Você está na página 1de 2

Recentemente, um vídeo postado no Youtube, mostrando Ana Paula Valadão Bessa engatin

hando no palco durante uma ministração em Anápolis - Goiás, foi alvo de críticas sobre o M
inistério Diante do Trono.
Mesmo passado algum tempo do ocorrido, Ana Paula divulgou agora, no site do Mini
stério, um comunicado a respeito de sua atuação. O autor do vídeo, também escreveu uma car
ta pedindo perdão para Ana Paula. Confira abaixo uma parte do comunicado da cantor
a:
\"Queridos irmãos, escrevo estas palavras depois de algum tempo do ocorrido em uma
ministração do Diante do Trono em Anápolis, Goiás, onde andei como um leão no palco. Logo
após o evento as imagens deste ato foram colocadas na internet e tenho recebido i
númeras palavras de apoio e também de repúdio ao que as pessoas assistem no pequeno víde
o. Somente agora tive paz em meu coração para escrever explicando o que aconteceu, p
ois temia estar agindo errado ao tentar me defender. Apenas respondi às pessoas qu
e me procuraram pessoalmente ou que escreveram e-mails para o nosso ministério. Ma
s hoje, depois de algum tempo, decidi trazer um texto a público.
Desejo começar pedindo perdão aos irmãos que se sentiram ofendidos com o que fiz, pois
de maneira alguma meu desejo foi esse. Eu acredito e me esforço pela unidade do C
orpo de Cristo e anseio por ser sempre uma voz que inspire a comunhão e a união entr
e os crentes no Senhor Jesus. Jamais faria algo propositadamente que pudesse cau
sar divisão, escândalo, ferindo esta unidade em favor da qual tenho orado e trabalha
do.
Dentro do ministério que recebi do Senhor, que é o louvor, acredito que podemos expe
rimentar esta unidade de uma maneira como nenhum outro ministério pode, pois todos
os cristãos, independente da sua denominação, podem estar unidos cantando louvores a
Jesus e exaltando o Seu santo nome. Portanto, inicio pedindo perdão por ofensas ca
usadas por este ato que fiz e que tenham trazido qualquer divisão em nosso meio.
Agora, se o leitor me permite, gostaria de tentar explicar o que aconteceu. Se s
erei aceita ou não, depende de quem lê, pois muitas vezes nossos pressupostos teológic
os são tão diferentes que nenhuma explicação seria suficiente para que todos concordasse
m com minha atitude. Mas tentarei ser o mais clara possível em minhas posições.
Quando nos preparávamos para ir a Anápolis, considerada uma das cidades com maior po
pulação evangélica do país, passei a buscar do Senhor algo específico que deveria ser mini
strado ali.
Procuro em cada evento ter a direção de Deus em meu coração para que não seja apenas um sh
ow, mas sim, algo relevante para as pessoas que estarão presentes, alcançando a Igre
ja e a cidade como um todo. São canções que entronizam Jesus, são orações que acreditamos q
e podem muito em seus efeitos, tanto na vida das pessoas presentes, como na vida
de pessoas distantes, e até mesmo de toda a cidade, que está sendo coberta por noss
as intercessões enquanto adoramos e oramos juntos.
Em Anápolis o que me veio ao coração era que a Igreja do Senhor Jesus precisava de enc
orajamento. Havia depressão, medo, intimidação, angústia e desejo até mesmo de morte no co
ração de muitos cristãos. Essa impressão foi confirmada por vários testemunhos que recebi
antes e depois da ministração.
Realmente o índice de suicídio era altíssimo naquela cidade, e muitos crentes, com his
tórias terríveis dentro das igrejas evangélicas, passavam por esse tipo de aflição. Havia
também a confirmação de que a igreja, muitas vezes misturada ao mundo, precisava ser d
espertada para ter mais ousadia para pregar o Evangelho, para sair das paredes d
os templos e fazer diferença na sociedade. Sei que esta parece uma mensagem que po
de ser pregada em qualquer cidade, mas a cada evento tenho buscado algo específico
de Deus para Seu povo, e todas as vezes a ênfase é diferente. Ali em Anápolis esta fo
i a direção, ou seja, uma ministração de força e ânimo para o povo de Deus.
Enquanto eu falava sobre isso naquela noite, um cântico espontâneo veio ao meu coração q
ue dizia: Como um leão, um cordeiro e um leão . Falei sobre como devemos ser fortes no
Senhor para resistir o inimigo, suas tentações, suas intimidações. Falei sobre como as p
ortas do inferno não prevalecerão contra uma Igreja ousada, que evangeliza, que é sal
desta Terra e luz deste mundo. Falei sobre uma postura de resistência e ousadia ao
invés de uma passividade e comodismo em que muitos crentes vivem hoje. Disse que
Jesus é o Leão da tribo de Judá, forte, vencedor, e Ele está em nós para nos fortalecer. T
ambém falei que devemos ser como Jesus, o Cordeiro de Deus. Assim como Ele é, devemo
s ser mansos, humildes, com coração quebrantado diante da vontade do Pai, e mudo per
ante seus acusadores. Disse essas coisas e celebramos com muita alegria e intens
idade esta realidade que vemos em Cristo e que podemos viver em nossas vidas. Es
tava bem claro diante de nós que o Espírito Santo era quem havia trazido esta mensag
em, de maneira tão espontânea, e as pessoas respondiam celebrando conosco e recebend
o esta ministração em seus corações.
Foi então que eu, crendo hoje assim como naquele momento, senti em meu coração a direção d
e me agachar e andar como um leão. Eu antes estava celebrando e pulando bem alto,
e sentia uma leveza especial. Mas de repente minhas pernas faltaram com a força e
me vi no chão sem conseguir me levantar. Agachar e engatinhar foi um reflexo rápido,
e eu, que já estou acostumada a obedecer aos ímpetos que creio que o Espírito Santo m
e traz, obedeci àquela direção. Enquanto representava um leão ali no palco, eu pensei: Mi
nha reputação está indo embora. Deus, o que as pessoas vão pensar de mim? . Mas eu ouvia n
o mais profundo do meu coração que eu O estava obedecendo e que não era para me preocu
par com a opinião das pessoas.
Agi crendo que o Espírito Santo estava me movendo, e obedeci ao que ouvi dentro do
meu coração. Assim faço quando preciso escolher um cântico que será entoado em um culto,
seja anteriormente enquanto oro e faço a lista de músicas ou seja durante o evento,
em momentos em que o plano é mudado e algo espontâneo nasce, ou uma música não planejada
encaixa-se perfeitamente no que o Senhor está fazendo naquele instante. Não planeje
i andar como um leão, mas cri estar agindo, obedecendo a um ímpeto do Espírito Santo e
m meu coração...\"

Para continuar lendo a resposta de Ana Paula e ler a carta do autor do vídeo, aces
se: www.diantedotrono.com.br