Você está na página 1de 3

Como Escrever Um Livro

17 Dicas Para Escrever Um Livro


Por: Mário Persona
http://www.youtube.com/watch?v=aaIPzxt_VEM

Eu vou dar a você 17 dicas de como escrever. Por que 17? Bom, porque eu só me
lembrei de 17. E tem uma outra razão. Você já viu os livros que fazem sucesso.
Normalmente eles são: 100 hábitos das pessoas felizes, 5 idéias para o gerente eficaz, 7
segredos para emagrecer em uma semana, sempre tem um número, então eu escolhi 17, 17
dicas para você escrever.

1ª Dica:
Converse com o leitor. Conte casos para ele, conte histórias, fale de pessoas, isso é o
que as pessoas querem ouvir. As pessoas gostam de pessoas, pessoas gostam de ouvir
histórias, por isso as novelas têm esta grande audiência.

2ª Dica:
Use a linguagem informal, não use uma linguagem rebuscada como: ilustríssimo
senhor, blá, blá, blá. Informal sem rodeios, você está escrevendo para seres humanos
que moram no planeta terra que conversam no dia a dia e que não falam como se
estivessem lendo tratados científicos, bula de remédio ou alguma petição feita a um
tribunal, as pessoas conversam de maneira informal, escreva da mesma forma se você
quiser atingir a alma destas pessoas.

3ª Dica:
Crie frases curtas. Breves. Sucintas. Quer saber se você está escrevendo bem? Se você
está escrevendo frases curtas? Leia uma sentença sua, se você precisar parar para
respirar, se você começar a ficar azul, perder o ar é porque sua sentença está muito
longa. Então seja breve nas suas frases, nas suas sentenças.

4ª Dica:
Comece com uma pergunta o seu parágrafo ou sentença. Por que? Porque perguntas
despertam curiosidade. Como assim? Ora, eu estou explicando para você que
pergunta é uma forma de você atrair a atenção do leitor. Quer saber como? Pronto! Eu
fiz uma pergunta e você ficou interessado agora. Esta é a técnica.

5ª Dica:
Escreva um parágrafo como alguém que esculpe um bloco de palavras. Seja um
escultor de palavras, seja um artista.

6ª Dica:
Faça do humor um atalho para o cérebro. O humor é uma forma de você fazer a
mensagem grudar na cabeça da pessoa. Você já percebeu que se você ler uma página
de texto sério, técnico, científico ou alguma coisa assim, você se esquece
rapidamente? Agora o que acontece quando alguém lhe conta uma piada de uma
página de texto? Você nunca mais se esquece daquela piada. É isso o que faz o
humor, o humor é um adesivo pra grudar uma mensagem no cérebro.

7ª Dica:
Não diga tudo. Deixe algo para a imaginação.
:: 1 ::
8ª Dica:
Brinque com as palavras, crie trocadilhos, poetize, faça rimas, crie coisas.

9ª Dica:
Rime. Quando você poetiza, você cria um texto mais artístico, mais da forma que a
criatividade e a imaginação de ler. Você vai atingir o lado humano do leitor, o lado
criativo, o lado que não é muito racional e lógico. Então, faça rimas.

10ª Dica:
Abuse do corriqueiro. Aqueles detalhes que todo mundo vê mas ninguém pensa em
escrever a respeito. Pode ver que os textos mais interessantes são aqueles que falam
no dia a dia. São coisas que nós sabemos, mas que são tão banais, mas quando
colocadas debaixo da pena de um escritor se tornam coisas maravilhosas e vão atrair
o leitor porque já existe algo nele que responde a isso, ele sabe do que você está
falando.

11ª Dica:
Tire o leitor da sala e leve-o para a cozinha. A cozinha é aquele lugar onde a gente
conversa informalmente. Faça-o se sentir à vontade.

12ª Dica:
Ponha alguma erudição. Ponha algumas palavras difíceis no meio do seu texto para
criar tropeços para a leitura. Por que? O leitor tem que voltar e pensar, isso acorda a
pessoa. Ele tem que voltar para prestar atenção: “Bem, o que era isso mesmo o que o
autor quis dizer?”. Isso cria atenção e gera interesse.

13ª Dica:
Leve o seu leitor a uma viagem imaginária, “viajar na maionese”. Crie mundos para
ele, crie universos, leve-o longe, distante daquelas páginas.

14ª Dica:
Termine o parágrafo com um suspense. Como? Esta é a técnica de Sherazade.
Sherazade foi aquela princesa do conto de Mil e Uma Noites que sabendo que o
príncipe ia mata-la de manhã, depois da noite de núpcias, ela conta uma estória a
noite inteira e no final, quando está amanhecendo, ela termina a estória dizendo:
- “Ah! Esta estória não é nada se comparada com a história de Alibabá”
- “Mas quem é Alibabá” - pergunta o príncipe.
- “Ah! Majestade, já está amanhecendo eu conto na próxima noite a história de
Alibabá”
E assim ela vai ‘mil e uma noites’ segurando o príncipe ali. Com isso ela criava
interesse contínuo do seu ouvinte. Faça a mesma coisa com o seu leitor. Termine um
parágrafo criando uma abertura, um prefácio para o próximo parágrafo.

15ª Dica:
Escreva com compasso, com ritmo para ser lido. Shakespare escrevia assim. Ziraldo
escreve assim, ele cria um compasso, ele escreve como se estivesse com um bumbo
batendo, com um relógio batendo ou como Shakespare que se inspirava na batida do
seu próprio coração, na sua pulsação para criar um ritmo, um compasso para a leitura
do seu texto.

:: 2 ::
16ª Dica:
Rompa com as regras gramaticais. Ouse errar, às vezes. Erre, ‘entre aspas’. Por que?
Porque você também cria pontos de interesse. Mas não faça disso um hábito, as
pessoas vão achar que você não sabe escrever.

17ª Dica:
Transforme seu leitor em cúmplice. Escreva coisas que ele sinta vontade de contar
para os outros e dizer quem foi que escreveu aquilo. Essa é a melhor maneira de você
ficar conhecido, de você espalhar a sua mensagem.

Estas são as 17 dicas. Espero que elas sejam úteis para você. Mas lembre-se de uma
coisa: você não vai ficar rico escrevendo um livro no Brasil, jamais! Eu me lembro até da
história de um escritor que chegou para um amigo e disse o seguinte:
- Ah, agora eu vivo de escrever livro. Ganho a vida escrevendo livros.
- Que bom! Interessante! Já vendeu muito? - pergunta o amigo.
- Já vendi quase tudo. Já vendi carro, casa, bicicleta, cachorro, geladeira…

:: 3 ::

Interesses relacionados