Você está na página 1de 26

1

ORTOGRAFIA

As palavras derivadas mantêm a grafia das formas primitivas => deslizamento (deslize)
=> nojento (nojo)
=> atrasado (atrás)

S—Z
Com segmento inicial A => azar/azia
Com segmento inicial E => exame/exílio
Com segmento inicial I => isolado/ isento
Com segmento inicial O => Osório/Osíris [EXCEÇÃO — ozônio]
Com segmento inicial U => usar/usina
Segmento final AZ => capaz/voraz
Segmento final EZ/EZA => altivez/sutileza [EXCEÇÃO — empresa/defesa/presa/despesa/represa/
surpresa]
Segmento final IZ => matriz/cicatriz [EXCEÇÃO — anis/gris]
Segmento final OZ => veloz/atroz
Segmento final UZ => capuz/cuscuz [EXCEÇÃO — jus/pus]
Segmento final ASA => casa/brasa
Segmento final ASE => frase/crase [EXCEÇÃO — gaze]
Segmento final ASO => caso/vaso [EXCEÇÃO — prazo]
Segmento final ESIA => maresia/burguesia
Segmento final ÊS => camponês/marquês
Segmento final ESA => milanesa/marquesa
Segmento final ESE => tese/catequese
Segmento final ESI => frenesi
Segmento final ESO => ileso/obeso
Segmento final ISA => poetisa/sacerdotisa [EXCEÇÃO — baliza/coriza/ojeriza]
Segmento final ISE => valise/análise [EXCEÇÃO — deslize]
Segmento final ISO => aviso/riso [EXCEÇÃO — guizo/granizo]
Segmento final OSO/OSA => gostoso/habilidosa [EXCEÇÃO — gozo]
Segmento final OSE => verminose/sacarose [EXCEÇÃO — doze {numeral}]
Segmento final USO/USA => parafuso/confusa [EXCEÇÃO — cafuzo]
Depois de ditongo => clausura/maisena
No final de sílaba átona => cútis/ourives
Segmento final IZAR => utilizar/exorcizar
Segmento final ISAR => avisar/analisar
Segmento final ZER/ZIR => fazer/conduzir [EXCEÇÃO — coser/transir]
Verbos PÔR/QUERER => puser/quiser

Com Z => bar — barzinho Com S => camponesa — camponesinho


=> café — cafezal => lápis — lapisinho

X — CH

Depois de ME => mexer/México


Depois de EN => enxame/enxada [EXCEÇÃO — enchova/encharcar/enchapelar/encher/
enchouriçar/enchiqueirar

LA — LI — LU — GRA — BRU
=> laxante/lixo/luxo/graxa/bruxa

Depois de ditongo
=> caixa/ameixa [EXCEÇÃO — caucho/recauchutar]

Origem tupi-guarani
=> caxambu/xingu

Origem africana => xangô/axé


2
G—J
JEAR => gorjear/pajear

JAR => velejar

AJE => traje/ultraje [EXCEÇÃO — margear/massagear/homenagear]

Origem tupi-guarani => jibóia/jerimum

Origem africana => canjica/acarajé

ÁGIO — ÉGIO — ÍGIO — ÓGIO — ÚGIO


=> estágio/privilégio/prestígio/relógio/refúgio

AGEM — EGE — IGEM — UGEM


=> viagem/herege/vertigem/ferrugem [EXCEÇÃO — pajem/lambujem]

C—Ç
Nos sufixos
=> barcaça/armação/bonança/repartição/caniço/carniça/dentuço

Depois de ditongo
=> foice/beiço

Palavras cognatas escritas com T


=> isenção — isento
=> ação — ato

Derivados do verbo TER


=> detenção — deter
=> atenção — ater

Origem tupi-guarani
=> araçá/açaí

Origem africana
=> açude/paçoca

S — SS
Verbos terminados em ENDER => pretensão/ascensão
Verbos terminados em ERGIR => imersão/conversão
Verbos terminados em PELIR => impulso/repulsa
Verbos terminados em CORRER => discurso/recurso
Verbos terminados em CEDER => intercessão/concessão
Verbos terminados em GREDIR => progresso/agressão
Verbos terminados em PRIMIR => expressão/repressão
Verbos terminados em TIR => discussão/permissão

ACENTUAÇÃO

REGRAS GERAIS
Monossílabos tônicos — a(s)/e(s)/o(s) => cá/ ré/ pó
Proparoxítonas — todas são acentuadas => lâmpada/elétrico
Oxítonas — a(s)/e(s)/o(s) => atrás/café/avô
— em, ens => armazém/armazéns
Paroxítonas — I(s)/ US => júri/júris/bônus
R => açúcar/repórter
3
X => látex/ônix
N => hífen/éden
L => difícil/possível
Ã(o) [s] => ímã/órfão/órfãs
UM/ UNS => álbum/álbuns
PS => bíceps/tríceps
OM/ NOS => iândom/prótons
Outros casos de paroxítonas — Terminadas em ditongo decrescente => possíveis/móveis
— Terminadas em ditongo crescente => colégio/pátria
* Há gramáticas que as consideram proparoxítonas.

REGRAS ESPECIAIS
— Ditongos de pronúncia aberta ÉU/ ÉI/ ÓI => idéia/herói/heróico/troféu
— Circunflexo no primeiro “o” de palavras terminadas em oo => vôo/enjôo
— Coloca-se acento em I / U se:
Ocorrerem sozinhos na sílaba ou com "s" => caíste
Vierem precedidas de vogal com ou sem "s" => heroína
Não forem seguidas de "nh" => miúdo
Obs.: com "nh" não há acento => bainha, rainha
GUE/GUI/QUE/QUI — acento agudo . ú tônico => argúem
GUE/GUI/ QUE/QUI — trema . ü átono => cinqüenta

Observações:
TER/ VIR — acento circunflexo na 3ª pessoa do plural no presente do indicativo => Eles têm curso de
informática.
Derivados:
* acento agudo na 3ª pessoa do singular => Ele obtém sucesso sempre.
* acento circunflexo na 3ª pessoa do plural => Eles obtêm sucesso sempre.

CRER/DAR/LER/VER + derivados — acento circunflexo no primeiro “e” na 3ª pessoa do plural no presente do


indicativo => Eles crêem nisso.

Notações Léxicas
Acento gráfico — agudo ( ´ ), circunflexo ( ^ ) e grave ( ` )
Til ( ~ ) — indica nasalidade e pode servir para indicar sílaba tônica.
Trema ( ¨ ) — usado sobre o “u” dos grupos gue/gui/que/qui
Apóstrofo ( ‘ ) — supressão de sons.
Cedilha (ç) — indica o som “ss” em ça/ço/çu
Hífen ( - ) — liga elementos de palavras compostas, pronomes átonos e separa sílabas.

EMPREGO DAS CLASSES E SINTAXE DA ORAÇÃO

MORFOSSINTAXE
CLASSES DE PALAVRAS
São dez as classes de palavras:
Artigo = determina o substantivo.
Substantivo = nomeia pessoas, coisas, animais, lugares, etc.
Adjetivo = caracteriza o substantivo.
Pronome = substitui ou acompanha o substantivo.
Numeral = designa ordem ou quantifica alguma coisa.
Verbo = indica processo (fato) — estado, ação ou fenômeno da natureza e situa isso no tempo.
Advérbio = modifica o verbo, o adjetivo e o próprio advérbio.
Preposição = relaciona palavras.
Conjunção = liga orações e pode relacionar palavras.
Interjeição = expressa sentimentos.

OS NÚCLEOS
Substantivo
Pode ser núcleo do: sujeito, objeto direto, objeto indireto, predicativo do sujeito, predicativo do objeto,
complemento nominal, adjunto adnominal, adjunto adverbial, agente da passiva, aposto e vocativo
4
Verbo
Só poderá ser núcleo do predicado.

OS NÃO-NÚCLEOS
Artigo
Só poderá ser adjunto adnominal.

Advérbio
Só poderá ser adjunto adverbial

OS, ÀS VEZES, NÚCLEOS E OS, ÀS VEZES, NÃO-NÚCLEOS


Numeral
Poderá ser: núcleo do sujeito, predicativo do sujeito e adjunto adnominal.

Adjetivo
Poderá ser: adjunto adnominal, predicativo do sujeito e predicativo do objeto

Pronome
Pronome adjetivo
Poderá ser: adjunto adnominal

Pronome substantivo
Poderá exercer as mesmas funções do substantivo

FRASE. ORAÇÃO. PERÍODO.


Frase: todo enunciado capaz de transmitir, a quem nos ouve ou lê, o que queremos, pensamos ou sentimos.
Quanto ao sentido, a frase pode ser: declarativa: é aquela que declara algo a respeito de alguém ou de
alguma coisa. Pode ser afirmativa ou negativa. Interrogativa: é aquela que encerra uma interrogação, ou seja,
pergunta-se algo direta ou indiretamente a respeito de alguém ou de alguma coisa. Imperativa: é aquela que
expressa ordem, conselho, proibição, pedido, etc. de forma negativa ou afirmativa. Exclamativa: é aquela que
exterioriza, traduz — admiração, surpresa, arrependimento, espanto, desprezo, alegria, modo, enfim,
emoções. Optativa: é aquela que manifesta uma vontade, um desejo.
Oração: é a frase de estrutura sintática que apresenta, normalmente, sujeito e predicado, e,
excepcionalmente, só o predicado. Na oração, as palavras estão relacionadas entre si — são os termos ou as
unidades sintáticas da oração. Cada termo da oração desempenha uma função sintática.
Período: é a frase constituída de uma ou mais orações. Pode ser simples ou composto.

PERÍODO SIMPLES
TERMOS ESSENCIAIS
Sujeito é o ser do qual se diz algo
Classificação do sujeito
Simples: quando há apenas um núcleo. (A rosa tem espinhos.)
Composto: quando há dois ou mais núcleos. (O burro e o cavalo nadavam ao lado da canoa.)
Indeterminado: quando não se indica o agente da ação verbal. (Atropelaram uma senhora.)

Oração sem sujeito: quando se refere ao processo verbal em si mesmo. (Choveu durante o jogo.)

Predicado é o que se diz do sujeito, quando este existe ou algo que se diz sem qualquer referência
ao sujeito, quando este não existe.
Classificação do predicado

Nominal: seu núcleo significativo é um nome (substantivo/adjetivo/pronome) ligado ao sujeito por


um verbo de ligação.
 Sua tia é bonita./ Ela anda triste.

Verbal: seu núcleo significativo é um verbo, seguido ou não de complemento(s)ou adjunto(s).


 Ela comia maçãs todos os dias.
5
Verbo-nominal: tem dois núcleos significativos, um verbo e um nome.
 O soldado voltou ferido. /Eu assisti à cena revoltado/ Eu acho Denise bonita.

TERMOS INTEGRANTES
Complementos verbais
Objeto direto => quanto ao significado revela o alvo da ação ou o elemento pelo qual se desenvolve o
processo dinâmico; quanto ao aspecto sintático, é complemento verbal não regido de preposição, ligando-se
diretamente a verbos transitivos diretos e a verbos transitivos diretos e indiretos.

Objeto indireto => quanto ao significado, indica o alvo ou o destino da ação, ou ainda o elemento pelo qual se
desenvolve o processo dinâmico; quanto ao aspecto sintático, é complemento verbal regido de preposição
obrigatória, ligando-se indiretamente a verbos transitivos indiretos ou a verbos transitivos diretos e indiretos.

Complemento nominal
Quanto ao significado, completa o sentido de substantivos, adjetivos e advérbios, indicando o alvo do
processo expresso por essas palavras; quanto ao aspecto sintático, é função sintática regida de preposição,
servindo de complemento a nomes. Você é responsável pelos seus atos.

Agente da passiva
É o complemento de um verbo na voz passiva. Representa o ser que pratica a ação expressa pelo verbo
passivo. Vem regido normalmente da preposição por [de sua contração por + o (a) = pelo (a)] e menos
freqüentemente da preposição de. A brincadeira foi feita por nós.

TRANSITIVIDADE
O verbo quanto à sua transitividade pode ser:
Transitivo direto: pede um objeto direto. (A família comprou uma casa.)
Transitivo indireto: pede um objeto indireto. (Os jovens gostam de aventuras.)
Transitivo direto e indireto: pede um objeto direto + um objeto indireto. (O pintor ofereceu um quadro ao
amigo.)
Intransitivo: não pede complemento, mas pode vir acompanhado de um adjunto adverbial ou de um
predicativo. (Ela mora em Vila Velha./ Os pessegueiro floresceram.)
De ligação: apenas liga o sujeito ao seu predicativo. (Ela é linda./ Ele permaneceu triste.)
 Verbos de ligação: ser, estar, permanecer, ficar, continuar...

TERMOS ACESSÓRIOS
Desempenham, na oração, uma função secundária, qual seja a de caracterizar um ser, determinar os
substantivos ou exprimir alguma circunstância.
Adjunto adnominal — caracteriza ou determina substantivos. A linda menina corria pela praia.

Adjunto adverbial — indica circunstâncias diversas. Amanhã, chegaremos cedo.

Aposto — explica, esclarece, desenvolve ou resume outro termo da oração. João, irmão de Neto, foi passear.

VOCATIVO — Do latim vocare = chamar — Usado para chamar alguém, portanto refere-se sempre à 2ª pessoa
do discurso. É um termo à parte. Não pertence à estrutura da oração. A ordem, meus amigos, é a base do
governo.

PERÍODO COMPOSTO

A DIVISÃO DO PERÍODO E A CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES


 
O PERÍODO será : SIMPLES: Quando contiver uma só oração que se chama absoluta.
COMPOSTO: Quando formado por duas ou mais orações.
6
O PERÍODO COMPOSTO será, de acordo com o conectivo que reja as suas orações:
 
1 - COMPOSTO POR COORDENAÇÃO - se todas suas orações forem simplesmente justapostas
ou regidas por e conectivos coordenativos.
 
2 - COMPOSTO POR SUBORDINAÇÃO - quando, excluída a oração principal, todas as suas
orações forem regidas por conectivo subordinativo (claro ou oculto).
 
       Assim, as orações de um PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO classificar-se-ão
em:
 
a)- ORAÇÕES ASSINDÉTICAS = se não tiverem conectivo.
b)- ORAÇÕES SINDÉTICAS = se forem regidas pelas:
 
CONJUNÇÕES COORDENATIVAS:
 
1. 1.   ADITIVAS: e, nem (= e não), também, não só ... mas também, bem como, que (= e) etc.
Ex: Ele descia a ladeira e vinha só.
 
2. 2.   ADVERSATIVAS: mas, porém, todavia, contudo, entretanto, no entanto, senão, aliás, não
obstante, ainda assim, etc.
Ex: Estudei muito, mas fui reprovado.
 
3. 3.   ALTERNATIVAS: ou (repetida ou não), ou ... ou, quer ... quer, seja ... seja, nem ... nem, já ...
já, ora ... ora, etc.
Ex: Ou me retiro, ou tu te afastas.
 
4. 4.   CONCLUSIVAS: logo, pois (pospostas ao verbo), portanto, por isso, por conseguinte,
conseguintemente, por
conseqüência, conseqüentemente, assim, então, por onde, daí, etc.
Ex: Os alicerces cederam, portanto o prédio caiu.
 
 
5. EXPLICATIVAS: que, porque, pois, porquanto, etc. Ex: Não saiam, pois o professor já vem.
 
 
ORAÇÕES SUBORDINADAS
 
Por sua vez, as ORAÇÕES SUBORDINADAS assim se dividem:
 
1. 1.   SUBSTANTIVAS: (têm valor de substantivos) - que são introduzidas pelas conjunções
integrantes: QUE, SE, COMO:
As ORAÇÕES SUBSTANTIVAS se subdividem em:
1.1 - OBJETIVAS DIRETAS: quando completam o sentido de um verbo transitivo direto, ao qual
se ligam diretamente
sem auxílio de preposição: Ex: Quero que venhas.
1.2 - OBJETIVAS INDIRETAS: que completam o sentido de um verbo transitivo indireto, ligando-
se a este com auxílio
de uma preposição. Ex: Tudo depende de que venhas.
1.3 - PREDICATIVAS: que completam o sentido de um verbo de ligação. Ex: O meu desejo é
que venhas.
1.4 - COMPLETIVAS NOMINAIS: que completam o sentido de um nome de significação
incompleta (substantivo,
adjetivo ou advérbio), ao qual se ligam por meio de uma
preposição.
Ex: Tenho certeza de que jamais os esqueceremos.
1.5 - APOSITIVAS: que vêm após dois pontos (:), explicando um termo anterior, funcionando
exatamente como um
aposto. Ex: Só lhe digo isto: que jamais o esquecerei.
OBS: Vez por outra, a oração subordinada substantiva apositiva poderá
vir sem o
7
conectivo expresso: este estará subentendido e a oração terá
valor apositivo, assim:
Ex: Só te peço uma coisa: não deixes a porta aberta. (que não
deixes a porta aberta).
1.6 - SUBJETIVAS: que funcionam como SUJEITO de um verbo, apresentando as seguintes
características:
- exerce a função de SUJEITO de um verbo de outra oração, geralmente
da anterior.
- liga-se à outra oração através das conjunções integrantes QUE, SE,
COMO.
- a oração a que se liga tem o verbo na 3a pessoa do singular e nunca em
outra;
- A oração a que se liga a SUBJETIVA tem uma destas características:
a)- Verbo na passiva pronominal (VTD na 3a pessoa do singular + pronome apassivador
SE.
b)- Verbo na passiva analítica (Verbo SER, ESTAR, FICAR na 3 a pessoa do singular
+particípio do VTD);
c)- verbo de ligação na 3a pessoa do singular + predicativo.
d)- verbos intransitivos ou transitivos tomados intransitivamente na 3a pessoa do
singular como: acontece,
urge, consta, parece, importa, convém, admira, cumpre, ocorre, etc., geralmente no
princípio do período.

 
 
Exemplos:
 
 
Noticiou-se por aí que é duvidosa a vinda “Senhor, é bom que estejamos aqui”.
deles. (Mateus 17,4)
É arriscado que eles venham por este Ficou combinado que elas viriam para
caminho. os jogos olímpicos.
Importa que eles não conversem em sala. Foi noticiado pelo rádio que um
incêncio destruiu o edifício.
Cumpre que cheguem à hora certa. Informou-se oficialmente que o
Governador chagará amanhã.
 
 
2. ADJETIVAS: (têm valor de adjetivo) - que são introduzidas por pronomes relativos e se
subdividem em:
 
a)- RESTRITIVAS: Restringem a significação do substantivo ou do pronome antecedente.
Indispensável ao sentido da
frase. Não se separa por vírgula da oração principal.
Ex: O grande obstáculo que o grupo enfrenta é a travessia do Liso do
Sussuarão.
 
b)- EXPLICATIVAS: Acrescentam uma qualidade acessória ao antecedente. Vêm entre vírgulas
e, se retiradas do
período, não fazem falta ao sentido.
Ex: Grande sertão: veredas, que foi publicado em 1956, causou muito
impacto.
 
As ORAÇÕES ADJETIVAS são introduzidas pelos PRONOMES RELATIVOS : QUE,
quem (=aquele que), o qual, a qual, os quais, as quais, cujo (= do qual), cuja, cujos, cujas, ONDE
(= no qual + variações), quanto, quantos, quanta, quantas, etc. Ex: “Minha terra tem palmeiras
ONDE canta o sabiá”. (G.Dias)
O menino cujo pai eu vi é meu aluno.
“QUEM for brasileiro siga-me!” = Aquele que for brasileiro siga me!
Que você sinta a minha amizade em tudo quanto lhe ofereci.
 
8
3. ADVERBIAIS: que funcionam como adjunto adverbial de outra oração e vêm, normalmente,
introduzidas por conjunções subordinativas, exceto as integrantes (que introduzem as orações
substantivas).
 
CLASSIFICAÇÃO DA ORAÇÃO ADVERBIAL
 
De acordo com a conjunção subordinativa ou locução conjuntiva que a inicie, a oração
subordinada adverbial assim se classifica: Temporal - Causal - Final - Comparativa - Consecutiva -
Concessiva - Conformativa - Condicional - Proporcional, conforme seja introduzida
respectivamente por uma das CONJUNÇÕES SUBORDINATIVAS.
 
1. TEMPORAIS = quando, enquanto, logo que, desde que, apenas, até que, antes que, depois
que, senão quando,
sempre que, assim que, todas as vezes que, cada vez que, etc.
Ex: Quando leio alguns poemas de João Cabral, formam-se várias figuras
geométricas em minha mente.
 
2. 2.   CAUSAIS = porque, pois, porquanto, como (=porque), pois que, por isso que, já que, uma
vez que, visto que, visto
como etc. Ex: Como aqui a morte é tanta, vivo de a morte ajudar.
 
3. FINAIS = para que, a fim de que, que, porque (= para que) etc. Ex: Tudo farei para que tu
voltes.
 
4. COMPARATIVAS = que, do que ( depois de: mais, menos, maior, menor, melhor, pior), qual
(depois de tal), quanto
(depois de tanto), como, assim como, bem como, etc. Ex: Ela agia como
um idiota.
 
5. CONSECUTIVAS = que (combinada com uma das palavras: tal, tanto, tão, tamanho, presentes
ou latentes na oração
anterior) de forma que, de maneira que, de modo que, de sorte que (às
vezes separadamente) etc.
Ex: Leu tanto as poesias de João Cabral que passou a escrever como ele.
 
6. CONCESSIVAS = embora, conquanto, ainda que, mesmo que, posto que, bem que, se bem
que, por menos que,
apesar de que, etc. Ex: Ainda que ela se esforce, não vai ter sucesso.
 
7. CONFORMATIVAS = conforme, segundo, consoante, como (= conforme), da mesma maneira
que, de modo que,
assim como, bem como, como que, etc.
Ex: Conforme você já estudou, o lirismo decorre da preocupação do poeta
com o próprio “eu”.
 
8.CONDICIONAIS: = se, salvo se, exceto se, caso, contanto que, sem que, a não ser que, dado
caso que, a menos
que, etc. Ex: “... se o compadre soubesse rezar... trabalhávamos meias”.
 
9. PROPORCIONAIS = à medida que, à proporção que, ao passo que, quanto mais ... mais,
quanto menos ... menos,
quanto mais ... tanto mais, quanto menos ... tanto mais, etc.
Ex: À medida que crescia, ficava mais alienado de tudo.
Outros Exemplos:
1. “Antes que a Terra fosse feita, eu já existia”.
2. “É o que te digo: vou e vou, porque devo, porque quero, porque é do meus direito.
“ (L.Barreto)
3. “... era uma manobra para chamar a atenção das tropas, a fim de que os jagunços
saíssem...” (A.Arinos)
4. “As idéias amortecem como a brasa do cigarro.” (G. Ramos)
5. “O caminho é tão comprido que não tem fim. “ (J. de lima)
6. “Por mais que se busque o segredo dessa perfeição, ele ficará impenetrável”.
7. “Conforme declarei, Madalena possuía excelente coração.” (G. Ramos)
9
8. “Que emprego preferes? - O que quiser, meu tio, contanto que eu trabalhe.” (M. de
Assis)
9. “Vão os hóspedes saindo do banquete, à proporção que outros chegam e ocupam
o seu lugar”.(M. de A.)

 
AS ORAÇÕES SUBORDINADAS REDUZIDAS
 
Dá-se o nome de ORAÇÕES SUBORDINADAS REDUZIDAS às que não se iniciam por
pronomes relativos nem por conjunção subordinativa e que têm VERBO numa das FORMAS
NOMINAIS: INFINITIVO, PARTICÍPIO, GERÚNDIO.
 
Em geral, podem ser desenvolvidas em orações subordinadas, raramente em
coordenadas, com o conectivo claro e o verbo no modo finito.
Classificam-se como as correspondentes desenvolvidas, acrescentando-se: reduzida de
infinitivo, gerúndio ou particípio, conforme a forma nominal em que se encontre o verbo, como
neste exemplo:
 
“Conhecendo o professor os alunos, não os teria castigado.”
Oração principal: Não os teria castigado.
Oração subordinada Adverbial condicional reduzida de gerúndio: Conhecendo o professor
os alunos (Se o professor conhecesse os alunos).

São características das ORAÇÕES REDUZIDAS:


 
1. Não vêm introduzidas por conectivo.
2. Têm o verbo em uma das formas nominais: INFINITIVO, GERÚNDIO, PARTICÍPIO.
É, pois, a forma nominal do verbo que indica ser reduzida a oração. Havendo locução
verbal, é o auxiliar que nos indica se estamos ou não diante de uma reduzida e qual o seu tipo.
“Estamos viajando”, “tem estudado”, “somos amados” “é odiado” não constituem orações
reduzidas, porque os auxiliares não se acham representados por uma forma nominal.
 
1. Oração reduzida de infinitivo
“Era bom ouvir o seu barulho”
(verbo no infinitivo)
Como classificar a oração reduzida? Basta desenvolvê-la, utilizando a conjunção ou o
pronome relativo.
Assim: Era bom que ouvisse o seu barulho.
(Oração subordinada substantiva subjetiva)
Portanto, a oração “ouvir o seu barulho” é subordinada substantiva subjetiva reduzida de
infinitivo.
 
2. Oração reduzida de gerúndio
Vi um menino gritando desesperadamente pelas ruas.
(verbo no gerúndio)
Desenvolvendo a oração reduzida, temos: Vi um menino que gritava desesperadamente pelas
ruas.
(Oração subordinada adjetiva restritiva)
Portanto, a oração “gritando desesperadamente pelas ruas” é subordinada adjetiva restritiva
reduzida de gerúndio.
 
Observação: A oração reduzida de gerúndio pode aparecer também no período composto por
coordenação. Veja:
Respondeu a mãe, derretendo-se de gosto. ( Respondeu a mãe e derreteu-se de gosto.)
Levantou-se da cadeira, fechando o jornal com decisão. (Levantou-se da cadeira e fechou
o jornal com decisão.)
 
3. Oração reduzida de particípio
Terminada a leitura, foram passear.
(verbo no particípio)
Desenvolvendo a oração reduzida, temos: Quando terminaram a leitura, foram passear.
(Oração subordinada adverbial temporal)
Portanto, a oração “terminada a leitura” é subordinada adverbial temporal reduzida de particípio.
10

PONTUAÇÃO

Vírgula
Separa adjunto adverbial longo e deslocado => Antes do início do mês, começam as obras.
Separa aposto explicativo => Salvador, minha cidade natal, tem muitas igrejas.
Separa vocativo => Não diga isso, Mariana.
Separa expressões explicativas e corretivas => Falei, quer dizer, explodi!
=> São, aliás, somos felizes.
Separa nome de lugar antes da data => Brasília, 17 de janeiro de 1998.
Entre elementos enumerados => Estão aí Júlio, Carlos, Maria e Sílvia.
Indica verbo oculto => O pai trabalha na capital; a mãe, no interior.
Antes de subordinada substantiva apositiva => Teve um pressentimento, que morreria jovem.
Antes de subordinada adjetiva explicativa => Esta é a minha casa, que recebe tanta gente.
Separa subordinada adverbial deslocada => Se perder o emprego, vou para outra cidade.
Entre coordenadas assindéticas => Entrou no carro, ligou o rádio, ficou à espera.
Separa conjunção coordenativa deslocada => Não se defende; quer a própria condenação, portanto.
Antes de conjunção coordenativa => Decida logo, pois seu concorrente age rápido.
Antes de e e nem só em oração com sujeito diferente do da anterior => A vida continua, e você não muda.
Antes de mas também, como também (em correlação com não só) => Não só reclama, mas também torce
contra nós.

Ponto-e-vírgula
Para fazer uma pausa maior que a da vírgula e menor que a do ponto
=> A sala está cheia de móveis; o quarto cheira a mofo.
Separa coordenadas adversativas e conclusivas com conjunção deslocada
=> Não estuda; não quer, pois, a aprovação.
Separa orações que já têm vírgula no seu interior
=> Ivo, sozinho, lutava; Ana, sem forças, rezava.
Separa coordenadas que formam um paralelismo ou um contraste
=> Muitos entendem pouco; poucos entendem muito.
Aparece no final dos itens de uma enumeração
=> Há duas hipóteses para seu gesto: não conseguiu o emprego; a saúde da filha piorou.

Dois-pontos
Antes de aposto (explicativo ou enumerativo) de oração apositiva
=> Tem um sonho: viajar.
=> Leu três itens: “a”, “c”, e “i”.
Antes de citações
=> Ana gritava: “Eu faço tudo!”
Antes de explicação ou esclarecimento
=> Sombra e água fresca: as férias começaram.
=> Festa no prédio: síndico se mudou.
Depois da invocação nas correspondências
=> Cara amiga:
Depois de exemplo, nota, observação
=> Nota: aos domingos o preço será maior.
Depois de a saber, tais como, por exemplo
=> Combate doenças, tais como: dengue, tifo e malária.

Aspas
No início e no final das transcrições
=> O preso se defendia: “Não fui eu”.
Só aparecem após a pontuação final se abrangem o período inteiro
=> "Fica, amor.", quantas vezes eu te disse isso.
Destacam palavras ou expressões nos enunciados de regras
=> A preposição “de” não cabe aqui.
Indicam estrangeirismos, gírias, arcaísmos, formas populares
=> Ortografia é o seu maior “probrema”.
=> Você foi muito “legal” com a gente.
Destacam palavras empregadas em sentido irônico
11
=> Foi “gentilíssimo”: gritou comigo e bateu a porta.
Destacam títulos de obras
=> “Quincas Borba” é o meu livro preferido.

Reticências
Indicam interrupção ou suspensão por hesitação, surpresa, emoção
=> Você...Aqui...Para sempre...Não acredito!
Para realçar uma palavra ou expressão seguinte
=> Abriu a caixa de correspondência e ... nada.
Indicam interrupção por ser óbvia a continuação da frase
=> Eu cumpro cada um dos meus deveres; já você...
Indicam supressão de palavras num texto transcrito
=> Ficar ou fugir, “...eis a questão”.
Podem vir entre parênteses, se o trecho suprimido é longo
=> “São onze jogadores: José, Mário (...) e Paulo.”

Parênteses
Separam a intercalação de uma explicação ou de um comentário
=> Ativistas (alguns armados) exigiam reformas.
Separam a indicação da fonte da transcrição
=> “Todo óbvio é ululante.”
Separam a sigla de Estado ou entidade após seu nome completo
=> Vitória (ES).
=> Programa de Integração Social (PIS).
Separam uma unidade (moeda, peso, medida) equivalente a outra
=> O animal pesava 10 arrobas (150kg).
Separam números e letras, numa relação de itens, e asterisco
=> (1), (2), (a), (b), (*).
Deslocado para linha seguinte, basta usar o segundo parêntese.
=> 1), 2), a), b).
Separa o latinismo sic (confirma algo exagerado ou improvável)
? Levava na mala US$ 20 milhões (sic).
O ponto sempre vem após o segundo parêntese, salvo se um período inteiro está entre parênteses
=> Todos voltaram contra (Alguns rasgaram a célula).
=> O perigo já passara. (A mão ainda tremia)

Travessão
É usado, duplamente, para destacar uma palavra ou expressão
=> A vida — quem sabe? — pode ser melhor.
Aparece, nos diálogos, antes da fala de um interlocutor, e depois dela, quando se segue uma identificação de
quem falou
=> — Agora? — indaguei.
=> — Imediatamente! — explodiu Júlio.
É usado duplamente quando um trecho extenso se intercala em outro
=> Vi Roma — quase me perdi pelas vielas — e Paris.

Ponto
Aparece no final da frase, quando se conclui todo o pensamento
=> Mudemos de assunto. O povo espera fortes medidas.
É usado nas abreviaturas
=> Gen., acad., ltda.
Estando a abreviatura no final da frase, não há outro ponto
=> Comprou ações da Multimport S.A.
Separa as casas decimais nos números, salvo os indicativos de ano
=> 127.814; 22.715.810.
=> Nasceu em 1976.
12

REGÊNCIA VERBAL

Trata as relações entre o verbo e seus complementos. O estudo de regência é muito complexo, pois há verbos
que apresentam regências diferentes conforme o sentido que têm e há outros que apresentam mais de uma
regência, com significados distintos.

Verbos Sentido(s) Transitividade Preposição


exigida
Avisar transitivo direto e indireto
Notificar DE ou SOBRE
Cientificar
Agradar fazer carinho transitivo direto ---
contentar/
satisfazer transitivo indireto A
Aspirar respirar/sorver transitivo direto --
pretender/desejar transitivo indireto A
Assistir presenciar/ver transitivo indireto A
prestar assistência/ajudar
pertencer/caber transitivo direto --
morar/residir transitivo indireto A
intransitivo
+
adjunto adverbial
de lugar
pedir para vir transitivo direto --
transitivo indireto POR
Chamar
denominar transitivo direto
ou
transitivo indireto
+
predicativo com ou sem preposição

Pagar transitivo direto --


Perdoar (coisa)
transitivo indireto
(pessoa) A
transitivo direto e indireto
(coisa/pessoa)
A
provir/originar intransitivo
Proceder + adj. adv. lugar
dar início transitivo indireto A
ter fundamento intransitivo
Querer desejar transitivo direto --
ter afeto/amar/gostar transitivo indireto A
Custar ser difícil/ser penoso transitivo indireto A

Visar pretender transitivo indireto A


mirar transitivo direto --
assinar/pôr visto transitivo direto --
Namorar transitivo direto --
Pensar imaginar transitivo indireto EM
Comunicar transitivo direto e indireto
A
Prevenir evitar transitivo direto --
avisar transitivo indireto DE
13
OBSERVAÇÕES
Pronomes Oblíquos O/A/OS/AS – objeto direto

Pronomes oblíquos LHE/LHES – objeto indireto

Pronomes oblíquos ME/TE/SE/NOS/VOS – objeto direto ou objeto indireto conforme a regência.

Não se esqueça de que a preposição exigida pelo verbo deve ficar antes do pronome relativo.

São consideradas erradas construções em que se empregam complementos idênticos para verbos de
regência distinta.

ERRADO
Maria namora e gosta de João.

CORRETO
Maria namora João e gosta dele.

REGÊNCIA NOMINAL

Quando o termo regente é um nome (substantivo, adjetivo ou advérbio).


Tenho amor ao próximo. Estou preocupado com o desemprego. Agiram favoravelmente à sua decisão.

Termo regente termo regido termo regente termo regido termo regente termo regido
(substantivo) (complemento (adjetivo) (complemento nominal) (adjetivo) (complemento nominal)
nominal)
Há nomes que admitem mais de uma preposição sem que o sentido seja alterado.

Estou apto a este tipo de trabalho.


Estou apto para este tipo de trabalho.

Há outros nomes, que dependendo do sentido, pedem outras preposições.

Tenho muita consideração por pessoas que trabalham.


Tenho muita consideração sobre o trabalho filantrópico.

Veja abaixo, alguns nomes com as respectivas regências:

Acessível a Constituído de, por, com Fiel a Medo a, de


Acostumado a, com Conteporâneo a, de Firme em Misericordioso com, para com
Adaptado a Contíguo a Generoso com Natural de
Afável a, com para com Contrátio a Grato a Necessário a
Aflito com, por Cuidadoso com Hábil em Negligente em
Agradável a Curioso de, a Habituado a Nocivo a
Alheio a , de Desatendo a Horror a Ojeriza a, por, contra
Alienado de Descontente com Hostil a Paralelo a
Alusão a Desejoso de Idêntico a Parco em, de
Amante de Desfavorável a Imbuído em, de Passível de
Ambicioso de Devoto a, de Impossível de Perito em
Analogia com, entre Diferente de Impróprio para Possível de
Análogo a Difícil de Imune a, de Posterior a
Apto a, para Digno de Incompatível com Preferido de
Atento am em Entendido em Indeciso em Prejudicial a
Aversão a, para, por Equivalente a Independente de, em Próximo a, de
Ávido de, por Erudito em Indiferente a Relacionado com
Benéfico a Escasso de Indigno de Seguro de, em
Capaz de, para Essencial para Inepto para Semelhante a
Certo de Estranho a Inerente a Suspeito de, a
Compatível com Fácil de Inexorável a Útil a, para
Compreensível a Falha de, em Leal a Versado em
Comum a, de Falta de Lento em Vizinho a, de, com
Conastante de, em Favorável a Liberal com
14

CRASE

Fusão de a (preposição) com a (artigo) representada por acento grave(`).

Também pode haver fusão de a (preposição) com aquela (pronome demonstrativo).

Quando Usar Acento Indicativo de Crase

Em palavras femininas em que o termo regente exija a preposição “a” e o termo regido admita artigo “ a”
=> Vou à festa hoje.

Locuções adverbiais femininas que indiquem tempo/lugar/modo


=> Voltou à tarde para falar comigo.
=> Vire à direita.
=> Deixou tudo às claras para não haver problema.

Locuções prepositivas
=> Ficou à espera do pai.

Locuções conjuntivas
=> Cresce à medida que estuda.

Locuções adjetivas
=> Houve um baile à fantasia.

OBSERVAÇÃO

Entre as locuções adverbiais de tempo estão incluídas as expressões que indicam horas
=> Chegou às duas horas.

A locução “à moda de” pode estar parcialmente subentendida na frase, mesmo assim continua exigindo
acento indicativo de crase
=> Usava sapatos à Luís XV.

Antes da palavra distância, quando determinada


=> Fiquei à distância de dez metros.

Quando o Acento Indicativo de Crase é Facultativo

Antes de pronomes possessivos femininos


=> Refiro-me a/à sua tia.

Antes de nomes de mulheres


=> Dei o carro a/à Maria.

Depois da palavra até


=> Fui até a/à montanha.

CASOS ESPECIAIS
Casa
Sem especificativo — não admite acento indicativo de crase => Retornei a casa.
Com especificativo — admite acento indicativo de crase => Retornei à casa dos meus pais.
Terra
água/ mar — não admite acento indicativo de crase => Mandou o marinheiro a terra.

Terra
terra natal ou planeta — admite acento indicativo de crase => Mandou o marinheiro à terra onde
nasceu.
15

Quando NÃO Usar Acento Indicativo de Crase

Antes de palavras masculinas


=> Andava a pé.

Antes de verbos
=> Estava decidido a fugir.

Antes de pronomes de tratamento, salvo dona/senhora/senhorita


=> Enviei tudo a Vossa Senhoria.
=> Transmiti o recado à dona Maria.

Antes de pronomes pessoais do caso reto e do caso oblíquo


=> Vou dizer isso a ela.

Antes dos pronomes esta(s)/quem/cuja(s)


=> Isso convém a quem nada sabe.

“A” no singular + palavra no plural


=> Presto favores a pessoas dignas.

Entre duas palavras repetidas


=> Estavam cara a cara.

Antes de nomes de cidades sem especificativo


=> Vou a Vitória.

Antes de pronome indefinido ou palavra por ele modificada


=> Não irei a festa alguma.

CONCORDÂNCIA

Concordância Nominal — Os nomes = substantivos/adjetivos/artigos/numerais/pronomes adjetivos


=> alteram-se para se ajustarem em número [singular/plural] e em gênero
[masculino/feminino]

Concordância Verbal — O verbo altera-se para se ajustar em pessoa [1ª / 2ª / 3ª] e em número
[singular/plural] com seu sujeito

CONCORDÂNCIA VERBAL

Verbo com sujeito simples


— O verbo concorda com o núcleo do sujeito
=> Os meninos de rua passaram por aqui.

A maior parte de, grande número de + nome no plural.


— ou vai para o plural => A maior parte dos alunos chegaram agora.
— ou vai para o singular => A maior parte dos alunos chegou agora.

— Não havendo nome no plural, o verbo fica no singular => A maior parte chegou agora.

Mais de, menos de, perto de + numeral


— concorda com o numeral => Mais de um aluno fez a tarefa.
— se “mais de um” exprimir reciprocidade, o verbo vai para o plural => Mais de um veículo
chocaram-se.
— se “mais de um” aparecer repetida, o verbo vai para o plural => Mais de um aluno, mais de um
professor chegaram atrasados.
16
Verbo + pronome SE
— se for apassivador, concordará com o sujeito => Vendem-se casas.
— se for índice de indeterminação do sujeito, permanecerá no singular => Precisa-se de
digitadores.

Que
— concorda com o sujeito => Somos nós que fazemos isso.

Quem
— pode concordar com o antecedente ou ficar na 3ª pessoa do singular.
=> Sou eu quem faz isso.
=> Sou eu quem faço isso.

Nome próprio no plural


— com artigo, o verbo concorda => Os Estados Unidos são a maior potência mundial.
— sem artigo, o verbo fica no singular => Estados Unidos é a maior potência mundial.

— Em título de obra, o verbo fica ou no singular ou no plural => Os Lusíadas é a maior obra da literatura
portuguesa ou Os Lusíadas são a maior obra da literatura portuguesa.

Qual de nós/Qual de vós?


— Concorda na 3ª pessoa do singular
=> Qual de nós fez isso?
=> Qual de vós fez isso?

Quais de nós/Quais de vós?


— O verbo pode ficar na 3ª pessoa do plural ou concordar com nós/vós
=> Quais de nós fizeram isso?
=> Quais de nós fizemos isso?

Pronome de tratamento
— sempre 3ª pessoa
=> Você é de onde?
=> Vossa Excelência chegou ontem?

Verbo com sujeito composto

Sujeito composto antes do verbo


=> As ruas e as praças ficaram cheias de gente.

Se os núcleos forem sinônimos


ou A paz e a tranqüilidade reinava naquele lugar
ou A paz e a tranqüilidade reinavam naquele lugar

Se for enumeração gradativa


ou Um gesto, um movimento, um passo poderá incriminar Maria.
ou Um gesto, um movimento, um passo poderão incriminar Maria.

Se os núcleos do sujeito estiverem resumidos por tudo/nada/ninguém


A ameaça, o terror, a agressão, nada deteria João.

Um e outro
ou Um e outro estudante pretendia morar lá.
ou Um e outro estudante pretendiam morar lá.

Sujeito composto depois do verbo


— pode ir para o plural ou concordar com o primeiro núcleo do sujeito
=> Voltaram à tarde o menino e a menina.
=> Voltou à tarde o menino e a menina.

Sujeito composto de pessoas gramaticais diferentes


— com 1ª pessoa, o verbo fica na 1ª pessoa do plural
17
=> Você, seu amigo e eu partiremos bem cedo.

— sem a 1ª pessoa, o verbo fica ou na 3ª pessoa do plural ou na 2ª pessoa do plural


=> Tu e o vigia ficarão aqui.
=> Tu e o vigia ficareis aqui.

Núcleos ligados por OU


— com exclusão, o verbo fica no singular
=> Marcos ou César se casará com Maria.

— sem exclusão, o verbo fica no plural


=> A beleza ou a verdade sempre emocionavam Maria.

=> Um ou outro jogador criticou o técnico.

Núcleos ligados por NEM


— todos os núcleos, verbo no plural
=> Nem o amigo, nem o irmão criticaram João.

— apenas um dos núcleos, verbo no singular


=> Nem você nem ele será o próximo gerente.

=> Nem um nem outro aceitou a proposta.


=> Nem um nem outro aceitaram a proposta.

Núcleos ligados por COM


— com a mesma importância, o verbo fica no plural
=> O pedreiro com seu ajudante chegaram.

— realçar o primeiro núcleo, o verbo fica no singular


=> O pedreiro com seu ajudante chegou.

Verbos Impessoais

Haver = existir/acontecer
— 3ª pessoa do singular
=> Há muitas pessoas neste local.

Existir/acontecer
— concorda com o sujeito
=> Existem muitas pessoas neste local.
=> Acontecem muitos fatos estranhos nesta cidade.

Fazer = tempo decorrido ou a transcorrer


— 3ª pessoa do singular
=> Faz dez anos que não nos vemos.

Verbo Ser
— Pode concordar com o sujeito ou com o predicativo

Sujeito e predicativo — coisas


— Sujeito e predicativo no singular = verbo no singular
=> Seu maior sonho era a presidência.

— Sujeito e predicativo no plural = verbo no plural


=> Nossas vidas eram verdadeiras aventuras.

— Sujeito no singular e predicativo no plural = verbo


ou no singular ou no plural
=> A acusação eram exageros.
=> A acusação era exageros.
18
— Sujeito no plural e predicativo no singular = verbo
ou no plural ou no singular
=> As acusações eram exagero.
=> As acusações era exagero.

Sujeito e predicativo — pessoa


— verbo sempre concordará com a pessoa
=> Maria é as alegrias de seus pais.

Pronome pessoal = sujeito ou predicativo


— verbo sempre concordará com o pronome pessoal.
=> Sou eu que digo isso.

— Pronomes interrogativos que/quem.


=> Quem são aqueles caras.

— Expressão de sentido coletivo


=> O resto são lágrimas

— Pronomes tudo/isso/aquilo [funcionando como sujeito]


=> Isso são problemas graves.

— Indicação de horas e de distâncias


=> Daqui ao centro são cinco quilômetros.
=> Eram seis horas naquele momento.

Indicação de datas
ou no singular = subentendido dia antes do numeral
=> Hoje é 10.
ou no plural = subentendido dias após o numeral
=> Hoje são 10.

— É muito/é pouco/é demais = Verbo sempre no singular


=> Dez quilômetros é muito para o motor do carro.

Concordância Siléptica de
— Gênero
=> Vossa santidade é caridoso.

— Número
=> A turma estava entusiasmada, queriam mais aulas.

— Pessoa
=> Os brasileiros somos entusiastas do futebol.

CONCORDÂNCIA NOMINAL

Artigo/Numeral/Pronome Adjetivo/Adjetivo — Concordam em gênero e em número com o Substantivo

Adjetivo e Substantivo

— Um adjetivo após vários substantivos do mesmo gênero


ou o adjetivo fica no plural e no gênero correspondente
=> Maria tem irmão e primo pequenos.
ou o adjetivo concorda com o último substantivo
=> João tem irmão e primo pequeno.
=> João tem irmã e prima pequena.

— Um adjetivo após vários substantivos de gêneros diferentes


19
ou o adjetivo vai para o plural masculino
=> João apresentou argumento e razão justos.
ou o adjetivo concorda em gênero e número com o último substantivo
=> João apresentou argumento e razão justa.
=> João apresentou razão e argumento justo.

OBSERVAÇÃO
— Quando o adjetivo tiver função de predicativo, tais concordâncias deixam de ser possíveis. Neste caso,
é obrigatória a concordância no plural.
=> O seu argumento e a sua razão eram justos.

— Um adjetivo antes de vários substantivos


adjetivo concorda somente com o primeiro substantivo
=> Ele tem boa memória e talento.
=> Ele tem bom talento e memória.

OBSERVAÇÃO
Quando há adjetivo com função de predicativo, pode-se concordar com o primeiro ou com os dois
núcleos
=> Ficou irritada a platéia e o cantor.
=> Ficou irritado o cantor e a platéia.
=> Ficaram irritados a platéia e o cantor.
MAS
se o adjetivo anteposto referir-se a nomes próprios, o plural será obrigatório
=> As simpáticas Cintia e Valéria são irmãs.

— Um substantivo antes de vários adjetivos


ou coloca-se o artigo no plural antes do substantivo e deixam-se os adjetivos sem artigo
=> Conheci os líderes africano e americano.
ou coloca-se o artigo no singular antes do substantivo e antes de cada adjetivo
=> Conheci o líder africano e o americano.

Casos especiais de concordância

Um e outro (num e noutro) + substantivo + adjetivo


— substantivo no singular e adjetivo no plural
=>Uma e outra questão complicadas foi discutida na reunião

Mesmo
— pronome concorda com a palavra a que se refere
=> Elas mesmas fizeram isso.

— Advérbio = realmente > invariável


=> Elas fizeram mesmo isso.

Anexo / Incluso
— concorda com a palavra a que se refere
=> As cartas vão anexas a este documento.
=> As faturas seguem inclusas neste documento.

“Em anexo” é invariável

Obrigado
— masculino > quando é o homem quem agradece
=> Obrigado, disse ele.

— Feminino > quando é a mulher quem agradece


=> Obrigada, disse ela.

Bastante
20
— pronome concorda com a palavra a que se refere
=> Bastantes livros foram comprados no ano passado.

— advérbio > invariável


=> As provas serão bastante difíceis.

Meio
— numeral concorda com a palavra a que se refere
=> O caminhão transportava meia tonelada de frutas.

— advérbio = um pouco > invariável


=> Ela está meio aborrecida hoje.

Quite
— concorda com a palavra a que se refere
=> Estamos quites, disse o patrão ao empregado.


— = sozinho > varia > adjetivo
— = somente > não varia > advérbio
=> Eles estavam sós no quarto.
=> Elas estavam só no quarto.

“A sós” é invariável

É bom / É proibido / É necessário + substantivo


— sem artigo ficam invariáveis
=> É proibido entrada.
— com artigo varia
=> É proibida a entrada.

Alerta
— é invariável
=> Os seguranças estavam alerta.

Menos
— é invariável
=> Há menos pessoas na aula hoje.

Próprio
— Concorda com a palavra a que se refere.
=> Elas próprias pediram isso.

OBSERVAÇÕES

— Um dos que
ou
=> Ele é um dos que mais trabalha neste país.
ou
=> Ele é um dos que mais trabalham neste país.

— Sujeito plural empregado com valor singular


=> Pessoas é o objeto direto daquela oração.
=> Cores não recebe mais acento gráfico.

— Locução expletiva é que


=> Nós é que somos esperançosos.
=> Vós é que lestes bem o texto.
21
SIGNIFICAÇÃO DAS PALAVRAS

Sinônimos — significados iguais ou aproximadamente iguais

Antônimos — significados opostos

Homônimos — iguais na pronúncia e/ou grafia e diferentes no significado:


=> Homógrafos — iguais na grafia/diferentes na pronúncia e no significado
=> Homófonos — iguais na pronúncia/diferentes na grafia e no significado

Parônimos — semelhantes na pronúncia e/ou grafia/diferentes no significado


22
Absolver Inocentar, perdoar
Absorver Sorver, consumir, esgotar Cerrar Fechar
Acender Pôr fogo, ilumiar Serrar Cortar
Ascender Subir Cervo Veado
Acento Tom e voz, sinal gráfico Servo Escravo
Assento Lugar de sentar-se Cessão Ato de ceder
Acerca de Sobre, a respeito de Seção ou
Cerca de Aproximadamente Secção Corte, divisão
Há cerca de Faz Sessão Reunião
Acerto Ato de acertar Cesto Balaio
Asserto Afirmação Sexto Ordinal de seis
Acostumar Contrair hábito Chá Bebida
Costumar Ter por hábito Xá Título do ex-imperador do Irã
Acurado Feito com muito cuidado Chácara Sítio
Apurado Seleto, fino, refinado Xácara Narrativa popular em verso
Afear Tornar feito Cheque Ordem de pagamento
Afiar Aguçar, amolar Xeque Lance de jogo de xadrez, perigo
Afeito Habituado Comprimento Extensão
Afoito Corajoso Cumprimento Saudação, execução
Aferir Conferir, comparar Concelho Município
Auferir Colher, obter Conselho Sugestão, nome coletivo
Afim de Semelhante a, parente de Conjetura Suposição, hipótese
A fim de Para Conjuntura Situação, circunstância
Ante Antes Concerto Sessão musical, acordo
Anti Contra Conserto Reparo
Aonde Usa-se com verbos dinâmicos Coser Costurar
Onde Usa-se com verbos estáticos Cozer Cozinhar
Amoral Indiferente à moral Deferimento Concessão
Imoral Contra a moral, libertino, devasso Diferimento Adiamento
Deferir Atender, conceder
Apóstrofe Figura de linguagem, interpretação Diferir Distinguir-se, ser diferente
Apóstrofo Sinal gráfico Defeso Proibido
Aprender Instruir-se Defesso Cansado
Apreender Assimilar Degredado Desterrado, exilado
Arrear Pôr arreios Degradado Estragado, rebaixado, aviltado
Arriar Abaixar, descer Delatar Denunciar
Dilatar Alargar, ampliar
Assoar Limpar o nariz Descargo Alívio
Assuar Vaiar, apurar Desencargo Desobrigação de um encargo
Avir-se com Entender-se com, conciliar-se Descrição Ato de descrever, expor
Haver-se com Ajustar contas com, defrontar-se com Discrição Reserva, qualidade de discreto
Brocha Prego curto Descriminar Inocentar
Broxa Pincel grande, indivíduo sem potência Discriminar Distinguir
sexual Despensa Inocentar
Bucho Estômago Dispensa Senção, licença
Buxo Arbusto Despercebido Não notado
Caçar Apanhar animais ou aves Desapercebido Desprovido, desaparelhado
Cassar Anular Destratar Insultar
Cardeal Prelado do sacro colégio, principal, Distratar Desfazer
fundamental Emergir Vir à tona
Cardial Relativo à cárdia Imergir Mergulhar
Cartucho Canudo de papel ou papelão Emigrar Sair da pátria
Cartuxo Frade da ordem cartuxa Imigrar Entrar num país estranho para nele morar
Cavaleiro Aquele que sabe andar a cavalo Eminente Notável, célebre, elevado
Cavalheiro Homem educado Iminente Próximo, prestes a acontecer
Cela Pequeno quarto de dormir Esbaforido Ofegante, cansado
Sela Arreio Espavorido Apavorado, assustado
Cemento Substância para metais Espectador Assistente
Cimento Pó para argamassa Expectador Aquele que espera
Censo Recenseamento Espiar Observar, espionar
Senso Raciocínio Expiar Sofrer castigo
Cerração Nevoeiro denso Estada Permanência de pessoa
Serração Ato de serrar Estadia Permanência de veículo
23
Estádio Fase, período Pleito Disputa
Estágio Preparação Preito Homenagem
Estância Propriedade Precedente Antecedente
Instância Insistência Procedente Proveniente, oriundo
Estático Firme, imóvel Preeminente Nobre, distinto
Extático Admirado, pasmado Proeminente Saliente
Estrato Tipo de nuvem Prescrição Ordem expressa
Extrato Resumo, essência Proscrição Eliminação, expulsão
Estreme Puro, genuíno Previdência Aquele que prevê as coisas
Extremo Distante Providência Medida prévia para conseguir um fim, a
Flagrante Evidente suprema sabedoria atribuída a Deus
Fragrante Perfumado Prostrar-se Humilhar-se, curvar-se
Fluir Correr Postar-se Colocar-se, permanecer por
Fruir Gozar, desfrutar Ratificar Confirmar
Fuzil Carabina, espingarda Retificar Corrigir
Fusível Fio de instalação elétrica Reboco Argamassa
Genitor Pai Reboque Ato ou efeito de rebocar, ou seja, de
Progenitor Avô comboiar, veículo puxado por outro
Glosa Comentário, interpretação veículo
Grosa Doze dúzias Ruço Grisalho, desbotado
História Narrativa de fatos reais Russo da Rússia
Estória Narrativa de ficção Sexta Numeral correspondente a seis
Incerto Não acerto Sesta Descanso depois do almoço
Inserto Incluído Cesta Utensílio de transporte
Incidente Episódio Sobrescrever
Acidente Acontecimento casual ou
Incipiente Principiante Sobrescritar Escrever sobre, endereçar
Insipiente Ignorante Subscrever
Indefeso Desarmado, fraco ou
Indefesso Incansável, laborioso Subscritar Escrever embaixo de, assinar
Inerme Sem arma Sustar Suspender
Inerte Parado Suster Sustentar
Inflação Desvalorização do dinheiro, expansão Tacha Pequeno prego, mancha
Infração Violação, transgressão Taxa Imposto, percentagem
Infligir Aplicar pena ou castigo Tachar Censurar, pôr defeito
Infringir Transgredir, violar, ñ respeitar Taxar Estipular, qualificar, seja
Insosso Sem sal positiva, seja negativamente
Insulso Sem graça Tenção Propósito, intento
Intercessão Ato de interceder, de intervir Tensão Esticamento
Intersecção Ato de cortar Terço Fracionário orrespondente a três
Laço Nó Terso Puro, limpo
Lasso Frouxo, gasto, bambo, cansado, fatigado Tráfego Movimento, trânsito
Lista Relação, rol Tráfico Comércio lícito ou não
Listra Linha, risco Vadear Passar ou atravessar a vau, a pé ou a
Locador Proprietário, o que dá por aluguel cavalo
Locatário Inquilino Vadiar Levar vido de vadio
Mal Antônimo de bem Válido Sadio, vigoroso
Mau Antônimo de bom Valido Protegido
Malgrado Apesar de Vasa Fundo lodoso do rio, do mar, lodo, lodoçal,
Mau grado Má vontade limo
Mandado Ordem Vaza Cartas, forma verbal
Mandato Período de missão política Viagem Substantivo
Moradia Ato de morar Viajem Verbo
Morada Lugar onde se mora, habitação Vivido Experiente
Ótico Relativo ao ouvido Vívido Vivaz, ardente
Óptico Relativo à visão Vultoso Volumoso, de grande vulto
Paço Palácio Vultuoso Vermelho, inchado
Passo Passada Zumbido Sussurro de insetos alados
Peão Aquele que anda a pé Zunido Som agudo do vento
Pião Brinquedo
Pequenez Qualidade de pequeno
Pequinês Raça de cães, de Pequim
24
TIPOLOGIA TEXTUAL

O primeiro passo para a compreensão dos textos é o reconhecimento de seu modo de organização discursiva e,
conseqüentemente, das características peculiares a cada um deles. Observemos, por exemplo, os três textos a seguir,
todos construídos a partir da sugestão do famoso quadro O quatro de Vicent em Arles, de Van Gogh.

TEXTO 1 TEXTO 2 TEXTO 3

O quarto estava localizado na parte Van Gohg viajou para Paris no fina O fato de viver longe de casa pode
velha de Paris. Não era grande nem de dezembro e no início de janeiro ter contribuído para uma maior
luxuoso, mas tinha tudo aquilo de que alugou o quarto onde iria mora por disposição artística do pintor. De
o artista necessitava naquele longo tempo. Logo que lhe foi fato, a história pessoal dos grandes
momento, de sua vida: uma cama- permitido ocupar o aposento, para lá artistas parece relacionar certa
beliche, duas cadeiras e uma mesa, transportou seus poucos pertences, dose de sofrimento à maior
sobre a qual ficava uma bacia e uma especialmente alguns quadros e capacidade de produção: assim foi
jarra d’água. Uma grande janela fotografias. Em seguida instalou o com Camões, Cervantes, Dante e
envidraçada iluminava fartamente o cavalete de pintura ao pé da janela, muitos outros. A alegria, ao
aposento, deixando sobre o assoalho por onde entrava a luminosidade contrário, parece estéril, não leva a
de tábua corrida um rastro de luz. Nas necessária e começou derivativos. Van Gohg certamente
paredes ao lado da cama havia dois imediatamente a pintar, certo do transportou a saudade e a solidão
quadros e alguma fotografias que sucesso que, no entanto, iria tardar para as telas que pintou em seu
lembravam ao pintor a sua origem. muito. quarto de Paris.

No quadro abaixo, você encontra as diferenças fundamentais entre esses três modelos, que serão estudados
pormenorizadamente a seguir:

Modo Descritivo Narrativo Dissertativo


Agente Observador Narrador Argumentador
Seres, objetos, cenas,
Conteúdo Ações ou acontecimento Opiniões, argumentos
processos
Tempo Momento único Sucessão Ausência
Identificar, localizar e
Objetivo Relatar Discutir, informar ou expor
qualificar
Verbos, advérbios e
Classe de palavras Substantivos e adjetivos Conectores
conjunções temporais
Presente ou imperfeito do Presente ou perfeito do
Tempos verbais Presente do indicativo
indicativo indicativo

Um texto, porém, só raramente apresenta-se em estado puro, ou seja, totalmente pertencente a um só modo de
organização discursiva; na maioria das vezes, sua classificação se faz pela predominância de seqüências de um tipo
sobre os demais.

APLICAÇÃO

1 - Classifique os modos de organização discursiva predominantes nos textos abaixo em descritivo (DE), narrativo (NA)
ou dissertativo (DI):

1. ( ) Uma vez, dois homens saíram na Semana Santa para caçar tatu. Quando eles estavem cavando o buraco, o tatu
saiu pra fora e falou pra eles:
— Isso tudo é vontade de comer carne? (Antonio Henrique Weitzel)
2. ( ) A aventura pode ser louca, mas o aventureiro tem que ser lúcido! (Chesterton)
3. ( ) De repente entrou aquele bruto crioulo. Tinha quase dois metros de altura, era forte como um touro, e caminhava
no mais autêntico estilo da malandragem carioca. Ladeado por duas mulheres imobilizadas por uma chave-de-braço
cada uma, caminhou calmamente até o centro da sala, enquanto as duas faziam o maiôs banzé, sem que ele tomasse o
menor conhecimento. A que estava presa na canhota era meio puxada para o sarará e chamava-o, com notável
regularidade, de “vagabundo”, “crioulo ordinário”, “homi safado” e outros adjetivos da mesma qualidade. A que estava
presa pelo lado direito tinha a chave-de-braço apertada pouquinha coisa (devia ser mais presepeira) e por isso, estava
meio tombada para frente. Dava as suas impressões sobre o crioulo com menos freqüência, mas, em compensação,
quando abria a boca, berrava mais alto que a sarará. Sua reivindicação era sempre a mesma: “Me larga, seu cachorro! “
De tipo, era mulata, gordinha. (Stanislaw Ponte Preta)
4. ( ) Um homem estava contando que tinha ido pescar no rio Paraibuna e matou uma traíra tão grande, que quase não
coube dentro do barco. Aí o outro falou:
25
— Na minha fazenda trem um tacho tão grande que, quando alguém está mexendo o tacho, fala, do outro lado nem dá
pra escutar.
Aí o pescador perguntou:
— Mas pra que serve um tacho tão grande assim?
O homem respondeu:
— É pra fritar a traíra que você pescou! (Antonio Henrique Weitzel)
5. ( ) Só há dois minutos importantes no destino do homem: o minuto em que nasce e aquele em que morre. O resto
são horas perdidas da vida. (Mário da Silva Brito)
6. ( ) É necessário que se ensine às crianças o que seja moral; contudo, é dispensável que se lhes ensine o que seja
imoral. (Júlio Camargo)

2 – Leia o texto abaixo e responda às perguntas que seguem:


Todos os dias um pescador, passeando pela beira do mar, encontrava estrelas-do-mar encalhadas na areia e as
devolvia ao mar, salvando-lhes da vida. Um dia, um outro pescador perguntou-lhe:
— Companheiro, de que adianta fazer isso, se há muitas outras estrelas-do-mar encalhadas, muito mais do que
você poderá salvar?
E o bondoso pescador, apontando para um estrela-do-mar que estava prestes a devolver ao oceano disse:
— Pelo menos para esta, amigo, adianta!
1. Trata-se de um texto narrativo, descritivo ou dissertativo?

2. Mostre duas ações no pretérito perfeito do indicativo que estejam em seqüência cronológica.

3 – De cada texto abaixo você deve indicar:


a) modo de organização discursiva: narrativo, descritivo ou dissertativo;
b) a função interativa predominante: ensinar, informar, convencer, relacionar-se, expressar-se, prever ou
regulamentar.

TEXTO 1
Este é o seu primeiro Pokémon. A mais desejada coleção do mundo vai chegar ao Brasil! Os primeiros Pokémons
“falam” inglês e já estão chegando às lojas, mas logo virão outros que “falam” a nossa língua. Aguarde novidades.
Modo:__________________ função: __________________

TEXTO 2
Enquanto o Estado se contenta com os recursos que lhe fornecem os pobres, enquanto acha suficiente os subsídios que
lhe asseguram os que trabalham com suas próprias mãos, ele vive feliz, tranqüilo e honrado; os economistas e os
financistas se comprazem em reconhecer-lhe a probidade; mas logo que esse Estado infeliz, premido pela necessidade,
tenta pedir dinheiro aos que o têm, e tirar dos ricos uma fraca contribuição, faz-se-lhe sentir que está cometendo um
atentado odioso, violenta todos os direitos, falta com o respeito à coisa sagrada, destrói o comércio e a indústria, e
esmaga os pobres mexendo com os ricos.
Modo:__________________ função: __________________

TEXTO 3
Pai nosso, que estais no céu, santificado seja o vosso nome, venha a nós o vosso reino, seja feita a vossa vontade,
assim na terra como no céu, o pão nosso de cada dia nos daí hoje, perdoai as nossas ofensas assim como perdoamos a
quem nos tem ofendido, não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal, amém!
Modo:__________________ função: __________________

TEXTO 4
A Editoria Moderna gostaria de contar com a sua presença no lançamento do livro Como aprender a interpretar textos, de
Agostinho Dias Carneiro, no dia 28 de agosto, no salão azul do Hotel Copacabana Palace.
Modo:__________________ função: __________________

TEXTO 5
Virgem. Você poderá receber ajuda de parentes, amigos ou companheiros de trabalho. Não despreze conselhos de
pessoas experientes. As vibrações de Júpter deverão ajuda-lo na parte da manhã, mas você deve colocar com a sorte.
Modo:__________________ função: __________________
26
TEXTO 6
Cada um tira dos acontecimentos a conclusão que bem atende.
Modo:__________________ função: __________________

TEXTO 7
Artigo 1º, parágrafo único: todo brasileiro é obrigado a ter vergonha na cara! (Capistrano de Abreu)
Modo:__________________ função: __________________

TEXTO 8
Quais os nomes dos dias da semana em espanhol? – perguntou a pequena turista.
- Lunes, Martes, Miércoles, Jueves, Viernes, Sábado e Domingo – respondeu a professora.
Modo:__________________ função: __________________

TEXTO 9
Durante a passeada de estudantes, ontem realizada no centro do Rio, um participante passou mal e foi levado
rapidamente ao Hospital Souza Aguiar. Como o atendimento tardou demais, o estudante recuperou-se com a ajuda de
amigos e voltou a tempo de assistir ao comício na Cinelândia.
Modo:__________________ função: __________________

TEXTO 10
Querido diário: hoje briguei com meu namorado, mas desta vez parece que foi para sempre! Certamente vou sentir a
falta dele, mas há certos princípios que devem ser mantidos a qualquer preço, pois, caso contrário, perdemos o respeito
por nós mesmos...
Modo:__________________ função: __________________