INTRODUÇÃO

Existem poucos aspectos positivos sobre o uso de esteróides andrógenos entre os atletas e adeptos da musculação. Em certas circunstâncias, os esteróides anabólicos realmente desenvolvem massa muscular, mas às vezes a um preço muito alto para a saúde. Essas drogas estão sendo usadas atualmente não apenas por alguns atletas “de força” ( como jogadores de futebol americano ), mas também por alguns atletas de resistência, como os corredores. Até alguns atletas de escolas secundárias estão utilizando essas drogas. Todas essas drogas são, em diversos graus, androgênicas ( masculinizantes ) e anabólicas ( desenvolvem a musculatura ). Existe um grande número delas e, normalmente, muitas são usadas de forma alternativa e em várias combinações. Essas drogas têm potentes efeitos sobre os Hormônios e o metabolismo do corpo, muitos deles indesejáveis. Dentre os possíveis efeitos colaterais dessas substâncias estão os distúrbios psicológicos ( inclusive agressividade anormal ), infertilidade masculina normalmente reversível, alteração do desejo sexual ( freqüentemente diminuição ), deterioração na qualidade da pele ( oleosidade, acne, espinhas, estrias ), problemas do sono, ginecomastia ( desenvolvimento de mamas semelhantes às femininas ) em homens, hirsutismo ( crescimento de pêlos ) e outros efeitos masculinizantes em mulheres e calvície de padrão masculino tanto em homens quanto em mulheres. Outros efeitos colaterais estão relacionados ao colesterol ( os problemas de colesterol e triglicérides, de onde decorrem a aterosclerose e trombose, podendo levar ao infarto do miocárdio, flebite, derrame cerebral, etc. ), problemas hepáticos e aumento do risco de desenvolvimento de vários tipos de câncer ( dentre as seqüelas mais importantes envolvendo o uso e abuso de anabolizantes, a maior ênfase ficaria por conta dos problemas hepáticos e os de próstata, notadamente o câncer nestes dois órgãos ). Atualmente, um número cada vez maior de adolescentes ( com risco especial de desenvolvimento de problemas graves, inclusive interrupção do crescimento ) e mulheres ( com comprometimento irreversível da voz, hirsutismo, calvície de padrão masculino e aumento do clitóris ), estão usando esteróides anabólicos. O uso cuidadosamente controlado por um médico, pode em prazo relativamente curto, ser útil na aceleração da recuperação de indivíduos que sofreram acidentes ou doenças que provocaram perda muscular e perda da vitalidade. Os níveis de testosterona, o principal Hormônio sexual masculino, freqüentemente diminuem com o envelhecimento do homem ( já nas mulheres, o principal

2

hormônio sexual (estrogênio) diminui de forma muito acentuada na menopausa ). Assim como as mulheres podem com freqüência beneficiar-se muito da terapia de reposição do estrogênio após a menopausa, os homens também podem obter algum benefício com a reposição da testosterona à medida que envelhecem. A terapia de reposição hormonal é uma prática médica amplamente aceita em mulheres, porém isso não ocorre em relação aos homens. É importante observar que, quando foi identificado pela primeira vez há muitas décadas, o hormônio do sexo masculino foi considerado por muitos médicos como uma substância milagrosa que poderia retardar o envelhecimento e prolongar o vigor do homem. Durante algum tempo, a testosterona foi usada não só para aumentar o desejo sexual reduzido, mas também para dar mais energia tanto física quanto mental, durante o processo de envelhecimento. Muitas histórias clínicas alegam que a testosterona poderia eliminar até a senilidade incipiente em alguns homens. Entretanto, quando foi descoberto que a administração de altas doses de testosterona pode promover Crescimento anormal , as vezes maligno, da próstata, as pessoas começaram a recuar e a idéia do uso da testosterona como substância antienvelhecimento desapareceu. Só recentemente a idéia ressurgiu. O uso da testosterona exige supervisão médica. Partindo-se desse princípio, hoje, a maioria dos anabolizantes não contém a testosterona. Como já vimos, nos primórdios da História do estímulo anabólico e androgênico, despontou, inicialmente, a testosterona e seus derivados sintéticos ( os chamados esteróides anabólicos ), e os liberadores de Testosterona então chamados de afrodisíacos. Depois surgiu o Hormônio do Crescimento (GH ) e seus liberadores. Por fim, introduziu-se a prática do uso da insulina, ou de seus liberadores, como recurso para induzir a um estímulo anabólico. Hoje são usados os liberadores específicos de cada substância, pois estes têm a vantagem de não manifestar nenhum dos efeitos colaterais relacionados com a utilização direta dos agentes específicos de que são liberadores. A definição de energia Capacidade de realizar um trabalho. Os corredores, outros atletas, e todas as pessoas que fazem exercícios, necessariamente estão realizando um trabalho físico maior do que as que vivem de forma mais sedentária. A energia necessária para essas atividades é derivada da queima de substâncias contidas nos alimentos ( carboidratos, gorduras e proteínas ), produzindo a molécula transportadora de energia

3

biológica, conhecida como trifosfato de adenosina ou ATP. O ATP é produzido principalmente por um processo conhecido como fosforilação oxidativa. Esse processo produz uma determinada quantidade de atividade dos radicais livres; quanto mais o processo é usado, mais aumenta essa atividade. Os que praticam exercícios regularmente produzem maior quantidade de radicais livres prejudiciais e, portanto, necessita de maior proteção antioxidante. Esse processo ocorre na mitocôndria, a qual entre outras coisas, abastece de elétrons os citocromos das pregas mitocondriais onde ocorre o transporte de elétrons e, por conseqüência municia de energia livre o processo de fosforilação oxidativa, com resultante produção de ATP. Elétrons estes que são transportados até o seu aceptor final, o oxigênio que respiramos. O ciclo de Krebs é também um núcleo de integração dos macronutrientes como o carboidrato, gordura e proteínas, ponto de convergência por onde há uma passagem obrigatória, destas três fontes energéticas, na sua interconversão uma nas outras, bem como para efeito destes três macronutrientes sofrerem oxidação aeróbica, nos mitocondrios, para a produção de energia. Um estudo recente indica que a suplementação de vitamina E ( 400 UI/dia ) aumenta a resistência física em grandes altitudes. Um outro estudo sugere que soldados que tomaram 6g/dia de suplementos de L-tirosina têm um desempenho físico e mental melhor em grandes altitudes do que os que não tomaram. Não foram observados efeitos adversos. Tanto a vitamina E quanto a L-tirosina parecem produzir efeitos que poderiam ter uma enorme importância para os atletas de resistência, alpinistas, esquiadores e outros atletas que se exercitam em grandes altitudes. Descobriu-se que as atletas necessitam de uma quantidade maior de B2 ( riboflavina ). Os atletas de resistência precisam prestar atenção especial à manutenção de uma ingestão adequada de magnésio. A ingestão de magnésio inferior ao nível ótimo pode prejudicar significativamente o desempenho. Sabe-se que os corredores de longas distâncias desenvolvem uma deficiência de ferro devido a vários fatores, dentre eles o impacto contínuo em seus pés. Foi relatado que a incidência de resfriados, gripes e problemas respiratórios é maior nos atletas que se exercitam em áreas poluídas. Provavelmente isso é decorrente do aumento da produção de radicais livres de oxigênio causado por poluentes como o ozônio. Com o avanço das pesquisas, na área da saúde, verificou-se que os radicais livres são responsáveis pelo declínio da performance atlética e da decadência fisiológica do nosso organismo. A formação dos radicais livres, e as reações oxidativas indesejáveis que provoca, é função dos próprios processos metabólicos naturais do organismo, aqueles indivíduos com o metabolismo acelerado como os atletas por exemplo, estão mais

4

propensos as oxidações provocadas pelos radicais livres. A suplementação com oligoelementos e vitaminas é essencial para se manter a boa forma. Os atletas necessitam de reposição de líquidos e a melhor forma de repor líquidos é bebendo água pura, inalterada. Os atletas de resistência também necessitam de reposição de carboidratos. A melhor fonte de carboidratos são os polímeros de glicose, também conhecidos como maltodextrina. A formulação ideal para atletas varia de acordo com modalidade esportiva, sexo, biotipo, estágio de desenvolvimento em que se enquadra, condição física, etc. O ideal é um suplemento de vitaminas e minerais bem balanceadas. Por exemplo a dose recomendada de Vitamina E para atletas de resistência, alpinistas, esquiadores e outros atletas que se exercitam em grandes altitudes é de 400 UI/dia. Os corredores de longas distâncias devem adicionar diariamente 10 a 15 mg de ferro ao seu programa de suplementação, se essa quantidade não estiver incluída no programa. As fórmulas básicas devem incluir quantidade adequada de riboflavina e magnésio adequada aos atletas. Muitos atletas, especialmente os que estão sujeitos a condições de hipoxia, como os que se exercitam em grandes altitudes, podem beneficiar-se da suplementação de L-tirosina. O ideal é começar com 500 mg três vezes ao dia cerca de trinta minutos a uma hora antes das refeições ou com o estômago vazio. A dose pode ser aumentada para 2 g três vezes ao dia com o estômago vazio. Os que sofrem de hipertensão arterial não devem tomar Ltirosina, exceto com supervisão médica. Os que tomam antidepressivos do tipo inibidores da MAO não devem usar L-tirosina. Quanto a reposição de líquidos, o ideal é água pura , e no caso de atletas de resistência, a adição de maltodextrina à água é uma boa fonte de carboidratos. Um número cada vez maior de atletas, adeptos da musculação procuram fórmulas que desenvolvam músculos e queime gordura. Esse resultado é obtido através do aumento da secreção do Hormônio do Crescimento ( GH ) . Acredita-se que esse Hormônio uma vez na corrente sangüínea ajude a queimar a gordura e a desenvolver a musculatura. Existem substâncias chamadas liberadores de Hormônio de Crescimento, que atuam na hipófise ( estrutura da massa cefálica responsável pela secreção do Hormônio do Crescimento ). É importante saber que os períodos ao longo do dia, em que ocorre maior taxa de secreção de Hormônio de Crescimento é durante o treino ( especialmente em hipoglicemia ) e durante o sono, nesta ordem. Portanto o ideal é que a ingestão da substância seja ao deitar-se e seja ingerida somente com água e não com leite, suco, vitaminas, etc. e com o estômago semivazio, longe pelo menos 2 horas, de qualquer ingestão precedente de

5

só eles ( dentre os 19 constituintes da massa muscular ). é o enquadramento dos produtos mais modernos. é proporcional à intensidade do exercício praticado. não só o glicogênio e a gordura. sendo que este. é o momento da atividade física. evidentemente esta maior demanda. Quando o músculo é acionado e muito exigido. São eles L-Leucina. Nada acontece de maneira absolutamente compartimentalizada. favorece muito não só a penetração da glicose. Estamos vivendo uma era de transição em termos de suplementação nutricional. Outro fato importante relacionado aos aminoácidos é que a forma ideal de suplementação de aminoácidos. A principal mudança observada hoje. pois a constituição básica funcional do músculo é a proteína muscular e qualquer proteína é constituída de aminoácidos. três tem incidência maciça na composição do músculo. Um detalhe pouco difundido. Afinal nosso metabolismo é um todo dinâmico. que representam . especialmente a L-Leucina. como a maioria dos suplementos de aminoácidos comercializados ). Os aminoácidos também são de vital importância para os fisiculturistas e portanto muito utilizados pelos adeptos da musculação. o exercício com peso gera uma demanda maior que a endurance. o organismo “retira-os” do próprio tecido muscular. em relação às técnicas de suplementação de épocas passadas. inserindo-se dentro de um contexto dinâmico dos fenômenos metabólicos que envolvem a assimilação. L-Isoleucina e L-Valina. aminoácidos. mas importante é que o músculo “queima” como combustível. manifestação dos efeitos e interação entre os compostos de suas fórmulas. Todos os fenômenos estão 6 . Outro detalhe importante é a associação dentro da mesma suplementação ao longo do exercício da glicose. Esta é a razão porque muitos atletas leigos treinam pesado todos os dias. a hora mais crítica. As pesquisas mais recentes mostram que. distribuição. e ministrados durante a atividade física. A proteína muscular é constituída de 19 aminoácidos. e ao invés de ganhar massa muscular acabam perdendo-a. Por exemplo. Isso se deve ao fato de que a insulina liberada com a entrada em circulação da glicose. e de maior necessidade. mas também. mas também a penetração de aminoácidos nas células.proteínas ou outros suplementos à base de aminoácidos. E. não havendo determinados aminoácidos na corrente sangüínea. isolada do conjunto. é na forma de aminoácidos livres ( e não na forma de proteínas pré-digeridas. O que diferencia as várias formas de proteínas é a sua constituição em aminoácidos ( tipos e a proporção em que entram na sua composição ). maior que a de um aeróbio mais leve. cerca de 35% da mesma. Dentre esses 19 aminoácidos. em termos de demanda de suplementação de aminoácidos e de carboidratos ( glicose especialmente ). são os chamados aminoácidos de cadeia ramificada.

O Culturista com boa performance. com o intuito de simplificar e auxiliar a vida do Culturista brasileiro. além do biotipo favorável para o ganho muscular . o tempo é escasso. é algo realmente intrincado. possam ter existências próprias. individuais. no âmbito da Nutrição Desportiva e Fisiologia Humana. A diversidade de quesitos nutricionais. não só em termos de alimentação. no mais das vezes a ilusão de que as ocorrências metabólicas em nosso organismo. fora do contexto geral do metabolismo global. ou com potencial para tal. numa determinada fase do seu treinamento. para planejar adequadamente a dieta cotidiana. mas também a nível de suplementação com produtos específicos.interrelacionados e acontecendo simultaneamente. já que para eles. propriamente. criando. também uma boa dose de Cultura. os estude separadamente. 7 . confuso e indecifrável para os iniciantes do Culturismo. Cabe então aos formuladores. adaptadas à nossa realidade. Por mais que . E é esse. e os suplementos que mais se amoldem ao seu biotipo particular e ao estágio de desenvolvimento em que se enquadra. exatamente o tipo de situação para os praticantes brasileiros. procurar desenvolver fórmulas de acordo com a caracterologia do brasileiro. Tudo isso. que restrinjam e disciplinem drasticamente os hábitos do dia a dia. necessita ter. o dinheiro é curto e o tipo cultural do nosso povo é totalmente avesso às regras e esquemas complicados. didaticamente.

Uso : Tomar 6 a 15 doses à noite antes de deitar-se. 8 .) 100 mcg Vitamina A 5. com água.SUGESTÕES DE FÓRMULAS Fórmula no 1 L-Arginina L-Ornitina Piridoxina Hcl Pantotenato de Cálcio 325 mg 175 mg 15 mg 15 mg Indicação : Liberador do Hormônio de Crescimento .G. Fórmula no 2 Cálcio (CMG) 400mg Magnésio (Aspartato) 200mg Zinco (Arginina) 30mg Cobre (Lisina) 2mg Manganês (Arginina) 10mg Selênio (Complex) 70mcg Ferro (Glicina) 18mg Potássio (Complex) 100mg Cromo (D. Ação : Evita a fadiga muscular e a depleção de minerais. Uso : Tomar 1 dose 2 vezes ao dia.000 UI Vitamina C 100 mg Vitamina E 100 mg Pantotenato de Cálcio 25 mg Complexo B 20 mg Indicação : Melhora da performance física. Ação : Ativa o ganho de massa muscular e há o enxugamento do excesso de gordura. com o estômago semivazio.

com 1 copo de água. ajuda a queimar a gordura e desenvolver a musculatura. Ação : . Uso: Tomar 1 capsula 1 hora antes dos exercícios. às refeições. Fórmula no 4 Arginina Leucina Valina Ornitina Bitartarato de Colina L-Lisina 100mg 30 mg 20 mg 50 mg 40 mg 150 mg Indicação : Aminoácidos para Manutenção da Forma Física. Ação : Melhora da função muscular e aumento da massa magra. Ação : Elimina a gordura e a transforma em Energia. Estimula o aumentando da secreção do Hormônio do Crescimento. Uso: Tomar 1 capsula 2 vezes ao dia. Fórmula no 5 Vitamina B 6 Bitartarato de Colina Metionina Inositol 50 mg 80 mg 100 mg 40 mg Indicação : Lipotróficas.Fórmula no 3 Arginina 300 mg Indicação : Aumento do Tônus Muscular. Uso: Tomar 1 capsula 2 vezes ao dia. Fórmula no 6 9 . às refeições.

Fórmula no 7 L-Lisina L-Histidina L-Tirosina L-Treonina L-Triptofano L-Valina L-Alanina L-Ácido aspártico Metionina 150 mg 45 mg 95 mg 90 mg 50 mg 165 mg 130 mg 185 mg 90 mg Indicação : Desenvolvimento da massa muscular.5 mg 44.5 mg 54. Deve ser tomado com o estômago vazio e acompanhados de água ou suco de frutas. : Tomar em conjunto com a fórmula nº 8 .5 mg 12. Ação : Melhora da função muscular e aumento da massa magra. Obs.5 mg 62 mg 59. Fórmula no 8 10 . Uso: Tomar 1 dose 2 vezes ao dia. Antes da competição tomar 4 cápsulas de uma só vez.5 mg 20 mcg Indicação : Complexo para atletas.L-Leucina Tirosina Metionina L-Lisina Valina Treonina Arginina Histidina Glutamina Glicina Isoleucina L-Triptofano Aspartato de Magnésio Aspartato de Potássio Vitamina B12 84. Uso : Durante o treinamento tomar 2 a 3 cápsulas ao dia.5 mg 32 mg 25 mg 25 mg 25 mg 25 mg 22 mg 16 mg 12. Ação : Melhora da performance física e aumento da massa magra. Pessoas não atletas tomar 1 a 2 cápsulas ao dia.

Fórmula no 10 11 . aeróbica de competição. como. deglutido com água. Pessoas não atletas tomar 2 a 3 cápsulas ao dia. etc. o principal responsável pela fadiga muscular.L-Arginina L-Fenilalanina Ac. já que. no Sistema Anaeróbico Alático ( Sistema ATP-CP). Fórmula no 9 L-Arginina L-Metionina L-Glicina Lecitina de soja 150 mg 150 mg 150 mg 150 mg Indicação : Redução da fadiga muscular. Poderá ser usado. Obs. minuto ). não ocorre a formação de Ácido láctico. levantamento olímpico. Uso : Durante o treinamento tomar 3 a 4 cápsulas ao dia. com a vantagem. por exemplo levantamento básico. ou outros suplementos à base de aminoácidos. também com grande propriedade. Tomar 10 cápsulas de uma só vez cerca de 1 a 2 horas antes do treino. além do ganho de potência muscular. numa grande variedade de modalidades esportivas. no mesmo horário. Uso : O produto deverá ser tomado. de reduzir a fadiga muscular . Não tomar com proteínas. Essa formulação é um produto de excepcional performance para as modalidades de força explosiva e de alta potência. Ação : Aumento da massa magra. também. para melhoria da performance. cuja duração seja bastante limitada ( segundos. Glutâmico L-Prolina Glicina L-Cisteína L-Leucina Isoleucina Serina 112 mg 156 mg 200 mg 64 mg 64 mg 52 mg 152 mg 96 mg 104 mg Indicação : Desenvolvimento da massa muscular. com o estômago semi-vazio. Ação : Fornece ao organismo os componentes que formam a creatina-fosfato (CP). Deve ser tomado com o estômago vazio e acompanhados de água ou suco de frutas. : Tomar em conjunto com a fórmula n0 7 . Antes da competição tomar 5 cápsulas de uma só vez.

Isto para suplementar a L-Leucina . desperdício do produto. são rapidamente eliminados através da urina. bem protéico. em proporção bem balanceada. ou lanche.L-Carnitina Coenzima Q10 500 mg 5 mg Indicação : Melhora da performance física. havendo portanto. Uso : Tomar 3 cápsulas com a refeição anterior ao treino ( cerca de 1 a 2 horas antes do treino ). Ação : Supre o atleta com 3 aminoácidos essenciais de Cadeia Ramificada . quando este é tomado fora do dia de treino. de maior incidência e significância na construção muscular. anti-radicais livres. Essa suplementação é importante devido à incidência maciça na composição do músculo. L-Isoleucina e LValina . o atleta não consegue suprimento suficiente através da alimentação normal. Fórmula no 12 Hipófise 5 mg 12 . É muito importante que o usuário o consuma juntamente com uma refeição. visando a hipertrofia da massa muscular. e aditivado das vitaminas mais importantes para otimizar a anabólise protéica. aumenta a resistência e diminui a fadiga. Uso : Tomar 1 cápsula 2 ou 3 vezes ao dia. e de 5 a 10 cápsulas com a refeição posterior ao treino de uma só vez. já que os aminoácidos não aproveitados imediatamente. e só nos dias de treino. Fórmula no 11 L-Leucina L-Isoleucina L-Valina L-Lisina L-Alanina L-Glutamina Ácido L-Aspártico Vitamina B6 Pantotenato de cálcio Niacina Biotina 198 mg 70mg 100 mg 60 mg 80 mg 80 mg 50 mg 13 mg 13 mg 5 mg 100 mcg Indicação : Suplemento para atletas. com os demais aminoácidos que juntos perfazem a composição completa da proteína muscular. Ação : Atua no transporte de gorduras para o interior das mitocôndrias.

6 mg 13 . 6 cápsulas antes de deitar-se.4 mg 8. o cromo e o boro atuam como liberadores de insulina.4 mg 6 mg 53. insulina e testosterona. A Clorpropamida. o Smilax e a Yoimbina como liberadores da Testosterona. sem os efeitos colaterais relacionados com a utilização direta dos agentes específicos de que são liberadores. a Pata de Vaca. com o estômago semi-vazio. Uso : Tomar 4 cápsulas com a refeição anterior ao treino e 6 cápsulas antes de se deitar. Ação : Liberador do Hormônio do Crescimento. como liberadores de Insulina. Fórmula no 13 Hipófise GABA Clorpropamida Smilax officinalis Cromo (DG) Boro ( complex ) Testículo pó Yoimbina 5mg 200mg 30mg 100 mg 25mcg 0.GABA Pata de Vaca Smilax officinalis Cromo (DG) Boro ( complex ) Testículo pó Yoimbina 200 mg 50 mg 100 mg 25 mcg 0. há o da opoterapia. Dentre os recursos usados. o Cromo e o Boro. Uso : Tomar 4 cápsulas com a refeição anterior ao treino. formando um composto bastante balanceado visando a hipertrofia muscular. O dos liberadores de humores específicos : o GABA como liberador de GH. que manifestam efeitos colaterais consideráveis ). com o uso de lisados de órgãos ( hipófise e testículo pó). o Hormônio de Crescimento e a insulina . Ação : Fórmula contendo três estimuladores anabólicos. Fórmula no 14 L-Alanina L-Arginina L-Asparagina Ácido L-Glutâmico 14. Tem a vantagem de não manifestar nenhum dos efeitos colaterais relacionados coma utilização direta dos agentes específicos de que são liberadores ( a própria testosterona. com o estômago semi-vazio.3 mg 100 mg 1 mg Indicação : Hipertrofia muscular.3 mg 100 mg 1 mg Indicação : Hipertrofia muscular.

implica na queima destes aminoácidos da própria musculatura.L-Cistina Ácido L-Aspártico L-Glutamina L-Histidina L-Leucina L-Isoleucina L-Lisina DL-Metionina L-Fenilalanina L-Prolina L-Serina L-Treonina L-Tirosina L-Valina 0.2 mg 60. Não havendo esta oferta no sangue. Fórmula no 15 Garcinia extract Indicação : Hipertrofia muscular.2 mg 10.5 mg 7. . ao invés de ganhar massa muscular. ingredientes estes não cobertos pela fórmula. E só nos dias de treino. no repouso após o treino. o atleta pode definhar.8 mg 21.Tomar 6 a 10 cápsulas da fórmula no 12 . Na biotransformação destes aminoácidos em musculatura. independente de dia e de treino. Isto é. cerca de 1 a 1:30 horas após o treino. ou seja pelo suplemento vitamino-mineraloligoelementos ou com o suplemento de aminoácidos de cadeia ramificada para antes do treino e reforço para a fase de construção muscular. há participação de vitaminas e oligoelementos.4 mg 5. 30 minutos a 1 hora antes do treino.2 mg 50. como fonte de energia para o músculo. essa formulação .8 mg Indicação : Aumento da massa muscular. Caso a opção seja pelo uso simples dessa fórmula ( no 14 ). Isto é. a despeito da sua perfeição em termos de suplementação de aminoácidos pressupõe complementação com outros produtos. Portanto a forma ideal de consumo destes 3 suplementos citados seria : .4 mg 34. Essa formulação pode ser complementada com as duas sugestões de fórmulas ( 17 e 11 ) .Tomar 1 a 2 cápsulas a cada refeição ( num mínimo de 5 refeições diárias ) da fórmula no 17.8 mg 22. 500 mg 14 .Tomar 2 cápsulas de aminoácidos de cadeia ramificada 30 minutos a 1 hora antes do treino.8 mg 22 mg 15. prontos para aumentar a massa muscular do atleta. . para o treino. e só nos dias de treinos ( fórmula no 11 ). Isto porque há a necessidade de uma concentração sérica alta de aminoácidos de cadeia ramificada quando do treino.8 mg 14.6 mg 11. Essa formulação contém todos os 19 aminoácidos componentes do tecido muscular em perfeita proporção e harmonia.4 mg 36. tomar 6 a 10 cápsulas.

Fórmula no 17 Glicose Frutose Maltodextrina 4g 8g 20g 15 . Todos os dias. Uso : Tomar 2 cápsulas com a refeição anterior ao treino. Uso : Tomar 1 ou 2 cápsulas. propriedades estas atribuídas ao Cromo. Boro e Zinco. 3 vezes ao dia.Ação : Efeito anabólico. também o fornecimento de microelementos altamente estratégicos para a otimização do processo anabólico e do metabolismo bioenergético. Fórmula no 16 Selênio ( Complex ) Cromo (DG ) Zinco ( Glicina ) Manganês ( Glicerofosfato ) Cobre ( Chelazone ) Boro ( Complex Vitamina E 50 mcg 50 mcg 150 mg 1. nas 3 refeições principais. Ação : É uma composição de oligoelementos na forma de quelatos ( de maior biodisponibilidade em relação aos mesmos elementos. em função da maior pressão no sentido de formação da LAcetil-Carnitina. que alia ao seu efeito de combate aos radicais livres. Importante também na desintoxicação do organismo após o uso de substâncias para o aumento da performance atlética. agente este diretamente envolvido no processo de hipertrofia muscular.5 mg 2 mg 250 mg Indicação : Antioxidante. na forma inorgânica ). independente de treino. suplemento para atletas.5 mg 1.

L-Valina. que uma vez introduzida no organismo.2 g 0. L-Carnitina. onde as necessidades orgânicas são as mais prementes e urgentes. L-Aspartato.Efeito anti-catabólico : L-Leucina.Aspartato de potássio Aspartato de magnésio Cloreto de potássio Fosfato tricálcico Ácido cítrico Bicarbonato de sódio Vitamina C Pantotenato de cálcio Niacina Vitamina B1 Vitamina B2 Vitamina B6 L-Alanina L-Arginina L-Ornitina L-Citrulina L-Glicina L-Serina L-Tirosina L-Leucina L-Isoleucina L-Valina L-Carnitina Inosina Aspartame Aroma de Laranja Corante amarelo Crepúsculo 0.8 mg 4 mg 0.Melhor resistência à fadiga : L-Tirosina.6 g 1.08 g 0.24 g 0.26 g 0. L-Carnitina.2 mg 0.16 g 0.08 g 0.08 g 0.2 g 0. Indicação : Otimização da performance metabólica. L-Aspartato. Nessa formulação os aminoácidos componentes foram selecionados visando principalmente os seguintes efeitos : .2 g 0. Inosina.12 g 0. LSerina.25 g 1 mg Cada dose ( 1 dose = 40g do pó ) equivale a 150 calorias.Maior oferta energética : L-Alanina. como também. 16 . Ação : Formulação moderna. a tendência é de se evitar o consumo de suplementos alimentares durante as atividades físicas. a possibilidade de acabar por favorecer a desidratação celular. portanto naquela situação mais atípica de toda a rotina diária.2 g 2 mg 2 mg 1.24 g 0. .2 g 2g 1. . e que no entanto em função da inconveniência da sobrecarga digestiva. interage de maneira total com os nossos processos metabólicos. L-Glicina. L-Glutamina.08 g 2g 1.2 g 0. e exatamente na hora de maior exigência física.08 g 0.12 g 0. L-Isoleucina.

elevam a osmolaridade da solução. L-Citrulina. L-Ornitina. em volume não inferior a 500 ml.Vitaminas e minerais importantes durante a atividade física. Volumes superiores a 500 ml não causam problema nenhum. Fórmula no 18 Vitamina A Vitamina D3 Vitamina E Vitamina C Vitamina B1 240 UI 8 UI 30 UI 160 mg 4 mg 17 . L-Ornitina.Liberação de Hormônio do Crescimento : L-Arginina. podendo induzir a uma desidratação das células.Remoção do excesso de amônia : L-Glutamina. L-Arginina . . Esta quantidade deve ser dissolvida em água potável. porque concentrações muito altas do produto. . Tomar a dose recomendada ao longo da atividade física. Glicose e Frutose. de preferência gelada. Caso a farmácia não queira utilizar envelopes ( cada envelope dose única contém 40g do pó ) . Po : Cada envelope dose única contém 40 g do pó. L-Tirosina.Carboidratos : Maltodextrina.. pode-se embalar em potes de 700 g e a posologia é de 3 colheres de sopa para cada 500 ml de água potável. O consumo do produto não deve impedir também o consumo abundante de água durante o treino. na ingestão do produto em concentração maior. Volumes menores são contra-indicados. .

Inclui o boro e o cromo. às refeições. dois dos oligoelementos mais específicos para a otimização do metabolismo bioenergético.2 mg 0.Lipotrópicos e auxiliares hepáticos. Para otimizar a performance. .4 mg 30 mg 24 mg 20 mg 2 mcg 1.1 mg 1.Fórmula no 17 ( suplemento polivitamíno-mineral e de oligoelementos ). para suprir as necessidades nutricionais exacerbadas do Culturista. para aguçar a performance metabólica do fígado. Uso : Tomar 3 a 5 cápsulas 2 vezes ao dia. abrangendo uma grande gama de nutrientes. desde os iniciantes até os mais competitivos.5 mg 40 mg 20 mg Indicação : Formulação balanceada.Fórmula no 12 ( suplemento com os 19 aminoácidos necessários à construção muscular.7 mg 16 mcg 5 mg 0.6 mg 30 mg 0. independente de dia de treino. na forma cristalina. . . 18 . podemos associar algumas formulações : .Vitamina B2 Nicotinamida Vitamina B6 Vitamina B12 Biotina Rutina Inositol Ácido Fólico Pantotenato de cálcio PABA Manganês Cálcio ( gluconato ) Cobre (chelazone ) Ferro (chelazone) Iodeto de potássio Magnésio (Aspartato ) Fósforo ( Fosfato ) Potássio ( Aspartato ) Selênio ( Complex ) Zinco ( Gluconato ) Cromo (DG) Sais biliares Boro ( Complex ) Colina ( Bitartarato ) Metionina DL 3 mg 5 mg 3 mg 10 mcg 100 mcg 5 mg 40 mg 0.2 mg 20 mg 4 mg 1. todos na forma livre ). fomentando a desintoxicação sistêmica e a reserva energética para o trabalho muscular e combatendo as deposições adiposas. visando a hipertrofia muscular. Essas três formulações dariam uma boa base de suplementação para os culturistas. .Fórmula no 11 ( suplemento com os aminoácidos de cadeia ramificada ). Ação : Essa formulação cobre as necessidades nutricionais do atleta na : .Suplementação vitamínica plena.Suplementação com oligoelementos relevantes para catálise da biotransformação dos aminoácidos.Suplementação mineral plena. .

O efeito sinérgico dos elementos da fórmula proporcionam excelente “definição” no corpo dos culturistas. para o qual a etapa de preparação específica acaba impelindo-os. A L-Carnitina funciona como elemento também de queima de gordura.Fórmula no 19 Óleo de Prímula Óleo de Bórage 500 mg 250 mg Indicação : Suplementação de ácido graxos poliinsaturados. bem como. Ação : O Asiaticosideo possui efeito dispersor de gorduras localizadas via ativação da circulação venosa. podendo ser consumidas isoladamente ou concomitantemente. Uso : Tomar 2 cápsulas 2 a 3 vezes ao dia. pelas suas próprias condições de supridores de gordura poliinsaturada vegetal. ás refeições ( Óleo de prímula ) . naquilo em tal estado nutricional acaba afetando em questão da condição dos mesmos atletas. quanto ao estado de nervos. Fórmula no 20 Asiaticosideo L.Carnitina Xarope Dietético qsp 10 mg 500 mg 15 ml Indicação: Lipotrófico. Ação: O Óleo de prímula/ Óleo de borage exercem efeito sedativo . a baixa taxa de gordura corporal. amenizando com isso. Fórmula no 21 Magnésio ( glicina ) Arginina 60 mg 150 mg 19 . Uso: Tomar 15 ml 1 vez ao dia 15 a 30 minutos antes do trabalho aeróbico. às refeições ( Óleo de Borage ) tomar 2 cápsulas 2 a 3 vezes ao dia.

Ação : São lançados na corrente sangüínea pelo fígado em decorrência da queda da glicemia. atua no metabolismo muscular. com conseqüente estimulação hormonal levando à degradação protéica no fígado e liberação hepática dos BCAA. Fórmula 22 Leucina Isoleucina Valina Biotina Niacina 200 mg 100 mg 100 mg 0. tomar 3 cápsulas com a refeição anterior ao treino e 6 cápsulas com a refeição posterior ao treino. : Utilizar em conjunto com a fórmula nº 22. com conseqüente estimulação hormonal levando à degradação protéica no fígado e liberação hepática dos BCAA. Ação : São lançados na corrente sangüínea pelo fígado em decorrência da queda da glicemia. Uso : Nos dias de treino. tomar 3 cápsulas com a refeição anterior ao treino e 6 cápsulas com a refeição posterior ao treino. Ação : Estimulante imunológico. Obs. : Utilizar em conjunto com a fórmula nº 23. Fórmula no 23 Piridoxina cloridrato Pantotenato de cálcio Excipiente qsp 15 mg 15 mg 1 cápsula Indicação : Melhora da performance física.1 mg 5 mg Indicação : Melhora da performance física.Manganês ( sulfato ) Zinco ( citrato ) Vitamina B 6 Excipiente qsp 2 mg 3 mg 1 mg 1 cápsula Indicação : Suplemento nutricional. Uso : Tomar 3 a 6 cápsulas ao dia. Uso : Nos dias de treino. Fórmula no 24 20 . Obs.

Nos dias normais. Depois tomar 6 cápsulas desse suplemento com mais 3 cápsulas dos aminoácidos BCAA 2 a 3 horas após o treino. Uso : Nos dias de treino. tomar 2 cápsulas de aminoácidos BCAA. Ação : São lançados na corrente sangüínea pelo fígado em decorrência da queda da glicemia. Uso : Nos dias de treino. 21 . com conseqüente estimulação hormonal levando à degradação protéica no fígado e liberação hepática dos BCAA. Ação : São lançados na corrente sangüínea pelo fígado em decorrência da queda da glicemia. com conseqüente estimulação hormonal levando à degradação protéica no fígado e liberação hepática dos BCAA. 2 a 3 horas antes dos treinos. tomar 2 cápsulas no almoço e no jantar. tomar 2 cápsulas de aminoácidos BCAA. Fórmula no 25 Leucina Lisina Metionina Prolina Serina Tirosina Treonina Triptofano Valina Excipiente 60 mg 22 mg 11 mg 35 mg 23 mg 5 mg 14 mg 3 mg 50 mg 1 cápsula qsp Indicação : Melhora da performance física. Depois tomar 6 cápsulas desse suplemento com mais 3 cápsulas dos aminoácidos BCAA 2 a 3 horas após o treino.Ácido aspártico Ácido glutâmico Alanina Arginina Asparagina Cistina Fenilalanina Glicina Glutamina Histidina Isoleucina Excipiente qsp 22 mg 54 mg 15 mg 9 mg 6 mg 1 mg 10 mg 16 mg 6 mg 7 mg 37 mg 1 cápsula Indicação : Melhora da performance física. Nos dias normas tomar 2 cápsulas no almoço e no jantar. 2 a 3 horas antes dos treinos.

22 . Fórmula no 28 Magnésio ( bis-creatina quelato ) 200 mg Indicação : Performance física.Fórmula no 26 Cálcio ( Citrimal ) Magnésio ( Creat-Mag ) Zinco ( Arginina ) Cobre ( Tirosina ) Manganês ( Arginina ) Ferro ( Ferrochel ) Potássio ( Complex ) Selênio ( Complex ) Cromo ( Chelavite ) 400 mg 200 mg 10 mg 2 mg 5 mg 10 mg 100 mg 70 mcg 100 mcg Indicação : Complexo para atletas. dissolvido em água. otimização do metabolismo glicídico.F.) 200 mg Zinco ( T. armazenamento e liberação de energia em atletas e praticantes de atividades física em geral. Fórmula no 27 Magnésio ( bis-glicina quelato ) 200 mg Cálcio ( T. 1 hora antes da atividade física. produção de alerta mental e contração muscular. reposição de minerais. Uso : Tomar 1 dose ao dia. Possui ainda ação antioxidante. armazenando e liberando energia. produzindo. Ação : Suplementação multimineral. ) 10 mg Cobre ( Chelazome ) 2 mg Manganês ( Chelazome ) 2 mg Selênio ( Complex ) 50 mcg Cromo ( Chelavite ) 50 mcg Potássio ( Complex ) 50 mg Indicação : Complexo para atletas. dividida em duas tomadas. Ação : Otimizar os processos de geração. Ação : Nutrientes envolvidos na atividade muscular.F. Uso : Tomar 1 dose ao dia.

Para treinamentos intensos tomar 1 dose 3 vezes ao dia. Fórmula no 29 Dimetilglicina 250 mg Indicação : Otimização da performance esportiva.Uso : Tomar 1 dose ao dia. Atua como nutriente antidepressivo. Em atividades de longa distância. Fórmula no 31 Cloridrato de L-Acetilcarnitina 500 mg Excipiente qsp 1 cápsula 23 . com conseqüente desenvolvimento muscular. Uso : Tomar 1 cápsula ao dia. Uso : Tomar 1 a 2 cápsulas. protetor celular e potencializador da resposta imunológica. 1 hora antes da atividade física. recomenda-se a suplementação de 250 mg a cada hora. fator de aproveitamento do oxigênio. Fórmula no 30 Picolinato de cromo Excipiente qsp 200 mcg 1 cápsula Indicação : Desenvolvimento muscular associado a endurance. Ação : Após 6 semanas de uso associado a treinamento de endurance. dissolvido em água. como maratona e triathon. Ação : Melhora da recuperação muscular e redução de ocorrência de cãibras e fadiga muscular por volta do 30º Km. 1 hora antes da atividade física ou evento esportivo. agente antidetoxificante. há diminuição expressiva da massa de tecido adiposo e aumento da massa magra.

às refeições. potencializando seu efeito antioxidante na peroxidação lipídica. Uso : Tomar 1 cápsula 1 a 3 vezes ao dia. antioxidante. Ação : Desempenha um importante papel no metabolismo mitocondrial. Fórmula no 34 Vitamina B 2 Excipiente qsp 30mg 1 cápsula Indicação : Treinamentos esportivos prolongados. Para atletas de endurance e trabalho aeróbico até 100 mg ao dia.Indicação : Melhora da performance física e como coenzima mitocondrial. Verificou-se melhora no trabalho de endurance com suplementação de vitamina E na dose entre 300 – 800 UI ao dia e conseqüente diminuição da peroxidação lipídica. Fórmula no 33 Vitamina B 3 Excipiente qsp 100 mg 1 cápsula Indicação : Atividade anaeróbica. Uso : Tomar 1 cápsula 2 vezes ao dia. Uso : Tomar 1 cápsula ao dia. antioxidante. 24 . Fórmula no 32 Vitamina E Excipiente qsp 200 UI 1 cápsula Indicação : Melhora da performance esportiva em exercícios aeróbicos. facilitando a oxidação dos ácidos graxos e fornecendo um estoque de “acetato ativado”. Ação : Atua no transporte de elétrons da cadeia respiratória. Ação : Aumento na atividade da glutationa redutase eritrocitária. sendo importante para a manutenção da saúde e performance física. não acompanhada da queda da potência aeróbica. que é prontamente utilizável para a acetilação da Coenzima A de volta a Acetil Coenzima A. Ação : Atua no estresse oxidativo.

Uso : Tomar 1 cápsula ao dia. Uso : Tomar 1 cápsula ao dia. 25 . é um precursor da glutationa reduzida e glutationa peroxidase. estimulante imunológico. Fórmula no 37 Ferro Excipiente qsp 50 mg 1 cápsula Indicação : Suplementação mineral. Fórmula no 36 Zinco Excipiente qsp 25 mg 1 cápsula Indicação : Infecções respiratórias de atletas. Fórmula no 35 Vitamina B 1 Excipiente qsp 10mg 1 cápsula Indicação : Fraqueza muscular. sendo portanto necessária a suplementação para evitar infecções das vias aéreas. Ação : Participa de reações importantes no tecido nervoso. perda de ferro pelo suor e estresse oxidativo decorrente da atividade física extenuante. para evitar o agravamento de infecções respiratórias após treinos exaustivos e competições. Ação : Antioxidante. depressão e alteração da função cardíaca.Uso : Tomar 1 cápsula ao dia. Ação : Desempenham importante função na defesa natural antioxidante tecidual. principalmente em atletas de endurance. antitoxina e suporte imune. coração e formação de eritrócitos. Uso : Tomar 1 cápsula ao dia. Fórmula no 38 N-acetilcisteína Excipiente qsp 600 mg 1 cápsula Indicação : Antioxidante para atletas. fadiga. Ação : A depleção de ferro afeta a função dos linfócitos T por deficiência da enzima ribonucleotídeo redutase. dieta pobre em ferro.

Uso : Tomar 1 cápsula 2 vezes ao dia. Fórmula no 40 Coenzima Q10 Alfa tocoferol Excipiente qsp 15 mg 100 mg 1 cápsula 10 mg 1 cápsula Indicação : Antioxidante para atletas. Ação : Antioxidante.Uso : Tomar 1 a 3 cápsulas ao dia. Fórmula no 39 Coenzima Q10 Excipiente qsp Indicação : Antioxidante para atletas. 10 mg 100 mg 200 mg 50 mcg 1 cápsula 26 . Fórmula no 41 Coenzima Q10 Alfa tocoferol Ácido ascórbico Selênio ( Complex ) Excipiente qsp Indicação : Antioxidante para atletas. antioxidante. Uso : Tomar 1 a 3 cápsulas ao dia. é um componente essencial para o transporte de elétrons da mitocôndria. apresenta efeito sinérgico inibindo a peroxidação lipídica e promovendo a varredura de radicais livres. Ação : Essencial para a saúde das células. e é fundamental para a produção de energia celular. tecidos e órgãos.

Fórmula no 44 Inositol L – Carnitina Excipiente 150 mg 300 mg 1 cápsula qsp Indicação : Melhora da performance física. Uso : Tomar 1 cápsula 2 vezes ao dia. lipolítico. Fórmula no 42 Alfa tocoferol Coenzima Q10 Selênio ( Complex ) Cromo ( DG ) Excipiente qsp 200 mg 10 mg 50 mcg 50 mcg 1 cápsula Indicação : Antioxidante para atletas. antioxidante inibidor da peroxidação lipídica promovendo a varredura de radicais livres. Ação : Atua no transporte de gorduras para o interior das mitocôndrias.Ação : Estimulante do sistema imunológico. Uso : Tomar 1 cápsula 2 ou 3 vezes ao dia. Fórmula no 43 L Carnitina Excipiente 250 mg 1 cápsula qsp Indicação : Melhora da performance física. reduz o estresse psicológico. Uso : Tomar 1 cápsula 3 vezes ao dia. Uso : Tomar 1 cápsula 2 vezes ao dia. 27 . aumenta a resistência e diminui a fadiga. Ação : Estimulante do sistema imunológico. antioxidante inibidor da peroxidação lipídica promovendo a varredura de radicais livres. Ação : Redução do panículo adiposo e melhora da performance atlética.

1 hora antes das refeições. Uso : Tomar 1 cápsula 3 vezes ao dia. 28 . Uso : Tomar 1 cápsula 2 vezes ao dia.Fórmula no 45 Inositol L – Carnitina Bitartarato de colina Excipiente qsp 150 mg 300 mg 100 mg 1 cápsula Indicação : Melhora da performance física. Ação : Melhora a neurotransmissão e a contração muscular. Fórmula no 46 Inositol Excipiente qsp 250 mg 1 cápsula Indicação : Controle da compulsão alimentar. Ação : Aumento da massa muscular. Uso : Tomar 1 cápsula 2 vezes ao dia. lipolítico. Ação : Redução do panículo adiposo. sobrepeso do atleta e melhora da performance atlética. aumento da força muscular em atletas em fase de competição. Fórmula no 47 Boro ( glicina ) Cromo ( DG ) Fitina qsp 2 mg 100 mcg 500 mg Indicação : Melhora da performance física.

02 mg 1 cápsula Indicação : Suplemento nutricional para cãibras. aumenta a performance durante exercícios extenuantes. Fórmula no 50 Magnésio ( Chelazome ) Potássio ( Complex ) 200 mg 200 mg Indicação : Suplemento nutricional para cãibras. Uso : Tomar 1 cápsula ao dia. Fórmula no 51 Cálcio ( quelato ) Magnésio ( quelato ) Piridoxina Alfa tocoferol 500 mg 150 mg 15 mg 500 UI 29 . Profilaxia tomar 1 cápsula ao dia. Ação : Reduz os episódios de cãibras após exercícios extenuantes. Uso : Tomar 1 a 2 cápsula antes do treino. Uso : Tomar 1 a 2 cápsulas antes do treino. melhora o metabolismo do açúcar. ajuda na diminuição e manutenção do peso. Fórmula no 49 Ácido nicotínico Aspartato de arginina Aspartato de potássio Aspartato de magnésio Gluconato de cálcio Vitamina D 3 Excipiente qsp 20 mg 250 mg 250 mg 250 mg 200 mg 0.Fórmula no 48 Vitamina B 6 Cromo ( DG ) Excipiente 5 mg 200 mcg 1 cápsula qsp Indicação : Melhora da performance física. Ação : Colabora para o aumento da massa muscular. Ação : Reduz os episódios de cãibras após exercícios extenuantes.

Os 30 . 1 dose ao dia. Green et al. em seguida. Doses de 20 g ao dia durante duas semanas apresentaram aumentos na creatina muscular. sem formação de ácido lático.Indicação : Suplemento nutricional para cãibras. Ação : Reduz os episódios de cãibras após exercícios extenuantes. ocasiona aumento de aproximadamente 20 % na creatina muscular. em regime anaeróbico. o tempo de reposição do estoque de creatina fosfato. sem formação de ATP. sem tempo de latência. que podem ser mantidos com uma dose diária contínua de 5 g ao dia. é longo. Descobertas mostram que 20 g de creatina por dia são usadas por um período de 6 a 14 dias. é um recurso que o organismo reserva para ser acionado em situações especiais. Fórmula no 53 Creatina fosfato 5g Indicação : Melhora da performance física. pois aumenta a eficiência muscular e é melhor utilizada como forma de reposição dos níveis de energia. após a exaustão do recurso. Profilaxia tomar 1 cápsula ao dia. duas vezes a do sistema anaeróbico lático e 3 vezes do sistema aeróbico. OBS. aumento da massa muscular. mas com 4 características diferenciadas. Ação : Atua no sistema ATP-CP ou sistema anaeróbico alático. aumento da força de explosão. em seguida. não somente ajuda como restaura a energia. Fórmula no 52 Creatina monohidratada 5g Indicação : Melhora da performance física. descobriu que a absorção de creatina é mais eficiente em dieta rica em carboidratos e com baixa quantidade de gordura. potencia explosiva incomparável. Uso : Tomar 1 a 2 cápsulas antes do treino. Ação : Atua no organismo como forma de “combustível” a nível celular. Aproximadamente 70 % da população que fez uso de suplementos de creatina demonstrou aumentos na creatina muscular total. A ingestão de 20 a 30 g de creatina por dia. Uso : Tomar 2 a 5 g ao dia . ou seja. Uso : Tomar inicialmente na primeira semana 4 a 6 doses ao dia. por três semanas. uma dose diária de 5g é mantida durante o período de realização de exercício.: A creatina fosfato também tem suas limitações: o tempo de intervalo é brevíssimo ( cerca de 30 segundos no máximo ). é uma das modalidades de geração de energia para o trabalho muscular.

Ação : Ganho de massa muscular pós-exercício de resistência. Sob circunstâncias normais. A retenção máxima de creatina ( em torno de 32 % ) acontece nos dois primeiros dias de suplementação. Fórmula no 57 31 . Fórmula no 55 Maltodextrina 100 g Indicação : Suplemento para exercício aeróbico. Uso : Tomar 1 dose dissolvida em água até 1 hora após o exercício físico. Uma única dose de 5 g de creatina levou os níveis de creatina plasmática ao pico em uma hora. o organismo produz em torno de 2 g de creatina/fosfocreatina por dia. Fórmula no 56 Maltodextrina Whey protein 40 g 6g Indicação : Performance aeróbica. De acordo com as leis da farmacocinética. Ação : Melhora da performance física. isto daria à dose de creatina suplementada uma vida sérica estendida em aproximadamente 14 horas no organismo. Uso : Tomar 10 a 30 g diluídas em água na concentração de 6 a 20 %. observados 5 horas após a dosagem. Isto indica que a meia vida sérica da creatina é provavelmente em torno de duas horas. com um retorno para os níveis anteriores à suplementação. Fórmula no 54 Maltodextrina 200 mg Indicação : Suplemento para exercício aeróbico. A quantidade fornecida deverá ser sempre ajustada de acordo com a necessidade e o gasto energético do indivíduo. Ação : Fonte de monossacarídeos para o organismo. aumenta o teor de glicogênio no fígado e músculos.indivíduos que apresentam baixa concentração de creatina muscular no início de programas de suplementação com creatina geralmente apresentam os aumentos mais notáveis na creatina muscular. Uso : Tomar 1 dose dissolvida em água ou suco 1 hora antes e 1 hora após o exercício físico.

diminuição da dor muscular.5 g Indicação : Melhora da performance em jogadores de Squash. Fórmula no 58 Maltodextrina Whey protein 35 g 6g Indicação : Melhora da resistência e recuperação pós-exercício. Ação : Melhora da performance em jogadores de Squash. Ação : Melhora da síntese de proteína após exercício de resistência. Uso : Tomar 1 dose ao dia. Ação : Aumento da massa muscular.Maltodextrina Whey protein Pro V2 50 g 5g 5g Indicação : Exercício aeróbico imunoestimulante. Uso : Tomar 1 dose 1 hora após o exercício físico. Fórmula no 59 Maltodextrina Creatina Whey protein 35 g 5g 2. fracionada em 4 tomadas. diminuição de infecções respiratórias em exercício misto. Uso : Tomar 1 dose após o exercício físico. Fórmula no 60 Glutamina Creatina Whey protein 1g 5g 4g 32 .

Fórmula no 61 Glucosamina sulfato Manganês Magnésio Cálcio Vitamina D Boro Ácido ascórbico Selênio Colágeno hidrolisado 2g 1 mg 200 mg 1g 400 UI 2 mg 400 mg 100 mcg 20 g qsp Indicação : Exercícios de impacto Ação : Protege a cartilagem. 33 . Uso : Tomar 1 dose até 1 hora após o exercício físico. Glutamina Arginina Leucina Isoleucina Valina Treonina Lisina Prolina Metionina Histidina Fenilalanina Triptofano Vitamina B1 Vitamina B2 Vitamina B3 Vitamina B5 Vitamina B6 Ácido ascórbico Vitamina D Vitamina E Cálcio Ferro 500 mg 350 mg 600 mg 200 mg 200 mg 150 mg 200 mg 250 mg 250 mg 100 mg 300 mg 300 mg 5 mg 1 mg 15 mg 10 mg 10 mg 150 mg 100 UI 50 mg 200 mg 10 mg Fórmula no 62 Indicação : Fadiga muscular.Indicação : Melhora da performance física em musculação. Ação : Ganho de massa muscular. reduzindo a possibilidade de problemas causados pelo impacto constante durante o exercício físico ou mesmo caminhada. Uso : Tomar 1 dose ao dia.

Fórmula no 63 Glutamina Arginina Leucina Isoleucina Valina Treonina Lisina Prolina Metionina Histidina Fenilalanina Triptofano Vitamina A Vitamina B1 Vitamina B2 Vitamina B6 Niacina Pantotenato de cálcio Ácido ascórbico Vitamina D Vitamina E Cálcio Ferro 1g 500 mg 1g 400 mg 400 mg 200 mg 300 mg 250 mg 350 mg 200 mg 500 mg 500 mg 1. Uso : Tomar 1 dose até 3 horas antes e 3 horas após o exercício físico. Uso : Tomar 1 dose 30 minutos antes e até 1 hora após o exercício físico.Ação : Melhora do desempenho físico e diminuição da fadiga.exercício.5 mg 10 mg 12 mg 5 mg 120 mg 50 UI 20 mg 200 mg 5 mg Indicação : Fadiga muscular.000 UI 5 mg 2. Fórmula no 64 34 . Ação : Melhora do desempenho físico em exercício de peso diminuindo a fadiga muscular pós.

5 g 11.5 g 3. Ação : Recuperação da perda de proteína muscular em exercício de resistência. Uso : Tomar 6 g 1 hora após o exercício físico. Uso : Tomar 1 dose ao dia.1 g 15. Fórmula no 66 Piruvato de cálcio Creatina 4g 1g Indicação : Otimização da performance física.5 g Indicação : Mix para ganho líquido.1 g 18.Histidina Isoleucina Leucina Lisina Metionina Fenilalanina Valina 10. musculação.6 g 15. corrida. Ação : Diminui a fadiga muscular. GLOSSÁRIO 35 . Ação : Melhora da performance em aeróbica e perda de peso pós-corrida.9 g 10. Uso : Tomar 1 dose diluída em água ou suco durante o exercício físico ou corrida. Fórmula no 65 L-Carnitina 2g Indicação : Exercícios aeróbicos.

A deficiência do ácido pantotênico em seres humanos pode causar dor abdominal.ÁCIDO ASPÁRTICO O L-ácido aspártico é um aminoácido não-essencial que comprovadamente contribui para conter a fadiga. envolvendo-se com o metabolismo de hidratos de carbono. o GABA atua acalmando e controlando os estímulos elétricos no cérebro e a Glutamina é difícil de ser classificada uma vez que exerce várias funções no órgão nobre. cãibra. no qual corredores de longas distâncias bem treinados foram submetidos a uma dose diária de ácido pantotênico de 2 gramas. A Glutamina ainda atua no transporte de amônia e é precursor da glutationa. amplamente utilizado por sua capacidade de aumentar a energia e o desempenho atlético. O ácido glutâmico é um neurotransmissor estimulante das funções cerebrais e precursor da glutationa. Os consumidores de ácido pantotênico usaram 8% menos de oxigênio para desempenhar o mesmo trabalho e sua produção de ácido lático caiu 17%. Também foram observados sinais de redução da imunidade a alguns agentes infecciosos na deficiência de pantotenato. vômito. Está se tornando cada vez mais popular como suplemento nutricional. É mediador da atividade do ácido glutâmico e do GABA. pela sua capacidade de neutralização da amônia. Faz parte da estrutura da coenzima A. dor e queimação dos calcanhares. o desempenho desses atletas superou o de outros corredores igualmente bem treinados que receberam placebos para fins de comparação. Pesquisas mostram que a Glutamina é o maior destaque entre os chamados aminoácidos anti-catabólicos. Estudos recentes. inclusive algumas relacionadas à produção de Hormônios da glândula adrenal e à produção de energia. Também é cofator do Ciclo de Krebs e está relacionado com a biossíntese dos hormônios esteróides e formação de acetilcolina. além de desempenhar importante papel anti-catabólico. ÁCIDO PANTOTÊNICO ( Vitamina B5 ) O ácido pantotênico faz parte do complexo B e desempenha inúmeras funções metabólicas essenciais ao corpo humano. além do seu efeito de fortalecer o sistema imunológico. Essa substância é utilizada em fórmulas para treinamento e aperfeiçoamento aeróbicos. 36 . combatendo a perda da massa muscular durante a atividade física . lipídeos e aminoácidos. fadiga e insônia. ÁCIDO GLUTÂMICO. GABA E GLUTAMINA Esse trio de aminoácidos é fundamental para o metabolismo cerebral. O ácido glutâmico não é um aminoácido essencial já que pode ser sintetizado no organismo e convertido em GABA e glutamina.

ciclistas durante o Tour da França .2-1.desidrogenase decorrente do nível de esforço na atividade física. BIOTINA ( Vitamina H . Segundo Brouns ( 1989 ) e Friedman ( 1989 ). Argumenta-se que os atletas apresentam níveis reduzidos de biotina e que a suplementação pode melhorar o desempenho atlético. ( 1983 )] correlacionaram diretamente a oxidação dos aminoácidos com a intensidade do exercício. A amônia liberada é transformada em glutamato. e são lançados na corrente sangüínea pelo fígado em decorrência da queda da glicemia. a amônia ( NH3 ). com conseqüente estimulação hormonal levando à degradação protéica no fígado e liberação hepática dos BCAA . Na prática diária. Portanto é uma coenzima envolvida com o metabolismo de carboidratos e síntese de proteínas e lipídeos. Pesquisas realizadas em atletas de alto rendimento durante exercício prolongado e extenuante . Funciona como co-fator nas reações de carboxilase que fazem parte da síntese de ácidos graxos. A intensidade do exercício parece o fator crítico para a maior necessidade da ingestão de aminoácidos.constataram a necessidade protéica de 1. tendo como mecanismo responsável a ativação da BCAA. os aminoácidos mais utilizados como suplementos nutricionais para melhora da performance são os aminoácidos de cadeia ramificada. isoleucina e valina. para atletas de elite em trabalhos de carga máxima e aeróbico a ingestão protéica de 2 .Coenzima R) É uma vitamina hidrossolúvel do complexo B produzida nos intestinos pelas bactérias e obtida através da alimentação. Calloway ( 1984 )]. também denominados de BCAA ( Branched chain amino acids ) que compreendem a leucina. Babij e cols. o mesmo não sendo observado em exercícios de moderada intensidade [ ( Gontzea e cols. liberando um composto tóxico. nucleotídeos purina ( envolvidos na síntese do ácido nucleico e na formação da molécula de ATP ) e no metabolismo das cadeias de aminoácidos. Lemon ( 1982 ). foi observada uma necessidade maior de aminoácidos em exercícios de alta intensidade. ( 1975 ). Tem uma atividade antioxidante importante. isoleucina e leucina. Diversos estudos [ Brooks ( 1981 ). Todd ( 1984 ).AMINOÁCIDOS No âmbito esportivo.2. A leucina vai formar a acetil-coA enquanto que a valina e a isoleucina vão gerar succinato no ciclo de Krebs. Outro aminoácido importante na performance esportiva é a glutamina.4 grama/Kg para a manutenção do balanço nitrogenado positivo. 37 .5 gramas/Kg. A biotina é importante no metabolismo das cadeias dos aminoácidos valina. que pode ser metabolizada nas células intestinais e retornar ao Ciclo de Krebs fornecendo energia.

BORO O Boro tem capacidade de aportar grupos hidroxila ( não radicais ) que permitem a formação de Hormônios esteroidais. que é essencial para detoxificação do radical livre superóxido. principalmente ligado a ceruloplasmina na inibição da peroxidação lipídica. que também contém zinco. tanto no metabolismo ósseo como no crescimento muscular. na prevenção de lesões esportivas. Oligoelemento específico para a otimização do metabolismo bioenergético. que ocorre naturalmente no organismo humano e que tem a finalidade específica de se constituir em uma reserva energética altamente concentrada e de pronto uso ( prazo de latência igual a zero ). aumenta a imunidade e é antioxidante. Está presente em enzimas como a superóxido dismutase citosólica. O Sistema ATP-CP ou Sistema Anaeróbico 38 . LMetionina e L-Glicina. como tal. tem grande importância biológica. CREATINA-FOSFATO A creatina-fosfato é um peptídeo composto pelos três aminoácidos L-Arginina. fósforo e magnésio. na conversão de Tirosina em Melanina e do T3 em T4. Participa de outras enzimas importantes como a lisil oxidase. que catalisa a produção da ponte de lisina entre fibras elásticas. por isso tem sido utilizado na preparação de atletas. Estes Hormônios estão relacionados com o metabolismo do cálcio. COBRE Co-fator para várias enzimas. CÁLCIO O cálcio é essencial para a integridade do sistema muscular e nervoso. Alguns autores dizem que o boro tem efeito anabolizante. Importante na formação da hemoglobina. A coenzima Q10 também é utilizada em formulações para atletas. Antioxidante importante. COENZIMA Q10 A coenzima Q10 é parte do sistema através do qual os elétrons fluem na mitocôndria das células no processo de produção de energia e. Está relacionado à contração muscular e alerta mental. como fraturas e para combater o estresse. pois fortalece os músculos. do colágeno.

em atletas que suplementaram sua dieta com creatina. proporcionando alta síntese de ATP. DIMETILGLICINA É uma substância ergogênica que melhora a produção de energia e o aproveitamento do oxigênio. A insulina é importante não somente para o transporte da glicose. mas com quatro características peculiares : 1 . Especificamente. melhorando o metabolismo de carboidratos. agente antidetoxificante. sendo considerado como uma alternativa para os esteróides.Após a exaustão do recurso o tempo de reposição do estoque de Creatina-Fosfato. resultando em um retardo do aparecimento da fadiga muscular e facilitando a recuperação muscular durante repetidas séries de exercícios de alta intensidade. a creatina é convertida a fosfocreatina. facilita a ligação da insulina à membrana celular. mas também de aminoácidos. Melhora também o trabalho e o desempenho de atletas em termos de vigor físico e recuperação. é longo. levando a uma extensão do número de repetições de movimentos e maior liberação de força muscular. A creatina favorece a resistência e a potência da performance.Potência explosiva incomparável. Atua como nutriente antidepressivo. 2 vezes a do sistema anaeróbico láctico e 3 vezes a do sistema aeróbico. 2 . 3 . Descobriu-se que a creatina é mais efetiva na obtenção de energia para atletas que praticam atividades de alta intensidade. regulação do metabolismo protéico e síntese protéica. 4 .. protetor celular e potencializador da resposta imunológica. 3 . A creatina-fosfato também tem suas limitações : 1 . no máximo ). 39 .O tempo de intervenção é brevíssimo ( cerca de 30 seg.Sem formação de ATP. é uma das modalidades de geração de energia para o trabalho muscular. que é a principal reserva de alta energia de fosfato no músculo. Ativa enzimas relacionadas ao metabolismo da glicose. em regime anaeróbico. CROMO Oligoelemento específico para a otimização do metabolismo bioenergético.Alático. fator de aproveitamento do oxigênio.É um recurso que o organismo reserva para ser acionado em situações especiais. Estudos demonstraram uma síntese de fosfocreatina mais rápida após o exercício.Sem formação de Ácido Lático. 2 . No músculo. diminui a acumulação de ácido lático no organismo e pode aumentar os níveis de ATP. Como suplemento acredita-se que a creatina exerça sua influência na melhora da concentração de creatina e fosfocreatina muscular.Sem tempo de latência. Isto ocorre devido à capacidade da creatina de aumentar os níveis de fosfocreatina e estimular sua regeneração.

Sob a forma de fosfato é essencial para o processo de mineralização óssea e compõe a estrutura do osso.FERRO O ferro possui inúmeras funções no organismo. Esses sintomas podem ocorrer quando há deficiência de ferro. e o fósforo é essencial para todos eles. enquanto a vitamina C a aumenta. principalmente ligadas a fosforilação oxidativa. Alega-se que a suplementação de fosfato em um atleta com ingestão normal de fosfato aumente sua resistência e lhe proporcione vantagem competitiva. a comunicação celular e a produção de energia são os processos biológicos mais vitais. mas não anemia. até a participação em mecanismos enzimáticos complexos. como a fosfatidilcolina e lecitina são componentes importantes das membranas celulares. 40 . definem a estrutura celular e intermediam os eventos que ocorrem dentro e fora da célula. O fósforo aumenta a resistência de atletas. e a síntese da carnitina exige ferro ). melhorando sua resistência. enzimas detoxificadoras de xenobióticos. Está associado ao transporte de elétrons em várias enzimas. As membranas celulares protegem a integridade das células. a ativação das enzimas que oxidam os alimentos para produzir energia. através dos citocromos e da citocromo-oxidase nas fornalhas metabólicas das células. A diminuição no transporte de oxigênio para os músculos. a transferência de elétrons. o armazenamento e o processamento de informações biológicas. A fraqueza muscular e a diminuição da tolerância a exercícios freqüentemente são associados a anemia ferropriva. resulta na diminuição da atividade muscular. A integridade dos tecidos. A deficiência de ferro sem anemia é comum entre corredores ( ocorre com mais freqüência em mulheres ). e podem ser resolvidos com a correção da deficiência de ferro. desde o transporte de oxigênio na hemoglobina. já que o oxigênio é necessário à produção de energia. O cálcio diminui a disponibilidade de ferro. aumentando a síntese de uma substância que amplia a produção de combustível celular no músculo. Conclui-se que o desempenho muscular ( esquelético e cardíaco ) depende da disponibilidade adequada de ferro. O ferro melhora o desempenho físico. Essa é freqüentemente a causa da fadiga entre atletas. Os fosfolipídeos. O ferro desempenha vários papéis na produção biológica de energia : a transferência de oxigênio para os tecidos pela hemoglobina e mioglobina. o transporte de ácidos graxos para as fornalhas metabólicas através do envolvimento com a carnitina (os ácidos graxos são as principais fontes de energia muscular. FÓSFORO É um mineral que desempenha papéis essenciais na estrutura e funcionamento do organismo.

da nossa alimentação. também anti-catabólico exercido pela maior concentração de aminoácidos no sangue. Esse mecanismo pode ser explicado da seguinte maneira : Suponha que tenhamos uma certa carga de energia potencial. implicaria numa falta de matéria-prima para a síntese de gordura corporal. é a transformação a Acetil-CoA. de repercussão notável para musculação. é a maior tendência à formação de L-AcetilCarnitina. como energia útil. Como conseqüência. Mas recentemente passou a ganhar grande projeção entre os atletas de musculação. estão nas conseqüências metabólicas deste bloqueio da síntese de gordura que são : Em função do acúmulo de Acetil-CoA intramitocondrial e em não havendo a possibilidade de aliviar este excesso. do Acetil-CoA intramitocondrial. após ingressar no mitocôndrio. carboidratos e gordura. além da utilização do excedente de energia para transformação em calor ( termogênese ). acaba ganhando especial importância. teremos uma tendência à maior estabilização da concentração destes nutrientes energéticos no sangue. o Acetil-CoA extramitocondrial. fato que provoca uma pressão no sentido de inibir a transformação dos macronutrientes em Acetil-CoA. A tendência a uma maior oferta de glicose. no sentido de reduzir drasticamente a eficiência deste transporte. substância esta que interfere no mecanismo de transporte. O único caminho que restaria seria o aproveitamento total da carga completa de energia potencial. o que tenderia a acentuar a queima de gordura. há um represamento dos macronutrientes em circulação. para fora de mitocôndrio. quando da 41 . aumentaria substancialmente o nível de energia disponível para efetiva execução de trabalho. na própria corrente sangüínea. transformando-se na matéria prima para a síntese da nossa gordura corporal ). para fora do mitocôndrio. Tal situação . pela via normal de transporte deste intermediário metabólico. além de uma oferta energética aumentada nos mitocôndrios. que seria a L-Carnitina que. tudo nos faz crer. devido a uma série de propriedades sui generis desta planta que. A sua não disponibilidade. o organismo passa a ter séria dificuldade para sintetizar gordura. já que. já que a via de metabolização em termos finais das proteínas. dentro dos mitocôndrios. Acontece que há um excesso de Acetil-CoA no interior do mitocôndrio. além do efeito.GARCINIA CAMBOJA Lançada no mercado internacional como produto natural para emagrecimento. Outro efeito da Garcinia. é a matriz para a formação da nossa gordura de depósito. nos centros mais avançados desta modalidade. uma válvula de escape secundária. ou seja. poderá revolucionar o campo dos suplementos para esportes. Os maiores benefícios. que poderá converter-se numa energia útil ou em energia de reserva. especialmente para os praticantes de Musculação. precisamente na saída do Acetil-CoA para fora do mitocôndrio. transportando ácidos graxos de cadeia longa para o seu interior. um substancial efeito anti-catabólico. o que pode se justificar da seguinte maneira : uma vez bloqueada a válvula de escape principal para o excesso de Acetil-CoA intra-mitocondrial ( que constitui-se. consequentemente. garantiria um maior acúmulo de glicogênio muscular e hepático e uma maior estabilidade da glicemia. O princípio ativo da Garcinia é o Hidroxicitrato.

devido ao excesso de oferta de energia útil para o organismo. Tem sido utilizado no tratamento de distúrbios obsessivos compulsivos. A Alanina tem também a capacidade de prevenir a “queima” da proteína muscular. . 42 . diretamente envolvido no processo de hipertrofia muscular. o que acaba resultando numa maior taxa de queima de gordura. . INOSITOL Antioxidante para uso interno.Inibição da síntese de gordura pelo nosso organismo. Portanto a Garcinia tem ação : .Efeito termogênico. Tem também importância crítica na fertilidade masculina. . Está relacionado ao metabolismo da glicose. elastina e tecido cartilaginoso. em função da maior pressão no sentido de formação da L-AcetilCarnitina. L-ARGININA É importante no ciclo da uréia. detoxificação de amônia. da concentração de aminoácidos. ajuda a regular e sustentar os principais componentes do sistema imunológico e mostrou importantes propriedades anticancerígenas e hepatoprotetoras.Efeito anabólico. . . contra o seu catabolismo. liberação do Hormônio do Crescimento.sua saída para fora do mitocôndrio. Considerado aminoácido de importância capital para a preservação da massa muscular. melhora a neurotransmissão. agente este. desempenha um papel muito significativo nos músculos. A glicina aumenta significativamente os níveis plasmáticos de Hormônio do Crescimento e é importante na produção da glutationa reduzida. mais simples ( menor cadeia carbônica ). Tem efeitos acentuados sobre vários dos principais hormônios endócrinos.Diminuição do apetite. GLICINA Aminoácido não essencial.Reduz-se a tendência à hipoglicemia. glicose e ácidos graxos. na corrente sangüínea. L-ALANINA Aminoácido alifático utilizado como suplemento dietético. carrega o excesso de grupo Acetila do Acetil-CoA. garantindo estrito controle sobre a gordura corporal. no crescimento e na cicatrização. ligando-se a ela e transformando-se na L-Acetil-Carnitina. aumento da resposta imunológica celular e produção de colágeno. devido à estabilização.Poderoso efeito anti-catabólico. bem como a contração muscular.

L-CARNITINA Quimicamente a carnitina é uma amina quaternária (a mesma família química à qual a colina pertence ) e existe sob a forma de dois estereoisômeros ( estruturas que são a imagem espelhada uma da outra ) chamados L-carnitina ( a forma ativa encontrada em nossos tecidos ) e D-carnitina ( a forma biologicamente inativa ). A cisteína é um precursor da glutationa. estruturas particularmente vulneráveis à deficiência de L-carnitina. A L-carnitina é necessária para o transporte dos ácidos graxos de cadeia longa até a mitocôndria. A cistina está relacionada aos processos de cicatrização. niacina. assim como o ferro. Isso significa que o organismo é capaz de sintetizá-los. Um número cada vez maior de atletas. L-CISTEÍNA É um dos aminoácidos que contêm enxofre em uma forma que inativa os radicais livres e assim protege e preserva as células. É uma das mais nobres fontes de enxofre orgânico. um tripeptídeo que segundo alegações. Uma mistura das duas formas em partes iguais tem o nome de DL-carnitina. a partir de aminoácidos essenciais. B6 e C.É classificado como aminoácido não-essencial. Três vitaminas. L-CISTINA Aminoácido conhecido como forma estável do enxofre endógeno. protege o corpo contra vários poluentes. 43 . que contém a cisteína. Acredita-se que uma vez na corrente sangüínea. As alegações de que a carnitina pode ajudar a desenvolver a musculatura e aumentar a resistência física levaram à sua adoção entre atletas adeptos da musculação. A L-carnitina é sintetizada no corpo humano. A L-arginina é um aminoácido essencial para as crianças. assim como a ornitina. participam dessa síntese. É verdade que a arginina estimula a hipófise. Argumenta-se que vários antioxidantes contendo enxofre são capazes de prolongar a vida e oferecer proteção contra várias substâncias tóxicas. a lisina e a metionina. aumentando a secreção do Hormônio do Crescimento. a fornalha metabólica das células. portanto. A glutationa é um antioxidante importante no organismo. esse hormônio ajude a queimar a gordura e desenvolver a musculatura. Os ácidos graxos são as principais fontes de produção de energia no músculo cardíaco e esqueletal. um aminoácido sulfurado hidrossolúvel. não é essencial que tenhamos quantidades adicionais em nossa dieta cotidiana. principalmente no fígado e nos rins. adeptos da musculação e pessoas em dieta vem usando esses aminoácidos.

Alguns adeptos da musculação utilizam-no como anabólico ( desenvolvem músculos ) e energizadores. Alega-se que a lisina combinada ao aminoácido arginina. A histidina é o principal precursor de histamina no organismo. L-METIONINA Aminoácido contendo enxofre. Também é capaz de estimular a liberação do Hormônio do Crescimento e como a arginina. L-LISINA A lisina é um aminoácido essencial que os seres humanos podem obter através da alimentação ou suplementação.L-HISTIDINA Aminoácido essencial importante para recém-nascidos. L-ISOLEUCINA. precursor de cisteína e cistina. quelante de metais pesados. Lipotrópico. especialmente a leucina. São essenciais na dieta e melhoram o metabolismo muscular. detoxificação da histamina. pode aumentar o peso e a atividade da glândula timo. L-ORNITINA A ornitina compartilha muitas das propriedades da arginina. agente quelante de metal pesado. L-TIROSINA 44 . É também essencial para o Crescimento. L-LEUCINA. A lisina é um aminoácido chave na constituição da Meromiosina de Cadeia Pesada. Isoleucina e a Valina são aminoácidos essenciais da categoria dos aminoácidos em cadeia ramificada que estão cada vez mais em evidência. fração da proteína muscular mais diretamente envolvida no processo de contração muscular. possivelmente aperfeiçoando a resposta imunológica nesse processo. Atua também no transporte de ácidos graxos através da mitocôndria. Além disso. Essa alegação baseia-se em um estudo que demonstrou um efeito significativo na liberação do Hormônio do Crescimento humano . participa da síntese de colina. É um poderoso varredor de radicais livres. seus efeitos favoráveis à regeneração hepática já foram demonstrados em animais. possa ajudar a desenvolver a massa muscular. Estimulam a síntese de proteína diretamente no músculo. L-VALINA A Leucina.

Existem três sistemas de energia que fornecem ATP necessário para o exercício físico: 1. 2. É importante também para a estabilidade elétrica das células. Na deficiência de magnésio.Aminoácido utilizado em pessoas sujeitas a algum tipo de strees. requer magnésio. A maioria se encontra em nossos ossos e nos líquidos do interior das células. inclusive o metabolismo da glicose.1 – ATP existente no sarcoplasma da célula muscular. L-TREONINA É um aminoácido essencial ainda pouco conhecido no que diz respeito aos seus papéis biológicos. A formação de ATP através da reação da mioquinase requer magnésio para catalisar a formação de ATP e a reação da creatina fosfoquinase requer magnésio para prosseguir em seu sistema de produção de energia. Melhora a absorção de nutrientes e atua como fator lipotrópico. I mediato. 45 . N ão-oxidativo ( glicolítico ) 3. A deficiência de magnésio é comum em pessoas que praticam exercícios regulares e pesados. condução nervosa e controle do tônus vascular. É necessário para todos os principais processos biológicos.2 – Reação da mioquinase ( ADP + Fosfato inorgânico ). tiroxina e melanina. com o cálcio. a produção de energia celular e a síntese de ácidos nucléicos e proteínas. contração muscular. Está relacionado ao sistema imunológico ( aumento no timo e melhora na produção de imunoglobulinas ). ou seja. Precursor de catecolaminas. manutenção da integridade da membrana. o trifosfato de adenosina. As reações da creatina fosfoquinase e da mioquinase proporcionam a maior parte de ATP necessário para atividades anaeróbicas e de alta intensidade. Exercícios de alta intensidade são anaeróbicos e eles dependem do sistema de energia imediato. que obtém o ATP de : 3. biologicamente. O xidativo. O magnésio é absolutamente essencial à vida. Atua na formação de adrenalina.3 – Reação da creatina fosfoquinase. 3. Está intimamente associado. não é possível obter energia proveniente de creatina. O magnésio está intimamente ligado ao ciclo metabólico de produção e hidrólise de ATP. a capacidade da creatina promover o uso e a regeneração de ATP para produção de energia na contração muscular. MAGNÉSIO É um elemento importante para o bom funcionamento do organismo. O magnésio e o cálcio colaboram na produção do cristal de energia biológica. Toda energia da contração muscular é derivada da hidrólise de ATP. 3.

Entre as mais destacadas. pode-se ver que uma grande quantidade de creatina pode ser irreversivelmente transformada em creatinina. previne a ciclização da creatina aumentando sua utilização. produto de excreção da creatina.MAGNÉSIO BIS-CREATINA QUELATO A maior parte da energia necessária para atividade anaeróbica de alta intensidade requerem a creatina para síntese de ATP e o magnésio como cofator essencial. como cofator.a creatina e o magnésio. Na verdade. tendões e outras estruturas conjuntivas. O manganês exerce importante papel na saúde e resistência dos ligamentos. que a nível mitocondrial depende deste mineral para executar sua função antioxidante. A maior parte da energia necessária para atividade anaeróbica de alta intensidade é derivada das reações CPK e Mioquinase. A formação de um quelato de creatina com magnésio pode proteger a creatina desta “transformação ”e fazer maiores quantidades da forma fisiologicamente ativa de creatina. para aumentar a capacidade muscular em gerar e reciclar energia na forma de ATP. trabalhará intensamente com a creatina. Indicado para otimização dos processos de geração. Essas reações requerem a creatina para síntese de ATP e o magnésio como cofator essencial. junto com seus muitos outros efeitos. citamos a SOD. ambos são direcionados para o mesmo alvo metabólico. na acetilcoenzima A. N -ACETILCISTEÍNA 46 . da formação óssea e da formação da protrombina. quando exposta às condições ácidas do estômago. O manganês participa também da síntese de colesterol e de hormônios sexuais . a performance da creatina é aumentada significativamente. carboxilases e isocitrato desidrogenase no ciclo de Krebs. Uma vez a creatinina formada. Suas vantagens sobre a prescrição de magnésio ou creatina isoladamente está relacionada a alta biodisponibilidade do magnésio na forma de quelato. MANGANÊS A importância do manganês deve-se à sua participação em diversas enzimas. Esse composto é uma molécula altamente biodisponível que possuem dois componentes essenciais para a geração de energia no músculo. A partir disto. esse composto fornecerá quantidades efetivas de magnésio biodisponível que. Além disso. em solução ácida a formação de creatinina. armazenamento e liberação de energia em atletas e praticantes de atividade física em geral. ela não é mais um benefício fisiológico. é quase total e irreversível. é importante notar que a creatina é suscetível à “transformação”. Apesar da creatina ter se mostrado uma substância muito efetiva. disponível para as atividades metabólicas das células musculares e render um status de energia mais alto.

derrame cerebral. agressividade. não sendo portanto recomendado nas atividades de endurance. no sentido desta associação cobrir com maior eficiência o espectro dos ácidos graxos poliinsaturados 47 . Diminuição conseqüente da glicose sangüínea e glicogênio muscular pois estes atuam. A NAC é um excelente suplemento para corrigir deficiências de glutationa. neutralizando uma grande variedade de substâncias reativas potencialmente tóxicas. respectivamente os principais lipídeos ativos do óleo de prímula e do óleo de borage. ser prevenida pelo uso de um dos produtos citados. Como seqüelas de menor importância poderíamos relacionar a deterioração na qualidade da pele ( oleosidade.É um importante antioxidante. ou pelo uso combinado dos dois produtos. sendo essencial em diversas reações de oxi-redução no nosso organismo. etc. irritabilidade. espinhas. A NAC é bem tolerada. flebite. de onde decorrem a aterosclerose e trombose. Estudos em indivíduos em repouso e durante o exercício físico mostraram uma diminuição dos ácidos graxos livres no plasma devido a uma inibição da metabolização do tecido adiposo do organismo. talvez. poluentes e até de muitos narcóticos. estrias). tem papel essencial na glicólise. então. cisteína e a NAC são substâncias sulfidrílicas que desempenham importante função na defesa natural antioxidante tecidual. ácido nicotínico ( a forma mais ativa ) e niacina. As substâncias naturais sulfidrílicas são em geral potentes varredoras de radicais livres. O uso concomitante traz grande vantagem. Boa parte destas seqüelas ligadas aos efeitos colaterais dos esteróides. tornando esta fonte menos disponível durante o esforço. NIACINA (Vitamina B3 ) É reconhecida dentro do nosso organismo de duas formas. devido à capacidade de combinar com os mesmos. pois esta apresenta tendência a se auto-oxidar. notadamente o câncer nestes dois órgãos). É um derivado não tóxico do aminoácido L-cisteína e um precursor da glutationa reduzida ( GSH ). ÓLEO DE PRÍMULA/ÓLEO DE BÓRAGE São excepcionais fontes de ácidos graxos poliinsaturados. especialmente o ácido linoléico e o ácido gama-linolênico. a maior ênfase ficaria por conta dos problemas hepáticos e os de próstata. uma substância capaz de limpar o organismo de todos os tipos de toxina. Na forma de coenzima. nos centros mais avançados desta modalidade. Tanto a GSH. pode. os problemas de colesterol e triglicérides. acne. bem absorvida a nível intestinal resistindo à ação enzimática e mais estável que a Lcisteína. Estes dois produtos naturais vem se destacando cada vez mais entre os Bodybuilders. especialmente entre aqueles praticantes usuários de esteróides anabólicos e/ou andrógenos ( dentre as seqüelas mais importantes envolvendo o uso e abuso de anabolizantes. de outros constituintes de defesa antioxidante do nosso organismo. como maior suplemento energético. oxidação de ácidos graxos e metabolismo protéico. A NAC apresenta biodisponibilidade superior em relação à GSH e L-cisteína. Também tem sido usado por sua eficácia como agente desintoxicante. Secundariamente. em maior ou menor grau. queda de cabelos. antitoxina e suporte imune. etc. cisteína e. podendo levar ao infarto do miocárdio. Ela funciona como aceptor e doador de hidrogênio.

etc. numa modalidade em que as lesões e inflamações locais. pelas suas próprias condições de supridores de gordura poliinsaturada vegetal. para o qual a etapa de preparação específica. As primeiras prostaglandinas foram encontradas na próstata. A base do variado benefício preventivo sobre os principais efeitos colaterais dos esteróides está principalmente no fato dos ácidos Linolêico e Gama-linolênico. em função da necessidade de levar a extremo a dieta de restrição calórica para otimizar ao máximo a definição muscular. tem caráter preventivo contra o câncer da próstata. serem precursores importantes das prostaglandinas. uma classe de substâncias fundamentais para a regulação de uma série de funções e status homeostáticos de nosso organismo. Possui importante papel como “solvente” para as gorduras saturadas e triglicérides. renovação da pele. como os do fígado. agressividade. ou seja são essenciais para a reconstituição. aterosclerose. respectivamente. cicatrização e ferimentos. qualidade esta que lhes confere muita importância como regenerador de tecidos lesados.. amenizando com isso. seus principais ativos. regeneração e renovação de tecidos. Seus ácidos graxos poliinsaturados estão também relacionados à constituição de estruturas celulares estratégicas. o Ácido Linolêico e o Ácido Gama-linolênico. por exemplo a queda de cabelos. infarto do miocárdio. OPOTERAPIA Terapêutica que emprega os sucos extraídos dos diversos órgãos do organismo animal. no líquido seminal ( de onde deriva o nome ) e seguramente a suficiência de sua síntese endógena está relacionada à saúde da próstata e a maior ou menor tendência a tumores malignos desta glândula. com o baixo estado de humor. reduzindo os riscos de hipertensão. trombose. tal qual a que os atletas de musculação competitiva costumam submeter-se. quanto ao estado de nervos. acne. na preparação para competição.mais importantes. 48 . como também a dieta drástica restrita em carboidratos. É bastante conhecida a correlação do baixo nível de gordura corporal. derrames. Estes óleos exercem efeito sedativo. como por exemplo a regulação endócrina. a baixa taxa de gordura corporal. nesta etapa especialmente sensível. regulação da pressão arterial e hemostática. bem como. A suplementação de ácido linoleico e/ou gamalinolênico. acaba impedindo-os. etc. os lipídeos vegetais predominantes do óleo de prímula e do óleo de borage. etc. irritabilidade. que acaba prejudicando sensivelmente o humor. particularmente o dos Bodybuilders. quais sejam. transitórias e as de maior alcance é uma rotina. do retículo endoplasmático. Mesmo as manifestações menores do efeito andrógeno conseqüente do consumo de esteróides andrógenos poderão ser minimizados com o uso destes ácidos graxos poliinsaturados que possuem a capacidade de neutralizar muitos dos outros efeitos colaterais ligados ao caráter endógeno dos esteróides usados. prevenção e restauração de estrias. naquilo em que tal estado nutricional acaba afetando em questão da condição dos mesmos atletas. na fase mais aguda de précontest. etc. mitocondrial. desestimulando a deposição gordurosa nas paredes das artérias. especialmente as membranas. Outro destaque seria a ação antiinflamatória destes óleos. não só a citoplasmática como também a nuclear. quando do uso de substâncias hepatotóxicas.

PROTEÍNA MUSCULAR A proteína muscular é constituída de 19 aminoácidos. fácil fatigabilidade afetando o desempenho dos mesmos. acelera cicatrização de lesões. POTÁSSIO O potássio é um dos principais componentes das nossas células. Reduz a peroxidação lipídica decorrente do exercício físico excessivo. Estudos tem demonstrado que o retinol inibe a peroxidação lipídica. aumenta a imunidade . A proporção ideal em que estes 19 aminoácidos devem compor a fórmula de um produto visando a construção muscular. é exatamente a que reproduza. Cada um destes 19 aminoácidos entra numa dada proporção. Participa da catálise sobre a Superóxido Dismutase. Elas aceleram bastante os processos de cicatrização por atuarem na formação do colágeno. à composição em aminoácidos. Antioxidante potente. Devido a isso melhora o desempenho dos atletas. Exerce papel essencial em muitas das funções mais importantes do corpo humano. atua como imunoestimulante. leucina. 49 . A glutation peroxidase é importante na inibição da produção de radicais peróxidos lipídicos. tem efeitos anticancerígenos. SELÊNIO A enzima glutation peroxidase para funcionar depende de Selênio e L-cisteína. tais como contração muscular. o mais fielmente possível. para a formação do tecido muscular. descarboxilação dos aminoácidos de cadeia ramificada ( valina. potencializa o efeito antioxidante da vitamina E. VITAMINA A Antioxidante. PROLINA E HIDROXIPROLINA São aminoácidos não essenciais. Estas reações incluem a conversão de piruvato em acetil-coenzima A e alfa-cetoglutarato em succinilcoA. do próprio tecido muscular. produção de energia e síntese de ácidos nucléicos e proteínas. porém de importância vital para a constituição do colágeno. pois a deficiência de potássio provoca fraqueza. freqüência cardíaca. condução nervosa. VITAMINA B1 ( Tiamina ) Atua como coenzima na descarboxilação oxidativa do alfa-cetoácido.PIRUVATO O piruvato tem sido utilizado como suplemento ergogênico e seu uso está associado a diminuição de peso e aumento de massa magra.

e como coenzima B 12 é importante no metabolismo de ácidos graxos e carboidratos. Está associada a uma enzima chamada glutationa-redutase. Influencia o sistema nervoso através de seus efeitos sobre vários minerais e neurotransmissores cerebrais. A vitamina B 6 é importante ao estímulo da glicogênese hepática e muscular.isoleucina ). um dos maiores protetores contra lesões causadas pelos radicais livres. a fim de evitar deficiência. que auxilia na formação da glutationa. VITAMINA B2 ( Riboflavina ) A riboflavina assim como a tiamina. assim como na síntese de hemoglobina e do DNA/RNA. Desempenha papel importante na conversão do açúcar do sangue ( glicose ) em energia biológica. proteínas e DNA. Energizante do organismo. especialmente as mulheres. Portanto a riboflavina é essencial tanto na respiração celular. oligoelementos e minerais. A riboflavina também tem propriedades antioxidantes. Precisa ser continuamente reposta através da alimentação ou suplementação. é essencial para a produção de energia do organismo. distúrbios nervosos e diversos problemas de pele. quanto na eliminação de resíduos tóxicos produzidos durante a respiração celular. coração. Utilizada em formulações associada a outras vitaminas . A riboflavina é hidrossolúvel e também não é armazenada em quantidades significativas no organismo. Participa da multiplicação de todas as células e da produção das hemácias e das células do sistema imunológico. Exercícios vigorosos aumentam a necessidade diária de vitamina. A vitamina B6 é vital para a saúde do sistema imunológico. VITAMINA C 50 . Participa de algumas reações metabólicas fundamentais no tecido nervoso. onde a energia é produzida. VITAMINA B12 ( Cianocobalamina ) Faz parte de coenzimas envolvidas com a síntese dos ácidos nucléicos. VITAMINA B6 ( Piridoxina ) A vitamina B6 é necessária para o funcionamento adequado de mais de sessenta enzimas e essencial para a síntese normal do ácido nucleico e das proteínas. formação de células vermelhas do sangue e manutenção da musculatura lisa esquelética. benéfica na regeneração neurológica. As pessoas que praticam exercícios precisam necessariamente de uma quantidade adicional de riboflavina. A deficiência severa de B6 pode provocar anemia. Tem papel importante no metabolismo de lipídios.

Verificou-se efeitos benéficos do uso de vitamina E em relação à potência aeróbica e especial proteção das membranas celulares quando em altas altitudes. decorrente do aumento do fluxo sangüíneo. imunoestimulante e aumenta o ascorbato leucocitário. hidroxil e provavelmente o ácido hipocloroso. Muito importante como antioxidante devido à ativação enzimática e melhora da resposta imune. Verificou-se a ação da vitamina C na aclimatação de atletas em ambientes quentes e melhora da performance em atletas de maratona com a utilização de vitamina C. é componente da insulina. É regenerado pela enzima dehidroascorbato redutase e pela glutationa reduzida. Suplementos de vitamina E podem provocar aumento da energia. muscular e da melhor qualidade do oxigênio em todas as células do corpo. juntamente com a glutationa reduzida forma os co-antioxidantes mais importantes no organismo. Além disso. da fragilidade da membrana lisossomal e perda da integridade retículo-sarcoplasmático. VITAMINA E Antioxidante. força muscular e desempenho atlético. atua também no sistema reprodutor. principalmente respiratórias após treinos exaustivos e competições. interfere com a produção de ácidos nucléicos e leucócitos. Além de atuar como antioxidante e co-fator da enzima lactato desidrogenase. é muito importante na ativação de várias enzimas. da peroxidação lipídica. A diminuição da vitamina E durante o exercício físico pode levar ao aumento da suscetibilidade do músculo à lesão oxidativa.O principal efeito do ácido ascórbico no organismo é como regenerador do alfa tocoferol. ZINCO Envolvido com diversas funções fisiológicas. O Zinco está envolvido com a otimização da síntese e metabolismo de proteínas. 51 . Forma parte da SOD citosólica. necessário para absorção e atividade de vitaminas. O ácido ascórbico. Além de acelerar o processo de cicatrização. o ácido ascórbico varre o oxigênio singlet. age também como estimulante do sistema imunológico sendo necessária a sua suplementação na tentativa de evitar o agravamento de infecções. superóxido. combate doenças cardiovasculares e aumenta a imunidade frente a infecções. Possui ação anticarcinogênica.

& Baptista. Percario. 7. 16th. Competitive inhibition of iron absorption by manganese and zinc in humans. 1993. – Radicais livres em medicina. Pensylvania. E. 11. Fórmula 01.Informe Técnico – SP . D. Intermittent Exercise Performance in Competitive Squash Players. & Naveira.. Miller SL. Sci. Sports Exerc. Ver. Olszewer. & Percário. Wolf SE. Terap. S. 2003.REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 1..Knook D. E. J. 14. 22:546-552. Harman. 21. “A Enciclopédia de Vitaminas e Minerais” 2a edição. 12. “Elementos Fundamentais Para uma Ampliação da Arte de Curar”. 3. 5. S. Rossander-Huelten L. Carson.B. Independent and Combined Effects of amino acids and glucose after Resistance exercise. & Naveira.L. American journal of clinical nutrition 54(1):152-156. Faucheux B. 20. Nutrição Ortomolecular – Tecnopress 1997. E.A. M & Garcia. 19. Bras. 18. 17. SP. Inflamação & dor. Brasil ( 1 o volume ). Lonnerdal B. & Colaboradores – Terapia ortomolecular-Antioxidantes . Ed. R . Ed. Ed. E.. Tréton J. A. Hendler S.& Percario.Forette B. De Lacerda P. S. 22.“Modern trends in aging research” Colloque Inserm. 13. J.Brasil. Effects of oral Creatine Supplementation on High Intensity. 52 . 1 (3): 06-10. J. Halberg L. Barrington JP. Intens. Courtois.-Aging: a theory based on free radical and radiation chemistry. Jeukendrup AE. & Wegman. Informe técnico Minerais Aminoácidos Quelatos. Vol. 9. 11:298-300. 147 ( John Libbey 1986 ). – A folha médica. Martins de Oliveira. Brasil. Chikes DL. Sandrstrom B. 8. 35.C. 1993.. 30th Ed.. Martindale . 2. Easton. Olszewer. 4.The Extra Pharmacopoeiae. 13:215-219.. Gerontol. Santos. Wolfe RR. S. De Lacerda. Méd. P. – Radicais livres em medicina intensiva. 6. Felippe Jr. “Oligoelementos em Homeopatia e Alopatia”. Ver. Tipton KD. . Felippe Jr. Bras.S. J. Albion Laboratories Inc. F.D. 1991. S.. 1956. SP. London. Romer LM. “Manual Prático de Medicina Ortomolecular” Andrei Editora Ltda. 10. Olszewer. Steiner. – Radicais livres. SP FARMA . 16. 1981.Tobias. M. Int J. Sports Méd 2001. Radicais livres. Nº 3. pp. Brasil. Brune M.449-445. e Percy. antioxidantes e oligoelementos – 1996. J. J.Escola Paulista de Medicina – Jul/Ago/Set 2000. 1980. – Radicais livres em medicina esportiva – Tecnopress 1997. Mack Publishing Co. Remington’s Pharmaceutical Sciences. The Farmaceutical Press. “The use of DMSO in tennis elbow and rotator cuff tendonitis: a double-blind study” Medicine and Science in Sports and Exercise. Name. 15.. 3(3):66-72. ABC da medicina ortomolecular – Tecnopress 1997..

body composition. Quinlan T. Spivack S. 30. Kamphuisi MMJW. 28.840-847. Biotechnol. 29. Biochem 67(2):372-375 2003. Lab. Weesterterp-Plantega MS. 53 . Saris WHM. Falchuk KH. Effects of chromium supplementation on fasting insulin levels and lipid parameters in helathy. Lejeune MPGM. Internation Journal of obesity ( 2003 ) 27. 26. The effect of conjugated linoleic acid supplementation after weight loss on body weight regain . 24.. Effect of a selected amino acid mixture on the recobery from muscle fatigue during and after eccentric contraction exercise training. Biosci. Environmental healt perspectives 102 ( suppl. Regulation of antioxidant enzymes in lung after oxidant injury.2):79-87. Clinical and experimental pharmacology and physiology 22 (11):877-880. Diabetes research and clinical pratice 28:179-184. Mossman BT. Kobayashi K. Valle BL. Ohtani M. non-obese Young subjects. Free radical toxicology and antioxidant defence. Sections 3. Wilson BE. 25. Maruyama K. Biocatal. Portugal. The biochemical basis of zinc physiology. Gary P. and resting metabolic rate in overweight subjects. Sugita M. Todd. Mem Martins. Winterbourn CC. 27. Gondy A. Vol. 1. “Nutrition in Ophthalmology” Clinical Nutrition Applications. Vade-mecum de Oligoterapia.23. Ishii N. Physiological reviews 73(1):79-118.

R.Estas informações devem ser analisadas pelo profissional prescritor antes de adotados na clínica. e são de distribuição e uso exclusivo de médicos.s. 54 . dentistas e veterinários devidamente inscritos em seus C. farmacêuticos.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful