Você está na página 1de 4

13/01/2020

Diodo
Diagrama/ curva diodo ideal

Para tensão direta de polarização Vf o diodo


representa R =0;
Tensão indireta (reversa) R= ∞;

Diagrama/curva diodo real


Visão Global

Para tensão direta de polarização Vf o diodo


Eng. Sidnei de Plegrin representa Rt = ~mΩ; e tensão de polarização
Vto> 0,7 V;
Tensão indireta (reversa) Vrrm= Limitada;

1 2

Características Dinâmicas
Análise diodo Semikron Diodo Bloqueado e S aberta

SKN20/08
Vrrm = 800V
V(To) = 0,85V
rT = 11mΩ; Diodo Conduzindo S
Idmed = 20A; fechada;
Ir=IrD= 15mA; Capacitância sobre
diodo

Perdas na condução :

P = V(To).IDmed +rT.IDef² Diodo Bloqueado


Idef = 5A Quando Qrr de C se anula L provoca um sobretensão que
pode ser destrutiva (sobre o diodo); Evita-se tal evento
colocando um filtro RC em paralelo com D;

Qrr é dada pelo fabricante;

3 4

Tiristor Tiristor
Diagrama/ curva tiristores
O tempo de retardo é o maior componente do
tempo ativo Ton
Td – tempo de retardo;
Tr – tempo de descida da tensão anodo catodo;
Ton = Td +Tr
O tiristor sem I de gatilho bloqueia +V e – V;
Sendo disparado ele assume as características de
um diodo;

Ton depende:
Amplitude da corrente do gatilho IG;
Circuito de gatilho A velocidade do crescimento IG;
Em geral Ton é > 1us e < 5us

5 6

1
13/01/2020

Cálculo Térmico Z térmica


 Em To inicia-se a dissipação de potência
 A corrente que circula produz calor; constante P;
 Calor Gerado deve ser transferido ao ambiente;  A capacidade térmica do componente impede
que a temperatura cresça abruptamente ∆T.
 A corrente máxima transferida por um diodo ou tiristor depende é limitada somente
 Zt – Impedância térmica variável com o
pela temperatura de junção; tempo;

 Tj – Temperatura de junção ºC;


 Tc – temperatura da cápsula ºC;
 Td – Temperatura do dissipador ºC;
 Ta – Temperatura ambiente ºC;
 P – Potencia térmica produzida pela corrente que circula no componente W;
 Rjc – resistência térmica entre a junção e a cápsula ºC/W;
 Rcd – resistência térmica entre o componente e o dissipador ºC/W;
 Rda – resistência térmica entre o dissipador e o ambiente ºC/W;
 Rja – resistência térmica entre a junção e o ambienteºC/W;

7 8

Cálculo Térmico D e T Cálculo Térmico D e T


 Z térmica trazitória Z(th) para
corrente continua pura;
 A Z para correntes impulsivas Zthp
depende soma de Zthz e Ztht;

 Potência dissipada Pfmed em função da  Temperatura da Capsula Tc em


corrente média Imed; função de diferentes Ta e resistências
 Para corrente continua (Cont.); Para térmicas Tthca
meia onda senoidal (sin. 180); para
ondas retangulares (rec. 60) (rec. 120);

9 10

Curvas Tiristor Zt Tiristor


 Z térmica trazitória Z(th) para
corrente continua pura;
 A Z para correntes impulsivas Zthp
depende soma de Zthz e Ztht;

11 12

2
13/01/2020

Relação dos dissipadores Semikron


Exercício
 Determinar a resistência térmica do dissipador a ser empregado para manter a
temperatura de junção abaixo do limite estabelecido pelo fabricante;
 Tj< Tj máximo

 Buscar no dataseeht do componente:


Rthjc
Rthcs
Tj
Vto
rT
Ta – 50ºC

13 14

Cálculo térmico Cálculo térmico

15 16

Cálculo térmico Cálculo térmico

17 18

3
13/01/2020

Cálculo térmico Cálculo térmico

Confirmação - Tj < Tj Máximo (180ºC)

19 20

Bibliografia
BARBI, Ivo. Eletrônica de Potência. 6ª Edição Departamento de
Engenharia – CTC – UFSC Florianópolis, 2006.

MARTINS, Denizar. Teoria Fundamental da Eletrônica de Potência.


Departamento de Engenharia – CTC – UFSC - Florianópolis, 2001.

BARBI, Ivo. Projeto Físico de Indutores e Transformadores.


Departamento de Engenharia Elétrica– CT – UFSC Florianópolis, 2002.

MARTINS, Denizar. Conversores CC-CC Básicos Não Isolados. 2ª


Edição - UFSC Florianópolis, 2006.

21