Você está na página 1de 113

ADRIANA DE ARAÚJO

TREINAMENTO PRÁTICO DE MEMORIZAÇÃO
TREINAMENTO
PRÁTICO DE
MEMORIZAÇÃO

SÃO PAULO

2008

© 2008 by Digerati Books Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei 9.610 de 19/02/1998. Nenhuma parte deste livro, sem autorização prévia por escrito da editora, poderá ser reproduzida ou transmitida sejam quais forem os meios emprega- dos: eletrônicos, mecânicos, fotográficos, gravação ou quaisquer outros.

Diretor Editorial

Luis Matos

Editor

Tadeu Carmona

Assistência Editorial Aracelli de Lima Carolina Evangelista Renata Miyagusku

Projeto Gráfico

Fabiana Pedrozo

Preparação dos Originais Fernanda Batista dos Santos

Revisão

Marília Ferro

Diagramação

Fabiana Pedrozo

Stephanie Lin

Capa

Daniel Brito

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) (Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil)

A663t

Araújo, Adriana de.

Treinamento Prático de Memorização / Adriana de Araújo. – São Paulo : Digerati Bookss, 2008. 112 p.

ISBN 978-85-7873-034-5

1. Memorização. 2. Leitura dinâmica. I. Título.

CDD 418.43

Universo dos Livros Editora Ltda. Rua Tito, 1.609 CEP 05051-001 • São Paulo/SP Telefone: (11) 3648-9090 • Fax: (11) 3648-9083 www.universodoslivros.com.br e-mail: editor@universodoslivros.com.br

Conselho Administrativo: Alessandro Gerardi, Alessio Fon Melozo, Luis Afonso G. Neira, Luis Matos e William Nakamura.

Dedico esse livro a você que lê e aprende ao refletir sobre diferentes idéias e se torna melhor naquilo que investiu seu tempo. Viver a vida é um treinamen- to eterno, um aperfeiçoamento constante repleto de memórias, aprendizados, fantasias e humor.

AGRADECIMENTO

Minha eterna gratidão aos meus atuais e também aos meus ex-clientes. Através de muitos processos, cada um único e especial, muitos aprendizados acontecem. Um abraço especial para: Roseli de Oliveira, José Roberto Leite, Carla Rezzutti, Juliano Ribeiro, Myrian Lund, Leonardo Costa, Alessanda Pascon, pessoas queridas que desempenham com total profissionalismo seu trabalho e com isso tem me ajudado e muito. Um beijo no coração da Mônica Lenz, Daniela Anghebem, Eunice de Oli-

veira e às três Marias: Maria Fernanda Domiciano, Maria de Lourdes Valluis, Maria Solange Galvão que sabem quanto é grande meu amor por elas. Com carinho, um especial agradecimento a todos da minha família (Araújo, Aguillar, Pimenta, França, Canoas, Bento, Guimarães, Teixeira, Macri etc.), amigos e conhecidos que contribuem efetivamente para que eu seja quem sou. Em especial:

• Pai – Vicente (falecido): “revisor oficial” das minhas redações da escola.

• Mãe – Ana Maria: “parceria” de buraco nas horas de lazer.

• Madrinha – Sinila: “contadora oficial” de histórias para dormir.

• Vó – Eunice: “rainha” dos mimos alimentícios.

Todos, de uma forma muito querida, estão por perto, nesse momento. Com total merecimento de minha atenção e com imenso carinho agradeço ao meu marido Fábio T. Macri por ter me ajudado a realizar vários sonhos e a tornar mais um desejo possível: a confecção desse livro.

SUMÁRIO

CAPÍTULO 1 – Como sua mente funciona?

9

Memória

10

CAPÍTULO 2 – O que é PNL, hipnose ericksoniana e coaching de vida?

19

O

que é Programação Neurolíngüística (PNL)

20

Hipnose ericksoniana

21

O

que é coaching de vida?

24

CAPÍTULO 3 – Cada um aprende de uma maneira diferente

27

Auditivo

29

Visual

30

Sinestésico

32

CAPÍTULO 4 – Dicas do que ajuda no bom aprendizado

39

O

que fazer se der um branco?

44

CAPÍTULO 5 – Exercícios para melhorar a

concentração, memória e leitura dinâmica

47

O

que é Hipnose?

50

CAPÍTULO 6 – Histórias e Metáforas

103

Mestre e Discípulo

104

“Qual será o real sentido da vida?”

104

CAPÍTULO 7 – Cientificamente falando

107

PREFÁCIO

Há vários anos me dedico ao estudo do cérebro e da mente no intuito de compreender fenômenos e mecanismos envolvidos no processo de formação da memória assim como da capacidade de raciocínio do ser humano. Tratando-se

de um livro que tem o objetivo de dar conhecimento e orientar o leitor a desen- volver sua capacidade mental, me traz uma satisfação ter recebido o convite de fazer este prefácio, incrementando ainda mais meu fascínio pelo tema. Conheci a Adriana no Hospital das Clínicas de São Paulo quando freqüen- távamos a triagem da clínica de dor, onde o principal aprendizado consistia no método de comunicação empregado no primeiro contato do médico daquele hospital com aqueles doentes desesperados por um alívio da sua dor. Desde então, passei a ter contato com ela, sempre muito dedicada, tendo muito co- nhecimento e experiência nas mais variadas formas de comunicação, incluindo

a mais contundente delas: a hipnose. Assim como eu, ela também foi fisgada

pelo fascínio da neurociência, estando sempre infiltrada entre grandes perso- nalidades da área; tenho certeza que a capacidade de comunicação unida à

paixão pela neurociência fazem dela a pessoa ideal para desenvolver este tema para um público que deseja ingressar no aprendizado do autoconhecimento e desenvolvimento mental. Neste livro o leitor terá a oportunidade de conhecer um pouco do funcio- namento do cérebro e como nele são processadas as informações. Também co- nhecerá técnicas utilizadas para melhorar seu rendimento quanto à velocidade

e memorização da leitura. Com estes dois ingredientes, cada um terá condição

de explorar seus limites e estarão preparados para buscar níveis cada vez mais

avançados de desempenho mental. Tenho certeza que aqueles que se empenharem na leitura e treinamento das técnicas aqui expostas terá dado um grande passo em direção ao autoconheci- mento e estará a caminho da capacidade de explorar o máximo do seu próprio potencial.

Dr. Fábio T. Macri Médico Neurocirurgião (HPS Jundiaí e Hospital Santa Marcelina Itaqua- quecetuba) Membro titular da Sociedade Brasileira de Neurocirurgia Especialista em Neurocirurgia Funcional e Dor

SAUDADE DO QUE AINDA NÃO SE VIVEU

“Se eu conhecesse sempre claramente

o que é verdadeiro

e o que é bom

nunca estaria em dificuldade de escolher

o que deveria fazer.”

René Descartes (1596-1650) filósofo, físico e matemático francês.

Observe as escolhas que você faz. São conseqüências dos aprendizados ad- quiridos pelas experiências vividas. Mas a vida é feita do que somos ou do que poderemos vir a ser? E o nosso futuro depende do que vivemos no presente ou no passado? Toda vivência marcante se mistura no ontem, no hoje e altera nossos sonhos e desejos do amanhã. Que cada um desenvolva a competência necessária para se fazer bom uso do que aprendeu e com isso, possa fazer novas e melhores escolhas na vida, livre, em paz e efetivamente feliz.

CAPÍTULO 1

COMO SUA MENTE FUNCIONA?

“Seu bem mais valioso em aprendizagem é uma atitude positiva.” Bobbi DePorter é presidente do Quantum Learning Network (QNL).

Treinamento Prático de Memorização

Qualquer novo aprendizado é melhor que se divida em etapas. Isso certa-

mente há de ajudar na compreensão. Para ler mais rápido e com qualidade de memorização é necessário:

1. Compreender um pouco o funcionamento da mente.

2. Compreender as formas de percepção dos estímulos e informações.

3. Observar o movimento dos olhos e novas maneiras.

4. Ter o conhecimento de novas técnicas para o alcance de resultado.

Para que se possa aprender e memorizar as informações a fim de que sejam facilmente lembradas quando for preciso, é necessário atenção, concentração, disciplina e tempo.

MEMÓRIA

É a capacidade da mente de guardar, reter, armazenar e recuperar as in- formações disponíveis. Isso nos permite manipular e compreender o mundo. É necessário ter tido contato com a informação previamente, seja de forma consciente ou inconsciente, para poder acessá-la depois. Nossa memória tem capacidade para realizar muitas operações. Por meio das informações guarda- das na mente é possível gerar novas idéias que podem ajudar nas tomadas de decisões diárias e futuras. Ter boa memória é um bom começo para se ter conhecimento. Mas para saber usar aquilo que se sabe não basta lembrar o que aprendeu, é preciso estra- tégia, experiência, prática, agilidade etc. Nossas ações e pensamentos do pre- sente são, de certa maneira, fruto de aprendizagens, ou seja, são provenientes da memória do que fizemos, das lembranças vividas (e também das sonhadas), que ficaram registradas na nossa mente. Isso nos permite identificar e classi- ficar cheiros, imagens, sons, gostos e sensações. Com isso, somos capazes de armazenar e utilizar informações que adquirimos ao longo de nossas vidas em diferentes momentos. Este método envolve codificação, retenção e recuperação da informação. Para isso é necessário considerarmos o momento presente e as experiências individuais que ajudam na organização desse processo. Importan- te lembrar que a memória tem suas limitações. É possível armazenar muitas coisas na mente, mas nem sempre estarão disponíveis para uso imediato (o nosso consciente). Um dos primeiros aprendizados que conquistamos na infância é a leitura e a escrita. Lembrar-se de quando aprendemos a ler e escrever retoma esse princí-

Como sua mente funciona?

pio que escrevi anteriormente. Sabemos hoje ler e escrever, pois memorizamos

o procedimento por termos treinado o mecanismo e, portanto, somos capazes

de reproduzi-lo. Por meio de alguns exercícios desse livro você poderá “reapren- der” a ler de forma mais rápida. Um dos métodos mais conhecidos de memorização é ler e reler várias vezes um texto para poder lembrar-se dele depois. De fato, é muito útil, mas nem sempre funciona, pois às vezes, mesmo tendo repetido a leitura, ainda sim, “dá branco”, por isso, essa não pode ser a única forma de memorizar algo importante.

Tipos de memória

Não há um consenso absoluto entre os estudiosos sobre esse tema, por isso, escolhemos a maneira que segue para descrevê-los, embora seja totalmente pos- sível encontrar em outros livros, artigos e pesquisas outras formas de divisão da memória:

“Se deseja atingir o ponto mais alto, comece pelo mais baixo.” Ciro (424-401 a.C), imperador persa.

Memória declarativa – sensorial-motora

Ocorre quando somos capazes de gravar algo e reproduzir posteriormente, pois ficou armazenado na mente. É a habilidade de codificação, retenção e re-

cuperação daquilo que foi vivido. Pode ser trazido à mente de forma verbal, por meio de imagens, sons e sensações. Isso inclui a percepção da realidade pelos cinco sentidos que são responsáveis pelo processamento inicial da informação

e de sua decodificação.

Memória de procedimento

É ter a aptidão para armazenar e processar as informações que, de certa maneira, não podem ser verbalizadas, mas podem ser demonstradas por meio de ações, como tocar um instrumento, andar de bicicleta, dirigir um carro etc. Tende a ser uma memória mais estável e com maior facilidade de retenção, sen-

Treinamento Prático de Memorização

do mais difícil de se perder e esquecer. Possivelmente, vem daí o dito popular:

“É como aprender a andar de bicicleta, a gente nunca esquece.” Não existe um único lugar no cérebro para armazenar as memórias vividas. Existem diferentes estruturas cerebrais que estão ligadas a aquisição, armaze- namento e resgate das diversas informações adquiridas por meio do processo de aprendizagem (seja por repetição ou associação). Dentro disso haverá:

Memória imediata

Ocorre quando se consegue reter algo por frações de segundos. A memória imediata tem capacidade limitada, são poucos os itens que se consegue arma-

zenar e é fácil de esquecer. Por exemplo, quando estamos ao telefone tomando nota de um recado para outra pessoa e alguém nos diz um número de telefone

e repetimos para verificar se anotamos corretamente. Isso tende a durar pouco

tempo e logo depois não somos capazes de verbalizar o número. Isso é perfei- tamente normal, principalmente, por não ter despertado nenhuma associação mental, foi um fato único, isolado, quase que sem significado.

Memória de curto prazo

Ocorre quando se consegue reter algo por um tempo um pouco maior do que a memória imediata e chega a durar por algumas horas. Para que isso ocorra, é preciso ter sido codificada anteriormente pelos processos de reconhe- cimento de padrão da memória. Isso normalmente acontece por haver associa- ções envolvidas ao fato memorizado. Por exemplo, isso acontece quando você se lembra do que comeu ontem ou com quem falou no dia anterior ou horas antes. Normalmente, essas coisas estão mais acessíveis na mente, por terem algum tipo de associação envolvida mesmo que sejam coisas inconscientes. No exemplo da refeição, se tiver sido simples ou comum, talvez não fixe por um tempo grande na mente, mas se a comida foi exótica, ou mesmo num lugar novo, é possível até mesmo que fique na mente, na memória de longo prazo (explicação virá logo a seguir) e também o que aconteceu durante esse mo- mento pode fazer toda a diferença para a fixação dos fatos. No exemplo das pessoas que você falou um dia anterior ou horas atrás, o assunto que foi dito

e o tipo de emoção despertada no momento por conseqüência dessa conversa

ou mesmo do que essa pessoa representa para você, ajudam a gravar na mente esse momento.

Como sua mente funciona?

Memória de longo prazo

Ocorre quando se consegue lembrar de algo que aconteceu à meses ou anos atrás. Para isso é preciso que se tenha percorrido a memória imediata e a de curto prazo, pois só é possível armazenar as informações que percorreram esse caminho. O tempo de duração é ilimitado e sua capacidade de armazenamento também, podendo ficar guardada uma lembrança (aparentemente esquecida, dentro do inconsciente) por anos e anos até que seja necessário o resgate para o consciente e seu devido uso. Por exemplo, uma conversa com alguém especial, falar uma nova língua, a letra de uma música antiga etc. No caso da conversa, por envolver uma emoção, é mais fácil gravar e reter na mente o conteúdo, isso pode ocorrer inconscientemente, sem o desejo de memorizar e guardar o fato ocorrido. Uma nova língua, assim como a letra de uma música, fica na mente por muito tempo, por ter sido estudada e repetida várias vezes. A repetição é um excelente método para memorização, mas não é o único. Quanto mais estímulos significativos estiverem presentes no momento, maior a cadeia de associações que o cérebro faz e isso dá vários caminhos de acesso ao fato. Para compreender melhor, imagine um arquivo com várias pastas dentro dele. E para que você encontre a informação necessária seria preciso olhar ar- quivo por arquivo. Às vezes, é assim que a memória funciona. Para chegar até o lugar que se quer é preciso percorrer algumas associações mentais. E esses ca- minhos acabam sendo formados por repetições e associações mentais que vão variar de pessoa para pessoa, momento e aprendizados anteriores. Boa parte do que pensamos é fruto de nossas sensações lembradas e criadas.

“O impossível é questão de tempo.” Alberto Saltiel

Ernest Rossi foi aluno de Milton Erickson (que desenvolveu a hipnose erickso- niana por meio do aperfeiçoamento de novas e melhores formas de comunicação,

tratamento e cura de questões emocionais (ver Capítulo 3). Rossi fala sobre nossa capacidade de aprendizado e percepção das coisas. Ele cita o S M D L:

• S: State (estado emocional no presente).

• M: Memory (memória, capacidade de se lembrar de situações vividas).

• D: Depend (depende, terá influência).

• L: Learning (aprendizado, capacidade de apreender uma nova informação).

Treinamento Prático de Memorização

A pessoa terá sua capacidade de aprendizado e de compreensão momentâ-

nea influenciada pelo estado emocional presente, ou seja, estando bem, será

capaz de “enxergar” o mundo por meio de “lentes coloridas e alegres”, podendo registrar desse momento boas informações futuras, e isso tudo também terá influência sobre a memória. Por isso, quando não se está bem, tem-se até difi- culdade de lembrar-se de momentos bons. Isso faz parte das associações que a mente é capaz de fazer, pois é diretamente ligada ao humor momentâneo. Só querer resgatar algo guardado na memória não é tão simples, é preciso estar num estado adequado para isso. Assim como as aprendizagens anteriores, ou seja, vivências passadas, tam- bém influenciam no humor presente e, como se explicou anteriormente. Ex- periências passadas têm grande importância na maneira como entendemos as coisas a nossa volta. Algumas pessoas preferem estudar na última hora, pois tem a impressão de que memorizam mais facilmente para a “prova do dia seguinte”. De fato, isso pode acontecer. Mas é mais difícil guardar o conteúdo do que foi estudado por mais tempo além do que “o dia seguinte”. Dessa forma, a pessoa usa a memória de curto prazo. E nesse caso, não há espaço para muitas informações e também é possível registrar um número restrito de dados.

É importante lembrar que ter boa memória não significa a ausência de lap-

sos, esquecimentos, falhas e confusões. Esquecer algumas coisas no dia-a-dia é normal, mas a ansiedade que isso provoca pode atrapalhar e de fato se tornar um problema. Essas preocupações são as piores, pois a ansiedade pode se tornar res- ponsável pelo aumento de estresse. Pequenos esquecimentos não indicam qual- quer doença grave. Por meio de exercícios específicos você pode reduzir isso.

Atenção e concentração

É um estado de focalização consciente e específica da mente em determina-

do aspecto. Portanto, a atenção é um processo cognitivo no qual a mente é ca- paz de focalizar e selecionar os estímulos se concentrando neles ao estabelecer suas relações. Prestar atenção é estar concentrado, direcionado, absorto ao que se está fazendo. Para melhorar sua capacidade de atenção é necessário conhecer os limites da mente humana.

Ernest Rossi fala sobre o conceito de ciclos ultradianos. Nossa atenção não é constante muito menos linear. Segundo a teoria de Rossi, conseguimos prestar atenção diretamente em algo no tempo de mais ou menos 90 minutos. Depois disso, nossa atenção desvia “automaticamente” (isso ocorre de maneira incons-

Como sua mente funciona?

ciente) como se fossemos buscar e recarregar as energias para depois poder vol- tar atenção com a mesma qualidade de antes. A partir disso, Rossi, sugere que façamos esse movimento de forma consciente, seja no trabalho, nos estudos, em momentos que exigimos muito de nossa atenção. A idéia é controlar o tempo do que se faz, ou seja, de 90 em 90 minutos deve- se fazer uma pequena pausa, em torno de 10 minutos, para que possamos ter um aproveitamento melhor de nossa capacidade de atenção e concentração e de tudo que estivermos assimilando naquele momento. Se a pessoa não faz essa pausa de caso pensado, a mente o faz, mas de forma desordenada, como se fosse um “pe- dido de socorro” para manter a qualidade do que se estava fazendo. Exceder esse tempo leva a desgaste, cansaço e desorganização. E mais: sem esse descanso a mente não é capaz de armazenar com qualidade o que estava re- cebendo de informação. É como se alimentar e não dar tempo para que o orga- nismo possa digerir o que recebeu. Isso influenciará diretamente na memória. Ultrapassar o tempo seguido de estudo pode significar “perder o tempo” e às vezes ter de refazê-lo, pois pode ser que a mente não dê conta de guardar o que você estava fazendo. É preciso estudar com a qualidade necessária para poder usar isso tudo depois. A mente tem um ritmo, se não respeitá-lo, pagamos um preço pela falta de zelo e cuidado para com nós mesmos. Voltando ao exemplo da alimentação, imagine se não tivéssemos consciência do processo de digestão

e seguíssemos comendo de forma compulsiva

A mente também precisa de um tempo para

para o estômago e para o corpo

Certamente, seria um estrago

“digerir”, “processar” e “descartar” o que recebe para poder armazenar e fazer bom uso posterior disso. Atenção ao seu ritmo: se você não consegue ficar os 90 minutos realizando uma mesma tarefa, pois percebe que muito antes desse tempo, sua atenção dis- persa sozinha, você precisa em primeiro lugar começar a perceber quantos mi- nutos você consegue. Esse é o primeiro passo: observar a si próprio. Saiba onde “está” para depois estabelecer um caminho para onde você “quer ir”. Comece adequadamente. Saiba manter o que se tem e aos poucos vá expandindo. Um passo de cada vez, uma coisa por vez. Insisto em dizer para aceitar seu ritmo, depois tente gradualmente expandi-lo, respeitando os limites humanos, e isso lhe trará equilíbrio para manter o que conquistou.

Disciplina

Ter disciplina significa ter uma atitude e comportamento subordinado às regras estabelecidas para conquistar, obter e manter aquilo que se quer. Às ve-

Treinamento Prático de Memorização

zes, significa abrir mão de algumas coisas que se gosta em prol de um objetivo maior. Antes de se estabelecer uma disciplina, uma regra ou mesmo uma rotina

é preciso saber o que se quer, para depois estabelecer uma forma consciente

de conquistar o que se deseja. A disciplina é um caminho para obtenção de alguma coisa, podendo seguir numa determinada direção. É preciso uma me- todologia para poder ajudar na memorização. Uma boa maneira de conseguir isso é por meio da associação. Para memorizar de forma mais rápida é preciso associar uma informação nova com uma já armazenada. Nossa forma de pen-

sar baseia-se que: não são fatos isolados, são cadeias de pensamentos associados por diversos outros pensamentos por intermédio de imagens. Antes de começar qualquer estudo tenha a organização necessária que permita:

• preparar o ambiente de estudo;

• organizar previamente o material que você vai usar;

• ter uma noção de quanto tempo levará para começar e terminar o que

precisa (saiba em média quanto tempo vai se dedicar ao que vai fazer em vez de ir fazendo e depois ver no que vai dar);

• programe as pausas necessárias para que possa render melhor nos estudos. Isso ajuda na manutenção do controle dos seus próprios limites.

Tempo

Usa-se hoje a mesma quantidade de tempo que foi aprendida como sendo adequada para a leitura. Mas é possível fazer diferente. Como reduzir o tempo de leitura e mesmo assim memorizar o conteúdo? Para isso, são necessários concentração no que se faz e um método adequado para a mudança de atitude. Você aprenderá algumas formas de se fazer isso nesse livro. Agora é com você:

treinar e se dedicar ao sucesso do que quer. Para memorizar é preciso associar. No Capítulo 5 você aprenderá mais sobre isso. O cérebro tem capacidade de crescer, adaptar e mudar de forma extraordi- nária os padrões e conexões neurais.

Cérebro

1. Córtex: camada superficial do cérebro, onde se encontra grande con-

centração de neurônios. Os neurônios são as principais células do cérebro, nas quais ocorrem reações químicas responsáveis pelas funções cerebrais. O córtex

é a área responsável pelo processamento das informações recebidas pelos órgãos sensoriais. O processamento consiste em:

Como sua mente funciona?

recebimento;

interpretação;

aprendizado;

armazenamento;

tomada de decisão.

É possível melhorar o aproveitamento das conexões neurais já existentes e

criar novas vias. As áreas do córtex cerebral são ligadas por diversos circuitos neurais e por meio de treinamento específico é possível otimizar e possivelmen- te melhorar a memória por meio de novos mecanismos. 2. Quando se vive experiências novas produz-se novos padrões de atividades nos circuitos neurais (ver primeiros exercícios do Capítulo 5). Isso acontece de modo natural, mas é possível também que se faça “artificialmente”, por meio de exercícios, treinamento e mudança de padrão comportamental. 3. Envelhecimento: diferentemente de alguns outros órgãos, as células do cérebro (neurônios) têm baixa capacidade de regeneração, ou seja, quando uma morre, outra se desenvolve para fazer a reposição. Sendo assim, é esperado que no decorrer de nossa vida, algumas células vão morrendo e pela baixa reposição, o resultado é uma perda de capacidade funcional. Para evitar que isso aconteça precocemente ou em maior intensidade devemos tomar cuidado com substâncias que podem ser tóxicas aos neurônios, como álcool e drogas, e também devemos cuidar para evitar doenças circulatórias, controlando pressão arterial, colesterol e principalmente não fumar.

A seguir, a relação de cada área do cérebro e por quais funções elas são

responsáveis:

• O córtex – o centro da função superior do cérebro:

• Córtex somato-sensorial – tato.

• Córtex motor – controle e coordenação dos músculos.

• Córtex pré-motor – coordenação muscular.

• Córtex pré-frontal – comportamento social, raciocínio abstrato, fun- ções cognitivas superiores.

• Córtex visual – visão.

• Córtex auditivo – audição.

• Sistema límbico – áreas do cérebro envolvidas no processamento das emo- ções.

• Corpo caloso – ponte do tecido nervoso ligando os hemisférios esquerdo e direto.

Treinamento Prático de Memorização

• Tálamo – as mensagens sensoriais para o cérebro são divididas no tálamo e encaminhadas para os centros de recepção apropriados no córtex.

• Hipocampo – essencial na formação e recuperação de memórias e na

criação de mapas mentais.

• Cerebelo – cuida das coordenações físicas.

• Amígdala – centro das emoções.

• Bulbos olfativos – as informações dos bulbos fazem conexão direta com

o córtex, a amígdala (centro emocional) e o hipocampo (memória). Isso pode explicar as lembranças e emoções fortes que podem ser evocadas por cheiros.

CAPÍTULO 2

O QUE É PNL, HIPNOSE ERICKSONIANA E

COACHING DE VIDA?

“A verdadeira filosofia é reaprender a ver o mundo.” Merleau-Ponty (1908-1961), escritor e filósofo líder do pensamento fenomenológico na França.

Treinamento Prático de Memorização

O QUE É PROGRAMAÇÃO NEUROLÍNGÜÍSTICA (PNL)

John Grinder e Richard Bandler, na década de 70, desenvolveram a PNL por meio de estudos de alguns profissionais respeitados na época:

• Fritz Perls (Gestalt);

• Virginia Satir (terapeuta familiar);

• Milton Erickson (hipnose).

Por meio de observação e estudo, conseguiram criar uma metodologia para que cada pessoa alcançasse aquilo que se desejasse aperfeiçoar:

Neuro: nossas atitudes e comportamentos têm início nos processos neu- rológicos e na percepção do mundo por meio dos cinco sentidos.

Lingüística: nossa comunicação se dá pela linguagem que escolhemos

para organizar e transmitir um pensamento, uma emoção ou um compor- tamento.

Programação: forma de organizar, reter e posteriormente ter acesso às idéias e ações para que se possa obter melhores resultados.

Uma excelente técnica da PNL que você pode fazer sozinho e que certa- mente lhe ajudará e muito nesse processo de aprendizagem é ancoragem. Você vai “ancorar” um estado positivo e de grande motivação para que possa fazer uso dele quando bem quiser e não apenas quando acontecem coisas externas que lhe dão esse “empurrãozinho” nas emoções. Primeiramente, escolha um sinal com as mãos, pode ser um movimento das mãos, fechadas ou abertas, uma posição específica dos dedos. Você deve esco- lher um sinal que seja fácil de repetir, que você possa fazer em qualquer lugar que precisar e o mais importante: tem de ser um sinal neutro, ou seja, um sinal que não seja usado sempre para que não tenha uma memória anterior desse gesto. Por ser neutro, você registrará nele as emoções que quer, simples assim. Você, sem dúvida, tem uma memória de uma música, um cheiro, um objeto. Mas você provavelmente não escolheu essa associação. Sente um cheiro e de imediato se lembra de uma pessoa ou de um lugar. E isso foi algo aprendido ao acaso. O que estamos fazendo agora é criar algo que acontece naturalmente. Você tomará posse dessa associação na sua vida e, portanto, conseguirá criar a sua memória por meio do sinal criado por você.

O que é PNL, Hipnose Ericksoniana e Coaching de vida?

Em segundo lugar, você vai escolher um sentimento. Algo que você queira re- gistrar. Por exemplo, tranqüilidade. Lembre-se então de momentos que se sentiu tranqüilo, sereno e calmo. Fixe sua atenção nessa memória por um tempo. Essa técnica é muito simples e você poderá se beneficiar dela no momento que

quiser. De tão fácil, pode parecer até “simplista”, mas é uma técnica fácil, rápida e altamente eficaz. Essa técnica pode ajudar a guardar com você o estado emocio- nal que desejar. Quer estudar com mais concentração? Ancore esse estado! Você pode e consegue! Quer rapidez? Tranqüilidade? Você poderá dizer o que lhe falta para melhorar seu desempenho e com isso poderá alcançar o que quer. Num terceiro momento, você fará o sinal combinado todas as vezes que se sentir tranqüilo. Não há necessidade de ser algo “fora do comum”. É importan- te registrar o sentimento. Se ficar tranqüilo quando vê tv, faça o sinal, se con- centre e memorize a sensação do corpo, a sensação psicológica com o gesto que você escolheu. A partir disso, repita várias vezes. Todas as vezes que sentir essas sensações boas ligadas ao tema que escolheu você deve fazer o sinal, assim, criará uma associação do estado desejado e desse novo sinal com as mãos.

A última etapa é opcional, você também poderá fazer “empilhamento de

ancoragem”, ou seja, registrar mais de um sentimento junto ao sinal. Para lei- tura dinâmica, seguem alguns exemplos, mas lembre-se: você pode e deve criar o seu modelo.

• concentração;

• sucesso/realização;

• serenidade;

• agilidade.

Depois de associado o sinal com a sensação, por pelo menos umas 10 re- petições de situações escolhidas por você, o sinal estará “ancorado”, fixado, registrado, memorizado na sua mente e no seu corpo. Você poderá usar quando necessitar. Como estará ancorado, você fará bom uso disso a hora que quiser. Use quantas vezes for preciso, ou seja, quando quiser sentir aquele estado que você escolheu já tem um caminho para ele, é só fazer o sinal e o sentimento aparece. Faça e sinta.

HIPNOSE ERICKSONIANA

ton Erickson (1901-1980), médico americano que estudou, desenvolveu e aper-

Treinamento Prático de Memorização

feiçoou a comunicação durante os atendimentos com seus pacientes. A hipnose fez parte desse processo de trabalho. Ao compreender as histórias, vivências e formas únicas de cada pessoa se relacionar com as outras, com o mundo e com

elas próprias, Erickson foi se aperfeiçoando no método de excelência ao ajudar as pessoas a mudarem padrões repetitivos e desnecessários. A hipnose é um estado modificado de consciência, mas nem sempre essa mudança é perceptível. Nesse momento de atenção “diferente”, ocorrem fenô- menos hipnóticos, pela comunicação entre hipnoterapeuta e sujeito. Por uma fala específica, a pessoa vai focalizando sua atenção, muitas vezes, sem nem mesmo perceber, e acaba por direcionar seus pensamentos. Esse processo faz com que a atividade cerebral se intensifique, podendo ocorrer a partir disso um transe leve, médio ou profundo. Importante lembrar que essa variação pode ser pessoal ou até mesmo momentânea, ou seja, pessoas diferentes reagem de maneira distinta aos estímulos apresentados e também a própria pessoa pode reagir diferente de um momento para outro. A hipnose é uma forma de comu- nicação que pode provocar mudanças no pensamento, sentimento e compor- tamento. Existem CDs de hipnose que você pode comprar para ouvir na sua casa, no site: www.qveditora.com.br. Você encontrará muitas revistas de diferentes assuntos que vêm com um CD de hipnose, são vários os autores que parti- ciparam. Pode também confeccionar seu próprio material, lembrando que a repetição pode lhe ser útil, uma vez que em diferentes momentos as pessoas apresentam respostas únicas para os estímulos. Segue uma pequena indução que você pode gravar com sua voz, de forma lenta, serena, tranqüila e pausa- damente, entre as frases e palavras, para ter um melhor resultado no tempo da leitura de livros, apostilas etc., e também na memorização do conteúdo estuda- do. Lembre-se de ouvir num momento tranqüilo. Esteja concentrado no CD, em silêncio. Faça sua parte:

duas (es-

três vezes (espere para continuar sua fala).

“Respire tranqüilamente, uma pero o tempo adequado para isso)

Concentrando na sua respiração você poderá relaxar um pouco mais (faça a sua parte, encontre um jeito que você sabe que ajuda a relaxar). Feche seus olhos (faça por vontade própria). Isso pode ajudar na concentração ao ouvir sons.

De olhos fechados você pode relaxar um pouco mais (você mesmo pode fazer algo para que isso aconteça). Cada vez mais, mais relaxado. Não importa o quanto você vai conseguir, lembre-se, você pode e consegue. Tem pessoas que têm mais facilidade para relaxar que outras. Mas todas as pessoas podem con-

(dê o tempo de uma respiração)

O que é PNL, Hipnose Ericksoniana e Coaching de vida?

seguir um pouco de relaxamento. Escolha o quanto você pode, que é capaz de alcançar. Nem mais, nem menos. Escolha o tempo correspondente ao que você poderá conseguir agora. Algumas pessoas relaxam rapidamente, outras pessoas conseguem com o passar do tempo. Escolha a maneira com que você se sinta capaz, lembre-se: você está no comando e pode fazer as escolhas que lhe forem melhores agora (respire de forma tranqüila). Escolha um pensamento agradável. Imagine um lugar para pensar. Pode ser uma praia, um campo, uma casa, um jardim, não importa. Concentre seu pensamento nesse lugar agradável. Um lugar que te faça bem de imaginar, de estar ou de pensar. Pode ser um lugar que você já foi, que já teve o prazer de conhecer, um lugar que queira ir, que você sonha, imagina e gostaria de poder estar; um lugar imaginário, um lugar na sua mente, no seu pensamento, do jei- to que te faz bem. Assim que conseguir essa imagem, sensação ou sentimento, concentre-se no bem-estar que pode produzir no seu pensamento. Não tenha

pressa, às vezes isso acontece de forma bem rápida; outras vezes, realmente ne- cessita de mais tempo. Respeite seu ritmo, seu tempo, seu corpo. Em harmonia com você. Agora, lembre-se de um aprendizado que você fez. Algo que você aprendeu

e tomou posse. Um aprendizado que esteja firme na sua mente, um sentimento de realização, de ter conseguido algo por seu próprio mérito (dê um tempo de silêncio para que você possa pensar sobre isso). Na vida, todas as pessoas aprendem muitas coisas, mas nem sempre dão o devido valor. E você pode ago- ra dar esse valor, esse sentimento bom, essa forma de valorizar cada pequeno passo dado. Se concentre em lembrar das formas, das etapas que você vivenciou para poder aprender algo novo. Dê a máxima atenção às etapas que você já vivenciou, lembre-se do processo, de como foi feito. Pode ser um esporte, um

Pode ser o que você quiser. Escolha e se concentre.

idioma, andar de bicicleta

Quanto mais detalhes sua mente for capaz de lembrar melhor. A concentração não é linear. As pessoas mesmo concentradas são capazes de pensar muitas coisas ao mesmo tempo (sinta o ar entrando e saindo, de um tempo para observar a respiração). Isso é comum e bem normal. Respeite seu corpo e seu ritmo. Procure acalmar a mente, mas não há necessidade de zerá-la. É permitido e saudável que você tenha vários pensamentos. Traga o bem-estar

e a satisfação de um novo aprendizado. Isso lhe fará muito bem. Imagine-se agora lendo mais depressa, de forma organizada, com disci- plina, concentração, tendo boa memorização de sua leitura, do conteúdo e assuntos diversos e úteis. Programe a sua mente para que possa receber esse

Treinamento Prático de Memorização

novo método, se sentindo concentrado, motivado e feliz, essa nova maneira de lidar com os livros, revistas, artigos etc. lhe fará muito bem. Permaneça assim por alguns minutos, com calma e serenidade, sinta o bem-estar do pensamen- to, se concentre na sua respiração. Guarde esse momento com você. Guarde a sensação boa desse exercício. Respire uma, duas ou três vezes, de forma tranqüila, lenta e se concentran- do no ar que sai. Vá voltando sua atenção para o seu corpo, para os sons ex- ternos, para o ambiente à sua volta. Vá lentamente mexendo o corpo, um bom espreguiçar sempre é bem-vindo, vai abrindo os olhos e voltando para o dia de hoje, para esse momento. Ponha em prática o que você está fazendo nesse exercício, transforme em realidade. Comece e viverá!”

O QUE É COACHING DE VIDA?

Coaching de vida é uma técnica que surgiu da Programação Neurolingüísti- ca que teve influência de Milton Erickson, da hipnose ericksoniana. “Coaching” vem de coach, do inglês, treinador. A pessoa que se submete à téc- nica receberá um treinamento eficaz para o alcance de suas metas. Significa sair de onde está e começar a caminhar por uma trilha mais curta e direcionada para onde se quer chegar. Com o processo você será capaz de solucionar problemas e também formular novos objetivos, se necessário, pois com os exercícios e as ses- sões, você poderá superar obstáculos, identificar e mudar pensamentos automáti- cos, crenças, repetições de padrões desnecessários, para que consiga desfrutar do seu real potencial. Isso tudo se dá por meio de uma comunicação muito especial, pois com perguntas direcionadas que ajudam na compreensão da solução, você será capaz de se encontrar pelo processo de autodescobrimento e mudar a ma- neira como está agindo para ter o que quer. Reflita sobre as perguntas abaixo e escreva suas respostas:

1. Pense agora o que você quer. Ler mais rápido? Memorizar melhor sua leitu- ra? O que você efetivamente quer?

2.

Para que você quer isso? (Atenção: não é por que, é “para que”, isso faz toda

O que é PNL, Hipnose Ericksoniana e Coaching de vida?

a diferença) – para render melhor nos estudos, no trabalho? O que vai ter quando

conseguir o que quer? O que mudará? (Para cada resposta dada, avalie se é viável

e se é possível ter o que se quer com o que se está querendo mudar).

3. Como fará para alcançar o que quer? Quais são seus planejamentos? Um

deles, provavelmente é a leitura desse livro, mas só a leitura não muda muita coisa.

É preciso ação! Como mudar o comportamento para agir segundo as orientações

que escrevo aqui? Pense num planejamento seu. Aja coerentemente com o que pla- nejou. Quando começar, lembre-se também de avaliar diariamente se você está no caminho certo. Cheque seus passos e avalie seus resultados. Você está alcançando o que quer? Se sim, mantenha; se não, refaça seus planos.

4. Em quanto tempo? Qual o tempo que você se dispôs a ter o resultado que

quer? Avalie novamente se é possível, viável e coerente com a vida que você leva. Se for, mantenha; caso contrário, mude até chegar num consenso.

5. Como vai avaliar seus resultados durante o processo? Fundamental pensar

sobre isso. Como você sabe que o que você está fazendo está na direção do seu suces-

Treinamento Prático de Memorização

so? Afinal, muitos processos constituem em um passo de cada vez (“De grão em grão

a galinha enche o papo” – ditado popular).

6. Existem outras questões que podem lhe ajudar a ter o que quer, por exemplo,

à medida que se entende se existe algo que lhe impede de alcançar o que deseja, o que você fará para solucionar essa questão?

CAPÍTULO 3

CADA UM APRENDE DE UMA MANEIRA DIFERENTE

“É impossível para um homem aprender aquilo que ele acha que já sabe”. Epíteto (55 – 135 d.C), filósofo grego.

Treinamento Prático de Memorização

Como compreender o mundo e seus sinais? O mundo em que vivemos e percebemos não é necessariamente o mundo verdadeiro e único, pois a análise que fazemos passa pela nossa interpretação que é recheada de nossos valores e sentimentos. Podemos dizer que o “mapa não é o território” (idéia básica da PNL). Aquilo que as pessoas conseguem ouvir, ver e sentir daquilo que recebem passa por uma espécie de “filtro”, que é formado pelos aprendizados prévios e pelos canais de percepção de cada pessoa. Portanto, cada um tem sua própria maneira de aprender a aprender. Conhecer seu estilo de aprendizado faz com que você seja capaz de usar melhor seu potencial para que absorva de forma mais rápida e com maior facilidade as informações recebidas. Percebemos o mundo por meio dos cinco sentidos: audição, visão, paladar, olfato e tato.

Nihil est in intellectu quod non ante fuerit in sensu. Nada está no intelecto que não tenha passado antes pelos sentidos.” Provérbio antigo

A partir disso somos capazes de dar interpretações aos fatos. Mas cada pes- soa já tem uma maneira de pensar única e ao decodificar aquilo que o mundo oferece cada um é capaz de entender de um jeito próprio o que está sendo feito. Por isso, é bom lembrar de que cada pessoa é capaz de aprender ou de ensinar de acordo com que apreende a informação que recebe. Colhemos as informações dos fatos e eventos vividos como se fossem “len- tes coloridas”, que através de cada cor é possível perceber de forma diferente o mundo. Afinal, a realidade não é única e pode variar mediante muitos fatores. Duas pessoas podem viver o mesmo evento, mas cada uma poderá entender de maneira muito diferente o que se passou. Assim como entendemos o mundo de maneira diferente, usamos também linguagens especiais que dão pistas de como pensamos. As pessoas escolhem as palavras que vão usar dentro dos seus sistemas representacionais para se expressarem. Quando duas pessoas estão conversando e têm o mesmo canal de percepção de mundo a linguagem tende a ser a mesma, pois a forma de compreensão dos estilos vividos é muito parecida. Mas quando a conversa acontece com pessoas de canais diferentes, é preciso que haja uma “tradu- ção interna” para compreender com exatidão a mensagem que se quer passar.

Cada um aprende de uma maneira diferente

Quando isso acontece, de fato, dá mais trabalho, mas também pode ser muito rica a aprendizagem proveniente disso, afinal, serão novas formas de compreen- são e novas idéias.

“Conte-me e vou esquecer. Mostre-me e vou lembrar. Envolva-me e vou entender. Entender é o caminho mais fácil para lembrar.” Anônimo

A Programação Neurolingüística divide em três grupos as pessoas e suas formas de compreensão do mundo. Vamos dissertar sobre elas a seguir.

AUDITIVO

Está ligado à audição e ao estilo de palavras e frases comumente usadas:

Auditiva

Palavras

Frases

Sons

“Música para os meus ouvidos!” “Isso é grego para mim!” “Jogar conversa fora.” “Conversa fiada.” “Ouvir passarinhos cantando.” “Palavra por palavra.” “Tim-tim por tim-tim.” “Língua solta.” “Segurar a língua.”

Palavras

Ouvir

Silêncio

Quieto

Mudo

Discutir

Gritar

Sem fala

Tabela 3.1.

As pessoas auditivas possuem um tempo de fala calmo. Nem muito rápido, nem lento demais, o tempo necessário para que cada palavra seja ouvida e com- preendida de forma adequada na mente. Os auditivos demonstram bastante interesse pela compreensão do que as coisas querem dizer. Pessoas assim são

Treinamento Prático de Memorização

boas com as palavras, pois se expressam com clareza e precisão. A respiração é mais equilibrada, uniforme. O sistema auditivo tem boa representação por meio de sons, de uma me- lodia interna, às vezes falar sozinho (seja em voz alta ou voz interna, ou seja, mental) e repetir internamente os sons, vozes de outra pessoa ou mesmo as con- versas tidas ao longo do dia. Pessoas com características auditivas costumam se interessar por escrever, ouvir música, aprender línguas e falar em público.

Dica de estudo: gravar aulas, ou mesmo o material a ser estudado com a própria voz e escutar posteriormente ajuda e muito. Fazer associações com músicas ou letras de músicas pode ajudar na memorização do con- teúdo a ser aprendido. Use a sua criatividade e invente uma boa maneira ligada aos sons de memorizar os conteúdos que quer aprender.

Dentro do cérebro: córtex auditivo primário, localizado no lobo tem- poral esquerdo (giro de Heschl) é a primeira área de recebimento do som (área de Wernicke).

VISUAL

Está ligado à visão, às imagens que passam rapidamente na mente para formar as interpretações necessárias para a compreensão e expressão dos sentimentos:

Visual

Palavras

Frases

Ver

“Parece que viu passarinho verde!” “Esse é meu ponto de vista.” “Tenho uma vaga noção.” “Luz no fim do túnel.” “Sem sombra de dúvidas!” “Colírio para meus olhos.” “Sua idéia me parece brilhante.”

Olhar

Espiar

Imagem

Foco

Cor

Brilho

Cada um aprende de uma maneira diferente

Observar

“Com olhos da mente, da alma.”

Perspectiva

“Você enxerga a solução?”

Tabela 3.2.

As pessoas visuais possuem um tempo de fala bem mais acelerado do que

as pessoas auditivas, pois na mente passam diversas imagens ao mesmo tempo

como forma de representação do que estão pensando ou do que estão receben- do de informação que necessite compreensão. Demonstram bastante interesse

pela aparência e gostam de “ver para crer”. São pessoas com facilidade de to- mada de decisão rápida. A respiração tende a ser mais curta justamente acom- panhando a fala acelerada.

O sistema visual pode ser representado por meio de imagens internas, da

visualização do que se ouve, sente e vê, podendo ser possível “sonhar acordado” e até mesmo “imaginar coisas”. Pessoas visuais são mais propensas a ter interesse pela arte visual, pintura, desenho, decoração, moda, filmes e televisão.

Dica de estudo: usar mais de uma cor para grifar e escrever o que está

sendo estudado. Isso ajuda fazendo diferenciações entre os temas e suas formas. Uso de vídeos, fotos, imagens, gráficos, mapa mental, ajudam

na memorização. Use a criatividade para inventar uma nova maneira de

estudar aproveitando a habilidade visual de compreensão do mundo.

Dentro do cérebro: a imagem entra através do nervo óptico, passa pelo quiasma, depois pelo trato óptico e então vai em direção ao córtex occi- pital (córtex primeiro da visão). Parte das fibras do nervo óptico direto seguem em direção ao hemisfério esquerdo e vice-versa, o que tende a uniformizar as conexões entre cada olho e áreas secundárias dos hemis- férios direito e esquerdo. Sendo assim, não há preferência ou maior habilidade de um determinado olho para uma determinada tarefa, o que não impede a existências de se ter a visão de um olho mais apurada que o outro (olho dominante). Durante o processo de leitura dinâmica serão usados e treinados os dois olhos.

Treinamento Prático de Memorização

SINESTÉSICO

Está ligado ao paladar, olfato, tato e sensações:

Sinestésico

Palavras

Frases

Contato

“Não meta o nariz onde não é chamado.” “Pessoa sensível demais.” “Pessoa de coração quente.” “Pessoa de sentimentos frios.” “Quebrado em mil pedaços.” “Perdi o controle.” “Entro em contato com você depois.” “Quase alcancei o que você quis dizer.” “Esse assunto não é concreto.”

Suave

Leve

Pesado

Tocar

Estresse

Áspero

Frio

Tensão

Tabela 3.3.

As pessoas sinestésicas possuem um tempo de fala bem calmo e tranqüilo. De modo geral são mais lentos do que os auditivos e os visuais. São pessoas mais sensíveis e transformam os sentimentos em palavra e isso leva um tempo maior. Gostam de sentir as coisas, de provar e vivenciar, são mais práticos do que teóricos. Para compreender o sistema sinestésico é preciso entender que na sua maior parte ele é composto de sensação de equilíbrio, de controle, do toque e das emoções. Pessoas que apresentam uma tendência maior ao lado sinestésico po- dem se interessar pela parte de exercícios físicos, como por exemplo, esportes e ginásticas. Também podem ter interesse pela culinária. De modo geral, as pessoas sinestésicas estão mais voltadas a coisas do fazer, e do viver do que do pensar, escrever e teorizar, é o “pôr a mão na massa” para se envolver e ter pra- zer. A respiração tende a ser mais profunda de acordo com o ritmo da fala e do pensamento, o que produz um relaxamento muscular.

Dicas de estudo: os sinestésicos podem desfrutar de associações do que querem aprender com cheiros, aromas e sensações e isso pode realmente ajudar. Também são úteis: realização, participação, integrar para me-

Cada um aprende de uma maneira diferente

morizar. Desfrute das idéias criativas que você pode ter para aprender e usar as informações posteriormente utilizar usando seu canal de predi- leção que é o sinestésico.

Dentro do cérebro:

Paladar: a presença de determinadas substâncias nos alimentos provo-

cará a formação de impulsos elétricos, por meio de sensores que existem na língua, que serão interpretados pelo cérebro como sabor. O córtex primário do paladar encontra-se no giro pós-central.

Olfato: a partir de alguns gases ou partículas suspensas no ar, sensores existentes no nariz produzirão impulsos elétricos que serão interpreta- dos pelo cérebro como cheiro. O córtex primário do olfato é composto

por cinco estruturas: núcleo olfatório anterior, amídala, córtex pirifor- me e periamigdalóide, tubérculo olfatório e córtex entorrinal.

Tato: na nossa pele também existem sensores de vários tipos, sendo

cada um especializado em uma espécie de sensibilidade: dor, pressão, temperatura e a tátil propriamente dita. Esses sensores, ao entrar em contato com o ambiente, promovem a formação de impulsos elétricos

que serão interpretados pelo cérebro. O córtex primário do tato encon- tra-se no giro pós-central.

Sensação: quando vimos algo, ouvimos algum som ou sentimos al-

gum cheiro, isso desencadeia algum tipo de sensação, por exemplo, ale- gria, excitação ou ansiedade, então sabemos que a informação recebida por meio do sentido já foi processada pelo córtex primário e enviada a áreas secundárias para interpretação e encaminhada para centros neuro- vegetativos, responsáveis por alteração do batimento cardíaco, pressão arterial, salivação etc., e também para áreas frontais, tornando o fato consciente para a tomada de decisão.

Todas as pessoas possuem um pouco da cada uma dessas três classifi- cações, auditivo, visual e sinestésico. Quando pensamos, fazemos uma espécie de representação interna das informações que nos são passadas. Mas na maioria das vezes, usamos mais um canal do que outro para nos comunicarmos, temos um canal de preferência. Podemos a partir disso programar sobre essas percepções novas e melhores formas de estudo e

Treinamento Prático de Memorização

aprendizado. Essas características interferem na postura corporal, na respiração, no ritmo da fala e no tom, nos movimentos oculares e na linguagem própria. Esses canais de percepção, de certa forma, dão as características necessárias para a construção da personalidade e dos as- pectos individuais de cada um. Para se conseguir um melhor resultado com relação à empatia, rapport e sintonia com as pessoas, com toda certeza, será preciso desenvolver com excelência a capacidade de com- preensão e adaptação às diferentes maneiras de pensar de cada pessoa.

Teste: Qual seu canal de percepção do mundo? 1

1.

Você aprende mais facilmente quando:

a.

b.

ouve

c.

faz

2.

O que lhe dá muito prazer:

a.

cinema

b.

palestra

c.

esporte

3.

Observe os sapatos que você tem no armário, a maioria é:

a.

bonito

b.

silencioso ao andar

c.

confortável

4.

Se pudesse escolher uma maneira de fazer esse exercício você preferiria:

a.

por escrito

1 Importante lembrar que esse exercício não é um teste psicológico com cunho cien- tífico. Não tem uma validação, pois até o momento, não foi estudado e pesquisado para isso. Mesmo assim, diferentes autores criaram testes parecidos com esse, pois dá para compreender bem a proposta do exercício, no sentido de auto-avaliação e princi- palmente de poder escolher os melhores caminhos de compreensão e identificação da percepção de mundo.

Cada um aprende de uma maneira diferente

b.

oralmente

c.

por tarefas

5.

Ao comprar algo, procura:

a.

olhar bem o que está comprando

b.

ouvir as explicações do produto

c.

experimentar

6.

O que mais lhe motiva:

a.

pintura, fotografia

b.

música, palestra

c.

dança, escultura

7.

Você facilmente se lembra de pessoas:

a.

pela fisionomia

b.

pela voz ou o que disseram a você

c.

pelas atitudes e seu jeito de ser

8.

Sente que é querido por alguém quando percebe o:

a.

jeito de olhar de uma pessoa

b.

jeito de falar de uma pessoa

c.

jeito de agir de uma pessoa

9.

Quando você vai a um restaurante ou barzinho, você se sente atraído pelo:

a.

ambiente, o lugar em si

b.

conversa, o som e a música

c.

comida, sensação que o ambiente lhe causa

10. O que você gosta mais:

a. observar

b. ouvir

c. fazer

11. Primeiramente, você valoriza nas pessoas:

a. como se portam

b. o que dizem

c. o que fazem

12.

Quando se lembra de um filme que você assistiu, facilmente vem à sua mente:

Treinamento Prático de Memorização

a. cenas

b. diálogos

c. sensações

13. Nas férias o que você prefere fazer:

a. conhecer novos lugares

b. descansar

c. participar de atividades

14. Suas decisões têm como principal base o que você:

a. vê

b. ouve

c. sente

15. Enquanto você aguarda alguém, costuma:

a. observar tudo à sua volta

b. ouvir o que as pessoas estão dizendo

c. andar, mexer o corpo

16. Em excesso, tende a lhe incomodar mais:

a. claridade

b. barulho

c. aglomeração

17. Seu carro preferido tem de ser:

a. bonito

b. silencioso

c. confortável

18. Num show, chama mais sua atenção:

a. a iluminação

b. a música

c. a interpretação

19. Você se entusiasma quando alguém lhe:

a. mostra algo

Cada um aprende de uma maneira diferente

b. fala algo

c. convida para participar de algo

20. Se tiver de consolar alguém:

a. mostra um caminho

b. leva uma palavra de carinho

c. abraça a pessoa

Nossa compreensão dos assuntos tem influência nesses três canais de per- cepção descritos anteriormente. Durante a leitura pode haver também distor- ções sobre o que o autor realmente quis passar. O que interfere nessa decodifi-

cação é o grau do conhecimento e experiência prévios de cada leitor. Para poder aprender e memorizar algo com mais rapidez será necessário usar mais de um canal de percepção: visão, audição, tato, paladar e olfato.

O cheiro é o que mais ajuda a estimular a memória, independente do canal

de preferência sensorial usado por cada um. O simples fato de lembrar-se de algo que contém um cheiro traz à tona várias outras lembranças que foram arquivadas juntas, no mesmo período e época do fato ocorrido. Quando eu era criança, uma das minhas amigas da escola aprendeu com

a mãe a seguinte receita para ir bem na prova: quando você estiver estudando, pegue a metade de um chiclete e masque. Na hora da prova você masca a outra metade que ficou guardada.

O cheiro e o gosto (paladar) trazem as associações em cadeia feita por nossa

memória. Por isso, na verdade, essa receita deixa de ser uma simples simpatia para se tornar uma possibilidade real de ajuda na construção da memória. Essa técnica não dá garantia de boas notas. É necessário mais do que isso. Em pri- meiro lugar, é preciso compreensão do que se está estudando. Depois é preciso que mente e corpo estejam em perfeito funcionamento e harmonia para facili- tar o armazenamento das novas informações. Eu acrescentaria algumas coisas importantes nessa receita da mãe da minha amiga: que o chiclete tenha um sabor exclusivo, que seja diferente, ajudando para que aquele cheiro e gosto estejam associados ao estudo e que não tenham várias outras associações na mente. Ressalto também a importância de que

para cada estudo seja usado um sabor diferente. Uma vez entendido o princí- pio, é possível fazer adaptações, por exemplo, de uma bala, um tempero, per- fume, incenso, ou mesmo a mistura desses estímulos. Esses princípios são bem semelhantes à forma de “ancoragem” (técnica da programação neurolingüística

Treinamento Prático de Memorização

explicada no Capítulo 2, página 20 deste livro). No cérebro, existe grande quantidade de conexões entre as áreas do olfato e da memória, além da proximidade anatômica. A área de projeção do olfato no

córtex é composta por várias estruturas, entre elas a amídala e o córtex entor- rinal rostral, que por sua vez, tem íntimo contato com a formação hipocampal (estrutura diretamente relacionada com a formação e evocação da memória). Possivelmente isso pode ter contribuído para nossa sobrevivência durante al- gum período de nossa evolução. Howard Gardner, psicólogo americano, nascido em 1943, foi um dos pri- meiros a falar da teoria das múltiplas inteligências. São as habilidades que as pessoas possuem. Mas o seu desenvolvimento depende não só da capacidade, mas também do estímulo, do treino, da cultura e da família. A pessoa pode ou não ter sido adequadamente estimulada para que houvesse um desenvol- vimento nesse sentido. Com o treino e foco adequados é possível avançar nas habilidades que descrevo a seguir:

1. Lingüística: ligada à fala, escrita e comunicação. Ex.: escritores, atores,

palestrantes, professores.

2. Lógica e matemática: ligada ao pensar de forma lógica e abstrata com o

uso de números. Ex.: matemáticos, engenheiros, economistas, contadores.

3. Visual e espacial: ligada à criação de imagens, desenho e orientação

espacial. Ex: arquitetos, fotógrafos, artistas plásticos.

4. Musical: ligada à música, instrumentos musicais e canção. Ex.: músicos,

cantores, compositores.

5. Corporal ou sinestésica: ligada à habilidade corporal. Ex: dançarinos,

atletas, artesãos.

6. Interpessoal ou social: ligada à capacidade de relacionar-se com as pes-

soas com habilidade de persuasão (habilidade de extroversão). Ex.: psicólogos, professores, vendedores.

7. Intrapessoal : ligada à capacidade de pensar sobre os próprios sentimen-

tos e dos outros (habilidade de introversão). Ex: filósofo, psicólogo, pessoas que

meditam.

8. Naturalista: ligada à capacidade de interagir com a natureza. Ex: fazen-

deiros, jardineiros, agricultores.

Neste livro, estamos desenvolvendo sua capacidade lingüística. Conhecen- do seus pontos fortes e fracos, você mesmo pode treinar para mudar o que acha que precisa. Valorize sempre o que você já tem.

CAPÍTULO 4

DICAS DO QUE AJUDA NO BOM APRENDIZADO

“O primeiro problema para todos nós, homens e mulheres, não é aprender, mas sim desaprender. É saber mudar os paradigmas internos e externos; entender que o método que nos deu o sucesso pode ser o início de nosso fracasso.” Heráclito (540-470 a.C.), filósofo éfeso, considerado o “pai da dialética”.

Treinamento Prático de Memorização

Estado atual

Treinamento Prático de Memorização Estado atual Comportamento Estado desejado Aprenda a escolher novas formas de agir

Comportamento

Estado desejado

Aprenda a escolher novas formas de agir para que seu comportamento seja a ponte que liga “onde você” está para “onde você quer ir”. Você poderá aprender confortavelmente os próximos exercícios para que possa compreender cada vez melhor o que estiver estudando e conhecendo daqui para frente.

“Não tenho nenhuma dúvida de que a maioria das pessoas vive, seja física, intelectual ou moralmente, num círculo deveras restrito do seu ser potencial. Elas usam uma parcela íntima da sua consciência possível mais ou menos como um homem que adquire o hábito de usar e de mo- ver, de todo o seu organismo físico, apenas o dedo mínimo Todos nós temos reservatórios de vida a serem aproveitados, com que sequer sonhamos.” Willian James (1842-1911), psicólogo e filósofo americano.

Ao fazer uma pesquisa no site de relacionamento www.orkut.com no dia

11 de agosto de 2008, vi alguns resultados interessantes sobre algumas comu- nidades de leitura:

• Eu amo ler (293.477 membros)

• Devoradores de livros (29.973 membros)

• Minha Paixão por livros (92.633 membros)

• Viciado em livros (71.092 membros)

• A leitura muda as pessoas (47.269 membros)

• A leitura enobrece a alma (5.445 membros)

O número de participantes dessas comunidades é grande, não é mesmo? Muitos lêem por necessidade, mas nessas comunidades parece ser mais por prazer. Poder ler mais rápido e com capacidade de memorização certamente é algo desejado, seja por obrigação ou por escolha própria.

Dicas do que ajuda no bom aprendizado

Para um bom aprendizado é preciso ter:

Qualidade do sono: o cansaço e a fadiga são extremamente prejudiciais

à memória. Quando se dorme acontecem alterações bioquímicas que são reparadoras. Se você não faz esse processo adequadamente, não só a memó- ria, mas outras alterações como humor, disposição, inteligência etc. poderão ficar prejudicados. Substâncias estimulantes, como cafeína (que pode ser encontrada no café e no refrigerante), pó de guaraná, taurina (energéticos) em pequenas quantidades, podem ter efeito positivo desde que usados num período em que seu organismo não teria real necessidade do sono. Por exem-

plo, se seu horário de dormir é por volta da meia noite, para fazer uma leitura por volta das dez da noite, uma xícara de café poderá te manter mais alerta nesse período. Mas se você pretende estudar até altas horas, para se manter acordado você precisará de uma dose muito elevada desses estimulantes, que poderá piorar a ansiedade, principalmente se estiver na véspera de uma pro- va. Isso tudo poderá diminuir seu rendimento. Portanto, cuidado! Respeite seu ritmo, sua necessidade de sono e sua tolerância a essas substâncias.

Atividade física: quando se pratica atividade física há a liberação da en- dorfina, uma das substâncias responsavéis pelo bem-estar. Com esse pro- cesso químico acontecendo no cérebro, as pessoas tendem a dormir melhor, se sentirem bem de maneira geral e por conseqüência a memória pode se apresentar boa e com bastante qualidade também. Cuidar da sua saúde física e mental é fundamental para a harmonia e bom funcionamento do organismo. Faça uma avaliação médica para saber quais são as atividades físicas que você pode praticar e comece já!

Alimentação: a formação da memória se dá a partir de reações químicas

no cérebro. Para que tais reações ocorram é necessária uma grande varie- dade de substâncias, e uma alimentação inadequada pode ocasionar falta de substâncias essenciais. No período de desenvolvimento, seja no período intra-uterino ou na infância, o cérebro precisa de substâncias provenientes da alimentação para desenvolvimento e maturação dos neurônios, sendo que nessas fases, carências alimentares podem determinar deficiência de memória e raciocínio para o resto da vida. Na vida adulta uma alimentação adequada e balanceada permite uma vida saudável dos neurônios. Para que a memória esteja em bom funcionamento é preciso garantir que as substâncias necessárias estejam presentes para que esse processo ocorra por meio de uma boa alimentação.

Treinamento Prático de Memorização

Equilíbrio emocional: para ter uma boa memória é importante que o estado emocional seja de equilíbrio e tranqüilidade. Sintomas de depressão, ansiedade, hiperatividade e déficit de atenção podem contribuir de forma significativa para um mau funcionamento da mente e, por conseqüência, da retenção de informações. Dificuldade de memorizar, sensação de estar disperso, normalmente, tem a ver com ansiedade. Se esse é o seu problema, busque ajuda em um tratamento. Cuide da qualidade dos pensamentos, eles têm muito mais influência na sua vida do que você pensa.

Pensamento – Cidade Negra

Você precisa saber O que passa aqui dentro Eu vou falar pra você Você vai entender A força de um pensamento Pra nunca mais esquecer

Pensamento é um momento Que nos leva à emoção Pensamento positivo Que faz bem ao coração

O

O

O

mal não

mal não

mal não

Sendo que para você chegar Terá que atravessar

A fronteira do pensar

A fronteira do pensar

E o pensamento é o fundamento Eu ganho o mundo sem sair do lugar Eu fui para o Japão Com a força do pensar Passei pelas ruínas

Dicas do que ajuda no bom aprendizado

E parei no Canadá Subi o Himalaia Pra no alto cantar Com a imaginação que faz Você viajar, todo mundo Estou sem lenço e o documento Meu passaporte é visto em todo lugar

Acorda meu Brasil com o lado bom de pensar Detone o pesadelo, pois o bom ainda virá

Você precisa saber O que passa aqui dentro Eu vou falar pra você Você vai entender A força de um pensamento Pra nunca mais esquecer

Custe o tempo que custar Que esse dia virá Nunca pense em desistir, não Te aconselho a prosseguir O tempo voa rapaz Pegue seu sonho rapaz A melhor hora e o momento É você quem faz

Recitem Poesias e palavras de um rei Faça por onde que eu te ajudarei Recitem Poesias e palavras de um rei.

Tempo: lembre-se de se programar para fazer intervalos de 90 em 90 minutos com pausas que podem variar de 5 a 10 minutos. Aproveite nesse momento para relaxar e descansar um pouco (“afie seu machado”).

Treinamento Prático de Memorização

Local: escolha um lugar calmo, tranqüilo, com poucos estímulos para

facilitar a atenção e concentração no que estiver fazendo. Procure estar em silêncio ou com uma música de fundo calma e que não desvie a atenção. Dê preferência para músicas instrumentais sem letras. Lembre-se de que você certamente conseguirá estudar se estiver ouvindo as músicas que gos- ta (até mesmo aceleradas), mas isso não lhe ajudará na memória. Todos nós somos capazes de fazer mais de uma coisa por vez, mas isso desvia atenção e consome nossa energia. O ambiente certo é fundamental para uma melhor qualidade nos estudos. Quando eu tinha 14 anos, eu achava que estudava muito bem ouvindo rock, mas eu não sabia que isso poderia me atrapalhar a memorizar, por mais tempo que eu ficasse ali, dedicando várias horas de estudo.

Estado emocional: para começar a estudar procure preparar a sua mente

para receber a informação necessária. É preciso estar tranqüilo, relaxado

e em paz. Se estiver ansioso ou agitado é preciso cuidar disso primeiro. A

ansiedade leva à agitação e principalmente a dispersão. A mente memoriza

mais facilmente quando está preparada para isso, ou seja, equilibrada, sere- na e com os pensamentos leves.

Disciplina: como escolher o que vai estudar? Divida seu tempo e or-

ganize as matérias. Usar várias cores para grifar ou mesmo escrever ajuda

a memorizar. A memória funciona melhor com associações e dessa ma-

neira, você terá o conteúdo e cores a serem associados. Lembre-se do seu canal de preferência e monte um esquema de estudo que mais valorize suas habilidades.

O QUE FAZER SE DER UM BRANCO?

A primeira coisa a se fazer é manter a calma. Por mais difícil que isso possa

parecer é, sem dúvida nenhuma, o mais importante. Por meio de exercícios você poderá evitar os “brancos”, mas jamais impedi-los que aconteçam.

1. Faça exercícios de respiração. Concentre-se no ar que entra e no ar que sai, dando maior ênfase ao ar que sai. Sinta a respiração lenta e profunda. Faça isso algumas vezes por mais de cinco minutos e a calma tende a voltar.

2. Se for uma prova escrita, pule a questão, volte nela mais tarde, pois o tempo pode ajudar a resolver esse problema.

Dicas do que ajuda no bom aprendizado

3. Se for uma apresentação, fale o que você lembra e sabe, e volte, se neces- sário, mais tarde nesse ponto.

4. Procure testar em casa enquanto estuda ou treina se você está conseguin- do ou não memorizar tudo o que precisa.

CAPÍTULO 5

EXERCÍCIOS PARA MELHORAR A CON- CENTRAÇÃO, MEMÓRIA E LEITURA DINÂMICA

“O homem não pensa naturalmente. Pensar é arte que se aprende como todas as outras e até mais dificilmente.” Jean-Jacques Rousseau (1712 - 1778), filósofo franco-suíço, escritor, teórico político e compositor musical autodidata.

Treinamento Prático de Memorização

Você certamente aprenderá a ler mais rápido ao treinar os exercícios seguin-

tes. Entretanto, lembre-se: nem todos os textos que você lerá será em altíssima velocidade. Textos científicos, contratos, documentos, novas idéias e autores que escrevem de forma confusa podem contribuir para uma diminuição da sua velocidade. Isso é muito normal. Você lerá mais rápido se: já tiver lido o texto previamente, mesmo de forma rápida sem a devida compreensão; conhecer um pouco sobre o tema que está lendo; perceber o que você pode pular e deixar de dar atenção (isso acontece em partes dos textos). Você lerá mais lentamente: textos novos, com assuntos que não lhe são familiares; quando perceber a importância de uma parte do texto que necessita de muita atenção; quando detectar uma informação a ser memorizada. Para treinar a mente é preciso:

Envolver um ou mais dos cincos sentidos num novo processo: exem-

plo – a) tomar parte do banho de olhos fechados; b) escovar os dentes ou se alimentar com a mão oposta ao que se está acostumado.

Concentrar, perceber e focar a atenção naquilo que se estabeleceu

para fazer: exemplo – a) ouvir novos estilos de música; b) participar de jogos, como xadrez, dobradura, quebra-cabeça etc.

Transformar algo comum, rotineiro, em algo inusitado, criativo e

diferente: exemplo – a) mudar o caminho para se chegar a algum lugar do cotidiano; b) experimentar novos sabores: temperos, comidas e bebidas.

“Se as pessoas aprendessem a falar e a andar como aprendem a ler e a escrever, todo mundo seria manco e gago.” Mark Twain (1835-1910), escritor, humorista e romancista americano.

Existem vários exercícios que ajudam bastante na memorização de palavras e números, como métodos mnemônicos. O que está a seguir funciona por meio de associação. Para começar você deve escrever dez palavras quaisquer que você terá de decorar (essa primeira parte da memorização será com você):

1.

2.

Exercícios para melhorar a concentração, memória e leitura dinâmica

3.

4.

5.

6.

7.

8.

9.

10.

1º exemplo:

1. cachorro

2. mão

3. disco

4. troféu

5. celular

6. fotografia

7. casa

8. olho

9. carro

10. formiga

Se você precisa decorar, por exemplo, o número 123.986, pode criar uma associação para cada número e palavra correspondente. Pode ser com uma his- tória, uma letra de música, use sua criatividade! Essas histórias costumam não ter muito sentido, mas são facilmente gravadas na memória quando se monta uma imagem:

“Um cachorro (1) mordeu a mão (2) do meu tio, que derrubou o disco (3) que ele estava segurando. Nisso passou um carro (9)

Treinamento Prático de Memorização

e todo mundo saiu correndo e um fotógrafo ali parado ficou de olho (8), pois queria bater uma fotografia (6) dessa cena.”

Se você precisa decorar, por exemplo, que: “deve-se virar à direita na casa amarela e depois à esquerda na rua Xavier”, pode usar da seguinte maneira esse mesmo método: Direita casa Amarela depois Esquerda na rua Xavier: DA EX. Você pode pegar as primeiras letras de cada palavra para decorar.

Agora você deve treinar. Crie suas 10 palavras e siga em frente no seu treino! Você também pode usar o mesmo princípio da associação para decorar no- mes. Você pode associar a pessoas que você já conhece que tem o mesmo nome, pensar poe meio de imagens, ou mesmo criá-las, por exemplo:

1. Amanda – amada

2. Margarida – uma flor

3. Marcel – mar e céu

4. Marilia – mar e ilha

5. Pedro – pedra

6. Marcelo – martelo

7. Carla – carta

8. Ricardo – “Ricardão” – amante

9. Maurício – “Mauricinho” – almofadinha, engomado, rico etc

10. Carlos – car (carro em inglês) + los

11. Fábio – (nota musical) + bio (biologia)

12. Raquel – ralador – queijo – lavado

Acima você leu muitas formas diferentes de associações. Crie as que lhe forem melhores e mais fáceis de lembrar. Segue agora a primeira avaliação de leitura. Para ler esse texto do próximo subitem, é preciso ter um relógio ou cronômetro para contar o tempo que você levará para lê-lo e compreendê-lo por completo.

O QUE É HIPNOSE?

“As coisas que é preciso ter aprendido para fazê-las é fazendo que aprendemos.” Aristóteles (384 - 322 a.C.), filósofo grego.

Exercícios para melhorar a concentração, memória e leitura dinâmica

A hipnose é um método rápido e eficaz na solução de diversos problemas psicológicos e que podem influenciar até na eliminação do peso, por exemplo. Hipnose é um estado modificado de consciência, no qual ocorrem fenômenos

hipnóticos 1 , por meio da comunicação entre hipnoterapeuta e sujeito. O indi- víduo focaliza sua atenção e direciona seus pensamentos; com isso, intensifica a atividade cerebral. Uma pessoa hipnotizada pode entrar em um transe leve, médio ou profundo e essa variação é pessoal e momentânea, mas não faz com que a pessoa perca a consciência. Durante o tratamento psicológico é possível que haja:

• um processo educativo;

• orientação;

• recuperação e modificação das causas que levam a pessoa a ter o compor-

tamento indesejado perante a comida;

• ajustamento psicológico de modo a tornar efetiva a superação e solução de conflitos e problemas diversos que podem estar influenciando no peso, tais como: ansiedade, depressão, medos, insegurança, angústia, falta de pers- pectiva, mudanças de humor etc.

1 Conheça agora os fenômenos hipnóticos:

rapport (sintonia, aliança terapêutica);

• catalepsia (imobilização, ausência da vontade de se mover);

• dissociação (pensamento/sensação/sentimento de ser duas pessoas numa só, sendo possível executar coisas diferentes ao mesmo tempo);

• analgesia (diminuição da intensidade da sensibilidade à dor);

• anestesia (não sentir parte do corpo);

• regressão de idade (recordação de algo como se estivesse vivendo pela primeira vez);

• progressão de idade (ver-se no futuro realizando coisas);

• distorção do tempo (falta de percepção do tempo cronológico);

• alucinação positiva (ter a percepção de algum dos cinco sentidos de algo que não está presente);

• alucinação negativa (falta de percepção de algum dos cinco sentidos de algo que está presente);

• amnésia (não-lembrança de partes ou de tudo que aconteceu), hipermnésia (lem- brança aguçada de algo);

• atividade ideossensória/ideomotora (sinalizações com o corpo em resposta a um comando);

• sugestão pós-hipnótica (execução pós-transe de algo pedido durante o transe).

Treinamento Prático de Memorização

“Nem no ar, nem no meio do oceano, nem nas profundezas das montanhas, nem em nenhuma outra parte desse vasto mundo, não existe lugar onde o homem possa escapar às conseqüências de seus atos.” Buda (563 - 483 a.C.), líder espiritual, fundador do Budismo.

Esse método vai ajudá-lo a viver melhor, vai aumentar seu poder pessoal, sua auto-imagem será mais coerente e menos crítica; vai superar crenças limi- tadoras, sensações inadequadas, fortalecendo sua auto-estima. Vai ajudá-lo a desenvolver hábitos mais saudáveis, adquirir novas alternativas e novos cami- nhos em sua vida. A hipnose são comandos que das primeiras vezes a mente pode tender a re- sistir. Isso acontece, pois a própria mente foi treinada de forma oposta ao longo dos anos, na sua grande maioria sem a intenção desse condicionamento. Agora é necessário descondicionar o que não tem mais funcionalidade. A conscienti- zação e o treino ajudam nesse sentido.

“Um gênio é uma pessoa de talento que faz toda a lição de casa.” Thomas A. Edison (1847-1931), inventor e empresário norte-americano.

Hipnose Ericksoniana – Milton Erickson (1901-1980), psiquiatra norte-ameri- cano, estudou e desenvolveu a comunicação e o uso da hipnose para melhor aten- der a seus clientes. Logo cedo ele percebeu que cada indivíduo respondia diferente- mente às técnicas e aos estímulos apresentados, e por isso passou a utilizar a hipnose de forma única, adaptada à realidade individual apresentada pelo paciente. Milton Erickson direcionava a atenção de seu cliente para aspectos de inte- resse e utilizava a linguagem pessoal (a forma como cada pessoa se comunica com ela mesma), métodos indiretos que ajudam a acessar com menor resistên- cia o consciente.

Exercícios para melhorar a concentração, memória e leitura dinâmica

A hipnose é uma forma de comunicação que pode provocar mudanças no pensamento, sentimento e comportamento. Embora as pessoas procu- rassem Milton Erickson com dificuldades, problemas e doenças aparen- temente iguais aos manifestados por tantas outras, os motivos da queixa eram diferentes para cada paciente. E, à medida que se respeita essa indivi- dualidade, sem seguir padrões preestabelecidos acerca do comportamento humano, muda-se o estado, proporcionando a esperada remissão dos sin- tomas. Ele utilizava aquilo que o próprio paciente trazia como ferramenta para a cura e o encontro de novas saídas. Milton Erickson contava histó- rias, usava metáforas, propunha tarefas e sugeria atividades como forma de intervenção. As pessoas ao passarem pelo transe hipnótico são capazes de desenvolver novas aprendizagens, reformular o pensamento, aprender outros hábitos, e redescobrir qualidades aparentemente adormecidas. Para que haja o pro- cesso de mudança é necessário refletir sobre a própria realidade para que se possa adquirir e/ou desenvolver o reconhecimento da responsabilidade sobre si mesmo. Esse aprendizado possibilita a reconstrução contínua das experiências vividas ou imaginárias, pois é através dos recursos internos que a pessoa poderá compreender, solucionar e adaptar-se diante de antigas e novas experiências.

Fonte: Araújo, Adriana de. O Segredo Para Emagrecer, Capítulo 11, São Paulo: Universo dos Livros, 2007.

Número de palavras: 795.

Tempo de leitura: minutos

segundos

Se tiver segundos, transforme os minutos em segundos. Por exemplo: 5 minutos e 8 segundos. 5 x 60 = 300 segundos + 8 segundos = 308 segundos de leitura.

795 ÷ tempo de leitura =

Mantenho esse mesmo exemplo:

795 ÷ 308 = 2,581 (palavras lidas por segundo).

2,581 x 60 = 154,86 (palavras lidas por minuto).

Treinamento Prático de Memorização

Questionário

1. Do que se trata o texto?

2. Cite dois fenômenos hipnóticos.

3. Explique um pouco sobre dois fenômenos hipnóticos.

4. O que é hipnose?

5. Quem foi Milton Erickson?

6. Em qual século Milton Erickson viveu?

Exercícios para melhorar a concentração, memória e leitura dinâmica

7. De qual livro esse texto foi tirado?

“O caminho mais curto para o sucesso é sempre tentar mais uma vez.” Thomas A. Edison (1847-1931), inventor e empresário norte-americano.

O resultado desse teste é como uma foto, tem significado momentâneo. Para compreender o que está escrito nesse momento você usa essa velocidade, mas poderá ser mais rápido. A velocidade de leitura para adquirir uma capa- cidade adequada de compreensão que você tem hoje é fruto de aprendizado e repetição desse mesmo padrão por diversas vezes, reforçando a memória dessa maneira. Por meio das técnicas e dos exercícios propostos nesse livro, você terá outros resultados, bem melhores do que tem no presente. Você aprenderá, a partir de agora, uma nova e mais rápida maneira de ler, compreender e gravar na mente aquilo que é preciso.

“É justamente a possibilidade de realizar um sonho que torna a vida interessante.” Richard Bach (1936), escritor norte-americano.

Treinamento Prático de Memorização

“E se diante de suas adversidades você soubesse que pode olhar o mundo de forma diferente, que pode desacelerar o tempo

E apreciar com maior clareza a situação, o que você faria?

Teria coragem para mergulhar dentro de si?

E descobrir quão forte você é?

Então, concentre-se, confie e enfrente, vá além, supere.

A adversidade faz você questionar suas limitações, convidando-o a ultrapas-

sar a fina camada que impede de conhecer a intensidade da vida.

É possível transformar adversidades em conquista e realização humana di-

zendo sim à vida, apesar de tudo. Então, prepare-se, demonstre confiança e faça o que tem que ser feito: supere. Ninguém vai muito longe sozinho Precisamos um dos outros para voar. Eleve-se. Enfrente o desconhecido. Encontre o silêncio. Há sempre uma luz indicando uma nova possibilidade de se sobrepor e apre- ciar suas condições da vida descobrindo assim que o potencial de realização. Está em nossas próprias mãos. Fortaleça-se com a vida, vai mais longe quem tem um propósito, e quem se prepara para o impossível. ‘Quem tem um porquê enfrenta qualquer como.’” Viktor Frankl (1905 - 1997), idealizador da Logoterapia, abordagem psico- terápica focada no sentido da vida.

Fonte: http://www.youtube.com/watch?v=8M-DzaP-AMA. Vídeo: “Su- pere-se”. De: anaprovazi. Adicionado em: 15 de maio de 2007. O vídeo foi assistido 15.992 vezes até o dia 14 de junho de 2008.

Para ler é necessário:

• possuir condições físicas;

• ambiente com iluminação e condições externas adequadas;

• condição intelectual para compreensão das letras, palavras e dos sentidos.

Aprendemos a ler na velocidade da nossa fala. Passamos os olhos nas pala- vras no mesmo ritmo que conseguimos pronunciá-las. Mas será que a mente precisa desse tempo todo para conseguir ler e assimilar o que está escrito?

Exercícios para melhorar a concentração, memória e leitura dinâmica

“Qualquer coisa que você possa fazer, ou sonha que possa fazer, comece a fazê-la. A ousadia tem em si genialidade, força e magia.” Johann Wolfgang von Goethe (1749-1832), es- critor, cientista e filósofo alemão.

Você aprendeu a ler sílaba por sílaba:

17

VOCÊ LÊ SÍLABA POR SÍLABA, POIS FOI ASSIM QUE VOCÊ

1

2

3

4

5

6

7

8

9 10

11

12

13

14

15

16

18

19

20 21

22

APRENDEU A LER.

23 24 25 26 27 28 29

A VELOCIDADE É LENTA.

30

31

32

VOCÊ USA MUITO TEMPO PARA LER.

33 34 35

36 37

38

39 40 41

42

43 44 45 46

47

48

49

50 51

52

53

54

55

E ISSO FAZ COM QUE VOCÊ SE DESCONCENTRE

Você pode começar a treinar sua mente e seus olhos a ler palavra por palavra:

1

2

3

4

5

6

VOCÊ PODE LER PALAVRA POR PALAVRA.

7

8

9

10

ISSO AUMENTA SUA VELOCIDADE

11

12

13

14

DE LEITURA E CONCENTRAÇÃO.

Treinamento Prático de Memorização

Depois de treinado e aprendido a ler palavra por palavra, você poderá ler em grupo as palavras e isso lhe ajudará a ganhar velocidade e concentração:

1 2 3 4 5
1
2
3
4
5

VOCÊ LÊ COM VELOCIDADE AO LER PALAVRAS EM GRUPO,

6

3 4 5 VOCÊ LÊ COM VELOCIDADE AO LER PALAVRAS EM GRUPO, 6 7 GANHA TEMPO

7

4 5 VOCÊ LÊ COM VELOCIDADE AO LER PALAVRAS EM GRUPO, 6 7 GANHA TEMPO E
4 5 VOCÊ LÊ COM VELOCIDADE AO LER PALAVRAS EM GRUPO, 6 7 GANHA TEMPO E

GANHA TEMPO E CONCENTRAÇÃO.

“O rio atinge seus objetivos, porque aprendeu a contornar obstáculos.” Lao Tsé (604 -517 a.C.), fundador do Taoísmo.

Na Internet, circula um texto muito curioso:

“De aorcdo com uma pqsieusa de uma uinrvesriddae ignlsea, não ipomtra em qaul odrem as lrteas de uma plravaa etãso, a úncia csioa iprotmatne é que a piremria e útmlia lrteas etejasm no lgaur crteo. O rseto pdoe ser uma ttaol bçguana que vcoê cnocseguee anida ler sem pobrlmea. Itso é poqrue nós não lmeos cdaa ltrea szoinha, mas a plravaa cmoo um tdoo. Lgeal, não é msemo?”

Escrevo o mesmo conteúdo acima, mas agora da forma correta: “De acordo com uma pesquisa de uma universidade inglesa, não importa em qual ordem as letras de uma palavra estão, a única coisa importante é que a primeira e a última letras estejam no lugar certo. O resto pode ser uma total bagunça que você consegue ainda ler sem problema. Isso é porque nós não lemos cada letra sozinha, mas a palavra como um todo. Legal, não é mesmo?” Importante lembrar que as palavras menores são mais facilmente entendi- das, mas com treino, fica fácil independente do tamanho das palavras. Seguin- do o mesmo princípio, se você quiser, pode montar seus textos, preservando a primeira e a última letra, e perceberá que será capaz de compreender todo o texto ou boa parte dele. Mais uma vez eu ressalto: treino é fundamental. Você pode completar os textos. Essa é mais uma maneira de você treinar sua mente:

Exercícios para melhorar a concentração, memória e leitura dinâmica

“Era *** vez um homem muito feliz *** sua família. Mas veio * guerra e ele teve *** partir. Durante ** anos que ficou fora, seus filhos cresceram *** saudade do pai. Quando * guerra acabou e * homem voltou para casa, pôde ficar *** sua esposa * seus filhos. Mas ** meninos pareciam se exibir de toda a forma para chamar sua atenção: queriam provar *** eram melhores e *** sabiam fazer qualquer coisa muito bem. * mais novo era ótimo ** pesca, o ** meio, excelente na corrida, e * mais velho, muito bom *** números. E isso só fazia crescer ** brigas entre eles. Mas * pai, na verdade, não queria essa competição ** casa * foi logo dizendo * união faz * força e eu amo vocês como são, mas sem competições.”

“As árvor*s, n*rmalment*, busc*m o sol e se mov*mentam c*m as chu*as, com o ven*o, parecend* *ma d*nça. Qu*m olha, nem sempr* ent*nde como é import*nte essa adapt*ção. S* na* foss* *sso, certam*nte, ao pr*meiro v*ndaval, t*das as *rvores seriam arrancad*s do chão e n*da mais r*staria. De fato, é precis* um cert* j*go de cint*ra, harmon*a, paciênc*a, d*dicação. Ass*m, estã* f*rmes bo* p*rtes das *rvores, pois tem * capac*dade d* aprend*r a conv*ver com as vic*ssitudes da v*da.”

“Existe* *uitas fo*mas de se ap*ender algo. Vo*ê po*e encontra* o seu camin*o. Co*o rea*mente se ap*ende algo no*o? Somen*e atravé* *e repeti*ão? Ain*a be* que *ão! Ma* é importan*e lembra* *ue esse é um óti*o, e*celente e mai* comu* proces*o de memoriza*ão. *ocê es*á treinan*o mai* de uma *orma de reaprende* o que já *abe: ler e memori*ar. Ago*a, atravé* dessa leitu*a pode*á de*envolver ou*ras manei*as de se conse*uir o *ue real*ente *uer.”

De fato, é possível treinar ainda mais o movimento ocular e a rapidez de compreensão dos textos. Talvez você tenha alguns vícios ao ler e pode- rá mudá-los através dos métodos ensinados nesse livro. É possível mudar o

tempo, o rendimento e seus hábitos de leitura. Ao ler com rapidez e agilidade você poderá:

• enriquecer o seu vocabulário;

• aumentar conhecimento sobre diversos assuntos;

• ativar a imaginação e a fantasia;

• repensar e mudar idéias, conceitos e valores;

• manter a mente viva.

Objetivo dos próximos exercícios: treinar a visão e conseqüentemente a men- te. Mas lembre-se: você deve mover os olhos e não a cabeça, pois o movimento do rosto todo atrapalha a leitura. Vamos treinar a mente e os olhos. Para come- çar, será feito por meio de desenhos:

Treinamento Prático de Memorização

 

As imagens são mais fáceis de absorção do que as palavras, este é o princípio do mapa mental. As técnicas de leitura dinâmica desse livro vão lhe ensinar a aproveitar me- lhor seu tempo e seu rendimento, pois, é de extrema importância que se faça experiências constantes, que se possa treinar os olhos, a mente e os pensamen- tos para desenvolvimento de uma nova tecnologia.

Lembre-se: o cérebro trabalha com imagens e não com palavras.

Outro exercício para os olhos:

imagens e não com palavras. Outro exercício para os olhos: Figura 5.1. Para fazer esse exercício

Figura 5.1.

Para fazer esse exercício deve-se passar os olhos de forma lenta e gradual- mente aumentar o ritmo. Isso ajuda a treinar os olhos. Na seqüência, você deve fazer esse outro movimento a seguir. Deve-se fazê-lo depois que o primeiro es- tiver treinado. Lembrando que para um novo aprendizado é necessário dedicar tempo para um treinamento eficaz.

Exercícios para melhorar a concentração, memória e leitura dinâmica

para melhorar a concentração, memória e leitura dinâmica Figura 5.2. Deve-se fazer uma leitura em que

Figura 5.2.

Deve-se fazer uma leitura em que os olhos “passeiam” pelas palavras e não “palavra por palavra”. Esse último jeito, só faz perder tempo. Para praticar me- lhor os exercícios que estão descritos acima, deve-se fazer também esse movi- mento ocular ao ler um livro, um texto ou algo escrito. No primeiro momento, não há necessidade de se preocupar com o conteúdo e sim com o treino ocular. Lembrando de fazer isso com textos que já foram lidos, com assuntos que não sejam de extrema importância nesse momento. Tenha disciplina e ordem que certamente há de alcançar o que você quer.

e ordem que certamente há de alcançar o que você quer. Figura 5.3. Treine também seguir

Figura 5.3.

Treine também seguir com os olhos esse desenho. Sempre aumentando o ritmo e os movimentos. Pode começar de um lado ou de outro das pontas. Isso facilitará a agilizar a leitura. Olhe no centro do desenho (no asterisco) e procure, sem movimentar os olhos, ler as letras que estão à volta, treinando a visão periférica.

Treinamento Prático de Memorização

 

T

 

U

J

F

*

L

 

K

Z

 

W

A

 

Q

B

H

*

R

 

V

G

 

L

Exercícios para melhorar a concentração, memória e leitura dinâmica

 

R

 

F

C

A

*

U

 

B

N

 

I

E

 

L

I

P

*

F

 

O

A

 

D

Treinamento Prático de Memorização

 

I

 

C

R

Q

*

S

 

Y

U

 

J

K

 

Z

I

U

*

W

 

A

Y

 

N

Exercícios para melhorar a concentração, memória e leitura dinâmica

 

R

 

E

G

M

*

A

 

C

G

 

U

B

 

A

S

H

*

O

 

Z

Y

 

T

Treinamento Prático de Memorização

 

X

 

J

L

E

*

U

 

D

Y

 

R

Faça o mesmo que você fez no exercício anterior, fixe seu olhar no asterisco, e leia as letras a volta sem mover o olhos.

 

AW

 

FM

OL

GH

*

KP

 

ZU

ER

 

QB

Exercícios para melhorar a concentração, memória e leitura dinâmica

 

AF

 

NB

QW

RZ

*

UI

 

JK

OP

 

BT

VC

 

EU

MA

GJ

*

FH

 

SX

YN

 

TI

Treinamento Prático de Memorização

 

SL

 

AM

UP

HE

*

OR

 

VB

MG

 

PE

ET

 

MN

UH

GT

*

LP

 

EW

LK

 

OR

Exercícios para melhorar a concentração, memória e leitura dinâmica

 

ZT

 

AQ

KU

IP

*

LR

 

WE

BH

 

OA

EO

 

AI

ZC

GF

*

UE

 

QT

HO

 

LV

Treinamento Prático de Memorização

EQ

 

DC

HU

AO

*

BN

 

CY

FO

TM

Olhe as letras do centro, sem mover os olhos para as laterais. Perceba as letras do lado esquerdo e do lado direto.

A

G

C

Z

E

J

W

U

L

X

Q

K

Exercícios para melhorar a concentração, memória e leitura dinâmica

S

M

N

T

X

F

I

O

L

Y

B

M

Seus olhos devem se manter nas letras do centro, sem movê-los para as late- rais. Você deve perceber as letras do lado esquerdo e do lado direto.

MA

R

OI

HU

A

JL

MA

F

OI

Treinamento Prático de Memorização

HU

E

JL

FR

L

HQ

WQ

O

DC

AY

B

PJ

VI

C

SA

Você deve olhar as letras do centro, sem mover os olhos para as laterais, mas deve conseguir ler as palavras do lado esquerdo e do lado direto.

RUA

V

CIDADE

VILAREJO

I

SABER

Exercícios para melhorar a concentração, memória e leitura dinâmica

GOSTO

C

PROGRAMA

AMOR

E

CAMA

SABOR

N

TELEFONE

CARRO

T

BANHO

MÚSICA

E

RÁDIO

VITÓRIA

A

SUCESSO

Leia a seguir com agilidade e também procurando ter atenção no significa- do das palavras:

Treinamento Prático de Memorização

A

UM

MÊS

TRÊS

MESMO

QUANTO

ATENÇÃO

PALAVRAS

MOVIMENTO

APRENDENDO

JACAREPAGUÁ

APRENDIZAGEM

COMPROMISSADO

TRANSPORTADORA

ITAQUAQUECETUBA

INTELIGENTEMENTE

Siga com olhos (sem mover a cabeça) as palavras e treine a agilidade. De- pois em outro momento a compreensão, ou seja, passar os olhos e depois ler de forma rápida. Por isso, faça várias vezes a leitura. Esse é um exercício de movimentação dos olhos com duas palavras (com sentido).

Exercícios para melhorar a concentração, memória e leitura dinâmica

*

sol brilhante

*

fruta azeda

*

caixa preta

*

janela aberta

*

controle remoto

*

amarelo claro

*

trevo da sorte

*

rádio relógio

*

carro azul

*

torneira pingando

*

televisão colorida

*

vento gelado

*

prateleira cinza

*

brinquedo de criança

*

cafezinho doce

*

mar calmo

*

girassol amarelo

*

prato sujo

*

porta cd

*

botão duro

*

dvd quebrado

*

chocolate amargo

*

pão duro

*

envelope pardo

Treinamento Prático de Memorização

*

blusa justa

*

música lenta

*

porta barulhenta

*

família feliz

*

cobertor azul

*

controle remoto

*

chão escorregadio

*

ouro vermelho

*

pé descalço

*

sala quente

*

viagem longa

*

bola vazia

*

sapato virado

*

projetor pequeno

*

anel largo

*

prata velha

*

Internet rápida

*

vidro transparente

*

bolsa pesada

*

som alto

*

unha cortada

*

sofá reclinável

*

escada estreita

*

criado mudo

Exercícios para melhorar a concentração, memória e leitura dinâmica

*

telefone quebrado

*

edredon quente

*

carta importante

*

guarda-roupa

*

livros pesados

*

gelo seco

*

porta retrato

*

garrafa vazia

*

agenda vermelha

*

porta treco

*

desodorante cheiroso

*

chinelo bordado

*

colchão duro

*

régua diferente

*

água gelada

*

lapiseira verde

*

elástico frouxo

*

caixa quadrada

*

meia grossa

*

cadeira confortável

*

batom vermelho

Próximo exercício de movimentos oculares com duas palavras que não ne- cessariamente tenham sentido.

Treinamento Prático de Memorização

*

lar brilhante

*

espera foto

*

regra mar

*

colher cotovelo

*

capítulo ordem

*

rosto sal

*

esbanjar doído

*

principal luar

*

esforço torneira

*

pato teatro

*

sola elefante

*

moldura remédio

*

margem nervos

*

maça óculos

*

dinâmico leite

*

jamais direito

*

orientação veloz

*

alerta dinâmica

*

amar sonho

*

mimar salão

*

ruína alemão

*

exemplo queimado

*

pimenta garantia

*

manga submarino

Exercícios para melhorar a concentração, memória e leitura dinâmica

*

queimado quadro

*

esquema técnica

*

verdade remédio

*

uva conspirar

*

recepção cavalo

*

trigo colheita

*

cadência desenho

*

paralelepípedo triângulo

*

lareira chão

*

pagamento falar

*

consciência população

*

jogos saída

*

espeto leal

*

disco banheiro

*

fundo forma

*

pincel papel

*

novo correndo

*

único topo

*

acordo perigo

*

gato grampo

*

palpite leitura

*

calórico estrela

*

pintura seta

*

relógio tomada

Treinamento Prático de Memorização

*

celular cordão

*

barba brinco

*

metal correspondência

*

acabamento agulha

*

vidro piso

*

disquete microfone

*

salto caviar

*

teclado dedo

*

dente árvore

*

etiqueta batente

*

calendário dia

*

saliva cílios

*

penteado sorriso

*

margens conduta

*

colar unha

*

parede madeira

*

sacola espelho

*

estudante geladeira

*

lâmpada dourado

*

luminária almofada

*

dever ingerir

Exercício treinando o movimento ocular com duas ou três palavras:

Exercícios para melhorar a concentração, memória e leitura dinâmica

*

olho de tigre

*

perna de pau

*

caixa de som

*

música ao vivo

*

livro de couro

*

loja em liquidação

*

manga da camisa

*

eis a questão

*

arco-íris no céu

*

copo de suco

*

dvd de filme

*

programa de rádio

*

propaganda de cerveja

*

com uma perna

*

ler com pressa

*

fiz de tudo

Treinamento Prático de Memorização

*

coração de lata

*

gesto sem sentido

*

carga pesada

*

mesmo sem querer

*

somente a verdade

*

tendo andado distraído

*

imagine o que

*

fim de semana

*

medo do escuro

*

mercado de ações

*

entra e sai

*

eu quero apenas

*

o lado inconsciente

*

quem vai pilotar

*

conversa bem fiada

*

lua de mel

Exercícios para melhorar a concentração, memória e leitura dinâmica

*

manteiga de cacau

*

leite condensado puro

*

felicidade a todos

*

eu sempre quis

*

passos de moleque

*

copa e cozinha

*

muitos anos atrás

*

chocolate em pó

*

meus sinceros sentimentos

*

nessa data querida

*

fantasia de criança

*

sala de espera

*

quem disse isso

*

na hora certa

Continue com o exercício para treinar a rapidez dos olhos. Agora com fra- ses curtas.

Treinamento Prático de Memorização

*

jogos de cartas

*

batom cor de boca

*

eu falei que pode

*

você bem sabe o que

*

quando ele vem aqui

*

quero desse jeito

*

quem arrisca, petisca

*

carnaval de rua

*

mágica com baralho

*

sabe-se lá o que

*

talvez seja assim mesmo

*

e por que não fazer

*

nada pode ser assim

*

tem tudo a ver com você

*

até parece que é

*

coisa de gênio

Exercícios para melhorar a concentração, memória e leitura dinâmica

*

é uma excelente idéia

*

lendo cada vez mais

*

muita velocidade nos olhos

*

você pode se treinar

*

quem sabe isso é você

*

quem diz o que quer

*

lado inconsciente sábio

*

pratique esportes regularmente

*

gosto muito de caminhar

*

rapidez adquire-se com treino

*

mudança requer disciplina

*

faça bem feito até o fim

*

aceitar e mudar se preciso

*

escute a voz do coração

*

mente equilibrada com exercícios

*

confie na sua capacidade

Treinamento Prático de Memorização

*

estudo o que for preciso

*

posso agora e depois

*

eu me cuido com carinho

*

viver em plena paz

*

sucesso no que se faz

*

seu merecido reconhecimento

*

cuidar da saúde mental

*

amigos sempre presentes

*

planejamento é fundamental

*

quero ainda mais

*

escolho o que é bom para todos

*

poder de uma outra maneira

*

alcance do que se pode

*

viver em boa harmonia

*

boa forma de se relacionar

*

andando no caminho certo

Exercícios para melhorar a concentração, memória e leitura dinâmica

Você pode estar estudando por prazer e interesse, obrigação ou necessidade. Independente do seu motivo, o aprendizado se dá por estes três processos, e por meio da repetição, constância ou mesmo por aborrecimento. Mantenha a seqüência dos próximos exercícios. Outra tarefa para movi- mentar os olhos com frases um pouco mais extensas que as de cima.

1 2
1
2

Você pode treinar sua forma de ler.

3

que as de cima. 1 2 Você pode treinar sua forma de ler. 3 4 Por

4

as de cima. 1 2 Você pode treinar sua forma de ler. 3 4 Por isso
as de cima. 1 2 Você pode treinar sua forma de ler. 3 4 Por isso

Por isso poderá ler mais rápido e com qualidade.

5

6

3 4 Por isso poderá ler mais rápido e com qualidade. 5 6 Você conseguirá agilidade
3 4 Por isso poderá ler mais rápido e com qualidade. 5 6 Você conseguirá agilidade

Você conseguirá agilidade na leitura das frases.

7

5 6 Você conseguirá agilidade na leitura das frases. 7 8 Lembre-se de passar os olhos
5 6 Você conseguirá agilidade na leitura das frases. 7 8 Lembre-se de passar os olhos

8

5 6 Você conseguirá agilidade na leitura das frases. 7 8 Lembre-se de passar os olhos

Lembre-se de passar os olhos pelas palavras.

9

frases. 7 8 Lembre-se de passar os olhos pelas palavras. 9 10 Você não precisa pronunciar
frases. 7 8 Lembre-se de passar os olhos pelas palavras. 9 10 Você não precisa pronunciar

10

7 8 Lembre-se de passar os olhos pelas palavras. 9 10 Você não precisa pronunciar cada
7 8 Lembre-se de passar os olhos pelas palavras. 9 10 Você não precisa pronunciar cada

Você não precisa pronunciar cada palavra mentalmente.

11

Você não precisa pronunciar cada palavra mentalmente. 11 12 Você entende seu significado muito mais rápido.
Você não precisa pronunciar cada palavra mentalmente. 11 12 Você entende seu significado muito mais rápido.

12

não precisa pronunciar cada palavra mentalmente. 11 12 Você entende seu significado muito mais rápido. 13

Você entende seu significado muito mais rápido.

13 14
13
14

Mudar faz parte da vida das pessoas.

15 16
15
16

Treine seus olhos para ler mais rápido.

17 18
17
18

Você consegue e sabe que consegue.

19

20

rápido. 17 18 Você consegue e sabe que consegue. 19 20 Acreditar no que você faz
rápido. 17 18 Você consegue e sabe que consegue. 19 20 Acreditar no que você faz

Acreditar no que você faz lhe traz resultados bons.

21

22

Como é bom poder se lembrar de treinar.

23

24

bons. 21 22 Como é bom poder se lembrar de treinar. 23 24 Você adquire cada
bons. 21 22 Como é bom poder se lembrar de treinar. 23 24 Você adquire cada

Você adquire cada vez mais segurança no que faz.

25

23 24 Você adquire cada vez mais segurança no que faz. 25 26 É necessário planejamento
23 24 Você adquire cada vez mais segurança no que faz. 25 26 É necessário planejamento

26

24 Você adquire cada vez mais segurança no que faz. 25 26 É necessário planejamento para
24 Você adquire cada vez mais segurança no que faz. 25 26 É necessário planejamento para

É necessário planejamento para alcançar novos resultados.

27

28

planejamento para alcançar novos resultados. 27 28 Agilidade na leitura com capacidade de compreensão. 29 30
planejamento para alcançar novos resultados. 27 28 Agilidade na leitura com capacidade de compreensão. 29 30

Agilidade na leitura com capacidade de compreensão.

29 30 Você mesmo sabe que isso é possível. 31 32 Eu penso que você
29
30
Você mesmo sabe que isso é possível.
31
32
Eu penso que você já sabe bastante.
Treinamento Prático de Memorização

Exercícios para melhorar a concentração, memória e leitura dinâmica

33

34

a concentração, memória e leitura dinâmica 33 34 E justamente por saber, pode continuar por esse