Você está na página 1de 10

UNIVERSIDADE FEDERAL DE

UBERLÂNDIA

SEGUNDO RELATÓRIO DE
CIRCUITOS ELÉTRICOS

1
Sumário

1. Introdução
pg. 03

2. Objetivo
pg. 06

3. Parte experimental
pg. 06

3.1. Verificação do Teorema da Superposição de Efeitos


pg. 06

3.2. Verificação do Teorema da Reciprocidade de Efeitos


pg. 07

4. Conclusão
pg. 09

5. Referências Bibliográficas
pg. 09

1
1. Introdução

O Teorema da Superposição de Efeitos:


O Teorema da Superposição de Efeitos permite a determinação
dos valores de tensão e corrente num determinado componente, sem
a necessidade de determinar todas as tensões e correntes em todos
os elementos de um circuito linear.
Essa determinação dos valores é feita analisando-se o efeito
que cada fonte produz, separadamente, no componente a ser
analisado. Enquanto o efeito de uma fonte é analisado, as outras
devem permanecer desativadas. A soma (superposição) desses
efeitos produzidos por cada uma das fontes resulta no efeito final do
circuito sobre o componente em questão.

Enunciado:

“A resposta de tensão/corrente em qualquer ramo de um circuito


linear que possui mais de uma fonte independente, pode ser obtida
somando-se algebricamente as respostas produzidas nestes ramos
pela ação de cada uma das fontes atuando sozinha, isto é, com as
demais fontes desativadas (anuladas)”.
Teorema da Superposição de Efeitos Prof. Fernando Mussoi 16/02/04
Teorema da Superposição - SDigitais.doc2

Assim, podemos obter a resposta desejada de tensão/corrente


num determinado ramo de um circuito com mais de uma fonte,
através da soma algébrica das respostas produzidas pela ação
independente (individual) de cada fonte, com as demais desativadas
(anuladas).

Usos do Teorema:

O Teorema da Superposição de Efeitos tem várias aplicações,


como por exemplo:
• na determinação de tensão e/ou corrente em um determinado
componente ou ramo de um circuito, sem precisar determinar
as demais grandezas;
• na obtenção dos Equivalentes Thèvenin e Norton;
• na análise de sinais compostos (fontes) de corrente contínua e
de corrente alternada num mesmo circuito;

1
• na análise de sinais compostos (fontes) de diferentes
freqüências num mesmo circuito.

Procedimento:

• Anulam-se todas as fontes do circuito, menos uma, e determina-


se a tensão/corrente no componente ou ramo do circuito
desejado, utilizando-se os métodos de análise de circuitos já
estudados;
• Fontes de Tensão devem ser desativadas através de um curto-
circuito nos seus terminais.
• Fontes de Corrente devem ser desativadas através de um
circuito aberto nos seus terminais.
• Repete-se o processo para cada fonte do circuito;
• Faz-se a Superposição dos Efeitos somando-se algebricamente
no domínio do tempo as respostas que cada fonte provoca no
componente ou ramo do circuito em análise, ou seja, somam-se
as respostas considerando-se o sinal das polaridades das
tensões ou o sinal dos sentidos das correntes que cada fonte
provoca no ponto analisado.

Observação Importante:
A Superposição de Efeitos é também válida para circuitos em
corrente alternada, porém ela deve ocorrer no DOMÍNIO DO TEMPO e
não no Domínio da Freqüência.

O Teorema da Reciprocidade de Efeitos:

Fonte de tensão

Considere um circuito linear, com condições iniciais nulas, e


uma única fonte de tensão. Suponha que haja em um ramo qualquer
um medidor ideal de corrente.
A leitura do medidor não se altera quando sua posição é
trocada com a da fonte de tensão.

Corrente medida:

1
Calculando o equivalente de Thévénin entre os pontos 1 e 2

Fonte de corrente

Considere um circuito linear, com condições iniciais nulas, e


uma única fonte de corrente. Suponha que haja em um ramo
qualquer um medidor ideal de tensão.
A leitura do medidor não se altera quando sua posição é
trocada com a da fonte de corrente.

Exemplo:

1
Nos dois circuitos, o valor do medidor de tensão é V

Definição:

Um circuito é recíproco, ou seja, vale o Teorema da Reciprocidade,


se:

• É linear;
• Não possui fontes (dependentes ou independentes) ;
• Suas condições iniciais são nulas.

2. Objetivo

Verificar experimentalmente a validade do estudo em sala dos


teoremas da Superposição e da Reciprocidade de Efeitos.

3. Parte Experimental

3.1. Verificação do Teorema da Superposição de Efeitos


3.1.1. Materiais Utilizados

Fonte de tensão;
Amperímetros;
Pront-o-board;
Resistores.

1
(a)

(b)

1
(c)

Fig. 1: Esquema de montagem para verificação do Teorema da


Superposição de Efeitos.

A partir deste experimento verificamos:


Montamos em laboratório o esquema representado na Fig. 1(a),
medimos a corrente e a tensão na resistência de 2,2Ω, logo após
modificamos o circuito para a forma da Fig. 1(b), a mudança consistiu
em retirar uma das fontes de Tensão ( neste caso a de 10 V ) criando
um curto circuito, nesta nova situação medimos a corrente e a tensão
na resistência de 2,2Ω e obtivemos um V’ e uma I’. Tornamos a
modificar o circuito agora devolvendo a fonte que havíamos retirado
em Fig. 1 (b) e retirando a outra fonte ( neste caso a de 15 V )
medindo novamente a tensão e a corrente na resistência de 2,2Ω
obtivemos um V’’ e uma I’’.
Podemos perceber que assim como afirma o Teorema da
Superposição de Efeitos, que a soma dos efeitos produzidos por cada
uma das fontes resulta no efeito final do circuito sobre o componente
em questão (2,2Ω).
Logo I = I’ + I’’ e V = V’ + V’’.

3.2. Verificação do Teorema da Reciprocidade de Efeitos


3.2.1. Materiais Utilizados

Foram utilizados os seguintes materiais:

• Fonte de tensão;

1
• Amperímetros;
• Pront-o-board;
• Resistores.

(a)

(b)

Fig. 2: Esquema de montagem para comprovação do Teorema da


Reciprocidade de Efeitos.

A partir deste experimento verificamos:


Montamos o esquema da Fig. 2(a) e medimos a corrente em três
lugares: verificamos que a soma das correntes que passam pelas

1
resistências de 220Ω e 150Ω é igual as correntes que passam na
resistência de 180Ω ou seja: I=I1 +I2.
Na Fig. 2(b), fizemos um curto circuito onde estava a fonte
anteriormente e colocamos a fonte em série com a resistência de 150
Ω, medimos as correntes nas resistências de 180 Ω, 270 Ω e 220 Ω
observamos que: I’=I’1+I’2, portanto I1=I’
4. Conclusão

Feitos os experimentos colocamos em prática o que foi visto na


teoria e constatamos que é verdadeiro o que é dado em sala de aula
em relação ao Teorema de Superposição de Efeitos e Teorema de
Reciprocidade de Efeitos tendo em questão as correntes que passam
pelos circuitos. E a conclusão específica de cada teorema está
relatada na parte experimental desse relatório.

5. Referências

http://pt.wikipedia.org/wiki/Teorema_da_superposi
%C3%A7%C3%A3o

http://www.eletronica24h.com.br/Curso
%20CC/aparte4/aulas4/aula017.html