Você está na página 1de 43

Copyright © ​2020​ de ​Flávio de Falcão

Todos  os  direitos  reservados.  Este  ebook  ou  qualquer 


parte  dele  não  pode  ser  reproduzido  ou  usado de forma 
alguma  sem  autorização  expressa,  por  escrito,  do  autor 
ou  editor,  exceto  pelo  uso  de  citações  breves  em  uma 
resenha do ebook. 

Primeira edição, 2020


Índice
Introdução 3

Por que eu deveria aprender a estudar? 8

O checklist do estudo eficiente 15

Passo #1: Delimite 17

Passo #2: Familiarize-se 24

Passo #3: Aprofunde-se 28

Passo #4: Teste 32

Passo #5: Revise 36

Conclusão 38

Apêndice: O checklist 41

 
 

Introdução
Por que eu escrevi esse manual

Olá,  eu  sou  o  Flávio  e  fico  muito  feliz  que  você 


tomou  a  decisão  de  aprender  como  estudar!  Esse  já 
é  o  primeiro  passo  para  passar  no vestibular ou nas 
provas da sua escola. Antes, quero contar um pouco 
como cheguei aqui. 
 
Minha  jornada  no  mundo  dos  vestibulares  se 
iniciou  em  2012.  Naquela  época,  a  Internet  era 
muito  mais  limitada  do  que  nos  tempos  de  hoje  e 
encontrar  material  de  qualidade  era  um  desafio. Eu 
investi  bastante  em  livros  didáticos  e  material  de 
estudo  físico,  mas,  por  mais  que  tenha  procurado, 
nunca  encontrei  um  manual  ou  livro que ensinasse, 
passo  a  passo,  como  estudar  de  forma  que  eu 
aprendesse de verdade.  
 
Eu  estava  cansado  daqueles artigos que te passam 7 
dicas  de  estudo  e  te  falam  para  "procurar  um  lugar 
silencioso"  e  "estudar  com  intervalos".  Esses 
conselhos  genéricos  pouco  serviam  na  hora  que  eu 
abria  os  livros  e  não  sabia  exatamente  como 
prosseguir.  Eu  queria  um  manual  que  me  falasse 
não  apenas  o  que  fazer,  mas  também  me  mostrasse 

3
como  fazer.  Não  se  tratava  de  me  esforçar  ou  de 
estudar  muitas  horas  por  dia.  O  que  eu  precisava 
era  aprender  a  usar  meu  tempo  da  maneira  mais 
eficiente  possível  para  estudar  menos  e  aprender 
mais.  
 
O  que  eu  acredito  que  seja  uma  das  maiores 
barreiras  para  a  maior  parte  dos  estudantes  que 
estão  prestando  o vestibular é descobrir um método 
de  estudo  que  realmente  funcione.  É  ter  um 
manual,  como  um  mapa,  que  te  mostre  claramente 
o  caminho  a  trilhar  quando  você  vê  aquela 
quantidade  gigantesca  de  conteúdo  na  sua  frente 
para estudar. 
 
Para  encontrar  essa  forma  de  estudar  eu  precisei 
ficar  meses  procurando  por  toda  a  parte.  Devorei 
livros  sobre  aprendizado e produtividade, ví vídeos 
estrangeiros  no  youtube  e  li  artigos que ensinassem 
como  funciona  o  processo  de  aprendizado  guiado 
para  realmente  aprender,  buscando  sempre  uma 
engenharia  reversa  para  usar  todas  essas  técnicas 
nos  meus  estudos  para  o  vestibular.  Depois  de 
muita  experimentação,  encontrei  uma  maneira  que 
funcionava.  Além  de  sentir  que  aprendia  mais,  tive 
as  provas  dos  vestibulares  para  provar  que  eu 
realmente tinha feito um bom trabalho.  
 
 
 
Na  FUVEST  de  2013  tirei  83  pontos  de  90  na 
primeira  fase.  Para  dar  um  pouco  de  contexto,  essa 
nota  foi  a  quarta  mais  alta  daquele  ano  e  me 
permitiria passar em Medicina com tranquilidade.  
 
Porém,  por  mais  preparado  que  estivesse,  isso  veio 
como  uma  surpresa.  A  primeira  vez  que  prestei  o 
vestibular, havia tirado 45 pontos, quase metade. 
 
Esse  crescimento  na  nota  veio  com  muito  esforço, 
mas  um  esforço  na  direção  correta.  E  me  fez 
perceber  que  o  problema  não  estava  em  minha 
inteligência  ou  em  minha  capacidade.  Eu  costumo 
dizer  que  a  pior  coisa  que  você  pode  fazer  é  se 
rotular  como  ignorante  ou  sem  foco  e  aceitar  esse 
rótulo  como  um  empecilho  para seu aprendizado e, 
portanto,  sua  aprovação.  Cada  um  de  nós  possui 
maneiras  diferentes  e  ritmos  diferentes,  mas 
qualquer  pessoa  pode  passar  no vestibular. Estudar 
é  uma  habilidade  como  correr  ou  tocar  um 
instrumento.  A  prática  correta  te  fará  cada  vez 
melhor,  frisando  novamente  que  dependerá  de  se 
investir horas, mas também usá-las com qualidade. 
 
E,  depois  de  quase  7  anos  e  muitos  alunos 
mentorados,  percebi  que  o  grande  diferencial  na 
minha  mudança  de  desempenho  e  na  de  meus 
alunos  foi  ter  uma  estratégia  para  dominar  cada 

5
aspecto  da  prova  do  vestibular.  E  é  isso  que  quero 
te  ensinar  neste  manual.  Um  dos  quatro  pilares  de 
como  ser  um  vestibulando  de  sucesso  é  saber como 
estudar  e,  em  forma  de  agradecimento  por  tudo  de 
bom  que  aconteceu  comigo  após  entrar  na 
faculdade,  quero  retribuir  para  você  um  pouco  do 
que  aprendi  ao  longo  desse  caminho  para  te  ajudar 
a realizar o seu sonho de entrar na faculdade. 
 
Hoje,  eu  sou  engenheiro  civil  formado  pela  USP.  7 
anos  se  passaram  e  eu  me  sinto  mais  feliz  do  que 
nunca,  trabalhando  e fazendo um mestrado. Porém, 
uma  voz  sempre  me  dizia  que  eu  tinha  um 
conhecimento  muito  valioso  para  guardar  apenas 
comigo  e  com  meus  alunos  particulares.  Uma  vez 
uma  das  estudantes  que  ensinei,  chamada  Isabela, 
me  disse  uma  coisa  que  não  me  esqueci.  "Você 
gosta  tanto  de  ensinar,  porque  não  investe  mais 
nisso?  Você  faria  muito  bem  para  o  mundo".  Isso 
não saiu da minha cabeça. 
 
E  hoje  ela  está  no  quarto  ano  de  medicina,  feliz por 
ter  aprendido  tudo  isso e, por causa dela e o que ela 
me disse, eu decidi escrever esse livro. 
 
Espero  que  você  aproveite  esse  manual  que  foi 
escrito  com  muito  carinho.  Se  você  quer  conhecer 
meu  método  completo,  que  te  ensinará  uma 
 
 
estratégia  completa  para  estudar  de  forma  eficiente 
para o vestibular, visite o site abaixo: 
 
https://linktr.ee/flaviodefalcao 
 
Se  você  gostar  deste  conteúdo,  peço  em  retribuição 
que você poste uma foto lendo o livro no Instagram, 
me  marcando  (@flaviodfalcao).  Assim,  eu  posso 
conhecer melhor quem está lendo esse ebook :) 

 
Um abraço e boa leitura. 

7
Por que eu deveria aprender a
estudar?
O conhecimento é sempre o caminho

Eu  sou  muito  insistente  na  ideia  de  que  todo  aluno 
deve,  antes  de  começar  a  estudar,  aprender  a 
estudar.  
 
E, nesse ponto, sempre recebo questionamentos. 
 
"Mas  qual  o  segredo  de  estudar?  Eu  abro  o  livro, 
leio,  releio,  até que uma hora eu guardo tudo aquilo 
na minha cabeça. Estudar é repetir, não é?" 
 
Mais ou menos…  
 
Estudar  por  repetição,  mesmo  sendo  uma  das 
formas  mais  intuitivas,  é  uma  das  maneiras  mais 
ineficientes  entre  as  técnicas  existentes.  Ela 
comprovadamente  não  guarda  o  conteúdo  na  sua 
memória  de  longo  prazo,  que  é  a  que  realmente 
define  o  que  você  sabe  e  não  sabe,  e  usa  muito 
tempo!  Vestibulandos  não  têm  tempo  de  sobra  e, 
por  conta  disso,  eu  acredito  que  você  não  deve 
desperdiçar o seu estudando de forma ineficiente. 
CHEKLIST DO ESTUDO EFICIENTE 

 
"Mas  qual  seria  a  forma  eficiente  que  você  fala 
tanto?" 
 
Antes  de  você  aprender  a  estudar,  é  importante 
entender  como  o  seu  cérebro  funciona.  Aprender, 
no  fim  das  contas,  relaciona-se  diretamente  com 
guardar  informações  de  uma  forma  estruturada em 
sua  memória  e,  por  conta  disso,  entender  como  a 
memória  funciona  é  essencial  para  entender  como 
aprender de forma eficiente. 
 
A  grosso  modo,  nossa  memória  é  dividida em duas 
categorias.  A  memória  de  curto  prazo  e  memória 
de  longo  prazo.  É  claro  que  isso  é  uma  forma 
esquemática  e  não  é  exatamente  como  os 
neurocientistas  descreveriam  a  memória,  mas  é  um 
modelo bom o suficiente. 
 
Sua  memória  de  curto prazo é o que os especialistas 
chamam  de  memória  de  trabalho,  que  se  comporta 
como  um  processador,  constantemente  absorvendo 
e  filtrando  as  informações  que  chegam  até você por 
meio da audição e da visão.  
 
A  memória de curto prazo se comunica diretamente 
com  a  memória  de  longo  prazo  e  transfere 
informações  que  chegam  nela.  Porém,  essa 

9
FLÁVIO DE FALCÃO 

transferência  precisa  de  algumas  condições 


especiais para acontecer.  
 
 
Para  deixar  mais  fácil  de  entender  vou  dar  um 
exemplo.  Suponha  que  a  memória  de  curto  prazo  é 
uma  secretária,  chamada  Beth,  de  um  escritório  de 
contabilidade  e  seu  trabalho  é  catalogar  todos  os 
documentos que chegam por correio.  
 
Nesse  exemplo,  as cartas e documentos são todas as 
informações  que  chegam  até  você  por  meio  dos 
sentidos.  O  trabalho  da  Beth  é  organizar  as  coisas 
em  categorias  nos  arquivos  que  existem  no 
escritório,  e  esses  arquivos  são  sua  memória  de 
longo  prazo. Nesses arquivos há um pouco de tudo. 
Coisas  sobre  sua  infância,  filmes  que  você  viu, 
momentos que você viveu, lugares que você visitou. 
Enfim,  contém  tudo  que  sua  memória  guardou  até 
hoje.  
 
Porém,  Beth  é  uma  só  e  tem  um  limite  de  trabalho 
que  consegue  lidar  a  qualquer  momento  e 
normalmente  não  consegue  guardar  todos  os 
documentos  no  lugar  na  hora  que  eles  chegam, 
principalmente  se  chegam  sem  ordem.  Por  causa 
disso,  muitos  desses  documentos  se  misturam  com 
documentos  de  outras  categorias.  ou  são  perdidos 

10 
CHEKLIST DO ESTUDO EFICIENTE 

para sempre.  
 
É  isso  que  acontece  quando  você  estuda  da  forma 
errada,  apenas  lendo,  por  exemplo.  Todas  aquelas 
informações,  ou  documentos,  são  perdidos  porque 
você  não  ensinou  a  Beth,  sua  memória  de  curto 
prazo,  a  como  guardar  os  conteúdos,  relacionando 
por  tema  e  por  conhecimento  prévio.  Assim,  esses 
documentos  se  perdem  para  sempre,  ou  seja,  você 
esquece tudo que estudou algumas horas depois. 
 
Logo,  quando pensamos no estudo bem feito, temos 
que  procurar  uma  forma  de  fazer  o  processo  de 
transferência  das  memórias  de  curto  prazo  para 
longo  prazo  ser  eficiente. E exatamente por isso que 
temos  que  diferenciar  estudo  passivo  e  estudo 
ativo. 
 
O  estudo  pode  ser,  de  maneira  geral,  de  duas 
formas.  Estudo  passivo  ou  estudo  ativo.  Porém, 
para  entender  a  diferença  e  peculiaridade  de  cada 
um  deles,  temos  primeiramente  que  entender  a 
diferença entre informação e conhecimento. 
 
Informação  é  tudo  que  existe  por  aí.  Os  livros,  os 
filmes,  as  revistas,  os  jornais.  Esse  manual  aqui  é 
um  apanhado  de  informações.  Conhecimento,  por 
outro  lado,  é  informação  estruturada  de  forma 

11
FLÁVIO DE FALCÃO 

coerente  e  organizada  na  sua  memória  de  longo 


prazo,  no  seu  cérebro.  São  os  arquivos  organizados 
por  categoria  e  relacionados  por  ordem  alfabética, 
facilmente  lembrados.  Informação  é  fragmentada  e 
sem  estrutura.  Conhecimento  é  compacto  e 
estruturado. 
 
Assim,  fica  claro  que  o  que  você  quer  não  é 
informação,  e  sim  conhecimento.  E  para  isso,  deve 
haver  transformação.  Essa  palavra  é  muito 
importante,  pois  o  processo  todo  de  aprender  se 
baseia nessa transformação. 
 
Na  figura  abaixo,  o  esquema  completo  de  como 
ocorre  essa  transformação  pode  ser  visto.  A 
memória  tem  um  papel  fundamental,  tendo  em 
vista  que a transferência da memória de curto prazo 
para  a  de  longo  prazo  é  o  processo  que  realmente 
permite  a  formação  de  conhecimento.  Quando  a 
informação  para  na  memória de curto prazo e não é 
transferida,  ela  nunca  tem  chance de se transformar 
em conhecimento. 
 

12 
CHEKLIST DO ESTUDO EFICIENTE 

 
Figura 1: Esquema da transformação de informação em 
conhecimento. A transferência da memória de curto prazo para 
a de longo prazo tem papel fundamental nesse processo. 
 
Assim,  voltando  às  duas  categorias  de  estudo,  o 
estudo  passivo  é  aquele  em  que  não  há 
transformação de informação em conhecimento. Por 
outro  lado,  o  estudo  ativo  é  aquele  em  que  há 

13
FLÁVIO DE FALCÃO 

transformação de informação em conhecimento.  


 
O  estudo  passivo  é  a  massiva  passagem  de 
informação  de  fora,  do  mundo,  para  dentro,  o 
cérebro.  O  estudo  ativo  é  a  passagem  do 
conhecimento  do  cérebro,  já  estruturado  e 
organizado, para fora.  
 
Assim,  fica  claro  que  quando  pensamos  na 
eficiência  dos  estudos,  é  preferível  focar  no  estudo 
ativo.  Porém,  o  estudo  passivo  também  é 
importante  e  tem  um  papel  fundamental  no 
aprendizado  eficiente,  como  vamos  ver  nos 
próximos tópicos. 
 
Agora  que  entendemos  como  nosso  cérebro 
funciona,  podemos  passar  para  o  método  em  si, 
contendo 5 passos. 
 
 

14 
CHEKLIST DO ESTUDO EFICIENTE 

O checklist do estudo eficiente


Os 5 passos para estudar como um campeão

Chegamos  então  ao  método  de  como  estudar  em  5 


passos.  Esse  capítulo  trará  a  estrutura  de  forma 
geral  e,  posteriormente,  cada  capítulo  trará  um 
detalhamento  de  como  a  técnica  funciona  e  um 
exemplo,  do  começo  ao  fim  explicado,  de  como  eu 
aplicaria esse método no estudo de biologia. 
 
Basicamente,  o  método  consiste  em  estudar de uma 
forma  complementar  entre  estudo  passivo  e  estudo 
ativo,  guiando  a  mente  no  caminho  correto  e 
progressivamente  tornando  o  estudo  mais 
desafiador. 
 
O método será como montar um quebra cabeça. 
 
Em  primeiro  lugar,  delimitamos  o  que  vamos 
aprender,  montando  as  bordas  do  quebra  cabeça  e 
sabendo  exatamente  o  que  aprenderemos  com  uma 
varredura rápida.  
 

15
FLÁVIO DE FALCÃO 

Em  segundo  lugar,  nos  familiarizamos  com  os 


conceitos,  montando  pequenas  partes  do  quebra 
cabeça,  mas  sem  preocupação  com  realmente 
guardar tudo aquilo de forma estruturada. 
 
Em  terceiro  lugar,  nos  aprofundamos  com  os 
conceitos,  de  forma  a  estimular  o  cérebro  a  buscar 
conexões  com  conhecimentos  prévios  e  realmente 
organizar  os  arquivos  com  o  que  foi  aprendido,  já 
na  forma  de  conhecimento  estruturado.  Nessa  fase, 
inicia-se  a  transferência  da  memória  de  trabalho 
para a de longo prazo. 
 
Em  quatro  lugar,  testamos  se  realmente 
aprendemos  com  o  uso  de  exercícios,  para  ver  se 
existem  lacunas,  parciais  ou  totais,  no aprendizado. 
Essa  etapa  será  como  uma  nova  iteração  na 
transferência  da  memória  de  curto  prazo  para  a  de 
longo  prazo,  tornando  o  conhecimento  mais 
estruturado e organizado. 
 
E,  em  quinto  lugar,  criamos  um  plano  de  revisão 
periódico,  de  forma  a  ter  sempre  uma  recordação 
espaçada,  importante  para  garantir  que  o 
conhecimento  fique  ali  quietinho,  bem  lembrado, 
até a data do vestibular. 
 
Vamos começar!

16 
CHEKLIST DO ESTUDO EFICIENTE 

Passo #1: Delimite


Defina exatamente o que você vai aprender

E,  finalmente,  iniciamos  nosso  passo  a  passo  com 


uma  das  etapas  mais  importantes  e  menos  usadas 
pelos  estudantes  quando  estudam.  Essa  etapa  é  a 
delimitação  exata  do  que  vai  ser  estudado.  A 
importância  de  delimitar  o  que  vai  ser  aprendido 
fica mais clara com um exemplo. 

Quando  você  assiste  a  um  filme  no  cinema  pela 


primeira  vez,  sem  nunca ter visto o trailer, você não 
tem ideia de como a história e as cenas serão. Talvez 
um  amigo  te  diga  que  tem  um  ator  famoso  ou  uma 
música  específica,  mas  você  não  sabe  o  que  esperar 
das  reviravoltas  da  história  e  da  narrativa.  Quando 
o  filme  termina,  você  está  surpreso  ou 
decepcionado com a história. 

Porém,  mesmo  que  você  preste  muita  atenção, 


dificilmente  você  consegue  absorver  todos  os 
aspectos  do  filme  nessa  primeira  vez.  Isso  acontece 
porque  seu foco está no macro, na história como um 
todo.  Os  detalhes  que  o  diretor  coloca  ao  longo  da 
história  ficam  despercebidos  porque  tudo  é  muito 
novo  e  há  uma  quantidade  maior  de informação no 
filme  do  que você consegue absorver. O cérebro usa 

17
FLÁVIO DE FALCÃO 

esse  mecanismo  exatamente  para  conseguir  criar 


sentido  de  algo  tão  completo  como  um  filme,  com 
elementos  de  música,  figurino,  paisagens  e  a 
história em si. 

Assim,  se  você assistir ao filme novamente, você vai 


ver  cenas  que  nem  tinha  percebido  ou  fazer 
conexões  entre  as  cenas  do  começo  e  do  fim  e 
entender  a  história  com  muito  mais  profundidade 
porque  a  história  já  está  clara  para  você  e  você  não 
precisa se preocupar mais com isso. 

Depois  de  assistir  ao  filme  pela  primeira  vez,  você 


delimitou  a  história  e,  a  partir  de  agora,  você  pode 
se  preocupar  em  entender  as  nuances  e  detalhes  e 
realmente se aprofundar no filme. 

Mas  temos  que  combinar  que  assistir  a  um  filme 


duas  vezes  nem  sempre  é  agradável…  (ainda  mais 
se  for  um  daqueles  filmes  da  Sessão  da  Tarde). 
Assim,  para  absorver  melhor  a  história  já  na 
primeira  vez,  o  que  você  pode  fazer?  Assistir  ao 
trailer.  

Isso  mesmo,  você  vai  "assistir  ao  trailer"  dos 


estudos  antes  de  começar,  para  conseguir  saber  em 
linhas  gerais  o  que  vem  pela  frente  e  começar  a 
orientar  seu  cérebro  do  que  se  trata  seu  estudo 
antes mesmo dele começar. 

18 
CHEKLIST DO ESTUDO EFICIENTE 

Antes  de  começar  a  estudar,  o  primeiro  passo  será 


delimitar  na  sua  cabeça  exatamente  o  que  você  vai 
estudar,  entendendo  os  tópicos  que  a  disciplina  é 
dividida  e  qual  será  a  profundidade  que  você 
aprenderá.  

Para fazer isso você tem duas opções: 

1. Abrir  o  livro  no  índice  com  todos  os 


conteúdos  e  procurar  o  tema  que  será 
estudado.  Vamos  supor  que  seja  "Sistema 
circulatório".  Você  vai  ler  cada  um  dos 
tópicos  presentes  e  tentar  traçar  relações 
deles  com  o  que  você  já  sabe.  Mas  cuidado, 
você  não  precisa se aprofundar! É apenas um 
reconhecimento  e  não  deve  demorar mais de 
2-3  minutos  por  matéria.  Um  exemplo  está 
na figura 2. 

19
FLÁVIO DE FALCÃO 

Figura 2: Índice de um livro de biologia (Amabis & Martho) 


sobre o sistema circulatório 
 
2. Abrir  o  livro  no  capítulo  a  ser  estudado  e 
procurar  algum  tipo  de quiz ou ficha resumo 
no  final  do capítulo. A partir desse conteúdo, 
você  lê  as  perguntas  e  reflete  o  quanto 
saberia  responder  cada  uma  delas,  mas  sem 
nenhum  contato  com  o  livro  ainda.  Você 
pode  no  máximo  dar  uma  folheada  para  ver 
as  imagens  e  gráficos.  Esse  método  é  muito 
mais  eficaz  em  delimitar,  mas  é  mais 
demorado  (10-15  minutos  por  matéria).  Um 
exemplo está na figura 3. 

20 
CHEKLIST DO ESTUDO EFICIENTE 

 
Figura 3: Fichas resumo de um livro de biologia (Amabis & 
Martho) sobre o sistema circulatório. Mais detalhado que o 
sumário, mas muitas vezes desnecessário. 
 

Se  você  estudar  sem  cursinho,  este  passo  deve  ser 


feito  logo  antes  da  sessão  de  estudo,  como  um 
"aquecimento"  para  seu  cérebro  se  preparar  para  a 
disciplina.  

Se  você  faz  cursinho,  esse  passo  deve  ser  feito 


idealmente  no  dia  anterior  à  aula  ou  antes  da  aula 
começar  (nunca  durante,  preste  atenção  na  aula!). 
Isso  vai  facilitar  imensamente  o  desenvolvimento 
do  próximo  passo  e,  dependendo  do  caso,  até 

21
FLÁVIO DE FALCÃO 

torná-lo  completamente  desnecessário.  Eu, 


pessoalmente,  acho  mais  eficiente  estudar  no  dia 
anterior,  pois  o  cérebro  trabalhará  durante  a  noite 
no  tema  e  te  dará  uma  vantagem  quando  você  for 
aprender. 

Explicando  um  pouco  do  porque  fazer isso, o nosso 


cérebro  é  uma  máquina  extremamente  conectiva. 
Nós  aprendemos  quando  conectamos  informações 
com  conhecimentos  já  existentes  e  deixamos  a 
memória  de  curto  prazo  transferir  para  a  memória 
de longo prazo, como vimos anteriormente.  

Quando  delimitamos  para  o  cérebro  o  que  ele  vai 


aprender  e  mostramos  de  forma  superficial  os 
conteúdos,  ele  começa  a  inconscientemente 
trabalhar  em  entender  e  conectar  o  conteúdo  e 
procurar  nas  diferentes gavetas e arquivos o que ele 
sabe sobre aquilo, e somente aquilo, sem distrações.  

Assim,  logo  que  o  conhecimento  realmente  vier,  o 


cérebro  estará  organizado  e  preparado  para 
recebê-lo,  com  cada  gaveta  já  com  seu  devido 
espaço para armazenar a informação.  

Esta  é  talvez  ​uma  das  técnicas  de  menor 


investimento  de  tempo, mas mais importantes que 
um  estudante  pode  aprender. Tentar aprender algo 
que  não  se  sabe  antes  de  aprender  é  uma  das 
formas  mais  poderosas  de  incentivar  o  cérebro  a 
22 
CHEKLIST DO ESTUDO EFICIENTE 

trabalhar  duro  para  se  organizar  e  fazer  sentido  de 


tudo  aquilo.  Você  estará  arando  a  terra  para  que  as 
sementes  do  aprendizado  consigam  germinar  com 
sucesso.  O  ambiente  do  aprendizado  estará  pronto 
para o próximo passo.

23
FLÁVIO DE FALCÃO 

Passo #2: Familiarize-se


Crie as primeiras conexões com o conteúdo

Como  vimos  no  passo  anterior,  delimitar  e  olhar 


por  cima o conteúdo é uma das formas de aquecer o 
cérebro  e  deixá-lo  pronto  para  receber  o 
conhecimento. 

No  segundo  passo,  o  objetivo  é  ter  uma  sessão  de 


estudo  passiva.  Aqui,  não  importa  se  você  lerá  o 
livro  ou  assistirá  a  uma  aula.  O  que  importa  é  que 
você  seja  exposto  a  uma  sessão  introdutória  do 
conteúdo  a  ser  estudado  de  uma  forma  que  ainda 
não  haja  transformação  de  informação  em 
conhecimento.  

O  objetivo  desse  passo  é  que  você  comece  a 


preencher  as  lacunas  do  conhecimento  que  foi 
delimitado  no passo anterior. Você primeiro definiu 
que  iria  estudar  sistema  circulatório,  por  exemplo. 
Entendeu que há 4 tópicos, em que você verá: 

1. Os tipos de sistema circulatório 


2. O sistema circulatório humano 
3. O sistema linfático  
4. As doenças do sistema circulatório.  

24 
CHEKLIST DO ESTUDO EFICIENTE 

Entendeu  que  esses  tópicos  têm  seus 


desdobramentos.  E  agora,  irá  preencher  cada  uma 
dessas caixinhas de tópicos com pontos específicos. 

Logo,  se  você  está  lendo  um  livro  ou  assistindo  a 


uma  aula,  recomendo não fazer anotações ainda. Eu 
sei,  pode  parecer  estranho  falar  isso,  logo  eu  que 
tanto  defendo  o  estudo  ativo.  Mas  esse  passo  visa 
obter  familiaridade  com  os  conceitos  mais 
específicos  da  matéria  e  criar  pedaços  esparsos  de 
conhecimento.  

Pense  nesse  passo  como  montar  a  parte  interna  do 


quebra  cabeça.  Nessa  fase,  você  montará  alguns 
trechos  isolados,  que  ainda  não  tem  conexão  entre 
si,  mas,  nos  próximos  passos  começarão  a  se 
formar.  Serão  as  âncoras  do  aprendizado  que  serão 
usadas  como  referência  para  o  aprendizado 
completo. 

Algumas  maneiras  que  você  pode  otimizar  essa 


sessão  é  assistindo  a  aula  gravada  em  uma 
velocidade  um  pouco  superior  (no  máximo  1.5x. 
Mais  do  que  isso  o  entendimento  fica  muito  a 
desejar)  ou  grifar  trechos do livro de forma a ajudar 
no próximo passo. 

"Mas  eu  preciso  realmente  usar  meu  tempo 


precioso  estudando  de  forma  passiva?  Já  estudo  há 

25
FLÁVIO DE FALCÃO 

um  certo  tempo  e  tenho  familiaridade  com  a 


maioria das matérias". 

Ótima  pergunta.  Na  verdade,  o  primeiro  passo 


determinará se você precisa fazer o segundo ou não. 
Se  na  etapa  de  delimitação  você  perceber  que  já 
sabe  o  suficiente  de  cada  um  dos  tópicos  e  já  tem 
familiaridade  com  eles,  eu  recomendo  que  você 
pule esse passo.  

Eu  recomendo  passar  pela  etapa  2  apenas  se  você 


está  estudando  a  matéria  pela  primeira  vez,  se  não 
vê  o  conteúdo  há  muito  tempo  ou  se  aprendeu  de 
forma  muito  superficial  no  passado e não se lembra 
mais.  Aulas  e  leitura não são formas eficientes de se 
revisar  a  matéria,  como  veremos  no  decorrer  deste 
manual.  

Portanto,  se  você já acha que está familiarizado com 


a  disciplina,  pode  pular  diretamente  para  o 
próximo  passo.  Se  você  faz  cursinho  e  já  está  no 
segundo  ou  terceiro  ano,  recomendo  evitar  assistir 
as  aulas  das  matérias  e  conteúdos  que  você  já  tem 
familiaridade.  Isso  pode  ser  um  desperdício  de 
tempo,  que  poderia  ser  investido  em  um  estudo 
mais ativo. 

Maravilha!  Você, após esse passo, deve ser capaz de 
ter  uma  noção  básica  do  que  você  está  estudando  e 
discutir  a  organização  do  conteúdo,  mas  sem 
26 
CHEKLIST DO ESTUDO EFICIENTE 

profundidade.  E  é  exatamente  isso  que  estamos 


buscando.  Agora  vamos  para  o  terceiro  passo,  em 
que  você  realmente se aprofundará e guardará tudo 
na memória. Vamos lá. 

27
FLÁVIO DE FALCÃO 

Passo #3: Aprofunde-se


Crie as memórias de longo prazo

Você  já  delimitou  o  conteúdo  a  ser  estudado.  Você 


já  está  familiarizado  com  ele.  Agora  você  irá  se 
aprofundar.  Essa  etapa é a mais importante, em que 
ocorre  o  estudo  ativo  mais  intenso.  Será  nessa  fase 
que  se  iniciará  a  transferência  das  memórias  de 
curto  prazo  para  o  longo  prazo.  E,  para  isso 
acontecer,  usaremos  a  técnica  mais  eficiente  de 
estudo, chamada Lembrança Ativa.  

Essa  técnica,  segundo  alguns  estudos,  é  conhecida 


por  menos  de  10%  dos  estudantes  que  estão 
prestando  vestibular.  Acho  isso  uma  pena,  porque 
diversos  estudos  mostram  que é a técnica de estudo 
mais eficiente existente.  

Por  mais  que  ela  tenha  lógica,  por  intuição  poucas 


pessoas  estudam  dessa  forma  e  eu  acho  uma  pena 
porque  ela  gruda  na  tua  memória  as  coisas  como 
chiclete! 

A  lembrança  ativa  é  uma  técnica  que  consiste  em 


inverter  o  fluxo  de  informação  normal  de  uma 
sessão  de  estudo  passiva.  Ao  invés  de  absorver  o 
conteúdo  externo  para  dentro  do  seu  cérebro,  você 
28 
CHEKLIST DO ESTUDO EFICIENTE 

trará  o  conhecimento  estruturado  do  seu  cérebro 


para  fora,  na  forma  de  um  resumo  ou  recitando em 
voz  alta.  Assim,  você  trabalha  ativamente  em 
relembrar  os  conceitos  sem  precisar  consultar  uma 
referência, usando e reforçando a sua memória.  

Em resumo, na prática seria assim: 

1. Você  lê  uma  passagem  do  texto, 


normalmente  um  a  três  parágrafos,  até  ter 
um  conceito completo formado. Um exemplo 
segue abaixo. 

Figura 4: Componentes dos sistemas circulatórios, do livro de 


biologia Amabis & Martho. Perceba que a informação ainda 
não está completamente estruturada e será seu papel 
transformar isso em conhecimento 

29
FLÁVIO DE FALCÃO 

2. Depois  disso,  você  recita  da  forma  mais 


completa  que  conseguir  lembrar  o  que 
acabou  de  ler.  Tente  por  pelo  menos  umas  2 
ou  3  vezes  e,  se não conseguir, leia de novo e 
faça  o  processo  mais  uma  vez.  No  caso 
acima,  você  deveria  estruturar  a  informação 
com algo próximo a:  

"Quando falamos do sistema circulatório de animais


vertebrados, temos 3 partes -> Sangue (fluido), Vasos
(tubos por onde passa o sangue e alimenta o corpo) ->
Coração (bomba que propulsiona fluido pelos tubos)"

3. Depois  de  fazer  isso,  transforme  esse 


conceito  que  você  recitou  em  um  flash  card 
ou  em  forma  de  resumo  estruturado,  mas 
sem  olhar  para  o  livro.  Tente  estruturar  em 
tópicos,  enumeração,  perguntas e/ou colocar 
as  palavras  chave.  Evitar  copiar  trechos 
completos. 
4. Com  o  tempo,  você  pode  pular  a  etapa  de 
recitar  e fazer diretamente os flash cards ou o 
resumo estruturado em forma de pergunta. É 
menos  demorado,  mas  é  menos  eficiente, 
porque  você  só  faz  a  ativação  do 
conhecimento uma vez e não duas. Exemplo: 

30 
CHEKLIST DO ESTUDO EFICIENTE 

"Quais são as três partes componentes do sistema


circulatório dos vertebrados e o relacionamento entre
elas?"

5. N​o  caso  de  figuras  com  nomes,  como  em 


biologia  e  geografia,  é  interessante  fazer  o 
mesmo  processo,  mas  ao  invés  de  resumo, 
fazer  um  desenho  esquemático  e  preencher 
sem  olhar  o  livro  com  os  nomes  e  conceitos 
relevantes. 

Esse  método  tem como objetivo compartimentalizar 


o  conhecimento  na  sua  memória  de  longo  prazo, 
depois  dela  ter  sido  organizada  pelos  passos 
anteriores.  Aqui,  você  está  criando  os  grandes 
trechos  do  quebra  cabeça,  usando  como  base  os 
trechos  espaçados  e  não  conectados  do  passo  2 
como ponto de partida. 

Se  bem  feito  e  se  você  usar um livro completo, você 


idealmente  já  saberá  de  70-80%  do  conteúdo  nessa 
etapa.  É  normal  que  não  seja  100%  porque  sempre 
existirá  lacunas.  Para  se  aproximar  mais  de  saber 
100%, vamos para o passo 4, que é se testar. 

31
FLÁVIO DE FALCÃO 

Passo #4: Teste


Descubra o que você ainda não sabe

Vamos  recapitular.  Você  delimitou o conhecimento, 


se  familiarizou  com  os  tópicos  e  se  aprofundou  no 
conteúdo,  na  forma  de  lembrança  ativa  associada  a 
flashcards  e  resumo.  Agora,  você  vai  provar  que 
realmente sabe o que aprendeu. 

Essa  etapa  é  uma  que  muitos estudantes têm medo. 


Fazer  exercícios  de  vestibular  pode  ser  assustador 
porque  sempre  há  a  possibilidade  de  errar.  Mas 
posso  te  afirmar  que  errar  é  a  melhor  coisa  que 
pode  acontecer  nessa  fase.  Esse  momento  é  um 
diagnóstico  da  qualidade  de  execução  do  passo  3, 
deixando  claro  quais  pontos  foram bem aprendidos 
e  quais  não  foram.  Os  exercícios  apontam  uma 
lanterna  para  o  teu  conhecimento,  mostrando 
exatamente  os  pontos  que  você  precisa  aprender  e 
se desenvolver. 

Você  deve  temer  errar  apenas  na  prova.  Nos 


estudos, o erro é muito positivo! 

Lembra  que  eu  te  falei  que  no  passo  3  você 


consegue  aprender  de 70-80% idealmente? A ideia é 

32 
CHEKLIST DO ESTUDO EFICIENTE 

que  a  quantia  restante  seja  preenchida  pelos 


exercícios. 

Há  3  possibilidades  de  resultado  quando  você  for 


resolver uma questão: 

1. Você  sabe  completamente  a  questão  e  acerta 


ela.  Essa  questão  servirá  para  consolidar 
novamente  o  tema  na  sua  memória, 
reforçando os pontos principais. 
2. Você  sabe  a  questão  parcialmente  e  pode 
tanto  acertar  ou  errar.  Essa  é  uma  questão 
perigosa  se  for  teste.  Tome  cuidado para que 
você  não  chute  a  questão,  acerte  e  ache  que 
sabe  o  conteúdo.  Seja  honesto  de  admitir 
caso você não saiba alguns pontos da matéria 
e  revise  os  tópicos  específicos  por  meio  do 
seu resumo ou da resolução da questão. 
3. Você  não  sabe  nada  da  questão  e  vai  errar. 
Isso  é  super  normal.  Nesse  caso,  garanta que 
você  entenda exatamente o tópico da questão 
antes  de  passar  para  um  próximo  tópico.  É 
importante  complementar  seu  resumo  ou 
flash cards com esse conceito. 

33
FLÁVIO DE FALCÃO 

Figura 5: Exemplo de questão de vestibular. O ideal é mesclar 


questões dissertativas e teste (múltipla escolha) para treinar 
aspectos distintos do aprendizado. 
 
Um  ponto  importante  é  que  idealmente  você  deve 
fazer  a  lista  de  exercícios  inteira  antes  de  corrigi-la. 
Ter  feedback  instantâneo,  questão  a  questão,  ou 
nem  tentar  resolver  e  já  olhar  a  resposta,  tornará 
esse  passo  praticamente  inútil  como  diagnóstico 
dos seus pontos fracos. 

E  quantos  exercícios  você  deve  fazer?  Eu 


recomendo  no  mínimo  10 exercícios, misto de testes 
múltipla  escolha  e  dissertativos,  de  cada  conteúdo. 
Porém,  idealmente,  quanto  mais  exercícios  você 
conseguir  fazer,  mais  chance  de  cobrir  todos  os 

34 
CHEKLIST DO ESTUDO EFICIENTE 

conteúdos  e  conseguir  sair  dessa  sessão  saindo  de 


90-95%  da  matéria.  Não recomendo mais do que 30, 
porque os exercícios se tornam redundantes e muito 
parecidos  e  o  ganho  marginal  se  torna  uma  perda 
de tempo. 

Agora  que  você  já  praticou  e  corrigiu  os  exercícios, 


chegamos  a  última  parte  da  sessão  de  estudo.  Você 
pode  descansar  um  pouco  por  agora,  mas  não 
queremos  que  o  nível  de  conhecimento  que  você 
tem  hoje  vá  embora.  Por  isso,  precisamos  entender 
como revisar. 

35
FLÁVIO DE FALCÃO 

Passo #5: Revise


Nunca mais se esqueça

Por  mais  eficiente  que  seja  seu  estudo,  nosso 


cérebro  acaba  esquecendo  parte  do  que  foi 
aprendido  com  o  tempo.  Estudos  científicos 
mostram  claramente  que  ao  longo  do  tempo  nos 
esquecemos  das  coisas e a única forma de conseguir 
evitar isso é usando a revisão periódica.  

Nesse  caso, a revisão será muito simples, como uma 
continuação  do  método  visto  até  aqui.  Se  você  fez 
os  resumos  e  flash  cards  como  recomendado,  você 
tem  o  material  completo  necessário  para  revisar  e 
nunca mais esquecer o conteúdo aprendido. 

O que você fará é o seguinte:  

1. Cada  conteúdo  estudado  será  separado  em 


um  fichário  ou  caixa  para  que  você  possa  se 
organizar.  Eu  recomendo  para  os  resumos 
um  fichário  e  para  os  flash  cards  uma 
caixinha. 
2. Todo  tópico  revisado  vai  para  o  fundo  da 
pilha de flash cards ou do fichário. 

36 
CHEKLIST DO ESTUDO EFICIENTE 

3. O  que  estiver  mais  em  cima  foi  revisado  há 


mais  tempo  ou  nunca  revisto.  Assim, deixe 1 
ou  2 horas do seu fim de semana para revisar 
alguns  tópicos  usando  o  material  que  você 
criou  por  Lembrança  Ativa.  Eu  recomendo  a 
revisão  de  3  a  4  conteúdos  por  sessão,  de 
preferência de matérias diferentes. 
4. Se  você  quiser  ser  mais  avançado  na revisão, 
faça  a  etapa  de  testar-se  de  novo,  mas  com 
apenas  5-10  exercícios  na  forma  de  teste  e 
inéditos.  Será  apenas uma breve revisão para 
puxar  de  novo  o  conhecimento  da  sua 
cabeça.  Se  errar  os  exercícios,  faça  a  revisão 
da mesma maneira que no passo 4. 
5. No  fim  da  sessão,  coloque  a  folha  ou  papel 
no fundo e é isso! 

Viu  só?  Muito  fácil.  Você  gastará  idealmente  de  1  a 


2  horas  por  semanas  revisando  os  conteúdos,  de 
forma  a  conseguir  manter  um ritmo bacana e nunca 
mais se esquecer! 

Quando  o  vestibular  se  aproximar,  você  pode 


revisar  cada  vez mais usando simulados e menos os 
flash  cards  e  resumo,  mas  isso  é  tópico  para  outro 
manual... 

37
FLÁVIO DE FALCÃO 

Conclusão
Ponha tudo isso na prática

Primeiramente,  te  dou  os  parabéns  por  ter  lido  até 


aqui.  Isso  mostra  comprometimento  com  aprender 
como  estudar.  Ter  chegado  até  aqui  já  é  uma  parte 
do caminho para ser um estudante melhor. 

Porém,  eu  tenho  que  te  contar  uma  coisa.  Ler  esse 
manual  não  vai  te  tornar  magicamente  um  bom 
estudante.  Tudo  isso  que  te  mostrei  aqui  é  como  se 
fosse  um  mapa  de  como  sair  de  São  Paulo  e  chegar 
ao  Rio  de  Janeiro.  Mas  quem  vai  realmente  dirigir 
por todo esse caminho é você. 

O  que  você  deve  fazer agora é começar a aplicar, na 


sua  próxima  sessão  de  estudos,  tudo  que  ensinei 
aqui.  São  técnicas  comprovadas  cientificamente  e 
que eu usei durante toda a minha preparação para o 
vestibular. 

Se  você  sentir  vontade  de mudar ou fazer diferente, 


peço  que  espere  um  pouco.  No  começo,  toda 
mudança  pode  ser  desconfortável,  mas  tente  por 
38 
CHEKLIST DO ESTUDO EFICIENTE 

pelo  menos  30  dias  estudar  dessa  forma  proposta 


para  só  então  pensar  em  outras  formas  ou 
alterações.  Esse  é  um  método  que  funciona  e  tentar 
fazer  diferente,  pulando  passos  ou  trocando  as 
coisas  de  ordem,  pode  fazer  tudo  ir  por  água 
abaixo.  Aprenda  o  método  na  prática  de  forma 
sólida  e,  só  depois  que  você  tiver  mais  experiência, 
ajuste alguns pontos de acordo com sua realidade. 

Eu  estarei sempre aqui, na forma deste treinamento, 
como  uma  consulta  para  que  você  possa  tirar 
dúvidas  e  relembrar  os  tópicos  aqui  presentes.  Da 
mesma  forma  que  você  precisa  usar  lembrança 
ativa  para  aprender  qualquer  conteúdo  para  o 
vestibular,  este  manual  não  é  uma  exceção.  Talvez 
essa  primeira  leitura  tenha  sido  um  pouco  de 
"estudo  passivo"  e  agora  você  precise  realmente  se 
aprofundar  nos  conceitos  e  testar  na  prática se você 
entendeu os 5 passos do estudo eficiente. 

Para  facilitar  a  sua  vida,  eu  deixei  disponível  no 


próximo  capítulo  um  checklist  do  estudo  eficiente. 
Nele,  você  terá  a  possibilidade  de,  para  cada tópico 
que  você  estudar  a  partir  de  hoje,  marcar  os  passos 
que  você  já completou e os que faltam ainda para se 
ter uma sessão de estudo de sucesso. 

Lembre-se.  O  estudo  eficiente  contém  5  fases,  cada 


uma  delas  essencial  para  construir  de  forma 

39
FLÁVIO DE FALCÃO 

estruturada  e  duradoura  o  conhecimento  no  seu 


cérebro: 

● Delimitação 
● Familiaridade 
● Aprofundamento 
● Teste 
● Revisão 

Eu  posso te garantir que se você aplicar esse passo a 
passo  nos  seus  estudos,  aquele  problema  que  você 
achava  que  tinha  de  memória  curta  vai  sumir…  É 
capaz  de  você  começar  a  ser  conhecido  como 
alguém que tem super boa memória.  

Se  você  gostou  deste  conteúdo,  peço em retribuição 


que você poste uma foto lendo o livro no Instagram, 
me  marcando  (@flaviodfalcao).  Assim,  eu  posso 
conhecer melhor quem está lendo esse ebook :) 

Um abraço e bons estudos. 

Flávio 

Para  mais  informações  sobre  minha  metodologia 


sobre  o  ENEM,  FUVEST  e  outros  vestibulares, 
visite: 
https://linktr.ee/flaviodefalcao 

40 
CHEKLIST DO ESTUDO EFICIENTE 

Apêndice: O checklist
Nunca mais se esqueça
 
❏ Passo #1: Delimite 
❏ Eu  li  o  índice  do  tópico  que  irei 
estudar. 
❏ Eu  conectei  os  tópicos que irei estudar 
com conhecimento que já tinha. 
❏ Eu  li  as  fichas  resumo  ou  o  quiz  do 
livro  e  entendi  o  que o capítulo irá me 
ensinar. 
❏ Passo #2: Familiarize-se 
❏ Eu  assisti  a uma aula ou li o tópico em 
um  livro  de  forma  rápida,  sem  fazer 
anotações. 
❏ Eu  conseguir  atingir  de  forma  geral 
conhecimento  nesse  tópico  e  poderia 
dizer  que  tenho  um  conhecimento 
básico. 
❏ Passo #3: Aprofunde-se 
❏ Eu  usei  a  técnica  de  Lembrança  Ativa 
no meu estudo 
❏ Eu  fiz  um  resumo  e/ou  flash  cards 
sem consultar diretamente o livro. 
❏ Eu  entendi  o  tópico  de  forma 
intermediária  e  sinto  que  sei  70-80% 
do que foi ensinado. 

41
FLÁVIO DE FALCÃO 

❏ Passo #4: Teste 


❏ Eu  fiz  de  10  a  30  questões,  de  um 
misto  de  testes  e  dissertativas,  sobre o 
conteúdo. 
❏ Eu  corrigi  todos  os  exercícios  e 
entendi  exatamente  o  motivo  do  meu 
erro nas questões que não acertei. 
❏ Eu  preenchi  meu  resumo  e flash cards 
com  os  conteúdos  que  não  havia 
aprendido adequadamente. 
❏ Passo #5: Revise 
❏ Eu  revisei  o  tópico  após  cerca  de  um 
mês depois do aprendizado. 
❏ Eu  fiz  de  5-10  exercícios  para 
consolidar o conteúdo. 

42