Você está na página 1de 62

CONSUMO HUMANO DE INSETOS:

Eraldo Medeiros Costa Neto


UEFS
Antecedentes Históricos

Os insetos e os produtos elaborados Maná: a secreção da cochonilha Trabutina


e/ou eliminados por eles são mannipara. As fêmeas eliminam um líquido
consumidos pela espécie humana açucarado que em climas áridos seca sobre
desde o Plio-Pleistoceno.
as folhas e vai se acumulando em camadas.
Fonte: Grimaldi, D.; Engel, M. S. 2005. Evolution of the insects. Cambridge University Press.
O que se consome?
No mundo, cerca de 1.700 espécies de insetos. Fonte: Ramos-Elorduy (2005).
Ordem Nome comum Número de espécies
Thysanura Traças 1
Anoplura Piolhos 3
Ephemeroptera Efeméridas 19
Odonata Libélulas 29
Orthoptera Grilos, Gafanhotos e baratas 267
Isoptera Cupins 61
Hemiptera Percevejos 102
Homoptera Cigarras, cochonilhas 78
Neuroptera Formigas-leão 5
Lepidoptera Mariposas e borboletas 253
Trichoptera Tricópteros 10
Diptera Moscas e mosquitos 34
Coleoptera Besouros 468
Hymenoptera Formigas, abelhas e vespas 351
Número de espécies comestíveis por continente e número de países consumidores

Continente Número de espécies Porcentagem Número de países


registradas consumidores

Ásia 349 20 29
Austrália 152 9 14
África 524 30 36
Américas 679 39 23
Europa 41 2 11
Total 1.745 100 113
CHAMOES:
Pachilis gigas
Se emplea como alimento.
Jumiles: Euschistus spp.
Axayacatl; Mezcla de
adultos de Hemípteros
acuáticos de las familias
Corixidae y Notonectidae.
Ahuahutle: Mezcla de
huevecillos.
Cochonilha: Dactylopius spp.
Larvas da madeira: fonte de
lipídeos, empregados na
elaboração de alimentos.
GUSANO ROJO DE MAGUEY

Em Oaxaca: importante como alimento.


Gusano blanco de maguey
Larva do milho:
Vespas Polybia spp.
Formigas Atta spp.
Escamol: Liometopum apiculatum

Es una mezcla de huevecillos, larvas y


pupas de la casta reproductora de hormigas.
Gafanhotos
Quem os consomem?
Cerca de três mil grupos étnicos em
mais de 120 países comem insetos como
suplemento alimentar, como substitutos de
outros alimentos em tempos de escassez
ou como constituintes principais da dieta.

Como são consumidos?


Os insetos são consumidos frescos, torrados,
fritos ou, quando temperados, usados en
molhos e saladas, e como patés.

Que sabor têm?


O paladar é um fator cultural.
Outras formas de se alimentar de insetos

Através da ingestão de alimentos


contaminados  quando ovos, fezes e
mesmo fragmentos de asas, pernas e antenas
de baratas, abelhas, grilos, formigas e outros
insetos são encontrados nos alimentos.

Através das substâncias que eles produzem


 o pigmento fenoxazina (de cor laranja)
extraído de Pachilis gigas (Hemiptera:
Coreidae) pode ser usado como corante para
sorvetes, queijos, maionese e cremes; o
pigmento vermelho-carmín (ácido
carmínico) extraído de Dactylopius cocci
(Homoptera: Dactylopiidae) é usado como
tintura para colorir bebidas e remédios
(comprimidos).
A COZINHA ENTOMOFÁGICA

Ainda permanece desconhecida (ou melhor, depreciada) da


grande maioria da população mundial, especialmente nos países
desenvolvidos.

Preconceito e etnocentrismo: O consumo de insetos é


percebido como uma prática de “gente primitiva”.
A razão pela qual não comemos os insetos
não consiste em que eles sejam sujos e
repugnantes. Ao contrário, eles são sujos
e repugnantes porque NÃO os comemos.

Marvin Harris.
Insects on sale alongside other delicacies (northern Thailand)
(Courtesy P.B. Durst).
Por que Comer Insetos?

 Os insetos contêm altas quantidades de proteínas e de lipídeos


e são ricos em sódio, potássio, zinco, fósforo, manganês, magnésio,
ferro, cobre e cálcio. Muitas espécies são abundantes em vitaminas
do grupo B, como tiamina (B1), riboflavina (B2) e niacina (B6).

 Os lípidos que constituem seus óleos são, na maioria, do tipo insaturado e


poliinsaturado e, assim, necessários ao organismo e não daninhos. Dessa maneira,
a maioria deles fornece a energia necessária para realizar as diferentes tarefas e
funções orgânicas.

 O exoesqueleto quitinoso não é digerível pelos seres humanos (assim como a


cascada maçã!), mas o exoesqueleto constitui apenas uma pequena parte da
biomassa total (cerca de 4% nas lagartas) e não afeta o valor nutritivo dos insetos
como alimento.
Valor nutritivo da formiga tanajura (Atta spp.) em relação a outros produtos
alimentícios.

Valor Nutricional Carne Peixe Ovo Frango Carne Tanajura


bovina suína
Proteína (g) 21,5 % 15,9 % 6,4 % 20,2 % 18,5 % 20,4 %

Tiamina (mg) 0,8 % 0,2 % 0,5 % 6,8 % 0,7 % 1,1 %

Riboflavina (mg) 0,23 % 0,1 % 0,14 % 0,16 % 0,25 % 0,6 %

Niacina (mg) 5,1 % 2,0 % -- 5,0 % 2,8 % 4,6 %


Análise comparativa do valor nutritivo de vários Coleoptera comestíveis do México e
Pachymerus nucleorum do Brasil (g/100g base seca e Kj/100g).

Coleópteros Proteínas Óleos Sais Fibra Hidratos de Kj/100g


minerais crua carbono

Rhantus sp. 71.10 6.37 4.60 12.26 5.64 1522.73

Homolepta sp. 53.70 18.42 1.72 11.51 9.64 1752.0

Melolontha sp. 47.41 18.81 13.69 4.17 15.89 1766.00

Aplagiognathus spinosus 26.12 37.10 3.17 15.68 17.93 2132.20

Scyphophorus acupunctatus 35.85 50.98 1.59 5.91 5.67 2612.08

Metamasius spinolae 37.44 25.52 5.46 8.88 22.77 1966.77

Pachymerus nucleorum 33.05 49.32 3.22 2.91 11.50 2600.24


Contenido calórico de coleópteros comestibles de México y Brasil comparados con
productos tradicionales de obtención proteínica, en orden decreciente.
Especies de coleópteros y productos Kj/100g
Carne de cerdo 2949.87
Arophalus sp. 2736.14
Scyphophorus acupunctatus G. 2612.08
Pachymerus nucleorum F. 2600.24
Oileus rimator T. 2433.59
Paxillus leachei M.L. 2433.59
Passalus punctiger S. 2310.53
Tenebrio molitor L. (larvas) 2309.90
Aplagioghnathus sp. 2108.60
Callipogon barbatum F. 1981.32
Metamasius spinolae V. 1751.62
Soya 1944.74
Chícharo 1673.18
Pescado 1662.30
Lenteja 1644.40
Fríjol 1637.40
Avena 1522.98
Rhantus sp. 1522.73
Arroz 1510.42
Macrodaytylus lineaticollis Bates 1508.60
Verduras 1506.74
Pachymerus nucleorum (Fabricius, 1792).

De acordo com as análises bromatológicas realizadas, conclui-se que os


besouros comestíveis do México e Pachymerus nucleorum do Brasil possuem um
alto valor nutritivo em proteínas, aminoácidos, lipídeos, calorias e minerais.

Dessa maneira, seu consumo ajuda a nutrição dos diferentes grupos culturais
que fazem uso desses recursos alimentícios, segundo sua abundância durante
as diferentes estações do ano em que são encontrados.
Se consideradas a biodiversidade e a sociodiversidade presentes no
país, pode-se dizer que o fenômeno da antropoentomofagia tem
sido subvalorizado pelos poucos estudos que existem, uma vez que
os insetos comestíveis são um potencial nutritivo devido aos macro
e micronutrientes que possuem.
Comercialización y precios de algunas especies de insectos comestibles. Modificada
de Ramos-Elorduy (1997).

Espécies comestíveis Quantidade Valor País


Productos enlatados 30 g 50 Cdlls México

Gusano del agave blanco


Larvas de abejas 2 onzas 220 dlls Canadá
Hormigas Atta 423 g 20 dlls Colombia
Saltamontes migratorios 6,5 g 8 dlls Estados Unidos
Pupas de Bombyx mori 35 g 50 Yenes Japón
Larvas de Vespula lewisi 40 g 50 Yenes Japón
Ninfas de Oxya japonica 35 g 50 Yenes Japón
Liometopum apiculatum 1/2 K 100 dlls México
Platos 5g 45 dlls Estados Unidos

Tenebio molitor
Acheta domestica 10 g 65 dlls Estados Unidos
Lethocerus indicus muestra 1,15 dlls Estados Unidos
Liometopum apiculatum 30 g 14 dlls México
Xyleutes redtembacheri 30 g 11 dlls México
Hipótese da Entomofauna Nutracêutica

 Os insetos, além de serem uma fonte


de alimento, oferecem um benefício
adicional: apresentam propriedades
imunológicas, analgésicas, diuréticas,
antibióticas, anestésicas, anti-
reumáticas e afrodisíacas.

 Muitas espécies de insetos são fonte


de alimentos funcionais que além de
fornecerem nutrimentos, também
melhoram a saúde humana prevendo
e/ou tratando enfermidades.
EXEMPLOS DO USO NUTRACÊUTICO (“FOLK”)
DE INSETOS

Tomar o mel (Apis mellifera scutellata) puro para o tratamento de úlceras, diabetes e
tosse.

O mel de Trigona spinipes é consumido para tratar inflamação na garganta, acessos


de tosse, diabetes e “vento” (derrame ?).

Esmagar uma barata, adicionar água e cozinhar até ferver. Depois, coar e beber
para o tratamento da asma.

O besouro-do-amendoim (Palembus dermestoides), consumido cru ou cozido, é


considerado como um fortificante e útil no tratamento da impotência sexual, irritação
nos olhos e reumatismo.

Fazer o lambedor do cupim apenas com água e açúcar e dar a alguém que sofre de
tosse e gripe.
Tirar a bunda (abdome) e deixar a formiga viva. Torrar, pisar e fazer
um chá, o qual é bebido para curar asma.

Torrar uma formiga inteira (Paraponera sp.), depois moê-la e misturar


o pó resultante na comida ou fazer um chá para tratar asma.

Extrair a perna traseira do grilo (Achaeta domestica), torrá-la, moê-la


e fazer um chá com o pó, o qual é bebido como diurético.

Torrar um percevejo e colocar o pó na água para curar cansaço.

Torrar uma tanajura inteira, moê-la e fazer um chá para o tratamento de falta de
ar e dor de garganta.

O mel de uruçu (Melipona scutellaris) é consumido como um fortificante, um


afrodisíaco e para curar acessos de tosse, gripe, bronquite e coqueluche.
ATIVIDADE ANTIMICROBIANA DE ACTINOBACTÉRIAS ISOLADAS DE
CUPINZEIROS DO MUNICÍPIO DE FEIRA DE SANTANA, BAHIA, BRASIL

M.Sc. Getúlio Freitas Bomfim Isolar actinobactérias presentes em terras de cupinzeiros da


(PPGBIOTEC/UEFS ). Mata de Cipó, no município de Feira de Santana-BA, e
verificar o potencial antimicrobiano.

Dos 47 isolados, doze (25,54%) demonstraram atividade antimicrobiana contra os


microrganismos-teste utilizados, dos quais um (8,33%) mostrou atividade contra
Escherichia coli (CCMB 284), um (8,33%) contra E. coli (CCMB 261), oito (66,67%)
contra Salmonella choleraesuis (CCMB 281), dez (83,33%) contra Staphylococcus
aureus (CCMB 285), todos os doze (100%) contra S. aureus (CCMB 262), nove
(75%) contra S. aureus (CCMB 263), seis (50%) contra Candida albicans (CCMB
266), sete (58,33%) contra C. albicans (CCMB 286) e sete (58,33%) contra Candida
parapsilosis (CCMB 288).
Insetos: fontes de agentes farmacodinâmicos

Os insetos não apenas sintetizam uma grande variedade de seus próprios


compostos (sprays defensivos, feromonas, peçonhas e venenos), como muitos
podem incorporar em seus corpos químicos das plantas que comem.

A enorme quantidade de substâncias associadas com os insetos incluem


compostos que são eméticos, vesicantes, irritantes, cardioativos e neurotóxicos.
ATIVIDADES BIOLÓGICAS DE EXTRATOS DE FORMIGAS
Dinoponera quadriceps (Santschi, 1921)

Testar in vitro a atividade anti-microbiana, anti-tumoral e


Tese de Jaqueline Santos Cardoso imunomodulatória, bem como os efeitos in vivo sobre a
(PPGBIOTEC/UEFS): asma de compostos produzidos pela formiga Dinoponera
quadriceps (Santschi, 1921) do semi-árido baiano.

Concentração mínima da peçonha de Dinoponera quadriceps que apresentou atividade inibitória


(Concentração mínima inibitória - CIM) e bactericida (Concentração bactericida mínima – CBM)
para cepas de bactérias estudadas.
Código Espécies Experimentos
Peçonha 0,001 g/mL
CIM CBM
CCMB 262 Staphylococcus aureus resistente à estreptomicina 0,000125 0,001
e dihidrostreptomocina
CCMB 263 Staphylococcus aureus resistente à novobiocina 0,000125 0,001
O estudo do potencial terapêutico destes
insetos representa uma contribuição importante para
conservação biológica, por meio da valorização
econômica e cultural de organismos muitas vezes
considerados inúteis.

A valorização cultural, ecológica e econômica auxilia


na conscientização da população em geral sobre sua
importância.

Além disso, a entomofauna não foi muito bem


explorada em relação ao seu potencial biotecnológico; por
isso, deve-se gerar esforços para conservação desse
biorrecurso.
A Antropoentomofagia no Brasil

 A prática da antropoentomofagia no Brasil foi registrada,


apresentando-se a importância dos insetos como recursos
alimentícios para 34 grupos indígenas e comunidades urbanas.

 Um total de 110 tipos de insetos comestíveis, divididos em 9


ordens, 20 famílias, 40 gêneros e 74 espécies, além dos tipos que só
estão registrados com os nomes nativos.

 A ordem Hymenoptera é a mais abundante, com 67 insetos.


Biodiversidade de insetos comestíveis censados até o momento.

Ordem Famílias Gêneros Espécies


Anoplura 1 1 1
Orthoptera 1 1 1
Blattodea 1 1 1
Isoptera 1 3 1
Homoptera 1 1 1
Coleoptera 6 12 12
Lepidoptera 4 1 1
Diptera 1 1 1
Hymenoptera 4 19 55
TOTAL 20 40 74
Distribuição por etnia das ordens de insetos comestíveis.
Etnia Órdenes de Insectos consumidos
ANP ORT BLA ISO HOM COL LEP DIP HYM
Amondawa X
Araweté X X
Ashaninka X
Bakairi X
Bororo X
Botocudo X
Cocama
Desâna X X X X X
Guarani (subgrupo M'byá) X X
Jamamadi X
Kaingang X X
Kayapó X X X
Macu X X X X
Makuna
Matis X X X
Coleta de mel deApis mellifera scutellata Lepeletier pelos índios Pankararé do estado da Bahia. Fotos de
Eraldo M. Costa Neto.
Os Limites da Antropoentomofagia

 É importante reconhecer que muitas espécies obtêm


toxinas de suas plantas hospedeiras ou podem produzir
suas próprias, tornando-se não comestíveis e assim,
eliminando sua disponibilidade para o consumo humano.

 Ainda, se uma pessoa é alérgica ao consumo de


crustáceos, debe prestar atenção especial à ingestão de
insetos, pois parecem existir alérgenos comuns aos
membros do filo.
CRIPTOTÓXICOS & FANEROTÓXICOS
 Os insetos fanerotóxicos são aqueles que são peçonhentos, ou seja, que
apresentam um aparelho de peçonha que inclui: uma glândula, um
reservatório, um duto e um aparelho para injetar a peçonha. Pertencem a este
grupo alguns insetos das ordens Lepidoptera, Hymenoptera e Hemiptera, cujas
secreções são distribuídas tanto por ferrões retráteis como por peças bucais
penetrantes ou setas urticantes.

 Os insetos criptotóxicos são aqueles que produzem secreções não exócrinas


tóxicas, cuja toxicidade só se manifesta quando são ingeridos, isto é, quando o
inseto é lesionado e o sangue carregado de toxinas entra em contato com os
tecidos do predador,
ESPÉCIES QUE DEVEM SER EVITADAS COMO FONTES DE ALIMENTOS:

-ESPÉCIES CIANOGÊNICAS (LEPIDÓPTEROS DAS FAMÍLIAS NYMPHALIDAE


E HELICONIDAE);

-ESPÉCIES VESICANTES (MARIPOSAS DO GÊNERO LONOMIA);

-ESPÉCIES PRODUTORAS DE HORMÔNIOS ESTERÓIDES (ILYBIUS


FENESTRATUS) E CORTICOSTERÓIDES (DYTISCUS MARGINALIS);

- ESPÉCIES PRODUTORAS DE ALCALÓIDES NECROTÓXICOS (FORMIGAS-


DE-FOGO SOLENOPSIS SPP.) E TOLUENO (CERAMBICÍDEOS DO GÊNERO
SYLLITUS).
As toxinas produzidas pelas espécies fanerotóxicas tornam-se ativas
quando são injetadas, fivando inativas no trato gastrintestinal. No
entanto, um mínimo de cuidado é recomendado ao ingerir insetos
dessa categoria.

As espécies criptotóxicas requerem um maior cuidado


em sua seleção como alimento em potencial.
Lacunas de conhecimento – nível local

• Variação no grau da entomofagia no mundo.

• Quais spp. são usadas? Necessidade para coleções de referência e


nomes padronizados (científico e local)

• Quais espécies são passíveis para criação e manejo?

• Sustentabilidade da produção (especialmente coleta da natureza)

• Conhecimento ecológico tradicional e Propriedade Intelectual

• Uso nos sistemas de produção da comunidade (aquicultura,


avicultura, ranicultura)
55
Lacunas de conhecimento – pós-coleta

• Qualidade nutritiva de diferentes espécies

• Temas de segurança alimentar

• Comércio e circulação do produto


 Efeitos da comercializão sobre o negócio (e.g. Cambodia, Lao
& Myanmar to Thailand)
• Indústria: praticabilidade, economia
Bom Apetite!