESTRE DO OMBRO
• Localização: No flanco posterior da anti hélice,
pouco a cima do anti trago, está situado acima e
um pouco atras do ponto nº 3 (maxilar), ou seja
na escafa ao nível da helix, aproximadamente
3mm acima do sulco que separa a anti-helix do
antitrago – a nível da 3ª vertebra cervical.
(anterior/posterior).
• Ações: Ombro.
• Ponto utilizado para reduzir o libido sexual.

Indicação:
Patologias do ombro, disfunção de ATM,
acumulo de responsabilidades, sensibilidade e
motricidade de ombro alterada, ação nos MMSS,
intestino Grosso e pulmão.
21 – PONTO MESTRE ZERO
• Localização: No meio da raiz da helix. Existe uma
angulação da cartilagem formando um sulco, que
poderá ser observado ao se passar o apalpador
(anterior), ou seja, está situado no ponto em que a
raíz da hélice torna-se ascendente, no local
preciso, em que o relevo da hélice se eleva fora da
concha.
• Ação: Pavilhão auditivo (externo).
• É um ponto regula orelha hiper e hipossensível.
Influencia a sensibilidade do corpo, ação geral.

Indicações:
Fome, compulsividade alimentar, obesidade,
complemento de analgesia, harmoniza e equilibra os
outros ponto, ação no diafragma, miorrelaxante,
sedativo.
22 – PONTO MESTRE DE MEMBRO INFERIOR
• Localização: Está situado a acima
(1mm) do ponto zero 21, sobre o eixo do
ramo ascendente da hélice (anterior)
• Ação: Controla a sensibilidade e a
motricidade do membro inferior e
também perturbações que afetam os
artelhos e planta dos pés.
Indicações:
 Distúrbios Sensitivos MMII
 Distúrbios Motores MMII
23 – PONTO MESTRE DE MEMBRO SUPERIOR
• Localização: Acima e à frente
(2mm) do ponto 22, ramo
ascendente (externo)
• Ação: Controla a parte
sensitiva e motora do membro
superior.

Indicações:
 Distúrbios Sensitivos
 Distúrbios Motores
24 – PONTO MESTRE DA ALERGIA – REFLEXO
CEREBRAL
• Localização: No ápice da borda
da helix, após manobra de
“dobradura” na junção das faces
interna e externa do pavilhão
auricular, no ápice da orelha.
(Borda)
• Ação: Alergia, metabolismo
celular, afetividade.
Indicações:
Alergia alimentares, alergias
respiratórias, afetividade, sistema
imunológico, hipertensão (Sangria)
25 – PONTO MESTRE DE DARWIN
• Localização: Na helix, na porção
espessa, no tubérculo de Darwin,
pode ser marcado por uma fissura
cartilaginosa. (Borda)
• Ação: sensitiva, afetando: a
mesoderme e a ectoderma e
imunológica.

Indicações:
 Sistema Imunológico.
 Perturbações dolorosa dos membros.
26 – PONTO MESTRE DE SINTESE (ANSIEDADE)

• Localização: Encontra-se na região


posterior do pavilhão, abaixo da parte
retroauricular, na junção mastóide da
orelha, nível da porção superior e
posterior do lóbulo, em um cruzamento
cartilaginoso e ósseo (Posterior).

• Ação principal: Geral, sensitiva, motora,


reações psíquicas.

• Ação secundária: Audição metabolismo


celular.
27– PONTO MESTRE CEREBRAL OU TÁLAMO
Localização: No ápice do anti trago, fazer uma
leve pressão para cima e estabilizar
(externo/linear)
Ação: Caráter, psiquismo, tálamo, talâmica,
psíquica e complexos infantis
Ponto pouco doloroso

Indicações:
 Age sobre o caráter
 Psiquismo
 Complexos psíquicos.
 Psiquismo infantil.
 Centro das dores e das emoções.
28 – PONTO MESTRE OCCIPITAL
Localização: No limite entre anti tragus e
anti-hélix, mas sobre o antitrago (entre o
tálamo e a coluna).
Se esse ponto tiver que ser tratado
ele revela-se muito doloroso.
Ação: Perturbações sensitivas e
motoras, ação sobre ossos, músculos,
tendões, articulações e vasos.

Indicações:
 Age sobre o equilíbrio, sensibilidade
motora, distúrbios, sensitivos, memória.
29 – PONTO MESTRE GENITAL (SEXUALIDADE)
Localização: Está situado da
extremidade anterior do antítrago, sobre
sua face externa (Anterior e posterior).

Ação: Órgãos genitais externos, tônus,


olhos, libido.

Indicações:
Distúrbios de Sexualidade
(Frigidez, impotência sexual),
menopausa, tônus genital, incontinência
urinaria.
30 – PONTO MESTRE MEDULAR
Localização: Sobre a crista
posterior da cauda da helix, ao se
traçar uma linha reta que sai do
ponto zero, passando pelo ponto 20
ate o bordo da helix(borda).

Ação: Sistema Nervoso Periférico 21

Indicações:
Distúrbios do sono, sistema 20

nervoso periférico, sistema


imunológico, nevralgia e herpes
zoster.
MASSAGEM AURICULAR
MASSAGEM AURICULAR

• O tempo de massagem é determinado pela


presença de hiperemia da orelha – sensação do
aumento da temperatura percebida pelo paciente –
ou diminuição a sensibilidade das áreas reagentes.
• Realizada de forma bilateral e simultaneamente,
colhendo do paciente as reações causadas pelo
procedimento
MASSAGEM AURICULAR –
ENERGÉTICA
CICATRIZES PATOLÓGICAS

• CICATRIZES TÓXICAS

• CICATRIZES PSIQUICAS
CICATRIZES TÓXICAS
Cicatrizes tóxicas são as que podem ser causadas por cirurgias, tombos,
cortes, mordidas de animais etc. São cicatrizes orgânicas.
Segundo a MTC são as que interrompem o fluxo dos meridianos. Os
sintomas geralmente são relativos ao fluxo que foi interrompido ou bloqueado.
São avermelhadas. Deve-se tirar a toxicidade da cicatriz para se restabelecer o
fluxo do meridiano atingido.
Para Nogier é a cicatriz que causa sintoma que aparentemente não tem relação
alguma com ela. É capaz de alterar a função mecânica corporal, podendo induzir a
uma contratura muscular, e até alteração postural.
Caracteristicamente as cicatrizes tóxicas são horizontais, avermelhadas e de
aspecto pouco estético.
Locais das Cicatrizes Tóxicas
1. Mastectomias, 2. Vacinas, 3. Couro cabeludo, 4. Amigdalectomia, 5.
Apendicectomia 6. Episiotomia e Cesáreas 7. Cicatrizes abdominais. Alguns
sintomas relacionados às cicatrizes tóxicas
Fadiga, eczema, hipotensão, alergias, enxaquecas, cefaleias,
contraturas, alterações posturais etc.
CICATRIZES TÓXICAS – PONTOS PARA
TRATAMENTO NA AURICULOTERAPIA
Segundo Nogier, o tratamento das CT com auriculoterapia é muito
eficaz.

Os pontos são tratados com agulhas filiformes Ting, que devem permanecer por 20
minutos. O paciente deve ser examinado uma vez por semana durante cerca de
seis semanas.
CICATRIZES PSIQUICAS
 Geralmente são advindas de traumas
psíquicos/emocionais (bullying, assédio sexual,
perdas, frustrações etc);

 Traumas são marcas que se inscrevem no


psiquismo e que geralmente acabam por gerar
alguma reação patológica. Geralmente os sinais
podem variar bastante, com evidências claras no
humor da criança, adolescente ou adulto, sua
relação familiar e até mesmo na sua alimentação e
sono;
 Importante o acompanhamento psicológico e
psiquiátrico desde o início.

 Tratamento
 Punturar a região das Cicatrizes Psíquicas por
20 minutos
 Associar com a puntura do ponto de
Correção de Todas As Cicatrizes
CICATRIZES PSIQUICAS
• Localização: no lóbulo da orelha
esquerda ou direita, são três agulhas
inseridas ao mesmo tempo.

• Indicação: Quadros clínicos


somatizados, perda ou redução dos
órgãos dos sentidos, travamento social
ou mental, bloqueio de movimento,
quadros álgicos, perda de auto-estima,
mau funcionamento orgânico.
CICATRIZES PSIQUICAS

Quando o trauma é consciente, é na orelha


direita sua localização, quando é ou já se
tornou inconsciente é na aurícula esquerda, o
que normalmente ocorre após seis meses
após o trauma, sendo que após este período é
que as enfermidades somáticas começam a
aparecer.
CICATRIZES PSIQUICAS

Desfavoráveis situações vivenciadas,


choques emocionais, abalando e
traumatizando com grande impacto o
sistema psicológico.

Instalam-se enfermidades
psicossomáticas diversas, afetando de
diferentes formas o funcionamento
orgânico e sistema musculoesquelético do
paciente.
Suas Crenças se tornam seus pensamentos.
Seus pensamentos se tornam suas palavras.
Suas palavras se tornam suas ações.
Suas ações se tornam seus hábitos.
Seus hábitos se tornam seus valores.
Seus valores se tornam seu destino. Gandhi