Você está na página 1de 34

Plano Económico e

Financeiro da ANF
2021-2026
Índice
1. Enquadramento

2. Objectivos Globais

3. Plano Económico

4. Plano Financeiro

5. Modelo de Governo

2
1. Enquadramento

3
Enquadramento Geral

As farmácias portuguesas atravessaram na última década momentos muito difíceis.


A origem dos problemas remota a 2005, mas foi particularmente no período da Troika que eles se agravaram,
conduzindo a uma situação generalizada de insustentabilidade do sector.
A redução brutal do mercado, das margens e dos preços atingiu drasticamente as farmácias, estando na
origem da sua maior crise económica e financeira de que há memória.
Desde então, o esforço do sector tem sido de resistência e reestruturação da actividade.
Recuperar a sustentabilidade e preparar o futuro tem sido o centro das preocupações das farmácias.
A política associativa foi direcionada também para estes dois objectivos.
Manteve-se o nível de serviços prestados pela ANF às farmácias, num quadro de redução substancial das suas
receitas.
Na década de 2011/2020, a receita média anual em quotizações foi inferior em 5,3 M€, quando comparada
com a receita média anual na década anterior 2001/2010.
Foi reestruturado o modelo de gestão e coordenação dos universos associativo e empresarial.
Foi reorganizada a gestão da informação, procurando uma ligação coerente entre a estratégia global da ANF,
das unidades de negócio e da actividade das farmácias.

4
Enquadramento Geral

A Farminveste aumentou para 51% a sua participação do capital da Alliance Healthcare, através da aquisição de
uma participação de 2% à José de Mello Saúde.
Foi celebrado um novo acordo parassocial com a WBA.
Foram inaugurados dois novos armazéns, em Alverca e na Madeira, e foi constituída a parceria entre a Alloga e a
Logifarma.
Foram desenvolvidos novos sistemas de suporte tecnológico à operação a Alliance Healthcare, em fase de
conclusão.
Foi concluída a reestruturação da Glintt e melhorada a prestação de serviços às farmácias; Foi reforçada
substancialmente a sua presença em Espanha; Foi lançada uma oferta pública de aquisição que aumentou em
27% a participação da Farminveste no capital da empresa; O passivo foi reduzido.
A Finanfarma foi transformada em IFIC, reforçado o seu capital e desenvolvidos novos produtos de crédito e de
meios de pagamento. A empresa continua a manter os níveis de financiamento adequados para garantir o
adiantamento e o pronto pagamento às farmácias, com linhas superiores a dois meses de adiantamento.
Pelo meio da crise, teve lugar um contencioso complexo com a Autoridade da Concorrência, a propósito da
actividade da HMR, que felizmente se resolveu em termos positivos ao fim de alguns anos.

5
Enquadramento Geral

Em síntese, apesar da crise profunda que atingiu o sector, foi percorrido desde o período da Troika um caminho de
resistência e de reorientação da actividade.
Continua a haver, todavia, um longo caminho a percorrer.
O modelo económico e financeiro das farmácias continua a não garantir a sua sustentabilidade e independência;
O Estado, porém, não se tem revelado sensível às dificuldades do sector.
A ANF e as suas empresas constituem um activo valorizado mas ainda não atingiram a performance individual
desejável e o seu contributo para a actividade económica das farmácias ainda não é o necessário, enquanto
retorno aos accionistas.
Há dificuldades no desenvolvimento da actividade de algumas empresas e na redução do passivo financeiro da
Farminveste.

O conhecimento dos dados em saúde é uma actividade muito importante e um negócio de futuro, mas não foi
possível, até à presente data, viabilizar a HMR em Espanha e suspendemos o seu lançamento na Alemanha.

6
Enquadramento Geral

O Infosaúde, que agrega as principais áreas profissionais CEDIME, LEF, CEFAR e Escola, tem vindo gradualmente a
alargar a prestação de serviços a novas áreas e clientes, mas ainda não atingiu o nível de independência
adequado de receitas da ANF ou das farmácias.
Na área das Farmácias Portuguesas, o programa tem vindo a evoluir muito positivamente em número de
utilizadores, assumindo-se com o segundo maior programa de fidelização a nível nacional, mas o projecto das
marcas próprias tem-se revelado difícil e, por isso mesmo, terão de ser alvo de reavaliação, sendo igualmente
importante concretizar a transformação digital e omnicanal do negocio das farmácias.
Em pleno esforço para ultrapassar as graves sequelas que nos foram impostas no período da Troika e quando
aparentemente o País parecia estar a libertar-se da crise económica e financeira, abateu-se sobre nós e sobre
todo o Mundo uma crise sanitária, com consequências económicas e sociais devastadoras.
Vivemos actualmente um período de incerteza, talvez sem precedentes na história de Portugal.
Neste enquadramento, é inevitável reavaliar as prioridades associativas e do universo empresarial.
Temos o dever de nos preparar para o pior, esperando o melhor.
O Plano Económico e Financeiro 2021/2026 inscreve-se no propósito de acelerar a preparação do futuro do sector
e das suas organizações associativa e empresarial, através de medidas a implementar no universo associativo e a
promover pela ANF, enquanto accionista, no universo empresarial.

7
2. Objectivos Globais

8
Objetivos Globais

• Robustecer o balanço e reduzir o passivo da ANF e das empresas.


• Reduzir o passivo total da Farminveste de €115M em 2020 para €90M em 2023 e €70M em 2026, para atingir um
nível de dívida líquida sustentável face ao EBITDA, de acordo com os melhores critérios e práticas de mercado.
• Dar continuidade ao programa de emissão de obrigações convertíveis para subscrição pelas farmácias, em
condições de mercado atractivas, para substituir o passivo bancário e obrigacionista não convertível.
• Reduzir os custos operacionais na ANF, estruturas de suporte e áreas não produtivas das empresas.
• Até 2023, de forma progressiva, reafectar 0,5% da quota variável à reserva de investimento.
• Simplificar a estrutura societária, reduzir os custos de suporte e reforçar o foco na eficiência operacional. Fundir a
Farminveste 3 e a Farminveste 4 com a Farminveste IPG.
• Com a formalização do acordo parassocial com a José de Mello Capital, construir, até final de 2021, uma nova
visão para a parceria no âmbito do Projeto CUF.
• Criar, a partir de Janeiro de 2021, a Comissão de Auditoria, Compliance e Gestão de Risco, com objectivos de
suporte ao Conselho Nacional, à Direcção e aos Conselhos de Administração das Empresas.
• Criar uma Comissão de Remunerações na ANF com competência para definir a política de remunerações e
aprovar as remunerações dos membros dos órgãos sociais quando exerçam funções executivas.

9
3. Plano Económico

10
ANF

Variação Variação
ANF Real19 BU2020 Forecast20
F20 vs BU20
BU2021
BU21 vs F20
Volume de negócios 23 485,2 23 870,1 24 560,0 689,9 2,9% 22 470,0 -2 090,0 -8,5%
Fornecimentos e serv. Externos -6 926,7 -6 202,5 -6 039,2 163,3 2,6% -5 995,8 43,4 0,7%
Gastos com o pessoal -5 987,4 -6 300,5 -6 504,5 -204,0 -3,2% -4 505,9 1 998,6 30,7%
Outros gastos operacionais -2 328,1 -2 004,1 -2 190,1 -185,9 -9,3% -1 312,3 877,7 40,1%
OPEX -15 242,2 -14 507,1 -14 733,8 -226,7 -1,6% -11 814,0 2 919,7 19,8%
EBITDA 8 902,9 9 363,0 9 988,4 625,5 6,7% 10 670,5 682,1 6,8%
Depreciações e amortizações -2 361,9 -2 686,5 -2 449,8 236,7 8,8% -2 308,7 141,1 5,8%
Resultado financeiro -5 838,3 -6 091,5 -6 304,6 -213,1 -3,5% -6 743,6 -439,0 -7,0%
Resultado Líquido Exercício 700,9 585,0 933,9 349,0 59,7% 1 318,1 384,2 41,1%

• Reduzir custos de pessoal e FSE’s, estabilizando o OPEX abaixo dos €12M.


• Reduzir o OPEX em prestadores de serviços e na área de comunicação.
• Em 2021, retomar de forma progressiva a dotação de uma parte da quotização variável para reserva de investimento. Esta dotação traduz-se
numa redução do volume de negócios de €2,6M, em 2021 e de €8,1M em 2023, atingindo no final do triénio 0,5% da quotização variável.
• A reserva de investimento será utilizada prioritariamente para reduzir o passivo da ANF e da Farminveste, e, cumprido esse objectivo, em iniciativas
de desenvolvimento do sector, em particular no domínio da prestação de serviços, transformação digital e coesão da rede, em investimento em
novos activos estratégicos e remuneração das farmácias pelo investimento efectuado.
• Os valores apresentados não contemplam o recebimento da dívida da ARS LVT referente ao Hospital Amadora Sintra, cuja decisão final se espera
favorável, devendo ocorrer no prazo de 1 a 2 anos.
• O recebimento daquele valor permitirá a redução da dívida, a criação de liquidez para financiamento de outros projectos e acelerar o processo
de reconstituição da dotação anual para reserva de investimento. 11
Infosaúde

Variação Variação
Infosaude Real19 BU2020 Forecast20
F20 vs BU20
BU2021
BU21 vs F20
Volume de negócios 7 956,0 8 734,4 9 017,1 282,7 3,2% 8 758,6 -258,5 -2,9%
Fornecimentos e serv. Externos -3 535,1 -3 350,4 -3 050,8 299,6 8,9% -2 953,8 96,9 3,2%
Gastos com o pessoal -5 314,6 -5 775,2 -5 884,4 -109,2 -1,9% -5 016,3 868,1 14,8%
Outros gastos operacionais -1 679,3 -83,1 -65,2 17,9 21,6% -83,1 -17,9 -27,5%
OPEX -10 529,0 -9 208,7 -9 000,3 208,4 2,3% -8 053,2 947,1 10,5%
EBITDA 321,0 -551,6 494,1 1 045,7 189,6% 563,7 69,6 14,1%
Depreciações e amortizações -1 072,2 -944,6 -1 178,5 -233,9 -24,8% -1 392,1 -213,6 -18,1%
Resultado financeiro -102,2 -35,8 -37,4 -1,6 -4,5% -35,8 1,6 4,3%
Resultado Líquido Exercício -741,9 -1 532,0 -280,5 1 251,6 81,7% -403,7 -123,2 -43,9%

• Reduzir custos de pessoal em 10%.

• Reduzir a prestação interna de serviços (HMR, ANF e outros) em €1,25M (-30%).

• Aumentar as vendas a clientes externos em €1M (+20%).

• O resultado líquido de 2020 está impactado pelo valor da mais valia da venda da Genibet (€515k).

• O Infosaúde em 2021 terá capacidade para gerar o cash flow necessário ao desenvolvimento da sua actividade e atingirá
um resultado líquido positivo em 2022.
12
Finanfarma

Variação Variação
FinanFarma Real19 BU2020 Forecast20
F20 vs BU20
BU2021
BU21 vs F20
Volume de negócios 4 171,8 5 126,6 4 600,0 -526,6 -10,3% 5 100,0 500,0 10,9%
Fornecimentos e serv. Externos -2 702,3 -3 253,6 -2 161,0 1 092,6 33,6% -1 742,0 419,0 19,4%
Gastos com o pessoal -2 829,1 -3 304,8 -3 057,0 247,8 7,5% -3 023,0 34,0 1,1%
Outros gastos operacionais 0,0 0,0 0,0 0,0 N/A 0,0 0,0 N/A
OPEX -5 531,4 -6 558,3 -5 218,0 1 340,3 20,4% -4 765,0 453,0 8,7%
EBITDA -1 761,1 -1 881,8 -843,0 1 038,8 55,2% 188,0 1 031,0 122,3%
Depreciações e amortizações -217,9 -633,3 -376,0 257,3 40,6% -759,0 -383,0 -101,9%
Resultado financeiro 0,0 0,0 0,0 0,0 N/A 0,0 0,0 N/A
Resultado Líquido Exercício -1 552,3 -1 978,9 -990,0 988,9 50,0% -661,0 329,0 33,2%

• Crescimento do produto bancário em 11% e redução de OPEX em 10%.

• Resultado líquido ainda negativo, mas EBITDA positivo.

• Está reflectido no orçamento o Projeto Wallet de Pagamentos (em OPEX, Amortizações & Receitas) mas o mesmo carece
ainda de aprovação pelos órgãos competentes.

• A Finanfarma em 2022 deverá atingir um resultado líquido positivo. 13


Alliance Healthcare

Variação Variação
AH Real19 BU2020 Forecast20
F20 vs BU20
BU2021
BU21 vs F20
Volume de negócios 642 084,1 658 552,0 644 086,0 -14 466,0 -2,2% 662 538,0 18 452,0 2,9%
Fornecimentos e serv. Externos -18 881,9 -20 094,4 -18 988,6 1 105,8 5,5% -19 430,2 -441,7 -2,3%
Gastos com o pessoal -18 488,1 -18 823,3 -19 264,3 -441,0 -2,3% -18 825,2 439,2 2,3%
Outros gastos operacionais 0,0 0,0 0,0 0,0 N/A 0,0 0,0 N/A
OPEX -37 369,9 -38 917,7 -38 252,9 664,8 1,7% -38 255,4 -2,5 0,0%
EBITDA 20 766,7 20 868,3 21 189,6 321,3 1,5% 21 081,6 -108,0 -0,5%
Depreciações e amortizações -6 389,0 -6 406,3 -6 807,8 -401,5 -6,3% -6 751,8 56,0 0,8%
Resultado financeiro -42,7 -375,0 -637,6 -262,6 -70,0% -323,2 314,5 49,3%
Resultado Líquido Exercício 10 332,4 10 396,0 11 388,4 992,4 9,5% 10 078,8 -1 309,5 -11,5%

• A empresa continua atenta a oportunidades de crescimento inorgânico dentro da cadeia de valor do medicamento e na
componente transaccional e logística de suporte à actividade das farmácias.

• O EBITDA de 2021 é ligeiramente inferior ao de 2020, mas este beneficia de um efeito positivo de reversão de imparidades
de clientes superior ao de 2021.

• O resultado líquido de 2020 está influenciado por uma recuperação de imposto (no montante de €1,5M) referente ao ano
2000, que se encontrava em contencioso tributário.
14
Glintt

Variação Variação
Glintt Real19 BU2020 Forecast20
F20 vs BU20
BU2021
BU21 vs F20
Volume de negócios 92 283,2 93 500,0 89 000,0 -4 500,0 -4,8% 100 000,0 11 000,0 12,4%
Fornecimentos e serv. Externos -28 912,7 -28 000,0 -26 500,0 1 500,0 5,4% -30 000,0 -3 500,0 -13,2%
Gastos com o pessoal -38 780,3 -41 500,0 -41 500,0 0,0 0,0% -44 500,0 -3 000,0 -7,2%
Outros gastos operacionais 0,0 0,0 0,0 0,0 N/A 0,0 0,0 N/A
OPEX -67 693,0 -69 500,0 -68 000,0 1 500,0 2,2% -74 500,0 -6 500,0 -9,6%
EBITDA 12 015,4 12 000,0 12 000,0 0,0 0,0% 13 000,0 1 000,0 8,3%
Depreciações e amortizações -7 371,4 6 400,0 6 400,0 0,0 0,0% 6 300,0 -100,0 -1,6%
Resultado financeiro -2 355,5 2 300,0 2 300,0 0,0 0,0% 2 300,0 0,0 0,0%
Resultado Líquido Exercício 356,5 1 500,0 1 600,0 100,0 6,7% 1 800,0 200,0 12,5%

• De acordo com as nossas projecções, estima-se um crescimento orgânico no ano de 2021, com impacto nos rendimentos e
gastos da empresas.
• A empresa deverá iniciar o processo de libertação das garantias prestadas pelo accionista Farminveste ao seu
financiamento bancário.
• A empresa deverá promover as medidas necessárias para, a partir de 2022 (com referência a o ano económico de 2021),
iniciar o pagamento de dividendos de 75% do resultado líquido, transformando-se numa área geradora de cash para os
accionistas.
• A médio prazo, deverão ser desenvolvidas parcerias estratégicas para o desenvolvimento do negócio da Glintt, no âmbito
da transformação digital (mantendo o foco em saúde, farmácias e outras competências core), preservando o controlo e
consolidando o posicionamento ibérico da empresa. 15
HMR

Variação Variação
hmR Consol. Real19 BU2020 Forecast20
F20 vs BU20
BU2021
BU21 vs F20
Volume de negócios 17 693,5 20 640,8 13 802,5 -6 838,3 -33,1% 16 614,6 2 812,1 20,4%
Fornecimentos e serv. Externos -17 800,0 -17 838,3 -14 296,9 3 541,4 19,9% -13 787,1 509,9 3,6%
Gastos com o pessoal -7 910,1 -8 990,6 -7 580,0 1 410,6 15,7% -6 908,6 671,4 8,9%
Outros gastos operacionais -924,8 0,0 -42,8 -42,8 N/A -32,3 10,4 24,4%
OPEX -26 635,0 -26 828,9 -21 919,7 4 909,2 18,3% -20 728,0 1 191,7 5,4%
EBITDA -8 089,0 -5 574,3 -7 347,2 -1 772,9 -31,8% -4 068,6 3 278,5 44,6%
Depreciações e amortizações -1 091,2 -1 552,9 -1 343,0 209,9 13,5% -1 518,1 -175,1 -13,0%
Resultado financeiro -507,6 -482,0 -146,7 335,3 69,6% -175,5 -28,8 -19,6%
Resultado Líquido Exercício -9 293,1 -7 609,2 -8 836,9 -1 227,7 -16,1% -5 118,3 3 718,6 42,1%

• A HMR (holding e participadas), em 2021, tem como limite máximo para consumo de cash do accionista (em OPEX e
CAPEX) o valor dos dados que a HMR Portugal paga à Farminveste (€4.350M).
• O OPEX será reduzido em 20% face ao orçamento de 2020.
• A HMR Irlanda, em 2021, devolverá suprimentos aos sócios, financiando-se localmente até ao limite de €1M para proceder
a essa devolução.
• A HMR Espanha, em 2022, tem de atingir o break even point.
• Até 2022 serão avaliadas parcerias para o desenvolvimento do negócio da HMR garantindo o controlo da operação em
Portugal e admitindo outros cenários na Espanha e na Irlanda.
• A empresa procurará sinergias nas áreas de tecnologia com a Glintt.
• A HMR, em 2023, terá capacidade para gerar o cash flow necessário ao desenvolvimento da sua actividade e atingirá um
resultado líquido positivo. 16
Imofarma

Variação Variação
Imofarma Real19 BU2020 Forecast20
F20 vs BU20
BU2021
BU21 vs F20
Volume de negócios 5 205,7 5 288,5 5 219,5 -69,1 -1,3% 5 219,7 0,2 0,0%
Fornecimentos e serv. Externos -1 277,3 -1 958,5 -1 621,1 337,5 17,2% -1 392,3 228,7 14,1%
Gastos com o pessoal 0,0 0,0 0,0 0,0 N/A 0,0 0,0 N/A
Outros gastos operacionais 0,0 -206,1 0,0 206,1 100,0% 0,0 0,0 N/A
OPEX -1 277,3 -2 164,6 -1 621,1 543,6 25,1% -1 392,3 228,7 14,1%
EBITDA 4 299,7 3 123,9 4 309,3 1 185,5 37,9% 3 264,3 -1 045,1 -24,3%
Depreciações e amortizações 0,0 0,0 0,0 0,0 N/A 0,0 0,0 N/A
Resultado financeiro -870,5 -504,2 -504,2 0,0 0,0% -495,0 9,2 1,8%
Resultado Líquido Exercício 3 429,2 2 619,7 3 805,1 1 185,5 45,3% 2 769,3 -1 035,8 -27,2%

• Manutenção da receita em 2021.

• Não estão consideradas no orçamento as reavaliações de activos.

• A política de investimento e manutenção continuará limitada ao essencial.

• Continuarão a ser avaliadas as oportunidades de venda da Quinta das Janelas, conforme deliberado pelo Conselho
Nacional, garantindo uma mais valia adequada e destinando o valor resultante da operação à amortização de dívida.

• Relativamente a outros activos do Imofarma sem utilização, serão igualmente avaliadas oportunidades de venda,
respeitando os princípios referidos no ponto anterior. 17
Farmácias Portuguesas

Variação Variação
Farmácias Portuguesas Real19 BU2020 Forecast20
F20 vs BU20
BU2021
BU21 vs F20
Volume de negócios 19 061,9 21 555,8 19 027,3 -2 528,5 -11,7% 19 287,7 260,4 1,4%
Fornecimentos e serv. Externos -6 046,2 -7 913,3 -5 657,0 2 256,2 28,5% -5 429,1 228,0 4,0%
Gastos com o pessoal -1 794,9 -2 159,0 -1 997,8 161,2 7,5% -1 542,1 455,7 22,8%
Outros gastos operacionais -1 344,2 -30,0 -24,3 5,7 19,1% 0,0 24,3 100,0%
OPEX -9 185,3 -10 102,3 -7 679,1 2 423,1 24,0% -6 971,2 707,9 9,2%
EBITDA -3 971,9 -2 363,9 -2 214,2 149,7 6,3% -1 155,0 1 059,1 47,8%
Depreciações e amortizações -371,7 -718,0 -524,1 194,0 27,0% -568,2 -44,1 -8,4%
Resultado financeiro -47,1 -7,4 0,0 7,4 100,0% 0,0 0,0 N/A
Resultado Líquido Exercício -4 221,0 -3 089,4 -2 738,3 351,1 11,4% -1 723,3 1 015,0 37,1%
• Em 2021, estão previstos custos (€610k) e receitas (€675k) adicionais com a realização da Expofarma e custos adicionais com
o B2C (€200k FSE’s e €67k Amortizações).
• Reavaliar o programa global das Farmácias Portuguesas, designadamente o projecto das marcas próprias, em conjunto
com os parceiros, em face da experiência adquirida, dos resultados atingidos pelas respectivas unidades e das perspectivas
em relação ao futuro.
• Desenvolvimento da Globalvet (produtos veterinários) e da Aponatura (produtos naturais) atingindo resultados positivos em
2021.
• Revisão do projecto GoFar com o nosso parceiro, em particular na componente de seguros corporativos e das farmácias,
para fortalecer o desenvolvimento de serviços prestados pelas farmácias que sejam remunerados pelas seguradoras.
• Desenvolver um novo modelo de relação com as farmácias e os consumidores, a implementar até 2023, garantindo que
esta área deixa de consumir cash flow à Farminveste. Todos os recursos e cash gerados nesta área serão reinvestidos
18
no
desenvolvimento da relação das farmácias com os consumidores, particularmente em publicidade.
FV IPG - Área de Tecnologia

Variação Variação
AT Real19 BU2020 Forecast20
F20 vs BU20
BU2021
BU21 vs F20
Volume de negócios 10 827,3 11 153,8 8 432,0 -2 721,9 -24,4% 7 179,3 -1 252,6 -14,9%
Fornecimentos e serv. Externos -8 244,5 -9 767,0 -7 533,7 2 233,3 22,9% -6 136,5 1 397,2 18,5%
Gastos com o pessoal -1 530,4 0,0 0,0 0,0 100,0% 0,0 0,0 N/A
Outros gastos operacionais -178,8 0,0 0,0 0,0 N/A 0,0 0,0 N/A
OPEX -9 953,6 -9 767,0 -7 533,7 2 233,3 22,9% -6 136,5 1 397,2 18,5%
EBITDA 1 962,0 1 386,8 898,3 -488,5 -35,2% 1 042,8 144,5 16,1%
Depreciações e amortizações -1 144,4 -1 840,0 -1 731,2 108,8 5,9% -1 515,7 215,5 12,4%
Resultado financeiro -96,4 -69,0 -66,9 2,1 3,0% -64,0 2,9 4,4%
Resultado Líquido Exercício 721,2 -522,3 -899,9 -377,6 -72,3% -536,9 362,9 40,3%

• Esta área abrange a componente de exploração do Sifarma (venda de dados, licenciamentos, rede de
comunicações, desenvolvimento e manutenção do programa).

• A diminuição do volume de negócios e custos suportados é devida à transferência, para a Glintt, de


contratos de IT prestados ao grupo.

19
FV Corporativa

Farminveste Corp. Real19 BU2020 Forecast20 Variação BU2021 Variação

Volume de negócios 13 857,6 8 700,3 8 276,8 -423,5 -4,9% 8 082,7 -194,1 -2,3%
Fornecimentos e serv. Externos -8 764,9 -6 102,4 -6 312,1 -209,7 -3,4% -5 325,9 986,2 15,6%
Gastos com o pessoal -5 730,6 -6 760,8 -5 951,1 809,7 12,0% -5 018,1 933,0 15,7%
Outros gastos operacionais -264,8 -72,5 -131,4 -59,0 -81,4% -60,9 70,5 53,7%
OPEX -14 760,3 -12 935,6 -12 394,6 541,0 4,2% -10 404,9 1 989,7 16,1%
EBITDA -301,6 -3 781,6 -3 513,7 268,0 7,1% -1 885,6 1 628,1 46,3%
Depreciações e amortizações -3 562,1 -2 961,8 -2 822,9 138,9 4,7% -2 838,1 -15,1 -0,5%
Resultado financeiro -4 368,6 -5 828,6 -4 494,6 1 333,9 22,9% -5 883,7 -1 389,1 -30,9%
Resultado Líquido Exercício -8 194,7 -12 572,0 -10 837,4 1 734,6 13,8% -10 607,4 230,0 2,1%

• Estão incluídas as áreas corporativas do grupo: Serviços Corporativos, Área Financeira, Recursos Humanos,
Gabinete Jurídico, Holding, I&D e Unidade de Missão.
• Está considerado no Forecast20 e no BU2021 a assumpção dos custos relativos a trabalhos de consultoria
inicialmente previstos para diferir até 2026.
• Impacto do agravamento dos custos financeiros no resultado líquido (1,4M€) pela subida do stock de dívida
e taxa de juro.
• Amortizações em linha com o forecast, sendo uma parte significativa decorrente da aplicação da norma
da IFRS16 e a restante de activos da FV Serviços para prestação de serviços ao grupo.
20
FV Serviços

Variação Variação
Serviços Corporativos Real19 BU2020 Forecast20
F20 vs BU20
BU2021
BU21 vs F20
Volume de negócios 4 114,5 2 694,7 2 778,6 83,9 3,1% 2 753,6 -25,0 -0,9%
Fornecimentos e serv. Externos -1 366,9 -948,6 -1 196,6 -248,0 -26,1% -1 580,7 -384,1 -32,1%
Gastos com o pessoal -2 349,7 -2 928,7 -2 586,2 342,5 11,7% -1 913,0 673,2 26,0%
Outros gastos operacionais -89,3 -12,2 -65,2 -53,0 -434,7% 0,0 65,2 100,0%
OPEX -3 805,9 -3 889,5 -3 848,0 41,5 1,1% -3 493,7 354,3 9,2%
EBITDA 344,9 -741,1 -524,4 216,6 29,2% -303,5 221,0 42,1%
Depreciações e amortizações -746,1 -360,1 -461,9 -101,8 -28,3% -497,9 -36,0 -7,8%
Resultado financeiro -117,9 -16,8 -19,3 -2,4 -14,5% -17,7 1,6 8,1%
Resultado Líquido Exercício -494,9 -1 118,0 -1 005,6 112,4 10,0% -819,1 186,5 18,5%

• Fundir a Farminveste Serviços na Farminveste IPG.


• Optimizar a utilização de espaço no edifício do Porto e no edifício da sede pela ANF e empresas do grupo, libertando
espaço para ser colocado no mercado.
• Preparar a entrega do edifício da Beloura 13.
• Reduzir o OPEX em 10 %.
• Relativamente aos serviços partilhados, garantir que o EBITDA é zero, sem que isso signifique um aumento de preço ou de
facturação às unidades internas. Validação pela Comissão de Auditoria, Compliance e Gestão de Risco dos preços
praticados entre as unidades do grupo, garantindo que os mesmos estão abaixo da média do mercado (sempre no 2.º
quartil), bem como do nível de serviços.
• Rever o programa de suporte operacional (BPI/MatriX) adequando-o a este plano. 21
CUF

CUF Real19 BU2020 Forecast20 Variação BU2021 Variação


Resultado Líquido Exercício 28 991,0 12 500,0 -15 000,0 -27 500,0 -220,0% 21 600,0 36 600,0 244,0%
Participação FV IPG 8 697,3 3 750,0 -4 500,0 -8 250,0 -220,0% 6 480,0 10 980,0 244,0%

• De acordo com os dados disponíveis, estima-se um resultado negativo em 2020 da participada CUF na
ordem de €15M, impactado fundamentalmente pela pandemia e pelas novas unidades hospitalares.
• Prevê-se um ano de 2021 em linha com os anteriores, já com a contribuição das novas unidades.

22
Farminveste - Dados Consolidados

Consolidado Farminveste Real19 BU2020 Forecast20 Variação BU2021 Variação

Volume de negócios 765 726,7 788 926,6 759 605,7 -29 320,9 -3,7% 790 930,9 31 325,1 4,1%
Fornecimentos e serv. Externos -76 455,9 -78 443,2 -69 829,9 8 613,3 11,0% -71 226,2 -1 396,3 -2,0%
Gastos com o pessoal -72 298,3 -77 077,7 -75 780,6 1 297,2 1,7% -76 798,6 -1 018,1 -1,3%
Outros gastos operacionais -2 348,6 -1 874,2 -194,6 1 679,6 89,6% -93,2 101,4 52,1%
OPEX -151 102,8 -157 395,1 -145 805,0 11 590,1 7,4% -148 118,0 -2 313,0 -1,6%
EBITDA 49 146,3 26 261,9 16 430,4 -9 831,5 -37,4% 32 506,3 16 075,9 97,8%
Depreciações e amortizações -15 975,7 -15 863,4 -15 494,7 368,8 2,3% -15 887,5 -392,9 -2,5%
Resultado financeiro -7 494,8 -9 352,2 -7 897,1 1 455,1 15,6% -9 028,3 -1 131,2 -14,3%
Resultado antes de impostos 25 675,9 1 046,3 -6 961,4 -8 007,7 -765,3% 7 590,5 14 551,9 209,0%
Imposto -7 348,4 -2 564,7 -163,3 2 401,4 93,6% -1 730,6 -1 567,3 -959,7%
Resultado líquido do exercício 18 327,5 -1 518,4 -7 124,7 -5 606,3 -369,2% 5 859,9 12 984,6 182,2%
Perdas com operações descontinuadas -10 650,4
Interesses Minoritários -5 548,4 -5 895,0 -6 609,4 -714,4 -12,1% -5 859,9 749,5 11,3%
Resultado líquido dos detentores de capital 2 128,8 -7 413,7 -13 734,1 -6 320,4 -85,3% 0,0 13 734,1 100,0%

• O OPEX em 2021 apresenta um crescimento que é atribuível à Glintt, necessário para a empresa suportar o seu crescimento orgânico. Retirando
este impacto, existe uma redução de OPEX por via da poupança em custos operacionais nas restantes áreas.
• A quebra de EBITDA erificada no forecast de 2020 e o consequente resultado líquido negativo derivam fundamentalmente do impacto da
pandemia na performance da CUF, que afecta o valor do resultado líquido incorporado pela Farminveste nas suas contas por via da
equivalência patrimonial. O contributo esperado de €3,750M positivos em orçamento passa a um contributo negativo de €4,500M em função do
resultado projectado para o final do ano. Para o exercício de 2020 contribui também negativamente a incorporação de custos de
reestruturação da Farminveste. 23
ANF - Dados Consolidados

Consolidado ANF Real19 BU2020 Forecast20 Variação BU2021 Variação

Volume de negócios 787 182,0 816 072,2 786 209,5 -29 862,7 -3,7% 815 512,3 29 302,8 3,7%
Fornecimentos e serv. Externos -84 000,9 -88 055,8 -78 118,3 9 937,6 11,3% -78 756,0 -637,7 -0,8%
Gastos com o pessoal -85 262,4 -90 981,0 -89 852,8 1 128,2 1,2% -88 411,5 1 441,3 1,6%
Outros gastos operacionais -4 048,5 -2 987,1 -2 450,3 536,7 18,0% -1 488,6 961,7 39,2%
OPEX -173 311,8 -182 023,9 -170 421,4 11 602,5 6,4% -168 656,1 1 765,3 1,0%
EBITDA 51 834,9 28 023,5 19 321,3 -8 702,2 -31,1% 36 639,5 17 318,2 89,6%
Depreciações e amortizações -18 813,2 -17 795,7 -17 044,4 751,3 4,2% -17 909,3 -864,9 -5,1%
Resultado financeiro -9 193,5 -10 946,9 -9 534,3 1 412,6 12,9% -10 605,3 -1 071,0 -11,2%
Resultado antes de impostos 23 828,2 -1 262,4 -7 257,3 -5 994,9 -474,9% 7 863,8 15 121,1 208,4%
Imposto -6 836,4 -2 037,1 0,0 2 037,1 100,0% -1 879,0 -1 879,0 0,0%
Resultado líquido do exercício 16 991,8 -3 299,4 -7 257,3 -3 957,9 -120,0% 5 984,8 13 242,1 182,5%
Perdas com operações descontinuadas -10 650,4
Interesses Minoritários -5 329,2 -4 659,2 -4 892,7 -233,5 -5,0% -5 859,9 -967,2 -19,8%
Resultado líquido dos detentores de capital 1 012,2 -7 958,6 -12 150,0 -4 191,4 -52,7% 386,1 12 536,1 103,2%

• Para os resultados consolidados da ANF contribuem, para além do resultado consolidado na Farminveste, expresso no quadro anterior, os resultados
individuais da ANF, da Finanfarma e do Infosaúde.
• A quebra de EBITDA verificada no forecast de 2020 e o consequente resultado líquido negativo derivam fundamentalmente do impacto da pandemia
na performance da CUF, que afectou o valor do resultado líquido incorporado pela Farminveste nas suas contas por via da equivalência patrimonial. O
contributo esperado de €3,750M positivos em orçamento passa a um contributo negativo de €4,500M em função do resultado projectado para o final
do ano. Para o exercício de 2020 contribui também negativamente a incorporação de custos de reestruturação do grupo.
• Em 2021, o volume de negócios consolidado encontra-se deduzido da dotação para a Reserva de Investimento da ANF, no valor de 2,6 milhões de
euros, que se reflecte também no resultado líquido. 24
Evolução da margem EBITDA e peso relativo do OPEX sobre o VN

VN EBITDA Pessoal FSE e Out. Gastos


Empresa F20 O21 F20 Margem O21 Margem F20 %VN O21 %VN F20 %VN O21 %VN

ANF (**) 24 560,0 25 070,0 9 988,4 40,7% 10 670,5 42,6% -6 504,5 -26,5% -4 505,9 -18,0% -8 229,3 -33,5% -7 308,1 -29,2%
Infosaude 7 067,1 7 308,6 216,1 3,1% 114,8 1,6% -4 270,7 -60,4% -4 084,0 -55,9% -3 053,0 -43,2% -2 968,0 -40,6%
Finanfarma 4 600,0 5 100,0 -843,0 -18,3% 188,0 3,7% -3 057,0 -66,5% -3 023,0 -59,3% -2 161,0 -47,0% -1 742,0 -34,2%
Alliance Healthcare 644 086,0 662 538,0 21 189,6 3,3% 21 081,6 3,2% -19 264,3 -3,0% -18 825,2 -2,8% -19 264,3 -3,0% -18 825,2 -2,8%
Glintt 89 000,0 100 000,0 12 000,0 13,5% 13 000,0 13,0% -41 500,0 -46,6% -44 500,0 -44,5% -26 500,0 -29,8% -30 000,0 -30,0%
hmR Consol. 13 802,5 16 614,6 -7 347,2 -53,2% -4 068,6 -24,5% -7 580,0 -54,9% -6 908,6 -41,6% -14 339,7 -103,9% -13 819,4 -83,2%
Imofarma 5 219,5 5 219,7 4 309,3 82,6% 3 264,3 62,5% 0,0 0,0% 0,0 0,0% -1 621,1 -31,1% -1 392,3 -26,7%
Farmácias Portug. (*) 19 027,3 19 237,6 -1 680,0 -8,8% -1 030,7 -5,4% -1 582,8 -8,3% -1 430,6 -7,4% -5 748,7 -30,2% -5 415,2 -28,1%
FV Corporativo 16 708,8 15 262,0 -2 615,4 -15,7% -842,7 -5,5% -5 951,1 -35,6% -5 126,6 -33,6% -13 977,2 -83,7% -11 414,8 -74,8%

(*) Exclui pontos saúda dos FSE


(**) Inclui no VN de 2021 quota variável transferida para reserva de investimento 25
4. Plano Financeiro

26
Grupo ANF | Plano de ação para aumentar a resiliência financeira num cenário de incerteza

A) Gestão ativa e B) Assegurar disciplina C) Revisão dos Planos de Negócio e


prudente da Liquidez + nos Custos + Financeiros das participadas e Holding

1) Gestão prudente e rigorosa de liquidez com corte 1) Transformar, na extensão possível, custos 1) Elaboração de projeções periódicas de performance
de despesas não essenciais fixos em variáveis financeira e de posições de liquidez
2) Revisão dos planos de reembolso de divida 2) Forte contenção na contratação de novos 2) Revisão de objetivos, targets e KPIs
colaboradores
3) Negociação com parceiros financeiros sobre
possibilidade de “extensões” de financiamento 3) Regras claras para evitar operar no 3) Revisão do Plano de Negócio e Financeiro das
modelo de “Business as Usual” participadas, da holding e da ANF para 2020-2026
5) Monitorização de “Covenants” considerando um contexto “mais pessimista”
4) Realocação de gastos (ex. marketing e
4) Reavaliação periódica do risco de crédito dos
clientes e gestão permanente do ciclo de fundo de comunicação) para ganhar flexibilidade 4) Comunicação pró-ativa com os diversos
maneio financeira “stakeholders” com reposicionamento de
5) Reavaliação do modelo de compensação expetativas a curto e médio prazo
6) Reapreciação da viabilidade de investimentos
dos quadros superiores
programados, com cancelamento e postecipação
dos considerados não essenciais

Objetivos: aumentar a libertação de meios financeiros, assegurar resiliência e flexibilidade financeira


(protegendo ativos estratégicos) e robustecer a Farminveste para crescer
27
ANF| Plano Financeiro 2020-2026

(milhares euros) 2020 2021 2022 2023 2024 2025 2026


CASH-FLOW OPERACIONAL 3 681 6 325 7 348 8 408 7 479 7 962 8 467
Cash-flow de exploração 8 524 11 432 12 713 13 908 13 116 13 741 14 380 Pressupostos
Juros e Comissões Finanfarma -4 843 -5 107 -5 366 -5 500 -5 637 -5 778 -5 913 1) Crescimento receitas
CASH-FLOW SERVIÇO DA DÍVIDA -1 348 -1 918 -1 789 -1 558 -2 343 -2 293 -248
Juros Dívida -1 348 -1 418 -1 289 -1 058 -743 -293 -248 • 4% - 2020
Reembolso Financiamento MLP 0 -500 -500 -500 -1 600 -2 000 0 • 2,5% - 2021 e seguintes
CASH-FLOW INVESTIMENTO -6 863 -3 333 -3 118 -946 1 594 1 922 2 470
2) Redução OPEX
Capex -500 -500 -500 -500 -500 -500 -500
Dividendos 137 167 382 1 554 2 094 2 422 2 970 • 2,4 M € - 2021
Investimento Participadas -6 500 -3 000 -3 000 -2 000 0 0 0 • 0,9 M€ - 2022
FV IPG (Dotação Reserva de Investimento) -9 500 -3 000 -3 000 -2 000 0 0 0
• 0,6 M€ - 2023
Imofarma 3 950 0 0 0 0 0 0
Outras -200 0 0 0 0 0 0 • Estabilização em 12 M € a partir de 2024 e
Infosaúde -750 0 0 0 0 0 0 seguintes
∆ Cash Flow -4 530 1 074 2 441 5 904 6 731 7 592 10 689 3) Retomar alocação % Quota Variável à Reserva
Utilização Curto Prazo 22 722 27 252 26 177 23 737 17 832 11 101 3 510 Investimento, conforme quadro resumo
Limites das Linhas Curto Prazo 25 500 28 500 28 000 28 000 23 000 20 500 20 500 20 500
Linhas Disponíveis Curto Prazo 2 778 1 248 1 823 4 263 5 168 9 399 16 990 20 500
(milhões euros) 2020 2021 2022 2023 2024 2025 2026
(milhares euros) 2020 2021 2022 2023 2024 2025 2026
Dotação para reserva
1) Disponibilidades - 0 0 0 0 0 0 7 180 0,0 2,6 5,3 8,1 8,3 8,5 8,7
investimento
2) Dívida de Curto Prazo 22 722 27 252 26 177 23 737 17 832 11 101 3 510 0 % Dotação da quota variável
3) Dívida de Médio Longo Prazo 5 100 5 100 4 600 4 100 3 600 2 000 0 0 0,0% 0,167% 0,33% 0,50% 0,50% 0,50% 0,50%
Reserva investimento
Divida Líquida Total 27 822 32 352 30 777 27 837 21 432 13 101 3 510 -7 180

28
Farminveste IPG| Plano Financeiro 2020-2026

Pressupostos
(milhares euros) 2020 2021 2022 2023 2024 2025 2026
CASH-FLOW OPERACIONAL (c/ dividendos) 8 316 8 195 8 896 11 075 10 696 15 260 16 181
CASH-FLOW Financeiro -4 064 18 719 -10 620 -10 300 -9 748 -11 282 -12 618 1. Reestruturação divida bancária a 12 anos,
Pagamento Juros e comissões -3 964 -4 781 -4 299 -3 841 -3 676 -3 443 -3 145
[1]
com 2 carência, prestações constantes e
Reembolsos Dívida Bancária MLP -3 450 0 0 -5 629 -5 629 -5 629 -5 629 Bullet de 20%, com penhor parcial das
Reembolsos Dívida Obrigacionista -18 650 -12 000 -12 000 0 0 -1 000 -1 000
[2] acções da JMS / Glintt.
Nova Divida Bancária MLP (conversão CP) 0 20 000 0 0 0 0 0
Nova Divida Obrigacionista 22 000 0 0 0 0 0 0
Programa de obrigações convertíveis 0 5 500 1 000 0 1 000 1 000 0 2. Adicionalmente, 20 M€ da CGD de CP,
Aumento Capital 0 10 000 5 000 0 0 0 0 [3] transformados em MLP, a reembolsar
Dividendos 0 0 -321 -830 -1 443 -2 210 -2 844 durante o período.
CASH-FLOW INVESTIMENTO -9 188 -7 450 7 526 -1 750 -1 750 -1 750 -2 000
Capex -2 015 -1 897 -1 750 -1 750 -1 750 -1 750 -2 000
3. Aumento de capital (participação da ANF
Investimento Participadas -7 173 -5 553 9 276 0 0 0 0
HMR -7 173 -5 553 -724 0 0 0 0 mediante monetização do activo
Operação com Participadas 0 0 10 000 0 0 0 0 [4] Amadora Sintra)
∆ Cash Flow -4 936 19 463 5 802 -974 -802 2 229 1 563
Utilização Curto Prazo 25 627 30 563 11 099 5 298 6 272 7 074 4 845 3 282 4. Operações com Participadas (JMS
Limites das Linhas Curto Prazo 31 500 31 500 11 500 11 500 14 500 17 000 17 000 17 000 |Glintt| HMR)
Linhas Disponíveis Curto Prazo 5 873 937 401 6 202 8 228 9 926 12 155 13 718
5. Redução de dívida em 50 Milhões até
Dez’19 2020 2021 2022 2023 2024 2025 2026
1) Disponibilidades - - - - - - - - 2026, com melhoria desejada do
2) Utilização Curto Prazo 25 627 30 563 11 099 5 298 6 272 7 074 4 845 3 282 endividamento da Farminveste IPG.
3) Dívida Bancária Médio Longo Prazo 45 583 43 333 63 333 63 333 57 704 52 075 46 445 40 816
4) Dívida Obrigacionista JMS e Monaf 23 650 15 000 15 000 3 000 3 000 3 000 2 000 1 000 2020 2021 2022 2023 2024 2025 2026
EBITDA CASH 8 316 8 195 8 896 11 075 10 696 15 260 16 181
5) Dívida Obrigacionista Grupo - 12 000 0 0 - - - -
DIVIDA LÍQUIDA
6) Dívida de obrigações convertíveis 15 000 15 000 20 000 20 000 20 000 20 000 20 000 20 000 13,94 13,35 10,30 7,85 7,68 4,80 4,02
[5] EBITDA
Total Dívida Liquida 109 860 115 896 109 432 91 631 86 976 82 148 73 291 65 099
DÍVIDA 115 896 109 432 91 631 86 976 82 148 73 291 65 099
29
Farminveste IPG | Valor das Participações (Documento de “Vendors Due Dilligence” produzido pela BCG)

Apesar da volatilidade e incerteza atual, a Farminveste apresenta um risco de negócio


reduzido e uma flexibilidade financeira relevante

30
5. Modelo de Governo

31
Janeiro de 2021
A nossa organização

MESA DA ASSEMBLEIA ASSEMBLEIA GERAL

CONSELHO DISCIPLINAR CONSELHO NACIONAL CONSELHO FISCAL

DIREÇÃO NACIONAL

CONSELHOS DE ADMINISTRAÇÃO

EXECUTIVE LEADERSHIP TEAM


Presidente Executivo Paulo Cleto Duarte

Vice-Presidente Executivo Cristina Gaspar Vice-Presidente Executivo Nuno Vasco Lopes Chief Financial Officer Tiago Sopas

Secretário-Geral CEO CEO CEO CEO Director-Geral Director-Geral


Nuno Flora Nuno Vasco Lopes João Norte Tiago Galvão Ricardo Costa e Silva Humberto Martins Joaquim Fausto Ferreira

Chief Information Officer


Miguel Lança

Director-Geral dos
Serviços Corporativos
Duarte Castelo Branco

Directora Corporativa de
Recursos Humanos
Patrícia Valente

Comissão de Remunerações
Presidente: João Gonçalves da Silveira

Comissão de Auditoria, Compliance e Gestão de Risco 32


Presidente: José Luis Bonifácio Lopes 32
Comissão de Auditoria, Compliance e Gestão de Risco

• Criar uma Comissão de Auditoria, Compliance e Gestão de Risco, com objectivos de suporte ao Conselho Nacional,
à Direcção e aos Conselhos de Administração das Empresas, presidida pelo Dr. José Luis Bonifácio Lopes, que entrará
em funções no dia 1 de Janeiro de 2021.

• As competências da Comissão são as seguintes:

a) Avaliar e monitorizar o sistema de gestão de risco e o sistema de controlo interno;

b) Propor medidas de melhoria aos sistemas de gestão de risco e de controlo interno;

c) Emitir parecer sobre o plano anual de auditoria;


d) Garantir que as normas e procedimentos, legais, regulamentares, externos ou internos, são cumpridos pela
Organização;
e) Emitir parecer na perspectiva da gestão de risco, sobre projectos, eventos ou processos, a pedido da Direcção
Nacional;
f) Contribuir para a dinamização da cultura de gestão de risco na ANF e nas empresas.
g) Avaliação dos preços internos praticados entre as unidades do grupo, por referência aos preços de mercado,
bem como o nível de qualidade dos serviços a que dizem respeito. 33
Comissão de Remunerações

• Criar uma Comissão de Remunerações na ANF, presidida pelo Dr. João Gonçalves da Silveira.

• As competências da Comissão serão as seguintes:


a) Aprovar a política global de remunerações da ANF e acompanhar a sua execução;
b) Aprovar as remunerações dos membros dos órgãos sociais, quando exerçam funções executivas.

34