Você está na página 1de 4

Aula EBD – Lição 13 – O Evangelho em Éfeso

Música sugerida: Nunca foi sobre nós – Fruto Sagrado no fim

Dinâmica sugerida 2:

Texto base – Atos 19:24-34

I – A obra de Deus em Éfeso

Esta é a terceira viagem missionária de Paulo

1. Recebestes o Espírito Santo?


(Hernandes Dias Lopes cita) Howard Marshall declara que dificilmente esses
homens (eram 12 de acordo com o v,6) seriam cristãos porque não haviam recebido
o dom do Espírito; podemos dizer com segurança que o Novo Testamento não
reconhece a possibilidade de alguém ser cristão sem possuir o Espírito Santo (11.17;
Jo 3.3; Rm 8.9; lCo 12.3; G13.2; lTs 1.6;Tt3.5;Hb 6.4; lPe 1.2; ljo 3.24; 4.13).
Anthony Hoekema quando ele diz: “O Novo Testamento não apoia a crença
de que o recebimento do Espírito Santo resulta no falar em línguas. Pelo contrário, a
evidência histórica em Atos mostra que todos os cristãos que foram cheios do
Espírito testemunharam de Jesus
Cristo de maneira inteligível”.609 1 Warren Wiersbe chama a atenção para o
fato de que todos os que se converteram em Efeso durante o ministério de Paulo
receberam o dom do Espírito Santo quando creram no Salvador. Paulo deixa isso
claro em Efésios 1.13,14, e esse é o padrão para hoje.
Em Gálatas os frutos do Espírito não são falar outro idioma, mas um conjunto
de atitudes. O revestimento que de fato nos capacita a ser usados por Deus é o
revestimento do sangue de Cristo (Porque todos quantos fostes batizados em Cristo
já vos revestistes de Cristo – Gl 3:27) e Rm 3:14.
O “revestimento de poder” (Lc 24:49) é a presença do Espírito Santo com o
cristão ajudando a passar pelas dificuldades (Lc 12:8) dando testemunho de Cristo.
Não devemos nos gloriar pelo dom do Espírito santo (1 Cor 14:18-19), pois
muitos usam isso para se gloriar. Por isso Paulo adverte em 1 Cor 14:28, pois muitos
se diziam tão espirituais que negavam até a necessidade de transformação do corpo
que ele explica no cap. 15.

2. Alicerce teológico
Paulo passou 3 anos ensinando de acordo com Atos 20:31 (At 19:8-10). Paulo
tinha altíssimos conhecimentos teológicos e também práticos para passar aos
crentes. A cristologia presente em Efésios associada à eclesiologia denota o nível de
ortodoxia e ortopraxia do ministério do apóstolo. Bases necessárias para o
crescimento saudável da igreja. Os bereanos eram nobres pois tinham essa
preocupação (Atos 17:10,11).

3. O evangelho alcança toda a região (v.10)


Seguindo o contexto, vemos que os esforços e a tática de Paulo em fazer
escola atingiu o objetivo. O objetivo da escola foi de preparar homens para a obra de

1 [NR] Tradução livre


evangelização e pastoreio. As igrejas de Colossos, Hierápolis e Laodicéia fundadas
por Epafras, discípulo e conservo do apóstolo, foram parte do frute deste trabalho
(Cl 4:12,13 e 16). O autor da revista aponta corretamente que nem sempre a
palavra “todo” representa a totalidade, ou 100% de um grupo, mas a abrangência
por categorias pois Deus não faz acepção de pessoas (Atos 10:34,35) pois o
evangelho é para judeus e gentios, todos os tipos de pessoas (Rm 1:16; 1 Tm 2:1-
4). É preciso cuidado com a interpretação pois Deus querer e não poder significa que
não é Soberano nem onipotente e por isso mesmo não seria plenamente divino.
Willian Perkins em “a arte de profetizar” detalha algumas dessas situações em que é
preciso atenção ao sentido da palavra dentro do texto.

Pergunta:
1. Você acredita que “ser cheio do Espírito” significa desprezar a racionalidade em
prol da experiência mística? O que vem a ser o revestimento de poder?
2. Você acredita que tem boas bases para defender a verdade do Evangelho, ou
seja, fazer uma boa apologia da sua fé, mesmo sem conhecimento suficiente?
3. Você acredita que apenas experiências são indicadores de uma fé genuína?

II – Maravilhas e milagres

1. Pessoas curadas e libertas


Histórias a respeito dos apóstolos sobreviventes, forçados a beber veneno,
são encontradas na literatura cristã primitiva, fora da bíblia comprovando a
existência de milagres. Entretanto, também ocorre a operação do erro (2 Tess 2: 10-
12) a fim de que, os que são enganados pelo próprio coração sejam levados pela
própria cobiça Tg 1:14). Isso não significa que Deus não faça milagres hoje, mas a
visão imediatista, a cobiça e o “espiritismo evangelicalista” presente em muitas
igrejas mancha a verdade do evangelho.
2. Falsos obreiros
Versículos 13 a 16
Nos tempos antigos era prática comum utilizar nomes mágicos para expulsar
demônios. Estes judeus estavam tentando imitar as palavras de Paulo ao “invocar o
nome do Senhor” (v.12; 16:18). Compare com Marcos 9:38-41, onde alguém se
envolve com a causa de Cristo dando a glória a Ele. A pregação da mensagem visa a
Glória de Deus, não a vaidade humana.
No v12 vemos que levaram objetos, entretanto isso não foi ordem dos
apóstolos, mas aconteceu devido às práticas supersticiosas dos Efésios. Ainda que
Deus tenha agido por misericórdia ter permitido algo acontecer ali não justifica essa
prática pagã hoje em dia.
A história da igreja retrata vários casos de apóstolos sobreviventes obrigados
a tomar veneno e ficar vivos, outros pregadores fizeram milagres em cidades. Mas
isso foram casos isolados, pois o dom é divino e usado soberanamente por Deus
para avançar a mensagem. Até nas cruzadas houve casos de visões como a de uma
lança enterrada em um local.
A maior obra na vida de um cristão não é uma cura, mas sua salvação. Cristo
disse: “Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas
vos serão acrescentadas. Mateus 6:33. Ao ser de fato salvo, a preocupação é com a
vontade de Deus, inclusive ao pedir algo (1 Jo 5:14,15).
Infelizmente, o horizonte do pós-modernismo trouxe novas definições para as
verdades bíblicas, baseadas no misticismo oriental, onde cada pessoa traz a verdade
implícita da realidade segundo sua própria visão, não segundo o que a bíblia
realmente diz. Isso é falta de honestidade com a Palavra e assim muitos inventam
“métodos mágicos” e “evangelho pragmático ou de resultados”.

3. Limpeza geral
Hoje em dia as pessoas acreditam em vários caminhos para o evangelho e
para chegar a Deus (Atos 17:26,27). Entretanto o arrependimento foi gerado no
coração dos que ouviram os apóstolos pois o verdadeiro evangelho anunciado trouxe
convicção do erro. Atualmente muitos não são iluminados pela mensagem de Cristo
pois a mensagem pregada tem sido distorcida de todas as formas e maneiras
possíveis (Gl 1:6). Há inclusive um verdadeiro movimento contra o estudo da Palavra
por parte de alguns ditos “cristãos”, ao invés de seguirem o exemplo dos Bereanos
(Atos 17:11). Muitos consideram o estudo nocivo e desnecessário, isso
invariavelmente cria a idéia de que o evangelho é “coisa de desinformados” e
“supersticiosos”.
Entretanto apenas após terem conhecimento do Evangelho genuíno as
pessoas podem tomar atitudes como vemos em Atos 19:17.

Pergunta:
1. Como responder de forma inteligente aos questionamentos sobre a veracidade
do Evangelho em ambientes como por exemplo faculdades?
2. Como demonstrar com certeza que o Evangelho é a verdade em um mundo onde
cada um constrói a sua própria verdade?
3. Será que o Evangelho chegou até nós por meio de pessoas desinformadas ou
capacitadas para desempenhar o ministério?

III – Mais uma perseguição

1. O Caminho causa alvoroço


O Evangelho que não confronta não é Evangelho. Cristo disse “toma a tua
cruz e siga-me”. Isso significa renunciar às ambições egoístas, implicando na morte
de todo um estilo de vida. No v.24 vemos um ourives que viu seu trabalho correr
risco pois adoravam uma imagem, provavelmente um meteorito que caiu do céu
(v.35), e que dava lucro a ele, além do que essa crença iria afetar a renda da cidade,
que além de centro de operações bancárias, era local de peregrinação religiosa.
2. A Diana dos Efésios
Interessante notar que Paulo usa um contraste em Efésios 2:19-22 sobre
quem é a pedra. Talvez como contraste entre a pedra (meteorito) que consideravam
como Diana (ou Ártemis). Uma inscrição descrevia a cidade como “alimentadora” da
deusa e que ela havia feito a cidade a mais gloriosa da Ásia. Isso, aos ouvidos dos
destinatários da carta, observaram a ironia de Paulo em Ef 5:29 e a noiva gloriosa
em 5:27.
3. O Evangelho derriba os ídolos
Os exploradores modernos encontraram o nome de um Demétrio,
administrador do templo, provável fabricante de utensílios de prata.
O contraste feito por Paulo entre a cultura cristã e a cultura pagã fez com que
todos percebessem a validade do Evangelho. É o que Paulo cita no cântico em Ef
5:14.
Hoje na pós-modernidade faz-se necessário uma apologética adequada da
validade do Evangelho para que as pessoas enxerguem os ídolos que precisam ser
derrubados. Às vezes vemos o oposto ocorrendo em algumas igrejas; ao invés de
derrubar ídolos, levantam-se novos ídolos. Inclusive alguns até ressurgiram, com a
cultura pop por exemplo deuses míticos como Thor voltaram a ser adorados. Na
Islândia atualmente cerca de 3,9 mil pessoas professam a tradição nórdica adorando
a Thor e a Odin e já é a segunda maior do país.
Agostinho diz que a ordem dos amores está alterada, por isso sempre se
constroem ídolos para substituir o que realmente deveria estar no centro dos
amores: Deus. David Wilkerson disse: “chegamos em uma época triste, em que
temos que evangelizar os evangélicos”. Se o evangelho te faz parecer um Superman,
então estamos vendo o falso evangelho.