Você está na página 1de 4

UNIVERSIDADE PAULISTA – UNIP

CAMPUS ALPHAVILLE
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA

ENGENHARIA ELETRÔNICA INTERDISCIPLINAR


7º/8º Semestres

CURVA DE
CAPABILIDADE DE
GERADOR SÍNCRONO
COM TURBINA HIDRÁULICA

Abiezer Rocha Evangelho 548463-4


Fabiano Ruiz Ferreira A2132B-7
Flávio Natalino Lassie 431513-8
Manuela Nascimento A16EHF-6
Michael Kolmogoroff 972729-9

SANTANA DE PARNAÍBA – SP
Dezembro de 2010
Objetivo

Este trabalho tem como objetivo o cálculo e plotagem de gráfico, para determinação dos
limites e faixa ideal de trabalho de um gerador síncrono acionado por turbina hidráulica, a partir
de dados e condições iniciais.
O gráfico gerado é conhecido como curva de capacidade ou capabilidade de gerador de
energia elétrica.

Resumo

Curva de capacidade de gerador é o contorno de uma superfície no plano P x Q dentro


do qual o carregamento da máquina síncrona pode ser feito de acordo com as suas limitações
de operação em regime contínuo.

- As regiões S e S’ são pontos permitidos de operação do gerador, porém, a máquina não


será plenamente utilizada;
- As regiões S2 e S3 são pontos onde o limite de trabalho é violado, ou até, condições de
trabalho inatingíveis. Somente em alguns casos, em curtos espaços de tempo, é possível o
trabalho nessas regiões de sobrecarga;
- Contorno S1: máquina plenamente utilizada.

Dados e condições iniciais

- S = 15MVA
- FP = 0,92
- Vt = 7,2 kV
- Vmín, adotado como 30% de Vt = 2,16 kV
- Reatância síncrona Xs = 1,1Ω
- Potência máxima = 15MW
Memorial de cálculo

Corrente nominal:

Ia = S / Vt

Ia = 15.000.000 / 7.200 = 2.083,33 A

Determinação de Vmáx, graficamente:

Multiplicando os vetores do gráfico anterior, com exceção da corrente Ia, por Vt / Xs =


6.565,45, temos:

(Vt x Vmáx) / Xs = 54.772.167,27 (este item determina a curva limite de campo)

(Vt²) / Xs = 47.127.272,73 (este item determina a curva limite de armadura)

Vt x Ia = 15.000.000

Determinação de algumas outras áreas limites do gráfico, que são restrições do sistema:

Reta limite de estabilidade: reta vertical, com origem em O’, nesse caso, fora da região
de aquecimento viável.

Cálculo da curva de excitação mínima, que consiste num semi-círculo com centro em O’:
Pmín = (Vt x Vmín) / Xs = 14.138.181,82. Novamente o valor não ficou dentro da área de
aquecimento viável, portanto não restringe o sistema.

Pmáx.: reta horizontal, cruza o eixo P no valor dado inicialmente: 15MW. Coincide com a
potência máxima do gráfico.
Plotagem do gráfico de Capabilidade de Gerador Síncrono

Abaixo, gráfico apenas com contorno de trabalho, pontos DAC:

Referências

Syed A. Nasar, Máquinas Elétricas, Schaum; McGraw-Hill, 1984


Aula 19 – Material de apoio, Disciplina Sistemas de Energia Elétrica I, Portal de ensino
aberto da Unicamp