Você está na página 1de 39

O?

NT
RO
P

ES
ÃO
RM
SE
O
Este livro de homilética nada mais é que uma orientação prática onde o leitor vai encontrar dicas e exemplos
retirados principalmente do livros: O Sermão Eficaz, de James D. Crane, A Arte de Pregar o Evangelho, de Plínio
Moreira da Silva, Técnica do Discurso Moderno, de Mário Ferreira dos Santos, O Sermão da Sexagésima, do Padre
Antônio Vieira, Curso de Oratória e Retórica, de Mário Ferreira dos Santos e outros que cito na bibliografia.
Recomendo que adquira um deles para lêr e se aprofundar.
Por ser uma orientação prática escolha a seção que se sentir a vontade e pronto. O Sermão está dentro de
você, este livro só vai ajudar a colocar para fora. A estrutura do "O Sermão está pronto?" permite ao leitor ir aonde
quiser dentro do livro e tirar as suas próprias conclusões de como deve ser um sermão mais didático possível ao seu
público, porque esta é a finalidade da homilética.
HOMILÉTICA E O SERMÃO

O termo Homilética([Do gr. omiletiké (subentende-se techne), ‘espírito de sociedade’.]


S. f. Arte de pregar sermões religiosos.) vem de “homília”, que significa conversa ou conversação.
Com decorrer do tempo esta palavra como a palavra romana “sermonis”(originou sermão: Do lat. sermone,
‘conversação’.)
sofreram uma alteração semântica e vieram a significar “discurso”.
Quando a Bíblia passou a ser o centro da pregação, a homilética passou a ser a arte de pregar o Evangelho.
(Homilética, Plínio Moreira da Silva, pg. 14)

A Homilética é a técnica de fazer sermões.


O Sermão é a pregação do evangelho de acordo com a homilética.
Alguns conselhos Práticos

• Atualmente o falar em público e, em especial, numa igreja, é uma conversação de forma


ampliada, uma palavra direta - Pregadores que conversem com a igreja e não que falem para ela.
• William James, um conceituado professor de Harvard disse certa vêz: "Em quase todos os
assuntos, você será salvo pela sua paixão por eles. Se você tiver por um resultado o cuidado suficiente,
é quase certo que o conseguirá. Se você desejar ser bom, será bom. Se você desejar ser rico, será
rico. Se você desejar aprender, aprenderá. Somente então você realmente deverá desejar essas coisas,
e deseja-las com exclusivismo, e não desejar uma centena de outras coisas incompatíveis, com a
mesma intensidade."
• O grande esforço no sermão é fazer o público enxergar dentro da cabeça e do coração do
pegador. Para tal, é necessário pensamentos claros. A clareza causa impacto nas pessoas.
• Prepare sermões e não fuja das oportunidades de praticar. Porque ninguém pode aprender a
pregar sem pregar em público, assim como, ninguém pode aprender a nadar sem entrar na água.

• Sobre o medo de falar numa igreja lembre-se que não é o único com este sentimento. Na
verdade é útil uma pequena dose de nervosismo porque, predispõe o seu corpo dando-lhe capacidade
de falar com mais fluência. Sem contar que o nervosismo faz a pessoa preparar com mais rigor o seu
sermão.
• O medo de falar em prenário advém da falta de prática - "O medo é o filho bastardo da
ignorância e da incerteza" (Prof. Robinson em "The Mind in the Making").
• Nunca decore um sermão palavra por palavra. O medo de errar às vezês nos faz cometer erros
maiores porque a decoreba consome um enorme tempo e, sobre tudo, destrói a naturalidade no púpito.
Durante toda a vida falamos de modo espontâneo. Nunca pensamos em palavras, pensamos sim em
idéias. Por isso as idéias devem ser claras, para as palavras virem naturalmente. Domine o tema do
sermão, somente isto. Quando decoramos e somos colocados diante do público é muito provável que
o esqueçimento de alguma coisa, e é bem certo vamos falar mecanicamente. Certa vêz Abraão Lincoln
disse que não gostava de ouvir semões apriorístico, isto é, falar sem experiência. Ele gostava de vêr o
pregador "lutando contra abelhas", ou seja, de um orador entusiasmado.
• Converse com os seus amigos sobre o assunto do seu sermão (sem eles saberem que é um
sermão) e observe suas reações e seus comentários. Lembre-se que o sermão não é para o pregador e
sim para o público.
• Não deixe que pensamentos negativos dominem como, pôr exemplo: será que vou cometer
erros de pronúncia. Basta observar outros pregadores como estão falando e agindo, você verá que é
sem razão o nervosismo exagerado. Além do mais, tenha confiança em si próprio. Use de auto-
sugestão como motivação, segundo conselhos de psicólogos, então:
Diga para si - Estou mais preparado que qualquer um do plenário para falar do tema em
questão;
Aja fingindo coragem, lembre-se que é auto-sugestão;
Respire fundo para aumentar a oxigenação;
Olhe para a platéia e finja que eles lhe devem algo, isto vai ajudar o seu psiquê.
Uma idéia geral sobre o Sermão
O SERMÃO
Há de tomar o pregador
uma só matéria

Há de defini-la Para que se conheça

Há de dividi-la Para que se distinga

Há de prova-la Usando a Escritura

Há de declara-la Usando a razão

Há de confirma-la Através do exemplo

Com os convenientes
Há de amplifica-la Com causas e efeitos
Com os inconvenientes

Há de responder Tirando dúvidas

Há de satisfazer Tirando dificuldades

Há de impugnar Com a força dos


e refutar argumentos

Há de colher

Há de apertar

Há de concluir

Há de persuadir
Comentário do
Padre Antônio Vieira
Há de acabar
em 1665 -
O Semão da Sexagésima
As Quatro Grandes Perguntas:

1 Sobre o que vou falar?

É a conclusão É o tema do sermão.


do sermão. É aquela idéia sobre
a qual quero falar.

4 O que temos que


fazer? 2 Como vou enfocar
o assunto?

São os argumentos, É a minha tese.


com os quais
defenderei o isto;o 3 É aquilo que penso
sobre o tema, ou seja,
aquilo; e o aquilo outro. penso isto; aquilo; e
Quais os argumentos? aquilo outro.
Vamos seguir os passos lógicos na construção de um sermão:

TEMA

TESE

ARGUMENTAÇÃO

INTRODUÇÃO

CONCLUSÃO

Lembre-se:
Tudo começa com o tema (o assunto) do sermão. Deixe-se absorver pelo assunto do sermão: acredite
na sua mensagem, veja os significados mais profundos do seu tema e pergunte para si como poderá ajudar os
ouvintes se tornarem melhores.
O propósito específico do sermão

Qual é o meu propósito neste sermão?


O que desejo conseguir mediante este discurso?

Liste as necessidades que devem ser suprida pelo sermão

Classifique-as

Veja qual é a mais urgente

Resultado:

O propósito específico do sermão

tem que:
•Despertar o interesse;
•Iluminar o entendimento;
•Convencer a razão;
•Exortar a consciência;
•Cativar a vontade.
CLASSIFICANDO
O TIPO DE SERMÃO

É o propósito geral do sermão

"ONDE ESTIVER APLICAÇÃO AÍ COMEÇA O SERMÃO"

EVANGELÍSTICO
É persuadir os perdidos a rceberem Jesus como seu salvador.

DOUTRINÁRIO

É o propósito didático para instruir os crentes nas grandes verdades da fé cristã.

DEVOCIONAL
É o propósito de intensificar nos crentes o sentimento de amorosa devoção para com
Deus, guiando-os na apropriada adoração para com Deus.

De acordo com a
CONSAGRAÇÃO necessidade mais
urgente, o sermão pode
seguir um destes caminhos.
É o propósito de estimular o crente a dedicar seus talentos, Se forem várias necessidades,
escolha a mais urgente, ou,
tempo e influência ao serviço de Deus. agrupe as necessidades
de mesma classe.

ÉTICO
É o propósito de ajudar o crente a pautar sua conduta diária e suas relações sociais de
acordo com os princípios cristãos.

PASTORAL
É o propósito de fortalecer e dar ânimo ao crente em meio às provas e crises de sua vida
pessoal.
RETIRADO DO LIVRO "O SERMÃO EFICAZ"
Começando a trabalhar o texto:

Primeiro
Determine a extenção do Texto e destaque um Tema
Elabore ou identifique no texto uma Tese
Prepare ou identifique no Texto os argumentos que respondam à Tese

Pesquisas
Extraia o máximo do texto pesquisando
Gramaticalmente - Literariamente - Históricamente

Pesquisando Gramaticalmente: Sujeito, predicado, complementos, figuras de linguagens,


verbos, estilo dos autor, etc.

Pesquisando Literariamente: Quem é o autor; prara quem escreveu e com que propósito.
É analisar o contexto interno.

Pesquisando Históricamente: História; geografia, etc. É analisar o contexto externo.

(Homilética, Plínio Moreira da Silva)

Texto: Gn 12. 1 a 5 Texto: Jo 4.31-42


Tema: A chamada de Abraão (o tema não está Tema: A comida de Jesus
contextualizado) Tese: Qual era a comida de predileta de Jesus?
Tese: Por que Iavé chamou Abraão? Assunto:
Assunto: 1- Fazer a vontade de Deus.
1- Para sair de sua terra para uma nova terra. 2- Completar a obra de Deus.
2- Tornar-se Pai de uma grande nação.
3- Para ser abençoado
Conclusão: Abraão obedeceu a Iavé
A comunicação e o Sermão

Toda comunicação é feita em duas etapas básicas:

I O motivo que leva-me a falar ocasionado pôr uma


necessidade.

II A forma como vou expor o meu motivo.


Primeira etapa:

O motivo que leva-me a falar ocasionado pôr uma necessidade.

Sobre o que vou falar?


As fontes de idéias são várias:
É o tema do sermão. A Bíblia - A fonte inescotável
É aquela idéia sobre
Livros
a qual quero falar.
Jornais
Rádio/TV
Uma situação do cotidiano (no lar,
trabalho, igreja, etc.)

O MOTIVO = IDÉIA = TEMA = ASSUNTO DO SERMÃO

Caso queira
obter o seu objetivo de um texto
biblico, proceda assim:
Determine a extenção do texto, O melhor estímulo para uma idéia é a necessidade.
que tenha um sentido completo.
Leia várias vezes até captar o Lista de necessidades
a idéia central do texto. Classificação NECESSIDADE = OBEJTIVO
Faça uma lista de todos os
pensamentos que estão no texto, Qual é a mais urgente - Se forem várias necessidades,
escolha a mais urgente, ou,
da seguinte forma: agrupe as necessidades
É uma lista feita por cada de mesma classe.
versículo -
Ligue o teu objetivo a um texto
VERSÍCULO - PENSAMENTO - IDÉIA biblico
CONCLUSÃO

A tua idéia vai ser o assunto do sermão.


Este assunto deve girar em torno de um dos seguintes objetivos:
Evangelístico: É persuadir os perdidos a receberem Jesus como Salvador.
Doutrinário: São instruções para os crentes na fé cristã.
Devoção: Tem o propósito de guiar os crentes numa apropriada adoração para com Deus.
Consagração: Alerta os crentes a dedicar seus talentos, tempo e influência ao serviço de Deus.
Ético: Exorta os crentes a pautar sua conduta nos mais altos princípios morais.
Pastoral: Procura fortalecer e consolar os crentes em meio as provas e crises que passa.

Há de tomar o pregador um só assunto que é o TEMA DO SERMÃO


Segunda etapa:

A forma como vou expor o meu motivo.

O MOTIVO = IDÉIA = TEMA = ASSUNTO DO SERMÃO

[Do gr. thésis, ‘ato de pôr’, ‘proposição’, pelo lat. these.]


S. f.
Proposição que se expõe.
Proposição formulada para ser defendida em público.

[Do lat. propositione.]


S. f.
A tese é aquilo que eu penso sobre o
Ato ou efeito de propor.
tema e quero colocar isto que penso como
Aquilo que se propõe; proposta.
proposta para ser explicada e/ou defendida.

O que penso sobre o tema?


Eu penso:
1. Isto ...
2. Aquilo ...
3. E aquilo outro ...
4. E mais isto ...
5. Etc.

Lembre-se:
A necessidade vai ditar o tema do sermão. Qual é o meu propósito neste sermão(tema)?,
meu propósito é suprir aquela necessidade. Muito bem, a formulação da minha tese deve
cumprir este propósito.
O isto, Aquilo, e aquilo outro, são os tópicos da tua tese. Como disse Dr. Charles Reynold Brown: "Medite
sôbre o seu tópico, até que ele se torne suave e fluente...em seguida anote todas essas idéias, com poucas
palavras, o necessário apenas para fixá-las...anote-as em pedaços de papel - você verificará como é mais fácil
arrumar e organizar esses pedaços de papel quando procurar pôr em ordem o material de que dispõe".
A TESE PODE SER RETIRADA DO TEXTO SERMÃO TEXTUAL

A TESE PODE SER CRIADA SERMÃO TEMÁTICO

SERMÃO TEXTUAL

DESENVOLVIMENTO ANALÍTICO DO TEMA A HOMÍLIA

O tema do sermão é igual à idéia central do texto. Trabalha-se num texto


As divisões principais do sermão são formados pelas partes relativamente grande e encerrando
principais do texto e colocados na mesma ordem em que um sentido completo. Neste texto
aparece no mesmo. vamos dar uma simples exposição
contínua da passagem lida,
podendo ser versículo a versículo
DESENVOLVIMENTO SINTÉTICO DO TEMA ou fazendo referência ao texto
como um todo.
As explicações tem que ser claras,
Tema pode ser igual ou não à idéia central do texto. Podendo
com aplicações práticas e passar
ser inferido do mesmo por procedimentos lógicos. As divisões
de um pensamento para outro
principais do sermão fica de acordo com o critério do pregador.
com naturalidade. Deve-se
• Tema igual a Idéia central do texto: temos uma
apresentaras explicações na
síntese elementar do tema.
mesma ordem que aparecem
• Tema diferente da idéia central do texto: temos uma
no texto.
síntese avançada do tema. Alguma parte do texto se
transforma em tema, ficando as demais partes subordinadas.
A HOMÍLIA É UMA PRÁTICA
INFORMAL MUITO USADA
NOS PÚLPITOS.
DESENVOLVIMENTO EXPOSITIVO DO TEMA

O tema é encontrado diretamente do texto, sem inferência.


As divisões e subdivisões são desenvolvidas com o material
fornecido pelo texto, através de um correta interpretação. A
tese pode ser analítica ou sintética.
Objetivo específico do sermão tem que ser igual ao
significado original do texto, ou seja, de acordo como
estava no coração do escritor sagrado.
SERMÃO TEMÁTICO

SERMÃO DE ASSUNTO
O tema é extraído diretamente do texto.
As divisões são tiradas do tema, NÃO TENDO NENHUMA
BASE COM O TEXTO.

LEITURA BÍBLICA
Apresentar o tema através de passagens bíblicas que
podem estar num livro da Bíblia ou nela toda.
Escolhendo as referências mais importantes, colocando-as
em uma ordem própria conduzindo-as a um clímax.
Dar uma interpretação correta, de modo claro e breve.
Buscar ilustrações apropriadas.
Introdução à arte de Argumentar
SERMÃO: É um tipo de dissertação que tem a argumentação como ponto essencial.

• RACIOCÍNIO
• INTRODUÇÃO • ARGUMENTOS
DISSERTAÇÃO • DESENVOLVIMENTO • CONTROVÉRSIAS
• CONCLUSÃO • DEDUÇÕES

“O SERMÃO É DISSERTAR SOBRE UMA IDÉIA(TEMA),

SENDO A ARGUMENTAÇÃO O SEU PONTO FORTE”

ARGUMENTAÇÃO DESTACAR A
ELOQÜÊNCIA SACRA

Portanto, na pregação eu expresso o que sei sobre determinado tema(dissertando), externando a minha
opinião e tentando convencer o ouvinte que a razão está comigo(argumentando).

Argumentar [Do lat. argumentare.]


Apresentar argumentos; aduzir os raciocínios que constituem uma argumentação.
Aduzir [Do lat. adducere.]
1. Trazer, apresentar (razões, provas, testemunhos, etc.)
2. Trazer, apresentar: O advogado aduzia ao juiz novos argumentos.

Toda a argumentação afirma ou nega algo.

AFIRMA-SE OU NEGA-SE

Um fato Uma opinião

Uma qualidade
Argumentação
AFIRMA-SE OU NEGA-SE

Um fato Uma opinião


O Fato: Uma qualidade A Opinião:
• se deu? • é uma hipótese?
• não se deu ? A Qualidade: • pode ser um fato?
• se dará ? • é pró ou contra? • pode ser uma qualidade?
• é positiva ou negativa?
• é presente ou ausente?

Do meu tema
eu penso o seguinte: Hipótese
[Do gr. hypóthesis, pelo lat. hypothese.]
1- Eu penso isto; São as proposições 1. Suposição, conjetura: formular hipóteses.
que constituem a 2. Filos. Proposição que se admite de modo provisório
minha tese.
2- Eu penso aquilo; como princípio do qual se pode deduzir um conjunto
dado de proposições.
3 - Eu penso aquilo outro; 3. Filos. Proposições ou conjunto de proposições que
antecede outras, servindo-lhes de fundamento.

A argumentação tem como Estrutura da Argumentação


base a consistência do
raciocínio e a evidencia de PROPOSIÇÃO
PROPOSIÇÃO
provas.
A consistência do raciocínio CONCORDÂNCIA PAR
PARCIAL
ARCIAL
é o raciocínio baseado numa
idéia, que é o tema. REFUTAÇÃO
REFUTAÇÃO
A evidência de provas é a
certeza manifesta pela razão CONCLUSÃO
CONCLUSÃO
(raciocínio) ou pela
apresentação dos fatos.
Sendo a evidência o critério A PROPOSIÇÃO é a declaração breve do que queremos
provar. É a minha opinião.
da verdade, segundo Descartes,
a vários tipos de evidências, tais A CONCORDÂNCIA PARCIAL é opcional. As idéias podem
como: apresentar o "outro lado da moeda". O orador deve antecipar
- os fatos possíveis objeções para refuta-las a seu tempo.
- os exemplos
A REFUTAÇÃO é o ponto onde vamos rebater os argumentos
- as ilustrações
da concordância parcial.
- os dados estatíticos
- os testemunhos A CONCLUSÃO desta proposição ( e não do sermão) virá das
provas ou dos argumentos apresentados. A conclusão é um
arremate e não um resumo ou recapitulação. É colocar de modo
claro a essência da proposição.
Argumentação
AFIRMA-SE OU NEGA-SE
Só os fatos provam:
O Fato:
• se deu?
Exemplos; Estatíticas; Ilustrações;
• não se deu ? Comparações (adequadas); Descrições;
• se dará ? Narrações; Confrontos; Flagrantes;
Testemunhos (autorizados); Alusões
históricas (pertinentes).

Estrutura da Argumentação

PROPOSIÇÃO - Definir com clareza

CONCORDÂNCIA PARCIAL - Análise da proposição.


Formulação dos argu mentos.

REFUTAÇÃO - Análise da proposição.


Formulação dos argu mentos.

CONCLUSÃO - Não é a conclusão do sermão, mas, cada


proposição será englobada na conclusão
do sermão.

Isto é um ponto principal do sermão,


ou seja, um ponto da minha tese.

As provas devem ter uma ordem de apresentação


que se ajuste à sua tese com a função de impressionar.
Adote uma ordem gradativa crescente (climática)
partindo dais mais frágeis para as mais irrefutáveis.

PROVAS MAIS FRÁGEIS

PROVAS MAIS IRREFUTÁVEIS


Trabalhando um sermão

Um guia rápido através de perguntas

para fazer um sermão


Tinha acabado de orar e comecei a ler a Bíblia,

quando deparei com um texto que tocou o meu coração.

Então surgiu o desejo de fazer um sermão...


Então eu lembro que:

Onde existir uma necessidade espiritual

Pregue uma mensagem bíblica


numa correta interpretação

Tomando do texto
o seu tema
Desenvolvendo o tema de acordo com
os ensinos da Bíblia

Aplicando as necessidades atuais dos ouvintes

TEMOS O SERMÃO

O propósito do sermão é atender necessidades


espirituais, ou seja, da necessidade nasce
o propósito do sermão, que constitui o assunto,
o tema da mensagem.

Meta
Determine a extenção do Texto e destaque um Tema
Elabore ou identifique no texto uma Tese
Prepare ou identifique no Texto os argumentos que respondam à Tese

A NECESSIDADE DO PECADOR
"Eu sou o caminho, e a verdade e a vida"
Jo 14.6 A NECESSIDADE DO SALVO
"Crescer na graça e no conhecimento do salvador"
II Pe 3.18
Sobre o Texto Bíblico:

⇒ Escolha um texto que tenha o pensamento completo.


⇒ Procure um texto claro no seu significado e fácil de entender. Não use textos obscuros.
⇒ O texto deve ter um lugar de honra - Chame o povo ao texto.
⇒ Não escolha um texto extenso demais.
⇒ Não escolha um texto demasiadamente geral. Melhor o texto que fale em específico.
⇒ O texto deve ser usado de acordo com o propósito de Deus ao inspira-lo.
⇒ Procure um texto objetivo à situação que o povo se encontra.
⇒ O texto deve estar de acordo com o tema. Não use o texto como pretexto.
⇒ O texto tem que tocar em você - pregador.
⇒ Não use textos ofensivos, esquisitos e humorísticos.
⇒ Se usar textos conhecidos vai requerer mais estudo, para compartilhar algo novo com os ouvintes.
⇒ Leia o texto escolhido em várias traduções e escolha aquela que melhor expresse a idéia que vai
apresentar.
⇒ Não use palavras de pessoas não inspiradas registradas na Bíblia, que são declarações falsas,
conselhos falsos e verdade ditas pôr uma pessoa má.
⇒ Use textos positivos.
⇒ Procure bons textos.
Quanto ao sermão - Extria o máximo do texto:

Bombardeie o texto

Quem são eles?


Ouça todas as pessoas envolvidas no texto.
R._________________________________

O que aconteceu?
Que sucedeu? Que idéias estão expressas? Quais os resusltados?
R._________________________________

Onde isto teve lugar?


Qual localização geográfica?
R._________________________________

Quando isto se deu?


Qual período e qual o fundo histórico?
R._________________________________

Por que isto aconteceu?


Qual a razão expressa?
R._________________________________

Como realizaram as coisas?


R._________________________________
Quem são eles? O que aconteceu?

Onde isto teve lugar?

TEXTO: Lc 15. 11 a 24
»LUCAS [15]
11 Disse-lhe mais: Certo homem tinha dois filhos.
12 O mais moço deles disse ao pai: Pai, dá-me a parte dos bens que me toca. Repartiu-lhes, pois,
os seus haveres.
13 Poucos dias depois, o filho mais moço ajuntando tudo, partiu para um país distante, e ali
desperdiçou os seus bens, vivendo dissolutamente.
14 E, havendo ele dissipado tudo, houve naquela terra uma grande fome, e começou a passar
necessidades.
15 Então foi encontrar-se a um dos cidadãos daquele país, o qual o mandou para os seus campos a
apascentar porcos.
16 E desejava encher o estômago com as alfarrobas que os porcos comiam; e ninguém lhe dava
nada.
17 Caindo, porém, em si, disse: Quantos empregados de meu pai têm abundância de pão, e eu
aqui pereço de fome!
18 Levantar-me-ei, irei ter com meu pai e dir-lhe-ei: Pai, pequei contra o céu e diante de ti;
19 já não sou digno de ser chamado teu filho; trata-me como um dos teus empregados.
20 Levantou-se, pois, e foi para seu pai. Estando ele ainda longe, seu pai o viu, encheu-se de
compaixão e, correndo, lançou-se-lhe ao pescoço e o beijou.
21 Disse-lhe o filho: Pai, pequei conta o céu e diante de ti; já não sou digno de ser chamado teu
filho.
22 Mas o pai disse aos seus servos: Trazei depressa a melhor roupa, e vesti-lha, e ponde-lhe um
anel no dedo e alparcas nos pés;
23 trazei também o bezerro, cevado e matai-o; comamos, e regozijemo-nos,
24 porque este meu filho estava morto, e reviveu; tinha-se perdido, e foi achado. E começaram a
regozijar-se.

Quando isto se deu?


Por que isto aconteceu?
Como realizaram as coisas?
Quanto ao sermão - Buscando temas:

Sugestão para temas


TEXTO: Lc 15. 11 a 24
»LUCAS [15]
11 Disse-lhe mais: Certo homem tinha dois filhos.
>>Este versículo sugere algum tema?
12 O mais moço deles disse ao pai: Pai, dá-me a parte dos bens que me toca. Repartiu-lhes, pois,
os seus haveres.
>>Este versículo sugere algum tema?
13 Poucos dias depois, o filho mais moço ajuntando tudo, partiu para um país distante, e ali
desperdiçou os seus bens, vivendo dissolutamente.
>>Este versículo sugere algum tema?
14 E, havendo ele dissipado tudo, houve naquela terra uma grande fome, e começou a passar
necessidades.
>>Este versículo sugere algum tema?
15 Então foi encontrar-se a um dos cidadãos daquele país, o qual o mandou para os seus campos a
apascentar porcos.
>>Este versículo sugere algum tema?
16 E desejava encher o estômago com as alfarrobas que os porcos comiam; e ninguém lhe dava
nada.
>>Este versículo sugere algum tema?
17 Caindo, porém, em si, disse: Quantos empregados de meu pai têm abundância de pão, e eu
aqui pereço de fome!
>>Este versículo sugere algum tema?
18 Levantar-me-ei, irei ter com meu pai e dir-lhe-ei: Pai, pequei contra o céu e diante de ti;
19 já não sou digno de ser chamado teu filho; trata-me como um dos teus empregados.
>>Este versículo sugere algum tema?
20 Levantou-se, pois, e foi para seu pai. Estando ele ainda longe, seu pai o viu, encheu-se de
compaixão e, correndo, lançou-se-lhe ao pescoço e o beijou.
>>Este versículo sugere algum tema?
21 Disse-lhe o filho: Pai, pequei conta o céu e diante de ti; já não sou digno de ser chamado teu
filho.
>>Este versículo sugere algum tema?
22 Mas o pai disse aos seus servos: Trazei depressa a melhor roupa, e vesti-lha, e ponde-lhe um
anel no dedo e alparcas nos pés;
>>Este versículo sugere algum tema?
23 trazei também o bezerro, cevado e matai-o; comamos, e regozijemo-nos,
>>Este versículo sugere algum tema?
24 porque este meu filho estava morto, e reviveu; tinha-se perdido, e foi achado. E começaram a
regozijar-se.
>>Este versículo sugere algum tema?
Quanto ao sermão - Buscando coisas:

Buscando aplicações, ilustrações, argumentos, etc.

TEXTO: Lc 15. 11 a 24
»LUCAS [15]
11 Disse-lhe mais: Certo homem tinha dois filhos.
>>Este versículo sugere algo?
12 O mais moço deles disse ao pai: Pai, dá-me a parte dos bens que me toca. Repartiu-lhes, pois,
os seus haveres.
>>Este versículo sugere algo?
13 Poucos dias depois, o filho mais moço ajuntando tudo, partiu para um país distante, e ali
desperdiçou os seus bens, vivendo dissolutamente.
>>Este versículo sugere algo?
14 E, havendo ele dissipado tudo, houve naquela terra uma grande fome, e começou a passar
necessidades.
>>Este versículo sugere algo?
15 Então foi encontrar-se a um dos cidadãos daquele país, o qual o mandou para os seus campos a
apascentar porcos.
>>Este versículo sugere algo?
16 E desejava encher o estômago com as alfarrobas que os porcos comiam; e ninguém lhe dava
nada.
>>Este versículo sugere algo?
17 Caindo, porém, em si, disse: Quantos empregados de meu pai têm abundância de pão, e eu
aqui pereço de fome!
>>Este versículo sugere algo?
18 Levantar-me-ei, irei ter com meu pai e dir-lhe-ei: Pai, pequei contra o céu e diante de ti;
19 já não sou digno de ser chamado teu filho; trata-me como um dos teus empregados.
>>Este versículo sugere algo?
20 Levantou-se, pois, e foi para seu pai. Estando ele ainda longe, seu pai o viu, encheu-se de
compaixão e, correndo, lançou-se-lhe ao pescoço e o beijou.
>>Este versículo sugere algo?
21 Disse-lhe o filho: Pai, pequei conta o céu e diante de ti; já não sou digno de ser chamado teu
filho.
>>Este versículo sugere algo?
22 Mas o pai disse aos seus servos: Trazei depressa a melhor roupa, e vesti-lha, e ponde-lhe um
anel no dedo e alparcas nos pés;
>>Este versículo sugere algo?
23 trazei também o bezerro, cevado e matai-o; comamos, e regozijemo-nos,
>>Este versículo sugere algo?
24 porque este meu filho estava morto, e reviveu; tinha-se perdido, e foi achado. E começaram a
regozijar-se.
>>Este versículo sugere algo?
Quanto ao sermão - Responda estas perguntas:

"Há de tomar um só tema..."

1- Há de definir o tema para que se conheça: Qual é o assunto que se vai falar?
Defina o tema:

2- Há de dividir o tema para trabalhar cada parte:


É tratar o assunto em partes - Quais são as partes do meu assunto?

3- Há de provar o tema com a Bíblia - Qual é o texto bíblico?


Texto:

4- Há de declarar o tema com a razão - A declaração de uma verdade:


Quais os argumentos?

5- Há de confirmar esta declaração através de exemplos:


Quais os exemplos?

6- Há de amplificar esta confirmação - É trabalhar os exemplos, mostrando:


Quais as causas e efeitos? Quais as circunstancias? Quais os inconvenientes que devemos evitar?
Quais as conveniências que devemos seguir?

7- Há de responder - Um dos objetivos do tema é tirar dúvidas:


Quais são as dúvidas?

8- Há de satisfazer - Outro objetivo do tema é mostrar caminhos que tirem das dificuldades:
Quais os caminhos a seguir?

9- Há de impugnar e refutar - Outro objetivo do tema é dizer NÃO a tudo que é contrario a Bíblia Sagrada:
É dizer NÃO com a razão provando com a razão - Tenho que dizer NÃO a que?

10- Há de colher - É colher para o reino dos Céus.

11- Há de apertar - É a urgência que temos em fazer a vontade de Deus.

12- Há de concluir - É concluir todos os argumentos fechando o meu tema.

13- Há de persuadir - É o apelo, mostrando a vandagem de fazer tudo o que foi falado.

14- Há de acabar - É o fim da pregação, sabendo que o pregador fez a vontade de Deus.
Quanto ao sermão - Pense nisto e responda:

Escolha um texto e estude-o de modo indutivo - É sua análise, o seu estudo.


Passe para o estudo dedutivo - Conferir suas pesquisas.

Qual é o objetivo geral?


R.

Qual é o objetivo específico?


R.

Qual é a minha tese?


R.

Quais as ilustrações?
R.

Quais as aplicações práticas tem o assunto tratado?


R.

Faça um esquema de idéias e condense o esboso(tese) colocando na Bíblia, para lembrar ao


pregar.
Estude bem o sermão para quase não lê-lo no púlpito.

Preserve para o futuro, lapidando para não dar o gosto de "café requintado"
Quanto ao sermão - Faça para si estas peguntas:

Sobre o que vou falar?


R. É o meu tema.

Como vou tratar este assunto?


R. É a minha tese.

Como vou analisar a tese?


R. São os meus argumentos.

O que temos que fazer?


R. São as minhas ilustrações e aplicações
prática.

O que temos de fazer já?


R. É o apelo para fazer a vontade de Deus.
Quanto ao sermão - Depois de responder as perguntas, organize a sua pesquisa:

TEMA:__________________________________________

TEXTO:_________________________________________

IDÉIA CENTRAL DO TEXTO:______________________

TESE:__________________________________________

OBJETIVO GERAL:_______________________________

OBJETIVO ESPECÍFICO:__________________________

ESBOÇO
INTRODUÇÃO
_____________

IDÉIAS PRINCIPAIS (O que penso sobre o tema, ou seja, o assunto que vou tratar)

1) Eu penso isto..., versículo


EXPOR
ILUSTRAR
APLICAR

2) Eu penso aquilo ..., versículo


EXPOR
ILUSTRAR
APLICAR

3) Eu penso aquilo outro ..., versículo


EXPOR
ILUSTRAR
APLICAR

CONCLUSÃO
____________

<APELO>
No final do Sermão eu preparo:

É o exórdio do sermão por isso deve prender a atenção do ouvinte.


Use um texto bem trabalhado breve e conciso que introduza o tema.
Lembre-se: Numa frase o elemento principal vem em último lugar. As
primeiras palavras devem despertar a atenção para o que se vai dizer.
Começe o exórdio com uma saudação.
O conteúdo da introdução pode ser qualquer coisa (curta e enérgica) que introduza o tema.
Exemplos:
Uma parábola;
Uma fábula; INTRODUÇÃO
Um pensamento;
Uma notícia; Despertar o
Lembrar os ouvintes de alguma coisa que fizeram antes; interesse Introduzir o
etc. assunto
Analise o estado do
auditório:
Fatigado - Use algo alegre ou
afirme que será breve.
Muito interessado - Inicie sem pressa.

É uma forma de avaliar o conteúdo da mensagem. O pregador vai


dizer aos ouvintes o que ganharam com o sermão. Na conclusão CONCLUSÃO
pode-se destacar a verdade central aplicando às necessidades dos
ouvintes ou trazer cada ponto do sermão de modo sucinto e enfático Coroamento
fazendo uma recapitulação com os destaques e aplicações. do sermão

Orientação de como os ouvintes


podem se apropriar da mensagem
Introdução Hermenêutica
Uma ferramenta para o Sermão

"A idéia é entender o que o escritor tinha em mente


quando escreveu o texto.
É tentar montar o máximo possível o pensamento
do escritor santo."
A idéia é usar o texto bíblico, como o escritor sagrado pensava
quando escreveu àqueles para quem se dirigiu. É reconstruir o
pensamento original do escritor.

Lêr é estar atento as Compreender o Texto


entrelinhas, para
compreender o texto. Caso
o texto for de difícil LÊR
compreenção é necessário
conhecer o pano de fundo. PERCEBER AS ENTRELINHAS

O pano de fundo de um
texto é o conhecimento da
situação política-social da
O PANO DE FUNDO DO TEXTO
época em que se deu o
escrito. O pano de fundo é
o que esta em volta do O PANO DE FUNDO
escritor que, talves, tenha AUXILIA NA COMPREENÇÃO DO TEXTO
estimulado ou influenciado E
o texto. ENRIQUECE A INTRODUÇÃO
DE UM SERMÃO

Pesquisas
Extraia o máximo do texto pesquisando
Gramaticalmente - Literariamente - Históricamente

Pesquisando Gramaticalmente:
Sujeito, predicado, complementos, figuras de linguagens,
verbos, estilo dos autor, etc.

Pesquisando Literariamente:
Quem é o autor; prara quem escreveu e com que propósito.
É analisar o contexto interno.

Pesquisando Históricamente:
História; geografia, etc. É analisar o contexto externo.
Ao receber um importante documento, há neste palavras
e expressões difíceis de entender, mas preciso obter
o significado destas, como fazer?

Primeiro
Procurar o autor do documento para pedir explicações, mas
não é possível encontra-lo,
então:

Ler e reler o documento

As palavras não claras, busco seu significado e aclaração


pelas palavras próximas, ou seja,
pelo conjunto da frase em que aparecem.

Ainda existem dúvidas...

Vou para o contexto


Vejo as frases anteriores e posteriores àquela parte obscura.

Persite a dúvida

Agora vejo todo o parágrafo


ou passagem, tendo em mente objetivo, intento ou fim a que
se dirige a passagem.

Continua a dúvida

Vou buscar luz em outras partes do


documento, observando se há parágrafos ou frases
parecidos, sendo mais claros e abordando o mesmo
assunto.

Com este procedimento o documento é o seu próprio


intérprete
Este é o método mais seguro e prático para a Bíblia
AS SEIS GRANDES PERGUNTAS

Quem?
Quem são estas pessoas? Ouça todas as pessoas.

O Que?
O que se passou? Que idéias temos no texto?
Quais os resultados?

Onde?
Qual local onde se passou o evento descrito?

Quando?
Quando se deu o tal evento? Qual o fundo histórico?

Porque?
Qual o motivo do evento? Qual a razão?

Como?
Como se realizou este evento?
PERGUNTANDO AO TEXTO

QUEM ESCREVEU?

PARA QUEM ESCREVEU?

QUANDO ESCREVEU?

ONDE ESCREVEU?

POR QUE ESCREVEU?

PERGUNTANDO AS PESSOAS DO TEXTO

QUANDO VIVEU?

ONDE NASCEU?

QUAL VOCAÇÃO?

FAMÍLIA?

VIAGENS?

QUANDO E COMO MORREU?


Bibliografias:

Bíblia Sagrada (Almeida Revista e Corrigida).

O Sermão Eficaz, de James D. Crane.

A Arte de Pregar o Evangelho, de Plínio Moreira da Silva.

Manual da Escola Bíblica Dominical

Redação e Gramática, de Alpheu Tersariol.

Técnica do Discurso Moderno, de Mário Ferreira dos Santos.

Comunicação em Prosa Moderna, de Othom M. Garcia.

O Sermão da Sexagésima, do Padre Antônio Vieira.

Curso de Oratória e Retórica, de Mário Ferreira dos Santos.

Dicionário Aurélio.

Métodos de Estudo Bíblico, de Walter A. Henrichsen.

Técnicas de Redação, da professora Vânia.

Língua, Literatura e Redação, de Moacyr Scliar e João Domingues Maia.

Pequena Enciclopédia Bíblica, de Orlando Boyer.

Estudo de Redação, de Douglas Tufano.

Hermenêutica, E. Lund e P.C. Nelson.

Generated using an evaluation version of HyperAct HTMheLp.

Cursos Práticos Nova Cultural, vestibular 97.