Você está na página 1de 4

CENTRO UNIVERSITÁRIO PAULISTANO

UNIPAULISTANA
Curso de Psicologia

RESENHA DO LIVRO QUEM MEXEU NO MEU QUEIJO

Mauricio Da Silva – RA 21801303

Campus Madre Cabrini – São Paulo


2018
CENTRO UNIVERSITÁRIO PAULISTANO
UNIPAULISTANA
Curso de Psicologia

Mauricio Da Silva – RA 21801303

RESENHA DO LIVRO QUEM MEXEU NO MEU QUEIJO

Atividade desenvolvida para a composição de nota


de Eficiência para a disciplina Língua Portuguesa, do
curso de Psicologia, sob a orientação do Prof.ª
Genize Molina Zilio Barros

Campus Madre Cabrini – São Paulo


2018
Obra: QUEM MEXEU NO MEU QUEIJO
Autor: SPENCER JONSON, M.D.
Editora: RECORD. 2002. 107 págs.

O livro Quem mexeu no meu queijo é uma metáfora, ou podemos dizer, uma
parábola da vida real. Que ilustra as diferentes reações diante de mudanças
esperadas ou inesperadas.
O livro começa com uma reunião entre ex-alunos, nesta reunião um dos
alunos conta uma história que fala sobre mudanças. A história acontece em um
labirinto onde todos os dias quatro personagens correm a procura do queijo
especial.
Os quatros personagens são dois ratos Sniff e Scurry que utilizam seus
instintos e cérebros simples, enquanto dois duendes Hem e Haw usam seus
cérebros de humanos cheios de crenças para acharem o seu queijo no labirinto.
Achando o queijo os ratos não mudam sua rotina, se alimentam do queijo, mas
continuam a buscar um novo queijo.
Mas os duendes mudam sua rotina, vivendo em torno do queijo e não
percebem quando o estoque está acabando. Quando o queijo acaba os ratos
simplesmente vão em busca do novo queijo, os duendes, baseados em suas
crenças, ficam desolados procurando culpados e achando uma injustiça o queijo ter
“sumido”. Mas, enquanto Hem resoluto não quer sair para procurar o novo queijo,
Haw entende rapidamente que deve se adaptar às mudanças, mesmo que isto
represente enfrentar seu medo e se aventurar novamente no labirinto.
Ao longo do caminho Haw vai anotando nas paredes do labirinto o
aprendizado com as experiências vividas. Frases como: “- Quanto mais importante
seu queijo é para você menos deseja abrir mão dele. -Se você não mudar morrerá.
-O que você faria se não tivesse medo? -Quando vence o seu medo, sente-se livre.
– As velhas crenças não o levam ao novo queijo”.
Sua disposição de sair do comodismo e buscar o novo queijo é
recompensada, ele encontrou um grande estoque de queijos.
Após debater sobre a história as pessoas chegaram à conclusão de que o
queijo é aquilo que nos faz felizes e realizados, pode ser um emprego, uma casa,
posses, uma posição na sociedade, também pode ser ter uma família ou um
relacionamento. O labirinto é o lugar onde eu corro atrás destes objetivos de vida.
Os personagens podem representar pessoas diferentes ou reações diferentes de
uma mesma pessoa.
Vemos que o autor utiliza uma linguagem clara, cotidiana e um tanto infantil,
mas que nos conduz de forma lúdica a temas muito sérios do nosso dia a dia. Um
aspecto interessante do livro é como o autor consegue nos colocar dentro da história
sem que pudéssemos perceber e assim bloquear uma reflexão sobre nossas
reações diante das mudanças.
Um tema de extrema relevância, pois todos os dias estamos diante de
mudanças; algumas superficiais e outras profundas. E, quanto mais rápido
aprendermos a lidar com estas mudanças, mais rápido nos adaptamos ao novo.
Destacamos finalmente a importância de compreender que a ansiedade pode
nos paralisar e nos prender em um estado de inércia; que o comodismo e o
vitimismo não nos ajudam a caminhar. É preciso aprender a tratar com leveza aquilo
que nos provoca medo, assumindo a responsabilidade sobre as mudanças e
desfrutar mais do caminho percorrido na direção do novo.
Indico a leitura deste livro a todos que precisam de um conselho diante de
mudanças ou de uma grande decisão.