Você está na página 1de 55

APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

ideia principal. A partir daí, localizam-se as ideias


secundárias, ou fundamentações, as argumentações, ou

PORTUGUÊS explicações, que levem ao esclarecimento das questões


apresentadas na prova.

Normalmente, numa prova, o candidato é convidado a:

1. IDENTIFICAR – é reconhecer os elementos


fundamentais de uma argumentação, de um processo, de
uma época (neste caso, procuram-se os verbos e os
advérbios, os quais definem o tempo).

2. COMPARAR – é descobrir as relações de semelhança


ou de diferenças entre as situações do texto.

3. COMENTAR - é relacionar o conteúdo apresentado


com uma realidade, opinando a respeito.

4. RESUMIR – é concentrar as ideias centrais e/ou


secundárias em um só parágrafo.

5. PARAFRASEAR – é reescrever o texto com outras


palavras.

EXEMPLO

TÍTULO DO TEXTO PARÁFRASES


A INTEGRAÇÃO DO MUNDO
INTERPRETAÇÃO DE TEXTO A INTEGRAÇÃO DA HUMANIDADE
"O HOMEM UNIDO ” A UNIÃO DO HOMEM
COMO INTERPRETAR TEXTOS HOMEM + HOMEM = MUNDO
A MACACADA SE UNIU (SÁTIRA)
É muito comum, entre os candidatos a um cargo público a
preocupação com a interpretação de textos. Isso acontece
porque lhes faltam informações específicas a respeito CONDIÇÕES BÁSICAS PARA INTERPRETAR
desta tarefa constante em provas relacionadas a
concursos públicos. Fazem-se necessários:

Por isso, vão aqui alguns detalhes que poderão ajudar no a) Conhecimento Histórico – literário (escolas e gêneros
momento de responder as questões relacionadas a textos. literários, estrutura do texto), leitura e prática;

TEXTO – é um conjunto de ideias organizadas e b) Conhecimento gramatical, estilístico (qualidades do


relacionadas entre si, formando um todo significativo capaz texto) e semântico;
de produzir INTERAÇÃO COMUNICATIVA (capacidade de OBSERVAÇÃO – na semântica (significado das palavras)
CODIFICAR E DECODIFICAR). incluem-se: homônimos e parônimos, denotação e
conotação, sinonímia e antonímia, polissemia, figuras de
CONTEXTO – um texto é constituído por diversas frases. linguagem, entre outros.
Em cada uma delas, há uma certa informação que a faz
ligar-se com a anterior e/ou com a posterior, criando c) Capacidade de observação e de síntese e
condições para a estruturação do conteúdo a ser
transmitido. A essa interligação dá-se o nome de d) Capacidade de raciocínio.
CONTEXTO. Nota-se que o relacionamento entre as
frases é tão grande, que, se uma frase for retirada de seu INTERPRETAR x COMPREENDER
contexto original e analisada separadamente, poderá ter
INTERPRETAR
um significado diferente daquele inicial. COMPREENDER SIGNIFICA
SIGNIFICA
INTERTEXTO - comumente, os textos apresentam - EXPLICAR, - INTELECÇÃO,
referências diretas ou indiretas a outros autores através de COMENTAR, JULGAR, ENTENDIMENTO, ATENÇÃO
citações. Esse tipo de recurso denomina-se TIRAR CONCLUSÕES, AO QUE REALMENTE ESTÁ
INTERTEXTO. DEDUZIR. ESCRITO.
- TIPOS DE - TIPOS DE ENUNCIADOS:
INTERPRETAÇÃO DE TEXTO - o primeiro objetivo de ENUNCIADOS •O texto DIZ que...
uma interpretação de um texto é a identificação de sua • Através do texto, • É SUGERIDO pelo autor

1
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

INFERE-SE que... que... POSSUIDOR E DEPOIS, O OBJETO POSSUÍDO.


• É possível DEDUZIR • De acordo com o texto, é
que... CORRETA ou ERRADA a COMO (MODO)
•O autor permite afirmação...
CONCLUIR que... • O narrador AFIRMA... ONDE (LUGAR)
• Qual é a INTENÇÃO do
autor ao afirmar que... QUANDO (TEMPO)

QUANTO (MONTANTE)
ERROS DE INTERPRETAÇÃO
EXEMPLO:
É muito comum, mais do que se imagina, a ocorrência de
erros de interpretação. Os mais frequentes são: Falou tudo QUANTO queria (correto)
Falou tudo QUE queria (errado - antes do QUE, deveria
a) Extrapolação (viagem) aparecer o demonstrativo O ).
Ocorre quando se sai do contexto, acrescentado ideias
que não estão no texto, quer por conhecimento prévio do
tema quer pela imaginação. ELEMENTOS CONSTITUTIVOS DO TEXTO
b) Redução Texto narrativo
É o oposto da extrapolação. Dá-se atenção apenas a um
aspecto, esquecendo que um texto é um conjunto de  As personagens: São as pessoas, ou seres,
ideias, o que pode ser insuficiente para o total do viventes ou não, forças naturais ou fatores ambientais, que
entendimento do tema desenvolvido. desempenham papel no desenrolar dos fatos.
c) Contradição Toda narrativa tem um protagonista que é a figura
Não raro, o texto apresenta ideias contrárias às do central, o herói ou heroína, personagem principal da
candidato, fazendo-o tirar conclusões equivocadas e, história.
consequentemente, errando a questão.
O personagem, pessoa ou objeto, que se opõe aos
OBSERVAÇÃO - Muitos pensam que há a ótica do designos do protagonista, chama-se antagonista, e é com
escritor e a ótica do leitor. Pode ser que existam, mas ele que a personagem principal contracena em primeiro
numa prova de concurso qualquer, o que deve ser levado plano.
em consideração é o que o AUTOR DIZ e nada mais.
As personagens secundárias, que são chamadas
COESÃO - é o emprego de mecanismo de sintaxe que também de comparsas, são os figurantes de influencia
relacionam palavras, orações, frases e/ou parágrafos entre menor, indireta, não decisiva na narração.
si. Em outras palavras, a coesão dá-se quando, através de
um pronome relativo, uma conjunção (NEXOS), ou um O narrador que está a contar a história também é
pronome oblíquo átono, há uma relação correta entre o uma personagem, pode ser o protagonista ou uma das
que se vai dizer e o que já foi dito. outras personagens de menor importância, ou ainda uma
pessoa estranha à história.
OBSERVAÇÃO – São muitos os erros de coesão no dia-a-
dia e, entre eles, está o mau uso do pronome relativo e do Podemos ainda, dizer que existem dois tipos
pronome oblíquo átono. Este depende da regência do fundamentais de personagem: as planas: que são
verbo; aquele do seu antecedente. Não se pode esquecer definidas por um traço característico, elas não alteram seu
também de que os pronomes relativos têm, cada um, valor comportamento durante o desenrolar dos acontecimentos
semântico, por isso a necessidade de adequação ao e tendem à caricatura; as redondas: são mais complexas
antecedente. tendo uma dimensão psicológica, muitas vezes, o leitor
Os pronomes relativos são muito importantes na fica surpreso com as suas reações perante os
interpretação de texto, pois seu uso incorreto traz erros de acontecimentos.
coesão. Assim sendo, deve-se levar em consideração que
existe um pronome relativo adequado a cada
 Sequência dos fatos (enredo): Enredo é a
circunstância, a saber:
sequência dos fatos, a trama dos acontecimentos e das
ações dos personagens. No enredo podemos distinguir,
com maior ou menor nitidez, três ou quatro estágios
QUE (NEUTRO) - RELACIONA-SE COM QUALQUER
progressivos: a exposição (nem sempre ocorre), a
ANTECEDENTE. MAS DEPENDE DAS CONDIÇÕES DA
complicação, o clímax, o desenlace ou desfecho.
FRASE.
Na exposição o narrador situa a história quanto à
QUAL (NEUTRO) IDEM AO ANTERIOR.
época, o ambiente, as personagens e certas
circunstâncias. Nem sempre esse estágio ocorre, na
QUEM (PESSOA)
maioria das vezes, principalmente nos textos literários
mais recentes, a história começa a ser narrada no meio
CUJO (POSSE) - ANTES DELE, APARECE O

2
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

dos acontecimentos (“in média”), ou seja, no estágio da é, o ponto de vista através do qual a história está sendo
a
complicação quando ocorre e conflito, choque de contada. Como já vimos, a narração é feita em 1 pessoa
a
interesses entre as personagens. ou 3 pessoa.

O clímax é o ápice da história, quando ocorre o Formas de apresentação da fala das


estágio de maior tensão do conflito entre as personagens personagens
centrais, desencadeando o desfecho, ou seja, a conclusão
da história com a resolução dos conflitos. Discurso direto e indireto

 Os fatos: São os acontecimentos de que as O discurso direto identifica-se com a fala dos personagens,
personagens participam. Da natureza dos quando o narrador está falando e transfere suas falas às
acontecimentos apresentados decorre o gênero do texto. personagens, nesse momento as personagens assumem o
Por exemplo o relato de um acontecimento cotidiano fio da narrativa. Ocorre a introdução do verbo dizer e
constitui uma crônica, o relato de um drama social é um outros sinônimos, e dos sinais específicos de pontuação (:-
romance social, e assim por diante. Em toda narrativa há ).
um fato central, que estabelece o caráter do texto, e há os Ex: O menino disse: - Hoje não quero ir à escola.
fatos secundários, relacionados ao principal. A mãe retrucou: - Não posso aceitar que você não vá.

 Espaço: Os acontecimentos narrados acontecem No discurso indireto, só o narrador fala pelos personagens.
em diversos lugares, ou mesmo em um só lugar. O texto Os sinais de pontuação são trocados pela conjunção que,
narrativo precisa conter informações sobre o espaço, onde conservando-se o verbo dizer ou seus sinônimos.
os fatos acontecem. Muitas vezes, principalmente nos Ex: O menino disse que não queria ir à escola, a mão
textos literários, essas informações são extensas, fazendo retrucou que não poderia aceitar que ele não fosse.
aparecer textos descritivos no interior dos textos narrativo.
Na passagem do discurso direto para o indireto, os verbos
 Tempo: Os fatos que compõem a narrativa que estão no presente vão para o passado, os que estão
desenvolvem-se num determinado tempo, que consiste no passado vão para o mais-que-perfeito, "isto aqui" vira
na identificação do momento, dia, mês, ano ou época em "aquilo lá" e "esta" vira "aquela".
que ocorre o fato. A temporalidade salienta as relações Na passagem do indireto para o direto, fazemos o caminho
passado/presente/futuro do texto, essas relações podem contrário.
ser linear, isto é, seguindo a ordem cronológica dos fatos,
ou sofre inversões, quando o narrador nos diz que antes Veja alguns exemplos:
de um fato que aconteceu depois. Do direto para o indireto:
- A chuva veio logo, disse ele.
O tempo pode ser cronológico ou psicológico. O Ele disse que a chuva vinha logo.
cronológico é o tempo material em que se desenrola à
ação, isto é, aquele que é medido pela natureza ou pelo - Estas memórias vão dar o que falar - admitia esfregando
relógio. O psicológico não é mensurável pelos padrões as mãos contentes, ao reler esses lances inéditos.
fixos, porque é aquele que ocorre no interior da Admitia esfregando as mãos contentes, ao reler aqueles
personagem, depende da sua percepção da realidade, da lances inéditos, que aquelas memórias iam dar o que falar.
duração de um dado acontecimento no seu espírito.
Do indireto para o direto:
 Narrador: observador e personagem: O O marido perguntou se Diva queria café no quarto.
narrador, como já dissemos, é a personagem que esta a O marido perguntou:
contar a história. A posição em que se coloca o narrador - Quer café no quarto, Diva ?
para contar a história constitui o foco, o aspecto ou o ponto
de vista da narrativa, e ele pode ser caracterizado por : Rodrigo perguntou se tu falaste com o Dr. Brandão.
Rodrigo perguntou:
- visão “por detrás” : o narrador conhece tudo o - Falaste com o Dr. Brandão ?
que diz respeito às personagens e à história, tendo uma
visão panorâmica dos acontecimentos narração é feita em Policarpo Quaresma me perguntou como ia a família.
3a pessoa. Policarpo Quaresma me perguntou:
- Como vai a família ?
- visão “com”: o narrador é personagem e ocupa o
a
centro da narrativa que é feito em 1 pessoa. Verbos de elocução

- visão “de fora”: o narrador descreve e narra Observe o verbo grifado:


apenas o que vê, aquilo que é observável exteriormente no O pai chamou Carlinhos e perguntou:
comportamento da personagem, sem ter acesso a sua - Quem quebrou o vidro, meu filho ?
interioridade, neste caso o narrador é um observador e a
a
narrativa é feita em 3 pessoa. Observe :

 Foco narrativo: Todo texto narrativo A . O pedreiro disse que estava à disposição.
necessariamente tem de apresentar um foco narrativo, isto B . O pedreiro disse: Estou à disposição.

3
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

suspirar,
Transformamos: rir,
A - discurso indireto em B - discurso direto . Faça o etc.
mesmo:
Pontuação no discurso direto
Observe:
A fala da personagem, no discurso direto, deve vir disposta
A . Intrigado o pai perguntou ao filho: em parágrafo e introduzida por travessão.
Você viu ontem uma carteira em cima desta mesa ? Virou-se para o pai e aconselhou:
Papai, esse menino do vizinho é um subversivo
B . Intrigado, o pai perguntou ao filho se ele vira, no dia desgraçado.
anterior, uma carteira em cima daquela mesa.
Os verbos de elocução são pontuados de acordo com sua
Transformamos: A - discurso direto em B - discurso posição.
indireto.
a
1 posição
O narrador empregou o verbo perguntar para indicar a - antes da fala - separa-se por dois pontos :
personagem a que pertence a fala. Denomina-se verbo de O pai chamou Pedrinho e perguntou :Quem quebrou
elocução (verbos dicendi). o vidro, meu filho ?

Veja agora uma relação dos principais verbos de elocução: 2a posição


- depois da fala - separa-se por travessão ou vírgula :
Agora você se chama Teresinha, disse me beijando a
dizer (afirmar, declarar) exclamar (gritar, bradar) face.
Agora você se chama Teresinha - disse me beijando
perguntar (indagar, pedir (solicitar, rogar) a face.
interrogar)
responder ( retrucar, exortar (aconselhar) 3a posição
replicar) - no meio da fala - separa-se por travessão ou
contestar (negar, objetar) ordenar (mandar, vírgula:
determinar) A Sociedade - afirmava Simão - tem obrigação
de fazer o enterro.
Nesse dia , observou Luís Garcia sorrindo
Além desses verbos de sentido geral, existem outros, mais levemente, há de ser tão sincera como hoje.
amplos.. Veja alguns: (Machado de Assis)
sussurar,
murmurar, Numa narrativa, nem sempre os verbos de elocução estão
balbuciar, expressos. Costuma-se omiti-los principalmente em falas
cochichar, curtas ou para traduzir tensão psicológica das
segredar, personagens.
esclarecer,
sugerir, Utilização do discurso direto na produção de um texto.
soluçar,
comentar, Seleção das falas mais significativas, isto é, as falas
propor, pertinentes ao conflito básico vivido pelas personagens.
convidar, Não se deve ter a pretensão de retratar fielmente a
cumprimentar, realidade, relatando tudo o que as personagens poderiam
repetir, ter dito.
estranhar,
insistir, Adequação das falas ao nível cultural das personagens e
prosseguir, principalmente ao registro linguístico.
continuar,
ajuntar, Discurso indireto
acrescentar,
concordar, Estabelece-se o discurso indireto, quando o narrador, em
consentir, vez de deixar a personagem falar, reproduz com suas
anuir, palavras o que foi dito, Exemplo:
intervir, Chamou um moleque e bradou-lhe que fosse à casa do Sr.
repetir, João Carneiro chamá-lo, já e já; e se não estivesse em
rosnar, casa, perguntasse onde podia ser encontrado(...)
berrar, ( Machado de Assis)
protestar,
contrapor, Se o narrador reproduzisse diretamente a fala da
desculpar, personagem, a construção do texto seria assim:
justificar-se,

4
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

Chamou um moleque e bradou-lhe : Descrever é fazer uma representação verbal dos


Vá a casa do Sr. João Carneiro chamá-lo, já e já; e se não aspectos mais característicos de um objeto, de uma
estiver em casa, pergunte onde pode ser encontrado. pessoa, paisagem, ser e etc.

No discurso indireto, também podem estar presentes As perspectivas que o observador tem do objeto, é
verbos dicendi, mas seguidos de orações substantivas, muito importante, tanto na descrição literária quanto na
geralmente iniciadas com a conjunção que ou se. descrição técnica, é esta atitude que vai determinar a
ordem na enumeração dos traços característicos para que
Na passagem do discurso direto para o indireto ou vice- o leitor possa combinar suas impressões isoladas
versa, importa observar algumas transformações formando uma imagem unificada.
importantes:
Uma boa descrição vai apresentando o objeto
discurso direto: primeira pessoa progressivamente, variando as partes focalizadas e
Eles perguntaram : - O que devemos fazer ? associando-as ou interligando-as pouco a pouco.
1) Discurso indireto: terceira pessoa
2) Eles perguntaram o que deviam fazer. Podemos encontra distinções entre uma descrição
literária e outra técnica. Passaremos a falar um pouco
discurso direto: imperativo sobre cada uma delas:
O professor ordenou: - Façam o exercício !
1) Discurso indireto: pretérito imperfeito do subjuntivo  Descrição Literária: A finalidade maior da
2) O professor ordenou que fizéssemos o exercício. descrição literária é transmitir a impressão que a coisa
vista desperta em nossa mente através do sentidos. Daí
discurso direto: futuro do presente decorrem dois tipos de descrição: a subjetiva, que reflete o
A enfermeira explicou: - Com o medicamento, a estado de espírito do observador, suas preferencias, assim
criança dormirá calmamente ele descreve o que quer e o pensa ver e não o que vê
realmente; já a objetiva traduz a realidade do mundo
discurso indireto: futuro do pretérito objetivo, fenomênico, ela é exata e dimensional.
A enfermeira explicou que, com o medicamento, a criança
dormiria calmamente.  Descrição de Personagem: É utilizada para
caracterização das personagens, pela acumulação de
discurso direto: presente do indicativo traços físicos e psicológicos pela enumeração de seus
Ela me perguntou : - A quem devo entregar o trabalho hábitos, gestos, aptidões e temperamento, com a
? finalidade de situar personagem no contexto cultural, social
1) Discurso indireto : pretérito imperfeito do indicativo e econômico modelado de seu como procedimento.
2) Ela me perguntou a quem devia entregar o trabalho.
 Descrição de Paisagem: Neste tipo de
discurso direto: pretérito perfeito descrição, geralmente o observador abrange de uma só
Ele disse : - Estive na escola e falei com o diretor. vez a globalidade do panorama, para depois ao pouco em
Discurso indireto: pretérito mais-que-perfeito ordem de proximidade, abranger as partes mais típicas
Ele disse que estivera na escola e falara com o diretor. desse todo.

Discurso indireto livre  Descrição do Ambiente: Ela dá os detalhes do


interiores, dos ambientes em que ocorrem as ações,
Às vezes, no entanto, as falas do narrador e da tentando dar ao leitor uma visualização da suas
personagem parecem confundir-se numa só, sem que se particularidades, de seus traços distintivos e típicos.
saiba claramente a quem elas pertencem, Trata-se, neste
caso, do discurso indireto livre. Observe, por exemplo, esta  Descrição da Cena: Trata-se de uma descrição
passagem de Graciliano Ramos, extraída do romance movimentada que se desenvolve progressivamente no
Vidas secas: tempo. É a descrição de um incêndio, de uma briga, de um
naufrágio.
O suor umedeceu-lhe as mãos duras. Então ? Suando
com medo de uma peste que se escondia tremendo ?  Descrição Técnica: Ela apresenta muitas das
características gerais da literatura, com a distinção de que
Note que a primeira frase pertence ao narrador, porém as nela se utiliza um vocabulário mais preciso, se salientando
interrogações são da personagem; entretanto, não há com exatidão os pormenores. É predominantemente
indicações dessa mudança através de verbos dicendi, o denotativa tendo como objetivo esclarecer convencendo.
que exclui também as conjunções integrantes. Assim, a Pode aplicar-se a objetos, a aparelhos ou mecanismos, a
narrativa se torna mais fluente, aproximando mais narrador fenômenos, a fatos, a lugares, a eventos e etc.
e personagem.
Texto Dissertativo
Dissertar significa discutir, expor, interpretar ideias.
Texto Descritivo A dissertação consta de uma série de juízos a respeito de
um determinado assunto ou questão, e pressupõe um

5
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

exame critico do assunto sobre o qual se vai escrever com O senhor conheceu vovô? Ele foi um cara importante no
clareza, coerência e objetividade. MEC.
- Devo Ter conhecido. Qual era o nome dele?
A dissertação pode ser argumentativa na qual o - Vovô Marreco. A gente chamava ele assim porque
autor tenta persuadir o leitor a respeito dos seus pontos de tinha uma cara gozada, cara de marreco. Uma ocasião...
vista, ou simplesmente, Ter com finalidade dar a conhecer Bem, depois eu conto. O senhor vai me ajudar, não vai?
ou explicar certo modo de ver qualquer questão. Mas uma vez tentei explicar (não consegui) que
não tenho nada com televisão, apenas sou amigo do Otton
A linguagem usada é a referencial, centrada, na Lara Resende, na Rede Globo, e não me consta que o
mensagem, enfatizando o contexto. Otton selecione artista. Mas a moça prosseguia vivendo
sonho, que não era sonho era projeto amadurecido. Os
Quanto a forma, ela pode ser tripartida em : pais aprovavam. Mesmo que não aprovassem, estava
decidida:
 Introdução: Em poucas linhas coloca o leitor os - Força do destino. Minha tia-avó fugiu de casa para
dados fundamentais do assunto que esta tratando. É a trabalhar na companhia de Leopoldo Fróis. Naquele tempo
enunciação direta e objetiva da definição do ponto de vista não havia televisão imagine como as opções eram
do autor. limitadas. Minha mãe fez parte do caste da novelas da
Rádio Nacional deixou o brodecaste para casar. Meu pai
 Desenvolvimento: Constitui o corpo do texto, impôs condição. Felizmente, evoluiu, hoje até faz gosto.
onde as ideias colocadas na introdução serão definidas - E o namorado? – perguntei, desistindo de
com os dados mais relevantes. Todo desenvolvimento esclarecer que ela batera à porta errada.
devem estruturar-se em blocos de ideias articuladas entre - Namorado? Então o senhor acha que vou pedir
si, de forma que a sucessão deles resulte num conjunto consentimento a namorado, para trabalhar em novela? A
coerente e unitário que se encaixa na introdução e gente tá em 1980, pô.
desencadeia a conclusão. - Lá isso é.
- Inclusive meus namorados são todos
 Conclusão: É o fenômeno do texto, marcado pela descartáveis. Não me amarro a nenhum, porque meu
síntese da ideia central. Na conclusão o autor reforça sua futuro não está nos homens. Tá na arte.
opinião, retomando a introdução e os fatos resumidos do - Muito bem.
desenvolvimento do texto. Para haver maior entendimento - Não é que eu não queira negócio com homem,
dos procedimentos que podem ocorrer em um dissertação, veja bem. Deus me livre e guarde. Só que minha vocação,
cabe fazermos a distinção entre fatos, hipótese e opinião. minha carreira ficam acima de tudo.
- Você tem experiência?
- Fato: É o acontecimento ou coisa cuja - Que é que o senhor chama de experiência?
veracidade e reconhecida; é a obra ou ação que realmente - Experiência mesmo. Já transou cinema, teatro,
se praticou. expressão corporal, laboratório, essas coisas?
Pensou para responder. Afinal:
- Hipótese: É a suposição feita a cerca de uma - Sim e não.
coisa possível ou não, e de que se tiram diversas - Sim e não, como?
conclusões; é uma afirmação sobre o desconhecido, feita - Quer dizer, transei com gente ligada, mas não me
com base no que já é conhecido. deram chance para começar.
- E vai logo começar de novela?
- Opinião: Opinar é julgar ou inserir - Olha, a base da novela hoje é naturalidade. Sou
expressões de aprovação ou desaprovação pessoal diante muito natural, o senhor tá vendo como sou natural. Se me
de acontecimentos, pessoas e objetos descritos, é um contratarem eu tiro de letra. Aliás, eu treino sozinha.
parecer particular sentimento que se tem a respeito de - Como?
algo. - Eu ensaio lá em casas, no meu quarto. Já fiz
vários papeis, e não era papel mole, de figurante. fiz uma
Leia o texto a seguir: cena da Glória Meneses, que se ela visse fica boba de
admiração. Não era para me gabar. Me considero
Tem cada uma na vida tarimbada.
- Ótimo.
Jamais entenderei a moça me procurou para fazer - O tempo que eu passo estudando as atrizes da
um pedido: queria (quer) ser artista de novela das 7. tevê , não está no gibi. E só pra elas que olho. Conheço
- Mais eu... - tentei informar. Ela não me deixou tudo, olhar, franzir dos lábios, cara de tristeza e cara de
concluir a frase: desejo de Maria Cláudia, Joana Fomm, Lúcia Alves,
- Até que não estou pedindo muito. Se pedisse para Débora Duarte... Quer ver?
novela das 8, iam dizer que era pretensão. Também não - Não precisa, minha filha. Eu acredito.
desejo a novela das 6. Quando a gente é modesta demais, - Só uma amostrinha pra provar que não estou
botam pra escanteio. mentindo.
- É, mas... - Está-se vendo que você não mente. Obrigado.
- Então eu acho que no meio está a virtude, como - Pois é. Ou eu entro na novela da 7 – qualquer
gostava de falar o vovô. Vovô era entendido em coisas mil. novela, de qualquer época, eu sou como a Lucélia Santos,

6
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

papel de escrava, de estudante, de garota fútil, eu topo – Funções da Linguagem


ou.... Para melhor compreensão das funções de
- Ou o quê? linguagem, torna-se necessário o estudo dos elementos
- Sê não entrar, não sei o será de minha vida. da comunicação.
- Não diga isto! Elementos da comunicação
- Digo. Minha vida depende do senhor, neste emissor - emite, codifica a mensagem
momento. Uma palavrinha sua, e... receptor - recebe, decodifica a mensagem
-E? mensagem - conteúdo transmitido pelo emissor
- Tou contratada. Vamos, não me negue uma código - conjunto de signos usado na transmissão
colher de chá. Eu sei que você pode fazer isso por mim. e recepção da mensagem
desculpe o tratamento, saiu sem querer. Por que você referente - contexto relacionado a emissor e
não diz logo que vai me ajudar? Por que não telefona logo receptor
pro pessoal da tevê? Por que ficou assim, duro, canal - meio pelo qual circula a mensagem
engasgado, sei lá se descrente de minhas possibilidades? Obs.: as atitudes e reações dos comunicantes são
Por que não confia em mim ? Diga, diga pelo amor de também referentes e exercem influência sobre a
Deus! Você é ruim, homem! Você é íntimo do Daniel Filho comunicação.
e não quer mover uma palha em favor de uma pobre
artista em potencial! Funções da linguagem
- Tinha se levantado, no ardor da interpretação, Função emotiva (ou expressiva)
agitou os braços, deixou-se cair na poltrona, exausta, pela centralizada no emissor, revelando sua opinião, sua
primeira vez silenciosa. Só então pude jurar-lhe, também emoção. Nela prevalece a 1ª pessoa do singular,
por Deus, que não conheço Daniel Filho. Olhou-me com interjeições e exclamações. É a linguagem das biografias,
desprezo: memórias, poesias líricas e cartas de amor.
- Ah, é assim? E por que não me falou isso logo de
começo? Me enganar esse tempo todo! E eu, feito boba, Função referencial (ou denotativa)
falando com a pessoa errada! Tem cada uma na vida.... centralizada no referente, quando o emissor
procura oferecer informações da realidade. Objetiva,
ESTUDO DO TEXTO direta, denotativa, prevalecendo a 3ª pessoa do singular.
Linguagem usada nas notícias de jornal e livros científicos.
Identifique no texto lido, os elementos da narração
estudados. Função apelativa (ou conativa)
1 – Quem são os personagens? centraliza-se no receptor; o emissor procura
2 – Qual o fato central da narrativa? influenciar o comportamento do receptor. Como o emissor
3 – Qual a natureza do fato contado? se dirige ao receptor, é comum o uso de tu e você, ou o
4 – Onde acontecem os fatos narrados? nome da pessoa, além dos vocativos e imperníveiativo.
5 – Quando aconteceram os fatos? Usada nos discursos, sermões e propagandas que se
6 – Como foi arrumado o enredo? dirigem diretamente ao consumidor.
7 – Em que foco narrativo está o texto?
Função fática
Respostas centralizada no canal, tendo como objetivo
prolongar ou não o contato com o receptor, ou testar a
1- As personagens são: o narrador e a moça que eficiência do canal. Linguagem das falas telefônicas,
quer ser atriz saudações e similares.

2 – O narrador é procurado por uma moça que Função poética


deseja que ele a ajude a tornar-se atriz da novela das sete. centralizada na mensagem, revelando recursos
imaginativos criados pelo emissor. Afetiva, sugestiva,
3 – É um fato comum, cotidiano, que mostra a conotativa, ela é metafórica. Valorizam-se as palavras,
influência da televisão sobre determinadas pessoas. suas combinações. É a linguagem figurada apresentada
em obras literárias, letras de música, em algumas
4 – Não aparecem no texto o lugar onde eles propagandas etc.
conversaram.
Função metalinguística
5 – É conveniente observar que o texto está no centralizada no código, usando a linguagem para
presente. falar dela mesma. A poesia que fala da poesia, da sua
função e do poeta, um texto que comenta outro texto.
6 – Diante da paixão da garota pelo trabalho em Principalmente os dicionários são repositórios de
novelas, o narrador não consegue revelar que ela está metalinguagem.
falando com o homem errado. Quando ele revela que nada Obs.: Em um mesmo texto podem aparecer várias
pode fazer por ela, a moça passa a agredi-lo. funções da linguagem. O importante é saber qual a função
predominante no texto, para então defini-lo.
7 – O texto está na primeira pessoa do singular.

7
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

COESÃO E COERÊNCIA SENTIDO PRÓPRIO E SENTIDO FIGURADO

Antes de tudo é preciso saber o que é coesão e coerência, As palavras podem ser empregadas no sentido
pois sem essas duas chaves principais de qualquer texto, próprio ou no sentido figurado
você não vai a lugar nenhum. Construi um muro de pedra - sentido próprio
Maria tem um coração de pedra – sentido figurado.
Coesão - em nossa linguagem cotidiana procuramos A água pingava lentamente – sentido figurado.
executar manobras coesivas, muitas vezes, com o intuito
de melhorar a própria expressividade do enunciado. Veja
alguns casos: SEMÂNTICA

Em lugar de Quanto à significação, as palavras podem ser:


- Comprei sorvetes. Dei os sorvetes a meus filhos.
usamos
- Comprei sorvetes. Dei-os a meus filhos. Sinônimos e antônimos
Dei-os funciona como relacional que recupera em B o que
havia sido colocado em A. O objetivo é evidenciar o
processo de repetição, considerado menos "rico ou
sofisticado" por uma certa gramática. O que são Sinônimos e Antônimos:
O uso indevido de elementos de ligação invariavelmente * Sinônimos
podem comprometer os processos coesivos do texto. São palavras de sentido igual ou aproximado:
 alfabeto - abecedário;
Coerência - A rigor, existem vários níveis e planos de  brado, grito - clamor;
coerência ou incoerência.  extinguir, apagar - abolir.
Veja alguns casos: Observação: A contribuição greco-latina é responsável
- Um sujeito resolve contar a última piada de papagaio pela existência de numerosos pares de sinônimos:
num velório. Além de impertinente, a piada sofre de uma  adversário e antagonista;
síndrome geral de incoerência contextual. A situação
lutuosa não permite que o decoro seja quebrado e risos
 translúcido e diáfano;
apareçam em torno do defunto.  semicírculo e hemiciclo;
- Em vestibular da Fuvest, o candidato saiu-se com a  contraveneno e antídoto;
seguinte "... a palidez do sol tropical refletia nas águas do  moral e ética;
rio Amazonas". Convenhamos que o sol tropical pode ser  colóquio e diálogo;
acusado de muitas coisas, menos de palidez. O riso  transformação e metamorfose;
provocado pela leitura daquele texto poético é derivado de
 oposição e antítese.
um caso de incoerência no uso da imagem.
* Antônimos
A lista poderia aumentar muito. Basta reter a ideia que, no
São palavras de significação oposta:
fundo, o problema básico envolvido na produção da
coerência é o do acerto das partes com relação ao todo  ordem - anarquia;
textual; do ajuste sequencial das ideias; da progressão dos  soberba - humildade;
argumentos; das afirmativas que são explicadas...  louvar - censurar;
Coloque-se sempre no lugar do autor ou do ouvinte para  mal - bem.
sentir se realmente está sendo coerente. Observação: A antonímia pode originar-se de um prefixo
de sentido oposto ou negativo:
DENOTAÇÃO E CONOTAÇÃO  bendizer e maldizer;
 simpático e antipático;
A denotação é a propriedade que possui uma
palavra de limitar-se a seu próprio conceito, de trazer  progredir e regredir;
apenas o seu significado primitivo, original.  concórdia e discórdia;
 ativo e inativo;
A conotação é a propriedade que possui uma  esperar e desesperar;
palavra de ampliar-se no seu campo semântico, dentro de  comunista e anticomunista;
um contexto, podendo causar várias interpretações.  simétrico e assimétrico.
O que são Homônimos e Parônimos:
Observe os exemplos
Denotação * Homônimos
As estrelas do céu. Vesti-me de verde. O fogo do a) Homógrafos: são palavras iguais na escrita e diferentes
isqueiro. na pronúncia:
 rego (subst.) e rego (verbo);
Conotação
As estrelas do cinema.  colher (verbo) e colher (subst.);
O jardim vestiu-se de flores  jogo (subst.) e jogo (verbo);
O fogo da paixão  apoio (subst.) e apoio (verbo);
 denúncia (subst.) e denuncia (verbo);

8
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

 providência (subst.) e providencia (verbo). Escreveremos com -tenção os substantivos


b) Homófonos: são palavras iguais na pronúncia e correspondentes aos verbos derivados do verbo ter.
diferentes na escrita:
 acender (atear) e ascender (subir); Exemplos:
 concertar (harmonizar) e consertar (reparar);  manter = manutenção
 reter = retenção
 cela (compartimento) e sela (arreio);
 deter = detenção
 censo (recenseamento) e senso (juízo);  conter = contenção
 paço (palácio) e passo (andar).
c) Homógrafos e homófonos simultaneamente: Escreveremos com -çar os verbos derivados de
São palavras iguais na escrita e na pronúncia: substantivos terminados em -ce.
 caminho (subst.) e caminho (verbo);
 cedo (verbo) e cedo (adv.); Exemplos:
 livre (adj.) e livre (verbo).  alcance = alcançar
* Parônimos  lance = lançar
São palavras parecidas na escrita e na pronúncia:
 coro e couro; S
 cesta e sesta; Escreveremos com -s- as palavras derivadas de verbos
terminados em -nder e –ndir
 eminente e iminente;
 osso e ouço; Exemplos:
 sede e cede;  pretender = pretensão
 comprimento e cumprimento;  defender = defesa, defensivo
 tetânico e titânico;  despender = despesa
 autuar e atuar;  compreender = compreensão
 degradar e degredar;  fundir = fusão
 infligir e infringir;  expandir = expansão
 deferir e diferir;
Escreveremos com -s- as palavras derivadas de verbos
 suar e soar. terminados em -erter, -ertir e -ergir.

Exemplos:
 perverter = perversão
ORTOGRAFIA OFICIAL
 converter = conversão
Ao escrever uma palavra com som de  reverter = reversão
s, de z, de x ou de j, deve-se procurar a  divertir = diversão
origem dela, pois, na Língua Portuguesa, a  aspergir = aspersão
palavra primitiva, em muitos casos, indica  imergir = imersão
como deveremos escrever a palavra derivada.
Escreveremos -puls- nas palavras derivadas de verbos
Ç terminados em -pelir e -curs-, nas palavras derivadas de
Escreveremos com -ção as palavras derivadas de verbos terminados em -correr.
vocábulos terminados em -to, -tor, -tivo e os substantivos
formados pela posposição do -ção ao tema de um verbo Exemplos:
(Tema é o que sobra, quando se retira a desinência de  expelir = expulsão
infinitivo - r - do verbo).  impelir = impulso
 compelir = compulsório
Portanto deve-se procurar a origem da palavra terminada  concorrer = concurso
em -ção. Por exemplo: Donde provém a palavra  discorrer = discurso
conjunção? Resposta: provém de conjunto. Por isso,  percorrer = percurso
escrevemo-la com ç.
Escreveremos com -s- todas as palavras terminadas em -
Exemplos: oso e -osa, com exceção de gozo.
 erudito = erudição
 exceto = exceção Exemplos:
 setor = seção  gostosa
 intuitivo = intuição  glamorosa
 redator = redação  saboroso
 ereto = ereção  horroroso
 educar - r + ção = educação
 exportar - r + ção = exportação Escreveremos com -s- todas as palavras terminadas em -
 repartir - r + ção = repartição ase, -ese, -ise e -ose, com exceção de gaze e deslize.

9
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

Exemplos:  acidez
 fase  pobreza
 crase 
 tese
 osmose Escreveremos com -s- os verbos terminados em -isar,
quando a palavra primitiva já possuir o -s-.
Escreveremos com -s- as palavras femininas terminadas
em -isa. Exemplos:
 análise = analisar
Exemplos:  pesquisa = pesquisar
 poetisa  paralisia = paralisar
 profetisa
 Heloísa Escreveremos com -z- os verbos terminados em -izar,
 Marisa quando a palavra primitiva não possuir -s-.

Escreveremos com -s- toda a conjugação dos verbos pôr, Exemplos:


querer e usar.  economia = economizar
 terror = aterrorizar
Exemplos:  frágil = fragilizar
 Eu pus Cuidado:
 Ele quis  catequese = catequizar
 Nós usamos  síntese = sintetizar
 Eles quiseram  hipnose = hipnotizar
 Quando nós quisermos  batismo = batizar
 Se eles usassem
Escreveremos com -s- os diminutivos terminados em -
Ç ou S? sinho e -sito, quando a palavra primitiva já possuir o -s-
no final do radical.
Após ditongo, escreveremos com -ç-, quando houver
som de s, e escreveremos com -s-, quando houver som de Exemplos:
z.  casinha
 asinha
Exemplos:  portuguesinho
 eleição  camponesinha
 traição  Teresinha
 Neusa  Inesita
 coisa
Escreveremos com -z- os diminutivos terminados em -
zinho e -zito, quando a palavra primitiva não possuir -s-
S ou Z? no final do radical.

Escreveremos com -s- as palavras terminadas em -ês e - Exemplos:


esa que indicarem nacionalidades, títulos ou nomes  mulherzinha
próprios.  arvorezinha
 alemãozinho
Exemplos:  aviãozinho
 português  pincelzinho
 norueguesa  corzinha
 marquês
 duquesa SS
 Inês
 Teresa Escreveremos com -cess- as palavras derivadas de
verbos terminados em -ceder.
Escreveremos com -z- as palavras terminadas em -ez e -
eza, substantivos abstratos que provêm de adjetivos, Exemplos:
ou seja, palavras que indicam a existência de uma  anteceder = antecessor
qualidade.  exceder = excesso
 conceder = concessão
Exemplos:
 embriaguez Escreveremos com -press- as palavras derivadas de
 limpeza verbos terminados em -primir.
 lucidez
 nobreza Exemplos:

10
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

 imprimir = impressão Exemplos:


 comprimir = compressa  jeca
 deprimir = depressivo  jiboia
 jiló
Escreveremos com -gress- as palavras derivadas de  pajé
verbos terminados em -gredir. G

Exemplos: Escreveremos com -g- todas as palavras terminadas em -


 agredir = agressão ágio, -égio, -ígio, -ógio, -úgio.
 progredir = progresso
 transgredir = transgressor Exemplos:

Escreveremos com -miss- ou -mess- as palavras  pedágio


derivadas de verbos terminados em -meter.  colégio
 sacrilégio
Exemplos:  prestígio
 comprometer = compromisso  relógio
 intrometer = intromissão  refúgio
 prometer = promessa
 remeter = remessa Escreveremos com -g- todas as palavras terminadas em -
gem, com exceção de pajem, lambujem e a conjugação
ÇS ou SS dos verbos terminados em -jar.

Em relação ao verbos terminados em -tir, teremos: Exemplos:


 a viagem
Escreveremos com -ção, se apenas retirarmos a  a coragem
desinência de infinitivo -r, dos verbos terminados em -tir.  a personagem
 a vernissagem
Exemplo:  a ferrugem
 curtir - r + ção = curtição  a penugem
X
Escreveremos com -são, quando, ao retirarmos toda a Escreveremos com -x- as palavras iniciadas por mex-,
terminação -tir, a última letra for consoante. com exceção de mecha.
Exemplo: Exemplos:
 divertir - tir + são = diversão  mexilhão
 mexer
Escreveremos com -ssão, quando, ao retirarmos toda a  mexerica
terminação -tir, a última letra for vogal.]
 México
 mexerico
Exemplo:
 mexido
 discutir - tir + ssão = discussão
Escreveremos com -x- as palavras iniciadas por enx-, com
J
exceção das derivadas de vocábulos iniciados por ch- e da
Escreveremos com -j- as palavras derivadas dos verbos
palavra enchova.
terminados em -jar.
Exemplos:
Exemplos:
 enxada
 trajar = traje, eu trajei.
 enxerto
 encorajar = que eles encorajem
 enxerido
 viajar = que eles viajem
 enxurrada
Escreveremos com -j- as palavras derivadas de vocábulos mas:
terminados em -ja.  cheio = encher, enchente
 charco = encharcar
Exemplos:  chiqueiro = enchiqueirar
 loja = lojista
 gorja = gorjeta Escreveremos -x- após ditongo, com exceção de
 canja = canjica recauchutar e guache.

Escreveremos com -j- as palavras de origem tupi, Exemplos:


africana ou popular.  ameixa
 deixar
 queixa
11
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

 feixe substituí-lo por por qual razão, pelo qual, pela qual,
 peixe pelos quais, pelas quais, por qual.
 gueixa
Ex.
UIR e OER  Por que não me disse a verdade? = por qual
razão
Os verbos terminados em -uir e -oer terão as 2ª e 3ª  Gostaria de saber por que não me disse a
pessoas do singular do Presente do Indicativo escritas verdade. = por qual razão
com -i-.  As causas por que discuti com ele são
particulares. = pelas quais
Exemplos:  Ester é a mulher por que vivo. = pela qual
 tu possuis
 ele possui Porque: É uma conjunção subordinativa causal ou
 tu constróis conjunção subordinativa final ou conjunção
 ele constrói coordenativa explicativa, portanto estará ligando duas
 tu móis orações, indicando causa, explicação ou finalidade. Para
 ele mói facilitar, dizemos que se pode substituí-lo por já que, pois
 tu róis ou a fim de que.
 ele rói
Ex.
UAR e OAR  Não saí de casa, porque estava doente. = já
Os verbos terminados em -uar e -oar terão todas as que
pessoas do Presente do Subjuntivo escritas com -e-  É uma conjunção, porque liga duas orações. =
pois
Exemplos:  Estudem, porque aprendam. = a fim de que
 Que eu efetue
 Que tu efetues A NOVA ORTOGRAFIA
 Que ele atenue
Acento agudo
 Que nós atenuemos
 Que vós entoeis
O acento agudo desaparece das palavras da
 Que eles entoem língua portuguesa em três casos como se pode ver a
seguir:
USO DO PORQUÊ * nos ditongos (encontro de duas vogais proferidas em
uma só sílaba) abertos ei e oi das palavras paroxítonas
Há quatro maneiras de se escrever o porquê: porquê, (aquelas cuja sílaba pronunciada com mais intensidade é a
porque, por que e por quê. Vejamo-las: penúltima).
Porquê:
COMO ERA COMO É HOJE
É um substantivo, por isso somente poderá ser utilizado,
Assembléia Assembleia
quando for precedido de artigo (o, os), pronome adjetivo
(meu(s), este(s), esse(s), aquele(s), quantos(s)...) ou
numeral (um, dois, três, quatro) Heróico Heroico

Ex. Idéia Ideia


 Ninguém entende o porquê de tanta confusão.
 Este porquê é um substantivo. Jibóia Jiboia
 Quantos porquês existem na Língua
Portuguesa?
 Existem quatro porquês.
No entanto, as oxítonas (palavras com acento na última
sílaba) e os monossílabos tônicos terminados em éi, eu e
Por quê: Sempre que a palavra que estiver em final de
oi continuam com o acento (no singular e /ou plural.
frase, deverá receber acento, não importando qual seja o
Exemplos: herói(s), ilhéus(us), chapéu(s), anéis, dói,
elemento que surja antes dela.
céu.
Ex.
*Nas palavras paroxítonas com i e u tônicos que
 Ela não me ligou e nem disse por quê. formam hiato (sequência de duas vogais que pertencem a
 Você está rindo de quê? sílabas diferentes) com a vogal anterior quando esta faz
 Você veio aqui para quê? parte de um ditongo;
Por que: Usa-se por que, quando houver a junção da COMO ERA COMO É HOJE
preposição por com o pronome interrogativo que ou com o
pronome relativo que. Para facilitar, dizemos que se pode baiúca baiuca

12
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

boiúna boiuna
feiúra feiura COMO ERA COMO É HOJE

enjôo enjoo
No entanto, as letras i e u continuam a ser acentuadas se vôo voo
formarem hiato mas estiverem sozinhas na sílaba ou abençôo abençoo
seguidas de s. corôo coroo
Exemplos: baú, baús, saída. magôo magoo
No caso das palavras oxítonas, nas mesmas perdôo perdoo
condições descritas no item anterior, o acento permanece.
Exemplos: tuiuiú, Piauí. Da mesma forma, deixa de ser usado o
circunflexo na conjunção da terceira pessoa do plural do
*Nas formas verbais que têm o acento tônico na raiz, com presente do indicativo ou do subjuntivo dos verbos crer,
o u tônico precedido das letras g e q seguido de e e i. dar, ler, ver e seus derivados.
Esses casos são pouco frequentes na língua portuguesa: COMO ERA COMO É HOJE
apenas nas formas verbais de arguir e redarguir.
crêem creem
COMO ERA COMO É HOJE dêem deem
lêem leem
argúis arguis vêem veem
argúem arguem descrêem descreem
redargúis redarguis relêem releem
redargúem redarguem No entanto, nada muda na acentuação dos verbos ter, vir
e seus derivados. Eles continuam com o acento circunflexo
Acento diferencial no plural (eles têm, eles vêm), e no caso dos derivados,
com o acento agudo nas formas que possuem mais de
O acento diferencial é utilizado para permitir a uma sílaba no singular (ele detém, ele intervém).
identificação mais fácil de palavras homófonas, ou seja,
que têm a mesma pronúncia. Atualmente, usamos o Trema
acento diferencial – agudo ou circunflexo – em vocábulos Um sinal a menos
como pára (forma verbal), a fim de não confundir com
para (a preposição), entre vários outros exemplos. O trema, sinal gráfico de dois pontos usados em
Com a entrada em vigor do acordo, o acento cima do u para indicar que essa letra, nos grupos que,qui,
diferencial não será mais usado nesse caso e também gue e gui, é pronunciada será abolido. É simples: ele
nos que estão a seguir: deixa de existir na língua portuguesa. Vale lembrar porém,
que a pronúncia continua a mesma.
 Péla ( do verbo pelar) e pela ( a união da
preposição com o artigo);
COMO ERA COMO É HOJE
 Pólo ( o substantivo) e pólo (a união antiga e
popular de por e lo);
Agüentar aguentar
Eloqüente eloquente
 Pélo (do verbo pelar) e pêlo (o substantivo);
Freqüente frequente
 Pêra (o substantivo) e péra (o substantivo Lingüiça linguiça
arcaico que significa pedra), em oposição a pêra Sagüi sagui
(a preposição arcaica que significa para ). Seqüestro sequestro
Tranqüilo tranquilo
No entanto, duas palavras obrigatoriamente continuarão Anhangüera anhanguera
recebendo o acento diferencial:
No entanto, o acordo prevê que o trema seja mantido em
PÔR (verbo) mantém o circunflexo para que não seja nomes próprios de origem estrangeira, bem como em seus
confundido com a preposição POR. derivados.
Exemplos: Bündchen, Müller, mülleriano.
PÔDE (o verbo conjugado no passado) também mantém o
circunflexo para que não haja confusão com pode (o
mesmo verbo conjugado no presente). Hífen
Palavras compostas
Observação: já em fôrma/forma o acento é facultativo.
O hífen deixa de ser empregado nas seguintes
situações:
Acento circunflexo
Com o acordo ortográfico, o acento circunflexo
não será mais usado nas palavras terminadas em oo.

13
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

__quando o prefixo termina em vogal e o segundo Ponto ( . )


elemento começa com as consoantes s ou r. Nesse caso, - indicar o final de uma frase declarativa: Lembro-me
a consoante obrigatoriamente passa a ser duplicada; muito bem dele.
- separar períodos entre si: Fica comigo. Não vá
__quando o prefixo termina em vogal e o segundo embora.
elemento começa com uma vogal diferente. - nas abreviaturas: Av.; V. Ex.ª

COMO ERA COMO É HOJE Vírgula ( , ): É usada para marcar uma pausa do
enunciado com a finalidade de nos indicar que os termos
anti-religioso antirreligioso por ela separados, apesar de participarem da mesma frase
anti-semita antissemita ou oração, não formam uma unidade sintática: Lúcia,
auto-aprendizagem autoaprendizagem esposa de João, foi a ganhadora única da Sena.
auto-estrada autoestrada Podemos concluir que, quando há uma relação sintática
contra-regra contrarregra entre termos da oração, não se pode separá-los por meio
contra-senha contrassenha de vírgula. Não se separam por vírgula:
extra-escolar extraescolar - predicado de sujeito;
extra-regulamentação extrarregulamentação - objeto de verbo;
- adjunto adnominal de nome;
- complemento nominal de nome;
No entanto, o hífen permanece quando o prefixo termina
- predicativo do objeto do objeto;
com r (hiper, inter e super) e a primeira letra do segundo
- oração principal da subordinada substantiva (desde
elemento também é r.
que esta não seja apositiva nem apareça na ordem
Exemplos: hiper-requintado, super-resistente.
inversa).

A vírgula no interior da oração


Alfabeto
É utilizada nas seguintes situações:
Novas letras
- separar o vocativo: Maria, traga-me uma xícara de
café; A educação, meus amigos, é fundamental para o
O acordo prevê que nosso alfabeto passa a ter 26
progresso do país.
letras – hoje são 23. Além das atuais, serão oficialmente
- separar alguns apostos: Valdete, minha antiga
incorporadas as letras, k, w e y. No entanto, seu emprego
empregada, esteve aqui ontem.
fica restrito a apenas alguns casos, como já ocorre
- separar o adjunto adverbial antecipado ou intercalado:
atualmente. Confira os principais exemplos:
Chegando de viagem, procurarei por você; As pessoas,
muitas vezes, são falsas.
__em nomes próprios de pessoas e seus derivados:
- separar elementos de uma enumeração: Precisa-se de
pedreiros, serventes, mestre-de-obras.
Exemplos: Franklin, frankliniano, Darwin, darwinismo,
- isolar expressões de caráter explicativo ou corretivo:
Wagner, wagneriano, Taylor, taylorista, Byron,
Amanhã, ou melhor, depois de amanhã podemos nos
byroniano.
encontrar para acertar a viagem.
- separar conjunções intercaladas: Não havia, porém,
__em nomes próprios de lugares originários de outras
motivo para tanta raiva.
línguas e seus derivados.
- separar o complemento pleonástico antecipado: A
mim, nada me importa.
Exemplos: Kuwait, kuwaitiano, Washington, Yokohama,
- isolar o nome de lugar na indicação de datas: Belo
Kiev.
Horizonte, 26 de janeiro de 2011.
- separar termos coordenados assindéticos: “Lua, lua,
__em símbolos, abreviaturas, siglas e palavras adotadas
lua, lua, por um momento meu canto contigo compactua...”
como unidades de medidas internacionais.
(Caetano Veloso)
- marcar a omissão de um termo (normalmente o
Exemplos: Km (quilômetro), KLM (companhia aérea), K
verbo): Ela prefere ler jornais e eu, revistas. (omissão do
(potássio), W (watt), WWW (sigla de world wide web,
verbo preferir)
expressão que é sinônimo para a rede mundial de
Termos coordenados ligados pelas conjunções e, ou,
computadores).
nem dispensam o uso da vírgula: Conversaram sobre
futebol, religião e política. Não se falavam nem se
__em palavras estrangeiras incorporadas à língua.
olhavam; Ainda não me decidi se viajarei para Bahia ou
Ceará. Entretanto, se essas conjunções aparecerem
Exemplo: sexy, show, download, megabyte.
repetidas, com a finalidade de dar ênfase, o uso da vírgula
passa a ser obrigatório: Não fui nem ao velório, nem ao
enterro, nem à missa de sétimo dia.
PONTUAÇÃO
A vírgula entre orações
Os sinais de pontuação são sinais gráficos empregados
É utilizada nas seguintes situações:
na língua escrita para tentar recuperar recursos
específicos da língua falada, tais como: entonação, jogo de
silêncio, pausas, etc.

14
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

- separar as orações subordinadas adjetivas


explicativas: Meu pai, de quem guardo amargas Ponto de Interrogação ( ? )
lembranças, mora no Rio de Janeiro. - Em perguntas diretas: Como você se chama?
- separar as orações coordenadas sindéticas e - Às vezes, juntamente com o ponto de exclamação:
assindéticas (exceto as iniciadas pela conjunção “e”: Quem ganhou na loteria? Você. Eu?!
Acordei, tomei meu banho, comi algo e saí para o trabalho;
Estudou muito, mas não foi aprovado no exame. Ponto de Exclamação ( ! )
Há três casos em que se usa a vírgula antes da - Após vocativo: “Parte, Heliel!” ( As violetas de Nossa
conjunção: Sra.- Humberto de Campos).
- quando as orações coordenadas tiverem sujeitos - Após imperativo: Cale-se!
diferentes: Os ricos estão cada vez mais ricos, e os - Após interjeição: Ufa! Ai!
pobres, cada vez mais pobres. - Após palavras ou frases que denotem caráter
- quando a conjunção e vier repetida com a finalidade emocional: Que pena!
de dar ênfase (polissíndeto): E chora, e ri, e grita, e pula
de alegria. Reticências ( ... )
- quando a conjunção e assumir valores distintos que - indicar dúvidas ou hesitação do falante: Sabe...eu
não seja da adição (adversidade, consequência, por queria te dizer que...esquece.
exemplo): Coitada! Estudou muito, e ainda assim não foi - interrupção de uma frase deixada gramaticalmente
aprovada. incompleta: Alô! João está? Agora não se encontra. Quem
- separar orações subordinadas adverbiais sabe se ligar mais tarde...
(desenvolvidas ou reduzidas), principalmente se estiverem - ao fim de uma frase gramaticalmente completa com a
antepostas à oração principal: “No momento em que o intenção de sugerir prolongamento de ideia: “Sua tez, alva
tigre se lançava, curvou-se ainda mais; e fugindo com o e pura como um foco de algodão, tingia-se nas faces duns
corpo apresentou o gancho.” (O selvagem - José de longes cor-de-rosa...” (Cecília- José de Alencar)
Alencar) - indicar supressão de palavra (s) numa frase transcrita:
- separar as orações intercaladas: “- Senhor, disse o “Quando penso em você (...) menos a felicidade.”
velho, tenho grandes contentamentos em a estar (Canteiros - Raimundo Fagner)
plantando...”. Essas orações poderão ter suas vírgulas
substituídas por duplo travessão: “Senhor - disse o velho - Aspas ( “ ” )
tenho grandes contentamentos em a estar plantando...” - isolar palavras ou expressões que fogem à norma
- separar as orações substantivas antepostas à culta, como gírias, estrangeirismos, palavrões,
principal: Quanto custa viver, realmente não sei. neologismos, arcaísmos e expressões populares: Maria
ganhou um apaixonado “ósculo” do seu admirador; A festa
Ponto-e-Vírgula ( ; ) na casa de Lúcio estava “chocante”; Conversando com
- separar os itens de uma lei, de um decreto, de uma meu superior, dei a ele um “feedback” do serviço a mim
petição, de uma sequência, etc: requerido.
Art. 127 – São penalidades disciplinares: - indicar uma citação textual: “Ia viajar! Viajei. Trinta e
I- advertência; quatro vezes, às pressas, bufando, com todo o sangue na
II- suspensão; face, desfiz e refiz a mala”. (O prazer de viajar - Eça de
III- demissão; Queirós)
IV- cassação de aposentadoria ou disponibilidade; Se, dentro de um trecho já destacado por aspas, se
V- destituição de cargo em comissão; fizer necessário a utilização de novas aspas, estas serão
VI-destituição de função comissionada. (cap. V das simples. ( ‘ ‘ )
penalidades Direito Administrativo)
- separar orações coordenadas muito extensas ou Parênteses ( () )
orações coordenadas nas quais já tenham tido utilizado a - isolar palavras, frases intercaladas de caráter
vírgula: “O rosto de tez amarelenta e feições explicativo e datas: Na 2ª Guerra Mundial (1939-1945),
inexpressivas, numa quietude apática, era ocorreu inúmeras perdas humanas; “Uma manhã lá no
pronunciadamente vultuoso, o que mais se acentuava no Cajapió (Joca lembrava-se como se fora na véspera),
fim da vida, quando a bronquite crônica de que sofria acordara depois duma grande tormenta no fim do verão”.
desde moço se foi transformando em opressora asma (O milagre das chuvas no nordeste- Graça Aranha)
cardíaca; os lábios grossos, o inferior um tanto tenso (...)” Os parênteses também podem substituir a vírgula ou o
(Visconde de Taunay) travessão.

Dois-Pontos ( : ) Travessão ( __ )
- iniciar a fala dos personagens: Então o padre - dar início à fala de um personagem: O filho perguntou:
respondeu: __Parta agora. __ Pai, quando começarão as aulas?
- antes de apostos ou orações apositivas, enumerações - indicar mudança do interlocutor nos diálogos.
ou sequência de palavras que explicam, resumem ideias __Doutor, o que tenho é grave? __Não se preocupe, é
anteriores: Meus amigos são poucos: Fátima, Rodrigo e uma simples infecção. É só tomar um antibiótico e estará
Gilberto. bom.
- antes de citação: Como já dizia Vinícius de Morais: - unir grupos de palavras que indicam itinerário: A
“Que o amor não seja eterno posto que é chama, mas que rodovia Belém-Brasília está em péssimo estado.
seja infinito enquanto dure.”

15
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

Também pode ser usado em substituição à virgula em d) Pouco depois quando chegaram outras pessoas a
expressões ou frases explicativas: Xuxa – a rainha dos reunião, ficou mais animada.
baixinhos – é loira. e) Pouco depois quando chegaram outras pessoas a
reunião ficou, mais animada.
Parágrafo
Constitui cada uma das secções de frases de um 04.
escritor; começa por letra maiúscula, um pouco além do a) Precisando de mim procure-me; ou melhor telefone
ponto em que começam as outras linhas. que eu venho.
b) Precisando de mim procure-me, ou, melhor telefone
Colchetes ( [] ) que eu venho.
Utilizados na linguagem científica. c) Precisando, de mim, procure-me ou melhor, telefone,
que eu venho.
Asterisco ( * ) d) Precisando de mim, procure-me; ou melhor, telefone,
Empregado para chamar a atenção do leitor para que eu venho.
alguma nota (observação). e) Precisando, de mim, procure-me ou, melhor telefone
que eu venho.
Barra ( / )
Aplicada nas abreviações das datas e em algumas 05. Os períodos abaixo apresentam diferenças de
abreviaturas. pontuação. Assinale a letra que corresponde ao período de
pontuação correta:
Hífen (−) a) José dos Santos paulista, 23 anos vive no Rio.
Usado para ligar elementos de palavras compostas e b) José dos Santos paulista 23 anos, vive no Rio.
para unir pronomes átonos a verbos. Exemplo: guarda- c) José dos Santos, paulista 23 anos, vive no Rio.
roupa d) José dos Santos, paulista 23 anos vive, no Rio.
e) José dos Santos, paulista, 23 anos, vive no Rio.
Exercícios
01. Assinale o texto de pontuação correta: 06. A alternativa com pontuação correta é:
a) Não sei se disse, que, isto se passava, em casa de a) Tenha cuidado, ao parafrasear o que ouvir. Nossa
uma comadre, minha avó. capacidade de retenção é variável e muitas vezes
b) Eu tinha, o juízo fraco, e em vão tentava emendar- inconscientemente, deturpamos o que ouvimos.
me: provocava risos, muxoxos, palavrões. b) Tenha cuidado ao parafrasear o que ouvir: nossa
c) A estes, porém, o mais que pode acontecer é que se capacidade de retenção é variável e, muitas vezes,
riam deles os outros, sem que este riso os impeça de inconscientemente, deturpamos o que ouvimos.
conservar as suas roupas e o seu calçado. c) Tenha cuidado, ao parafrasear o que ouvir! Nossa
d) Na civilização e na fraqueza ia para onde me capacidade de retenção é variável e muitas vezes
impeliam muito dócil muito leve, como os pedaços da carta inconscientemente, deturpamos o que ouvimos.
de ABC, triturados soltos no ar. d) Tenha cuidado ao parafrasear o que ouvir; nossa
e) Conduziram-me à rua da Conceição, mas só mais capacidade de retenção, é variável e - muitas vezes
tarde notei, que me achava lá, numa sala pequena. inconscientemente, deturpamos o que ouvimos.
e) Tenha cuidado, ao parafrasear o que ouvir. Nossa
02. Das redações abaixo, assinale a que não está capacidade de retenção é variável - e muitas vezes
pontuada corretamente: inconscientemente - deturpamos, o que ouvimos.
a) Os candidatos, em fila, aguardavam ansiosos o Nas questões 07 a 10, os períodos foram pontuados de
resultado do concurso. cinco formas diferentes. Leia-os todos e assinale a letra
b) Em fila, os candidatos, aguardavam, ansiosos, o que corresponde ao período de pontuação correta:
resultado do concurso.
c) Ansiosos, os candidatos aguardavam, em fila, o 07.
resultado do concurso. a) Entra a propósito, disse Alves, o seu moleque,
d) Os candidatos ansiosos aguardavam o resultado do conhece pouco os deveres da hospitalidade.
concurso, em fila. b) Entra a propósito disse Alves, o seu moleque
e) Os candidatos, aguardavam ansiosos, em fila, o conhece pouco os deveres da hospitalidade.
resultado do concurso. c) Entra a propósito, disse Alves o seu moleque
Instruções para as questões de números 03 e 04: Os conhece pouco os deveres da hospitalidade.
períodos abaixo apresentam diferenças de pontuação, d) Entra a propósito, disse Alves, o seu moleque
assinale a letra que corresponde ao período de pontuação conhece pouco os deveres da hospitalidade.
correta: e) Entra a propósito, disse Alves, o seu moleque
conhece pouco, os deveres da hospitalidade.
03.
a) Pouco depois, quando chegaram, outras pessoas a 08.
reunião ficou mais animada. a) Prima faça calar titio suplicou o moço, com um leve
b) Pouco depois quando chegaram outras pessoas a sorriso que imediatamente se lhe apagou.
reunião ficou mais animada. b) Prima, faça calar titio, suplicou o moço com um leve
c) Pouco depois, quando chegaram outras pessoas, a sorriso que imediatamente se lhe apagou
reunião ficou mais animada.

16
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

c) Prima faça calar titio, suplicou o moço com um leve Obs.: O verbo pôr pertence à 2ª conjugação, já que
sorriso que imediatamente se lhe apagou. proveio do antigo verbo poer.
d) Prima, faça calar titio suplicou o moço com um leve
sorriso que imediatamente se lhe apagou. Nos substantivos e adjetivos, são as vogais A, E, I,
e) Prima faça calar titio, suplicou o moço com um leve O e U, no final da palavra, evitando que ela termine em
sorriso que, imediatamente se lhe apagou. consoante. Por exemplo, nas palavras meia, pente, táxi,
couro, urubu.
09.
a) Era um homem de quarenta e cinco anos, baixo, Tema:
meio gordo, fisionomia insinuante, destas que mesmo
sérias, trazem impresso constante sorriso. É a junção do radical com a vogal temática. Se não existir
b) Era um homem de quarenta e cinco anos, baixo, a vogal temática, o tema e o radical serão o mesmo
meio gordo, fisionomia insinuante, destas que mesmo elemento; o mesmo acontecerá, quando o radical for
sérias trazem, impresso constante sorriso. terminado em vogal. Por exemplo, em se tratando de
c) Era um homem de quarenta e cinco anos, baixo, verbo, o tema sempre será a soma do radical com a vogal
meio gordo, fisionomia insinuante, destas que, mesmo temática - estuda, come, parti; em se tratando de
sérias, trazem impresso, constante sorriso. substantivos e adjetivos, nem sempre isso acontecerá.
d) Era um homem de quarenta e cinco anos, baixo, Vejamos alguns exemplos: No substantivo pasta, past é o
meio gordo, fisionomia insinuante, destas que, mesmo radical, a, a vogal temática, e pasta o tema; já na palavra
sérias trazem impresso constante sorriso. leal, o radical e o tema são o mesmo elemento - leal, pois
e) Era um homem de quarenta e cinco anos, baixo, não há vogal temática; e na palavra tatu também, mas
meio gordo, fisionomia insinuante, destas que, mesmo agora, porque o radical é terminado pela vogal temática.
sérias, trazem impresso constante sorriso.
Desinências: é o termo que indica modo, tempo. número
10. e pessoa do verbo e o gênero e o número dos nomes.
a) Deixo ao leitor calcular quanta paixão a bela viúva,
empregou na execução do canto. Desinências verbais:
b) Deixo ao leitor calcular quanta paixão a bela viúva
empregou na execução do canto. Modo-temporais = indicam o tempo e o modo. São quatro
c) Deixo ao leitor calcular quanta paixão, a bela viúva, as desinências modo-temporais:
empregou na execução do canto. -va- e -ia-, para o Pretérito Imperfeito do Indicativo
d) Deixo ao leitor calcular, quanta paixão a bela viúva, = estudava, vendia, partia.
empregou na execução do canto. -ra-, para o Pretérito Mais-que-perfeito do Indicativo
e) Deixo ao leitor, calcular quanta paixão a bela viúva, = estudara, vendera, partira.
empregou na execução do canto. -ria-, para o Futuro do Pretérito do Indicativo =
estudaria, venderia, partiria.
Respostas: 01-C / 02-E / 03-C / 04-D / 05-E / 06-B / 07- -sse-, para o Pretérito Imperfeito do Subjuntivo =
D / 08-B / 09-E / 10-B estudasse, vendesse, partisse.

Número-pessoais = indicam a pessoa e o número. São


MORFOLOGIA três os grupos das desinências número-pessoais.

Estrutura e formação das Palavras Grupo I: i, ste, u, mos, stes, ram, para o Pretérito
Perfeito do Indicativo = eu cantei, tu cantaste, ele cantou,
Estudar a estrutura das palavras é estudar os nós cantamos, vós cantastes, eles cantaram.
elementos que formam a palavra, denominados de
morfemas. São os seguintes os morfemas da Língua Grupo II: -, es, -, mos, des, em, para o Infinitivo
Portuguesa. Pessoal e para o Futuro do Subjuntivo = Era para eu
cantar, tu cantares, ele cantar, nós cantarmos, vós
Radical: O que contém o sentido básico do cantardes, eles cantarem. Quando eu puser, tu puseres,
vocábulo. ele puser, nós pusermos, vós puserdes, eles puserem.
Ex. fal-ar, com-er, dorm-ir, cas-a, carr-o.
Grupo III: -, s, -, mos, is, m, para todos os outros
Obs: Em se tratando de verbos, descobre-se o tempos = eu canto, tu cantas, ele canta, nós cantamos,
radical, retirando-se a terminação AR, ER ou IR. vós cantais, eles cantam.

Vogal Temática: Desinências nominais:

Nos verbos, são as vogais A, E, I e indicam a que de gênero = indica o gênero da palavra. A palavra terá
conjugação o verbo pertence: desinência nominal de gênero, quando houver a oposição
 1ª conjugação = Verbos terminados em AR. masculino - feminino. Por exemplo: cabeleireiro -
 2ª conjugação = Verbos terminados em ER. cabeleireira. A vogal a será desinência nominal de gênero
 3ª conjugação = Verbos terminados em IR. sempre que indicar o feminino de uma palavra, mesmo

17
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

que o masculino não seja terminado em o. Por exemplo: Derivação Imprópria: É a formação de uma nova palavra
crua, ela, traidora. pela mudança de classe gramatical. Por exemplo: a
palavra gelo é um substantivo, mas pode ser transformada
de número = indica o plural da palavra. É a letra s, em um adjetivo: camisa gelo.
somente quando indicar o plural da palavra. Por exemplo:
cadeiras, pedras, águas. Composição: Formação de novas palavras a partir de
dois ou mais radicais.
Afixos: São elementos que se juntam a radicais para
formar novas palavras. São eles: Composição por justaposição: Na união, os radicais não
Prefixo: É o afixo que aparece antes do radical. Por sofrem qualquer alteração em sua estrutura. Por exemplo:
exemplo destampar, incapaz, amoral. ao se unirem os radicais ponta e pé, obtém-se a palavra
Sufixo: É o afixo que aparece depois do radical, do tema pontapé. O mesmo ocorre com mandachuva, passatempo,
ou do infinitivo. Por exemplo pensamento, acusação, guarda-pó.
felizmente.
Composição por aglutinação: Na união, pelo menos um
Vogais e consoantes de ligação: São vogais e consoantes dos radicais sofre alteração em sua estrutura. Por
que surgem entre dois morfemas, para tornar mais fácil e exemplo: ao se unirem os radicais água e ardente, obtém-
agradável a pronúncia de certas palavras. Por exemplo se a palavra aguardente, com o desaparecimento do a. O
flores, bambuzal, gasômetro, canais. mesmo acontece com embora (em boa hora), planalto
(plano alto).
Formação das palavras
Hibridismo: é a formação de novas palavras a partir da
Para analisar a formação de uma palavra, deve-se união de radicais de idiomas diferentes. Por exemplo:
procurar a origem dela. Caso seja formada por apenas um automóvel, sociologia, sambódromo, burocracia.
radical, diremos que foi formada por derivação; por dois ou
mais radicais, composição. São os seguintes os processos Onomatopeia: Consiste em criar palavras, tentando imitar
de formação de palavras: Derivação: Formação de novas sons da natureza. Por exemplo: zunzum, cricri, tique-
palavras a partir de apenas um radical. taque, pingue-pongue.

Derivação Prefixal: Acréscimo de um prefixo à palavra Abreviação Vocabular: Consiste na eliminação de um


primitiva; também chamado de prefixação. Por exemplo: segmento da palavra, a fim de se obter uma forma mais
antepasto, reescrever, infeliz. curta. Por exemplo: de extraordinário forma-se extra; de
telefone, fone; de fotografia, foto; de cinematografia,
Derivação Sufixal: Acréscimo de um sufixo à palavra cinema ou cine.
primitiva; também chamado de sufixação. Por exemplo:
felizmente, igualdade, florescer. Siglas: As siglas são formadas pela combinação
das letras iniciais de uma sequência de palavras que
Derivação Prefixal e Sufixal: Acréscimo de um prefixo e constitui um nome: Por exemplo: IBGE (Instituto Brasileiro
de um sufixo, em tempos diferentes; também chamado de de Geografia e Estatística); IPTU (Imposto Predial,
prefixação e sufixação. Por exemplo: infelizmente, Territorial e Urbano).
desigualdade, reflorescer.
Neologismo semântico: Forma-se uma palavra por
Derivação Parassintética: Acréscimo de um prefixo e de neologismo semântico, quando se dá um novo significado,
um sufixo, simultaneamente; também chamado de somado ao que já existe. Por exemplo, a palavra legal
parassíntese. Por exemplo: envernizar, enrijecer, significa dentro da lei; a esse significado somamos outro:
anoitecer. pessoa boa, pessoa legal.

Obs.: A maneira mais fácil de se estabelecer a diferença Empréstimo linguístico: É o aportuguesamento de


entre Derivação Prefixal e Sufixal e Derivação palavras estrangeiras; se a grafia da palavra não se
Parassintética é a seguinte: retira-se o prefixo; se a modifica, ela deve ser escrita entre aspas. Por exemplo:
palavra que sobrou existir, será Der. Pref. e Suf.; caso estresse, estande, futebol, bife, "show", xampu, "shopping
contrário, retira-se, agora, o sufixo; se a palavra que center".
sobrou existir, será Der. Pref. e Suf.; caso contrário, será
Der. Parassintética. Por exemplo, retire o prefixo de Substantivos
envernizar: não existe a palavra vernizar; agora, retire o
sufixo: também não existe a palavra enverniz. Portanto, a Palavra variável que denomina os seres em geral. Quanto
palavra foi formada por Parassíntese. à sua formação, pode ser:

Derivação Regressiva: É a retirada da parte final da primitivo x derivado (jornal x jornalista)


palavra primitiva, obtendo, por essa redução, a palavra simples x composto (água x girassol)
derivada. Por exemplo: do verbo debater, retira-se a
desinência de infinitivo -r: formou-se o substantivo debate. Quanto à sua classificação, pode ser:
comum x próprio (rio x Amazonas)
concreto x abstrato (cadeira x trabalho)

18
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

Observações: -N: -S ou -ES, sendo a última menos comum (hífen x


- substantivos próprios são sempre concretos e hifens ou hífenes)
devem ser grafados com iniciais maiúsculas.
- os substantivos abstratos indicam qualidade -X: invariável, usando o artigo para o plural (tórax x os
(tristeza), sentimento (raiva), sensações (fome), ações tórax)
(briga) ou estados (vida)
- dentre os comuns, merecem destaque os -AL, EL, OL, UL: troca-se -L por -IS (animal x animais,
coletivos que, mesmo no singular, designam um conjunto barril x barris)
de seres de mesma espécie
IL: se oxítono, trocar -L por -S. Se não oxítonos, trocar -
Flexão dos substantivos (gênero e número) L por -EIS. (til x tis, míssil x mísseis)

Gênero (masculino x feminino) sufixo diminutivo -ZINHO(A)/-ZITO(A): colocar a palavra


primitiva no plural, retirar o -S e acrescentar o sufixo com -
biformes: uma forma para masculino e outra para S (caezitos, coroneizinhos, mulherezinhas)
feminino. (gato x gata, príncipe x princesa). São metafonia: -O tônico fechado no singular muda para o
heterônimos aqueles que fazem distinção de gênero não timbre aberto no plural, também variando em função da
pela desinência mas através do radical. (bode x cabra, palavra. (ovo x ovos, mas bolo x bolos)
homem x mulher)
Apresentam metafonia: abrolho, contorno, caroço, corcovo,
uniformes: uma única forma para ambos os gêneros. corvo, coro, despojo, destroço, escolho, esforço, estorvo,
Dividem-se em: forno, foro, fosso, imposto, jogo, miolo, olho, osso, ovo,
- epicenos - usados para animais de ambos os poço, porco, posto, povo, reforço, socorro, tijolo, toco,
sexos (macho e fêmea) torto, troco.
- comum de dois gêneros - designam pessoas,
fazendo a distinção dos sexos através de palavras Grau
determinantes Os substantivos podem apresentar diferentes graus,
- sobrecomuns - um só gênero gramatical para porém grau não é uma flexão nominal.
designar pessoas de ambos os sexos.
São três: normal, aumentativo e diminutivo e podem ser
Observação: formados através de dois processos:
- alguns substantivos, quando mudam de
gênero, mudam de sentido. (o cabeça x a cabeça) analítico - associando os adjetivos (grande x pequeno) ao
substantivo
o cabeça (o chefe, o líder) a cabeça (parte do corpo) sintético - anexando-se ao substantivo sufixos indicadores
o capital (dinheiro, bens) a capital(cidade principal) de grau (meninão x menininho)
o rádio (aparelho receptor) a rádio (estação
o moral (ânimo) transmissora) Observações:
o lotação (veículo) a moral (parte da Filosofia, - o grau nos substantivos também pode denotar sentido
o lente (o professor) conclusão) afetivo e carinhoso ou pejorativo, irônico. (Ele é um
a lotação (capacidade) velhinho legal / Que mulherzinha implicante)
a lente (vidro de aumento) - certos substantivos, apesar da forma, não expressam a
noção aumentativa ou diminutiva. (cartão, cartilha)
Números (singular e plural)
Adjetivos
Nos substantivos simples, forma-se o plural em função do
final da palavra. Palavra variável que acompanha o substantivo, indicando
vogal ou ditongo (exceto -ÃO): acréscimo de -S (porta x qualidades e características deste. Mantém com o
portas, troféu x troféus) substantivo que determina relação de concordância de
ditongo -ÃO: -ÕES/-ÃES/-ÃOS, variando em cada palavra gênero e número.
(anãos, balões, alemães, cristãos).
Adjetivos pátrios: indicam a nacionalidade ou a origem
Apresentam múltiplos plurais: alão- alões, alãos, alães / geográfica, normalmente são formados pelo acréscimo de
alazão- alazões, alazães / aldeão- aldeões, aldeãos, um sufixo ao substantivo de que se originam (Alagoas:
aldeães / vilão- vilões, vilãos / ancião- anciões, anciãos, alagoano). Podem ser simples ou compostos, referindo-se
anciães / verão- verões, verãos / castelão- castelões, a duas ou mais nacionalidades ou regiões; nestes últimos
castelãos / rufião- rufiões, rufiães / ermitão- ermitões, casos assumem sua forma reduzida e erudita, com
ermitãos, ermitães / sultão- sultões, sultães, sultãos. exceção do último elemento (franco-ítalo-brasileiro).

-R, -S ou -Z: -ES (mar x mares, país x países, raiz x Locuções adjetivas: expressões, geralmente, formadas por
raízes). As não-oxítonas terminadas em -S são invariáveis, preposição e substantivo que equivalem a adjetivos (anel
marcando o número pelo artigo (os atlas, os lápis, os de prata = anel argênteo).
ônibus)

19
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

a
Flexão dos adjetivos: E (2 conjugação) Vend Vend-e
a
Gênero I (3 conjugação) Part Part-i
Uniforme ou biforme (inteligente x honesto [a])
LOCUÇÃO VERBAL
Número
Os adjetivos simples formam o plural segundo os mesmos É o conjunto constituído pelo verbo auxiliar + verbo
princípios dos substantivos simples, em função de sua principal.
terminação (agradável x agradáveis). Eis alguns dos verbos auxiliares que formam locuções
verbais:
Os substantivos utilizados como adjetivos ficam invariáveis Ir - eles vão sair mais tarde.
(blusas cinza).
Acabar de - ela acabou de sair.
Os adjetivos terminados em -OSO, além do acréscimo do -
S de plural, mudam o timbre do primeiro -O, num processo Começar a - começamos a ler faz duas horas.
de metafonia.
Costumar - costumo sair à noite.
VERBOS
Ter de - temos de falar a verdade.
É a palavra que exprime um processo no tempo: ação,
fenômeno, estado ou mudança de estado. Parecer - as crianças parecem estar felizes.
Exemplos:
Eles fizeram suas obrigações. Observação: nas locuções verbais há um só sujeito para
(ação no tempo passado) os verbos. O último verbo é o principal, pois é a sua ideia
que prevalece.
Está muito frio.
(ação no tempo presente) Formas Rizotônicas e Arrizotônicas

Todos eles tornar-se-ão médicos. Rizotônicas - a tonicidade recai no radical (na raiz)
(mudança de estado no tempo futuro) Ex.: canto, cantas, canta, cantam

CONJUGAÇÕES Arrizotônicas - a tonicidade recai na desinência (fora da


raiz0
Em Português existem somente três conjugações: Ex.: cantamos, cantais.
1a conjugação - com a vogal temática A: cant-a-r
2a conjugação - com a vogal temática E: vend-e-r FLEXÕES DO VERBO
a
3 conjugação - com a vogal temática I: part-i-r
Pessoa e Número
Obs.: O verbo POR e seus derivados pertencem à 2a
conjugação (vem de POER, do latim). 1a pessoa do singular - EU
2a pessoa do singular- TU
3a pessoa do singular - ELE
a
ELEMENTOS ESTRUTURAIS DO VERBO 1 pessoa do plural - NÓS
a
2 pessoa do plural - VÓS
Radical - é a parte que contém o significado da 3a pessoa do plural - ELES
palavra. É a parte que sobra quando tiramos as
terminações indicativas das conjugações (ar, er, ir) Modo:
Exemplo: cant-a-va, vend-e-ra, part-i-ra Três são os modos dos verbos: indicativo, subjuntivo e
imperativo.
Sufixo temporal - é o elemento que indica o tempo e o Tempo:
modo. Três são os tempos fundamentais: presente, passado e
Exemplos: cant-a-va, corr-e-ra, part-i-a futuro
Flexão de voz:
Desinência pessoal - é aquela que se flexiona e indica a É a flexão verbal que indica ação praticada ou recebida
pessoa e o número. pelo sujeito.
Exemplo: cant-o, canta-s, cant-a, canta-mos, canta-is, São três as vozes verbais: ativa, passiva e reflexiva
canta-m

Vogal temática - é aquela que vem depois do radical e MODOS E TEMPOS VERBAIS
caracteriza as conjugações. Ex.: and-a-r
Modo indicativo:
Tema - é o radical mais a vogal temática. Enuncia o fato de modo a que sobre ele não paire dúvida.
Exemplos:
Vogal temática Radical Tema Lerei o livro.
a
A (1 conjugação) Cant Cant-a Senti saudades.
20
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

Ando de bicicleta. Cantais Cantai (vós) Canteis


Cantam Cantem (vocês) Cantem
a)Infinitivo:Radical + ar, er ou ir
Ex.: am-ar, vend-er, part-ir
a
b)Gerúndio:Radical + ando, endo, indo Obs.: Pelo que se pode observar, as 2 s pessoas foram
Ex.: am-ando, vend-endo, part-indo retiradas do presente do indicativo, sem o s. As demais
c)Particípio:Radical + ado ou ido pessoas provêm do presente do subjuntivo, sem alteração.
Ex.: am-ado, vend-ido, part-ido
IMPERATIVO NEGATIVO
FORMAÇÃO
Obs.: Quando funcionam como verbos, vêm sempre com PRESENTE DO IMPERATIVO
verbos auxiliares: SUBJUNTIVO NEGATIVO
Ex.: Cante
Hei Verbo auxiliar de cantar Infinitivo Cantes Não cantes (tu)
bem Cante Não cante(você)
Estou Verbo auxiliar vendo Gerúndio Cantemos Não cantemos (nós)
TV Canteis Não canteis (vós)
Tenho Verbo auxiliar dançado Particípio Cantem Não cantem (vocês)
aos sábados

MODO SUBJUNTIVO: Obs.: Todas as pessoas do Imperativo Negativo são


retiradas, sem alteração, do presente do subjuntivo,
Subjuntivo é o modo verbal que expressa uma ação acrescentando-se apenas a negativa: não
incerta, inacabada, uma ação que está para se realizar e, No imperativo, o sujeito é oculto.
ainda, um fato imaginado. Nesse sentido, o subjuntivo
opõe-se completamente ao indicativo que é o modo da FORMAS NOMINAIS
certeza, do fato real.
Outra característica desse modo verbal advém da sua São três as formas nominais do verbo:
extrema dependência com outro verbo. Assim, o modo
subjuntivo está sempre presente nos verbos de orações Infinitivo, Gerúndio e Particípio.
subordinadas.
A utilização do modo subjuntivo está ligada ao sentido que INFINITIVO: equivale a um substantivo.
se pretende dar à ação verbal. Em geral, verificamos a sua Ex.: amar é bom.
presença em verbos que exprimem:
 dúvida (ex.: Talvez você possa me esclarecer GERÚNDIO: equivale, normalmente, a um advérbio
isso.) Ex.: chegando o momento certo, todos falaram.
 hipótese/condição (ex.: Se todos chegassem
mais cedo, faríamos a reunião) PARTICÍPIO: equivale a um adjetivo, podendo
 ordem/pedido (ex.: Pediria a todos que se flexionar-se em gênero e número.
dirigissem à recepção.) Ex.: chegado o momento certo, todos falaram.
 desejo (ex.: Espero que confiem na minha
palavra.) Essas formas têm as seguintes desinências:

Infinitivo: radical + ar, er, ou ir


Ex.: cant-ar, vend-er, part-ir
Modo Imperativo
Quando enuncia o fato com objetivo de uma ordem,
Gerúndio: radical + ando, endo, ou indo
pedido, conselho, súplica, exortação.
Ex.: cant-ando, vend-endo, part-indo
Exemplos:
Volte, meu filho! Particípio: radical + ado ou ido (para 2a e 3a conjugação)
Senhor, tem piedade de nós! Ex.: cant-ado, vend-ido, part-ido
Obs.: O imperativo pode ser afirmativo e negativo, e não Obs.: Quando funcionam como verbos, vêm sempre com
possui formas próprias, mas emprestadas do Presente do verbos auxiliares:
Indicativo e do Presente do Subjuntivo. Ex.:
IMPERATIVO AFIRMATIVO Hei Verbo auxiliar de cantar bem Infinitivo
FORMAÇÃO Estou Verbo auxiliar vendo TV Gerúndio
PRESENTE DO Tenho Verbo dançado aos sábados
IMPERATIVO PRESENTE auxiliar particípio
INDICATIVO AFIRMATIVO DO
SUBJUNTIVO
VERBOS PARADIGMA (SERVEM COMO MODELOS)
Canto Cante
- UM DE CADA CONJUGAÇÃO -
Cantas Canta (tu) Cantes
Canta Cante(você) Cante
Modo Indicativo
Cantamos Cantemos (nós) Cantemos
21
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

Presente Cante Venda Parta


ª ª ª
1 Conjugação 2 Conjugação 3 Conjugação Cantes Vendas Partas
Canto Vendo Parto Cante Venda Parta
Cantas Vendes Partes Cantemos Vendamos Partamos
Canta Vende Parte Canteis Vendais Partais
Cantamos Vendemos Partimos Cantem Vendam Partam
Cantais Vendeis Partis
Cantam Vendem Partem Pretérito imperfeito
ª ª ª
1 Conjugação 2 Conjugação 3 Conjugação
Pretérito Perfeito Cantasse Vendesse Partisse
1ª Conjugação 2ª Conjugação 3ª Conjugação Cantasses Vendesses Partisses
Cantei Vendi Parti Cantasse Vendesse Partisse
Cantaste Vendeste Partiste Cantássemos Vendêssemos Partíssemos
Cantou Vendeu Partiu Cantásseis Vendêsseis Partísseis
Cantamos Vendemos Partimos Cantassem Vendessem Partissem
Cantastes Vendestes Partistes
Cantaram Venderam Partiram Futuro
1ª Conjugação 2ª Conjugação 3ª Conjugação
Pretérito Imperfeito Cantar Vender Partir
ª ª ª
1 Conjugação 2 Conjugação 3 Conjugação Cantares Venderes Partires
Cantava Vendia Partia Cantar Vender Partir
Cantavas Vendias Partias Cantarmos Vendermos Partirmos
Cantava Vendia Partia Cantardes Venderdes Partirdes
Cantávamos Vendíamos Partíamos Cantarem Venderem Partirem
Cantáveis Vendíeis Partíeis
Cantavam Vendiam Partiam Modo Imperativo
Afirmativo
Pretérito mais que perfeito 1ª Conjugação 2ª Conjugação 3ª Conjugação
1ª Conjugação 2ª Conjugação 3ª Canta (tu) Vende (tu) Parte (tu)
Conjugação Cante(você) Venda (você) Parta (você)
Cantara Vendera Partira Cantemos (nós) Vendamos (nós) Partamos (nós)
Cantaras Venderas Partiras Cantai (vós) Vendei (vós) Parti (vós)
Cantara Vendera Partira Cantem (vocês) Vendam (vocês) Partam (vocês)
Cantáramos Vendêramos Partíramos Negativo
ª ª ª
Cantáreis Vendêreis Partíreis 1 Conjugação 2 Conjugação 3 Conjugação
Cantaram Venderam Partiram Não Canta (tu) Não Vende (tu) Não Parte (tu)
Não Cante(você) Não Venda Não Parta
(você) (você)
Futuro do presente Não Não Vendamos NãoPartamos
1ª Conjugação 2ª Conjugação 3ª Conjugação Cantemos(nós) (nós) (nós)
Cantarei Venderei Partirei Não Cantai (vós) Não Vendei (vós) Não Parti (vós)
Não Cantem Não Vendam Não Partam
Cantarás Venderás Partirás
(vocês) (vocês) (você)
Cantará Venderá Partirá
Cantaremos Venderemos Partiremos Infinitivo
Cantareis Vendereis Partireis Impessoal
Cantarão Venderão Partirão Cantar Vender Partir

Pessoal
Futuro do pretérito Cantar Vender Partir
ª ª ª
1 Conjugação 2 Conjugação 3 Conjugação Cantares Venderes Partires
Cantaria Venderia Partiria Cantar Vender Partir
Cantarias Venderias Partirias Cantarmos Vendermos Partirmos
Cantardes Venderdes Partirdes
Cantaria Venderia Partiria Cantarem Venderem Partirem
Cantaríamos Venderíamos Partiríamos
Cantaríeis Venderíeis Partiríeis Gerúndio
Cantando Vendendo Partindo
Cantariam Venderiam Partiriam
Particípio
Modo Subjuntivo Cantado Vendido Partido
Presente
1ª Conjugação 2ª Conjugação 3ª Conjugação

22
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

TEMPOS COMPOSTOS Tiverem/houverem

Os auxiliares ter e haver formam, juntamente com os INFINITIVO


particípios dos verbos principais, os chamados tempos
compostos. Pretérito Impessoal
Ter / haver Cantado / vendido / partido
Modo Indicativo
Pretérito Impessoal
Ter / haver
Pretérito perfeito composto Teres / haveres
Tenho/hei Ter / haver
Tens/hás Termos / havermos Cantado / vendido / partido
Tem/há Terdes / haverdes
Temos/havemos Cantado / vendido / partido Terem / haverem
Tendes/haveis
Têm/hão GERÚNDIO
Pretérito mais que perfeito composto Pretérito
Tinha/havia Tendo / havido Cantado / vendido / partido
Tinhas/havias
Tinha/havia
Tínhamos/havíamos Cantado / vendido / partido
Tínheis/havíeis CONJUGAÇÃO DE ALGUNS VERBOS IRREGULARES
Tinham/haviam

Futuro do presente composto


Terei/haverei
Terás/haverás
VERBO
Terá/haverá
Teremos/haveremos Cantado / vendido / partido
ABOLIR
Tereis/havereis
Terão/haverão

Futuro do pretérito composto INDICATIVO


Teria/haveria Presente : Aboles, abole, abolimos, abolis, abolem
Terias/haverias
Teria/haveria IMPERATIVO: Abole, aboli
Teríamos/haveríamos Cantado / vendido / partido
Teríeis/haveríeis SUBJUNTIVO
Teriam/haveriam Presente : Não existe

Modo Subjuntivo Defectivo nas formas em que ao radical se siga a ou o, o


que ocorre apenas no indicativo presente e derivados.
Pretérito perfeito composto Como ele, se conjugam: banir, brandir, carpir, colorir,
Tenha/haja comedir-sedelir, demolir, extorquir, escapulir, haurir,
Tenhas/hajas delinquir, etc.
Tenha/haja
Tenhamos/hajamos Cantado / vendido / partido
Tenhais/hajais
Tenham/hajam
VERBO
Pretérito mais que perfeito composto
Tivesse/houvesse ABSTER-SE
Tivesses/houvesses
Tivesse/houvesse
Tivéssemos/houvéssemos Cantado / vendido / partido
Tivésseis/houvésseis INDICATIVO
Tivessem/houvessem Presente : Abstenho-me, absténs-te, abstém-se, abstemo-
nos, abstendes-vos, abstêm-se
Futuro Pretérito imperfeito : Abstinha-me, etc.
Tiver/houver Pretérito perfeito: Abstive-me, etc.
Tiveres/houveres Pretérito mais que perfeito: Abstivera-me, etc.
Tiver/houver Futuro do presente: Abster-me-ei, etc.
Tivermos/houvermos Cantado /vendido/ partido Futuro do pretérito: Abster-me-ia, etc.
Tiverdes/houverdes

23
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

IMPERATIVO
Abstém-te, abstenha-se, abstenhamo-nos, abstende- SUBJUNTIVO
vos,abstenham-se Presente : Diga, digas, digamos, digais, digam
Pretérito imperfeito: Dissesse, dissesses,
SUBJUNTIVO dissesse,disséssemos, dissésseis, dissessem
Presente : Que me abstenha, etc. Futuro: Disser, disseres, disser, dissermos,disserdes,
Pretérito imperfeito: Se me abstivesse, etc. disserem
Futuro: Se me abstiver, etc. Inf. Pres. Impessoal : Dizer
Inf. Pres. Pessoal: Dizer, dizeres, etc.
GERÚNDIO: Abstendo-se
GERÚNDIO: Dizendo
PARTICÍPIO: Abstido
PARTICÍPIO: Dito
Conjuga-se como ter Assim se conjugam bendizer, condizer, contradizer,
entredizer, desdizer, entredizer, maldizer, predizer, redizer.

VERBO
VERBO
AGREDIR
FALIR

INDICATIVO INDICATIVO
Presente : Agrido, agrides, agride, agredimos, agredis, Presente : Falimos, falis, etc.
agridem Pretérito imperfeito: Falia, falias, etc.
Pretérito perfeito: Fali, faliste, faliu, etc.
SUBJUNTIVO Pretérito mais que perfeito: Falira, faliras, falira, etc.
Presente : Agrida, agridas, agrida, agridamos, agridais,
agridam PARTICÍPIO: Falido

IMPERATIVO Verbo regular defectivo. Usa-se apenas nas formas em


Agride, agrida, agridamos, agredi, agridam que ...............

Regular no resto.

VERBO
VERBO FAZER
DIZER
INDICATIVO
Presente: Faço, fazes, faz, fazemos, fazeis, fazem
Este verbo muda a vogal e em i nas formas rizotônicas do Pretérito perfeito: Fiz, fizeste, fez, fizemos, fizestes,
presente do indicativo, presente do subjuntivo e fizeram
imperativo, o mesmo ocorrendo com seus derivados. É o Pretérito mais que perfeito: Fizera, fizeras, etc.
caso dos verbos: progredir, regredir, transgredir, denegrir, Futuro do presente: Farei, farás, fará, faremos, fareis,
prevenir, cerzir. farão
Futuro do pretérito: Faria, farias, faria, faríamos, faríeis,
Pretérito imperfeito: Dizia, dizias, etc. fariam
Pretérito perfeito: Disse, disseste, disse, dissemos,
dissestes, disseram IMPERATIVO
Pretérito mais que perfeito: Dissera, disseras, etc. Faze, faça, façamos, fazeis, façam
Futuro do presente: Direi, dirás, dirá, diremos, direis,
dirão SUBJUNTIVO
Futuro do pretérito: Diria, dirias, diria, diríamos, diríeis, Presente: Faça, faças, faça, façamos, façais, façam
diriam Pretérito imperfeito: Fizesse, fizesses, fizesse,
fizéssemos, fizésseis, fizessem
IMPERATIVO Futuro: Fizer, fizeres, fizer, fizermos, fizerdes, fizerem
Dize, diga, digamos, dizei, digam Inf. Impessoal: Fazer

24
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

Inf. Pres. Pessoal: Fazer, fazeres, etc.

GERÚNDIO:Fazendo
VERBO
PARTICÍPIO: Feito
JAZER
Assim se conjugam afazer-se, desfazer, perfazer,
satisfazer, etc.

INDICATIVO
Presente: Jazo, Jazes, Jaz, Jazemos, Jazeis, Jazem
Pretérito perfeito: Jazi, Jazeste, Jazeu, Jazemos,
VERBO Jazestes, Jazeram
FERIR Futuro do presente: Jazerei, etc.
Futuro do pretérito: Jazerei, etc.

IMPERATIVO
Jaze, Jaza, Jazamos, Jazei, Jazam
INDICATIVO
Presente : Firo, feres, fere, ferimos, feris, ferem SUBJUNTIVO
Presente : Jaza, Jazas, etc.
IMPERATIVO Pretérito imperfeito: Jazesse, etc.
Fere, fira, firamos, feri, firam Futuro: Jazer, Jazeres, etc.

SUBJUNTIVO GERÚNDIO: Jazendo


Presente: Fira, firas, fira, firamos, firais, firam
PARTICÍPIO: Jazido
a
Note o i na 1 pessoa do singular do indicativo presente e
em todo o subjuntivo presente.
Seguem a conjugação de ferir: aderir, compelir, competir,
concernir, convergir, despir, divergir, discernir, divertir, VERBO
gerir, digerir, ingerir, refletir, vestir, servir, desservir, seguir,
repelir, conseguir, perseguir, prosseguir, preterir, inserir, PODER
revestir, deferir, advertir, aferir, auferir.

INDICATIVO
Presente: Posso, Podes, Pode, Podemos, Podeis, Podem
VERBO Pretérito imperfeito: Podia, Podias, Podia, etc.
IR Pretérito perfeito: Pude, Pudeste, Pôde, Pudemos,
Pudestes, Puderam
Pretérito mais que perfeito: Pudera, Puderas, etc.

IMPERATIVO
INDICATIVO Não existe
Presente : Vou, Vais, Vai, Vamos, Ides, Vão
Pretérito imperfeito: Ia, Ias, Ia, Íamos, Íeis, Iam SUBJUNTIVO
Pretérito perfeito: Fui, Foste, Foi, Fomos, Fostes, Foram Presente; Possa, Possas, Possa, Possamos, Possais,
Pretérito mais que perfeito: Fora, Foras, Fora, etc. Possam
Futuro do presente: Irei, Irás, Irá, etc. Pretérito imperfeito: Pudesse, Pudesses, etc.
Futuro do pretérito: Iria, Irias, etc. Futuro: Puder, Puderes, Puder, Pudermos, Puderdes,
Puderem
IMPERATIVO Inf. Pres. Impessoal: Poder, Poderes, Poder, Podermos,
Vai, Vá, Vamos, Ide, Vão Puderdes, Puderem

SUBJUNTIVO GERÚNDIO: odendo


Presente: Vá, Vás, Vá, Vamos, Vades, Vão
Pretérito imperfeito: Fosse, Fosses, etc. PARTICÍPIO: Podido
Futuro: For, Fores, For, Formos, Fordes, Forem
Inf. Pres. Pessoal: Ir, Ires, Ir, Irmos, Irdes, Irem

GERÚNDIO: Indo

PARTICÍPIO: Ido

25
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

impor, indispor, interpor, justapor, maldispor, opor, pospor,


predispor, prepor, pressupor, propor, recompor, repor,
sobrepor, sotopor, superpor, supor, transpor.
VERBO
POLIR
VERBO
PRAZER
INDICATIVO
Presente: Pulo, Pules, Pule, Polimos, Polis, Pulem

IMPERATIVO Só se conjuga na 3ª pessoa do singular:


Pule, Pula, Pulamos, Poli, Pulam
INDICATIVO
SUBJUNTIVO Presente: Praz
Presente: Pula, Pulas, Pula, Pulamos, Pulais, Pulam Pretérito imperfeito: Prazia
Pretérito perfeito: Prouve
Irregular nas formas rizotônicas, nas quais o o do radical Pretérito mais que perfeito: Prouvera
muda em u. Segue a conjugação do verbo sortir. Nos Futuro do presente: Prazerá
demais tempos é regular. Futuro do pretérito: Prazeria

SUBJUNTIVO
Presente: Praza
Pretérito imperfeito: Prouvesse
VERBO Futuro: Prouver

PÔR GERÚNDIO: Prazendo

PARTICÍPIO: Prazido

INDICATIVO Assim se conjugam aprazer e desprazer.


Presente: Ponho, Pões, Põe, Pomos, Pondes, Põem Quanto ao cognato comprazer-se, segue o modelo jazer.
Pretérito imperfeito: Punha, Punhas, Punha, Púnhamos,
Púnheis, Punham
Pretérito perfeito: Pus, Puseste, Pôs, Pusemos, Pusestes,
Puseram VERBO
Pretérito mais que perfeito: Pusera, Puseras, Pusera,
Puséramos, Puséreis, Puseram PRECAVER
Futuro do presente: Porei, Porás, Porá, Poremos, Poreis,
Porão
Futuro do pretérito: Poria, Porias, Poria, Poríamos,
Poríeis, Poriam INDICATIVO
Presente: Precavemos, Precaveis
IMPERATIVO Pretérito imperfeito: Precavia, precavias, precavia, etc
Põe, Ponha, Ponhamos, Ponde, Ponham Pretérito perfeito: Precavi, Precaveste, Precaveu,
Precavemos, Precavestes, Precaveram
SUBJUNTIVO
Presente: Ponha, Ponhas, Ponha, Ponhamos, Ponhais, IMPERATIVO
Ponham Precavei
Pretérito imperfeito: Pusesse, Pusesses, Pusesse,
Puséssemos, Pusésseis, Pusessem SUBJUNTIVO
Futuro: Puser, Puseres, Puser, Pusermos, Puserdes, Presente: Não há
Puserem Pretérito imperfeito: Precavesse, Precavesses, etc.
Inf. Pres. Impessoal: Pôr Futuro: Precaver, Precaveres, etc.
Inf. Pres. Pessoal: Pôr, Pores, Pôr, Pormos, Pordes, Inf. Pres. Impessoal: Precaver
Porem Inf. Pres. Pessoal: Precaver

GERÚNDIO: Pondo GERÚNDIO: Precavendo

PARTICÍPIO: Posto PARTICÍPIO: Precavido

Assim se conjugam: antepor, apor, compor, contrapor, Este verto é defectivo. Não se usa nas formas rizotônicas.
decompor, depor, descompor, dispor, entrepor, expor, Não é composto de ver nem de vir, sendo, portanto,

26
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

errôneas as formas precavejo, precavês, precavenho, Não Queiras, Não Queira, Não Queiramos, Não Queirais,
precavéns, precavém, precavenha, etc. Nas formas em Não Queiram
que é defectivo empregaremos os verbos precatar, Obs.: O imperativo afirmativo só é usado em casos como:
acautelar, ou prevenir. Usa-se mais frequentemente como "Queira sentar-se, por favor!"
verbo pronominal precavemo-nos, precavia-me, precavei-
vos, etc. SUBJUNTIVO
Presente: Queira, Queiras, Queira, Queiramos, Queirais,
Queiram
Pretérito imperfeito: Quisesse, Quisesses, Quisesse,
VERBO Quiséssemos, Quisésseis, Quisessem
Futuro: Quiser, Quiseres, Quiser, Quisermos, Quiserdes,
PROVER Quiserem
Inf. Pres. Pessoal: Querer, Quereres, Querer, Querermos,
Quererdes, Quererem

INDICATIVO GERÚNDIO: Querendo


Presente: Provejo, Provês, Provê, Provemos, provedes,
Provêem PARTICÍPIO: Querido
Pretérito imperfeito: Provia, Provias, etc.
Pretérito perfeito: Provi, Proveste, Proveu, Provemos,
Provestes, proveram
Pretérito mais que perfeito: Provera, Proveras, etc. VERBO
Futuro do presente: Proverei, Proverás, etc.
Futuro do pretérito: Proveria, Proverias, etc REQUERER
IMPERATIVO
Provê, Proveja, Provejamos, Provede, Provejam
INDICATIVO
SUBJUNTIVO Presente: Requeiro, Requeres, Requer, Requeremos,
Presente: Proveja, Provejas, etc. Requereis, Requerem
Pretérito imperfeito: Provesse, Provesses, etc. Pretérito imperfeito
Futuro: Prover, Proveres, Prover, Provermos, Proverdes, Pretérito perfeito: Requeri, Requereste, Requereu,
Proverem Requeremos, Requerestes, Requereram
Pretérito mais que perfeito: Requerera, Requereras,
GERÚNDIO: Provendo Requerera, etc.
Futuro do presente: Requererei, Requererás, etc.
PARTICÍPIO: Provido Futuro do pretérito: Requereria, Requererias, etc.

Este verbo é conjugado como ver, exceto no perfeito e IMPERATIVO


seus derivados e no particípio, em que é regular. Requere, Requeira, Requeiramos, Requerei, Requeiram.

SUBJUNTIVO
Presente: Requeira, Requeiras, Requeira, etc.
VERBO Pretérito imperfeito: Requeresse, Requeresses,
Requeresse, etc.
QUERER Futuro: Requerer, Requereres, Requerer, etc.

GERÚNDIO: Requerendo

INDICATIVO PARTICÍPIO: Requerido


Presente: Quero, Queres, Quer, Queremos, Quereis,
Querem Este verbo não segue a conjugação de querer. É irregular
Pretérito imperfeito: Queria, Querias, etc. apenas na 1ª e na 3ª pessoas do singular do Indicativo-
Pretérito perfeito: Quis, Quiseste, Quis, Quisemos, presente e, portanto, no Presente do Subjuntivo e no
Quisestes, Quiseram Imperativo Negativo.
Pretérito mais que perfeito: Quisera, Quiseras, Quisera,
Quiséramos, Quiséreis, Quiseram
Futuro do presente: Quererei, Quererás, etc.
Futuro do pretérito: Quereria, Quererias, etc VERBO

IMPERATIVO SABER
Queira, Queiram

IMPERATIVO NEGATIVO

27
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

INDICATIVO Pretérito perfeito: Reouve, Reouveste, Reouve,


Presente: Sei, Sabes, Sabe, Sabemos, Sabeis, Sabem Reouvemos, Reouvestes, Reouveram
Pretérito imperfeito: Sabia, Sabias, Sabia, etc. Pretérito mais que perfeito: Reouveram, Reouveras, etc.
Pretérito perfeito: Soube, Soubeste, Soube, Soubemos, Futuro do presente: Reaverei, Reaverás, etc.
Soubestes, Souberam Futuro do pretérito: Reaveria, Reaverias, etc.
Pretérito mais que perfeito: Soubera, Souberas, etc.
IMPERATIVO
IMPERATIVO Reavei
Sabe, Saiba, Saibamos, sabei, Saibam
SUBJUNTIVO
SUBJUNTIVO Presente
Presente: Saiba, Saibas, Saiba, Saibamos, Saibais, Pretérito imperfeito: Reouvesse, Reouvesses, etc.
Saibam Futuro: Reouver, Reouveres, Reouver, etc.
Pretérito imperfeito: Soubesse, Soubesses, etc. Inf. Pres. Impessoal
Futuro: Souber, Souberes, etc. Inf. Pres. Pessoal

GERÚNDIO: Reavendo
VERBO PARTICÍPIO: Reavido

TRAZER
VERBO

INDICATIVO
RESFOLEGAR
Presente: Trago, Trazes, Traz, Trazemos, Trazeis,
Trazem
Pretérito imperfeito: Trazia, Trazias, etc.
Pretérito perfeito: Trouxe, Trouxeste, Trouxe, Trouxemos, INDICATIVO
Trouxestes, Trouxeram Presente: Resfolgo, Resfolgas, Resfolga, Resfolegamos,
Pretérito mais que perfeito: Trouxera, Trouxeras, Resfolegais, Resfolgam
Trouxera, Trouxéramos, Trouxéreis, Trouxeram Pretérito imperfeito: Resfolegava, etc.
Futuro do presente: Trarei, Trarás, Trará, Traremos, Pretérito perfeito: Resfoleguei, etc.
Trareis, Trarão
Futuro do pretérito: Traria, Trarias, Traria, Traríamos, Obs.: Regular nos demais tempos do indicativo
Traríeis, Trariam
SUBJUNTIVO
IMPERATIVO Presente: Resfolgue, Resfolgues, Resfolgue,
Traze, Traga, Tragamos, Trazei, Tragam Resfoleguemos, Resfolegueis, Resfolguem, etc.

SUBJUNTIVO Obs.: Regular nos demais tempos do subjuntivo.


Presente: Traga, Tragas, Traga, Tragamos, Tragais,
Tragam Este verbo perde o e da penúltima sílaba nas formas
Pretérito imperfeito: Trouxesse, Trouxesses, Trouxesse, rizotônicas.
Trouxéssemos, Trouxésseis,Trouxessem É menos recomendável a conjugação regular (resfólego,
Inf. Pres. Pessoal: Trazer, Trazeres, Trazer, Trazermos, resfólegas, etc) que alguns gramáticos adotam. Há a
Trazerdes, Trazerem variante resfolgar, inteiramente regular.

GERÚNDIO:Trazendo

PARTICÍPIO: Trazido VERBO


VALER
VERBO
REAVER INDICATIVO
Presente: Valho, Vales, Vale, Valemos, Valeis, Valem

IMPERATIVO AFIRMATIVO
INDICATIVO Vale, Valha, Valhamos, Valsi, Valham
Presente: Reavemos, Reaveis
Pretérito imperfeito: Reavia, Reavias, Reavia, etc. SUBJUNTIVO

28
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

Presente: Valha, Valhas, Valha, Valhamos, Valhais, GERÚNDIO:Vindo


Valham
PARTICÍPIO: Vindo

Assim se conjugam: advir, convir, intervir, provir, sobrevir,


avir-se, desavir-se, desavindo, além de particípio, é
VERBO adjetivo: casais desavindos.
VER Obs. Importante: Verbos como: odiar, incendiar, passear,
pentear, somente são irregulares, nas formas rizotônicas.
Ex.: Eu incendeio, tu incendeias, ele incendeia, nós
incendiamos, vós incendiais, eles incendeiam.
INDICATIVO Ex.: Eu penteio, tu penteias, ele penteia, nós penteamos,
Presente: Vejo, Vês, Vê, Vemos, Vedes, Vêem vós penteais, eles penteiam.
Pretérito imperfeito: Via, Vias, Via Víamos, Víeis, Viam
Pretérito perfeito: Vi, Viste, Viu, Vimos, Vistes, Viram CONJUGAÇÃO DOS VERBOS IRREGULARES
Pretérito mais que perfeito: Vira, Viras, Vira, Víramos,
Víreis, Viram Ter, haver, ser e estar

IMPERATIVO Presente do Indicativo


Vê, Veja, Vejamos, Vede, Vejam Ter: Tenho, tens, tem, temos, tende, têm
Haver: Hei, hás, há, havemos, haveis, hão
SUBJUNTIVO Ser: Sou, és, é, somos, sois, são
Presente: Veja, Vejas, Veja, Vejamos, Vejais, Vejam Estar: Estou, estás, está, estamos, estais, estão
Pretérito imperfeito: Visse, Visses, Visse, etc.
Futuro: Vir, Vires, Vir, Virmos, Virdes, Virem Pretérito Perfeito do Indicativo
Ter: Tive, tiveste, teve, tivemos, tiveste, tiveram
GERÚNDIO:Vendo Haver: Houve, houveste, houve, houvemos, houvestes,
houveram
PARTICÍPIO: Visto Ser: Fui, foste, foi, fomos, fostes, foram
Assim se conjugam: antever, entrever, prever, rever. Estar: Estive, estiveste, esteve, estivemos, estivestes,
estiveram

VERBO
VIR

INDICATIVO
Presente: Venho, Vens, Vem, Vimos, Vindes, Vêm
Pretérito imperfeito: Vinha, Vinhas, Vinha, Vínhamos,
Vínheis, Vinham
Pretérito perfeito: Vim, Vieste, Veio, Viemos, Viestes,
Vieram
Pretérito mais que perfeito: Viera, Vieras, Viera, Viéramos,
Viéreis, Vieram
Futuro do presente: Virei, Virás, etc.
Futuro do pretérito: Viria, Virias, etc.

IMPERATIVO
Vem, Venha, Venhamos, Vinde, Venham

SUBJUNTIVO
Presente: Venha, Venhas, Venha, V enhamos, Venhais,
Venham
Pretérito imperfeito: Viesse, Viesses, Viesse, Viéssemos,
Viésseis, Viessem
Futuro: Vier, Vieres, Vier, Viermos, Vierdes, Vierem
Inf. Pres. Impessoal
Inf. Pres. Pessoal: Vir, Vires, Vir, Virmos, Virdes, Virem

29
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

Modo Imperativo Afirmativo


Pretérito Imperfeito do Indicativo Ter: Tem (tu), tenha (você), tenhamos (nós), tende (vós),
Ter: Tinha, tinhas, tinha tínhamos, tínheis, tinham tenham (vocês)
Haver: Havia, havias, havia, havíamos, havíeis, haviam Haver: Há (tu), haja (você), hajamos (nós), havei (vós),
Ser: Era, eras, era, éramos, éreis, eram hajam (vocês)
Estar: Estava, estavas, estavas, estávamos, estáveis, Ser: És (tu), seja (você), sejamos (nós), sede (vós), sejam
estavam (vocês)
Estar: Está (tu), esteja (você), estejamos (nós), estai (vós),
Pretérito Mais-Que-Perfeito do Indicativo estejam (vocês)
Ter: Tivera, tiveras, tivera, tivéramos, tivéreis, tiveram
Haver: Houvera, houveras, houvera, houvéramos, Negativo
houvéreis, houveram Ter: Não tenhas, não tenha, não tenhamos, não tenhais,
Ser: Fora, foras, fora, fôramos, fôreis, foram não tenham
Estar: Estivera, estiveras, estivera, estivéramos, estivéreis, Haver: Não hajas, não haja, não hajamos, não hajais, não
estiveram hajam
Ser: Não sejas, não seja, não sejamos, não sejais, não
Futuro do Presente do Indicativo sejam
Ter: Terei, terás, terá, Teremos, tereis, terão Estar: Não estejas, não esteja, não estejamos, não
Haver: Haverei, haverás, haverá, haveremos, havereis, estejais, não estejam
haverão
Ser:Serei, serás, será, seremos, sereis, serão Infinitivo Impessoal
Estar: Estarei, estarás, estará, estaremos, estareis, Ter, Haver, Ser, Estar.
estarão
Infinitivo Pessoal
Futuro do Pretérito do Indicativo Ter: Ter, teres, Ter, termos, terdes, terem
Ter: Teria, terias, teria teríamos, teríeis, teriam Haver: Haver, haveres, haver, havermos, haverdes,
Haver: Haveria, haverias, haveria, haveríamos, haveríeis, haverem
haveriam Ser: Ser, seres, ser, sermos, serdes, serem
Ser: Seria, serias, seria, seríamos, seríeis, seriam Estar: Estar, estares, estar, estarmos, estardes, estarem
Estar: Estaria, estarias, estaria, estaríamos, estaríeis,
estariam Gerúndio
Tendo, Havendo, Sendo, Estando
Presente do Subjuntivo
Ter: Tenha, tenhas, tenha, tenhamos, tenhais, tenham Particípio
Haver: Haja, hajas, haja, hajamos, hajais, hajam Tido, Havido, Sido, Estado
Ser: Seja, sejas, seja, sejamos, sejais, sejam
Estar: Esteja, estejas, esteja, estejamos, estejais, estejam VOZES VERBAIS

Pretérito Imperfeito do Subjuntivo O verbo possui três vozes:


Ter: Tivesse, tivesses, tivesse, tivéssemos, tivésseis,
tivessem Voz Ativa:
Haver: Houvesse, houvesses, houvesse, houvéssemos, Indica que o sujeito pratica a ação verbal - sujeito agente.
houvésseis, houvessem Ex.: Ele fechou a janela.
Ser: Fosse, fosses, fosse, fôssemos, fôsseis, fossem
Estar: Estivesse, estivesses, estivesse, estivéssemos, Voz Passiva:
estivésseis, estivessem Indica que o sujeito sobre a ação verbal - sujeito paciente.
Ex.: A janela foi fechada por ele.
Futuro do Subjuntivo
Ter: Tiver, tiveres, tiver, tivermos, tiverdes, tiverem (Voz passiva analítica : verbo ser ou estar mais particípio
Haver: Houver, houveres, houver, houvermos, houverdes, do verbo principal).
houverem
Ser: For, fores, for, formos, fordes, forem Nota: para que se tenha VOZ PASSIVA SINTÉTICA, o SE,
Estar: Estiver, estiveres, estiver, estivermos, estiverdes, classificado como apassivador, deverá acompanhar verbos
estiverem transitivos diretos ou verbos transitivos diretos e indiretos.
Só esses verbos aceitam voz passiva.

Voz reflexiva:
Indica ação praticada e recebida pelo sujeito.
Ex.: Ele feriu-se com a faca.

SUBCLASSIFICAÇÃO DOS VERBOS

30
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

Regular: VERBOS PRONOMINAIS


É o verbo cujo radical não se altera e cujas terminações
seguem o modelo da conjugação a que pertence. São os que sempre se conjugam com o pronome que
Exemplos: corresponde à pessoa do sujeito.
Eu amo, Tu amas, Ele ama. Eis alguns: queixar-se, arrepender-se, agachar-se,
orgulhar-se, atrever-se, etc.
Irregular: é o verbo cujo radical sofre alteração ou cujas Exemplos:
terminações não seguem o modelo da conjugação a que Eu me queixo.
pertence. Tu te queixas.
Exemplos: Ele se queixa.
Eu caibo, eu trago. Nós nos queixamos.
Vós vos queixais.
Anômalo: são verbos que apresentam profundas variações Eles se queixam.
nos seus radicais, não se enquadrando em conjugação
alguma.
Exemplos: Artigos
Ser e Ir
Palavra colocada antes do substantivo para
Abundante: é o que apresenta mais de uma forma de determiná-lo, mantendo com ele relação de concordância.
particípio.
Ex.: Pode ser classificado em:
Acendido - aceso
Nascido - nato definido: o, a, os, as - determinam o substantivo de
Aceitado - aceito modo preciso, específico
Elegido - eleito indefinido :um, uma, uns, umas - determinam o
Ganhado - ganho substantivo de modo vago, impreciso
Salvado - salvo Podem aparecer combinados com preposições.
(numa, do, à ...)
OBS.: as formas regulares se usam com os verbos
auxiliares ter e haver. As formas irregulares se usam com O artigo tem a propriedade de substantivar
os verbos auxiliares ser e estar. qualquer palavra precedida por ele. Esse processo chama-
Exemplos: se substantivação. (fumar-verbo / O fumar faz mal à
As luzes já estão acesas. saúde)
A proposta foi aceita.
Já tinham aceitado a proposta. Observação:
- para se certificar de que uma palavra é artigo,
Defectivo: é o que não possui algum tempo, algum modo troque o gênero do substantivo posterior. Se o suposto
ou alguma pessoa; alguns só podem ser conjugados nas artigo não mudar de gênero, pertence à outra classe.
formas arrizotônicas, como precaver-se; outros não
possuem a 1ª pessoa do singular do Pres. Ind. Emprego
E, portando, as formas que derivam desse tempo não se deve usar artigo depois de cujo e suas
(presente do subjuntivo, imperativos). flexões
Exemplos: não se usa artigo diante de expressões de
reaver, precaver-se, gerar, coloria. tratamento iniciadas por possessivos
é obrigatório o uso do artigo definido entre o
Auxiliar: é o que auxilia a conjugação de outro, chamado numeral ambos e o substantivo a que se refere (ambos os
principal. São: ser, estar, ter e haver. cônjuges)
Exemplos: diante do possessivo adjetivo o uso é facultativo;
tinham feito a lição. mas se o pronome for substantivo, torna-se obrigatório
Estávamos fazendo compras. antes de nomes de pessoas, geralmente, não se
utiliza o artigo
Impessoal: verbo que não admite sujeito como: chover, não se usa artigo diante das palavras casa (=lar,
ventar, (fenômeno da natureza), ser, estar, fazer (quando moradia) e terra (=chão firme) a menos que essas
indicam tempo); haver, quando significa existir ou ocorrer. palavras sejam especificadas
diante de alguns nomes de cidade não se usa
Obs.: Esses verbos só podem ser usados na 3ª pessoa do artigo, a não ser que venham modificados
singular, sendo o verbo ser o único que não obedece a usa-se artigo definido antes dos nomes de estados
essa norma. brasileiros, exceto: AL, GO, MT, MG, PE, SC, SP e SE
Exemplos: não se combina com preposição o artigo que faz
Amanheceu rapidamente. parte de nomes de jornais, revistas e obras literárias (li em
Faz meses que... Os Lusíadas)
Estava cedo ainda. depois de todo, emprega-se o artigo para conferir
São oito horas. ideia de totalidade (Toda a sociedade poderá participar)

31
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

Numerais dizemos tratar-se de pronome substantivo.


Ele chegou. (ele )
Palavra que indica Convidei-o (o)
quantidade, número de ordem, Quando o pronome vem determinando o
múltiplo ou fração. Classifica-se substantivo, restringindo a extensão de seu significado,
como: cardinal (1, 2, 3, ...), ordinal dizemos tratar-se de pronome adjetivo.
(primeiro, segundo, terceiro, ...), multiplicativo (dobro, Esta casa é antiga. (esta)
duplo, triplo, ...), fracionário (meio, metade, terço) Meu livro é antigo. (meu )

Valor do Numeral Classificação dos Pronomes


Podem apresentar valor adjetivo ou substantivo. Se Há, em Português, seis espécies de pronomes:
estiverem acompanhando e modificando um substantivo, - pessoais: eu, tu, ele/ela, nós, vós, eles/elas e as
terão valor adjetivo. Já se estiverem substituindo um formas oblíquas de tratamento:
substantivo e designando seres, terão valor substantivo. - possessivos: meu, teu, seu, nosso, vosso, seu e
flexões;
Ex.: Ele foi o primeiro jogador a chegar. (valor - demonstrativos: este, esse, aquele e flexões; isto,
adjetivo) isso, aquilo;
Ele será o primeiro desta vez. (valor substantivo) - relativos: o qual, cujo, quanto e flexões; que,
quem, onde;
Emprego - indefinidos: algum, nenhum, todo, outro, muito,
os fracionários têm como forma própria meio, certo, pouco, vários, tanto quanto, qualquer e flexões;
metade e terço, todas as outras representações de divisão alguém, ninguém, tudo, outrem, nada, cada, algo.
correspondem aos ordinais ou aos cardinais seguidos da - interrogativos: que, quem, qual, quanto,
palavra avos (quarto, décimo, milésimo, quinze avos etc.) empregados em frases interrogativas.
designando séculos, reis, papas e capítulos, utiliza- Pronomes Pessoais
se na leitura ordinal até décimo; a partir daí usam-se os Pronomes pessoais são aqueles que representam
cardinais. (Luís XIV - quatorze, Papa Paulo II - segundo) as pessoas do discurso:
Observação: 1ª pessoa: quem fala, o emissor.
- se o numeral vier antes do substantivo, será Eu sai (eu)
obrigatório o ordinal (XX Bienal - vigésima, IV Semana de Nós saímos (nós)
Cultura - quarta) Convidaram-me (me)
zero e ambos (as) também são numerais cardinais Convidaram-nos (nós)
dúzia, centena... são chamados numerais coletivos, 2ª pessoa: com quem se fala, o receptor.
por designarem um conjunto de seres Tu saíste (tu)
um - numeral ou artigo? Nestes casos, a distinção é Vós saístes (vós)
feita pelo contexto. Numeral indicando quantidade e artigo Convidaram-te (te)
quando se opõe ao substantivo indicando-o de forma Convidaram-vos (vós)
indefinida 3ª pessoa: de que ou de quem se fala, o referente.
Ele saiu (ele)

Flexão NÚMER PESSO CASO CASO OBLÍQUO


O A RETO
Variam em gênero e número singular 1ª eu me, mim, comigo
2ª tu te, ti, contigo
Gênero 3ª ele, ela se, si, consigo, o,
a. lhe
Cardinais: um, dois e os duzentos a novecentos; plural 1ª nós nos, conosco
todos os ordinais; os multiplicativos e fracionários, quando 2ª vós vos, convosco
expressam uma ideia adjetiva em relação ao substantivo 3ª eles, elas se, si, consigo, os,
as
Número: lhes
Cardinais terminados em -ão; todos os ordinais; os Eles sairam (eles)
multiplicativos, quando têm função adjetiva; os Convidei-o (o)
fracionários, dependendo do cardinal que os antecede Convidei-os (os)
Os pronomes pessoais são os seguintes.
Os cardinais, quando substantivos, vão para o
plural se terminarem por som vocálico Pronomes de Tratamento

PRONOMES Na categoria dos pronomes pessoais, incluem-se os


pronomes de tratamento. Referem-se à pessoa a quem se
Pronome é a palavra variável em gênero, número e fala, embora a concordância deva ser feita com a terceira
pessoa que representa ou acompanha o substantivo, pessoa. Convém notar que, exceção feita a você, esses
indicando-o como pessoa do discurso. pronomes são empregados no tratamento cerimonioso.
Quando o pronome representa o substantivo,

32
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

Veja a seguir alguns desses pronomes. retas eu e tu é obrigatório, na medida em que tais
pronomes exercem a função sintática de sujeito.
PRONOME ABREVIATURA EMPREGO
Vossa Alteza V. A. príncipes, duques 5. Os pronomes oblíquos se, si, consigo devem
a
Vossa Eminência V .Em Cardeais ser empregados somente como reflexivos. Considera-se
a
Vossa Excelência V.Ex Altas autoridades em errada qualquer construção em que os referidos pronomes
geral não sejam reflexivos:
a
Vossa Magnificência V. Mag Reitores de Querida, gosto muito de si. (errado)
universidades Preciso muito falar consigo. (errado)
a
Vossa Reverendíssima V. Revm Sacerdotes em geral Querida, gosto muito de você. (certo)
Vossa Santidade V.S. Papas Preciso muito falar com você. (certo)
Vossa Senhoria V.Sa Funcionários graduados
Vossa Majestade V.M. Reis, imperadores Observe que nos exemplos que seguem não há
erro algum, pois os pronomes se, si, consigo foram
São também pronomes de tratamento: o senhor, a empregados como reflexivos:
senhora, você, vocês Ele feriu-se
Cada um faça por si mesmo a redação
Emprego dos Pronomes Pessoais O professor trouxe as provas consigo

1. Os pronomes pessoais do caso reto (eu, tu, 6. Os pronomes oblíquos conosco e convosco são
ele/ela, nós. vós. eles/elas) devem ser empregados na utilizados normalmente em sua forma sintética. Caso haja
função sintática de sujeito. Considera-se errado seu palavra de reforço, tais pronomes devem ser substituídos
emprego como complemento. pela forma analítica:
Convidaram ele para a festa (errado) Queriam falar conosco = Queriam falar com nós
Receberam nós com atenção (errado) dois
Eu cheguei atrasado (certo) Queriam conversar convosco = Queriam
Ele compareceu à festa (certo) conversar com vós próprios

2. Na função de complemento, usam-se os 7. Os pronomes oblíquos podem aparecer


pronomes oblíquos e não os pronomes retos. combinados entre si. As combinações possíveis são as
Convidei ele ( errado) seguintes:
Chamaram nós ( errado)
Convidei-o (certo) me+o=mo me + os = mos
Chamaram-nos (certo) te+o=to te + os = tos
lhe+o=lho lhe + os = lhos
3. Os pronomes retos (exceto eu e tu), quando nos + o = no- nos + os = no-
antecipados de preposição, passam a funcionar como lo los
oblíquos. Neste caso, considera-se correto seu emprego vos + o = vo- vos + os = vo-
como complemento: lo los
Informaram a ele os reais motivos lhes + o = lho lhes + os = lhos
Emprestaram a nós os livros
Eles gostam muito de nós A combinação também é possível com os
pronomes oblíquos femininos a, as.
4. As formas eu e tu só podem funcionar como me+a=ma me + as = mas
sujeito. Considera-se errado seu emprego como te+a=ta te + as = tas
complemento. - Você pagou o livro ao livreiro?
Nunca houve desentendimento entre eu e tu - Sim, paguei-lho.
(errado) Verifique que a forma combinada LHO resulta da
Nunca houve desentendimento entre mim e ti fusão de LHE (que representa o livreiro) com O (que
(certo) representa o livro).
Como regra prática, podemos propor o seguinte:
quando precedidas de preposição não se usam as formas 8. As formas oblíquas O, AS, OS, AS são sempre
retas eu e tu, mas as formas oblíquas mim e ti: empregadas como complemento verbos transitivos diretos,
Ninguém irá sem eu ( errado) ao passo que as formas LHE, LHES são empregadas
Nunca houve discussões entre eu e tu (errado) como complemento de verbos transitivos indiretos:
Ninguém irá sem mim (certo)
Nunca houve discussões entre mim e ti (certo) O menino convidou-a (V.T.D )
Há, no entanto, um caso em que se empregam as O filho obedece-lhe (V.T. l )
formas retas eu e tu mesmo precedidas por preposição:
quando essas formas funcionam como sujeito de um verbo Consideram-se erradas construções em que o
no infinitivo. pronome O (e flexões) aparece como complemento de
Deram o livro para EU ler ( ler: sujeito) verbos transitivos indiretos, assim como as construções
Deram o livro para TU leres (leres: sujeito) em que o nome LHE (LHES) aparece como complemento
Verifique que, neste caso, o emprego das formas de verbos transitivos diretos:

33
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

Eu lhe vi ontem (errado) Ele poderá ter seus quarenta e cinco anos
Nunca o obedeci (errado) 2. Familiaridade ou ironia, aludindo-se á
Eu o vi ontem (certo) personagem de uma história
Nunca lhe obedeci (certo) O nosso homem não se deu por vencido.
Chama-se Falcão o meu homem
9. Há pouquíssimos casos em que o pronome 3. O mesmo que os indefinidos certo, algum
oblíquo pode funcionar como sujeito ocorre com os verbos Eu cá tenho minhas dúvidas
deixar, fazer, ouvir, mandar, sentir, ver seguidos de Cornélio teve suas horas amargas
infinitivo: o nome oblíquo será sujeito desse infinitivo: 4. Afetividade, cortesia
Como vai, meu menino?
Deixei-o sair. Não os culpo, minha boa senhora, não os culpo
Vi-o chegar.
Sofia deixou-se estar à janela. No plural usam-se os possessivos substantivados
no sentido de parentes família.
É fácil perceber a função do sujeito dos pronomes É assim que um moço deve zelar o nome dos
oblíquos, desenvolvendo as orações reduzidas de seus?
infinitivo: Podem os possessivos ser modificados por um
Deixei-o sair = deixei que ele saísse advérbio de intensidade.
Levaria a mão ao colar de pérolas, com aquele
gesto tão seu, quando não sabia o que dizer.
Colocação de Pronomes
Pronomes Demonstrativos
Em relação ao verbo, os pronomes átonos (me,
te, se, lhe, o. a. nós, vós. lhes, os, as) podem ocupar três São aqueles que determinam, no tempo ou no
posições: espaço, a posição da coisa designada em relação á
1. Antes do verbo - próclise pessoa gramatical.
Eu te observo há dias. Quando digo este livro, estou afirmando que o livro
2. Depois do verbo - ênclise se encontra perto de mim a pessoa que fala Por outro
Observo-te há dias. lado, esse livro indica que o livro está longe da pessoa que
3. No interior do verbo - mesóclise fala e próximo da que ouve; aquele livro indica que o livro
Observar-te-ei sempre. está longe de ambas as pessoas.

Pronomes Possessivos Os pronomes demonstrativos são estes

Os pronomes possessivos referem-se às pessoas este (e variações), isto = 1ª pessoa


do discurso. atribuindo-lhes a posse de alguma coisa. esse (e variações), isso = 2ª pessoa
Quando digo, por exemplo, meu livro, a palavra aquele (e variações), próprio (e variações)
meu informa que o livro pertence á 1ª pessoa (eu) mesmo (e variações), próprio (e variações)
Eis as formas dos pronomes possessivos. semelhante (e variação), tal (e variação)
1ª pessoa singular meu, minha, meus, minhas.
2ª pessoa singular teu, tua, teus, tuas. Pronomes Relativos
3ª pessoa singular seu, sua, seus, suas.
1ª pessoa plural nosso, nossa, nossos, nossas. Veja este exemplo:
2ª pessoa plural. vosso, vossa, vossos, vossas. Armando comprou a casa QUE lhe convinha
3ª pessoa plural seu, sua, seus, suas. A palavra que representa o nome casa, relaciona-
se com o termo casa é um pronome relativo
Você bem sabe que eu não sigo a opinião dele.
A opinião dela era que Camilo devia tornar à casa PRONOMES RELATIVOS são palavras que
deles. representam nomes já referidos, com os quais estão
Eles batizaram com o nome delas as águas deste relacionados. Daí denominarem-se relativos.
rio. A palavra que o pronome relativo representa
chama-se antecedente. No exemplo dado, o antecedente
Os possessivos devem ser usados com critério de que é casa.
Substitui-los pelos pronomes oblíquos comunica á frase Outros exemplos de pronomes relativos:
desenvoltura e elegância. Sejamos gratos a Deus, a quem tudo devemos
Crispim Soares beijou-lhes as mãos agradecido O lugar onde paramos era deserto.
(em vez de: beijou as suas mãos). Traga tudo quanto lhe pertence.
Não me respeitava a adolescência. Leve tantos ingressos quantos quiser.
A repulsa estampava-se-lhe nos músculos da face. Posso saber o motivo por que (ou pelo qual)
O vento vindo do mar acariciava-lhe os cabelos. desistiu do concurso?

Além da ideia de posse, podem ainda os pronomes Eis o quadro dos pronomes relativos:
exprimir:
1 . Cálculo aproximado, estimativa:

34
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

INVARIÁVEIS Quem foi?


Qual será?
Masculino Feminino Quantos vêm?
o qual a qual quem Quantas irmãs tens?
os quais as quais
cujo cuja cujas que Advérbios
cujos
quanto quanta onde Pode modificar um verbo, um adjetivo, outro
quantos quantas advérbio ou uma frase inteira. Classificam-se de acordo
com as circunstâncias que expressam:
Observações:
1. O pronome relativo QUEM só se aplica a lugar: longe, junto, acima, atrás, alhures...
pessoas, tem antecedente, vem sempre antecedido de tempo: breve, cedo, já, dentro, ainda...
preposição e equivale a O QUAL. modo: bem, mal, melhor, pior, devagar, a maioria
O médico de quem falo é meu conterrâneo. dos adv. com sufixo -mente
2. Os pronomes CUJO, CUJA significam do qual, negação: não, tampouco, absolutamente...
da qual, e precedem sempre um substantivo sem artigo. dúvida: quiçá, talvez, provavelmente,
Qual será o animal cujo nome a autora não quis possivelmente...
revelar? intensidade: muito, pouco, bastante, mais, demais,
3. QUANTO(s) e QUANTA(s) são pronomes tão...
relativos quando precedidos de um dos pronomes afirmação: sim, certamente, realmente,
indefinidos tudo, tanto(s), tanta(s), todos, todas. efetivamente...
Tenho tudo quanto quero.
Leve tantos quantos precisar. Obs.: as palavras onde (de lugar), como (de modo),
Nenhum ovo, de todos quantos levei, se quebrou. por que (de causa) e quando (de tempo), usadas em
4. ONDE, como pronome relativo, tem frases interrogativas diretas ou indiretas, são classificadas
sempre antecedente e equivale a em que. como advérbios interrogativos.
A casa onde (= em que) moro foi de meu avô.
São locuções adverbiais: à direita, à frente, à
Pronomes Indefinidos vontade, de cor, em vão, por acaso, frente a frente, de
maneira alguma, de manhã, de repente, de vez em
Estes pronomes se referem à 3ª pessoa do quando, em breve, etc. São classificadas, também, em
discurso, designando-a de modo vago, impreciso, função da circunstância que expressam.
indeterminado.
Grau
1. São pronomes indefinidos substantivos: Apesar de pertencer à categoria das palavras
algo, alguém, fulano, sicrano, beltrano, nada, invariáveis, o advérbio pode apresentar variações de grau
ninguém, outrem, quem, tudo comparativo ou superlativo.
Exemplos:
Algo o incomoda? Comparativo:
Acreditam em tudo o que fulano diz ou sicrano
escreve. igualdade: tão+adv+quanto
Não faças a outrem o que não queres que te superioridade: mais+adv+(do) que
façam. inferioridade: menos+adv+(do) que
Quem avisa amigo é. Superlativo:
Encontrei quem me pode ajudar.
Ele gosta de quem o elogia. sintético: + sufixo -íssimo
analítico: muito+adv.
2. São pronomes indefinidos adjetivos:
cada, certo, certos, certa certas. Obs.: bem e mal admitem grau comparativo de
Cada povo tem seus costumes. superioridade sintético: melhor e pior. As formas mais bem
Certas pessoas exercem várias profissões. e mais mal são usadas diante de particípios adjetivados.
Certo dia apareceu em casa um repórter famoso. (Ele está mais bem informado do que eu)

Pronomes Interrogativos Emprego


na linguagem coloquial, o advérbio recebe sufixo
Aparecem em frases interrogativas. Como os diminutivo. Nesses casos, embora ocorra o diminutivo, o
indefinidos, referem-se de modo impreciso à 3ª pessoa do advérbio assume valor superlativo
discurso. a repetição de um mesmo advérbio também
assume valor superlativo
Exemplos: quando os advérbio terminados em -mente
Que há? estiverem coordenados, é comum o uso do sufixo só no
Que dia é hoje? último
Reagir contra quê?
Por que motivo não veio?
35
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

antes de particípios, bem e mal aparecem nas combinação: preposição + outra palavra sem perda
formas analíticas do comparativo de superioridade (mais fonética (ao/aos)
bem e mais mal) e não como melhor e pior contração: preposição + outra palavra com perda
muito e bastante podem aparecer como advérbio fonética (na/àquela)
(invariável) ou pron. indefinido (variável - determina subst.) não se deve contrair de se o termo seguinte for
adjetivos adverbializados mantêm-se invariáveis sujeito (Está na hora de ele falar)
(terminaram rápido o trabalho) Pronome pessoal oblíquo x preposição x artigo

Palavras denotativas Preposição - liga 2 termos, sendo invariável

Série de palavras que se assemelham ao advérbio. Pron. oblíquo - substitui um substantivo


A NGB considera-as apenas como palavras denotativas,
não pertencendo a nenhuma das 10 classes gramaticais. Artigo - antecede o substantivo, determinando-o
Classificam-se em função da ideia que expressam:
Relações estabelecidas pelas preposições
adição: ainda, além disso etc. (Comeu tudo e ainda autoria - música de Caetano
queria mais) lugar - cair sobre o telhado / estar sob a mesa
afastamento: embora (Foi embora daqui) tempo - nascer a 15 de outubro / viajar em uma hora
afetividade: ainda bem, felizmente, infelizmente modo - chegar aos gritos / votar em branco
(Ainda bem que passei de ano) causa - tremer de frio / preso por vadiagem
aproximação: quase, lá por, bem, uns, cerca de, por assunto - falar sobre política
volta de etc. (É quase 1h a pé) fim ou finalidade - vir em socorro / vir para ficar
designação: eis (Eis nosso carro novo) instrumento - escrever a lápis / ferir-se com a faca
exclusão: apesar, somente, só, unicamente, companhia - sair com amigos
inclusive, exceto, senão, sequer, apenas etc. (Todos meio - voltar a cavalo / viajar de ônibus
saíram, menos ela) matéria - anel de prata / pão com farinha
explicação: isto é, por exemplo, a saber etc. (Li posse - carro de João
vários livros, a saber, os clássicos) oposição - Flamengo contra Fluminense
inclusão: até, ainda, também, inclusive etc. (Eu conteúdo - copo de (com) vinho
também vou) preço - vender a (por) R$ 300, 00
limitação: só, somente, unicamente, apenas etc. origem - descender de família humilde
(Apenas um me respondeu) destino - ir a Roma
realce: é que, cá, lá, não, mas, é porque etc. (E
você lá sabe essa questão?) Conjunções
retificação: aliás, isto é, ou melhor, ou antes etc.
(Somos três, ou melhor, quatro) Palavra que liga orações, estabelecendo entre elas
situação: então, mas, se, agora, afinal etc. (Afinal, alguma relação (subordinação ou coordenação). As
quem perguntaria a ele?) conjunções classificam-se em:

Preposições Coordenativas: ligam duas orações independentes


(coordenadas), ou dois termos que exercem a mesma
Palavra invariável que liga dois termos entre si, função sintática dentro da oração. Apresentam 5 tipos:
estabelecendo relação de subordinação (regente - regido).
Divide-se em: aditivas (adição) - e, nem, mas também, mas ainda
etc.
essenciais (maioria das vezes são preposições): a, adversativas (adversidade, oposição) - mas, porém,
ante, após, até, com, contra, de, desde, em, entre, para, todavia, contudo etc.
per, perante, por, sem, sob, sobre, trás alternativas (alternância, exclusão, escolha) - ou, ou
acidentais (podem exercer função de preposição): ... ou, ora ... ora, quer ... quer etc.
afora, conforme, consoante, durante, exceto, salvo, conclusivas (conclusão) - logo, portanto, pois
segundo, senão etc. (depois do verbo) etc.
preposições essenciais regem pron. obl. tônicos; explicativas (justificação) - pois (antes do verbo),
enquanto preposições acidentais regem as formas retas porque, que etc.
dos pron. pessoais. (Falei sobre ti/Todos, exceto eu, Subordinativas: ligam duas orações dependentes,
vieram) subordinando uma à outra. Apresentam 10 tipos.
São locuções prepositivas: abaixo de, acerca de, a
fim de, além de, ao lado de, apesar de, através de, de causais - porque, visto que, já que, uma vez que
acordo com, em vez de, junto de, perto de etc. etc.
comparativas - como, que (precedido de mais ou
Obs.: a última palavra da loc. prepositiva é sempre menos) etc.
uma preposição, enquanto a última palavra de uma loc. condicionais - se, caso, contanto que, desde que
adverbial nunca é preposição etc.

Emprego

36
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

consecutivas (consequência, resultado, efeito) - que - composto - quando constituído por mais de uma
(precedido de tal, tanto, tão etc. - indicadores de oração.
intensidade), de modo que, de maneira que etc. Fui à livraria ontem e comprei um livro.
conformativas (conformidade, adequação) -
conforme, segundo, consoante, como etc. TERMOS ESSENCIAIS DA ORAÇÃO
concessiva - embora, se bem que, ainda que,
mesmo que etc. São dois os termos essenciais da oração:
temporais - quando, enquanto, logo, desde que etc.
finais - a fim de que, para que, que etc. SUJEITO
proporcionais - à medida que, à proporção que, ao
passo que etc. Sujeito é o ser ou termo sobre o qual se diz alguma
integrantes - que, se coisa.
As conjunções integrantes introduzem as orações Os bandeirantes capturavam os índios. (sujeito =
subordinadas substantivas, enquanto as demais iniciam bandeirantes)
orações subordinadas adverbiais. Muitas vezes a função
de interligar orações é desempenhada por locuções O sujeito pode ser :
conjuntivas. - simples: quanto tem um só núcleo
As rosas têm espinhos. (sujeito: as rosas; núcleo:
Interjeições rosas)
Expressa estados emocionais do falante, variando - composto: quando tem mais de um núcleo
de acordo com o contexto emocional. Podem expressar: O burro e o cavalo saíram em disparada.
(suj: o burro e o cavalo; núcleo burro, cavalo)
alegria: ah!, oh!, oba! etc. - oculto: (ou elíptico ou implícito na desinência
advertência: cuidado!, atenção etc. verbal)
afugentamento: fora!, rua!, passa!, xô! etc. Chegaste com certo atraso. (suj.: oculto: tu)
alívio: ufa!, arre! - indeterminado: quando não se indica o agente da
animação: coragem!, avante!, eia! ação verbal
aplauso: bravo!, bis!, mais um! etc. Come-se bem naquele restaurante.
chamamento: alô!, olá!, psit! etc. - Inexistente: quando a oração não tem sujeito.
desejo: oxalá!, tomara! etc. Choveu ontem. Há plantas venenosas.
dor: ai!, ui! etc.
espanto: puxa!, oh!, chi!, ué! etc. PREDICADO
impaciência: hum!, hem! etc.
silêncio: silêncio!, psiu!, quieto! Predicado é o termo da oração que declara alguma
São locuções interjeitivas: puxa vida!, não diga!, coisa do sujeito.
que horror!, graças a Deus!, ora bolas!, cruz credo! etc.
O predicado classifica-se em:

SINTAXE: TERMOS DA ORAÇÃO 1. - nominal: é aquele que se constitui de verbo de


ligação mais predicativo do sujeito.
Nosso colega está doente.
FRASE

Frase é um conjunto de palavras que têm sentido Principais verbos de ligação: ser, estar, parecer,
completo. permanecer, etc.
O tempo está nublado. Predicativo do sujeito é o termo que ajuda o verbo
Socorro! de ligação a comunicar estado ou qualidade do sujeito.
Que calor! Nosso colega está doente.
A moça permaneceu sentada.
ORAÇÃO
2. - predicado verbal é aquele que se constitui de
Oração é a frase que apresenta verbo ou locução verbo intransitivo ou transitivo.
verbal.
A fanfarra desfilou na avenida. O avião sobrevoou a praia.
As festas juninas estão chegando. Verbo intransitivo é aquele que não necessita de
PERÍODO complemento.
O sabiá voou alto.
Período é a frase estruturada em oração ou Verbo transitivo é aquele que necessita de
orações. complemento.
O período pode ser: - Transitivo direto: é o verbo que necessita de
complemento sem auxílio de proposição.
- simples - aquele constituído por uma só oração Minha equipe venceu a partida.
(oração absoluta). - Transitivo indireto: é o verbo que necessita de
Fui à livraria ontem. complemento com auxílio de preposição.

37
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

Ele precisa de um esparadrapo. TERMOS ACESSÓRIOS são os que


- Transitivo direto e indireto (bitransitivo) é o desempenham na oração uma função secundária,
verbo que necessita ao mesmo tempo de complemento limitando o sentido dos substantivos ou exprimindo
sem auxílio de preposição e de complemento com auxilio alguma circunstância.
de preposição.
Damos uma simples colaboração a vocês. São termos acessórios da oração:

- predicado verbo nominal: é aquele que se 1. ADJUNTO ADNOMINAL


constitui de verbo intransitivo mais predicativo do sujeito Adjunto adnominal é o termo que caracteriza ou
ou de verbo transitivo mais predicativo do sujeito. determina os substantivos. Pode ser expresso:
Os rapazes voltaram vitoriosos. - pelos adjetivos: água fresca,
- Predicativo do sujeito: é o termo que, no - pelos artigos: o mundo, as ruas
predicado verbo-nominal, ajuda o verbo intransitivo a - pelos pronomes adjetivos: nosso tio, muitas
comunicar estado ou qualidade do sujeito. coisas
Ele morreu rico. - pelos numerais : três garotos; sexto ano
- predicativo do objeto é o termo que, que no - pelas locuções adjetivas: casa do rei; homem
predicado verbo-nominal, ajuda o verbo transitivo a sem escrúpulos
comunicar estado ou qualidade do objeto direto ou
indireto. 2. ADJUNTO ADVERBIAL
Elegemos o nosso candidato vereador.
Adjunto adverbial é o termo que exprime uma
TERMOS INTEGRANTES DA ORAÇÃO circunstância (de tempo, lugar, modo etc.), modificando o
sentido de um verbo, adjetivo ou advérbio.
Chama-se TERMOS INTEGRANTES DA Cheguei cedo.
ORAÇÃO os que completam a significação transitiva dos José reside em São Paulo.
verbos e dos nomes. São indispensáveis à compreensão
do enunciado. 3. APOSTO

1. OBJETO DIRETO Aposto é uma palavra ou expressão que explica ou


esclarece, desenvolve ou resume outro termo da oração.
Objeto direto é o termo da oração que completa o Dr. João, cirurgião-dentista,
sentido do verbo transitivo direto. Rapaz impulsivo, Mário não se conteve.
Mamãe comprou peixe. O rei perdoou aos dois: ao fidalgo e ao criado.

2. OBJETO INDIRETO VOCATIVO

Objeto indireto é o termo da oração que completa o Vocativo é o termo (nome, título, apelido) usado
sentido do verbo transitivo indireto. para chamar ou interpelar alguém ou alguma coisa.
As crianças precisam de carinho. Tem compaixão de nós, ó Cristo.
Professor, o sinal tocou.
3. COMPLEMENTO NOMINAL Rapazes, a prova é na próxima semana.

Complemento nominal é o termo da oração que PERÍODO COMPOSTO - PERÍODO SIMPLES


completa o sentido de um nome com auxílio de
preposição. Esse nome pode ser representado por um No período simples há apenas uma oração, a qual
substantivo, por um adjetivo ou por um advérbio. se diz absoluta.
Toda criança tem amor aos pais. - amor Fui ao cinema.
(substantivo) O pássaro voou.
O menino estava cheio de vontade. - cheio
(adjetivo) PERÍODO COMPOSTO
Nós agíamos favoravelmente às discussões. -
favoravelmente (advérbio). No período composto há mais de uma oração.
[Não sabem] [que nos calores do verão a terra
4. AGENTE DA PASSIVA dorme] [e os homens folgam].

Agente da passiva é o termo da oração que pratica Período composto por coordenação - apresenta
a ação do verbo na voz passiva. orações independentes.
A mãe é amada pelo filho. [Fui à cidade], [comprei alguns remédios] [e voltei
O cantor foi aplaudido pela multidão. cedo. ]
Os melhores alunos foram premiados pela direção.
Período composto por subordinação - apresenta
TERMOS ACESSÓRIOS DA ORAÇÃO orações dependentes.
[É bom) [que você estude].

38
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

Período composto por coordenação e É aquela que vem entre os termos de uma outra
subordinação - apresenta tanto orações dependentes oração.
como independentes. Este período é também conhecido O réu, DISSERAM OS JORNAIS, foi absolvido.
como misto.
[Ele disse] [que viria logo], [mas não pôde]. A oração intercalada ou interferente aparece com
os verbos: continuar, dizer, exclamar, falar etc.
SINTAXE: COORDENAÇÃO E SUBORDINAÇÃO
ORAÇÃO PRINCIPAL
ORAÇÃO COORDENADA
Oração principal é a mais importante do período e
Oração coordenada é aquela que é não é introduzida por um conectivo.
independente. ELES DISSERAM que voltarão logo.
As orações coordenadas podem ser: ELE AFIRMOU que não virá.
- sindética: aquela que é independente e é PEDI que tivessem calma. (= Pedi calma)
introduzida por uma conjunção coordenativa.
Viajo amanhã, mas volto logo. ORAÇÃO SUBORDINADA
- assindética: aquela que é independente e
aparece separada por uma vírgula ou ponto e vírgula. Oração subordinada é a oração dependente que
Chegou, olhou, partiu. normalmente é introduzida por um conectivo
subordinativo. Note que a oração principal nem sempre é
A oração coordenada sindética pode ser: a primeira do período.
Quando ele voltar, eu saio de férias.
1. ADITIVA: expressa adição, sequência de Oração principal; EU SAIO DE FÉRIAS
pensamento. (e, nem (=e não), mas, também: Oração subordinada: QUANDO ELE VOLTAR
Ele falava E EU FICAVA OUVINDO.
Meus atiradores nem fumam NEM BEBEM. ORAÇÃO SUBORDINADA SUBSTANTIVA
A doença vem a cavalo E VOLTA A PÉ.
Oração subordinada substantiva é aquela que
2. ADVERSATIVA: ligam orações, dando-lhes uma tem o valor e a função de um substantivo.
ideia de compensação ou de contraste (mas, porém, Por terem as funções do substantivo, as orações
contudo, todavia, entretanto, senão, no entanto, etc. subordinadas substantivas classificam-se em:
A espada vence MAS NÃO CONVENCE.
O tambor faz um grande barulho, MAS É VAZIO 1) SUBJETIVA (sujeito)
POR DENTRO. Convém que você estude mais.
Apressou-se, CONTUDO NÃO CHEGOU A Importa que saibas isso bem. .
TEMPO. É necessário que você colabore. (SUA COLABOR
ÇÃO) é necessária.
3. ALTERNATIVAS : (ligam palavras ou orações
de sentido separado, uma excluindo a outra) (ou, ou...ou, 2) OBJETIVA DIRETA (objeto direto)
já...já, ora...ora, quer...quer, etc.) Desejo QUE VENHAM TODOS.
Mudou o natal OU MUDEI EU? Pergunto QUEM ESTÁ Aí.
OU SE CALÇA A LUVA e não se põe o anel,
OU SE PÕE O ANEL e não se calça a luva! ( C. 3) OBJETIVA INDIRETA (objeto indireto)
Meireles) Aconselho-o A QUE TRABALHE MAIS.
Tudo dependerá DE QUE SEJAS CONSTANTE.
4. CONCLUSIVAS: ligam uma oração a outra que Daremos o prêmio A QUEM O MERECER.
exprime conclusão (logo, pois, portanto, por conseguinte,
por isto, assim, de modo que, etc. 4) COMPLETIVA NOMINAL (complemento
Ele está mal de notas; LOGO, SERÁ REPROVA nominal)
DO. Ser grato A QUEM TE ENSINA.
Vives mentindo; LOGO, NÃO MERECES FÉ. Sou favorável A QUE O PRENDAM.

5. EXPLICATIVAS: ligam a uma oração, 5) PREDICATIVA (predicativo)


geralmente com o verbo no imperativo, outro que a Seu receio era QUE CHOVESSE. = Seu receio era
explica, dando um motivo (pois, porque, portanto, que, (A CHUVA)
etc.) Minha esperança era QUE ELE DESISTISSE.
Não sou QUEM VOCÊ PENSA.
Alegra-te, POIS A QUI ESTOU. Não mintas,
PORQUE É PIOR. 6) APOSITIVAS (servem de aposto)
Anda depressa, QUE A PROVA É ÀS 8 HORAS. Só desejo uma coisa: QUE VIVAM FELIZES = (A
SUA FELICIDADE)
ORAÇÃO INTERCALADA OU INTERFERENTE Só lhe peço isto: HONRE O NOSSO NOME.

7) AGENTE DA PASSIVA:

39
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

O quadro foi comprado POR QUEM O FEZ = ( Bebia QUE ERA UMA LÁSTIMA!
PELO SEU A TOR) Tenho medo disso QUE ME PÉLO!
A obra foi apreciada POR QUANTOS A VIRAM. 7) FINAIS: exprimem finalidade, objeto:
Fiz-lhe sinal QUE SE CALASSE.
ORAÇÕES SUBORDINADAS ADJETIVAS Aproximei-me A FIM DE QUE ME OUVISSE
MELHOR.
Oração subordinada adjetiva é aquela que tem o
valor e a função de um adjetivo. 8) PROPORCIONAIS: denotam proporcionalidade:
Há dois tipos de orações subordinadas adjetivas: À MEDIDA QUE SE VIVE, mais se aprende.
QUANTO MAIOR FOR A ALTURA, maior será o
1) EXPLICATIVAS: explicam ou esclarecem, à tombo.
maneira de aposto, o termo antecedente, atribuindo-lhe
uma qualidade que lhe é inerente ou acrescentando-lhe 9) TEMPORAIS: indicam o tempo em que se
uma informação. realiza o fato expresso na oração principal:
Deus, QUE É NOSSO PAI, nos salvará. ENQUANTO FOI RICO todos o procuravam.
Ele, QUE NASCEU RICO, acabou na miséria. QUANDO OS TIRANOS CAEM, os povos se
levantam.
2) RESTRITIVAS: restringem ou limitam a
significação do termo antecedente, sendo indispensáveis 10) MODAIS: exprimem modo, maneira:
ao sentido da frase: Entrou na sala SEM QUE NOS
Pedra QUE ROLA não cria limo. CUMPRIMENTASSE.
As pessoas A QUE A GENTE SE DIRIGE sorriem. Aqui viverás em paz, SEM QUE NINGUÉM TE
Ele, QUE SEMPRE NOS INCENTIVOU, não está INCOMODE.
mais aqui.
ORAÇÕES REDUZIDAS
ORAÇÕES SUBORDINADAS ADVERBIAIS
Oração reduzida é aquela que tem o verbo numa
Oração subordinada adverbial é aquela que tem das formas nominais: gerúndio, infinitivo e particípio.
o valor e a função de um advérbio.
As orações subordinadas adverbiais classificam-se
em: CONCORDÂNCIA NOMINAL

1) CAUSAIS: exprimem causa, motivo, razão: Os adjetivos (que funcionam como adjuntos adnominais)
concordam em gênero e número com o substantivo.
Desprezam-me, POR ISSO QUE SOU POBRE. Seus interesses pessoais só me prejudicam.
O tambor soa PORQUE É OCO.
Os adjetivos anteposto de dois ou mais substantivos
2) COMPARATIVAS: representam o segundo devem concordar com o substantivo mais próximo.
termo de uma comparação. O hotel proporciona perfeito atendimento e localização.
O som é menos veloz QUE A LUZ.
Parou perplexo COMO SE ESPERASSE UM Os adjetivos pospostos a dois ou mais substantivos podem
GUIA. concordar com o substantivo mais próximo ou com todos
eles.
3) CONCESSIVAS: exprimem um fato que se
O hotel proporciona atendimento e localização
concede, que se admite:
perfeita.
POR MAIS QUE GRITASSE, não me ouviram.
Os louvores, PEQUENOS QUE SEJAM, são O hotel proporciona atendimento e localização
ouvidos com agrado. perfeitos.
CHOVESSE OU FIZESSE SOL, o Major não
faltava. Adjetivo com função de predicativo de um sujeito ou de um
objeto composto pode concordar com os núcleos desses
4) CONDICIONAIS: exprimem condição, hipótese: predicativos.
SE O CONHECESSES, não o condenarias. Pai e filho são amigos.
Que diria o pai SE SOUBESSE DISSO?
Adjetivo com função de predicativo de sujeito anteposto a
5) CONFORMATIVAS: exprimem acordo ou esse sujeito pode concordar apenas com o núcleo mais
conformidade de um fato com outro: próximo ou ficar no plural.
Fiz tudo COMO ME DISSERAM. É vergonhosa a fome e desemprego.
Vim hoje, CONFORME LHE PROMETI. São vergonhosos a fome e o desemprego

6) CONSECUTIVAS: exprimem uma Quando dois ou mais adjetivos se referem ao mesmo


consequência, um resultado: substantivo, podem ocorrer as seguintes construções.
A fumaça era tanta QUE EU MAL PODIA ABRIR Estudo as línguas japonesa e chinesa.
OS OLHOS. Estudo a língua japonesa e chinesa.

40
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

Com numerais ordinais anteposto a um único substantivo, Teus amigos, tu e eu conversaremos


podem ocorrer as seguintes construções. ( = nós conversaremos)
ª ª ª
Encontrei os alunos da 5 e 6 série. A 1 pessoa prevalece sobre as demais
ª ª
Encontrei os alunos da 5 e 6 séries.
Tu e teus amigos conversareis
Próprio, mesmo, anexo, incluso, quite, obrigado ( = vós conversareis)
concordam em gênero e número com substantivo ou A 2ª pessoa prevalece sobre a 3ª
Pronomes a que se referem . ou
Elas mesmas farão as apresentações. Tu e teus amigos conversarão
Estamos quites. ( = vocês conversarão)
Seguem inclusas as notas fiscais . (forma já legitimada por grande parte dos gramáticos)
Seguem anexos os recibos,
Ela lhe disse obrigada. Sujeito composto posposto ao verbo o verbo
Obs.: em anexo invariável pode concordar com o sujeito próximo ou ir para o plural.
Ex.: Seguem em anexo as notas fiscais. Pouco disse o prefeito e o vereador.
ou
Meia, bastante, como adverbio são invariáveis. Pouco disseram o prefeito e o vereador
Meia classe participará do campeonato.
Bastante livros foram doados. Sujeito composto posposto ao verbo, com ideia de
reciprocidade o verbo vai para o plural.
Meio, bastante como adverbio são invariáveis.
Olharam-se, com estranheza, gato e rato
Estou meio chateada.
Eles são bastante gordos.
Casos de Sujeito Simples que Merecem Destaque
Substantivos desacompanhados de determinantes
(artigos, pronomes, numerais) podem ter sentido genérico. Sujeito formado por expressão partitiva (parte de, uma
Desse modo: é proibido, é bom, é necessário, é permitido porção de, a metade de, a maioria de, grande parte de) e
não variam. coletivos, quando especificados + substantivo ou pronome
É proibido entrada de pessoas estranhas. no plural o verbo pode ficar no plural ou singular.
A maioria das pessoas gostou/gostaram do espetáculo.
Obs.: Se o substantivo for determinado, essas expressões Um bando de pássaros destruiu/destruíram a plantação.
são variáveis.
É proibida a entrada de pessoas estranhas. Sujeito formado por expressão que indica quantidade
aproximada (cerca de, mais de, menos de, perto de) +
Alerta e haja vista são invariáveis.
numeral e substantivo o verbo concorda com o
Ex.: Todos estão alerta.
substantivo.
A situação e caótica. Haja vista o número de
Mais de uma pessoa acertou na loto.
desempregados.
(faz a concordância com "pessoa")
A situação e caótica. Haja vista os altos índices de
Mais de cem pessoas acertaram na loto.
desemprego.
(faz concordância com "pessoas")
CONCORDÂNCIA VERBAL Obs.: Quando a expressão mais de um estiver associada a
verbos que exprimem reciprocidade, deverá ser
Regra Geral empregado somente o plural.
Mais de mil pessoas se abraçaram depois de sessão.
O verbo concorda com o sujeito em número e pessoa.
Nós compreendemos tudo Nome próprio precedido de artigo o verbo vai para o
plural.
Nome próprio sem artigo o verbo fica no singular.
Sujeito Verbo As Minas Gerais são inesquecíveis.
1ª pessoa do plural 1ª pessoa do plural Minas Gerais é um estado brasileiro.

Regra Básica para o Sujeito Composto O sujeito é um pronome interrogativo ou indefinido plural
seguido de "de nós" ou "de vós" o verbo pode
Sujeito composto anteposto ao verbo o verbo vai concordar com o pronome interrogativo ou indefinido ou
para o plural. com o pronome pessoal.
Quais de nós são/somos culpados?
Exemplo: Alguns de vós sabiam/sabíeis já o fato.
Ele e seu amigo conversam durante muito tempo
S. composto verbo no plural. Obs.: Se o pronome interrogativo ou indefinido estiver no
singular, o verbo deve permanecer no singular.
Atenção para o sujeito composto formado por pessoas Qual de nós é o culpado?
gramaticais diferentes:

41
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

O sujeito é formado por expressão que indica porcentagem verbo pode ficar no plural (os 2 núcleos recebem um
seguida de substantivo o verbo concorda com o mesmo grau de importância) ou pode ficar no singular
º
substantivo. (enfatizando, assim, o 1 elemento).
25% do orçamento foi para obras públicas. O pai com o filho saíram juntos.
º
70% dos entrevistados foram reprovados no teste. O pai com o filho consertou o carro (ênfase para o 1
elemento)
Obs.: Se a expressão que indica porcentagem não for
seguida de substantivo, o verbo deve concordar com o Núcleos do sujeito unidos por expressões como: não só ...,
número. mas também; não só ... como também; não apenas ... mas
99% querem a emenda. também, e outros semelhantes o verbo, de preferencia,
1% é contra a emenda. fica no plural.
Não só ele como também você deverão realizar a tarefa.
O sujeito é um pronome relativo o verbo concorda Se os elementos de sujeito composto forem resumidos por
com o antecedente desse pronome. um aposto è o verbo concorda com o aposto.
Fui eu que fiz as compras. Muros, árvores, carros, tudo, a enchente levou.
Foste tu que fizeste as compras.
Ainda existem pessoas que são incapazes de uma O verbo e a palavra se
caridade.
Como já vimos, emprega-se o pronome se:
Com a expressão um dos que o verbo vai para o
plural. Como índice de indeterminação de sujeito (com verbos
Ele é um dos deputados que lutaram pela emenda. intransitivos, transitivos direto e indiretos) o verbo
concorda com o sujeito.
O sujeito é o pronome relativo que o verbo fica na 3ª
do singular ou concorda com o antecedente do pronome. 3ª do singular
Fui eu quem fez o bolo. Precisa-se de empregados.
Fui eu quem fiz o bolo.
Como partícula apassivadora (com verbos intransitivos,
Casos de sujeito composto que merecem destaque transitivos diretos ou transitivos diretos e indiretos) o
verbo concorda com o sujeito.
Sujeito composto formado por núcleos sinônimos ou quase
3ª sing. Suj. sing.
sinônimos o verbo vai para o plural ou singular.
Aluga-se uma casa na praia.
Descaso e desprezo marcam/marca sua conduta. ª
3 plural Suj. Plural
Alugam-se casas na praia.
Sujeito composto formado por núcleos dispostos em
gradação o verbo pode ir para o plural ou concordar Concordância com os verbos haver, fazer, ser.
com o último núcleo do sujeito.
Ao seu lado, uma hora, um minuto, um segundo me Verbo Haver significado existir é impessoal e
bastam/basta. ª
deve ficar na 3 do singular.

Núcleos do sujeito composto unidos por ou ou nem o Havia pessoas demais ali
verbo fica no plural se o que se declara puder ser atribuído Deve haver soluções viáveis para o caso.
aos 2 núcleos ou fica no singular se o que se declara for
atribuído a apenas um dos núcleos. Fazer com ideia de tempo (cronológico ou
Nem o aluno nem o professor acertaram a questão.
(os dois erraram) meteorológico) permanece na 3ª do singular.
Você ou ele será escolhido para o cargo. Faz frio.
Faz anos que não o vejo.
Com a expressão um ou outro e nem um nem outro Obs.: Os verbos haver e fazer já foram estudados, quando
o verbo costuma ir para o singular ou pode ir para o plural. vimos oração sem sujeitos.
Um ou outro poderá/poderão fazer o trabalho.
Ser
Com a locução um e outro o plural de verbo é mais
frequente, embora também se use o singular. Verbo ser entre substantivo comum no singular e
Um ou outro podem fazer o serviço.
ou substantivo comum no plural o verbo tende a ir para
Um ou outro pode fazer o serviço. o plural ou poderá ficar no singular por uma questão de
ênfase.
O sujeito é formado por núcleos unidos por com o

42
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

Sua cama são algumas tábuas retorcidas (tendência mais Quando o infinitivo é regido de preposição "de",
comum). complementa um adjetivo e assume valor passivo.
Isso são ossos duros de roer (de serem roídos).
Verbo ser entre substantivo próprio e substantivo comum
ou entre pronome pessoal e substantivo tende a Quando o infinitivo é regido de preposição e funciona
concordar com o nome próprio e com o pronome. como complemento de um substantivo adjetivo ou verbo
O professor aqui sou eu. da oração anterior.
Garrincha fez as incríveis diabruras com a bola. Foram obrigados a ficar
Estão dispostos a aceitar
Eu os convenci a aceitar
Verbo ser entre substantivo e pronome não pessoal o
verbo tende a concordar com o substantivo. Quando o infinitivo = verbo principal de uma locução
Tudo eram flores em sua vida. verbal.
Queriam comparecer.
Nas expressões que indicam quantidade o verbo ser Estão a dizer que fui eu?
é invariável.
Vinte quilos é muito. Quando o infinitivo é empregado numa oração reduzida
Dez minutos é pouco tempo. que complementa:
Quinhentos reais é pouco para as compras. Um verbo auxiliar causativo (deixar, mandar, fazer) ou
Um verbo auxiliar sensitivo (ver, sentir, ouvir, perceber)
Nas indicações de tempo o verbo ser concorda com Faça os ficar.
a expressão mais próxima. Não os vi entrar.
É uma hora Deixaram-nos sair.
São três horas.
Já é uma e dez. Obs.: Nas orações acima os pronomes oblíquos são
São cinco para as três. sujeitos. (aparecem ao lado de um verbo causativo ou
Hoje são dezoito de dezembro. sensitivo e de um outro verbo no infinitivo).
(e: Hoje é (dia) dezoito de dezembro)
pode estar elíptico Forma flexionada

Quando o sujeito for diferente do sujeito da oração


DAR, BATER + horas concordam com o sujeito anterior.
expresso hora(s). Ouvi gritarem meu nome.
Suponho derem eles os responsáveis.
3ª pl. sujeito plural
Deram onze horas no relógio. É optativo quando a oração que complementa um auxiliar
causativo ou sensitivo apresentam como sujeito um
3ª pl sujeito substantivo.
Bateram cinco horas da tarde no relógio. Mande os meninos entrarem.
3ª sing. Quando o sujeito da oração reduzida de infinitivo for o
Mas: O relógio deu onze horas.
mesmo da oração anterior flexionado ou não.
ª
3 sing. Eles iriam a Brasília para apresentarem sua proposta.
O relógio da catedral vai bater duas horas. Ênfase no plural pouco recomendável.

Flexão do Infinitivo:
V. parecer
Sing.
Impessoal: Elas parecem querer.
É proibido conversar com o motorista. (considere-se ao Elas [parece] quererem.
processo verbal)

Pessoal:
É bom sairmos já (pessoal é atribui-se um agente ao DICA DE CONCORDÂNCIA
processo verbal)
Está certinha a frase:
Infinitivo não flexionado

Verbo assume valor substantivo a. É proibida entrada.


Dormir é bom b. É proibido a entrada de estranhos.
c. É proibido saída pela porta dos fundos.
Infinitivo com valor imperativo d. É proibido a falta de educação no recinto.
Direita, volver

43
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

"Entrada é o substantivo. O adjetivo deveria concordar com


com ele. Ou não?" Fértil de, em
Há mais mistérios sobre o céu e a terra do que imagina
nossa vã filosofia, já dizia Shakespeare. Com essa
expressão também. O x do quebra-cabeça é o artigo. Se o
bichinho acompanhar o substantivo, proibido concorda
com ele. Caso contrário, nada feito. O adjetivo fica no
masculino e não abre. REGÊNCIA VERBAL
Compare:
É proibida a saída pela porta dos fundos. É proibido saída É o estudo de relação que se estabelece entre os verbos e
pela porta dos fundos. seu complementos.
*É proibida a falta de educação nas dependências desta
empresa. É proibido falta de educação nas dependências DICA
desta empresa. A regência do verbo ir está do jeito que o professor gosta
É proibida a entrada de estranhos. É proibido entrada de em:
estranhos.
a. Quando eu morrer, com certeza vou pro céu.
resposta do teste: C b. Vai pra Campos do Jordão no fim de semana?
c. Fui pro cinema, mas a fila estava muito grande.
d. Ele vai pra praia todas as manhãs.

REGÊNCIA Ir para quer dizer adeus: partir por longo tempo ou para
ficar:
Regência é o processo sintático no qual um "Quando eu morrer, com certeza vou pro céu", escreveu
termo depende gramaticalmente de outro. Álvaro Moreyra.
A palavra que depende é chamada de termo regido e a Vou para São Paulo. Lá, há mais oportunidades de
palavra da qual outra depende é chamada de termo trabalho.
regente. Quando me aposentar, vou para uma praia distante. Quero
viver em contato com a natureza.
Ex.: A menina não gosta de jiló.
Ir a significa até logo, saída curta, pra voltar rapidinho:
(regente) preposição (regido) Vou ao cinema.
Paulo vai a Curitiba fazer uma consulta médica.
A regência pode ser nominal ou verbal. Você vai a Campos do Jordão no fim de semana?

REGÊNCIA NOMINAL Exceção? Só três. As diferenças confirmam a regra.


O lugar onde se mora, trabalha ou estuda pede para:
É o nome da relação existente entre um nome Vou pra casa às 8h.
(substantivo, adjetivo, ou advérbio) e os termos regidos por Ele vai para a loja de ônibus.
esse nome. Vou para a universidade à tarde.
Certos substantivos e adjetivos admitem mais de uma resposta do teste: A
regência:
REGÊNCIA DE ALGUNS VERBOS
Observe:
Assistir

Acesso a, em, para Gosto a, de, para, por, em No sentido de "presenciar", "estar presente", "ver",
Acostumado a, com Inveja a, de deve ser transitivo indireto.
No sentido de "assessorar", "acompanhar", "prestar
Amor a, de, para, para com Jeito de, para socorro" é transitivo direto.
Ânsia de, por Obediência a O médico assiste seu paciente.
Ansioso de, para, por Orgulhosos com, de, por Assistimos o jogo pela tevê.
Apaixonado com, de, por Pronto a, para, em Obs.: Com o sentido de socorrer o verbo assistir admite
Apto a, para Próximo a, de também objeto indireto.
Atenção a, para, sobre, Respeito a, de, por O sacerdote assistia aos doentes na sangrenta luta.
com, para com
Atencioso a, com, para Feliz com, de, em ,por Com o sentido de "residir", "morar", "exerce um cargo em",
com intransitivo.
Aversão a, em, para, por Contente com, de, em ,por Ela assiste, atualmente, na secretaria da saúde.
Digno de Aliado com, a Com sentido de "caber", "ser direito", é transitivo indireto.
Estima a, por, de Simpatia a, para, com, por Tais obrigações não assistem aos alunos.
Falta a, com, contra, para Curioso de, por

44
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

Aspirar
O.D.
No sentido de "sorver", "tragar", "respirar", é transitivo Eu lembrei o compromisso em cima da hora. (lembrar =
direto. recordar)
O aparelho aspirou todo o pó do carpete.
No sentido de "desejar", "pretender", é transitivo indireto. O.I.
Aspiro àquele cargo há anos. Eu lembrei-me do compromisso em cima da hora. (lembra
= recordar)
Chegar
Sujeito
Deve-se dizer chegar a e não chegar em Lembrou-me agora aquele compromisso. (neste caso, o
"Cheguei à casa de minha mãe bem tarde. verbo tem o sentido de "ocorrer", "vir à mente" )

Crer Com o verbo esquecer ocorre o mesmo:

No sentido de "acreditar", "dar como verdadeiro", é O.D.


transitivo direto Esqueci o dinheiro.
Ex.: "Admito a possibilidade de milagres, creio os que
a igreja manda crer". O.I.
(Rebelo da Silva) Esqueci-me do dinheiro.

No sentido de "ter fé", "ter confiança", é transitivo indireto. Sujeito


É preciso crer na justiça. Esqueceu-me o dinheiro da empregada.

No sentido de "julgar", "supor", é transitivo com predicativo Agradecer, perdoar, pagar


do objeto.
Eu o creio (como) uma boa pessoa. Esses verbos apresentam objeto indireto de coisa e objeto
indireto de pessoa .
Obedecer e desobedecer
Agradeço sua colaboração. / Agradeço aos presentes.
São transitivos indiretos. Perdoei seus pecados. / Perdoei ao agressor.
Obedeço aos meus pais. Paguei as contas. / Paguei ao leiteiro.
Obs.: Apesar de serem transitivos indiretos admitem a voz
passiva analítica. Responder
Meus pais são desobedecidos por mim.
É transitivo indireto.
Informar Respondi a todas as perguntas.

Apresenta objeto direto de coisa e objeto indireto de Apesar de transitivo indireto, também admite voz passiva
pessoa. analítica.
Todas as perguntas foram respondidas por mim.
Informe os preços das mercadorias aos clientes
O.D. O.I. Agradar

No período composto: No sentido de "fazer carinho", "acariciar", é transitivo


direto.
Informe aos clientes que os preços baixaram. O pai agradou o filho.
Informe-lhes que os preços baixaram.
Informe os clientes de que os preços baixaram. No sentido de "satisfazer", "ser agradável a", é transitivo
Informe-os de que os preços baixaram. indireto.
O cantor não agradou ao público.
Obs.: A mesma regência de informar cabe a avisar,
certificar, notificar, prevenir. Querer

Antipatizar, simpatizar No sentido de "desejar", "ter vontade de", é transitivo


direto.
São verbos transitivos indiretos Queremos melhores condições de trabalho.
Eu simpatizo com ele.
Não são verbos pronominais. No sentido de "ter afeição", "amor" é transitivo indireto.
É incorreto dizer: Eu me simpatizo com ele. Quero muito aos meus pais.

Lembrar e esquecer Visar

Lembrar admite 3 construções

45
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

No sentido de "mirar", "apontar", "pôr visto" ou "rubricar", é Ex.: Quero beijar-lhe o rosto. (= beijar seu rosto).
transitivo direto.
O arqueiro visou o alvo. Chamar

No sentido de "ter em vista", "ter como objeto", é transitivo No sentido de "convocar", "solicitar a atenção ou a
indireto. presença de" (em voz alta , é transitivo direto.
Ele visa a conquistar uma melhor posição social. Por favor, chame-o mais cedo amanhã.
Chamei-a várias vezes, mas ela não me ouviu.
Preferir
No sentido de "dominar", "tachar", apelidar", pode ser
No sentido de "gostar mais de", é transitivo direto e transitivo direto ou indireto. Normalmente é usado com
indireto. predicativo do sujeito, introduzido ou não pela preposição
Prefiro matemática a Português. de.

(É incorreta a construção: Prefiro matemática do que A polícia chamou o homem mercenário / A polícia
Português.) chamou-o mercenário.
A polícia chamou ao homem mercenário / A polícia
(Não se deve também dizer: Prefiro mais... ) chamou-lhe mercenário.
A polícia chamou o homem de mercenário / A polícia
Gostar chamou-o de mercenário.
A torcida chamou ao jogador de mercenário / A torcida
No sentido de "experimentar", é transitivo direto. chamou-lhe de mercenário.
Gostei o vinho chileno.
Implicar
No sentido de "ter afeição a", é transitivo indireto.
Não gostei do que você fez. No sentido de "ter como consequência", "acarretar" e
transitivo direto.
Precisar Sua negligência implicou o cancelamento do projeto.

No sentido de "determinar com exatidão", é transitivo No sentido de "ter implicância", é transitivo indireto.
direto. Ela implica muito comigo.
Precisei todos os prós e contras.
No sentido de "envolver", "comprometer", é transitivo direto
No sentido de "ter necessidade", é transitivo indireto e indireto.
Não preciso do seu dinheiro para viver. Acabaram implicando o mordomo no crime.

Ansiar
COLOCAÇÃO PRONOMINAL
No sentido de "causar mal-estar", "angustiar", é transitivo
direto. Lista:
O trabalho ansiava-o. me, te, se, o, a, os, as, lhe, lhes, nos, vos.
Posições:
No sentido "desejar ardentemente" é transitivo indireto.
Ansiava pelo cargo há anos. PRÓCLISE: antes do verbo.
Nada se perdeu.
Namorar MESÓCLISE: no meio do verbo.
Dirigir-lhe-emos a palavra.
É transitivo direto ÊNCLISE: depois do verbo.
Fugiram-nos as palavras.
Eu namorei Paulo durante dois anos.
I - REGRAS DE COLOCAÇÃO NAS FORMAS
(É incorreta a construção: Eu namorei com Paulo durante FINITAS
dois anos).
Nota: Formas finitas do verbo são todas as do MODO
Nota INDICATIVO, MODO SUBJUNTIVO E IMPERATIVO.
As formas infinitas são o GERÚNDIO, PARTICÍPIO E
Sabemos que os pronomes pessoais do caso oblíquo que INFINITIVO (pessoal e impessoal).
funcionam como objetos diretos são: o, a., os, as, (que
podem assumir as formas lo, la, los, las, no, na, nos, nas,
PRÓCLISE
dependendo das formas verbais a que estão associados).
Já como objetos indiretos funcionam os pronomes lhe e
lhes. Esses pronomes só acompanham os verbos 1. Estamos obrigados a colocar o pronome oblíquo em
transitivos diretos para indicar posse (funcionando, neste posição de próclise quando, antes e na mesma oração do
caso, como adjunto adnominal). verbo em que ele (o pronome) se apoia, existir qualquer
uma das cinco classes gramaticais seguintes:

46
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

a) conjunção subordinativa; Bons ventos o levem!


b) pronome relativo;
c) pronome interrogativo; MESÓCLISE
d) pronome indefinido;
e) advérbio (não seguido de vírgula). Respeitadas as regras estabelecidas para a próclise,
O homem produz pouco, quando se alimenta far-se-á mesóclise, caso o verbo esteja no FUTURO DO
mal. PRESENTE (cantarei, procuraremos, direis, amará etc.) ou
no FUTURO DO PRETÉRITO (cantaria, procuraríamos,
Próclise, porque, antes do verbo alimenta, está a diríeis, amaria etc.).
conjunção subordinativa quando que a exige. Observe-se
que esse quando está na mesma oração do verbo em que Procurar-te-emos no escritório.
se apoia o pronome se. Diante de uma plateia educada, cantar-se-ia
1ª Oração: o homem produz pouco melhor.
2ª Oração: quando se alimenta mal Os amigos sinceros lembrar-nos-ão um dia.
Veja-se, agora, este outro exemplo:
O homem produz pouco, quando, pela
ÊNCLISE
ausência de diversidade de culturas agrícolas
e pela falta de orientação, se alimenta mal. Nos demais casos.
II - REGRAS DE COLOCAÇÃO NAS FORMAS
A palavra quando, embora não esteja imediatamente INFINITAS
antes do verbo, continua a exigir próclise, porque está na
mesma oração do verbo alimenta. GERÚNDIO
1ª Oração: O homem produz pouco  precedido em “EM” ou de advérbio não-virgulado:
2º Oração: quando, pela ausência de diversidade de PRÓCLISE
culturas agrícolas e pela falta de orientação, se alimenta  demais casos: ÊNCLISE
mal.
Tomemos, finalmente, o seguinte exemplo: Em o convidando, fez o governo justiça.
O homem que trabalha realiza-se. Usaremos essa técnica, pouco nos
Não deve ser próclise? Não! O pronome relativo que, interessando o que a crítica possa dizer.
embora esteja antes do verbo realiza, não está na mesma Ele falou francamente, revelando-nos a
oração deste: verdade.
1ª Oração: O homem realiza-se
2ª Oração: que trabalha INFINITIVO IMPESSOAL
Concluímos, pois, que não basta a palavra de força
atrativa estar antes do verbo em que se apoia o pronome
 negativo ou precedido de qualquer proposição:
PRÓCLISE OU ÊNCLISE
oblíquo; é necessário também que pertença à mesma
oração do verbo.  demais casos: ÊNCLISE
Se, antes do verbo, existir advérbio, este exigirá
próclise, quando não estiver seguido de vírgula: Para te dizer a verdade, não sei se ele virá. ou
Aqui se resolvem todos os problemas. Para dizer-te a verdade, não sei se ele virá.
Mas: Sua intenção era não se contrariar. ou
Aqui, resolvem-se todos os problemas. Sua intenção era não contrariar-se.

Resulta disso que as frases negativas se constroem, INFINITIVO PESSOAL


quase sempre, com próclise: - sempre PRÓCLISE
Não nos negou apoio.
Para nos realizarmos, devemos seguir nosso
2. Se o sujeito estiver logo antes do verbo, a próclise ideal.
será facultativa: PARTICÍPIO
- jamais aceita ÊNCLISE.
Ele se feriu. ou Ele feriu-se.
O homem se supera. ou O homem supera-se. III - ÊNCLISE DOS PRONOMES “O”, “A”, “OS” e “AS”
Isto nos interessa. ou Isto interessa-nos.
Eu te avisarei. ou Eu avisar-te-ei. 1. Se a forma verbal termina por R, S ou Z, suprime-se
Nota: Essa faculdade não pode contrariar a REGRA 1. esse R, S ou Z e antepõe-se L ao pronome oblíquo:
Se o sujeito for um pronome indefinido, a próclise será
obrigatória: procurar + o = procurá - lo
Ninguém me convencerá. dissestes + o = disseste - lo
Tudo se fez em prol da causa. diz + o = di - lo

3. Faz-se próclise também nas orações optativas 2. Se o verbo termina por um ditongo nasal (ão, õe)
(orações que exprimem desejo): ou por m, antepõe-se n ao pronome oblíquo:
Bons olhos o vejam!
Deus te ajude! dão + o = dão-no

47
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

repõe + o = repõe-no  Aquele aluno nunca está atento à aula.


dizem + o = dizem-no  Suas atitudes são idênticas às de sua irmã.
 Não consigo ser indiferente à falta de respeito
3. Nos demais casos, nada varia.
dessa menina!
Observação:  É importante obedecer às regras de
Ao colocar o pronome nos após as formas verbais funcionamento da escola.
terminadas em –mos, suprime-se o s:  As testemunhas assistiram à cena impávidas e
dirigimos-nos = dirigimo-nos. serenas.

A utilização do acento grave como fator de transmissão de


clareza na leitura ocorre em diversas expressões de modo
USO DA CRASE ou circunstância:
 Vou lavar a mão na pia.
A crase é, na língua portuguesa, a contração de duas  Vou lavar à mão a roupa delicada.
vogais iguais, sendo representada com acento grave. A  Ele pôs a venda nos olhos.
contração mais comum é a da preposição a com o artigo
 Ele pôs à venda o carro.
definido feminino a (a + a = à). Existem outras contrações
muito utilizadas, como as contrações da preposição a com  Ela trancou a chave na gaveta.
os pronomes demonstrativos a, aquele, aquela e aquilo (a  Ela trancou à chave a porta.
+ aquele = àquele, a + aquela = àquela, a + aquilo =  Estudei a distância.
àquilo).  Estudei à distância.
Exemplos: HÁ CRASE
 Dei a indicação à senhora mas ela não a
entendeu. (a + a = à) - Em diversas expressões adverbiais, locuções
 Fui àquele serviço para resolver esse problema. prepositivas e locuções conjuntivas: à noite, à direita, à
(a + aquele = àquele) toa, às vezes, à deriva, às avessas, à parte, à luz, à vista,
 Apenas dou a encomenda àquela funcionária. (a à moda de, à maneira de, à exceção de, à frente de, à
+ aquela = àquela) custa de, à semelhança de, à medida que, à proporção
 Refiro-me àquilo que aconteceu semana que,…
passada. (a + aquilo = àquilo)  Ligo-te hoje à noite.
Mais importante do que decorar regras de quando usar ou  Ele está completamente à parte do grupo.
não usar crase, o correto uso da crase depende de um  A funcionária apenas conseguiu a promoção à
bom conhecimento estrutural da língua e de uma custa de muito esforço.
capacidade de análise do enunciado frásico, sendo
 Meu filho mais velho está completamente à
importante compreender que não acorre crase se houver
deriva: não estuda, não trabalha, não faz nada.
apenas a preposição a, ou apenas o artigo definido a ou
Nota: Pode ocorrer crase antes de um substantivo
apenas o pronome demonstrativo a. Para que haja crase,
masculino desde que haja uma palavra feminina que se
é preciso que haja uma sequência de duas vogais iguais,
encontre subentendida, como no caso das locuções à
que sofrem contração, formando crase.
moda de e à maneira de.
Uma forma fácil de verificar a existência ou não da crase
em diversas situações é substituir o substantivo feminino  Decisões à Pedro Neves. (à maneira de Pedro
por um substantivo masculino e verificar se haverá ou não Neves)
a presença da preposição a contraindo com o artigo  Estilo à Paulo Sousa. (à moda de Paulo Sousa)
definido a.
Contração da preposição a com artigo definido feminino a: - Antes da indicação exata e determinada de horas:
a + a = à  Meu filho acorda todos os dias às seis da manhã.
Contração da preposição a com artigo definido masculino  Chegaremos a Brasília às 22h.
o: a + o = ao  A missa começará à meia-noite.
Nota: Com as preposições para, desde, após e entre, não
Exemplos: ocorre crase.
 Vou à praia.  Estou esperando você desde as seis horas.
 Vou ao parque.  Marcaram o almoço para as duas horas da tarde.
 Vale a pena.
 Vale o sacrifício. NÃO HÁ CRASE
A dúvida entre o uso ou não do acento indicador de crase
ocorre frequentemente com substantivos e adjetivos que - Antes de substantivos masculinos:
pedem a preposição a e com verbos cuja regência é feita  Gosto de andar a pé.
com a preposição a, indicando a quem algo se refere,
como: agradecer a, pedir a, dedicar a,…  Este passeio será feito a cavalo.
 Será estipulado um tipo de pagamento a prazo.
Exemplos:

48
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

 Escreve a lápis, assim podemos apagar o que for USO FACULTATIVO DA CRASE
preciso.
- Antes de nomes próprios femininos:
- Antes de verbos:  Enviei cartas a Heloísa.
 Não sei se ela chegou a falar sobre esse assunto.  Enviei cartas à Heloísa.
 Meu filho está aprendendo a cantar essa música Nota: Não ocorre crase em contexto formal e na
na escola. nomeação de personalidades ilustres porque nestes
 O arquiteto está começando a renovar essa casa. casos, segundo a norma culta, não se usa artigo definido.
 Meu irmão se dispôs a ajudar no que fosse  Em seu discurso sobre poesia, fez referência a
necessário. Cecília Meireles.
 A cerimônia foi em homenagem a Clarice
- Antes da maior parte dos pronomes: Lispector.
 Desejamos a todos um bom fim de semana.
 Você já pediu ajuda a alguém? - Antes da preposição até antecedendo substantivos
 Dei todos os meus carrinhos a ele. femininos:
 Refiro-me a quem nunca esteve presente nas  Não desistiremos, iremos até as últimas
reuniões. consequências.
Nota: Antes de alguns pronomes pode ocorrer crase.  Não desistiremos, iremos até às últimas
 Não entregamos o trabalho à mesma professora. consequências.
 Eu pedi a fatura à própria gerente do
estabelecimento. - Antes de pronomes possessivos:
 Solicitei à senhora que não fizesse mais  Na festa de Natal, fizeram referência a minha
falecida mãe.
reclamações.
 Esta é a reportagem à qual me referi.  Na festa de Natal, fizeram referência à minha
falecida mãe.
- Em expressões com palavras repetidas (mesmo que
CASOS ESPECÍFICOS (SUJEITOS A VERIFICAÇÃO)
essas palavras sejam femininas):
 Estamos estudando as expressões mais usadas
pelos falantes no dia a dia. - Antes de nomes de localidades: Apenas ocorre crase
 Gota a gota, minha paciência foi enchendo! antes de nomes de localidades que admitem a
anteposição do artigo a quando regidos pela preposição a.
 Preciso conversar com você face a face. Uma forma fácil de verificar se há anteposição do artigo a
 Por favor, permaneçam lado a lado. é substituir a preposição a por de ou em.
Contração da preposição a com artigo definido feminino a:
- Antes de palavras femininas no plural antecedidas a + a = à
pela preposição a: Contração da preposição de com artigo definido feminino
 Este artigo se refere a pessoas que estão a: de + a = da
desempregadas. Contração da preposição em com artigo definido feminino
 A polêmica foi relativa a mulheres defensoras da a: em + a = na
emancipação feminina.
 As bolsas de estudo foram concedidas a alunas Exemplos:
estrangeiras.  Vou à Bahia no próximo mês.
Nota: Caso se especifique os substantivos femininos  Vim da Bahia.
através da utilização do artigo definido as, ocorre crase,  Estou na Bahia.
dada a contração desse artigo com a preposição a: a + as  Vou a Brasília no próximo mês.
= às.
 Vim de Brasília.
 Este artigo se refere às pessoas que estão
desempregadas.  Estou em Brasília.
Nota: Se houver adjunto adnominal que determine a
 A polêmica foi relativa às mulheres defensoras da cidade, ocorre crase.
emancipação feminina.
 Cheguei à Brasília dos políticos corruptos.
 As bolsas de estudo foram concedidas às alunas
estrangeiras.
 Regressei à Curitiba de minha infância.

- Antes da palavra terra: Ocorre crase apenas com o


- Antes de um numeral (exceto horas, conforme acima
sentido de Planeta Terra e de localidade, se esta estiver
mencionado):
determinada. Com o sentido de chão, estando
 O número de concorrentes chegou a quinhentos e indeterminado, não ocorre crase.
vinte e sete.
 Fui à terra onde meu pai nasceu. (localidade
 O hotel fica a dois quilômetros daqui. identificada)
 O motorista conduzia acima de 180 km/h.  O astronauta regressou à Terra trinta dias após
sua partida. (Planeta Terra)

49
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

 Os marinheiros chegaram a terra de madrugada. a.) Os buracos cavados pelo ratoelho são
(chão indeterminado) maiores do que os do coelhato.
b.) Os buracos cavados pelo coelhato são mais
- Antes da palavra casa: Ocorre crase apenas quando a profundos do que os do ratoelho.
palavra casa está determinada com um adjunto adnominal. c.) Os buracos cavados pelo coelhato são,
Sem a determinação de um adjunto adnominal não há provavelmente, mais profundos do que os do
crase. ratoelho.
 Regresso a casa sempre que posso. (Sem d.) O coelhato cava mais buracos do que o
adjunto adnominal) ratoelho.
 Regresso à casa de meus pais sempre que e.) Diante das informações, nenhuma das
conclusões acima podem ser aceitas como
posso. (Com adjunto adnominal)
verdade.

04. O mundo está se encaminhando para uma situação em


EXERCÍCIOS DE INTERPRETAÇÃO DE que o trabalhador já não consegue vender a única
TEXTOS mercadoria que pode oferecer: sua força de trabalho.
É uma mutação violenta de nossa civilização,
01. A globalização dos anos 90 colocou contra a parede possivelmente, com consequências ainda piores do que as
símbolos do capitalismo brasileiro. Isso quer dizer que que sofremos hoje. O conceito de trabalho, que era o
estamos mal? Não. As empresas que elevaram sua fundamento de nossa civilização ocidental, caducou.
preocupação com a excelência aos limites da paranoia não Agora, milhões de seres humanos já não servem sequer
apenas sobreviveram como estão na vanguarda de um para serem explorado.
novo - e pujante - ciclo econômico. David Ricardo e, depois dele, Karl Marx, assentaram sua
Segundo o autor: Economia Política sobre a Teoria do Valor do Trabalho,
a.) A paranoia com a excelência, nos moldes da fator de produção que o desemprego vai desvalorizando
globalização do anos 90, permitiu que símbolos rapidamente.
do capitalismo brasileiro chegassem à vanguarda Segundo o texto:
do novo ciclo econômico. a.) A mutação a que o texto se refere está na
b.) Para sobreviver, precisamos ser paranoicos. força de trabalho, que caducou.
c.) O novo ciclo econômico é baseado na b.) Estamos vivenciando um novo paradigma da
paranoia, pois sem ela a globalização dos anos relação força de trabalho X emprego.
90 colocaria símbolos do capitalismo brasileiro c.) David Ricardo e Karl Marx erraram ao
contra a parede. assentarem sua Economia Política sobre a Teoria
d.) O novo ciclo econômico é pujante pois colocou do Valor do Trabalho.
os símbolos do capitalismo brasileiro dos anos 80 d.) Aquelas pessoas que trabalham com vendas
contra a parede, devido à paranoia com a não conseguem mais oferecer sua força de
globalização dos anos 90. trabalho, devido a uma mutação no mercado.
e.) Não estamos mal pois os símbolos do e.) O fundamento da civilização ocidental está
capitalismo brasileiro pertencem a outra década, sofrendo uma mutação violenta, levando-se em
mas a globalização dos anos 90 é a vanguarda conta que o desemprego era a base para a Teoria
do novo ciclo econômico. do Valor do Trabalho.

02. Considerando-se a afirmação de uma famosa estilista 05. Dois jornais impressos - um da situação e outro da
americana de que "os homens sempre estiveram na oposição - publicam, todos os dias, notícias sobre os
vanguarda da moda", referindo-se ao terno de duas peças, mesmos temas. Eles dedicam o mesmo espaço a cada
podemos concluir que: assunto, além do mesmo número de jornalistas para
a.) A tendência única para a moda no futuro é o produzirem seus artigos. Sabe-se que os dois são
terno. vendidos na mesma região, pelo mesmo preço, possuem a
b.) Apesar de vários estilistas de alta costura se mesma tiragem e que são concorrentes.
esforçarem, o que eles fazem não é moda. Então:
c.) O terno é sempre uma roupa atual. a.) Se Pedro lê o jornal A e João lê o jornal B, os
d.) Um homem que não use terno não está na dois são de classes diferentes.
moda. b.) Se Pedro lê o jornal A e João lê o jornal B, os
e.) As mulheres deveriam usar terno para dois são de classes iguais.
estarem na moda. c.) Se Pedro lê o jornal A e João o jornal B, os
dois compartilham a mesma opinião política.
03. Biólogos comprovaram que, em uma determinada d.) Se Pedro lê o jornal A e João o jornal B, os
floresta, existem dois tipos de roedores. Ambos têm o dois provavelmente recebem informações iguais
hábito de cavar buracos. O coelhato cava buracos mais com enfoques diferentes.
rápido do que o ratoelho. Outra grande diferença entre e.) Se Pedro lê o jornal A e João o jornal B, os
eles é o tamanho: o roedor ratoelho é maior, em média, do dois provavelmente recebem informações
que o coelhato. diferentes com enfoques iguais.
Diante destas informações, os biólogos poderiam deduzir 06. Se a Internet é uma excelente fonte de informações, e
que: João navega na Internet todo dia, pode-se concluir que:

50
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

a.) João é muito bem informado.


b.) João domina a navegação na Internet 10. "Quando eu era pequeno, meus pais descobriram que
c.) (a) e (b) são verdadeiras. eu tinha tendências masoquistas. Aí passaram a me bater
d.) (b) é verdadeira, mas (a) não o é. todo dia, para ver se eu parava com aquilo" (Woody Allen).
e.) (a) pode ser falsa, mas provavelmente (b) é O pensamento dos pais de Woody Allen pode ser
verdadeira. comparado a:
a.) Aumentar o imposto de importação para
07. Para os restaurantes que fazem entregas em casa equilibrar a balança comercial.
terem sucesso, eles precisam entregar rápido a comida ou b.) Comprar uma arma para combater a violência.
ter um bom preço, e estar bem localizado. c.) Aumentar os juros para diminuir o consumo.
O restaurante COMOMAIS é uma casa de sucesso e d.) Pimenta nos olhos dos outros é refresco.
possui bom preço. e.) As alternativas (a) e (c) estão corretas.
Diante desta afirmação, podemos afirmar que:
a.) O restaurante COMOMAIS entrega rápido 11. Cinco garotos, por brincadeira, compraram 2 litros de
seus pedidos. álcool e incendiaram um homem que dormia em um ponto
b.) O restaurante COMOMAIS não entrega rápido de ônibus. A ideia era se divertir assustando um mendigo.
seus pratos. Só que, na verdade, além de mendigo, tratava-se também
c.) O restaurante COMOMAIS está bem de um índio da tribo dos Pataxós. Eles incendiaram e
localizado. assassinaram um ser humano. A justificativa e o pedido de
d.) O restaurante COMOMAIS não é bem desculpas foi que se enganaram, pensaram tratar-se
localizado. apenas de um mendigo.
e.) As alternativas (a) e (c) estão corretas. Segundo o texto, não podemos concluir que:
a.) Trata-se de um crime ecológico, pois afeta a
08. A violência no trânsito aumenta ano após ano. O comunidade indígena.
aumento do número de carros na rua tem evidenciado b.) Os 5 garotos não considerariam suas atitudes
esse problema, chegando a índices alarmantes. um crime, caso fosse apenas um mendigo.
Um especialista renomado declarou que: c.) O conceito de diversão para estes 5 garotos é
"O problema do trânsito é o despreparo dos motoristas. deveras violento.
Somente aqueles que não aprenderam a dirigir da forma d.) 5 garotos inconsequentes tiraram a vida de
correta causam acidentes. Além disso, afirma que o sr. outro ser humano.
Astrogildo aprendeu a dirigir corretamente, então ele não e.) Um índio Pataxó não deveria estar dormindo
causará acidentes." em um ponto de ônibus.
Podemos concluir que:
a.) O Sr. Astrogildo recebeu um atestado de que 12. Uma pesquisa realizada em uma faculdade apontou
é um ótimo motorista. que o índice de comparecimento às aulas está diretamente
b.) Para provar que o especialista está correto, relacionado ao nível de aproveitamento do aluno. Quanto
devemos esperar um certo espaço de tempo e mais faltas, menor o aproveitamento do aluno.
verificar se o sr. Astrogildo não irá causar Cláudio está sempre presente em todas as aulas, então:
acidentes. a.) Cláudio é um excelente aluno.
c.) Caso se assuma a afirmação do especialista b.) Cláudio não é um excelente aluno.
como verdadeira, ocorrerá um erro de apelo à c.) O aproveitamento de Cláudio está acima da
autoridade. média.
d.) Realmente, o único problema no trânsito diz d.) Cláudio pode ter notas baixas.
respeito a motoristas mal treinados. e.) Cláudio não pode ter notas baixas.
e.)As alternativas (b) e (d) estão corretas.
13. Constatou-se que, na cidade de Brigmuch, a
09. Segundo a opinião de um leitor do jornal O Estado de população está dividida entre :
São Paulo, "o governo neoliberal - para desespero dos 1. Briguentos;
neobobos - resolveu dar interpretação literal ao salário 2. Não briguentos;
mínimo. O Movimento dos Sem Terra que se cuide, 3. Pacifistas.
mudando imediatamente de nome, senão bye - bye Além disso, sabe-se que:
reforma agrária". I - Muitos não briguentos são também pacifistas.
Segundo este leitor: II - Nenhum briguento é pacifista.
a.) O governo irá pagar um salário mínimo aos III - Alguns pacifistas podem brigar para defender a paz.
membros do MST, ao invés de promover a IV - Brigas nunca ocorrem entre pacifistas.
reforma agrária. V - Um não briguento nunca briga.
b.) Se depender do nome, os Sem Terra Caso ocorra uma briga entre A e B, pode-se concluir, com
continuarão sem terra. certeza, que:
c.) O MST está desesperado com o aumento do a.) A é pacifista e B é briguento.
salário mínimo. b.) A é briguento e B é pacifista.
d.) O MST está desesperado com a necessidade c.) Ambos são briguentos
de trocar de nome. d.) A pode ser um não briguento pacifista e B um
e.) O MST que se cuide, o governo quer cobrar briguento.
um salário mínimo por lote a ser distribuído. e.) Se A é um pacifista, B é um briguento.

51
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

esquerda do elevador.
14. Ao comprar um saco de balas, um garoto espalha b.) azul-escura, ela será do primeiro andar, à
todas sobre uma mesa, conta e descobre que o saco direita do elevador.
continha 116 balas. 58 balas são vermelhas e 58 são c.) cinza, com tonalidade escura, ela será do
azuis. Após esta grande descoberta, coloca todas terceiro andar, à esquerda do elevador.
novamente no saco e se pergunta quantas balas seriam d.) Impossível determinar a localização.
necessárias tirar do saco para ter certeza de que pelo e.) as alternativas (a) e (c) estão corretas.
menos 2 seriam da mesma cor? Quantas você
responderia? 18. Os lucros obtidos em 1996 pelas 900 maiores
a.) 59 companhias americanas, de acordo com um levantamento
b.) 29 feito pela revista Business Week, superam todas as
c.) 15 expectativas. Graças a um ótimo quarto trimestre, eles
d.) 7 cresceram 14% em relação ao ano anterior. A campeã foi
e.) 3 a Esso. Com um lucro de 7,5 bilhões, a Esso ocupou uma
posição que pertencera à General Motors em 1995. O
15. Segundo Karl Kraus, "o segredo do demagogo é se faturamento da Esso, de 119,7 bilhões de dólares, foi o
fazer passar por tão estúpido quanto sua plateia, para que terceiro entre as empresas americanas. No ranking das 10
esta imagine ser tão esperta quanto ele." empresas que tiveram os maiores lucros no ano passado a
De acordo com este raciocínio podemos concluir que: Intel destacou-se com um crescimento de 45% em relação
a.) Todas as pessoas que vão a palestras são a 1995. A IBM, que até recentemente estava na berlinda,
estúpidas. viu seus lucros aumentarem em 30% nesse período.
b.) Para ser um bom palestrante você precisa ser Agora, novamente os economistas estão pessimistas. Na
um demagogo. opinião deles, dificilmente em 1997 o índice de
c.) O demagogo induz sua plateia. crescimento dos lucros alcançará dois dígitos.
d.) O demagogo é tão esperto quanto sua plateia. De acordo com o texto:
e.) O demagogo é a pessoa que guarda a.) Dificilmente os índices de crescimento dos
segredos. lucros se repetirá de 1996 para 1997, apesar do
resultados obtidos de 1995 para 1996.
16. O feminismo acabou. A tese, defendida pela psicóloga b.) Apesar do maior faturamento da Esso em
americana Jo Anne Randall num artigo do Wall Street 1996, ela ocupa a terceira posição em lucros,
Journal, foi erguida a partir de um episódio vivido pela conquistando a posição da General Motors.
própria Jo Anne. Folheando um catálogo de roupas íntimas c.) A Intel destacou-se com um crescimento de
femininas, ela notou que os modeladores de corpo, versão 45% no seu faturamento.
atual dos antigos espartilhos, estão em falta. "A queda do d.) Os lucros obtidos em 1996 superaram todas
Muro de Berlim marcou o fim da Guerra Fria", escreveu as expectativas crescendo, no quarto trimestre do
ela. "A fotografia do catálogo com o carimbo esgotado ano passado, 14%.
marca o fim do feminismo. Acabou". e.) A IBM elevou 30% seus lucros de 1996 para
De acordo com o texto, podemos concluir que: 1997.
a.) Para a psicóloga, o fato de a mulher usar uma
versão atual de espartilho, impede que ela 19. Numa recente viagem aos Estados Unidos, o
defenda seus direitos de igualdade com os economista Octavio de Barros descobriu que os
homens. americanos investiram no Brasil quase 4,6 bilhões de
b.) A queda do Muro de Berlim tem a mesma dólares em 1995. Dessa quantia, 2,2 bilhões representam
importância que o fim do estoque de uma peça de reinvestimentos de subsidiárias já instaladas aqui. O que
roupa íntima de mulher. surpreende é a discrepância entre esses dados e a
c.) O feminismo acabou devido ao término da estatística do Banco Central. Estas indicam que o
Guerra Fria. investimento direto de todos os países no Brasil em 1995
d.) As mulheres que usam modeladores de corpo foi de 3,5 bilhões de dólares e o reinvestimento, de 200
assumem uma importância histórica. milhões. As estatísticas brasileiras estão subestimadas,
e.) Uma pessoa tão preocupada com o feminismo segundo o economista, porque não é mais necessário
não deveria estar folheando tal catálogo. atualizá-las anualmente, a fim de gozar de benefícios
fiscais, como no passado.
17. Em um hotel existem 300 quartos, divididos em 3 De acordo com o texto, podemos concluir que:
andares, sendo cada andar decorado com base em uma a.) Por não ser mais necessário atualizar as
determinada cor. A chave dos quartos de um determinado informações para obter benefícios fiscais, as
andar seguem a cor do andar e possuem tonalidades para estatísticas brasileiras estão superestimadas.
identificar o lado que fica o quarto. Se forem de tonalidade b.) Os americanos reinvestiram 2,2 bilhões de
clara, ficam à direita do elevador. Caso sejam de dólares, em 1995, ao contrário das estatísticas
tonalidade escura, ficam à esquerda do elevador. Além brasileiras que indicam apenas 200 milhões de
disso, ao invés de números, os andares seguem a ordem dólares.
alfabética dos nomes das cores. c.) Para Octavio de Barros é um grande erro o
Sendo assim, com certeza, se você achar uma chave de Brasil manter estas estatísticas discrepantes.
cor: d.) Na verdade, o erro das estatísticas brasileiras
a.) azul-escura, ela será do primeiro andar, à é muito maior do que 31% na diferença de

52
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

investimentos diretos, pois leva em conta todos b- isenção - isento


os países que aqui investiram. c- fisco - fiscal
e.) Octavio de Barros descobriu que as d- desembaraçar - desembaraço
estatísticas do Banco Central apresentam e- câmbio - cambial
discrepâncias quanto ao volume de investimentos
para as empresas usufruírem dos benefícios 5- Quanto ao uso da crase a frase errada é:
fiscais. a- Refiro-me à isenção de imposto.
b- Ao viajar à Europa, cuidado para não ultrapassar a cota.
20. "Os casais, quando não se divertem, se deixam atingir c- Tenho dúvidas à respeito de franquia.
seriamente e a família paga o alto preço que o d- Esta mercadoria é atentatória à ordem pública.
desequilíbrio cobra, cujo desequilíbrio passa a dominar e- Dirigi-me à fiscal de plantão.
tudo e todos e, como entendem os netos e os tios já não
entendem os sobrinhos, o que causa um verdadeiro 6- Quanto à concordância nominal, a única frase correta é:
desastre social." (O Raciocínio - Brasil / fonte: Internet). a- Eles mesmo preencherão a declaração de bagagem.
De acordo com o texto: b- Seguem anexo as provas do processo.
a.) Os sobrinhos não entendem os netos e os c- Estamos quites com o fisco.
tios. d- A mercadoria estava meio escondida.
b.) A diferença de interpretação dos fatos entre os e- É proibida a entrada de frutas cítricas no país.
membros de uma única família causam um
verdadeiro desastre social. 7- A frase onde há erro de concordância verbal é:
c.) A diversão dos casais tem um alto preço, pago a- Houveram muitos turistas atravessando a ponte.
pelo restante da família. b- Faz vinte minutos que esse carro espera para ser
d.) O desequilíbrio, quando passa a dominar, liberado.
causa um desentendimento entre o casal e os c- Deve haver poucas declarações para serem
sobrinhos. examinadas.
e.) O verdadeiro desastre social é causado pela d- São oito horas de trabalho.
falta de entendimento dos sobrinhos. e- Existem pessoas tentando burlar a fiscalização.

GABARITO 8- Escolha o item que apresenta "antônimo" da palavra


01. A 05. D 09. B 13. E 17. D sublinhada na frase abaixo:
02. C 06. E 10. B 14. E 18. A A água está calma, transparente e riscada de sol.
03. E 07. C 11. A 15. C 19. D a- concentrada
04. B 08. C 12. D 16. A 20. B b- excitada
c- perturbada
d- agitada
SIMULADO PORTUGUÊS - 30 QUESTÕES - COM e- desequilibrada
GABARITO
9- Escolha a opção em que há "substantivos" que se
1- O plural de "qualquer cidadão" é: referem, respectivamente, a "ação" e "sentimento":
a- qualquer - cidadãos a- homem - passos
b- quaisquer - cidadões b- passado - medo
c- quaisquer - cidadães c- diferença - raízes
d- quaisquer - cidadãos d- inteligência - criação
e- qualquer - cidadões e- trabalho - tristeza

2 - "Anos a fio..." A expressão significa: 10- A alternativa em que todas as palavras obedecem à
a- Há muitos anos. mesma norma de acentuação gráfica é:
b- Há anos atrás a- saúde - solúvel - saída
c- Por muitos anos. b- café - você - corrói
d- Por uma sequência de anos. c- pátria - indícios - critério
e- Nos últimos anos. d- pólo - álbum - táxi
e- caráter - juízo - artéria

3- A violação era ...............: assim, o fiscal lavrou o 11- O substantivo classificado como comum, concreto,
.................. para aplicação das .............. cabíveis. simples, coletivo e derivado é:
a- fragrante - auto de infração - sanções a- justiça
b- flagrante - auto de infração - sanções b- habitantes
c- fragrante - auto de inflação - sansões c- romanceiro
d- fragrante - alto de infração - sansões d- pedra-sabão
e- flagrante - auto de inflação - sanções e- computadores

4- Nas alternativas abaixo, temos um substantivo e um 12 - Dos substantivos abaixo, o que se classifica, quanto
adjetivo, "exceto" em: ao gênero, como sobrecomum é:
a- tributo - tributável a- ré

53
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

b- tatu a- avisos descabidos


c- ente b- apelos inconvenientes
d- aldeã c- sinais insolentes
e- analista d- pedidos inusitados
e- chamadas esquisitas
13- Pões o coração de lado.
Mudando-se o tempo verbal da oração acima, a 21- Todos os verbos apresentam uma irregularidade no
identificação está incorreta em: futuro do subjuntivo em:
a- pores / infinitivo pessoal a- pôr - ver - rir
b- põe / imperativo afirmativo b- dar - saber - ouvir
c- pôs / pretérito perfeito do indicativo c- dizer - equivaler - medir
d- puseres / pretérito mais que perfeito do indicativo d- fazer - dispor - vir
e- punhas / pretérito imperfeito do indicativo e- incendiar - caber - intervir

14- O verbo chamar está empregado como transitivo 22 - Escolha a opção cujas palavras estão corretamente
indireto em: acentuadas.
a- Ninguém nos chama de loucos. a- cajú - cortêsmente - ilhéu
b- Ora chamam por ele, ora por mim. b- jabotí - disséssemos - rítimo
c- Parece que chamei a pessoa errada. c- linguístico - outrém - filézinho
d- O presidente, chamam-no de esperto. d- sequência - idólatra - amabilíssimo
e- O guarda chamou o chofer de incauto. e- esfôrço - abdômen - inglêses

15- O final do passeio deve ser na praia. Se colocarmos o 23- Nos períodos abaixo, o pronome oblíquo encontra-se
verbo em azul no pretérito imperfeito do indicativo teremos: colocado antes do verbo. Indique a opção que também
a- deverá admite a colocação do pronome após o verbo principal.
b- devia a- João se calará diante das denúncias.
c- devesse b- José o defende em todas as circunstâncias.
d- devera c- Quem me procurou na minha ausência?
e- deva d- Não se sabe quem ficou com as promissórias.
e- O professor o tinha avisado sobre a data de entrega dos
16- "Eis o que escreveu aquela moça magra" trabalhos.
O termo em azul é:
a- sujeito 24- Escolha a opção cujos substantivos masculinos têm a
b- objeto direto flexão para o feminino, respectivamente, como ã, oa e ona
c- predicativo do sujeito .
d- adjunto adnominal a- sultão - vilão - ladrão
e- adjunto adverbial b- ancião - leitão - valentão
c- anão - leão - pavão
17- A opção em que as duas palavras formam o plural da d- anfitrião - cortesão - solteirão
mesma maneira é: e- cristão - tabelião - zangão
a- substituição / nação
b- administração / pão 25- Indique o período cuja forma verbal pode ser
c- ficção / alemão transformada em passiva com auxiliar.
d- demonstração / capitão a- Na excursão, visitou-se um país a cada três dias.
e- talão / cristão b- Na assembleia escolar, falou-se muito em inovações
curriculares.
18- Escolha a opção em que os vocábulos devem ser c- Eles se desentenderam várias vezes durante a viagem.
graficamente acentuados por serem proparoxítonos. d- Ele se lembrou dos bons momentos do passado.
a- anonima - problematico e- vaidosa, enfeitou-se com laços e babados.
b- sinonimo - aspereza
c- ambito - intolerante 26- As letras que completam de modo correto as palavras
d- proximo - celular escasse__ , depre__ão , aquie__er são
e- impeto - carater respectivamente:
a- z - ç - c
19- Escolha a frase em que não deve ser usado o sinal b- z - ss - sc
indicativo de crase. c- s- ç - c
a- A noite, costumava ler revistas antigas. d- s - s - ss
b- Andava a procura de um computador. e- s -ss - sc
c- Ficávamos frente a frente numa convivência diária.
d- Fui a praia e depois procurei-o. 27- Todas as frases abaixo estão corretas quanto à
e- O dinheiro se destinava a compra de um carro. concordância, exceto uma:
a- A maior parte das pessoas desconhece o problema.
20- Pode-se substituir a expressão "solicitações b- Resta ainda, em alguns trechos, áreas preservadas.
impertinentes" por:

54
APOSTILA ELABORADA PELA EMPRESA DIGITAÇÕES & CONCURSOS

c- Alguns de vós acompanham o noticiário sobre o 29. B


assunto. 30. E
d- Foi um agrônomo pernambucano quem nos alertou
sobre o que está ocorrendo.
e- Cerca de dois milhões de quilômetros quadrados
viraram deserto.

28- As alternativas estão corretas, exceto:


a- Porque era um mau programa, diminuiu o Ibope da
emissora de TV.
b- Por que se forma desertos na ausência de áreas
verdes?
c- Não sabemos o porque de sua ausência.
d- Formamos nossa personalidade através das
dificuldades por que passamos.
e- Ela não veio, por quê?

29- Escolha a opção em que o fonema s ocorre em todas


as palavras.
a- exatoria - reconhecido - diversificado
b- máximo - explícita - precursor
c- acionar - sucesso - invisível
d- manuseável - conceder - auxílio
e- essencial - êxito - patrício

30- Com relação à regência verbal, escolha a opção


correta.
a- O datilógrafo deve conhecer a todas as possibilidades
da máquina de escrever.
b- Aconselho-o uma leitura atenta ao manual.
c- Alguns itens podem parecê-lo mais importante.
d- As margens protegem à margem escrita.
e- Cabe ao datilógrafo o estabelecimento das medidas da
margem.

GABARITO:
1. D
2. D
3. B
4. D
5. C
6. D
7. A
8. D
9. E
10. C
11. C
12. C
13. D
14. B
15. B
16. A
17. A
18. A
19. C
20. B
21. D
22. D
23. B
24. B
25. A
26. B
27. B
28. C

55